Agilent MassHunter Workstation Software

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agilent MassHunter Workstation Software"

Transcrição

1 Agilent MssHunter Worksttion Softwre Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

2 Avisos Agilent Technologies, Inc Nenhum prte deste mnul pode ser reproduzid de qulquer form ou por qulquer meio (incluindo rmzenmento eletrônico e recuperção ou trdução pr um outro idiom) sem o consentimento prévio, por escrito, d Agilent Technologies, Inc. como regido pels leis de direitos utoris dos EUA e de outros píses. Código do mnul G Edição Revisão A, novemro de 2012 Impresso nos EUA Agilent Technologies, Inc Stevens Creek Blvd. Snt Clr, CA USA Microsoft, Windows 7 e Excel são mrcs mericns registrds d Microsoft Corportion nos EUA e/ou em outros píses. Revisão de Softwre Este gui é válido pr B e pr revisões posteriores do progrm Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv, té que sej sustituído. Grnti O mteril deste documento é fornecido como está e está sujeito lterções sem viso prévio em edições futurs. Além disso, té onde permitido pels leis vigentes, Agilent se isent de qulquer grnti, sej express ou implícit, relciond este mnul e às informções qui contids, incluindo s grntis implícits de comercilizção e dequção um propósito em prticulr, ms não se limitndo ests. A Agilent não deve ser responsilizd por erros ou por dnos incidentis ou consequentes relciondos o suprimento, uso ou desempenho deste documento ou ds informções qui contids. Cso Agilent e o usuário tenhm um outro cordo por escrito com termos de grnti que curm o mteril deste documento e sejm conflitntes com estes termos, devem prevlecer os termos de grnti do cordo em seprdo. Licençs de tecnologi O hrdwre e/ou o softwre descritos neste documento são fornecidos com um licenç e podem ser usdos ou copidos pens em conformidde com os termos de tl licenç. Legend sore direitos restritos Direitos restritos do governo dos EUA. Os direitos de softwre e de ddos técnicos concedidos o governo federl incluem pens queles direitos normlmente concedidos o usuários finis. A Agilent fornece ess licenç comercil costumeir do softwre e dos ddos técnicos conforme FAR (ddos técnicos) e (softwre de computdor) e, pr o Deprtmento de Defes, DFARS (ddos técnicos itens comerciis) e DFARS (direitos sore softwre comercil de computdor ou documentção de softwre de computdor). Avisos de segurnç CUIDADO CUIDADO indic perigo. Ele chm tenção pr um procedimento, prátic ou lgo semelhnte que, se não forem corretmente relizdos ou cumpridos, podem resultr em vris no produto ou perd de ddos importntes. Não prossig pós um viso de CUIDADO té que s condições indicds sejm completmente compreendids e tendids. AVISO AVISO indic perigo. Ele chm tenção pr um procedimento, prátic ou lgo semelhnte que, se não forem corretmente relizdos ou cumpridos, podem resultr em ferimentos pessois ou morte. Não prossig pós um AVISO té que s condições indicds sejm completmente compreendids e tendids. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Qulittive Anlysis Fmiliriztion Guide for GC/MS

3 Neste gui Este gui contém s informções pr se prender usr o seu Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv com ddos do CG/MS. Antes de começr fzer os exercícios, por fvor, lei s instruções em Antes de começr com estes exercícios... n págin 5. Exercise 1 Exercise 2 Exercise 3 Aprend noções de nálise qulittiv Neste exercício, você explorrá lgums ds muits podeross funções do progrm de Análise Qulittiv. Ests trefs são importntes, não import que tipo de ddos você está usndo. Encontre e Identifique Nos dois primeiros conjuntos de trefs, você locliz e identific medicmentos com ix concentrção de sulf dentro de um mtriz complex e ger sus fórmuls pr os ddos TOF e Q-TOF. Tmém é possível fzer um extrção de recurso moleculr em um digestão de proteín com os ddos TOF e Q-TOF. Ests trefs tmém podem ser executds nos ddos Triple Qud. Utilize fluxos de trlho, exporte e imprim Nests trefs, você prende configurr executr qulquer método de nálise quntittiv. Você tmém prende editr um método pr utomtizr nálise e/ou identificção do composto. Depois, você execut s ções dentro do método utomtizndo qundo re um rquivo de ddos. Você tmém prende crir um método pr executr ções utomtizds com um list de trlho. Cd um dests trefs é executd usndo um fluxo de trlho diferente. Referênci Neste cpítulo, você prenderá noções ásics do progrm de Análise Qulittiv. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Qulittive Anlysis Fmiliriztion Guide for GC/MS 3

4 O Que é Novo no B Você pode revisr compostos n Visulizção de Detlhes do Composto. Qutro jnels dicionis estão disponíveis n Visulizção de Detlhes do Composto. Qunto à Visulizção de Detlhes do Composto, você pode definir diferentes configurções de linh pr diferentes tipos de cromtógrfos e espectros. O lgoritmo Encontrr Compostos por Integrção está disponível. Você pode procurr em múltipls iliotecs por meio do lgoritmo de usc de iliotec e mss de unidde. No lgoritmo Gerr Fórmuls, você pode selecionr se quer notr os picos de espectro do frgmento com s fórmuls. A notção do frgmento selecion o espectro ser notdo com se no lgoritmo de mingem de composto. O lgoritmo Gerr Fórmuls pode ser executdo em compostos que você encontr por meio do lgoritmo Encontrr pel Deconvolução do Cromtógrfo. O lgoritmo Gerr Fórmul foi modificdo pr permitir que você insir um número máximo de tids pr cd crregdor de crg. No lgoritmo Gerr Fórmuls, você pode grupr tids com mesm fórmul, ms com crregdores de crg distintos. Os compostos podem ser cridos prtir de qulquer espectro de usuário. O lgoritmo de mingem de compostos pr estes compostos é Extrção de Espectro. Qundo você estiver slvndo resultdos com seu rquivo de ddos, você pode selecionr se desej slvr os resultdos de todos os compostos com o rquivo de ddos ou com um conjunto menor de resultdos pr cd composto. Todos os cromtogrms de usuário e espectros de usuário são sempre slvos. O formto do rquivo CEF foi modificdo, de modo que mis informção é incluíd. O m/z e informção de espécie de íon estão disponíveis no primeiro nível d tel de Resultdos de Identificção de Espectro. A tel de Identificção de Espectro foi modificd. Você pode dicionr um filtro pr um colun, e você pode excluir um fil. 4 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Qulittive Anlysis Fmiliriztion Guide for GC/MS

5 Você pode gor clssificr um pico com Fórmul & Espécie de Íon. Alterr o espectro clssificdo como Melhor n jnel Resultdos de Identificção de Espectro, qundo você tiver um número grnde de entrds, é gor um processo significtivmente mis rápido. Você pode especificr que os cromtogrms de cmd sejm sorepostos no Reltório de Composto. O templte de reltório d Confirmção de Fórmul pdrão foi modificdo pr incluir colun colorid de Mrcções (tgt) e Tel de Frgmentos com colun colorid de Mrcções (tgt). Antes de começr com estes exercícios... Instle o softwre. Consulte o Gui de Instlção pr instruções. Copie s psts nomeds Ddos de seu disco de instlção em formto descomprimido pr qulquer locl em seu disco rígido. Est pst contém todos os rquivos de ddos necessários pr este exercício. Você pode precisr primeiro extrir os rquivos de ddos de seu formto.zip. NOTA Não reutilize os rquivos de ddos de exemplo que já estão em seu sistem, menos que você si que você os copiou dos originis no disco e que você é únic pesso utilizá-los. Se os rquivos de ddos de exemplo já estão no sistem não coincidem com os originis extos no disco, então os resultdos otidos durnte este exercício não coincidirão com queles fornecidos no gui. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Qulittive Anlysis Fmiliriztion Guide for GC/MS 5

6 6 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Qulittive Anlysis Fmiliriztion Guide for GC/MS

7 Índice Exercise 1 Aprend noções de nálise qulittiv 9 Ar o progrm Qulittive Anlysis 10 Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS 13 Tref 3. Amplir ou reduzir visulizção do cromtogrm 16 Tref 4. Fixr um cromtogrm 17 Tref 5. Modificr lyouts de jnel 18 Tref 6. Extrir cromtogrms 20 Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS 22 Tref 8. Clculr vlores do sistem de dptção 27 Tref 9. Extrir espectros de um cromtogrm 30 Tref 10. Adicionr notções 40 Tref 11. Adicione um compsso de mss 44 Exercise 2 Encontre e Identifique 47 Encontre compostos pel deconvolução do cromtogrm 48 Identifique compostos utilizndo o lgoritmo Serch Lirry 52 Tref 14. Encontre compostos por MRM (MRM pens) 57 Tref 15. Encontre compostos por Integrção 61 Tref 16. Gere fórmuls e usque n iliotec por espectros de pico 64 Tref 17. Slvr resultdos 69 Exercise 3 Utilize fluxos de trlho, exporte e imprim 73 Defin e execute o método de nálise qulittiv usndo o fluxo de trlho gerl 74 Tref 19. Defin e execute um método utilizndo o fluxo de trlho GC/Q-TOF Compound Screening 79 Tref 20. Exporte um rquivo CEF 83 Tref 21. Imprim um reltório de nálise 85 Tref 22. Imprim um reltório de composto 88 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 7

