Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras Núcleo Petrobras de Sustentabilidade

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras 2012. Núcleo Petrobras de Sustentabilidade"

Transcrição

1 Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras 2012 Núcleo Petrobras de Sustentabilidade 1

2 2 3

3 FICHA CATALOGRÁFICA Elaborada pela Biblioteca Walther Moreira Salles Lauriano, Lucas Amaral L384e Estágio da sustentabilidade das empresas brasileiras / Eduarda Carvalhaes; Rafael Tello. Nova Lima: Fundação Dom Cabral, p. : il. Relatório de Pesquisa realizada pelo Núcleo Petrobras de Sustentabilidade/ Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção da Fundação Dom Cabral, Sustentabilidade corporativa. I. Carvalhaes, Eduarda. II. Tello, Rafael. III. Fundação Dom Cabral. IV. Título. 4

4 08. Apresentação 55. Relacionamento com Stakeholders 10. Institucional 61. Liderança Sumário Metodologia O Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras Avaliação Global Barreiras à incorporação da Sustentabilidade Desafios à incorporação da Sustentabilidade Conceito de Sustentabilidade Intenção Estratégica 70. Como as empresas brasileiras podem avançar na gestão da sustentabilidade 42. Estrutura 72. Considerações Finais e Perspectivas 46. Transparência 75. Referências bibliográficas 48. Capacidade de resposta 76. Autores 6

5 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo Petrobras de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral tem a satisfação de apresentar, em 2012, a 1ª edição da pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras. Esse trabalho tem como objetivo avaliar a gestão empresarial considerando diversos aspectos relacionados à sustentabilidade. Com essa análise, é possível visualizar a situação atual da sustentabilidade nas empresas brasileiras, identificando os aspectos nos quais já há certo desenvolvimento e aqueles que ainda precisam ser aprimorados. Consideramos como sustentabilidade as atividades organizacionais que geram resultados ambientais, econômicos e sociais positivos e equilibrados a todos os seus stakeholders. A relevância do estudo se encontra na possibilidade de as empresas avaliarem sua gestão em comparação ao desempenho global das empresas do País. Outro aspecto positivo é a possibilidade de se identificar as questões críticas enfrentadas pelas empresas e buscar formas de incentivar melhorias. Nesse relatório são apresentados os principais achados da pesquisa. A abordagem de avaliação da gestão das empresas utilizada na pesquisa aponta que a organização pode se enquadrar em cinco estágios diferentes de sustentabilidade, em uma avaliação que inclui sete aspectos da gestão empresarial. Na seção dois, a FDC e o Núcleo Petrobras de Sustentabilidade serão apresentados, para que na seção três a abordagem utilizada seja exibida. Em seguida, explicaremos brevemente como o projeto foi conduzido para que, feito isso, apresentemos os estágios de sustentabilidade das empresas brasileiras de acordo com os aspectos da gestão considerados na pesquisa. Por fim, as principais barreiras e desafios enfrentados pelas organizações serão expostos, seguidos de algumas indicações de como as empresas podem melhorar sua gestão para a sustentabilidade, de acordo com os resultados dessa pesquisa. Boa leitura! Lucas Amaral Lauriano, Eduarda Carvalhaes, Rafael Tello 8

6 2. Institucional A Fundação Dom Cabral A Fundação Dom Cabral é um centro de desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos, que há 36 anos pratica o diálogo e a escuta comprometida com as organizações, construindo com elas soluções educacionais integradas. A missão da FDC é contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade por meio da educação, da capacitação e do desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. A FDC acredita que as soluções para o desenvolvimento das empresas podem ser encontradas dentro da própria organização. A sinergia com as empresas é resultado da conexão entre teoria e prática, reforçada pelo trabalho interativo de sua equipe técnica, que combina formação acadêmica com experiência empresarial. A Fundação Dom Cabral possui uma ampla gama de programas que abrangem as mais diversas áreas de conhecimento em gestão. Os temas podem ser estudados em diferentes formatos, que vão desde programas curtos e intensivos, no Brasil e no exterior, até soluções customizadas ou parcerias que estabelecem um relacionamento de médio e longo prazos para estudos mais aprofundados. Soluções educacionais Programas de pós-graduação Programas abertos de curta duração Parcerias Programas customizados 10 11

7 Em 2012, a Fundação Dom Cabral foi classificada como a 8ª melhor escola de negócios do mundo, de acordo com o Ranking 2012 de Educação Executiva do Financial Times. A classificação posiciona a FDC entre as 10 melhores escolas de negócios do mundo, durante 3 anos consecutivos. Núcleo Petrobras de Sustentabilidade O Núcleo Petrobras de Sustentabilidade tem como propósito disseminar os conceitos de sustentabilidade em todos os campos da gestão relacionados ao tema. Para tanto, realiza pesquisas, projetos e programas, seguindo modelo próprio de desenvolvimento de conhecimento. O Núcleo tem como missão contribuir para a educação de gerentes e líderes empresariais, nos conceitos e práticas da responsabilidade corporativa e da sustentabilidade, desenvolvendo e aplicando conhecimento, visando ser um indutor da sustentabilidade das pessoas, dos negócios, da sociedade e do planeta por meio da conscientização e da ação de lideranças organizacionais quanto a suas potencialidades e responsabilidades. Patrocínio A estrutura do Núcleo está fundamentada em três espaços básicos de atividades: O Núcleo, em que se concentram as incursões em novos temas e modelos e a incubação e articulação dos Centros, que são espaços de criação. Os Centros de Referência, espaços compartilhados com grupos de empresas, dedicados ao desenvolvimento e aplicação de conhecimento em temas especí?cos, mas adequados a empresas de qualquer setor e natureza. Os Centros de Desenvolvimento, espaços compartilhados com grupos de empresas, dedicados ao desenvolvimento e aplicação de conhecimento adequado a determinados setores de negócios. Linhas de Pesquisa Estudo de práticas de gestão que promovam a sustentabilidade Formação de Lideranças Responsáveis Investigação de experiências empresariais referenciais ao tema Investigação do contexto empresarial do mercado, da sociedade e do planeta Coordenação MARIA RAQUEL GRASSI FERREIRA MARQUES MBA Empresarial, pela Fundação Dom Cabral FDC. Graduada em Economia, Administração de Empresas e Ciências Contábeis, pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais PUC/MG. Participou da criação do Centro de Referência em Gestão Responsável para a Sustentabilidade da FDC. Co-autora dos Cadernos de Idéias FDC Bases da Educação em Sustentabilidade em uma Escola de Negócios e Estratégias Empresariais Brasileiras à Luz da Sustentabilidade. Para saber mais sobre o Núcleo Petrobras de Sustentabilidade, nossos centros e suas atividades, acesse A equipe técnica responsável pela pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras faz parte do Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção (CDSC)

8 CDSC Centro de Desenvolvimento da Sustentabilidade na Construção Sustentabilidade nas cidades: desenvolvimento de conhecimento sobre sustentabilidade urbana e o papel das empresas do macrossetor da construção na sua promoção. Criado em 2008, o CDSC tem como propósito desenvolver conhecimento e promover iniciativas que suportem uma atuação proativa das empresas do macrossetor da construção em prol do desenvolvimento sustentável. Para tanto, a equipe do CDSC realiza pesquisas acadêmicas, busca conhecer a realidade e necessidades das empresas por meio e surveys, constrói estudos de caso e organiza eventos para promover o diálogo entre executivos e especialistas. Seguindo a tradição da FDC de construir com as empresas, o CDSC mantém estreito contato com organizações e entidades do setor, além de diferentes atores no governo para desenvolver conhecimento inovador e relevante para o macrossetor da construção. Para potencializar a disseminação do conhecimento desenvolvido, o CDSC elabora diferentes produtos para apresentar os resultados de suas pesquisas, que vão de textos no blog da FDC até artigos científicos para publicação em revistas nacionais e internacionais. Linhas de Pesquisa Sustentabilidade nas empresas: desenvolvimento de conhecimento sobre gestão da sustentabilidade em empresas visando desenvolver mecanismos para desenvolvê-lo e para capacitar seus gestores. Coordenação RAFAEL AUGUSTO TELLO OLIVEIRA MBA em Gestão da Sustentabilidade, pela Leuphana Universitaet Especialista em Negócios Internacionais, pela Fundação Dom Cabral FDC. Graduado em Ciências Econômicas, pela Universidade Federal de Minas Gerais UFMG. Autor de publicações diversas sobre os temas de gestão da sustentabilidade corporativa e sustentabilidade no macrossetor da construção. Empresas Associadas Sustentabilidade nas cadeias produtivas: desenvolvimento de conhecimento para promover a sustentabilidade em cadeias produtivas da construção (civil, pesada e montagem industrial) 14 15

