Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI"

Transcrição

1 Qualidade e Acreditação x Proteção Radiológica Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI I Workshop Nacional sobre Proteção Radiológica em Cardiologia Intervencionista

2 Hemodinâmica & Estrutura Hospitalar Faturamento Comercial Imprensa Planejamento Agendamento Banco de Dados Imagem Qualidade Arquitetura Enfermagem Equipamentos Logistica Suprimentos Marketing

3 Evolução Tecnológica

4 OPME Novidades frequentes V. Aórtica MitraClip Balão Stents Amplatzer Cateteres Guias Fios Guias Cateter Aspiração

5 Dinâmica da Assistência Suporte Profissionais de Saúde Médico Administrativo i ti Paciente

6 Mercado da Saúde Verticalização. Controle de OPME. Genéricos. Previsibilidade. Protocolos. Novas formas de pagamento (?). ANVISA. Qualidade. T.I. Gestão de Riscos.

7 O que é Qualidade?

8 ISO (International Standard Organizational) "A Qualidade é conjunto das propriedades p e características de um produto, processo ou serviço que lhe fornecem a capacidade de satisfazer as necessidades d explícitas ou implícitas". AFNOR (francesa) "A qualidade é a capacidade de um produto ou serviço satisfazer as necessidades dos usuários".

9 Norma JIS-Z-8101 (japonesa) de 1981 "A gestão da qualidade é um sistema de meios colocados em prática para produzir de forma econômica produtos ou serviços que satisfarão as necessidades dos clientes. JCAHO (Joint Comission on Accreditation for Health Organizations - EUA) OO grau no qual os serviços prestados ao paciente aumentam a probabilidade de resultados favoráveis e diminuem a probabilidade de resultados desfavoráveis, dado o presente estado da arte.

10

11 Linha do Tempo Nos Serviços de Saúde Acreditação Hospitalar 1950s Criação EUA Canadá Auditoria Médica (Revisão de Casos) Garantia de Qualidade Qualidade Total Gestão Melhoria dos processos Segurança do Paciente Eficácia Comparativa Controle Avaliação Garantia Promoção e Desenvolvimento 1960s 1970s 1980s 1990s 2000s OTA (1972) Congresso dos EUA (eliminado em 1995) Primeiras publicações de Avedis Donabedian Variações na prática médica Wennberg AHRQ responsável pela pesquisa em serviços de saúde do Governo dos EUA Rand corporation estudos sobre inadequação procedimentos médicos AHRQ lança programa para desenvolver diretrizes clínicas baseadas em evidências. Colaboração Cochrane Revisões Sistemáticas (1992 Oxford Inglaterra) Publicado o livro Errar é Humano IOM EUA Criada a Aliança para a Seguridade do Paciente na OMS, 2004 Criação IHI

12

13

14

15 Participação em Processos Indicadores Cadeia de Melhorias Protocolos

16

17 N = N = 2 N = 9 N = 28 N = 10 N = 1 N = 8 N = 4 N = 12 N = 16 N = 8 N = 3 N = 18 N = 28 N = 14 N = 30 N = 9 N = 9 N = 258 N = 8 Hospitais c/ Hemodinâmica = 436 Cardiologistas Intervencionistas = 1008 N = 29 N = 84 N = 19 N = 73 N = 151 N = 28 N = 77

18 Ações: Planejamento Estratégico. Diretrizes e Incorporação de Novos Procedimentos. Acesso à população. Formação de Especialistas. Qualificação dos Centros Projeto de Proteção Radiológica. Certificação de Qualidade. Campanha de Conscientização da População.

19 Programas de Qualidade e Segurança Projeto BRA 9056 Cooperação Técnica IEAE / CNEN / SBHCI. Programa de Certificação de Qualidade Institucional SBHCI / IQG.

20 Lesão por Radiação

21 Projeto BRA 9056 Cooperação Técnica IEAE / CNEN / SBHCI. Protocolos de Proteção Radiológica Avaliação dos Centros de Treinamentos. Multiplicação das Informações. Treinamento de Profissionais Médicos e Físicos

22 Programa de Certificação Institucional

23 Instrumento de Avaliação Legislação, Resoluções e Diretrizes ANVISA ANS ONA ISQua SBHCI ( Manual de Orientação e Diretrizes Nacionais e Internacionais ) e outras diretrizes legais ( MTB, NRs,...)

