ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE Aspectos moleculares. Dra. Lilian Castilho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE Aspectos moleculares. Dra. Lilian Castilho"

Transcrição

1 ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE Aspectos moleculares Dra. Lilian Castilho

2 Os métodos moleculares mudarão a rotina dos laboratórios de Imunohematologia???

3 HEMAGLUTINAÇÃO Onde estamos falhando? Stainsby et al. Serious hazards of transfusion: a decade of hemovigilance in the UK. TMR 2006; 20: casos ( ) 10.2%- Reações transfusionais hemolíticas agudas (incompatibilidade ABO) 9.7%- Reações transfusionais hemolíticas tardias

4 HEMAGLUTINAÇÃO Onde estamos falhando? Reações transfusionais hemolíticas tardias 8 mortes 53% anti-jk a /Jk b 38% anti-rh 14% erros poderiam ter sido evitados melhorando a prática laboratorial (Como melhorar?)

5 LIMITAÇÕES DA HEMAGLUTINAÇÃO Dificuldade na fenotipagem de pacientes politransfundidos com transfusão recente Dificuldade na fenotipagem de hemácias cobertas com IgG Dificuldade na identificação de ags variantes Dificuldade na identificação de ags de baixa e alta frequência Limitação dos estoques de antígenosnegativos Impossibilidade de determinar zigozidade

6 LIMITAÇÕES DA HEMAGLUTINAÇÃO O que fazer!

7 Zoom no DNA Genotipagem!!! Resultados seguros nas situações (AHAI) em que a hemaglutinação é limitada

8 Análise por DNA em pacientes com TDA positivo Dificuldades na remoção do ac IgG Anticorpos monoclonais IgM ou monoclonais murinos não estão disponíveis Anti-soros são fracamente reativos Antígeno sensível ao tratamento de remoção da IgG

9 PROTOCOLOS DE GENOTIPAGEM PARA UTILIZAÇÃO NA CLÍNICA AS-PCR, PCR-RFLP, Multiplex RHD D+/D-(DΨ), D parcial, D fraco, Del, zigozidade RHD RHCE C/c, E/e, VS, variantes Rh C, E/e KEL K/k, Js a /Js b FY Fy a /Fy b,gata, Fy x JK Jk a /Jk b GYPB S/s; S-silencioso Dombrock Do a /Do b, HY, JO Diego Di a /Di b, Memphis II

10 PROTOCOLOS DE GENOTIPAGEM PARA UTILIZAÇÃO NA CLÍNICA Microarray- BeadChip TM, Bioarray Solutions Ltd RHCE C/c, E/e KEL K/k FY Fy a /Fy b,gata, Fy x LW Lw a /Lw b CO Co a /Co b SC Sc1/2 JK Jk a /Jk b GYPA M/N GYPB S/s, S silencing, U var DO Do a /Do b, Hy, Jo DI Di a /Di b LU Lu a /Lu b

11 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA AHAI Total de pacientes: 28 Em 28 pacientes a genotipagem auxiliou na dedução do perfil antigênico (Rh, Kell, FY, JK, Ss) e consequentemente na seleção de sangue fenótipo compatível Em 8 pacientes foi possível diferenciar alo de auto Em 11 pacientes foi possível identificar aloanticorpos após adsorções alogênicas 8 pacientes foram genotipados como FYB-33 e puderam receber sangue Fy(b+)

12 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 1-HISTÓRICO Paciente feminina descendente de Africanos, 52 anos Transfusões prévias? Diagnóstico: AHAI, Hb 6.8 Solicitado 2 unidades de sangue TDA positivo (IgG 1 ) PAI positiva 2+ em AGH Painel positivo 2+ em AGH com todas as células, Autocontrole positivo

13 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 1-GENOTIPAGEM ChipName Sample WarnMsg c C e E K k Fya Fyb Jka Jkb M N S s Lua Lub Doa Dob Jo(a) Hy LWa LWb Dia Dib Coa Cob Sc1 Sc2 HgbS Silencing FY Fyx[Fy(b+w) Cmmnt HEA04961_1 A No HEA04961_2 A No No HEA04961_3 A No HEA04961_4 A HEA04961_5 A No HEA04961_6 A No HEA04961_7 A No No HEA04961_8 A No Fenótipo da paciente: O, Ro, K-k+, K Fy(a (a-b-), Jk(a+b (a+b-), M+N-S-s+, Do(a+b+), Hy+, Jo(a+), Di(a (a-b+), Co(a+b-), Sc1,-2 Lu(a (a-b+),

14 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 1-CONCLUSÃO Adsorção alogênica com hemácias R 0 r, K-, Fy(a-), Jk(b-), S- Paciente com anti-e, -K, -Jk b, -S Confirmação sorológica com adsorções seletivas Transfusão fenótipo compatível (E-, K-, Jk(b (b-), S-) e Fy(b+) Aumento níveis de Hb de 6.8 para 8.6 após transfusão

15 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 2-HISTÓRICO Paciente masculino caucasóide 64 anos Portador de AHAI, politransfundido Solicitado 2 unidades de sangue TDA positivo (IgG 3 ) PAI positiva/auto Auto-controle positivo Anticorpos identificados no soro: anti-d, auto-igg Fenotipagem: R 1 R 2, K-, Fy(a+b+), (a+b+),jk Jk(a+b+) Provas de compatibilidade: incompatíveis

16 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 2- GENOTIPAGEM Genótipo do paciente: RHD+, RH*Cc RH*Cc, Cc, RH*ee RH*ee, ee, s+ normal, S+ GATA JK B/JK B 100 pb FY A/FY A K2K2 100 pb RH ee 100 pb RHDCc 100pb KEL*2/KEL*2, FY*A/FY*A JK*B/JK*B, GYPB*S/s

17 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 2- GENOTIPAGEM Genotipagem complementar RHD Fraco, RHD parcial RHD Fraco: negativo DVI 100 pb RHD Parcial: positivo (D parcial categoria VI)

