INTRODUÇÃO. A doença de Parkinson (DP) é uma enfermidade neurodegenerativa de causa desconhecida, com grande prevalência na população idosa.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO. A doença de Parkinson (DP) é uma enfermidade neurodegenerativa de causa desconhecida, com grande prevalência na população idosa."

Transcrição

1 DOENÇA DE PARKINSON

2 INTRODUÇÃO A doença de Parkinson (DP) é uma enfermidade neurodegenerativa de causa desconhecida, com grande prevalência na população idosa. Acomete homens e mulheres de diferentes etnias e classes sociais. Inicia-se por volta dos 60 anos de idade.

3 PREVALÊNCIA MÉDIA DA DP 100 a 150 casos para cada pessoas de todas as idades; casos para cada pessoas idosas (acima de 60 anos).

4 ESTIMATIVA No mundo inteiro mais de dez milhões de pessoas sofrem de DP; No Brasil segundo a Associação Parkinson Brasília, a estimativa é de que pelo menos pessoas tenham a doença.

5 Etiologia Idiopática fatores predisponentes genéticos fatores tóxicos ambientais e tóxicos endógenos que ocasionam as alterações neurodegenerativa e deficiência dopaminérgica. Surge quando há perda de 50% das células da substância negra.

6 FISIOLOGIA DA DP Ocorre pela perda de neurônios do SNC em uma região conhecida como substância negra (ou nigra). Os neurônios dessa região sintetizam o neurotransmissor dopamina, dopamina (inibitório) e acetilcolina (excitatório)

7 MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS Tremor; Distúrbios da fala; Rigidez; Sialorréia; Acinesia e bradicinesia Distúrbios respiratórios; Instabilidade; postural; Distúrbios do sono; Depressão; E outros.

8 TRATAMENTO DOS SINTOMAS DA DP Medicamentoso (reposição com o Levodopa); Neurocirúrgico: talamotomia ou palidotomia.

9 OBS: Medicamentos e cirurgias não são os únicos recursos para combater os sintomas, pois é de fundamental importância: os cuidados de enfermagem, educação física, fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

10 HISTÓRICO E EXAME FÍSICO Focalizar como a doença afetou as atividades da vida diária e capacidades funcionais do paciente; exame físico qualidade da fala do paciente, perda da expressão facial; déficit de deglutição; tremores; lentidão dos movimentos; fraqueza; rigidez; evidência de lentidão mental e confusão.

11 DIAGNÓSTICO DE ENFERMAGEM Mobilidade física comprometida relacionada com a rigidez muscular e fraqueza motora; Déficits de autocuidado relacionados com o tremor e o distúrbio motor; Nutrição alterada, ingestão menor que as necessidades corporais, relacionados com o tremor, lentidão na alimentação, dificuldade na mastigação e deglutição;

12 Cont. Constipação relacionada com o medicamento a atividade reduzida; Comunicação verbal prejudicada relacionada com o volume diminuído e lentidão da fala, incapacidade para mover os músculos faciais; Enfrentamento ineficaz relacionado com a depressão e disfunção decorrente da progressão da doença.

13 Planejamento e metas a serem cumpridas: Melhora da mobilidade funcional; Manutenção da independência nas atividades da vida diária; Obtenção da eliminação intestinal adequada; Manutenção do estado nutricional adequado; Obtenção da comunicação efetiva; Desenvolvimento de mecanismo de enfrentamento positivo.

14 PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM Melhorar a mobilidade; Estimular as atividades do autocuidado; Facilitar a eliminação intestinal; Incentivar e auxiliar na alimentação; Melhorar a comunicação; Apoiar as capacidades de enfrentamento.

15 ALGUMAS DICAS PARA O PORTADOR DA DP Deixe o caminho livre de obstáculos em casa; Utilize copos de plástico, barbeador elétrico e outros itens domésticos; Estimule sua independência; Dê ritmo e separe as atividades do dia-a-dia; Estimule os músculos faciais utilizando canudo na bebida; Aproveite o tempo em que o idoso está sob ação da medicação para caminhar um pouco e realizar outras tarefas que lhe dão prazer.

16 REFERÊNCIAS UNDER. Doença de Parkinson no idoso. Disponível em: Acesso em:11/08/10. CIAPE. O impacto da doença de Parkinson na qualidade de vida. Disponível em: Acesso em: 10/08/10. SCIELO. Pacientes portadores da doença de Parkinson. Disponível em: Acesso em: 10/08/10. BRASILEIRO, M. Enfermagem na saúde do idoso. 1ªed. Goiânia:AB, 2.005, p SALDANHA, L.M.; CALDAS, C.P. A arte de cuidar. 2ªed. Rio de Janeiro:Interciência, 2.004, p

17 OBRIDADO!

DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS.

DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS. DOENÇA DE PARKINSON E QUALIDADE DE VIDA: CONSIDERAÇÕES TERAPÊUTICAS OCUPACIONAIS. Marcela Maria Medeiros de Melo¹; Ádila Siqueira de Basto Lima¹; Mirella Bruna Felix de Freitas¹; Elma Eloi Melo da Silva¹;

Leia mais

Fármacos que atuam nos distúrbios degenerativos do SNC: Parkinson (DP) e Alzheimer (DA)

Fármacos que atuam nos distúrbios degenerativos do SNC: Parkinson (DP) e Alzheimer (DA) degenerativos do SNC: Parkinson (DP) e Alzheimer (DA) Prof. Dr. Gildomar Lima Valasques Junior Farmacêutico Clínico-Industrial Doutor em Biotecnologia Jequié 2015 Distúrbios degenerativos: Perda progressiva

Leia mais

OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO MAL DE PARKINSON

OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO MAL DE PARKINSON 1 OS CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO MAL DE PARKINSON FLÁVIA DANIELLE LOPES EXAMY SANTOS SILVA VIVIAN FLORIANO KAREN NAYANA FERNANDA FERREIRA JETRO MEDEIROS RESUMO: A Doença de Parkinson é caracterizada pela

Leia mais

Pós operatório em Transplantes

Pós operatório em Transplantes Pós operatório em Transplantes Resumo Histórico Inicio dos programas de transplante Dec. 60 Retorno dos programas Déc 80 Receptor: Rapaz de 18 anos Doador: criança de 9 meses * Não se tem informações

Leia mais

ABORDAGEM DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA DOENÇA DE PARKINSON

ABORDAGEM DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA DOENÇA DE PARKINSON ABORDAGEM DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA DOENÇA DE PARKINSON NOGUEIRA, Júlia Francisca da Cruz¹ Faculdade de Ciências Sociais e Agrária de Itapeva GIROTTI, Priscila Azevedo² Faculdade de Ciências Sociais

Leia mais

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011)

Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Doença de Parkinson Resumo de diretriz NHG M98 (julho 2011) Draijer LW, Eizenga WH, Sluiter A traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização para uso e divulgação sem fins

Leia mais

Clínica Neurofuncional

Clínica Neurofuncional II Curso de Verão Clínica Neurofuncional Dr. Clynton Correa e Dra. Paula Chaves da Silva Laboratório de Neurobiologia Comparativa e do Desenvolvimento p.chaves@bf.ufrj.br DOENÇA DE PARKINSON II Curso de

Leia mais

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO CRONOGRAMA DE EXTENSÃO 2013

FACULDADE SANTA TEREZINHA - CEST COORDENAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO CRONOGRAMA DE EXTENSÃO 2013 CURSO: PLANEJAMENTO QUANTITATIVO DE CARDÁPIO PARA PROGRAMA NACIONALDE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR (PNAE) MINISTRANTE: Prof. Alexsandro Ferreira dos Santos PÚBLICO ALVO: Alunos de Nutrição e profissionais Nutricionistas

Leia mais

GRUPO 43 - MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO IDOSO / IMIP GRUPO 44 - MULTIPROFISSIONAL EM CUIDADOS PALIATIVOS / IMIP. 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA

GRUPO 43 - MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DO IDOSO / IMIP GRUPO 44 - MULTIPROFISSIONAL EM CUIDADOS PALIATIVOS / IMIP. 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA 43 e 44 - EDUCAÇÃO FÍSICA 01 D 26 B 02 B 27 A 03 D 28 A 04 D 29 E 05 D 30 C 06 A 31 B 07 A 32 A 08 A 33 E 09 E 34 E 11 B 36 C 12 C 37 A 13 B 38 A 14 E 39 B 15 B 40 B 16 C 41 D 17 A 42 E 18 D 43 E 19 C

Leia mais

Dificuldades de aprendizagem

Dificuldades de aprendizagem Dificuldades de aprendizagem Dificuldades versus distúrbios Dificuldades escolares ou de aprendizagem Origem externa: no ambiente e no outro. Distúrbios/transtornos Origem interna: disfunção do Sistema

Leia mais

Estudo da confiabilidade do Questionário de Qualidade de Vida na Doença de Parkinson 39 (PDQ-39) Promoção da saúde e qualidade de vida

Estudo da confiabilidade do Questionário de Qualidade de Vida na Doença de Parkinson 39 (PDQ-39) Promoção da saúde e qualidade de vida Estudo da confiabilidade do Questionário de Qualidade de Vida na Doença de Parkinson 39 (PDQ-39) SIEXBRASIL: 17737 ÁREA TEMÁTICA PRINCIPAL: Saúde ÁREA TEMÁTICA SECINDÁRIA: Promoção da saúde e qualidade

Leia mais

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável

Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Entenda tudo sobre a Síndrome do Intestino Irritável Apesar de ainda não existir cura definitiva para esse problema de saúde crônico, uma diferenciação entre essa patologia e a sensibilidade ao glúten

Leia mais

Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença.

Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença. Doença de Alzheimer: uma visão epidemiológica quanto ao processo de saúde-doença. Bruno Araújo da Silva Dantas¹ bruno_asd90@hotmail.com Luciane Alves Lopes² lucianesevla.l@gmail.com ¹ ²Acadêmico(a) do

Leia mais

SISTEMA NERVOSO MOTOR

SISTEMA NERVOSO MOTOR SISTEMA NERVOSO MOTOR CÓRTEX MOTOR O cérebro é o órgão que move os músculos. sculos. Neil R. Carlson 1 CÓRTEX MOTOR ORGANIZAÇÃO DO CÓRTEX MOTOR Córtex motor primário: principal região controladora para

Leia mais

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE

Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Projeto de Acessibilidade Virtual RENAPI/NAPNE Maio de 2010 Demência Aspesi e Ferreira (2008) consideram deficiência, todas as doenças que provocam alteração da memória, seja ela de curta ou longa duração,

Leia mais

Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência

Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência Cuidados continuados dirigidos a pessoas idosas em situação de dependência Angela Valença médica Neurologista Este tema é muito actual. A situação de dependência não é exclusiva de pessoas idosas mas o

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 365/2014 Doença de Parkinson Exelon Pacth

RESPOSTA RÁPIDA 365/2014 Doença de Parkinson Exelon Pacth RESPOSTA RÁPIDA 365/2014 Doença de Parkinson Exelon Pacth SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO 0074..144137-2 DATA 31/03/2014 dra. Sônia Helena Tavares de Azevedo Comarca de Bom Despacho SOLICITAÇÃO Boa Tarde,

Leia mais

DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON

DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON 1 DEPRESSÃO NA DOENÇA DE PARKINSON Aliandro Mesquita Lisboa Instituto Pharmacológica aliandroml@hotmail.com Edson Negreiros dos Santos- Mestre em Farmacologia 1- INTRODUÇÃO O Brasil há muito perdeu suas

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA MELHORA DO EQUILÍBRIO EM IDOSOS PORTADORES DE DOENÇA DE PARKINSON

A IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA MELHORA DO EQUILÍBRIO EM IDOSOS PORTADORES DE DOENÇA DE PARKINSON A IMPORTÂNCIA DA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NA MELHORA DO EQUILÍBRIO EM IDOSOS PORTADORES DE DOENÇA DE PARKINSON Seânia Santos Leal 1, Leanara Sousa Santos 2, Lívio Adriano Xavier Fonte 3, Patricia Lima

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU

CENTRO DE APOIO OPERACIONAL DE DEFESA DA SAÚDE CESAU ORIENTAÇÃO TÉCNICA N.º 01 /2014 - CESAU Objeto: Parecer. Promotoria de Justiça GESAU / Medicamento Rivastigmina para tratamento de Alzheimer REFERÊNCIA: Grupo de Atuação Especial de Defesa da Saúde - GESAU

Leia mais

O IDOSO 8 CONGRESO BRASILEIRO DE MEDICINADE FAMÍLIA E COMUNIDADE 2 ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA JUNHO 2006

O IDOSO 8 CONGRESO BRASILEIRO DE MEDICINADE FAMÍLIA E COMUNIDADE 2 ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA JUNHO 2006 O IDOSO 8 CONGRESO BRASILEIRO DE MEDICINADE FAMÍLIA E COMUNIDADE 2 ENCONTRO LUSO-BRASILEIRO DE MEDICINA GERAL, FAMILIAR E COMUNITÁRIA JUNHO 2006 Mudanças no Setor Saúde Aumento da prevalência de doenças

Leia mais

Projecto de Lei nº 504/X

Projecto de Lei nº 504/X Grupo Parlamentar Projecto de Lei nº 504/X Criação de um esquema de protecção social, em condições especiais, a atribuir às pessoas que sofrem de Doença de Parkinson (DP) Exposição de motivos A Doença

Leia mais

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER

TEMA: QUETIAPINA NO TRATAMENTO DA AGITAÇÃO PSICOMOTORA DE PACEINTE PORTADOR DE DOENÇA DE ALZHEIMER NTRR63/2013 Solicitante: Des. Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Número do processo:1.0145.12.066387-0/001 Réu: Estado de Minas e Município de Pirapora Data: 03/05/2013 Medicamento X Material

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO NO SOLO E NA ÁGUA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA DE PARKINSON SUBMETIDOS AO TRATAMENTO

Leia mais

A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL

A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL A INTERFERÊNCIA DA FIBROMIALGIA NO DESEMPENHO OCUPACIONAL INTRODUÇÃO Ádila Siqueira de Basto Lima Wilkelane Ferreira da Silva Marcela Medeiros Melo Mirella Oliveira Barata Thayane de Cácia Brito A fibromialgia

Leia mais

PRÓ-PARKINSON: TERAPIA OCUPACIONAL/UFPB

PRÓ-PARKINSON: TERAPIA OCUPACIONAL/UFPB PRÓ-PARKINSON: TERAPIA OCUPACIONAL/UFPB LUCENA 1, Leopoldo Alves ALTAFIM 2, Letícia Zanetti Marchi RESUMO O projeto Pró-Parkinson: Terapia Ocupacional/ UFPB se inicia a partir de uma parceria interinstitucional

