UTILIZAÇÃO DO 5S E GESTÃO DE ESTOQUES DE ITENS PARA AULA PRÁTICA: EXPERIÊNCIA NO CAMPUS EXPERIMENTAL DE ITAPEVA.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UTILIZAÇÃO DO 5S E GESTÃO DE ESTOQUES DE ITENS PARA AULA PRÁTICA: EXPERIÊNCIA NO CAMPUS EXPERIMENTAL DE ITAPEVA."

Transcrição

1 UTILIZAÇÃO DO 5S E GESTÃO DE ESTOQUES DE ITENS PARA AULA PRÁTICA: EXPERIÊNCIA NO CAMPUS EXPERIMENTAL DE ITAPEVA. MELHORES PRÁTICAS DE GESTÃO UNESP ÁGUAS DE LINDÓIA/SP SETEMBRO/2010

2 Introdução O entendimento do 5S é considerado como uma filosofia, práticada todos os dias. Devido aos princípios do 5S ser facilmente incluído na prática gerencial e contribui pela maximização tanto em eficiência quanto eficácia. Com a introdução de Manutenção Produtiva e qualidade total nas empresas, o 5S é o primeiro passo para o alcance do sucesso das referidas técnicas. Objetivo Apresentar a implementação de um sistema 5S como apoio a gestão de estoques no Laboratório de Mobiliário do Campus Experimental de Itapeva SP da Universidade Estadual Paulista.

3 5S - Princípios 1º SEIRI - SENSO DE ORGANIZAÇÃO CONCEITO: "separar o útil do inútil, eliminando o desnecessário". 2.º SEITON - SENSO DE ORDENAÇÃO CONCEITO: "identificar e arrumar tudo, para que qualquer pessoa possa localizar facilmente". 3.º SEISO - SENSO DE LIMPEZA CONCEITO: "manter um ambiente sempre limpo, eliminando as causas da sujeira e aprendendo a não sujar". 4.º SEIKETSU - SENSO DE ASSEIO CONCEITO: "manter um ambiente de trabalho sempre favorável a saúde e higiene". 5.º SHITSUKE - SENSO DE DISCIPLINA CONCEITO: "fazer dessas atitudes, ou seja, da metodologia, um hábito, transformando

4 Gestão de estoques A adequada gestão dos estoques deve passar pela resposta às seguintes perguntas: a) quanto pedir? b) quando pedir? c) quanto manter em estoques de segurança? d) onde localizar? Metodologia O método de pesquisa adotado para este trabalho foi estudo de caso que contemplou o laboratório de Mobiliário do Curso de Engenharia Industrial Madeireira do Campus Experimental de Itapeva (Itapeva-SP). Para a coleta de dados foi utilizada entrevista e observação local através de filmagens e fotos.

5 Fase 1 Levantamento dos dados.

6 Senso de organização 1. Descarte de objetos sem serventia. 2. Hall de entrada, passagens e equipamentos. 3. Porte de objetos pessoal permitido no local de trabalho. 4. Cada objeto no seu local adequado (quadro de ferramentas, prateleiras). Senso de ordenação 1. Todos seguem a sistemática estabelecida para guarda de objetos 2. Após o trabalho não se deixa restos de materiais 3. É mantida a ordem seguindo-se os critérios de classificação de objetos 4. As bancadas e os locais de trabalho são mantidos em ordem durante a execução dos trabalhos

7 Senso de Limpeza 1. Não existe poeira, sujeira, óleo. 2. Os equipamentos são mantidos adequadamente. 3. A área de trabalho é varrida no final de expediente. 4. Existem responsáveis pelas tarefas de limpeza. Senso de Asseio 1. As bancadas e ferramentas são sempre conservadas pelo usuário. 2. Os equipamentos e máquinas estão conservados e limpos 3. As roupas estão asseadas e limpas sem manchas 4. Os equipamentos são checados periodicamente

8 Senso de Disciplina 1. Os empregados usam uniformes 2. Todos os empregados usam EPI s adequados 3. Todos os empregados observam placas não fumar. 4. Todos os empregados se preparam adequadamente para deixar o local de trabalho.

9 Fase 2 Determinação das áreas de descartes, resíduos, mapa de riscos e armazenamento de peças para aula prática

10 Fase 3 e Fase 4 Sistema de classificação dos itens, etiquetagem. Desenvolvimento do banco de dados, Cadastro de itens.

11 Fase 5 Sensibilização dos usuários. SEIRI SEITON SEISO SEIKETSU SHITSUKE Utilização Ordenação Limpeza Normalização Disciplina Verificar todas as ferramentas, materiais, etc. na área de trabalho e manter somente os itens essenciais para o trabalho que está sendo realizado. Tudo o mais é guardado ou descartado. Disposição das ferramentas e equipamentos em uma ordem que permita o fluxo do trabalho. Deverão ser deixados nos lugares onde serão posteriormente usados. Manter o mais limpo possível o espaço de trabalho. Ao fim de cada dia de trabalho, o ambiente é limpo e tudo é recolocado em seus lugares, tornando fácil saber o que vai aonde, e saber onde está aquilo o que é essencial. Criar normas e sistemáticas em que todos devem cumprir. Tudo deve ser devidamente documentado. A gestão visual é fundamental para fácil entendimento de cada norma. Manutenção e revisão dos padrões.