8 Índice Referênci 91 Trlhe com Jnels 92 Trlhe com os ddos de resultdo em Dt Nvigtor 95 Relize operções do cromtogrm 96 Relize operções em um espectro MS ou MS/MS 97 Trlhe com ddos visuis cromtográficos 98 Trlhe com ddos visuis espectris 99 Fluxos de Trlho 100 Customize um exiição de reltório Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

9 Agilent MssHunter Worksttion Softwre Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção 1 Aprend noções de nálise qulittiv Ar o progrm Qulittive Anlysis 10 Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS 13 Tref 3. Amplir ou reduzir visulizção do cromtogrm 16 Tref 4. Fixr um cromtogrm 17 Tref 5. Modificr lyouts de jnel 18 Tref 6. Extrir cromtogrms 20 Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS 22 Tref 8. Clculr vlores do sistem de dptção 27 Tref 9. Extrir espectros de um cromtogrm 30 Tref 10. Adicionr notções 40 Tref 11. Adicione um compsso de mss 44 Neste exercício, você explorrá lgums ds muits potenciliddes do progrm Qulittive Anlysis pr trlhr com ddos GC/Q-TOF e GC/QQQ. Cd exercício é presentdo em um tel com três coluns: Pssos Use instruções geris pr proceder por cont própri, explorndo o progrm. Instruções Detlhds Utilize-s se você precisr de jud ou se preferir um processo de prendizdo psso--psso. Comentário Lei-os pr oter dics e informção dicionl sore cd psso no exercício. 9

10 1 Aprend noções de nálise qulittiv Ar o progrm Qulittive Anlysis Ar o progrm Qulittive Anlysis Nest tref, você re múltiplos rquivos de ddos utilizndo o método tul. Tref 1. Ar o progrm Qulittive Anlysis com múltiplos rquivos de ddos Etps Instruções Detlhds Comentários 1 Ar o progrm Qulittive Anlysis. Ar os rquivos de ddos Pest Scn.d, Pest - STD 200 MRM.d, Pest Strw-01 SPIKED 1 pp - 1 ul inj.d e MSD_mix_4stds_DG_spl200_0 3.d n pst \\MssHunter\Dt ou n pst pr qul você os copiou. Clique dus vezes sore o ícone Agilent MssHunter Qulittive Anlysis B O sistem exie cix de diálogo Open Dt Files. Vá pr pst \\MssHunter\ Dt\GC ou pr pst onde os rquivos-exemplo estão loclizds. O rquivo Pest Scn.d contém ddos MS e o Pest - STD 200 MRM.d e os rquivos Pest Strw-01 SPIKED 1 pp - 1 ul inj.d contêm tnto ddos MS qunto MS/MS (todos GC/QQQ). MSD_mix_4stds_DG_spl200_03.d contém ddos GC/Q-TOF. Você pode oter jud pr mior prte ds jnels, cixs de diálogo e s pressionndo tecl F1 qundo o tecldo estiver tivo. Tenh certez de que o otão Use current method foi clicdo. Tenh certez de que cix de mrcção Lod result dt está limp. Se cix de mrcção Lod result dt não estiver disponível, então nenhum resultdo foi slvo no rquivo de ddos. Você prende slvr resultdos em Tref 17. Slvr resultdos n págin 69 pr instruções sore como slvr resultdos. Tenh certez de que cix de mrcção Run File Open ctions from selected method está limp. Figur 1 Ar rquivos de ddos qundo rir o softwre 10 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

11 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Ar o progrm Qulittive Anlysis Tref 1. Ar o progrm Qulittive Anlysis com múltiplos rquivos de ddos (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários c d Pressione e segure tecl Shift qundo você clicr em Pest Scn.d, Pest - STD 200 MRM.d, Pest Strw-01 SPIKED 1 pp - 1 ul inj.d e MSD_mix_4stds_DB_spl200_03.d. Clique em Open. Todos os qutor rquivos de ddos são exiidos n jnel Dt Nvigtor, e de 1 3 cromtogrms são exiidos n jnel Chromtogrm Results. e Clique no ícone List Mode n rr de ferrments Chromtogrm Results. Se você pressionr tecl Ctrl, você pode escolher rquivos que não estão diretmente próxims uns os outros n list. O que você vê n jnel principl, neste momento, depende do método, lyout, exiição e configurções de plot que você utilizou ntes de rir estes rquivos. Qundo você clic sore o ícone List Moe, o plno de fundo do ícone mud pr lrnj. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 11

12 1 Aprend noções de nálise qulittiv Ar o progrm Qulittive Anlysis Tref 1. Ar o progrm Qulittive Anlysis com múltiplos rquivos de ddos (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários Ícone Mximum Numer of List Pnes Ícone Disply Options Clique no otão X pr fechr est jnel. Figur 2 A jnel principl d Qulittive Anlysis com o GC/Q-TOF Compound Screening Workflow é crregd. 12 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

13 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS Nest tref, você ltern ou pr o fluxo Gerl (pr clientes GC/QQQ) ou pr o fluxo de trlho GC/Q-TOF Compound Screening (pr clientes GC/Q-TOF). Estes dois fluxos de trlho são os únicos que ceitm nálise de ddos GC/MS. Em seguid, r cix de diálogo User Interfce Configurtion e mrque s cixs de mrcção proprids pr um sistem GC/QQQ ou um sistem GC/Q-TOF. Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr GC Etps Instruções Detlhds Comentários 1 Se necessário, r o progrm Qulittive Anlysis Clique dus vezes sore o ícone Agilent MssHunter Qulittive Anlysis. O sistem exie cix de diálogo Open Dt Files. Clique sore Cncel n cix de diálogo Open Dt Files. Você pode oter jud pr mior prte ds jnels, cixs de diálogo e s pressionndo tecl F1 qundo jnel estiver ert. 2 Alterne ou pr Generl Workflow, ou pr GC/Q-TOF Compound Screening Workflow. Se você tiver um instrumento GC/QQQ, clique sore o comndo Configurtion > Configure for Workflow > Generl. Se você tiver um instrumento GC/Q-TOF, clique sore o comndo Configurtion > Configure for Workflow > GC/Q-TOF Compound Screening. Clique no otão Lod workflow s defult method e no otão Lod workflow s defult lyout. c Clique em OK. d Clique no ícone List Mode n rr de ferrments Chromtogrm Results. Se o progrm Dt Acquisition pr GC/QQQ ou GC/Q-TOF está instldo no mesmo computdor, o softwre configur Interfce de Usuário utomticmente. A seção GC/Q-TOF Compound Screening pode já estr disponível n jnel Method Explorer. Por definição, os cromtogrms estão sorepostos. Pr estes exemplos, os cromtogrms são exiidos em List Mode. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 13

14 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr GC Etps Instruções Detlhds Comentários 3 Se você tem um GC/QQQ, configure interfce do usuário pr exiir s funções GC/QQQ pens. c d e f g h Clique em Configurtion > User Interfce Configurtion. Em Seprtion types, mrque pens cix de mrcção GC. Se você tem um instrumento GC/QQQ, então, em tipo de ionizção, mrque cix de mrcção EI or other hrd ioniztion technique e limpe cix de mrcção CI, APCI, ESI, MADLDI or other soft ioniztion technique. So Mss ccurcy, limpe cix de mrcção Accurte mss (TOF, Q-TOF). Mrque s cixs de mrcção Unit mss (Q, QQQ). Em Optionl softwre fetures, limpe cix de mrcção Peptide Sequence Editor e cix de mrcção BioConfirm Softwre. So Non-MS detectors, limpe s cixs de mrcção UV nd ADC. Mrque cix de mrcção Show dvnced prmeters. Clique em OK. Você pode lterr quis comndos estão disponíveis n cix de diálogo User Interfce Configurtion. Se um função não estiver visível, então provvelmente el está escondid qundo um cix de mrcção User Interfce Configurtion. Figur 3 Configurndo interfce de usuário pr usá-l com ddos GC/QQQ. 14 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