18 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 2- CONCLUSÃO Adsorção alogênica com hemácias R 1 r, K-, Fy(b-), Jk(a-) Acs identificados no soro do paciente: anti-d, - Jk a Sangue selecionado para a transfusão: rr, K-, Jk(a (a-), Fy(b (b-) Avaliação do significado clínico do auto-ac ac antes da transfusão

19 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 3- HISTÓRICO Paciente transfundido a cada 3 semanas com 2 unidades de concentrado de hemácias História de anti-c, -E, -K Serviço de Hemoterapia do Hospital relata reatividade adicional Suspeita:anti-Jk a

20 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 3- INVESTIGAÇÃO SOROLÓGICA Laboratório de referência confirma anti-c, -E, -K Autoanticorpo IgG também é detectado Fenotipagem demonstra campo misto Por segurança o hospital seleciona unidades de hemácias c, E, K, Jk(a )

21 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 3- GENOTIPAGEM/CONCLUSÃO Genotipagem: RHD+, RH*C/C, RH*e/e, KEL*2/2, FY*A/B, JK*A/B Fenótipo deduzido: R 1 R 1, K-k+, Fy(a+b+), Jk(a+b+) Paciente não desenvolverá aloanti-jk a 1 em 6 unidades são c, E, K 1 em 25 unidades são c, E, K, Jk(a )

22 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 4- HISTÓRICO/GENOTIPAGEM Paciente com sinais e sintomas de hemólise Transfundido com 2 unidades de concentrado de hemácias Identificado: anti-jk a ; Jk(a+ CM ) Interpretação: reação transfusional [recebeu hemácias Jk(a+) em outro hospital] Genotipagem: JK*A/JK*A Interpretação: Jk(a+), autoanti-jk a ( IgG 3 hemolítico)

23 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 5-HISTÓRICO/GENOTIPAGEM Paciente com AHAI, O RhD+, TDA+ História transfusional:? Ac identificado no eluato e soro: anti-d Auto ou alo? Genotipagem: D fraco tipo 1 Interpretação: auto-anti-d ( IgG 1 não hemolítico) Sangue selecionado para transfusão: O RhD+

24 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 6-HISTÓRICO Paciente (O RhD-negativo) admitido no hospital com Hb de 4.5 g/l, 6 dias após cirurgia e transfusão TDA positivo com C3; eluato negativo PAI: ac com fraca reatividade em PEG e LISS- Coombs e reativo em papaína Transfundido com hemácias O, Jk(b ), Le(a ) Hemólise após transfusão

25 RESULTADOS DE GENOTIPAGEM NA CLÍNICA CASO CLINICO 6-HISTÓRICO/GENOTIPAGEM Nenhum anticorpo contra drogas detectado Teste de Donath Landsteiner negativo Interpretação hemólise foi um resultado da transfusão! Fenótipo deduzido do genótipo:s+s+, K, Fy(a b+), Jk(a+b ) Campo misto na fenotipagem Fy a demonstrou sobrevida de hemácias do doador na circulação do paciente

26 Importância da genotipagem em pacientes com AHAI Identificação de aloanticorpos Diferenciação entre alo e auto Selecionar hemácias fenotipicamente compatíveis Prevenção da aloimunização Aumento da sobrevida das hemácias transfundidas

27 GENOTIPAGEM NA CLÍNICA Genotipagem de grupos sanguíneos na clínica requer: Conhecimento em grupos sanguíneos Experiência na interpretação das reações de PCR utilizadas Obtenção dos achados sorológicos e da história clínica do paciente antes de interpretar os resultados da genotipagem Conhecimento dos genes que codificam os antígenos de GS e suas formas variantes (fenótipos e genótipos podem não correlacionar) na população estudada

28 HEMOCENTRO UNICAMP Laboratório de Biologia Molecular de Grupos Sanguíneos Lab pesquisa protocolos moleculares na Imunohematologia clínica uso rotineiro quando resultados sorológicos são questionáveis ou duvidosos, duvidosos, fenotipagens não disponíveis, disponíveis, genotipagem pode auxiliar na recomendação da conduta transfusional (auto/alo (auto/alo) alo) integra o Consortium for Blood Group Genes (CBGG) participa de testes de proficiência (ISBT e NYBC)

29 Transfusão em pacientes com AHAI O que fazer? Como fazer? Significado clínico do autoac Investigação de aloanticorpos Fenotipagem Genotipagem

30 Fenotipagem eritrocitária Vantagens Técnica simples e rápida Não requer equipamento sofisticado Sensibilidade e especificidade Desvantagens Valor limitado em pacientes recentemente transfundidos ou que apresentam teste direto da antiglobulina positivo 4+ (Auto IgG + C)

31 Vantagens Genotipagem eritrocitária Resultados seguros nas situações (AHAI) em que a hemaglutinação é limitada Desvantagens Requer mais tempo na execução Maior custo Fácil contaminação

32 Gen Genótipo tipo Fen Fenótipo tipo aglutinação DNA + Técnicas Técnicas Técnicas Técnicas Técnicas Técnicas Técnicas Técnicas moleculares moleculares moleculares moleculares moleculares moleculares moleculares moleculares: potencial potencial potencial potencial potencial potencial potencial potencial para para para para para para para para mudar mudar mudar mudar mudar mudar mudar mudar a prática prática prática prática prática prática prática prática na na na na na na na na medicina medicina medicina medicina medicina medicina medicina medicina transfusional transfusional transfusional transfusional transfusional transfusional transfusional transfusional Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia Imunohematologia

PESQUISA E IDENTIFICAÇÃO DE ANTICORPOS IRREGULARES

PESQUISA E IDENTIFICAÇÃO DE ANTICORPOS IRREGULARES PESQUISA E IDENTIFICAÇÃO DE ANTICORPOS IRREGULARES WILSON BALEOTTI JR HEMOCENTRO DA FACULDADE DE MEDICINA DA MARÍLIA E-MAIL: baleotti@famema.br ALOIMUNIZAÇÃO Diagnóstico de aloimunização Exposição a antígenos

