SOFTWARE DE GESTÃO DE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SOFTWARE DE GESTÃO DE"

Transcrição

1 MUSEO SOFTWARE DE GESTÃO DE PATRIMÓNIO E MUSEU Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES

2 Sobre o documento Identificador WP Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado em Classificação Público Distribuição N/A Revisões # Data Autor Alterações Luís Miguel Ferros Documento inicial Miguel Ferreira Revisão geral Miguel Ferreira Atualizações pontuais Miguel Ferreira Correção de uma frase mal construída Luís Miguel Ferros Revisão para contemplar as funcionalidades da versão 1.4 do MUSEO Sara Guimarães Revisão geral Miguel Ferreira Revisão geral Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 2/18

3 SUMÁRIO EXECUTIVO Este documento tem como objetivo descrever as características, funcionalidades e principais vantagens do software MUSEO - Software de gestão de património museológico. O documento apresenta também os requisitos técnicos necessários à sua correta instalação e operação. KEEP SOLUTIONS, LDA 2015 Todos os direitos reservados A informação presente nesta publicação é considerada correta à data da sua publicação. Esta informação é suscetível de alteração sem qualquer notificação. A INFORMAÇÃO PRESENTE NESTA PUBLICAÇÃO É DISTRIBUIDA PELA KEEP SOLUTIONS "NO ESTADO EM QUE SE ENCONTRA" SEM QUALQUER GARANTIA ASSOCIADA, INCLUINDO GARANTIAS ASSOCIADAS A COMÉRCIO DE PRODUTOS OU DECLARAÇÃO DE ADEQUABILIDADE A DETERMINADO FIM OU OBJECTIVO. EM NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA PODERÁ A KEEP SOLUTIONS SER CONSIDERADA RESPONSÁVEL POR QUAISQUER DANOS QUE RESULTEM DA UTILIZAÇÃO DIRECTA, INDIRECTA, ACIDENTAL, ESPECIAL OU DEMONSTRATIVA DESTA INFORMAÇÃO (INCLUINDO, MAS NÃO LIMITADO A, PERDAS DE DADOS, LUCROS, FALÊNCIA, INDEVIDA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS OU NEGLIGÊNCIA), AINDA QUE O LICENCIANTE TENHA SIDO AVISADO DA POSSIBILIDADE DA OCORRÊNCIA DE TAIS DANOS. Todas as marcas referenciadas neste documento são propriedade exclusiva dos seus detentores. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 3/18

4 DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO O MUSEO é um software de gestão de património museológico desenvolvido especificamente para a gestão de coleções e inventariação de objetos culturais, independentemente da sua tipologia - material ou imaterial. O software é composto essencialmente por dois módulos: MUSEO Manager Interface de gestão das coleções, apenas disponível ao staff do museu. MUSEO Community Interface de disponibilização do inventário em-linha ao público em geral. A gestão do inventário e respetivas coleções é feita segundo a norma CIDOC-CRM, no entanto, este software poderá ser configurado para responder às necessidades específicas de cada instituição. Isto significa que o seu modelo de dados e respetivas estruturas semânticas de inventariação podem ser modificadas para satisfazer as necessidades particulares de cada museu. Por exemplo, a criação de novos campos de descrição, a remoção de campos desnecessários, a definição de relações com outras entidades semânticas ou a gestão de vocabulários controlados são ações que podem ser realizadas a partir da interface de administração do software. Por ser altamente configurável, adapta-se com extrema rapidez e facilidade aos requisitos de qualquer instituição, refletindo em tempo real as suas necessidades e exigências. É também uma solução simples e intuitiva. O software promove o desempenho dos utilizadores, uma vez que a 90% das operações disponíveis estão à distância de um clique. Os formulários de introdução de dados foram também desenhados para maximizar o desempenho dos utilizadores. Estes estão dispostos num único painel evitando a necessidade de abrir um número infindável de abas. O MUSEO privilegia a disponibilização/publicação do inventário na Internet permitindo a um museu desenvolver uma das suas funções mais importantes comunicar com o seu público. Publicar o inventário em-linha é uma operação tão simples como clicar num botão. A navegação é simples e amigável, dando especial destaque à apresentação de metadados e versões digitais das peças do museu através de visualizadores multimédia para os diversos formatos (imagem, áudio, vídeo, texto, etc.). Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 4/18

5 O MUSEO é assim a ferramenta ideal para inventariar, gerir e disponibilizar informação sobre as suas peças, rapidamente, sem inconvenientes. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 5/18

