* Lógica Proposicional Formas de Argumento

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "* Lógica Proposicional Formas de Argumento"

Transcrição

1 * Lógica Proposicional Formas de Argumento Hoje é segunda-feira ou sexta-feira. Hoje não é segunda-feira. Hoje é sexta-feira. Lógica, Informática e Comunicação Elthon Allex da Silva Oliveira Juca pintou a Mona Lisa ou Michelângelo a pintou. Não foi Juca quem a pintou. Michelângelo pintou a Mona Lisa. Ele é menor de 18 anos ou é um irresponsável. Ele não é menor de 18 anos. Ele é um irresponsável. Os 3 argumentos são da seguinte forma: P ou Q Não é o caso que P Q As letras P e Q representam sentenças declarativas: (símbolos sentenciais). P pode representar: Hoje é segunda-feira. Q pode representar: Hoje é terça-feira. Os argumentos anteriores são variantes gramaticais ou instâncias daquela forma. Esta forma de argumento (ou regra) é conhecida como silogismo disjuntivo. A lógica trata de formas de argumentos consistindo de letras sentenciais combinadas com as expressões: Não é o caso que; E; Ou; Se... então; Se e somente se Estas expressões são chamadas de operadores ou conectivos lógicos. * Conectivo Não é o caso que Essa expressão prefixa uma sentença para formar uma nova sentença a qual chamamos a negação da primeira.

2 Exemplo: A sentença 'Não é o caso que ele é fumante é a negação da sentença 'Ele é fumante'. * Conectivo E Variações gramaticais da negação: Ele é não-fumante, Ele não é fumante e Ele não fuma. Uma composição constituindo-se de duas sentenças ligadas por 'e' chamase conjunção. Exemplo: Chove e faz calor A conjunção também pode ser expressa por palavras como: 'mas', 'todavia', 'embora', 'contudo',... Chove mas faz calor * Conectivo Ou Um enunciado composto consistindo de duas sentenças ligadas por 'ou' chama-se disjunção. Exemplo: Chove ou faz calor * Conectivo Se... então Enunciados do tipo se... então... chamam-se condicionais. O enunciado subseqüente ao 'se' chama-se o antecedente e o subseqüente ao 'então' chama-se o conseqüente. Forma do condicional: Se antecedente então conseqüente Ex: Se sinto frio então visto o casaco '. O antecedente é condição suficiente para ocorrência do conseqüente. O conseqüente é condição necessária para ocorrência do antecedente. Exemplo: Se é Juiz então é advogado. O fato de ser juiz é suficiente para ser advogado para alguém ser juiz é necessário que seja advogado, mas não é o suficiente.

3 * Conectivo Se... então Exemplos: O fogo é uma condição suficiente para a fumaça ou Se houver fogo haverá fumaça Se chover então molha a rua É suficiente chover para você deduzir que a rua fica molhada o fato da rua ficar molhada não garante que choveu Uma condicional também pode ser expressa na ordem inversa. Visto o casaco se sentir frio mantém a semântica de Se sentir frio, visto o casaco Se sentir frio então visto o casaco Variações gramaticais da condicional: Exemplo: Se chove então molha a rua. Chover implica em molhar a rua. Chove somente se molha a rua. Se chove, logo molha a rua. Molha a rua, se chove. Chover é condição suficiente para molhar a rua. Molhar a rua é condição necessária para chover. * Conectivo Se e somente se Os enunciados formados com a expressão...se somente se... são chamados bicondicionais. Um bicondicional pode ser considerado como uma conjunção de dois condicionais. Exemplo: 'T é um triângulo se e somente se T é um polígono de três lados.' Equivale: 'T é um triângulo se T é um polígono de três lados; e T é um triângulo somente se T é um polígono de três lados.' Que equivale: 'Se T é um polígono de três lados então T é um triângulo; e se T é um triângulo então T é um polígono de três lados.'

4 * Formalização Para facilitar o reconhecimento e a comparação de formas de argumento, cada operador lógico é representado por um símbolo especial: Não é o caso que: ~ ou E: ^ ou & Ou: v Se... então: Se e somente se: O Silogismo disjuntivo é simbolizado:. P v Q. ~P Q Ou assim: { P v Q, ~P} Q O traço de asserção (afirmação),, significa dizer que Q é deduzido (provado) apenas dos enunciados (premissas) P v Q e ~P. A linguagem, consistindo das letras sentenciais e dos operadores lógicos juntamente com as regras a serem empregadas, chama-se Lógica Proposicional ou Cálculo Proposicional. O objetivo fundamental do Cálculo /Lógica: Mostrar a Validade de certas formas de argumento!! Uma forma de argumento é válida se todas as suas instâncias são válidas. Uma forma de argumento é inválida se pelo menos uma de suas instâncias é inválida. Uma instância de uma forma de argumento (um argumento particular) é válida somente quando é impossível que a sua conclusão seja falsa enquanto suas premissas são verdadeiras. Caso contrário ela é inválida. Mesmo para uma forma de argumento válida, nem todas as instâncias são corretas. Exemplo: O argumento da Monalisa (exemplo 2) tem a forma válida mas é incorreto. Juca pintou a Mona Lisa ou Michelângelo a pintou é uma premissa Falsa. O Silogismo disjuntivo é uma forma de argumento válida, pois para qualquer instância ocorre que: se as suas premissas forem verdadeiras, a sua conclusão será verdadeira.