15 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr ddos GC/MS Tref 2. Configurr Interfce de Usuário pr GC Etps Instruções Detlhds Comentários 4 Se você tem um instrumento GC/Q-TOF, configure interfce do usuário pr exiir funções GC/Q-TOF pens. c d e f g h i Clique em Configurtion > User Interfce Configurtion. Em Seprtion types, mrque pens cix de mrcção GC. Em tipo de ionizção, mrque ms s cixs de mrcção. Em MS levels, mrque ms s cixs de mrcção. So Mss ccurcy, limpe cix de mrcção Accurte mss (TOF, Q-TOF). Limpe s cixs de mrcção Unit mss (Q, QQQ). Em Optionl softwre fetures, limpe cix de mrcção Peptide Sequence Editor e cix de mrcção BioConfirm Softwre. So Non-MS detectors, limpe s cixs de mrcção UV nd ADC. Mrque cix de mrcção Show dvnced prmeters. Clique em OK. Você pode lterr quis comndos estão disponíveis n cix de diálogo User Interfce Configurtion. Se um função não estiver visível, então provvelmente el está escondid qundo um cix de mrcção User Interfce Configurtion. Figur 4 Configurndo interfce de usuário pr GC/Q-TOF. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 15

16 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 3. Amplir ou reduzir visulizção do cromtogrm Tref 3. Amplir ou reduzir visulizção do cromtogrm Nest tref, você se fmilirizrá com s funções de umentr ou diminuir zoom do progrm Qulittive Anlysis. 16 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

17 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 4. Fixr um cromtogrm Tref 4. Fixr um cromtogrm Tref 4. Fixr um cromtogrm Nest tref, você fixrá um cromtogrm. Qundo você fix um cromtogrm, o cromtogrm fixo permnece constntemente em exiição enqunto você nveg pelos outros cromtogrms pr exii-los. Etps Instruções Detlhds Comentários Fixr um cromtogrm Exiir todos os cromtogrms Tenh certez de que list de visulizção de cromtogrm está definid pr 1. N jnel Chromtogrm Results, selecione o segundo TIC. Fixe este TIC. Nvegue pelos cromtogrms. Limpr fixção c d e f Em Dt Nvigtor, mrque s cixs de mrcção pr os cromtogrms que você escondeu n tref nterior. Tenh certez de que o número máximo de pinéis está definido como 1 n jnel Chromtogrm Results. N jnel Chromtogrm Results, selecione o segundo TIC. Clique com o otão direito no cromtogrm, em seguid, clique em Set Anchor. Utilize rr de rolgem n jnel Chromtogrm Results pr nvegr pel list de cromtogrms. O segundo TIC permnece sempre visível, como o primeiro cromtogrm. Clique em Chromtogrms > Cler Anchor. Qundo você define um fixgem pr um cromtogrm, um ícone de fixgem prece n jnel do Dt Nvigtor, próximo o nome do cromtogrm fixo. Dois cromtogrms precem n jnel Chromtogrm Results pós você fixr um, mesmo que list de visulizção indique 1. Isto signific, gor, que você visuliz um cromtogrm dicionl o cromtogrm fixo. Você pode tmém clicr com o otão direito e clicr Cler Anchor no menu do tlho. Figur 5 TIC fixo n jnel Chromtogrm Results Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 17

18 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 5. Modificr lyouts de jnel Tref 5. Modificr lyouts de jnel Tref 5. Modificr lyouts de jnel Nest tref, você move s jnels n visulizção principl e cri vários lyouts de jnels. Etps Instruções Detlhds Comentários 1 Modifique o lyout de jnel: Modifique o tmnho d jnel. Slve o lyout d jnel. Desloqueie o lyout. Modifique jnel Chromtogrm Results pr que el flutue. Mov jnel Chromtogrm Results. Exi s ferrments pr o reposicionmento ds jnels. Pr modificr o tmnho de um jnel, rrste fronteir entre jnels. Pr slvr um lyout de jnel, clique em Configurtion > Window Lyouts > Sve Lyout. Pr desloquer um lyout de jnel, clique em Configurtion > Window Lyouts > Lock Lyout. Pr fzer um jnel flutur, clique com o otão direito sore jnel, em seguid, clique em Floting no menu de tlhos. Pr mover um jnel, clique n rr de título d jnel e rrste- pr o locl desejdo. Pr exiir s ferrments de reposicionmento, rrste jnel sore um ds outrs jnels. Qundo jnel estiver sorepondo um segund, o progrm exiirá váris ferrments de lyout, como exiids em Figur 6. Se o lyout estiver desloquedo, o sistem não exiirá um mrc de checgem o ldo do menu Lock Lyout. Você pode usr pens s ferrments de reposicionmento qundo o lyout estiver desloquedo. Você tmém pode fzer um jnel flutur clicndo dus vezes sore rr título d jnel. O softwre tem muitos lyouts diferentes cridos. Você tmém pode tentr crir lyouts diferentes. O softwre tem diferentes fluxos de trlho. Cd fluxo de trlho crreg um lyout diferente. Alterr pr um fluxo de trlho diferente tmém modific o lyout. Figur 6 Ferrments de reposicionmento de jnel. 18 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

19 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 5. Modificr lyouts de jnel Tref 5. Modificr lyouts de jnel (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários 2 Reposicionmento n jnel Chromtogrm Results. Mov jnel de modo que el permneç o topo, à esquerd, à direit e, em seguid, n prte inferior d jnel. Mov dus jnels conjuntmente de modo que um estej o topo d outr e disponível pens por meio de s n prte inferior. Recupere o lyout pdrão. Se você rrstr o cursor sore um dos ícones menores, jnel que você está rrstndo será posiciond cim, à direit, ixo ou à esquerd de tods s outrs jnels. Arrste o cursor sore o ícone mior. A jnel pode tmém ser posiciond cim, à direit, ixo ou à esquerd de um outr jnel rrstndo o cursor sore s ords de um ícone mior. Pr grupr dus jnels junts, rrste o cursor sore o centro do ícone mior. Você verá um versão somred ds dus jnels grupds. Pre de rrstr o mouse. AS dus jnels serão colocds conjuntmente em s. Clique em Configurtion > Window Lyouts > Restore Defult Lyout. O cursor deve estr sore um ds sets em um cix, pr que o reposicionmento conteç. Clicr sore o comndo Restore Defult Lyout restur o lyout que é utilizndo pelo fluxo de trlho Generl e pelo fluxo de trlho GC/Q-TOF Compound Screening. Se você está usndo um fluxo de trlho diferente, você precis crregr o lyout que é usdo pr este fluxo de trlho. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 19

20 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 6. Extrir cromtogrms Tref 6. Extrir cromtogrms Nest tref, você extri e funde os cromtogrms do TIC originl. Tref 6. Extrir cromtogrms Etps Instruções Detlhds Comentários 1 Extri e fund os cromtogrms de íon extrídos (EICs) de dus msss no rquivo de ddos Pest Scn.d. Os vlores m/z são e Não fund os picos de msss individuis em um cromtogrm. N jnel Dt Nvigtor, limpe s cixs de mrcção dos rquivso de ddos exceto por Pest Scn.d. Ar cix de diálogo Extrct Chromtogrms, usndo opção ixo ou um ds opções à direit: Clique em Chromtogrms > Extrct Chromtogrms. c Em List of opened dt files, clique em Pest Scn.d. d N cix de list Type, selecione EIC. e No cmpo m/z vlue(s), digite 129.0, f Se necessário, limpe cix de checgem Merge multiple msses into one chromtogrm pr fundir os EICs. g Clique em OK. h Defin Mximum numer of list pnes pr 3 n rr de ferrments Chromtogrm Results. Você pode tmém extrir cromtogrms de um ds seguintes mneirs: Clique com o otão direito no cromtogrm e clique em Extrct Chromtogrms. Prtindo de Dt Nvigtor, selecione TIC Scn pr sulfs_posms.d, em seguid, clique com o otão direito sore TIC Scn e clique em Extrct Chromtogrms. Você pode utilizr o nível do MS ou All ou MS. Oserve que você tmém pode escolher fzer com que o cromtogrm extrído utomticmente sej integrdo pós extrção. Você tmém pode extrir um cromtogrm prtindo de um espectro de mss. Figur 7 A cix de diálogo Extrct Chromtogrms 20 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

21 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 6. Extrir cromtogrms Tref 6. Extrir cromtogrms (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários Figur 8 Cromtogrms de íon extrídos fundidos (EICs) comprdos o TIC originl Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 21