12 Situação atual

13 Cartaz de Sensibilização ACABOU DE USAR? ENTÃO GUARDE AS FERRAMENTAS E O MATERIAL NO LOCAL CORRETO LEMBRE-SE. ESTE ESPAÇO PERTENCE A TODOS NÓS. Programa 5S- Unesp- Itapeva. Laboratório de Mobiliário

14 Cartaz de Sensibilização QUEM SUJOU? Que a resposta não envolva nosso nome. Todo bom profissional deve saber que lugar de lixo é no lixo.vamos preservar nossa imagem. Programa 5S- Unesp- Itapeva. Laboratório de Mobiliário

15 Fase 6 Aplicação de auditorias internas para controle do programa. Periodicidade: mensal. Treinamento de auditores. Treinamento em ISO9001:2008. Confecção de cartilha de 5S Reatroalimentação

16 Feira AGRIFAM - Dias 14 e 15/08 Exposição do projeto: MADEIRART.

17 Resultados Observou-se uma diferença significativa quanto ao ambiente quando esta se encontrava com a implantação do 5S, mostrando um ambiente motivador. Melhoria na dinâmica da aula prática. Redução dos tempos de fabricação, redução de custos, racionalização do espaço físico, adequação dos estoques, ganhos de produtividade, melhoria da qualidade e maior competitividade.

18 Autores Profa Dra Glaucia Aparecida Prates Profa Dra. Juliana Cortez Barbosa Silas da Silva Rêgo Guilherme Caceraghi dos Santos Jennifer Cristiane Rodrigues

O Programa 5S nasceu em Maio de 1950 no Japão. O seu objetivo inicial era combater perdas e desperdícios.

O Programa 5S nasceu em Maio de 1950 no Japão. O seu objetivo inicial era combater perdas e desperdícios. PROGRAMA 5S INTRODUÇÃO O Programa 5S nasceu em Maio de 1950 no Japão. O seu objetivo inicial era combater perdas e desperdícios. É fundamentado em 5 regras básicas que promovem intensa mobilização e educação

Leia mais

MELHORIA CONTÍNUA. 5 S: fundamental para enfrentar os momentos de crise

MELHORIA CONTÍNUA. 5 S: fundamental para enfrentar os momentos de crise MELHORIA CONTÍNUA 5 S: fundamental para enfrentar os momentos de crise Eliminação de desperdícios, otimização do espaço e criação de um ambiente de trabalho agradável. Estes são alguns dos benefícios da

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE PARA CONSTRUÇÃO CIVIL UNIFEBE Centro Universitário de Brusque Engenharia Civil Construção Civil II SISTEMA DE GESTÃO DA DEFESA CIVIL/SC 300 CASAS QUALIDADE PARA CONSTRUÇÃO CIVIL Prof. Diogo Visconti GESTÃO DA QUALIDADE NORMALIZAÇÃO

Leia mais

DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I. Aula 24 Programa 5S

DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I. Aula 24 Programa 5S DPS1036 SISTEMAS DA QUALIDADE I Aula 24 Programa 5S Origem 2 No Japão pós-guerra faltava tudo: Alimentos, roupas, Moradia, trabalhadores, Máquinas, equipamentos, Materiais, métodos de gestão. Não podia

Leia mais

Housekeeping 5S. Gestão e otimização da produção. Gestão e Otimização da Produção. Marco Antonio Dantas de Souza

Housekeeping 5S. Gestão e otimização da produção. Gestão e Otimização da Produção. Marco Antonio Dantas de Souza Gestão e otimização da produção Housekeeping 5S Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho 1 Fonte: www.tpfeurope.com/en_5sinfo.html 2 1 O é uma filosofia

Leia mais

5S Aplicação. na Gestão

5S Aplicação. na Gestão 5S Aplicação na Gestão Praticamos?? Metodologia de trabalho 5S é uma metodologia de trabalho que usa uma lista de cinco palavras japonesas: Seiri utilização, seleção Seiton arumação ão,, ordem Seiso -

Leia mais

Os 5 sensos da qualidade. Mestrando: Rodrigo Andreo Santos Orientador: Fernando Miranda de Vargas Junior

Os 5 sensos da qualidade. Mestrando: Rodrigo Andreo Santos Orientador: Fernando Miranda de Vargas Junior Os 5 sensos da qualidade Mestrando: Rodrigo Andreo Santos Orientador: Fernando Miranda de Vargas Junior Principal objetivo da Técnica dos 5S Melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, diminuindo os

Leia mais

PROGRAMA 5 S. Jailson de Souza* Reginaldo Otto Nau** Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI

PROGRAMA 5 S. Jailson de Souza* Reginaldo Otto Nau** Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI PROGRAMA 5 S Jailson de Souza* Reginaldo Otto Nau** Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI RESUMO O programa 5s surgiu no Japão, na década de 50. É formado de 5 sensos, que em japonês todos

Leia mais

Sensibilizando para Organização e Limpeza

Sensibilizando para Organização e Limpeza Sensibilizando para Organização e Limpeza Origens 1 9 5 0 Kaoru Ishikawa Japão Pós-Guerra Também conhecido como Housekeeping... promove uma revolução dentro das empresas Objetivos Melhorar a qualidade

Leia mais

Porque mudar é preciso!!