9 3. Estágios de Sustentabilidade A abordagem teórica utilizada na pesquisa, denominada Estágios de Cidadania Corporativa, foi desenvolvida pelo Centro para Cidadania Corporativa da Boston College (BCCCC - sigla em inglês). A ideia da cidadania corporativa é a de que as empresas devem possuir uma conduta ética, levando em consideração os interesses das pessoas, sejam elas funcionários, fornecedores, comunidade, etc. Em uma perspectiva ampla, a cidadania corporativa pode ser definida como sinônimo da sustentabilidade, isto é, a busca por atividades e processos corporativos com resultados ambientais, econômicos e sociais equilibrados para todas as partes interessadas da organização. Na pesquisa, utilizamos o termo sustentabilidade por ser mais familiar ao empresariado brasileiro, em comparação à cidadania corporativa. A abordagem teórica tem como aspecto positivo a possibilidade de identificar em qual estágio as organizações se encontram frente à sustentabilidade, avaliando os principais desafios, barreiras e características de suas atividades. As organizações podem ser classificadas em cinco estágios de sustentabilidade diferentes, com a avaliação de sua gestão em diversos aspectos. A seguir, será feita uma breve descrição das características das organizações em cada um dos estágios considerados

10 Estágio 1 Elementar A sustentabilidade é esporádica e os programas não são elaborados. Empresas nesse estágio são reativas, atuando de acordo com as obrigações previstas em lei. Mirvis e Googins (2006) apontam que as razões para esse comportamento são: falta de compreensão do que é sustentabilidade corporativa, liderança sem comprometimento com a causa, relacionamento limitado com stakeholders externos e setores ligados a questões sociais e ambientais isolados, quando existe. O que as impulsiona nesse nível a melhorar sua atuação nas questões de sustentabilidade é a busca pela credibilidade, sendo um desafio responder a novas expectativas e ir além dos requerimentos legais, além de mobilizar e conscientizar a liderança sobre a importância da sustentabilidade (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Estágio 2 Engajado Nesse estágio, a liderança possui uma atuação que leva em consideração alguns aspectos da sustentabilidade, e modifica o papel da empresa na sociedade, indo além da legislação. Com isso, o gestor visa a manutenção e melhoria da reputação da organização. Empresas nesse estágio ainda tendem a ser reativas, com comunicação limitada com stakeholders. O próprio esforço de engajamento com estes grupos gera um sentimento de impotência frente à inexistência de estrutura corporativa para lidar com as diversas demandas das partes interessadas. Assim, um dos desafios desse estágio é criar capacidades internas, que permitam uma comunicação mais efetiva com seus stakeholders (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Estágio 3 Inovador os líderes tomam frente do processo, coordenando assim as atividades referentes ao tema. As empresas possuem alto nível de aprendizado e inovação, geralmente entrando em contato com uma diversidade de stakeholders, como empresas mais avançadas em sustentabilidade corporativa, experts, fóruns, conferências e reuniões profissionais. Essa mudança na percepção, contudo, geralmente não é acompanhada por desenvolvimentos em transparência e ética (MIRVIS, GOOGINS, 2006). A principal barreira desse estágio é a falta de coordenação entre as atividades relacionadas à sustentabilidade corporativa. Cada setor atua de uma forma, com sua própria agenda. O desempenho social e ambiental nesse estágio começa a ser monitorado, mas em nível no qual as informações são apenas colhidas, e não analisadas e utilizadas como insumo para melhorias na gestão. Assim, o grande desafio desse estágio é o alinhamento da estratégia da organização com os programas e processos que visam a sustentabilidade, gerando coerência entre as atividades das diversas áreas da empresa e a sustentabilidade. (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Estágio 4 Integrado Três características marcam as empresas presentes nesse estágio: liderança à frente dos processos de sustentabilidade; uma visão inclusiva de sustentabilidade e uma estrutura integrada para lidar com os temas, articulando sistemas e processos. Empresas nesse estágio possuem metas, indicadores-chave de desempenho e monitoramento contínuo. Um dos desafios desse estágio é mover a empresa da coordenação para a colaboração, isto é, mobilizar os esforços de todos os colaboradores e aprofundar o comprometimento com as questões relacionadas à sustentabilidade corporativa, mostrando que o tema está sendo expresso na estratégia de negócios da empresa. A empresa nesse estágio começa a se questionar sobre o quão profundo é o seu comprometimento com a sustentabilidade (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Quando ocorre o aumento da percepção da sustentabilidade corporativa, ampliando o escopo a questões sociais e ambientais, as empresas passam para o estágio inovador. Nesse estágio, as empresas possuem uma visão mais ampla da sustentabilidade, e 18 19

11 Estágio 5 Transformador Nesse estágio, a empresa coloca a sustentabilidade como parte central de seu modelo de negócios, adapta seus produtos de maneira a gerar mercados inclusivos e possui ativismo social e ambiental. O desafio desse estágio é a criação de novos mercados, nos quais a sustentabilidade e os negócios se fundem. Empresas nesse estágio operam em parceria intensa com ONGs, governo e outras empresas com o objetivo de resolver problemas e transformar o mundo em um lugar melhor (MIRVIS, GOOGINS, 2006). Na pesquisa Estágio da Sustentabilidade das Empresas Brasileiras buscou-se observar os aspectos de sustentabilidade de cada estágio presentes na gestão empresarial das organizações brasileiras. A grande questão que envolve a sustentabilidade corporativa é o relacionamento da empresa com o ambiente ao seu redor. Assim, a abordagem de cidadania corporativa foi escolhida por apresentar diversos aspectos de avaliação da gestão empresarial e o relacionamento das organizações com as diversas partes interessadas. Os cinco estágios de sustentabilidade corporativa são avaliados de acordo com sete dimensões, que representam aspectos que influenciam na gestão da sustentabilidade empresarial. Na Figura 1 é possível observar os estágios os aspectos considerados. Conceito de sustentabilidade Intenção Estratégica Liderança Estrutura Sistemas, próativa. Parceria Capacidade de resposta Relacionamento com stakeholders Expressão verbal, indisponível. Marginal: direcionada à equipe Defensivo Estágio 2 Engajado Filantropia, proteção ambiental Licença para operar Engajado, apoiador. Propriedade Funcional Reativo, políticas Estágio 3 Inovador Gestão de stakeholder Casos de negócios Auxilia os processos de sustentabilidade corporativa. Coordenação Entrefunções Responsiva, programas Unilateral Interativo Influência mútua Transparência Proteção Relações públicass Reporte ao público Estágio 1 Elementar Empregos, lucros e impostos Cumprimento da legislação Estágio 4 Integrado Sustentabilidade ou Triple Bottom Line Proposta de valor Campeão, à frente da sustentabilidade. Alinhamento organizacional Garantia Estágio 5 Transformador Mudar o mercado Criação de mercado ou mudança social Visionário, à frente do seu tempo. Mainstream: Direcionada ao negócio Definidora Alianças multiorganizacionais Transparência total Figura 1: As sete dimensões dos estágios de sustentabilidade corporativa Fonte: MIRVIS, GOOGINS,