22 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Nest tref, você prende modos diferentes de se integrr um cromtogrm, ltere os prâmetros de integrção pr modificr os resultdos e clculr relção Sinl-Ruído pr os picos integrdos pr ddos MS/MS. Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Etps Instruções Detlhds Comentários 1 Integre o rquivo de ddos TIC Scn chromtogrm for the Pest Scn.d, utilizndo qulquer um ds opções listds ixo. 2 Exi pens dois cromtogrms o mesmo tempo. Mrque o rquivo de ddos Pest Scn.D n jnel Dt Nvigtor. Selecione o cromtogrm TIC Scn e utilize um dos seguintes comndos: A prtir d rr de menu, clique em Chromtogrms > Integrte Chromtogrm. Clique com o otão direito em qulquer lugr n jnel de cromtogrm, e clique em Integrte Chromtogrm. N jnel Dt Nvigtor, selecione Pest Scn.D > User Chromtogrms > TIC Scn, em seguid, clique com o otão direito em TIS Scn e clique em Integrte Chromtogrm. Selecione 2 d cix Mximum numer of list pnes n rr de ferrments Chromtogrm Results. Oserve que o progrm integrou prticmente todos os picos no cromtogrm. Selecione o integrdor ser usdo pr os ddos de MS, ddos de MS/MS e ddos de GC n jnel Method Editor. O cromtogrm é um cromtogrm MS, de modo que os vlores que são definidos n seção Integrte (MS) do Method Editor são usdos qundo se integr o cromtogrm. Muitos picos pequenos são integrdos. Figur 9 TIC Scn Chromtogrm integrdo com muitos picos pequenos. 22 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

23 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários 3 Modifique o limite pr integrr picos menores. Modifique o limite pr reter pens três picos miores. c d A prtir d jnel Method Explorer, clique Chromtogrm > Integrte (MS) pr exiir Integrte (MS). Selecione o integrdor Agile. Clique n Pek Filters. So Mximum numer of peks, mrque Limit (y height) to the lrgest, e digite 3. Oserve o triângulo zul que prece qundo você modific configurção do vlor slvo pr o método tul. Qundo você slvr o método, os triângulos desprecem. Figur 10 A Pek Filters com Limit (y height) to the lrgest mrcdo. 4 Reintegrr o cromtogrm e Clique sore o otão n rr de ferrments do Method Editor pr integrá-lo utilizndo nov configurção. Oserve que pens os três principis picos estão gor integrdos. O pico em tem um ltur superior o pico em minutos, de modo que o pico seleciondo é o terceiro. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 23

24 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários Figur 11 O cromtogrm integrdo TIC Scn qundo se limit o número de picos. 5 Integrr o cromtogrm TIC MRM pr o rquivo de ddos Pest - STD 200 MRM.D. c d N jnel Dt Nvigtor, selecione TIC MRM pr o rquivo de ddos Pest - STD 200 MRM.d. Utilize um dos seguintes comndos pr integrr os cromtogrms. A prtir d rr de menu, clique em Chromtogrms > Integrte Chromtogrm. Clique com o otão direito em qulquer lugr n jnel de cromtogrm, e clique em Integrte Chromtogrm. N jnel Dt Nvigtor, clique com o otão direito no cromtogrm destcdo e clique em Integrte Chromtogrm. Aumente visulizção de 5.8 pr 8.5 minutos. Defin o Mximum numer of list pnes pr 2. Pressione tecl Ctrl pr destcr mis do que um cromtogrm n jnel Dt Nvigtor. Oserve que o progrm integrou prticmente todos os picos no cromtogrm. Estes cromtogrms são cromtogrms MS/MS, portnto, os vlores que são definidos n seção Integrte (MS/MS) d jnel Method Editor são usds qundo se utiliz integrção do cromtogrm. Você pode selecionr um integrdor ser utilizdo pr se integrr os cromtogrms MS e um integrdor diferente, pr ser usdo n integrção dos cromtogrms MS/MS. 24 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

25 Aprend noções de nálise qulittiv 1 Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários Figur 12 Cromtogrms MRM integrdos 6 Selecione o integrdor MS/MS (GC). Modifique o filtro pr ceitr pens picos com um ltur solut mior ou igul 20,000. c d e f N jnel do Method Explorer, selecione Chromtogrm > Integrte (MS/MS). Selecione MS/MS (GC) como Integrtor. Clique n Pek Filters. So Filter on, clique em Pek height. So Height filters, mrque cix de seleção Asolute height. Digite como Asolute height. Oserve o triângulo zul que prece qundo você modific configurção do vlor slvo pr o método tul. Qundo você slvr o método, os triângulos desprecem. Figur 13 A Pek Filters com Asolute height mrcdo 7 Reintegrr o cromtogrm g Clique no otão n rr de ferrments Method Editor. Oserve que pens os picos miores estão gor integrdos. Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS 25

26 1 Aprend noções de nálise qulittiv Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS Tref 7. Integre intertivmente um cromtogrm GC/MS (cont.) Etps Instruções Detlhds Comentários O menor pico 5.8 minutos não está incluído mis nos resultdos de integrção porque ltur solut pr este pico é inferior contgens. Figur 14 Cromtogrms TIC e EIC MS/MS integrdos com um limite mis lto. 8 Resture s configurções que estão slvs no método tul e feche o Method Editor. Selecione seção Chromtogrm > Integrte (MS/MS) no Method Explorer. Clique sore o ícone no Method Editor. c Selecione seção Chromtogrm > Integrte (MS) no Method Explorer. d Clique sore o ícone no Method Editor. e Feche jnel Method Editor. Pr cncelr sus modificções e resturr os vlores do método crregdo, clique no ícone Restore to lst sved vlues from file n rr de ferrments Method Editor. 9 Exclu todos os cromtogrms, exceto o originl. Exclu os resultdos d integrção do cromtogrm originl. c d So User Chromtogrms, n jnel Dt Nvigtor, selecione todos os cromtogrms, exceto o originl. Clique com o otão direito sore os cromtogrms, e clique em Delete. Selecione todos os cromtogrms TIC. Clique em Chromtogrms >Cler Results. Qundo você utilizr o comndo Cler Results, os cromtogrms não serão excluídos; os resultdos que são conectdos os cromtogrms serão removidos. Neste cso, os vlores de integrção serão limpos. 26 Agilent MssHunter Worksttion Softwre - Análise Qulittiv Gui de Fmilirizção pr GC/MS

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina

Português. Manual de Instruções. Função USB. Transferindo padrões de bordado para a máquina Atualização fácil da sua máquina Mnul de Instruções Função USB Trnsferindo pdrões de borddo pr máquin Atulizção fácil d su máquin Português Introdução Este mnul fornece descrições sobre trnsferênci de pdrões de borddo de um mídi USB

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES JUDICIÁRIAS - SIJ

SISTEMA DE INFORMAÇÕES JUDICIÁRIAS - SIJ Secretri de Tecnologi d Informção Coordendori de Suporte Técnico os Usuários SISTEMA DE INFORMAÇÕES JUDICIÁRIAS - SIJ MÓDULO DESPACHO ASSISTIDO (versão 1.0) Sumário 1. OBJETIVO DO MÓDULO... 3 1. 2. GERENCIAMENTO

Leia mais

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação

Internação WEB BR Distribuidora v20130701.docx. Manual de Internação Mnul de Internção ÍNDICE CARO CREDENCIADO, LEIA COM ATENÇÃO.... 3 FATURAMENTO... 3 PROBLEMAS DE CADASTRO... 3 PENDÊNCIA DO ATENDIMENTO... 3 ACESSANDO O MEDLINK WEB... 4 ADMINISTRAÇÃO DE USUÁRIOS... 5 CRIANDO

Leia mais

McAfee Email Gateway Blade Server

McAfee Email Gateway Blade Server Gui de início rápido Revisão B McAfee Emil Gtewy Blde Server versão 7.x Esse gui de início rápido serve como um roteiro ásico pr instlção do servidor lde do McAfee Emil Gtewy. Pr oter instruções detlhds

Leia mais

Manual de Operações Atualização do KIT I

Manual de Operações Atualização do KIT I Mnul de Operções Atulizção do KIT I ÍNDICE ANTES DE INICIAR... 2 NOVOS RECURSOS...2 EXIBIÇÃO DO TECIDO DURANTE O ALINHAMENTO DA POSIÇÃO DO BORDADO... 3 ALTERAÇÃO DO TAMANHO DO DESENHO, MANTENDO A DENSIDADE

Leia mais

Dado Seguro. Gestão Inteligente de Backup. Manual de Criação e configuração. Criação: CS-Consoft - Documentação & CSU

Dado Seguro. Gestão Inteligente de Backup. Manual de Criação e configuração. Criação: CS-Consoft - Documentação & CSU Gestão Inteligente de Bckup Mnul de Crição e configurção Crição: CS-Consoft - Documentção & CSU Indice Introdução... 1 I. Aquisição d solução de Bckup Remoto Ddo Seguro Pro... 1 1. Downlod do plictivo...