24 O Instrumento Seção 1. Estrutura Organizacional Sub Seção Liderança Equipe Médica Equipe de Enfermagem Equipe Técnica de Radiologia Gestão de Pessoas Segurança Ocupacional e Medicina do Trabalho Engenharia Biomédica Manutenção Predial Estrutura Física Documentação Legal 2. Estrutura de Atendimento Agendamento Recepção Sl Sala de Espera Área de Procedimentos Sala de Recepção Interna / Admissão do Paciente Sala de Procedimento Equipamentos Sala de Recuperação Pós procedimento Laudos

25 O Instrumento Seção Sub Seção Assistência Farmacêutica 3. Estrutura de Apoio Serviço de Higiene Esterilização de Materiais Reprocessamento / Esterilização Guarda do Prontuário do Paciente Serviços de Apoio a Assistência Equipes multiprofissionais e multidisciplinares Gestão de Compras 4. Gestão de Suprimentos Almoxarifado Fornecedores / Materiais 5. Biossegurança 6. Resultados Clínicos Comitê de Controle de Infecção e Eventos Adversos Gestão de Resíduos Proteção Radiológica Dados clínicos Banco de Dados.

26 O Instrumento Seção 7. Centro de Treinamento Sub Seção Cadastro junto à SBHCI Qualificação do Staff e da Enfermagem. Programa de Educação teórico e prático. Resultados Assistenciais. Qualificação e Legalidade dos treinandos. Banco de Dados Reporte à SBHCI. Produção Científica Formação Completa

27 Equipamentos e Estrutura Equipamento de qualidade. Projetos arquitetônico diferenciado. Normas ANVISA (RDC 50). Alvará de funcionamento. Normas de segurança. Manutenção preventiva. Depreciação. Controlar boas condições de uso. Plano de gerenciamento de resíduos. Não agredir o meio ambiente. Evitar desperdícios de água, energia e etc. Reciclagem. Documentação.

28

29 Selos de Qualidade Prata Ouro Diamante

30 Informação

31

32

33

34 Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI (11) org br

Inovação nos Processos de Segurança e Qualidade. Certificação - SBHCI

Inovação nos Processos de Segurança e Qualidade. Certificação - SBHCI Inovação nos Processos de Segurança e Qualidade Certificação - SBHCI Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Diretor da Angiocardio VI Fórum Internacional de Qualidade em Saúde IQG - 2013

Leia mais

Proteção Radiológica para Staffs e Pacientes em Serviço de Radiologia Intervencionista. Hélio Castello. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI

Proteção Radiológica para Staffs e Pacientes em Serviço de Radiologia Intervencionista. Hélio Castello. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Proteção Radiológica para Staffs e Pacientes em Serviço de Radiologia Intervencionista Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Os perigos do Raio X Hemodinâmica & Estrutura Hospitalar Faturamento

Leia mais

Radiação Ionizante: Riscos e Minimização dos seus efeitos. Hélio Castello. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI

Radiação Ionizante: Riscos e Minimização dos seus efeitos. Hélio Castello. Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Radiação Ionizante: Riscos e Minimização dos seus efeitos Hélio Castello Diretor de Qualidade Profissional SBHCI Os perigos do Raio X Conceitos Básicos EFEITOS BIOLÓGICOS Efeitos Estocáticos: Efeitos

Leia mais

IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde. Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação

IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde. Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação IBES - Instituto Brasileiro Para Excelência em Saúde Sistema Brasileiro de Acreditação Organização Nacional de Acreditação ONA - Organização Nacional de Acreditação Organização jurídica não governamental

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA Versão 2014 Entidades Associadas Sumário Seção 1 Estrutura Organizacional 1.1. Liderança 1.2. Equipe Médica 1.3. Equipe de Enfermagem 1.4. Gestão de Pessoas

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

Acreditação. Acreditação

Acreditação. Acreditação Acreditação Acreditação 1621132 - Produzido em Abril/2011 Acreditação Rumo ao processo de Acreditação Hospitalar e gestão da melhoria contínua, é importante salientar as principais diferenças entre licenciamento,

Leia mais

Organograma UDI Hospital

Organograma UDI Hospital Organograma UDI Hospital ASSEMBLÉIA DOS SÓCIOS CONSELHO CONSULTIVO Centro de Estudos Ensino e Pesquisa CONSELHO FISCAL/ AUDITORIA INDEPENDENTE COMISSÃO DE ÉTICA MÉDICA UDI HOSPITAL SUPERINTENDÊNCIA DIRETOR

Leia mais

Santa Casa de Misericórdia de Passos. Fragmentação ECOeficiente de Documentos

Santa Casa de Misericórdia de Passos. Fragmentação ECOeficiente de Documentos Santa Casa de Misericórdia de Passos Fragmentação ECOeficiente de Documentos Autor: Christian Junior de Brito E-mail: assepsia@scpassos.org.br, brito.christian@bol.com.br Telefone: (35) 3529-1409 (35)

Leia mais

Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein

Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein Comitê de Avaliação de Tecnologias (ATS) ) do Hospital Israelita Albert Einstein Luiz Vicente Rizzo Diretor Superintendente Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein Avaliação de Tecnologia

