PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO"

Transcrição

1 PIERRE BOURDIEU PODER SIMBÓLICO

2 Construtivismo Estruturalista Superação do pensar por dicotomias mundo social construido no pasado (historicidade) formas sociais (passado) são reproduzidas, apropriadas, deslocadas e transformadas nas práticas e nas interações da vida cotidiana (presente) o cotidiano abre, com a herança do passado, posibilidades ao futuro.

3 Pierre Bourdieu Por estruturalismo ou estructuralista entendo a afirmação de que existem no mundo social mesmo, e não só nos sistemas simbólicos como a linguagem, o mito etc. - estruturas objetivas independentes da consciência e da vontade dos agentes e que são capazes de orientar ou restringir práticas e representações Entendo por construtivismo a afirmação de que existe uma gênese social dos esquemas de percepção, de pensamento e de ação que são constitutivos do que chamo habitus, por uma parte, e, por outra, de estruturas sociais, particularmente do que chamo campos ou grupos, assim como também do que ordinariamente se pode chamar classes sociais

4 mundo social sentidos únicos e sentidos proibidos ordem estabelecida com suas relações de dominação seus direitos e suas imunidades seus privilégios e suas injustiças perpetua se apesar de tudo As estruturas são internalizadas em forma de habitus disposições esquemas de percepções de pensamento de ações estrutura estruturada estrutura estruturante incorporrados por imitação observação prática situações similares

5 habitus Aristóteles hexis = disposição moral geradora de atos Tomás de Aquino - virtudes = moral católica ensinada nos sistema de disposições da prática constituído de fundamentos objetivos = da regularidade das condutas. mosteiros Hegel - Sittlichkeit = disposiciones permanentemente constitutivas da moral realizada = a moralidade objetiva Wittgenstein - jogo, regra, hábito, aprendizagem = jogo social Husserl - habitualität = fenômeno ser com e no mundo Podemos prever prácticas precisamente porque o habitus é aquilo que faz os agentes dotados do mesmo habitus se comportarem de certa maneira em certas circunstancias Mauss corpo socializado = dimensão corporal do social Durkheim educação - processo de socialização Weber ethos = protestante, burgués = conjunto de crenças morais geradoras de práticas. Ethos = Ética doutrina moral definidas como sistema de normas, regras e preceitos

6 Campo quadro de caracteres pertinentes a um conjunto de agentes ou de instituições no qual se desenham distintos tipos de capital (social, econômico, cultural). espaço social sistema de posições sociais que se definem por relação com as outras (ex. autoridade/súdito; chefe/subordinado; patrão/empregado; homem/mulher; rico/pobre etc.) O valor de uma posição se mede pela distância social que a separa de outras posições inferiores ou superiores = espaço social = sistema de diferenças sociais hierarquizadas (distinção) em função de um sistema de legitimidades socialmente estabelecidas e reconhecidas num momento determinado. Ordem social sistema global de espaços sociais constituído por conjuntos de posições, ao mesmo tempo vinculadas e contrapostas entre si pelas distâncias que as separam

7 dominação masculina Historicidade do masculino Submissão e negação do feminino naturalizacão habitus da masculinidade internalização dos valores pelo homem e pela mulher como estrutura estruturada circularidade estruturas são internalizadas em forma de habitus Os habitus orientam as ações dos indivíduos Essas ações influenciam as estruturas

8

9 Pierre Bourdieu A força do direito mitos dinâmica interna autonomia liberta do peso social neutralidade instrumento do poder dominante universalismo campo jurídico (agentes e instituições) Universo social autónomo lógica específica do direito Violência simbólica legítima Lógica externa = relações de forças que lhe conferem estrutura e orientam lutas de concorrência (conflitos de competência) Lógica interna = universo das soluções jurídicas / delimitação dos espaços possíveis de direito

10 A força do direito divisão do trabalho jurídico O campo judicial concorrência pelo monopólio do direito de dizer o direito (boa distribuição, boa ordem) espaço social organizado agentes investidos de competência social e técnica (intérprete mais ou menos livre ou autorizado). corpus de textos que consagram a visão legítima, justa, reta do mundo social razões da autonomia e do efeito simbólico de desconhecimento ilusão da sua autonomia absoluta em relação às pressões externas.