Leia mais

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se

Simbolicamente, para. e 1. a tem-se . Logritmos Inicilmente vmos trtr dos ritmos, um ferrment crid pr uilir no desenvolvimento de cálculos e que o longo do tempo mostrou-se um modelo dequdo pr vários fenômenos ns ciêncis em gerl. Os ritmos

Leia mais

XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001

XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001 XEROX BOLETIM DE SEGURANÇA XRX07-001 XEROX Boletim de Segurnç XRX07-001 Há vulnerbiliddes n ESS/Controldor de Rede que, se forem explords, podem permitir execução remot de softwre rbitrário, flsificção

Leia mais

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos.

Acoplamento. Tipos de acoplamento. Acoplamento por dados. Acoplamento por imagem. Exemplo. É o grau de dependência entre dois módulos. Acoplmento É o gru de dependênci entre dois módulos. Objetivo: minimizr o coplmento grndes sistems devem ser segmentdos em módulos simples A qulidde do projeto será vlid pelo gru de modulrizção do sistem.

Leia mais

Semelhança e áreas 1,5

Semelhança e áreas 1,5 A UA UL LA Semelhnç e áres Introdução N Aul 17, estudmos o Teorem de Tles e semelhnç de triângulos. Nest ul, vmos tornr mis gerl o conceito de semelhnç e ver como se comportm s áres de figurs semelhntes.

Leia mais

a máquina e verificando os componentes Conjunto da unidade do cilindro (incluindo o cartucho de toner padrão)

a máquina e verificando os componentes Conjunto da unidade do cilindro (incluindo o cartucho de toner padrão) Gui de Configurção Rápid Início DCP-8080DN DCP-8085DN Antes de usr máquin, lei este Gui de Configurção Rápid pr ser como fzer su configurção e instlção corretmente. Pr visulizr o Gui de Configurção Rápid

Leia mais

Manual de instalação. Aquecedor de reserva de monobloco de baixa temperatura Daikin Altherma EKMBUHCA3V3 EKMBUHCA9W1. Manual de instalação

Manual de instalação. Aquecedor de reserva de monobloco de baixa temperatura Daikin Altherma EKMBUHCA3V3 EKMBUHCA9W1. Manual de instalação Aquecedor de reserv de monoloco de ix tempertur Dikin EKMBUHCAV EKMBUHCA9W Portugues Índice Índice Acerc d documentção. Acerc deste documento... Acerc d cix. Aquecedor de reserv..... Pr retirr os cessórios

Leia mais

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é,

Matemática Aplicada. A Mostre que a combinação dos movimentos N e S, em qualquer ordem, é nula, isto é, Mtemátic Aplicd Considere, no espço crtesino idimensionl, os movimentos unitários N, S, L e O definidos seguir, onde (, ) R é um ponto qulquer: N(, ) (, ) S(, ) (, ) L(, ) (, ) O(, ) (, ) Considere ind

Leia mais

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU

Cálculo Numérico Faculdade de Engenharia, Arquiteturas e Urbanismo FEAU Cálculo Numérico Fculdde de Enenhri, Arquiteturs e Urnismo FEAU Pro. Dr. Serio Pillin IPD/ Físic e Astronomi V Ajuste de curvs pelo método dos mínimos qudrdos Ojetivos: O ojetivo dest ul é presentr o método

Leia mais

Análise de Variância com Dois Factores

Análise de Variância com Dois Factores Análise de Vriânci com Dois Fctores Modelo sem intercção Eemplo Neste eemplo, o testrmos hipótese de s três lojs terem volumes médios de vends iguis, estmos testr se o fctor Loj tem influênci no volume

Leia mais

510 Series Color Jetprinter

510 Series Color Jetprinter 510 Series Color Jetprinter Gui do usuário pr Windows Solução de prolems de configurção Um list de verificção pr encontrr soluções pr prolems comuns de configurção. Visão gerl d impressor Informções sore

Leia mais

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial

1º semestre de Engenharia Civil/Mecânica Cálculo 1 Profa Olga (1º sem de 2015) Função Exponencial º semestre de Engenhri Civil/Mecânic Cálculo Prof Olg (º sem de 05) Função Eponencil Definição: É tod função f: R R d form =, com R >0 e. Eemplos: = ; = ( ) ; = 3 ; = e Gráfico: ) Construir o gráfico d

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA Pró-Reitoria Acadêmica Setor de Pesquisa FORMULÁRIO PARA INSCRIÇÃO DE PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Coordenção/Colegido o(s) qul(is) será vinculdo: Engenhris Curso (s) : Engenhris Nome do projeto: MtLb Aplicdo n Resolução de Sistems Lineres.

Leia mais

TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE CAIXA REGISTRADORA ELETRÔNICA

TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE CAIXA REGISTRADORA ELETRÔNICA CAIA ISTRADORA ELETRÔNICA TK-810 OBRIGADO SEU RECIBO VENHA DE NOVO! HAMBÚRGUER 10 CAFÉ BATATAS FRITAS SANDUÍCHE SORVETE C 7 8 9 4 5 6 1 2 3 0 00 TK-810 10 Eu Di U.K. MANUAL DE INSTRUÇÕES DO OPERADOR V

Leia mais

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C.

1 As grandezas A, B e C são tais que A é diretamente proporcional a B e inversamente proporcional a C. As grndezs A, B e C são tis que A é diretmente proporcionl B e inversmente proporcionl C. Qundo B = 00 e C = 4 tem-se A = 5. Qul será o vlor de A qundo tivermos B = 0 e C = 5? B AC Temos, pelo enuncido,

Leia mais

POLINÔMIOS. Definição: Um polinômio de grau n é uma função que pode ser escrita na forma. n em que cada a i é um número complexo (ou

POLINÔMIOS. Definição: Um polinômio de grau n é uma função que pode ser escrita na forma. n em que cada a i é um número complexo (ou POLINÔMIOS Definição: Um polinômio de gru n é um função que pode ser escrit n form P() n n i 0... n i em que cd i é um número compleo (ou i 0 rel) tl que n é um número nturl e n 0. Os números i são denomindos

Leia mais

Capítulo 1 Introdução à Física

Capítulo 1 Introdução à Física Vetor Pré Vestiulr Comunitário Físic 1 Cpítulo 1 Introdução à Físic Antes de começrem com os conceitos práticos d Físic, é imprescindível pr os lunos de Pré-Vestiulr estrem certificdos de que dominm os

Leia mais

Manual de Operações. Máquina de Bordar MODELO BP2100

Manual de Operações. Máquina de Bordar MODELO BP2100 Mnul de Operções Máquin de Bordr MODELO BP2100 Certifique-se de ler este documento ntes de utilizr máquin. Recomendmos gurdr este documento em um lugr de fácil cesso pr futurs referêncis. MARCAS COMERCIAIS

Leia mais

Manual de funcionamento de EasyMP Multi PC Projection

Manual de funcionamento de EasyMP Multi PC Projection Mnul de funcionmento de EsyMP Multi PC Projection Índice Gerl 2 Sobre o EsyMP Multi PC Projection Estilos de reunião disponibilizdos pelo EsyMP Multi PC Projection... 5 Relizr reuniões utilizndo váris

Leia mais

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto

Algoritmos de Busca de Palavras em Texto Revisdo 08Nov12 A busc de pdrões dentro de um conjunto de informções tem um grnde plicção em computção. São muits s vrições deste problem, desde procurr determinds plvrs ou sentençs em um texto té procurr

Leia mais

2015 Mercury Marine VesselView 4 8M0102714 1214 por

2015 Mercury Marine VesselView 4 8M0102714 1214 por 2015 Mercury Mrine VesselView 4 8M0102714 1214 por ÍNDICE Seção 1 - Introdução Visão gerl do VesselView 4... 2 Botões... 2 Seleção do idiom exibido... 2 Pinel trseiro... 3 Loclizções e descrições do monitor

Leia mais

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT

XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT XX SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GAT. 5 Novemro de 9 Recife - PE GRUPO IV GRUPO DE ESTUDO DE ANÁLISE E TÉCNICAS DE SISTEMAS DE POTÊNCIA CA E CC - GAT PROJETO E

Leia mais

1 Fórmulas de Newton-Cotes

1 Fórmulas de Newton-Cotes As nots de ul que se seguem são um compilção dos textos relciondos n bibliogrfi e não têm intenção de substitui o livro-texto, nem qulquer outr bibliogrfi. Integrção Numéric Exemplos de problems: ) Como

Leia mais

Manual de funcionamento de Easy Interactive Tools Ver.3.0

Manual de funcionamento de Easy Interactive Tools Ver.3.0 Mnul de funcionmento de Esy Interctive Tools Ver.3.0 Mnul de funcionmento de Esy Interctive Tools Ver.3.0 Resumo do Esy Interctive Tools 3 Crcterístics O Esy Interctive Tools é um plicção que lhe permite