6 SCREENSHOTS MÓDULO COMMUNITY Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 6/18

7 Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 7/18

8 MÓDULO MANAGER Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 8/18

9 Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 9/18

10 VANTAGENS SUPORTE PARA VÁRIOS MUSEUS O MUSEO permite a gestão de várias entidades museológicas numa mesma instância aplicacional do software. Assim, uma entidade que tutela um conjunto de museus (e.g. um município) apenas necessita de adquirir uma licença do software, permitindo uma gestão centralizada de toda a informação, mas simultaneamente a segregação da informação de cada instituição. O sistema gere eficazmente números de inventário independentes, por museu. Por permitir o trabalho colaborativo, dispõe também de um sistema de permissões que permite gerir o acesso à informação e certas funcionalidades. Também dispõe de ajuda contextual ao nível da inventariação para que todos os utilizadores sigam as regras definidas. ALTAMENTE CONFIGURÁVEL O MUSEO vem pré-configurado com a norma CIDOC-CRM para gestão de coleções museológicas. Contudo, para responder às especificidades de cada instituição, o software permite a adaptação dos formulários de introdução de dados, bem como a criação de novas entidades semânticas para descrever novos tipos de peças, documentos, entidades, pessoas, etc. Tal adaptação passa pela criação de novos tipos de registos de descrição, definição de campos de informação, gestão de vocabulários controlados, estabelecimento de relações entre registos, etc. Adicionalmente, o sistema permite definir para cada campo de informação o seu tipo (e.g. número, linha de texto, data, vocabulário controlado, etc.), se é apenas de leitura, se é obrigatório, se é visível no módulo Community, entre outras opções de configuração. O MUSEO dispõe também de opções de configuração avançadas para permitir a extração e preenchimento automático de campos de metainformação (e.g. título, datas, autores) a partir dos ficheiros anexados à descrição. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 10/18

11 SUPORTE PARA REPRESENTAÇÕES DIGITAIS O MUSEO permite anexar representações digitais das peças inventariadas facilitando, assim, a sua identificação e permitindo a criação de inventários em linha de forma simples e rápida. O sistema possui visualizadores integrados para vários tipos de representações digitais, e.g. vídeo, áudio, imagem, PDF, etc. Devido a esta capacidade, o sistema pode também ser utilizado para publicar outros materiais relacionados com as peças do museu. Por exemplo, o MUSEO permite a publicação de registos bibliográficos, e-books, teses, etc. e estabelecer relações entre estes documentos e as respetivas peças do museu. Ao navegar na informação, os utilizadores poderão consultar informação sobre a peça, ver fotos ou reportagens sobre a mesma, e consultar documentação escrita sobre o respetivo objeto. DESIGN ATRAENTE E ATUAL Tanto o módulo Manager como o módulo Community são 100% baseados em tecnologias Web. Ambos são de utilização simples e intuitiva, respondendo cada um de forma adequada ao seu contexto de atuação. No Manager, módulo onde se regista e edita informação de inventariação, privilegia-se a usabilidade de modo a facilitar o trabalho diário dos técnicos de museu. O módulo Community visa aproximar o património (material ou imaterial) ao público em geral através das suas interfaces de pesquisa, navegação e com recurso a visualizadores multimédia, para que a visita virtual se aproxime o máximo possível a uma visita presencial. Este módulo facilita a navegação na informação a utilizadores que não conhecem o inventário, na medida em que se poderá recuperar informação a partir das tipologias e classificações dos registos, apresentadas logo ao nível da página de entrada. Investigadores externos terão, assim, uma ferramenta fundamental de trabalho, pois numa única interface poderão consultar o inventário global do museu, publicações relacionadas, informação adicional sobre a sua autoria, entre outros. CUSTOS REDUZIDOS DE APROVISIONAMENTO O MUSEO não necessita de um sistema de gestão de base de dados para gerir a sua informação. Isso diminui a complexidade do sistema e reduz os custos de licenciamento. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 11/18

12 Adicionalmente, o MUSEO opera sobre um sistema operativo open-source, i.e. Linux. Isto permite uma redução de custos ao nível da infraestrutura de suporte ao software diminuindo os encargos do cliente tanto no momento da instalação como durante a manutenção e operação do sistema. PUBLICAÇÃO SIMPLES E IMEDIATA NA INTERNET A informação considerada pública poderá ser disponibilizada na Internet de forma simples a partir do módulo Manager. Esta operação está à distância de um clique, ficando a informação imediatamente disponível no módulo Community para o público em geral. A publicação de conteúdos na Internet é fácil e flexível. O sistema permite selecionar os registos de inventário que se pretendem publicar na Internet, assim como os ficheiros associados. Por exemplo, é possível publicar na Internet um registo de inventário e não publicar alguns dos ficheiros associados. O módulo Community visa, assim, responder a um dos principais objetivos da missão das instituições responsáveis pela salvaguarda de património a divulgação do património museológico. AUDITORIA E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Todas as alterações realizadas ao inventário são guardadas para posterior revisão ou recuperação. Este mecanismo de versionamento permite, caso necessário, auditar o sistema de forma a consultar quais as alterações realizadas ao inventário, quando foram realizadas, e quem as realizou (i.e. auditorias ao sistema). O sistema é também imune a eliminações acidentais de informação, uma vez que todos os registos eliminados são colocados numa área de reciclagem, podendo ser posteriormente recuperados, caso necessário. A um nível mais físico, o sistema garante a segurança da informação através da redundância (sistema em RAID) e backups. INTEROPERÁVEL O MUSEO implementa diversos protocolos e serviços de comunicação (e.g. OAI-PMH, SRU, SRW), o que o torna compatível com aplicações desenvolvidas por terceiros, quer estas sejam portais agregadores de conteúdos (e.g. Europena, Repositório Nacional de Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 12/18

13 Objetos Digitais, Portal Português de Arquivos), quer sejam sistemas de workflow que possam existir na organização. Os portais agregadores de conteúdos permitem a pesquisa e consulta, a partir de um único ponto de acesso, de informação disponibilizada pelas entidades aderentes a essa rede/portal. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 13/18

