ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA ADMINISTRAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 1. Conceito: Teoria iniciada em meados de 1950, que trata a organização formada pelo todo (organização formal e informal) e inserida em um ambiente maior. 2. Estrutura: Conjunto formal constituído por mais de duas pessoas, com relações e forma fixa definida. 3. Estruturalismo: Método de análise e comparação das organização com ênfase no todo e nas relações entre os elementos que a compõe. A mudança em um dos elementos tem impacto direto nos demais da estrutura. 4. Sociedade das organizações: As organizações se inter-relacionam entre si e ao mesmo tempo com o ambiente externo. Ambiente Organização Organização Organização Organização Uma organização como um conjunto de elementos ordenados em função de um objetivo comum. Líderes, especialistas e operários Pessoal Máquinas e matérias-primas Recursos 1

2 5. Foco da Teoria Estruturalista: Estudar a estrutura interna da organização e suas inter-relações. Estudar as relações entre as organizações. 6. As organizações complexas: São organizações que concentram elevados graus de complexidade na sua estrutura e processos de trabalho. 7. O homem organizacional: O homem social participa simultaneamente em várias organizações. Para isso, ele desempenha vários papéis de acordo com cada organização. 8. Análise das organizações: Organização formal e informal: Integrar os dois tipos de organização. Recompensas materiais e sociais: Tratam da importância de recompensas materiais (prêmios por produção) e sociais (vantagens sociais). Os diferentes enfoques da organização: Modelo racional e modelo natural. Modelo racional: Adequar e utilizar os meios mais eficientes em função dos objetivos organizacionais. Modelo natural: Interligação das partes, de forma a tornar tudo funcional e equilibrado, tendo em vista a necessidade de se adequar às variações ambientais. 2

3 Os níveis de organização: Segundo Persons, as organizações se dividem em três níveis a saber: Diversidade de organização: Expandir a teoria administrativa para todos os tipos de organização, saindo da limitação do chão de fábrica. Análise interorganizacional: Preocupação com os acontecimentos externos à organização que impactam na maneira da organização atuar (sistema aberto). 9. Tipologia das organizações: Necessidade de classificar as organizações de acordo com características comuns (ex: empresas privadas e públicas). Tipologia de Etzioni: Organizações naturais (família e grupos étnicos) e organizações artificiais (empresas e governos). A tipologia de Etzioni classifica as organizações de acordo com o uso e 3 significado da obediência.

4 Tipos de organização Tipos de Poder Controle Utilizado Ingresso e permanência dos participan- Envolvimento pessoal dos participan- Motivação Exemplos tes através de Tes Coercitiva Coercitivo Prêmios e punições Coação, imposição, força, ameaça e medo Alienativo Negativa (punições) Prisões Normativa Normativo Moral e ético Convicção, fé, crença, ideologia Moral e motivacional Autoexpressão Igreja Utilitária Remunerativo Incentivos econômicos Interesse, vantagem percebida Calculativo Benefícios e vantagens Empresas comerciais 4

5 Tipologia de Blau e Scott: Divide as organizações de acordo com os participantes beneficiários (membros da organização, proprietários, clientes e público em geral). Tipos de organização Benefícios Principal Exemplo Associações de benefícios mútuos Associações de interesses comerciais Os próprios membros da organização Os proprietários ou acionistas da organização Associações profissionais, cooperativas, sindicatos, fundos mútuos, consórcios, etc. Sociedades anônimas ou empresas familiares. Organizações de serviços Os clientes Hospitais, universidades, organizações religiosas e agências sociais, organizações filantrópicas. Organizações de estado O público em geral Organização militar, segurança pública, correios, saneamento básico, etc. 5

6 10. Objetivos organizacionais: Modelos de sobrevivência: Quando a organização desenvolve objetivos que lhe permitem simplesmente existir e manter sua continuidade. Modelos de eficiência: Quando a organização desenvolve objetivos que lhe permite não somente existir, mas experimentar um crescente aumento de excelência e competitividade. 11. Ambiente organizacional: Toda organização depende de outras organizações e do ambiente para sobreviver. Essa crescente dependência leva às organizações a mudarem seus objetivos. Assim, as organizações desenvolvem estratégias para lidar com o ambiente. Influência do ambiente Objetivo original Situação inicial Novo objetivo 6

7 Tipo de Estratégia Características Exemplos Competição Ajuste ou negociação Coopção ou cooptação Coalizão Rivalidade, mediada por um terceiro; Disputa por recursos Envolve acordos comerciais; Visa uma estabilidade futura. A organização traz para dentro de si elementos de outras organizações pra auxiliar no processo de decisão. União de duas ou mais organizações para alcançar um objetivo comum. Concorrência direta entre duas empresas para fornecer à um terceiro Duas empresas que estabelecem um contrato de fornecimento. Executivos de bancos ou instituições financeiras que são convidados para participar da gestão da organização. Empresas de aviação unem-se para oferecer maiores opções de trechos. 7

8 12. Conflitos organizacionais: Conflito é a existência de idéias antagônicas que podem se chocar. O conflito é o ponto de partida para a mudança e o desenvolvimento da organização. O conflito organizacional é sanado através da cooperação. 13. Dilemas organizacionais: Dilema é uma situação onde existe uma incompatibilidade em relação à um assunto. O atendimento de um dos interesses inviabiliza o outro. Os dilemas da organização segundo Blaw e Scott: Dilema entre coordenação e comunicação livre: A coordenação deve ser eficiente e eficaz na resolução de problemas, tendo em vista o atingimento dos objetivos. A coordenação é dificultada quando se permite a livre comunicação entre as partes, gerando soluções não previstas. Dilema entre disciplina burocrática e especialização profissional: O especialista profissional representa os interesses de sua profissão. O burocrata representa os interesses da organização. 8

