Apostila de Metrologia (parcial)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apostila de Metrologia (parcial)"

Transcrição

1 Apostila de Metrologia (parcial) Introdução A medição é uma operação muito antiga e de fundamental importância para diversas atividades do ser humano. As medições foram precursoras de grandes teorias clássicas das diversas áreas científicas e com isso ao longo dos séculos estas teorias permitiram realizar conclusões sobre o comportamento de alguns fenômenos da natureza. Os valores de uma grandeza são realizados através de um procedimento que envolve instrumentos de medidas, e as grandezas a serem aferidas são determinadas experimentalmente por medidas ou combinações de medidas. Toda e qualquer medida que é realizada de forma experimental vem inserida de erros associados a esta medida e estes erros estão relacionados ao próprio instrumento que tem os seus próprios limites de precisão e exatidão de medida e ao operador que realiza a medida. Quando a medida de uma grandeza é realizada encontramos um valor que a caracteriza e para saber com que confiança ou exatidão esta medida foi realizada, devemos expressá-la conforme uma incerteza ou erro associados a medida, utilizando métodos adequados para combinar as incertezas dos diversos fatores que influenciam no resultado. A maneira de se manipular dados experimentais a fim de que as medidas realizadas possam ter a maior precisão possível exige um tratamento adequado que envolve a chamada Teoria dos Erros. Com a devida medida associada a devida incerteza, temos a possibilidade de comparar o resultado de qualquer grandeza com um valor de referência determinado em condições de precisão especiais. Apresentamos um exemplo abaixo do resultado de duas medidas de uma mesma grandeza com diferentes aparelhos e um valor de referência ou padrão. Medida Voltagem (V) A B 9,8 ± 0,4 12,3 ± 4,0 padrão 9,3 Fonte: plato.if.usp.br/~fep2195d/arquivos/apostila% pdf, dia 09/02/2012 às 15:00h.

2 Na Tabela 1 apresentada acima, o símbolo ± representa o intervalo de confiança de um desvio padrão, ou seja, o intervalo com probabilidade de 67% de conter uma media da grandeza. O valor contido após este símbolo é chamado de incerteza e tanto a media A quanto a medida B concordam com o valor de referência mesmo tendo incertezas diferentes. 1. Teoria dos Erros 1.1. Algarismos significativos Para compreender as grandezas que interferem num fenômeno, em geral, podemos recorrer as medidas, mas como já abordamos, nenhuma dessas medidas possui um grau de exatidão considerável devido ao instrumento de medição e ao próprio operador. De acordo com estas considerações, poderemos representar os valores de uma medida através de seus números ou algarismos significativos. Consideremos uma régua graduada em centímetros, como apresenta a Figura 1 abaixo: Fonte: tilateoriadoserros.pdf, dia 09/02/2012 às 12:24h Na leitura do comprimento AB, afirmamos que ele possui 8cm exatos e uma fração de 1cm a mais dos 8cm e mesmo visualmente não podemos dizer qual é este número. Esta fração pode ser estimada nos limites de percepção do observador. Avaliando a anotação do valor do comprimento AB com 3 observadores experimentais diferenciados, poderemos dispor das seguintes conclusões:

3 a) Todos os três experimentadores observariam os 8cm exatos. b) Mas poderiam avaliar a fração do 1cm restante de formas diferentes, como: 1º experimentador - Fração de 1cm = 0,7cm 2º experimentador - Fração de 1cm = 0,8cm 3º experimentador - Fração de 1cm = 0,6cm Dessa forma o comprimento AB poderia ser anotado como sendo: 1º experimentador - AB = 8cm + 0,7cm, ou 2º experimentador - AB = 8cm + 0,8cm, ou 3º experimentador - AB = 8cm + 0,6cm Se, por exemplo, outro experimentador observasse a fração do 1cm como sendo 0,75cm, poderíamos dizer que esta observação é coerente ou não? Quando realizamos a medição com uma régua graduada em centímetros, podemos avaliar uma medida até décimos de centímetros que naturalmente faz sentido, mas representar esta medida em centésimos já seria inaceitável devido a própria limitação da percepção humana na escala adotada. Dessa forma para a medida do comprimento AB como sendo 8,7 cm, observamos que um dos algarismos seria o exato e o outro representa o algarismo duvidoso que geralmente é o último algarismo da direita. A definição de algarismos significativos de uma medida são todos os algarismos que temos certeza (exatos) e mais um duvidoso. Exemplos da quantidade de algarismos significativos: 15,4 Volts: temos 3 algarismos significativos (15 é o exato e 4 é o duvidoso) 560,0 Ω: Temos 3 algarismos significativos (560 é o exato e 0 é o duvidoso) 2,5 A: Temos 2 algarismos significativos (2 é o exato e 5 é o duvidoso) E além de contabilizarmos a quantidade dos algarismos em submúltiplos das medidas, ao realizamos a transformação das unidades, percebemos que a mesma regra de quantidade de algarismos significativos permanece. Vejamos alguns exemplos: 8,7 cm: 2 algarismos significativos 8,7 x 10 mm = 0, km: 2 algarismos significativos 8,7 x 10 3 m = 0,0087 m: 2 algarismos significativos

4 Os dígitos dos algarismos significativos contam-se da esquerda para a direita, a partir do primeiro não-nulo, e são significativos dos algarismos exatos e os duvidosos. Vejamos outro exemplo de verificação dos números significativos da medida de um besouro representado pela Figura 2 Fonte: plato.if.usp.br/~fep2195d/arquivos/apostila% pdf, dia 09/02/2012 às 15:00h. Tendo observado a faixa de medida do besouro, qual das possibilidades abaixo representa sua medida de tamanho? a) Entre 0 e 1cm b) Entre 1 e 2cm c) Entre 1,5 e 1,6 cm d) Entre 1,54 e 1,56 cm e) Entre 1,546 e 1,547 cm Neste caso, observamos que a escala da régua apresentada se encontra em milímetros e com isso devemos estimar a medida do algarismo duvidoso até o décimo de milímetros.

