Faculdade Zumbi dos Palmares RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Faculdade Zumbi dos Palmares RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA"

Transcrição

1 INSTITUTO AFRO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR Faculdade Zumbi dos Palmares Faculdade de Pedagogia RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA JOYCE MOURÃO RODRIGUES São Paulo 2013

2 RESUMO A EDUCAÇÃO HUMANISTA FICHA BIBLIOGRÁFICA COVEZZI, Marinete. Curso de Pedagogia: Brasil/Japão. Cuiabá/MT: EduFMT, FICHA DE RESUMO Max Weber Educação e Burocracia Weber acredita que a educação numa sociedade moderna está diretamente condicionada ao poder e as relações de dominação. Para ele há uma dominação exercida nas escolas e que ultrapassa o limite escolar, mas acontece também essa mesma dominação nas famílias e nos pais. Essa dominação reflete não apenas na formação cultural dos jovens, mas também no caráter dos homens. Para o autor a educação numa sociedade capitalista tem que ser entendida a partir do processo de burocratização, que se deu através da racionalização no mundo do trabalho, e as formas de dominação existentes. Ele explica o processo da burocratização a partir de uma empresa que possui uma estrutura hierárquica e para que cargos de trabalhos sejam preenchidos existe um processo seletivo onde seus conhecimentos, currículos, diplomas e qualificações profissionais são avaliados, quando aprovado em áreas específicas o individuo ocupa tal função e segue regulamentos que não podem ser desrespeitados e executa sua tarefa de forma racional e impessoal. O acesso a burocracia se dá no momento dessas avaliações pelas qualificações profissionais do candidato. Para Weber, esse processo de mérito até parece ser justo e democrático, porém a oportunidade de estudos em curso superior é limitada a um grupo restrito de privilegiado, dessa forma a disputa por vagas nesse nível é concorrida e geralmente buscam garantias para o futuro. Depois de experientes no cargo, eles terão oportunidades de novos níveis na hierarquia da empresa. Como a educação é um investimento alto, acessível para poucos, o mais importante é o investimento econômico, e não o investimento intelectual do aluno. Para Weber fica claro que o sistema de educação tem como função legitimar a ordem social e reproduzir o sistema de dominação. Segundo seus estudos Weber concluiu que existem três tipos de dominação legítima: dominação de caráter racional-legal: uma pessoa tem o direito de mandar e outra a obrigação de obedecer, como por exemplo, nas empresas capitalistas; dominação de caráter tradicional: obedece às ordens de pessoas

3 nomeadas pela tradição, como no caso dos senhores feudais; dominação de caráter dogmático: obedece ao líder carismático pela confiança ou pela crença que se tem nele, como é o caso de líderes políticos e religiosos. Já na educação Weber entende a divisão da tipologia de três formas: educação racional: objetiva a formação do aluno para atividades úteis dentro de uma organização; educação tradicional ou humanística: formação de um homem para comportamento centrado, determinada função; educação carismática: testa e desperta dons, carisma, como no caso de mágicos, lideres religiosos. Para Weber o avanço da técnica profissional fez com que se perdesse o conteúdo ético da vida, o valor da educação propriamente dita. Hoje a educação prepara o individuo para a burocratização e para o processo de dominação e não para seu desenvolvimento intelectual. FICHA DE RESUMO Pierre Bourdieu O Mito da Educação Libertadora Pierre Bourdieu acredita que existe uma divisão natural entre classes sociais nas escolas. Acredita também que a condição social oferece a esse individuo uma herança cultural que automaticamente divide os indivíduos no meio escolar. Todo o conhecimento de família, teatro, música, literatura, arte permite ao individuo um conhecimento que o separa de outros indivíduos. Um exemplo muito claro disso é que pessoas que são de classe social inferior quando chegam ao nível superior se distinguem de maioria de sua classe social, pois tiveram oportunidade de maior herança cultural. Para Bourdieu uma parte importante de informações não chega até as crianças de classes menos favorecidas, essas informações são importantes, pois orientam os alunos em tomadas de decisões, posição profissional. Na concepção do autor, o capital cultural que é parte do capital social e que pertence ao capital econômico, possibilita ao individuo maior capital cultural, fazendo com que ele tenha maiores oportunidades. Bourdieu acredita que a melhor maneira de transmitir cultura a um indivíduo é de forma direta, sem esforço metódico, para ele esse processo é resultado de dom e aptidão e não de horas de investimento em estudos. Em suas pesquisas, o autor constatou que muitas são as desistências a partir da 5ª série nas escolas da França. Alunos não são matriculados em Liceus ou Colégios de Ensino geral por vontade dos pais. Vontade essa que se dá pelas inseguranças e frustrações vividas pelas crianças ou pelos pais das crianças nas expectativas de mudança de classe social e pelas dificuldades materiais que eles encontram. E acredita que os professores mesmo inconscientes,