9 Dilema entre a necessidade de planejamento centralizado e a necessidade de iniciativas individuais: A iniciativa individual conduz a organização à inovação. A necessidade de planejamento e controle é vital para a organização. 14. Apreciação crítica da Teoria Estruturalista: Convergência de várias abordagens divergentes: Convergência de várias abordagens (Teoria Clássica, das Relações Humanas e Burocrática). Ampliação da abordagem: Considera a organização como um todo. Dupla tendência teórica: Considera tanto o lado integrativo (juntar as partes integrantes da organização) como o lado do conflito (divisão da organização em função de idéias antagônicas). Maior amplitude de estudo: Considera todos os tipos de organização e não só organizações industriais. Limitação da tipologia das organizações: As formas de classificar as organizações são limitadas. Teoria da crise: Ênfase maior nos problemas e patologias organizacionais (conflitos e dilemas) ao invés de tentar explicar sua normalidade. Teoria da transição e mudança: Predecessora da Teoria dos Sistemas. 9

10 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO 1. Origens da Teoria Burocrática: A falta de uma abordagem global das Teorias Clássicas e de Relações Humanas; A necessidade de se estabelecer uma teoria racional para toda organização; O crescente tamanho e complexidade das empresas na época;.o ressurgimento da sociologia da burocracia (Weber). 2. Origens da burocracia: A burocracia é uma organização humana baseada na racionalidade e na adequação dos meios aos objetivos (fins); Burocracia é a organização eficiente por excelência; Ênfase nos detalhes (como as coisas serão feitas). 3. Tipos de sociedade: Tradicional família; Carismática partidos políticos, igreja, etc; Legal, racional ou burocrática As empresas. 4. Tipos de autoridade: Autoridade tradicional; Autoridade carismática; 10 Autoridade racional ou burocrática.

11 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO Tipos de sociedade Exemplos Tipos de autoridade Características Características Legitimação Aparato administrativo Tradicional Patriarcal e patrimonialista Conservadora Clã, tribo, família, etc. Tradicional Não é racional e o poder é herdado ou delegado. Tradição, hábitos, usos e costumes. Forma patrimonial e forma feudal. Carismática Personalista, mística e arbitrária. Grupos revolucionários e partidos políticos. Carismática Não é racional, nem herdada nem delegável. Características pessoais carismática do líder. Inconstante e instável. Escolhido pela lealdade e devoção ao líder. Legal, racional ou burocrática Racionalidade dos meios e dos objetivos. Estados modernos e grandes empresas. Legal, racional ou burocrática Legal, racional, impessoal, formal e meritocrática Justiça da lei, normas legais previamente definidos. Burocracia 11

12 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO 5. Características da burocracia (segundo Weber): Caráter legal das normas e regulamentos: A burocracia é uma organização baseada em normas e regulamentos previamente escritas; Caráter formal das comunicações: Preocupação com as comunicações escritas. Caráter racional da divisão de trabalho: A divisão do trabalho dentro de uma racionalidade adequada aos objetivos. Impessoalidade nas relações: A ênfase na distribuição das atividades devem ser os cargos e não as pessoas. Hierarquia e autoridade: Os cargos devem obedecer o princípio da hierarquia. Rotinas e procedimentos padronizados: Fixação de normas e regras de conduta do ocupante do cargo. Competência técnica e meritocracia: A escolha das pessoas deve obedecer ao critério do mérito e na competência técnica e não em preferências pessoais. Especialização da administração: Separação clara entre o administrador e o proprietário. Profissionalização dos participantes: A organização burocrática considerava o participante (funcionário) um profissional por ser especialista, assalariado, 12 ocupa um cargo, etc.

13 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO Completa previsibilidade do funcionário: O comportamento do funcionário deve ser previsível e dentro do estabelecido nas normas. 6. Vantagens da burocracia: Racionalidade burocrática: Procurar escolher os meios mais eficientes; Precisão na definição do cargo e na operação: Conhecimento exato dos deveres; Rapidez nas decisões: O conhecimento prévio dos deveres facilita a decisão; Univocidade de interpretação: As informações chegam escritas e somente para o interessado; Redução de custo, erros e tempo: Garantida pela uniformidade de rotinas e procedimentos; Garantia de continuidade da organização: Garantida pelo processo padronizado de seleção e escolha do pessoal; Redução de atrito interno: Cada funcionário conhece o que é exigido dele e quais as suas responsabilidades; Constância: Em função da padronização das decisões; Confiabilidade: Os casos similares são tratados da mesma forma, enfatizando a racionalidade e eliminando aspectos pessoais. 13 Benefícios para as pessoas: Treinamento, divisão de responsabilidade, etc.

