ANOMALIAS DO TRATO URINÁRIO UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANOMALIAS DO TRATO URINÁRIO UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL"

Transcrição

1 ANOMALIAS DO TRATO URINÁRIO UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL

2 Investigação Imagens

3 Anomalias obstrutivas do trato urinário Obstrução da junção ureteropélvica Obstrução da junção ureterovesical Ureterocele ectópica Válvula de uretra posterior Síndrome de prune-belly Bexiga neurogênica Atresia uretral

4 Anomalias não obstrutivas do trato urinário Refluxo vesicoureteral Megaureter primário Duplicação do sistema excretor Ureter ectópico

5 Casos referendados para UNP-HC-UFMG Freqüência de uropatias associadas à infecção urinária n = ITU não confirmada 6% outros 60% ITU 34% uropatas 66% sem uropatia 34% FONTE: Banco de dados da Unidade de Nefrologia Pediátrica - HC - UFMG

6 ASPECTOS DA ETIOPATOGÊNESE Uropatias associadas à infecção urinária n = 913 outros 34% OJUP 4% VUP 7% RVU 38% duplicação do trato urinário 8% bex. Neurogênica 9% FONTE: Banco de dados da Unidade de Nefrologia Pediátrica - HC - UFMG

7 Apresentação clínica US FETAL ITU MASSAS ABDOMINAIS PALPÁVEIS ALTERAÇÕES DO JATO URINÁRIO ALTERAÇÕES DA COLUNA LOMBO-SACRA

8 Ultra-sonografia fetal Ian Donald et al, Lancet, 1958

9 Ultra-sonografia do trato urinário fetal o primeiro relato de uma anomalia do trato urinário associada a hidronefrose ocorreu em 1975 Hidronefrose + megaureter + megabexiga Garret, Kossof & Osborn, 1975 in: Br. J. Obstet. Gynaecol.

10 Hidronefrose fetal Considera-se como hidronefrose fetal uma medida AP da pelve renal maior que 5 mm em qualquer idade gestacional D = diâmetro ântero-posterior da pelve renal

11 Achados ecográficos no pré-natal Hidronefrose isolada associada (megaureter, megabexiga, cistos) Doenças císticas Doença policística autossômica dominante Doença policística autossômica recessiva Rim multicístico Agenesia/hipoplasia renal

12

13 Principais uropatias Obstrução de junção ureteropélvica Válvula de uretra posterior Refluxo vésicoureteral

14 Obstrução ureteropélvica (OJUP) hidronefrose isolada unilateral Ureteres e bexiga normal LA volume normal

15 OBSTRUÇÃO DE JUNÇÃO URETEROPÉLVICA Apresentação clínica: hidronefrose fetal, ITU, dor abdominal Causa obstrutiva mais freqüente Pode ser intríseca e extrínseca Há relatos de melhora espontânea, sem cirurgia em 50 a 70% dos casos

16 OJUP: abordagem conservadora Neonato (1998) pelve 21 mm 6 meses (1998) pelve 17 mm 12 meses (1999) pelve 14 mm 2 anos (2000) pelve 10 mm

17 Válvula de uretra posterior É a mais grave uropatia obstrutiva A incidência estimada 1: nascidos vivos do sexo masculino

18 Válvula de uretra posterior

19

20 Válvula de uretra posterior tratamento pré-natal pig-tail

21

22 REFLUXO VESICOURETERAL

23 RVU: DOENÇA AUTOSSÔMICA DOMINANTE PENETRÂNCIA INCOMPLETA E EXPRESSÃO VARIÁVEL ESTUDOS HERANÇA DOMINANTE EM ALGUMAS FAMÍLIAS EM OUTRAS: PADRÃO POLIGÊNICO DESVIO NO LOCAL DE ORIGEM DO BROTO URETERAL

24 RVU: 1% POPULAÇÃO PEDIÁTRICA 30-40% das crianças com ITU USA: casos novos/ano RVU: associações: ITU Cicatrizes renais HAS DRC

25 DIAGNÓSTICO: URETROCISTOGRAFIA MICCIONAL CISTOGRAFIA RADIOISOTÓPICA DIRETA COMITÊ INTERNACIONAL ESTUDO REFLUXO: 5 GRAUS (ordem crescente gravidade) PRÁTICA CLÍNICA: LEVE (graus I e II) MODERADO (grau III) GROSSEIRO (graus IV e V)

26

27 DÉCADA DE 60: CIRURGIA REIMPLANTE URETERAL APÓS 1970: TRATAMENTO CONSERVADOR TRATAMENTO OBJETIVOS DO TRATAMENTO: PRESERVAR FUNÇÃO RENAL EVITAR LESÃO DO PARÊNQUIMA

28 TRATAMENTO CONSERVADOR QUIMIOPROFILAXIA (urina estéril / prevenção de ITU) CONSENSO: INICIALMENTE TRATAMENTO CONSERVADOR CORREÇÃO CIRÚRGICA: FALHAS CONTROLE ITU ATÉ HOJE ESTUDOS COM AMOSTRAGEM ALEATÓRIA: SEM DIFERENÇA SIGNIFICATIVA ENTRE OS DOIS

29

30 NEFROPATIA DO REFLUXO

31 Reconhecimento de pacientes de alto risco de lesão renal Correlação do grau de refluxo com o percentual de unidades renais com cicatrizes