4 também participam desse processo de exclusão, pela maneira de avaliar o aluno através de sua origem social. Dos alunos de classe inferior apenas os que se destacam, recebem de seus professores incentivos de crescimento. Para Bourdieu até mesmo os conflitos entre pais e filhos tem origem na escola, pois filhos de classe social inferior criam expectativas de melhorarem suas condições enquanto seus pais já sofreram todas as frustrações possíveis resultado de sua classe social. Enquanto operários não têm esperanças de crescimento, filhos de burgueses e a classe média são incentivados, pois almejam melhorar sua condição econômica. Avaliando psicologicamente, Bourdieu afirma que o sucesso ou fracasso de um individuo baseia-se em referências anteriores. Outro fator que influencia a exclusão de classes sócias inferiores é o fato de que as atitudes de um individuo se dão também pela expectativa de seu grupo social, o que significa, que ele vai, automaticamente realizar ou escolher o que é esperado pelo grupo de sua classe social. Na opinião do autor a escola reproduz e legitima a desigualdade social, pois oferece a esperança de uma mudança de classe social aos indivíduos e quando esse individuo não consegue mudar sua condição e é excluído da escola, essa exclusão é entendida como falta de dom ou aptidão. Bourdieu afirma que a escola tem a aparência de democratizar as oportunidades porque com o sucesso de alguns alunos de classe social inferior, se têm a impressão de que a escola pode mesmo oferecer as oportunidades que a classe inferior tanto espera, e dá aos alunos excluídos a sensação de que a exclusão só aconteceu por eles não terem dom ou capacidade para os estudos. Por esse motivo entendem que a escola é um meio de educação libertadora e que é através dela que pode mesmo haver a mudança das classes sociais. FICHA DE IDEIAS De certa forma, entendemos o ponto de vista dos autores, e concordamos que existe lógica no raciocínio de ambos. Mas se o caso das diferenças e das exclusões acontecem principalmente pelas diferenças sociais e econômicas e pela burocratização imposta pelo sistema, temos que pensar que precisamos mudar nosso conceito de dom ou aptidões e precisamos perceber que todas as circunstâncias em nossa volta influenciam positiva ou negativamente em nosso desenvolvimento. Porém, não podemos mudar nosso conceito de que é pela educação que podemos mudar a nossa realidade. Pois é através do estudo que podemos melhorar nossa condição intelectual e conseqüentemente nossa condição social e econômica, mudando também nosso capital cultural, E precisamos principalmente, enquanto futuras educadoras, mudar o conceito de avaliação para que não haja essa exclusão em sala de aula, mas que nós possamos incentivar e abrir o campo intelectual dessas crianças para que eles possam criar suas expectativa e principalmente lutar por elas.

5 Please download full document at Thanks

Evolução do Pensamento Administrativo

Evolução do Pensamento Administrativo Evolução do Pensamento Administrativo Rosely Gaeta Abordagem Estruturalista (Weber) E Neoclássica (APO Peter Drucker) Slides de Aula Fonte: Chiavenatto e diversos autores 22/11/2014 Abordagem Estruturalista

Leia mais

TGA PROFA. LUCIANA F. NOVO TEORIA DA BUROCRACIA. Características Disfunções Níveis

TGA PROFA. LUCIANA F. NOVO TEORIA DA BUROCRACIA. Características Disfunções Níveis TGA PROFA. LUCIANA F. NOVO TEORIA DA BUROCRACIA Características Disfunções Níveis RACIONALIDADE DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL BUSCA NOVA TEORIA MAIS ADEQUADA À COMPLEXIDADE MAX WEBER: PREOCUPAÇÃO CENTRAL RACIONALIDADE

Leia mais

A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER. Professora: Susana Rolim

A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER. Professora: Susana Rolim A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER Professora: Susana Rolim MAX WEBER Sociólogo alemão, nascido em 21 de abril de 1864. Seu primeiro trabalho foi A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1905).

Leia mais

Weber e a Burocracia 3/18/2014 UM CONJUNTO DE PRECEITOS QUE RESOLVESSE AS LIMITAÇÕES DAS TEORIAS CLÁSSICAS E DAS ESCOLAS DE RELAÇÕES HUMANAS.

Weber e a Burocracia 3/18/2014 UM CONJUNTO DE PRECEITOS QUE RESOLVESSE AS LIMITAÇÕES DAS TEORIAS CLÁSSICAS E DAS ESCOLAS DE RELAÇÕES HUMANAS. Weber e a Burocracia O MODELO DA BUROCRACIA UM CONJUNTO DE PRECEITOS QUE RESOLVESSE AS LIMITAÇÕES DAS TEORIAS CLÁSSICAS E DAS ESCOLAS DE RELAÇÕES HUMANAS. COM AS TRANSFORMAÇÕES DAS ORGANIZAÇÕES EM FUNÇÃO

Leia mais

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia A Teoria de Ação Social de Max Weber 1 Ação Social 2 Forma de dominação Legítimas 3 Ética Protestante

Leia mais

SOCIOLOGIA Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira

SOCIOLOGIA Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira Listagem de ALOCAÇÃO DE DISCIPLINAS NAS SALAS SOCIOLOGIA 2017/02 Autor e Responsável Técnico: Wellington de Oliveira Teixeira CÓDIGO TURMA DISCIPLINA SALA GSO00095 J1 Introdução à Sociologia P308 2ª 9h

Leia mais

A relação entre teoria e método observações a partir da sociologia da educação de Bourdieu e Passeron Marco Antônio de Oliveira Lima 1

A relação entre teoria e método observações a partir da sociologia da educação de Bourdieu e Passeron Marco Antônio de Oliveira Lima 1 A relação entre teoria e método observações a partir da sociologia da educação de Bourdieu e Passeron Marco Antônio de Oliveira Lima 1 Introdução As teorias sociológicas agem como uma lente pela qual visamos

Leia mais

Os Herdeiros Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron

Os Herdeiros Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron A escola transforma as desigualdades sociais (culturais) em desigualdades escolares. Os estudantes mais favorecidos, não só devem ao meio de origem os hábitos, o

Leia mais

Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos

Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos Três modelos gerenciais básicos e suas respectivas fontes de legitimação nas organizações. Fundamentos da Administração Origens históricas do Patrimonialismo

Leia mais

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }.