Leia mais

Obrigado por escolher Besafe izi Kid i-size. Informação vital. Preparação para instalação SIP+

Obrigado por escolher Besafe izi Kid i-size. Informação vital. Preparação para instalação SIP+ 1 6 d c e Mnul de utilizção f h g i j k l m 7 8 10 2 3 9 c e d no sentido inverso o d mrch Altur 61-105 cm 4 5 11 12 Peso máximo 18 kg Idde 6m-4 UN regultion no. R129 i-size 8 9 Origdo por escolher Besfe

Leia mais

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário

Transporte de solvente através de membranas: estado estacionário Trnsporte de solvente trvés de membrns: estdo estcionário Estudos experimentis mostrm que o fluxo de solvente (águ) em respost pressão hidráulic, em um meio homogêneo e poroso, é nálogo o fluxo difusivo

Leia mais

a máquina e verificando os componentes Conjunto da unidade do cilindro (incluindo o cartucho de toner padrão)

a máquina e verificando os componentes Conjunto da unidade do cilindro (incluindo o cartucho de toner padrão) Gui de Configurção Rápid Início MFC-8890DW Antes de usr máquin, lei este Gui de Configurção Rápid pr ser como fzer su configurção e instlção corretmente. Pr visulizr o Gui de Configurção Rápid em outros

Leia mais

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza

Operadores momento e energia e o Princípio da Incerteza Operdores momento e energi e o Princípio d Incertez A U L A 5 Mets d ul Definir os operdores quânticos do momento liner e d energi e enuncir o Princípio d Incertez de Heisenberg. objetivos clculr grndezs

Leia mais

Pronto para uma câmera digital de primeira com CCD de 6,0 mega pixels?! G-Shot P6533 G-Shot P6533 G-Shot P6533 G-Shot P6533

Pronto para uma câmera digital de primeira com CCD de 6,0 mega pixels?! G-Shot P6533 G-Shot P6533 G-Shot P6533 G-Shot P6533 Pronto pr um câmer digitl de primeir com CCD de 6,0 meg piels?! A Genius gor nunci um câmer digitl de estilo único em su fmíli G-Shot: G-Shot P6533. Em um cbmento vermelho etrordinário, est DSC epress

Leia mais

Manual de Operações. Máquina de costura MODELO VQ2400

Manual de Operações. Máquina de costura MODELO VQ2400 Mnul de Operções Máquin de costur MODELO VQ2400 Certifique-se de ler este documento ntes de utilizr máquin. Recomendmos gurdr este documento em um lugr de fácil cesso pr futurs referêncis. INTRODUÇÃO

Leia mais

Aula 4: Autômatos Finitos 2. 4.1 Autômatos Finitos Não-Determinísticos

Aula 4: Autômatos Finitos 2. 4.1 Autômatos Finitos Não-Determinísticos Teori d Computção Primeiro Semestre, 25 Aul 4: Autômtos Finitos 2 DAINF-UTFPR Prof. Ricrdo Dutr d Silv 4. Autômtos Finitos Não-Determinísticos Autômtos Finitos Não-Determinísticos (NFA) são um generlizção

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K)

ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO. DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turma K) ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS TAIPAS CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE COMÉRCIO DISCIPLINA: ORGANIZAR E GERIR A EMPRESA (10º Ano Turm K) PLANIFICAÇÃO ANUAL Diretor do Curso Celso Mnuel Lim Docente Celso Mnuel

Leia mais

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles

Somos o que repetidamente fazemos. A excelência portanto, não é um feito, mas um hábito. Aristóteles c L I S T A DE E X E R C Í C I O S CÁLCULO INTEGRAL Prof. ADRIANO PEDREIRA CATTAI Somos o que repetidmente fzemos. A ecelênci portnto, não é um feito, ms um hábito. Aristóteles Integrl Definid e Cálculo

Leia mais

a impressora e verifique os componentes Folheto de Segurança e Questões Legais

a impressora e verifique os componentes Folheto de Segurança e Questões Legais Gui de Instlção Rápid Início HL-2135W / HL-2270DW (pens UE) Antes de utilizr est máquin pel primeir vez, lei este Gui de Instlção Rápid pr montr e instlr máquin. Pr visulizr o Gui de Instlção Rápid em

Leia mais

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295

a a 3,88965 $140 7 9% 7 $187 7 9% a 5, 03295 Anuiddes equivlentes: $480 + $113 + $149 5 9% 5 VPL A (1, 09) $56, 37 A 5 9% 3,88965 5 9% 5 9% AE = = = = $14, 49 = 3,88965 AE B $140 $620 + $120 + 7 9% 7 VPL B (1, 09) $60, 54 = = = 5, 03295 7 9% 7 9%

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Mnul de Operção e Instlção Clh Prshll MEDIDOR DE VAZÃO EM CANAIS ABERTOS Cód: 073AA-025-122M Rev. B Novembro / 2008 S/A. Ru João Serrno, 250 Birro do Limão São Pulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

a impressora e verifique os componentes Manual de Segurança e Questões Legais

a impressora e verifique os componentes Manual de Segurança e Questões Legais Gui de Configurção Rápid Início HL-2270DW Antes de usr impressor pel primeir vez, lei o Gui de Configurção Rápid pr instlá-l e configurá-l. Se quiser oter o Gui de Configurção Rápid em outros idioms, cesse

Leia mais

EXAME DE INGRESSO 2014 3º Período

EXAME DE INGRESSO 2014 3º Período PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA ÁREA DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO (141) ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO EXAME DE INGRESSO 2014 º Período NOME: Oservções Importntes: 1. Não

Leia mais

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo

Regras. Resumo do Jogo Resumo do Jogo. Conteúdo. Conteúdo. Objetivo FRENTE do Jogo Resumo do Jogo Resumo do Jogo Regrs -Qundo for seu turno, você deve jogr um de sus crts no «ponto n linh do tempo» que estej correto. -Se você jogr crt corretmente, terá um crt menos à su frente. -Se você

Leia mais

Relações em triângulos retângulos semelhantes

Relações em triângulos retângulos semelhantes Observe figur o ldo. Um escd com seis degrus está poid em num muro de m de ltur. distânci entre dois degrus vizinhos é 40 cm. Logo o comprimento d escd é 80 m. distânci d bse d escd () à bse do muro ()

Leia mais

!!!!!! Este programa foi desenvolvido pelo Departamento dos ministérios da Criança a partir das propostas de textos das palestras para os adultos.!

!!!!!! Este programa foi desenvolvido pelo Departamento dos ministérios da Criança a partir das propostas de textos das palestras para os adultos.! Este progrm foi desenvolvido pelo Deprtmento dos ministérios d Crinç prtir ds proposts de textos ds plestrs pr os dultos. Nots importntes pr o Monitor: Sempre que ler um texto bíblico, fç-o com Bíbli bert.

Leia mais

Manual do Software. HP SimpleSave. Software de Backup Manual do Usuário. SimpleSave

Manual do Software. HP SimpleSave. Software de Backup Manual do Usuário. SimpleSave HP SimpleSave Software de Backup Manual do Usuário Manual do Software SimpleSave Para obter Ajuda Para mais ajuda com o seu drive, sua instalação e o software, entre em contato com: Suporte Web de Atendimento

Leia mais

Revestimentos com alto desempenho para indústria de petróleo e gás. Desempenho excepcional, excelente serviço ao cliente

Revestimentos com alto desempenho para indústria de petróleo e gás. Desempenho excepcional, excelente serviço ao cliente Petróleo e Gás Revestimentos com lto desempenho pr indústri de petróleo e gás Desempenho excepcionl, excelente serviço o cliente Representndo Revestimentos de polietileno Revestimentos de polipropileno

Leia mais

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA

MANUAL DE USO DA MARCA DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA MANUAL DE USO DA MARCA DA MARÇO/2011 1 Identidde Visul Sobre o Mnul d Mrc Este mnul vis pdronizr e estbelecer regrs de uso pr mrc d Forç Aére Brsileir. Mrc é um símbolo que funcion como elemento identificdor

Leia mais

Característica de Regulação do Gerador de Corrente Contínua com Excitação em Derivação

Característica de Regulação do Gerador de Corrente Contínua com Excitação em Derivação Experiênci I Crcterístic de egulção do Gerdor de Corrente Contínu com Excitção em Derivção 1. Introdução Neste ensio máquin de corrente contínu ANEL trblhrá como gerdor utoexcitdo, não sendo mis necessári

Leia mais

Comércio Eletrônico Locaweb

Comércio Eletrônico Locaweb Comércio Eletrônico Locweb Autores: Equipe Comércio Eletrônico Procedimentos Técnicos Gui de instlção e configurção http://www.locweb.com.br comercio@locweb.com.br Atendimento: http://site.locweb.com.br/suporte/tendimento.sp

Leia mais

Instalação e configuração Versão 6.3 Loja Exemplo Locaweb 6.3. Comércio Eletrônico

Instalação e configuração Versão 6.3 Loja Exemplo Locaweb 6.3. Comércio Eletrônico Comércio Eletrônico Autores: Gilberto Mutner Rento Weiner Reinldo Sntos Herbert Frncrelli Rodrigo Ortiz Procedimentos Técnicos Gui de instlção e configurção Versão 6.3 http://www.locweb.com.br (11) 161-300

Leia mais

Busca Digital (Trie e Árvore Patrícia) Estrutura de Dados II Jairo Francisco de Souza

Busca Digital (Trie e Árvore Patrícia) Estrutura de Dados II Jairo Francisco de Souza Busc Digitl (Trie e Árvore Ptríci) Estrutur de Ddos II Jiro Frncisco de Souz Introdução No prolem de usc, é suposto que existe um conjunto de chves S={s 1,, s n } e um vlor x correspondente um chve que

Leia mais

PROCESSO SELETIVO/2006 RESOLUÇÃO 1. Braz Moura Freitas, Margareth da Silva Alves, Olímpio Hiroshi Miyagaki, Rosane Soares Moreira Viana.

