XXIII ENANGRAD. Gestão de Informações e Tecnologia (GIT) ESTUDO DO USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO SEGMENTO INDUSTRIAL TÊXTIL.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XXIII ENANGRAD. Gestão de Informações e Tecnologia (GIT) ESTUDO DO USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO SEGMENTO INDUSTRIAL TÊXTIL."

Transcrição

1 XXIII ENANGRAD Gestão de Informações e Tecnologia (GIT) ESTUDO DO USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO SEGMENTO INDUSTRIAL TÊXTIL Ana Célia Bohn Sidnei Grígolo Oscar Dalfovo Maurício Capobianco Lopes Bento Gonçalves, 2012

2 ESTUDO DO USO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO SEGMENTO INDUSTRIAL TÊXTIL Área Temática: Gestão de Informações e Tecnologia Código: GIT

3 Resumo O presente estudo foi realizado em três indústrias do segmento têxtil, localizadas na região norte de Santa Catarina. Os respondentes da pesquisa foram os gestores do departamento de tecnologia da informação e o princípio basilar do estudo permeou a análise do uso de sistemas de informação em empresas têxteis. O delineamento metodológico utilizado para a obtenção do propósito da pesquisa foi do tipo levantamento de dados, em caráter quantitativo, envolvendo um questionário estruturado que os entrevistados responderam e que é utilizado para elucidar informações específicas. As respostas foram obtidas por meio de um questionário estruturado e com análises descritivas. Na análise dos dados e resultados verificou o uso, a aplicabilidade e as prioridades quanto ao uso dos Sistemas de Informação pelas empresas, no que tange ao processo de gestão dessas informações em consonância com a dinâmica do mercado, a concorrência acirrada, as mudanças organizacionais e a adaptabilidade à evolução contínua das tecnologias. O resultado obtido após o término deste estudo permitiu o conhecimento acerca do uso dos sistemas de informação, em que, a percepção sobre o tema é que as indústrias ainda não se utilizam de todas as disponibilidades oferecidas pelos sistemas para apoiar o seu gerenciamento de informações e da prospecção dos negócios. Palavras-chave: Sistemas de Informação; Tecnologia da Informação e Comunicação; Segmento Industrial Têxtil. Abstract This study was made in three textile industries, located in the northern region of Santa Catarina. The survey respondents were managers of the information technology department and the basic principle of the study permeated the analysis the use of information systems in textile companies. The methodological design used to achieve the purpose of this research was of type "data collection" in a quantitative, involving a structured questionnaire that the respondents and is used to elicit specific information. Responses were obtained through a structured questionnaire and descriptive analyzes. In the data analysis and results showed the use, applicability and priorities for the use of information systems by companies, in relation to the management of this information in line with market dynamics, fierce competition, organizational changes and adaptability to on-going evolution of technology. In the result obtained after completion of this study allowed to know about the use of information systems, in which the perception of the matter is that industries are still not used all the cash offered by the systems to support their information management and the exploration business. Keywords: Information Systems; Information Technology and Communications; Textile Industry.

4 INTRODUÇÃO A partir dos anos 80 e 90, um novo modelo organizacional emergiu: empresas que trabalham a partir do uso das tecnologias e dos sistemas de informação. As notáveis mudanças nas organizações, trouxeram uma revolução nas empresas, sejam elas, com ou sem fins lucrativos, públicas ou privadas, grandes ou pequenas, dos segmentos industrial, comercial ou prestação de serviços. As empresas têm a necessidade de manter em sua estrutura um sistema capaz de gerir todas as informações que permeiam seu ensejo de sucesso e êxito nos negócios, contando com pessoas diferenciadas, e sistemas altamente sofisticados, capazes de solucionar problemas e auxiliar na tomada de decisões. Os sistemas repetem, renovam, revigoram a organização em um processo pró-ativo e nunca reativo, com objetivo de lucro e atendimento as necessidades sociais (OLIVEIRA, 2000). Ainda para Oliveira (2000), este caráter sistêmico influencia na concepção de uma empresa sistêmica, que enfoca basicamente uma visão administrativa onde a administração da empresa não depende de indivíduos isolados e centralizadores. Da mesma forma que as todas as empresas têm buscado sistemas eficientes para se destacar no mercado, como um diferencial competitivo e apresentando inovações tecnológicas, as indústrias do segmento têxtil também primam por esta propositura. Esta observação é bem pontual sob o aspecto do dinamismo que este ramo do mercado se apresenta, a globalização dos mercados, a entrada dos produtos da China no país, os incentivos fiscais que abriram as portas para outros países. As Indústrias Têxteis são organizações complexas, compostas por diversos setores, dentre eles, o seu destaque para o setor produtivo que, frente a vários desafios, necessita do uso dos sistemas de informação, no intuito de permitir que o processo produtivo ocorra de forma eficiente e controlada, com a maximização dos recursos e o mínimo de erros para não impactar na competitividade e consequentemente na lucratividade. Dentre os desafios, destaca-se a aplicação e o uso dos sistemas de informação que visam a apoiar o processo decisório da gestão. Conforme Stair e Reynolds, (2002, p. 5) a transformação de dados em informação é um processo, ou seja, um conjunto de tarefas logicamente relacionadas e executadas para atingir um resultado definido. A expansão do uso dos sistemas de informação permite o planejamento, o controle e a programação da produção de forma que, se realizados de maneira adequada, pode oferecer à empresa uma vantagem competitiva em produção, alcançando eficácia e eficiência do setor produtivo, cujo propósito é atender e até superar as expectativas dos clientes e utilizar da melhor forma possível seus recursos disponíveis. Para tanto, buscou-se informações junto aos gestores do departamento de Gestão de Tecnologia da Informação, gestores estes, que fazem frente ao processo de otimização dos recursos como forma de tomada de decisão junto da cúpula diretiva das organizações. Não obstante, este trabalho apresenta os resultados obtidos por meio da pesquisa realizada em três indústrias localizadas no litoral norte de Santa Catarina, para entender o uso dos sistemas de informação. A pesquisa executada foi de caráter descritivo, quantitativa, do tipo levantamento de dados, que conforme Malhotra (2006) trata-se de um método de coleta de dados estruturado, em que se elabora um questionário formal e as perguntas são feitas em uma ordem predeterminada em que o processo é direto. Como instrumento de coleta de dados, foi utilizado um questionário estruturado adaptado de Dalfovo (2004). FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capitulo apresenta-se a fundamentação teórica que dá base a este trabalho, com os principais temas abordados para a elaboração do mesmo. Além dos trabalhos correlatos, que possuem alguma característica semelhante a este. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As organizações necessitam de um contexto organizacional composto por pessoas e tecnologias em interação com o ambiente interno e externo. Os sistemas de informação (SI) são qualquer sistema utilizado para fornecer informações, incluindo seu processamento, para qualquer uso que se possa fazer dela. De acordo com Landon (1999), é definido como um conjunto de componentes inter-relacionados trabalhando juntos para coletar, recuperar, processar, armazenar e distribuir informação com a finalidade de facilitar o planejamento, o controle, a coordenação, a análise e o processo decisório em empresas e outras organizações. Evolução dos sistemas MRP e MRP II Os sistemas de planejamento nas empresas estão em constante evolução, os primeiros desenvolvidos, eram simples e sua operação era limitada. Os novos avanços na produção fizeram