2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. ASSUNTO DE MATEMATICA=CONJUNTOS REAIS E ETC. 2 - Conjunto: conceito primitivo; não necessita, portanto, de definição. Exemplo: conjunto dos números pares positivos: P = {2,4,6,8,10,12,... }. Esta forma

Leia mais

CURRÍCULO MÍNIMO 2013

CURRÍCULO MÍNIMO 2013 CURRÍCULO MÍNIMO 2013 (Versão preliminar) Componente Curricular: SOCIOLOGIA (Curso Normal) Equipe de Elaboração: COORDENADOR: Prof. Luiz Fernando Almeida Pereira - PUC RJ ARTICULADOR: Prof. Fábio Oliveira

Leia mais

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO

EMENTA OBJETIVOS DE ENSINO Sociologia I PLANO DE DISCIPLINA COMPONENTE CURRICULAR: Sociologia I CURSO: Técnico em Segurança do Trabalho (Integrado) SÉRIE: 1ª CARGA HORÁRIA: 67 h (80 aulas) DOCENTE: EMENTA A introdução ao pensamento

Leia mais

Formador Escolar: acompanhamento do uso coletivo do material Trilhas

Formador Escolar: acompanhamento do uso coletivo do material Trilhas Instrumento para acompanhar o uso coletivo do conjunto de material TRILHAS, as práticas de leitura realizadas e o acesso das crianças aos livros. Verificar a circulação dos materiais na escola, o planejamento

Leia mais

Sistema de Exames e Burocracia Nildo Viana

Sistema de Exames e Burocracia Nildo Viana 47 Sistema de Exames e Burocracia Nildo Viana O sistema de exames é a forma encontrada pela educação escolar para realizar o processo de avaliação. Tido como necessário para muitos e como prejudicial para

Leia mais

Concurso de Redação São Francisco de Sales

Concurso de Redação São Francisco de Sales Concurso de Redação São Francisco de Sales 1. Tema O Colégio Salesiano Nossa Senhora da Vitória promove o 1º Concurso Interno de Redação Francisco de Sales com o tema: A nossa preocupação como Meio Ambiente,

Leia mais

Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos

Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos Patrimonialismo, Burocracia e Administração por Objetivos Três modelos gerenciais básicos e suas respectivas fontes de legitimação nas organizações. Fundamentos da Administração Origens históricas do Patrimonialismo

Leia mais

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA A consciência de nossa humanidade nesta era planetária deveria conduzir-nos à solidariedade e à comiseração recíproca, de indivíduo para indivíduo, de todos

Leia mais

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção

Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção Quem criou o termo e desenvolveu a sociologia como ciência autônoma foi Auguste Comte. Sua obra inicia-se no início do século XIX e é central a noção de evolução social na compreensão deste sociólogo sobre

Leia mais

A mercadoria. Seção 4 do Capítulo 1. O caráter fetichista da mercadoria e o seu segredo. 2ª Parte.

A mercadoria. Seção 4 do Capítulo 1. O caráter fetichista da mercadoria e o seu segredo. 2ª Parte. A mercadoria Seção 4 do Capítulo 1 O caráter fetichista da mercadoria e o seu segredo. 2ª Parte. 1 Retomando Diz Marx, em resumo: O caráter fetichista do mundo das mercadorias provém, com a análise precedente

Leia mais

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR

FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR FUNDAMENTOS DA SUPERVISÃO ESCOLAR Profª. Carla Verônica AULA 03 SUPERVISÃO E PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO Identificar os princípios da gestão participativa; Analisar a dialética do ambiente escolar; Perceber

Leia mais

Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta

Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta 1. A filosofia é: a) Um conjunto de opiniões importantes. b) Um estudo da mente humana. c) Uma atividade que se baseia no uso crítico

Leia mais

SOCIOLOGIA 1 ANO PROF. DARIO PINHEIRO PROF. JOSINO MALAGUETA ENSINO MÉDIO

SOCIOLOGIA 1 ANO PROF. DARIO PINHEIRO PROF. JOSINO MALAGUETA ENSINO MÉDIO SOCIOLOGIA 1 ANO PROF. DARIO PINHEIRO PROF. JOSINO MALAGUETA ENSINO MÉDIO CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Os clássicos da Sociologia 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 3.2 Conteúdo Max Weber 3 CONTEÚDOS

Leia mais

Curso e Colégio Específico

Curso e Colégio Específico Curso e Colégio Específico Estratificação e classes sociais e Desigualdades Sociais Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir Estratificação e classes sociais Estratificação social: conceito É o processo

Leia mais

A POLÍTICA COMO. MAX WEBER ( ) (Originalmente, uma conferência para estudantes da Universidade de Munich, Alemanha, em 1919)

A POLÍTICA COMO. MAX WEBER ( ) (Originalmente, uma conferência para estudantes da Universidade de Munich, Alemanha, em 1919) A POLÍTICA COMO VOCAÇÃO MAX WEBER (1864-1920) (Originalmente, uma conferência para estudantes da Universidade de Munich, Alemanha, em 1919) QUESTÕES FUNDAMENTAIS DO TEXTO: - O QUE ÉPOLÍTICA? - O QUE ÉO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DA VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - FAINTVISA NÚCLEO DE PESQUISA - NUPEQ EDITAL Nº 01/2017 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

FACULDADES INTEGRADAS DA VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - FAINTVISA NÚCLEO DE PESQUISA - NUPEQ EDITAL Nº 01/2017 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADES INTEGRADAS DA VITÓRIA DE SANTO ANTÃO - FAINTVISA NÚCLEO DE PESQUISA - NUPEQ EDITAL Nº 01/2017 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 1 - APRESENTAÇÃO As Faculdades Integradas da Vitória

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DA ESCOLA SALESIANA PADRE RINALDI