32 NEFROPATIA DO REFLUXO RISCO DE DOENÇA RENAL CRÔNICA RISCO DE HIPERTENSÃO

33 DRC 10 anos após diagnóstico Até 1990: 10% após 1990: 2%

34

35 ABORDAGEM DO RVU RVU identificado em crianças e adolescentes com ITU hidronefrose fetal disfunção miccional rastreamento familiar Na admissão: completo exame físico avaliação laboratorial propedêutica de imagens

36 SÃO MOTIVOS DE PREOCUPAÇÃO: LESÕES (CICATRIZES) DISFUNÇÃO MICCIONAL GRAU ELEVADO DO RVU

37 ABORDAGEM DO RVU QUIMIOPROFILAXIA TRATAMENTO DA CONSTIPAÇÃO INTESTINAL TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO MICCIONAL OFERTA HÍDRICA

38 Resolução em 5 anos I-II: 55% III-V: 10%

39 Controle resolução RVU

40 CONCLUSÕES A ITU em crianças é um sinal de estase de urina Toda criança com ITU deve ser ter o trato urinário investigado por imagens Quanto mais nova (< 2 anos) maior o risco de presença de anomalia do trato urinário e de lesão renal Novos estudos são necessários para: Definir a melhor investigação Definir o tempo de profilaxia

41

42

Mal formações do trato urinário. Luciana Cabral Matulevic

Mal formações do trato urinário. Luciana Cabral Matulevic Mal formações do trato urinário Luciana Cabral Matulevic Refluxo Vésico-Ureteral Fluxo anormal de urina da bexiga para o trato urinário superior Achado isolado ou associado a outras malformações Causas

Leia mais

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO PEDIATRIA UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL

INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO PEDIATRIA UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO PEDIATRIA UNIDADE DE NEFROLOGIA PEDIÁTRICA HC - UFMG BELO HORIZONTE - BRASIL CAUSAS DE INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES o papel das uropatias/infecção urinária

Leia mais

tract in children: lessons from the last 15 years Michael Riccabona Pediatr Radiol (2010) 40:947 955

tract in children: lessons from the last 15 years Michael Riccabona Pediatr Radiol (2010) 40:947 955 Obstructive diseases of the urinary tract in children: lessons from the last 15 years Michael Riccabona Pediatr Radiol (2010) 40:947 955 Resumo A obstrução do tracto urinário é um problema frequente em

Leia mais

Megaureter: Diagnóstico e Tratamento

Megaureter: Diagnóstico e Tratamento Autoria: Sociedade Brasileira de Urologia Elaboração Final: 27 de junho de 2006 Participantes: Calado AA, Macedo Jr A, Streit D O Projeto Diretrizes, iniciativa conjunta da Associação Médica Brasileira

Leia mais

TRATAMENTO Figura 5. A Figura 3. Figura 6. Figura 4.

TRATAMENTO Figura 5. A Figura 3. Figura 6. Figura 4. O exame dinâmico para avaliar se a dilatação é conseqüente a obstrução é o Tc99DTPA com prova de diurético (furosemida). Quando a retenção desse radiofármaco for igual ou maior à 50% indica presença de

Leia mais

Hidronefrose na criança

Hidronefrose na criança ARTIGO DE REVISÃO Hidronefrose na criança Hydronephrosis in children Clécio Piçarro 1, José Maria Penido Silva 2, Eduardo Araújo Oliveira 3 DOI: 10.5935/2238-3182.20140039 RESUMO A hidronefrose é uma afecção

Leia mais

14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL

14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL 14. TERAPÊUTICA FETAL INVASIVA - CIRURGIA FETAL Com o desenvolvimento dos equipamentos de ultra-sonografia tornou-se possível o diagnóstico intra-útero de grande número de anomalias fetais, entretanto,

Leia mais

INFECÇÃO URINÁRIA. Denise Marques Mota FAMED 2011

INFECÇÃO URINÁRIA. Denise Marques Mota FAMED 2011 INFECÇÃO URINÁRIA Denise Marques Mota FAMED 2011 Conceito Multiplicação bacteriana em qualquer segmento do aparelho urinário Importância Segunda infecção bacteriana mais comum em crianças ( otite média

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 435/2014

RESPOSTA RÁPIDA 435/2014 RESPOSTA RÁPIDA 435/2014 SOLICITANTE Dra. Daniele Viana da Silva Juíza de Direito da comarca de Ervália NÚMERO DO PROCESSO 0013469 50.2014.8.13.0240 DATA 28 de julho de 2014 SOLICITAÇÃO Recebi um pedido

Leia mais

Hidronefrose Antenatal: Diagnóstico e Tratamento

Hidronefrose Antenatal: Diagnóstico e Tratamento Hidronefrose Antenatal: Diagnóstico e Tratamento Autoria: Sociedade Brasileira de Urologia Elaboração Final: 26 de junho de 2006 Participantes: Giron AM, Monti PR, Lara RC O Projeto Diretrizes, iniciativa

Leia mais

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário

Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES. Traumatismos. Urolitíase. Neoplasias. Infecções do trato t urinário CIRURGIAS DO OSS SISTEMA URINÁRIO Prof. Dr. João Moreira da Costa Neto Departamento de Patologia e Clínicas Escola de Medicina Vetrinária -UFBA Cirurgias do sistema urinário INDICAÇÕES Traumatismos Urolitíase

Leia mais

17 de Outubro de 2007. Professor Amphilophio. Trato urinário inferior

17 de Outubro de 2007. Professor Amphilophio. Trato urinário inferior 17 de Outubro de 2007. Professor Amphilophio. Trato urinário inferior A maioria dos estudos envolve contraste iodado intravenoso. O número de doenças é muito elevado e serão abordados tópicos principais.