5 Outro exemplo é o representado pela Figura 3 abaixo que nos permite exercitar o entendimento para realização de uma medida considerando os algarismos significativos envolvidos, neste caso na medida do diâmetro de uma moeda: Fonte: plato.if.usp.br/~fep2195d/arquivos/apostila% pdf, dia 09/02/2012 às 15:00h. Da mesma forma que na medida do besouro, podemos estimar a media do diâmetro desta moeda. Portanto temos as seguintes alternativas que expressam este valor. Considerando os algarismos significativos, em qual delas se encontra a medida mais apropriada? a) Entre 0 e 2 cm b) Entre 1 e 2 cm c) Entre 1,9 e 2,0 cm d) Entre 1,92 e 1,94 cm e) Entre 1,935 e 1,945 cm 1.2. Incertezas A incerteza, em geral, é observada segundo a menor divisão da escala, isto é, no dígito duvidoso é que reside a incerteza da medida. No exemplo da Figura 1 para a medida do trecho AB sendo 8,6 cm, observamos que o algarismo 6 constitui o duvidoso e com isso deve ser associada a ele uma incerteza que consequentemente expressará um

6 trecho em que a medida real fica compreendida. Com isso de acordo com o aparelho utilizado a medida da incerteza pode ser fixada pelo experimentador. Por exemplo se para a medida utilizada considerarmos como amplitude de incerteza ±0,1 cm, teremos que o valor da medida deste comprimento deverá ser expresso AB = (8,6 ± 0,1) cm e com isso o valor mais provável da medida realizada fica compreendida entre 8,5 à 8,7 cm. Dessa forma poderemos considerar o tipo de incerteza absoluta que depende da habilidade do experimentador e a incerteza relativa que mostra através do resultado percentual do quociente da incerteza absoluta e a medida da grandeza, pois quanto menor for este percentual maior qualidade a medida terá. Exemplo: Incerteza absoluta = ± 0,2cm Incerteza relativa = (±0,2/8,6) = ±0,023 ou 2,3% 1.3. Arredondamento Um número pode ser arredondado com o número de algarismos significativos que se deseja no caminho da direita para a esquerda. Duas regras importantes a seguir: a) Quando o algarismo suprimido é menor que 5, o imediatamente anterior permanece igual. b) Quando o algarismo suprimido é maior ou igual a 5, o imediatamente anterior é acrescido de uma unidade. Exemplos: L = 2,143 m L = 2,14 m, depois de arredondado L = 0,0506 m L = 0,051 m, depois de arredondado 1.4. Flutuações nas medidas Ao realizar várias medidas de uma determinada grandeza, podemos nos aproximar do valor real desta grandeza, ou seja, do valor mais provável de uma grandeza medida. O valor real de uma medida seria aquele obtido de através de um modelo experimental perfeito o que de fato não corresponde a realidade. Mas hoje em dia temos

7 equipamentos muito precisos em que os valores medidos para cada grandeza são bem próximos dos valores reais. As flutuações dos valores medidos são os fatores que limitam o objetivo de atingirmos o valor verdadeiro da grandeza. Estas flutuações ou erros são de origem sistemática, origem acidental ou até aleatórias. Erro de uma medida é a diferença entre o valor medido e o verdadeiro valor da grandeza Erro = Valor medido Valor Real 1.5. Tipos de Erros Erros Sistemáticos São erros provenientes da precisão dos próprios instrumentos de medida e também do próprio operador que causam influências significativas nos resultados. Estas influências ocorrem tanto para aumentar o valor a ser medido, quanto para diminuir o valor medido. Por exemplo: Réguas calibradas erradas (1mm na régua, não corresponde de fato a 1mm) A influência de um potencial de contato em uma medida de Voltagem ou Resistência Em medidas de tempo, podemos perceber atrasos em relação a contagem de tempo verdadeira devido ao próprio relógio utilizado se encontrar com atraso Erros acidentais ou aleatórios Estes erros estão relacionados a causas acidentais e da não habilidade do operador, também causando mudanças nos resultados encontrados. Um exemplo clássico disso se apresentar quando realizamos uma mesma medida de uma grandeza por várias vezes e os resultados dessas medidas não necessariamente são iguais. Isto é devido a alguns fatores apresentados abaixo:

8 À imperícia do operador À variação da capacidade de avaliação (ex.: falta de paciência e cansaço) Erros de paralaxe na leitura das medidas Reflexos variáveis do operador ao apertar um cronômetro por exemplo Erros relacionados ao cálculo da menor divisão da escala Este tipo de erro pode ser minimizado pelo ganho de habilidade do experimentador, mas jamais poderá ser eliminado. Estes tipos de erros podem ser tratados de acordo com a teoria dos Eros Erros grosseiros Erros grosseiros ocorrem principalmente devido a desatenção do experimentador quando deveria ser um número e lê outro valor. A correção destes erros pode ser feita quando há uma concentração e cuidado do experimentador em suas medidas. 2. Propagação de Incertezas (estatística da teoria dos erros) 2.1. Valor médio de uma grandeza Ao realizarmos medidas experimentais de uma mesma grandeza obtemos uma série de valores que necessariamente não são iguais e que variam no algarismo duvidoso da medida feita. O objetivo de realizar várias medidas é para que os resultados encontrados aproximem-se do valor mais provável da medida em compatibilidade com o valor real da grandeza. Dessa forma, através da estatística e neste caso de uma série de valores obtidos podemos definir matematicamente através da média aritmética dos valores obtidos o valor mais provável da grandeza medida. Ao realizarmos várias medidas e realizarmos a média destes valores, o resultado obtido tende a se aproximar do valor real da grandeza. Deste modo podemos definir a média aritmética de uma série de medidas:

9 x = x n + x2 + x3 + + xn = n n 1 1 i= 1 x i Podemos perceber duas características importantes da média aritmética: A soma algébrica dos desvios de cada um dos valores medidos em relação a média, ( x i - x ) deve ser bem próximo de zero. A soma do quadrado dos desvios calculados deve a mínima possível. Fontes: Metrologia Parte I 2004, Laboratório de Metrologia e Automatização Laboratório de Engenharia Mecânica Universidade de Santa Catarina. stilateoriadoserros.pdf, dia 09/02/2012 às 12:24h df, dia 09/02/2012 às 12:50h plato.if.usp.br/~fep2195d/arquivos/apostila% pdf, dia 09/02/2012 às 15:00h.