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DA ESCOLA SALESIANA PADRE RINALDI EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSORES PARA O QUADRO DE CORPO DOCENTE DA ESCOLA SALESIANA PADRE RINALDI A DIREÇÃO GERAL DA ESCOLA SALESIANA PADRE RINALDI, através do seu Diretor

Leia mais

A procura social da educação

A procura social da educação Alice Mendonça / Universidade da Madeira A procura social da educação Aumento da população escolarizada : massificação escolar. Aumento da esperança de vida escolar; Valorização dos diplomas; Necessidade

Leia mais

FATORES QUE INFLUENCIAM O PROCESSO DE ESCOLHA DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

FATORES QUE INFLUENCIAM O PROCESSO DE ESCOLHA DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR FATORES QUE INFLUENCIAM O PROCESSO DE ESCOLHA DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Pryscilla Ayhumi Aymori Martelli 1 Adriana Regina de Jesus Santos 2 Resumo O segmento de Educação Superior no Brasil tem

Leia mais

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues

Sociologia. Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues Sociologia Professor: Matheus Bortoleto Rodrigues E-mail: matheus.bortoleto@cnecuberaba.edu.br Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Em tempos de humanidade desumanizada, de desordem sangrenta, nada deve

Leia mais

PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO

PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO PIERRE BOURDIEU 1930-2002 PODER SIMBÓLICO Construtivismo Estruturalista Superação do pensar por dicotomias mundo social construido no pasado (historicidade) formas sociais (passado) são reproduzidas, apropriadas,

Leia mais

MARIA JOSÉ TEIXEIRA O PENSAMENTO DE BOURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃO

MARIA JOSÉ TEIXEIRA O PENSAMENTO DE BOURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃO MARIA JOSÉ TEIXEIRA O PENSAMENTO DE BOURDIEU SOBRE A EDUCAÇÃO Sinop/MT 2014 RESUMO O artigo destaca as contribuições e aponta alguns limites da Sociologia da Educação de Pierre Bourdieu. Na primeira parte,

Leia mais

Burocracia segundo Weber. A Sociedade da Hierarquia Burocrática

Burocracia segundo Weber. A Sociedade da Hierarquia Burocrática Burocracia segundo Weber A Sociedade da Hierarquia Burocrática Problematização l O que há em comum entre a administração pública e a privada, que garante estabilidade política para a primeira e estabilidade

Leia mais

Roteiro para a leitura do texto

Roteiro para a leitura do texto WEBER, Max - A "objetividade" do conhecimento nas Ciências Sociais In: Max Weber: A objetividade do conhecimento nas ciências sociais São Paulo: Ática, 2006 (: 13-107) Roteiro para a leitura do texto Data

Leia mais

UNIP Universidade Paulista

UNIP Universidade Paulista Teoria Burocracia Escola Clássica da Administração Escola Clássica da Administração Teoria administrativa Fayol (1841 1925) Administração científica Taylor (1856 1915) A teoria da burocracia Max Weber

Leia mais

page 2 / 10 MAIOR PESO. As empresas querem profissionais que as represente com CREDIBILIDADE e que tenham CARISMA no RELACIONAMENTO INTERPESSOAL.

page 2 / 10 MAIOR PESO. As empresas querem profissionais que as represente com CREDIBILIDADE e que tenham CARISMA no RELACIONAMENTO INTERPESSOAL. page 1 / 10 A partir de 18 de fevereiro deste ano, terei mais uma turma de alunos do curso de Secretariado Executivo Trilíngue da Uepa na minha frente. Ao mesmo tempo, uma leva de calouros do mesmo curso

Leia mais

Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior

Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior EDITAL São João del-rei, 08 de Maio de 2015 Edital de seleção de trainees 2015 para a Atomic Júnior A Empresa Júnior Atomic Jr., da Universidade Federal de São João del-rei, torna pública, por meio deste

Leia mais

Desigualdades e identidades sociais. Classes sociais, mobilidade social e movimentos sociais

Desigualdades e identidades sociais. Classes sociais, mobilidade social e movimentos sociais Desigualdades e identidades sociais Classes sociais, mobilidade social e movimentos sociais As classes sociais e as desigualdades sociais Uma desigualdade social consiste na repartição não uniforme, na

Leia mais

E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA

E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA PROJETO UniCEUB ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NA EJA - 19ª turma EDITAL 1º/ 2016 - SELEÇÃO DE ALUNOS DO UniCEUB, VOLUNTÁRIOS E MEMBROS DA COMUNIDADE EXTERNA A pró-reitora acadêmica do Centro Universitário

Leia mais

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA

ALGUMAS REFLEXÕES SOBRE AS PROPOSTAS EDUCACIONAIS DE JOHN DEWEY PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA PENSAMENTO PEDAGÓGICO NA ÉPOCA CONTEMPORÂNEA Escola Nova e sua Teoria: - Dewey: aprender fazendo da ed. tradicional à ed. nova; A Pedagogia Tecnicista de Tendência Liberal O pensamento pedagógico antiautoritário

Leia mais

CLASSE, ESTRATIFICAÇÃO E DESIGUALDADE

CLASSE, ESTRATIFICAÇÃO E DESIGUALDADE CLASSE, ESTRATIFICAÇÃO E DESIGUALDADE ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL Para descreverem as desigualdades existentes entre os membros da sociedade, os sociólogos falam de estratificação. Estratificação social é divisão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CAMPUS BINACIONAL LIGA ACADÊMICA DE DOENÇAS PREVALENTES NA FRONTEIRA LADPF CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CAMPUS BINACIONAL LIGA ACADÊMICA DE DOENÇAS PREVALENTES NA FRONTEIRA LADPF CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM SELEÇÃO DE ALUNOS PARA PARTICIPAÇÃO DA LIGA ACADÊMICA DE DOENÇAS PREVALENTES NA FRONTEIRA EDITAL N 0 01/2017 Os fundadores da Liga Acadêmica de Doenças Prevalentes na Fronteira (LADPF) oficializam o processo

Leia mais

O poder e a política SOCIOLOGIA EM MOVIMENTO

O poder e a política SOCIOLOGIA EM MOVIMENTO Capítulo 6 Poder, política e Estado 1 O poder e a política Poder se refere à capacidade de agir ou de determinar o comportamento dos outros. As relações de poder perpassam todas as relações sociais. As

Leia mais

O objectivo da escola não é unificar mas dividir.