12 4. metodologia A pesquisa Estágios de Sustentabilidade das Empresas Brasileiras foi realizada com organizações atuantes em diversos setores industriais e de serviços. O levantamento foi realizado entre os meses de abril e julho de Cerca de 2000 questionários foram enviados eletronicamente para profissionais de diferentes níveis hierárquicos e departamentos das empresas. Apesar disso, em geral, muitos dos respondentes atuam na área de sustentabilidade, responsabilidade corporativa, meio ambiente ou qualidade. A opção pela diversidade da amostra vem da percepção de que a visão e definição da gestão da sustentabilidade na empresa podem variar entre os diversos níveis hierárquicos. Além disso, um indicador de que a sustentabilidade está incorporada no sistema de gestão é o envolvimento de profissionais de todos os níveis e departamentos da organização. O questionário possui, no total, 113 perguntas, abrangendo os 7 aspectos da sustentabilidade corporativa, além de desafios e barreiras que o tema representa (Figura 2). Foram incluídas também perguntas de caracterização dos respondentes e de suas empresas. O principal insumo para a produção do questionário foi a pesquisa sobre Cidadania Corporativa realizada pelo BCCCC (MIRVIS; GOOGINS, 2006). Conceito de Sustentabilidade Intenção Estratégica Estrutura Transparência Capacidade de resposta Relacionamento com stakeholders Liderança Figura 2: Aspectos da sustentabilidade corporativa avaliados na pesquisa Fonte: Elaborada pelos autores

13 Na pesquisa, foi utilizada uma amostragem estratificada aleatória, com empresas de diferentes tamanhos. A pesquisa foi voluntária, e no total, 239 empresas acessaram o questionário. Destas, 160 o responderam de forma integral, e 79 de forma parcial, dos quais 12 respondentes preencheram mais de 70% das questões. Assim, na pesquisa foram validados 172 questionários. As principais análises feitas na pesquisa visaram verificar o grau de correlação entre duas variáveis, o que caracteriza uma avaliação de correlação paramétrica do tipo Pearson. Nesses casos, a amostra deve conter no mínimo 40 casos para um intervalo de confiança de 95% com significância de (HILL, HILL, 2009). Região de atuação Como são os respondentes e suas empresas? 60% 3 8% A amostra contou com empresas dos três setores da economia, sendo que o de comércio e serviços se destacou, com 93 empresas. Com relação ao número de empregados diretos, as grandes empresas, com mais de 250 funcionários, representam 119 das 172 empresas respondentes. Por fim, 103 empresas afirmaram atuar somente no Brasil. Somente no Brasil Mais de 21 países além do Brasil Outro país além do Brasil Número de Empregados Diretos Empresas por Setor da Economia 69% 9% 9% 5% 4 54% Grande (mais de 250 funcionários) Média (de 50 a 249 funcionários) Pequena ( de 10 a 49 funcionários) Micro 1º Setor Agricultura 2º Setor Indústria 3º Setor Comércio e Serviços 24 25

14 A pesquisa contou com a participação de respondentes de 16 dos 26 estados brasileiros, além do distrito federal. Todas as 5 regiões do País estão presentes no estudo (Figura 3). Cargo dos Respondentes 20% 19% 9% Diretor Gerente Cooperador Outros Analista REGIÃO NORTE 4 9% 7% 5% REGIÃO CENTRO-OESTE 9 6 REGIÃO NORDESTE Arquiteta Superintendente Engenheiro Estagiário Auxiliar 139 REGIÃO SUDESTE REGIÃO SUL 11 Figura 3: Quantidade de empresas respondentes por região do Brasil. Fonte: Elaborada pelos autores. O profissional mais novo a responder a nossa pesquisa possui 22 anos, enquanto o mais velho possui 67. A média de idade dos respondentes é de 38 anos e a idade mais recorrente dos entrevistados é 27 e 28 anos. No total, 169 pessoas informaram sua idade. O cargo mais recorrente ocupado pelos respondentes é o de gerente (20%), seguido pelo analista (), coordenador (14%) e diretor (14%). Das 171 pessoas que responderam a esta pergunta, 52 (30%) afirmaram trabalhar nas áreas de sustentabilidade, responsabilidade corporativa ou meio ambiente

15 5. O Estágio de Sustentabilidade das Empresas Brasileiras Para a realização da avaliação do estágio de sustentabilidade das empresas brasileiras, os sete aspectos da sustentabilidade corporativa foram utilizados. Em uma avaliação global, as empresas brasileiras estão no estágio denominado na pesquisa como Engajado.. Na Figura 4 é possível observar os sete aspectos avaliados e o estágio em que se encontram nas empresas brasileiras. A seguir, os resultados de cada aspecto serão apresentados. TRANSFORMADOR INTEGRADO ELEMENTAR ENGAJADO Intenção Estratégica Transparência Capacidade de resposta Relacionamento com Stakeholders INOVADOR Estrutura Conceito de sustentabilidade Liderança Estágios de Sustentabilidade FIGURA 4: Estágio de cada aspecto de sustentabilidade avaliado. Fonte: Elaborada pelos autores 28 29

16 Conceito de Sustentabilidade Esse aspecto se relaciona com a percepção que a empresa possui sobre a sustentabilidade empresarial em geral, sem avaliar o contexto específico de suas atividades. Para essa avaliação, foram utilizados dois blocos de perguntas:? Como as empresas definem a sustentabilidade Quando questionados sobre a importância de cada um dos aspectos da sustentabilidade considerados, operar com ética nos negócios é o destaque, apesar de todos os outros aspectos também terem obtido uma avaliação positiva. Ao comparar as respostas, a menor porcentagem observada foi o apoio ao voluntariado entre os funcionários. Como as empresas definem a sustentabilidade Qual é a importância dada a cada aspecto da sustentabilidade? Percepções iniciais sobre a sustentabilidade Quais devem ser as ações para a sustentabilidade e quem deve incentivá-la? Legenda Operar com ética nos negócios 1 Discordo totalmente 5% % 8 6,68 7 Concordo totalmente As empresas brasileiras possuem a percepção de que a sustentabilidade deve ser uma prioridade empresarial. Além disso, a comunidade é vista como stakeholder influente nas atividades das organizações. Assim, os resultados sugerem que as empresas se encontram em um estágio no qual a sustentabilidade não é voltada somente à proteção ambiental e filantropia, apresentando sinais de que trabalhadores e fornecedores são entendidos como centrais para a sustentabilidade das organizações. Nesse estágio, a Valorizar funcionários e tratá-los bem 4% 14% 78% 6,60 96% compreensão da sustentabilidade é de que as atividades empresariais devem gerar resultados ambientais, econômicos e sociais equilibrados a suas partes interessadas. Assim, as empresas brasileiras se encontram em um estágio integrado no que tange o conceito de sustentabilidade corporativa. Entretanto, mesmo compreendendo o conceito, as empresas apontam que muitas organizações não aplicam os pressupostos da sustentabilidade, característica essa que tende a emergir nos outros aspectos considerados na pesquisa. Trabalhar com os fornecedores / vendedores para assegurar que eles operam eticamente 9% 2 6 6,37 96% 30 31

17 7% Proteger o meio ambiente natural 70% 6,39 96% Responder à comunidade / grupos de interesse com relação a questões que eles se preocupam 26% 5 6,13 9 Proteger consumidores 1 24% 59% 6,68 95% Melhorar as condições da sua comunidade 6% 8% 27% 56% 6,20 9 Gerir e reportar as finanças precisamente 5% 8% 17% 69% 6,43 9 Maximizar lucros de longo prazo aos donos / acionistas 5% 27% 50% 6,09 9 Realizar marketing e propaganda dos produtos de maneira responsável 2 56% 6,16 9 Prover vagas de trabalho bem remuneradas 8% 2 18% 48% 5,94 88% Promover benefícios aos empregados 5% 20% 56% 6,22 9 Gerar diversidade de trabalhadores dentro da empresa 8% 16% 2 47% 5,86 84% 32 33