Leia mais

ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES

ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES ASPECTOS SOROLÓGICOS Maria do Carmo Valgueiro Costa de Oliveira FUNDAÇÃO HEMOPE Resultado da produção de anticorpos contra constituintes do próprio organismo. - Quente -

Leia mais

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS

INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS TÍTULO: TESTE DE FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA PROFILÁTICO EM PACIENTES POLITRANSFUNDIDOS. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR TESTES IMUNOHEMATOLÓGICOS PRÉ TRANSFUSIONAIS JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA QUIXADÁ HISTÓRIA... Em 1492: escritor italiano

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA. Doutoranda Débora Faria Silva

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA. Doutoranda Débora Faria Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS (CIPHARMA) IMUNO-HEMATOLOGIA Doutoranda Débora Faria Silva Prof. Drª Simone Aparecida Rezende Maio/ 2016 Produtos

Leia mais

Los mecanismos moleculares responsables de la expresión de los antígenos de los grupos sanguíneos. Lima, 26/02/2016.

Los mecanismos moleculares responsables de la expresión de los antígenos de los grupos sanguíneos. Lima, 26/02/2016. Los mecanismos moleculares responsables de la expresión de los antígenos de los grupos sanguíneos Lima, 26/02/2016 Lilian Castilho Mecanismos moleculares associados à expressão dos Antígenos de grupos

Leia mais

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE

HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE HEMOCENTRO DE RIBEIRÃO PRETO CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO DE REAGENTES VISÃO DO CLIENTE Rodrigo Spessotto Morais Toledo Qual a importância do controle da qualidade dos reagentes imunohematológicos? O

Leia mais

Reagentes anti-d na detecção dos D fraco e D parcial

Reagentes anti-d na detecção dos D fraco e D parcial Reagentes anti-d na detecção dos antígenos D fraco e D parcial Implicações para doadores, pacientes e gestantes Lilian Castilho, PhD Porque a tipagem RhD é algumas vezes problemática? Grande número de

Leia mais

Techno TwinStation. Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirão o Preto

Techno TwinStation. Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirão o Preto Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirão o Preto Techno TwinStation Realizados testes para validação da automação (Techno) para pacientes Total de 299 amostras foram testadas para: Tipagem

Leia mais

TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS. Clécia M. C. Oliveira Farmacêutica

TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS. Clécia M. C. Oliveira Farmacêutica TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS Clécia M. C. Oliveira Farmacêutica 2016 Imuno-Hematologia O que é Imuno-hematologia e qual o seu papel em uma unidade de Hemoterapia? Imuno-hematologia é uma ciência complexa

Leia mais

Anticorpos. Antígenos. Imunologia SISTEMAS DE GRUPOS SANGUINEOS. Tipos de Anticorpos. Imunohematologia 02/11/2010. Definição:

Anticorpos. Antígenos. Imunologia SISTEMAS DE GRUPOS SANGUINEOS. Tipos de Anticorpos. Imunohematologia 02/11/2010. Definição: Imunologia SISTEMAS DE GRUPOS SANGUINEOS Sistemas ABO / Rh Reação Ag + Ac AgAc Estabilidade da reação antígeno - anticorpo Existência de especificidade Condições físico-químicas apropriadas Potência do

Leia mais

Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente. Equipe de Biologia

Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente. Equipe de Biologia Cap. 12: Os grupos sanguíneos são determinados geneticamente Equipe de Biologia O sangue humano Plasma Globulinas ou anticorpos Aglutininas Reagem com antígenos de superfície de hemácias Elementos figurados

Leia mais

FREQUÊNCIA DE ANTICORPOS IRREGULARES EM SERVIÇO DE TRANSFUSÃO DE SANGUE EM SALVADOR-BA, NO PERÍODO DE 2009 A 2013

FREQUÊNCIA DE ANTICORPOS IRREGULARES EM SERVIÇO DE TRANSFUSÃO DE SANGUE EM SALVADOR-BA, NO PERÍODO DE 2009 A 2013 DE ANTICORPOS IRREGULARES EM SERVIÇO DE TRANSFUSÃO DE SANGUE EM SALVADOR-BA, NO PERÍODO DE 2009 A 2013 Rodrigo Cunha Oliveira * Jacqueline Ramos Machado Braga ** Resumo A transfusão de sangue é uma técnica

Leia mais

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 03/2014 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 03/2014 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL N.º 03/2014 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 65 BIÓLOGO I, BIOMÉDICO I ou FARMACÊUTICO I (Hemoterapia) 01. E 11. A 21. D 31. B

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes. Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO

Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes. Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO Investigação sorológica de autoanticorpos frios e quentes Shirley Castilho Instituto Estadual de Hematologia Arthur Siqueira Cavalcanti HEMORIO Definição: Autoanticorpos eritrocitarios São imunoglobulinas

Leia mais

ESTRATÉGIAS UTILIZADAS NA BUSCA DE CÉLULAS E SOROS RAROS. Curso de Atualização em Imunohematologia DIAMED 2007

ESTRATÉGIAS UTILIZADAS NA BUSCA DE CÉLULAS E SOROS RAROS. Curso de Atualização em Imunohematologia DIAMED 2007 ESTRATÉGIAS UTILIZADAS NA BUSCA DE CÉLULAS E SOROS RAROS Curso de Atualização em Imunohematologia DIAMED 2007 Regina A. Cardoso cardosor@ihsl.com.br Definições AABB: Raro: < 1/5.000. Incomum: < 1/1.000

Leia mais

Anticorpos. Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirã

Anticorpos. Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirã Importância Clínica dos Anticorpos Anti-eritrocitários Ana Paula Costa Nunes da Cunha Cozac Hemocentro de Ribeirã Ribeirão Preto Anticorpos anti-eritrocitários de importância clínica são aqueles capazes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA Aline Trombini Rodrigues Aloimunização dos doadores de sangue como fonte de anti-soros e hemácias raras Dissertação apresentada