O objectivo da escola não é unificar mas dividir. Alice Mendonça / Universidade da Madeira Baudelot e Establet L École Capitaliste en France Ao longo de todo o percurso escolar, verifica-se uma oposição entre dois canais o Secundário Superior (SS), frequentado

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Currículo escolar. Desafios e potencialidades. Formação dos jovens.

PALAVRAS-CHAVE: Currículo escolar. Desafios e potencialidades. Formação dos jovens. 01470 CURRÍCULO ESCOLAR: DESAFIOS E POTENCIALIDADES NA FORMAÇÃO DOS JOVENS Maria Perpétua do Socorro Beserra Soares 1 Eixo Temático: Didática e Prática de Ensino na Relação com a Sociedade Subeixo: Temas

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL No. 2/2016

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL No. 2/2016 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS EDITAL No. 2/2016 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR DA CAPES (PDSE) PARA O PRIMEIRO

Leia mais

O QUE É UMA ESCOLA JUSTA? A ESCOLA DAS OPORTUNIDADES. François Dubet

O QUE É UMA ESCOLA JUSTA? A ESCOLA DAS OPORTUNIDADES. François Dubet O QUE É UMA ESCOLA JUSTA? A ESCOLA DAS OPORTUNIDADES François Dubet O que é uma escola justa? Medidas compensatórias Medidas paliativas Por exemplo, a escola justa deve: 1. Ser puramente meritocrática,

Leia mais

Edital 02/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR VOLUNTÁRIO ÁREA DE CONHECIMENTO: CIÊNCIAS SOCIAIS.

Edital 02/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR VOLUNTÁRIO ÁREA DE CONHECIMENTO: CIÊNCIAS SOCIAIS. Edital 02/2017 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA PROFESSOR VOLUNTÁRIO ÁREA DE CONHECIMENTO: CIÊNCIAS SOCIAIS. O Departamento Interdisciplinar de Ciências Básicas da Universidade Federal dos Vales do

Leia mais

UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL

UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL UMA RETROSPECTIVA DIDÁTICA E LEGAL A educação é um fenômeno próprio dos seres humanos significa afirmar que ela é, ao mesmo tempo, uma exigência do e para o processo de trabalho, bem como é, ela própria,

Leia mais

EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01

EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01 EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES AULA 01 1. (CESPE / ICMBIO / 2014) De acordo com Henri Fayol, planejamento, preparo, controle e execução são as funções universais da administração. 2. (CESPE / ICMBIO / 2014)

Leia mais

SIMULADO AULA (CESPE / FUB / 2015)

SIMULADO AULA (CESPE / FUB / 2015) SIMULADO AULA 02 1. (CESPE / ICMBIO / 2014) De acordo com Henri Fayol, planejamento, preparo, controle e execução são as funções universais da administração. 2. (CESPE / ICMBIO / 2014) Com relação ao funcionamento

Leia mais

A REALIDADE SOBRE A PSICOMOTRICIDADE NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE PARELHAS RN

A REALIDADE SOBRE A PSICOMOTRICIDADE NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE PARELHAS RN A REALIDADE SOBRE A PSICOMOTRICIDADE NAS ESCOLAS ESTADUAIS NO MUNICÍPIO DE PARELHAS RN Rondinelli S. Oliveira¹ Sapiens, rondinelli_oliveira@hotmail.com Étel Rógere da Silva² Sapiens, etel.rogere@yahoo.com.br

Leia mais

QUALQUER QUE SEJA O RAMO DE NEGÓCIO

QUALQUER QUE SEJA O RAMO DE NEGÓCIO QUALQUER QUE SEJA O RAMO DE NEGÓCIO PEQUENOS EMPRESÁRIOS B2B PERFIL DE GASTOS CONSUMIDOR ATENDENTES COMUNICAÇÃO INTERNA AÇÕES COMUNICAÇÃO INTERNA QUALQUER QUE SEJA O RAMO DE NEGÓCIO JOVENS DE BAIXA RENDA

Leia mais

Matrículas 2017 MATERIAL DIDÁTICO DIGITAL PRÓPRIO EU C

Matrículas 2017 MATERIAL DIDÁTICO DIGITAL PRÓPRIO EU C Matrículas 2017 MATERIAL DIDÁTICO DIGITAL PRÓPRIO ORAÇÃO DE JE SUS EU C LIC www.liceucoracaodejesus.com.br (11) 3221-3622 #VemSerLiceu São Paulo, 12 de setembro de 2016. Prezados pais e responsáveis, A

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO SÃO JOSÉ DO RIO PRETO 2013 2 CAPÍTULO I Do Estágio Supervisionado Artigo 1.º - Este regulamento de estágio supervisionado se refere à formação do Licenciado em Pedagogia.