Leia mais

ACREDITAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE VANTAGEM COMPETITIVA

ACREDITAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE VANTAGEM COMPETITIVA ACREDITAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE VANTAGEM COMPETITIVA QUALIDADE EM SAÚDE ACREDITAÇÃO. Que definição? ISQUA - www.isqua.org Um processo que as organizações utilizam para avaliar e implementar a gestão da

Leia mais

AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA MÉDICA ENGENHARIA CLÍNICA. Iliane Alencar por Yuri Araújo

AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA MÉDICA ENGENHARIA CLÍNICA. Iliane Alencar por Yuri Araújo AVALIAÇÃO DA TECNOLOGIA MÉDICA ENGENHARIA CLÍNICA Iliane Alencar por Yuri Araújo 1. INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIA Avaliação tecnológica Contrato de compra Processos de Aquisição Especificações Técnicas Recebimento

Leia mais

Prestador PROGESERV. Unimed Filiada

Prestador PROGESERV. Unimed Filiada Prestador PROGESERV Unimed Filiada Avaliação da Rede Credenciada Clínicas de Oncologia SELO UNIMED DE AVALIAÇÃO RN 275 ANS/QUALISS; MOTIVAÇÃO RN 277 Certificação Operadora INMETRO (ISO 9.001); Como medir

Leia mais

Cronograma de Educação Permanente 2016

Cronograma de Educação Permanente 2016 Cronograma de Educação Permanente 2016 JANEIRO FEVEREIRO Atendimento ao cliente s Favorecer diálogos sobre boas práticas de atendimento ao cliente. quimioterapia, equipe do SAME e colaboradores. MARÇO

Leia mais

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA

SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA APRESENTAÇÃO COMERCIAL O NEGÓCIO SISTEMA UNIMED SOBRE A COOPERATIVA UNIMED LIMEIRA Qualidade comprovada Top of Mind (Plano mais lembrado pela sociedade), Certificação ONA Nível 3 (Acreditação de Excelência

Leia mais

Acreditação Hospitalar e as Mudanças Benéficas para as Instituições Filantrópicas

Acreditação Hospitalar e as Mudanças Benéficas para as Instituições Filantrópicas Acreditação Hospitalar e as Mudanças Benéficas para as Instituições Filantrópicas Gestão de Processos Daniele L. Meneguzzi Superintendente Administrativa Hospital Pompéia Caxias do Sul Setembro 2017 Gestão

Leia mais

Escola Politécnica da USP Curso de Engenharia Ambiental

Escola Politécnica da USP Curso de Engenharia Ambiental Escola Politécnica da USP Curso de Engenharia Ambiental SISTEMAS DE QUALIDADE E GESTÃO AMBIENTAL Professor: Mierzwa Sistemas da Qualidade Série ISO 9.000 de normas; Experiência de países como Inglaterra,

Leia mais

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica

Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2. Viviane R Buffon Diretora Clínica Categoria: Gestão do Atendimento e Segurança do Paciente Subcategoria: Classe 2 Implantação da Comissão de Colaboração Clínica como ferramenta de Gestão do Atendimento e de Segurança do Paciente em âmbito

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR ALDA MARIA GRÜDTNER DE ALMEIDA

GESTÃO HOSPITALAR ALDA MARIA GRÜDTNER DE ALMEIDA GESTÃO HOSPITALAR ALDA MARIA GRÜDTNER DE ALMEIDA ADMINISTRADORA RESIDENTE HU/UFJF RESIDECOADM.HU@UFJF.EDU.BR O Contexto Hospitalar O Contexto Hospitalar Na nossa sociedade, o hospital se insere nas condições

Leia mais

Fórum de Gestão de Pessoas

Fórum de Gestão de Pessoas Fórum de Gestão de Pessoas O Papel da liderança para segurança das Organizações de Saúde Christian Hart Diretor de Projeto e Novos Negócios IBES Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde 600 Instituições

Leia mais

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial

Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial Gestão da Qualidade na diálise como Ferramenta Gerencial A busca da equipe Nefron pela Excelência Adm. Cristina Ferreira A EMPRESA NEFRON Ltda Sede: Rua PAULO D ASSUNÇÃO, 88 - JARDIM INDUSTRIAL - CONTAGEM

Leia mais

Boas Práticas em Serviços de

Boas Práticas em Serviços de FEIRA+FÓRUM FÓRUM HOSPITALAR 2011 24 de Maio de 2011 São Paulo SP Boas Práticas em Serviços de Saúde Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA Noção Matemática

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

Kelly Braga. Farmácia Hospitalar

Kelly Braga. Farmácia Hospitalar Curso de Atualização em Boas Práticas de Farmácia Hospitalar Aula Inaugural Introdução as Boas Práticas da Farmácia Hospitalar Kelly Braga Farmácia Hospitalar Unidade clínica, administrativa a e econômica,