18 Apoiar voluntariado entre os trabalhadores 5% 17% % 5,66 A sociedade almeja cada vez mais a sustentabilidade das empresas 1 17% 26% 4 5,80 84%? Percepções iniciais sobre a sustentabilidade Ao serem questionados sobre as ações para a sustentabilidade e quem deveria incentivá-las, as empresas apontam que ela deve ser uma prioridade empresarial, e que deve A sustentabilidade faz uma contribuição tangível aos resultados das empresas 5% 19% 2 34% 5,51 77% haver legislação que a regule e incentive. É interessante observar que as empresas admitem que muitas organizações, apesar de se proclamarem sustentáveis, não estão realmente comprometidas com a causa. Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Muitas empresas possuem muito mais ações voltadas para a comunidade do que é normalmente conhecido 7% 7% 16% 24% 19% 17% 60% 4,66 8% A sustentabilidade deve ser uma prioridade das empresas 6% % 6,19 90% A sustentabilidade é mais importante em tempos de recessão 16% 1 18% 19% 4,19 46% Muitas empresas promovem a sustentabilidade, mas não estão realmente comprometidas com a questão 19% 2 45% 5,93 87% A sustentabilidade deve ser completamente voluntária, nenhuma lei deveria regulá-la 9% 7% 3 1 3,

19 Intenção Estratégica? Motivação para a sustentabilidade Os respondentes foram questionados sobre como a sustentabilidade é vista dentro de O aspecto da intenção estratégica busca avaliar qual é o objetivo de se levar em consideração aspectos de sustentabilidade dentro da empresa. Mirvis e Googins (2006) apontam que empresas em estágios iniciais consideram apenas benefícios no mercado e sociedade advindos da sustentabilidade, como melhoria na reputação e imagem da empresa. suas empresas. Em todas as questões desse bloco, a maior parte dos respondentes afirma que a sustentabilidade existe e traz benefícios para suas organizações, sendo destaque a melhoria na reputação e imagem. Quando questionadas sobre a sustentabilidade e retenção de empregados, os dados sugerem que as empresas brasileiras não veem uma relação direta entre as questões. Esse aspecto se diferencia do aspecto Conceito de Sustentabilidade por levar em consideração o que acontece no contexto da empresa, e não de maneira geral; além disso, busca-se aqui avaliar quais são as motivações para a sustentabilidade. Para essa avaliação, três blocos de perguntas foram considerados: Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Motivação para a sustentabilidade Como a sustentabilidade é vista dentro de sua empresa? O que a motiva? Iniciativas voltadas à sustentabilidade O que a empresa faz em prol da sustentabilidade? Motivação para parcerias O que motiva a empresa a realizar parcerias para resolver questões ambientais, econômicas e sociais? A sustentabilidade melhora a nossa reputação / imagem 9% 19% 65% 6,29 9 A principal intenção estratégica das empresas brasileiras com a sustentabilidade são os ganhos de reputação ou ganhos financeiros advindos da utilização de menos recursos naturais. Além disso, as parcerias também são motivadas pelos ganhos de reputação. Esse comportamento é característico de empresas no estágio engajado, com a intenção voltada para a licença para operar. Isso significa que as organizações brasileiras visam o reconhecimento por parte da sociedade de que suas atividades são adequadas A sustentabilidade é importante para nossos clientes / consumidores 8% 14% 26% 47% 87% 5,95 e devem continuar. Nesse estágio há a percepção de que a opinião e visão da sociedade com relação à organização é importante

20 A sustentabilidade nos dá vantagens competitivas 5% 9% 16% % 5,64 A sustentabilidade é parte das tradições e valores da empresa 5% 8% 2 37% 5,33 74% A sustentabilidade permite nosso envolvimento no debate de políticas públicas 5% 6% 8% 26% 40% 78% 5,57 A sustentabilidade nos ajuda a diminuir os riscos nos negócios 6% 6% 20% 25% 30% 74% 5,33 A sustentabilidade 8% nos auxilia na gestão de pressões regulatórias 5,% % 3 77% 5,22 Discutimos sobre sustentabilidade dentro da empresa 9% 6% 8% 14% 3 4,98 6 A sustentabilidade é esperada por nossa comunidade 4% 19% 19% 39% 77% 5,54 A sustentabilidade ajuda a recrutar e manter funcionários 6% 58% 8% 17% 2 16% 19% 4,64 A sustentabilidade faz parte da nossa estratégia de negócios 20% 17% 40% 77% 5,

21 ? Iniciativas voltadas à sustentabilidade? Motivação para parcerias Os respondentes foram questionados sobre quais das opções abaixo são atividades de suas empresas atualmente. A iniciativa mais recorrente nas empresas, apontada por 8 dos entrevistados, é a redução de custos através de melhorias na eficiência do uso de materiais. Aumentar a conscientização da marca como verde ou socialmente responsável, por sua vez, é a iniciativa menos realizada pelas empresas, sendo apontada por 20% dos respondentes. As empresas deveriam apontar quais são as três principais motivações para a realização de parcerias para a sustentabilidade. 67% dos respondentes afirmam que a obtenção de benefícios financeiros ao identificar oportunidades de inovação é a principal motivação, seguido da melhoria na reputação trazida com a sustentabilidade, com 66% de respostas; e a percepção de que as empresas não conseguem resolver todos os problemas sozinhas, afirmação feita por 48% das empresas. Aumentar a conscientização da marca como verde ou socialmente responsável 20% Prover mais informações aos consumidores sobre os impactos sociais e ambientais de seus produtos 36% Governo ou outras políticas de incentivo 44% Utilizar a sustentabilidade como um diferencial mercadológico Produzir ou terceirizar a produção domesticamente/localmente Prover mais informações aos consumidores sobre os impactos sociais e ambientais de seus produtos e serviços 39% 39% 49% Pressão de stakeholders externos Nossa empresa não consegue resolver todos os problemas sozinha 45% 48% Reduzir custos através de melhorias na eficiência do uso de materiais 50% Melhorar nossa reputação 66% Prover treinamentos para ampliar e aumentar a conscientização comercial dos trabalhadores 55% Obter benefícios financeiros ao identificar oportunidades de inovação 67% Desenvolver e oferecer produtos/serviços sustentáveis 57% Oferecer produtos/serviços mais eficientes em gastos energéticos

22 Estrutura? Alinhamento e integração da sustentabilidade nos negócios O aspecto da estrutura se relaciona com a forma na qual a gestão da sustentabilidade está estruturada nas empresas. Muitas organizações decidem criar uma área ou um comitê específico para tratar das questões de sustentabilidade corporativa que se relacionem com seus negócios, mas se não houver uma integração das atividades do setor com as outras atividades da empresa, o papel da sustentabilidade fica em segundo plano. Ao aprofundar nos questionamentos sobre a gestão da sustentabilidade e sua integração nos negócios das empresas, boa parte dos respondentes aponta a existência de uma pessoa ou equipe responsável pelo tema. Metas individuais para os gestores sobre aspectos ligados à sustentabilidade, por sua vez, ainda é uma prática que deve ser trabalhada nas organizações. Para essa avaliação um bloco de perguntas foi utilizado: Alinhamento e integração da sustentabilidade nos negócios Legenda 1 Não é nada verdadeiro Muito verdadeiro O que há de concreto na empresa? Metas, equipe, políticas, treinamentos? Apesar de já existir alguém ou uma equipe responsável por questões relacionadas à sustentabilidade em 67% das empresas respondentes, ainda há procedimentos a serem desenvolvidos. A falta de metas individuais aos gestores em questões que levem em consideração aspectos de sustentabilidade mostra a dissociação entre a estrutura organizacional e a integração da área de sustentabilidade com as outras áreas. Isso faz com que as equipes responsáveis pela sustentabilidade se tornem ilhas dentro das empresas. Outra questão importante é o treinamento das equipes de diversas áreas para lidar com questões de sustentabilidade. Sem essa conscientização individual, a concretização das metas individuais e organizacionais estabelecidas é comprometida. Minha empresa possui alguém ou uma equipe responsável por questões relacionadas à sustentabilidade A sustentabilidade é parte integral do nosso processo de planejamento de negócios 17% 8% 16% 44% % 6% 6% 67% % 19% 14% 30% 4.76 Esse panorama é característico de empresas com um estágio inovador, no qual a sustentabilidade já possui uma estrutura interna, porém, não coordenada de forma efetiva com as diversas áreas, processos e atividades da empresa. Minha empresa possui políticas ou declarações escritas sobre sustentabilidade 16% 6% 8% 8% 9%