14 CARACTERÍSTICAS O software MUSEO é constituído por vários módulos funcionais, os quais permitem ajustar a solução à medida do cliente segundo as suas necessidades. MUSEO MANAGER O módulo Manager é utilizado pelos técnicos do museu e disponibiliza funcionalidades avançadas de registo, edição, pesquisa e recuperação de registos. Nele poderão realizar a gestão das coleções e a inventariação das peças de museu. O módulo Manager foi concebido e desenvolvido tendo em consideração questões fundamentais como a usabilidade e a ergonomia. 90% das operações estão à distância de um clique e a informação está disposta num único formulário de recolha de dados de acordo com uma disposição de fácil compreensão. Adicionalmente, o sistema disponibiliza um conjunto de filtros que permitem a selecionar rapidamente a informação desejada (registos favoritos, registos eliminados, registos públicos, registos partilhados comigo, etc.). O utilizador é apoiado pelo sistema durante a criação e edição de registos de informação, na medida em que é alertado para o preenchimento de campos obrigatórios, possibilitando também a consulta de textos de ajuda no preenchimento da informação. O módulo Manager disponibiliza também operações que permitem a definição de novos tipos de registos, a definição dos campos de informação associados a cada tipo de registo, a criação e gestão de vocabulários controlados, a criação de relações entre entidades semânticas, entre outras operações. O acesso ao módulo Manager obriga à utilização de credenciais de acesso. O registo e gestão de utilizadores também está disponível neste módulo e acessível aos utilizadores com perfil de administrador. Sendo um módulo 100% Web, poderá aceder-se a ele a partir de qualquer lugar, recorrendo apenas a um browser (Internet Explorer, Firefox, Chrome, Safari ou outro) com acesso à Internet. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 14/18

15 É também a partir deste módulo que se podem consultar relatórios e estatísticas de utilização do sistema, imprimir registos, exportar informação, entre outras funcionalidades. MUSEO COMMUNITY O módulo Community cumpre a função de portal público, permitindo a um utilizador não autenticado pesquisar e consultar o inventário do museu. Estas interfaces podem ser completamente configuradas de forma a refletirem a identidade gráfica da instituição. Este módulo foi concebido e desenvolvido tendo como principal preocupação a facilidade de utilização da pesquisa, navegação e a precisão na recuperação de informação. Disponibiliza uma pesquisa básica e uma pesquisa avançada para consultas mais refinadas e seletivas. Houve também a preocupação de atender aos utilizadores que se dirigem ao portal pela primeira vez. O portal facilita o reconhecimento imediato do conteúdo do inventário, na medida em que é possível navegar na informação a partir da sua tipologia e classificações atribuídas. À medida que se vai navegando nos registos, são apresentadas hiperligações para outros registos relacionados. No contexto dos museus tem-se vindo a verificar, cada vez mais, uma grande tendência para a digitalização das suas coleções (fotografia, vídeo, ou outros formatos). Um dos principais objetivos deste processo é a disponibilização da informação de forma a facilitar a sua consulta e acesso. O software MUSEO segue esta tendência e disponibiliza, de forma integrada, um conjunto de visualizadores multimédia para que a consulta de representações digitais nos vários formatos de imagem, áudio, vídeo e texto seja possível. O MUSEO tem a capacidade de indexar o conteúdo textual dos documentos, pelo que as pesquisas realizadas neste módulo devolvem também os registos com ficheiros em anexo que contenham no seu conteúdo os termos utilizados na pesquisa. MUSEO CORE O módulo Core é o coração do sistema e é responsável por mediar todas as operações entre as interfaces gráficas e a camada de dados. O Core não possui interface gráfica, estando apenas acessível através da sua API pública. Esta API é suportada por um protocolo seguro HTTP/SSL e é ideal para realizar integrações Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 15/18

16 com sistemas externos, tais como aplicações móveis, sistemas de gestão documental, arquivos correntes, etc. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 16/18

17 REQUISITOS TÉCNICOS O software MUSEO pode ser instalado num servidor com as seguintes características. Hardware Atributo CPU Dual Core 2.0 GHz 4 GB RAM 100GB 1 Valor Sistema operativo Kernel Ubuntu Server 9.10 x64 ou equivalente Linux server x86_64 Servidor aplicacional Apache Tomcat 6.x Servidor MTA Postfix 2.6.x Software cliente Qualquer Browser Web de última geração, e.g. Chrome, Internet Explorer, Firefox, Safari Tabela 1 Características técnicas do servidor. 1 O espaço de armazenamento deverá ser dimensionado de acordo com o volume de informação existente e/ou previsões de crescimento. Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 17/18

