UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ CLEBERTON LUIS GOMES DESENVOLVIMENTO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, UM FATOR ESTRATÉGICO PARA QUALQUER ORGANIZAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ CLEBERTON LUIS GOMES DESENVOLVIMENTO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, UM FATOR ESTRATÉGICO PARA QUALQUER ORGANIZAÇÃO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ CLEBERTON LUIS GOMES DESENVOLVIMENTO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, UM FATOR ESTRATÉGICO PARA QUALQUER ORGANIZAÇÃO Curitiba 2012

2 CLEBERTON LUIS GOMES DESENVOLVIMENTO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL, UM FATOR ESTRATÉGICO PARA QUALQUER ORGANIZAÇÃO Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Gestão Estratégica de Pessoas, da Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas da Universidade Tuiuti do Paraná, como requisito parcial para a obtenção de Título de Especialista Lato Sensu. Orientador: Prof. MSc. Ubiracir Mazanek de Almeida Curitiba 2012

3 2 Resumo: Encontrar profissionais qualificados, de acordo com os perfis cada vez mais exigentes tem se tornado cada vez mais uma tarefa difícil, e isso tem impactado nas estratégias das organizações. A formação e o desenvolvimento profissional tem se tornado uma necessidade para suprir a demanda por profissionais qualificados, porém o processo de formação e desenvolvimento deve estar alinhado às estratégias da organização e é necessário integrar ações também voltadas para gestão de competências, planejamento de carreiras, processos de seleção, feedback todos interligados com o intuito de tornar a gestão de pessoas mais eficiente e que se torne um diferencial estratégico e de sucesso na organização. Palavras chave: desenvolvimento, competência, talentos 1) - Introdução O intuito do presente artigo é demonstrar a importância da formação e desenvolvimento profissional dentro das organizações, e para que venha a ser um fator estratégico para a gestão de recursos humanos e para toda a organização. Não é novidade atualmente que as empresas sofrem pela falta de mão de obra qualificada, que a demanda de profissionais qualificados e que se encaixem ao perfil desejado pelas organizações não seja suprida pela oferta de mão de obra nestes moldes. O Brasil passa hoje por uma crescente de geração de empregos, diariamente aparecem nos noticiários que sobram vagas de emprego em todo o país. Isso se dá por dois fenômenos: Um é que hoje temos um número de organizações muito maior do que tínhamos há 20 anos, e há também a evolução nos modelos de gestão, nas práticas de produção e as inovações tecnológicas são cada vez mais constantes, o que demanda cada vez mais de profissionais capacitados e que estejam dentro do perfil desejado, alinhado aos valores da organização e que detenham as habilidades técnicas e comportamentais exigidas. Outro fenômeno é a ineficiência da educação no país, pois a educação não chega a todos ou não é fornecida com qualidade, e quando a oferta é menor que demanda, há um maior índice de rotatividade e muitas vagas em aberto, pois há pouca mão de obra qualificada disponível no mercado e muitas vagas em aberto, o que leva as empresas a terem que buscar profissionais dentro de outras empresas, ocasionando portanto, uma briga contínua entre as empresa pelos melhores profissionais, como

4 3 pode ser constatado nas agências e anúncios de emprego, e repetitivamente divulgado pela mídia a sobra de vagas em aberto por falta de profissionais qualificados. O capital humano de uma organização é um fator chave para o seu sucesso, Jim Collins, em seu livro Empresas feitas para vencer, dedica um capítulo inteiro para tratar do papel fundamental da gestão de pessoas e em se ter as pessoas certas para que a organização alcance a excelência. Aqueles que constroem empresas excelentes sabem que o maior gargalo no crescimento de qualquer grande organização não são os mercados, nem a tecnologia, a concorrência ou os produtos. É um único fator, acima de todos os demais: A habilidade de conseguir manter as pessoas certas em número suficiente. (Collins, 2002) Portanto, se o capital humano é um fator fundamental para o sucesso de qualquer organização, a gestão de recursos humanos deve dar sustentação para o planejamento estratégico da companhia e deve estar alinhada à estratégia da organização. No entanto se há um déficit de mão de obra qualificada, a alternativa é investir na formação e qualificação profissional de mão de obra específica, de acordo com as necessidades de cada empresa, desenvolvendo um plano de formação profissional e de sucessão, preparando seus colaboradores para que evoluam em suas carreiras internamente e supram a demanda da companhia. Há quem diga que um bom plano de desenvolvimento e encarreiramento é a essência do planejamento estratégico de recursos humanos. O plano de formação profissional e encarreiramento atua em duas frentes dentro da gestão de pessoas: Primeiro tem papel fundamental na retenção de talentos, pois o profissional ao perceber que a organização lhe oferece a possibilidade de se desenvolver e evoluir profissionalmente, a tendência é que permaneça na organização por mais tempo e a perca de profissionais para o mercado seja menor; Segundo, suprir a demanda por profissionais habilitados e qualificados para desempenhar as funções que a organização necessita para atingir seus objetivos. Para ter sucesso nestas duas frentes o plano deve seguir três etapas básicas: o diagnóstico das necessidades, o desenvolvimento e formação profissional de acordo com suas necessidades e o encarreiramento destes profissionais para evoluam em