23 Minha empresa possui treinamento e programas de educação com o objetivo de avançar a sustentabilidade na empresa. 6% 14% 26% 54% 4.52 Gestores individuais possuem metas de performance relacionadas a direitos humanos dentro da cadeia de suprimentos 25% 1 14% 34% 3,58 Gestores individuais possuem metas relacionadas a melhorias na educação, treinamento e carreira dos trabalhadores 6% 49% 16% 16% 16% 20% 4.32 Gestores individuais possuem metas de performance relacionadas à diversidade 3 26% 14% 3,41 Gestores individuais possuem metas de performance relacionadas à responsabilidade ambiental 19% 1 1 9% 19% 48% 4,07 Gestores individuais possuem metas de performance relacionadas a produtos e serviços sustentáveis 39% 2 1 3,73 Gestores individuais possuem metas de performance relacionadas ao apoio à comunidade 2 16% 9% 1 16% 37%

24 Transparência A mensuração e reporte dos impactos das atividades das empresas é um passo impor- Minha empresa mede os impactos sociais de nossas iniciativas sociais 19% 9% 1 14% 20% 45% 4.08 tante para avaliar a gestão da sustentabilidade e garantir transparência nas atividades da organização. Quando questionadas sobre o reporte de informações relacionadas a iniciativas sustentáveis, 59% das empresas afirmou o fazerem; contudo, medir os impactos das iniciativas sociais nos negócios não é uma ação tão recorrente nas organizações. Minha empresa mede os impactos de nossas iniciativas sociais em nossos negócios 2 8% 17% 3 3,87 Assim, as empresas brasileiras já começam a reportar suas atividades relacionadas à sustentabilidade, mas muitos dos impactos socioambientais das organizações ainda não são mensurados, o que compromete quantitativamente e qualitativamente as informações contidas nos relatórios. Esse contexto é característico de empresas em um estágio engajado, em vias de passar para o estágio inovador. Já há algumas iniciativas para o reporte dessas informações, mas sua capacidade de se tornar insumo para melhorias na gestão é limitada pela falta de informações sobre algumas atividades. Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Minha empresa reporta as iniciativas voltadas à sustentabilidade 59% 14% 9% 8% Minha empresa mede os impactos de nossas iniciativas ambientais em nossos negócios 5 9% 1 16% 20%

25 Capacidade de resposta O aspecto de capacidade de resposta busca avaliar o quão responsiva é a empresa em termos de políticas de sustentabilidade, programas e performance. Para essa avaliação, foram utilizadas algumas perguntas gerais sobre metas e impactos das atividades e produtos das empresas e, além de dois blocos dois blocos de perguntas específicas: A resposta mais positiva obtida reflete a preocupação das empresas em ofertar produtos ou serviços que beneficiam o meio ambiente natural, apontado por 7 dos respondentes; todavia, as questões sociais ainda precisam ser trabalhadas nas empresas, especialmente na geração de produtos e serviços que vão ao encontro das necessidades das pessoas e comunidades de baixa renda. Assim, as empresas brasileiras se encontram em um estágio engajado com relação à capacidade de resposta, contexto no qual as organizações são reativas, com a existência de políticas e declarações escritas sobre a sustentabilidade, mas sem a devida estruturação para a gestão das questões emergentes, especialmente questões sociais e condições laborais. Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Iniciativas voltadas à comunidade Quais são as áreas priorizadas pelas empresas no apoio à comunidade, em termos de recursos monetários? Envolvimento dos negócios em questões de políticas públicas Em que medida as empresas devem estar mais ou menos envolvidas do que atualmente na solução de questões de políticas públicas? Minha empresa possui metas e objetivos relacionados à responsabilidade ambiental 7% 5% 7% 20% 38% 7 5,27 As empresas foram questionadas sobre a criação e divulgação de produtos e serviços sustentáveis, levando em consideração aspectos ambientais ou sociais. De maneira geral, os dados sinalizam que muitas organizações ainda não geram produtos ou serviços levando em consideração aspectos da sustentabilidade. É interessante observar a existência de metas globais nas organizações sobre alguns aspectos de sustentabilidade mas, como já foi apontado, o mesmo não é observado no nível individual. Essa Minha empresa possui metas e objetivos relacionados à educação, treinamento e carreira dos trabalhadores 8% 5% 7% 20% 16% 3 66% 5.01 característica mostra a necessidade de engajar todos os profissionais nas questões de sustentabilidade, e uma dissociação entre o que é proposto e o que é praticado, já que os conceitos de sustentabilidade estão muito claros para as empresas brasileiras. Minha empresa possui metas e objetivos relacionados a produtos e serviços sustentáveis 66% 1 6% 6% 1 19% 19% 28% 4,

26 Minha empresa desenvolve produtos e serviços levando em consideração os impactos de seus ciclos de vida % 19% 2 56% 4,50 Minha empresa possui metas e objetivos relacionados a direitos humanos dentro da nossa cadeia de suprimentos 46% 17% 7% 14% 16% 9% 2 4,20 Minha empresa oferece produtos ou serviços que beneficiam o meio ambiente natural 56% 1 1 6% 14% 1 3 4,66 Minha empresa possui metas e objetivos relacionados à diversidade 46% 18% 6% 1 16% 1 14% Minha empresa possui metas e objetivos relacionados ao apoio à comunidade 55% 5% % 4.62 Minha empresa oferece produtos certificados e rotulados como verdes ou amigáveis ao meio ambiente 27% 9% 9% 6% 9% 28% 4 4,00 Acompanhamos o que nossos competidores estão fazendo com relação a produtos e oferta de serviços sustentáveis 1 8% 8% 18% 14% 14% 26% 5 4,58 Os produtos e serviços da minha empresa vão ao encontro das necessidades das pessoas e comunidades de baixa renda 38% 26% 1 8% 3,67 Investimos recursos em P&D em novos produtos e serviços sustentáveis 17% 1 14% 20% 48% 4,

27 ? Áreas priorizadas de apoio à comunidade Envolvimento dos negócios em questões de? políticas públicas Baseando-se na quantidade de recursos investidos em atividades de apoio à comunidade, como dinheiro, tempo, produtos e serviços de doações, as empresas deviam indicar quais foram as três áreas priorizadas no ano passado. A área que recebe maior atenção das empresas, apontada por 5 dos entrevistados, é o treinamento de trabalho, seguido pela educação, com 49%, e questões ambientais, com 48%. Os respondentes deveriam apontar em que medida as empresas devem estar mais ou menos envolvidas do que atualmente estão na solução de algumas questões de políticas públicas. Em geral, as empresas apontaram que em todas as questões colocadas deveria haver um envolvimento muito maior das empresas do que ocorre hoje, mas a segurança do produto é a questão na qual deve haver maior envolvimento. Alfabetização Artes e cultura Esportes Os resultados sugerem o reconhecimento do empresariado com relação à necessidade de ir além em questões que envolvem a sustentabilidade e o poder público. Moradia acessível Segurança da comunidade Cuidado de crianças Assistência médica, incluindo nutrição e preparo físico Desenvolvimento econômico 14% 20% 2 3 Legenda 1 As empresas devem estar muito menos envolvidas As empresas devem estar muito mais envolvidas Questões ambientais 48% Educação Não sei Treinamento de trabalho 49% 5 5 Segurança do produto 7% 6% 68% 89% 6,36 Mudanças climáticas 17% 16% 47%