5 emergir sistemas eficazes a fim de atender a demanda de mercado. Por volta das décadas de 1970 e 1980, com o avanço nas tendências de produção surgiu o MRP (Material Requirements Planning), sistema de gestão industrial. Por meio deste sistema, as organizações de grande porte passaram a dispor da possibilidade de obter um planejamento futuro sobre estoque de matéria-prima e seus processos produtivos, podendo assim planejar a sua produção e tendo ótimos resultados (CARVALHO, 2009). As propostas principais de um sistema MRP são controlar o nível de estoque, planejar as prioridades de operação para os itens e a abastecer o sistema de produção, tendo como finalidade principal, a disponibilidade de materiais empregados na hora certa. Com isso, propiciou-se na diminuição de estoques desnecessários em toda a cadeia produtiva, desde a implantação de pedidos de compra, passando pelo estoque de matéria-prima, produtos em processo e produtos acabados (HEIDRICH, 2005). Contudo, o MRP foi aperfeiçoado para uma solução de escopo ampliado, se atualizando para uma nova versão o MRP II (Manufacturing Resources Plannnig) o qual, consiste em um sistema hierárquico de administração da produção, em que os planos de longo prazo de produção e os planos agregados (que contemplam níveis globais de produção e setores produtivos), são sucessivamente detalhados até ao nível do planejamento de componentes e máquinas específicas (ALVES, 2001). Enterprise Resource Planning (ERP) Para Carneiro e Dias (2004) os sistemas integrados de gestão são desenvolvidos de forma padronizada que têm como objetivo integrar totalmente as informações em um único banco de dados, compartilhado por todos os usuários. O Enterprise Resource Planning (ERP) é um sistema único que liga todas as operações da empresa, incluindo planejamento, manufatura, vendas, controle de estoques, recursos humanos, contabilidade e finanças. Atualmente, existem diversas tecnologias disponíveis e aplicadas à geração de informações, essas tecnologias contribuem para atender aos objetivos empresariais, uma vez que oferecem suporte aos diferentes níveis de gerentes, produzindo informações mais ágeis e precisas das operações; bem como o respectivo desempenho de cada setor ou departamento da empresa. Além disso, exerce um papel fundamental nas decisões estratégicas da empresa, auxiliando os gestores com informações de planejamento, investimento, prospecção de novos negócios, análise do mercado concorrente e necessidades dos clientes (OLIVEIRA, 2006). Segundo Corrêa (1998) no início da década de 1990, os sistemas integrados de gestão empresarial ou ERP passaram a ser largamente utilizado pelas empresas. Embora, custavam valores elevados, sendo viável somente para empresas de grande porte. No transcorrer desses anos, as grandes corporações fizeram suas escolhas sobre os sistemas a serem adquiridos e implantados, saturando assim o mercado das grandes empresas e reduzindo as possibilidades de negócio para os fornecedores de ERP nesse segmento empresarial. Para Souza (2006) os sistemas ERP podem ser definidos como sistemas de informações integrados adquiridos na forma de pacotes comerciais de software, com o princípio de dar suporte à maioria das operações dentro de uma organização. Durante a segunda metade do século passado os ERP foram um dos principais focos de atenção relacionados com tecnologia da informação nas empresas. O ERP controla a empresa, através da manipulação e processamento das informações. Depois dos processos serem documentados e contabilizados são geradas análises de negócios definidas as quais permitem maior controle nos pontos que apresentam maior vulnerabilidade do negócio. Desta forma, possibilita a estrutura dos custos, o controle fiscal e de estoques. Esse sistema de gestão integrada substitui os sistemas que funcionavam individualmente em cada setor dentro na empresa, com informações pouco confiáveis (MILTELLO, 1999). Conforme Souza e Zwicher (2000), a definição para ERP são sistemas de informações integrados, adquiridos em pacotes comerciais, com objetivo de suportar a maioria das operações de uma determinada empresa. Assim, atendem condições genéricas de um maior número de empresas, agrupando modelos de processos de negócios adquiridos com a experiência acumulada de fornecedores, consultorias e pesquisa em processos de benchmarking. Também possibilitam a integração pelo compartilhamento de informações entre os módulos, sendo armazenadas em um único banco de dados central. Aspectos na implementação de sistemas ERP Durante um projeto de implementação de sistemas ERP, existem inúmeras atividades e variáveis que devem ser gerenciadas, a fim de não comprometer o sucesso do projeto. Como não é possível controlar todos os fatores presentes na implementação, alguns devem ser considerados

6 mais importantes e acompanhados mais de perto, caracterizando uma gestão por fatores críticos de sucesso (GAMBÔA, CAPUTO e BRESCIANI FILHO; 2004). O sistema ERP tem extrema importância dentro de uma empresa ou organização, pois, gerencia todo o processo, desde início até o término. Laudon e Laudon (2001) definem implementação como "todas as atividades organizacionais realizadas em direção à adoção, gerenciamento e rotinização de uma inovação". O ERP pode ser considerado, então, um sistema de informação inovador que afeta as dimensões tecnológicas e organizacionais ao longo do processo de implementação. Para Tamae et al. (2005), na etapa de implantação é determinante levantar os objetivos a serem alcançados, verificando assim os processos atuais e as possibilidades de mudança. Existe a necessidade de todos os usuários conhecerem o sistema e os processos de negócio da empresa. Subentende-se que eles devem compreender a mudança organizacional conduzida por funcionários que terão treinamento conceitual, operacional, exploração do sistema, parametrização e revisão dos processos. Gerenciar uma mudança em um ambiente organizacional implica na mudança dos hábitos, modelos de comportamento e, às vezes, as atitudes das pessoas em relação ao modo de execução, tanto em atividade de manufatura quanto em serviços. Por outro lado Buckhout, Frey e Nemec (1999), abordam duas dificuldades na implantação do ERP: as organizações não fazem escolhas estratégicas necessárias para configurar os sistemas e os processos, e o processo de implantação escapa do controle da empresa. Tornando-se esta etapa mal sucedida, dessa forma para realizar as escolhas estratégicas é fundamental o conhecimento nos processos de negócios, todavia, o foco deve ser mantido nos objetivos da organização e não somente no sistema. Na fase de implantação, envolve a adaptação dos processos de negócio ao sistema, a parametrização e eventual customização do sistema, a conversão e carga dos dados iniciais, a configuração do hardware e do software de suporte, o treinamento de usuários e gestores e a disponibilização de suporte e auxílio. Complementando as tarefas que vão desde o término da elaboração do plano de implementação até o início da operação, quando o sistema ERP passa a ser o sistema de informação definitivo da empresa (SOUZA e ZWICKER, 2003). Entretanto, nas implantações de sistemas integrados de gestão empresarial, há uma preocupação intensa com a tecnologia e quase nenhuma preocupação com os demais aspectos que norteiam as modificações nas dinâmicas organizacionais causadas pela mesma. Os dirigentes se esquecem de que as modificações causadas pela mudança tecnológica vão além de uma simples troca de sistema informacional impactando dessa forma a estrutura e os aspectos sóciocomportamentais (JESUS e OLIVEIRA, 2007). Oliveira (2006) em seu estudo observou que a fase de projeto é crucial na implantação de um sistema ERP, pois é o momento em que se decide a escolha do software apropriado à empresa, bem como a estratégia adotada na implantação. Optar pela implantação por módulos e iniciar com pequenos projetos é uma alternativa viável e considerada segura, pois se avaliam os resultados à medida que estes vão ocorrendo, se podendo rever as estratégias e os rumos do projeto. Resultados na adoção do ERP Os fatores críticos de sucesso que devem ser analisados num projeto do tipo ERP, sugeridos por Albertin (1996) são, principalmente: Envolvimento da gestão de topo; A estratégia, visão de longo prazo, alinhamento de fatores de negócios e tecnológicos; A cultura organizacional, e a receptividade a mudanças ao nível de alterações provocadas; Processos, a adaptação necessária ao novo sistema; Utilizadores, definição de papéis, envolvimento e formação; Equipa de consultores, qualificação e comunicação com utilizadores; Seleção do sistema, motivos para iniciar uma seleção e forma de condução; A implementação, definição de prazos e forma de condução; O software, adequação ao contexto da empresa e ligação com sistemas existentes. Após a implantação do sistema de ERP se espera que a empresa tenha maior comando e controle sobre as informações e processos de negócios na organização, havendo assim a universalização dados que são dispostos ao grupo empresarial, aferindo credibilidade e certeza desde que seja interpretado os resultados coerentemente. Conforme Pinheiro (2009) o sistema ERP condiciona várias vantagens tais como: redução de custos, com o monitoramento em toda a organização rapidamente se detecta os processos mais dispendiosos os quais podem causar impactos no processo financeiro; otimização do fluxo de informações, determina-se quais setores empresariais estão apresentando deficiência dessa forma se