5 4 suas carreiras e obtenham sucesso em suas futuras posições para as quais foram desenvolvidos. 2) - Gestão por competências Competência pode se definida resumidamente como sendo o conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes, o famoso CHA, ou seja, uma competência é formada pelo conhecimento adquirido, a habilidade desenvolvida baseada no conhecimento e a atitude de colocar em prática esta habilidade, agregando valor para a organização. A gestão focada em competências dá o direcionamento para o desenvolvimento dos colaboradores, mapeando as competências necessárias para o exercício de cada cargo ou função, estabelecendo a matriz de competências e focando suas ações no desenvolvimento destas. Neste modelo de gestão as competências identificadas podem servir como embasamento para os processos de seleção, treinamento e desenvolvimento, avaliação do desempenho e remuneração e carreira 3) - Formação Profissional É comum encontrar nas organizações áreas de treinamento e desenvolvimento, porém que possuem ações somente voltadas para o treinamento de pessoal, aplicando esforços na aplicação dos planos de treinamento em instruções de trabalho, procedimentos operacionais, padrões, ou treinamento obrigatórios pela legislação vigente, ou seja, para que as pessoas possam exercer suas funções atuais. Desenvolver pessoas vai além de apenas aplicar treinamentos, precisa ter uma visão de futuro, alinhada as necessidades da organização, o treinamento é importante, mas por si só não desenvolve pessoas. Desenvolver pessoas é, acima de tudo, incentivar o auto desenvolvimento para a busca de uma renovação dos conhecimentos, das habilidades e atitudes. O treinamento está focado no presente, em melhorar o desempenho a curto prazo e em corrigir falhas e dificuldades atuais. O desenvolvimento de pessoas está direcionado para o futuro, para preparar pessoas para assumir outros cargos ou posições a médio e longo prazo; inclui o treinamento, a carreira e outra experiências e está alinhado com os objetivos estratégicos da organização. (Knapik, 2008)

6 5 Para Chiavenato (2000), a educação profissional pode ser distinguida em três etapas distintas porém interdependentes: formação profissional, desenvolvimento profissional e treinamento. A formação profissional é a formação para o exercício de uma profissão, visando qualificar o homem para uma futura profissão. Trata-se da formação escolar ou acadêmica, através de cursos, faculdades, escolas, ou dentro da própria organização; O desenvolvimento profissional, é a educação que visa o aperfeiçoamento do homen para seu crescimento profissional em determinada carreira, visando proporcionar os conhecimentos exigidos no cargo atual e preparando-o para assumir futuramente funções mais complexas; Já o treinamento, é a educação no cargo atual, visa preparar o homem lhe fornececendo elementos para o exercício do cargo atual; seus objetivos podem ser considerados de curto prazo. O planejamento de formação profissional deve estabelecer ações dentro das três etapas da educação profissional, pois cada uma destas etapas visa um objetivo específico em prol do objetivo maior. As ações devem estar alinhadas ao planejamento estratégico da organização, ou seja, deve-se ter muito claro quais são as necessidades de mão de obra que a organização demanda para atingir seus objetivos, quer sejam os atuais ou os de longo prazo. Antes de partir para ações de formação, desenvolvimento e treinamento, é preciso ter o diagnóstico das necessidades de cada uma destas etapas, ou seja, saber o que, quem, como e quando precisam ser desenvolvidos. 4) - Formação e desenvolvimento profissional Diagnóstico das necessidades Todo o plano de formação e desenvolvimento inicia com o levantamento das necessidades, muito conhecida como LNT (levantamento de necessidades de treinamento), no entanto devendo ter seu foco estendido também para as necessidades de formação e desenvolvimento. A primeira fonte de necessidades de desenvolvimento e formação profissional dentro de uma gestão estratégica de pessoas, é a análise do planejamento estratégico da

7 6 organização, observando os seus planos de expansão, mudanças de processos, evoluções tecnológicas, etc. A partir desta análise deve-se ter em mente qual será a necessidade de recursos humanos para que seus objetivos possam ser alcançados. O planejamento de pessoal é o processo de decisão a respeito dos recursos humanos necessários para atingir os objetivos organizacionais, em determinado período de tempo. Trata-se de antecipar qual a força de tabalho e os talentos humanos necessários para a realização da ação organizacional futura. (Chiavenato, 2000) Outro ponto a ser observado é a estrutura de cargos da organização. Para atingir seus objetivos, como já mencionado anteriormente qualquer organização necessita de capital humano, porém este pessoal precisa estar distribuído em uma estrutura muito bem definida. Para suprir sua demanda por profissionais qualificados a organização precisa estabelecer a linha de sucessão ou podendo ser chamanda de linha de ancarreiramento dentro da estrutura de cargos. Esta estrutura deve ser a base para as políticas de encarreiramento e de desenvolvimento interno. As descrições dos cargos devem conter fielmente as responsabilidades e os requisitos, competências e habilidades que seu ocupante deverá possuir para obter sucesso. Estas informações devem ser juntadas com a linha de carreira, por exemplo: Um Analista PL precisa de tais competências e abaixo dele se tem um Analista Jr, portanto já se sabe o que precisa ser desenvolvido no Analista Jr. A descrição de cargos trará informações de quais competências e habilidades precisam ser desenvolvidas e o plano de carreira dirá em quem estas competências e habilidades precisam ser desenvolvidas. O processo de recrutamento e seleção também deve servir como fonte de necessidades de desenvolvimento, a partir das dificuldades em se encontrar profissionais dentro do perfil exigido, pode-se definir ações para a formação e de desenvolvimento de profissionais internamente. Os resultados das avaliações de desempenho dos colaboradores é outra fonte de necessidades de desenvolvimento, de acordo com o que é exigido para os cargos; pode-se observar quais são os fatores com não atendidos dentre os colaboradores e focar ações de desenvolvimento destes fatores. Portanto todas as necessidades de treinamento/desenvolvimento detectadas devem responder a questão, quais habilidades, qual formação, quais competências, quais