28 Desigualdade social 16% 20% 44% 80% 5.75 Relacionamento com Stakeholders Esse aspecto avalia o relacionamento da empresa com suas partes interessadas. Em estágios iniciais de sustentabilidade, as empresas possuem comunicação limitada com Educação pública 4% 18% 18% 40% 76% 5.52 seus stakeholders. Quando há a tentativa de aproximação das partes interessadas, as empresas percebem que não possuem estrutura para atuar com essas novas questões, o que demanda a construção de capacidades internas para lidar com as demandas de seus stakeholders (MIRVIS; GOOGINS, 2006). Para a avaliação do relacionamento das empresas com suas partes interessadas, foram utilizados três blocos de perguntas: Assistência médica 4% 17% 2 16% 38% 75% 5.32 Suporte a comunidades economicamente desfavorecidas Qual é o envolvimento da empresa com essas comunidades? Práticas laborais Como a empresa lida com questões que envolvem seus colaboradores e clientes? Parcerias Frente a um problema relacionado à sustentabilidade, a empresa realiza parceria com quem? 54 55

29 No caso brasileiro, é possível observar que o diálogo tem sido desenvolvido com stakeholders específicos, como os clientes e ONGs, mas a relação fraca na formação de parcerias com outras partes interessadas mostra a necessidade de se avançar nesse aspecto. Em estágios mais altos de sustentabilidade, a percepção de que os problemas Melhorar as condições em comunidades menos favorecidas economicamente 14% 14% 1 14% 1 17% 18% 46% 4,17 são complexos demais para serem solucionados somente pela empresa leva a organização a realizar parcerias também com escolas, empresas com atividades similares e até mesmo instituições de caridade, o que não é observado nas empresas brasileiras. O relacionamento com a comunidade de uma forma geral também é uma atividade a ser melhorada, com a capacitação de funcionários com menores salários e compreensão das necessidades das populações de baixa renda. Essa comunicação existente, porém limitada, com os stakeholders caracteriza as empresas brasileiras como organizações em um estágio engajado. Oferecer programas de treinamento a pessoas em comunidades economicamente desfavorecidas 25% 9% % 4 3,85? Suporte a comunidades economicamente desfavorecidas Quando perguntadas sobre o envolvimento em questões relacionadas ao suporte a comunidades economicamente desfavorecidas, o destaque é a discussão sobre sustentabilidade fora da empresa com suas partes interessadas. A preocupação com a compra de produtos de empresas cujos proprietários são mulheres ou minorias, ao contrário, não foi apontado como algo de grande envolvimento por parte das empresas. Contratar pessoas de comunidades mais pobres / menos favorecidas 38% 20% 1 14% 14% 14% 3,74 Legenda 1 Nenhum envolvimento Grande envolvimento Provisão de oportunidades de treinamento e desenvolvimento para empregados com menor remuneração 37% 9% 6% 9% 19% 17% 14% 26% 4,74 Discutimos sobre sustentabilidade fora da empresa com stakeholders (ex: fornecedores, consumidores, reguladores, ONGs, etc.) 6 8% 9% 8% 14% 16% 17% 28% 4,84 Instalar sua empresa em comunidades menos favorecidas economicamente 37% 14% 1 5% 1 25% 2,

30 Comprar de empresas fornecedoras cujas proprietárias são mulheres 50% 16% 1 4% 6% 17% 2,37 Apoiamos o desenvolvimento de habilidades, educação e melhoria na carreira de trabalhadores dos menores níveis hierárquicos da empresa. 4% 7% 9% 1 17% 16% 35% 68% 5,16 Comprar de empresas fornecedoras cujos proprietários fazem parte de minorias 4 20% 1 14% 4% 6% 14% 2,52? Práticas laborais Apoiamos o balanceamento das práticas laborais para todos os empregados, inclusive àqueles remunerados por hora % 17% 1 14% 26% 4,55 Alguns questionamentos relacionados a práticas laborais foram feitos, e os dados mostram que grande parte das empresas oferece cobertura de seguro saúde a todos os empregados, inclusive àqueles remunerados por hora. Já a compensação dos trabalhadores por ideias que beneficiam a empresa em termos econômicos, sociais e ambientais é uma ação que ainda precisa ser melhorada nas empresas. Compensamos trabalhadores por ideias que beneficiam a empresa em termos econômicos, sociais e ambientais ao mesmo tempo. 49% 16% 16% 9% 9% 14% 9% 26% 4,20 Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Nossa empresa oferece cobertura de seguro saúde a todos os empregados, inclusive àqueles remunerados por hora. 4% % 70% 5,28 Aconselhamos nossos consumidores sobre escolhas sustentáveis de produtos e serviços 14% 16% 14% 2 46% 4,

31 ? Parcerias Liderança Os problemas ambientais e sociais enfrentados pelas organizações muitas vezes geram a necessidade de construir parcerias para solucioná-las. Solicitou-se que os respondentes apontassem todos os atores com os quais parcerias existem. Os clientes foram apontados por 54% das empresas entrevistadas como os maiores parceiros das empresas na solução de problemas sociais e ambientais, seguido pelas ONGs, apontadas por 5 dos entrevistados. As instituições de caridade, por sua vez, são as parcerias menos recorrentes, sendo apontadas por 26% das empresas, logo após as empresas com atividades similares, assinaladas por 27% da amostra. O fator mais importante para a sustentabilidade corporativa de uma empresa é o apoio da liderança (MIRVIS; GOOGINS, 2006). Os líderes incentivam os processos internos e possuem o poder de tomada de decisão; dessa forma, para que as organizações avancem nos estágios de sustentabilidade, é preciso que os líderes estejam à frente desse processo, o que não ocorre de maneira significativa. Além disso, o conselho também não possui uma participação clara nas questões de sustentabilidade. Assim, no aspecto de liderança, o que se observa nas empresas brasileiras é um estágio engajado, no qual há certa preocupação e apoio com as questões de sustentabilidade corporativa, mas não um auxílio significativo. Legenda 1 Discordo totalmente Concordo totalmente Instituições de caridade 26% Empresas com atividades similares 27% Escolas 38% Fornecedores Governo ONGs 4 47% 5 O CEO lidera a agenda da sustentabilidade dentro da empresa 17% 9% 1 14% 25% 5 4,37 Clientes 54% O conselho da minha empresa revê e aprova nosso programa de sustentabilidade 19% 6% % 5 4,