Leia mais

Desafios da Cadeia de valor Suprimentos e Logística

Desafios da Cadeia de valor Suprimentos e Logística Desafios da Cadeia de valor Suprimentos e Logística Jose Henrique Germann Diretoria de Consultoria e Gestão Gestão de Suprimentos e Logística CONTEXTO DE SUPRIMENTOS Dilema na Elaboração da Política de

Leia mais

Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra Abril 2014 I Congresso Internacional sobre Segurança do Paciente ISMP Brasil V Fórum Internacional sobre Segurança

Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra Abril 2014 I Congresso Internacional sobre Segurança do Paciente ISMP Brasil V Fórum Internacional sobre Segurança Dra. Sandra Abrantes Krug Seabra Abril 2014 I Congresso Internacional sobre Segurança do Paciente ISMP Brasil V Fórum Internacional sobre Segurança do Paciente: Erros de Medicação Fatores Críticos de Sucesso

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2017 Ensino Técnico Plano de Curso nº 168 aprovado pela portaria Cetec nº 125 de 03/10/2012 Etec Sylvio de Mattos Carvalho Código: 103 Município: Matão Eixo Tecnológico: Ambiente

Leia mais

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED!

Unimed 2ª Opinião ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! ACREDITE: ESTÁ SURGINDO UMA NOVA UNIMED! CONCEITO O Inova Unimed é um movimento de renovação que visa a modernização estrutural, operacional e administrativa da Unimed Vale do Aço. OBJETIVOS SATISFAZER

Leia mais

Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente. Helaine Carneiro Capucho, DSc.

Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente. Helaine Carneiro Capucho, DSc. Implementação do Núcleo de Segurança do Paciente e elaboração do Plano de Segurança do Paciente Helaine Carneiro Capucho, DSc. 21 de março de 2016 2007 Implantação do Comitê de Segurança do Paciente

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA MANUAL DAS ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS PARA A SAÚDE SELO DE QUALIFICAÇÃO ONA

CONSULTA PÚBLICA MANUAL DAS ORGANIZAÇÕES PRESTADORAS DE SERVIÇOS PARA A SAÚDE SELO DE QUALIFICAÇÃO ONA A Organização Nacional de Acreditação, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 5º, inciso II, do seu Estatuto, aprovado em 21 de janeiro de 2008, adotou a seguinte e eu, Presidente da ONA, determino

Leia mais

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED

CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED CURSO PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DE SAÚDE UNIMED PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS FGV CORPORATIVO 12.227/14_v3 QUADRO DE DISCIPLINAS Disciplinas (**) Carga Horária (*) 1. Cooperativismo e Administração de Serviços

Leia mais

Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções. Bárbara Rodrigues

Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções. Bárbara Rodrigues Exposição Ocupacional em Intervencionismo: Problemas e Soluções Bárbara Rodrigues Radiologia Intervencionista A RADIOLOGIA INTERVENCIONISTA (RI) é uma especialidade que possibilita uma avaliação dinâmica

Leia mais

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos 15/03/2017 Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos Modelo Adotado Grupo São Lucas Ribeirania Ribeirão Preto Dr Pedro Antonio Palocci o Médico Pediatra formado pela XXIIIª Turma da FMRP-USP 1979

Leia mais

Processo de Certificação. Grupo PMQ

Processo de Certificação. Grupo PMQ Processo de Certificação da Operadora RN 277 Grupo PMQ UNIMED São José do Rio Preto Cooperados 1391 Clínicas 137 Hospitais 27 Sendo 14 Santa Casas e 13 Hospitais privados Serviços de Diagnose 111 Laboratórios

Leia mais

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar

Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Seminários de Gestão Tendências e Inovações em Saúde Tendências em Saúde e Impactos na Gestão Hospitalar FEHOSUL Impacto da Acreditação da Joint Commission International na Gestão Hospitalar Helena Barreto

Leia mais

Existem Formas de Incrementar a Remuneração dos Reumatologistas?

Existem Formas de Incrementar a Remuneração dos Reumatologistas? Existem Formas de Incrementar a Remuneração dos Reumatologistas? AMB Fórum Reumatologia Junho/2010 Pauta Cenário Atual da Cadeia Produtiva da Saúde; Evolução da Atividade Médica; O Médico em Ambiente Hospitalar;

Leia mais

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp

Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Fesp Encontro Nacional Unimed de Recursos e Serviços Próprios 2010 12/5/2010 QUALIFICARE Programa de Qualificação de Recursos Próprios Unimed no Estado de São Paulo Singulares - 73 Intrafederativas - 6 Federação

Leia mais

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica.

Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Certificação Joint Commission no Programa de Dor Torácica. Enf. Ana Paula de Mattos Coelho Hemodinâmica - Hospital TotalCor E-mail: acoelho@totalcor.com.br Joint Commission Acreditação do atendimento hospitalar;

Leia mais

Missão Institucional Gerenciar unidades públicas de saúde alinhada à Secretaria de Estado de Saúde

Missão Institucional Gerenciar unidades públicas de saúde alinhada à Secretaria de Estado de Saúde 1 2 3 Missão Institucional Gerenciar unidades públicas de saúde alinhada à Secretaria de Estado de Saúde 1 Gestão de Recursos Gestão de Excelência Gestão de Serviços Gestão de Recursos Humanos Gerenciamento

Leia mais

Prof. Márcio Batista

Prof. Márcio Batista Prof. Márcio Batista OBJETIVOS DA AULA Conhecer os principais conceitos em farmácia hospitalar. Conhecer os aspectos técnicos e legais de localização, construção e instalação e estruturação da farmácia

Leia mais

UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA

UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA UNIMED PAULISTANA SEDIMENTAÇÃO DA CULTURA DE NOTIFICAÇÃO DE EVENTO SENTINELA HOSPITAL UNIMED SANTA HELENA Lidiana Oliveira Mendes Vanessa Esperidião da Silva Tatiane Silva Vieira UNIMED PAULISTANA 252

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA. Controle de Qualidade no Laboratório de Análises Clínicas

CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA. Controle de Qualidade no Laboratório de Análises Clínicas CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA Controle de Qualidade no Laboratório de Análises Clínicas Profa. Dra. Ângela Líbia M. P. Cardoso www.ufam.edu.br angelalibia@gmail.com Fone: 9254 6673 02 QUALIDADE NO LAC

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E.P.E. Regina Dias Bento PROCESSO DE ACREDITAÇÃO

Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, E.P.E. Regina Dias Bento PROCESSO DE ACREDITAÇÃO , E.P.E. PROCESSO DE ACREDITAÇÃO Agenda Enquadramento das questões da Acreditação Razões de escolha da Joint Commission O modelo JCI PORQUÊ A ACREDITAÇÃO NOS HOSPITAIS? Mas o que é a Acreditação? Processo

Leia mais

Ricardo Augusto Bordin Guimarães Auditoria Administrativa Hospitalar ricardo@rgauditoria.com.br (51) 9841.7580 www.rgauditoria.com.br www.twitter.com/ricardorgaud Qualidade e Gestão em Saúde através da

Leia mais

Acreditações múltiplas: vantagens ou desvantagens? Angela Zerbielli

Acreditações múltiplas: vantagens ou desvantagens? Angela Zerbielli Acreditações múltiplas: vantagens ou desvantagens? Angela Zerbielli Hospitais da Rede D Or São Luiz 33 hospitais + 2 sob gestão PE Hospital Esperança Olinda Hospital Esperança Recife Hospital São Marcos

Leia mais

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Analista em ACREDITAÇÃO EM SAÚDE Focada na formação intelectual e no desenvolvimento de pessoas para integrarem e inovarem a nova cultura de negócios do XXI, a FAN oferece cursos para graduação e especialização

Leia mais

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação REDE SARAH DE HOSPITAIS UNIDADE BELO HORIZONTE 13 ANOS DE PRGSS REDE SARAH DE HOSPITAIS DE REABILITAÇÃO SARAH BELO HORIZONTE Dados

Leia mais

Comparação NBR ISO X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998

Comparação NBR ISO X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998 Comparação NBR ISO 13485 X RDC s ANVISA ESTUDO COMPARATIVO ENTRE: NBR ISO 13485:2004 RCD 59:2000 PORTARIA 686:1998 Agenda Objetivo do estudo Visão Geral da NBR 13485:2004 Tendências mundiais Resultados

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA)

GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA) GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA) Enf. Roberto Nascimento de Albuquerque FUNDAMENTOS DA ACREDITAÇÃO Os requisitos do Manual Brasileiro

Leia mais

04/07/2008 Dra. Claudia Meira

04/07/2008 Dra. Claudia Meira 42º Congresso Brasileiro de Patologia Clinica / Medicina Laboratorial 04/07/2008 Não-conformidades: Como tratá-las de forma eficaz? 04/07/2008 04/07/2008 Como classificá-las? A competitividade é a palavra

Leia mais

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional

Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos Sistemas de Gestão da Qualidade. Gestão da Segurança e Saúde Ocupacional IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO - QUALIDADE, MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL Empresa: Cristal Raidalva Rocha OBJETIVO Implantação de Sistema Gestão Integrado SGI integração dos

Leia mais

Sistema de Energia Elétrica Ininterrupta (No-breaks)

