Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim"

Transcrição

1 Aula 00 Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Professor: Fábio Amorim Prof. Fábio Amorim 1 de 38

2 Olá pessoal! Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Sejam bem vindos ao Exponencial Concursos! Estamos iniciando o curso de Noções de Estatística, direcionado para o concurso de Auditor Federal de Controle Externo, do Tribunal de Contas da União. Este curso abordará todo o conteúdo exigido pelo Edital, incluindo teoria e questões comentadas. Nosso objetivo é que vocês tenham condições de acertar todas as questões da disciplina que serão cobradas nesse novo concurso do TCU. O curso é estruturado de forma bastante objetiva e didática, onde cada aula é dividida em quatro partes: teoria, questões comentadas, resumo da aula, e lista de exercícios. O conteúdo do edital é abordado na parte teórica das aulas, sempre com o objetivo de facilitar ao máximo a compreensão dos assuntos. Em outra parte da aula, essencial para o aprendizado, trazemos as questões comentadas de concursos anteriores da mesma banca examinadora (CESPE). Em seguida, trazemos um resumo dos principais conceitos expostos em cada aula, que é bastante útil para a revisão do conteúdo aprendido. Por fim, apresentamos a lista dos exercícios comentados em cada aula para que vocês possam treinar a resolução das questões. Além disso, temos a disposição no site do curso um fórum que permite interagirmos para sanear as eventuais dúvidas que surgirem no aprendizado. O curso será composto por sete aulas, cujos assuntos e datas em que serão disponibilizadas são: Aula Assunto Aula 0 Estatística Descritiva: variáveis quantitativas e qualitativas, organização e apresentação de variáveis. Séries estatísticas. Histogramas e curvas de frequência. Distribuição de frequências: absoluta, relativa, acumulada. Aula 1 Estatística Descritiva: Medidas de posição: média, moda, mediana e separatrizes. Medidas de dispersão: desvio-padrão, variância, coeficiente de variação. Diagrama box-plot. Avaliação de outliers. Aula 2 Análise de dados categorizados. Distribuições de probabilidade. Distribuição binomial. Distribuição normal. Data Disponível 23/06 03/07 Prof. Fábio Amorim 2 de 38

3 Aula Assunto Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Data Aula 3 Noções de inferência estatística. Estimação de parâmetros por ponto e por intervalo. Intervalo de 10/07 confiança. Técnicas de Amostragem. Aula 4 Testes de hipóteses. Testes paramétricos: médias e proporções. 17/07 Aula 5 Correlação. Análise de regressão linear 24/07 Aula 6 Análise multivariada. Análise de séries temporais. 31/07 Agora que já apresentamos o curso, peço licença para me apresentar! APRESENTAÇÃO Meu nome é Fábio Amorim, sou formado em Engenharia Civil pelo Instituto Militar de Engenharia (2003), pós-graduado em Docência do Ensino Superior pela Universidade Castelo Branco (2007) e em Direito Administrativo pela Universidade Estácio de Sá (2014). Durante a minha trajetória profissional, depois de formado, trabalhei por cinco anos no Exército Brasileiro, na minha área de formação. Já em 2009, tomei posse no cargo de Especialista em Regulação de Serviços de Transportes Terrestres, na Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT. Exerci minhas funções até o final de 2009, quando tomei posse no cargo de Auditor Federal de Controle Externo, no Tribunal de Contas da União, onde estou até hoje. Em termos de concursos públicos, obtive aprovação nos seguintes: ANTT (2008) Especialista em Regulação; MPOG (2008) Analista de Infraestrutura; TCU (2009) Auditor Federal de Controle Externo. Feitas as devidas apresentações, vale destacar que, ao longo deste curso transmitirei a vocês diversas dicas de estudo para ajudá-los a conseguir a tão sonhada aprovação. Há cerca de seis anos eu vivia uma expectativa muito grande de ingressar no TCU. Foram incontáveis horas de estudo e dedicação que valeram a pena, e muito! Hoje, terei a oportunidade de compartilhar essa experiência e ajudálos a ingressar no TCU, que é o melhor órgão público para se trabalhar, conforme a última pesquisa da revista Você S/A. Prof. Fábio Amorim 3 de 38

4 HISTÓRICO E ANÁLISE DAS PROVAS ESTATÍSTICA Foi uma grata surpresa perceber a disciplina de Estatística no Conteúdo Programático do atual concurso do TCU. Ela está prevista na prova objetiva P 1, a ser aplicada na data provável de 16 de agosto, pela manhã. Essa grata surpresa aconteceu pois a Estatística, no exercício das minhas atividades como Auditor no TCU, é uma das disciplinas que eu mais tenho exercitado no dia a dia, juntamente com Língua Portuguesa, Controle Externo, Direito Constitucional, Direito Administrativo, Auditoria Governamental e AFO. É claro que isso varia de acordo com a área de atuação de cada servidor. Desde que ingressei no TCU, em 2009, atuo na área de controle externo do setor de infraestrutura rodoviária. Historicamente, a disciplina de Estatística foi contemplada nos editais para o cargo de AUFC em apenas duas oportunidades. No ano de 2009, foram 5 questões (P 1) para a área de Auditoria de Obras Públicas. No ano de 2008, foram 15 questões (P 2) para a área de Planejamento e Gestão. Pelo gráfico abaixo, podemos ver que, historicamente, o assunto mais cobrado é a estatística descritiva. Assuntos mais cobrados nas provas de Estatística do concurso do TCU 5% 5% 10% 9% 14% 57% estatística descritiva teste de hipóteses distribuições de probabilidade inferência estatística correlação linear regressão linear Sendo assim, a minha expectativa é que haja pelo menos cinco questões da nossa disciplina neste concurso. Agora, vamos a nossa Aula 0, para que vocês possam conhecer a metodologia que iremos aplicar neste curso. Futuros Colegas, boa sorte e vamos lá! Prof. Fábio Amorim 4 de 38

5 Aula 00 Estatística Descritiva (parte 1) Assunto Página 1- Introdução Tabelas estatísticas Gráficos Distribuição de frequências Questões comentadas Resumo da aula Lista de exercícios Gabarito 38 Prof. Fábio Amorim 5 de 38