Leia mais

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS FORMULÁRIO PADRÃO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Título do Projeto: Frequência dos tipos sanguíneos A, B e AB dos felinos domésticos da encaminhados para o Hospital Veterinário UNISUL Área de Conhecimento

Leia mais

IMUNOGENÉTICA. Sistemas Sangüíneos Eritrocitários

IMUNOGENÉTICA. Sistemas Sangüíneos Eritrocitários IMUNOGENÉTICA Sistemas Sangüíneos Eritrocitários CONCEITOS GERAIS Antígenos (Ag): substância (geralmente proteína) capaz de induzir resposta imune específica Pode ser expresso geneticamente na superfície

Leia mais

16/8/2007 ??? Antes de 1939: Dois relatos importantes para a descoberta do. Sistema Rh. Segundo sistema em importância transfusional

16/8/2007 ??? Antes de 1939: Dois relatos importantes para a descoberta do. Sistema Rh. Segundo sistema em importância transfusional Sistema Rh Histórico Antes de 1939:??? reação transfusional apesar de compatibilidade ABO 1939 - Dois relatos importantes para a descoberta do sistema Rh: Levine e Stetson: reação transfusional de uma

Leia mais

Daiane Cobianchi da Costa

Daiane Cobianchi da Costa Daiane Cobianchi da Costa Investigação do polimorfismo de genes de grupos sanguíneos em doadores voluntários de sangue e em pacientes com hemopatias no Estado de Santa Catarina Tese submetida ao Programa

Leia mais

FENOTIPAGENS ABO e RhD

FENOTIPAGENS ABO e RhD FENOTIPAGENS ABO e RhD DISCREPÂNCIAS Maria do Carmo Valgueiro Costa de Oliveira FUNDAÇÃO HEMOPE Substância precursora GLc GAL GLcNAc GAL Gene H 2α-L-fucosil-transferase Fuc Antígeno H GLc GAL GLcNAc GAL

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR Cuidados imunohematológicos prétransfusionais: da teoria aos cenários assistenciais Denise Menezes Brunetta Hematologista e Hemoterapeuta

Leia mais

Experiência na utilização do Techno Twin Station. Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007

Experiência na utilização do Techno Twin Station. Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007 Experiência na utilização do Techno Twin Station Rodrigo Spessotto Morais Toledo Março 2007 Techno Twin Station Techno Twin Station Techno Twin Station Techno Twin Station Equipamento automatizado para

Leia mais

Eritrócitos: Morfologia e função

Eritrócitos: Morfologia e função Eritrócitos: Morfologia e função Eritrócitos ou Hemácias ou Glóbulo Vermelho Número de células Tamanho varia nos mamíferos Nos seres humanos Número médio é aproximadamente 5.000.000/ul ou 5.10 6 /ul O

Leia mais

Relato de Caso A Fraco

Relato de Caso A Fraco Relato de Caso A Fraco Rocha AE (1), Ferreira SM (2), Bertoletti JAJ (3), Giana HE (4), Beltrame N (5) Laboratório Oswaldo Cruz Praça Cândida Maria C. Sawaya Giana, 128, Jd. Nova América São José dos Campos,

Leia mais

ALELOS MÚLTIPLOS=POLIALELIA

ALELOS MÚLTIPLOS=POLIALELIA ALELOS MÚLTIPLOS=POLIALELIA Nos exemplos anteriores foram considerados apenas 2 alelos por gene afetando uma determinada característica. Um gene pode possuir, em geral,não apenas dois alelos, mas vários.

Leia mais

P ROC E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O

P ROC E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O Encaminhamos pela presente, Norma e Procedimento que implanta e define a sistemática de do HOSPITAL SANTA ROSA. Controle Nome/Cargo Assinatura Elaborado por: Revisado por: Aprovado por: Givanildo Vieira

Leia mais

IMUNO-HEMATOLOGIA R E A G E N T E Q U I P O S COAGULAÇÃO AUTOIMUNIDADE VHS BIOLOGIA MOLECULAR HEMATOLOGIA

IMUNO-HEMATOLOGIA R E A G E N T E Q U I P O S COAGULAÇÃO AUTOIMUNIDADE VHS BIOLOGIA MOLECULAR HEMATOLOGIA IMUNO-HMATOLOGIA N G A R N T S COAGULAÇÃO VHS AUTOIMUNIDAD Q U I P A M HMATOLOGIA BIOLOGIA MOLCULAR Reagentes e equipamentos para metodologias de aglutinação em coluna, fluxo lateral e convencional em

Leia mais

Sistema Rh e suas complexidades. Dra Lilian Castilho

Sistema Rh e suas complexidades. Dra Lilian Castilho Sistema Rh e suas complexidades Dra Lilian Castilho Sistema Rh Sistema complexo 49 antígenos muitos fenótipos no mínimo 200 alelos um fenótipo pode gerar vários genótipos Principais antígenos D; C/c; E/e

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA Guia Nacional para Implantação de Banco de Sangue com Fenótipos

Leia mais

Determinação da frequência de anticorpos irregulares pós-transfusionais* Determination of the frequency irregular antibodies in post transfusion

Determinação da frequência de anticorpos irregulares pós-transfusionais* Determination of the frequency irregular antibodies in post transfusion DOI: 10.5102/ucs.v13i2.3294 Determinação da frequência de anticorpos irregulares pós-transfusionais* Determination of the frequency irregular antibodies in post transfusion Bárbara Mendes Ferreira 1 Milton

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA

Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 01 SHMT/HU Hospital Universitário Tipagem Sanguínea ABO/RhD Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa

Leia mais

Desempenho da tecnologia dos eritrócitos magnetizados (E.M. Technology) nos testes imunoematológicos