Leia mais

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO COMUM PARA TODAS AS CATEGORIAS PROFISSIONAIS SAÚDE PÚBLICA E SAÚDE COLETIVA SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS 1. História do sistema de saúde no Brasil; 2. A saúde na

Leia mais

Farmacoterapia dos distúrbios neurodegenera3vos. Parkinsonismo

Farmacoterapia dos distúrbios neurodegenera3vos. Parkinsonismo Farmacoterapia dos distúrbios neurodegenera3vos Parkinsonismo Mal de Parkinson Caracterizado dentro dos distúrbios de movimento É um distúrbio progressivo do movimento que ocorre mais comumente no indivíduo

Leia mais

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste.

Primeira droga em cápsula foi lançada agora no país e outras estão em teste. ESCLEROSE MÚLTIPLA GANHA NOVAS OPÇÕES DE TRATAMENTO. (extraído de http://www.orkut.com.br/main#commmsgs?cmm=17111880&tid=5682929915348274548, em 09/05/2012) Primeira droga em cápsula foi lançada agora

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 605, DE 2015 (Do Sr. Lobbe Neto)

PROJETO DE LEI N.º 605, DE 2015 (Do Sr. Lobbe Neto) *C0051703A* C0051703A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 605, DE 2015 (Do Sr. Lobbe Neto) Define diretrizes para a política de atenção integral aos portadores da doença de Parkinson no âmbito do Sistema

Leia mais

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia

TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia TABELA DE EQUIVALÊNCIA Curso de Odontologia Disciplina A Disciplina B Código Disciplina C/H Curso Disciplina C/H Código Curso Ano do Currículo 64823 MICROBIOLOGIA GERAL 17/34 ODONTOLOGIA MICROBIOLOGIA

Leia mais

DOENÇA DE PARKINSON. Diagnóstico e Tratamento. Juliana Aquino

DOENÇA DE PARKINSON. Diagnóstico e Tratamento. Juliana Aquino DOENÇA DE PARKINSON Diagnóstico e Tratamento Juliana Aquino 1 A doença de Parkinson (DP) ou Mal de Parkinson È uma doença degenerativa, crônica e progressiva, que acomete em geral pessoas idosas. Ela ocorre

Leia mais

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal Paulo Pimentel Sistema Estomatognático Mastigação, fala, digestão e deglutição Paladar, respiração Defesa e reconhecimento imunológico Estética,

Leia mais

Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar. Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado

Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar. Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado Inovações Assistenciais para Sustentabilidade da Saúde Suplementar Modelo Assistencial: o Plano de Cuidado Linamara Rizzo Battistella 04.10.2012 Universal Irreversível Heterôgeneo Perda Funcional Progressiva

Leia mais

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L

TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH P R O F E S S O R : H U M B E R T O M Ü L L E R S A Ú D E M E N T A L TDAH - EPIDEMIOLOGIA Tx. Varia entre 1,5 5,8% Crianças e adolescentes; Difere

Leia mais

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP

DEMÊNCIAS. Medicina Abril 2007. Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP DEMÊNCIAS Medicina Abril 2007 Francisco Vale Grupo de Neurologia Comportamental HCFMRP-USP Queixa de memória, autocrítica excessiva depressão, ansiedade efeito de doença sistêmica ou medicação envelhecimento

Leia mais

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC ALGUNS TERMOS TÉCNICOS UNESC FACULDADES - ENFERMAGEM PROFª.: FLÁVIA NUNES Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Ortopneia: É a dificuldade

Leia mais

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH:

A seguir enumeramos algumas caracteristicas do TBH: OQUEÉOTRANSTORNOBIPOLARDO HUMOR(TBH)? O transtorno bipolar do humor (também conhecido como psicose ou doença maníaco-depressiva) é uma doença psiquiátrica caracterizada por oscilações ou mudanças de humor

Leia mais

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA

A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA A EFETIVIDADE DA REABILITAÇÃO VESTIBULAR NA SÍNDROME LABIRÍNTICA PERIFÉRICA IRRITATIVA ZANDOMENIGHI, P. M. C.; LOPES, J. Resumo: A reabilitação vestibular com o uso do protocolo de Cawthorne-Cooksey (PCC)

Leia mais

Universidade Católica de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas e Saúde Curso de Fisioterapia Disciplina de Fisioterapia Aplicada à Neurologia

Universidade Católica de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas e Saúde Curso de Fisioterapia Disciplina de Fisioterapia Aplicada à Neurologia Universidade Católica de Pernambuco Centro de Ciências Biológicas e Saúde Curso de Fisioterapia Disciplina de Fisioterapia Aplicada à Neurologia Distúrbios do tônus Prof a. Ana Karolina Pontes de Lima

Leia mais

NESTE SITE SERÁ DISPONIBILIZADO PARTES DO TRABALHO ACIMA NOMINADO. Acesso à integra deverá ser solicitado ao autor.