14 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO 7. Dilemas da burocracia: Existência de chefes burocráticos e chefes não burocráticos; A sucessão dos chefes burocráticos e não burocráticos; A crise de sucessão de chefes não burocráticos. 8. Disfunções da burocracia: A ênfase excessiva nas regras e regulamentos inibe a flexibilidade; A excessiva formalização e documentação das comunicações aumenta a necessidade de papelório; Os funcionários resistem às mudanças por que a organização burocrática estimula a rotinização e padronização, gerando uma certa segurança; A ênfase nos cargos em detrimento das pessoas despersonaliza o relacionamento; Quem ocupa o mais alto posto hierárquico toma as decisões, mesmo que não seja conhecedor do assunto. Existe uma excessiva obediência à hierarquia; As regras acabam por se tornar sagradas para os funcionários, limitando a sua liberdade. Assim o funcionário trabalha em função das regras; Necessidade de um sistema que explicite claramente quem detém o poder (mesas maiores, sala com banheiro, uniforme diferenciado, etc); 14

15 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO Dificuldade no atendimento a clientes e conflitos com o público em função da falta de flexibilidade e personalização. 8. Graus de burocratização: Escassez de burocratização Falta de especialização, bagunça e confusão DIVISÃO DE TRABALHO Excesso de burocratização Superespecialização, responsabilidade Falta de autoridade HIERARQUIA Autoridade, autocracia e imposição Liberdade excessiva Ausência de documentos, informalidade Apadrinhamento REGRAS E REGULAMENTOS FORMULAÇÂO DAS COMUNICAÇÕES SELEÇÃO E PROMOÇÃO PESSOAL Ordem e disciplina Excesso de papelório, formalismo Excesso de exigências 15

16 ABORDAGEM ESTRUTURALISTA MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO 9. Apreciação crítica da Teoria da Burocracia: O excessivo racionalismo da burocracia; Mecanicismo e as limitações da teoria da máquina; Conservantismo da burocracia (contrário à inovação) em função da excessiva ênfase no cumprimento de regras; Abordagem de sistema fechado, desconsiderando a organização inserida num ambiente mutável; Procura explicar as organizações ao invés de oferecer diretrizes aos administradores; Desconsideração da organização informal. 16

Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA

Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA Aula 6 Abordagem Estruturalista da Administração EPA Os desdobramentos da Abordagem Estruturalista Teoria da Burocracia Ênfase na Estrutura Abordagem Estruturalista Teoria Estruturalista Ênfase na Estrutura,

Leia mais

Abordagem Estruturalista

Abordagem Estruturalista Abordagem Estruturalista A Abordagem Estruturalista se divide em: Teoria da Burocracia com ênfase na estrutura e Teoria Estruturalista com ênfase na Estrutura, nas Pessoas e no Ambiente. Teoria da Burocracia

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h)

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h) EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA D 3.1 Debate Contemporâneo da Gestão Pública (16h) Professor : Fernando Luiz Abrucio Aula 1 03, 04 e 06 de outubro de 2011 AS BASES DA BUROCRACIA PÚBLICA CONTEMPORÂNEA 1) Origens:

Leia mais

Abordagens Organizacionais

Abordagens Organizacionais NOTA DE AULA CLASS NOTE Abordagens Organizacionais Roberto de Medeiros Junior roberto.medeiros.junior@hotmail.com Prof. Maria Terezinha Angeloni, Dr. terezinha.angeloni@unisul.br Abordagens Organizacionais

Leia mais

Organização Formal. Organização Formal x Organização Informal. Tipos de Organização. Divisão Racional do Trabalho

Organização Formal. Organização Formal x Organização Informal. Tipos de Organização. Divisão Racional do Trabalho Divisão Racional do Trabalho Organização Formal x Organização Informal Organização Formal - Heterogênea -Rígida - Hierarquizada -Estática - Limitada Princípios Básicos das Organizações - Divisão do Trabalho

Leia mais

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO. HENRI FAYOL França

TEORIA CLÁSSICA DA ADMINISTRAÇÃO. HENRI FAYOL França DA ADMINISTRAÇÃO HENRI FAYOL França HENRI FAYOL 1841-1925 Nasceu em Constantinopla, morreu em Paris. Desenvolveu a Teoria Clássica na França. Engenheiro de Minas aos 25 anos. Gerente Geral aos 47 anos.

Leia mais

Introdução à Administração. Prof. Marcos Vinicius Pó

Introdução à Administração. Prof. Marcos Vinicius Pó Introdução à Administração Prof. Marcos Vinicius Pó marcos.po@ufabc.edu.br Resposta à natureza complexa das organizações e à incerteza dos ambientes Causalidade mecânica Causalidade probabilística Administração:

Leia mais

AP05 A ESCOLA DE RELAÇÕES HUMANAS

AP05 A ESCOLA DE RELAÇÕES HUMANAS 1 2 Conhecer a Escola de Relações Humanas iniciada com as ideias de ELTON MAYO e a Teoria da Burocracia, de MAX WEBER. 3 SUMÁRIO 1. A ESCOLA DE RELAÇÕES HUMANAS 2. A TEORIA DA BUROCRACIA 4 RECAPTULANDO...

Leia mais

SIDNEI BAPTISTA DA SILVA BUROCRACIA NO TRABALHO

SIDNEI BAPTISTA DA SILVA BUROCRACIA NO TRABALHO SIDNEI BAPTISTA DA SILVA BUROCRACIA NO TRABALHO Faculdade da Aldeia de Carapicuíba Carapicuíba 2010 SIDNEI BAPTISTA DA SILVA BUROCRACIA NO TRABALHO Trabalho apresentado a Faculdade da Aldeia de Carapicuíba

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 3.

Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Dinâmica nas Organizações. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 3. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Dinâmica nas Organizações Prof.: Fernando Hadad Zaidan Unidade 3.3 3 A DINÂMICA DAS ORGANIZAÇÕES E AS ORGANIZAÇÕES DO CONHECIMENTO

Leia mais

Economia Monetária: a moeda racionaliza as transações econômicas Superioridade Técnica: a Burocracia é superior a qualquer outro tipo de organização

Economia Monetária: a moeda racionaliza as transações econômicas Superioridade Técnica: a Burocracia é superior a qualquer outro tipo de organização TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II Modelo Burocrático de Organização Max Weber (1864 1920), sociólogo alemão, foi o criador da Sociologia da Burocracia. Foi professor das Universidades de Friburgo e de Heidelberg

Leia mais

Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber

Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber Panorama histórico da administração, parte I Taylor, ford, fayol, weber Panorama histórico da ADM I Nascido na Filadélfia (EUA); Engenheiro Mecânico; Carreira na Midvale Steel Co. (de capataz a engenheiro)

Leia mais

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

GESTÃO EM SAÚDE. Teorias da Administração. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 1 GESTÃO EM SAÚDE Teorias da Administração - 2 DEFINIÇÕES GESTÃO - engloba pessoas, processos e planejamento. ADMINISTRAÇÃO - finanças, contabilidade e mercado. 3 DEFINIÇÕES O conceito de administração

Leia mais

Estratégia e Marketing. EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008

Estratégia e Marketing. EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008 Estratégia e Marketing EGI ISEC Denise Lila Lisboa Gil Abril 2008 A Estrutura Organizacional é o que vai servir como ponte de ligação entre a Formulação e a Implementação da Estratégia para que a empresa

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Organização. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Organização. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Organização Professor: Roberto César ORGANIZAÇÃO LINEAR A organização do tipo linear constitui a forma estrutural mais simples e antiga. Origem: Organização dos antigos exércitos

Leia mais

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade

Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade FECOMERCIO - 21/11 SÃO PAULO Governança Corporativa Transparência e Sustentabilidade LUIZ DE LUCA Coordenador Comissão GC em Saúde - IBGC Superintendente Corporativo Hospital Samaritano Governança Corporativa

Leia mais

Frederick Taylor e a Administração Científica

Frederick Taylor e a Administração Científica Frederick Taylor e a Administração Científica PRIMEIRA FASE SEGUNDA FASE TERCEIRA FASE Ataque ao Problema dos Salários. Estudo Sistemático do Tempo. Definição de Tempos Padrão. Sistema de Administração

Leia mais

BUROCRACIA INTRODUÇÃO

BUROCRACIA INTRODUÇÃO BUROCRACIA INTRODUÇÃO Uma das primeiras aplicações do termo Burocracia data do século XVIII, onde o termo era carregado de forte conotação negativa, designando aspectos de poder dos funcionários de uma

Leia mais

PLANO DE CURSO. Bases históricas. Abordagens clássica, neoclássica, humanista, estruturalista, sistêmica e contingencial das

PLANO DE CURSO. Bases históricas. Abordagens clássica, neoclássica, humanista, estruturalista, sistêmica e contingencial das PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Administração Disciplina: Teoria da Administração I Professor: Salomão David Vergne Cardoso e-mail: vergne07@gmail.com Código: MAR00 Carga

Leia mais

Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI

Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI BRI 009 Teorias Clássicas das RI Ordem Internacional e a Escola Inglesa das RI Janina Onuki IRI/USP janonuki@usp.br 23 e 24 de setembro de 2015 ESCOLA INGLESA Abordagem que busca se diferenciar do debate

Leia mais

Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1

Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1 Sumário Capítulo 1 Organização e o Processo Organizacional...1 1. O Conceito de Organização...1 2. O Conceito de Processo...2 3. O Conceito de Administração...3 4. O Processo Organizacional...3 4.1. Conceito

Leia mais

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Unidade Curricular Gestão Empresarial ADS 2 M/N Introdução aos Princípios da Gestão Empresarial

Leia mais

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Administração Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Cronograma das Aulas. Hoje você está na aula Semana Tema 01 Apresentação do PEA. Fundamentos

Leia mais

ADM Administração para Engenharia. Prof. Henrique

ADM Administração para Engenharia. Prof. Henrique ADM29008 Administração para Engenharia Prof. Henrique Roteiro Introdução Abordagem Clássica (Teorias Clássica e Científica) Teoria Comportamental (Relações Humanas) Hierarquia de Necessidades (Maslow)

Leia mais

Teoria Geral da Administração

Teoria Geral da Administração Teoria Geral da Administração Tópicos de discussão Conceitos Administração, gestão, gerência Eficiência, eficácia Organizações Teorias da Administração Escolas e teorias administrativas Trabalho e sociedade

Leia mais

Delegação, centralização e descentralização

Delegação, centralização e descentralização Delegação, centralização e descentralização Amplitude de controle PROF. DACIANE DE O. SILVA DISCIPLINA- OSM Referência: REBOUÇAS, Djalma de Oliveira DELEGAÇÃO Definição : A Delegação pode ser definida

Leia mais

Gestão de Pessoas e Ética Profissional. Kátia Lima

Gestão de Pessoas e Ética Profissional. Kátia Lima Gestão de Pessoas e Ética Profissional Kátia Lima Gestão de Pessoas e Ética Profissional Kátia Lima Gestão de Pessoas 1.1 Equilíbrio organizacional. 1.2 Objetivos, desafios e características da gestão

Leia mais

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015

A importância da liderança como diferencial competitivo. Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 A importância da liderança como diferencial competitivo Leonardo Siqueira Borges 29 de Setembro de 2015 Ellebe Treinamento em Gestão Organizacional A Ellebe atua em empresas públicas e privadas nas áreas

Leia mais

Baseado no livro do Professor Jorge Adelino Costa Imagens Organizacionais da Escola

Baseado no livro do Professor Jorge Adelino Costa Imagens Organizacionais da Escola Imagens organizacionais ac o a da escola Baseado no livro do Professor Jorge Adelino Costa Imagens Organizacionais da Escola Evolução das ideias sobre Educação (António Nóvoa) Até aos anos 50: investigação

Leia mais

[Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Campus Virtual Cruzeiro do Sul

[Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL. Campus Virtual Cruzeiro do Sul [Ano] ESTRUTURA ORGANIZACIONAL UNIDADE : ESTRUTURA ORGANIZACIONAL MATERIAL TEÓRICO Responsável pelo Conteúdo: Profa. Ms. Andréia de Carvalho Andrade 2 1- Fundamentos de organização Em uma empresa tem-se

Leia mais

Durkheim. Durkheim. Tipologia Social. Sociologia. Consciência Coletiva. Divisão Social do Trabalho SOCIEDADE HOMEM

Durkheim. Durkheim. Tipologia Social. Sociologia. Consciência Coletiva. Divisão Social do Trabalho SOCIEDADE HOMEM Durkheim Durkheim SOCIEDADE Anos 70 OPERÁRIOS ROCOCÓ DETERMINA HOMEM Ciências naturais Tipologia Social Sociedades de: Solidariedade Mecânica (SSM): arcaicas Solidariedade Orgânica (SSO): avançadas Objetividade

Leia mais

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ

MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XVIII PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE PNQ Nesse módulo iremos estudar o Modelo de Excelência Brasileiro, seus fundamentos, características e especificidades, abordando os critérios

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS

CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS CATÁLOGO REGIONAL PALESTRAS, OFICINAS E CURSOS GET GERÊNCIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRABALHADOR SESI/DRMG MINAS GERAIS 2015 www.fiemg.com.br SUMÁRIO 1. PALESTRAS 1.1 MAIS INFORMAÇÕES... 4 2. OFICINAS 2.1 ÉTICA

Leia mais

Evolução do Pensamento

Evolução do Pensamento Unidade II Evolução do Pensamento Administrativo Prof. José Benedito Regina Conteúdo da disciplina EPA Parte 1 - Conceitos gerais da administração Parte 2 - Evolução histórica: Abordagens administrativas

Leia mais

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I

Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais I Recursos e PRP (Processo de Realização do Produto) Prof. Marcos César Bottaro Os Recursos RECURSOS: é tudo que gera ou tem a capacidade de gerar riqueza

Leia mais

TEORIAS MOTIVACIONAIS Preceitos para Liderança

TEORIAS MOTIVACIONAIS Preceitos para Liderança TEORIAS MOTIVACIONAIS Preceitos para Liderança Teoria das Relações Humanas Motivação, liderança, comunicação, organização informal, dinâmica de grupo. Influencia da motivação humana O pagamento ou recompensa

Leia mais

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação

Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação Fórum de Empresas Estatais Federais Plano de Cargos, Salários e Remuneração Capacitação de RH para Inovação A prática de remuneração variável e gestão por competências no setor público brasileiro Agenda

Leia mais

Gerência Conceito e características dessa função

Gerência Conceito e características dessa função Gerência Conceito e características dessa função Alan de Matos Souza Gerente - Conceito Indivíduos que supervisionam as atividades de outros. (Robbins, 2002). São os agentes protagonistas dos processo

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica.

CÓDIGO DE ÉTICA. Nesse ano, estamos disponibilizando o nosso Código Ética nas versões impressa e eletrônica. CÓDIGO DE ÉTICA Nestes três anos de muitas realizações, as relações da Agência de Desenvolvimento Paulista com seus parceiros, clientes, fornecedores, acionistas, entre outros, foram pautadas por valores

Leia mais

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira

Antecedentes Históricos da Administração. Professor Maurício Teixeira Antecedentes Históricos da Administração Professor Maurício Teixeira Abordagens Mostrar a história Incipiente preocupação com a Administração na antiguidade Influencias da Administração Filosóficas Da

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES

Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES ASCUDT - Associação Sócio-Cultural dos Deficientes de Trás-os-Montes Sistema de Gestão da Qualidade ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DOS RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS COLABORADORES (novembro 2014) Índice

Leia mais

Estruturas Organizacionais

Estruturas Organizacionais Estruturas Organizacionais Rosely Gaeta 9/3/2016 Slides de Aula 01 Visão Geral Estruturas formais e informais Fontes: Henry Mintzberg Criando Organizações Eficazes Cap 1 Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira

Leia mais

Economia Monetária: a moeda racionaliza as transações econômicas Superioridade Técnica: a Burocracia é superior a qualquer outro tipo de organização

Economia Monetária: a moeda racionaliza as transações econômicas Superioridade Técnica: a Burocracia é superior a qualquer outro tipo de organização TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO II Modelo Burocrático de Organização Max Weber (1864 1920), sociólogo alemão, foi o criador da Sociologia da Burocracia. Foi professor das Universidades de Friburgo e de Heidelberg

Leia mais

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você!

Capital Humano. Programa de Desenvolvimento em. Um novo Mercer College para você! Programa de Desenvolvimento em Capital Humano Um novo College para você! O College mudou para se adequar à sua necessidade e de sua empresa. Muito mais completo e flexível, nosso programa apresenta os

Leia mais

Unidade II. Esta abordagem é composta por duas teorias ou escolas, a saber:

Unidade II. Esta abordagem é composta por duas teorias ou escolas, a saber: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO Unidade II 2 EVOLUÇÃO HISTÓRICA: ABORDAGENS ADMINISTRATIVAS PRESCRITIVAS E NORMATIVAS 2.1 Abordagem clássica da administração Esta abordagem é composta por duas teorias

Leia mais

Evolução da Disciplina. Modelos de Gestão AULA 1 PRINCIPAIS MODELOS E TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO. Modelos de Gestão

Evolução da Disciplina. Modelos de Gestão AULA 1 PRINCIPAIS MODELOS E TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO. Modelos de Gestão Evolução da Disciplina Modelos de Gestão Aula 1: Principais Modelos das Teorias da Aula 2: Origem, Evolução, Classificação e Tipologia das Organizações Aula 3: Termos comuns às Organizações; Gestão por