Leia mais

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO República de Moçambique Ministério da Educação e Cultura INSTITUTO NACIONAL DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO Síntese Final do I Fórum Nacional de Consulta sobre a Transformação Curricular do Ensino Secundário

Leia mais

03/04/2017. Narração de conteúdos pelo professor; Discorrer sobre a realidade como algo estático, compartimentado;

03/04/2017. Narração de conteúdos pelo professor; Discorrer sobre a realidade como algo estático, compartimentado; FREIRE, P.(1997). Educação Bancária e Educação Libertadora. In M.H.S. Patto (org), Introdução a Psicologia escolar. (pp.61-67). São Paulo: Casa do Psicólogo. Departamento de Psicologia Psicologia da Aprendizagem

Leia mais

PEDAGOGIA 2º PERÍODO MANHÃ EDUC3012 CIÊNCIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA I 45h EDUC3022 FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICO-FILOSÓSIFCO DA EDUCAÇÃO II 45h EDUC3001

PEDAGOGIA 2º PERÍODO MANHÃ EDUC3012 CIÊNCIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA I 45h EDUC3022 FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICO-FILOSÓSIFCO DA EDUCAÇÃO II 45h EDUC3001 PEDAGOGIA 1º PERÍODO TARDE EDUC3004 FUNDAMENTOS SOCIO-HISTÓRICO-FILOSÓFICO. DA EDUCAÇÃO I 45h EDUC3003 IDENTIDADE CULTURA E SOCIEDADE I 45h EDUC3002 IDEOLOGIA - DISCURSO E PRÁTICA PEDAGÓGICA 45h EDUC3010

Leia mais

A GESTÃO ESOLAR EM UMA PRÁTICA DE ENSINO DEMOGRÁTICA E PATICIPATIVA

A GESTÃO ESOLAR EM UMA PRÁTICA DE ENSINO DEMOGRÁTICA E PATICIPATIVA A GESTÃO ESOLAR EM UMA PRÁTICA DE ENSINO DEMOGRÁTICA E PATICIPATIVA Izanete Maria Silva de Lima Graduada em Ciências Sociais pela UFCG e-mail: izannete@hotmail.com José Wellington Farias da Silva Graduado

Leia mais

Professor(a): Ana Maria Siqueira Silva

Professor(a): Ana Maria Siqueira Silva Professor(a): Ana Maria Siqueira Silva E-mail: anasiqueira_4@hotmail.com WWW.INSTITUTOCONSCIENCIAGO.COM.BR 2. A FORMAÇÃO DE PROFESSORES 2.1. As perspectivas de formação docente 2.2. Formação inicial e

Leia mais

A estrutura social e as desigualdades

A estrutura social e as desigualdades 3 A estrutura social e as desigualdades O termo classe é empregado de muitas maneiras. Sociologicamente, ele é utilizado na explicação da estrutura da sociedade capitalista, que tem uma configuração histórico-estrutural

Leia mais

Abertura de PROCESSO SELETIVO para aceitação de estagiários

Abertura de PROCESSO SELETIVO para aceitação de estagiários Abertura de PROCESSO SELETIVO para aceitação de estagiários O, Agente de Integração de estágio sem fins lucrativos, no uso de suas atribuições e considerando a da Lei de Estágio nº 11.788, que permite

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COMISSÃO PERMANENTE DE PROCESSO SELETIVO DISCENTE PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE PROCESSO SELETIVO ANUAL PELO ENEM

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte

Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas. Profa. Karina de M. Conte Universidade de São Paulo Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Enf. Psiquiátrica e Ciências Humanas Profa. Karina de M. Conte 2017 DIDÁTICA II Favorecer a compreensão do processo de elaboração, gestão,

Leia mais

SELEÇÃO DE PROFESSORES CURSO DE DIREITO E PSICOLOGIA

SELEÇÃO DE PROFESSORES CURSO DE DIREITO E PSICOLOGIA SELEÇÃO DE PROFESSORES CURSO DE DIREITO E PSICOLOGIA 2018-1 De acordo com o Edital nº 01 de 19 DE OUTUBRO DE 2017 para a abertura de inscrições relativas à realização de PROCESSO SELETIVO, destinado à

Leia mais

Estrategias para Busca de Emprego

Estrategias para Busca de Emprego Estrategias para Busca de Emprego Apresentação Atualmente o problema de desemprego atinge a todos. Não importa se é homem, mulher, jovem, adulto, se tem ou não experiência nem o seu nível de qualificação,

Leia mais

Classes sociais, mobilidade social e movimentos sociais. Desigualdades sociais e identidades sociais

Classes sociais, mobilidade social e movimentos sociais. Desigualdades sociais e identidades sociais Desigualdades sociais e identidades sociais Desigualdade social uma desigualdade social consiste, sobretudo, num grau desigual de acesso a bens, serviços ou oportunidades, situação criada pela própria

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Ponta Grossa Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA QUÍMICA Resolução 01/2017PPGEQ Regulamenta o processo de seleção de Alunos Externos O Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química PPGEQ do, no uso das atribuições que lhe são conferidas no Regulamento

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Teoria burocrática. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Teoria burocrática. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Teoria burocrática Professor: Roberto César BUROCRACIA No início do século XX, MAX WEBER, um sociólogo alemão, publicou uma bibliografia a respeito das grandes organizações

Leia mais

Unidade. A estrutura social e as desigualdades

Unidade. A estrutura social e as desigualdades Unidade 3 A estrutura social e as desigualdades O termo classe é empregado de muitas maneiras. Sociologicamente, ele é utilizado na explicação da estrutura da sociedade capitalista, que tem uma configuração

Leia mais

Identificação. PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1. Modalidade: Trâmite Atual: Ano Base: 2014 Título:

Identificação. PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1. Modalidade: Trâmite Atual: Ano Base: 2014 Título: PROEX - Projeto de Extensão Universitária Página 1 Modalidade: Trâmite Atual: Com solicitação de bolsas e/ou recursos Identificação Ano Base: 2014 Título: Raciocínio lógico, analítico e quantitativo: uma