5 Observe a seguinte forma de argumento:. Se P então Q.. Q. P Ou: {P Q, Q} P Essa forma é inválida, pois a seguinte instância é notoriamente inválida: Se você está dançando na Lua então você está vivo. Você está vivo. Você está dançando na Lua. Exemplo de formalização: Simbolize o argumento que segue. A proposta de auxílio está no correio. Se os árbitros a receberem até Sexta-feira, eles a analisarão. Portanto, eles a analisarão porque se a proposta estiver no correio, eles a receberão até Sexta-feira. Solução: 1[A proposta de auxílio está no correio]. 2[Se os árbitros a receberem até Sexta-feira, eles a analisarão]. Portanto, 3[eles a analisarão] porque 4[se a proposta estiver no correio, eles a receberão até Sexta-feira]. (a,b,c) a: A proposta de auxílio está no correio. b: Os árbitros recebem a proposta até Sexta-feira. c: Os árbitros analisarão a proposta. {a, b c, a b} c * Fórmula bem formada fbf Qualquer letra sentencial é uma fbf. Se Φ é uma fbf, então ~Φ também o é. Se Φ e Ψ são fbf, então (Φ ^ Ψ), (Φ v Ψ), (Φ Ψ), (Φ Ψ) também o são.

6 Exercícios: 1) Quais das expressões seguintes são fórmulas (fbf's) e quais não são: a) ~~~R b) (~R) c) PQ d) ~(P Q) e) ~(~P ^ ~Q) 2) Formalize os seguintes argumentos usando as letras sentenciais indicadas. Utilize os indicadores de inferência para facilitar. a) Se Deus existe, então a vida tem significado. Deus existe. Portanto, a vida tem significado. (a,b) c) Como hoje não é Quinta-feira, deve ser Sexta-feira. Hoje é Quintafeira ou Sexta-feira. (a,b) d) Hoje é um fim de semana se somente se hoje é Sábado ou Domingo. Portanto, hoje é um fim de semana, desde que hoje é Sábado. (a,b,c)

Lógica Formal. Lógica Proposicional. Lógica Proposicional. Enigma motivador. Visão geral do estudo da Lógica

Lógica Formal. Lógica Proposicional. Lógica Proposicional. Enigma motivador. Visão geral do estudo da Lógica Enigma motivador Lógica Formal Lógica Proposicional UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Lógica, Informática e Comunicação Prof. Rômulo Nunes de Oliveira O Sr. Justino, apesar de trabalhador, não estava indo

Leia mais

Correção de exercícios do manual. Página 53

Correção de exercícios do manual. Página 53 Correção de exercícios do manual Página 53 Seja P: a pena de morte foi abolida. a) O enunciado diz-nos que É falso que a pena de morte tenha sido abolida é falsa. Como É falso que a pena de morte tenha

Leia mais

1. À primeira coluna (P), atribui-se uma quantidade de valores V igual à metade do total de linhas

1. À primeira coluna (P), atribui-se uma quantidade de valores V igual à metade do total de linhas LÓGICA MATEMÁTICA Walter Sousa Resumo teórico 1) PROPOSIÇÕES LÓGICAS SIMPLES Uma proposição é uma sentença declarativa que pode ser classificada em verdadeira (V) ou falsa (F), mas não ambas as interpretações.

Leia mais

Logica para computação

Logica para computação Logica para computação Lógica Informal: Argumentos l Um argumento é uma sequência de proposições na qual uma delas é a conclusão e as demais são premissas. As premissas justificam a conclusão. Exemplo

Leia mais

Lógica para computação Professor Marlon Marcon

Lógica para computação Professor Marlon Marcon Lógica para computação Professor Marlon Marcon INTRODUÇÃO O objetivo geral da logica formal é a mecanização do raciocnio, ou seja, A obtenção de informação a partir de informações prévias por meio de recursos

Leia mais

Fundamentos de Lógica Matemática

Fundamentos de Lógica Matemática Webconferência 4-08/03/2012 Técnicas dedutivas Prof. L. M. Levada http://www.dc.ufscar.br/ alexandre Departamento de Computação (DC) Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) 2012/1 Objetivos Maneiras

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO

RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO RACIOCÍNIO LÓGICO QUANTITATIVO AULA 1 ESTUDO DA LÓGICA O estudo da lógica é o estudo dos métodos e princípios usados para distinguir o raciocínio correto do incorreto. A lógica tem sido freqüentemente

Leia mais

(Equivalência e Implicação lógica aula 10

(Equivalência e Implicação lógica aula 10 Aula 2 (Equivalência e Implicação lógica aula 10 Professor: Renê Furtado Felix - Faculdade: UNIP E-mail: rffelix70@yahoo.com.br - Site: renecomputer.net Equivalência em Lógica Logica - Professor Renê F

Leia mais

Afirmação verdadeira: frase, falada ou escrita, que declara um facto que é aceite no momento em que é ouvido ou lido.

Afirmação verdadeira: frase, falada ou escrita, que declara um facto que é aceite no momento em que é ouvido ou lido. Matemática Discreta ESTiG\IPB 2012/13 Cap1 Lógica pg 1 I- Lógica Informal Afirmação verdadeira: frase, falada ou escrita, que declara um facto que é aceite no momento em que é ouvido ou lido. Afirmação

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO ATIVIDADE DO BLOCO 1 20 QUESTÕES

RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO ATIVIDADE DO BLOCO 1 20 QUESTÕES RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO ATIVIDADE DO BLOCO 1 20 QUESTÕES As questões foram elaboradas pelo prof. Sérgio Faro e valerão apenas como exercício para o seu conhecimento. São 20 questões de múltipla escolha.

