SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE"

Transcrição

1 III Congresso Consad de Gestão Pública SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Marcel Pacano Marco Tulio Marçal Pinto Fabio Aurélio da Silveira Nunes

2 Painel 25/099 Tecnologia da informação e ferramentas aplicadas às compras SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES (SIGA): TRANSFORMAÇÃO DA LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO Marcel Pacano Marco Tulio Marçal Pinto Fabio Aurélio da Silveira Nunes RESUMO O projeto consiste em promover uma verdadeira transformação nas áreas de Suprimentos e Logística do Governo do Rio de Janeiro, abrangendo mudanças nos processos, estrutura organizacional e tecnologias nos 76 órgãos e entidades do Estado. Com a implantação do SIGA, será possível automatizar e controlar todo o processo de aquisição e logística do Governo do RJ, promovendo otimização de custos e sinergias operacionais. Para isso, além dos módulos de Suprimentos e Logística, será implantado o BI (Business Intelligence), por meio do qual o Governo do RJ terá informações relevantes para tomada de decisão e planejamento estratégico. Inovação e Benefícios Redução do tempo global dos processos de compras na ordem de 40% Redução de custos na ordem de 15%, representando uma economia de até R$ 600 milhões por ano Resgate da credibilidade do Estado junto aos fornecedores Redução significativa de compras por dispensa e inexigibilidade Otimização da utilização de recursos humanos em processos logísticos Banco único de informações, totalmente padronizado e normatizado Painel de Indicadores com visão única de estado em Logística Integrada, com transparência e controle.

3 SUMÁRIO RESUMO DO TRABALHO CONTEXTO E DESAFIOS OBJETIVOS E ESTRUTURA DO PROJETO ABORDAGEM BENEFÍCIOS ESPERADOS O PROJETO SIGA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES CONTEXTO E DESAFIOS ABORDAGEM Gestão de catálogo Gestão de fornecedores Banco de preços Aquisições eletrônicas Gestão de contratos Gestão de estoques Gestão de indicadores TRANSFORMAÇÃO ORGANIZACIONAL, PROCESSOS E TECNOLOGIAS Organização funcional no nível central Organização funcional no nível local Treinamento e capacitação Suporte NORMATIZAÇÃO DO NOVO MODELO BENEFÍCIOS ESPERADOS FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO...37 CONCLUSÃO... 38

4 3 RESUMO DO TRABALHO CONTEXTO E DESAFIOS O Governo do Rio de Janeiro, ao longo da atual gestão, vem realizando uma verdadeira transformação em suas estruturas operacionais e estratégicas, a fim de reduzir gastos e prestar um serviço de qualidade aos cidadãos do Estado. A busca pela eficiência na função Logística de Suprimentos levou à necessidade da implantação do conceito de Fábrica de Compras. Este conceito adota um modelo de Estado padronizado por meio de uma ferramenta moderna - via web-, a qual possibilita maior controle e visibilidade dos processos. A SEPLAG, para viabilizar esta transformação, buscou no mercado as soluções disponíveis e realizou a contratação de um consórcio, formado pelas empresas Accenture e M2M Digital..

5 4 OBJETIVOS E ESTRUTURA DO PROJETO Padronizar e Racionalizar Processos, Organização e Tecnologia de Suprimentos e Logística nos mais de oitenta órgãos e entidades do Governo do Estado do Rio de Janeiro; Implantar melhores práticas de gestão para compras, registros de preços, contratos, estoques, fornecedores, catálogo de itens e banco de preços; Dar visibilidade e controle dos processos por meio de Painel de Indicadores e ferramenta de Business Intelligence; e Gerar economia no Custo Total de Aquisição, dando maior agilidade e transparência dos processos de compra e reduzindo as perdas nos recursos logísticos. A figura abaixo esquematiza a estrutura do projeto, mostrando a relação do Sistema Público com o meio externo:

6 5 ABORDAGEM O projeto consiste em promover uma verdadeira transformação na área de Logística de Suprimentos do Governo do Estado do Rio de Janeiro, abrangendo mudanças nos processos, estrutura organizacional e tecnologias. Com a implantação do SIGA, será possível automatizar e controlar todos os processos de compras dos órgãos e entidades do Governo, promovendo racionalização de procedimentos e sinergias operacionais. Para isso, além do módulo de Compras, será implantado o Business Intelligence (BI), através do qual o Governo terá informações relevantes para tomada de decisões e planejamento estratégico. SIGA Portal Público (Fornecedores / Cidadãos) Catálogo de Itens Banco de Preços Suprimentos e Logística Administração do Sistema Fornecedores Requisição de Compra Aprovação da Requisição Criação do Processo Pesquisa de Mercado Planejamento de Despesa Aprovação do Processo Criação do Edital ou Dispensa Aprovação Jurídica Publicação do Edital ou Dispensa Execução da Licitação ou Dispensa Homologação Registro de Preços CONTRATOS ESTOQUES Integração ORÇAMENTO FINANCEIRO CONTABILIDADE Painel de Indicadores (Business Intelligence) As principais competências em suprimentos que o novo modelo estrutura- Gestão do Catálogo de Materiais e Serviços; Gestão do Cadastro de Fornecedores; Implantação e Gestão do Banco de Preços; Implantação de processos de aquisição de forma eletrônica; Gestão de Contratos; Gestão de Estoques; e Gestão de Indicadores. se são:

7 6 Em todas essas competências são analisadas as dimensões de processos, organização e tecnologia, com o objetivo de garantir a utilização das melhores práticas de mercado e fortalecer as estruturas de suporte e gestão da cadeia de suprimentos. Também são realizados treinamentos intensivos com os usuários do SIGA e planos de comunicação corporativos, bem como normatização do modelo por meio de decretos, resoluções e portarias, a fim de garantir a aderência e minimizar a resistência às mudanças.

8 7 BENEFÍCIOS ESPERADOS Os benefícios esperados a partir da implantação do projeto englobam: Redução do tempo global dos processos de compras na ordem de 40%; Redução dos gastos, representando uma economia de até R$ 600 milhões por ano; Resgate da credibilidade do Estado junto aos fornecedores; Redução de compras por dispensa e inexigibilidade de licitação; Dinamização do emprego de recursos humanos nos processos logísticos; Banco único de informações, totalmente padronizado e normatizado; Visão única do Estado em Logística de Suprimentos, com transparência e controle; e Integração multiplataforma com os sistemas de gestão e de administração pública.