PROCESSO SELETIVO/2006 RESOLUÇÃO 1. Braz Moura Freitas, Margareth da Silva Alves, Olímpio Hiroshi Miyagaki, Rosane Soares Moreira Viana. PROCESSO SELETIVO/006 RESOLUÇÃO MATEMÁTICA Brz Mour Freits, Mrgreth d Silv Alves, Olímpio Hiroshi Miygki, Rosne Sores Moreir Vin QUESTÕES OBJETIVAS 0 Pr rrecdr doções, um Entidde Beneficente usou um cont

Leia mais

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp

b 2 = 1: (resp. R2 e ab) 8.1B Calcule a área da região delimitada pelo eixo x, pelas retas x = B; B > 0; e pelo grá co da função y = x 2 exp 8.1 Áres Plns Suponh que cert região D do plno xy sej delimitd pelo eixo x, pels rets x = e x = b e pelo grá co de um função contínu e não negtiv y = f (x) ; x b, como mostr gur 8.1. A áre d região D é

Leia mais

Comportamento de RISCO

Comportamento de RISCO Comportmento de RISCO SEXO e um responsilidde Aprtment203/1016YA FCRISKY Cred Progrm Ncionl De Lut Contr SIDA Poe seguinte list por ordem, do comportmento mis seguro pr o mis rriscdo c d Ter vários prceiros

Leia mais

push (c) pop () retorna-se c topo b a topo Figura 10.1: Funcionamento da pilha.

push (c) pop () retorna-se c topo b a topo Figura 10.1: Funcionamento da pilha. 11. Pilhs W. Celes e J. L. Rngel Um ds estruturs de ddos mis simples é pilh. Possivelmente por ess rzão, é estrutur de ddos mis utilizd em progrmção, sendo inclusive implementd diretmente pelo hrdwre d

Leia mais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais

Professores Edu Vicente e Marcos José Colégio Pedro II Departamento de Matemática Potências e Radicais POTÊNCIAS A potênci de epoente n ( n nturl mior que ) do número, representd por n, é o produto de n ftores iguis. n =...... ( n ftores) é chmdo de bse n é chmdo de epoente Eemplos =... = 8 =... = PROPRIEDADES

Leia mais

São possíveis ladrilhamentos com um único molde na forma de qualquer quadrilátero, de alguns tipos de pentágonos irregulares, etc.

São possíveis ladrilhamentos com um único molde na forma de qualquer quadrilátero, de alguns tipos de pentágonos irregulares, etc. LADRILHAMENTOS Elvi Mureb Sllum Mtemtec-IME-USP A rte do ldrilhmento consiste no preenchimento do plno, por moldes, sem superposição ou burcos. El existe desde que o homem começou usr pedrs pr cobrir o

Leia mais

LFS - Canaletas de PVC UFS - Caixas de Tomada para Piso

LFS - Canaletas de PVC UFS - Caixas de Tomada para Piso Ctálogo LFS - UFS LFS - Cnlets de PVC UFS - Cixs de Tomd pr Piso fique conectdo. pense oo. Linh LFS Cnlets de PVC Com lto pdrão estético, s cnlets OBO vlorizm o miente, lém de oferecerem possiilidde de

Leia mais

CINÉTICA QUÍMICA CINÉTICA QUÍMICA. Lei de Velocidade

CINÉTICA QUÍMICA CINÉTICA QUÍMICA. Lei de Velocidade CINÉTICA QUÍMICA Lei de Velocidde LEIS DE VELOCIDADE - DETERMINAÇÃO Os eperimentos em Cinétic Químic fornecem os vlores ds concentrções ds espécies em função do tempo. A lei de velocidde que govern um

Leia mais

Capítulo 3. Autómatos e respectivas linguagens

Capítulo 3. Autómatos e respectivas linguagens Cpítulo 3. Neste estudo, os utómtos serão considerdos principlmente como dispositivos de ceitção d lingugem, e respectiv estrutur intern será discutid pens n medid em que se relcione com lingugem ceite.

Leia mais

Windows Explorer. Prof. Valdir

Windows Explorer. Prof. Valdir Do Inglês Explorador de Janelas, o é o programa para gerenciamento de discos, pastas e arquivos no ambiente Windows. É utilizado para a cópia, exclusão, organização e movimentação de arquivos além de criação,

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA EEL7011 ELETRICIDADE BÁSICA TURMA: 141A EQUIVALENTES DE THÉVENIN E NORTON E MÉTODOS DIRETO E INDIRETO DE MEDIR UMA RESISTÊNCIA

Leia mais

Avaya DEFINITY Servers, Avaya S8100, S8300, e S8700 Media Servers 555-233-830 Edição 2

Avaya DEFINITY Servers, Avaya S8100, S8300, e S8700 Media Servers 555-233-830 Edição 2 0 Visão geral Propósito Esta introdução contém informações gerais e dicas sobre como usar o seu CD-ROM da Avaya. Facilidades Essa oferta é direcionada para todos os usuários que quiserem ter acesso à documentação

Leia mais

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b]

, então ela é integrável em [ a, b] Interpretação geométrica: seja contínua e positiva em um intervalo [ a, b] Interl Deinid Se é um unção de, então su interl deinid é um interl restrit à vlores em um intervlo especíico, dimos, O resultdo é um número que depende pens de e, e não de Vejmos deinição: Deinição: Sej

Leia mais

INFORMÁTICA Questões - Windows. FUNDATEC Parte 1

INFORMÁTICA Questões - Windows. FUNDATEC Parte 1 INFORMÁTICA Questões - Windows FUNDATEC Parte 1 DETRAN 2009 - FUNDATEC A questão 21 baseia-se nas Figuras 1(a) e 1(b), do Windows XP. A Figura 1(a) mostra a janela principal do Windows Explorer. A Figura

Leia mais

Resumo da última aula. Compiladores. Conjuntos de itens LR(0) Exercício SLR(1) Análise semântica

Resumo da última aula. Compiladores. Conjuntos de itens LR(0) Exercício SLR(1) Análise semântica Resumo d últim ul Compildores Verificção de tipos (/2) Análise semântic Implementção: Esquems -tribuídos: Mecnismo bottom-up direto Esquems -tribuídos: Mecnismo top-down: Necessit grmátic não recursiv

Leia mais

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424

Digitalização. Copiadora e Impressora WorkCentre C2424 Digitalização Este capítulo inclui: Digitalização básica na página 4-2 Instalando o driver de digitalização na página 4-4 Ajustando as opções de digitalização na página 4-5 Recuperando imagens na página

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS

A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELHADOS COM DIFERENTES TIPOS DE TELHAS A MODELAGEM MATEMÁTICA NA CONSTRUÇÃO DE TELADOS COM DIFERENTES TIOS DE TELAS Angéli Cervi, Rosne Bins, Til Deckert e edro A.. Borges 4. Resumo A modelgem mtemátic é um método de investigção que utiliz

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1.

1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. 1. NOÇÕES BÁSICAS... 1.1. Iniciando o Excel... 1.1.1. Abrindo o Excel... 1.1.2. Encerrando o Excel... 1.2. A tela do Excel 7.0... 1.2.1. Partes da tela do Excel... Barra de fórmulas... Barra de status...