Desempenho da tecnologia dos eritrócitos magnetizados (E.M. Technology) nos testes imunoematológicos REVISTA BRASILEIRA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA Artigo / Article Desempenho da tecnologia dos eritrócitos magnetizados (E.M. Technology) nos testes imunoematológicos Erythrocytes magnetized technology

Leia mais

Experiência com o SwingTwin Sampler em Rotinas Imunohematológicas

Experiência com o SwingTwin Sampler em Rotinas Imunohematológicas Micr Typing System Experiência cm SwingTwin Sampler em Rtinas Imunhematlógicas Maria Giselda Aravechia HIAE- Sã Paul Participantes : Marcia R. Dezan Vanessa Oliveira Eduard Felix Jean Fukimt Dra Mariza

Leia mais

Questionário - Proficiência Clínica

Questionário - Proficiência Clínica Tema Elaboradora Texto Introdutório TESTES IMUNO-HEMATOLÓGICOS E TRANSFUSÃO EM ANEMIA HEMOLÍTICA AUTO-IMUNE A FRIO Margarida de Oliveira Pinho. Bióloga, Responsável pelo Laboratório de Imunohematologia

Leia mais

Análise do perfil de alo-imunização eritrocitária em pacientes. receptores de transfusão sanguínea atendidos no Hemonúcleo do

Análise do perfil de alo-imunização eritrocitária em pacientes. receptores de transfusão sanguínea atendidos no Hemonúcleo do Análise do perfil de alo-imunização eritrocitária em pacientes receptores de transfusão sanguínea atendidos no Hemonúcleo do Hospital Universitário de Bragança Paulista Analysis and identification of anti-red

Leia mais

Frequency of Rh and Kell system in blood donors of blood center in Santa Maria RS

Frequency of Rh and Kell system in blood donors of blood center in Santa Maria RS Frequência do sistema Rh e Kell nos doadores do hemocentro de Santa Maria RS Adriana Najai Bortolotto*, Márcia M. Mikalauscas**, Anelise L. Murari***, Samara Rubin****, José Edson Paz da Silva***** RESUMO:

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAUDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL KENIA PATRÍCIA DOS SANTOS DO CARMO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAUDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL KENIA PATRÍCIA DOS SANTOS DO CARMO SECRETARIA DE ESTADO DA SAUDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL KENIA PATRÍCIA DOS SANTOS DO CARMO TÉCNICAS UTILIZADAS PARA SELEÇÃO DE UNIDADES DE CONCENTRADO DE HEMÁCIAS EM PACIENTES COM ANEMIA HEMOLÍTICA

Leia mais

IMUNOHEMATOLOGIA Sistemas de grupos sanguíneos www.profbio.com.br

IMUNOHEMATOLOGIA Sistemas de grupos sanguíneos www.profbio.com.br IMUNOHEMATOLOGIA Sistemas de grupos sanguíneos www.profbio.com.br Antígenos eritrocitários São apresentados na superfície das hemácias humanas Os Ag são constituídos de açúcares ou proteínas São reconhecidos

Leia mais

Genotipagem de grupos sanguíneos por meio de microarranjos líquidos

Genotipagem de grupos sanguíneos por meio de microarranjos líquidos Universidade de São Paulo Instituto de Medicina Tropical de São Paulo JULIANA VIEIRA DOS SANTOS BIANCHI Genotipagem de grupos sanguíneos por meio de microarranjos líquidos Tese apresentada ao Instituto

Leia mais

ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISES LABORATORIAIS SORAIA SILVEIRA BESERRA

ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISES LABORATORIAIS SORAIA SILVEIRA BESERRA ACADEMIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ANÁLISES LABORATORIAIS SORAIA SILVEIRA BESERRA CONTROLE DE QUALIDADE INTERNO EM IMUNO-HEMATOLOGIA NO CENTRO DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA DO

Leia mais

Introdução. Fundametação Teórica. Teste de Coombs

Introdução. Fundametação Teórica. Teste de Coombs SIGNIFICADO CLÍNICO DO TESTE DE COOMBS DIRETO NA ROTINA PRÉ TRANSFUSIONAL Bárbara Aparecida Meira Feitosa 1 Alexandre Gomes Vizzoni 2 1. Pós Graduanda do Curso de Pós graduação em Imunoematologia da Universidade

Leia mais

PREVALÊNCIA E FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES DE SANGUE NO HEMOCENTRO REGIONAL DE SANTA MARIA

PREVALÊNCIA E FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES DE SANGUE NO HEMOCENTRO REGIONAL DE SANTA MARIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PREVALÊNCIA E FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES DE SANGUE NO HEMOCENTRO REGIONAL

Leia mais

Métodos de Pesquisa e Diagnóstico dos Vírus

Métodos de Pesquisa e Diagnóstico dos Vírus Métodos de Pesquisa e Diagnóstico dos Vírus Estratégias Isolamento em sistemas vivos Pesquisa de antígeno viral Pesquisa de anticorpos Pesquisa do ácido nucléico viral (DNA ou RNA) Pré requisitos para

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 04/2008 PS 19 - MÉDICO I (Hemoterapia) Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 04/2008 PS 19 - MÉDICO I (Hemoterapia) Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 04/2008 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 19 MÉDICO I (Hemoterapia) 01. B 11. B 21. C 31. B 02. D 12. ANULADA 22. E 32.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA Renato Nascimento da Costa Avaliação da implementação da

Leia mais

APLICABILIDADE DA FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES VOLUNTÁRIOS E PACIENTES POLITRANSFUNDIDOS

APLICABILIDADE DA FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES VOLUNTÁRIOS E PACIENTES POLITRANSFUNDIDOS APLICABILIDADE DA FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES VOLUNTÁRIOS E PACIENTES POLITRANSFUNDIDOS Romir Rodrigues Docente Adjunto, Mestre em Ciências Farmacêuticas, Curso de Farmácia, Departamento de Ciências