Leia mais

Refluxo Vesicoureteral em Crianças

Refluxo Vesicoureteral em Crianças Refluxo Vesicoureteral em Crianças Refluxo Vesicoureteral em crianças O RVU (Refluxo vesicoureteral) é uma condição que se apresenta em crianças pequenas. Ao redor do 1% das crianças de todo o mundo tem

Leia mais

03/05/2012. Radiografia simples do abdome

03/05/2012. Radiografia simples do abdome Radiografia simples do abdome 3 1 Contrastados: Urografia Excretora Injeção EV Contraste iodado Opacificação: 1. Parênquima renal 2. Sistema coletor 3. Bexiga e uretra 4 Litíase urinária Caso cr Rx simples:

Leia mais

Infecção do Trato Urinário em Pediatria. Luciana Cabral Matulevic

Infecção do Trato Urinário em Pediatria. Luciana Cabral Matulevic Infecção do Trato Urinário em Pediatria Luciana Cabral Matulevic Importância Grande frequência Dificuldade no diagnóstico Comprometimento renal (IRC até 20%)* Hipertensão (20 a 40%)* * Clin Nephrol 1994;41:50-5;

Leia mais

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny

Infecções e inflamações do trato urinário, funçao sexual e reprodutiva Urologia Denny DATA hora AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 25/10/2013 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015.

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015. Recursos de estudo na Área do Aluno Site SJT Educação Médica Aula À La Carte Simulados Presenciais e on-line Cursos Extras Antibioticoterapia Prático SJT Diagnóstico por imagem Eletrocardiografia Revisão

Leia mais

Sinais e sintomas na avaliação renal

Sinais e sintomas na avaliação renal Sinais e sintomas na avaliação renal Prof. Dra Marcia Camegaçava Riyuzo Disciplina de Nefrologia Pediátrica Departamento de Pediatria FMB - UNESP Trato urinário Sintomas gerais História clínica Febre,

Leia mais

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho

Câncer de Próstata. Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho Câncer de Próstata Fernando Magioni Enfermeiro do Trabalho O que é próstata? A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Ela é um órgão muito pequeno, tem

Leia mais

COMPONENTE CURRICULAR - UROLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA - CRONOGRAMA DE ATIVIDADES PERÍODO: 8º - 2015.2 DIA ATIVIDADE/AULA PROFESSOR

COMPONENTE CURRICULAR - UROLOGIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA - CRONOGRAMA DE ATIVIDADES PERÍODO: 8º - 2015.2 DIA ATIVIDADE/AULA PROFESSOR FUNDAÇÃO BENEDITO PEREIRA NUNES CNPJ 28.964.252/0001-50 005.104.008/17.169 C.A.P. FACULDADE DE MEDICINA DE CAMPOS Av. Alberto Torres, 217 Centro Campos dos Goytacazes-RJ CEP 28 035-581 Telefone/Fax (22)

Leia mais

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL

Aulas teórica s PROFESSOR DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL DATA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR Aulas teórica s Amb. Sessão Avaliação ED Supervisão TOTAL 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 24/7/2015 Abdome Agudo

Leia mais

DILATAÇÕES URINÁRIAS FETAIS (DUF) Protocolo elaborado por Alexandra Matias, Helena Jardim e Carlos Mariz

DILATAÇÕES URINÁRIAS FETAIS (DUF) Protocolo elaborado por Alexandra Matias, Helena Jardim e Carlos Mariz DILATAÇÕES URINÁRIAS FETAIS (DUF) Protocolo elaborado por Alexandra Matias, Helena Jardim e Carlos Mariz INTRODUÇÃO A ecografia prénatal de rotina permite detectar precocemente dilatações do tracto urinário

Leia mais

Curso Anual Universitario de Medicina Familiar y Atención Primaria Infecções urinárias

Curso Anual Universitario de Medicina Familiar y Atención Primaria Infecções urinárias Infecções urinárias Dr.Eduardo Durante Dra. Karin Kopitowski Dr. Mario Acuña Objetivos Definir disúria e realizar os diagnósticos diferenciais. Realizar uma correta aproximação diagnóstica, Manejar adequadamente

Leia mais

Imagem da Semana: Cintilografia Renal c/99mtc

Imagem da Semana: Cintilografia Renal c/99mtc Imagem da Semana: Cintilografia Renal c/99mtc Imagem 01. Cintilografia Renal Estática Imagens (99mTc-DMSA) Paciente do sexo feminino, 10 anos de idade, apresenta enurese noturna, incontinência urinária

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI CAMPUS CENTRO OESTE Planilha de aulas - Internato em Cirurgia 1º semestre de 2015 DATA SALA HORA AULA PROGRAMADA MÓDULO PROFESSOR 6/2/2015 102. D 13:15-14:10 Tratamento