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA #8. fonte imagem: Google Earth FUNCIONL ENTORNO IDENTIFICR RELÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERNDO OS TRIBUTOS DO LUGR - MSSS EDIFICDS, RELÇÕES DE PROXIMIDDE, DIÁLOGO, INTEGRÇÃO OU UTONOMI O ENTORNO D CSH #9 É COMPOSTO

Leia mais

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o

VETORES. Com as noções apresentadas, é possível, de maneira simplificada, conceituar-se o VETORES INTRODUÇÃO No módulo nterior vimos que s grndezs físics podem ser esclres e vetoriis. Esclres são quels que ficm perfeitmente definids qundo expresss por um número e um significdo físico: mss (2

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE 1 DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-2007 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE 1 DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-2007 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA DA FASE DO VESTIBULAR DA UFBA/UFRB-7 POR PROFA. MARIA ANTÔNIA CONCEIÇÃO GOUVEIA Questão Sore números reis, é correto firmr: () Se é o mior número de três lgrismos divisível

Leia mais

Guia de operação para 3079

Guia de operação para 3079 MA1204-PA Gui de operção pr 3079 Sobre este mnul As operções dos botões são indicds usndo s letrs mostrds n ilustrção. Cd seção deste mnul oferece s informções que você precis sber pr relizr s operções

Leia mais

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso.

TEMA CENTRAL: A interface do cuidado de enfermagem com as políticas de atenção ao idoso. TERMO DE ADESÃO A POLITICA DE INSCRIÇÃO NOS EVENTOS DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENFERMAGEM 9ª. JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERIÁTRICA E GERONTOLÓGICA TEMA CENTRAL: A interfce do cuiddo de enfermgem

Leia mais

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos

6.1 Recursos de Curto Prazo ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO. Capital de giro. Capital circulante. Recursos aplicados em ativos circulantes (ativos ADMINISTRAÇÃO DO CAPITAL DE GIRO 6.1 Recursos de curto przo 6.2 Administrção de disponibiliddes 6.3 Administrção de estoques 6.4 Administrção de conts 6.1 Recursos de Curto Przo Administrção Finnceir e

Leia mais

Início. Guia de Configuração Rápida DCP-J100 DCP-J105 ADVERTÊNCIA CUIDADO IMPORTANTE OBSERVAÇÃO ADVERTÊNCIA

Início. Guia de Configuração Rápida DCP-J100 DCP-J105 ADVERTÊNCIA CUIDADO IMPORTANTE OBSERVAÇÃO ADVERTÊNCIA Gui de Configurção Rápid Iníio DCP-J100 DCP-J105 Origdo por esolher Brother. Seu poio é importnte pr nós e vlorizmos o seu negóio. Seu produto Brother foi desenvolvido e frido de ordo om os mis ltos pdrões

Leia mais

Licenciamento de Uso

Licenciamento de Uso Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2002 do Centro de Computação da Unicamp e distribuído sob os seguintes termos: 1. As apostilas publicadas pelo Centro de Computação da Unicamp

Leia mais

Algumas Demonstrações Geométricas

Algumas Demonstrações Geométricas Algums Demonstrções Geométrics Mtemátic A 10º Ano Tem I Nos novos progrms, d Mtemátic A refere- se que: No ensino secundário, o estudnte deverá ser solicitdo frequentemente justificr processos de resolução,

Leia mais

Permissão de Usuários

Permissão de Usuários Permissão de Usuários 1 Conteúdo 1. Propósito 3 2. Permissão de Usuários PrefGest 4 3. Permissão de Usuário para PrefCad 10 2 1. Propósito Este documento destina-se a explicar a ação para liberar permissões

Leia mais

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp

Informática - Básico. Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Informática - Básico Paulo Serrano GTTEC/CCUEC-Unicamp Índice Apresentação...06 Quais são as características do Windows?...07 Instalando o Windows...08 Aspectos Básicos...09 O que há na tela do Windows...10

Leia mais

Microsoft Word 97 Básico

Microsoft Word 97 Básico Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da Terceira Região Microsoft Word 97 Básico DIMI - Divisão de Microinformática e Redes Índice: I. Executando o Word... 4 II. A tela do Word 97... 6 III. Digitando

Leia mais

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados.

Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Windows Menu Entendendo as janelas do Windows Uma janela é uma área retangular exibida na tela onde os programas são executados. Minimizar Fechar Maximizar/restaurar Uma janela é composta de vários elementos

Leia mais

EXPOENTE. Podemos entender a potenciação como uma multiplicação de fatores iguais.

EXPOENTE. Podemos entender a potenciação como uma multiplicação de fatores iguais. EXPOENTE 2 3 = 8 RESULTADO BASE Podeos entender potencição coo u ultiplicção de ftores iguis. A Bse será o ftor que se repetirá O expoente indic qunts vezes bse vi ser ultiplicd por el es. 2 5 = 2. 2.

Leia mais

Universidade Federal da Bahia

Universidade Federal da Bahia Universidde Federl d Bhi Instituto de Mtemátic DISCIPLINA: MATA0 - CÁLCULO B UNIDADE II - LISTA DE EXERCÍCIOS Atulizd 008. Coordends Polres [1] Ddos os pontos P 1 (, 5π ), P (, 0 ), P ( 1, π ), P 4(, 15

Leia mais

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO

COLÉGIO MILITAR DE BELO HORIZONTE CONCURSO DE ADMISSÃO 2006 / 2007 PROVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO COLÉGIO MILITA DE BELO HOIZONTE CONCUSO DE ADMISSÃO 6 / 7 POVA DE MATEMÁTICA 1ª SÉIE DO ENSINO MÉDIO CONFEÊNCIA: Chefe d Sucomissão de Mtemátic Chefe d COC Dir Ens CPO / CMBH CONCUSO DE ADMISSÃO À 1ª SÉIE

Leia mais

Aula Número 01. Sumário

Aula Número 01. Sumário Aula Número 01 Sumário Conceitos Básicos:... 3 Movendo-se numa Planilha... 4 Selecionando Múltiplas Células... 4 Abrindo e Salvando um Arquivo... 6 Salvando um arquivo... 8 Introduzindo e Editando Dados...

Leia mais

Apostila de Windows Movie Maker

Apostila de Windows Movie Maker Apostila de Windows Movie Maker Autor: João Paulo da Silva Apostila de Windows Movie Maker Autor: João Paulo da Silva 2 Índice Introdução ao Windows Movie Maker...03 O que é o Windows Movie Maker?...03

Leia mais

Norton 360 Online Guia do Usuário

Norton 360 Online Guia do Usuário Guia do Usuário Norton 360 Online Guia do Usuário Documentação versão 1.0 Copyright 2007 Symantec Corporation. Todos os direitos reservados. O software licenciado e a documentação são considerados software

Leia mais

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Matemática

Vestibular UFRGS 2013 Resolução da Prova de Matemática Vestibulr UFRG 0 Resolução d Prov de Mtemátic 6. Alterntiv (C) 00 bilhões 00. ( 000 000 000) 00 000 000 000 0 7. Alterntiv (B) Qundo multiplicmos dois números com o lgrismo ds uniddes igul 4, o lgrismo

Leia mais

Desvio do comportamento ideal com aumento da concentração de soluto

Desvio do comportamento ideal com aumento da concentração de soluto Soluções reis: tividdes Nenhum solução rel é idel Desvio do comportmento idel com umento d concentrção de soluto O termo tividde ( J ) descreve o comportmento de um solução fstd d condição idel. Descreve

Leia mais

WIN + D WIN + M SHIFT + WIN + M WIN + R WIN + E WIN + PAUSE BREAK

WIN + D WIN + M SHIFT + WIN + M WIN + R WIN + E WIN + PAUSE BREAK Windows em geral WIN = Abre o menu Iniciar. Use as setas para navegar nas opções, e dê ENTER para abrir um item. WIN + D = Mostrar área de trabalho. WIN + M = Minimizar tudo. SHIFT + WIN + M = Desminimizar

Leia mais

Consulte a parte de trás para obter informações sobre instalação rápida.

Consulte a parte de trás para obter informações sobre instalação rápida. Guia do Usuário Consulte a parte de trás para obter informações sobre instalação rápida. Protegemos mais usuários contra ameaças on-line do que qualquer outra empresa no mundo. Cuidar de nosso meio ambiente,

Leia mais

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS

INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS INSTALAÇÃO DO SISTEMA CONTROLGÁS 1) Clique duas vezes no arquivo ControlGasSetup.exe. Será exibida a tela de boas vindas do instalador: 2) Clique em avançar e aparecerá a tela a seguir: Manual de Instalação

Leia mais

Gabarito - Matemática Grupo G

Gabarito - Matemática Grupo G 1 QUESTÃO: (1,0 ponto) Avlidor Revisor Um resturnte cobr, no lmoço, té s 16 h, o preço fixo de R$ 1,00 por pesso. Após s 16h, esse vlor ci pr R$ 1,00. Em determindo di, 0 pessos lmoçrm no resturnte, sendo

Leia mais