11 A força do direito divisão do trabalho jurídico lógica paradoxal da divisão do trabalho No texto jurídico estão em jogo lutas a leitura é uma maneira de apropriação da força simbólica que nele se encontra em estado potencial o sentido do texto jurídico nunca se impõe imperativamente eles permanecem inseridos em instâncias hierarquizadas que estão à altura de resolver os conflitos entre os intérpretes e as interpretações a concorrência entre os intérpretes está limitada por as decisões judiciais só poderem se distinguir dos atos de força políticos na medida em que se apresentam como resultado de uma interpretação regulada de textos unanimemente reconhecidos a interpretação opera a historicização da norma

12 A força do direito monopólio Entrar no jogo, conformar-se com o direito para resolver o conflito, é aceitar a adoção de um modo de expressão e de discussão que implica a renúncia à violência física e às formas elementares da violência simbólica, com a injúria. A força da forma A prática jurídica define-se na relação entre campo jurídico, princípio da oferta jurídica que se gera na concorrência entre os profissionais e a procura dos profanos (clientes), em parte determinada pelo efeito da oferta. Legitimidade do direito = os agentes jurídicos estão investidos no direito de dizer o direito

PPGED-UFPA Vitor Sousa Cunha Nery 26/01/2017 EDUCAÇÃO CULTURA E SOCIEDADE. O PODER SIMBÓLICO: conceito de habitus PIERRE BOURDIEU

PPGED-UFPA Vitor Sousa Cunha Nery 26/01/2017 EDUCAÇÃO CULTURA E SOCIEDADE. O PODER SIMBÓLICO: conceito de habitus PIERRE BOURDIEU EDUCAÇÃO CULTURA E SOCIEDADE PPGED-UFPA Vitor Sousa Cunha Nery 26/01/2017 O PODER SIMBÓLICO: conceito de habitus PIERRE BOURDIEU agenda 1. 2. Biografia do Autor Conceitos Básicos 3. Conceito de Habitus

Leia mais

O construtivismo estruturalista de Pierre Bourdieu. Adriano Araújo; Roberta Mazer

O construtivismo estruturalista de Pierre Bourdieu. Adriano Araújo; Roberta Mazer O construtivismo estruturalista de Pierre Bourdieu Adriano Araújo; Roberta Mazer Obras base: A Distinção: crítica social do julgamento (Introdução, Capítulos 1, 3 e conclusão); Razões Práticas: (Prefácio

Leia mais

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto.

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. MORAL E ÉTICA O homem é um ser dotado de senso moral. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. Senso moral se manifesta em sentimentos, atitudes, juízos de valor Moral vem

Leia mais

24/07/2014. As origens da Sociologia. A questão do conhecimento

24/07/2014. As origens da Sociologia. A questão do conhecimento Tema 1: O enfoque do Positivismo para a Educação Professora Ma. Mariciane Mores Nunes As origens da Sociologia Sociologia: ciência que explica a dinâmica das sociedades contemporâneas. Envolve: herança

Leia mais

AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015

AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015 AULA 2 A CONSTITUIÇÃO DO CAMPO DA SOCIOLOGIA ECONÔMICA (I) NADYA ARAUJO GUIMARÃES FSL 0638 SOCIOLOGIA ECONÔMICA 01/2015 ROTEIRO 1. Os principais momentos na constituição do campo: cronologia e território

Leia mais

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia

Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber. Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia Unidade 3: A Teoria da Ação Social de Max Weber Professor Igor Assaf Mendes Sociologia Geral - Psicologia A Teoria de Ação Social de Max Weber 1 Ação Social 2 Forma de dominação Legítimas 3 Ética Protestante

Leia mais

Antropologia Econômica. Aula 8 Antropologia disposicional. Prof.: Rodrigo Cantu

Antropologia Econômica. Aula 8 Antropologia disposicional. Prof.: Rodrigo Cantu Antropologia Econômica Aula 8 Antropologia disposicional Prof.: Rodrigo Cantu EBC Agência Brasil, 27/11/2014 Ministro da Fazenda tem experiência no mercado financeiro e no setor público O novo ministro

Leia mais

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA

SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO ROSILDA SILVIO SOUZA A consciência de nossa humanidade nesta era planetária deveria conduzir-nos à solidariedade e à comiseração recíproca, de indivíduo para indivíduo, de todos

Leia mais

Unidade 2: Teoria Sociológica de Durkheim. Sociologia Geral - Psicologia Igor Assaf Mendes

Unidade 2: Teoria Sociológica de Durkheim. Sociologia Geral - Psicologia Igor Assaf Mendes Unidade 2: Teoria Sociológica de Durkheim Sociologia Geral - Psicologia Igor Assaf Mendes Teorias e Perspectivas Sociológicas Funcionalismo: enfatiza que o comportamento humano é governado por estruturas

Leia mais

PSICOLOGIA SOCIAL I. Psicologia Geral e Psicologia Social. De que trata a Psicologia Social? 21/08/2016

PSICOLOGIA SOCIAL I. Psicologia Geral e Psicologia Social. De que trata a Psicologia Social? 21/08/2016 PSICOLOGIA SOCIAL I A psicologia social e seu objeto de estudo: QUESTÕES PRELIMINARES Profa. Dra. Rosana Carneiro Tavares A HISTÓRIA DA PSICOLOGIA SOCIAL ÁREAS DE ATUAÇÃO DO PSICÓLOGO De que trata a Psicologia