6 1- Introdução Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU A estatística descritiva é um ramo da Estatística que tem como objetivo sintetizar e descrever um conjunto de dados. Para tal, utilizam-se diversas ferramentas, como tabelas, gráficos e medidas, que descrevem e resumem esses dados. Vamos supor que você deseje saber alguma informação relacionada à contabilidade de um conjunto de empresas. Após um levantamento desses dados, você terá dezenas, centenas, milhares de números listados em sequência, como na figura abaixo: 0,318 0,778 0,815 0,838 0,093 0,748 0,255 0,670 0,415 0,484 0,882 0,203 0,986 0,792 0,432 0,579 0,182 0,955 0,243 0,203 0,350 0,101 0,792 0,055 0,923 0,009 0,091 0,906 0,740 0,298 0,411 0,706 0,038 0,123 0,890 0,814 0,614 0,069 0,209 0,604 0,073 0,773 0,787 0,806 0,645 0,317 0,594 0,608 0,185 0,746 0,767 0,021 0,837 0,788 0,821 0,212 0,924 0,498 0,008 0,867 0,438 0,167 0,141 0,809 0,153 0,731 0,906 0,449 0,004 0,300 0,824 0,399 0,093 0,947 0,426 0,575 0,838 0,023 0,275 0,427 0,151 0,566 0,507 0,174 0,728 0,218 0,396 0,957 0,818 0,129 0,633 0,275 0,340 0,953 0,833 0,233 0,309 0,831 0,128 0,680 0,110 0,188 0,319 0,274 0,692 0,910 0,889 0,696 0,794 0,730 0,527 0,695 0,999 0,762 0,073 0,861 0,776 0,532 0,666 0,941 0,925 0,105 0,452 0,498 0,167 0,290 0,138 0,393 0,329 0,819 0,965 0,248 0,443 0,141 0,371 0,750 0,152 0,640 0,932 0,619 0,556 0,481 0,428 0,805 0,176 0,334 0,143 0,893 0,860 0,774 0,747 0,022 0,599 0,810 0,233 0,850 0,974 0,705 0,684 0,695 0,828 0,840 0,828 0,289 0,930 0,204 0,192 0,813 0,432 0,873 0,645 0,896 0,732 0,653 0,021 0,956 0,150 0,878 0,943 0,484 0,112 0,022 0,503 0,701 0,094 0,496 0,874 0,652 0,263 0,979 0,702 0,796 0,073 0,325 0,288 0,735 0,586 0,369 0,491 0,865 0,313 0,552 0,834 0,618 0,029 0,884 0,657 0,721 0,047 0,805 0,392 0,641 0,099 0,536 0,036 0,271 0,485 0,189 0,188 0,982 0,964 0,183 0,096 0,595 0,282 0,695 0,751 0,319 0,458 0,496 0,725 0,751 0,762 0,282 0,346 0,796 0,274 0,359 0,998 0,594 0,335 0,448 0,545 0,121 0,932 0,548 0,202 0,195 0,874 0,900 0,641 0,471 0,001 0,839 0,412 0,122 0,344 0,899 0,214 0,949 0,162 0,623 0,762 0,201 0,986 0,947 0,759 0,172 0,540 0,219 0,797 0,286 0,992 0,324 0,277 0,789 0,498 0,784 0,656 0,080 0,080 0,718 0,743 0,390 0,568 0,406 0,285 0,156 0,907 0,089 0,146 0,320 0,342 0,260 0,365 0,367 0,885 0,172 0,771 0,722 0,838 0,647 0,305 0,120 0,237 0,949 0,349 0,902 0,595 0,422 0,813 0,417 0,653 0,581 0,915 0,284 0,507 0,598 0,758 0,448 0,519 0,252 0,268 0,664 0,456 0,399 0,747 0,284 0,550 0,556 0,546 0,397 0,256 0,046 0,604 0,097 0,222 0,468 0,939 0,320 0,205 0,693 0,883 0,993 0,773 0,982 0,275 0,110 0,025 0,392 0,040 0,784 0,849 0,539 0,878 0,090 0,013 0,065 0,449 0,201 0,130 0,348 0,312 0,137 0,235 0,350 0,729 0,685 0,622 0,491 0,900 0,178 0,456 0,870 0,985 0,236 0,159 0,906 0,478 0,010 0,224 0,003 0,203 0,668 0,496 0,061 0,732 0,506 0,476 0,864 0,634 0,454 0,146 0,051 0,764 0,369 0,226 0,035 0,115 0,944 0,558 0,409 0,100 0,984 0,792 0,220 0,585 0,906 0,961 0,373 0,063 0,701 0,313 0,516 0,047 0,485 0,576 0,621 0,270 0,069 0,803 0,955 0,026 0,526 0,561 Pergunta: é possível fazer algum tipo de avaliação a olho nu sobre esses dados? Muito difícil, não é mesmo? Sendo assim, o objetivo da estatística descritiva é sintetizar e ao mesmo tempo descrever os dados, com o objetivo de colhermos alguma informação sobre suas características. Na presente aula veremos as duas ferramentas utilizadas na estatística descritiva para alcançar esse objetivo: as tabelas e os gráficos. Na próxima aula, veremos as medidas. Antes, porém, vamos estabelecer uma classificação para as características estudadas pela estatística descritiva, as quais são chamadas de variáveis. Prof. Fábio Amorim 6 de 38

7 Variáveis Discretas e Contínuas Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Chamamos de variável toda característica que se pretende avaliar estatisticamente em um determinado conjunto de elementos (amostra ou população). Cada elemento desse conjunto terá uma medida para essa característica, seja ela expressa em termos numéricos ou não. Por exemplo, se fizermos uma pesquisa a respeito da altura dos brasileiros, entrevistando pessoas. A variável dessa pesquisa será o valor da altura dos brasileiros, que varia de entrevistado para entrevistado. Nesse contexto, existem dois tipos de variáveis na estatística descritiva: a quantitativa e a qualitativa. A variável quantitativa é aquela que pode ser expressa em termos numéricos (altura, peso, número de ocorrências, dias, tempo, etc.). Dividimos esse tipo de variável em duas espécies: as variáveis quantitativas discretas, e as quantitativas contínuas. As variáveis quantitativas discretas são aquelas expressas em números contáveis, por exemplo: número de passageiros por viagem, número de crianças por sala de aula, número de computadores por casa, etc. As variáveis quantitativas contínuas são aquelas mensuráveis em um intervalo, ou seja, podem assumir qualquer número (inteiro ou não) dentro de um intervalo de valores. Por exemplo: tempo para chegar ao trabalho, litros de água por habitação, distância percorrida, etc. Pela tabela abaixo, podemos observar a diferença: Aluno Número de Faltas Altura A 5 1,61m B 2 1,57m C 0 1,70m D 3 1,49m O número de faltas, por ser um elemento contável, é uma variável quantitativa discreta. A altura, por ser mensurável em um intervalo, é uma variável contínua. A variável qualitativa é aquela expressa não por valores, mas por um atributo. Por exemplo: nacionalidade, religião, cor dos olhos, etc. Dividimos esse tipo em duas espécies: variáveis qualitativas nominais e ordinais. Prof. Fábio Amorim 7 de 38

8 As variáveis qualitativas nominais são aquelas em que não se pode estabelecer uma ordem para elas. As variáveis qualitativas ordinais são aquelas em que é possível estabelecer uma ordem: marco temporal (século XIX, XX, XI), grau de escolaridade (1º, 2º, 3º grau), etc. A tabela abaixo evidencia a diferença entre essas classificações: Funcionário Cor dos Olhos Grau de Escolaridade A Azul 1 grau B Castanho 2 grau C Verde 2 grau D Castanho 3 grau A variável cor dos olhos é do tipo qualitativa nominal, pois os atributos elencados não são possíveis de ordenar. Já a variável grau de escolaridade é do tipo qualitativa ordinal, pois os atributos são possíveis de ordenar. Estabelecida essa classificação, vamos iniciar o estudo das ferramentas da estatística descritiva, a começar pelas tabelas. 2- Tabelas estatísticas A função das tabelas é demonstrar o comportamento de determinada característica (variável) da população ou amostra, de forma simples que possibilite ao leitor a compreensão dos dados. Em síntese, a tabela é dividida em cabeçalho, corpo e rodapé. Cabeçalho Corpo Rodapé O cabeçalho deve informar a variável que está sendo apresentada na tabela, incluindo o local e a época em que os dados foram obtidos. Prof. Fábio Amorim 8 de 38

9 O corpo da tabela é representado por linhas e colunas e é reservado para apresentar o conteúdo dos dados estudados. O rodapé é reservado para fazer observações sobre a tabela, bem como identificar a fonte das informações. Classificação As tabelas são também chamadas de séries, e podem ser classificadas nos seguintes tipos: cronológicas, geográficas, específicas ou distribuição de frequências. Série cronológica, temporal ou histórica: Os dados são dispostos de acordo com a variação da data de observação. Varia o tempo e permanece constante o fato e o local. Série geográfica: os dados são dispostos de acordo com a variação do local de observação. Varia o local e permanece constante a época e o fato. Série específica ou qualitativa: os dados são dispostos de acordo com a variação do grupo de observação. Varia o fato e permanece constante a época e o local. Prof. Fábio Amorim 9 de 38

10 Distribuição de frequências: Os dados são dispostos de acordo com o intervalo de observação. Permanece constante o fato, o local e a época. Prof. Fábio Amorim 10 de 38

11 3- Gráficos Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU O objetivo dos gráficos na estatística descritiva é representar, visualmente, a evolução de determinada variável ou então, a relação entre os valores de uma mesma série. Vamos apresentar em seguida os principais gráficos utilizados. Gráfico em colunas: indicado para séries temporais, geográficas e específicas. Gráfico em barras: indicado para séries geográficas e específicas. Prof. Fábio Amorim 11 de 38

12 Gráfico em setores: indicado quando se deseja comparar proporções. Gráfico polar: indicado para séries temporais. Gráfico em linhas: indicado para séries temporais Prof. Fábio Amorim 12 de 38

13 4- Distribuição de frequências Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Como vimos anteriormente, a distribuição de frequências é um dos tipos de séries existentes na estatística descritiva. Porém, como é a série mais importante dentre as apresentadas, vamos detalhá-la um pouco mais neste capítulo. Nesta série, as variáveis são dispostas em intervalos préestabelecidos (chamados de classes), registrando-se, ainda, a frequência com que cada variável ocorre. A maioria dos autores (e o CESPE também) considera que a distribuição de frequências é exclusiva das variáveis quantitativas contínuas. Assim, vamos supor os seguintes dados. Eles se referem à distância de frenagem, em metros, de uma determinada amostra de veículos. 13,62, 14,69, 13,72, 14,25, 14,10, 14,47, 14,17, 13,71, 14,00, 13,51, 13,72, 13,88, 14,87, 14,43, 14,15, 14,00, 13,55, 14,57, 14,17, 13,52, 14,12, 13,58, 13,65, 14,72, 14,19, 14,13, 14,85, 13,54, 13,70, 14,88, 14,77 Percebam que olhando esses dados, dificilmente tiraremos grandes conclusões a respeito deles. É possível, no entanto, estabelecer o número de observações (frequência) para cada intervalo pré-estabelecido: Distância de frenagem (m) Frequência 13,50 13, ,75 14, ,00 14, ,25 14, ,50 14, ,75 15,00 4 Total 31 Essa tabela, ou série, com os intervalos pré-estabelecidos e as respectivas frequências encontradas é denominada de distribuição de frequências. É importante anotarmos, ainda, a definição de alguns elementos pertencentes à distribuição de frequências: Amplitude total (AT): é a diferença entre o maior e o menor valor encontrado na variável; Prof. Fábio Amorim 13 de 38