8 7 comportamentos precisam ser desenvolvidos e em qual público, a partir daí iniciar os esforços para a formação de profissionais. Desenvolvimento interno A partir do diagnóstico das necessidades é necessário estabelecer o planejamento para propiciar os conhecimentos necessários, seja através de treinamentos e ações internas ou no investimento em educação externa dos colaboradores, como a formação técnica e acadêmica. O desenvolvimento não se constrói somente aplicando treinamentos e proporcionando formação, também se constrói nas experiências do dia-a-dia, e com base no conceito de competência, deve haver uma correlação entre adquirir o conhecimento, desenvolver a habilidade e colocá-la em prática. Dutra (2004) distingue ações de desenvolvimento em dois grupos: ações formais e ações não formais. As ações formais, talvez as mais fáceis de serem aplicadas e as mais encontradas nas organizações, se baseiam em conteúdos programáticos, metodologias didáticas, material bibliográfico, por exemplo, cursos, palestras, treinamentos, formação acadêmica. Muitas organizações apostam e investem nas Universidades Corporativas, cujo objetivo é desenvolver e educar os colaboradores, propiciando a formação técnica, de graduação e pós-graduação, de acordo com as necessidades da organização. As ações não formais são aquelas ligadas à própria experiência e atuação no trabalho individual, como participação em projetos, estágios, visitas, trabalhos filantrópicos, etc. Uma forma de desenvolvimento não formal que deve ser considerada é a atribuição de responsabilidades aos cargos, assim na atribuição de responsabilidades de cada cargo já se deve iniciar o planejamento estratégico de desenvolvimento interno, atribuindo responsabilidades na função atual que servirão como base para a ocupação de uma função futura. As funções ou cargos não podem ser isolados, que quando um colaborador ocupa uma nova função tenha que aprender praticamente tudo desta nova função, deve haver uma continuidade, onde uma tarefa, por mais

9 8 simples que seja, sirva como embasamento futuro, por exemplo: se a organização determina que um gerente no exercício de sua função tenha habilidades de negociação, nas funções imediatamente abaixo na linha de sucessão já precisam estar sendo desenvolvidas estas habilidades. O Job Rotation, os programas de Trainees e programas de estágios são ferramentas muito importantes que ilustram a formação profissional baseada no desenvolvimento prático de conhecimentos formais adquiridos. No planejamento de formação profissional as ações formais e não formais devem estar alinhadas para que se complementem e as competências sejam realmente desenvolvidas. Desenvolver competências técnicas Desenvolver competências técnicas talvez seja a parte mais fácil, portanto a mais encontrada nas organizações. Pode ser obtida através de treinamentos formais em sala de aula ou baseados na experiência prática. È importante destacar a importância da conciliação entre o fornecimento do conhecimento e o desenvolvimento prático, para que o conhecimento se torne uma habilidade, ou seja, não basta saber é preciso saber fazer. Chiavenato (1999), destaca a importância da aplicação prática do conhecimento no processo de aprendizagem: O reforço da prática e do exercício repetido melhora o comportamento e o torna mais eficaz e eficiente. Mas, se essas coisas não forem praticadas no cotidiano, ocorre o esquecimento. O esquecimento cancela a aprendizagem. Assim, a aprendizagem é um conceito intimamente relacionado com a prática, reforço, retenção e esquecimento. (Chiavenato, 1999) Desenvolver competências comportamentais A maior dificuldade em se encontrar profissionais que se encaixem aos perfis desejados está relacionada ao atendimento às competências comportamentais. O comportamento está relacionado com qualquer outra competência, inserida em seu conceito observa-se a importância da atitude em se aplicar os conhecimentos adquiridos e as habilidades desenvolvidas para que se formar o C.H.A (conhecimento, habilidade e atitude) para se ter realmente uma competência. Desenvolver competências comportamentais não é uma tarefa muito fácil, pois há

10 9 quem diga que comportamento não se muda. As ações voltadas para o desenvolvimento comportamental estão mais voltadas para ações informais do que o fornecimento de cursos ou treinamentos. É possível treinar ou capacitar profissionais em matérias comportamentais, no entanto é estritamente necessário que tais comportamentos sejam estimulados e desenvolvidos no dia a dia. Connellan (1984) destaca as técnicas de reforço como maneira de se obter os comportamentos desejados, e métodos como punição, extinção e reforço de comportamentos incompatíveis para interromper comportamentos indesejados. As técnicas de reforço consistem em estimular os comportamentos desejados. O simples reconhecimento a uma atitude através de um cumprimento pode estimular o colaborador a continuar a praticar este comportamento. Uma técnica reforçadora também é a gerência de contingente, onde se condiciona uma situação à execução ou aplicação de um comportamento, por exemplo: se entregar o relatório no prazo, será recompensado. Já dentre os métodos para se eliminar comportamentos indesejáveis há a punição que consiste em ao detectar comportamento indesejado aplicar medidas punitivas, que pode ser através de uma simples conversa advertindo o colaborador, ele precisa saber que tal comportamento é indesejado e que não é tolerado; há também o método de eliminação que consiste em retirar qualquer reforço que possa existir quando há um comportamento inadequado. Chiavenato (1999), também relaciona o reforço como estímulo positivo e a punição como estímulo negativo no processo de aprendizagem comportamental. Para se desenvolver comportamentos é necessário criar um ambiente que cobre e estimule os comportamentos desejados e elimine os comportamentos indesejados, baseados no feedback, pois para que as pessoas tenham comportamentos de acordo com o que se espera delas, elas precisam saber o que estão fazendo de certo e de errado, para se corrigir ou continuar com determinada postura. 5) - Carreira Um erro muito cometido nas organizações é encarar a carreira como uma linha reta onde o ponto final é sempre um cargo de gerência, e a promoção para esta posição é encarada como um reconhecimento pelo desempenho na área técnica ou operacional, no entanto uma pessoa que construiu sua carreira e se desenvolveu na