Porque mudar é preciso!! 5S Porque mudar é preciso!! COMO SURGIU: Após a Segunda Guerra (1950), o Japão, sem recursos, reuniu engenheiros japoneses e americanos para criar um método de combate ao desperdício Nosso Hospital SEIRI

Leia mais

FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA 5S; 6 SIGMA

FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA 5S; 6 SIGMA FERRAMENTAS DE MELHORIA CONTÍNUA 5S; 6 SIGMA PROCESSO DE MELHORIA CONTÍNUA O 5S se baseia em cinco passos aparentemente muito simples para embasar o desenvolvimento da qualidade. São eles: organização,

Leia mais

Introdução: Sistema da Qualidade Conceito

Introdução: Sistema da Qualidade Conceito 1 5S Introdução: A gestão da Qualidade é primordial para o estabelecimento e sobrevivência de uma instituição e para viabilizar o controle de atividades.informações e documentos. A meta é a boa prestação

Leia mais

Prof.ª: Suziane Antes Jacobs

Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Introdução Filosofia de qualidade originária do Japão Objetivo: elevar a organização a um nível superior de qualidade Japonês Seiri Seiton Seiso Seiketsu Shitshuke Português

Leia mais

GRUPO SPEEDY PROGRAMA 5S

GRUPO SPEEDY PROGRAMA 5S PROGRAMA 5S 1 PROGRAMA 5S SPEEDY FILM Implementar programas internos de Segurança, Ordem, Limpeza e OPA(Observar, Planejar e Agir) 2 Qual o objetivo do 5S? GRUPO SPEEDY Melhoria no ambiente de trabalho;

Leia mais

OBJETIVOS. O que são os 5 S

OBJETIVOS. O que são os 5 S OBJETIVOS Preparar uma empresa, departamento, bairro, escola, cidade, ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente. Histórico Concebido por Kaoru Ishikawa; 0 no Japão; Colocar

Leia mais

Técnicas e Ferramentas da Qualidade. Apresentação da Professora. Aula 1. Contextualização. Organização da Aula. Função e Objetivos da Qualidade

Técnicas e Ferramentas da Qualidade. Apresentação da Professora. Aula 1. Contextualização. Organização da Aula. Função e Objetivos da Qualidade Técnicas e Ferramentas da Qualidade Aula 1 Apresentação da Professora Profa. Rosinda Angela da Silva Organização da Aula Visão geral da área de Qualidade A importância do uso de Ferramentas Qualificação

Leia mais

Os cinco sensos 5Ss. Qualidade de Software. Cinco esses e cinco sensos. Resultados obtidos com a prática dos 5S

Os cinco sensos 5Ss. Qualidade de Software. Cinco esses e cinco sensos. Resultados obtidos com a prática dos 5S ORDEM E PROGRESSO Prof. Ms. Luiz Alberto Contato: lasf.bel@gmail.com Qualidade de 5S Slide Adaptado Nelson Suga Curso de Pós-Graduação Especialização em Informática UFPR Os cinco sensos 5Ss Objetivos do

Leia mais

PROGRAMA 5S. Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz.

PROGRAMA 5S. Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz. Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz. Deve-se ter em mente: que não há nada mais difícil de executar, nem de sucesso mais duvidoso, nem mais perigoso de se conduzir, do que iniciar uma nova

Leia mais

Marlos T. S. Sedrez Orientador: Paulo Roberto Dias

Marlos T. S. Sedrez Orientador: Paulo Roberto Dias SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA APLICAÇÃO E MANUTENÇÃO DO PROGRAMA DE QUALIDADE 5S Marlos T. S. Sedrez Orientador: Paulo Roberto Dias Roteiro da Apresentação Introdução; Objetivos; Fundamentação teórica; Trabalhos

Leia mais

Trabalho aplicado ao 5S

Trabalho aplicado ao 5S Trabalho aplicado ao S Equipe: Cristiano Fábio Paulino Se você continuar a fazer sempre o que fez, continuará obtendo sempre o que obteve. Para conseguir um resultado diferente você terá de fazer algo

Leia mais

Objetivo: Garantir a continuidade das ações de melhoria no ambiente de trabalho, visando a produtividade e bem estar dos colaboradores da Unidade.

Objetivo: Garantir a continuidade das ações de melhoria no ambiente de trabalho, visando a produtividade e bem estar dos colaboradores da Unidade. Definição: Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de manter padrões de organização e limpeza, agilizando atividades diárias e diminuindo tempo e custos. Objetivo: Garantir a continuidade das ações

Leia mais

O PROGRAMA 5 S. Prof.ª Ghislaine Bonduelle, Drª UFPR

O PROGRAMA 5 S. Prof.ª Ghislaine Bonduelle, Drª UFPR O PROGRAMA 5 S Prof.ª Ghislaine Bonduelle, Drª UFPR SUMÁRIO O PROGRAMA 5 S (PROGRAMA 8 S) O PROGRAMA 8 S IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA 5 S / 8 S MANUTENÇÃO DO PROGRAMA 5 S / 8 S A EDUCAÇÃO E O 5 S / 8 S CONCLUSÃO

Leia mais

PROGRAMA 5S Ferramenta para gestão da rotina

PROGRAMA 5S Ferramenta para gestão da rotina UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição PROGRAMA 5S Ferramenta para gestão da rotina Comissão de Gestão da Qualidade

Leia mais

Pontuação 0 5 10 15-03 ou mais itens no local de trabalho sem providências de descarte. - 02 itens no local de trabalho sem providências de descarte.