14 Classes: são as subdivisões em que as variáveis são dispostas na tabela; Número de Classes (K): é o número de classes de uma determinada distribuição de frequências. Podem ser adotados os seguintes critérios, a depender do tamanho da série (n): a) =5, para 5 b), para >5 c) =1+3,22 log (Fórmula de Sturges) Limites das Classes: são os extremos de uma classe (inferior e superior), e podem ser representados por: a) a b: inclui o limite inferior a e exclui limite superior b ; b) a b: exclui o limite inferior a e inclui limite superior b ; c) a b: inclui o limite inferior a e o limite superior b ; d) a b: exclui o limite inferior a e o limite superior b. Ponto Médio de uma Classe: é a média aritmética entre o limite inferior e o limite superior de uma classe. Amplitude das Classes (h): é a diferença entre o limite superior e o inferior de uma classe. Pode ser calculada a partir da divisão entre a amplitude total e o número de classes. No exemplo que trouxemos: Amplitude total (AT): =14,88 13,51=1,37 Número de Classes (K): a) 31=5,57 6 ou; b) =1+3,22 log=1+3,22 log31=5,80 6. (Fórmula de Sturges) Amplitude das Classes (h): h = ",#$ =0,23 h 0,25! % 4.1 Tipos de Frequências Existem alguns tipos de frequência que podem estar contidas em uma série de distribuição de frequências. Vamos ver cada uma delas: a) Frequência Absoluta (& ' ) É o número observações que aparecem em cada classe da distribuição. No exemplo anterior, a frequência inserida na distribuição é uma frequência absoluta. Prof. Fábio Amorim 14 de 38

15 Significa, por exemplo, que foram encontrados 11 elementos no intervalo 13,50 13,75. b) Frequência Absoluta Acumulada (& () ) A frequência absoluta acumulada de uma classe é a soma das frequências absolutas encontradas na distribuição, até o limite superior dessa classe. Pessoal, estejam atentos para o fato de que a frequência absoluta acumulada da última classe deve ser igual à soma das frequências absolutas de todas as classes, que retrata o número de observações da distribuição! c) Frequência Relativa (* ' ) Prof. Fábio Amorim 15 de 38

16 A frequência relativa de uma classe é a divisão entre a frequência absoluta dessa classe e a soma das frequências absolutas da distribuição. Pode ser expressa em número decimal ou em porcentagem. d) Frequência Relativa Acumulada (* () ) A frequência relativa acumulada de uma classe é a soma das frequências relativas até o limite superior dessa classe. Pode ser expressa em número decimal ou em porcentagem. Prof. Fábio Amorim 16 de 38

17 4.2 Gráficos da Distribuição de Frequências o Histograma É a principal representação gráfica de uma distribuição de frequências. É composto por retângulos justapostos, que representam as classes da distribuição. No eixo vertical, constam as frequências absolutas. 12 Frequências Absolutas ,25 13,50 13,75 14,00 14,25 14,50 14,75 15,00 Classes o Polígono de frequências É o gráfico que se obtém a partir da união, por linhas retas, dos pontos médios das bases superiores dos retângulos do histograma. 12 Frequências Absolutas Polígono de frequências 0 13,25 13,50 13,75 14,00 14,25 14,50 14,75 15,00 Classes o Polígono de frequências acumuladas (ou Ogiva) São gráficos elaborados a partir dos valores das frequências acumuladas, podendo ser as absolutas ou as relativas. É representada pela Prof. Fábio Amorim 17 de 38

18 união das retas que ligam as bases superiores dos retângulos, na posição dos limites superiores de cada classe. Frequências Acumuladas Polígono de frequências Acumuladas 13,25 13,50 13,75 14,00 14,25 14,50 14,75 15,00 Classes o Gráfico em escada: é outro tipo de representação gráfica que pode ser dada às frequências acumuladas, sejam elas absolutas ou relativas. Pessoal, dito isso, já vimos as principais tabelas e gráficos utilizados na estatística descritiva. Na próxima aula daremos continuidade ao estudo da estatística descritiva, conhecendo as principais medidas de posição e dispersão. Prof. Fábio Amorim 18 de 38

19 5- Questões Comentadas Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU 1. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) Considerando a tabela acima, que apresenta a distribuição do quadro de colaboradores da CAIXA, em mil pessoas, no final dos anos de 2006 e 2007, julgue os itens seguintes. Se uma variável X registra a classificação de cada pessoa do quadro como funcionária, estagiária ou prestadora de serviço, então X é uma variável qualitativa. Conforme vimos nesta aula, a variável qualitativa é expressa por atributos (não por valores). Por exemplo: nacionalidade, religião, cor dos olhos, etc. Supondo que uma variável X registra a classificação de cada pessoa do quadro como funcionária, estagiária ou prestadora de serviço, podemos representar a variável X pela seguinte tabela: Pessoa do Quadro A B C D Classificação Funcionária Estagiária Prestadora de Serviço Estagiária Vê-se que a variável classificação registra os atributos dos dados, então, trata-se de uma variável qualitativa. Resposta, CERTO. 2. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) Uma agência de desenvolvimento urbano divulgou os dados apresentados na Prof. Fábio Amorim 19 de 38

20 tabela a seguir, acerca dos números de imóveis ofertados (X) e vendidos (Y) em determinado município, nos anos de 2005 a Considerando as informações do texto, julgue os itens subsequentes. A variável X forma uma série estatística denominada série temporal. Nas séries temporais (também chamadas de cronológicas ou históricas), as informações são retratadas de acordo com a data de observação. Varia o tempo (2005, 2006, 2007), e permanece constante o fato (número de imóveis ofertados e vendidos) e o local (município). Como a variável X retrata o número de imóveis ofertados nos anos de 2005, 2006 e 2007, podemos afirmar que X forma uma série temporal. Resposta, CERTO. 3. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) (continuação) Com respeito ao texto, considere que cada imóvel ofertado em determinado ano seja classificado como vendido ou não-vendido, e, a um imóvel e classificado como vendido seja atribuído um valor Z = 1, e, ao imóvel classificado como não-vendido, seja atribuído um valor Z = 0. Supondo-se que as classificações dos imóveis como vendido ou não-vendido em um dado ano possam ser consideradas como sendo realizações de uma amostragem aleatória simples, julgue os itens a seguir. A variável Z é classificada como variável qualitativa nominal, pois representa o atributo do imóvel como vendido ou não-vendido. Supondo que cada imóvel seja classificado como vendido e não vendido. Poderíamos representar essa variável da seguinte forma: Imóvel Situação A B C D Vendido Não vendido Não vendido Vendido Sendo assim, a variável retrata o atributo do imóvel (vendido e não vendido). Nesse caso, teríamos uma variável qualitativa. Prof. Fábio Amorim 20 de 38

21 No entanto, o enunciado supõe uma variável denominada Z, tal que Z=0 para imóveis não vendidos e Z=1 para imóveis vendidos : Imóvel Situação Z A Vendido 1 B Não vendido 0 C Não vendido 0 D Vendido 1 Esta nova variável Z será uma variável quantitativa, pois é expressa em termos numéricos. Resposta, ERRADO. 4. (CESPE Câmara dos Deputados Analista 2012) Os gráficos localizados à direita, na figura, denominam-se histogramas e são úteis para identificar a forma da distribuição dos valores. Nessa figura, eles indicam que as distribuições das despesas são aproximadamente simétricas. Os gráficos situados à direita, na figura, são chamados de gráficos box plots, e serão tema da nossa próxima aula! Os gráficos situados à esquerda é que são os histogramas, conforme visto nesta aula. Prof. Fábio Amorim 21 de 38