11 10 área técnica e não possui perfil e habilidades gerenciais não vai obter sucesso nesta função, portanto é necessário estabelecer opções de carreiras em diferentes linhas de desenvolvimento, como carreira na área técnica, carreira na área gerencial e carreira na área operacional, observando o conjunto de competências comuns de cada grupo. Dutra (2004) explica que a carreira não pode ser engessada, deve conciliar o desenvolvimento da pessoa e da organização. A carreira não deve ser entendida como um caminho rígido a ser seguido pela pessoa e sim como uma seqüência de posições e de trabalhos por ela realizados, articulada de forma a conciliar o desenvolvimento das pessoas com o desenvolvimento da empresa. (Dutra, 2004) À medida que o nível de complexidade dos cargos aumenta é comum que a quantidade de oportunidades se afunile, e obviamente, nem todos serão promovidos e então pode ser que a organização perca alguns profissionais para o mercado, no entanto o importante é que o ambiente seja um ambiente que propicie o desenvolvimento e a formação profissional para que quando a empresa necessitar de mão de obra tenha-a preparada para assumir o novo desafio, porém ao efetuar uma promoção é necessário que se tome o cuidado de promover aquela pessoa que está realmente preparada e cumprir com os requisitos exigidos nas políticas de remuneração e carreira da organização, para que todo o processo de formação, desenvolvimento e evolução na carreira tenha credibilidade. Outro ponto é que se deve tomar o cuidado de além de promover realmente quem está preparado é preciso fornecer feedback claro e assertivo para os demais envolvidos, para que não se sintam prejudicados e com isso se desmotivem, é preciso deixar muito claro os pontos que motivaram a promoção de A e não de B. O maior desafio obviamente é a formação profissional, após obter profissionais formados e desenvolvidos é necessário fazer a gestão de suas carreiras. 6) - Seleção por competências O processo de seleção também precisa estar alinhado aos objetivos estratégicos da organização, realizando a seleção, seja externa ou interna de candidatos com base

12 11 nas competências necessárias para o cargo e competências valorizadas pela organização. Como a organização está investindo em formação profissional, pelo fato de encontrar mão de obra qualificada, e aposta no desenvolvimento interno, precisa ao menos contratar profissionais com potencial para ser desenvolvido, é o grande x da questão: se a organização não encontra o profissional pronto então a alternativa é contratar alguém com potencial a ser desenvolvido. 7) - Feedback Todo o processo de desenvolvimento não pode ser um processo engessado, precisa ser renovado constantemente de acordo com as mudanças organizacionais, portanto o feedback para este processo deve ser constante. Deve-se constantemente avaliar os resultados obtidos e compará-los com os objetivos iniciais, a fim de propor melhorias ou ainda adequar as ações de acordo com as mudanças das necessidades ocorridas. Chiavenato (1999) fala que o processo de treinamento assemelha-se a um modelo de sistema aberto, cujos componentes são: entradas, processamento, saída e retroação (feedback), onde o feedback consiste na avaliação dos resultados. Pode-se complementar este conceito com o questionamento de que: se além dos resultados já obtidos, as ações e as necessidades de desenvolvimento antes propostas ainda suprem a necessidade da organização. 8) Conclusão Desenvolvimento e formação profissional não deve ser visto como um simples processo dentro da gestão de recursos humanos, deve ser uma estratégia de gestão de pessoas alinhada às estratégias da organização, porém que comtemple os subsistemas da área de recursos humanos, como treinamento e desenvolvimento, recrutamento e seleção, remuneração e carreira para que juntos possam contribuir para o objetivo final da organização, tornando assim a gestão de pessoas um diferencial estratégicico para a empresa.

13 12 Referências biblográficas CHIAVENATO, I. Recursos Humanos, 6. ed. São Paulo: Editora Atlas, 2000 CHIAVENATO, I. Treinamento e Desenvolvimento de Recursos Humanos: Como incrementar Talentos na empresa, 4. ed. São Paulo: Editora Atlas, 1999 COLLINS, J. Empresas feitas para vencer: tradução de Maurette Brandt. 5 ed. Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2001 CONNELLAN, T. K. Fator humano e desempenho empresarial. São Paulo: Editora Harper & Row do Brasil Ltda, 1984 DUTRA, J.S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Editora Atlas, 2004 KNAPIK, J. Gestão de Pessoas e Talentos. 2. ed. Curitiba: Editora Ibpex, 2008

FORMAÇÃO PROFISSIONAL COMO FATOR ESTRATÉGICO. Praia, 20 Outubro 2015. Organização da Apresentação. Formação Profissional como fator estratégico;

FORMAÇÃO PROFISSIONAL COMO FATOR ESTRATÉGICO. Praia, 20 Outubro 2015. Organização da Apresentação. Formação Profissional como fator estratégico; 1 Apresentação 2ª edição EXPO RH FORMAÇÃO PROFISSIONAL COMO FATOR ESTRATÉGICO Praia, 20 Outubro 2015 Vargas Melo Presidente do Conselho de Administração Organização da Apresentação Enquadramento; Formação

Leia mais

Escola de Engenharia

Escola de Engenharia Unidade Universitária: Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Gestão em Recursos Humanos Professor(es): Roberto Pallesi Carga horária: 4hs/aula por semana Escola de Engenharia DRT: 1140127 Código da

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo

CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo CRESCIMENTO PROFISSONAL Um Estudo de Caso na Cobra Metais Decorativo ANDRÉ LUIS ZUCCULIN CAMILA APARECIDA SOARES DA SILVA EDMAR CAVALCANTE DA SILVA PAULO HENRIQUE RODRIGUES EDSON LEITE LOPES GIMENEZ RESUMO

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - CETEC. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

Observação: Aqui não esta sendo exposto a questão da estratégia competitiva e os fatores internos e externos à companhia.