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Estrutura Organizacional Organização da Empresa: É a ordenação e agrupamento de atividades e recursos, visando ao alcance dos objetivos

Leia mais

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira

Gestão Estratégica A BATALHA DE KURSK. Aula 6 Estratégia Competitiva. Prof. Dr. Marco Antonio Pereira Gestão Estratégica Aula 6 Estratégia Competitiva Prof. Dr. Marco Antonio Pereira marcopereira@usp.br A BATALHA DE KURSK 1 Modelo de Porter As 5 forças Competitivas Estratégias Genéricas Propósito da Empresa

Leia mais

Disciplinas Fundamentais Curso de Especialização em Administração Industrial (CEAI)

Disciplinas Fundamentais Curso de Especialização em Administração Industrial (CEAI) Disciplinas Fundamentais - 2007 Curso de Especialização em Administração Industrial (CEAI) Administração da Produtividade Produção X Produtividade Indicadores de produtividade: globais e parciais Balanced

Leia mais

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL O PROCESSO DE AVALIAÇÃO PROFISSIONAL Carmen Leite Ribeiro Bueno* A Avaliação Profissional tem como objetivo geral auxiliar o indivíduo em seu desenvolvimento pessoal e profissional, utilizando sistematicamente

Leia mais

Escritos de Max Weber

Escritos de Max Weber Escritos de Max Weber i) 1903-1906 - A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1ª parte, em 1904; 2ª parte em 1905; introdução redigida em 1920); - A objetividade do conhecimento nas Ciências Sociais

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... Erro! Indicador não definido. 1.1. Objetivo...1 1.2. Abrangência...2 1.3. Princípios...2 1.4. Diretrizes...2 1.5. Responsabilidades...3

Leia mais

A HISTÓRIA DO PENSAMENTO JURÍDICO. Aula n.º 02

A HISTÓRIA DO PENSAMENTO JURÍDICO. Aula n.º 02 A HISTÓRIA DO PENSAMENTO JURÍDICO Aula n.º 02 A HISTÓRIA DO PENSAMENTO JURÍDICO Correntes de pensamento que tem o objetivo de explicar a origem do direito; Cada uma afirma que o direito provém de uma fonte

Leia mais

Clima e Socialização organizacional

Clima e Socialização organizacional Função Aplicação de pessoas: Clima e Socialização organizacional Livros: CHIAVENATO, Gestão de pessoas TACHIZAMA, et al. Material na xerox (pg.240-255) SOCIALIZAÇÃO ORGANIZACIONAL É a maneira pela qual

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: ETEC Paulino Botelho Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica

Leia mais

introdução ao marketing - gestão do design

introdução ao marketing - gestão do design introdução ao marketing - gestão do design Universidade Presbiteriana Mackenzie curso desenho industrial 3 pp e pv profa. dra. teresa riccetti Fevereiro 2009 A gestão de design, o management design, é

Leia mais

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais.

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman Centro Universitário Estácio da Bahia Conteúdo O contexto histórico

Leia mais

Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento. Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09

Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento. Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09 Avaliação de Desempenho Estratégia de Desenvolvimento Fernanda Allucci Diretora Assistencial Nov/09 Avaliação de desempenho - Estratégia de desenvolvimento Roteiro de apresentação Breve histórico institucional

Leia mais

Políticas Públicas II O Ciclo das Políticas Públicas

Políticas Públicas II O Ciclo das Políticas Públicas Políticas Públicas II O Ciclo das Políticas Públicas Professora: Geralda Luiza de Miranda Agosto/2011 Tema da aula Visões do ciclo de política: clássica; processo simples e linear; Implementação como formulação

Leia mais

Gestão de Pessoas MÓDULO II

Gestão de Pessoas MÓDULO II O DIFERENCIAL É O TALENTO HUMANO: Gestão de Pessoas MÓDULO II Prof. Ms. Fábio Lúcio Gomes fabiodobu@gmail.com Administração de RH Abrange o conjunto de técnicas e instrumentos que permitem às organizações

Leia mais

Início, identificar uma necessidade ou oportunidade, o problema e sua solução, e a estimativa inicial dos custos e prazos;

Início, identificar uma necessidade ou oportunidade, o problema e sua solução, e a estimativa inicial dos custos e prazos; O projeto Os projetos estão sempre vinculados às organizações, são de caráter transitório e seu objetivo é satisfazer ou exceder as expectativas dos mercados ou das partes interessadas (stakeholders).

Leia mais

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO?

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? É UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DOS FATORES DE PRODUÇÃO, MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, PROCESSOS E RECURSOS HUMANOS, VOLTADOS PARA A SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA, ATRAVÉS DA BUSCA CONSTANTE

Leia mais

Administração de Cargos e Salários

Administração de Cargos e Salários Administração de Cargos e Salários Professor : Glauco Zambonini Bibliografia base: Pontes, Benito Rodrigues Administração de cargos e salários / Benito Rodrigues Pontes. 12 ed. São Paulo : LTr, 2007 ISBN

Leia mais

Comportamento Organizacional

Comportamento Organizacional Comportamento Organizacional Profª. Taís Brenner Oesterreich 2011-1 O que é comportamento organizacional? Campo de estudo que investiga o impacto que indivíduos, grupos e a estrutura têm sobre o comportamento

Leia mais

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto.