Física Experimental I

Física Experimental I Medidas em Física Teoria do Erro Física Experimental I Medidas Físicas Diretas: leitura de uma magnitude mediante o uso de instrumento de medida, ex: Comprimento de uma régua, a corrente que passa por

Leia mais

Universidade de Mogi das Cruzes

Universidade de Mogi das Cruzes Universidade de Mogi das Cruzes Relatório de Física I/Instruções TEORIA DE ERROS São Paulo - 2014 INTRODUÇÃO As grandezas físicas são determinadas experimentalmente, por medidas ou combinações de medidas,

Leia mais

Medidas em Laboratório

Medidas em Laboratório Medidas em Laboratório Prof. Luis E. Gomez Armas Lab. de Física Unipampa, Alegrete 1 o Semestre 2014 Sumário O que é fazer um experimento? Medidas diretas e indiretas Erros e sua classificação Algaritmos

Leia mais

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO Medição e medida de grandezas físicas Uma grandeza física é uma propriedade de um corpo ou uma característica de um fenómeno que pode ser medida. A medição é a operação pela qual

Leia mais

CORRETO DUVIDOSO. Introdução. Algarismo Significativo

CORRETO DUVIDOSO. Introdução. Algarismo Significativo Teoria de Erros Introdução As grandezas físicas são determinadas experimentalmente, por medidas ou combinações de medidas, as quais têm uma incerteza intrínseca advinda dos métodos de medidas, das características

Leia mais

Incertezas de Medição

Incertezas de Medição Incertezas de Medição Prof. Marcos Antonio Araujo Silva Dep. de Física "I can live with doubt and uncertainty and not knowing. I think it is much more interesting to live not knowing than to have answers

Leia mais

Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB

Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB Aula 2 Prof. Dr. Ederio D. Bidoia Monitor: Lucas Balduino Departamento de Bioquímica e Microbiologia, IB Unesp campus de Rio Claro, SP Erros 1. Algarismos Significativos: Na matemática 3 é igual a 3,0000...

Leia mais

Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais

Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais Tratamento de dados e representação das incertezas em resultados experimentais Medida, erro e incerteza Qualquer medida física sempre possui um valor verdadeiro, que é sempre desconhecido e um valor medido.

Leia mais

MEDIDAS: ERROS E INCERTEZAS

MEDIDAS: ERROS E INCERTEZAS FACULDADES OSWALDO CRUZ FÍSICA I - ESQ MEDIDAS: ERROS E INCERTEZAS 1. INTRODUÇÃO - A medida de uma grandeza qualquer é função do instrumental empregado e da habilidade e discernimento do operador. Definiremos

Leia mais

EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS

EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS EXPERIMENTO I MEDIDAS E ERROS Introdução Na leitura de uma medida física deve-se registrar apenas os algarismos significativos, ou seja, todos aqueles que a escala do instrumento permite ler mais um único

Leia mais

BASES FÍSICAS PARA ENGENHARIA 3: Med. Grandezas, Unidades e Representações

BASES FÍSICAS PARA ENGENHARIA 3: Med. Grandezas, Unidades e Representações BASES FÍSICAS PARA ENGENHARIA 3: Med. Grandezas, Unidades e Representações Medidas Dados das observações devem ser adequadamente organizados MEDIR comparar algo com um PADRÃO DE REFERÊNCIA Medidas diretas

Leia mais

MEDIÇÃO EM QUÍMICA MEDIR. É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade.

MEDIÇÃO EM QUÍMICA MEDIR. É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade. MEDIR É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade. Medir o comprimento de uma sala É verificar quantas vezes a sala é mais comprida do que a unidade

Leia mais

Coordenação de Engenharia de Alimentos Química Analítica - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

Coordenação de Engenharia de Alimentos Química Analítica - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Coordenação de Engenharia de Alimentos - QA32A Professora: Ailey Ap. Coelho Tanamati MEDIDAS E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Processo de determinar o valor, a quantidade, o grau ou a capacidade de uma grandeza

Leia mais

Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas

Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas Avaliação e Expressão de Medições e de Suas Incertezas INTRODUÇÃO A Física assim como todas as outras ciências é baseada em observações e medições quantitativas. A partir de observações e dos resultados

Leia mais

UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA DEP. ENGENHARIA ELÉTRICA CTU 2ELE005 LABORATÓRIO DE MEDIDAS ELÉTRICAS PROF

UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA DEP. ENGENHARIA ELÉTRICA CTU 2ELE005 LABORATÓRIO DE MEDIDAS ELÉTRICAS PROF AULA #1 Introdução à Medidas Elétricas 1. Considerações Gerais Um meio para determinar uma variável ou quantidade física pode envolver artifícios próprios de uma pessoa. Assim, um juiz de futebol mede

Leia mais

Medidas e Erros. Tipo de Medidas

Medidas e Erros. Tipo de Medidas Medidas e Erros O que é medir? É o ato de comparar duas grandezas físicas de mesma natureza, tomando-se uma delas como padrão! Ex de grandezas físicas: Distância, tempo, massa etc Tipo de Medidas Medidas