Pontuação 0 5 10 15-03 ou mais itens no local de trabalho sem providências de descarte. - 02 itens no local de trabalho sem providências de descarte. Ficha Auditoria do Programa 5S SENSO DE UTILIZAÇÃO/DESCARTE SEIRI - Separar o útil do inútil, eliminando o snecessário. Consiste em ixar no ambiente trabalho apenas o material útil, scartando ou stinando

Leia mais

Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos.

Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos. O QUE É O 5S? Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos. TAMBÉM É CONHECIDO COMO HOUSE KEEPING 2 QUAIS SÃO OS SIGNIFICADOS

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NUMA EMPRESA TÊXTIL Uma visão organizacional e acadêmica

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NUMA EMPRESA TÊXTIL Uma visão organizacional e acadêmica IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S NUMA EMPRESA TÊXTIL Uma visão organizacional e acadêmica Gilberto Kupas 1 Rodrigo Ademir da Silva 2 Resumo As empresas estão cada vez mais competitivas, procurando sempre atender

Leia mais

Qualider Consultoria e Treinamento. Instrutor: José Roberto

Qualider Consultoria e Treinamento. Instrutor: José Roberto Qualider Consultoria e Treinamento Instrutor: José Roberto 5 S Introdução PROGRAMA 5 S Surgiu no Japão final da década de 60 - É a visão sistêmica de todos os agentes envolvidos no processo produtivo,

Leia mais

Apostila do curso de. OS 8S s Administrativos

Apostila do curso de. OS 8S s Administrativos Apostila do curso de OS 8S s Administrativos 1- A Metodologia 8S 2- Seiri (Utilização) 3- Seiton (Ordem, Arrumação) 4- Seiso (Limpeza) 5- Seiketsu (Padronização) 6- Shitsuke (Disciplina) 7- Shido (Capacitação)

Leia mais

A Base para a Qualidade Total

A Base para a Qualidade Total A Base para a Qualidade Total 1 HISTÓRIA Foi concebido por Kaoru Ishikawa em 1950, no Japão pós-guerra; Surgiu com a necessidade de por ordem na grande confusão a que ficou reduzido o país após a derrota

Leia mais

Implementação do programa 5S na gestão de resíduos na FCAV - Unesp

Implementação do programa 5S na gestão de resíduos na FCAV - Unesp 1 CICLO DE PALESTRAS COM FOCO NA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS Implementação do programa 5S na gestão de resíduos na FCAV - Unesp Eng. Agron. Jairo O. Cazetta Professor Adjunto Departamento de Tecnologia

Leia mais

O Programa 5S ORIGEM. Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país. Surgiu no Japão no fim dos anos 60

O Programa 5S ORIGEM. Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país. Surgiu no Japão no fim dos anos 60 O Programa 5S ESCOLA POLITÉCNICA André Gilmar Hélio Surgiu no Japão no fim dos anos 60 Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país ORIGEM 5S para lembrar as 5 palavras

Leia mais

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve?

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve? HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S Introdução Basicamente consiste na determinação de organizar o local de trabalho, mantêlo arrumado e em ordem, limpo, mantendo as condições padronizadas e a disciplina necessárias

Leia mais

CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL

CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL Programa 5S Base da implantação da qualidade total nas organizações. Introdução: É possível eliminar o desperdício (tudo que gera custo extra), em cinco fases, com base no programa 5S, surgido no Japão

Leia mais

APOSTILA. Implantação do Programa 5S

APOSTILA. Implantação do Programa 5S APOSTILA Implantação do Programa 5S Apostila criada para o desenvolvimento do projeto 5S, da Universidade Federal do Pampa, tendo como objetivo auxiliar na aplicação da ferramenta nos laboratórios e demais

Leia mais

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação Benefícios! Quais são? Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação de condições e atos inseguros

Leia mais

DIA DA BERMUDA - 2011. Arrumando a nossa casa

DIA DA BERMUDA - 2011. Arrumando a nossa casa DIA DA BERMUDA - 2011 Arrumando a nossa casa 2 Entenda o que são os 5S Para praticar o Dia da Bermuda, primeiro você precisa entender o que são os 5S... Princípios dos 5S 3 O conceito de 5S tem como base

Leia mais

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento O R I G E N S 1 9 5 0 JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA O B J E T I V O S Preparar uma empresa, ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ü Melhorar

Leia mais

Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho

Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho Unidade II SISTEMA DE QUALIDADE Prof. Linduarte Vieira da Silva Filho Sistemas e Ferramentas de Gestão da Qualidade Estudaremos neste módulo técnicas e metodologias trabalhadas na área da administração

Leia mais

Gerenciamento da Qualidade

Gerenciamento da Qualidade Gerenciamento da Qualidade Processos da Qualidade (JURAN) Planejamento Execução Monitoramento e Controle Planejar a qualidade Realizar a garantia da qualidade Realizar o controle da qualidade Inclui os