Leia mais

Objetivo. Exame contrastado Urografia Excretora. Indicações 15/04/2011. Anatomia. Contra-indicação. Preparo do paciente

Objetivo. Exame contrastado Urografia Excretora. Indicações 15/04/2011. Anatomia. Contra-indicação. Preparo do paciente Objetivo Exame contrastado Urografia Excretora É o estudo radiológico contrastado dos rins, ureteres e bexiga e necessita de um ótimopreparo intestinal, na véspera do exame. Indicações Anatomia Cálculo

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO

RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO RADIOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO Aspectos Radiográficos Normais de Rins e Ureteres Visualização variável da imagem renal quanto ao número, forma, contorno, tamanho, posição e densidade (intermediária entre

Leia mais

3- Prevenção da formação de novos cálculos. Aumentar ingestão hídrica limonada Diminuir ingestão de carnes e sal Exercício físico Evitar obesidade

3- Prevenção da formação de novos cálculos. Aumentar ingestão hídrica limonada Diminuir ingestão de carnes e sal Exercício físico Evitar obesidade 1- Nefrolitotomia (abertura do parênquima renal) 2- Pielolitotomia (abertura da pelve renal) 3- Ureterolitotomia (abertura do ureter) 4- Cistolitotomia (abertura da bexiga) 3- Prevenção da formação de

Leia mais

203 A. 16:30-17:20 Trauma cervical Clinica Cirúrgica Raphael 17:20-18:10 Queimaduras Clínica Cirúrgica Raphael

203 A. 16:30-17:20 Trauma cervical Clinica Cirúrgica Raphael 17:20-18:10 Queimaduras Clínica Cirúrgica Raphael CRONOGRAMA INTERNATO DE CIRURGIA 1º 2013 9º PERÍODO DATA/LOCAL HORÁRIO AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 24/5/2013 11:00-11:50 Lesões corporais Medicina Legal Andressa 11:50-12:40 Lesões corporais Medicina

Leia mais

Renal problems in black South African children

Renal problems in black South African children Renal problems in black South African children Peter D. Thomson Division of Pediatric Nephrology, University of the Witwatersrand, South Africa Pediatric Nephrology-1997, 508-512 Objetivo Descrever características

Leia mais

09/09/17. Imaging is not imagine" OBJETIVOS. Métodos de Imagem. Métodos de Imagem. Currículo para graduação Soc. Europeia de Radiologia

09/09/17. Imaging is not imagine OBJETIVOS. Métodos de Imagem. Métodos de Imagem. Currículo para graduação Soc. Europeia de Radiologia Currículo para graduação Soc. Europeia de Radiologia Métodos de imagem na nefro/uropa7as RCG 327 Aula 1 2017 OBJETIVOS Imaging is not imagine" Descrever a anatomia e fisiologia normais do retroperitoneo,

Leia mais

SCIH PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO - ITU

SCIH PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO - ITU M Pr02 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO A infecção do trato urinário relacionada à assistência à saúde (ITU-RAS) no adulto

Leia mais

PROTOCOLO SOBRE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO (ITU)

PROTOCOLO SOBRE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO (ITU) 1 DIAGNÓSTICO PRINCIPAL (CID10) PROTOCOLO SOBRE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO (ITU) N39.0 Infecção do trato urinário de localização não especificada N11.0 Pielonefrite não-obstrutiva crônica associada a refluxo

Leia mais

PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA

PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA PREVENÇÃO DA INFEÇÃO URINÁRIA i Enf.ª Alda Maria Cavaleiro de Melo Enfermeira Especialista em Enfermagem de Reabilitação Serviço de Neurologia Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra EPE PREVENÇÃO

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento:

CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2. Motivos para encaminhamento: CONSULTA EM UROLOGIA - GERAL CÓDIGO SIA/SUS: 03.01.01.007-2 Motivos para encaminhamento: 1. Alterações no exame de urina (urinálise) 2. Infecção urinária de repetição 3. Litíase renal 4. Obstrução do trato

Leia mais

DISCIPLINA DE RADIOLOGIA APARELHO URINÁRIO

DISCIPLINA DE RADIOLOGIA APARELHO URINÁRIO Revisão de anatomia: DISCIPLINA DE RADIOLOGIA APARELHO URINÁRIO Os rins estão situados no retroperitônio, na chamada loja renal, que, além do rim, é composto pelo o espaço perirrenal, contendo gordura

Leia mais

PROTOCOLOS RAIO-X CONTRASTADOS

PROTOCOLOS RAIO-X CONTRASTADOS Pg. Página 1 de 14 ÍNDICE PROTOCOLO DE ENEMA OPACO... 2 PROTOCOLO DE ESOFAGOGRAMA... 4 PROTOCOLO DE ESTUDO DE ESÔFAGO-ESTÔMAGO E DUODENO (EED)... 5 PROTOCOLO DE ESTUDO DE ESÔFAGO-ESTÔMAGO PÓS GASTROPLASTIA...