18 KEEP SOLUTIONS A KEEP SOLUTIONS é uma empresa que tem como missão a prestação de serviços avançados na área da gestão e preservação de informação. A empresa iniciou a sua atividade em 2008 tendo adquirido o estatuto de spin-off académica da Universidade do Minho por se tratar de uma iniciativa que mantém laços chegados a centros de investigação ou departamentos desta universidade. A KEEP SOLUTIONS providencia um conjunto alargado de produtos e serviços de suporte à criação de arquivos, bibliotecas e museus. Os seus principais serviços consistem no desenvolvimento e implementação de sistemas de gestão de informação, consultoria, investigação e formação. Os seus principais clientes localizam-se principalmente no setor público e educacional, e.g. ministérios, arquivos, museus, instituições militares, governo local, instituições académicas e fundações. Tendo nascido de uma plataforma de I&D, a KEEP SOLUTIONS permanece ativa na produção de conhecimento científico tendo vindo a colaborar em projetos de investigação com instituições nacionais e internacionais como a Universidade Técnica de Viena, o Austrian Institute of Technology, a Microsoft Research, a Universidade Técnica de Berlin, a Universidade de Manchester, a Universidade Pierre and Marie Curie, a British Library, a Biblioteca Nacional da Áustria, a Biblioteca Nacional da Dinamarca, os Arquivos Nacionais Portugueses, entre outras. Endereço Web Telefone Fax Correio-electrónico Orçamentos Morada KEEP SOLUTIONS, LDA. Rua Rosalvo de Almeida, nº Braga, Portugal NIPC Modelo MO KEEP SOLUTIONS LDA 18/18

SOFTWARE DE GESTÃO DE

SOFTWARE DE GESTÃO DE MUSEO SOFTWARE DE GESTÃO DE PATRIMÓNIO E MUSEU Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP13223.2 Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado em 2014-01-03

Leia mais

MOODLE SISTEMA DE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos APRENDIZAGEM WHITE PAPER SERIES

MOODLE SISTEMA DE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos APRENDIZAGEM WHITE PAPER SERIES MOODLE SISTEMA DE GESTÃO DE APRENDIZAGEM Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP13022.2 Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado em 2013-06-20 Classificação

Leia mais

WEEBOX GESTÃO SIMPLIFICADA. Características e requisitos técnicos DE DOCUMENTOS WHITE PAPER SERIES

WEEBOX GESTÃO SIMPLIFICADA. Características e requisitos técnicos DE DOCUMENTOS WHITE PAPER SERIES WEEBOX GESTÃO SIMPLIFICADA DE DOCUMENTOS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11132 Autor Luís Faria, Miguel Ferreira Contribuição Amazing Ideas Distribuição

Leia mais

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES

DSPACE GESTÃO DE. Características e requisitos técnicos REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS WHITE PAPER SERIES DSPACE GESTÃO DE REPOSITÓRIOS INSTITUCIONAIS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11173 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

KOHA GESTÃO INTEGRADA DE. Características e requisitos técnicos BIBLIOTECAS WHITE PAPER SERIES

KOHA GESTÃO INTEGRADA DE. Características e requisitos técnicos BIBLIOTECAS WHITE PAPER SERIES KOHA GESTÃO INTEGRADA DE BIBLIOTECAS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11105 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

RETRIEVO PORTAL AGREGEDOR DE. Características e requisitos técnicos CONTEÚDOS E PESQUISA FEDERADA WHITE PAPER SERIES

RETRIEVO PORTAL AGREGEDOR DE. Características e requisitos técnicos CONTEÚDOS E PESQUISA FEDERADA WHITE PAPER SERIES RETRIEVO PORTAL AGREGEDOR DE CONTEÚDOS E PESQUISA FEDERADA Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11148.2 Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado em

Leia mais

Principais funcionalidades. Arquitetura e requisitos técnicos. Modalidades de aquisição

Principais funcionalidades. Arquitetura e requisitos técnicos. Modalidades de aquisição Agenda Principais funcionalidades Arquitetura e requisitos técnicos Modalidades de aquisição Funcionalidades Descrição arquivística Gestão de coleções digitais Publicação em-linha Conservação & restauro

Leia mais

SOLUÇÃO INTEGRADA ARQUIVO & BIBLIOTECA

SOLUÇÃO INTEGRADA ARQUIVO & BIBLIOTECA SOLUÇÃO INTEGRADA ARQUIVO & BIBLIOTECA Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11147 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros Distribuição

Leia mais

SOFTWARE DE GESTÃO DE

SOFTWARE DE GESTÃO DE DIGITARQ 4 SOFTWARE DE GESTÃO DE ARQUIVOS DEFINITIVOS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP11104 Autor Miguel Ferreira Contribuição Luís Miguel Ferros

Leia mais

SOFTWARE DE GESTÃO DE

SOFTWARE DE GESTÃO DE ARCHEEVO 3 SOFTWARE DE GESTÃO DE ARQUIVOS INTERMÉDOS E DEFINITIVOS Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP13004 Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado

Leia mais

ARCHEEVO 4 SOFTWARE DE GESTÃO. Características e requisitos técnicos INTEGRADA DE ARQUIVO WHITE PAPER SERIES

ARCHEEVO 4 SOFTWARE DE GESTÃO. Características e requisitos técnicos INTEGRADA DE ARQUIVO WHITE PAPER SERIES ARCHEEVO 4 SOFTWARE DE GESTÃO INTEGRADA DE ARQUIVO Características e requisitos técnicos WHITE PAPER SERIES Sobre o documento Identificador WP15567 Aprovado por Luís Miguel Ferros Aprovado em 2015-07-23

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA

BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA BIBLIOTECA NACIONAL DIGITAL RENOVADA NOVOS SERVIÇOS, FUNCIONALIDADES E CONTEXTOS DE COOPERAÇÃO SUMÁRIO NOVA INTERFACE GRÁFICA DA BND COOPERAÇÃO RNOD REGISTO NACIONAL DE OBJETOS DIGITAIS PROJETOS EOD EBOOKS