Leia mais

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009 O que é o Programa 5Ss? O Programa 5Ss é uma filosofia de trabalho que busca promover a disciplina na empresa através de consciência e responsabilidade de todos, de forma a tornar o ambiente de trabalho

Leia mais

FORMULARIO PADRAO AVALIAÇÃO PROGRAMA 5S. Senso de Utilização

FORMULARIO PADRAO AVALIAÇÃO PROGRAMA 5S. Senso de Utilização FORMULARIO PADRAO AVALIAÇÃO PROGRAMA S BASE DATA COORDENADOR Senso de Utilização Verificar se existem materiais, mobiliários e equipamentos em excesso ou sem utilidade sobre mesas, armários, bancadas ou

Leia mais

Programa 5S. Profa. Reane Franco Goulart

Programa 5S. Profa. Reane Franco Goulart Programa 5S Profa. Reane Franco Goulart 1 Real Conceito do Programa 5S Devido ao novo cenário econômico mundial intensificado pela globalização fica mais intenso o código de defesa do consumidor em função

Leia mais

Gestão da Qualidade 10/04/2011. Os 5 S. Histórico dos 5S. Histórico dos 5S

Gestão da Qualidade 10/04/2011. Os 5 S. Histórico dos 5S. Histórico dos 5S Gestão da Qualidade Os 5 S Histórico dos 5S A gestão da Qualidade é primordial para o estabelecimento e sobrevivência de uma instituição e para viabilizar o controle de atividades,informações e documentos.

Leia mais

Programa 5 S. A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho.

Programa 5 S. A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho. Programa 5 S A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho. Com este programa, a qualidade e a segurança será colocada em prática e seu ambiente vai ficar mais alegre

Leia mais

Logística. Saúde. Logística na Saúde. Estratégia, Conhecimento e Pessoas 2011. I Conceitos genéricos logística. II - Gestão logística na saúde

Logística. Saúde. Logística na Saúde. Estratégia, Conhecimento e Pessoas 2011. I Conceitos genéricos logística. II - Gestão logística na saúde Estratégia, Conhecimento e Pessoas 2011 Logística na Saúde Logística na Saúde I Conceitos genéricos logística II - Gestão logística na saúde ferramentas de melhoria de qualidade d aplicação prática na

Leia mais

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação 5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação Introdução Década de 50 Japão tenta se reerguer da derrota sofrida na Segunda Grande. Profissionais dos Estados Unidos vão ao Japão a ensinar como

Leia mais

5S na Prática. Objetivo. Ernesto Bandeira Roberto Sousa

5S na Prática. Objetivo. Ernesto Bandeira Roberto Sousa Ernesto Bandeira Roberto Sousa Objetivo A implantação do 5S em uma empresa visando o aprendizado através da prática e a contribuição na melhoria da qualidade na mesma. 1 A Empresa O trabalho será implantado

Leia mais

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA

AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL NORMA ISO DIRETRIZES\PARA AUDITORIA AUDITORIA AMBIENTAL AUDITORIA AMBIENTAL BALISAR SISTEMA E CORRIGIR FALHAS NORMA ISO 19011 DIRETRIZES\PARA AUDITORIA INSTRUMENTO DE GESTÃO AMBIENTAL QUE PODE SER APLICADO A QUALQUER EMPREENDIMENTO 1 AUDITORIA

Leia mais

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de

2.6 Conceito de controle de processo...47 2.6.1 Manutenção de equipamentos e processo gerencial...48 2.7 GQT e atividades de manutenção de Sumário Prefácio à 2ª edição...11 Prefácio...13 1 Visão geral da manutenção de equipamentos...17 1.1 Introdução...19 1.2 Conceito de manutenção...19 1.3 Abrangência das atividades de manutenção...21 1.4

Leia mais

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt 5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt Usado para solucionar os problemas comportamentais nas empresas, principalmente para formar uma cultura de combate ao desperdício, à desordem,

Leia mais

Normas Institucionais 1 REGULAMENTO E POLÍTICA DE USO DO ATELIÊ DO OBJETO. Eng. Umberto Palma FACULDADES OSWALDO CRUZ FAITER

Normas Institucionais 1 REGULAMENTO E POLÍTICA DE USO DO ATELIÊ DO OBJETO. Eng. Umberto Palma FACULDADES OSWALDO CRUZ FAITER 1 REGULAMENTO E POLÍTICA DE USO DO ATELIÊ DO OBJETO Eng. Umberto Palma FACULDADES OSWALDO CRUZ FAITER Faculdades Integradas Interamericanas FACULDADE DE DESENHO INDUSTRIAL DESIGN São Paulo / 2014 2 REGULAMENTO

Leia mais

Formação Interempresas 2017

Formação Interempresas 2017 Formação Interempresas 2017 1 1 Calendário das acções 1º Semestre Lisboa 1 Lean Management 1d Ferramentas Básicas da Qualidade 2 1d 21 5S & Gestão Visual 3 1d 22 Gestão de Equipas 4 1d 5 6 TPM Total Productive

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Comissão GesPública de Gestão da Qualidade e Produtividade

Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Comissão GesPública de Gestão da Qualidade e Produtividade Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Comissão GesPública de Gestão da Qualidade e Produtividade Programa IFSC 5S Instruções para implantação 2ª edição São Carlos 2009 Programa IFSC

Leia mais

Apostila elaborada por: Teorema Consultoria e Assessoria - São Paulo

Apostila elaborada por: Teorema Consultoria e Assessoria - São Paulo Apostila elaborada por: Teorema Consultoria e Assessoria São Paulo Assunto Assunto Página Página Introdução Introdução...... 01 01 Os Os Cinco Cinco s s...... 02 02 Seiri Seiri Utilização Utilização......