Leia mais

Noções básicas de Lógica

Noções básicas de Lógica Noções básicas de Lógica Consideremos uma linguagem, com certos símbolos. Chamamos expressão a uma sequências de símbolos. uma expressão com significado Uma expressão pode ser expressão sem significado

Leia mais

Comandos de Desvio 1

Comandos de Desvio 1 Programação de Computadores I UFOP DECOM 2014 1 Aula prática 3 Comandos de Desvio 1 Sumário Resumo Nesta aula você irá resolver problemas que requerem uma decisão com base em um teste, ou condição. Para

Leia mais

Raciocínio Lógico Matemático

Raciocínio Lógico Matemático Raciocínio Lógico Matemático Cap. 5 - Equivalência Lógica Equivalência Lógica Caro aluno, no último capítulo estudamos as implicações lógicas e foi enfatizado que o ponto fundamental da implicação lógica

Leia mais

PROPOSIÇÕES. Proposições Simples e Proposições Compostas. Conceito de Proposição

PROPOSIÇÕES. Proposições Simples e Proposições Compostas. Conceito de Proposição PROPOSIÇÕES Conceito de Proposição Definição: chama-se proposição todo o conjunto de palavras ou símbolos que exprimem um pensamento de sentido completo. As proposições transmitem pensamentos, isto é,

Leia mais

UM JOGO DE DOMINÓ PARA A LÓGICA PROPOSICIONAL

UM JOGO DE DOMINÓ PARA A LÓGICA PROPOSICIONAL UM JOGO DE DOMINÓ PARA A LÓGICA PROPOSICIONAL Fernanda Pires da Silva 1 e José Ricardo R. Zeni 2, 3 1 Curso de licenciatura em matemática 2 o ano e-mail: nandamiss@ig.com.br 2 DMEC (Departamento de Matemática,

Leia mais

Álge g bra b B ooleana n Bernardo Gonçalves

Álge g bra b B ooleana n Bernardo Gonçalves Álgebra Booleana Bernardo Gonçalves Sumário Histórico Álgebra de Boole Axiomas da Álgebra de Boole Álgebra de Boole de dois valores literais Teoremas da Álgebra de Boole Simplificação de expressões booleanas

Leia mais

Aula 03 Proposições e Conectivos. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes

Aula 03 Proposições e Conectivos. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Aula 03 Proposições e Conectivos Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes Agenda da Aula Proposições: Valores Lógicos; Tipos (simples e compostas). Conectivos. Revisando O que é

Leia mais

Notas de aula de Lógica para Ciência da Computação. Aula 11, 2012/2

Notas de aula de Lógica para Ciência da Computação. Aula 11, 2012/2 Notas de aula de Lógica para Ciência da Computação Aula 11, 2012/2 Renata de Freitas e Petrucio Viana Departamento de Análise, IME UFF 21 de fevereiro de 2013 Sumário 1 Ineficiência das tabelas de verdade

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO Simplif icado

RACIOCÍNIO LÓGICO Simplif icado Sérgio Carvalho Weber Campos RACIOCÍNIO LÓGICO Simplif icado Volume 1 2ª edição Revista, atualizada e ampliada Inclui Gráficos, tabelas e outros elementos visuais para melhor aprendizado Exercícios resolvidos

Leia mais

Sumário. OS ENIGMAS DE SHERAZADE... 13 I Ele fala a verdade ou mente?... 13 I I Um truque com os números... 14

Sumário. OS ENIGMAS DE SHERAZADE... 13 I Ele fala a verdade ou mente?... 13 I I Um truque com os números... 14 Sumário OS ENIGMAS DE SHERAZADE... 13 I Ele fala a verdade ou mente?... 13 I I Um truque com os números... 14 CAPÍTULO 1 LÓGICA DE PRIMEIRA ORDEM-PROPOSICIONAL... 15 Estruturas Lógicas... 15 I Sentenças...

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015. de Raciocínio Lógico do MPOG/ENAP de 2015, aplicada em 30/08/2015. Considerando a proposição P: Se João se esforçar o bastante, então João conseguirá o que desejar, julgue os itens a seguir. 43 A proposição

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO Simplificado

RACIOCÍNIO LÓGICO Simplificado Sérgio Carvalho Weber Campos RCIOCÍNIO LÓGICO Simplificado Volume 1 2ª edição Revista, atualizada e ampliada Material Complementar PRINCIPIS CONCEITOS, REGRS E FÓRMULS DO LIVRO RCIOCÍNIO LÓGICO SIMPLIFICDO

Leia mais

RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO. Ana Paula Gargano

RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO. Ana Paula Gargano RACIOCÍNIO LÓGICO MATEMÁTICO Ana Paula Gargano ESTRUTURAS LÓGICAS Sentenças São frases que apresentam significado. As sentenças podem ser abertas ou fechadas. 1. Sentença aberta: apresentam variáveis.

Leia mais

Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos

Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos UFMG/ICEx/DCC DCC Matemática Discreta Lista de Exercícios 5: Soluções Teoria dos Conjuntos Ciências Exatas & Engenharias 2 o Semestre de 206. Escreva uma negação para a seguinte afirmação: conjuntos A,

Leia mais

Cálculo proposicional

Cálculo proposicional Cálculo proposicional Proposição Proposições são sentenças afirmativas declarativas que não sejam ambígüas e que possuem a propriedade de serem ou verdadeiras ou falsas, mas não ambas. Exemplos:. Gatos

Leia mais

Bases Matemáticas. Daniel Miranda 1. 23 de maio de 2011. sala 819 - Bloco B página: daniel.miranda

Bases Matemáticas. Daniel Miranda 1. 23 de maio de 2011. sala 819 - Bloco B página:  daniel.miranda Daniel 1 1 email: daniel.miranda@ufabc.edu.br sala 819 - Bloco B página: http://hostel.ufabc.edu.br/ daniel.miranda 23 de maio de 2011 Elementos de Lógica e Linguagem Matemática Definição Uma proposição

Leia mais

Sumário 1. PROBLEMAS DE RACIOCÍNIO INTUITIVO ESPACIAL, NUMÉRICO E VERBAL...1 2. PROBLEMAS DE ARGUMENTAÇÃO LÓGICA INTUITIVA...55