Leia mais

Sumário. Arquitetura do Universo

Sumário. Arquitetura do Universo Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 Erros que afetam as medições. Média, desvios e incertezas. Incerteza associada aos instrumentos de medida. Como medir com craveira e com Palmer. APSA Cálculo

Leia mais

ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E TRATAMENTO DE DADOS

ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E TRATAMENTO DE DADOS ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E TRATAMENTO DE DADOS 1.0 Objetivos Utilizar algarismos significativos. Distinguir o significado de precisão e exatidão. 2.0 Introdução Muitas observações na química são de natureza

Leia mais

Eletrotécnica. Teoria dos Erros. Joinville, 12 de Junho de 2013

Eletrotécnica. Teoria dos Erros. Joinville, 12 de Junho de 2013 Eletrotécnica Teoria dos Erros Joinville, 12 de Junho de 2013 Escopo dos Tópicos Abordados Medidas e teoria dos erros de medição; 2 As novas tecnologias exigem que: As avaliações das grandezas de fenômenos

Leia mais

CURSO: Engenharia Civil Disciplina: Mecânica da Partícula Professor: MSc. Demetrius Leão1

CURSO: Engenharia Civil Disciplina: Mecânica da Partícula Professor: MSc. Demetrius Leão1 SISTEMA DE UNIDADES NOTAÇÃO CIENTÍFICA ORDEM DE GRANDEZA ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS CURSO: Engenharia Civil Disciplina: Mecânica da Partícula Professor: MSc. Demetrius Leão1 ACOMPANHE A DISCIPLINA PELA

Leia mais

Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala. ProfªMA Agnes Silva de Araujo

Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala. ProfªMA Agnes Silva de Araujo Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala ProfªMA Agnes Silva de Araujo AULA 04 Objetivos Apresentar as diferentes classificações de erros de observação; Levar a compreensão a relação entre

Leia mais

Medições e erros. Organização das informações. Erros Resultado Físico ou Químico

Medições e erros. Organização das informações. Erros Resultado Físico ou Químico Medições e erros O que se pretende com essa aula, é dar ao aluno a oportunidade de compreender como se fazem as leituras em instrumentos de medição e quais os erros inerentes aos instrumentos e aos métodos

Leia mais

Tratamento estatístico de observações

Tratamento estatístico de observações Tratamento estatístico de observações Prof. Dr. Carlos Aurélio Nadal OBSERVAÇÃO: é o valor obtido durante um processo de medição. DADO: é o resultado do tratamento de uma observação (por aplicação de uma

Leia mais

MEDIDAS E INCERTEZAS

MEDIDAS E INCERTEZAS MEDIDAS E INCERTEZAS O Que é Medição? É um processo empírico que objetiva a designação de números a propriedades de objetos ou a eventos do mundo real de forma a descrevêlos quantitativamente. Outra forma

Leia mais

MNPEF. Laboratório: introdução e Conceitos básicos.

MNPEF. Laboratório: introdução e Conceitos básicos. MNPEF Laboratório: introdução e Conceitos básicos. Medidas e Incertezas Medir é um procedimento experimental em que o valor de uma grandeza é determinado em termos do valor de uma unidade definida através

Leia mais

NOTA I MEDIDAS E ERROS

NOTA I MEDIDAS E ERROS NOTA I MEDIDAS E ERROS O estudo de um fenômeno natural do ponto de vista experimental envolve algumas etapas que, muitas vezes, necessitam de uma elaboração prévia de uma seqüência de trabalho. Antes de

Leia mais

Profa Marcia Saito. Prof Osvaldo Canato

Profa Marcia Saito. Prof Osvaldo Canato Profa Marcia Saito marciasaito@gmail.com Prof Osvaldo Canato canatojr@ifsp.edu.br Atrasos Equipamentos: o lab é de todos Organização da sala: início e fim Limpeza da sala: início e fim Por que é tão importante

Leia mais

LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA

LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS CENTRO DE TECNOLOGIA LABORATÓRIO DE HIDRÁULICA Vladimir Caramori Josiane Holz Irene Maria Chaves Pimentel Davyd Henrique de Faria Vidal Guilherme Barbosa Lopes Júnior Marllus

Leia mais

Potências de dez, ordens de grandeza e algarismos significativos

Potências de dez, ordens de grandeza e algarismos significativos Potências de dez, ordens de grandeza e algarismos significativos Potências de dez Há muitos séculos que o homem procura compreender e prever o comportamento da natureza. O que chamamos de ciências naturais

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE DIVINÓPOLIS INSTITUTO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO TIPOS E PROPAGAÇÃO DE ERROS E MALHAS DE CONTROLE Ana Clara Santos

Leia mais

Erros e tratamento de dados experimentais

Erros e tratamento de dados experimentais Erros e tratamento de dados experimentais Química Geral Experimental Profa. Daniela Gonçalves de Abreu Profa. Glaucia Maria da Silva 1º semestre de 2016 1 É possível obter o valor verdadeiro de uma grandeza

Leia mais

Física Geral - Agronomia

Física Geral - Agronomia Física Geral - Agronomia O que é Física? Como todas as outras ciências, a física é baseada em observações experimentais e medições quantitativas. O principal objetivo da física é descobrir um número limitado

Leia mais

ÍNDICE REGRAS GERAIS DE SEGURANÇA INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA EM REAGENTES Guia de Laboratório de F.Q. Docente: Marília Silva Soares 3

ÍNDICE REGRAS GERAIS DE SEGURANÇA INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA EM REAGENTES Guia de Laboratório de F.Q. Docente: Marília Silva Soares 3 ÍNDICE GUIA DE LABORATÓRIO Para atividades experimentais de Física e de Química Docente. Marília Silva Soares Guia de Laboratório de F.Q. Docente: Marília Silva Soares 2 REGRAS GERAIS DE SEGURANÇA INFORMAÇÃO

Leia mais

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATERIAIS DIFERENÇAS ENTRE PROCESSOS FÍSICOS E QUÍMICOS DIFERENÇAS ENTRE PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS Exa,dão x Precisão Algarismos significa,vos