Leia mais

Nelson Hamerschlak, Dirceu Hamilton Cordeiro Campêlo

Nelson Hamerschlak, Dirceu Hamilton Cordeiro Campêlo ANEMIAS HEMOLÍTICAS AUTO-IMUNES (AHAI) Nelson Hamerschlak, Dirceu Hamilton Cordeiro Campêlo INTRODUÇÃO A hemólise imune é a diminuição da sobrevida das hemácias, mediada direta ou indiretamente por anticorpos,

Leia mais

Hemoterapia Pediátrica

Hemoterapia Pediátrica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CONCURSO PÚBLICO - 2006 MÉDICO Hemoterapia Pediátrica UFRJ INSTRUÇÕES GERAIS Você recebeu do fiscal: Um caderno de questões contendo 50 (cinqüenta) questões de múltipla

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 01/2010 PS 04 BIOMÉDICO I Hemoterapia Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 01/2010 PS 04 BIOMÉDICO I Hemoterapia Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 01/20 /2010 0 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 04 BIOMÉDICO I - Hemoterapia 01. A 11. B 21. A 31. A 02. C 12. E 22.

Leia mais

O que fazer quando tudo aglutina? Atitude prática diante de uma pan aglutinação das provas de compatibilidade.

O que fazer quando tudo aglutina? Atitude prática diante de uma pan aglutinação das provas de compatibilidade. O que fazer quando tudo aglutina? Atitude prática diante de uma pan aglutinação das provas de compatibilidade. Hemocentro UNICAMP Maria Lourdes Barjas-Castro Pan aglutinação... Interferindo na avaliação

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Departamento de Biologia Geral Programa de Pós-Graduação em Genética

Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Departamento de Biologia Geral Programa de Pós-Graduação em Genética Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Biológicas Departamento de Biologia Geral Programa de Pós-Graduação em Genética Dissertação de Mestrado Análise da representatividade de SNV (Single

Leia mais

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 Imuno-Hematologia Conceito: é o estudo relacionado com imunologia de grupos sanguíneos presentes nas hemácias, e imunologia de plaquetas e leucócitos. É

Leia mais

TESTE DA ANTIGLOBULINA DIRETO Versão: 01 Próxima Revisão:

TESTE DA ANTIGLOBULINA DIRETO Versão: 01 Próxima Revisão: Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 08 SHMT/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina TESTE DA ANTIGLOBULINA

Leia mais

Fatores de risco para aloimunização em pacientes com anemia falciforme

Fatores de risco para aloimunização em pacientes com anemia falciforme ARTIGO ORIGINAL Fatores de risco para aloimunização em pacientes com anemia falciforme PATRÍCIA COSTA ALVES PINTO 1, JOSEFINA APARECIDA PELLEGRINI BRAGA 2, AMÉLIA MIYASHIRO NUNES DOS SANTOS 3 1 Mestre

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO. Vítor Mendonça Alves

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO. Vítor Mendonça Alves UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Vítor Mendonça Alves Frequência de Aloanticorpos Irregulares Antieritrocitários em Receptores de Concentrados de Hemácias Atendidos com Emergências Médicas e/ou

Leia mais

TÉCNICO EM IMUNOHEMATOLOGIA

TÉCNICO EM IMUNOHEMATOLOGIA TÉCNICO EM IMUNOHEMATOLOGIA CÓDIGO: TMT37 LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES 1 - A duração da prova é de 4 horas, já incluído o tempo de preenchimento do cartão de respostas. 2 - O candidato que, na primeira

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2016 (Analista Clínico do setor Agência Transfusional)

PROCESSO SELETIVO 2016 (Analista Clínico do setor Agência Transfusional) Santa Casa de Misericórdia de Passos Hospital Regional CNPJ (MF) 23.278.898/0001-60 - Inscrição Estadual: Isento PABX - DDR: (035) 3529.1300 (Geral) Rua Santa Casa, 164 - CEP 37904-020 Passos - MG e-mail:

Leia mais

ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano)

ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano) ANTI CDE (Anti Rho, rh e rh ) (Humano) PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. REAGENTE para classificação do fator Rh PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM FARMACOLOGIA CLINICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM FARMACOLOGIA CLINICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ FACULDADE DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FARMACOLOGIA MESTRADO PROFISSIONAL EM FARMACOLOGIA CLINICA JOSÉ MANUEL DA SILVA FENOTIPAGEM ERITROCITÁRIA EM DOADORES DE

Leia mais

ANÁLISE DO PERFIL DE ALOIMUNIZAÇÃO ERITROCITÁRIA DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA DO INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER

ANÁLISE DO PERFIL DE ALOIMUNIZAÇÃO ERITROCITÁRIA DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA DO INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER Vieira MM, Alvares BR, Almeida OJ, Jales RM ARTIGO ORIGINAL ANÁLISE DO PERFIL DE ALOIMUNIZAÇÃO ERITROCITÁRIA DE MULHERES COM CÂNCER DE MAMA DO INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER Analysis of the erythrocyte alloimmunization

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. XV Jornada Interiorana de Hematologia e Hemoterapia II Encontro Interiorano de Enfermagem em Hemoterapia e Hemovigilância TESTES PRÉ

Leia mais

Sangue Raro. M L Barjas - Castro

Sangue Raro. M L Barjas - Castro Sangue Raro M L Barjas - Castro Declaração de Conflito de Interesse Não ha conflito de interesse Linhas gerais... Definição global Sangue Raro. Por que? Como descobrir doadores raros? Aspectos clínicos

Leia mais

TESTE DA ANTIGLOBULINA INDIRETO Versão: 01 Próxima Revisão:

TESTE DA ANTIGLOBULINA INDIRETO Versão: 01 Próxima Revisão: Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 07 SHMT/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina TESTE DA ANTIGLOBULINA