9 8 O PROJETO SIGA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE AQUISIÇÕES CONTEXTO E DESAFIOS O Governo do Rio de Janeiro, ao longo da atual gestão, vem realizando uma verdadeira transformação em suas estruturas operacionais e estratégicas, a fim de reduzir gastos e prestar um serviço de qualidade aos cidadãos do Estado. No ano de 2007, foram gastos no Estado aproximadamente R$ 2,6 bilhões com aquisição de bens e serviços comuns, distribuídos nas modalidades de compra da seguinte forma: Milhões R$ 39 2% R$ 45 2% R$ % R$ % R$ % Carta convite Tomada de Preço Concorrência Inexigibilidade Dispensa Pregão R$ % Fonte: SIG Extração do grupo de despesas 3 (outras despesas correntes) do Poder Executivo 2007 A busca pela eficiência na função Logística de Suprimentos levou à necessidade da implantação do conceito de Fábrica de Compras. Este conceito adota um modelo de Estado padronizado por meio de uma ferramenta moderna via web, a qual possibilita maior controle e visibilidade dos processos.

10 9 Com a análise da situação atual e do cenário futuro, é possível delinear os focos das ações de reestruturação, que devem estar alinhadas com a estratégia de governo. O quadro a seguir mostra os pontos críticos da situação atual e o foco de mudança para reestruturar as bases da Logística de Suprimentos do Estado. Situação Atual Trabalho muito operacional e dificuldade em definir metas Pouca eficiência no processo de compras; Falta de integração dos sistemas setoriais; Cadastros de Fornecedores e Catálogo de Materiais e Serviços obsoletos Falta de visibilidade nas compras do Estado por Órgão Descontrole de inventários e movimentações nos almoxarifados Existência de sinergias não aproveitadas; Baixa aderência aos indicadores de desempenho; Dificuldade de dedicar o tempo necessário ao desenvolvimento de soluções ótimas. Falta de foco na inteligência da aquisição (fase interna da licitação) Falta de ferramentas integradas de Registro de Preços e almoxarifado Descumprimento dos Lead Times e SLA s Baixa aderência a contratos e condições pré -definidas (fugas de contrato) Compras setoriais Falta de transparência e controle; e Falta de relatórios gerenciais e executivos Mudança necessária Maior Produtividade Comprar melhor Aderência aos contratos e políticas Quanto aos desafios que o Governo do Estado do Rio de Janeiro tem enfrentado na execução das suas atividades de compras, dá-se destaque para os seguintes problemas: Não há controle global e efetivo sobre as licitações do Estado; Não há rapidez, abrangência e eficácia na gestão de contratos; O Sistema de Registro de Preços do Estado é pouco utilizado e sem acompanhamento adequado; Utilização de portais de compra de terceiros, com dificuldades na recuperação de dados e disponibilidade do seu histórico das compras; Não há controle efetivo sobre as compras sem licitação (dispensa e inexigibilidade); Falta um mecanismo eficaz de bloqueio das requisições de compra sem lastro orçamentário;

11 10 Gestão ineficiente do Catálogo de Materiais e Serviços, ocasionando duplicidades, itens mal identificados e falta de padronização; Não há integração entre os Cadastros de Fornecedores e de Catálogo de Materiais e Serviços; Ineficiência / inexistência de avaliação dos fornecedores contratados; Processo praticamente manual para cadastramento, certificação e revalidação de fornecedores; Comprometimento da credibilidade do Estado junto aos fornecedores; Não existe integração entre os almoxarifados; e Não há gestão automatizada e global dos estoques. Com o intuito de estabelecer a melhor forma de transpor os pontos críticos da situação atual e os desafios enfrentados pelo Governo, analisaram-se as principais competências da Logística de Suprimentos, com foco nas três dimensões (Processos, Organização e Tecnologia). Desta forma, foram estabelecidas as seguintes iniciativas a serem desenvolvidas:

12 11 Tendo em vista a análise interna da situação atual e a identificação das melhores práticas de mercado, foi elaborado um edital de contratação para implantação de um sistema integrado de gestão de aquisições, com os objetivos de padronizar e racionalizar os processos de aquisição, e prover o controle e a visibilidade necessários para uma gestão eficiente e eficaz. Para viabilizar esta transformação, a SEPLAG buscou no mercado as soluções disponíveis e realizou a contratação de um consórcio, formado pelas empresas Accenture e M2M Digital, que iniciou seus trabalhos em 12 de Janeiro de 2009.

13 12 ABORDAGEM A abordagem e a metodologia utilizadas foram definidas pelo consórcio e pela SEPLAG, a fim de mitigar os riscos de implantação e possibilitar uma maior aderência dos órgãos ao projeto. A solução encontrada está calcada na Inovação Tecnológica, Capacitação de Pessoal, Otimização de Processos e Integração Sistêmica, conforme mostra o quadro a seguir: As fases, etapas e cronograma planejados foram: Fase de Adequação: Esta fase é composta por três etapas: Etapa 1: aderência do sistema aos processos do Estado e a instalação da solução; Etapa 2: customização e parametrização dos requerimentos de negócio; e Etapa 3: desenvolvimento da interface para integração do sistema pretendido com o Sistema Integrado de Administração Financeira dos Estados e Municípios (SIAFEM), Sistema Integrado de Gestão Orçamentária (SIGO) e Sistema Integrado de Gestão Fiscal (SIGFIS) do Estado do Rio de Janeiro.

14 13 Fase de Produção: Esta fase é composta por oito etapas, sendo que, cada uma das três primeiras, englobam as tarefas de Teste, Treinamento e Implantação dos referidos módulos. As etapas 4 a 6 consistem na avaliação das etapas anteriores; já as etapas 7 e 8 são opcionais No esquema abaixo é mostrado, de forma simplificada, a estratégia de implantação do projeto, sendo que o SIGA tem três grandes ondas, divididos entre os Releases 1, 2 e 3:

15 Release 1 Release 2 Release 3 Início em outubro Administração Geral Catálogo de Materiais e Serviços Cadastro Geral de Fornecedores Banco de Preços. Início em Janeiro 2010 Requisição de Compras Pregão Eletrônico Cotação Eletrônica Licitação e Registro de Preços. Início Abril 2010 Contratos Almoxarifado Business Intelligence Para entender a situação atual do Estado, englobando características, controle, sistemas, organização, órgãos, processos, gastos e tecnologias, foi realizado um profundo diagnóstico, que tem suas atividades e seu foco ilustrados na seguinte figura: Entrevistas Entrevistas: Realização de entrevistas com Servidores dos diversos Órgãos e Secretarias. MKT Cot. Neg. Contr. OC. Pago Processos Op. IT Adq. Renta Jur. s Organização Questionário Questionários: Envio de Questionários aos servidores dos diversos Órgãos e Secretarias. Validação e Análises Tecnologia Bases de Dados Sistemas: Extração e análise de dados dos sistemas (base 2008) SIAFEM SICO SIGFIS Sistemas setoriais Gasto Total No sourceable Gasto Base Custos M exico Brasil Chile Ven ezuela Puerto Rico Ar ge ntin a Colombia Bolivi a