Leia mais

Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas

Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Métodos e Técnicas de Laboratório em Eletrônica Teoria de Erros, Medidas e Instrumentos de Medidas

Leia mais

Física Geral - Laboratório (2014/1) Estimativas e erros em medidas diretas (I)

Física Geral - Laboratório (2014/1) Estimativas e erros em medidas diretas (I) Física Geral - Laboratório (2014/1) Estimativas e erros em medidas diretas (I) 1 Medida L (cm) 1 150.0 2 150.1 3 150.8 4 150.0 5 150.0 6 144.1 7 150.0 8 150.3 9 149.9 10 150.0 11 150.0 12 150.1 13 150.2

Leia mais

Erros Experimentais. Algarismos Significativos

Erros Experimentais. Algarismos Significativos Erros Experimentais Não existe uma forma de se medir o valor real de alguma coisa. O melhor que podemos fazer em uma análise química é aplicar cuidadosamente uma técnica que a experiência nos garanta ser

Leia mais

Princípios de Modelagem Matemática Aula 08

Princípios de Modelagem Matemática Aula 08 Princípios de Modelagem Matemática Aula 08 Prof. José Geraldo DFM CEFET/MG 06 de maio de 2014 1 A validação de um modelo matemático não se resume apenas em verificar suas predições com o comportamento

Leia mais

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS

MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATÉRIA, TRANSFORMAÇÕES E ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS MATERIAIS DIFERENÇAS ENTRE PROCESSOS FÍSICOS E QUÍMICOS DIFERENÇAS ENTRE PROPRIEDADES FÍSICAS E QUÍMICAS Exa+dão x Precisão Algarismos significa+vos

Leia mais

Tópico 3. Estudo de Erros em Medidas

Tópico 3. Estudo de Erros em Medidas Tópico 3. Estudo de Erros em Medidas A medida de uma grandeza é obtida, em geral, através de uma experiência, na qual o grau de complexidade do processo de medir está relacionado com a grandeza em questão

Leia mais

Química Analítica I. Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas. Profª Simone Noremberg Kunz

Química Analítica I. Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas. Profª Simone Noremberg Kunz 1 Química Analítica I Expressão química e numérica dos resultados em análises químicas Profª Simone Noremberg Kunz 2 Expressar a concentração: % peso (%m/%m): massa de A/massa da amostra % volume (%v/%v):

Leia mais

Algarismos significativos

Algarismos significativos Algarismos significativos PROF. JORGE SILVA PROFJWPS@GMAIL.COM Qual é o comprimento de AB? A B? 0 1 2 Coloca-se uma régua ao lado de AB, de forma que o zero da régua coincida com uma das extremidades do

Leia mais

ERROS E TRATAMENTO DE DADOS Prof. Marcelo R. Alexandre

ERROS E TRATAMENTO DE DADOS Prof. Marcelo R. Alexandre ERROS E TRATAMENTO DE DADOS Prof. Marcelo R. Alexandre ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS! Algarismos exatos Constituem os algarismos de uma leitura que estão isentos de qualquer dúvida ou estimativa.! Algarismos

Leia mais

Medição em Química e Física

Medição em Química e Física Medição em Química e Física Hás-de fazê-la desta maneira: o comprimento será de trezentos côvados; a largura, de cinquenta côvados; e a altura, de trinta côvados. Génesis, VI, 15 Professor Luís Gonçalves

Leia mais

MEDIDAS E ERROS. 1. Introdução

MEDIDAS E ERROS. 1. Introdução MEDIDAS E ERROS 1. Introdução Um aspecto importante da Física, Química, Engenharia, assim como outras disciplinas experimentais, é que elas são quantitativas, isto é, suas teorias fundamentam-se na medição

Leia mais

ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS

ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Universidade Federal de Juiz de Fora Instituto de Ciências Exatas Departamento de Química Introdução a Analise Química - I sem/2013 Profa Ma Auxiliadora - 1 Disciplina QUIO94 - Introdução à Análise Química

Leia mais

METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES. Prof. Marcos Andrade 1

METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES. Prof. Marcos Andrade 1 METROLOGIA MEDIDAS E CONVERSÕES Prof. Marcos Andrade 1 Algarismos significativos O número de algarismos significativos presente em uma expressão numérica é contado percorrendo cada algarismo da expressão

Leia mais

QUÍMICA ANALÍTICA V 2S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula:

QUÍMICA ANALÍTICA V 2S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula: QUÍMICA ANALÍTICA V 2S 2011 Aulas 1 e 2 Estatística Aplicada à Química Analítica Prof. Rafael Sousa Departamento de Química - ICE rafael.arromba@ufjf.edu.br Notas de aula: www.ufjf/baccan Algarismos significativos

Leia mais

APOSTILA DO LABORATÓRIO FÍSICA 1

APOSTILA DO LABORATÓRIO FÍSICA 1 APOSTILA DO LABORATÓRIO FÍSICA 1 014 Índice Introdução... 3 Teoria de Erros... 5 1ª Experiência : Medidas Físicas... 3 a Experiência: Movimento Retilíneo Uniformemente Variado... 3 3ª Experiência: Mesa

Leia mais

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição

Instrumentação Industrial. Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição Instrumentação Industrial Fundamentos de Instrumentação Industrial: Introdução a Metrologia Incerteza na Medição Introdução a Metrologia O que significa dizer: O comprimento desta régua é 30cm. A temperatura

Leia mais

Em Laboratório de Física Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas

Em Laboratório de Física Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas 1 Em Básica fenômenos ou propriedades físicas são estudados à luz de grandezas físicas mensuráveis (comprimento, tempo, massa, temperatura etc.) obtidas através de instrumentos de medida. Busca-se o valor