32 Avaliação Global Pelos sete aspectos considerados na avaliação, é possível observar que as empresas brasileiras se encontram em um estágio engajado de sustentabilidade. É interessante a dissociação entre a percepção e compreensão da sustentabilidade e sua gestão dentro das empresas. As organizações brasileiras conseguem compreender os aspectos de sustentabilidade que devem considerados, mas, ao mesmo tempo, não há metas e objetivos claros com relação a alguns temas. (Figura 5) Conceito de sustentabilidade Estágio: Integrado Características: O conceito das empresas sobre a sustentabilidade está bastante claro. Intenção estratégica Estágio: Inovador Características: Já existem alguns casos de sucesso da incorporação da sustentabilidade no sistema de gestão empresarial, mas a intenção estratégica das empresas ainda está muito relacionada aos ganhos financeiros e de reputação. Estrutura Estágio: Engajado Características: Ainda é preciso desenvolver as estruturas internas para a sustentabilidade no setor, como conscientização, criação de metas e uma equipe responsável pelo tema dentro das organizações. Transparência Estágio: Engajado Características: As informações repasssadas ao público ainda estão muito voltadas para as relaões públicas. Além disso, a medição de questões socioambientais ainda precisa ser melhorada. Os resultados apontam que as empresas possuem preocupação com questões ambientais, com a criação de metas e objetivos globais relacionados à responsabilidade ambiental. Porém, ações voltadas à diversidade de trabalhadores e direitos humanos na cadeia de suprimentos ainda são questões a serem trabalhadas. Metas e indicadores voltados aos gestores individuais são também questões que ainda precisam ser melhoradas. Além disso, as parcerias realizadas para a solução de problemas socioambientais ainda são motivadas, em boa parte, somente pelos ganhos de reputação e benefícios econômicos. Com relação à transparência, as empresas brasileiras começam a adquirir a prática de reportar seus resultados ao público, mas a falta de diversas mensurações de questões ambientais e sociais compromete os resultados dos relatórios. Os dados apontam que, apesar de já haver uma pessoa ou equipe dentro das empresas brasileiras que apoiem e estimulem a sustentabilidade, as atividades relacionadas ao tema ainda são isoladas ou desarticuladas dentro das organizações. Essa situação é ocasionada diretamente pela falta de mobilização das lideranças, que deveriam estimular esses processos enfaticamente. Frente ao contexto encontrado na pesquisa, é importante entender quais são as principais barreiras e desafios que as organizações têm enfrentado com relação à sustentabilidade corporativa. Com esse objetivo, algumas perguntas foram formuladas, e seus resultados serão mostrados a seguir. Capacidade de resposta Estágio: Engajado Características: As empresas ainda são reativas, com políticas de sustentabilidade mas sem metas e diretrizes claras. Relacionamento com stakeholders Estágio: Engajado Características: Existe certo grau de relacionamento, mas se limita a poucos stakeholders e em situações específicas. Liderança Estágio: Engajado Características: A liderança apoia o processo de inserção da sustentabilidade, mas ainda não está a frente das iniciativas. Figura 5: Quadro resumo dos aspectos e estágios de sustentabilidade das empresas brasileiras. Fonte: Elaborada pelos autores

Estágio da Sustentabilidade do Setor da Construção Brasileiro

Estágio da Sustentabilidade do Setor da Construção Brasileiro Estágio da Sustentabilidade do Setor da Construção Brasileiro Objetivo da pesquisa Analisar o estágio da gestão da sustentabilidade nas empresas brasileiras do setor da construção. Estágios da Sustentabilidade

Leia mais

Este material contém um resumo da avaliação realizada pela FDC e seus parceiros. A coleta de dados foi realizada durante julho e agosto de 2013.

Este material contém um resumo da avaliação realizada pela FDC e seus parceiros. A coleta de dados foi realizada durante julho e agosto de 2013. O que é o estudo? É uma avaliação bianual criada em 2012 pelo Núcleo de Sustentabilidade da FDC para observar o estado de arte da gestão sustentável nas empresas brasileiras. Na edição de 2014, contamos

Leia mais

Introdução. O que é o estudo? Qual é sua relevância? O que é este relatório?

Introdução. O que é o estudo? Qual é sua relevância? O que é este relatório? O que é o estudo? É uma avaliação bianual criada em 2012 pelo Núcleo de Sustentabilidade da FDC para observar o panorama da gestão para a sustentabilidade nas empresas brasileiras. Na edição de 2014, contamos

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade

A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade A Sustentabilidade na perspectiva de gestores da qualidade Realização Patrocínio Objetivo da pesquisa Captar a perspectiva dos gestores e professores de gestão da qualidade sobre: 1. Os conceitos de sustentabilidade

Leia mais

Estratégia e inovação. Gestão de Risco. Meio Ambiente, saúde e segurança

Estratégia e inovação. Gestão de Risco. Meio Ambiente, saúde e segurança Favor indicar o departamento no qual opera: 16% 5% Relações externas, Comunicação N=19 79% Estratégia e inovação Gestão de Risco Outros Meio Ambiente, saúde e segurança Outros: Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Como anda o diálogo com stakeholders nas empresas brasileiras?

Como anda o diálogo com stakeholders nas empresas brasileiras? CI1305 Como anda o diálogo com stakeholders nas empresas brasileiras? Lucas Amaral Lauriano, João Henrique Dutra Bueno - Núcleo Petrobras de Sustentabilidade E ste caderno de ideias possui como objetivo

Leia mais

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS

FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS FDC E SUA RESPONSABILIDADE COMO UMA ESCOLA DE NEGÓCIOS IV CONFERÊNCIA INTERAMERICANA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL RIAL Cláudio Boechat Fundação Dom Cabral 12 DE DEZEMBRO, 2006 F U N D A Ç Ã O

Leia mais

AS GERAÇÕES DE PROFISSIONAIS E SUA PERCEPÇÃO SOBRE SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA

AS GERAÇÕES DE PROFISSIONAIS E SUA PERCEPÇÃO SOBRE SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA CI1405 AS GERAÇÕES DE PROFISSIONAIS E SUA PERCEPÇÃO SOBRE SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA Lucas Amaral Lauriano, João Henrique Dutra Bueno e Heiko Spitzeck INTRODUÇÃO Em 2014 o Núcleo de Sustentabilidade

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo

Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo Gerenciamento Estratégico e EHS Uma parceria que dá certo INTRODUÇÃO O Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia desenvolvida para traduzir, em termos operacionais, a Visão e a Estratégia das organizações

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO

ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO ANEXO B CONTEXTUALIZAÇÃO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE EM MODELO DE GESTÃO ORGANIZACIONAL DE ALTO DESEMPENHO Autoria: Elaine Emar Ribeiro César Fonte: Critérios Compromisso com a Excelência e Rumo à Excelência

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Av. Princesa Diana, 760 34000-000 Nova Lima MG Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009

EVENTOS 2009 ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO. Ruth Goldberg. 04 de junho de 2009 Responsabilidade Social Empresarial em Empresas Construtoras case Even Ruth Goldberg 04 de junho de 2009 Alinhando conceitos: SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E C O N Ô

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 AGENDA 1. Posicionando a Remuneração e Reconhecimento 2. Tendências e impactos na Gestão 3. Melhores Práticas:

Leia mais

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Juliana Rehfeld Gerente Desenvolvimento Sustentável Anglo American Brasil BH, 24 de setembro de 2009 0 Visão Macro da Anglo American Sustentabilidade - Negócio,

Leia mais

Como é o RH nas Empresas?

Como é o RH nas Empresas? Como é o RH nas Empresas? Informações gerais da pesquisa Objetivo: entender a percepção dos profissionais de RH sobre clima organizacional Pesquisa realizada entre 24/06 e 12/07 Parceria entre Hay Group

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Questionário para Instituidoras

Questionário para Instituidoras Parte 1 - Identificação da Instituidora Base: Quando não houver orientação em contrário, a data-base é 31 de Dezembro, 2007. Dados Gerais Nome da instituidora: CNPJ: Endereço da sede: Cidade: Estado: Site:

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP

PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL PRS-FACIIP Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. O Programa de Responsabilidade Social das Faculdades Integradas Ipitanga (PRS- FACIIP) é construído a partir

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

MEETING DO MARKETING

MEETING DO MARKETING MEETING DO MARKETING Reputação Corporativa Ativo com Resultados Tangíveis Cristina Panella Cristina Panella Setembro Pág1 2007 Toda empresa funciona num meio ambiente de públicos Philip Kotler Pág2 Tipos

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012)

DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS. (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) DIRETRIZES DO FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/NÓS PODEMOS (aprovada em 2010 e 1ª revisão em agosto de 2012) Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Criando Oportunidades

Criando Oportunidades Criando Oportunidades Clima, Energia & Recursos Naturais Agricultura & Desenvolvimento Rural Mercados de Trabalho & Sector Privado e Desenvolvimento Sistemas Financeiros Comércio & Integração Regional

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social. Prof. Wellington

Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social. Prof. Wellington Governança Corporativa, Responsabilidade Ambiental e Social Prof. Wellington APRESENTAÇÃO AULA 1 Wellington Prof de pós-graduação na USJT desde 2003 Sócio diretor da WP projetos e produções Coordenador