Observação: Aqui não esta sendo exposto a questão da estratégia competitiva e os fatores internos e externos à companhia. Avaliação de Desempenho- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Alinhamento do desempenho humano ao organizacional Veremos agora o alinhamento do desempenho humano ao organizacional. Segundo Souza (2005),

Leia mais

GABARITO OFICIAL(preliminar)

GABARITO OFICIAL(preliminar) QUESTÃO RESPOSTA COMENTÁRIO E(OU) REMISSÃO LEGAL 051 A 052 A 053 A RECURSO Recrutar faz parte do processo de AGREGAR OU SUPRIR PESSOAS e é o ato de atrair candidatos para uma vaga (provisão). Treinar faz

Leia mais

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas

Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Consultoria em Treinamento & Desenvolvimento de Pessoas Evolução PMC têm atuação diferenciada na gestão de pessoas e clima organizacional, gerando na equipe mais agilidade para a mudança e maior capacidade

Leia mais

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares

Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Rotinas de DP- Professor: Robson Soares Capítulo 2 Conceitos de Gestão de Pessoas - Conceitos de Gestão de Pessoas e seus objetivos Neste capítulo serão apresentados os conceitos básicos sobre a Gestão

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho

GESTÃO DE PESSOAS. CESPE Prof. Marcelo Camacho GESTÃO DE PESSOAS CESPE Prof. Marcelo Camacho PROGRAMAÇÃO DAS AULAS PROGRAMAÇÃO DAS AULAS OBJETIVOS, DESAFIOS E CARACTERÍSTICAS DA GESTÃO DE PESSOAS Segundo Chiavenato as práticas e políticas de Gestão

Leia mais

Planejamento de Recursos Humanos

Planejamento de Recursos Humanos UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA Faculdade de Filosofia e Ciências Câmpus de Marília Departamento de Ciência da Informação Planejamento de Recursos Humanos Profa. Marta Valentim Marília 2014 As organizações

Leia mais

Desenvolvimento de pessoas.

Desenvolvimento de pessoas. Desenvolvimento de pessoas. 2.2 FORMULAÇÃO DE UM PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Gestão de Pessoas (Antonio Carlos Gil) e Gestão de Pessoas (Idalberto Chiavenato) "Se ensinardes alguma coisa a um

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições Abertas Turma 12 (Noturno) -->Últimas Vagas até o dia 27/05/2013 CAMPUS IGUATEMI Turma 13

Leia mais

Gestão de Pessoas - Ênfase em Recrutamento, Seleção e Integração de novos funcionários.

Gestão de Pessoas - Ênfase em Recrutamento, Seleção e Integração de novos funcionários. Gestão de Pessoas - Ênfase em Recrutamento, Seleção e Integração de novos funcionários. Módulo 3: Etapa 1 Treinamento e qualificação O Processo de Qualificação / Treinamento e Desenvolvimento Até agora

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização

NOSSO OBJETIVO. GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização NOSSO OBJETIVO GESTÃO DO DESEMPENHO: uma possibilidade de ampliar o negócio da Organização RHUMO CONSULTORIA EMPRESARIAL Oferecer soluções viáveis em tempo hábil e com qualidade. Essa é a receita que a

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

Administração de Pessoas

Administração de Pessoas Administração de Pessoas MÓDULO 5: ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 5.1 Conceito de ARH Sem as pessoas e sem as organizações não haveria ARH (Administração de Recursos Humanos). A administração de pessoas

Leia mais

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas

Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas Os Sistema de Administração de Gestão de Pessoas As pessoas devem ser tratadas como parceiros da organização. ( Como é isso?) Reconhecer o mais importante aporte para as organizações: A INTELIGÊNCIA. Pessoas:

Leia mais

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização

Gestão de Talentos. Aula 01. Contextualização. Instrumentalização Gestão de Talentos Aula 01 Prof. Me. Maria Tereza F. Ribeiro 1. Contextualização Apresentação dos tópicos a serem abordados atualidades 2. Instrumentalização Conceitos principais 3. Aplicação Exemplos

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares

Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Rotinas de DP-Professor: Robson Soares Capítulo 3 Agregando Pessoas -Recrutamento e Seleção de Pessoas Nesse capítulo veremos com as organizações agregam pessoas através do recrutamento e seleção de pessoas.

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você.