Leia mais

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do Trato Urinário. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea

PROTOCOLO MÉDICO. Assunto: Infecção do Trato Urinário. Especialidade: Infectologia. Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea PROTOCOLO MÉDICO Assunto: Infecção do Trato Urinário Especialidade: Infectologia Autor: Cláudio C Cotrim Neto-Médico Residente e Equipe Gipea Data de Realização: 23/03/2009 Data de Revisão: Data da Última

Leia mais

DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR

DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR DATA hora SALA AULA PROGRAMADA Módulo PROFESSOR 14:00-14:55 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica João Marcos 14:55-15:50 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica

Leia mais

Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG RESUMO

Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG RESUMO Artigo Original Estudo Retrospectivo de Coorte de 739 Crianças Com Refluxo Vesicoureteral Primário Retrospective Cohort Study of 739 Children With Primary Vesicoureteral Reflux José Maria Penido Silva

Leia mais

INTESTINO GROSSO 29/03/2017 INTESTINO GROSSO INTESTINO GROSSO. Ceco, cólon, reto e canal anal Ceco canino saca-rolha ; C

INTESTINO GROSSO 29/03/2017 INTESTINO GROSSO INTESTINO GROSSO. Ceco, cólon, reto e canal anal Ceco canino saca-rolha ; C PROFA. DRA. JULIANA PELOI VIDES Ceco, cólon, reto e canal anal Ceco canino saca-rolha ; C normalmente contém gás intraluminal Ceco felino difícil visualização, curto Cólon: Ascendente Transversa Descendente

Leia mais

INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO

INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO INFECÇÃO URINÁRIA NO ADULTO INTRODUÇÃO ITU invasão por microorganismos que desencadeiam resposta inflamatória. Bactérias que atingem via ascendente, hematogência ou linfática Cistite : mucosa vesical -

Leia mais

As principais causas de diabetes insípidus central são tumores que acometem a região hipotalâmica hipofisária, como por exemplo:

As principais causas de diabetes insípidus central são tumores que acometem a região hipotalâmica hipofisária, como por exemplo: Diabetes insípidus O que é Diabetes insípidus? Diabetes insípidus consiste em um distúrbio de controle da água no organismo, no qual os rins não conseguem reter adequadamente a água que é filtrada. Como

Leia mais

João Marcos + Raphael + Aisha + Clarissa + Tiago + Marcelo

João Marcos + Raphael + Aisha + Clarissa + Tiago + Marcelo DATA HORA AULA PROGRAMADA SALA MÓDULO PROFESSOR 05/02/2016 13:15 Abdome Agudo - inflamatório e obstrutivo Clínica Cirúrgica 14:10 Abdome Agudo - perfurativo e vascular/hemorrágico Clínica Cirúrgica 15:25

Leia mais

TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO

TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO TUMORES GIGANTES DE OVÁRIO Os autores apresentam três casos de Tumores Gigantes de Ovário, sendo um com alto grau de malignidade (Linfoma do tipo Burkitt), dois benignos (Cisto Seroso e Teratoma), porém

Leia mais

REFLUXO VESICOURETERAL: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO

REFLUXO VESICOURETERAL: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Alterações no Trato Urinário

Alterações no Trato Urinário Alterações no Trato Urinário PPCSA Profª Daniele C D Zimon Profª Adriana Cecel Guedes Aparelho Urinário Rim Infecções do Trato Urinário As infecções do trato urinário (ITUs) são causadas por micoorganismos

Leia mais

GUSTAVO DE PAULA PEREIRA

GUSTAVO DE PAULA PEREIRA GUSTAVO DE PAULA PEREIRA Acompanhamento ultrassonográfico, análise da evolução das pieloectasias fetais leves bilaterais e proposta de seguimento pré-natal Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina

Leia mais

FUNÇÃO RENAL ACADÊMICO JOSÉ DE OLIVEIRA RODRIGUES

FUNÇÃO RENAL ACADÊMICO JOSÉ DE OLIVEIRA RODRIGUES ACADÊMICO JOSÉ DE OLIVEIRA RODRIGUES A função renal é formada por um conjunto de órgãos que filtram o sangue, produzem e excretam a urina. É constituída por um par de rins, um par de ureteres, pela bexiga

Leia mais

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES.

8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:30 8:45 INTERVALO VISITA AOS EXPOSITORES E PATROCINADORES. MAPA AUDITÓRIO ÓPERA DE ARAME (200 LUGARES) DOMINGO 02 DE AGOSTO DE 2015. 8:00 Horas Sessão de Temas Livres concorrendo a Premiação. 8:00 8:15 TEMA LIVRE SELECIONADO. 8:15 8:30 TEMA LIVRE SELECIONADO.

Leia mais

INFECÇÃO URINÁRIA. BIBLIOGRAFIA: EXAME DE URINA E PATOLOGIAS ASSOCIADAS Nadilson Cunha

INFECÇÃO URINÁRIA. BIBLIOGRAFIA: EXAME DE URINA E PATOLOGIAS ASSOCIADAS Nadilson Cunha INFECÇÃO URINÁRIA BIBLIOGRAFIA: EXAME DE URINA E PATOLOGIAS ASSOCIADAS ÍNDICE Epidemiologia Sintomatologia Etiologia Diagnóstico Diagnóstico diferencial Fatores facilitadores Refluxo Vésico Uretral (RVU)

Leia mais

Módulo 1 ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA CÓLICA RENAL 3 OBSERVAÇÃO 4 OPÇÕES TERAPÊUTICAS