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS

MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS MEIO AMBIENTE COMO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIOS OBJETIVOS Prover uma compreensão básica : do desenvolvimento da abordagem das empresas com relação às questões ambientais, dos benefícios provenientes de melhorias

Leia mais

Princípios de Emponderamento da Mulheres. Princípios de Empoderamento das Mulheres. Igualdade significa Negócios. Igualdade significa negócios

Princípios de Emponderamento da Mulheres. Princípios de Empoderamento das Mulheres. Igualdade significa Negócios. Igualdade significa negócios Princípios de Emponderamento da Mulheres Princípios de Empoderamento das Mulheres Igualdade significa negócios Igualdade significa Negócios Igualdade significa Negócios da Mulheres Princípios de Emponderamento

Leia mais

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno Os desafios para a inovação no Brasil Maximiliano Selistre Carlomagno Sobre a Pesquisa A pesquisa foi realizada em parceria pelo IEL/RS e empresa Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação durante

Leia mais

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013 Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos Junho, 2013 1 Contexto Concentração espacial, econômica e técnica; Indústria é de capital intensivo e business to business

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br www.grupovalure.com.br Estes são alguns dos grandes desafios da atualidade no mundo profissional e o nosso objetivo é contribuir

Leia mais

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil

UIPES/ORLA Sub-Região Brasil 1 A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE NO MUNDO GLOBALIZADO 1 Introdução Área de atuação. A Carta de Bangkok (CB) identifica ações, compromissos e garantias requeridos para atingir os determinantes

Leia mais

Panorama da avaliação de programas e projetos sociais no Brasil. Martina Rillo Otero

Panorama da avaliação de programas e projetos sociais no Brasil. Martina Rillo Otero Panorama da avaliação de programas e projetos sociais no Brasil Martina Rillo Otero 1 Sumário Objetivos da pesquisa Metodologia Quem foram as organizações que responderam à pesquisa? O que elas pensam

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014

Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro. Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 Gestão da Inovação no Contexto Brasileiro Hugo Tadeu e Hérica Righi 2014 INTRODUÇÃO Sobre o Relatório O relatório anual é uma avaliação do Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da FDC sobre as práticas

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado Business Case 2013 AGENDA ENQUADRAMENTO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL CLARA, RIGOROSA E TRANSPARENTE COM O MERCADO ENQUADRAMENTO Na economia

Leia mais

Inovação nas Médias Empresas Brasileiras

Inovação nas Médias Empresas Brasileiras Inovação nas Médias Empresas Brasileiras Prof. Fabian Salum 2012 Com o intuito de auxiliar no desenvolvimento estratégico e na compreensão da importância da inovação como um dos possíveis diferenciais

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo

Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo Datos generales: Información sobre Herramientas Metodológicas de Diagnóstico Participativo 1. Nombre de la herramienta: Conselhos de Desenvolvimento Comunitário (Programa Comunidade Ativa) 2. Organización

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Seu futuro é o nosso compromisso. O presente documento visa trazer em seu conteúdo o posicionamento do INFRAPREV frente aos desafios propostos e impostos pelo desenvolvimento sustentável. Para formular

Leia mais

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho 30140-083 Belo Horizonte MG Brasil Campus

Leia mais

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional

Liziane Castilhos de Oliveira Freitas Departamento de Planejamento, Orçamento e Gestão Escritório de Soluções em Comportamento Organizacional CASO PRÁTICO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL E GESTÃO DE TALENTOS: COMO A GESTÃO DA CULTURA, DO CLIMA E DAS COMPETÊNCIAS CONTRIBUI PARA UM AMBIENTE PROPÍCIO À RETENÇÃO DE TALENTOS CASO PRÁTICO: COMPORTAMENTO

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima

CONCEITOS FUNDAMENTAIS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO RESPEITAR PONTO DE VISTA. Material preparado e de responsabilidade de Júlio Sérgio de Lima INDICADORES DE RH E METAS ORGANIZACIONAIS JÚLIO SÉRGIO DE LIMA Blumenau SC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATEGICO E PERSPECTIVAS DE NEGOCIO, ARQUITETURA DE MEDIÇÃO DO DESEMPENHO E NIVEIS DOS

Leia mais

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica CARLOS CAIXETA Vendas e Gestão Estratégica PERFIL Carlos Caixeta é um palestrante de destaque nacional por convergir conceito e prática em estratégias empresariais, vendas, performance e negociação. Essa

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011

Pesquisa IBOPE Ambiental. Setembro de 2011 Pesquisa IBOPE Ambiental Setembro de 2011 Com quem falamos? Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas telefônicas. Objetivo geral Identificar

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

A AIESEC. Reconhecida pela UNESCO como a maior organização de jovens universitários do mundo.

A AIESEC. Reconhecida pela UNESCO como a maior organização de jovens universitários do mundo. A AIESEC Reconhecida pela UNESCO como a maior organização de jovens universitários do mundo. A AIESEC é uma organização global formada por jovens universitários e recém-graduados que buscam viver na prática

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS

COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS O gerenciamento do sistem,a COMUNICAÇÃO INTERNA DESAFIOS E ÊXITOS Dandare Manuelle Pereira (1) Historiadora formada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Trabalha desde 2012 na SANASA no cargo

Leia mais

Como facilitar sua Gestão Empresarial

Como facilitar sua Gestão Empresarial Divulgação Portal METROCAMP Como facilitar sua Gestão Empresarial Aplique o CANVAS - montando o seu(!) Modelo de Gestão Empresarial de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br Por que empresas precisam de

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL

RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL programação do evento 4ª edição RH: GESTÃO INOVADORA ORGANIZACIONAL 10 de abril de 2014 Staybridge Suites São Paulo PATROCÍNIO GOLD PATROCÍNIO SILVER EXPO BRAND APOIO REALIZAÇÃO Os desafios do futuro na

Leia mais

A Fundação Espaço ECO

A Fundação Espaço ECO www.espacoeco.org Sustentabilidade que se mede A Fundação Espaço ECO (FEE ) é um Centro de Excelência em Educação e Gestão para a sustentabilidade, que mede e avalia a sustentabilidade por meio de metodologias

Leia mais

Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões. novembro 2012. apoio

Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões. novembro 2012. apoio Pesquisa de Gestão e Capacitação Organizacional no 3º Setor principais conclusões novembro 2012 apoio 2 do CEO Carta do CEO A pesquisa levanta questões interessantes relativas à sustentabilidade e à boa

Leia mais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais

Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Fórum de Governança Tecnologia e Inovação LabGTI/UFLA Como vai a Governança de TI no Brasil? Resultados de pesquisa com 652 profissionais Pamela A. Santos pam.santos91@gmail.com Paulo H. S. Bermejo bermejo@dcc.ufla.br

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social

ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social ISO 26000: Diretrizes sobre Responsabilidade Social Características essenciais de Responsabilidade Social Incorporação por parte da organização de considerações sociais e ambientais nas suas decisões tornando-se

Leia mais

Lançamento. 25/agosto/2009

Lançamento. 25/agosto/2009 Lançamento Programa de Voluntariado Empresarial Sabesp 25/agosto/2009 Cenário externo Modelo de desenvolvimento insustentável; Desequilíbrio ambiental e escassez de recursos naturais; Aumento da pobreza,

Leia mais

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia.

O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. O Grupo Gerdau incentiva o trabalho em equipe e o uso de ferramentas de gestão pela qualidade na busca de soluções para os problemas do dia-a-dia. Rio Grande do Sul Brasil PESSOAS E EQUIPES Equipes que

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo.

Apresentação. A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Apresentação A Martins Guerra Consultoria é formada por gente jovem, engajada e de atitude. É feita de um trabalho dedicado e muito profissionalismo. Nossa missão é promover o encontro entre pessoas e

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book

Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book Manual de instruções para o desenvolvimento do Caderno de Evidências Book O Caderno de Evidências (Book) acompanhará o questionário da empresa na pesquisa. É importante lembrar que o envio desse material,

Leia mais