Permita-se ir além e descubra uma nova possibilidade, um conjunto de ideias e inovação, construído por você. Somos uma empresa inovadora, que através de uma metodologia vencedora proporciona a nossos clientes um ambiente favorável ao desenvolvimento de capacidades, para que seus profissionais alcancem o melhor

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000

Treinamento do Sistema RH1000 Treinamento do Sistema RH1000 = Conceitos de Gestão por Competências = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial Atualizado em 21Ago2015 1 Tópicos abordados Principais processos 4 Vantagens 5 Avaliação de

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira Cargos e suas estruturas são hoje um tema complexo, com várias leituras e diferentes entendimentos. Drucker (1999, p.21) aponta que, na nova sociedade do conhecimento, a estrutura

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PESSOAS INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias ALINE GUIDUCCI UBÁ MINAS GERAIS 2009 ALINE GUIDUCCI INTRODUÇÃO À GESTÃO DE

Leia mais

Rita/João Abril -2014

Rita/João Abril -2014 Rita/João Abril -2014 Conteúdo Programático (Qui)10/04 Estratégia de gerenciamento de pessoas com foco em resultado e gestão por competências Rita (Qui)17/04 - Conceitos de liderança, equipes eficazes,

Leia mais

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br

Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br Formar LÍDERES e equipes. Atrair e reter TALENTOS. www.grupovalure.com.br www.grupovalure.com.br Estes são alguns dos grandes desafios da atualidade no mundo profissional e o nosso objetivo é contribuir

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq PLANO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TALENTOS E LIDERANÇAS EM UMA COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO RURAL Aline Regina Bohn Bacharela em Administração Faculdade Três de Maio SETREM E-mail: aline.bohn@yahoo.com.br

Leia mais

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a:

REGULAMENTO. Ao ler e concordar com os termos deste Regulamento, o candidato se compromete a: Juntos pela Excelência REGULAMENTO Este instrumento tem por objetivo regulamentar o processo de seleção e desenvolvimento de Trainees Técnicos do Laboratório Leme, de acordo com os termos e condições adiante

Leia mais

PLANEJAMENTO DE PESSOAL

PLANEJAMENTO DE PESSOAL GESTÃO DE PESSOAS PLANEJAMENTO DE PESSOAL Planejamento estratégico de GP 1 Um dos aspectos mais importantes do planejamento estratégico de GP é o alinhamento da função de GP com a estratégia organizacional.

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Desenvolvendo competências nos gestores públicos

Desenvolvendo competências nos gestores públicos Desenvolvendo competências nos gestores públicos Walter Sigollo Superintendente de Recursos Humanos e Qualidade 26/maio/2011 Contexto do País - Mercado Estudo Mercer Consulting Outsourcing - abril 2011

Leia mais

Sistema RH1000. Gestão de Pessoas por Competências. Foco em Resultados. Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial desde 1987. Atualizado em 01Set2015 1

Sistema RH1000. Gestão de Pessoas por Competências. Foco em Resultados. Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial desde 1987. Atualizado em 01Set2015 1 Sistema RH1000 Gestão de Pessoas por Competências Foco em Resultados Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial desde 1987 Atualizado em 01Set2015 1 Implantação do RH de Resultados (RHR ) Solução Completa Metodologia

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br BENEFÍCIOS SOCIAIS: um modelo para retenção de talentos Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br Introdução Este artigo aborda

Leia mais

Evolução do uso de competências para remuneração

Evolução do uso de competências para remuneração Tema: Competências e Instrumentos de Análise de Desempenho na Gestão da Remuneração: Experiências e Lições dos Principais Grupos Empresariais do Brasil José Hipólito Evolução do uso de competências para

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Etec Ensino Técnico ETEC Paulino Botelho Descentralizada E.E. Arlindo Bittencourt Código: 091-2 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão em Negócios Habilitação Profissional:

Leia mais

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações

O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Projeto Saber Contábil O Papel Estratégico da Gestão de Pessoas para a Competitividade das Organizações Alessandra Mercante Programa Apresentar a relação da Gestão de pessoas com as estratégias organizacionais,

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC

POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC POLÍTICA DE GESTÃO DE PESSOAS DA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIC 1. CONCEITOS E DEFINIÇÕES 1.1 Políticas de Gestão de Pessoas são o conjunto de estratégias ou políticas específicas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO O PSICOPEDAGOGO INSERIDO NA ORGANIZAÇÃO LIGADO AO SETOR DE RECURSOS HUMANOS FERNANDA DE SOUZA BENGEZEN

CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO O PSICOPEDAGOGO INSERIDO NA ORGANIZAÇÃO LIGADO AO SETOR DE RECURSOS HUMANOS FERNANDA DE SOUZA BENGEZEN CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO O PSICOPEDAGOGO INSERIDO NA ORGANIZAÇÃO LIGADO AO SETOR DE RECURSOS HUMANOS FERNANDA DE SOUZA BENGEZEN SÂO PAULO 2010 FERNANDA DE SOUZA BENGEZEN O PSICOPEDAGOGO INSERIDO NA

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

Ana Cláudia Braga Mendonça

Ana Cláudia Braga Mendonça Plano de Cargos e Salários CSJT OCUPAÇÃO DE FUNÇÃO COMISSIONADA E CARGO EM COMISSÃO I - FUNÇÕES COMISSIONADAS (FC-1 - FC-6) 80% > servidores integrantes das Carreiras do Poder Judiciário da União; (Art.3º)

Leia mais

Módulo: Gestão de Pessoas

Módulo: Gestão de Pessoas O Sistema FIRJAN, por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-RJ), apresenta o Programa de Capacitação Empresarial Inovando na Gestão. O objetivo é atualizar e capacitar os empresários e dirigentes empresariais

Leia mais

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações

Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Considerações Éticas sobre o Processo de Avaliação de Desempenho nas Organizações Mirella Paiva 1 e Flora Tucci 2 Em uma sociedade marcada pela globalização, pelo dinamismo e pela competitividade, atingir

Leia mais

CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1

CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1 CARGOS E SALARIOS COMO FERRAMENTA PARA ADMINISTRAÇÃO DO DESEMPENHO ORGANIZACIONAL E PROFISSIONAL NAS PEQUENAS EMPRESAS 1 GUALASSI, Rodrigo Junior 2 RESUMO: Cargos e Salários dentre suas definições pode

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

Nossa Visão. Ser a melhor empresa de logística da América Latina.