NESTE SITE SERÁ DISPONIBILIZADO PARTES DO TRABALHO ACIMA NOMINADO. Acesso à integra deverá ser solicitado ao autor. 7 LEANDRO RAATZ BOTTURA EFEITOS DA DISFUNÇÃO DA ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR SOBRE O SISTEMA NERVOSO CENTRAL Monografia apresentada à Fundação para o Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico da Odontologia

Leia mais

Procedimentos terapêuticos associados no tratamento da Fibromialgia

Procedimentos terapêuticos associados no tratamento da Fibromialgia Procedimentos terapêuticos associados no tratamento da Fibromialgia Felipe Azevedo Moretti "Se você só fizer aquilo que sempre fez, só obterá aquilo que sempre obteve. Se o que você está fazendo não está

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS E FORMAÇÃO INTEGRADA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS E FORMAÇÃO INTEGRADA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS E FORMAÇÃO INTEGRADA ESPECIALIZAÇÃO EM FISIOTERAPIA NEUROLÓGICA LETÍCIA BORGES PRADO EQUILÍBRIO E MARCHA NA DOENÇA DE PARKINSON Goiânia

Leia mais

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA

ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira ESCLEROSE LATERAL AMIOTRÓFICA O que é ELA? O primeiro passo para você conhecer melhor a esclerose

Leia mais

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção

Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Programas Seleção Conteúdo Vagas com bolsas Vagas sem bolsa Data da seleção Processo de Trabalho em saúde: Integralidade e Cuidado do 6º ou 7º Biossegurança no trabalho, aspectos legais, suas classificações

Leia mais

Doença neurodegenerativa caracterizada por um distúrbio crónico e progressivo do sistema nervoso central e tem inicio com a morte das células responsá

Doença neurodegenerativa caracterizada por um distúrbio crónico e progressivo do sistema nervoso central e tem inicio com a morte das células responsá Doença neurodegenerativa caracterizada por um distúrbio crónico e progressivo do sistema nervoso central e tem inicio com a morte das células responsáveis pela produção de dopamina; Sintomas Tremores Bradicinesia

Leia mais

5-HT 1A Núcleos da rafe, hipocampo Gi, AMPc. 5-HT 1B Substância negra, globo pálido, gânglios da base Gi, AMPc. 5-HT 1D Cérebro Gi, AMPc

5-HT 1A Núcleos da rafe, hipocampo Gi, AMPc. 5-HT 1B Substância negra, globo pálido, gânglios da base Gi, AMPc. 5-HT 1D Cérebro Gi, AMPc UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE FARMACOLOGIA SEROTONINA Serotonina: funções e distribuição Receptores centrais e periféricos Neurotransmissor: neurônios

Leia mais

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta

PLANO DE TRABALHO EXERCÍCIO 2014. Dados de Identificação: Nome da Entidade: Associação de Cegos Louis Braille - ACELB. Bairro: Rubem Berta ASSOCIAÇÃO DE CEGOS LOUIS BRAILLE CNPJ. 88173968/0001-60 Endereço: Rua Braille, 480 Núcleo Residencial Costa e Silva Bairro: Rubem Berta POA-RS - CEP: 91150-140 e-mail: acelb@terra.com.br Fone: 3344-18-04-33406840

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO:

PROVA ESPECÍFICA Cargo 42. No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 42 QUESTÃO 26 No 3º mês de vida, a criança mantém a cabeça contra a gravidade na postura prono por várias razões, EXCETO: a) Alteração do posicionamento dos membros superiores.

Leia mais

No Brasil, a esquizofrenia ocupa 30% dos leitos psiquiátricos hospitalares; Ocupa 2ºlugar das primeiras consultas psiquiátricas ambulatoriais;

No Brasil, a esquizofrenia ocupa 30% dos leitos psiquiátricos hospitalares; Ocupa 2ºlugar das primeiras consultas psiquiátricas ambulatoriais; Curso - Psicologia Disciplina: Psicofarmacologia Resumo Aula 7- Psicofármacos e Esquizofrenia Esquizofrenia Uma das mais graves doenças neuropsiquiátricas e atinge 1% da população mundial; No Brasil, a

Leia mais

DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS: DOENÇA DE PARKINSON E SÍNDROME DE PRADER WILLI

DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS: DOENÇA DE PARKINSON E SÍNDROME DE PRADER WILLI DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS: DOENÇA DE PARKINSON E SÍNDROME DE PRADER WILLI 2013 Elen Moraes Nascimento de Oliveira Graduanda em Psicologia pelo Centro Universitário Jorge Amado de Salvador (Brasil) E-mail

Leia mais

ASPECTOS PSÍQUICOS E FUNCIONAIS DA DOENÇA DE PARKINSON: RESULTADOS PRELIMINARES DE UM ESTUDO LONGITUDINAL

ASPECTOS PSÍQUICOS E FUNCIONAIS DA DOENÇA DE PARKINSON: RESULTADOS PRELIMINARES DE UM ESTUDO LONGITUDINAL ASPECTOS PSÍQUICOS E FUNCIONAIS DA DOENÇA DE PARKINSON: RESULTADOS PRELIMINARES DE UM ESTUDO LONGITUDINAL Clariany Soares Cardoso 1 ; Evandro Rocha Cândido 2 ; Rosana Freitas Tannus 2 ; Juliana Vasconcellos