Sistema de Energia Elétrica Ininterrupta (No-breaks) Setembro/2017 A discussão da segurança do paciente deve envolver o papel do ambiente físico e das instalações na missão de fornecer cuidado ao paciente com qualidade. Há forte relação entre a estrutura

Leia mais

TOMMASI LABORATÓRIO. Check-List Auditoria Interna. Código: L 004 Versão: 3.0 Página: 1 de 7. Setor/Unidade auditado (a): Auditores:

TOMMASI LABORATÓRIO. Check-List Auditoria Interna. Código: L 004 Versão: 3.0 Página: 1 de 7. Setor/Unidade auditado (a): Auditores: 1 de 7 Setor/Unidade auditado (a): Auditores: LIDERANÇA Organograma da instituição atualizado Planejamento Estratégico atualizado e desdobrado Análise de Indicadores Estratégicos Comissão de Biossegurança

Leia mais

Gestão da Segurança em Saúde

Gestão da Segurança em Saúde Gestão da Segurança em Saúde Fernanda P. Fernandes dos Anjos Consultora de Gerenciamento e Vigilância do Risco Diretoria de Prática Assistencial, Qualidade, Segurança e Meio Ambiente 44.000-98.000 mortes

Leia mais

QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012

QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012 Regulação e Qualidade QUALIHOSP São Paulo, 03 de abril de 2012 Ações para melhoria da Qualidade Remuneração Qualificação Informação Qualidade Resolução Normativa n o 267 QUALIFICAÇÃO Programa de Divulgação

Leia mais

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes

Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes Contribuições do SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO para a Melhoria da Qualidade da Assistência e Segurança dos Pacientes ABRIL/2011 O Universo de Atuação População 190.732.694 habitantes Fonte: IBGE 2010

Leia mais

As novas tecnologias e seus impactos no mercado de Saúde Suplementar

As novas tecnologias e seus impactos no mercado de Saúde Suplementar As novas tecnologias e seus impactos no mercado de Saúde Suplementar Tecnologias em saúde: considerações iniciais O que é tecnologia em saúde? Medicamentos, equipamentos, dispositivos e procedimentos medico-cirúrgicos

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS DA SAÚDE

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS DA SAÚDE MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS DA SAÚDE OBJETIVOS DO CURSO O objetivo geral do Curso de Pós-graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Negócios da Saúde é a formação de gestores em negócios da área da saúde, com

Leia mais

Soluções que facilitam a gestão da saúde

Soluções que facilitam a gestão da saúde Soluções que facilitam a gestão da saúde A Hospidata Mais eficiência na gestão de saúde Empresa do grupo MV, líder brasileira em soluções de tecnologia para gestão da saúde, a Hospidata oferece um portfólio

Leia mais

ORGANOGRAMA TRESC TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SANTA CATARINA

ORGANOGRAMA TRESC TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SANTA CATARINA TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SANTA CATARINA Gabinete dos Juízes Presidência Corregedoria Regional Eleitoral Coord. de Controle Interno Gabinete -Chefe Direção-Geral CJ4 Ass. de Imprensa, Comunicação

Leia mais

Atividades na Área de Física Médica e Supervisão de Radioproteção em Ambiente Hospitalar

Atividades na Área de Física Médica e Supervisão de Radioproteção em Ambiente Hospitalar Atividades na Área de Física Médica e Supervisão de Radioproteção em Ambiente Hospitalar Rômulo Verdolin de Sousa, D.Sc. Especialista em Física Médica ABFM RT-281/1200 Supervisor de Radioproteção CNEN

Leia mais

Conselho Federal de Farmácia

Conselho Federal de Farmácia 1 RESOLUÇÃO Nº 549, de 25 de agosto de 2011 Ementa: Dispõe sobre as atribuições do farmacêutico no exercício da gestão de produtos para a saúde, e dá outras providências. O Conselho Federal de Farmácia,

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar AGENDA 1. A Qualirede 2. Cenário das cobranças e dos pagamentos 3. Dificuldades no faturamento hospitalar 4.