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

Durkheim SOCIEDADE HOMEM. Anos 70 ROCOCÓ DETERMINA OPERÁRIOS

Durkheim SOCIEDADE HOMEM. Anos 70 ROCOCÓ DETERMINA OPERÁRIOS Durkheim Durkheim SOCIEDADE Anos 70 OPERÁRIOS ROCOCÓ DETERMINA HOMEM Sociologia Ciências naturais Sociologia Objetividade Relações causais Bases estatísticas Tipologia Social Sociedades de: Solidariedade

Leia mais

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política

Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política S u m á r i o Parte I Filosofia do Direito. Teoria Geral do Direito e da Política CAPÍTULO I Filosofia do Direito I: O Conceito de Justiça, O Conceito de Direito, Equidade, Direito e Moral...3 I. O conceito

Leia mais

INDIVIDUO E SOCIEDADE DURKHEIM E O NASCIMENTO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS

INDIVIDUO E SOCIEDADE DURKHEIM E O NASCIMENTO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS INDIVIDUO E SOCIEDADE DURKHEIM E O NASCIMENTO DAS CIÊNCIAS SOCIAIS Émile Durkheim (francês) (1858-1917) Biografia Émile Durkheim (1858-1917) nasceu em Epinal, região de Lorena, na França, no dia 15 de

Leia mais

A cultura. A importância da cultura no processo de humanização

A cultura. A importância da cultura no processo de humanização A cultura A importância da cultura no processo de humanização A cultura A capacidade do Homem de se adaptar ao meio, transformando-o, distingue-o dos outros animais. Para aprender e desenvolver a capacidade

Leia mais

A sociologia de Marx. A sociologia de Marx Monitor: Pedro Ribeiro 24/05/2014. Material de apoio para Monitoria

A sociologia de Marx. A sociologia de Marx Monitor: Pedro Ribeiro 24/05/2014. Material de apoio para Monitoria 1. (Uel) O marxismo contribuiu para a discussão da relação entre indivíduo e sociedade. Diferente de Émile Durkheim e Max Weber, Marx considerava que não se pode pensar a relação indivíduo sociedade separadamente

Leia mais

A função do examinador e a ética profissional

A função do examinador e a ética profissional A função do examinador e a ética profissional WORKSHOP Novas Regras para Examinadores de Condução Susana Paulino Auditório Alto dos Moinhos, Lisboa 21 e 22 de janeiro de 2013 1 A formação e avaliação de

Leia mais

2/22/2013. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Reflexões sobre ética

2/22/2013. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Ética geral e profissional. Reflexões sobre ética Ministrado por: Júlio ndrade, UFF Elaborado por: Virgílio Oliveira, UFF 1 2 modernidade ocidental posicionou o indivíduo no centro do mundo Não há, hoje, um outro absoluto, seja ele: um ente (como a Natureza,

Leia mais

As implicações do conceito de representação em Roger Chartier com as noções de habitus e campo em Pierre Bourdieu

As implicações do conceito de representação em Roger Chartier com as noções de habitus e campo em Pierre Bourdieu As implicações do conceito de representação em Roger Chartier com as noções de habitus e campo em Pierre Bourdieu Alexandre Pacheco 1 - PPG- UNESP/Araraquara Quando começamos a elaborar nosso projeto de

Leia mais

POSITIVISMO - Uma primeira forma de pensamento social - século XVIII

POSITIVISMO - Uma primeira forma de pensamento social - século XVIII POSITIVISMO - Uma primeira forma de pensamento social - século XVIII Primeira corrente teórica sistematizada de pensamento sociológico, seu representante Auguste Comte. Tentativa de derivar as ciências

Leia mais

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades

Análise Social 3. Desigualdades Sociais ESCS Sistemas de desigualdades Análise Social 3 Desigualdades Sociais ESCS 2016-17 Sistemas de desigualdades Historicamente, os tipos de desigualdade, definidos formalmente ou não, apresentaram-se de modos diferentes Tipos de sistemas

Leia mais

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 ÉTICA E MORAL O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 Ética e Moral são indiferenciáveis No dia-a-dia quando falamos tanto usamos o termo ética ou moral, sem os distinguirmos. Também

Leia mais

A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER. Professora: Susana Rolim

A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER. Professora: Susana Rolim A SOCIOLOGIA COMPREENSIVA DE MAX WEBER Professora: Susana Rolim MAX WEBER Sociólogo alemão, nascido em 21 de abril de 1864. Seu primeiro trabalho foi A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1905).

Leia mais

Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática

Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática Universidade Federal de Roraima Departamento de matemática Metodologia do Trabalho Científico O Método Cientifico: o positivismo, a fenomenologia, o estruturalismo e o materialismo dialético. Héctor José

Leia mais

Faculdade Zumbi dos Palmares RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA

Faculdade Zumbi dos Palmares RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA INSTITUTO AFRO BRASILEIRO DE ENSINO SUPERIOR Faculdade Zumbi dos Palmares Faculdade de Pedagogia RESUMO SOCIOLOGIA DA EDUCAÇÃO EDUCAÇÃO E BUROCRACIA O MITO DA EDUCAÇÃO LIBERTADORA JOYCE MOURÃO RODRIGUES

Leia mais

Escritos de Max Weber

Escritos de Max Weber Escritos de Max Weber i) 1903-1906 - A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo (1ª parte, em 1904; 2ª parte em 1905; introdução redigida em 1920); - A objetividade do conhecimento nas Ciências Sociais

Leia mais

PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE.

PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE. PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE. 1. Teorias que consideram que a sociedade é uma instância que se impõe aos indivíduos sendo estes produto dessa

Leia mais

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo

Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley ( ) Sociólogo Socialização Tal como aprendemos um jogo, jogando o, também aprendemos a viver, vivendo. Peter Worsley (1924 2013) Sociólogo As pessoas não são mais do que indivíduos socializados Todos os homens nascem

Leia mais

Os Sociólogos Clássicos Pt.2

Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Os Sociólogos Clássicos Pt.2 Max Weber O conceito de ação social em Weber Karl Marx O materialismo histórico de Marx Teoria Exercícios Max Weber Maximilian Carl Emil Weber (1864 1920) foi um intelectual

Leia mais

Unidade Lectiva 1 21 de Fevereirto de Gesellschaft - Gemeinschaf

Unidade Lectiva 1 21 de Fevereirto de Gesellschaft - Gemeinschaf Unidade Lectiva 1 21 de Fevereirto de 2013 Gesellschaft - Gemeinschaf Unidade Lec*va 2 28 de Fevereiro de 2013 A dicotomia Gesellscha; - Gemeinschaf: Ferdinand Tönnies, Max Weber e Émile Durkheim. Ferdinand

Leia mais

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor Ética e Moral Conceito de Moral Normas Morais e normas jurídicas Conceito de Ética Macroética e Ética aplicada Vídeo: Direitos e responsabilidades Teoria Exercícios Conceito de Moral A palavra Moral deriva

Leia mais

Para que possamos utilizar Sistemas de informação, primeiro precisamos entender onde nascem as informações.

Para que possamos utilizar Sistemas de informação, primeiro precisamos entender onde nascem as informações. DADO E INFORMAÇÃO 9 Dado Para que possamos utilizar Sistemas de informação, primeiro precisamos entender onde nascem as informações. Tudo começa através da interpretação de Dados O que são dados? DADO:

Leia mais

Questões Sugeridas Bloco 1:

Questões Sugeridas Bloco 1: Questões Sugeridas Bloco 1: Pensamento Clássico da Sociologia: Ordem Social, Materialismo Dialético, Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo Ano: 2013 Banca: ESAF Órgão: DNIT Prova: Analista em Infraestrutura

Leia mais

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h:

BERÇARISTA. CURSO 180h: CURSO 260h: ARTES ENSINO FUNDAMENTAL Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Histórico do ensino da arte no brasil. Educação por meio da arte. Artes e educação, concepções teóricas. Histórico

Leia mais

6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento.

6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento. 1ª Série 6MOR001 ANATOMIA DO APARELHO LOCOMOTOR Estudo dos aparelhos - locomotor e cárdio-respiratório e sua relação com a cultura corporal do movimento. 6DES002 ASPECTOS TEÓRICO-METODOLOGICOS DE MODALIDADES

Leia mais

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas

A Teoria Crítica e as Teorias Críticas A Teoria Crítica e as Teorias Críticas As Teorias Críticas Clássicas apresentam uma contestação aos métodos utilizados pelas pesquisas administrativas Têm o marxismo como base filosófica e ideológica Teoria

Leia mais

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais.

Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. Aula 2: Cultura e Sociedade: Objeto e método das Ciências Sociais. CCJ0001 - Fundamentos das Ciências Sociais Profa. Ivana Schnitman Centro Universitário Estácio da Bahia Conteúdo O contexto histórico

Leia mais

ÉTICA PROFISSIONAL NA PSICOPEDAGOGIA DR. ANGELO BARBOSA

ÉTICA PROFISSIONAL NA PSICOPEDAGOGIA DR. ANGELO BARBOSA ÉTICA PROFISSIONAL NA PSICOPEDAGOGIA DR. ANGELO BARBOSA ÉTICA: Ética vem do grego ethos que significa modo de ser. É a forma que o homem deve se comportar no seu meio social. A ética pode ser o estudo

Leia mais

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA

PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016 PROFESSORA: LILIANE CRISTINA FERREIRA COSTA Escola Estadual Virgínio Perillo Avenida José Bernardes Maciel, 471 Marília, Lagoa da Prata-MG Fone: (37) 3261-3222 E-mail: escolavirginioperillo@gmail.com PLANO DE CURSO DISCIPLINA: SOCIOLOGIA ANO: 2016

Leia mais

14- LA TAILLE, Yves. DANTAS, Heloisa e

14- LA TAILLE, Yves. DANTAS, Heloisa e 14- LA TAILLE, Yves. DANTAS, Heloisa e Concurso Público Osasco PEB I - 2017 OLIVEIRA, Marta Kohl de, Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. ed., São Paulo: Summus, 1992 PROFESSOR

Leia mais

Como observar a realidade social? Operários, pintado por Tarsila do Amaral em 1933.