Leia mais

Sistema de Gestão Integrada de Bibliotecas Gere todo o ciclo-de-vida de uma ou várias biblioteca

Sistema de Gestão Integrada de Bibliotecas Gere todo o ciclo-de-vida de uma ou várias biblioteca O que é? Sistema de Gestão Integrada de Bibliotecas Gere todo o ciclo-de-vida de uma ou várias biblioteca Open-source Custos reduzidos Compatível com normas bibliográficas UNIMARC, MARC 21, Z39.50, OAI-PMH

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Noções Básicas de Informática Componentes de hardware Monitor : permite visualizar informação na forma de imagem ou vídeo; todo o trabalho desenvolvido com o computador pode ser

Leia mais

Guia de Depósito Teses

Guia de Depósito Teses Guia de Depósito Teses Descreva o documento que está a depositar Página 1 Se seleccionar todas as opções nesta página, visualizará um formulário diferente, modificado com o intuito de capturar informações

Leia mais

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB

SISTEMA PATRIMÔNIO WEB UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Subcomissão de Patrimônio - GEFIM REITORIA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO COMPATRIM/GEFIM SISTEMA PATRIMÔNIO WEB Manual do usuário v.1.1 Sumário Introdução... 4 Fluxo das Principais

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft Excel 2010 Colecção: Software

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

GESTÃO DOCUMENTAL E FLUXOS DE TRABALHO

GESTÃO DOCUMENTAL E FLUXOS DE TRABALHO GESTÃO DOCUMENTAL E FLUXOS DE TRABALHO 2 GESTÃO DOCUMENTAL VANTAGENS Informação sempre acessível, acesso fácil e rápido Redução do espaço, custos de armazenamento e impressão Redução da duplicação de dados

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê

Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário do Portal Ypadê Balaio Digital Tecnologia em Gestão Ltda ME. Manual do Usuário Portal Ypadê Centro de Agricultura Alternativa CAA Manual do Usuário Portal Ypadê Montes Claros, 16 de Julho de 2011 Revisão 3 Sumário 1. Apresentação do portal e escopo deste documento... 2 2. Acessando o Portal Ypadê...

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) /curriculum Julho de 2008 Versão 1.1 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador da Plataforma

Leia mais

PANORAMA. O Panorama fornece gerenciamento centralizado de políticas e dispositivos em uma rede de firewalls de próxima geração da Palo Alto Networks.

PANORAMA. O Panorama fornece gerenciamento centralizado de políticas e dispositivos em uma rede de firewalls de próxima geração da Palo Alto Networks. PANORAMA O Panorama fornece gerenciamento centralizado de políticas e dispositivos em uma rede de firewalls de próxima geração da Palo Alto Networks. Exiba um resumo gráfico dos aplicativos na rede, os

Leia mais

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.

Centro Atlântico, Lda., 2011 Ap. 413 4764-901 V. N. Famalicão, Portugal Tel. 808 20 22 21. geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico. Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Microsoft PowerPoint 2010 Colecção: Software

Leia mais

FICHEIROS COM EXEMPLOS

FICHEIROS COM EXEMPLOS FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Assinare consiste na oferta de soluções e serviços na área da identificação electrónica.!

Assinare consiste na oferta de soluções e serviços na área da identificação electrónica.! Assinare Apresentação Assinare consiste na oferta de soluções e serviços na área da identificação electrónica. De forma a responder ao ambiente altamente competitivo a que as empresas e organizações hoje

Leia mais

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Utilizador

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Utilizador Extracto on Line Aplicação Local Guia do Utilizador Índice 1. Sobre o Guia... 4 1.1 Objectivo... 4 1.2 Utilização do Guia... 4 1.3 Acrónimos e Abreviações... 4 2. Introdução ao Extracto on Line Aplicação

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

CONTROL YOUR INFORMATION BEFORE IT CONTROLS YOU

CONTROL YOUR INFORMATION BEFORE IT CONTROLS YOU Versão 5.0 CONTROL YOUR INFORMATION BEFORE IT CONTROLS YOU Gestão integrada de documentos e processos A gestão de documentos e processos é essencial ao bom desempenho de uma empresa e um reflexo da sua

Leia mais

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI

SERVICE DESK MANAGER SDM. Manual do Sistema - DPOI SERVICE DESK MANAGER SDM Manual do Sistema - DPOI Conteúdo SERVICE DESK MANAGER SDM... 1 Manual do Sistema - DPOI... 1 INTRODUÇÃO... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 OPÇÕES DO SISTEMA... 6 SISTEMA... 7 Pesquisar

Leia mais

LILDBI-Web. Objetivo: Aplicar as funcionalidades do LILDBI-Web para alimentação de bases de dados bibliográficas. Conteúdos desta aula

LILDBI-Web. Objetivo: Aplicar as funcionalidades do LILDBI-Web para alimentação de bases de dados bibliográficas. Conteúdos desta aula LILDBI-Web Objetivo: Aplicar as funcionalidades do LILDBI-Web para alimentação de bases de dados bibliográficas. Conteúdos desta aula LILDBI-Web: conceitos Criação de novos usuários no sistema Perfis de

Leia mais

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida

Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace. Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Biblioteca Digital da UNIVATES utilizando a ferramenta DSpace Alexandre Stürmer Wolf, Ana Paula Lisboa Monteiro, Willian Valmorbida Roteiro Biblioteca Digital da UNIVATES Bibliotecas: Conceitos Metas da