Leia mais

Planejamento de materiais com foco na eficiência: Giro de estoque e planejamento de materiais. Sérgio Henrique Oliveira

Planejamento de materiais com foco na eficiência: Giro de estoque e planejamento de materiais. Sérgio Henrique Oliveira 15 de Março 2017 Planejamento de materiais com foco na eficiência: Giro de estoque e planejamento de materiais Sérgio Henrique Oliveira Gerente de Logística da Rede Mater Dei de Sáude Rede Mater Dei de

Leia mais

Profª Mônica Suely G. de Araujo

Profª Mônica Suely G. de Araujo Profª Mônica Suely G. de Araujo Desempenho Características Confiabilidade Reputação 2 1 Durabilidade Utilidade Resposta Estética 3 Projeto Conformidade Capabi lidade Atendi mento ao Cliente Cultura da

Leia mais

EXPERIÊNCIA PRÁTICA DE INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIA EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO. 18/04/2011 Marisa Madi Della Coletta

EXPERIÊNCIA PRÁTICA DE INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIA EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO. 18/04/2011 Marisa Madi Della Coletta EXPERIÊNCIA PRÁTICA DE INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIA EM UMA INSTITUIÇÃO DE ENSINO 18/04/2011 Marisa Madi Della Coletta 2006 Recomendando uma estratégia Recomendando u Idéias para hoje e amanhã 2006 Declaração

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 ENFERMAGEM NOS CUIDADOS INTEGRAIS AO ADULTO E IDOSO NO PERÍODO PERI OPERATÓRIO Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina(s): Local: Campos de Observação: Profissional responsável

Leia mais

HOSPITAL SUSTENTÁVEL

HOSPITAL SUSTENTÁVEL HOSPITAL SUSTENTÁVEL QUEM SOMOS Ser uma instituição inovadora e resolutiva na assistência e promoção à saúde. Essa é a missão do Hospital Bandeirantes, que completa 70 anos em maio. Possui Centros de Referência

Leia mais

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015

Auditoria Concorrente. Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 Auditoria Concorrente Encontro de Auditoria Unimed Central-RS Porto Alegre 07 de agosto de 2015 UNIMED PORTO ALEGRE 40,7% 46 de participação do mercado de planos de saúde no RS (ANS dezembro/2014) Municípios

Leia mais

Política de segurança da informação Normas

Política de segurança da informação Normas Política de Segurança das Informações Prof. Luiz A. Nascimento Auditoria e Segurança de Sistemas Anhanguera Taboão da Serra Normas 2 BS 7799 (elaborada pela British Standards Institution). ABNT NBR ISO/IEC

Leia mais

FAVENI Matrícula + a vista, ou mensalidade.

FAVENI Matrícula + a vista, ou mensalidade. LISTA DE CURSOS Solicite informações e/ou a matricula no zap 61 99620 6628 ou vocestudando@gmail.com - http://vocestudando.blogspot.com.br/ FAVENI Matrícula + a vista, ou mensalidade. ÁREA EDUCACIONAL

Leia mais

MUDANÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Cícero Andrade Departamento de Saúde Suplementar FENAESS

MUDANÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR. Cícero Andrade Departamento de Saúde Suplementar FENAESS MUDANÇAS NA SAÚDE SUPLEMENTAR Cícero Andrade Departamento de Saúde Suplementar FENAESS MATERIAIS E MEDICAMENTOS MEDICAMENTOS E MATERIAIS Alteração da Regras Atual: Retirada das margens pelas operadoras:

Leia mais

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas.

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas. Setor: Escritório da Qualidade Pág. 1 de 10 Código:.QLD.NOR.002 Versão: 00 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3. SIGLAS UTILIZADAS... 2 4. GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5.

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO

EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO EXPERIÊNCIA DE CERTIFICAÇÃO E ACREDITAÇÃO 18 de Novembro 2016 ENQUADRAMENTO Hospital gerido em regime de Parceria Público-Privada, prestador de cuidados de saúde diferenciados, integrado na rede do SNS

Leia mais

QUESTIONÁRIO SISTEMAS DE APOIO E LOGÍSTICOS DAS RAS

QUESTIONÁRIO SISTEMAS DE APOIO E LOGÍSTICOS DAS RAS Diagnóstico e Avaliação do Atual Estágio de Desenvolvimento das Redes Regionais da Atenção à Saúde nas regiões priorizadas pelo Projeto de Fortalecimento da Gestão Estadual da Saúde 2016 QUESTIONÁRIO SISTEMAS

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 31/07/2014 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO E MARKETING ESPORTIVO Pres Ed. Física ALIMENTOS FUNCIONAIS E NUTRIGENÔMICA: IMPLICAÇÕES PRÁTICAS NA NUTRIÇÃO CLÍNICA E ESPORTIVA

ADMINISTRAÇÃO E MARKETING ESPORTIVO Pres Ed. Física ALIMENTOS FUNCIONAIS E NUTRIGENÔMICA: IMPLICAÇÕES PRÁTICAS NA NUTRIÇÃO CLÍNICA E ESPORTIVA Curso Modalida de Área ADMINISTRAÇÃO E MARKETING ESPORTIVO Pres Ed. Física ALIMENTOS FUNCIONAIS E NUTRIGENÔMICA: IMPLICAÇÕES PRÁTICAS NA NUTRIÇÃO CLÍNICA E ESPORTIVA Pres Nutrição ANÁLISES E PROJETOS DE