16 15 Por fim, foram definidas políticas e adotadas metodologias para cada competência da Logística de Suprimentos, a fim de viabilizar a transformação do modelo operacional do Estado, conforme abaixo: Gestão de catálogo A Gestão do Catálogo de Materiais e Serviços de acordo com as melhores práticas é fator fundamental de sucesso para fortalecer as demais competências de suprimentos e o planejamento estratégico da cadeia de abastecimento. O Governo busca estruturar esta competência de forma a atender às necessidades de catalogação de novos itens, padronização da descrição dos materiais e serviços e manutenção da qualidade das especificações. O modelo atual recomendado para uma eficiente Gestão de Catálogo divide a especificação do material em duas estruturas: PDM Administrativo e PDM Técnico (PDM = Padrão de Descrição de Material). O quadro a seguir demonstra essas estruturas: Tipo (Material/Serviço) Família Classe Artigo Características do Artigo Valores das Características Unidade de Fornecimento PDM Administrativo + PDM Técnico Define a estrutura hierárquica de classificação e organização dos itens Define a especificação técnica dos itens (Conceito de SKU) Especificação Técnica = PDM Administrativo + PDM Técnico As informações que não são relacionadas às especificações técnicas devem ser inseridas nas características adicionais (não-técnicas) para complementar os dados para compra.

17 16 Características Adicionais Informações para Compra Complementa informações de compra (não-técnicas) Especificação de Compra = PDM Técnico + Informações para Compra O PDM Técnico mais as informações adicionais de compra formam a especificação de aquisição de material ou a contratação de serviço. Para o PDM Administrativo foram utilizados quatro níveis de classificação: Tipo: Material ou serviço; Família: agrupamento de diversas classes semelhantes do ponto de vista do mercado fornecedor; Classe: conceito de classe do Federal Supply com o código de quatro dígitos; e Artigo: subdivisão da classe, que define o Padrão de Descrição de Material (PDM). Com a identificação do Artigo, utiliza-se o PDM Técnico para definir a especificação técnica do item. Para cada característica do PDM é necessário definir um valor. A combinação dos valores das características em conjunto com a unidade de medida forma a especificação técnica do item. A seguir é mostrado um exemplo do modelo antigo e um do novo de catalogação:

18 17 Do ponto de vista de processo e organização, para minimizar os impactos causados por uma demanda de catalogação maior do que a capacidade interna de atendimento, o modelo definido foi à contratação de uma empresa especializada na gestão de catálogo para que picos de demanda possam continuar a ser atendidos com a mesma eficiência, qualidade e nível de serviço (prazo), evitando gargalos no processo de atendimento das solicitações de catalogação e eliminando a ociosidade de uma equipe interna quando essa demanda for reduzida. Assim, com um contrato de prestação de serviço de catalogação, com pagamento sob demanda (por item catalogado ou por PDM desenvolvido), o Governo pode evoluir nas outras áreas estratégicas de suprimentos e garantir menor custo no processo de catalogação e na gestão do catálogo de materiais e serviços. Gestão de fornecedores Uma Gestão de Fornecedores eficiente e eficaz é conquistada por meio de processos padronizados, ferramentas de apoio e indicadores de desempenho e sanções adequados. Para atingir este objetivo, o novo modelo desenvolvido pelo projeto SIGA pretende adequar-se às etapas de registro no sistema, cadastro definitivo, avaliações de desempenho e controle das sanções aplicadas, de forma a garantir a visibilidade das informações por meio de indicadores e relatórios gerenciais. As etapas e pontos críticos a serem considerados para uma boa Gestão de Fornecedores são relacionados no quadro a seguir:

19 18 As alternativas e ações em estudo que podem aumentar a inclusão e a participação de um maior número de fornecedores com a qualidade podem ser listadas como: Cadastramento da base de fornecedores do Estado para fomentar o desenvolvimento da economia local; e Divulgação das avaliações e sanções para as juntas comerciais, órgãos de controle e de mercado, com o objetivo de premiar os bons fornecedores com a divulgação das suas avaliações e garantir que os demais órgãos do Estado possam ter visibilidade dos inidôneos. Banco de preços O objetivo da criação de um Banco de Preços digital e integrado à ferramenta SIGA é reduzir significativamente o tempo gasto na fase interna do processo de compras. Experiências anteriores mostraram que do tempo total gasto para a realização desse processo, 30% a 40% correspondem à fase de pesquisa de mercado e cotação de preços.

20 19 Neste contexto, o custo, o prazo e a produtividade da equipe de trabalho envolvida podem ter uma melhora significativa pela adoção de uma metodologia de utilização dos preços de um Banco de Preços como referência do processo de compras. A competência do Banco de Preços envolve diversas questões a serem analisadas, incluindo a definição da metodologia de obtenção dos preços, o cálculo do preço de referência índices de mercado que influenciam cada família de itens, interpretação da legislação. Os modelos em estudo para implantação e homologação do processo são: Aquisições eletrônicas O aperfeiçoamento de processos, reestruturação funcional e organizacional e a utilização de tecnologias da informação (sistemas) avançadas permitem o controle e a visibilidade necessários ao salto de qualidade na Gestão da Logística de Suprimentos. Quando se fala em Aquisições Eletrônicas, não se pode restringir a análise apenas à execução da licitação, ou seja, ao Pregão Eletrônico por si só. As ferramentas modernas devem integrar todos os elos da cadeia de suprimentos, desde a identificação da necessidade até a gestão do consumo.

21 20 O ciclo completo da cadeia de abastecimento desde a aquisição até o consumo envolve as seguintes atividades e áreas: Outros módulos em estudo para incorporação neste modelo integrado são os de Patrimônio, Despesas de Viagens e Suprimento de Fundos. Na abordagem acima está prevista, ainda, a integração com os Sistemas Financeiro e Orçamentário do Estado (SIAFEM e SIGO) a fim de controlar, por meio de indicadores, os processos com foco nas atividades logísticas, orçamentárias, financeiras e contábeis de forma integrada. Esta é uma das maiores reformas na Gestão Integrada no Estado nos últimos trinta anos, possibilitando a transparência tão desejada perante a sociedade e o aumento da credibilidade junto aos fornecedores de forma permanente.