Leia mais

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação

AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO. Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação AQUISIÇÃO / INVENTÁRIO / NÃO 1 Integração dos módulos de aquisição (sugestões/indicações de compra) com o módulo de tratamento da informação Registro de sugestões de compra de materiais bibliográficos

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Outubro de 2003 ISBN: 972-8426-76-3 Depósito legal: 202574/03 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. * O leitor consente,

Leia mais

Grifon Alerta. Manual do Usuário

Grifon Alerta. Manual do Usuário Grifon Alerta Manual do Usuário Sumário Sobre a Grifon Brasil... 4 Recortes eletrônicos... 4 Grifon Alerta Cliente... 4 Visão Geral... 4 Instalação... 5 Pré-requisitos... 5 Passo a passo para a instalação...

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2004 FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Lexmark Print Management

Lexmark Print Management Lexmark Print Management O Lexmark Print Management permite-lhe optimizar a impressão em rede e criar uma vantagem informativa com uma solução que pode ser implementada localmente ou através da nuvem.

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

DeltaV Logbooks. Benefícios. Introdução. Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas.

DeltaV Logbooks. Benefícios. Introdução. Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas. Sistema Digital de Controle Distribuido DeltaV Especificação do produto DeltaV Logbooks Minimize riscos associados às mudanças de turnos. Documente eletrônicamente eventos, observações e notas. Melhore

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BPstat manual do utilizador Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Manual de Utilização ao Módulo Rede Federal SIMEC - Versão 14/set/2015.

Manual de Utilização ao Módulo Rede Federal SIMEC - Versão 14/set/2015. Manual de Utilização ao Módulo Rede Federal SIMEC - Versão 14/set/2015. O Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (SIMEC) é um portal operacional e de gestão do

Leia mais

Manual de Administração Intranet BNI

Manual de Administração Intranet BNI Manual de Administração Intranet BNI Fevereiro - 2010 Índice 1. Apresentação... 3 2. Conceitos... 5 3. Funcionamento base da intranet... 7 3.1. Autenticação...8 3.2. Entrada na intranet...8 3.3. O ecrã

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2003

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Novembro de 2003 MANTENHA-SE INFORMADO Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para ser informado sempre que existirem actualizações a esta colecção ou outras notícias importantes sobre o Internet Explorer. *

Leia mais

LNDnet. Lançamento de notas pelos docentes. Portal académico

LNDnet. Lançamento de notas pelos docentes. Portal académico LNDnet Lançamento de notas pelos docentes Portal académico A base para elaboração do presente manual foi o manual da Digitalis (SIGES.11.0.0 Manual de Utilizador) ao no qual foram registada as adaptações

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

Mandriva Pulse - Especificações e recursos

Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Pulse - Especificações e recursos Mandriva Brasil 2 de abril de 2015 Lista de Tabelas 1 Tabela resumo dos diferenciais do Pulse....................... 9 Lista de Figuras 1 Interface web do Mandriva

Leia mais

Sistema de Protocolo de Documentos SPDO

Sistema de Protocolo de Documentos SPDO Sistema de Protocolo de Documentos SPDO Manual do Usuário Elaborado por Consultor PNUD Fabiano Weimar dos Santos Supervisor Claudio Morale Contrato número 2011/000260 Versão 001 INTERLEGIS Comunidade Virtual

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014

TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014 PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O MÉDICO PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014 Brasília/DF, 17 de setembro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO Senhor (a) Médico (a) participante

Leia mais

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Março de 2004 ISBN: 972-8426-81-X Depósito legal: 207877/04

geral@centroatlantico.pt www.centroatlantico.pt Impressão e acabamento: Inova 1ª edição: Março de 2004 ISBN: 972-8426-81-X Depósito legal: 207877/04 Reservados todos os direitos por Centro Atlântico, Lda. Qualquer reprodução, incluindo fotocópia, só pode ser feita com autorização expressa dos editores da obra. Adobe Reader 6 Colecção: Software obrigatório

Leia mais

Registro Aberto da Cultura (R.A.C)

Registro Aberto da Cultura (R.A.C) Registro Aberto da Cultura (R.A.C) Manual do Usuário (versão 1.0) Ministério da Cultura Secretaria de Políticas Culturais Diretoria de Políticas Culturais Coordenação-Geral de Monitoramento de Informações

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO

MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO MAIS MÉDICOS TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Brasília/DF, 7 de maio de 2015. 1 APRESENTAÇÃO RELATÓRIO DA PRIMEIRA VISITA DE SUPERVISÃO Prezado (a) Supervisor (a) participante

Leia mais

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece:

IOB Mitrius WWW.IOB.COM.BR/SOLUCOES. Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED. O que faz: O que oferece: IOB Mitrius Software de auditoria eletrônica de arquivos digitais de SPED O que faz: Valida os arquivos digitais através de regras automatizadas e constantemente validadas / aprimoradas; Antecipa a análise

Leia mais

Manual de Utilização Moodle@ISPAB

Manual de Utilização Moodle@ISPAB Manual de Utilização Moodle@ISPAB [Estudante] Pedro Valente Gabinete de Avaliação e Qualidade (GAQ) gaq@ispab.pt Criado em: 07/10/2014 Última alteração em: 07/10/2014 Versão: 0.9 1 Sumário O manual de