Leia mais

Doença Hemolítica Perinatal. Ranuce Ribeiro Aziz Ydy

Doença Hemolítica Perinatal. Ranuce Ribeiro Aziz Ydy Doença Hemolítica Perinatal Ranuce Ribeiro Aziz Ydy INTRODUÇÃO A Doença Hemolítica Perinatal (DHPN) tem sido uma das entidades cujos conhecimentos acerca dos aspectos etiológicos, fisiopatológicos, preventivo

Leia mais

ÍCARO GREGIO COELHO LETÍCIA SARNI ROQUE

ÍCARO GREGIO COELHO LETÍCIA SARNI ROQUE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENADORIA DE RECURSOS HUMANOS FUNDAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO ADMINISTRATIVO - FUNDAP ÍCARO GREGIO COELHO LETÍCIA SARNI ROQUE "CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Diretoria Geral de Pessoal Centro de Recrutamento e Seleção de Praças CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO INGRESSO DE NOVOS OFICIAIS DE SAÚDE DA POLÍCIA MILITAR

Leia mais

REAÇÃO DE SOROAGLUTINAÇÃO

REAÇÃO DE SOROAGLUTINAÇÃO REAÇÃO DE SOROAGLUTINAÇÃO As reações de aglutinação são reações de floculação celular em que o antígeno é constituído por suspensão homogênea de células. Estas células podem ser bactérias, hemácias etc,

Leia mais

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS GRUPAGEM SANGUÍNEA

Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS GRUPAGEM SANGUÍNEA Programas de Controlo de Qualidade Externo UK NEQAS GRUPAGEM SANGUÍNEA Programas Disponíveis Programa Analito/Aspectos avaliados Nº de distribuições por ano Nº de amostras por distribuição R Todos os aspectos

Leia mais

Folhas de Dados de Segurança para Produtos para Bancos de Sangue

Folhas de Dados de Segurança para Produtos para Bancos de Sangue Estimado Cliente: Folhas de Dados de Segurança para Produtos para Bancos de Sangue A Ortho Clinical Diagnostics (OCD) faculta Folhas de Dados de Segurança (FDS) para todos os produtos OCD que contenham

Leia mais

VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea

VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea Transfusão de Hemocomponentes Especiais Belo Horizonte Abril 2015 Ricardo Olivo Hemocentro Regional de Uberaba Hemocomponentes Especiais São hemocomponentes

Leia mais

NOÇÕES DE IMUNOHEMATOLOGIA

NOÇÕES DE IMUNOHEMATOLOGIA NOÇÕES DE IMUNOHEMATOLOGIA SISTEMA ABO SISTEMA RH IMUNOHEMATOLOGIA HEMÁCIAS, LEUCÓCITOS E PLAQUETAS MOLÉCULAS GLICOPROTÉICAS SELF NÃO SELF ANTÍGENOS embrana eritrocitária ria 44% de lipídeos deos: impermebemeabilidade

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DA PRESENÇA DO ANTÍGENO D FRACO NO LABORATÓRIO CLÍNICO E BANCO DE SANGUE

IDENTIFICAÇÃO DA PRESENÇA DO ANTÍGENO D FRACO NO LABORATÓRIO CLÍNICO E BANCO DE SANGUE IDENTIFICAÇÃO DA PRESENÇA DO ANTÍGENO D FRACO NO LABORATÓRIO CLÍNICO E BANCO DE SANGUE Crispina Conceição Santos* RESUMO: No sistema Rh(D) já foram descritos 52 antígenos, mas cinco deles (D, C, c, E,

Leia mais

MÉTODO DO PROCESSO TRANSFUSIONAL EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO NOROESTE PAULISTA: ANÁLISE DO PERFIL DAS REAÇÕES TRANSFUSIONAIS

MÉTODO DO PROCESSO TRANSFUSIONAL EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO NOROESTE PAULISTA: ANÁLISE DO PERFIL DAS REAÇÕES TRANSFUSIONAIS 56 MÉTODO DO PROCESSO TRANSFUSIONAL EM UM HOSPITAL DE MÉDIO PORTE DO NOROESTE PAULISTA: ANÁLISE DO PERFIL DAS REAÇÕES TRANSFUSIONAIS METHOD OF THE TRANSFUSIONAL PROCESS IN A HOSPITAL OF THE NORTHWEST PAULISTA:

Leia mais

CONTROLE Rh Monoclonal

CONTROLE Rh Monoclonal CONTROLE Rh Monoclonal PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Controle negativo das classificações Rh - Hr PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO Conservar entre: 2-8 C Não

Leia mais

Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI

Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI Sumário ANEXO I COMUNICADO HERMES PARDINI Conteúdo MERCÚRIO URINA ALTERAÇÕES NO EXAME... 2 MERCÚRIO ALTERAÇÃO NO EXAME... 3 IGE ESPECÍFICO PARA VENENO DE ABELHA (I1) ALTERAÇÃO DA MARCAÇÃO... 4 VITAMINA

Leia mais

Zika/Dengue TRIO ECO Teste

Zika/Dengue TRIO ECO Teste Zika/Dengue TRIO ECO Teste Porque precisamos utilizar o TRIO Zika/Dengue Ab/Ag ECO Teste? A homologia da proteína do vírus Zika e Dengue está entre 53-58%, de modo que o teste sorológico Zika pode apresentar

Leia mais

GLICOSE - JEJUM Material: Soro Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO:

GLICOSE - JEJUM Material: Soro Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO: Pag.: 1 de 9 GLICOSE - JEJUM Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO: 96 mg/dl 60 a 99 mg/dl Resultados Anteriores: 53[1/8/2013]; 71[9/12/2012]; 80[3/3/2012]; 74[17/5/2011]; 81[17/11/2006];