22 21 Gestão de contratos As funcionalidades do módulo de Gestão de Contratos permitem o controle dos saldos, vigências, recebimentos, medições, pagamentos e aditivos contratuais, dando maior segurança aos fornecedores e aperfeiçoando o trabalho de fiscalização. A ferramenta, os processos e a organização estão estruturados com o objetivo de garantir que os papéis e responsabilidades dos gestores de contrato possam ser executados de forma eficiente e produtiva, bem como de dar transparência e prover as informações junto aos fornecedores contratados, tais como: a programação de entrega, vigência dos contratos, aditivos, acompanhamento dos saldos de empenhos, recebimentos, liquidações e pagamentos, que são de fundamental importância para um modelo eficiente de aquisições. As principais funcionalidades e os processos necessários para uma boa Gestão de Contratos podem ser visualizados no quadro a seguir: Outro ponto na questão de Gestão de Contratos é a integração do SIGA com os sistemas financeiro e orçamentário, a qual possibilita que indicadores estratégicos possam ser gerados de forma integrada para melhor planejamento das despesas, acompanhamento da execução das ações governamentais, planejamento financeiro e cronograma de desembolso, alinhando com as previsões de receita dos recursos financeiros.

23 22 Esta integração do módulo de contratos do SIGA com os sistemas financeiro e orçamentário permite uma visão global dos gastos do Estado e das informações em tempo real para tomadas de decisão. Abaixo estão listadas as principais funcionalidades e os benefícios do novo modelo de Gestão de Contratos do Governo: Gestão de estoques A competência da Gestão de Estoques é uma das mais complexas de se implantar, devido à ligação que possui com todas as demais competências apresentadas. A Gestão do Catálogo é fundamental para a correta classificação dos itens; uma base de fornecedores saneada facilita o controle das entregas e dos novos pedidos para reabastecimento dos estoques; um Banco de Preços praticados racionaliza os processos de pesquisa de preços de mercado; aquisições eletrônicas e ferramentas modernas de pedido aperfeiçoam o processo de planejamento de reabastecimento e quanto mais eficiente e controlado o tempo de entrega, mais assertiva é a previsão da demanda; uma gestão de contratos capaz de antecipar as demandas de novas contratações, aditivos e controle de saldos de contrato minimiza os problemas de ruptura (falta) de estoque ou possibilita a redução significativa dos níveis de estoques de segurança.

24 23 Conclui-se que uma Gestão de Estoques eficiente não é alcançável sem antes viabilizar de forma completa as demais competências da Logística de Suprimentos. O foco de uma gestão estratégica de estoques deve ser, então, uma composição das dimensões de custos e nível de serviço, buscando a posição ideal para cada tipo de estrutura. O quadro a seguir mostra as diferentes variáveis que impactam no alcance da máxima eficiência da Gestão de Estoques: Tanto para se obter um salto na eficiência da Gestão de Estoques como para maximizar a economia de recursos logísticos é necessário um trabalho focado de reestruturação de todas as competências.

25 24 O Projeto SIGA busca reestruturar as principais bases da Logística de Suprimentos e disponibilizar uma ferramenta integrada de Gestão de Estoques que permita ao Governo alcançar os objetivos citados acima. Para isso, o SIGA possui as seguintes funcionalidades: Cadastramento de diversos almoxarifados; Atendimento dos órgãos por diversos almoxarifados; Gestão de almoxarifado local e central; Parametrização de itens estocáveis e não estocáveis por almoxarifado; Inclusão de parâmetros de estoque, tais como ponto e quantidade de reposição, estoque de segurança, entre outros, por item e por almoxarifado; Inventário, doações e trocas; Posicionamento/localização dos itens no almoxarifado; Relatórios de movimentações, saldos, posicionamentos, valor, classificação contábil, pendências, entre outros; Requisição de reposição de estoque, com sugestão automática de acordo com parâmetros de estoque cadastrados por item e por almoxarifado; Requisição de Transferência para abastecimento via transferência entre almoxarifados (demanda puxada);

26 25 Operação de Transferência para abastecimento via transferência entre almoxarifados (demanda empurrada); Consumo de Material através de requisição ao almoxarifado local; e Compra e consumo de material não estocável com entrada e saída no almoxarifado para controles contábeis. Com essas funcionalidades e processos parametrizados, o SIGA permite a realização das principais atividades para uma Gestão de Estoques eficiente com controle e visibilidade das operações. A figura a seguir ilustra os principais fluxos de movimentação na Gestão de Estoques, os quais podem ser controlados em tempo real pelos usuários do SIGA:

27 26 Gestão de indicadores Com as competências instaladas e em operação, é possível alavancar as iniciativas para a gestão estratégica da Logística de Suprimentos por meio da Gestão de Indicadores. Esta gestão requer uma série de iniciativas para que possa ser eficiente e cumprir com o objetivo, que é o de proporcionar dados em tempo real de forma clara, simples e transparente, permitindo a tomada de decisão com base em informações estruturadas. Para tal, é necessário realizar um levantamento dos principais indicadores estratégicos, gerenciais e operacionais para cada módulo do sistema, e da matriz de responsabilidades para acompanhamento e monitoramento dos indicadores e de suas eventuais metas definidas. O SIGA possui uma ferramenta integrada de Business Intelligence (BI) que lê os dados criados a partir das tabelas do banco de dados, as quais são preenchidas pelos usuários na execução dos processos de consumo, compras, contratos, estoques, aquisições etc. Essa ferramenta permite a criação de painéis de indicadores de acordo com o perfil e a necessidade de cada nível gestor conforme quadro ilustrativo a seguir:

28 27 Ainda para uma gestão eficiente das informações, é necessária a definição de metas, a identificação do perfil do gestor alinhado a qual painel de indicadores etc. A figura a seguir mostra as dimensões que devem ser levadas em consideração na Gestão de Indicadores e alguns exemplos de painéis de informações de acordo com o nível de gestão:

29 28 Os princípios para um modelo de Gestão de Indicadores de sucesso são: Ter um número reduzido de indicadores; Medir apenas o que se quer controlar; Ter um responsável; Ser simples e de fácil entendimento; e Possuir métricas aplicáveis e que possam ser atingidas. Para viabilizar estes princípios, é necessário definir um perfil para cada indicador contendo: Descrição; Responsável; Freqüência de medição; Objetivos; Dados necessários / fontes; Forma de cálculo; e Relacionado à qual dimensão de Gestão. Com a implantação e utilização do SIGA pelos órgãos do Governo do Estado do Rio de Janeiro, tornou-se possível dar um salto de produtividade, controle, visibilidade e transparência em todos os processos do Sistema Logístico do Estado.