22 Os histogramas são a principal representação gráfica das distribuições de frequências. É composto por retângulos justapostos, que representam as classes da distribuição. No eixo vertical, constam as frequências absolutas. A simetria do histograma pode ser avaliada a partir de uma linha a ser traçada no centro da distribuição: Não Simétrico Aproximadamente Simétrico Resposta, ERRADO. 5. (CESPE EBC Analista 2011) Com base nos dados do quadro acima, em que se demonstra a distribuição de frequência das receitas de todas as empresas de uma cidade, julgue os itens a seguir. A frequência acumulada relativa das empresas que estão nas classes de 1 a 3 é de 85%. A tabela fornecida pelo enunciado indica as frequências absolutas de cada classe da distribuição. A partir desses valores, podemos calcular as frequências acumuladas e, depois, as frequências acumuladas relativas, conforme a tabela a seguir. Prof. Fábio Amorim 22 de 38

23 Classes Receitas (em R$) Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Frequência absoluta Frequência absoluta acumulada Frequência relativa acumulada ,7% ,7% ,0% ,0% ,0% Conforme destacado, nas classes 1, 2 e 3, a frequência relativa acumulada é igual a 85%. Resposta, CERTO. 6. (CESPE SERPRO Analista 2010) Certa empresa, em determinado mês, realizou levantamento acerca da quantidade diária de acessos simultâneos ao seu sistema, cujo resultado é mostrado na figura acima. A partir das informações apresentadas nessa figura, e considerando que a distribuição da quantidade diária de acessos simultâneos é representada pela variável X, julgue os itens seguintes. O mês em que esse levantamento foi realizado possui mais de 30 dias. O gráfico demonstra o número de dias em que foram verificadas determinadas quantidades de acessos simultâneos ao sistema durante o mês. Transformando esse gráfico em uma tabela, podemos visualizar o seguinte: Quantidade Frequência de acessos Absoluta Total 31 Prof. Fábio Amorim 23 de 38

24 Assim, percebe-se que o levantamento foi realizado em 31 dias, pela soma das frequências absolutas da distribuição. Resposta, CERTO. 7. (CESPE SERPRO Analista 2010) (continuação) É correto classificar a variável X como uma variável quantitativa ordinal. A variável denominada Quantidade de Acessos é uma variável quantitativa, pois pode ser expressa em termos numéricos. A partir do indicado no gráfico, podemos afirmar, ainda, que é uma variável quantitativa discreta, pois a quantidade de acessos é um número contável. Conforme vimos nesta aula, as variáveis ordinais são relacionadas com as variáveis qualitativas. Resposta, ERRADO. 8. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) Um histograma é um gráfico que representa a dispersão tanto de variáveis discretas quanto de contínuas. O histograma é um gráfico que representa uma série de distribuição de frequências. Conforme vimos nesta aula, a maioria dos autores considera que a distribuição de frequências é exclusiva das variáveis quantitativas contínuas. Resposta, ERRADO. 9. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) O gráfico de setores, quando descreve a distribuição de uma variável quantitativa, pode ser usado para se obter uma estimativa da média amostral. O gráfico de setores, também conhecida como gráfico de pizza, é indicado quando se deseja comparar proporções. Normalmente, utilizamos para avaliar variáveis qualitativas, como no exemplo abaixo. Prof. Fábio Amorim 24 de 38

25 Entretanto, descrevendo variáveis quantitativas, podemos ter o seguinte exemplo: Quantidade hospitais por Bairro do Município X 50% 17% 33% A média pode ser obtida a partir das informações constantesno gráfico (o cálculo das médias será abordado na próxima aula): +é-./ 1017%2033%3050% +é-./ 2,33 Portanto, o gráfico pode ser utilizado para se obter uma estimativa da média amostral. Resposta, CERTO. Prof. Fábio Amorim 25 de 38

26 10. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU A partir do histograma mostrado na figura abaixo, é correto inferir que a distribuição da variável X é simétrica. Analisando o histograma, ao traçarmos uma linha vertical no centro da distribuição, podemos perceber que não se trata de um gráfico simétrico: Um gráfico simétrico, de fato, pode ser observado no histograma abaixo: Resposta, ERRADO. Prof. Fábio Amorim 26 de 38

27 11. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Com base na tabela acima, referente às eleições de 2010, que apresenta a quantidade de candidatos para os cargos de presidente da República, governador de estado, senador, deputado federal e deputado estadual/distrital, bem como a quantidade de candidatos considerados aptos pela justiça eleitoral e o total de eleitos para cada cargo pretendido, julgue os itens a seguir. O histograma é a representação gráfica ideal para a distribuição de frequências do número de candidatos aptos segundo o cargo pretendido. Conforme vimos nesta aula, o histograma é um gráfico indicado para demonstrar a série de distribuição de frequências. Por sua vez, essa série é, conforme a maioria dos autores, exclusiva das variáveis quantitativas contínuas. Todavia, a variável número de candidatos aptos é classificada como quantitativa discreta, pois é expressa por números contáveis. Portanto, o histograma não é a representação gráfica ideal para essa variável. Resposta, ERRADO. 12. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) (continuação) Considerando-se a representação das quantidades de eleitos para cada cargo em um gráfico de pizza, a fatia desse gráfico correspondente ao cargo de deputado federal terá ângulo superior a 120. Avaliando-se as quantidades de eleitos para cada cargo, no caso dos deputados federais, temos 513 eleitos, em um total de Ou seja, os deputados federais representam 30,9% (100% 2"# ) do total de "%23 eleitos. Em um gráfico de setores (ou gráfico de pizza) a quantidade total (100%) é representada por um círculo de 360. Prof. Fábio Amorim 27 de 38

28 Sendo assim, para calcularmos a representatividade dos deputados federais eleitos, basta efetuarmos uma regra de três: 100% ,9% X 4 30,9% % 111 Portanto, a fatia desse correspondente ao cargo de deputado federal terá ângulo inferior a 120. Resposta, ERRADO. 13. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) (continuação) A variável cargo classifica-se como uma variável qualitativa ordinal. A variável cargo é qualitativa porque não é expressa por valores, mas sim, por atributos (presidente, governador, etc.). Além disso, é uma variável qualitativa ordinal, pois é possível estabelecer uma ordem para as classes, com base no número de candidatos, conforme indicado no enunciado. Resposta, CERTO. 14. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) A tabela acima apresenta uma distribuição hipotética das quantidades de eleitores que não votaram no segundo turno da eleição para presidente da República bem como os números de municípios em que essas quantidades ocorreram. Com base nessa tabela, julgue os itens seguintes, relativos à análise exploratória de dados. Na tabela de frequências, o uso de intervalos de classe permite concluir que a variável em questão é contínua. Prof. Fábio Amorim 28 de 38

29 O uso de intervalo de classes serve para delimitarmos a abrangência de cada classe na distribuição. Todavia, estabelecer intervalos de classes não está relacionado diretamente com o tipo de variável quantitativa (discreta ou contínua). Ou seja, é possível estabelecer intervalos de classes tanto para variáveis discretas quanto em variáveis contínuas. Quando estabelecido em variáveis contínuas, dá-se o nome de distribuição de frequências. Resposta, ERRADO. 15. (CESPE ECT Analista 2011) Considere que determinado fabricante classifique suas embalagens de acordo com a capacidade de armazenamento unitário (c), em kg, de determinado produto por exemplo, a embalagem do tipo 10 permite armazenar mais de 9 e até 10 kg do produto. Com base nessas informações e na tabela acima, que mostra a distribuição dos dez tipos de embalagens e a demanda observada em março de 2011 para cada tipo, julgue os itens que se seguem. O valor máximo da variável capacidade foi igual a 20. O valor máximo demandado foi para a classe cuja capacidade está entre 9 e 10 kg. Resposta, ERRADO. 16. (CESPE ECT Analista 2011) (continuação) O gráfico de barras verticais é adequado para representar a distribuição da variável capacidade O gráfico de barras é indicado para séries geográficas e específicas. Prof. Fábio Amorim 29 de 38

30 No enunciado, temos uma série de distribuição de frequências, cujo gráfico adequado é o histograma. Resposta, ERRADO. 17. (CESPE INPI Analista 2012) Considerando os dados acima, que representam a quantidade de doutores presentes em pesquisas que geraram patentes industriais, julgue os próximos itens. No total, foram analisadas 20 pesquisas. O número total de pesquisas é obtido a partir da soma das frequências absolutas, como demonstrado na tabela a seguir: Resposta, CERTO. Quantidades Frequência de Doutores Absoluta Total (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) O nível de mensuração da variável é qualitativo ordinal. A variável quantidade de doutores presentes em pesquisas que geraram patentes industriais deve ser classificada como quantitativa, pois é expressa por números ( ). Resposta, ERRADO. 19. (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) O gráfico adequado, para esse tipo de dado, é o do tipo haste. O gráfico tipo haste é adequado para apresentar variáveis quantitativas discretas: Prof. Fábio Amorim 30 de 38

31 6 Quantidade de doutores presentes em pesquisas que geram patentes industriais Frequência Quantidades Resposta, CERTO. 20. (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) Mais de 25% das pesquisas apresentam 3 ou mais doutores como seus componentes. Para avaliarmos essa questão, devemos encontrar as frequências relativas acumuladas: Quantidades Frequência Absoluta Frequência Acumulada Frequência Relativa Acumulada % % % % % Total % Assim, o número de pesquisas que apresentam menos de 3 doutores é igual a 60%. Por conseguinte, o número de pesquisas que apresentam 3 ou mais doutores é igual a 100% 60%=40% (/.8 9:; 25%) Resposta, CERTO. Prof. Fábio Amorim 31 de 38

32 6- Resumo da Aula Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Variável Quantitativa (números) Discreta (números contáveis) Contínua (números não contáveis) Variável Qualitativa (atributos) Nominal (atributos não ordenáveis) Ordinal (atributos ordenáveis) Estatística Descritiva Tabelas Série Temporal (varia o tempo) Série Geográfica(varia o local) Série Específica (varia o fato) Distribuição de Frequências (intervalo de observação) Estatística Descritiva Gráficos Colunas (séries temporais, geográficas e específicas) Barras (séries geográficas e específicas) Setores (avaliar proporções) Polar (séries temporais) Linhas (séries temporais) Histograma (distribuição de frequências) Prof. Fábio Amorim 32 de 38

33 7- Lista de Exercícios Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU 1. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) Considerando a tabela acima, que apresenta a distribuição do quadro de colaboradores da CAIXA, em mil pessoas, no final dos anos de 2006 e 2007, julgue os itens seguintes. Se uma variável X registra a classificação de cada pessoa do quadro como funcionária, estagiária ou prestadora de serviço, então X é uma variável qualitativa. 2. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) Uma agência de desenvolvimento urbano divulgou os dados apresentados na tabela a seguir, acerca dos números de imóveis ofertados (X) e vendidos (Y) em determinado município, nos anos de 2005 a Considerando as informações do texto, julgue os itens subsequentes. A variável X forma uma série estatística denominada série temporal. 3. (CESPE TCU Analista de Controle Externo 2008) (continuação) Com respeito ao texto, considere que cada imóvel ofertado em determinado ano seja classificado como vendido ou não-vendido, e, a um imóvel e classificado como vendido seja atribuído um valor Z = 1, e, ao imóvel classificado como não-vendido, seja atribuído um valor Z = 0. Supondo-se que as classificações dos imóveis como vendido ou não-vendido em um dado ano possam ser consideradas como sendo realizações de uma amostragem aleatória simples, julgue os itens a seguir. Prof. Fábio Amorim 33 de 38

34 A variável Z é classificada como variável qualitativa nominal, pois representa o atributo do imóvel como vendido ou não-vendido. 4. (CESPE Câmara dos Deputados Analista 2012) Os gráficos localizados à direita, na figura, denominam-se histogramas e são úteis para identificar a forma da distribuição dos valores. Nessa figura, eles indicam que as distribuições das despesas são aproximadamente simétricas. 5. (CESPE EBC Analista 2011) Com base nos dados do quadro acima, em que se demonstra a distribuição de frequência das receitas de todas as empresas de uma cidade, julgue os itens a seguir. A frequência acumulada relativa das empresas que estão nas classes de 1 a 3 é de 85%. Prof. Fábio Amorim 34 de 38

35 6. (CESPE SERPRO Analista 2010) Curso: Noções de Estatística p/ Auditor TCU Certa empresa, em determinado mês, realizou levantamento acerca da quantidade diária de acessos simultâneos ao seu sistema, cujo resultado é mostrado na figura acima. A partir das informações apresentadas nessa figura, e considerando que a distribuição da quantidade diária de acessos simultâneos é representada pela variável X, julgue os itens seguintes. O mês em que esse levantamento foi realizado possui mais de 30 dias. 7. (CESPE SERPRO Analista 2010) (continuação) É correto classificar a variável X como uma variável quantitativa ordinal. 8. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) Um histograma é um gráfico que representa a dispersão tanto de variáveis discretas quanto de contínuas. 9. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) O gráfico de setores, quando descreve a distribuição de uma variável quantitativa, pode ser usado para se obter uma estimativa da média amostral. 10. (CESPE STM Analista Judiciário 2010) A partir do histograma mostrado na figura abaixo, é correto inferir que a distribuição da variável X é simétrica. Prof. Fábio Amorim 35 de 38

36 11. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) Com base na tabela acima, referente às eleições de 2010, que apresenta a quantidade de candidatos para os cargos de presidente da República, governador de estado, senador, deputado federal e deputado estadual/distrital, bem como a quantidade de candidatos considerados aptos pela justiça eleitoral e o total de eleitos para cada cargo pretendido, julgue os itens a seguir. O histograma é a representação gráfica ideal para a distribuição de frequências do número de candidatos aptos segundo o cargo pretendido. 12. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) (continuação) Considerando-se a representação das quantidades de eleitos para cada cargo em um gráfico de pizza, a fatia desse gráfico correspondente ao cargo de deputado federal terá ângulo superior a (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) (continuação) A variável cargo classifica-se como uma variável qualitativa ordinal. 14. (CESPE TRE/ES Analista Judiciário 2010) A tabela acima apresenta uma distribuição hipotética das quantidades de eleitores que não votaram no segundo turno da eleição para presidente da República bem como os números de municípios em que essas quantidades ocorreram. Com base nessa tabela, julgue os itens seguintes, relativos à análise exploratória de dados. Prof. Fábio Amorim 36 de 38

37 Na tabela de frequências, o uso de intervalos de classe permite concluir que a variável em questão é contínua. 15. (CESPE ECT Analista 2011) Considere que determinado fabricante classifique suas embalagens de acordo com a capacidade de armazenamento unitário (c), em kg, de determinado produto por exemplo, a embalagem do tipo 10 permite armazenar mais de 9 e até 10 kg do produto. Com base nessas informações e na tabela acima, que mostra a distribuição dos dez tipos de embalagens e a demanda observada em março de 2011 para cada tipo, julgue os itens que se seguem. O valor máximo da variável capacidade foi igual a (CESPE ECT Analista 2011) (continuação) O gráfico de barras verticais é adequado para representar a distribuição da variável capacidade 17. (CESPE INPI Analista 2012) Considerando os dados acima, que representam a quantidade de doutores presentes em pesquisas que geraram patentes industriais, julgue os próximos itens. No total, foram analisadas 20 pesquisas. 18. (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) O nível de mensuração da variável é qualitativo ordinal. 19. (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) O gráfico adequado, para esse tipo de dado, é o do tipo haste. Prof. Fábio Amorim 37 de 38

38 20. (CESPE INPI Analista 2012) (continuação) Mais de 25% das pesquisas apresentam 3 ou mais doutores como seus componentes. 9- Gabarito 1 C 11 E 2 C 12 E 3 E 13 C 4 E 14 E 5 C 15 E 6 C 16 E 7 E 17 C 8 E 18 E 9 C 19 C 10 E 20 C Prof. Fábio Amorim 38 de 38

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012 ESTATÍSTICA Prof. Ari Antonio, Me Ciências Econômicas Unemat Sinop 2012 1. Introdução Concepções de Estatística: 1. Estatísticas qualquer coleção consistente de dados numéricos reunidos a fim de fornecer

Leia mais

Estatística Descritiva I

Estatística Descritiva I Estatística Descritiva I Bacharelado em Economia - FEA - Noturno 1 o Semestre 2016 Profs. Fábio P. Machado e Gilberto A. Paula MAE0219 (Economia-FEA-Noturno) Estatística Descritiva I 1 o Semestre 2016

Leia mais

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02 Olá, amigos! AULA 02 Tudo bem com vocês? E aí, revisaram a aula passada? Espero que sim. Bem como espero que tenham resolvido as questões que ficaram pendentes! A propósito, vamos iniciar nossa aula de

Leia mais

Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO

Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / Professores: Eliton Mendes Variável ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO É o objeto da pesquisa. É aquilo que estamos investigando.

Leia mais

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Os dados devem ser apresentados em tabelas construídas de acordo com as normas técnicas ditadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

UNIDADE 3 MEDIDAS DE POSIÇÃO E DISPERSÃO OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM

UNIDADE 3 MEDIDAS DE POSIÇÃO E DISPERSÃO OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Unidade 2 Distribuições de Frequências e Representação Gráfica UNIDADE 3 MEDIDAS DE POSIÇÃO E DISPERSÃO OBJETIVOS ESPECÍFICOS DE APRENDIZAGEM Ao finalizar esta Unidade, você deverá ser capaz de: Calcular

Leia mais

MÓDULO 1. I - Estatística Básica

MÓDULO 1. I - Estatística Básica MÓDULO 1 I - 1 - Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos e empíricamente observáveis. Unidade Estatística nome dado a cada observação de um

Leia mais

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística

Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística. Aula 4 Conceitos básicos de estatística Aula 4 Conceitos Básicos de Estatística Aula 4 Conceitos básicos de estatística A Estatística é a ciência de aprendizagem a partir de dados. Trata-se de uma disciplina estratégica, que coleta, analisa

Leia mais

Raciocínio Lógico-Matemático para Banco do Brasil

Raciocínio Lógico-Matemático para Banco do Brasil Aula 00 Raciocínio Lógico-Matemático Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Apresentação... 3 Juros Simples - Introdução... 5 Juros... 5 Formas de Representação

Leia mais

Estatística Básica. Introdução à Análise Exploratória de Dados. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias

Estatística Básica. Introdução à Análise Exploratória de Dados. Renato Dourado Maia. Instituto de Ciências Agrárias Estatística Básica Introdução à Análise Exploratória de Dados Renato Dourado Maia Instituto de Ciências Agrárias Universidade Federal de Minas Gerais Organização de Dados Hoje, serão discutidos alguns

Leia mais

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc.

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc. ESTATÍSTICA DESCRITIVA MÓDULO 1 - INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA DESCRITIVA A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências

Leia mais

BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica

BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica Guilherme Peña Cespedes Departamento de Estatística Universidade Federal do Amazonas Manaus, AM - Brasil Utilizamos ferramentas gráficas para

Leia mais

Centro Universitário Franciscano Material elaborado por: Professora Leandra Anversa Fioreze e Professor Clandio Timm Marques.

Centro Universitário Franciscano Material elaborado por: Professora Leandra Anversa Fioreze e Professor Clandio Timm Marques. Conceitos Introdutórios 1. Definindo Estatística: Ciência que fornece métodos para a coleta, organização, descrição, análise e interpretação de dados, utilizando-os na tomada de decisões. 2. Divisão da

Leia mais

Vamos conversar sobre BRUNI

Vamos conversar sobre BRUNI Vamos conversar sobre Capítulo 1 Objetivos dos slides Aviso importante!!! Estes slides apresentam o conteúdo do livro Estatística Aplicada à Gestão Empresarial, de Adriano Leal Bruni, publicado pela Editora

Leia mais

Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas

Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas Introdução Até o capítulo passado, você aprendeu a sintetizar dados a partir de um conjunto desordenado de dados, identificando a quantidade

Leia mais

Professor Claudio Zorzo

Professor Claudio Zorzo Recursos para a prova de AFT 2013 Prezados alunos; Venho por meio deste material ajudá-los com algumas questões passíveis de recurso. Antes, gostaria de destacar que, na minha visão, a prova foi bem elaborada

Leia mais

Aulas de Estatística / Prof. Jones Garcia da Mata / www.professorjones.hpg.com.br. Sumário

Aulas de Estatística / Prof. Jones Garcia da Mata / www.professorjones.hpg.com.br. Sumário Capítulo 1: Introdução à Estatística Definição de estatística Sumário É uma ciência que envolve um corpo de técnicas e uma metodologia desenvolvida para a coleta, a tabulação, a classificação e simplificação

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS

ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS ESTATÍSTICA BÁSICA COM ANÁLISE E TRATAMENTO ESTATÍSTICO DE DADOS EM SPSS Escola de Enfermagem UFRGS Julho/2007 Juscelino Zemiacki Estatístico Programa Básico: AULA 1 Noções Básicas de Estatística AULA

Leia mais

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências Probabilidade Introdução Tabelas Estatísticas População, Amostra e Variáveis Gráficos e Distribuição de Freqüências Renata Souza Conceitos Antigos de Estatística stica a) Simples contagem aritmética Ex.:

Leia mais

UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS

UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS Conteúdo Programático Construção de tabelas de freqüência Classificação dos gráficos Construção de gráficos de: Barras Setores Histograma Agora vamos assistir a uma Apresentação

Leia mais

PROBABILIDADE. Aula 5

PROBABILIDADE. Aula 5 Curso: Psicologia Disciplina: Métodos Quantitativos Profa. Valdinéia Data: 28/10/15 PROBABILIDADE Aula 5 Geralmente a cada experimento aparecem vários resultados possíveis. Por exemplo ao jogar uma moeda,

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS Orçamento nas Constiuições Federais

PONTO DOS CONCURSOS Orçamento nas Constiuições Federais Olá, concurseiro (a)! Tenho observado que algumas bancas cobram um conhecimento histórico do orçamento público nas constituições federais brasileiras. Para facilitar tua vida, organizei a linha do tempo

Leia mais

1.Apresentação 1 2.Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil

1.Apresentação 1 2.Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil AULA 10: Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público NBC T SP 16.3 a 16.5: Planejamento e seus Instrumentos sob o Enfoque Contábil; Transações no Setor Público; Registro Contábil. SUMÁRIO

Leia mais

Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento

Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento Prof. Ricardo Soncim - Aula 00 Aula 00 Curso: Matemática Financeira Professor: Custódio Nascimento APRESENTAÇÃO Curso: Matemática Financeira p/ ICMS RJ Futuros Auditores Fiscais da Receita Estadual do

Leia mais

Manual Operacional do Assessor Jurídico

Manual Operacional do Assessor Jurídico Manual Operacional do Assessor Jurídico SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E SERVIÇOS - MÓDULO COMPRAS - EMISSÃO DE PARECER JURÍDICO PARA PROCESSOS DE COMPRA COM EDITAL OU DE DISPENSA DE LICITAÇÃO

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO (ITEM 4) TCE-PA LEGISLAÇÃO ESTADUAL TODOS OS CARGOS. TEORIA E EXERCÍCIOS

DIREITO ADMINISTRATIVO (ITEM 4) TCE-PA LEGISLAÇÃO ESTADUAL TODOS OS CARGOS. TEORIA E EXERCÍCIOS Aula 0 DIREITO ADMINISTRATIVO (ITEM 4) TCE-PA Professor: Ricardo Gomes www.pontodosconcursos.com.br 1 Breve Apresentação Prezado(as) Concurseiros(as) de Plantão, É com muito prazer que inicio o Curso de

Leia mais

EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS. Definições Básicas. Definições Básicas. Definições Básicas. Introdução à Estatística. Dados: valores de variáveis observadas.

EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS. Definições Básicas. Definições Básicas. Definições Básicas. Introdução à Estatística. Dados: valores de variáveis observadas. Definições Básicas Introdução à Estatística ESTATÍSTICA: estudo dos métodos para coletar, organizar, apresentar e analisar dados. População: conjunto constituído por todos os indivíduos que apresentem

Leia mais

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA NOMINAL ORDINAL QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA DISCRETA CONTÍNUA - Variável qualitativa nominal = valores que expressam atributos, sem nenhum tipo de ordem. Ex: cor dos olhos, sexo, estado civil, presença

Leia mais

Lista de Exercícios 1 - Estatística Descritiva

Lista de Exercícios 1 - Estatística Descritiva 1. O arquivo satisfaçãocomuniversidade.xlsx contém informações de uma amostra de 400 alunos de uma universidade. Deseja-se construir um histograma para a variável desempenho acadêmico, com intervalos de

Leia mais

1) Currículo e breve histórico.

1) Currículo e breve histórico. Olá futuro ou futura ATI!!! Com a oficialização do concurso do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), o Mundo dos Resultado MDR, em mais uma oportunidade, lança o Programa de Estudo Intensivo

Leia mais

Professor conteudista: Maurício Martins do Fanno

Professor conteudista: Maurício Martins do Fanno Estatística Professor conteudista: Maurício Martins do Fanno Sumário Estatística Unidade I 1 COLETA DE DADOS...7 1.1 Dados e variáveis estatísticas...7 1.2 Classificações das variáveis... 1.3 Amostragem...11

Leia mais

AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados

AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados 1 AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados Ernesto F. L. Amaral 17 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro: LTC.