Leia mais

DESEJO DE SER PROFESSOR OU ESCOLHA DO POSSÍVEL? INGRESSO NA UNIVERSIDADE DE ESTUDANTES DE BAIXO NÍVEL SOCIOECONÔMICO EM CURSOS DE PEDAGOGIA

DESEJO DE SER PROFESSOR OU ESCOLHA DO POSSÍVEL? INGRESSO NA UNIVERSIDADE DE ESTUDANTES DE BAIXO NÍVEL SOCIOECONÔMICO EM CURSOS DE PEDAGOGIA 1014 DESEJO DE SER PROFESSOR OU ESCOLHA DO POSSÍVEL? INGRESSO NA UNIVERSIDADE DE ESTUDANTES DE BAIXO NÍVEL SOCIOECONÔMICO EM CURSOS DE PEDAGOGIA Priscila Andrade Magalhães Rodrigues CBNB / PUC-Rio Eixo

Leia mais

PROCESSO SELETIVO INTERNO 2010 PARA CURSOS TÉCNICOS DO CEFET-RJ NORMAS E PROCEDIMENTOS

PROCESSO SELETIVO INTERNO 2010 PARA CURSOS TÉCNICOS DO CEFET-RJ NORMAS E PROCEDIMENTOS COLÉGIO PEDRO II DIRETORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA CURSOS TÉCNICOS DO CEFET-RJ NORMAS E PROCEDIMENTOS Público-Alvo: alunos do CPII que cursam em a 1ª ou a 2ª série do Ensino Médio Regular

Leia mais

XVI Concurso de Corais Infantojuvenil. Regulamento

XVI Concurso de Corais Infantojuvenil. Regulamento Av. Liberdade, 928 São Paulo/SP. - 01502-001 - (11) 3207-4315. XVI Concurso de Corais Infantojuvenil 23, 24 e 25 de agosto de 2016 Apresentação: O Centro do Professorado Paulista, de acordo com as suas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E CIÊNCIA DE MATERIAIS - MESTRADO E D I T A L 09/2014

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E CIÊNCIA DE MATERIAIS - MESTRADO E D I T A L 09/2014 COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA E CIÊNCIA DE MATERIAIS - MESTRADO E D I T A L 09/2014 Edital de Inscrição, Seleção e Matrícula para o Mestrado Acadêmico em Engenharia e Ciência de

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais O presente trabalho propôs a análise das desigualdades sociais a partir das percepções dos jovens participantes da pesquisa Juventude, Cultura Cívica e Cidadania. Os dados com os

Leia mais

TÍTULO: 11 ANOS DA LEI 10639/2003 E O ENSINO DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE SÃO PAULO

TÍTULO: 11 ANOS DA LEI 10639/2003 E O ENSINO DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE SÃO PAULO TÍTULO: 11 ANOS DA LEI 10639/2003 E O ENSINO DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE SÃO PAULO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES AUTOR(ES):

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE REGULAMENTO - PROGRAMA DE ESTÁGIOS

ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE REGULAMENTO - PROGRAMA DE ESTÁGIOS ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE REGULAMENTO - PROGRAMA DE ESTÁGIOS FEVEREIRO 2013 1. Objeto O presente regulamento define o regime de acesso a estágios na Entidade Reguladora da Saúde (ERS). 2. Objetivos

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA. Edital nº 01/17. Processo Seletivo Grupos de Iniciação Científica 1 - DAS INSCRIÇÕES

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA. Edital nº 01/17. Processo Seletivo Grupos de Iniciação Científica 1 - DAS INSCRIÇÕES Edital nº 01/17 Processo Seletivo Grupos de Iniciação Científica A Pró-Reitora de Pesquisa da Escola Superior Dom Helder Câmara, no uso de suas atribuições, informa à Comunidade Acadêmica que estão abertas

Leia mais

Pré-Requisito O curso é destinado a médicos que almejam atuar nas áreas as quais se destina este edital.

Pré-Requisito O curso é destinado a médicos que almejam atuar nas áreas as quais se destina este edital. Edital de Seleção ESPECIALIZAÇÃO (PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU) A coordenação acadêmica do CETRIM faz saber que o processo de seleção para o preenchimento das vagas para especialização (pós-graduação lato

Leia mais

SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL

SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL SELEÇÃO DE MONITORES PARA O PROJETO DE EXTENSÃO CURSOS DE LINGUAS ESTRANGEIRAS/NCL A Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Empreendedorismo da Universidade Federal do Maranhão UFMA, torna público, a todos

Leia mais

Danilo Marcondes. Departamento de Filosofia. Coordenador do Projeto Ética e Realidade Atual.

Danilo Marcondes. Departamento de Filosofia. Coordenador do Projeto Ética e Realidade Atual. Danilo Marcondes Departamento de Filosofia Coordenador do Projeto Ética e Realidade Atual www.era.org.br William Shakespeare - Hamlet Nothing is good or bad until our thinking makes it so. Act II, scene

Leia mais

Tendências Pedagógicas

Tendências Pedagógicas Fundamentos Históricos, Filosóficos e Sociológicos da Educação Profª Simone Peres Senador Canedo, 22/08/2009 Pedagogia liberal Tradicional Renovada progressivista Renovada não-diretiva Tecnicista Pedagogia

Leia mais

ED5607 PHILOSOPHY & CHRISTIAN FOUNDATIONS IN PRINCIPLED EDUCATION

ED5607 PHILOSOPHY & CHRISTIAN FOUNDATIONS IN PRINCIPLED EDUCATION FLORIDA CHRISTIAN UNIVERSITY MASTER OF ARTS IN EDUCATION WITH FOCUS IN PRINCIPLED EDUCATION JULIANA POMPEO HELPA ED5607 PHILOSOPHY & CHRISTIAN FOUNDATIONS IN PRINCIPLED EDUCATION 05 de Março de 2015 Orlando,