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. MORAL E ÉTICA O homem é um ser dotado de senso moral. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. Senso moral se manifesta em sentimentos, atitudes, juízos de valor Moral vem

Leia mais

Fundamentação Teórica: Código de Ética. Aula 8

Fundamentação Teórica: Código de Ética. Aula 8 Fundamentação Teórica: Código de Ética Aula 8 Ética Profissional! Normas e princípios que regulamentam a conduta do indivíduo no exercício de sua profissão. (consciência, comportamento, ação e conduta

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICO EM RECURSOS

Leia mais

Prof. Me.Léo Noronha. Unidade I GESTÃO DAS INFORMAÇÕES

Prof. Me.Léo Noronha. Unidade I GESTÃO DAS INFORMAÇÕES Prof. Me.Léo Noronha Unidade I GESTÃO DAS INFORMAÇÕES ORGANIZACIONAIS Objetivos Cultura da informação Informação Estratégica O papel do administrador de sistemas de informação Para entender o papel do

Leia mais

Governança aplicada à Gestão de Pessoas

Governança aplicada à Gestão de Pessoas Governança de pessoal: aperfeiçoando o desempenho da administração pública Governança aplicada à Gestão de Pessoas Ministro substituto Marcos Bemquerer Brasília DF, 15 de maio de 2013 TCU Diálogo Público

Leia mais

Nossos valores em relação ao Meio Ambiente, Segurança, Saúde e à Qualidade

Nossos valores em relação ao Meio Ambiente, Segurança, Saúde e à Qualidade Nossos valores em relação ao Meio Ambiente, Segurança, Saúde e à Qualidade Índice Nosso objetivo 4 Não poupar esforços 5 Coragem de inovar 6 Atuar com responsabilidade 7 3 Prezado colaborador, Este nosso

Leia mais

AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA

AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA AULA 4 OS DESENHOS DE PESQUISA Roteiro da aula 1. Por que planejar a pesquisa? 2. Principais tipos de desenhos de pesquisa - Quantitativos ou qualitativos - Transversais ou longitudinais - Exploratórios,

Leia mais

Excelência na Gestão

Excelência na Gestão Mapa Estratégico 2012-2014 Visão Até 2014, ser referência no atendimento ao público, na fiscalização e na valorização das profissões tecnológicas, reconhecido pelos profissionais, empresas, instituições

Leia mais

"TEORIA DA BUROCRACIA MAX WEBER

TEORIA DA BUROCRACIA MAX WEBER "TEORIA DA BUROCRACIA MAX WEBER (*) Texto compilado do capítulo 11 da obra de Idalberto Chiavenato, "Introdução à Teoria Geral da Administração", MAKRON Books, 4ª edição. Max Weber (1864-1920), sociólogo

Leia mais

MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu

MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu MBA em Gestão Empreendedora Curso de Especialização Lato Sensu Introdução à Educação a Distância (EAD); Inovação e Empreendedorismo; Políticas Públicas em Educação; Gestão de Processos; Gestão Estratégica;

Leia mais

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello

Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil. Centro Sergio Vieira de Mello Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil Centro Sergio Vieira de Mello Unidade 4 Parte 3 Respeito pela Diversidade Valores Organizacionais Essenciais da ONU Integridade Profissionalismo Respeito pela

Leia mais

Responsabilidade Social

Responsabilidade Social Responsabilidade Social 1 Sistemas! 2 3 Sistemas de Informação O que é? 4 Sistemas de Informação? Componentes Sistemas de Informação Objetivos 5 6 Pra que servem os Sistemas de Informação? TEMPO DECISÕES

Leia mais

Por José Luís Carneiro

Por José Luís Carneiro Organização, Sistemas e Métodos Arranjo Físico (Layout) Por José Luís Carneiro Arranjo físico (layout) Arranjo Físico (Layout) 1 Introdução O espaço físico organizacional influi no trabalho desenvolvido

Leia mais

Protocolo de Atuação no Relacionamento com funcionários públicos e autoridades públicas. Endesa Brasil

Protocolo de Atuação no Relacionamento com funcionários públicos e autoridades públicas. Endesa Brasil Protocolo de Atuação no Relacionamento com funcionários públicos e autoridades públicas Endesa Brasil ÍNDICE 3 3 3 3 4 6 6 1. Objeto 2. Alcance 3. Aplicação 4. Conceitos 5. Conteúdo 6. Responsabilidades

Leia mais

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original

Sistema da Gestão da Qualidade. Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original Sistema da Gestão da Qualidade Agradecimentos ao Prof. Robson Gama pela criação da apresentação original 1 CONCEITO QUALIDADE O que é Qualidade? 2 Qualidade Conjunto de características de um objeto ou

Leia mais

Ciclo de Capacitação em Exportação

Ciclo de Capacitação em Exportação Ciclo de Capacitação em Exportação Unidade de Atendimento às Empresas Apex-Brasil CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Exportação Primeiros Passos; Formação de preço de exportação e Análise da competitividade Internacional;

Leia mais

Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz

Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz Empresa de consultoria, especializada em pessoas, com foco em soluções empresariais de alta complexidade e impacto, com a missão de promover a paz nas relações no trabalho. PROJETO DESENVOLVIMENTO DAS

Leia mais

Eficiência e Eficácia

Eficiência e Eficácia Eficiência e Eficácia Desempenho das Organizações A eficiência é determinante da eficácia: caso haja recursos disponíveis, e estes forem utilizados corretamente, a probabilidade de atingir os objetivos

Leia mais

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA

O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA O CONTEXTO HISTÓRICO DO SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA CENÁRIO HISTÓRICO A Sociologia surge como conseqüência das mudanças trazidas por duas grandes revoluções do século XVIII. As mudanças trazidas pelas duas

Leia mais

O profissional de engenharia no contexto dos serviços, obras e licitações públicas. Engº José Luiz Azambuja SENGE-RS