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC)

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS

CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS 1 CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 Bem Vindo ao Curso! _Seiri _Seiton _Seiso _Seiketsu _Shitsuke _Shido _Sitsuyaki

Leia mais

OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES

OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES CASE DE SUCESSO: 5S COMO FERRAMENTA DE CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL PARA AS EQUIPES DO HOSPITAL CIDADE TIRADENTES Responsável pela Instituição: Renata Souza

Leia mais

FAEFI - UFU LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DO DESEMPENHO (LAFIDE)

FAEFI - UFU LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DO DESEMPENHO (LAFIDE) UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA UFU FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA - FAEFI FAEFI - UFU LABORATÓRIO DE FISIOLOGIA DO DESEMPENHO (LAFIDE) Coordenador: Prof. Ms. Guilherme Gularte De Agostini UBERLÂNDIA

Leia mais

Sensibilizando para Organização e Limpeza

Sensibilizando para Organização e Limpeza Sensibilizando para Organização e Limpeza Engº JULIO TADEU ALENCAR e-mail: jtalencar@sebraesp.com. @sebraesp.com.br Ver-03/04 Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo O QUE PODEMOS FAZER

Leia mais

SENAI-PE. Programa 5S

SENAI-PE. Programa 5S Programa 5S 2 Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco Presidente Jorge Wicks Côrte Real Departamento Regional do SENAI de Pernambuco Diretor Regional Antônio Carlos Maranhão de Aguiar Diretor

Leia mais

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930

DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930 DEPARTAMENTO DA QUALIDADE RAMAL: 9930 O Programa 8 S originou-se do Programa 5 S, o qual teve início no Japão, na década de 50, a fim de reestruturar as indústrias japonesas que haviam sido devastadas

Leia mais

J.I.T. - Just In Time

J.I.T. - Just In Time Publicação Nº 1-2 Dezembro 2009 J.I.T. - Just In Time PONTOS DE INTERESSE: Vantagens e desvantagens 5 S SMED Kanban Just In Time (JIT) é uma filosofia Global de produção, com origem oriental, que consiste

Leia mais

Origem do nome do programa 5S

Origem do nome do programa 5S Os Cinco Sensos PPGEP / UFRGS ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Origem do nome do programa 5S 5S s vem de cinco palavras japonesas que começam por S : SEIRI senso de utilização, seleção, descarte. SEITON senso de

Leia mais

INOVAR e AGIR. O 5s na Seção de Comunicações

INOVAR e AGIR. O 5s na Seção de Comunicações INOVAR e AGIR O 5s na Seção de Comunicações Karina Ferreira Rocha Castilho maio /2010 De tudo, ficaram três coisas: A certeza de que estamos sempre começando... A certeza de que precisamos continuar...

Leia mais

Uma pequena reflexão...

Uma pequena reflexão... Uma pequena reflexão... Nosso ambiente de trabalho poderia ser mais agradável? Não estamos guardando coisas que poderíamos jogar fora ou retirar do posto de trabalho? Nosso posto de trabalho está realmente

Leia mais

Motivos para Implantar os 5 S s

Motivos para Implantar os 5 S s O que é Programa 5S: O Programa 5S é uma ferramenta muito importante para a busca da Qualidade Total, no trabalho e na vida. Teve sua origem no Japão no fim da década de 60. Foi um dos fatores para a recuperação

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE MATERIAIS DE EMBALAGEM PARA ANÁLISE EM EMPRESA DO RAMO QUIMICO

ORGANIZAÇÃO DE MATERIAIS DE EMBALAGEM PARA ANÁLISE EM EMPRESA DO RAMO QUIMICO ORGANIZAÇÃO DE MATERIAIS DE EMBALAGEM PARA ANÁLISE EM EMPRESA DO RAMO QUIMICO Antonio Carlos Da Silva Junior (1), Danilo Jose Beraldo De Lima (2), Elielton Silva Pereira (3), Gerson Roque Menezes (4),

Leia mais

ETRO ento S2i LABM PROGRAMA 5S a de Treinam Program

ETRO ento S2i LABM PROGRAMA 5S a de Treinam Program PROGRAMA 5S Agenda Objetivos do Programa 5S Origem do 5S Senso de Descarte Senso de Ordenação Senso de Limpeza Senso de Saúde Senso de Disciplina 2 Agenda Objetivos do Programa 5S Origem do 5S Senso de

Leia mais

Projeto ANTT Sustentável

Projeto ANTT Sustentável PROGRAMA DE MELHORIA DE GESTÃO DA ANTT - PROMEG/ANTT Projeto ANTT Sustentável SENSIBILIZAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE & DESENVOLVIMENTO DOS 5 S Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca

Leia mais

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão;

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão; Sistema 5 S's Conceito: O Método "5S" foi a base da implantação do Sistema de Qualidade Total nas empresas. Surgiu no Japão, nas décadas de 50 e 60, após a Segunda Guerra Mundial, quando o país vivia a