Módulo 1 ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA CÓLICA RENAL 3 OBSERVAÇÃO 4 OPÇÕES TERAPÊUTICAS ABORDAGEM E OPÇÕES TERAPÊUTICAS NO DOENTE COM LITÍASE RENAL Módulo 1 Palestrante: Dr. Luis Miguel Abranches Monteiro Urologia Moderador: Prof. Carlos Martins Medicina Geral e Familiar 01 Abril 2017 URO/2017/0010/PTp,

Leia mais

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA

PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA PREVENÇÃO DE INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA ÀSONDA VESICAL: UMA ABORDAGEM PRÁTICA IRAS As infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS) consistem em eventos adversos ainda persistentes nos

Leia mais

PATOLOGIAS DA PRÓSTATA. Prostata

PATOLOGIAS DA PRÓSTATA. Prostata AULA PREPARADA POR: PATOLOGIAS DA PRÓSTATA Prostata A próstata é um órgão interno que só o homem possui; tem a forma de uma maçã muito pequena, e fica logo abaixo da bexiga. ANATOMIA Tem o tamanho aproximado

Leia mais

14/4/2015. Quando as bactérias entram nos rins ou na bexiga urinária, se multiplicam na urina e causam ITU. As ITU inferiores incluem:

14/4/2015. Quando as bactérias entram nos rins ou na bexiga urinária, se multiplicam na urina e causam ITU. As ITU inferiores incluem: UNESC FACULDADES ENFERMAGEM NEFROLOGIA PROFª FLÁVIA NUNES A infecção do trato urinário (ITU) é a infecção ou colonização do trato urinário (rins, ureteres, bexiga e uretra) por microorganismos. A infecção

Leia mais

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges

RADIOGRAFIA ABDOMINAL. Profª Drª Naida Cristina Borges RADIOGRAFIA ABDOMINAL Profª Drª Naida Cristina Borges Produção de Radiografias Diagnósticas Preparo adequado jejum/enema Pausa da inspiração evita o agrupamento das vísceras Indicações para a Radiologia

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA ABDOMINAL E CARDIOPATIA CONGÊNITA

ULTRASSONOGRAFIA ABDOMINAL E CARDIOPATIA CONGÊNITA ULTRASSONOGRAFIA ABDOMINAL E CARDIOPATIA CONGÊNITA ROSA, Rafael Fabiano Machado; ROSA, Rosana Cardoso Manique; FLORES, José Antônio Monteiro; GOLENDZINER, Eliete; ZEN, Paulo Ricardo Gazzola; PASKULIN,

Leia mais

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen.

XVI Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalasen. XVI Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalasen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO 1 Paciente: M. G. A., 38 anos, sexo feminino. Queixa: Infecção do trato urinário de repetição. Realizou ultrassonografia

Leia mais

URO-ONCOLOGIA( CÂNCER UROLÓGICO) A.Câncer de Pênis. Fernando da Rocha Camara

URO-ONCOLOGIA( CÂNCER UROLÓGICO) A.Câncer de Pênis. Fernando da Rocha Camara URO-ONCOLOGIA( CÂNCER UROLÓGICO) A.Câncer de Pênis O pênis, no ser humano é motivo de orgulho, e às vezes motivo de vergonha. Quando a pessoa imagina que o mesmo seja pequeno, chega a evitar contatos sexuais

Leia mais

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS

CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS CRESEMS, CISCOPAR e 20ª. Regional de Saúde Toledo PR PROTOCOLOS CLÍNICOS ESPECIALIZADOS NEFROLOGIA Pré-requisitos: História clínica detalhada; Exame físico completo; Exames complementares essenciais conforme

Leia mais

Consiste na introdução de um cateter estéril via uretral até a bexiga para esvaziamento e controle da diurese.

Consiste na introdução de um cateter estéril via uretral até a bexiga para esvaziamento e controle da diurese. PÁG:1 CONCEITO Consiste na introdução de um cateter estéril via uretral até a bexiga para esvaziamento e controle da diurese. FINALIDADE - Promover a drenagem urinária. -Realizar o controle rigoroso do

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO

LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO 1. Este caderno é constituído de 40 questões assim distribuídas: Conhecimentos Gerais, de 01 a 12; e Conhecimentos Específicos, de 13 a 40. 2. Caso o caderno esteja

Leia mais

I. APARELHO URINÁRIO E GENITAL

I. APARELHO URINÁRIO E GENITAL Ecografia Clínica para Gastrenterologistas - Curso Prático 2014 I. APARELHO URINÁRIO E GENITAL Ana Nunes* A ultra-sonografia do rim e aparelho urinário é um método importante na abordagem diagnóstica da

Leia mais

www.estrategiaconcursos.com.br

www.estrategiaconcursos.com.br 01. Sabe-se que a esteatose hepática é resultante de depósito intracelular de triglicerídeo no hepatócitos e seu aspecto ultra-sonográfico já é bastante conhecido. Qual das questões abaixo é a mais correta

Leia mais

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes.