O profissional de engenharia no contexto dos serviços, obras e licitações públicas. Engº José Luiz Azambuja SENGE-RS O profissional de engenharia no contexto dos serviços, obras e licitações públicas Engº José Luiz Azambuja SENGE-RS Presença em todas as etapas dos processos de licitações públicas: - Planejamento Presença

Leia mais

AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I)

AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I) AULA 1 A constituição do campo de uma sociologia da vida econômica (I) SOCIOLOGIA ECONÔMICA 02/2004 NADYA ARAUJO GUIMARÃES Conceito de ator Ação econômica Determinantes que estabelecem os limites da ação

Leia mais

Política de Controles Internos

Política de Controles Internos Política de Controles Internos Introdução Esta política tem por objetivo estabelecer regras, procedimentos e descrição dos controles internos a serem observados para o fortalecimento e funcionamento dos

Leia mais

Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES. Prof. Me. Livaldo dos Santos

Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES. Prof. Me. Livaldo dos Santos Unidade I GESTÃO DAS OPERAÇÕES PRODUTIVAS Prof. Me. Livaldo dos Santos Administração de operações produtivas, seus objetivos e estratégia Objetivos da unidade: Entender a função produção nas diversas organizações.

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial. Estrutura Organizacional

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial. Estrutura Organizacional FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO A busca do essencial Estrutura Organizacional SUMÁRIO 1. A grande vilã 2. A estrutura é uma estratégia 3. Condicionantes e componentes 4. Elementos definidores da estrutura

Leia mais

Motivação: teoria e prática

Motivação: teoria e prática Aula 3 Motivação: teoria e prática 1 Agenda Seminário Motivação Teorias Motivacionais Implicações práticas 2 1 O que é motivação? Processo de criação e sustentação de comportamentos (disposição) voltados

Leia mais

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D3.7 Gestão Estratégica nas Organizações Públicas (32h) 24, 28, 29 e 30 de novembro de 2011

EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. D3.7 Gestão Estratégica nas Organizações Públicas (32h) 24, 28, 29 e 30 de novembro de 2011 EIXO 3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA D3.7 Gestão Estratégica nas Organizações Públicas (32h) Professores: Gabriela Lotta e José Carlos Vaz 24, 28, 29 e 30 de novembro de 2011 Objetivos Desenvolver uma visão estratégica

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA QUALIDADE Cultura Religiosa O fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano e da sociedade. As principais

Leia mais

GESTÃO SUSTENTÁVEL IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO GEP BRASIL 2015 RIBEIRÃO PRETO JUNHO 2015

GESTÃO SUSTENTÁVEL IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO GEP BRASIL 2015 RIBEIRÃO PRETO JUNHO 2015 GESTÃO SUSTENTÁVEL IMPACTOS DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NA SUSTENTABILIDADE DO NEGÓCIO GEP BRASIL 2015 RIBEIRÃO PRETO JUNHO 2015 SUMÁRIO PROBLEMAS LEGISLAÇÃO AMBIENTE SOLUÇÕES PROBLEMAS CULTURA HISTÓRIA

Leia mais

Teoria Básica da Administração. Administração Científica. Professor: Roberto César

Teoria Básica da Administração. Administração Científica. Professor: Roberto César Teoria Básica da Administração Administração Científica Professor: Roberto César Abordagem Clássica da Administração Administração Científica Taylor Ênfase nas Tarefas Abordagem Clássica da Administração

Leia mais

Conceito: estratégia de produção. Gestão da Produção Aula 3. Conceito: estratégia de produção. Conceito: estratégia de produção 03/04/2014

Conceito: estratégia de produção. Gestão da Produção Aula 3. Conceito: estratégia de produção. Conceito: estratégia de produção 03/04/2014 Gestão da Produção Aula 3 Estratégia de Produção: Origens e Novas Orientações Uma estratégia de produção é formada a partir de um conjunto de metas, políticas e restrições auto impostas, que descrevem

Leia mais

Organização, Sistemas e Métodos. Organogramas. Por José Luís Carneiro. - -

Organização, Sistemas e Métodos. Organogramas. Por José Luís Carneiro. -  - Organização, Sistemas e Métodos Organogramas Por José Luís Carneiro - www.jlcarneiro.com - Organogramas Organogramas 2 - www.jlcarneiro.com - Introdução Gráfico que representa a estrutura formal da organização

Leia mais

DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz

DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz DESAFIO PELA BUSCA DA EXCELÊNCIA MODELO ASSISTENCIAL Hospital Alemão Oswaldo Cruz Perfil O Hospital Alemão Oswaldo Cruz é uma associação civil de direito privado, sem fins econômicos ou lucrativos de caráter

Leia mais

Organização Sistemas e Métodos. Tópico 7 Organogramas

Organização Sistemas e Métodos. Tópico 7 Organogramas Organização Sistemas e Métodos Tópico 7 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 3 3. Benefícios e Limitações... 3 4. Regras Gerais... 4 5. Significado dos componentes... 4 6. Tipos... 4 6.1 Organograma

Leia mais

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos

MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos MÓDULO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. Política de Controles Internos Junho de 2016 ÍNDICE POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 2 (A) Objetivo... 2 (B) Abrangência... 2 (C) Princípios Gerais... 2 (D) Diretrizes...

Leia mais

Criação de serviços municipais

Criação de serviços municipais Desafios do Saneamento: Criação de serviços municipais 1.1 Titularidade municipal Constituição Federal estabelece titularidade dos municípios para serviço de saneamento básico CF/88: Art. 30. Compete aos

Leia mais