Leia mais

7 Resultados de Medições Diretas. Fundamentos de Metrologia

7 Resultados de Medições Diretas. Fundamentos de Metrologia 7 Resultados de Medições Diretas Fundamentos de Metrologia Motivação definição do mensurando procedimento de medição resultado da medição condições ambientais operador sistema de medição Como usar as informações

Leia mais

ARREDONDAMENTO DE NÚMEROS

ARREDONDAMENTO DE NÚMEROS ARREDONDAMENTO DE NÚMEROS Umas das maiores dificuldades, quando lidamos com números, é como devemos ou podemos apresentar esses números para quem vai utiliza-los. Quando a humanidade só conhecia os números

Leia mais

Escrita correta de resultados em notação

Escrita correta de resultados em notação Notas de Aula Laboratório de Física 1 e A Escrita correta de resultados em notação científica e confecção de gráficos 1 Prof. Alexandre A. C Cotta 1 Departamento de Física, Universidade Federal de Lavras,

Leia mais

ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS UNIDADES, MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS

ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS UNIDADES, MÚLTIPLOS E SUBMÚLTIPLOS ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS As informações a seguir são de grande importância para a confecção dos relatórios dos experimentos de Química Geral e Orgânica. As correções são baseadas nas informações contidas

Leia mais

Método numérico para propagação da incerteza. Neste apêndice, apresentamos um procedimento numérico alternativo que é pelo menos

Método numérico para propagação da incerteza. Neste apêndice, apresentamos um procedimento numérico alternativo que é pelo menos APÊNDICE 01 Método numérico para propagação da incerteza Neste apêndice, apresentamos um procedimento numérico alternativo que é pelo menos tão válido quanto a lei de propagação de incerteza (LIMA JUNIOR

Leia mais

Química Analítica V 2S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula:

Química Analítica V 2S Prof. Rafael Sousa. Notas de aula: Química Analítica V 2S 2012 Aula 2: 27-11-1212 Estatística Aplicada à Química Analítica Prof. Rafael Sousa Departamento de Química - ICE rafael.arromba@ufjf.edu.br Notas de aula: www.ufjf.br/baccan Aulas

Leia mais

Profa. Ana Barros CEFET-RJ. Coordenadora dos Laboratórios de Física

Profa. Ana Barros CEFET-RJ. Coordenadora dos Laboratórios de Física Tratamento de Erros Experimentais Física Experimental IV Profa. Ana Barros CEFET-RJ Coordenadora dos Laboratórios de Física Informações Gerais No final de cada experiência o aluno deverá fazer um relatório

Leia mais

NOTA SOBRE ANÁLISE DE DADOS EXPERIMENTAIS

NOTA SOBRE ANÁLISE DE DADOS EXPERIMENTAIS NOTA SOBRE ANÁLISE DE DADOS EXPERIMENTAIS INTRODUÇÃO A obtenção de qualquer resultado experimental pressupõe a realização de pelo menos uma medição de uma ou várias grandezas. Essas grandezas podem ser

Leia mais

2009/2010. Marília Peres

2009/2010. Marília Peres MEDIÇÃO Escola Secundária José Saramago 2009/2010 Marília Peres I NSTRUMENTOS DE MEDIDA Alcance Vl Valor máximo que é possível medir Sensibilidade ou Natureza do aparelho Valor da menor divisão 2 ERROS

Leia mais

Medidas Físicas e os Aparelhos de Medida

Medidas Físicas e os Aparelhos de Medida Medidas Físicas e os Aparelhos de Medida 1 Objetivo Aprender os padrões de medidas, as medidas físicas e as respectivas incertezas inerentes aos processos cientícos. Reconhecer os algarismos signicativos

Leia mais

FÍSICA EXPERIMENTAL I. 1-Medida e algarismos significativos DFIS/UDESC

FÍSICA EXPERIMENTAL I. 1-Medida e algarismos significativos DFIS/UDESC FÍSICA EXPERIMENTAL I 1-Medida e algarismos DFIS/UDESC 1. Introdução: Como a grande maioria das ciências positivistas: A Física se utiliza se do Método Científico: Que se estrutura em: Observação Formulação

Leia mais

Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert

Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert Profa. Dra. Suelí Fischer Beckert 2 Disponível em: http://www.bipm.org/en/publications/ guides/ 3 INMETRO. Vocabulário Internacional de Metrologia: conceitos fundamentais e gerais e termos associados (VIM

Leia mais

PROPAGAÇÃO DE ERROS Conceitos básicos. Limitação das medições experimentais: há sempre uma incerteza associada.

PROPAGAÇÃO DE ERROS Conceitos básicos. Limitação das medições experimentais: há sempre uma incerteza associada. Erro: Existência Será possível obter o valor verdadeiro pela medição? Não Limitação das medições experimentais: há sempre uma incerteza associada. Qualquer processo experimental está sujeito a erros com

Leia mais

TOPOGRAFIA. Teoria dos Erros de Observação

TOPOGRAFIA. Teoria dos Erros de Observação TOPOGRAFIA Teoria dos Erros de Observação Ao se efectuar a medida de determinada grandeza, mostra a experiência que se cometem erros: falta de atenção ou imperícia do observador enganos, faltas ou erros

Leia mais

Métodos Estatísticos em Física Experimental

Métodos Estatísticos em Física Experimental Métodos Estatísticos em Física Experimental Compilação de termos e definições gerais de metrologia. Os termos e definições apresentadas a seguir foram extraídos da 1ª edição brasileira do Guia para Expressão

Leia mais

1- Medidas Simples e Diretas

1- Medidas Simples e Diretas 1- Medidas Simples e Diretas Três regras básicas: 1) A incerteza (ou erro) associada a uma medida simples e direta é dada por: a) metade da menor divisão da escala do instrumento de medida, quando esta

Leia mais

RESUMO TRAÇADO DE RETAS, ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E PROPAGAÇÃO DE ERROS

RESUMO TRAÇADO DE RETAS, ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E PROPAGAÇÃO DE ERROS RESUMO TRAÇADO DE RETAS, ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E PROPAGAÇÃO DE ERROS Dados experimentais em um gráfico. Quando se obtém dados experimentais em um gráfico nunca pode se contentar com quantidade de dados

Leia mais

Tratamento de Erros Experimentais Física Experimental IV

Tratamento de Erros Experimentais Física Experimental IV Tratamento de Erros Experimentais Física Experimental IV Profa. Ana Barros CEFET-RJ 2008 http://ana1barros.googlepages.com Informações Gerais No final de cada experiência o aluno deverá fazer um relatório

Leia mais

Mecânica experimental Lima Junior, P.; Silva, M.T.X.; Silveira, F.L.