Leia mais

Descrição de Funcionalidades

Descrição de Funcionalidades Gestão Integrada de Documentos Descrição de Funcionalidades Registo de documentos externos e internos O registo de documentos (externos, internos ou saídos) pode ser efectuado de uma forma célere, através

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação Ano Letivo 2014/2015

Disciplina: Tecnologias de Informação e Comunicação Ano Letivo 2014/2015 A informação, o conhecimento e o mundo das tecnologias. (I7.1) Utilização do computador e/ou dispositivos eletrónicos similares em segurança. (I7.2) 1. Compreender a evolução das tecnologias de informação

Leia mais

Ficha de Produto. Características gerais. Descrição do produto. Disponível em Licencia ou SaaS (software como um serviço).

Ficha de Produto. Características gerais. Descrição do produto. Disponível em Licencia ou SaaS (software como um serviço). Ficha de Producto Produto Descrição do produto ServiceTonic é um Software 100% web para gestão de serviços que sob as premissas de usabilidade e flexibilidade torna sua ampla funcionalidade em plataforma

Leia mais

PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS

PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS PARÂMETROS NORMATIVOS DE PARTICIPAÇÃO NA EUROPEANA FORNECEDORES CONTEÚDOS SUBMISSÃO DE DADOS Helena Patrício Biblioteca Nacional de Portugal 1 Julho 2010 1. Fornecer conteúdos no contexto da Europeana

Leia mais

PDF SIGN & SEAL V5 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 22/06/2010

PDF SIGN & SEAL V5 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 22/06/2010 PDF SIGN & SEAL V5 MANUAL DE UTILIZAÇÃO 22/06/2010 A informação contida neste documento é confidencial, estando vedada a sua reprodução ou distribuição de qualquer espécie sem a prévia autorização escrita

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador

Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador Extracto on Line Aplicação Local Guia do Administrador 1 Índice 1. Sobre o Guia... 3 1.1 Objectivo... 3 1.2 Conceitos e Termos... 3 1.2 Utilização do Guia... 3 2. Ferramentas de Administração... 4 2.1

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Manual de Utilizador SEPA 4 Corporates Versão: 0908 Data: 2014-11-19 Estado: Final Classificação: Público

Manual de Utilizador SEPA 4 Corporates Versão: 0908 Data: 2014-11-19 Estado: Final Classificação: Público Versão: 0908 Data: 2014-11-19 Estado: Final Classificação: Público novembro 2014, SIBS, SA A informação contida neste documento é propriedade da SIBS, SA e não pode ser duplicada, publicada ou divulgada

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt Sistemas Distribuídos Engenharia de Software 2º Semestre, 2006/2007 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: OurDocs Sistema de gestão documental ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA. Documento de Arrecadação Estadual DAE. Manual do Usuário. Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 1 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA Documento de Arrecadação Estadual DAE Manual do Usuário Versão 1.0.0 SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA 66.053-000 Av. Visconde de Souza Franco, 110 Reduto Belém PA Tel.:(091)

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

Citar e referenciar: gestores de referências bibliográficas. Isabel Marcos Direção de Serviços de Documentação Universidade Aberta Junho de 2015

Citar e referenciar: gestores de referências bibliográficas. Isabel Marcos Direção de Serviços de Documentação Universidade Aberta Junho de 2015 Citar e referenciar: gestores de referências bibliográficas Isabel Marcos Direção de Serviços de Documentação Universidade Aberta Junho de 2015 Gestores de referências bibliográficas Os gestores de referências

Leia mais

Software de gestão em tecnologia Web

Software de gestão em tecnologia Web Software de gestão em tecnologia Web As Aplicações de Gestão desenvolvidas em Tecnologia Web pela Mr.Net garantem elevados níveis de desempenho, disponibilidade, segurança e redução de custos. A Mr.Net

Leia mais

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 Alfresco é uma marca registada da Alfresco Software Inc. 1 / 42 Índice de conteúdos Alfresco Visão geral...4 O que é e o que permite...4 Página Inicial do Alfresco...5

Leia mais

parte I Apostila Esquematizada de Informática Sumário Navegadores e Mecanismos de Pesquisas na web Unidade 1 Navegadores (browser)

parte I Apostila Esquematizada de Informática Sumário Navegadores e Mecanismos de Pesquisas na web Unidade 1 Navegadores (browser) Apostila Esquematizada de Informática parte I Navegadores e Mecanismos de Pesquisas na web Sumário Unidade 1 Navegadores (browser) Unidade 2 Internet Explorer Explorando a interface e suas funções Unidade

Leia mais

Guia Web Connect. Versão 0 POR

Guia Web Connect. Versão 0 POR Guia Web Connect Versão 0 POR Modelos aplicáveis Este Manual do Utilizador aplica-se aos seguintes modelos: ADS-2500We e ADS-2600We. Definições de notas Ao longo deste manual do utilizador, é utilizado

Leia mais

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu

Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu 1 Nova plataforma de correio electrónico Microsoft Live@edu Tendo por objectivo a melhoria constante dos serviços disponibilizados a toda a comunidade académica ao nível das tecnologias de informação,

Leia mais

GERIR REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS com o software Mendeley. Bibliotecas da Universidade de Aveiro

GERIR REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS com o software Mendeley. Bibliotecas da Universidade de Aveiro GERIR REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS com o software Mendeley Bibliotecas da Universidade de Aveiro 2014 2 sumário 1. Citações em texto e referências bibliográficas conceitos chave vantagens 2. Essencial do

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS. BND RNOD Europeana. Workshop Pré-Congresso BAD

GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS. BND RNOD Europeana. Workshop Pré-Congresso BAD GESTÃO E DIFUSÃO DE CONTEÚDOS DIGITAIS BND RNOD Europeana Workshop Pré-Congresso BAD SUMÁRIO: BND RNOD Europeana Conteúdos Estruturas de produção Serviços Objetivos Funcionalidades Requisitos Conteúdos

Leia mais

LeYa Educação Digital

LeYa Educação Digital Índice 1. Conhecer o 20 Aula Digital... 4 2. Registo no 20 Aula Digital... 5 3. Autenticação... 6 4. Página de entrada... 7 4.1. Pesquisar um projeto... 7 4.2. Favoritos... 7 4.3. Aceder a um projeto...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO UNIVASF SECRETARIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO STI COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE SUPORTE Versão 1.0 24/01/2012 1

Leia mais

Guia de Introdução. Obtenha ajuda Clique no ponto de interrogação para encontrar conteúdos de ajuda.

Guia de Introdução. Obtenha ajuda Clique no ponto de interrogação para encontrar conteúdos de ajuda. Guia de Introdução O Microsoft Access 2013 tem uma aparência diferente das versões anteriores, pelo que criámos este guia para o orientar na aprendizagem. Altere o tamanho do ecrã ou feche uma base de

Leia mais

Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1)

Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1) Manual do utilizador do Cisco Unified Communications Self Care Portal, Versão 10.5(1) Unified Communications Self Care Portal 2 Definições do Unified Communications Self Care 2 Telefones 4 Definições adicionais

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Diretoria de Tecnologia da Informação Central de Relacionamento com o Instituto Rui Barbosa CR-IRB

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS. Diretoria de Tecnologia da Informação Central de Relacionamento com o Instituto Rui Barbosa CR-IRB Manual Central de Relacionamento com o Instituto Rui Barbosa CR- IRB. A Central de Relacionamento com o TCE é um sistema web. Devem ser utilizados os navegadores de Internet Explorer versão mínima 9 Google

Leia mais

Comunidades e sub-comunidades

Comunidades e sub-comunidades Biblioteca Digital de Alimentação e Nutrição Humana APOIO AO UTILIZADOR Figure BDNut 1 Tutorial de pesquisa - Biblioteca 2009, revisto a 2014-11 Objetivos Este tutorial tem como objetivo orientar o utilizador

Leia mais

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos

WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos WORKSHOP Ferramenta OLAP IBM Cognos O objetivo deste documento é orientar o usuário final na utilização das funcionalidades da ferramenta OLAP IBM Cognos, referente a licença de consumidor. Sumário 1 Query

Leia mais

20 Aula Digital Manual do Utilizador do Professor

20 Aula Digital Manual do Utilizador do Professor 20 Aula Digital Manual do Utilizador do Professor Versão 1.0 Índice I. Começar a utilizar o 20 Aula Digital... 4 1. Registo... 4 2. Autenticação... 4 2.1. Recuperar palavra-passe... 5 II. Biblioteca...

Leia mais

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação

Termo de Referência. Anexo II - Especificações Técnicas - Requisitos Funcionais. Diretoria Técnica-Operacional. Gerência de Tecnologia da Informação Diretoria Técnica-Operacional Gerência de Tecnologia da Informação Termo de Referência Anexo II Especificação Técnica 1 - INTRODUÇÃO Página 2 de 9 do TR-007-3700 de Este anexo tem por objetivo detalhar

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011

Contact Center CPqD. Operação. Manual do Cliente. Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0 Março de 2011 Contact Center CPqD Operação Manual do Cliente Versão do produto: 1.0 Edição do documento: 3.0

Leia mais

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br

Rua Minas Gerais, 190 Higienópolis 01244-010 São Paulo/SP Brasil Fone (11) 3017.3600 Fax: (11) 3017.3633 www.abnt.org.br GUIA DO VISUALIZADOR SUA EMPRESA ONLINE NO MUNDO DA NORMALIZAÇÃO SUMÁRIO 1 O QUE É ABNTCOLEÇÃO...3 1.1 CONFIGURAÇÕES MINIMAS DESEJAVEL...3 1.1.2 SEGURANÇADE REDE...3 2 COMO ACESSAR A SUA COLEÇÃO...4 2.1

Leia mais

Pcounter. Categoria Características

Pcounter. Categoria Características Pcounter Categoria Características User & Cost Management Gestão centralizada de utilizadores e funções Atribuição e cobrança de custos Gestão de orçamento e de quotas Relatórios detalhados de produção

Leia mais

Visão Global de Operacionalização da Estratégia para as TIC na PSP 2013-2016

Visão Global de Operacionalização da Estratégia para as TIC na PSP 2013-2016 Visão Global de Operacionalização da Estratégia para as TIC na PSP 2013-2016 Outubro de 2013 Visão Global de Operacionalização da Estratégia para as TIC na PSP 2013-2016 Ciente da relevância estratégica

Leia mais