Leia mais

Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar QUALISS

Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar QUALISS Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços na Saúde Suplementar QUALISS Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor Ana Paula Cavalcante 29 de setembro de 2016 Clique

Leia mais

Experiências Conflitos de interesse, Cliente e Governança

Experiências Conflitos de interesse, Cliente e Governança HCFMUSP Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP Curso de Governança Experiências Conflitos de interesse, Cliente e Governança Eng. Antonio José Rodrigues Pereira HCFMUSP BREVE HISTÓRICO 1912

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Estudos de avaliação de tecnologias em saúde e a incorporação de novas tecnologias no sistema de saúde

Estudos de avaliação de tecnologias em saúde e a incorporação de novas tecnologias no sistema de saúde ABRES 2014 - XI Encontro Nacional de Economia da Saúde & VI Encontro Latino Americano de Economia da Saúde Estudos de avaliação de tecnologias em saúde e a incorporação de novas tecnologias no sistema

Leia mais

CONDERG - CONSÓRCIO DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO GOVERNO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA HOSPITAL REGIONAL DE DIVINOLÂNDIA RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

CONDERG - CONSÓRCIO DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO GOVERNO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA HOSPITAL REGIONAL DE DIVINOLÂNDIA RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 CCIH COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 1. APRESENTAÇÃO A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por Membros Executores - 01 Enfermeira, 01 Farmacêutica

Leia mais

Gestão da Qualidade Viabilidade Financeira

Gestão da Qualidade Viabilidade Financeira Gestão da Qualidade Viabilidade Financeira Case: Instituto de Nefrologia de Mogi das Cruzes e Instituto de Nefrologia de Suzano Silvana Kesrouani XI Encontro Paulista de Nefrologia 2007 Campos do Jordão

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Organizações públicas, privadas, mistas, e do terceiro setor ou como autônomos e consultores.

Organizações públicas, privadas, mistas, e do terceiro setor ou como autônomos e consultores. TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS (RH) Perfil Profissional O TÉCNICO EM RECURSOS HUMANOS é o profissional que executa rotinas administrativas de pessoal com base na Legislação Trabalhista e Previdenciária. Auxilia

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna

Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Práticas ambientais desenvolvidas pela empresa Artecola Indústrias Químicas Fabiano de Quadros Vianna Engenheiro Ambiental e de Segurança do Trabalho Coordenador de SMS nas Empresas Artecola Nossos negócios

Leia mais

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade?

Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Gestão da Qualidade investimento ou Despesa? Acreditação de Operadoras: por que investir em qualidade? Heleno Costa Junior Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) Assessor de Relações Institucionais

Leia mais

Como elaborar campanhas e treinamentos. Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus

Como elaborar campanhas e treinamentos. Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus Como elaborar campanhas e treinamentos Enf. Juliana Prates Serviço de Controle de Infecção Hospitalar Hospital Mãe de Deus Por onde começar... Importante definir : Quais os focos de atuação do Controle

Leia mais

DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS

DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS DEPARTAMENT0 DE ECONOMIA DA SAÚDE, INVESTIMENTOS E DESENVOLVIMENTO DESID/SE/MS COORDENAÇÃO DE QUALIFICAÇÃO DE INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA EM SAÚDE - CQIS/DESID MARCELO SETTE GUTIERREZ Coordenador Economia

Leia mais

Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto

Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto Padrões que auxiliam no gerenciamento da qualidade e segurança da informação de uma organização, a figura do profissional qualificado neste contexto e como obter a qualificação para atender esta demanda.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Esp. Fabiano Taguchi fabianotaguchi@gmail.com http://fabianotaguchi.wordpress.com INTRODUÇÃO Durante muito tempo a Tecnologia da Informação foi tratada apenas como um pequeno

Leia mais

Simpósio de Terapia Infusional Segura

Simpósio de Terapia Infusional Segura Simpósio de Terapia Infusional Segura Simpósio de Segurança Infusional Com o objetivo de disseminar os conceitos inicialmente propostos pelo Safety Symposium, que envolvem a segurança do paciente e do

Leia mais

Impacto que a documentação clínica pode trazer ao paciente

Impacto que a documentação clínica pode trazer ao paciente 1 2 Impacto que a documentação clínica pode trazer ao paciente Exigência de garantia qualidade para softwares que armazenam e/ou manipulam informações em saúde. Usuários e consumidores precisam de uma

Leia mais

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07

ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE /07 11. ATIVIDADE DE REPRODUÇÃO HUMANA ASSISTIDA - CNAE 8630-5/07 Compreende: Banco de Esperma; Banco de Sêmen Humano; Clínica de Reprodução Assistida; Atividade de Fertilização In Vitro de Seres Humanos;

Leia mais