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA CENTRO DE CAPACITAÇÃO EDUCACIONAL CAROLINE EUGÊNIO MARTINS

INSTITUTO NACIONAL DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA CENTRO DE CAPACITAÇÃO EDUCACIONAL CAROLINE EUGÊNIO MARTINS 0 INSTITUTO NACIONAL DE ENSINO SUPERIOR E PESQUISA CENTRO DE CAPACITAÇÃO EDUCACIONAL CAROLINE EUGÊNIO MARTINS ANTÍGENO ERITROCITÁRIO RHD: IMPORTÂNCIA DA IDENTIFICAÇÃO DAS FORMAS VARIANTES RECIFE 2017 1

Leia mais

Extensões à Genética Mendeliana

Extensões à Genética Mendeliana Extensões à Genética Mendeliana Extensões à Genética Mendeliana Dominância Incompleta Codominância Alelos múltiplos (polialelismo) Alelos letais Epistasia (interação génica) DOMINÂNCIA INCOMPLETA Não há

Leia mais

Imunoensaios no laboratório clínico

Imunoensaios no laboratório clínico Imunoensaios no laboratório clínico Onde pesquisamos Ag e Ac?? Imunoensaios detecção e quantificação de antígeno e anticorpo: Doenças infecciosas: diagnóstico da doença diferenciação da fase da doença

Leia mais

Avaliação de reagentes anti-d na detecção dos antígenos D fraco e D parcial

Avaliação de reagentes anti-d na detecção dos antígenos D fraco e D parcial Barros C et al Rev. bras. hematol. hemoter. 2006;28(4):269-274 Artigo / Article Avaliação de reagentes anti-d na detecção dos antígenos D fraco e D parcial Evaluation of anti-d reagents in the detection

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DOS MARCADORES SOROLÓGICOS DAS HEPATITES VIRAIS

INTERPRETAÇÃO DOS MARCADORES SOROLÓGICOS DAS HEPATITES VIRAIS INTERPRETAÇÃO DOS MARCADORES SOROLÓGICOS DAS HEPATITES VIRAIS Francisco José Dutra Souto Hospital Universitário Júlio Müller Universidade Federal de Mato Grosso 31 de agosto de 2016 UFMT HEPATITES VIRAIS

Leia mais

Responsável pelo Laboratório de Imuno-hematologia Hemocentro Fac. Medicina Unesp, Botucatu. 3

Responsável pelo Laboratório de Imuno-hematologia Hemocentro Fac. Medicina Unesp, Botucatu. 3 Artigo / Article Freqüência de hemolisinas anti-a e anti-b em doadores de sangue do Hemocentro de Botucatu Anti-A and anti-b hemolysin frequencies in blood donors from the Hemotherapy Center of Unesp,

Leia mais

ORGANIZADOR. Página 1 de 9

ORGANIZADOR. Página 1 de 9 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 0 TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA Página de 9 RESIDÊNCIA MÉDICA UERJ 0 TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA (R) / 0 PROVA DISCURSIVA HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA ) Homem

Leia mais

Retipagem de concentrado de hemácia Versão: 01 Próxima Revisão:

Retipagem de concentrado de hemácia Versão: 01 Próxima Revisão: Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE HEMOTERAPIA POP nº IMU 04 SHMT/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina Retipagem de concentrado

Leia mais

Testes pré-transfusionais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br

Testes pré-transfusionais. Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Testes pré-transfusionais Profa. Alessandra Barone Prof. Archangelo Fernandes www.profbio.com.br Imunohematologia Antígenos eritrocitários Importância do estudo dos antígenos Incompatibilidades transfusionais

Leia mais

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain

Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain 67 4.2 Estudo II Heterologous antibodies to evaluate the kinetics of the humoral immune response in dogs experimentally infected with Toxoplasma gondii RH strain Enquanto anticorpos anti-t. gondii são

Leia mais

Documento, em consulta pública, propõe que jovens com 16 e 17 anos e idosos entre 65 e 68 anos sejam incluídos na faixa etária para doar sangue.

Documento, em consulta pública, propõe que jovens com 16 e 17 anos e idosos entre 65 e 68 anos sejam incluídos na faixa etária para doar sangue. 1. (Unesp 2016) Sílvio e Fátima têm três filhos, um deles fruto do primeiro casamento de um dos cônjuges. Sílvio é de tipo sanguíneo Rh e Fátima de tipo O Rh +. Dentre os filhos, Paulo é de tipo sanguíneo

Leia mais

Problema 1. Problema 2

Problema 1. Problema 2 Biologia 12º Ano Ficha de Trabalho Genética Problema 1 Um caracol Cepaea nemoralis possui uma concha lisa ou listada. Do cruzamento parental entre um caracol de concha lisa com um caracol de concha listada

Leia mais

HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg)

HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg) HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg) USO PRETENDIDO O ensaio HBsAg é um imunoensaio de micropartículas por quimioluminescência (CMIA) para a determinação quantitativa do

Leia mais

Estabelecendo o Controle de Qualidade dos Reagentes e Metodologias utilizadas nos Testes Imuno-hematológicos

Estabelecendo o Controle de Qualidade dos Reagentes e Metodologias utilizadas nos Testes Imuno-hematológicos Estabelecendo o Controle de Qualidade dos Reagentes e Metodologias utilizadas nos Testes Imuno-hematológicos REGINA CARDOSO cardosor@ihsl.com.br Medicina Transfusional Garantir a qualidade dos hemocomponentes.

Leia mais

Lista de Exercícios GENÉTICA Grupos Sanguíneos Profº Fernando Teixeira fernando@biovestiba.net

Lista de Exercícios GENÉTICA Grupos Sanguíneos Profº Fernando Teixeira fernando@biovestiba.net Lista de Exercícios GENÉTICA Grupos Sanguíneos Profº Fernando Teixeira fernando@biovestiba.net 01 - (MACK SP/2013) b) os candidatos III e IV podem ser excluídos da paternidade. c) o candidato I é o pai

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM HEMOTERAPIA E BIOTECNOLOGIA CAROLINE KLEIN MARANHO PREVALÊNCIA DE ANTICORPOS IRREGULARES

Leia mais