Como observar a realidade social? Operários, pintado por Tarsila do Amaral em 1933. Como observar a realidade social? Operários, pintado por Tarsila do Amaral em 1933. Se, pois, já damos a realidade presente como conhecida, seu estudo não tem mais interesse prático nenhum (DURKHEIM, 1978,

Leia mais

1 A INSUFICIÊNCIA DA FUNDAMENTAÇÃO DAS DECISÕES JUDICIAIS

1 A INSUFICIÊNCIA DA FUNDAMENTAÇÃO DAS DECISÕES JUDICIAIS CAMPO JURÍDICO E REPRESENTAÇÕES SOCIAIS: ANÁLISE SOBRE O PROBLEMA DA MÁ FUNDAMENTAÇÃO DO DANO MORAL NAS DECISÕES JUDICIAIS MATEUS MELLO GARRUTE 1 MORGANA NEVES DE JESUS 2 1 A INSUFICIÊNCIA DA FUNDAMENTAÇÃO

Leia mais

Durkheim. Durkheim. Tipologia Social. Sociologia. Consciência Coletiva. Divisão Social do Trabalho SOCIEDADE HOMEM

Durkheim. Durkheim. Tipologia Social. Sociologia. Consciência Coletiva. Divisão Social do Trabalho SOCIEDADE HOMEM Durkheim Durkheim SOCIEDADE Anos 70 OPERÁRIOS ROCOCÓ DETERMINA HOMEM Ciências naturais Tipologia Social Sociedades de: Solidariedade Mecânica (SSM): arcaicas Solidariedade Orgânica (SSO): avançadas Objetividade

Leia mais

Gênero e Saúde: representações e práticas na luta pela saúde da mulher

Gênero e Saúde: representações e práticas na luta pela saúde da mulher Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a 28 de agosto de 2008 Gênero e Saúde: representações e práticas na luta pela saúde da mulher Elaine Ferreira Galvão (UEL) Gênero; Saúde

Leia mais

O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER

O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER O FEMINISMO DE CATHRINE MACKINNON DESEJO E PODER FEMINISMO E MARXISMO TRABAHO (valor) MARXISMO SEXUALIDADE (desejo) FEMINISMO Ambos prejudicados nas relações sociais. Feminismo e marxismo como teorias

Leia mais

EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S

EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S Ética e Moral EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S 2009/2010 Valores No mundo contemporâneo o Homem já não segue valores modelos mas cria os seus próprios valores em função

Leia mais

1ª Fase PROVA OBJETIVA TEORIA DO ESTADO

1ª Fase PROVA OBJETIVA TEORIA DO ESTADO 1ª Fase PROVA OBJETIVA TEORIA DO ESTADO P á g i n a 1 QUESTÃO 1 - Em O Federalista, artigos assinados por Publius (Alexander Hamilton, James Madison e John Jay; várias edições), os autores defendem a nova

Leia mais

SOCIALIZAÇÃO E CULTURA

SOCIALIZAÇÃO E CULTURA SOCIALIZAÇÃO E CULTURA CULTURA Sentido comum Sentido sociológico -indivíduo com conhecimentos em vários domínios do saber -quando o indivíduo é portador de cultura, que varia de grupo social -cada grupo

Leia mais

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO SOFISTAS Acreditavam num relativismo moral. O ceticismo dos sofistas os levava a afirmar que, não existindo verdade absoluta, não poderiam existir valores que fossem validos universalmente. A moral variaria

Leia mais

Reflexões primeiras sobre: A Teoria do Espaço Social e da Gênese do Estado de Pierre Bourdieu.*

Reflexões primeiras sobre: A Teoria do Espaço Social e da Gênese do Estado de Pierre Bourdieu.* Reflexões primeiras sobre: A Teoria do Espaço Social e da Gênese do Estado de Pierre Bourdieu.* Roberto Di Benedetto** 1. o objetivo deste artigo, fruto do estudo de algumas das obras de Pierre Bourdieu

Leia mais

Proposta Curricular de Duque de Caxias

Proposta Curricular de Duque de Caxias ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIVISÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA,

Leia mais

2º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 6º Ano

2º Ciclo do Ensino Básico Critérios de avaliação 6º Ano CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO A avaliação do aluno nas diferentes disciplinas e áreas curriculares disciplinares realiza-se em três domínios: afetivo, cognitivo, e psicomotor. Ou, usando uma terminologia

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 Índice 1. Ética Geral...3 1.1 Conceito de ética... 3 1.2 O conceito de ética e sua relação com a moral... 4 2 1. ÉTICA GERAL 1.1 CONCEITO DE ÉTICA Etimologicamente,

Leia mais

AULA 02 O Conhecimento Científico

AULA 02 O Conhecimento Científico 1 AULA 02 O Conhecimento Científico Ernesto F. L. Amaral 06 de agosto de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Aranha, Maria Lúcia de Arruda; Martins, Maria Helena Pires. 2003. Filosofando: introdução à filosofia.