Sumário 1. PROBLEMAS DE RACIOCÍNIO INTUITIVO ESPACIAL, NUMÉRICO E VERBAL...1 2. PROBLEMAS DE ARGUMENTAÇÃO LÓGICA INTUITIVA...55 IX Sumário 1. PROBLEMAS DE RACIOCÍNIO INTUITIVO ESPACIAL, NUMÉRICO E VERBAL...1 Solução dos exercícios... 29 2. PROBLEMAS DE ARGUMENTAÇÃO LÓGICA INTUITIVA...55 Solução dos exercícios... 64 3. conjuntos...77

Leia mais

LÓGICA FORMAL Tabelas Verdade

LÓGICA FORMAL Tabelas Verdade LÓGICA FORMAL Tabelas Verdade Prof. Evanivaldo C. Silva Jr. Seção 1 Expressões: exclamações, interrogações, afirmações... Aquele aluno deve ser inteligente. Você já almoçou hoje? Um elefante é maior do

Leia mais

Num caso como no outro, o filosofar apresenta-se como uma actividade que consiste

Num caso como no outro, o filosofar apresenta-se como uma actividade que consiste 1.3.A Dimensão Discursiva do Trabalho Filosófico 1.3.1.Os Instrumentos do Trabalho Discursivo a) O trabalho filosófico Disse-se atrás que mais importante do que a filosofia é o filosofar, o trabalho que

Leia mais

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Lógica Formal. Matemática Discreta. Prof Marcelo Maraschin de Souza Lógica Formal Matemática Discreta Prof Marcelo Maraschin de Souza Implicação As proposições podem ser combinadas na forma se proposição 1, então proposição 2 Essa proposição composta é denotada por Seja

Leia mais

Notas de Aula 1: Lógica, Predicados, Quantificadores e Inferência

Notas de Aula 1: Lógica, Predicados, Quantificadores e Inferência IFMG Campus Formiga Matemática Discreta Notas de Aula 1: Lógica, Predicados, Quantificadores e Inferência Prof. Diego Mello 2o. Semestre 2012 Sumário 1 Introdução 3 2 Lógica Proposicional 3 3 Proposições

Leia mais

LÓGICA PROPOSICIONAL

LÓGICA PROPOSICIONAL FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia Redes de Computadores e Banco de dados Matemática Computacional Prof. Ulisses Cotta Cavalca LÓGICA PROPOSICIONAL Belo Horizonte/MG

Leia mais

Aula 5: determinação e simplificação de expressões lógicas

Aula 5: determinação e simplificação de expressões lógicas Aula 5: determinação e simplificação de expressões lógicas Circuitos Digitais Rodrigo Hausen CMCC UFABC 4 e 6 de Fev. de 2013 http://compscinet.org/circuitos Rodrigo Hausen (CMCC UFABC) Aula 5: determinação

Leia mais

INTRODUÇÃO LÓGICA MATEMÁTICA

INTRODUÇÃO LÓGICA MATEMÁTICA INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA Prof. Antonio A. Pinho Rio de Janeiro Julho de 1999 INTRODUÇÃO À LÓGICA MATEMÁTICA 1 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO 1. Lógica Formal. 2 2. Dedução e Indução. 3 3. Lógica Clássica e

Leia mais

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do STJ de 2015, aplicada em 27/09/2015.

Resolução da Prova de Raciocínio Lógico do STJ de 2015, aplicada em 27/09/2015. de Raciocínio Lógico do STJ de 20, aplicada em 27/09/20. Raciocínio Lógico p/ STJ Mariana é uma estudante que tem grande apreço pela matemática, apesar de achar essa uma área muito difícil. Sempre que

Leia mais

Tabela de um Enunciado Simbolizado

Tabela de um Enunciado Simbolizado Lógica para Ciência da Computação I Lógica Matemática Texto 5 Tabela de um Enunciado Simbolizado Sumário 1 Tabelas dos conectivos 2 1.1 Observações................................ 5 1.2 Exercício resolvido............................

Leia mais

PREPARATÓRIO PROFMAT/ AULA 3

PREPARATÓRIO PROFMAT/ AULA 3 PREPARATÓRIO PROFMAT/ AULA 3 Números, Progressões e Lógica Prof. Ronaldo Busse Números Uma questão presente nos exames de seleção até aqui foi a comparação entre grandezas numéricas. O procedimento indicado

Leia mais

2º. Semestre de 2006 Marcelo Nogueira São José dos Campos - SP

2º. Semestre de 2006 Marcelo Nogueira São José dos Campos - SP (Exercício 01) Simbolize, no nível proposicional, os seguintes argumentos: (a) Os vencimentos aumentam somente se há inflação. Se há inflação, então o custo de vida aumenta. Os vencimentos não aumentaram.

Leia mais

Noções de Lógica Matemática

Noções de Lógica Matemática Notas de aulas 2009 Noções de Lógica Matemática Lógica é... A Lógica é a ciência que visa estudar e estabelecer leis formais que bem dirijam as operações da mente. A Lógica é a ciência que trata das formas

Leia mais

6 - PROVAS CESGRANRIO(CONCURSOS BANCO CENTRAL E OUROS)

6 - PROVAS CESGRANRIO(CONCURSOS BANCO CENTRAL E OUROS) 1 6 - PROVAS CESGRANRIO(CONCURSOS BANCO CENTRAL E OUROS) 01 - Em uma rua há 10 casas do lado direito e outras 10 do lado esquerdo. Todas as casas são numeradas de tal forma que, de um lado da rua, ficam

Leia mais

Linguagem de Programação I

Linguagem de Programação I Linguagem de Programação I Programação Lógica Equipe: Yuri Joyce Carlos Éderson Paulo Maurício 26/05/2011 1 Súmario Introdução Origem Características Conceitos básicos Vantagens e desvantagens Aplicações

Leia mais

Lógica. Cálculo Proposicional. Introdução

Lógica. Cálculo Proposicional. Introdução Lógica Cálculo Proposicional Introdução Lógica - Definição Formalização de alguma linguagem Sintaxe Especificação precisa das expressões legais Semântica Significado das expressões Dedução Provê regras

Leia mais

Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de Melo Revisão 3 Lógica das Proposições

Raciocínio Lógico para o INSS Resolução de questões Prof. Adeilson de Melo Revisão 3 Lógica das Proposições Professor Adeilson de Melo www.profranciscojunior.com.br p. 1 de 7 Olá galera! Estou de volta! Agora iniciaremos o estudo de lógica das proposições. Esse assunto é muito importante para seu concurso. Pois,

Leia mais

Falácia dos quatro termos?