30 29 TRANSFORMAÇÃO ORGANIZACIONAL, PROCESSOS E TECNOLOGIAS Além da implantação de uma ferramenta de gestão integrada das aquisições, o projeto SIGA busca padronizar e aperfeiçoar os processos de aquisição, reestruturar funcionalmente os papéis e responsabilidades de cada usuário envolvido da cadeia de abastecimento, bem como garantir a aderência à legislação, promovendo uma maior confiabilidade e transparência. Uma estrutura de compras descentralizada como a do Governo, com suas Unidades Gestoras Executoras, tendo autonomia para gerar processos de aquisição, licitar, empenhar e liquidar seus compromissos, acabou gerando uma heterogeneidade de modelos e processos de aquisição. Neste ponto, o Projeto SIGA buscou analisar e mapear, nos principais órgãos e entidades, os requerimentos essenciais que são comuns a estes, customizando o SIGA para atender a essas necessidades. Por outro lado, promoveu a padronização e racionalização dos processos, reduzindo divergências e aperfeiçoando procedimentos operacionais encontrados nas diversas estruturas dos órgãos. Com isso, foi realizada uma reestruturação funcional e de papéis e responsabilidades para que os órgãos e entidades do Governo do Estado pudessem se adequar ao novo modelo de Logística de Suprimentos suportado pelo SIGA. O quadro abaixo ilustra de forma macro essa padronização dos processos: A organização funcional do novo modelo pode ser dividida em níveis central e local, com os seguintes atores do modelo e seus respectivos papéis e responsabilidades:

31 Organização funcional no nível central 30

32 Organização funcional no nível local 31

33 32 Treinamento e capacitação Outros pilares essenciais para a implantação de um novo modelo de processos, organização e tecnologias são o treinamento e a capacitação de pessoal. Os servidores do Estado têm a oportunidade de obter treinamentos teóricos sobre conteúdos de gestão de aquisições, legislação e práticas de mercado, bem como conceitos de melhores práticas em cada uma das competências da Logística de Suprimentos. Também são ministradas aulas práticas no SIGA para que os usuários se sintam confortáveis em operar a nova ferramenta. O plano de capacitação dos usuários prevê seis etapas até a homologação do órgão para utilização do SIGA: Suporte Além do treinamento, foi desenhado um modelo de suporte a dúvidas e problemas encontrados na utilização do SIGA. Uma estrutura eficiente de suporte à utilização do sistema é fundamental para garantir a conformidade e a produtividade na execução dos processos. A figura abaixo ilustra o modelo de suporte adotado para maximizar a eficiência e garantir a utilização da ferramenta:

34 33

35 34 NORMATIZAÇÃO NO NOVO MODELO Quando se fala em transformações profundas nos modelos de gestão pública, torna-se necessária a normatização dessas ações por meio de decretos, resoluções e portarias, a fim de suportar e garantir a adesão aos novos modelos implantados. Neste sentido, a SEPLAG, como órgão gestor das políticas de Logística de Suprimentos do Governo, está gerando os documentos formais que viabilizam a coordenação das atividades de transformação. Um dos marcos do projeto e pedra fundamental na implantação deste novo modelo foi o Decreto Estadual n o , de 27 de outubro de 2009, que instituiu o SIGA como o Sistema Integrado de Gestão de Aquisições do Governo do Estado do Rio de Janeiro e conferiu à SEPLAG a responsabilidade de viabilizar e coordenar a implantação do novo modelo nos mais de oitenta órgãos e entidades vinculados ao governo. Abaixo encontram-se os principais artigos desse decreto: Outros decretos, resoluções e portarias estão em elaboração, com a finalidade de regulamentar a utilização do SIGA e do novo modelo de gestão de Logística do Estado.

36 35 BENEFÍCIOS ESPERADOS Quais são os benefícios que poderão ser conquistados pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro na implantação do novo modelo de Gestão Integrada de Aquisições? Outros benefícios que merecem destaque são: Processo Eletrônico altamente eficiente; Acompanhamento por meio de Consultas e Relatórios on-line, via Internet; Planejamento das despesas com base no histórico gravado na ferramenta; Redução das Ações Recursais nas Licitações, com a padronização dos processos; Redução do tempo global dos processos de aquisições na ordem de 40%; Redução dos gastos, representando uma economia de até R$ 600 milhões por ano; Resgate da credibilidade do Estado junto aos fornecedores; Redução de compras por dispensa e inexigibilidade de licitações; Dinamização do emprego de recursos humanos em processos logísticos; Banco único de informações, totalmente padronizado e normatizado;

37 36 Visão única do Estado em Logística de Suprimentos, com transparência e controle; Integração multiplataforma com os sistemas de gestão e de administração pública.

38 37 FATORES CRÍTICOS DE SUCESSO É importante, também, destacar os fatores críticos de sucesso para uma transformação desse porte e para a concretização dos benefícios esperados, conforme listado na figura abaixo:

39 38 CONCLUSÃO Apesar dos riscos e dos problemas enfrentados na implantação, a SEPLAG, em conjunto com o consórcio contratado, pretende promover uma completa modernização da gestão de aquisições e transformar o Governo do Estado do Rio de Janeiro em um modelo de gestão de alto desempenho em Logística de Suprimentos no setor público.

40 39 AUTORIA Marcel Pacano Consultor especialista em Supply Chain e Aquisições Públicas Accenture. Endereço eletrônico: Marco Tulio Marçal Pinto Assessor da Subsecretaria de Recursos Logísticos SEPLAG/RJ. Endereço eletrônico: Fabio Aurélio da Silveira Nunes Subsecretário de Recursos Logísticos SEPLAG/RJ. Endereço eletrônico:

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA DO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Dayan Giubertti Margon Julia Sasso Aliguieri

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS. Sistema. Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO DO SISTEMA ELETROBRÁS Sistema Eletrobrás Política de Logística de Suprimento do Sistema Eletrobrás POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO 4 POLÍTICA DE Logística de Suprimento

Leia mais

Política de Logística de Suprimento

Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento Política de Logística de Suprimento 5 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas Eletrobras, através da integração

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 TERMO DE REFERÊNCIA (TR) nº 001/2009 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultor (a) para desenvolver, treinar e implantar o Sistema de Gestão de Projetos do IBAMA. 2 JUSTIFICATIVA 2.1 Contextualização: O

Leia mais

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais.

Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Planejamento de Manutenção e Fiscalização de Obras Industriais, Gestão de Materiais, Inventário de Estoques e Bens Patrimoniais. Quem Somos A MDS soluções é uma prestadora de serviços que procura apoiar

Leia mais

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado

Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado 2014 Solução SGI (ERP) Sistema de Gestão Integrado SOLUÇÃO SGI Sistema de Gestão Integrado (ERP), é um sistema WEB voltado para empresas que necessitam controlar e realizar a gestão de seus principais

Leia mais

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços.

CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. CURSO Elaboração de Especificações de Itens para o Catálogo de bens, materiais e serviços. FRANCISCO JOSÉ COELHO BEZERRA Gestor de Registro de Preços Fortaleza 26 a 28/11/2014 SORAYA QUIXADÁ BEZERRA Gestora

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos

SIG Sistema Integrado de Gestão. SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos SIG Sistema Integrado de Gestão SIPAC -Sistema Integrado de Patrimônio, Administração e Contratos Agenda Contextualização Visão Geral dos seguintes sistemas: SIPAA, SGPP, SIGRH, SIGADMIN, SIGED. Conceitos

Leia mais

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo Rhind Group É uma empresa estruturada para prover soluções em consultoria e assessoria empresarial aos seus clientes e parceiros de negócios. Com larga experiência no mercado, a Rhind Group tem uma trajetória

Leia mais

CSC 4.0: ALÉM DOS CUSTOS DAS TRANSAÇÕES. Por Caio Fiuza

CSC 4.0: ALÉM DOS CUSTOS DAS TRANSAÇÕES. Por Caio Fiuza CSC 4.0: ALÉM DOS CUSTOS DAS TRANSAÇÕES Por Caio Fiuza Nos últimos 10 anos, a gestão das áreas de apoio nas grandes organizações brasileiras vem passando por importantes transformações. A principal delas

Leia mais

THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus

THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus THIAGO TUPINAMBÁ DE QUEIRÓZ Coordenador de Compras Municipais Prefeitura de Manaus COMPRAS MANAUS: Gestão Integral da Cadeia de Suprimentos da Prefeitura de Manaus Cadeia de Suprimentos Conceito Uma rede

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 4, 5 e 6 de junho de 2012 A NOVA POLÍTICA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Pablo Sandin Amaral Renato Machado Albert

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais

BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais BPMs Alavanca para a excelência operacional de processos transacionais ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO A Unimed Londrina; Objetivos do Projeto; Estratégia Adotada; Comunicação; Características da solução; Processos

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009.

DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. DECRETO Nº XX.XXX, DE XX DE XXXXXXXXXXXX DE 2009. Institui a Política de Tecnologia da Informação e Comunicação no Governo do Estado do Piauí, cria o Sistema de Governança de Tecnologia da Informação e

Leia mais

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC

Incentivar a inovação em processos funcionais. Aprimorar a gestão de pessoas de TIC Incentivar a inovação em processos funcionais Aprendizagem e conhecimento Adotar práticas de gestão participativa para garantir maior envolvimento e adoção de soluções de TI e processos funcionais. Promover

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

Tecnologia Web Focada em Negócios

Tecnologia Web Focada em Negócios Tecnologia Web Focada em Negócios Palestra: Otimização e Transparência no processo de compras. Marcos Carrara Outplan Empresa Catarinense com 13 anos de mercado. Produtos: Futebolcard Moke OutBuyCenter

Leia mais

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal

Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Agenda Nacional de Apoio à Gestão Municipal Mapa de obras contratadas pela CEF, em andamento com recursos do Governo Federal 5.048

Leia mais

SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO

SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO SEMINÁRIO NACIONAL - A NOVA GESTÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DIA 24 DE JULHO ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA FINANCEIRA E CONTÁBIL DO PATRIMÔNIO PÚBLICO 1 - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti

Governança AMIGA. Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti e d a id 4 m IN r fo a n m Co co M a n ua l Governança AMIGA Para baixar o modelo de como fazer PDTI: www.microsoft.com/brasil/setorpublico/governanca/pdti Um dos grandes desafios atuais da administração

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano

MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação. CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação CAIXA ECONÔMICA FEDERAL Representação de Apoio ao Desenvolvimento Urbano SNHIS / FNHIS - Lei nº 11.124/05 REQUISITOS PARA ADESÃO DOS MUNICÍPIOS AO

Leia mais

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente:

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente: Serviços A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e práticas

Leia mais

Diagnóstico Empresarial. Porque a saúde da sua empresa é muito importante.

Diagnóstico Empresarial. Porque a saúde da sua empresa é muito importante. Diagnóstico Empresarial Porque a saúde da sua empresa é muito importante. Introdução Nos últimos anos as empresas têm focado pesadamente em gestão por resultados, proporcionando a seus gestores e equipes

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS. Departamento de Logística e Serviços Gerais

Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS. Departamento de Logística e Serviços Gerais Roteiro para Elaboração dos Planos de Gestão de Logística Sustentáveis PLS Departamento de Logística e Serviços Gerais ÍNDICE PREPARAÇÃO... 3 A) IDENTIFICAÇÃO DA COMISSÃO GESTORA... 4 B) INSTITUIR POR

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO

CURSO: SICONV 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO CURSO: SICONV TEMAS CENTRAIS 1) NOÇÕES GERAIS, CREDENCIAMENTO, CADASTRAMENTO E PROGRAMAS DE CONVÊNIO 2) PROPOSIÇÃO, AVALIAÇÃO DE PROPOSTAS - CEDENTE, CELEBRAÇÃO DE UM CONVÊNIO E ALTERAÇÕES 3) EXECUÇÃO,

Leia mais

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA.

MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. MAIS AGILIDADE, CONTROLE E RENTABILIDADE NA SUA CONSTRUTORA E INCORPORADORA. SANKHYA. A nova geração de ERP Inteligente. Atuando no mercado brasileiro desde 1989 e alicerçada pelos seus valores e princípios,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

LOGISMATER QUEM SOMOS?

LOGISMATER QUEM SOMOS? CADASTRE E CONTROLE DE FORMA PADRONIZADA LOGISMATER QUEM SOMOS? Empresa voltada para soluções práticas na Área de Materiais. Possui um quadro de colaboradores com larga experiência em alinhamento de processos

Leia mais

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos.