Leia mais

UNIDADE = LEI CONCEITO

UNIDADE = LEI CONCEITO UNIDADE = LEI CONCEITO Preceito jurídico (norma) escrito, emanado (que nasce) de um poder estatal competente (legislativo federal, estadual ou municipal ou poder constituinte) com características (ou caracteres)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DINÂMICA

APRESENTAÇÃO DINÂMICA Disciplina Obrigatória: Sociedade e Território Primeiro semestre de 2012 Professor: Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro Horário: 8:00-12:00 APRESENTAÇÃO O objetivo da disciplina é apresentar os principais campos

Leia mais

FCSH/UNL 2012/13 Teorias Sociológicas: Os Fundadores

FCSH/UNL 2012/13 Teorias Sociológicas: Os Fundadores FCSH/UNL 2012/13 Teorias Sociológicas: Os Fundadores Consciência Colectiva - Conjunto de crenças e sentimentos comuns à generalidade de uma sociedade particular, que formam um sistema com características

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Hermenêutica jurídica Maria Luiza Quaresma Tonelli* Hermenêutica é um vocábulo derivado do grego hermeneuein, comumente tida como filosofia da interpretação. Muitos autores associam

Leia mais

Saúde e espaço social: reflexões Bourdieusianas. Ligia Maria Vieira da Silva Instituto de Saúde Coletiva - UFBa

Saúde e espaço social: reflexões Bourdieusianas. Ligia Maria Vieira da Silva Instituto de Saúde Coletiva - UFBa Saúde e espaço social: reflexões Bourdieusianas Ligia Maria Vieira da Silva Instituto de Saúde Coletiva - UFBa Plano da exposição Lacunas no conhecimento Conceitos de saúde e de normatividade em Canguilhem

Leia mais

Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes. Professora Renata Lourdes.

Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes. Professora Renata Lourdes. Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes Professora Renata Lourdes. renatalourdesrh@hotmail.com CONCEITO DE ÉTICA Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação

Leia mais

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro

Unidade I. Instituições de Direito Público e Privado. Profª. Joseane Cauduro Unidade I Instituições de Direito Público e Privado Profª. Joseane Cauduro Estrutura da Disciplina Unidade I Conceitos Gerais de Direito O Direito e suas divisões, orientações e a Lei jurídica Unidade

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NO TRABALH0

EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NO TRABALH0 EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NO TRABALH0 Da revolução industrial (1900) à revolução democrática de gênero (1950) Em pauta a crise sócio-cultural da identidade sexual EVOLUÇÃO DO PAPEL DA MULHER NO TRABALH0

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 014/2017 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

O Contratualismo - Thomas Hobbes

O Contratualismo - Thomas Hobbes O Contratualismo - Thomas Hobbes 1. Sem leis e sem Estado, você poderia fazer o que quisesse. Os outros também poderiam fazer com você o que quisessem. Esse é o estado de natureza descrito por Thomas Hobbes,

Leia mais

Fases no processamento da informação Esquemas. Social

Fases no processamento da informação Esquemas. Social Cognição Social e pensamento social Cognição social Fases no processamento da informação Esquemas Copyright, 2005 José Farinha Cognição Social Definição: Processamento da informação social - pensamento

Leia mais

Ética e Poder na Sociedade da Informação

Ética e Poder na Sociedade da Informação Ética e Poder na Sociedade da Informação De como a autonomia das novas tecnologias obriga a rever o mito do progresso. Grupo: Brunna Correia Daniel Galdão Fernando Yoshihiro Gabriel Seixas Julien Pinto

Leia mais

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem

- estabelecer um ambiente de relações interpessoais que possibilitem e potencializem O desenvolvimento social e cognitivo do estudante pressupõe que ele tenha condições, contando com o apoio dos educadores, de criar uma cultura inovadora no colégio, a qual promova o desenvolvimento pessoal

Leia mais

Índice. Educação, política e cidadania Política e democracia A Política segundo maquiavel Relação: meios e fins...