Falácia dos quatro termos? Falácia dos quatro termos? João Branquinho Universidade de Lisboa Considere-se o seguinte argumento: Premissa 1: O que é raro é valioso. Premissa 2: As jóias baratas são raras. Conclusão: As jóias baratas

Leia mais

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CENTRO DE ENGENHARIA DA MOBILIDADE

CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL CENTRO DE ENGENHARIA DA MOBILIDADE CURSO DE MATEMÁTICA BÁSICA Fatoração Equação do 1º Grau Equação do 2º Grau Aula 02: Fatoração Fatorar é transformar uma soma em um produto. Fator comum: Agrupamentos: Fatoração Quadrado Perfeito Fatoração

Leia mais

Lista 4 Introdução à Programação Entregar até 07/05/2012

Lista 4 Introdução à Programação Entregar até 07/05/2012 Lista 4 Introdução à Programação Entregar até 07/05/2012 1. Um vendedor necessita de um algoritmo que calcule o preço total devido por um cliente. O algoritmo deve receber o código de um produto e a quantidade

Leia mais

Lógica de Predicados. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Lógica de Predicados. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Lógica de Predicados Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Motivação Há vários argumentos que não podem ser adequadamente formalizados

Leia mais

Lógica e Raciocínio. Raciocínio Dedutivo. Universidade da Madeira. http://dme.uma.pt/edu/ler/

Lógica e Raciocínio. Raciocínio Dedutivo. Universidade da Madeira. http://dme.uma.pt/edu/ler/ Lógica e Raciocínio Universidade da Madeira http://dme.uma.pt/edu/ler/ Raciocínio Dedutivo 1 O presente powerpoint foi inspirado na aula do Professor Fernando Martínez Manrique da Universidade de Granada,

Leia mais

Silogística Aristotélica

Silogística Aristotélica Silogística Aristotélica Prof. Paulo Margutti Com base na possibilidade de padronizar todas as sentenças de conformidade com os tipos A, E, I e O, Aristóteles considerava que todos os argumentos poderiam

Leia mais

Lógica. Na Grécia Antiga, 342 a.c, o filósofo Aristóteles sistematizou o conhecimento existente em Lógica, elevando-o à categoria de ciência.

Lógica. Na Grécia Antiga, 342 a.c, o filósofo Aristóteles sistematizou o conhecimento existente em Lógica, elevando-o à categoria de ciência. Notas de aula Prof. Licinius (ICIBE/UFRA) Lógica A Lógica tem, por objeto de estudo, as leis gerais do pensamento, e as formas de aplicar essas leis corretamente na investigação da verdade. Na Grécia Antiga,

Leia mais

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Versão 2 Teste Intermédio Filosofia Versão 2 Duração do Teste: 90 minutos 20.04.2012 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Na folha de respostas,

Leia mais

Apostila de Raciocínio Lógico CESPE E - UNB Prof. Lucas Alvino

Apostila de Raciocínio Lógico CESPE E - UNB Prof. Lucas Alvino Apostila de Raciocínio Lógico CESPE - UNB Prof. Lucas Alvino ÍNDICE 1. LÓGICA PROPOSICIONAL 3 Proposição 3 Conectivos Lógicos 3 Conjunção: A e B 3 Disjunção: A ou B 3 Disjunção Exclusiva: ou A ou B, mas

Leia mais

INF1005: Programação I. Algoritmos e Pseudocódigo

INF1005: Programação I. Algoritmos e Pseudocódigo INF1005: Programação I Algoritmos e Pseudocódigo Tópicos Principais Definição de Algoritmo Exemplos Básicos Formas de representação Condicionais Exemplos com Condicionais Repetições Exemplos com Repetições

Leia mais

Em linguagem matemática, essa proprieade pode ser escrita da seguinte maneira: x. 1 = x Onde x representa um número natural qualquer.

Em linguagem matemática, essa proprieade pode ser escrita da seguinte maneira: x. 1 = x Onde x representa um número natural qualquer. MATEMÁTICA BÁSICA 5 EXPRESSÕES ALGÉBRICAS - EQUAÇÕES A expressão numérica é aquela que apresenta uma sequência de operações e de números. Também já sabemos que as letras são usadas em Matemática para representar

Leia mais

Campos Sales (CE),

Campos Sales (CE), UNIERSIDADE REGIONAL DO CARIRI URCA PRÓ-REITORIA DE ENSINO E GRADUAÇÃO PROGRAD UNIDADE DESCENTRALIZADA DE CAMPOS SALES CAMPI CARIRI OESTE DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA DISCIPLINA: Tópicos de Matemática SEMESTRE:

Leia mais

FRAÇÃO. Número de partes pintadas 3 e números de partes em foi dividida a figura 5

FRAÇÃO. Número de partes pintadas 3 e números de partes em foi dividida a figura 5 Termos de uma fração FRAÇÃO Para se representar uma fração através de figuras, devemos dividir a figura em partes iguais, em que o numerador representar a parte considera (pintada) e o denominador representar

Leia mais

Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone: PARA QUEM CURSA O 9 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2016 Disciplina: MATEMÁTICA

Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone:   PARA QUEM CURSA O 9 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 2016 Disciplina: MATEMÁTICA Nome: N.º: Endereço: Data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 9 Ọ ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM 06 Disciplina: MATEMÁTICA Prova: DESAFIO NOTA: QUESTÃO 6 Analise cada item com atenção: I. O antecedente