Leia mais

IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES

IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DAS BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO NAS FÁBRICAS DE RAÇÕES 19.09.16 São procedimentos higiênicos, sanitários e operacionais aplicados em todo o fluxo de produção, desde a obtenção dos

Leia mais

SISTEMA 5S. Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval CoTCN

SISTEMA 5S. Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval CoTCN Centro Universitário Estadual da Zona Oeste UEZO Curso Superior de Tecnologia em Construção Naval CoTCN SISTEMA 5S Sâmara Pinto Souza, 3 Período Matrícula: 1011367282 Rio de Janeiro 2011 SISTEMA 5S Trabalho

Leia mais

QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS

QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS QUALIDADE TOTAL NAS EMPRESAS PREFÁCIO O Programa 5S surgiu, no início da década de 1960, quando a equipe do Prof. Kaoru Ishikawa lançou um método de combate aos desperdícios visando otimizar os parcos

Leia mais

Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos. Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre

Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos. Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre Pode-se criar um ambiente de qualidade em torno de si, usando as mãos para agir,

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

Sustentabilidade: fazendo a diferença no ambiente de trabalho

Sustentabilidade: fazendo a diferença no ambiente de trabalho Sustentabilidade: fazendo a diferença no ambiente de trabalho Carolina Lopes Araujo carolinalopesaraujo@yahoo.com.br Responsabilidade Socioambiental Compromisso Necessidade Inevitabilidade Respeito Boa

Leia mais

(LOQ42038 Projeto de Engenharia de Produção 02 Fundamentos de Lean Healthcare

(LOQ42038 Projeto de Engenharia de Produção 02 Fundamentos de Lean Healthcare Projeto Integrado de Engenharia de Produção (LOQ4238) 1 As 7 perdas Superprodução Espera Transporte Inventário Movimento Processamento Defeitos 2 Ferramentas VSM (Takt time,..) 5Ss Kaizen Jidoka Andon

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO I AULA 16 E 17 UFPR. Prof.ª Nicolle Sotsek Ramos

SISTEMAS DE PRODUÇÃO I AULA 16 E 17 UFPR. Prof.ª Nicolle Sotsek Ramos SISTEMAS DE PRODUÇÃO I AULA 16 E 17 UFPR Prof.ª Nicolle Sotsek Ramos BREVE RESUMO Layout Determinação dos espaços Ferramentas: SLS (planejamento sistemático do layout) -Diagrama de relacionamentos LAYOUT

Leia mais

SOBRE OS PROCEDIMENTOS USADOS NOS LABORATÓRIOS DE PREPARAÇÃO DE AMOSTRAS (176), PESQUISA METALOGRÁFICA (184), MICROSCOPIA ÓPTICA

SOBRE OS PROCEDIMENTOS USADOS NOS LABORATÓRIOS DE PREPARAÇÃO DE AMOSTRAS (176), PESQUISA METALOGRÁFICA (184), MICROSCOPIA ÓPTICA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA "JÚLIO DE MESQUITA FILHO" FACULDADE DE ENGENHARIA - CÂMPUS DE ILHA SOLTEIRA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA MECÂNICA ÁREA DE MATERIAIS E PROCESSOS DE FABRICAÇÃO SOBRE OS PROCEDIMENTOS

Leia mais

Maria Segurado Lisboa 30.mar.12. O Processo de Certificação PSO

Maria Segurado Lisboa 30.mar.12. O Processo de Certificação PSO O Processo de Certificação PSO Agenda Breve apresentação da certificação PSO Processo de certificação Metodologias de auditoria Decisão de certificação Marcas de certificação e certificado Benefícios da

Leia mais

CHECKLIST DE VM ESTEJA PREPARADA PARA A AUDITORIA DE VM!

CHECKLIST DE VM ESTEJA PREPARADA PARA A AUDITORIA DE VM! Formulamos esse material para ajudar a sua loja a estar sempre linda e seguindo todas as recomendações de Visual Merchandising! Esse check list vai ajudar na mudança de ciclo e garantir que nosso cliente

Leia mais

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas;

adequadas ao contexto econômico-financeiro e institucional das empresas; 1. Objetivo Aumentar a eficiência e competitividade das empresas do Sistema Eletrobrás, através da integração da logística de suprimento de bens e serviços, visando o fortalecimento de seu poder de compra

Leia mais

nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO

nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa PRINCÍPIOS REQUISITOS LEGAIS:

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 3S EM ALMOXARIFADO DE PEÇAS DE INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AGROINDUSTRIAIS

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 3S EM ALMOXARIFADO DE PEÇAS DE INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AGROINDUSTRIAIS IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 3S EM ALMOXARIFADO DE PEÇAS DE INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EQUIPAMENTOS AGROINDUSTRIAIS Gabrielle Silverio¹ Paulo Henrique Mendonça Pinto² ¹ ² FATEC Ourinhos ¹gabrielle.silverio@yahoo.com.br

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO MANUAL 5 SENSOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO MANUAL 5 SENSOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO MANUAL 5 SENSOS MANUAL 5 SENSOS Ref.: MSGQ-001/09-0 Revisão: 00 Emissão: Setembro Qtde. Pág.: 09 1. INTRODUÇÃO O programa 5S tem como principais objetivos mudar comportamentos,