Índice. Educação, política e cidadania Política e democracia A Política segundo maquiavel Relação: meios e fins... GRUPO 7.1 MÓDULO 8 Índice Educação, política e cidadania...3 1. Política e democracia...3 2. A Política segundo maquiavel...4 2.1 Relação: meios e fins... 4 2 EDUCAÇÃO, POLÍTICA E CIDADANIA 1. POLÍTICA

Leia mais

Fundamentação da ética

Fundamentação da ética Fundamentação da ética Objeto da ética Problemas: O que é a ética? Que tipo de problemas ela tenta resolver? Por que o ser humano deve ser guiado pela ética e não pelos instintos? Que elemento nos distingue

Leia mais

PLANO DE ENSINO ANO DE 2013

PLANO DE ENSINO ANO DE 2013 PLANO DE ENSINO ANO DE 2013 DISCIPLINA: EDUCAÇÃO FÌSICA ANO: Número de horas/aula Semanal: Total de horas/aula/ano: 1º 02 80 EMENTA: A Educação Física, tratada como componente da área de Linguagens e Códigos,

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Teoria e Prática Científica Antônio Joaquim Severino Grupo de pesquisa: Educação e saúde /enfermagem: políticas, práticas, formação profissional e formação de professores

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: SOCIOLOGIA GERAL E JURÍDICA Código da Disciplina: Curso: DIREITO Semestre de oferta da disciplina: 2º Faculdade responsável: DIREITO Programa em vigência a partir de:

Leia mais

A GENÉTICA CULTURAL DA «REPRODUÇÃO» *

A GENÉTICA CULTURAL DA «REPRODUÇÃO» * A GENÉTICA CULTURAL DA «REPRODUÇÃO» * Stephen R. Stoer** A Reprodução de Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron (1977) é uma obra que procura explicar como as sociedades de classe se reproduzem e como,

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL (Currículo iniciado em 2015) ANTROPOLOGIA 68 h/a 3210 A relação dialética entre o material e o simbólico na construção das identidades sociais e da

Leia mais

Direito Administrativo I

Direito Administrativo I Discricionariedade Administrativa Fernanda Paula Oliveira 1 Considerações introdutórias Fernanda Paula Oliveira 2 Vinculação e discricionariedade como dois pólos de uma mesma realidade: há um continuum

Leia mais

Sumário. Apresentação A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS

Sumário. Apresentação A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS Sumário Apresentação... 11 A SOCIOLOGIA DOS PAÍSES SUBDESENVOLVIDOS 1. Razões de nosso interesse por este assunto. Por que usamos a imagem do vale de lágrimas... 21 2. A geologia do vale de lágrimas e

Leia mais

O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo. Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17

O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo. Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17 O Projeto Político-Pedagógico na perspectiva do planejamento participativo Curso de Especialização em Gestão Escolar 18/05/17 É necessário conhecer e apreender a realidade de cada instituição escolar que

Leia mais

A abordagem sociológica da cultura e da arte de Pierre Bourdieu

A abordagem sociológica da cultura e da arte de Pierre Bourdieu 2014 A abordagem sociológica da cultura e da arte de Pierre Bourdieu 1 Pierre Bourdieu (1930-2002) Sociólogo francês. Uma das grandes figuras da sociologia francesa contemporânea. Aspectos centrais da

Leia mais

Liberdade. O comportamento moral: O bem e o mal. A ética hoje O QUE É ÉTICA

Liberdade. O comportamento moral: O bem e o mal. A ética hoje O QUE É ÉTICA Liberdade O QUE É ÉTICA O comportamento moral: O bem e o mal A ética hoje LIBERDADE ÉTICA Primeiro... Supomos que o indivíduo é livre Normas - Diz como devemos agir - PODEMOS agir ou não agir conforme

Leia mais

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah

3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah 3º ANO / PRÉVEST PROF. Abdulah QUEM FOI DURKHEIM? BIOGRAFIA Francês, nascido em Épinal, em 1858. Inaugurou o estudo da Sociologia. CONTEXTO / INFLUÊNCIAS Revolução Industrial / Neocolonialismo. Influenciado

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2017 DISCIPLINA DIREITO EMPRESARIAL I

PLANO DE ENSINO 2017 DISCIPLINA DIREITO EMPRESARIAL I PLANO DE ENSINO 2017 DISCIPLINA DIREITO EMPRESARIAL I 1. INFORMAÇÕES GERAIS Professora: Maria Rafaela Junqueira Bruno Rodrigues Departamento: Direito Privado Disciplina: Direito Empresarial I Série: 2º

Leia mais

Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação:

Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Paradigmas filosóficos e conhecimento da educação: Limites atual do discurso filosófico no Brasil na abordagem da temática educacional Fonte: SEVERINO, Antonio Joaquim (USP) A preocupação do texto Os discursos

Leia mais

Linguagem e Ideologia

Linguagem e Ideologia Linguagem e Ideologia Isabela Cristina dos Santos Basaia Graduanda Normal Superior FUPAC E-mail: isabelabasaia@hotmail.com Fone: (32)3372-4059 Data da recepção: 19/08/2009 Data da aprovação: 31/08/2011

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

Os desafios e as possibilidades da CPA no processo de avaliação Prof. Dr. Guilherme Marback Neto. II Encontro Nacional de CPAs

Os desafios e as possibilidades da CPA no processo de avaliação Prof. Dr. Guilherme Marback Neto. II Encontro Nacional de CPAs Os desafios e as possibilidades da CPA no processo de avaliação Prof. Dr. Guilherme Marback Neto AVALIAÇÃO E REGULAÇÃO PROCESSOS INDEPENDENTES E COMPLEMENTARES LEI 10.861/2004 DECRETO 5773/2006 Art. 7º

Leia mais

Produzido pela Ciência Química. Presente nos Parques. Presente nos Museus de Ciências. Presente nos livros didáticos. Presente nas escolas ...