Leia mais

Lição 5 Medidas Descritivas Medidas de Dispersão

Lição 5 Medidas Descritivas Medidas de Dispersão 99 Lição 5 Medidas Descritivas Medidas de Dispersão Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: identifi car o objetivo das medidas de dispersão; identifi car o conceito de variância;

Leia mais

Algoritmos APRENDENDO A PROGRAMAR COM C#

Algoritmos APRENDENDO A PROGRAMAR COM C# Algoritmos APRENDENDO A PROGRAMAR COM C# Alô Mundo AULA 01 Conhecendo o ambiente O objetivo principal desse programa não é mostrar a mensagem Alo Mundo. O objetivo é apresentar o ambiente de desenvolvimento

Leia mais

Lista de exercícios para a P8 Conteúdo: Pontos notáveis do triângulo, quadriláteros e polígonos. Prof. Rafa, Prof. Bill, Prof. Marcelo C. e Marcelo L.

Lista de exercícios para a P8 Conteúdo: Pontos notáveis do triângulo, quadriláteros e polígonos. Prof. Rafa, Prof. Bill, Prof. Marcelo C. e Marcelo L. Lista de exercícios para a P8 Conteúdo: Pontos notáveis do triângulo, quadriláteros e polígonos. Prof. Rafa, Prof. Bill, Prof. Marcelo C. e Marcelo L. Mas antes de começar, atente para as seguintes dicas:

Leia mais

SOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO DO INSS - 2008 TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL PROVA BRANCA.

SOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO DO INSS - 2008 TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL PROVA BRANCA. SOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA E RACIOCÍNIO LÓGICO DO INSS - 2008 TÉCNICO DO SEGURO SOCIAL PROVA BRANCA. Professor Joselias www.concurseiros.org Março de 2008. Um dos indicadores de saúde comumente utilizados

Leia mais

Lógica Proposicional (Consequência lógica / Dedução formal)

Lógica Proposicional (Consequência lógica / Dedução formal) Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Matemática Aplicada Prof. Edécio Fernando Iepsen Lógica Proposicional (Consequência lógica /

Leia mais

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de

Escola Secundária c/3º CEB José Macedo Fragateiro. Curso Profissional de Nível Secundário. Componente Técnica. Disciplina de Escola Secundária c/3º CE José Macedo Fragateiro Curso Profissional de Nível Secundário Componente Técnica Disciplina de Sistemas Digitais e Arquitectura de Computadores 2009/2010 Módulo 2: Álgebra e Lógica

Leia mais

Nome: N.º: Turma: Classificação: Professor: Enc. Educação:

Nome: N.º: Turma: Classificação: Professor: Enc. Educação: Escola EB, de Ribeirão (Sede) ANO LECTIVO 010/011 Dezembro 010 Nome: Nº: Turma: Classificação: Professor: Enc Educação: Ficha de Avaliação de Matemática Versão Duração do Teste: 90 minutos 6 de Dezembro

Leia mais

FUNDAMENTOS DE LÓGICA PARA ADMINISTRAÇÃO. André Luiz Galdino

FUNDAMENTOS DE LÓGICA PARA ADMINISTRAÇÃO. André Luiz Galdino FUNDAMENTOS DE LÓGICA PARA ADMINISTRAÇÃO André Luiz Galdino SUMÁRIO 1. Noções de Lógica Matemática 3 1.1 Cálculo Proposicional 4 1.2 Tabelas Verdade 16 1.3 Contingência, Tautologia e Contra-Tautologia

Leia mais

XIV Semana de Filosofia da UFRN

XIV Semana de Filosofia da UFRN XIV Semana de Filosofia da UFRN Base de Pesquisa em Lógica, Conhecimento e Educação Prof. Dr. Daniel Durante Pereira Alves Departamento de Filosofia - DEFIL Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes CCHLA

Leia mais

VEJA O CONTEÚDO DO ÚLTIMO EDITAL (2011/2012, ORGANIZADO PELA FCC)

VEJA O CONTEÚDO DO ÚLTIMO EDITAL (2011/2012, ORGANIZADO PELA FCC) AULA 01 CONCEITOS BÁSICOS DE LÓGICA E PRINCÍPIOS Olá amigos, meu nome é Adeilson de Melo. Fui convidado para ministrar aulas dessa apaixonante matéria que é o Raciocínio Lógico Matemático. ESPERO QUE TODOS

Leia mais

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público

Questões de Concursos Tudo para você conquistar o seu cargo público Comentadas pelo professor: Gabriel Rampini Raciocínio Lógico-Quantitativo 1) Q264165 Raciocínio Lógico Raciocínio Lógico-Psicotécnico Ano: 2012 Banca: ESAF Órgão: Receita Federal Prova: Auditor Fiscal

Leia mais

Em cada uma dessas frases, há uma quantidade indicada em forma de fração. Veja:

Em cada uma dessas frases, há uma quantidade indicada em forma de fração. Veja: MATEMÁTICA BÁSICA 4 Frações Leitura Três quartos da população do estado X recebe até um salário mínimo A herança será dividida, cabendo um sétimo do total a cada um dos herdeiros A parede será azulejada

Leia mais

PROPOSIÇÃO: sentenças declarativas afirmativas (expressão de uma linguagem)

PROPOSIÇÃO: sentenças declarativas afirmativas (expressão de uma linguagem) CÁLCULO PROPOSICIONAL I NOÇÕES DE LÓGICA MATEMÁTICA CÁLCULO PROPOSICIONAL Como primeira e indispensável parte da Lógica Matemática temos o CÁLCULO PROPOSICIONAL ou CÁLCULO SENTENCIAL ou ainda CÁLCULO DAS

Leia mais

Lógica e Metodologia Jurídica

Lógica e Metodologia Jurídica Lógica e Metodologia Jurídica Argumentos e Lógica Proposicional Prof. Juliano Souza de Albuquerque Maranhão julianomaranhao@gmail.com Quais sentenças abaixo são argumentos? 1. Bruxas são feitas de madeira.