Leia mais

DIAS AULA TEMA CONTEÚDO

DIAS AULA TEMA CONTEÚDO MARÇO 04/03 Teórica Noções em Geriatria e Gerontologia - Histórico - Temas básicos: saúde, autonomia, independência, incapacidade e fragilidade - Epidemiologia do envelhecimento - Papel do cuidador - Qualidade

Leia mais

O Monstro Neurológico... Síndromes Neurológicos. Afasias. Afasias. Afasias 17/08/15. Neurologia - FEPAR. Os 4 Passos do Diagnóstico Neurológico

O Monstro Neurológico... Síndromes Neurológicos. Afasias. Afasias. Afasias 17/08/15. Neurologia - FEPAR. Os 4 Passos do Diagnóstico Neurológico O Monstro Neurológico... Síndromes Neurológicos Neurologia - FEPAR Neurofepar Dr. Roberto Caron Os 4 Passos do Diagnóstico Neurológico Elicitação dos fatos clínicos Anamnese Exame Clínico Diagnóstico Síndrômico

Leia mais

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro

TUMORES CEREBRAIS. Maria da Conceição Muniz Ribeiro TUMORES CEREBRAIS Maria da Conceição Muniz Ribeiro Tumor Cerebral é uma lesão localizada que ocupa o espaço intracerebral e tende a acusar um aumento de PIC. Em adulto, a maior parte dos tumores se origina

Leia mais

DOENÇA DE PARKINSON 1. DEFINIÇÃO

DOENÇA DE PARKINSON 1. DEFINIÇÃO DOENÇA DE PARKINSON 1. DEFINIÇÃO A doença de Parkinson (DP) ou Mal de Parkinson, é uma doença degenerativa, crônica e progressiva, que acomete em geral pessoas idosas. Ela ocorre pela perda de neurônios

Leia mais

TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013

TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 TABELA DE HONORARIOS ANEXO 11.2 EDITAL 0057/2013 Vigência: 21/03/2015 10101118 10101121 de Psicologia Sessao de Psicoterapia / Psicologo - (12 ou ate 40 por ano se cumprir diretriz de utilização definida

Leia mais

Abordagens Integrativas e Planos Terapêuticos

Abordagens Integrativas e Planos Terapêuticos 1 Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Estudos e Pesquisas sobre Álcool e outras Drogas Centro Regional de Referência sobre Drogas do Espírito

Leia mais

Duphalac lactulose MODELO DE BULA. DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida.

Duphalac lactulose MODELO DE BULA. DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida. MODELO DE BULA Duphalac lactulose FORMA FARM ACÊUTICA E APRESENTAÇ ÃO DUPHALAC (lactulose) é apresentado em cartuchos contendo 1 frasco de 200 ml e um copo medida. VIA ORAL USO ADULTO E PEDIÁTRICO COMPOSIÇÃO

Leia mais

O que é Fisioterapia Vestibular?

O que é Fisioterapia Vestibular? O que é Fisioterapia Vestibular? Existem 02 tipos de tontura: rotatória ou vertigem, quando o paciente relata que tudo gira ao seu redor; e não-rotatória, equivalente à instabilidade postural ou desequilíbrio.

Leia mais

Síndromes Neurológicos

Síndromes Neurológicos Síndromes Neurológicos Neurologia - FEPAR Neurofepar Dr. Roberto Caron O Monstro Neurológico... Os 4 Passos do Diagnós?co Neurológico Elicitação dos fatos clínicos Anamnese Exame Clínico Diagnóstico Síndrômico

Leia mais

Doença de Parkinson: Informação dos alunos do 4º ano do Curso. de Licenciatura em Enfermagem da UFP

Doença de Parkinson: Informação dos alunos do 4º ano do Curso. de Licenciatura em Enfermagem da UFP Paula Cristina Rodrigues Costa Carvalho Doença de Parkinson: Informação dos alunos do 4º ano do Curso de Licenciatura em Enfermagem da UFP Faculdade Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa Porto,

Leia mais

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TERAPEUTA OCUPACIONAL. Leia as assertivas abaixo sobre a história da Terapia Ocupacional no Brasil:

12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TERAPEUTA OCUPACIONAL. Leia as assertivas abaixo sobre a história da Terapia Ocupacional no Brasil: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS TERAPEUTA OCUPACIONAL QUESTÃO 21 Leia as assertivas abaixo sobre a história da Terapia Ocupacional no Brasil: 1. Em 1936, a ONU implantou o Instituto Nacional de Reabilitação