Pâncreas. Pancreatite aguda. Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pâncreas Escolha uma das opções abaixo para ler mais detalhes. Pancreatite aguda Pancreatite crônica Cistos pancreáticos Câncer de Pancrêas Pancreatite aguda O pâncreas é um órgão com duas funções básicas:

Leia mais

Como escolher um método de imagem? - Dor abdominal. Aula Prá:ca Abdome 1

Como escolher um método de imagem? - Dor abdominal. Aula Prá:ca Abdome 1 Como escolher um método de imagem? - Dor abdominal Aula Prá:ca Abdome 1 Obje:vos Entender como decidir se exames de imagem são necessários e qual o método mais apropriado para avaliação de pacientes com

Leia mais

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA

ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA ENFRENTAMENTO DA OBESIDADE ABORDAGEM TERAPÊUTICA Obesidade 300 mil mortes / ano; 100 bi dólares / ano; O excesso de peso (IMC >25) acomete de 15% a 60% da população de todos os países civilizados. EUA...

Leia mais

Doença renal crônica na infância. Definição, epidemiologia e alerta para o diagnóstico. Autor Vera Maria Santoro Belangero. Nefrologia Pediátrica

Doença renal crônica na infância. Definição, epidemiologia e alerta para o diagnóstico. Autor Vera Maria Santoro Belangero. Nefrologia Pediátrica Doença renal crônica na infância Definição, epidemiologia e alerta para o diagnóstico Autor Vera Maria Santoro Belangero Nefrologia Pediátrica Departamento de Pediatria Faculdade de Ciências Médicas -

Leia mais

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Padrão de herança citoplasmático A mitocôndria é uma organela da célula que contém um filamento de ácido desoxiribonucléico (DNA) próprio,

Leia mais

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS Leia o código e assista a história de seu Fabrício Agenor. Este é o seu Fabrício Agenor. Ele sempre gostou de comidas pesadas e com muito tempero

Leia mais

Infecção Urinária e Gestação

Infecção Urinária e Gestação I ENCONTRO DA REDE MÃE PARANAENSE Infecção Urinária e Gestação Marcos Takimura UFPR/UniPositivo/HT-SESA Modificações Fisiológicas do Aparelho Urinário na Gestação Compressão mecânica do útero gravídico

Leia mais

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS

DOENÇAS DA PRÓSTATA. Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS DOENÇAS DA PRÓSTATA Prof. João Batista de Cerqueira Adjunto DSAU - UEFS O QUE É A PRÓSTATA? A próstata é uma glândula que tem o tamanho de uma noz, e se localiza abaixo da bexiga, envolvendo a uretra masculina.

Leia mais

Diagnóstico de endometriose

Diagnóstico de endometriose Diagnóstico de endometriose Endometriose se caracteriza pelo achado de glândulas e/ou estroma endometrial em locais anormais. Acomete aproximadamente 15% das mulheres em idade fértil tornando-se uma doença

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO: Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: Fisioterapia Uroginecológica e Obstetrica SÉRIE: 4º. Ano PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

Infecção do trato urinário em crianças e adolescentes à luz da evidência clínica. Kênio Ferreira Valadares

Infecção do trato urinário em crianças e adolescentes à luz da evidência clínica. Kênio Ferreira Valadares Infecção do trato urinário em crianças e adolescentes à luz da evidência clínica Kênio Ferreira Valadares Academia de Ciência e Tecnologia ACT. São José do Rio Preto SP. Curso de Pós-Graduação de especialização

Leia mais

REUNIÕES DE CONSENSOS E DIRETRIZES SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA SBU 2005

REUNIÕES DE CONSENSOS E DIRETRIZES SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA SBU 2005 REUNIÕES DE CONSENSOS E DIRETRIZES SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA SBU 2005 REUNIÕES DE CONSENSOS E DIRETRIZES SOCIEDADE BRASILEIRA DE UROLOGIA SBU 2005 Coordenação Walter José Koff Ronaldo Damião Fabrício

Leia mais

Megaureter e Refluxo Vésico-ureteral

Megaureter e Refluxo Vésico-ureteral Megaureter e Refluxo Vésico-ureteral Francisco Tibor Dénes Professor Livre Docente Chefe da Unidade de Uropediatria Divisão de Urologia-HCFMUSP HCFMUSP URO Megaureter Definição Dilatação e tortuosidade

Leia mais

Sistema urinário. Sistema urinário. Rins localização. urinário

Sistema urinário. Sistema urinário. Rins localização. urinário Sistema urinário Sistema urinário urinário Rins remoção de produtos residuais, regula composição do plasma, função hormonal (renina, eritropoietina). Rins localização Ureteres -condução da urina Bexiga

Leia mais

Diagnóstico pré-natal de malformações nefro-urológicas

Diagnóstico pré-natal de malformações nefro-urológicas Diagnóstico pré-natal de malformações nefro-urológicas Paula Matos Curso de Inverno SPP, Março 2012 As malformações urológicas são a patologia fetal mais detectada nas ecografias obstétricas incidência

Leia mais

DISCIPLINA DE RADIOLOGIA UFPR MÓDULO ABDOME AULAS 3 e 4 APARELHO GENITOURINÁRIO

DISCIPLINA DE RADIOLOGIA UFPR MÓDULO ABDOME AULAS 3 e 4 APARELHO GENITOURINÁRIO DISCIPLINA DE RADIOLOGIA UFPR MÓDULO ABDOME AULAS 3 e 4 APARELHO GENITOURINÁRIO Prof. Mauricio Zapparoli Neste texto faremos uma revisão da avaliação por imagem das principais patologias do aparelho urinário,

Leia mais

Prof. Dr. José O Medina Pestana. Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo

Prof. Dr. José O Medina Pestana. Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo INSUFICIÊNCIA RENAL AGUDA APÓS O TRANSPLANTE Prof. Dr. José O Medina Pestana Hospital do Rim e Hipertensão Disciplina de Nefrologia, Universidade Federal de São Paulo FUNÇÃO RETARDADA DO ENXERTO RENAL

Leia mais

Aspectos atuais no diagnóstico e abordagem da infecção do trato urinário

Aspectos atuais no diagnóstico e abordagem da infecção do trato urinário ARTIGO DE REVISÃO Aspectos atuais no diagnóstico e abordagem da infecção do trato urinário Current aspects in the diagnosis and approach to urinary tract infection José Maria Penido Silva 1, Mônica Maria

Leia mais

V Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE

V Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE V Congresso de Iniciação Científica do IAMSPE São Paulo 17/11/2011 Estudo genético da síndrome de Birt- Hogg-Dubé (variante Hornstein- Knickenberg) Bolsista: Sergio Aparecido do Amaral Junior (Faculdade

Leia mais

HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica

HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica HM Cardoso Fontes Serviço o de Cirurgia Geral Sessão Clínica 22/07/04 Anastomoses Bilio-digestivas Intra-hep hepáticas em Tumores da Convergência Diego Teixeira Alves Rangel Tratamento Paliativo em 10

Leia mais

PATOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO

PATOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO PATOLOGIA DO SISTEMA URINÁRIO Prof. Raimundo Alberto Tostes Curso de Medicina Veterinária Universidade Federal do Paraná Doença Tubular Necrose Tubular Nefrotóxica Substância Nefrotóxica Exógena Antibióticos/Antifúngios

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 87. Um paciente com ejaculação retrógrada decorrente de incisão prévia do colo vesical é mais bem tratado por:

PROVA ESPECÍFICA Cargo 87. Um paciente com ejaculação retrógrada decorrente de incisão prévia do colo vesical é mais bem tratado por: 11 PROVA ESPECÍFICA Cargo 87 QUESTÃO 26 Um paciente com ejaculação retrógrada decorrente de incisão prévia do colo vesical é mais bem tratado por: a) Imipramina. b) Inseminação com sêmen de doador. c)

Leia mais

Epidemiologia DIABETES MELLITUS

Epidemiologia DIABETES MELLITUS Epidemiologia DIABETES MELLITUS 300 milhões / mundo ( 5,9% população adulta) / Brasil : > 10 milhões Aumento progressivo : Longevidade, Síndrome metabólica Mortalidade anual : 3,8 milhões AVC, IAM... Amputação

Leia mais

Litíase urinária- Identificação dos grupos de risco e tratamento. Humberto Lopes UFJF II Encontro de Urologia do Sudeste - BH

Litíase urinária- Identificação dos grupos de risco e tratamento. Humberto Lopes UFJF II Encontro de Urologia do Sudeste - BH - Identificação dos grupos de risco e tratamento Humberto Lopes UFJF II Encontro de Urologia do Sudeste - BH 11% homens X 5,6% mulheres Brancos X negros Oxalato de cálcio 80% Recorrência 40% 5 anos, 75%

Leia mais

Saúde da Próstata. XXX Ciclo de Debate Município Saudável Envelhecimento Ativo. Claudio B. Murta

Saúde da Próstata. XXX Ciclo de Debate Município Saudável Envelhecimento Ativo. Claudio B. Murta Divisão de Clínica Urológica Saúde da Próstata XXX Ciclo de Debate Município Saudável Envelhecimento Ativo Claudio B. Murta Médico Urologista Coordenador do Centro de Referência do Homem Hospital de Transplantes

Leia mais

EQ _ REFLUXO VESICOURETERAL. Estudo em 17 Casos Círurgicos. Antônio Serafim Venzon* UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

EQ _ REFLUXO VESICOURETERAL. Estudo em 17 Casos Círurgicos. Antônio Serafim Venzon* UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CL,/ _,»'\, 1/19 (fm / Ú A ` Ê, 0 /u/ EQ _ o_.)a,_ )Q J ë'âí?4\ REFLUXO VESICOURETERAL Estudo em 17 Casos Círurgicos Realizado por: Ademir Schlíndwein* Antônio Serafim Venzon* Rogério João Machado* * Acadêmico

Leia mais

Capacitação sobre as LG de HAS, DM e DRC. Capacitação sobre as Linhas Guia de HAS e DM -DRC-

Capacitação sobre as LG de HAS, DM e DRC. Capacitação sobre as Linhas Guia de HAS e DM -DRC- Capacitação sobre as LG de HAS, DM e DRC Capacitação sobre as Linhas Guia de HAS e DM -DRC- Modelo conceitual para DRC Antecedentes potenciais da DRC Estágios da DRC Consequências da DRC Complicações Normal

Leia mais

Você foi avisado pelo doutor que cuida do seu problema renal que você tem nefropatia por IgA?

Você foi avisado pelo doutor que cuida do seu problema renal que você tem nefropatia por IgA? INFORMAÇÃO para pacientes e suas famílias Você foi avisado pelo doutor que cuida do seu problema renal que você tem nefropatia por IgA? Se a resposta é sim, as informações a seguir devem lhe ajudar a compreender

Leia mais