Leia mais

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65

Lógica. Fernando Fontes. Universidade do Minho. Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Lógica Fernando Fontes Universidade do Minho Fernando Fontes (Universidade do Minho) Lógica 1 / 65 Outline 1 Introdução 2 Implicações e Equivalências Lógicas 3 Mapas de Karnaugh 4 Lógica de Predicados

Leia mais

Introdução à lógica. Lógica. Material produzido por: Bruno Portela Rafael Soares Ramon Matzenbacher Vinícius Schreiner

Introdução à lógica. Lógica. Material produzido por: Bruno Portela Rafael Soares Ramon Matzenbacher Vinícius Schreiner Introdução à lógica Lógica Material produzido por: Bruno Portela Rafael Soares Ramon Matzenbacher Vinícius Schreiner ARGUMENTO O que é um argumento? Aurelhão: Raciocínio, indício ou prova pelo qual se

Leia mais

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1.

Todos os exercícios sugeridos nesta apostila se referem ao volume 1. INTRODUÇÃO... 2 DEFINIÇÃO... 2 DESCRIÇÃO... 2 APRESENTAÇÃO... 2 RELAÇÃO DE PERTINÊNCIA... 3 CONJUNTOS IGUAIS... 4 SUBCONJUNTOS E RELAÇÃO DE INCLUSÃO... 7 QUANTIFICADORES... 10 IMPLICAÇAO E EQUIVALÊNCIA...

Leia mais

Proposições Compostas TABELA VERDADE

Proposições Compostas TABELA VERDADE TABELA ERDADE Iremos abordar nesta apostila uma diferente forma de argumentação que se associa diretamente com a língua portuguesa. Apesar de analisarmos frases muitas vezes de forma subjetiva a matéria

Leia mais

Pelo que foi exposto no teorema de Carnot, obteve-se a seguinte relação:

Pelo que foi exposto no teorema de Carnot, obteve-se a seguinte relação: 16. Escala Absoluta Termodinâmica Kelvin propôs uma escala de temperatura que foi baseada na máquina de Carnot. Segundo o resultado (II) na seção do ciclo de Carnot, temos que: O ponto triplo da água foi

Leia mais

A lei dos senos. Na Aula 42 vimos que a Lei dos co-senos é. a 2 = b 2 + c 2-2bc cos Â

A lei dos senos. Na Aula 42 vimos que a Lei dos co-senos é. a 2 = b 2 + c 2-2bc cos  A UA UL LA A lei dos senos Introdução Na Aula 4 vimos que a Lei dos co-senos é uma importante ferramenta matemática para o cálculo de medidas de lados e ângulos de triângulos quaisquer, isto é, de triângulos

Leia mais

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO. 1ª Edição ABR 2014

ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO. 1ª Edição ABR 2014 ANDRÉ REIS RACIOCÍNIO LÓGICO TEORIA 246 QUESTÕES DE PROVAS DE CONCURSOS GABARITADAS 90 EXERCÍCIOS RESOLVIDOS Teoria e Seleção das Questões: Prof. André Reis Organização e Diagramação: Mariane dos Reis

Leia mais

Geometria Analítica. Prof Marcelo Maraschin de Souza

Geometria Analítica. Prof Marcelo Maraschin de Souza Geometria Analítica Prof Marcelo Maraschin de Souza Disciplina Aulas: Segunda-feira e terça-feira: 8:00 até 9:50 Avaliações: listas de exercícios e três provas; Sala: 222; Livros. Conteúdos Plano de Ensino

Leia mais

Matrizes. matriz de 2 linhas e 2 colunas. matriz de 3 linhas e 3 colunas. matriz de 3 linhas e 1 coluna. matriz de 1 linha e 4 colunas.

Matrizes. matriz de 2 linhas e 2 colunas. matriz de 3 linhas e 3 colunas. matriz de 3 linhas e 1 coluna. matriz de 1 linha e 4 colunas. Definição Uma matriz do tipo m n (lê-se m por n), com m e n, sendo m e n números inteiros, é uma tabela formada por m n elementos dispostos em m linhas e n colunas. Estes elementos podem estar entre parênteses

Leia mais

condicional tem sentido porque até recentemente as escolas ensinavam que 5

condicional tem sentido porque até recentemente as escolas ensinavam que 5 Cálculo I Lista zero - solução números racionais tarcisio.praciano@gmail.com T. Praciano-Pereira Sobral Matemática 25 de dezembro de 204 produzido com L A TEX - Debian/Gnu/Linux página http://www.calculo.sobralmatematica.org/

Leia mais

Termo genérico que se aplica a vários tipos de diagramas que enfatizam interações de objetos.

Termo genérico que se aplica a vários tipos de diagramas que enfatizam interações de objetos. Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Seqüência Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação:

Leia mais

. B(x 2, y 2 ). A(x 1, y 1 )

. B(x 2, y 2 ). A(x 1, y 1 ) Estudo da Reta no R 2 Condição de alinhamento de três pontos: Sabemos que por dois pontos distintos passa uma única reta, ou seja, dados A(x 1, y 1 ) e B(x 2, y 2 ), eles estão sempre alinhados. y. B(x

Leia mais

Circuitos Aritméticos

Circuitos Aritméticos Circuitos Aritméticos Semi-Somador Quando queremos proceder à realização de uma soma em binário, utilizamos várias somas de dois bits para poderemos chegar ao resultado final da operação. Podemos, então,

Leia mais

Lógica Proposicional. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Lógica Proposicional. Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira. Departamento de Tecnologia da Informação Faculdade de Tecnologia de São Paulo Lógica Proposicional Prof. Dr. Silvio do Lago Pereira Departamento de Tecnologia da Informação aculdade de Tecnologia de São Paulo Motivação IA IA estuda estuda como como simular simular comportamento

Leia mais

Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS. Inscrições Abertas! Você pronto para dialogar com o mundo.

Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS. Inscrições Abertas! Você pronto para dialogar com o mundo. Faculdade CNEC Gravataí (Facensa) IDIOMAS Inscrições Abertas! Você pronto para Os Diferenciais - O estudante aprende a Língua Inglesa em turmas reduzidas e ainda pode continuar praticando depois das aulas

Leia mais

ANEXO EXCEL 2007 AVAÇADO

ANEXO EXCEL 2007 AVAÇADO ANEXO EXCEL 2007 AVAÇADO Funções Lógicas: Fórmula SE 1 Agora vamos conhecer uma das funções mais utilizadas todas as funções para um iniciante em Excel. É a função SE, que Retorna um valor se uma condição

Leia mais

Faculdade de Computação

Faculdade de Computação UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Disciplina : Teoria da Computação Professora : Sandra de Amo Lista de Exercícios n o 2 Revisão de Autômatos 1. Fazer os seguintes exercícios do

Leia mais

Unidade 10 Análise combinatória. Introdução Princípio Fundamental da contagem Fatorial

Unidade 10 Análise combinatória. Introdução Princípio Fundamental da contagem Fatorial Unidade 10 Análise combinatória Introdução Princípio Fundamental da contagem Fatorial Introdução A escolha do presente que você deseja ganhar em seu aniversário, a decisão de uma grande empresa quando

Leia mais

Teorema da Completude para a Lógica Proposicional Baseado no Capítulo 17 do LPL

Teorema da Completude para a Lógica Proposicional Baseado no Capítulo 17 do LPL Teorema da Completude para a Lógica Proposicional Baseado no Capítulo 17 do LPL Algumas Notações e Definições A notação F T designa a parte do sistema F que utiliza apenas as regras de introdução e eliminação

Leia mais

Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática. Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br

Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática. Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br Oficina: Jogar para gostar e aprender matemática Profa. Dra. Adriana M. Corder Molinari dri.molinari@uol.com.br 1 Implicações do Jogo Quatro Cores: Para jogar bem, é preciso economia de cores e consideração

Leia mais

Argumentação e lógica formal O que é e para que serve a lógica

Argumentação e lógica formal O que é e para que serve a lógica Argumentação e lógica formal O que é e para que serve a lógica Para resolver este exercício tivemos que: Pensar, raciocinar, isto é, a partir de certas evidências inferir (concluir) outras. Para mostrar

Leia mais

Lógica e Metodologia Jurídica

Lógica e Metodologia Jurídica Lógica e Metodologia Jurídica Argumentos e Lógica Proposicional Prof. Juliano Souza de Albuquerque Maranhão julianomaranhao@gmail.com Puzzle 2 pessoas A e B fazem uma oferta um ao outro. O problema é identificar

Leia mais

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T,

A forma geral de uma equação de estado é: p = f ( T, Aula: 01 Temática: O Gás Ideal Em nossa primeira aula, estudaremos o estado mais simples da matéria, o gás, que é capaz de encher qualquer recipiente que o contenha. Iniciaremos por uma descrição idealizada

Leia mais

REPRESENTAÇÃO ALGORÍTMICA DA LÓGICA DE DIÁLOGOS

REPRESENTAÇÃO ALGORÍTMICA DA LÓGICA DE DIÁLOGOS EDUARDO DE MORAES URTADO REPRESENTAÇÃO ALGORÍTMICA DA LÓGICA DE DIÁLOGOS Trabalho de conclusão de curso apresentado ao Curso de Ciência da Computação. UNIERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS Orientadora:

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Prova 714/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

Matrizes e Sistemas Lineares. Professor: Juliano de Bem Francisco. Departamento de Matemática Universidade Federal de Santa Catarina.

Matrizes e Sistemas Lineares. Professor: Juliano de Bem Francisco. Departamento de Matemática Universidade Federal de Santa Catarina. e Aula Zero - Álgebra Linear Professor: Juliano de Bem Francisco Departamento de Matemática Universidade Federal de Santa Catarina agosto de 2011 Outline e e Part I - Definição: e Consideremos o conjunto

Leia mais

1.1.A Lógica como Estudo das Condições de Coerência do Pensamento e do Discurso.

1.1.A Lógica como Estudo das Condições de Coerência do Pensamento e do Discurso. 1.A Distinção Validade Verdade Conceitos nucleares específicos: lógica, juízo/proposição vs raciocínio/argumento, validade vs verdade, forma vs conteúdo, inferência válida, dedução, indução. 1.1.A Lógica

Leia mais

NÚCLEO PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS CURSO DELEGADO FEDERAL

NÚCLEO PREPARATÓRIO PARA CONCURSOS CURSO DELEGADO FEDERAL RACIOCÍNIO LÓGICO II Professor Ademir Bispo AULAS 3 e 4 PROPOSIÇÕES CONDICIONAIS As proposições condicionais relacionam causa com efeito ou hipótese com tese. p: O mês de maio tem 31 dias. q: O sol é uma

Leia mais

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05

Abril / 2016. 25 Segunda-feira 17h, 18h e 19h 25 e 26/04. 27 Quarta-feira 17h, 18h e 19h 27 e 28/04. 29 Sexta-feira 17h, 18h e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Abril / 2016 25 Segunda-feira 17h, e 19h 25 e 26/04 27 Quarta-feira 17h, e 19h 27 e 28/04 29 Sexta-feira 17h, e 19h 29/04 e 02/05 Cursos Maio / 2016 02 Segunda-feira 17h, e 19h 02 e 03/05 04 Quarta-feira

Leia mais