Mecânica experimental Lima Junior, P.; Silva, M.T.X.; Silveira, F.L. ATIVIDADE 02 Texto de Apoio I Desvio Padrão da Média e Intervalos de Confiança Variabilidade e desvio padrão Quando realizamos uma série de observações do mesmo mensurando sob as mesmas condições, podemos

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL

MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL MÉTODOS QUANTITATIVOS PARA CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO EXPERIMENTAL Pedro Henrique Bragioni Las Casas Pedro.lascasas@dcc.ufmg.br Apresentação baseada nos slides originais de Jussara Almeida e Virgílio Almeida

Leia mais

Parte I Prova Escrita

Parte I Prova Escrita INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA FÍSICA PROVA 315/2016 12º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho, republicado pelo Decreto-Lei nº 91/2013, de 10 de julho)

Leia mais

Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial

Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial Aula I -Introdução à Instrumentação Industrial UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA POLITÉCNICA DISCIPLINA: INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL I (ENGF99) PROFESSOR: EDUARDO SIMAS (EDUARDO.SIMAS@UFBA.BR)

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS MEDIDAS E ERROS

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS MEDIDAS E ERROS 1 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DAS MEDIDAS E ERROS Introdução ao tratamento de dados 1 Antes de Galileu, a Filosofia Natural (a Física da época) não fazia medidas com o intuito de comprovar ou verificar um modelo

Leia mais

ENSAIOS EXPERIMENTAIS PARA ANÁLISE DE REPETITIVIDADE E REPRODUTIBILIDADE (R&R) NO LABORATÓRIO DE METROLOGIA

ENSAIOS EXPERIMENTAIS PARA ANÁLISE DE REPETITIVIDADE E REPRODUTIBILIDADE (R&R) NO LABORATÓRIO DE METROLOGIA ENSAIOS EXPERIMENTAIS PARA ANÁLISE DE REPETITIVIDADE E REPRODUTIBILIDADE (R&R) NO LABORATÓRIO DE METROLOGIA Hérica Guedes de Toledo (FEPI) hericagtoledo@hotmail.com Paulo Henrique Paulista (FEPI) paulohpaulista@gmail.com

Leia mais

Curso: Eng da Produção Aula 1, 2, 4, 5 Agosto 09. Prof. Eduardo R Luz - MsC

Curso: Eng da Produção Aula 1, 2, 4, 5 Agosto 09. Prof. Eduardo R Luz - MsC Curso: Eng da Produção Aula 1, 2, 4, 5 Agosto 09 Prof. Eduardo R Luz - MsC AULA 1 SUMÁRIO A Administração da Qualidade O Controle da Qualidade CEP Origem e história Outros conceitos relacionados ao CEP

Leia mais

CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão

CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão CURSO: Engenharia Civil DISCIPLINA: Tópicos de Física Geral e Experimental PROFº: MSc. Demetrius Leão 1 O que aprenderemos nessa disciplina? Teoria: Física da Antiguidade. Modelos planetários (Ptolomeu

Leia mais

Introdução ao Estudo dos Fenômenos Físicos

Introdução ao Estudo dos Fenômenos Físicos Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Exatas Departamento de Física Introdução ao Estudo dos Fenômenos Físicos Aula 06 Medidas físicas Erros experimentais. Incertezas. Análise estatística.

Leia mais

Física Experimental II (2014.1)

Física Experimental II (2014.1) Física Experimental II (2014.1) Calendário 19/02 Tratamento de dados experimentais 26/02 NÃO HAVERÁ AULA 05/30 Recesso de Carnaval 12/03 Experimento 01 Instrumentos de Medida 19/03 Experimento 02 Elementos

Leia mais

Métodos Estatísticos de Física Experimental

Métodos Estatísticos de Física Experimental na Incerteza Padrão Departamento de Física Experimental Expressão de Números,,... (Matacões) 25-26 de fevereiro de 2014 Pro logo Como Expressar Nu mero e Valor de uma Grandeza Manipulac a o de Nu meros

Leia mais

Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira. Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo

Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira. Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo Estatística Básica Professora conteudista: Maria Ester Domingues de Oliveira Revisor: Francisco Roberto Crisóstomo Sumário Estatística Básica Unidade I 1 CICLO SEMPRE CRESCENTE...2 2 ESTATÍSTICA: CIÊNCIA

Leia mais

NOTA 1: 7,0. Medidas Físicas de volume

NOTA 1: 7,0. Medidas Físicas de volume 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA BAHIA IFBA - CAMPUS PAULO AFONSO UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA ELÉTRICA DISCIPLINA FÍSICA EXPERIMENTAL I NOTA 1: 7,0 Experimento:Teoria do erro

Leia mais

CÁLCULO DA INCERTEZA

CÁLCULO DA INCERTEZA CÁLCULO DA INCERTEZA O resultado de uma medição é somente um valor aproximado ou uma estimativa do Mensurando. ele é completo somente quando acompanhado do valor declarado de sua incerteza. A incerteza