CONHEÇA A VALECARD TODA ESSA ESTRUTURA EXISTE PRA VOCÊ: Reduzir custos. Ganhar tempo. Organizar processos. CONHEÇA A VALECARD Soluções completas e integradas para a gestão de benefícios, gestão financeira e de frotas. Cartões aceitos em todo território nacional, por meio da Redecard, Cielo e ValeNet, o que

Leia mais

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid

TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid TOTVS COLABORAÇÃO 2.0 FISCAL powered by NeoGrid Recebimento de NF-e e CT-e Emissão de NF-e, CT-e, MDF-e e NFS-e Integração nativa com o seu ERP Exija a solução que é o melhor investimento para a gestão

Leia mais

Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes

Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes Cursos a Distância com Tutoria Turmas com mínimo de 60 participantes Análise e melhoria de processos - MASP Servidores públicos federais interessados em conhecer a gestão da qualidade e utilizá-la na melhoria

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Curso de. Formação Executiva em Estratégia, Governança e Processos de TI

Curso de. Formação Executiva em Estratégia, Governança e Processos de TI Curso de Formação Executiva em Estratégia, Governança e Processos de TI Descrição da Ementa do Curso Como integrar negócio e tecnologia? Como maximizar o retorno sobre investimentos em projetos de Tecnologia

Leia mais

Novo Sistema de Gestão do IFAM

Novo Sistema de Gestão do IFAM Novo Sistema de Gestão do IFAM Os módulos serão implantados atendendo aos critérios: Sistema/Módulo Entrega Prazo de Entrega Módulo Administrativo Integração SIAFI Módulo de Recursos Humanos Protocolo

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Varejo e-commerce A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting

DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting DOW BUSINESS SERVICES Diamond Value Chain Consulting Soluções personalizadas para acelerar o crescimento do seu negócio Estratégia Operacional Projeto e Otimização de Redes Processos de Integração Eficácia

Leia mais

PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 130, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2012 Disciplina o controle de acesso de usuários e sistemas clientes ao Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento SIOP. A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL, no uso

Leia mais

E&L ERP Almoxarifado

E&L ERP Almoxarifado Apresentação 1 PostgreSQL 8.2/ 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Introdução: Prevendo todas as rotinas necessárias ao bom funcionamento da administração de materiais, o produz automaticamente as médias

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica)

Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) Anexo III Contratações de Serviços de Consultoria (Pessoa Física e Jurídica) No decorrer da execução do Projeto, e tão logo sejam definidos os perfis dos consultores necessários para a consecução dos produtos

Leia mais

Portal de Compras do Governo Federal Comprasnet. Mauro Forlan Brasilia, DF, 26/06/2013.

Portal de Compras do Governo Federal Comprasnet. Mauro Forlan Brasilia, DF, 26/06/2013. Portal de Compras do Governo Federal Comprasnet Mauro Forlan Brasilia, DF, 26/06/2013. Visão geral do SIASG Comprasnet Cadastro de Fornecedores SICAF Cadastro de Materiais CATMAT Cadastro de Serviços CATSER

Leia mais

REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE

REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE 1 REGULAMENTO 1º CONCURSO INOVAÇÃO NO TCE-PE A Escola de Contas Públicas Professor Barreto Guimarães (ECPBG) torna público o regulamento do 1º Concurso Inovação no TCE-PE, que será regido de acordo com

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01/2014 SCLCS - SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES, CONTRATOS E SERVIÇOS N.º 01/2014 Versão: 01 Data de aprovação: 7 de outubro de 2014. Ato de aprovação: Resolução n.º 112 /2014 Unidade

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

LMA, Solução em Sistemas

LMA, Solução em Sistemas LMA, Solução em Sistemas Ao longo dos anos os sistemas para gestão empresarial se tornaram fundamentais, e por meio dessa ferramenta as empresas aperfeiçoam os processos e os integram para uma gestão mais

Leia mais

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED

Importância do GED. Implantação de um Sistema de GED Implantação de um Sistema de GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Importância do GED O GED tem uma importante contribuição na tarefa da gestão eficiente da informação; É a chave para a melhoria da

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA

GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2 JUSTIFICATIVA GESTÃO EFICIENTE 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover eficiência na gestão de recursos para assegurar a realização da Estratégia, a partir de uma política organizacional de planejamento e execução

Leia mais

Ref. Assunto: Elaboração do Plano para a Implantação da Descentralização da Execução Orçamentária e Financeira na UNIR

Ref. Assunto: Elaboração do Plano para a Implantação da Descentralização da Execução Orçamentária e Financeira na UNIR MEMORANDO CIRCULAR Nº 06/2015/PROPLAN Porto Velho, 27 de Maio de 2015. Para: CÂMPUS E NÚCLEOS Ref. Assunto: Elaboração do Plano para a Implantação da Descentralização da Execução Orçamentária e Financeira

Leia mais

www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011

www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011 www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011 Agenda Projeto Gestão Estratégica de Suprimentos no Governo de MG 1. Introdução 2. Diagnóstico 3. Desenvolvimento/implantação

Leia mais

Apresentação Comercial

Apresentação Comercial Apresentação Comercial Quem Somos O HANT é uma vertical da empresa NDDigital, com foco em desenvolver soluções através de software e serviços direcionados a atender a cadeia de compra das empresas, desde

Leia mais

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS

TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS TRANSFORME INFORMAÇÕES EM RESULTADOS Hoje, mais do que nunca, o conhecimento é o maior diferencial de uma organização, mas somente quando administrado e integrado com eficácia. Para melhor atender os seus

Leia mais

BNDES Solução Tecnológica

BNDES Solução Tecnológica BNDES Solução Tecnológica Área de Operações Indiretas (AOI) Equipe: Edson Moret Breno Albuquerque Luciana Surliuga OBJETIVO Apresentar o novo produto que está sendo desenvolvido no BNDES, voltado para

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. EDITAL ESMPU n. 177/2008

ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO. EDITAL ESMPU n. 177/2008 ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO EDITAL ESMPU n. 177/2008 A Escola Superior do Ministério Público da União ESMPU comunica que estarão abertas, no período de 13 a 15 de outubro de 2008, as

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

LINHA DE APRENDIZADO. Departamento de Compras. Modelo de Negócio. Central de Compras. Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar

LINHA DE APRENDIZADO. Departamento de Compras. Modelo de Negócio. Central de Compras. Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar AGOSTO/2015 LINHA DE APRENDIZADO Departamento de Compras Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar Central de Compras Modelo de Negócio Fundada há 120 anos. Atendimento de média e alta

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE GERÊNCIA DE CONTROLE DE TESOURARIA ANÁLISE DE RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL NO BANCO BMG POSIÇAO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Belo Horizonte

Leia mais

Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação. Indicadores. Descrição 2011 2012

Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral de Tecnologia da Informação. Indicadores. Descrição 2011 2012 Plano Diretor Tecnologia da Informação 2012-2013 146 Anexo 7 Demandas oriundas das recomendações da Estratégia Geral Tecnologia da Informação Objetivos Objetivo 1 - Aprimorar a Gestão Pessoas TI (Cobit