Leia mais

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory trial version www.pdffactory.com Programa 8S Promovendo a Qualidade de Vida O R I G E N S 1 9 5 0 JAPÃO DO PÓS GUERRA KAORU ISHIKAWA O B J E T I V O S melhorar a qualidade de vida dos funcionários, transformando o ambiente da empresa,

Leia mais

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente

Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Desafios para a gestão integrada em saúde e meio ambiente Ambiente diferenciado do meio empresarial Campus Santo Amaro - Centro Universitário rio SENAC 120 mil m2 de terreno 21 cursos de graduação e 7

Leia mais

Qualidade e Sustentabilidade

Qualidade e Sustentabilidade Qualidade e Sustentabilidade Início de atividade em 1988 Localizada em Espinheiro, Penela Certificação do Sistema de Gestão da Qualidade em 2002 e Segurança Alimentar em 2006 Possui cerca de 120 colaboradores;

Leia mais

5S EM ESCRITÓRIOS E NA VIDA PESSOAL

5S EM ESCRITÓRIOS E NA VIDA PESSOAL Cópia não controlada 5S EM ESCRITÓRIOS E NA VIDA PESSOAL Nos ambientes administrativos, como escritórios, ainda há uma resistência das pessoas em praticar o 5S por desconhecimento da metodologia e dos

Leia mais

Conteúdo 2 -Qualidade em Saúde. Profª Melissa Rodrigues de Lara

Conteúdo 2 -Qualidade em Saúde. Profª Melissa Rodrigues de Lara Conteúdo 2 -Qualidade em Saúde Com o fenômeno da globalização da economia, aliado ao código do consumidor, as exigências do mercado consumidor, coloca as empresas e hospitais em desafio frente aos novos

Leia mais

CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA

CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA CRITÉRIOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS DE LIMPEZA ALGUNS DADOS IMPORTANTES 6.714 prédios ocupados, sendo 96% Agências de Correios Área física a ser limpa 5.029.157,93m 2 Administração Central dos Correios,

Leia mais

O PROGRAMA 5S COMO BASE PARA A GESTÃO DA QUALIDADE NO HOSPITAL GERAL UNIMED PONTA GROSSA / PR

O PROGRAMA 5S COMO BASE PARA A GESTÃO DA QUALIDADE NO HOSPITAL GERAL UNIMED PONTA GROSSA / PR O PROGRAMA 5S COMO BASE PARA A GESTÃO DA QUALIDADE NO HOSPITAL GERAL UNIMED PONTA GROSSA / PR Hospital Geral Unimed Ponta Grossa/PR Inaugurado em novembro/2007. Média e baixa complexidade. 98 leitos.

Leia mais

Conceitos e ferramentas da qualidade. PROFESSORA: Erika Liz

Conceitos e ferramentas da qualidade. PROFESSORA: Erika Liz Conceitos e ferramentas da qualidade PROFESSORA: Erika Liz Introdução e Definições As organizações, ao longo de suas existências, sempre buscaram, ainda que de modo empírico, caminhos para suas sobrevivência

Leia mais

Unidade IV GESTÃO DA QUALIDADE. Profa. Ma. Maria Teresa Grimaldi Larocca

Unidade IV GESTÃO DA QUALIDADE. Profa. Ma. Maria Teresa Grimaldi Larocca Unidade IV GESTÃO DA QUALIDADE Profa. Ma. Maria Teresa Grimaldi Larocca Agenda 12 Programa 5S da Qualidade 13 Sistema de Gestão da Qualidade (ISO 9000) 14 Resumo 12 Programa 5S da Qualidade É um método

Leia mais

Gestão Aplicada I. Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com

Gestão Aplicada I. Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com Gestão Aplicada I Professor: Venicio Paulo Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com Formação e ficha profissional: Graduado em Analises e Desenvolvimento de Sistemas

Leia mais

Elaboração: Professor José Silvino Filho Consultor de Projetos em Sistemas de Gestão da Qualidade e Documentação

Elaboração: Professor José Silvino Filho Consultor de Projetos em Sistemas de Gestão da Qualidade e Documentação Elaboração: Professor José Silvino Filho Consultor de Projetos em Sistemas de Gestão da Qualidade e Documentação e-mail: silvino.qualidade@gmail.com Telefone: (61) 3877-9576, 9631-3707 Nada mais difícil

Leia mais

1º Ciclo palestras com foco na Gestão de Qualidade em Laboratórios

1º Ciclo palestras com foco na Gestão de Qualidade em Laboratórios 1º Ciclo palestras com foco na Gestão de Qualidade em Laboratórios BOAS PRÁTICAS DE LABORATÓRIO APLICADAS AO PROGRAMA 5S Andrea Souza Ramos de Medeiros Assist. Suporte Acadêmico I DMVPRA- FCAV/UNESP Boas

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

MPT. Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS

MPT. Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS MPT Ministério Público do Trabalho RECONHECIMENTO, AVALIAÇÃO, PREVENÇÃO E CONTROLE DE RISCOS OCUPACIONAIS JULIANA BORTONCELLO FERREIRA Procuradora do Trabalho EXEMPLOS DE FATORES OCUPACIONAIS DE RISCO

Leia mais