Leia mais

Aulas 2 e 3. Estatística Aplicada à Química Analítica

Aulas 2 e 3. Estatística Aplicada à Química Analítica QUÍMICA ANALÍTICA AVANÇADA 1S 2014 Prof. Rafael Arromba de Sousa Departamento de Química ICE Aulas 2 e 3 Estatística Aplicada à Química Analítica Notas de aula: www.ufjf.br/baccan rafael.arromba@ujfj.edu.br

Leia mais

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA

PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA PROJETO E ANÁLISES DE EXPERIMENTOS (PAE) INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ESTATÍSTICOS EM ENGENHARIA VARIABILIDADE NA MEDIDA DE DADOS CIENTÍFICOS Se numa pesquisa, desenvolvimento de um processo ou produto, o valor

Leia mais

NOÇÕES RÁPIDAS DE ESTATÍSTICA E TRATAMENTO DE DADOS

NOÇÕES RÁPIDAS DE ESTATÍSTICA E TRATAMENTO DE DADOS NOÇÕES RÁPIDAS DE ESTATÍSTICA E TRATAMENTO DE DADOS Prof. Érica Polycarpo Bibliografia: Data reduction and error analysis for the physica sciences (Philip R. Bevington and D. Keith Robinson) A practical

Leia mais

QMC 5119 II Semestre de 2014 EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS

QMC 5119 II Semestre de 2014 EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS 1. Introdução: Química é uma ciência experimental e por isso consideramos importante que você inicie a disciplina Introdução ao Laboratório de Química realizando

Leia mais

TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS

TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS TÉCNICO DE CAD/CAM 2008/2009 METROLOGIA DIMENSIONAL NUNO MIGUEL DINIS METROLOGIA A CIÊNCIA DA MEDIÇÃO A definição formal de metrologia advém da palavra de origem grega (metron: medida; logos: ciência).

Leia mais

Alcance, A - Dá o valor máximo que um aparelho pode medir. Pode existir também uma gama de valores, isto é, um valor máximo e um mínimo.

Alcance, A - Dá o valor máximo que um aparelho pode medir. Pode existir também uma gama de valores, isto é, um valor máximo e um mínimo. 6. APARELHOS DE MEDIDA E MEDIÇÕES ------- Alcance, A - Dá o valor máximo que um aparelho pode medir. Pode existir também uma gama de valores, isto é, um valor máximo e um mínimo. Menor divisão da escala

Leia mais

Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental. Prof. Zwinglio Guimarães 2 o semestre de 2016 Tópico 1 Revisão e nomenclatura

Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental. Prof. Zwinglio Guimarães 2 o semestre de 2016 Tópico 1 Revisão e nomenclatura Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental Prof. Zwinglio Guimarães 2 o semestre de 2016 Tópico 1 Revisão e nomenclatura Tratamento Estatístico de Dados em Física Experimental 2 o Semetre 2016

Leia mais

Módulo IV Medidas de Variabilidade ESTATÍSTICA

Módulo IV Medidas de Variabilidade ESTATÍSTICA Módulo IV Medidas de Variabilidade ESTATÍSTICA Objetivos do Módulo IV Compreender o significado das medidas de variabilidade em um conjunto de dados Encontrar a amplitude total de um conjunto de dados

Leia mais

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48)

Estimação parâmetros e teste de hipóteses. Prof. Dr. Alberto Franke (48) Estimação parâmetros e teste de hipóteses Prof. Dr. Alberto Franke (48) 91471041 Intervalo de confiança para média É um intervalo em que haja probabilidade do verdadeiro valor desconhecido do parâmetro

Leia mais

Incerteza em Medições. Introdução. ECV-5240 Instrumentação de Ensaios

Incerteza em Medições. Introdução. ECV-5240 Instrumentação de Ensaios Incerteza em Medições Fonte: BIPM International Bureau of Weights and Measures OIML International Organization of Legal Metrology ISO International Organization for Standardization IEC International Electrotechnical

Leia mais

Física Geral e Experimental I 2011/01

Física Geral e Experimental I 2011/01 Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 0 Física Geral e Experimental I 011/01 Experimento: Paquímetro e Micrômetro 1. Paquímetro e micrômetro Nesta tarefa serão abordados os seguintes

Leia mais

NÚMEROS RACIONAIS OPERAÇÕES

NÚMEROS RACIONAIS OPERAÇÕES UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE ANGRA DOS REIS DISCIPLINA: MATEMÁTICA CONTEÚDO E MÉTODO Período: 2016.2 NÚMEROS RACIONAIS OPERAÇÕES Prof. Adriano Vargas Freitas Noção de número

Leia mais

Unidades de Medidas e as Unidades do Sistema Internacional

Unidades de Medidas e as Unidades do Sistema Internacional Unidades de Medidas e as Unidades do Sistema Internacional Metrologia é a ciência da medição, abrangendo todas as medições realizadas num nível conhecido de incerteza, em qualquer dominio da atividade

Leia mais

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan.

Objetivo: Determinar experimentalmente a resistividade elétrica do Constantan. Determinação da resistividade elétrica do Constantan Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Curitiba Departamento Acadêmico de Física Física Experimental Eletricidade Prof. Ricardo Canute Kamikawachi

Leia mais

Aula 4: Gráficos lineares

Aula 4: Gráficos lineares Aula 4: Gráficos lineares 1 Introdução Um gráfico é uma curva que mostra a relação entre duas variáveis medidas. Quando, em um fenômeno físico, duas grandezas estão relacionadas entre si o gráfico dá uma

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas Laboratório de Física e Química

Universidade São Judas Tadeu Faculdade de Tecnologia e Ciências Exatas Laboratório de Física e Química Uiversidade São Judas Tadeu Faculdade de Tecologia e Ciêcias Exatas Laboratório de Física e Química Aálise de Medidas Físicas Quado fazemos uma medida, determiamos um úmero para caracterizar uma gradeza

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Escalas UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1 Escalas Recife, 2014 Definição de Escala É a relação matemática constante entre o comprimento de uma linha

Leia mais