Nossa Visão. Ser a melhor empresa de logística da América Latina. Nossa Visão Ser a melhor empresa de logística da América Latina. Nossos Valores Foco no cliente Gente faz a diferença e vale pelo que faz Integridade e transparência Lucro para valorização crescente Simplicidade

Leia mais

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355

Position Paper. As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos. Edição Nº1. www.ipledu.com +55 11 2364 9355 Position Paper Edição Nº As Melhores Práticas Globais no Desenvolvimento de Trainees e Jovens Talentos www.ipledu.com +55 64 955 O ipl Institute of Performance and Leadership é uma empresa especializada

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 06 Questões sobre o tópico Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens. Olá Pessoal, Espero que estejam gostando dos artigos. Hoje veremos

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS.

GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. GRADUAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING CARACTERIZAÇÃO DO CURSO DENOMINAÇÃO: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING / ÁREA PROFISSIONAL: GESTÃO E NEGÓCIOS. DIPLOMA CONFERIDO: TECNÓLOGO DE

Leia mais

APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA. Consultora Independente de RH Novembro/2014

APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA. Consultora Independente de RH Novembro/2014 APRESENTAÇÃO PROFISSIONAL GABRIELA ALMEIDA Consultora Independente de RH Novembro/2014 Quem sou eu Psicóloga, Consultora de RH, Instrutora de treinamentos e Professora 8 anos de experiência em RH Pós-graduada

Leia mais

Dia de Campo COOPRATA. 15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados.

Dia de Campo COOPRATA. 15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados. Dia de Campo COOPRATA 15 anos entregando soluções empresariais que constroem resultados. Gestão de Pessoas e o Mercado de trabalho Como está o mercado de trabalho para contratação de pessoas? Segundo a

Leia mais

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus!

Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência. Instituto Crer & Ser. A excelência honra a Deus! Palestras, Treinamentos e Consultoria para Gestão Ministerial Desenvolvendo Pessoas para Servirem com Excelência Instituto Crer & Ser A excelência honra a Deus! Quem somos O Instituto Crer & Ser nasceu

Leia mais

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS

FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS FERRAMENTAS DE GESTÃO DE PESSOAS PARA DIVIDIR CONHECIMENTO E MULTIPLICAR RIQUEZAS ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br /rogeriolemeoficial PUBLICAÇÕES ALGUNS DOS NOSSOS CLIENTES SETOR PÚBLICO SERVIÇOS

Leia mais

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO

MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO MOTIVAÇÃO: A MOLA PROPULSORA DA GESTÃO DE PESSOAS RESUMO Considerando que o ser humano é formado por características de personalidade únicas e complexas, o seu comportamento no trabalho e em outros lugares,

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec de São José do Rio Pardo Código: 150 Município: São José do Rio Pardo Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: técnica de Nível

Leia mais

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS SUMÁRIO 1. O QUE SIGNIFICA GESTÃO DE PESSOAS... 3 2. PRINCIPAIS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS... 3 3. O CONTEXTO DA GESTÃO DE PESSOAS... 4 4. EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO...

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS APRESENTAÇÃO O curso de especialização Gestão de Pessoas tem por meta desenvolver gestores para atuarem em empresas que estejam inseridas no processo de globalização

Leia mais

Oficina de Boas Práticas em Formação Profissional

Oficina de Boas Práticas em Formação Profissional Oficina de Boas Práticas em Formação Profissional 1 1 1 Programa das Atividades Manhã: Plano de Cargos e Salários: O que é, Como montar, Importância e Resultados. Descrição de Cargos: O que é e como montar.

Leia mais

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR

TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO. Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO Prof. WAGNER RABELLO JR TREINAMENTO Treinamentoéoprocessoeducacional,aplicadode maneira sistemática e organizada, pelo qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e habilidades

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

31 descobertas sobre liderança

31 descobertas sobre liderança ALTA GERÊNCIA 31 descobertas sobre liderança Estudo Leadership Forecast 2005-2006, realizado pela firma de consultoria Development Dimensions International (DDI), buscou analisar como são percebidas em

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETECPAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Auxiliar Administrativo

Leia mais

Potencial PSI. Sistema RH. www.potencialpsi.com.br

Potencial PSI. Sistema RH. www.potencialpsi.com.br Sistema RH Sistema de RH RETENÇÃO ACOMPANHAMENTO CAPTAÇÃO DESLIGAMENTO Entrada do profissional no sistema DESENVOLVIMENTO Saída do profissional no sistema Recrutamento e Seleção Banco de talentos Projeto

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS No que se refere à gestão, recrutamento e seleção de pessoas, julgue os itens a seguir. 51 A gestão de pessoas recebeu forte influência dos estudos de Hawthrone, especialmente

Leia mais

POLÍTICA CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA CARGOS E SALÁRIOS 1. OBJETIVO Estabelecer critérios de remuneração, baseados na legislação brasileira vigente e nas regras definidas pela Secretaria Executiva e Conselho Curador, com o objetivo de constituir uma estrutura

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS:

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO COM FOCO EM COMPETÊNCIAS: Implantação do sistema de Avaliação de Desempenho com Foco em Competências no Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região Belém PA 2013 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção 8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção e Contratação 8.1.5 Plano de Carreira e Regime de Trabalho

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

FUNDAMENTOS DA GESTÃO

FUNDAMENTOS DA GESTÃO Um dos pilares da Ultrapar está no virtuoso relacionamento que a companhia mantém com os diferentes públicos, graças a uma política baseada na ética, na transparência e no compartilhamento de princípios,

Leia mais

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças

Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Equipe com mais de 17 anos de experiência em Avaliação de Executivos, Coaching e Desenvolvimento de Lideranças Responsável pela elaboração e realização de projetos em empresas de porte que foram reconhecidos

Leia mais

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico

Administração Central Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC PROF. MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico em

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NO VAREJO

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NO VAREJO ISSN 1984-9354 A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NO VAREJO Lívia Barbosa Rocha (LATEC/UFF) Resumo: As metodologias relacionadas a Treinamento & Desenvolvimento estão cada vez mais em evidência

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Capacitação e Desenvolvimento Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Era Industrial Era Conhecimento Competência..., o que é? Qualidade

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS o grande desafio do Varejo. Jaime Jimenez

GESTÃO DE PESSOAS o grande desafio do Varejo. Jaime Jimenez GESTÃO DE PESSOAS o grande desafio do Varejo 1. Compreender os principais desafios demandados pelo mercado no processo de Gestão. 2. Avaliar as maiores demandas do processo de Gestão de Pessoas. 3. Analisar

Leia mais

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS

NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS Concurso para agente administrativo da Polícia Federal Profa. Renata Ferretti Central de Concursos NOÇÕES DE ORGANIZAÇÃO E GESTÃO DE PESSOAS 1. Organizações como

Leia mais

Processos de Recursos Humanos

Processos de Recursos Humanos Gestão Integrada RH Recursos Humanos Unida 2 Rosemeri da Silva Paixão Recursos Humanos 28 Gestão Integrada RH Sumário Introdução... 30 Objetivos... 31 Estrutura da Unida... 31 UNIDADE 2: Recursos Humanos

Leia mais

Seminários Públicos Hay Group 2010

Seminários Públicos Hay Group 2010 Seminários Públicos Hay Group 2010 São Paulo, outubro de 2009 É com grande satisfação que estamos lhe apresentando nosso portfólio de seminários abertos Hay Group 2010. Esclarecemos que todos os seminários

Leia mais

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di?

GESTÃO DE DESEMPENHO. Prof. WAGNER RABELLO JR. Conceito de desempenho. Níveis de desempenho. O di? GESTÃO DE DESEMPENHO Prof. WAGNER RABELLO JR Conceito de desempenho Níveis de desempenho O di? O que medir? Resultados Desempenho Competências Fatores críticos de desempenho 1 Segundo Chiavenato, existem

Leia mais

1. Escopo ou finalidade da iniciativa

1. Escopo ou finalidade da iniciativa 1. Escopo ou finalidade da iniciativa O Poder Judiciário tem-se conscientizado, cada vez mais, de que se faz necessária uma resposta para a sociedade que exige uma prestação jurisdicional mais célere e

Leia mais

ANALISTA DE RH Cód.: 0187

ANALISTA DE RH Cód.: 0187 ANALISTA DE RH Cód.: 0187 Realizar o processo de recrutamento e seleção, fazendo triagem de currículos, organizando o banco de currículos e agendamento de entrevistas; Realizar as entrevistas e emitir

Leia mais

SEJAM BEM-VINDOS! 5 PASSOS E UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA TORNAR O RH ESTRATÉGICO

SEJAM BEM-VINDOS! 5 PASSOS E UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA TORNAR O RH ESTRATÉGICO SEJAM BEM-VINDOS! 5 PASSOS E UMA FERRAMENTA IMPRESCINDÍVEL PARA TORNAR O RH ESTRATÉGICO APRESENTAÇÃO & EXPECTATIVAS Quais os desafios para tornar o RH ESTRATÉGICO? OBJETIVOS DESTE WORKSHOP Debater técnicas

Leia mais

VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL?

VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL? VOCÊ SABE QUAL O SEU PERFIL? Ter o autoconhecimento é fundamental para capacitar e auxiliar o profissional no alcance de resultados extraordinários, obtendo uma experiência cada vez mais profunda em sua

Leia mais

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos

Carreira: definição de papéis e comparação de modelos 1 Carreira: definição de papéis e comparação de modelos Renato Beschizza Economista e especialista em estruturas organizacionais e carreiras Consultor da AB Consultores Associados Ltda. renato@abconsultores.com.br

Leia mais

13 e 14. SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO POR COMPETÊNCIA A construção de um novo modelo de Gestão Estratégica de Pessoas. Abril

13 e 14. SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO POR COMPETÊNCIA A construção de um novo modelo de Gestão Estratégica de Pessoas. Abril 13 e 14 Abril LOCAL: Rio de Janeiro - RJ SEMINÁRIO NACIONAL DE GESTÃO POR COMPETÊNCIA A construção de um novo modelo de Gestão Estratégica de Pessoas Evento direcionado para a área de Gestão de Pessoas

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS POLÍTICA DE GESTÃO DE CARGOS E SALÁRIOS I. Introdução Este Manual de Gestão de Cargos e Salários contempla todas as Áreas e Equipamentos da POIESIS e visa a orientar todos os níveis de gestão, quanto às

Leia mais

Sistema Gestão de Gente

Sistema Gestão de Gente Sistema Gestão de Gente Uma organização moderna requer ferramentas de gestão modernas, que incorpore as melhores práticas de mercado em gestão de recursos humanos, que seja fácil de usar e que permita

Leia mais