Produzido pela Ciência Química. Presente nos Parques. Presente nos Museus de Ciências. Presente nos livros didáticos. Presente nas escolas ... Como é o Conhecimento Químico? Produzido pela Ciência Química Presente nos Parques Presente nos Museus de Ciências Presente nos livros didáticos Presente nas escolas... A transposição didática põe em evidência

Leia mais

Conteúdos e Didática de História

Conteúdos e Didática de História Conteúdos e Didática de História Professora autora: Teresa Malatian Departamento de História da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais UNESP / Franca. Bloco 2 Disciplina 21 Didática dos Conteúdos Conteúdos

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

Prova Global Simulado 6º. Filosofia 2014/2 Devolutiva das questões

Prova Global Simulado 6º. Filosofia 2014/2 Devolutiva das questões Prova Global Simulado 6º. Filosofia 2014/2 Devolutiva das questões Questão nº 1 - Resposta B Justificativa: O amante do mito é de certo modo também um filósofo, uma vez que o mito se compõe de maravilhas

Leia mais

1º Anos IFRO. Aula: Conceitos e Objetos de Estudos

1º Anos IFRO. Aula: Conceitos e Objetos de Estudos 1º Anos IFRO Aula: Conceitos e Objetos de Estudos Contextualização Os clássicos da sociologia: 1. Émile Durkhiem 2. Max Weber 3. Karl Marx Objeto de estudo de cada teórico Principais conceitos de cada

Leia mais

Fato Gerador LINHA DO TEMPO

Fato Gerador LINHA DO TEMPO Fato Gerador LINHA DO TEMPO 1º ) Lei criou o imposto com a sua HIPÓTESE DE INCIDÊNCIA 2º ) Ocorreu o FATO GERADOR do imposto 3º ) Consequentemente surge o OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA 4º ) Ocorre o LANÇAMENTO

Leia mais

ÉTICA E INTEGRIDADE EMP M R P ESA S RIA I L Ant n oni n o i F e F r e n r a n nd n o St S anz n ia i ni n

ÉTICA E INTEGRIDADE EMP M R P ESA S RIA I L Ant n oni n o i F e F r e n r a n nd n o St S anz n ia i ni n ÉTICA E INTEGRIDADE EMPRESARIAL Antonio Fernando Stanziani Eu sou eu e minhas circunstâncias e se não as salvo também não me salvo. Ortega y Gasset Meditações do Quixote Integridade Sentir, pensar, falar

Leia mais

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2

O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental. Aula 2 O processo de ensino e aprendizagem em Ciências no Ensino Fundamental Aula 2 Objetivos da aula Conhecer os a pluralidade de interpretações sobre os processos de ensino aprendizagem em Ciências; Discutir

Leia mais

1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO

1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO 1. A IMPORTÂNCIA DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Um relato supõe uma seleção de fatos a partir da sua relevância, por critérios estabelecidos por alguém. Como ele o estuda? Porque? Quais os pressupostos teóricos

Leia mais

ÉTICA PROFISSIONAL. Curso de Engenharia UNIP

ÉTICA PROFISSIONAL. Curso de Engenharia UNIP ÉTICA PROFISSIONAL Curso de Engenharia UNIP O QUE É ÉTICA? O QUE É ÉTICA? Tradicionalmente é entendida como um estudo ou uma reflexão sobre os costumes ou sobre as ações humanas. Pode ser entendida também

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CURSO DE DIREITO Profª: Kátia Paulino dos Santos 23/2/2013 18:25 1 Direitos Humanos Direitos Naturais Direitos Morais Direitos dos Povos Direitos Públicos Subjetivos

Leia mais

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO

Índice ÍNDICE. Pág. Prefácio... 7 Plano da obra Abreviaturas Bibliografia Geral Parte I CONCEITO DE DIREITO Índice 609 ÍNDICE Pág. Prefácio... 7 Plano da obra... 11 Abreviaturas... 13 Bibliografia Geral... 15 Parte I CONCEITO DE DIREITO Capítulo 1 A vida do Homem em sociedade 1. Observações preliminares... 23

Leia mais

Conceito de Gênero e Sexualidade no ensino de sociologia: Relato de experiência no ambiente escolar

Conceito de Gênero e Sexualidade no ensino de sociologia: Relato de experiência no ambiente escolar UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INCIAÇÃO À DOCÊNCIA SUBPROJETO SOCIOLOGIA Elizabeth Cristina - elizcristina@hotmail.com Bolsista

Leia mais