Leia mais

GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS

GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS CONGRESSO CONSAD de GESTÃO PÚBLICAP GESTÃO DE COMPRAS PÚBLICAS Roberto Meizi Agune Horácio José Ferragino Grupo de Apoio Técnico à Inovação - GATI I Congresso de Gestão PúblicaP Governo do Estado de São

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br

PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE. www.ucp.fazenda.gov.br COORDENAÇÃO-GERAL DE PROGRAMAS E PROJETOS DE COOPERAÇÃO COOPE www.ucp.fazenda.gov.br PROGRAMAS EM ANDAMENTO Programa Nacional de Apoio à Gestão Administrativa e Fiscal dos Municípios Brasileiros - PNAFM

Leia mais

O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS

O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS O SISTEMA DE MANUTENÇÃO COMO FERRAMENTA PARA MELHORIA DE RESULTADOS Celeste Maria de Almeida (1) Resumo Objetivo do trabalho é demonstrar como os recursos disponíveis no Sistema Informatizado de Manutenção

Leia mais

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos.

Conquistamos ao longo de nossa trajetória mais de 30.000 licenças em operação em 6.500 clientes ativos. Institucional Perfil A ARTSOFT SISTEMAS é uma empresa brasileira, fundada em 1986, especializada no desenvolvimento de soluções em sistemas integrados de gestão empresarial ERP, customizáveis de acordo

Leia mais

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e

DECRETO Nº, DE DE DE. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e DECRETO Nº, DE DE DE. Aprova a Política Nacional da Indústria de Defesa (PNID). A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea a, da Constituição, e Considerando

Leia mais

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012

As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 As novas tecnologias podem finalmente - viabilizar o RH Estratégico? Thais Silva I Janeiro 2012 Universo TOTVS Fundada em 1983 6ª maior empresa de software (ERP) do mundo Líder em Software no Brasil e

Leia mais

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras

G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S. VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras G E S T Ã O D E C O M P R A S P O R R E G I S T R O D E P R E Ç O S VALDIR AUGUSTO DA SILVA Gestão Estratégica de Compras Portal de Compras SUMÁRIO O Sistema de Registro de Preços do Governo do Estado

Leia mais

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado.

O Banco do Nordeste do Brasil S.A. deseja conhecer as opções de solução fiscal e de gestão tributária existentes no mercado. O., situado à Avenida Pedro Ramalho, 5700, Bairro Passaré Fortaleza-CE, através do Projeto Estratégico Sistema Integrado de Gestão Empresarial Aquisição e Implantação de ERP (Enterprise Resources Planning)

Leia mais

www.sistemainfo.com.br Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Processo de transporte e logística Objetivo

www.sistemainfo.com.br Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Processo de transporte e logística Objetivo Há 20 anos desenvolvendo soluções para a gestão de transporte e logística. Agilidade, segurança e flexibilidade nos processos são os compromissos da Sistema Informática com seus clientes. Sediada em Criciúma,

Leia mais

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados

Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação Procedimentos Possíveis Achados Questão de auditoria Informações Requeridas Fontes de Informação s Possíveis Achados 1 As características da unidade de controle interno atendem aos preceitos normativos e jurisprudenciais? Ato que criou

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO VII PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS MACROPROCESSOS DO BNDES 1. Introdução As tabelas a seguir apresentam os MACROPROCESSOS do BNDES, segregados por plataformas. As

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO JOÃO DE MERITI PROCESSO: 0007733-93.2015.4.02.5110 (2015.51.10.007733-0) AUTOR: MINISTERIO PUBLICO FEDERAL REU: MUNICIPIO DE BELFORD ROXO Fls

Leia mais

Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais

Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais Conteúdo programático: Formação Gestão de Materiais Informações gerais Família de Gestão: Gestão de Materiais Carga Horária: 172 horas (96 horas presencial + 76 horas e-learning) Objetivo: Proporcionar

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania A União dos Vereadores do Estado de São Paulo UVESP, desde 1977 (há 38 anos) promove parceria com o Poder Legislativo para torná-lo cada vez mais forte, através de várias ações de capacitação e auxílio

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2010 a 2014 Versão 1.1 Sumário 2 Mapa Estratégico O mapa estratégico tem como premissa de mostrar a representação visual o Plano

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841)

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) 1 MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO SECRETARIA DE ECONOMIA E FINANÇAS (Contadoria Geral / 1841) ORIENTAÇÃO TÉCNICO-NORMATIVA N º 01 - PLANEJAMENTO DAS CONTRATAÇÕES 1. Nesta orientação, por questão

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Prof. Mércio Rosa Júnior PRODUÇÃO 02 e 03 de Fevereiro de 2011

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Prof. Mércio Rosa Júnior PRODUÇÃO 02 e 03 de Fevereiro de 2011 Workshop 2011 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Prof. Mércio Rosa Júnior PRODUÇÃO 02 e 03 de Fevereiro de 2011 Agência Nacional de Transportes Aquaviários O MAPA ESTRATÉGICO ANTAQ 2 Missão Assegurar à sociedade

Leia mais

Administração Judiciária

Administração Judiciária Administração Judiciária Planejamento e Gestão Estratégica Claudio Oliveira Assessor de Planejamento e Gestão Estratégica Conselho Superior da Justiça do Trabalho Gestão Estratégica Comunicação da Estratégia

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

S ] Striai S indu o SS proce estão para g engenharia e S de S integrada [ Soluçõe nevesdobrasil.com.br

S ] Striai S indu o SS proce estão para g engenharia e S de S integrada [ Soluçõe nevesdobrasil.com.br [ Soluções integradas de Engenharia e Gestão para Processos Industriais ] [ apresentação ] A NEVES DO BRASIL Fundada em 2008 com sua unidade matriz em Americana (SP) a Neves do Brasil busca fornecer soluções

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos Estrutura do Documento 1. Introdução

Leia mais

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ

Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Resoluções nº 90 e nº 99 de 2009 CNJ Março COMITÊ GESTOR DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - CGTIC 2 ÍNDICE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO... 3 Apresentação...

Leia mais

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751 Objetivos Nosso Objetivo é Colocar a disposição das empresas, toda nossa Experiência Profissional e metodologia moderna, dinâmica e participativa, para detectar as causas sintomáticas e seus efeitos. Realizar

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA TERMOS DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA 1. PROJETO IDF SAÚDE Nº 07/2014 2. TÍTULO Consultoria individual especializada em Tecnologia da Informação - TI 3. ENQUADRAMENTO DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais