Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília"

Transcrição

1 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

2 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Plano de execução de serviço Projeto de transformação de Processos

3 Estrutura do Documento 1. Introdução 2. Construção da demanda de contratação 2.1 Projeto de Transformação do macroprocesso Realizar Venda de Serviço 2.2 Projeto de Transformação do macroprocesso Realizar compras internas 2.3 Projeto de Transformação do macroprocesso Gerir estoque 2.4 Projeto de Transformação do macroprocesso Recrutar e selecionar pessoas 3. Detalhamento dos serviços a serem executados 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs 3.2 Detalhamento das atividades a serem desenvolvidas 4. Informações gerais do projeto 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto 4.2 Equipe do projeto e da consultoria 4.3 Documentos e meios de comunicação a serem utilizados 4.4 Recursos necessários para o desenvolvimento do trabalho 4.5 Premissas

4 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília 1 EXEMPLO INTRODUÇÃO DE ABERTURA DE CAPÍTULO 03 NÃO HÁ IMAGEM AO LADO USE SEMPRE CAPS LOCK

5 1. Introdução O presente documento corresponde ao Plano de Execução de Serviços do Contrato Administrativo Nº J da empresa pública Minas Gerais Administração e Serviço S.A, o qual possui como objeto a contratação de empresa especializada na prestação de serviço de consultoria para realização de serviços de modelagem de processos organizacionais envolvendo mapeamento, análise, desenho e redesenho de processos, implementação e monitoramento de ações propostas para melhoria, suporte técnico e transferência de conhecimento. Este Plano formaliza o término da fase de planejamento e início da execução do projeto. As informações produzidas durante esta etapa devem ser consideradas como referências básicas para a realização desta iniciativa, a fim de garantir o alcance dos resultados esperados com este trabalho.

6 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília 2 EXEMPLO CONSTRUÇÃO DE ABERTURA DA DE CAPÍTULO DEMANDA 03 DE NÃO CONTRATAÇÃO HÁ IMAGEM AO LADO USE SEMPRE CAPS LOCK

7 2.1 Projeto de transformação do macroprocesso Realizar Venda de Serviço O escopo a ser trabalhado por esta frente do projeto compreende todos os processos relacionados à venda de serviço por parte da MGS, incluindo solicitação de serviço, precificação, formulação de contrato, avaliação de serviço prestado, dentre outros.

8 2.2 Projeto de transformação do macroprocesso Realizar Compras internas O escopo a ser trabalhado por esta frente do projeto compreende todos os processos relacionados à compra de produtos ou serviços por parte da MGS, incluindo requisição de material, orçamentação, realizar solicitação, dentre outros.

9 2.3 Projeto de transformação do macroprocesso Gerir estoque O escopo a ser trabalhado por esta frente do projeto compreende todos os processos relacionados à gestão do estoque da MGS, incluindo receber produto, processar demanda, transportar produto, dentre outros.

10 2.4 Projeto de transformação do macroprocesso Recrutar e selecionar pessoas O escopo a ser trabalhado por esta frente do projeto compreende todos os processos relacionados ao recrutamento e seleção da MGS, incluindo avaliar requisição, recrutar e admitir, disponibilizar empregados, dentre outros.

11 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília 3 EXEMPLO DETALHAMENTO ABERTURA DOS DE CAPÍTULO SERVIÇOS A 03SEREM NÃO EXECUTADOS HÁ IMAGEM AO LADO USE SEMPRE CAPS LOCK

12 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs Frente de Trabalho Número de Processos Número de Etapas Serviços Quantidade de USTs PROJETO DE TRANSFORMAÇÃO DO MACROPROCESSO REALIZAR VENDA DE SERVIÇOS 07 Processos 17 Etapas SERVIÇO 01 Mapeamento da situação atual dos processos; SERVIÇO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos; SERVIÇO 03 Análise de melhorias nos processos e sistemas; SERVIÇO 04 Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio; SERVIÇO 05 Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos; SERVIÇO 06 Elaboração de Plano de Implementação do novo processo; SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos; USTs

13 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs Frente de Trabalho Número de Processos Número de Etapas Serviços Quantidade de USTs PROJETO DE TRANSFORMAÇÃO DO MACROPROCESSO REALIZAR COMPRAS INTERNAS 06 Processos 21 Etapas SERVIÇO 01 Mapeamento da situação atual dos processos; SERVIÇO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos; SERVIÇO 03 Análise de melhorias nos processos e sistemas; SERVIÇO 04 Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio; SERVIÇO 05 Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos; SERVIÇO 06 Elaboração de Plano de Implementação do novo processo; SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos; USTs

14 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs Frente de Trabalho Número de Processos Número de Etapas Serviços Quantidade de USTs PROJETO DE TRANSFORMAÇÃO DO MACROPROCESSO GERIR ESTOQUE 08 Processos 14 Etapas SERVIÇO 01 Mapeamento da situação atual dos processos; SERVIÇO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos; SERVIÇO 03 Análise de melhorias nos processos e sistemas; SERVIÇO 04 Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio; SERVIÇO 05 Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos; SERVIÇO 06 Elaboração de Plano de Implementação do novo processo; SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos; USTs

15 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs Frente de Trabalho Número de Processos Número de Etapas Serviços Quantidade de USTs PROJETO DE TRANSFORMAÇÃO DO MACROPROCESSO RECRUTAR E SELECIONAR PESSOAS 05 Processos 11 Etapas SERVIÇO 01 Mapeamento da situação atual dos processos; SERVIÇO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos; SERVIÇO 03 Análise de melhorias nos processos e sistemas; SERVIÇO 04 Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio; SERVIÇO 05 Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos; SERVIÇO 06 Elaboração de Plano de Implementação do novo processo; SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos; USTs TOTAL DE USTs: VALOR TOTAL: R$ ,30

16 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs

17 3.1 Identificação dos serviços contratados por frente de trabalho e sua quantidade de USTs

18 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 01 Mapeamento da situação atual dos processos Realizar coleta de informações para entendimento da situação atual dos processos; Identificar os sistemas de informática que se interrelacionam com os processos em análise, bem como eventuais atividades ou etapas realizadas sem o apoio de sistemas; Construir mapas que representem a situação atual dos processos; Revisar mapas que representam a situação atual dos processos; Realizar homologação dos mapas que representam a situação atual dos processos; Realizar reunião para entendimento dos objetivos e resultados esperados para a estratégia a partir do mapeamento dos processos; Levantar pontos de controle para elaboração de checklist de forma a subsidiar posterior monitoramento; Realizar reunião para validação e homologação dos pontos de controle do novo processo. Mapa da situação atual em notação BPMN detalhando, de acordo com o necessário: atividades, executores, informações, normativos, legislações, sistemas, decisões e pontos de controle; Informações adicionais e regras de negócio que complementam a descrição da situação atual dos processos; Planilha contendo as atividades e seus respectivos itens de verificação para controle (checklists), com informações sobre responsáveis por executar e validar cada item.

19 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos Definir indicadores para mensurar a contribuição do processo para a estratégia do órgão; Analisar os indicadores existentes e respectivos históricos (quando houver); Propor a utilização de novos indicadores não acompanhados pela contratante, quando for o caso; Construir planilha de indicadores e matriz de coleta de informações; Construir plano de ação para implementação e coleta de indicadores; Avaliar possibilidade de aumento do desempenho deste indicador, assim como seu devido impacto para a estratégia do órgão; Realizar as seguintes análises, conforme descritas no CBOK: análise de ambiente de negócio e análise de interações com o cliente; Identificar melhorias com grande impacto na estratégia do órgão conforme indicador definido; Consolidar relatórios descrevendo os diagnósticos realizados assim como as melhorias a serem obtidas; Homologar a análise do alinhamento dos processos à estratégia do órgão. Planilha de indicadores detalhando a periodicidade de acompanhamento do indicador, a forma de coleta das informações, o responsável pela coleta, a fórmula de cálculo do indicador, plano de implantação, o objetivo da mensuração alinhada à estratégia e sua meta; Análise de alinhamento do processo à estratégia, considerando o ambiente de negócio (cadeia de valor e/ou matriz SWOT) e as interações com o cliente, e detalhando os problemas identificados e soluções propostas, e respectiva apresentação em formato de slides que sintetize a análise; Melhorias nos processos identificadas como relevantes para o cumprimento da estratégia, assim como seu impacto para os indicadores definidos.

20 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 03 Análise de melhorias nos processos e sistemas Realizar as seguintes análises, conforme descritas no CBOK: análise de handoffs, análise de regras de negócio, análise de controles de processo, análise de sistemas de informação e análise de processos; Identificar oportunidades de melhoria nos processos e sistemas, neste último caso, limitadas exclusivamente aos aspectos da análise de negócio; Consolidar relatórios descrevendo os diagnósticos realizados; Realizar reunião para homologação da análise qualitativa de melhorias nos processos; Analisar relações de precedência e relevância dentre as melhorias identificadas nas análises realizadas; Apresentar diagnósticos realizados e sugestão de priorização das melhorias. Análise de processos (incluindo regras de negócio, handoffs e controles de processos) detalhando problemas identificados e soluções propostas, e respectiva apresentação em formato de slides; Análise de sistemas de informação detalhando problemas identificados e soluções propostas. Este relatório deve possuir nível de detalhamento que permita a posterior identificação de requisitos de sistemas para suportar os processos definidos. Deve ser acompanhado de apresentação de slides que sintetize as propostas; Priorização de melhorias.

21 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 04 Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio Coletar informações para análise de alocação de recursos; Realizar análise de capacidade dos recursos, considerando se as equipes possuem membros com formação, treinamento e conhecimento suficientes para realização de suas atividades; Realizar análise de quantidade de recursos de forma a avaliar qual o quantitativo de pessoas ideal para execução do processo. Análise de capacidade (qualitativa) de recursos humanos, incluindo responsabilidades e atribuições das funções exercidas, detalhando quais treinamentos devem ser realizados para execução do processo; Análise quantitativa de recursos humanos, dimensionando o número de pessoas que devem ser alocadas para correta execução dos processos. Este relatório deve descrever todos os argumentos e premissas utilizadas na realização desta quantificação, incluindo análise da capacidade técnica dos quadros; Matriz de cálculo da quantidade de recursos humanos considerando as etapas do processo, suas principais atividades, os drivers para mensuração do esforço e a sazonalidade existente.

22 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 05 Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos Realizar desenho da situação futura dos processos; Construir o mapa da situação futura dos processos; Construir manuais que detalhem o funcionamento da situação futura dos processos; Realizar reunião para revisão dos mapas e manuais que representam a situação futura dos processos; Realizar reunião para homologação dos mapas que representam a situação futura dos processos; Apresentar diagnósticos realizados e priorização das melhorias a serem implantadas; Realizar análise de intervalo (Gap Analysis) com foco no ganho efetivo (tempo e capacidade), considerando equivalência de tipos de informações analisadas; Levantar pontos de controle para elaboração de checklist de forma a subsidiar posterior monitoramento; Realizar reunião para validação e homologação dos pontos de controle do novo processo. Representação da situação futura em notação BPMN detalhando: atividades, executores, normativos, legislações, sistemas, decisões, pontos de controle e informações complementares; Manual descritivo das atividades do processo da situação futura detalhando tarefas e regras específicas; Análise de Intervalo (Gap Analysis); Planilha contendo as atividades e seus respectivos itens de verificação para controle (checklists),com informações sobre responsáveis por executar e validar cada item.

23 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 06 Elaboração de Plano de Implementação do novo processo Elaborar versão inicial do plano de implementação permitindo o sequenciamento das ações propostas considerando critérios de relevância, disponibilidade de tempo, distribuição de carga de trabalho e precedência lógica entre as ações; Realizar reuniões para revisão do plano de implementação dos processos, identificando os pontos de melhoria; Revisar plano de implementação incorporando as contribuições oriundas das reuniões; Realizar reunião para homologação do plano de implementação do processo que viabiliza o novo processo definido a partir das análises de processos, sistemas e recursos humanos realizados. Plano de Implementação detalhando: etapas, subetapas, responsáveis, prazos e relacionamento com as análises realizadas.

24 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos INDICADORES: Realizar reunião junto às áreas gestoras para definição e validação da sistemática de monitoramento de resultados e planos de implantação; Criar painel de indicadores a partir de planilhas customizadas com as fórmulas de cálculo para os indicadores propostos e faróis de desempenho, salvo quando já existir sistema capaz de fazer o cálculo automático dos indicadores; Realizar reunião junto às áreas gestoras para acompanhamento e suporte na coleta de indicadores dos processos; Realizar treinamento das equipes técnicas envolvidas dos órgãos na metodologia e sistemática de monitoramento; Interpretar, em conjunto com as equipes técnicas dos órgãos, valores obtidos na coleta dos indicadores frente às metas estabelecidas avaliando sua tendência e necessidade de reavaliação; Realizar reunião para identificação de melhorias contínuas, caso necessário; Elaborar, em conjunto com as equipes técnicas envolvidas dos órgãos, planos de ação e estabelecer contramedidas para indicadores com desempenho abaixo do esperado. Relatório contendo a sistemática de monitoramento de resultados e planos de implantação; Planilha com as atividades e seus respectivos itens de verificação, com criticidade, para controle (checklists), com informações sobre responsáveis por executar, validar e certificar cada item, bem como as datas de realização das atividades e as necessidades de coleta de evidências de execução; Cinco relatórios mensais de acompanhamento dos indicadores (contendo os painéis), com defasagem máxima de 30 (trinta) dias em relação ao final do período acompanhado; Lista de ajustes nos mapas e manuais do processo.

25 3.2 Detalhamento de atividades a serem desenvolvidas SERVIÇOS ATIVIDADES ENTREGÁVEIS SERVIÇO 07 Apoio no monitoramento de desempenho de processos PONTOS DE CONTROLE (ITENS DE CHECKLIST): Acompanhar a execução do processo, tendo como objetivo a validação e verificação dos itens de checklist (pontos de controle do processo); Criar painel de indicadores a partir de planilhas customizadas com as fórmulas de cálculo para os itens de checklist e faróis de desempenho, salvo quando já existir sistema capaz de fazer a verificação automática dos pontos de controle; Identificar ajustes nos mapas e manuais do processo, decorrentes dos serviços de monitoramento do desempenho. Relatório contendo a sistemática de monitoramento de resultados e planos de implantação; Planilha com as atividades e seus respectivos itens de verificação, com criticidade, para controle (checklists), com informações sobre responsáveis por executar, validar e certificar cada item, bem como as datas de realização das atividades e as necessidades de coleta de evidências de execução; Cinco relatórios mensais de acompanhamento dos indicadores (contendo os painéis), com defasagem máxima de 30 (trinta) dias em relação ao final do período acompanhado; Lista de ajustes nos mapas e manuais do processo.

26 Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília 4 EXEMPLO INFORMAÇÕES DE ABERTURA GERAIS DE CAPÍTULO DO PROJETO 03 NÃO HÁ IMAGEM AO LADO USE SEMPRE CAPS LOCK

27 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto Todos os documentos produzidos durante o projeto serão entregues em meio impresso e digital, neste último caso em suporte físico (CD, DVD ou pendrive) em formato de arquivo que permita leitura por softwares livres ou que sejam de propriedade da MGS. A lista de atividades a serem executadas encontra-se no cronograma de execução REALIZAR VENDA DE SERVIÇO - MAPEAMENTO - ANÁLISE ESTRATÉGICA - ANÁLISE DE MELHORIAS - ANÁLISE DE RECURSOS - REDESENHO - PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO - IMPLEMENTAÇÃO

28 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto Todos os documentos produzidos durante o projeto serão entregues em meio impresso e digital, neste último caso em suporte físico (CD, DVD ou pendrive) em formato de arquivo que permita leitura por softwares livres ou que sejam de propriedade da MGS. A lista de atividades a serem executadas encontra-se no cronograma de execução REALIZAR COMPRAS INTERNAS - MAPEAMENTO - ANÁLISE ESTRATÉGICA - ANÁLISE DE MELHORIAS - ANÁLISE DE RECURSOS - REDESENHO - PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO - IMPLEMENTAÇÃO

29 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto Todos os documentos produzidos durante o projeto serão entregues em meio impresso e digital, neste último caso em suporte físico (CD, DVD ou pendrive) em formato de arquivo que permita leitura por softwares livres ou que sejam de propriedade da MGS. A lista de atividades a serem executadas encontra-se no cronograma de execução GERIR ESTOQUE - MAPEAMENTO - ANÁLISE ESTRATÉGICA - ANÁLISE DE MELHORIAS - ANÁLISE DE RECURSOS - REDESENHO - PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO - IMPLEMENTAÇÃO

30 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto Todos os documentos produzidos durante o projeto serão entregues em meio impresso e digital, neste último caso em suporte físico (CD, DVD ou pendrive) em formato de arquivo que permita leitura por softwares livres ou que sejam de propriedade da MGS. A lista de atividades a serem executadas encontra-se no cronograma de execução RECRUTAR E SELECIONAR PESSOAS - MAPEAMENTO - ANÁLISE ESTRATÉGICA - ANÁLISE DE MELHORIAS - ANÁLISE DE RECURSOS - REDESENHO - PLANO DE IMPLEMENTAÇÃO - IMPLEMENTAÇÃO

31 4.1 Cronograma e marcos críticos do projeto Todos os documentos produzidos durante o projeto serão entregues em meio impresso e digital, neste último caso em suporte físico (CD, DVD ou pendrive) em formato de arquivo que permita leitura por softwares livres ou que sejam de propriedade do MGS MARCO MARCO 01 DESCRIÇÃO Mapeamento da situação atual do processos MARCO 02 Análise do alinhamento entre a estratégia e a situação atual dos processos MARCO 03 MARCO 04 MARCO 05 MARCO 06 Análise de melhorias de processos e sistemas Análise da capacidade e quantidade de recursos humanos para execução do processo de negócio Desenho da situação futura dos processos incorporando os resultados identificados durante a Análise de Processos Elaboração do Plano de Implementação MARCO 07 Relatórios de acompanhamento

32 4.2 Equipe do projeto e da consultoria e responsáveis EQUIPE DO PROJETO PATROCINADOR Presidente Dr. Carlos Vanderley Soares GESTOR DO PROJETO Assessor da presidência Dr. Dalton Rosa ELOGROUP Daniel Karrer Lays Lobato Raquel Flexa Anderson Luz Carolina Meira Fernando Lamounier Letícia Rizzo EQUIPE E PERFIS DA CONSULTORIA COORDENADOR: Daniel Karrer (21) ASSISTENTE DE PROCESSOS: Lays Lobato (31) INDUSTRY PARTNER: Raquel Flexa (21) ASSISTENTE DE PROCESSOS: Anderson Luz (31) ASSISTENTE DE PROCESSOS: Carolina Meira (31) ASSISTENTE DE PROCESSOS: Fernando Lamounier (31) ASSISTENTE DE PROCESSOS: Letícia Rizzo (27) Pontos focais para envio e recebimento de informações : ELOGROUP: Lays Lobato MGS: Dalton Rosa e José Maurício Salgado

33 4.3 Documentos e meios de comunicação a serem utilizados MEIOS DE COMUNICAÇÃO Ao longo do projeto, alguns meios de comunicação entre a contratante e a contratada poderão ser utilizadas, a saber: Relativo à gestão do contrato: Toda comunicação relativa à gestão do contrato deverá ser formalizada por escrito, seja em meios virtuais ou físicos. Relativo à execução do projeto: A comunicação relativa à execução do projeto será de acordo com a demanda e necessidade, utilizando-se de meios de comunicação como e por telefone.

34 4.3 Documentos e meios de comunicação a serem utilizados DOCUMENTOS A SEREM UTILIZADOS Normativos e regulamentos pertinentes; Documentos institucionais como planejamento estratégico, cadeia de valor, estrutura funcional, regimento interno; Diretrizes e estratégias relacionadas com a gestão dos serviços no órgão; Relatórios de indicadores, dados e informações que sejam necessárias para a análise estratégica do órgão; Outros documentos solicitados ao longo da execução do projeto.

35 4.4 Recursos necessários para o desenvolvimento do trabalho RECURSOS NECESSÁRIOS PARA A EXECUÇÃO DO PROJETO Disponibilidade de sala de reunião com projetor ou televisor para a realização das reuniões planejadas; Disponibilidade de sala para utilização dos consultores durante a execução dos serviços contratados (exceto reuniões); Acesso à internet; Acesso à impressora; Disponibilidade da equipe da MGS para atendimento das requisições relevantes para atendimento dos prazos e para o bom andamento do projeto.

36 4.5 Premissas PREMISSAS O cumprimento do cronograma está condicionado à disponibilidade dos envolvidos na participação das reuniões pré-estabelecidas e agendadas; As áreas envolvidas devem disponibilizar materiais e informações necessárias para a condução adequada referente ao objeto deste projeto, dentro de um prazo adequado de comum acordo entre as partes; O direcionamento para as principais definições do projeto dependem diretamente do envolvimento do MGS, incluindo esferas decisórias, pois impactam diretamente na assertividade do trabalho. Lays Lobato ELOGROUP

37 Lays Lobato

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas

Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas Plano de Ação Política de Gestão de Pessoas (Produto 1) TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICÍPIOS DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE CONTROLE EXTERNO DOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MUNICÍPIOS

Leia mais

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS

PROGRAMA PROREDES BIRD - RS PROGRAMA PROREDES BIRD - RS TERMO DE REFERÊNCIA Nº TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA COM VISTAS À DEFINIÇÃO, ELABORAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE UM PROGRAMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA PARA O DEPARTAMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DE ENTREGA DO PROJETO DE BPM ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO-EMPREL

RELATÓRIO DE ENTREGA DO PROJETO DE BPM ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO-EMPREL Diretoria de Soluções em Tecnologia da Informação DSI Departamento Projetos, Processos e Requisitos - DEPR Unidade Operacional de Projetos e Processos UOPP RELATÓRIO DE ENTREGA DO PROJETO DE BPM ADMINISTRATIVO-FINANCEIRO-EMPREL

Leia mais

Etapa 01 Proposta Metodológica

Etapa 01 Proposta Metodológica SP Etapa 01 Proposta Metodológica ConsultGEL - Rua: : José Tognoli, 238, Pres., 238, Pres. Prudente, SP Consultores Responsáveis, SP Élcia Ferreira da Silva Fone: : (18) 3222 1575/(18) 9772 5705 João Dehon

Leia mais

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL

ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL ANEXO X DIAGNÓSTICO GERAL 1 SUMÁRIO DIAGNÓSTICO GERAL...3 1. PREMISSAS...3 2. CHECKLIST...4 3. ITENS NÃO PREVISTOS NO MODELO DE REFERÊNCIA...11 4. GLOSSÁRIO...13 2 DIAGNÓSTICO GERAL Este diagnóstico é

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANEXO À RESOLUÇÃO Nº /2010 REGIMENTO DA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Art. 1º - A Diretoria de Tecnologia de Informação e Comunicação DTIC da Universidade FEDERAL DO ESTADO DO RIO

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 66, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2012. Institui o Programa de Fortalecimento Institucional da ANAC. A DIRETORIA DA AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL - ANAC, no exercício das competências

Leia mais

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Novo cenário da mobilidade urbana Plano de Mobilidade Urbana:

Leia mais

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA

RM 12 DIRETRIZES PARA REALIZAÇÃO DE AVALIAÇÕES 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem como objetivo estabelecer diretrizes e orientações para realização

Leia mais

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares,

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares, PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 630/2011 Define a Política de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicações

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação PETI 2014-2016 Versão 1.0 1 APRESENTAÇÃO O Planejamento

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM MANUAL DE PROCEDIMENTOS MPR/ASCOM-002-R00 ATIVIDADES DE ASSESSORAMENTO, COMUNICAÇÃO INTEGRADA E APOIO À GESTÃO DA ASCOM 09/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 30 de setembro de 2015. Aprovado, Gabriela

Leia mais

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira

GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS. Vanice Ferreira GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS Vanice Ferreira 12 de junho de 2012 GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais DE QUE PROCESSOS ESTAMOS FALANDO? GESTÃO E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS: conceitos iniciais

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS PARTE II POLÍTICAS CORPORATIVAS 1 Política de segurança da informação 1.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COGEM, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção de políticas

Leia mais

PLANEJAMENTO DO PROJETO

PLANEJAMENTO DO PROJETO PLANEJAMENTO DO PROJETO 1 APRESENTAÇÃO DO PROJETO O presente projeto foi aberto para realizar a gestão de todos os processos de prestação de serviços de informática, fornecimento de licença de uso perpétua,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO OEI/TOR/FNDE/CGETI

Leia mais

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP)

Plano de Gerenciamento do Projeto (PGP) 1.JUSTIFICATIVA A administração pública vem nos últimos anos sofrendo mudanças estruturais em sua forma de atuação, saindo de um modelo patrimonialista e burocrático para um modelo gerencial, focando nos

Leia mais

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade

CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE. Seção I Da Finalidade CAPÍTULO XX DA UNIDADE DE APOIO A GESTÃO ESTRATÉGICA UAGE Seção I Da Finalidade Art. 1º A Unidade de Apoio à Gestão Estratégica (UAGE) tem como finalidade promover o gerenciamento estratégico setorial

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada

CONSULTA PÚBLICA até 28/08/2009. até a data acima mencionada CONSULTA PÚBLICA O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES está preparando processo licitatório para contratação de serviços de consultoria técnica especializada, conforme detalhado

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Curi9ba

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Curi9ba Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Fortaleza Curi9ba Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília MGS Análise de processos Contextualização Visão geral dos processos da empresa 4 Negócios

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICAS CORPORATIVAS 8 - Política de segurança da informação 8.1 Introdução A informação é um ativo que possui grande valor para a COOPERFEMSA, devendo ser adequadamente utilizada e protegida contra ameaças e riscos. A adoção

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

Modelo de Gestão por Processos da Anatel

Modelo de Gestão por Processos da Anatel Modelo de Gestão por Processos da Anatel 1º Evento de Intercâmbio em Planejamento & Gestão das Agências Reguladoras 03 de abril de 2009 Superintendência de Administração-Geral - SAD Gerência-Geral de Talentos

Leia mais

MGProc Metodologia de Gestão de Processos do Ministério da Fazenda

MGProc Metodologia de Gestão de Processos do Ministério da Fazenda MGProc Metodologia de Gestão de Processos do Ministério da Fazenda AGENDA PMIMF Frente de atuação: Processos Modelo de Gerenciamento de Processos do Ministério da Fazenda MGProc Passo a Passo 1º Passo

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 77, DE 18 DE MARÇO DE 2014. Institui os procedimentos para o gerenciamento de projetos prioritários no âmbito da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC e dá outras providências.

Leia mais

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos

Workshop PMBoK. Gerenciamento de Recursos Humanos Workshop PMBoK Gerenciamento de Recursos Humanos Paulo H. Jayme Alves Departamento de Inovação Tecnológica - DeIT Janeiro de 2009 1 Envolvimento da equipe Os membros da equipe devem estar envolvidos: Em

Leia mais

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011)

PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) PORTARIA-TCU Nº 385, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2009 (Revogada) (Portaria - TCU nº 36, de 31/01/2011, BTCU nº 03, de 31/01/2011) Dispõe sobre as competências da Secretaria de Infraestrutura de Tecnologia da

Leia mais

Conceitos e definições

Conceitos e definições Conceitos e definições Hierarquia de processos Macro-processo Macro Atividade Atividade Tarefa Tarefas 1. ------------ 2. --------- 3. --------------- 1 Conceitos e definições Hierarquia de processos Macro-processo

Leia mais

METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES?

METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES? METAS E INDICADORES COMO DEFINIR OS INDICADORES? Os indicadores permitem avaliação do desempenho da instituição, segundo três aspectos relevantes: controle, comunicação e melhoria. (MARTINS & MARINI, 2010,

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO MPR MPR/SPI-801-R00 PARCERIAS COM INSTITUIÇÕES DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO 05/2015 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO 2 18 de maio de 2015. Aprovado, Tiago Sousa Pereira 3 PÁGINA INTENCIONALMENTE EM BRANCO

Leia mais

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho

Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Plano Diretor de Tecnologia da Informação (PDTI) Plano de Trabalho Versão 1.0 Superintendência da Gestão Técnica da Informação SGI Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Índice INTRODUÇÃO... 3 FINALIDADE...

Leia mais

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados

Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados E77p Espírito Santo. Tribunal de Contas do Estado. Plano de Ação 2015: Objetivos estratégicos, Indicadores, Metas e Projetos priorizados / Tribunal de Contas do Estado. Vitória/ES: TCEES, 2015. 13p. 1.Tribunal

Leia mais

Ciclos de Melhoria e Inovação dos Processos Caso Sebrae/RJ. Palestrante: Marcelo Lima Gerente TI

Ciclos de Melhoria e Inovação dos Processos Caso Sebrae/RJ. Palestrante: Marcelo Lima Gerente TI Ciclos de Melhoria e Inovação dos Processos Caso Sebrae/RJ Palestrante: Marcelo Lima Gerente TI Agenda O Sebrae/RJ Contexto Inicial Iniciativas de Gestão por Processos Iniciativa Interna Projeto Gestão

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. OBJETO... 2 2. JUSTIFICATIVA... 2 3. OBJETIVO GERAL... 3 4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 5 DOCUMENTAÇÃO DE REFERÊNCIA... 4 6 PRODUTOS E SERVIÇOS... 4 6.1 RELATÓRIO DE SITUAÇÃO

Leia mais

Tema: Sustentabilidade Financeira Objetivo Estratégico: Gerir Recursos Financeiros de Forma Eficiente

Tema: Sustentabilidade Financeira Objetivo Estratégico: Gerir Recursos Financeiros de Forma Eficiente 1. Escopo ou finalidade do projeto Implantar uma sistemática de gestão de custos, objetivando o fornecimento de informações estratégicas de gastos segmentados por unidades de custos. O sistema deverá permitir

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG

PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG PDTI UFLA: Plano Diretor de Tecnologia da Informação Segundo Modelo de Referência da SLTI/MPOG Forplad Regional Sudeste 22 de Maio de 2013 Erasmo Evangelista de Oliveira erasmo@dgti.ufla.br Diretor de

Leia mais

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX.

SUMÁRIO. Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. Procedimento de Gestão OGX PG.SMS.017 Denominação: Análise Crítica SUMÁRIO Este procedimento define a estrutura e a sistemática para a condução da Análise Crítica do Sistema de Gestão de SMS da OGX. ÍNDICE

Leia mais

Qual a melhor técnica para auto-avaliação?

Qual a melhor técnica para auto-avaliação? técnicas Qual a melhor técnica para auto-avaliação? : Integração das ferramentas de auto-avaliação 1. Por meio de questionários aplicados às partes interessadas (docentes, discentes, funcionários e sociedade)

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR)

TERMO DE REFERÊNCIA (TOR) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS PARA EDUCAÇÃO DO CAMPO E DIVERSIDADE COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA

Leia mais

IMPLEMENTAR METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROCESSOS DE TRABALHO NO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

IMPLEMENTAR METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROCESSOS DE TRABALHO NO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO . Escopo ou finalidade do projeto O projeto visa implantar método de gestão de processos de trabalho em 00% das prestadoras de jurisdição de º grau, tendo como base o Sistema Normativo do Poder Judiciário

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília INTEGRANDO UM DIAGNÓSTICO À GESTÃO POR PROCESSOS Pedro Barreto SUMÁRIO 1 Diagnóstico financeiro versus

Leia mais

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO

PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA PROJETO IICA/BRA/09/005 TERMO DE REFERÊNCIA: MODALIDADE PRODUTO 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratar consultoria por produto para formular

Leia mais

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010

Modelo de Referência. Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Modelo de Referência Plano Diretor de Tecnologia da Informação PDTI 2010 Versão 1.0 Premissas do modelo 1. Este modelo foi extraído do material didático do curso Elaboração do Plano Diretor de Tecnologia

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRZ4012 EDITAL Nº 004/2010 1. Perfil: 001/2010-CGIR - POLÍTICAS PÚBLICAS E PATRIMÔNIO CULTURAL 3. Qualificação educacional: Profissional doutor, com

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA COORDENADOR/A DE CAPACITAÇÃO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Júlio César Marques de Lima Agenda O Processo de Expansão AT da CEMIG-D. Cronograma

Leia mais

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO

CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO CENTRAIS ELÉTRICAS DO NORTE DO BRASIL S.A. COMPETÊNCIAS ATRIBUIÇÕES ORGANIZACIONAIS DIRETORIA DE OPERAÇÃO DIRETORIA DE OPERAÇÃO Cabe à Diretoria de Operação a gestão dos negócios geração, transmissão e

Leia mais

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Semana de Estruturação do Escritório de Processos Objetivo do Curso

Leia mais

CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos. Treinamento sobre Mapeamento de Processos

CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos. Treinamento sobre Mapeamento de Processos CPEE Coordenadoria de Planejamento e Estudos Estratégicos Treinamento sobre Mapeamento de Processos O que é um processo? É um conjunto de atividades relacionadas que aplicadas às entradas ou inputs do

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Ato da Mesa N 69/2013

Ato da Mesa N 69/2013 À Assessoria de Projetos e Gestão compete: Ato da Mesa N 69/2013 Anexo I 1. assessorar o Diretor-Geral a promover, planejar, coordenar, acompanhar e orientar a implementação da melhoria contínua ~ gestão

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO Qualificação 57/01 1. Número e Título do Projeto: Aprimoramento

Leia mais

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS

ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS CARGO/GRUPO Analista Informática Sistemas ANEXO II REQUISITOS, ATRIBUIÇÕES E REMUNERAÇÕES DOS CARGOS ATRIBUIÇÕES Codificar e manter aplicações e classes Executar análise, diagnóstico e correção problemas

Leia mais

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos

Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos Visão Geral das Áreas de Conhecimento e dos Processos da Gerência de Projetos GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO GERÊNCIA DO ESCOPO GERÊNCIA DO TEMPO GERÊNCIA DE CUSTO GERÊNCIA DA QUALIDADE Desenvolvimento do Plano

Leia mais

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO

Reunião de Abertura do Monitoramento 2015. Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Reunião de Abertura do Monitoramento 2015 Superintendência Central de Planejamento e Programação Orçamentária - SCPPO Roteiro da Apresentação 1. Contextualização; 2. Monitoramento; 3. Processo de monitoramento;

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos

Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos Fevereiro/2014 AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão de Riscos nos Projetos Estratégicos AGENDA Gestão de Riscos Metodologia de Gestão

Leia mais

Consultoria: Alta Performance em Vendas

Consultoria: Alta Performance em Vendas MPRADO COOPERATIVAS Consultoria: Alta Performance em Vendas Apresentação: MPrado Consultoria Empresarial Uma das maiores consultorias em Agronegócio do Brasil; 15 anos de mercado; 70 Consultores em Gestão

Leia mais

1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública. Cadeia de valor. Quando? Como? Porque?

1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública. Cadeia de valor. Quando? Como? Porque? 1º Congresso Nacional de Gerenciamento de Processos na Gestão Pública Cadeia de valor Quando? Como? Porque? ABPMP Novembro-2012 1 QUANDO CONSTRUIR UMA CADEIA DE VALOR? - Gestão de processos - Gestão de

Leia mais

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015.

PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. PORTARIA Nº 7.965, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015. Atualiza o macroprocesso da fase de Gestão de Contratos de Tecnologia da Informação e Comunicações, instituído no âmbito do Tribunal Regional do Trabalho da

Leia mais

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI

PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI PRÁTICA O ESCRITÓRIO DE PROJETOS DA SUPERINTENDÊNCIA CENTRAL DE PLANEJAMENTO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DOS PROJETOS PRIORITÁRIOS DO PAI Secretaria/Órgão: Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO Impresso por: RODRIGO DIAS Data da impressão: 15/05/2013-15:50:44 SIGOEI - Sistema de Informações Gerenciais da OEI TERMO DE REFERÊNCIA Nº 2342 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA CONSULTOR POR PRODUTO 1.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA INDIVIDUAL PARA ATUALIZAÇÃO DOS BALANÇOS HÍDRICOS DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DE JOANES- IPITANGA,

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos

SIMPROS 2001. Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Experiência de implantação da norma ISO 9001:2000 a partir da utilização da ISO/IEC TR 15504 (SPICE) para Melhoria de Processos Adilson Sérgio Nicoletti Blumenau, SC - setembro de 2001 Conteúdo Apresentação

Leia mais

Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER

Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER Informações sobre oportunidades de trabalho na INTELECTO CONTACT CENTER ASSISTENTE DE DEPARTAMENTO PESSOAL Salário a combinar São Bernardo do Campo/SP Atribuições: Atendimento aos clientes, organização

Leia mais

Projeto Corporativo Relacionamento Externo. Apresentação RIALIDE

Projeto Corporativo Relacionamento Externo. Apresentação RIALIDE Projeto Corporativo Relacionamento Externo // 1 Apresentação RIALIDE 25 de novembro de 2014 1 Agenda // 2 Contextualização e Objetivos do Projeto Abordagem Metodológica Etapas do Projeto Benchmarking Segmentação

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

I Seminário de Modernização dos Gabinetes. Contexto do projeto

I Seminário de Modernização dos Gabinetes. Contexto do projeto I Seminário de Modernização dos Gabinetes Contexto do projeto Visão geral da Modernização do MPF Histórico da Modernização 1 1ª Fase Planejamento Estratégico Institucional Elaboração do Planejamento Estratégico

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Controle de Versões Autor da Solicitação: Subseção de Governança de TIC Email:dtic.governanca@trt3.jus.br Ramal: 7966 Versão Data Notas da Revisão 1 03.02.2015 Versão atualizada de acordo com os novos

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA DE CONSULTORIA POR PRODUTO (TR) Organização e Métodos

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA DE CONSULTORIA POR PRODUTO (TR) Organização e Métodos INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA DE CONSULTORIA POR PRODUTO (TR) Organização e Métodos CÓDIGO: 2 ORGANIZAÇÃO E MÉTODOS 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Prestação

Leia mais

ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO

ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO ENCONTRO DA FRENTE DE INOVAÇÃO Outubro 2015 AGENDA PMIMF Frente de Inovação Frente de Projetos - Plano de Comunicação - Painel Patrocinador - Case da SPE (Implantação do Escritório de Projetos) -Nova Versão

Leia mais

Não há documentação de referência para o processo.

Não há documentação de referência para o processo. Código: MAN-SADM-004 Versão: 00 Data de Aprovação: 24/05/2010 Elaborado por: Coordenadoria de Serviços Gerais Aprovado por: Secretaria Administrativa 1 Objetivo Estabelecer os critérios e os procedimentos

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO OEI/TOR/FNDE/CGETI

Leia mais

Implantação NG ADM. Setor Implantação

Implantação NG ADM. Setor Implantação Implantação NG ADM Setor Implantação Este treinamento faz parte da Metodologia Geral de implantação ( Manual de serviços ) Tem o foco teórico É flexível e pode ser adaptada Ainda está em evolução Orientações

Leia mais

METODOLOGIA DE GESTA O DE PROCESSOS

METODOLOGIA DE GESTA O DE PROCESSOS METODOLOGIA DE GESTA O DE PROCESSOS Guia de referência do sistema de Gestão de Pr ocessos do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Versão 0.0 METODOLOGIA DE GESTÃO DE PROCESSOS Guia de referência

Leia mais