7 adotando medidas para que as informações fluam satisfatoriamente; otimização no processo de decisão, com as informações interligadas fica relativamente simples a tomada de decisão e suas consequências. Os benefícios obtidos pela empresa podem ser divididos em tangíveis e intangíveis, os quais, de acordo com Hypolito e Pamplona (1999): a) Tangíveis: são mensurados como ganho de capital com a redução de estoques, redução de atividades sem valor, redução de horas extras ou ate mesmo de funcionários. b) Intangíveis: benefícios de maior dificuldade como satisfação dos clientes internos e externos, velocidade de funcionamento, confiabilidade na tomada de decisões, redução de riscos em decisões gerenciais. Na pesquisa realizada por Souza e Zwicker (2000) as vantagens do ERP são: integralização dos departamentos, atualização da base tecnológica, redução de custos de informática decorrentes implantação do sistema. Para otimização completa do sistema de gestão integrada é preciso evolução contínua, adotando medidas operacionais necessárias. Jesus e Oliveira (2007) afirmam que, na busca por uma organização integrada, os gestores se esquecem de adotar um sistema integrado de gestão, pois as mudanças necessárias para tornar uma organização tradicional em uma empresa integrada são voltadas para processos que implicam em transformações complexas que abrangem aspectos estruturais e comportamentais. O acesso às informações integradas, propiciadas pelos sistemas integrados de gestão, propiciam subsídios para os executivos tomarem decisões com maior agilidade e, com isso, asseguram uma vantagem competitiva às empresas que dirigem. A solução ERP visa integrar as informações dentro de uma empresa, tendo como função principal criar um único fluxo de informação (ROCHA e BROCHADO, 2004). Conforme Tamae et al. (2005), comparando o investimento realizado com as melhorias alcançadas, pode-se dizer que existe muito ganho a ser obtido com a implantação do ERP. Os benefícios podem ser maiores se forem realizadas análises prévias dos processos e da forma de funcionamento atual da empresa. A urgência na aquisição do sistema atrasa uma fase importante que é a verificação da sua real necessidade, devido ao seu alto custo, alto grau de complexidade e exigência por mudanças. Os ganhos com a adoção de um sistema de gestão integrada conforme Wood Jr. (1999): realinhamento e racionalização de processos, melhoria do nível de controle, maior agilidade nos processos decisórios, redução de ciclos operacionais, maior integração de informações, redução de custos internos e redução de estoques. Para Nogueira, Pessoa e Abe (2004) utilização de sistemas ERP otimizam o fluxo de informações e facilita o acesso aos dados operacionais, favorecendo a adoção de estruturas organizacionais mais achatadas e flexíveis. Dessa forma, tornam as informações mais consistentes, possibilitam a tomada de decisão com base em dados que refletem a realidade da empresa. Outro benefício é a adoção de melhores práticas de negócio, suportadas pelas funcionalidades dos sistemas, que resultam em ganhos de produtividade e em maior velocidade de resposta da organização. Alguns dos resultados esperados com a adoção de sistemas ERP, são os que se seguem: disponibilizem informação exata e de qualidade na hora precisa, de suporte às tomadas de decisão ao nível da gestão, ao longo de todo o empreendimento, principalmente em termos do fluxo logístico; que forneçam os meios para uma perfeita integração entre os setores da organização através do compartilhamento de bases de dados únicas; que forneçam os meios para que se reduza o esforço ao nível da gestão e operacional nas interfaces entre Sistemas de Informação não integrados; que tornem o processo de planejamento operacional mais transparente, estruturado e com responsabilidades mais definidas e, que apoie a empresa nos seus esforços para a melhoria de desempenho operacional para fazer face à concorrência, no atendimento aos clientes (CASTRO, 2009). Outras vantagens citadas por Barker e Frolick (2003) trazidas às organizações, do ponto de vista do sucesso do negócio, consistem nas vantagens percebidas pelos funcionários. Através do uso de sistemas integrados, as pessoas envolvidas comprovam benefícios como eliminação de excessos nas rotinas, mais tempo para destinar a atividades que acrescentam valores e até mesmo mais autonomia para tomada de decisões. Dificuldades e desvantagens com o ERP Para Souza e Zwicker (2000), as atualizações constantes no sistema e gerenciamento são uma das principais dificuldades. Após a implantação, o mesmo precisa manter-se em atualizações contínuas, refletindo nos processos da empresa. São incorporados recursos inovadores para executar os processos e corrigir falhas, para isso o ERP é um processo de mudanças organizacional

8 envolvendo alterações nas tarefas e responsabilidades de indivíduos, departamentos e relações entre os departamentos. Segundo Wood Jr. (1999) há inúmeras desvantagens referente ao sistema de gestão integrada tais como: não atendimento das necessidades específicas dos negócios, perda de algumas funções essenciais dos negócios, visão superficial dos processos, dependência de um único fornecedor e excesso de controles. Ou seja, a escolha de um sistema que atenda as necessidades da organização é de extrema importância. Conforme Militello (1999) a adoção de um software de ERP força a empresa a repensar em sua estrutura, todavia necessita da ajuda de uma consultoria ou de profissionais especializados, o que faz aumentar os custos significavelmente. Para cada real investido no ERP gastam-se outros dois no processo de instalação. Apesar de serem sistemas muito complexos, as organizações optam por que eles funcionem, abolindo com programas que mal se conversam, tornando a relação dos dados demorada e ineficiente. Outra dificuldade contextualizada por Mendes e Escrivão Filho (2000) se refere ao despreparo e desconhecimento das empresas em relação ao tamanho das mudanças que vão ocorrer com a implantação do sistema. Para conseguir resultados são necessários rever o modelo de operação utilizado e propor modificações que maximizem o potencial da tecnologia que será instalada, se integrando com a visão estratégica. De acordo com Padilha e Marins (2005) sistemas ERP apresentam dificuldades no cumprimento de prazos de instalação e orçamento, devido principalmente a: resistência por parte dos funcionários, rotatividade das pessoas que foram treinadas ou que dominam o negócio da empresa, qualidade dos recursos humanos da empresa e da consultoria contratada, dificuldades de interagir com o ERP e outros sistemas existentes na corporação. Os fatores apresentados não podem ser corretamente previstos, na elaboração dos cronogramas e orçamentos. Mesmo inseridos na margem de segurança podem comprometer a credibilidade do projeto. Os sistemas ERP são ferramentas que detém alto valor e de difícil implantação comparada aos sistemas antigos. Dessa maneira, as justificativas de retornos de investimentos são difíceis de serem defendidas. Gomes e Vanalle (2001) salientam que o ERP pode ser uma poderosa opção para a empresa obter maior controle de seu negócio. As transformações sofridas pela empresa são a alteração dos processos produtivos e administrativos que tendem a se adaptar às funcionalidades oferecidas pelo sistema, que muitas vezes podem criar resistência devido à necessidade de mudança de paradigmas para a utilização de um sistema compartilhado. Para Oliveira e Ramos (2002) os fatores que dificultam o processo, são: a resistência dos funcionários; a falta de comunicação sobre os possíveis problemas que ocorreriam durante o processo; a falta de um membro da alta administração na equipe de coordenação do projeto; a pouca experiência dos fornecedores do sistema no processo de implantação. As empresas têm grandes expectativas em relação aos sistemas ERP, se esperando que eles melhorem todo o funcionamento rapidamente. No entanto, esta é uma percepção errada, e uma das razões é o fato de que o ERP não resolve problemas relacionados a procedimentos, ou seja, um sistema não é capaz de solucionar problemas decorrentes da falta ou do não cumprimento de procedimentos internos, assim como da presença de controles fracos dentro de uma empresa (HYPOLITO E PAMPLONA, 1999). Segundo Dempsey (1999), as empresas perdem de vista as motivações originais e naufragam diante das dificuldades encontradas. Muitos sistemas têm uma interface ruim com o usuário, a solução para esse problema seria adotar outro sistema com a interface gráfica mais atraente, que facilite o uso pelo usuário. Krasner (2000) explicita que os ERP causam alguns problemas, dentre eles os problemas de gerenciamento e controle de recursos, tornando-se propensos a falhas. Portanto maioria das empresas que tentam implantá-los geralmente ocorre erros devido à grande complexidade que esses sistemas apresentam. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO A informação, basicamente, tem duas finalidades: para conhecimento dos ambientes interno e externo de uma organização e para atuação nestes ambientes (Chaumier, 1986). Reconhecendo a importância da informação, muitas organizações não são sensíveis a alguns excessos na busca e na manutenção da informação. As TIC s (tecnologias da informação e comunicação) evoluíram em forma bottom up nas organizações, pois, primeiro automatizaram processos operacionais; depois, apoiaram atividades gerenciais, passando a dar suporte estratégico e apoio a soluções de conhecimento mais recentemente. Esta evolução centra os projetos de TI em uma sequencia de ciclo: dado, informação e conhecimento (PACHECO, 2006).

9 Fonte: Pacheco (2006) PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS O presente estudo tem uma abordagem de pesquisa quantitativa, do tipo levantamento de dados, descritivo, sendo utilizado como método de pesquisa um questionário estruturado adaptado de Dalfovo (2004). Na concepção de Malhotra (2006), quando da coleta de dados estruturada, elabora-se um questionário formal e as perguntas são feitas em uma ordem predeterminada, de forma que o processo é direto. Gil (2009), complementa que, as pesquisas descritivas são, juntamente com as exploratórias, as que habitualmente realizam os pesquisadores sociais preocupados com a atuação prática. Aplicável para o estudo em questão, no segmento industrial. Este método também é relevante para quando as questões de pesquisa pretendem explicitar uma descrição das características de determinada população ou fenômeno ou o estabelecimento de relações entre as variáveis (GIL, 2009). Para a coleta de dados utilizou-se um questionário estruturado, aplicado junto aos respondentes, aqui descritos como gestores de TI. As respectivas respostas foram tabuladas, analisadas e interpretadas de forma a tratar os dados, os quais perfazem o conteúdo da referida pesquisa. Os dados tornam-se conhecimento somente depois de a análise ter identificado um conjunto de descrição de relações (HAIR JR. et al. 2005). Quanto à escolha dos entrevistados, levouse em consideração que, segundo a abordagem a que se propôs o estudo, a pessoa mais indicada como respondente ao propósito da pesquisa seria o Gestor de TI, tendo em vista o seu conhecimento empírico e conceitual acerca da abordagem. Ressalta-se o fato de que se manteve a preservação do nome das Indústrias participantes, por solicitação das mesmas, tendo em vista um procedimento de ordem interna, o qual não permite a divulgação do nome da Organização, porém com a possibilidade de utilização dos dados obtidos por meio dos questionários, desde que, descaracterizados também os seus respondentes. ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS DADOS A apresentação dos dados oriundos das pesquisas efetuadas estão dispostos em cinco partes, distribuídas em tabelas. A primeira parte refere-se às funções rotineiras utilizadas pelas empresas, tecnologias dos sistemas de informações e as características dos sistemas destas empresas. A segunda parte diz respeito ao atendido ao público, informação disponibilizada e informação externa processada. Na terceira parte têm-se as ameaças dos novos entrantes e poder de negociação. Com relação à quarta parte, verifica-se os principais pontos chaves de sucesso e a avaliação para o sucesso no negócio. Já a quinta e última parte refere-se às estratégias com relação as forças organizacionais. O PERFIL DAS ORGANIZAÇÕES E A UTILIZAÇÃO DOS SISTEMAS Neste item, apresentam-se os dados de uso do sistema de informação na organização. Foi identificado que da amostra analisada, três indústrias, 100,0% delas utilizam sistemas de informações computadorizados. No Quadro 1, apresentam-se as funções que são rotineiras utilizadas pelas empresas, às tecnologias dos sistemas de informações e as características dos sistemas destas empresas

10 Quadro 1 - Funções rotineiras utilizadas pelas empresas, tecnologias dos sistemas de informações e as características dos sistemas destas empresas Sim Não Quais funções (dos sistemas) que são rotineiramente utilizadas? DatawareHouse (armazenamento de dados). 2 1 Datamining (é um minerador de informação. Ex: Google). 2 1 Redes Neurais (sistemas inteligentes de solução de problemas). 0 3 Raciocínio baseado em casos (software que enxerga casos ocorridos no passado e sugere soluções). 0 3 Aplicativos Comerciais (CRM, ex). 3 0 Não possui sistemas. 0 3 Software especial. 3 0 O Sistema de Informação de sua empresa utiliza quais destas tecnologias: DatawareHouse (armazenamento de dados) 2 1 Datamining (é um minerador de informação, ex: Google) 2 1 Redes Neurais (sistemas inteligentes de solução de problemas) 0 3 Raciocínio baseado em casos (software que enxerga casos) ocorridos no passado e sugere soluções. 0 3 Aplicativos Comerciais (ex: CRM) 3 0 Não possui sistemas 0 3 Software especial 3 0 Quais as características do Sistema de Informações desta empresa? Informação de nível estratégico indicadores de desempenho 3 0 Projeto para atender executivos 3 0 Facilidade de utilização com mínimo treinamento 2 1 Fazem uso intensivo de dados do macroambiente empresarial 2 1 Utilizam recursos gráficos 3 0 São usados principalmente para acompanhamento e controle 3 0 Programação da produção 3 0 Fonte: dados da pesquisa O Quadro 1 apresenta as informações referentes às funções do sistema que são rotineiramente utilizadas e suas tecnologias, destacando-se os aplicativos comerciais através de softwares especiais. As principais características do sistema de informação apresentadas são: informações de nível estratégico (indicador de desempenho), projetos para atender os executivos, programação da produção, controle e acompanhamento. No Quadro 2 apresentam-se as informações referentes ao que público que utiliza o software, qual o tipo de informações disponibilizadas e quais as informações externas processadas. Quadro 2 - Atendido ao público, informação disponibilizada, informação externa processada Qual o público de nível gerencial que serve? Nº de citações Diretoria 3 Gerente Departamentos 3 Gerentes Setoriais 2 Outros 1 Que tipo de informação é disponibilizada? De origem exclusiva interna 0

11 De origem exclusiva externa 0 De origem interna e externa 3 Quais os tipos de informações externas processadas? Concorrentes 2 Fornecedores 3 Dados econômicos 2 Clientes Fonte: dados da pesquisa No Quadro 2 é passível de observação que o público que utiliza estes sistemas são os níveis gerenciais e a cúpula diretiva. A informação disponibilizada é de origem interna e externa, sendo que e as informações externas processadas são inerentes aos fornecedores. Na tabela 03 expõe-se as ameaças dos novos entrantes e as considerações de fatores ambientais externos para a tomada de decisão com vistas ao poder de negociação com fornecedores e clientes. Ameaças de produtos e serviços substitutos, rivalidade entre os atuais concorrentes, barganha de clientes e práticas de planejamento financeiro. Quadro 3 - Ameaça dos novos entrantes e poder de negociação Quando falamos sobre ameaças de novos entrantes: Consideração na tomada de Decisões Estratégicas referentes ao ambiente / externo. Nº de citações Ações tomadas pelos novos concorrentes 3 Participação novos concorrentes no mercado 3 Mercado oferece opções novos concorrentes 1 Tendência de ter novos concorrentes 2 Consideração de fatores ambientais externos para a tomada de decisão estratégica. Poder de negociação com os fornecedores: Negociação/Fornecedores 2 Ações tomadas pelos novos concorrentes 3 Participação novos concorrentes no mercado 2 Mercado oferece opções novos fornecedores 1 Tendência de ter novos fornecedores 1 Consideração nas tomadas de Decisão Estratégicas referentes ao ambiente / externo. Poder de negociação com os Clientes Negociação/clientes 2 Ações tomadas pelos novos concorrentes 3 Participação de novos concorrentes no mercado 1 Situação do mercado oferece opções 2 Tendência de mercado oferece opções 1 Consideração nas tomadas de Decisão Estratégicas referentes ao ambiente externo - Ameaça de produtos e serviços substitutos: Produtos Substitutos 2 Expectativa de participação de mercado de novos produtos 1 Participação novos produtos no mercado 2 Mercado pode oferecer opções a novos produtos 1 Tendência de mercado a produtos substitutos 3

12 Consideração na tomada de decisões estratégicas referentes ao ambiente externo. Rivalidade entre os atuais concorrentes: Atuais concorrentes 2 A rivalidade é predatória 0 A rivalidade permite a entrada de novos concorrentes 0 A rivalidade é sadia 1 Ações entre os concorrentes 3 Existe muita rivalidade entre os concorrentes 1 Segmentos mercados oferecem opções 2 Consideração nas tomadas de Decisão Estratégica referentes ao ambiente / externo: poder de barganha de clientes. Poder de Barganha 1 Classe de consumidor 3 Forma de aquisição do consumidor 0 Perfil do Consumidor 3 Preferência do consumidor 2 Consideração nas tomadas de Decisão Estratégica referentes ao ambiente / externo: Sua empresa exerce práticas de planejamento financeiro? Planejamento Financeiro 1 Planejamento Formal 3 Planejamento Informal 1 Não Faz 0 Fonte: dados da pesquisa No Quadro 3 apresentam-se as ameaças dos novos entrantes e as considerações de fatores ambientais externos para a tomada de decisão com vistas ao poder de negociação com fornecedores e clientes. Ameaças de produtos e serviços substitutos, rivalidade entre os atuais concorrentes, barganha de clientes e práticas de planejamento financeiro. Para tanto foi solicitado que cada empresa pesquisada identificasse como reage a cada tópico. Destes tópicos, os mais relevantes, pontuados pelas empresas são as ações tomadas pelos novos concorrentes, a participação dos novos concorrentes no mercado, as tendências do mercado a produtos substitutos, o poder de barganha da classe de consumidores assim como o seu perfil. Outro aspecto acentuado infere-se ao planejamento financeiro formal. No Quadro 4 são explicitados os principais pontos chaves que tangem ao sucesso do negócio e as avaliações. Quadro 4 - Principais pontos chaves de sucesso e a avaliação para o sucesso no negócio. Destaque quais os principais Fatores Chave de Sucesso de sua empresa Nº de citações Fatores Chave 0 A qualidade dos produtos/serviços 3 A adoção de Estratégias 2 O projeto organizacional 0 A aprendizagem organizacional da empresa 0 Preço do Produto 3 Assinale 3 itens abaixo que são os mais importantes, na sua avaliação, para o sucesso de seu negócio. Sucesso do Negócio 0 Investimento na Qualidade do Produto 3

13 Investimento em nome ou prestígio dos Empresários 0 Investimento na marca da empresa 3 Cumprimento das propostas de negociação dos fornecedores/clientes 3 Fonte: dados da pesquisa O Quadro 4 demonstra que o fator de destaque no quesito sucesso identificado na pesquisa é a qualidade dos produtos e serviços e os preços dos produtos. Na avaliação dos gestores o investimento na qualidade do produto, na marca da empresa e no cumprimento das propostas de negociação dos fornecedores e clientes, é entendido como sucesso nos negócios. No Quadro 5 abordam-se as estratégias que são adotadas na empresa com relação às estratégias de: forças competitivas, cadeia de valores e diversificação de empreendimento. Também é demonstrado como a empresa efetua o monitoramento dos clientes e concorrentes. Quadro 5 - Estratégias com relação às forças organizacionais Qual(is) estratégias são adotadas em sua empresa com respeito a forças competitivas: Sim Não Liderança pelo Custo 3 0 Parceria formal entre fornecedores e clientes 3 0 Nicho pela diferenciação de produto 2 1 Foco em nicho 1 2 Qual(is) estratégias são adotadas nas estratégias da cadeia de valor: Atualização Tecnológica 2 1 Marketing e Vendas 3 0 Estratégia Financeira Custo/investimento 2 1 Pós Venda e atendimento 3 0 Qual(is) estratégias são adotadas em estratégias corporativas: Empreendimento único 0 3 Diversificação do Empreendimento 3 0 Qual(is) estratégias são adotadas em diversificação de empreendimento: Diversificação 3 0 Integração 1 2 Aquisição 1 2 Parcerias/Alianças Estratégicas 0 2 Como você monitora seus clientes: Automação da Força de Vendas Gerência de Relacionamento de Clientes CRM 3 0 Call Center 3 0 Sites Internet 2 1 Resposta Eficiente de Cliente 3 0 Telemarketing 2 1 Mala direta 2 1 Base de Conhecimento 2 1 Database Marketing 2 1 Serviço de Atendimento ao Consumidor SAC 3 0 Serviço de Atendimento Automático Help Desk 0 3

14 Como você monitora seus concorrentes: Benchmarking 3 0 Feiras 3 0 Informativos 3 0 Material de Divulgação: folders, panfletos 3 0 Associações de classe 2 1 Fonte: dados da pesquisa Na tabela 05 verificam-se os dados referentes às estratégias adotadas pela empresa em relação às forças competitivas que compreendem liderança pelo custo e parceria formal entre fornecedores e clientes. A estratégia da cadeia de valores está focada em marketing e vendas, pós venda e atendimento. Ressalta-se inclusive que, quanto à estratégia corporativa, o foco é a diversificação do empreendimento, por unanimidade. Quando a abordagem refere-se ao monitoramento de sua carteira de clientes, a mesma é realizada por meio de automação da força de vendas, , gerência de relacionamento de clientes, call-center, resposta eficiente de cliente e SAC (Serviço de atendimento ao cliente). O monitoramento dos concorrentes ocorre por meio de benchmarking, feiras, informativos, material de divulgação, folder, panfletos. CONSIDERAÇÕES FINAIS Observa-se que na atualidade, o crescimento e a expansão da informação bem como a necessidade de prospectar o conhecimento no intuito de se atingir bons resultados empresariais, emergem de maneira dinâmica nas organizações. Algumas facilidades neste contexto da era do conhecimento apoiaram as organizações, dentre elas, os sistemas de informação. O segmento têxtil apresenta-se como um ícone representativo da economia brasileira e mundial, e mais ainda, no ambiente estudado que foi a região do Litoral Norte de Santa Catarina, em que, grandes indústrias têxteis estão instaladas e consolidadas no mercado. Indústrias estas que foram o objeto de estudos e análises. Estas análises, por sua vez, trouxeram consenso de que um sistema de informação deve ser estratégico, tático e operacional para que a organização possa atingir seus objetivos. Os sistemas de informação para estas empresas representam, de acordo com a pesquisa efetuada e com a literatura consultada, que se torna uma vantagem competitiva, agregando valor ao processo e ao produto final. Tendo em vista esta propositura, observou-se na pesquisa que, em resumo, os fatores fundamentais na percepção de valor da informação e de um sistema de informação foram: análise de classe e perfil de clientes, gestão formal da organização, investimento na qualidade, nos produtos e nos serviços e também na marca. Neste sentido, os sistemas de informação foram desenvolvidos no intento de melhorar o fluxo de informações dentro das organizações. Permeando o contexto, vislumbra-se um braço apoiador na tomada de decisão, quanto ao desempenho perante o mercado, clientes, fornecedores, novos entrantes e os demais componentes dos stakeholders. Ainda enquanto considerações, percebe-se o quanto este segmento necessita de implementação do uso das ferramentas a que se dispõem através dos sistemas de informação, e mais que isso, torná-los operacionáveis, buscando treinar as pessoas, capacitar os líderes, e, mais que isso, efetivamente utilizar os sistemas, como o ERP, para as tomadas de decisão e planejamentos futuros e na gestão organizacional. REFERÊNCIAS ALBERTIN, A. L. Aumentando as chances de sucesso no desenvolvimento e implementação de sistemas de informação, Revista de Administração de Empresas. São Paulo, 36(3): ALBERTON, L.; LIMONGI, B.; KRUGER, N. Os reflexos da implementação de ERP em um escritório de contabilidade. In: CONGRESSO USP. Anais... São Paulo ALVES, J. M. MRP II e manufatura enxuta: vantagens, limitações e integração. In: XXI Encontro nacional de engenharia de produção. Anais... Salvador

15 BARKER, T.; FROLICK, M. N. ERP Implementation Failure: a Case Study. Information Systems Management, Fall, 43-49, BUCKHOUT, S.; FREY, E.; NEMEC JR., J. Por um ERP eficaz. HSM Management. p , set./out CARNEIRO, T. C. J, DIAS, D. S. Mudanças percebidas após a implantação de um sistema ERP. In: XXIV Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Anais... Santa Catarina, CARVALHO, R. B. et al. Fatores-chave na implantação de erps: estudo de um caso problemático em uma média indústria. Revista Eletronica de Sistemas de Informações. 2 (8): CASTRO, S. J. S. Caracterização da adopção de sistemas ERP nas grandes empresas portuguesas f. Dissertação ( Mestrado em Informática)- Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Vila Real, CORRÊA, H. L. ERPs: por que as implantações são tão caras e raramente dão certo? In: Simpósio de administração da produção, logística e operações industriais, 1. Anais... São Paulo: FGV-SP, p DALFOVO, O. Sistemas de informação: Estudos e Casos: o uso da informação pelos administradores e executivos que obtêm vantagem competitiva. Blumenau: Acadêmica, DEMPSEY, M. Pacote de ERP não resolve tudo. Gazeta Mercantil, In: Sistemas ERP no Brasil, Teoria e Casos, São Paulo, GAMBÔA, F. A. R, CAPUTO, M. S, BRESCIANI FILHO, E. T. Método para gestão de riscos em implementações de sistemas ERP baseado em fatores críticos de sucesso. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação. 1(1): GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, GOMES, C.; VANALLE, R. Aspectos Críticos para a Implantação de Sistemas ERP. In: Encontro Nacional da Engenharia de Produção. Anais... Salvador, HAIR, J. F. Jr, et. al. Fundamentos de métodos de pesquisa em administração. Porto Alegre: Bookman, HEIDRICH P. H. L. Contribuição do MRP na gestão estratégica da manufatura. In: II Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia HYPOLITO, C. M.; PAMPLONA, E. O. de. Sistemas de gestão integrada: conceitos e considerações em uma implantação, In: XIX Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Anais... Rio de Janeiro, JESUS R. G, OLIVEIRA M. O. F. Implantação de sistemas ERP: tecnologia e pessoas na implantação do sap r/3. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação 3(3): JUNGES, T. M. R. Análise de implantação de um sistema ERP através de um estudo de caso f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação Ciências Contábeis)- Centro Universitário Feevale, Novo Hamburgo, Krasner, Herb. Ensuring E-Business Success by Learning from ERP Failures. IEEE , LAUDON, K. C.; LAUDON, J. P. Gerenciamento de Sistemas de Informação. Rio de Janeiro: LTC, MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, MENDES, J. V.; ESCRIVÃO FILHO, E. O sistema integrado de gestão é fator de competitividade para as pequenas e médias empresas? Revista Uniara, (8):

16 MILTELLO, K. Quem precisa de um ERP? Revista Info Exame NASCIMENTO, F. P. Uma proposta metodológica para implantação de um ERP orientada à gestão de mudanças. Dissertação (Mestrado em Administração)- Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, NOGUEIRA, M. PESSOA, M. S. de P. ABE, J. M. Riscos na adoção do ERP. In: XI SIMPEP, Anais... São Paulo, OLIVEIRA, L. S. Um estudo sobre os principais fatores na implantação de sistemas ERP f. Dissertação (Mestre em Engenharia de Produção) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Ponta Grossa, OLIVEIRA, M. A. de, RAMOS, A, S, M. Fatores de sucesso na implementação de sistemas integrados de gestão empresarial (erp): estudo de caso em uma média empresa. In: XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Anais... Paraná, PACHECO, R.C.S. Florianópolis Material didático do nivelamento para a avaliação de conhecimentos 1 - Universidade Federal de Santa Catarina. PADILHA, T. C. C.; MARINS, F. A. S. Sistemas ERP: características, custos e tendências. Revista Produção, 15 (1): PINHEIRO, A. L. S. O sistema ERP e as organizações. Escola Superior de Gestão e Tecnologia Universidade Castelo Branco UCB. Curso Superior de Sistemas de Informação Campus Realengo ROCHA, S. A.; BROCHADO, M. R. Sistema integrado de gestão baseado em ERP: a inserção em empresas brasileiras. Artigo. Departamento de pesquisa e Pós-Graduação DEPPG, CEFET/RJ SOUZA, C. A. Analisando a gestão de sistemas ERP: Estudos de casos comparados. 46: SOUZA, C. A.; ZWICKER, R. Big-Bang, Small-Bangs ou Fases: Estudo dos Aspectos Relacionados ao Modo de Início de Operação de Sistemas ERP. 7(4): SOUZA, C. A.; ZWICKER, R. Ciclo de vida de sistemas ERP. Caderno de pesquisas em administração, São Paulo. 11 (8): 47-57, TAMAE. R. Y. et al. A importância de sistemas ERP nas empresas de médio e pequeno porte. Revista Científica Eletrônica de Sistemas de Informação. n WOOD JR. T. Modas e modismos gerenciais: o caso dos sistemas integrados de gestão. Série de Relatórios de Pesquisa, NPP, Núcleo de Pesquisas e Publicações. Escola de Administração de Empresas de São Paulo, FGV

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DE SISTEMAS ERP NAS EMPRESAS DE MÉDIO E PEQUENO PORTE REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - ISSN 1807-1872 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE C IÊNCIAS J URÍDICAS E G ERENCIAIS DE G ARÇA/FAEG A NO II, NÚMERO, 03, AGOSTO DE 2005.

Leia mais

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura

Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Diferenciais do ERP TECNICON: Um caso da área de manufatura Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Gustavo Gerlach (FAHOR) gg000675@fahor.com.br Édio Polacinski (FAHOR) edio.pk@gmail.com.br Resumo

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE PORTE DO RAMO TÊXTIL

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE PORTE DO RAMO TÊXTIL ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA ERP: CASO EMPRESA DE GRANDE

Leia mais

OS IMPACTOS DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING - ERP) EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

OS IMPACTOS DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING - ERP) EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS OS IMPACTOS DE IMPLEMENTAÇÃO DE SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO (ENTERPRISE RESOURCE PLANNING - ERP) EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SELMA MARIA DA SILVA (IFG) profasms@hotmail.com Sandrerley Ramos Pires (UFG)

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula

Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Faculdade Pitágoras de Uberlândia Pós-graduação Sistemas de Informação Gerenciais Primeira Aula Prof. Me. Walteno Martins Parreira Júnior www.waltenomartins.com.br Maio -2013 Bibliografia básica LAUDON,

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Leonardo C. de Oliveira1, Diogo D. S. de Oliveira1, Noemio C. Neto 1, Norberto B. de Araripe1, Thiago N. Simões1, Antônio L. M. S. Cardoso 1,2 1.Introdução

Leia mais

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CIÊNCIAS CONTÁBEIS e ADMINISTRAÇÃO Sistemas de Informação Gerencial SUPPLY CHAIN MANAGEMENT maio/2014 APRESENTAÇÃO Em um ambiente onde a mudança é a única certeza e o número de informações geradas é desmedido,

Leia mais

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM

FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM FUND DE SI SISTEMAS INTEGRADOS ERP SCM CRM 5/5/2013 1 ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING 5/5/2013 2 1 Os SI nas organizações 5/5/2013 3 Histórico Os Softwares de SI surgiram nos anos 60 para controlar estoque

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ADMINISTRAÇÃO ÁREA: SISTEMA DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ADMINISTRAÇÃO ÁREA: SISTEMA DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FATECS CURSO: ADMINISTRAÇÃO ÁREA: SISTEMA DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO OS IMPACTOS DE UM ERP NA GESTÃO DE PROCESSOS DE UMA ORGANIZAÇÃO LUAN MOREIRA CAMARGO

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Enterprise Resouce Planning ERP O ERP, Sistema de Planejamento de Recursos

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES

O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES O SISTEMA ERP E AS ORGANIZAÇÕES André Luís da Silva Pinheiro * Resumo: Este trabalho discutirá o impacto da implantação de um sistema do tipo ERP em uma empresa. Apresentaremos uma breve introdução de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas.

ERP é um sistema de gestão empresarial que gerencia as informações relativas aos processos operacionais, administrativos e gerenciais das empresas. Introdução Sistemas de Informação é a expressão utilizada para descrever um Sistema seja ele automatizado (que pode ser denominado como Sistema Informacional Computadorizado), ou seja manual, que abrange

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP

Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP ERP Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com

Sistema Integrado de Gestão ERP. Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Tecnologia da Informação. O que é TI? TI no mundo dos negócios Sistemas de Informações Gerenciais Informações Operacionais Informações

Leia mais

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação

E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação Capítulo 2 E-business: Como as Empresas Usam os Sistemas de Informação 2.1 2007 by Prentice Hall OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever as principais características das empresas que são importantes

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ERP - UMA VISÃO GERENCIAL DE CICLO DE VIDA DE IMPLANTAÇÃO Daniela Cristina Giorgetti Dantas UNIMEP Universidade Metodista de Piracicaba Mestrado Profissional em Sistemas de Informação

Leia mais

1. Introdução. 1.1. A história do ERP

1. Introdução. 1.1. A história do ERP 1. Introdução Podemos definir os sistemas ERP como sistemas de informação integrados na forma de um pacote de software que tem a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma organização. A

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house

ERP: Pacote Pronto versus Solução in house ERP: Pacote Pronto versus Solução in house Introdução Com a disseminação da utilidade e dos ganhos em se informatizar e integrar os diversos departamentos de uma empresa com o uso de um ERP, algumas empresas

Leia mais

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização

27/10/2011. Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização Visão do Papel Integrado dos SI Dentro de uma Organização 1 Tipos de SI Depende do tipo de apoio a ser oferecido Deve-se levar em consideração: Usuários operações (entrada +processamento + saída) destino

Leia mais

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO

Fasci-Tech SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO SISTEMA ERP: FATORES CRÍTICOS PARA O SUCESSO DE UMA IMPLANTAÇÃO Jorge Luiz Maria Junior 1 Profa. MSc. Rosangela Kronig 2 Resumo Através dos sistemas de informação, as organizações mundiais buscam práticas

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP)

ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP) ETAPAS PARA IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO EMPRESARIAL (ERP) Leandro Roberto Baran 1 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Ponta Grossa Brasil leandro.baran@pr.senai.br Ademir

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt

Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas. Prof Valderi R. Q. Leithardt Introdução sobre Implantação de Sistema ERP em Pequenas Empresas Prof Valderi R. Q. Leithardt Objetivo Esta apresentação tem por objetivo mostrar tanto os benefícios como as dificuldades da implantação

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial

Sistemas de Informação Empresarial. Gerencial Sistemas de Informação Empresarial SIG Sistemas de Informação Gerencial Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional ] [ Nível Organizacional ] Estratégico SAD Gerência sênior

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP Enterprise Resource Planning Pacote de ferramentas que integram toda a empresa, a grande vantagem é que os dados

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning

ERP Enterprise Resource Planning ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de Recursos da Empresa Sistema Integrado de Gestão Corporativa Prof. Francisco José Lopes Rodovalho 1 Um breve histórico sobre o surgimento do software ERP

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA

SISTEMA DE PROCESSAMENTO DE TRANSAÇÕES (SPT) PARADA OBRIGATÓRIA!!! SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) CONTEÚDO DA AULA PROF.ª MARCIA CRISTINA DOS REIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 14/08/2012 Aula 4 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (SPT, SIG e ERP) PARADA OBRIGATÓRIA!!! LEITURA DO LIVRO DO TURBAN, RAINER JR E POTTER Sistemas SPT p. 212

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa

ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa Centro Universitário de Barra Mansa UBM Curso de Administração Tecnologia da Informação Aplicada à Administração ERP (Enterprise Resource Planning) Planejamento dos Recursos da Empresa Prof. M.Sc. Paulo

Leia mais

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES

MBA ARQUITETURA DE INTERIORES MBA ARQUITETURA DE INTERIORES Coordenador: Carlos Russo Professor: Fábio Cavicchioli Netto, PMP 1 APRESENTAÇÃO DO PROFESSOR CONHECENDO OS PARTICIPANTES EXPECTATIVAS DO GRUPO 2 SUMÁRIO PMI / PMBoK / Certificados

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE.

A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. A IMPORTANCIA DO CUSTEIO NA CADEIA DE SUPRIMENTOS COMO VANTAGEM COMPETITIVA: CASO LOGÍSTICO EM MORRINHOS/CE. Jander Neves 1 Resumo: Este artigo foi realizado na empresa Comercial Alkinda, tendo como objetivo

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 03)

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 03) Prof. Breno Leonardo Gomes de Menezes Araújo brenod123@gmail.com http://blog.brenoleonardo.com.br ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO (AULA 03) 1 ERP Sistema para gestão dos recursos administrativos-financeiros,

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

O CRM e a TI como diferencial competitivo

O CRM e a TI como diferencial competitivo O CRM e a TI como diferencial competitivo Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Profº Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefetpr.br Profº Dr. Luciano Scandelari (UTFPR) luciano@cefetpr.br

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito

Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas Integrados de Gestão História e Evolução do Conceito Sistemas de Informação Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Evolução dos SI OPERACIONAL TÁTICO OPERACIONAL ESTRATÉGICO TÁTICO ESTRATÉGICO

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO ERP EM PEQUENAS EMPRESAS: UM CONFRONTO ENTRE O REFERENCIAL TEÓRICO E A PRÁTICA EMPRESARIAL

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO ERP EM PEQUENAS EMPRESAS: UM CONFRONTO ENTRE O REFERENCIAL TEÓRICO E A PRÁTICA EMPRESARIAL SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO ERP EM PEQUENAS EMPRESAS: UM CONFRONTO ENTRE O REFERENCIAL TEÓRICO E A PRÁTICA EMPRESARIAL Juliana Veiga Mendes Departamento de Ciência da Computação, Centro Universitário

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Aula 03 CLASSIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Na prática, não existe uma classificação rígida, permitindo aos autores e principalmente as empresas classificar seus sistemas de diversas maneiras. A ênfase

Leia mais

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio

Transformando seu investimento ERP em resultados para seu negócio 1 SUMÁRIO 1 2 3 4 Introdução A história do ERP O que um ERP fará pelo seu negócio? 1.1 - Otimização dos processos 1.2 - Gerenciamento completo 1.3 - Informações relevantes 1.4 - Controle Tributário ERP

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Adriana Beal, Eng. MBA Maio de 2001 INTRODUÇÃO À GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, Eng. MBA Maio de 2001 Apresentação Existe um consenso entre especialistas das mais diversas áreas de que as organizações bem-sucedidas no século XXI serão

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DA GESTÃO DE PROCESSOS EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados.

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados. MRP l SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAS Aula 3: Tipos de Sistemas informatizados. Material Requirement Planning Planejamento de requisição de materiais. Tecnológica e Organizacional décadas de 60 e 70

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web

Estratégias em Tecnologia da Informação. Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 09 Posição e Vantagem Competitiva Aplicações integradas Aplicações Web Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina

Leia mais

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações Carlos Campello Introdução Nos dias atuais existe a necessidade de constantes modificações das estratégias

Leia mais

Sistemas integrados de gestão ERP em pequenas empresas: um confronto entre o referencial teórico e a prática empresarial

Sistemas integrados de gestão ERP em pequenas empresas: um confronto entre o referencial teórico e a prática empresarial Sistemas integrados de gestão ERP em pequenas empresas: um confronto entre o referencial teórico e a prática empresarial Por: Juliana Veiga Mendes I ; Edmundo Escrivão Filho II No início da década de 90,

Leia mais

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO

PERSPECTIVA FUNCIONAL DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E TIPOS DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO CURSO: GESTÃO AMBIENTAL PROFESSOR: WENES SILVA DOS SANTOS ALUNOS: ANDRÉ VIANA CAVALCANTE, DANILO CARVALHO DE OLIVEIRA, GEISA MOREIRA DE SOUSA, FERNANDA MONTES, LIAMAR MONTES, PRISCILA CASTRO, RAIMUNDINHA

Leia mais

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX:

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP)

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Um sistema ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) é um pacote de software que tem por finalidade organizar, padronizar e integrar as

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras. Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de construção da vantagem competitiva em organizações 03/09/2008 Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia da Informaçao Sistema de Informação de Marketing: ferramenta de

Leia mais

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo

SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo SG FOOD (SISTEMA GERÊNCIAL DE LANCHONETES EM GERAL) JUNIOR, M. P.A.; MODESTO, L.R. Resumo A Tecnologia da Informação (TI) faz parte do cotidiano da sociedade moderna, mesmo as pessoas que não têm acesso

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 3.1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 3.1 2003 by Prentice Hall 3 ão, Organizações ões, Administração e Estratégia OBJETIVOS

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

A utilização de sistemas ERP voltados para Instituições de Ensino Superior Privadas

A utilização de sistemas ERP voltados para Instituições de Ensino Superior Privadas 2º Contecsi Congresso Internacional de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação / Internacional Conference on Information Systems and Technology Management 01-03 de Junho de 2005 São Paulo/SP Brasil

Leia mais