Leia mais

EDITAL Nº 005/2009 RE-RATIFICAR

EDITAL Nº 005/2009 RE-RATIFICAR EDITAL Nº 005/2009 O SECRETÁRIO DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANÁ, no uso de suas atribuições, atendendo aos termos da Lei Complementar nº 108, de 18 de maio de 2005, com alteração dada pela Lei Complementar

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP

TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP TÍTULO: CARACTERÍSTICAS DOS IDOSOS COM OSTEOARTROSE EM TRATAMENTO FISIOTERAPÊUTICO EM GRUPO NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA DA UNAERP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA

Leia mais

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso

Selo Hospital Amigo do Idoso. Centro de Referência do Idoso SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO COORDENADORIA DE REGIÕES DE SAÚDE CRS Política de Saúde para o Idoso no Estado de São Paulo Selo Hospital Amigo do Idoso Centro de Referência do Idoso Resolução

Leia mais

Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP

Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP Roberto Satler Cetlin R2 CLN ANCP Aspectos Históricos Final do século XIX: primeiras descrições da associação entre SNC e anemia megaloblástica (Leichtenstern e Lichtheim). Início do séc. XX: descritas

Leia mais

Patrícia Zambone da Silva Médica Fisiatra

Patrícia Zambone da Silva Médica Fisiatra Reabilitação da Paralisia Cerebral no CEREPAL Patrícia Zambone da Silva Médica Fisiatra Histórico Fundada no dia 02 de março de 1964 por um grupo de pais que os filhos possuíam lesão cerebral. É uma entidade

Leia mais

Elevação dos custos do setor saúde

Elevação dos custos do setor saúde Elevação dos custos do setor saúde Envelhecimento da população: Diminuição da taxa de fecundidade Aumento da expectativa de vida Aumento da demanda por serviços de saúde. Transição epidemiológica: Aumento

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos

MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos MATRIZ CURRICULAR ENFERMAGEM 4860 HORAS h/a 50 minutos 4050 HORAS h/a 60 minutos PRIMEIRO PERÍODO - PRIMEIRO ANO Sociologia, Antropologia e Filosofia 40 33,33 Iniciação à Pesquisa em Enfermagem 80 66,67

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação?

Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Epilepsia e distúrbio de aprendizagem: tem relação? Apresentação: Daniele Istile (2º ano) Maria Gabriela Cavalheiro (4ºano) Orientação: Doutoranda Thaís dos Santos Gonçalves Local: Anfiteatro da Biblioteca

Leia mais

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM

CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM CAMPANHA DE PREVENÇÃO DE FRATURAS NA OSTEOPOROSE FRATURAS NÃO PREVENÇÃO SIM O QUE É OSTEOPOROSE? Em termos simples, é a descalcificação do osso. O osso se enfraquece e fica mais fácil de quebrar. É um

Leia mais

DOENÇAS NEUROMUSCULARES

DOENÇAS NEUROMUSCULARES DOENÇAS NEUROMUSCULARES Profa Dra Cláudia Ferreira da Rosa Sobreira Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo NEURÔNIO

Leia mais

Brasil. 5 O Direito à Convivência Familiar e Comunitária: Os abrigos para crianças e adolescentes no

Brasil. 5 O Direito à Convivência Familiar e Comunitária: Os abrigos para crianças e adolescentes no Introdução A convivência familiar e comunitária é um dos direitos fundamentais 1 garantidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA, 1990). A lei ainda enfatiza que: Toda criança ou adolescente

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM TERAPIA OCUPACIONAL 1 º PERÍODO 1) História da Terapia Ocupacional (30 hs) EMENTA: Marcos históricos que antecederam o surgimento formal da profissão de

Leia mais

Foco Critérios de diagnóstico Dependente, não participa Necessita de ajuda de pessoa Necessita de equipamento Completamente independente

Foco Critérios de diagnóstico Dependente, não participa Necessita de ajuda de pessoa Necessita de equipamento Completamente independente Índice ANDAR... 2 ANDAR COM AUXILIAR DE MARCHA... 5 AUTOCONTROLO: CONTINÊNCIA URINÁRIA... 8 AUTOCONTROLO: CONTINÊNCIA INTESTINAL... 11 AUTOCUIDADO: ARRANJAR-SE... 13 AUTOCUIDADO: BEBER... 15 AUTOCUIDADO:

Leia mais

OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA

OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA Universidade do Minho Escola de Engenharia OSTEOPOROSE VS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS USANDO A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA QUANTITATIVA José Artur Rodrigues Nº 55574 Orientador: Prof. Higino Correia Mestrado

Leia mais

Definições. Classificação. Atendimento educacional especializado - Educação Especial. Escolas especializadas Escolas da rede regular de ensino

Definições. Classificação. Atendimento educacional especializado - Educação Especial. Escolas especializadas Escolas da rede regular de ensino Conteúdos abordados Prof. Ivan Lima Schonmann CREF 082406-G/SP Deficiência intelectual e motora Definição Classificação Características Estratégias de trabalho Deficiência Intelectual (DI) IBGE 2010 Censo

Leia mais

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down.

Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Estimulação precoce e a Terapia Ocupacional, uma união que promove o desenvolvimento psicomotor de crianças com Síndrome de Down. Conceituando a Síndrome de Down (SD) Pedromônico; Perissinoto; Ramalho

Leia mais

Fisioterapia Descrição

Fisioterapia Descrição Licenciatura Fisioterapia Descrição Centra-se na análise e avaliação do movimento e da postura, baseadas na estrutura e função do corpo, utilizando modalidades educativas e terapêuticas específicas, com

Leia mais

Os benefícios da fisioterapia em paciente com doença de Parkinson

Os benefícios da fisioterapia em paciente com doença de Parkinson Os benefícios da fisioterapia em paciente com doença de Parkinson Brunna Larice Alves Camilo¹ brunna_larice@hotmail.com Orientadora: Dayana Priscila Maia Mejia² Pós-graduação em Neurofuncional Faculdade

Leia mais

UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO

UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO UMA VISÃO CLÍNICA DO TRANSTORNO DE DÉFICIT DE ATENÇÃO COM HIPERATIVIDADE NA CRIANÇA: REVISÃO Érika Cristina Moreno 2 ; Priscila Medeiros Araújo 2 ; Romilda Ferreira de Sousa Oliveira 2 ; Rosivânia Barbosa

Leia mais

Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 2 - agosto de 2015

Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 2 - agosto de 2015 Informativo Mensal da Faculdade de Medicina do ABC Ano I - Nº 2 - agosto de 2015 Neste segundo número da Revista MedABC, os profissionais da Fundação do ABC e da Faculdade de Medicina do ABC trazem assuntos

Leia mais

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA

O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O GUIA COMPLETO TIRE TODAS SUAS DÚVIDAS SOBRE ANDROPAUSA O QUE É ANDROPAUSA? Problemas hormonais surgidos em função da idade avançada não são exclusivos das mulheres. Embora a menopausa seja um termo conhecido

Leia mais

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson

Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Tratamento Fisioterápico para as Doenças Alzheimer e Parkinson Gustavo Nunes Pereira Fisioterapeuta Graduado PUCRS Coordenador Grupo de Interesse em Fisioterapia SBGG-RS Doutorando em Gerontologia Biomédica

Leia mais

Introdução à Neuropsicologia

Introdução à Neuropsicologia MÓDULO III Elaboração da anamnese: atendimento ao paciente cirúrgico. Apresentação de caso clínico Professora: Beatriz Baldivia Mini-currículo do professor -Psicóloga pela UNESP-Bauru (2005) - Mestre em

Leia mais

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro

Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Prof.: Luiz Fernando Alves de Castro Dia Nacional de Combate ao Câncer O Dia 27 de Novembro, Dia Nacional de Combate ao Câncer, é uma data que deve ser lembrada não para comemorarmos e, sim, para alertarmos

Leia mais

O DNA DAS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS

O DNA DAS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS O DNA DAS DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS Paulo Cesar Naoum Academia de Ciência e Tecnologia de São José do Rio Preto - SP www.ciencianews.com.br Dezembro de 2009 Entre todos os mamíferos, a espécie humana

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TERAPIA OCUPACIONAL DA UNESP CAMPUS DE MARÍLIA Objetivos do Curso Curso da área da saúde, centrado nos aspectos ergonômicos e sociais da atividade humana. Visa à formação

Leia mais

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014.

As Mulheres e o Trabalho de Cuidar SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. As Mulheres e o Trabalho de Cuidar MYRIAN MATSUO II Seminário de Sociologia da FUNDACENTRO: Condições de Trabalho das Mulheres no Brasil SÃO PAULO,07 DE NOVEMBRO DE 2014. Doutora em Sociologia pelo Departamento

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada A coluna cervical consiste em diversas

Leia mais

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO

HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO HIPOTIROIDISMO INTRODUÇÃO Deficiência hormonal mais comum Produção ou ação deficiente dos hormônios tiroidianos Prevalência de 2 a 3% na população geral Mais comum em mulheres (10:1), idosos e brancos

Leia mais

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos

Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde Unimed São José dos Campos Núcleo de Atenção Integral à Saúde da Unimed SJC O Núcleo de Ação Integral à Saúde (NAIS) é o setor responsável pela promoção da saúde e prevenção

Leia mais

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE

12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE 12º CONGRESSO DE MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE A Importância dos Grupos de Reabilitação em Dor Crônica Realizados pela Equipe NASF AUTOR THANYTA STELLA DE CAMPOS HISTÓRICO COMO SURGIU A IDÉIA DO TRABALHO?

Leia mais

TÍTULO: MEDIDOR DE TREMOR PARA DIAGNOSTICO DE MAL DE PARKINSON CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS

TÍTULO: MEDIDOR DE TREMOR PARA DIAGNOSTICO DE MAL DE PARKINSON CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS TÍTULO: MEDIDOR DE TREMOR PARA DIAGNOSTICO DE MAL DE PARKINSON CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOTUPORANGA AUTOR(ES): MARIANE

Leia mais