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TECMED

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TECMED REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TECMED São José do Rio Preto 2016 REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE TECNOLOGIA

Leia mais

EDUCAÇÃO CRISTÃ LIBERTADORA

EDUCAÇÃO CRISTÃ LIBERTADORA Girlene Falcão Pereira EDUCAÇÃO CRISTÃ LIBERTADORA Um olhar cristão para a prática integral Copyright 2014 por Girlene Falcão Pereira Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) PEREIRA, Girlene

Leia mais

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA. A Geografia Levada a Sério

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA.  A Geografia Levada a Sério SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO E OS DESAFIOS DA EDUCAÇÃO NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA 1 A educação é a mais poderosa arma pela qual se pode mudar o mundo. Nelson Mandela 2 Aquarela Toquinho Vinícius de Moraes M.

Leia mais

AULAS DE INFORMÁTICA E INGLÊS PARA CRIANÇAS

AULAS DE INFORMÁTICA E INGLÊS PARA CRIANÇAS AULAS DE INFORMÁTICA E INGLÊS PARA CRIANÇAS ANO LECTIVO 2010/2011 O QUE É A NAVEGADORES? A Navegadores é uma empresa jovem que se dedica ao ensino de Informática e Inglês a crianças e jovens, a partir

Leia mais

Edital de seleção de trainees 2016 para a Atomic Júnior

Edital de seleção de trainees 2016 para a Atomic Júnior EDITAL São João del-rei, 18 de Março de 2016 Edital de seleção de trainees 2016 para a Atomic Júnior A Empresa Júnior Atomic Jr., da Universidade Federal de São João del-rei, torna pública, por meio deste

Leia mais

ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR

ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR V Fórum das Licenciaturas ENSINO MÉDIO COM VISTAS A BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR Os Desafios da Formação Humana Integral Reconhecimento da escola como espaço de cidadania o Ensino Médio é um direito

Leia mais

Concurso Todos Contam. 5.ª edição

Concurso Todos Contam. 5.ª edição PLANO NACIONAL DE FORMAÇÃO FINANCEIRA Concurso Todos Contam 5.ª edição Regulamento do Concurso O Concurso Todos Contam é uma iniciativa promovida pelo Conselho Nacional de Supervisores Financeiros, entidade

Leia mais

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação

GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação Sessão de esclarecimento On-line Informação ao Encarregado de GABINETE DE APOIO PSICOLÓGICO Educação 1 ORIENTAÇÃO VOCACIONAL Gabinete de Apoio Psicológico Agrupamento de Escolas de Almeida 2 ORIENTAÇÃO

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP

Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Programa de Iniciação Científica da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas PIC DIREITO SP Edital n o 01/2016 Seleção de Projetos de Pesquisa A Coordenadoria do Mestrado Acadêmico e Pesquisa

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ

ESTADO DE SANTA CATARINA MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO PROCESSO SELETIVO - EDITAL 002/2014/SED (Consolidado com as Retificações 01 e 02) Anexo 1,, e. A) Cargos de Nível de Ensino Superior Administrador Escolar Instrutor de

Leia mais

Mestrado em Computação Aplicada Edital de Seleção - Turma 2013

Mestrado em Computação Aplicada Edital de Seleção - Turma 2013 Mestrado em Computação Aplicada Edital de Seleção - Turma 2013 A, campus Curitiba, através de seu Diretor-Geral Prof. Dr. Marcos Flávio de Oliveira Schiefler, torna público o Edital de Seleção para o ingresso

Leia mais

O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH.

O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH. O profissional que sua empresa procura está na Avanti RH. Apresentação Experiência e juventude se unem na Avanti Humanas, afinal, somos uma empresa dedicada à atração, recrutamento, seleção e desenvolvimento

Leia mais

guia de Matrículas Irmã Veronice Weber - Diretora Geral

guia de Matrículas Irmã Veronice Weber - Diretora Geral guia de Matrículas 2017 As Instituições Escolares da Associação Congregação de Santa Catarina têm como missão promover e consolidar educação como processo de crescimento humano-cristão e profissional,

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO EDITAL Nº004/2011 PROCEDIMENTOS

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO EDITAL Nº004/2011 PROCEDIMENTOS PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO EDITAL Nº004/2011 PROCEDIMENTOS A Faculdade Estácio de Natal divulga a abertura de inscrições, normas e programas do processo de seleção para Coordenador

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PORTARIA N 190, DE 02 DE JUNHO DE 2017. O PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS, no uso de suas atribuições

Leia mais

TEORIA da BUROCRACIA WEBER ( )

TEORIA da BUROCRACIA WEBER ( ) TEORIA da BUROCRACIA WEBER (1864 1920) LIVROS - A ÉTICA PROTESTANTE E O ESPÍRITO DO CAPITALISMO, Theory of social and Economic Organization e Três aspectos da autoridade legítima somente a partir de 1940

Leia mais

Comunicação Interna Órgão Emissor: DIREITO GV. Data: 05/12/2012 Assunto: Comunica alteração no Regulamento da Bolsa Mérito Dr.

Comunicação Interna Órgão Emissor: DIREITO GV. Data: 05/12/2012 Assunto: Comunica alteração no Regulamento da Bolsa Mérito Dr. Todos os níveis da 1 de 7 O Diretor, no uso de suas atribuições regimentais, COMUNICA: Art. 1º Alteração no regulamento da Bolsa Mérito Dr.. Art. 2º Esta Comunicação Interna entra em vigor em 2013 e revoga

Leia mais