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Curso de Capacitação em Epidemiologia Básica e Análise da Situação de Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Gleice Margarete de Souza Conceição Airlane

Leia mais

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0

MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 MÉTODO DE APROVAÇÃO 2.0 Os 3 Passos Estratégicos para ser Aprovado em Concursos Priorizando os temas do Edital Gerson Aragão Ex-Defensor Público VERSÃO 2.1 Atualizado 12.11.2015 Índice Apresentação.. 03

Leia mais

Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais. Organização da Disciplina. Conteúdo da Aula. Contextualização. Farmácia Industrial UFPR

Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais. Organização da Disciplina. Conteúdo da Aula. Contextualização. Farmácia Industrial UFPR Estatística Aplicada às Ciências Sociais e Ambientais Apresentação Aula 1 Prof. Daniel de Christo Farmácia Industrial UFPR Mestrado em Genética UFPR Lecionando no Ensino Superior desde 2003 Organização

Leia mais

Disponibilizo a íntegra das 8 questões elaboradas para o Simulado, no qual foram aproveitadas 4 questões, com as respectivas resoluções comentadas.

Disponibilizo a íntegra das 8 questões elaboradas para o Simulado, no qual foram aproveitadas 4 questões, com as respectivas resoluções comentadas. Disponibilizo a íntegra das 8 questões elaboradas para o Simulado, no qual foram aproveitadas questões, com as respectivas resoluções comentadas. Amigos, para responder às questões deste Simulado, vamos

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS 1 Dados Brutos: são os dados tomados como eles são, de forma desorganizada. Indica-se por x i Rol: são os dados organizados em ordem crescente ou decrescente. Tamanho da amostra:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2011/2012

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2011/2012 Programa da Unidade Curricular ANÁLISE DE DADOS Ano Lectivo 2011/2012 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Gestão das Organizações Desportivas 3. Ciclo de Estudos 1º

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Arquitetura e Urbanismo DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL ESTIMAÇÃO AUT 516 Estatística Aplicada a Arquitetura e Urbanismo 2 DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Na aula anterior analisamos

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova de Matemática e Estatística para Técnico Administrativo para o BNDES 2008 organizado pela CESGRANRIO. Sem mais delongas,

Leia mais

- 400 Apostilas específicas e genéricas. - 30.000 Testes e exercícios. - 1.000 Provas de concursos anteriores.

- 400 Apostilas específicas e genéricas. - 30.000 Testes e exercícios. - 1.000 Provas de concursos anteriores. Página 1 de 5 Atualizado em 15/12/09 Correios Correios: saíram editais para 6.565 vagas em todo o país. 2º e 3º graus Concurso Correios Foram publicados os Editais para o concurso Correios 2009-2010. O

Leia mais

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3. Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.1) Estatística Séries Estatística Uma série estatística define-se como toda

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

Procedimentos de Análise Exploratória de Dados utilizando o Br.Office Calc Professor Marcelo Menezes Reis

Procedimentos de Análise Exploratória de Dados utilizando o Br.Office Calc Professor Marcelo Menezes Reis Procedimentos de Análise Exploratória de Dados utilizando o Br.Office Calc Professor Marcelo Menezes Reis Análise Exploratória de Dados utilizando o Calc ÍNDICE ANALÍTICO 1) Procedimentos para variáveis

Leia mais

Apresentação Caule e Folha. Exemplo

Apresentação Caule e Folha. Exemplo Análise Exploratória de Dados As técnicas de análise exploratória de dados consistem em gráficos simples de desenhar que podem ser utilizados para resumir rapidamente um conjunto de dados. Uma destas técnicas

Leia mais

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC Objetivo Preparar os estudantes e profissionais para prestar o Exame de Suficiência do CFC 2013 Bacharel em Ciências Contábeis. O curso inclui módulos

Leia mais

Elementos de Estatística

Elementos de Estatística Elementos de Estatística Lupércio F. Bessegato & Marcel T. Vieira UFJF Departamento de Estatística 2013 Apresentação Lupércio França Bessegato lupercio.bessegato@ufjf.edu.br Departamento de Estatística

Leia mais

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/12/2011 pelo CEPERJ

Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/12/2011 pelo CEPERJ Resoluções comentadas de Raciocínio Lógico e Estatística SEFAZ - Analista em Finanças Públicas Prova realizada em 04/1/011 pelo CEPERJ 59. O cartão de crédito que João utiliza cobra 10% de juros ao mês,

Leia mais

Pesquisa de Índice de Aprovação de Governos Executivos

Pesquisa de Índice de Aprovação de Governos Executivos Rio de Janeiro, 8 de Maio de 2012 Pesquisa de Índice de Aprovação de Governos Executivos I INTRODUÇÃO. O Conselho Federal de Estatística - CONFE dentro de suas atribuições e objetivando contribuir para

Leia mais

3. Como conduzir a atividade

3. Como conduzir a atividade Atividade 3 - Amostras confiáveis 1. Justificativa Quando analisamos propriedades de um grupo de pessoas como, por exemplo, idade, estatura, escolaridade ou religião, podemos associar conceitos ou números

Leia mais

AULA DEMONSTRATIVA 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. ARQUIVOLOGIA... 4 3. QUESTÕES COM COMENTÁRIOS... 11 4. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS... 14

AULA DEMONSTRATIVA 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. ARQUIVOLOGIA... 4 3. QUESTÕES COM COMENTÁRIOS... 11 4. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS... 14 AULA DEMONSTRATIVA 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. ARQUIVOLOGIA... 4 3. QUESTÕES COM COMENTÁRIOS... 11 4. QUESTÕES SEM COMENTÁRIOS... 14 Nessa aula veremos o seguinte tópico do Edital Conceitos fundamentais de

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva Estatística Descritiva Como construir uma distribuição de freqüências. Como construir gráficos de freqüências. Como encontrar medidas de tendência central. Como encontrar medidas de variabilidade. Como

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Balanço Energético Nacional 2012 Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Fevereiro de 2012 Apresentação O Balanço Energético Nacional BEN é o documento tradicional do setor energético brasileiro,

Leia mais

Capítulo 3 Organização e síntese de dados

Capítulo 3 Organização e síntese de dados Capítulo 3 Organização e síntese de dados L E I T u R A C R í T I C A D E A R T I G O S C I E N T í F I CO S 3 3.. Introdução Neste capítulo, serão abordados alguns aspectos que podem ser utilizados para

Leia mais

Finanças Públicas Para Concursos

Finanças Públicas Para Concursos Finanças Públicas Para Concursos Teoria e questões comentadas livro_financas_publicas.indb 1 05/09/2013 15:58:51 livro_financas_publicas.indb 2 05/09/2013 15:58:51 SÁVIO NASCIMENTO Finanças Públicas Para

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA FACENS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO / 1º SEMESTRE DE 2015

FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA FACENS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO / 1º SEMESTRE DE 2015 1 DA ABERTURA FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA FACENS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO / 1º SEMESTRE DE 2015 O Diretor da Faculdade de Engenharia de Sorocaba FACENS, mantida pela Associação Cultural de Renovação

Leia mais

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial Escola Superior de Tecnologia de Viseu Fundamentos de Estatística 2010/2011 Ficha nº 1 1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial 0; 0; 0; 1;

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 031/2011 (Procedimento Administrativo nº 116/2011 SADP nº 17833/2011)

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 031/2011 (Procedimento Administrativo nº 116/2011 SADP nº 17833/2011) PREGÃO ELETRÔNICO Nº 031/2011 (Procedimento Administrativo nº 116/2011 SADP nº 17833/2011) ASSUNTO: IMPUGNAÇÃO AO EDITAL I - RELATÓRIO A empresa INFORMASTER COMERCIO DE PRODUTOS DE INFORMATICA LTDA, inscrita

Leia mais

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO Aula 0 Olá, pessoal! Estou aqui para estudar com vocês o conteúdo de LEGISLAÇÃO - GESTÃO DE PROJETOS E GESTÃO SOCIAL para o concurso de ANALISTA DE POLÍTICAS SOCIAIS do MPOG. Esta é uma carreira nova,

Leia mais

PROPOSTA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO NÍVEL I

PROPOSTA DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO NÍVEL I PROPOSTA DE FORMAÇÃO INTRODUÇÃO As probabilidades e estatística funcionam hoje em dia como uma ferramenta não só de apoio, mas sim de iluminação para as diferentes ciências. Qualquer profissional não poderá

Leia mais

CONCURSO DE BOLSAS MONITORIA DE SALA

CONCURSO DE BOLSAS MONITORIA DE SALA CONCURSO DE BOLSAS MONITORIA DE SALA O UNICURSOS, escola preparatória para concursos públicos, faz saber que será realizado o Concurso de Bolsas para concessão de 16 (dezesseis) bolsas de 80% para Monitorias

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO CAMPUS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO CAMPUS BIOESTATÍSTICA Aula 0 TÓPICOS ABORDADOS: Introdução a estatística; Coleta de dados; Estatística descritiva; Distribuição de frequências; Notação de somatório Medidas de posição. ESTATÍSTICA É um ramo da

Leia mais

www.grancursosonline.com.br

www.grancursosonline.com.br ARGUMENTAÇÃO PARA RECURSO PROFESSOR MARCELO ARAGÃO PROVA DE AUDITORIA AFT 2013 COMENTADA PROF. MARCELO ARAGÃO Prezados (as) alunos (s), Após examinar a prova de auditoria do concurso de Auditor Fiscal

Leia mais

AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll

AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll AMOSTRAGEM ESTATÍSTICA EM AUDITORIA PARTE ll! Os parâmetros para decisão do auditor.! Tipos de planos de amostragem estatística em auditoria. Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas.

Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas. Capítulo 5 Apresentação Estatística - Gráficos e Tabelas. 5.1 - OBJETIVO DO CAPÍTULO Um dos objetivos da Estatística é sintetizar os valores que uma ou mais variáveis podem assumir, para que tenhamos uma

Leia mais

NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados

NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados 1) Estatística: o O que é? o Para que serve? o Qual a importância para o meu trabalho? o Qual a importância no dia a dia?? 2) Abordagem:

Leia mais

CURSO ON-LINE LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE) CURSO REGULAR PROFESSOR: ANDERSON LUIZ APRESENTAÇÃO

CURSO ON-LINE LEI Nº 8.666/93 EM EXERCÍCIOS (CESPE) CURSO REGULAR PROFESSOR: ANDERSON LUIZ APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Prezados(as) alunos(as), Meu nome é Anderson Luiz, sou Analista de Finanças e Controle da Controladoria-Geral da União (CGU), da área de Correição. Lotado na Corregedoria-Geral da União, atuo

Leia mais

Como deve ser do conhecimento de todos, o edital do concurso para Analista e Técnico do TCU foi publicado dia 20.07, exatamente conforme programado.

Como deve ser do conhecimento de todos, o edital do concurso para Analista e Técnico do TCU foi publicado dia 20.07, exatamente conforme programado. CRÉDITOS ADICIONAIS CARACTERÍSTICAS ESPECIAIS Prezado amigo concursando! Como deve ser do conhecimento de todos, o edital do concurso para Analista e Técnico do TCU foi publicado dia 20.07, exatamente

Leia mais

Qualidade é o grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. ISO 9001:2008

Qualidade é o grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. ISO 9001:2008 1 Sumário 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. Introdução...3 Ferramentas da Qualidade...4 Fluxograma...5 Cartas de Controle...7 Diagrama de Ishikawa...9 Folha de Verificação...11 Histograma...13 8. 9. 10. Gráfico de

Leia mais

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão. ESTATÍSTICA INDUTIVA 1. CORRELAÇÃO LINEAR 1.1 Diagrama de dispersão O comportamento conjunto de duas variáveis quantitativas pode ser observado por meio de um gráfico, denominado diagrama de dispersão.

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Realizada pela Fundação João Goulart em 06/10/2013 41. A idade média de todos

Leia mais

Distribuição de probabilidades

Distribuição de probabilidades Luiz Carlos Terra Para que você possa compreender a parte da estatística que trata de estimação de valores, é necessário que tenha uma boa noção sobre o conceito de distribuição de probabilidades e curva

Leia mais

Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis

Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis Curso de Avaliações Prof. Carlos Aurélio Nadal cnadal@ufpr.br 1 AULA 03 Revisão: Noções básicas de estatística aplicada a avaliações de imóveis 2 OBSERVAÇÃO: é o valor obtido durante um processo de medição.

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social

Estatística Aplicada ao Serviço Social Estatística Aplicada ao Serviço Social Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O que é Estatística? Coleção de métodos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA TABELAS E GRÁFICOS Departamento de Estatística Luiz Medeiros Tabela de dados multidimensionais Até agora vimos como organizar, resumir e descrever informações referentes

Leia mais

COMENTÁRIO AFRM/RS 2012 ESTATÍSTICA Prof. Sérgio Altenfelder

COMENTÁRIO AFRM/RS 2012 ESTATÍSTICA Prof. Sérgio Altenfelder Comentário Geral: Prova muito difícil, muito fora dos padrões das provas do TCE administração e Economia, praticamente só caiu teoria. Existem três questões (4, 45 e 47) que devem ser anuladas, por tratarem

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular ESTATÍSTICA Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (1º Ciclo) 2. Curso Informática 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular ESTATÍSTICA

Leia mais

ESTATÍSTICA 3 ROTEIRO PARA PESQUISAS DESCRITIVA E EXPERIMENTAL

ESTATÍSTICA 3 ROTEIRO PARA PESQUISAS DESCRITIVA E EXPERIMENTAL ESTATÍSTICA 1 INTRODUÇÃO Desde a antiguidade vários povos já registravam o número de habitantes, de nascimentos, de óbitos, faziam estimativas das riquezas individual e social, distribuíam eqüitativamente

Leia mais

Estatística Descritiva II

Estatística Descritiva II Estatística Descritiva II Bacharelado em Economia - FEA - Noturno 1 o Semestre 2015 Gilberto A. Paula G. A. Paula - MAE0219 (IME-USP) Estatística Descritiva II 1 o Semestre 2015 1 / 47 Objetivos da Aula

Leia mais

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta

Gráficos estatísticos: histograma. Série Software ferramenta Gráficos estatísticos: histograma Série Software ferramenta Funcionalidade Este software permite a construção de histogramas a partir de uma tabela de dados digitada pelo usuário. Gráficos estatísticos:

Leia mais

4Distribuição de. freqüência

4Distribuição de. freqüência 4Distribuição de freqüência O objetivo desta Unidade é partir dos dados brutos, isto é, desorganizados, para uma apresentação formal. Nesse percurso, seção 1, destacaremos a diferença entre tabela primitiva

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das normas brasileiras de contabilidade, julgue os itens a seguir. 51 Considere que determinada entidade, que passava por uma auditoria independente, tenha contratado

Leia mais

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier.

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Lei_Resp_Fiscal_Book.indb i 04/05/2012 15:51:48 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também nosso

Leia mais

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA Em um amostra, quando se têm os valores de uma certa característica, é fácil constatar que os dados normalmente não se distribuem uniformemente, havendo uma

Leia mais

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder

Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra. Henrique Dantas Neder Intervalo de Confiança e cálculo de tamanho de amostra Henrique Dantas Neder Intervalo de confiança para a média da população µ X Até o momento discutimos as propriedades da distrbuição normal e vimos

Leia mais

GESTOR DE ESTUDOS para a 2ª fase do XVIII Direito Empresarial

GESTOR DE ESTUDOS para a 2ª fase do XVIII Direito Empresarial 1 GESTOR DE ESTUDOS para a 2ª fase do XVIII Direito Empresarial Por Maurício Gieseler de Assis *Material de livre distribuição **Proibida a reprodução total ou parcial sem a devida citação da fonte Estudar

Leia mais

Escola Secundária Manuel Cargaleiro

Escola Secundária Manuel Cargaleiro Escola Secundária Manuel Cargaleiro Curso Científico- Natural Professora: Nota: Observações: Este trabalho foi elaborado por: - Nuno Valverde n.º 12 - Pedro Valverde n.º 14 - Pedro Andrez n.º 15 - Pedro

Leia mais

APRESENTAÇÃO PROFESSOR IGOR N OLIVEIRA CONTABILIDADE PÚBLICA E AFO. Apresentação

APRESENTAÇÃO PROFESSOR IGOR N OLIVEIRA CONTABILIDADE PÚBLICA E AFO. Apresentação Olá meus nobres concurseiros (as)! Apresentação Meu nome é Igor Nascimento Oliveira, tenho 30 anos e sou natural de Minas Gerais. Fui oficial da Marinha do Brasil, formado pela Escola Naval em 2002. Naquela

Leia mais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Exame Final Nacional do Ensino Secundário Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 835/2.ª Fase 15 Páginas Duração

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO

8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO 8º CONCURSO ESTADUAL DE PLANOS DE NEGÓCIO PARA UNIVERSITÁRIOS 2015 REALIZAÇÃO: SEBRAE/SC REGULAMENTO CAPÍTULO 1 DOS OBJETIVOS Art. 1º O Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários é uma

Leia mais

Revisão de Estatística Básica:

Revisão de Estatística Básica: Revisão de Estatística Básica: Estatística: Um número é denominado uma estatística (singular). Ex.: As vendas de uma empresa no mês constituem uma estatística. Estatísticas: Uma coleção de números ou fatos

Leia mais

Anexo I.a Instrução Normativa nº 19/2008 NOME DA ENTIDADE: CÂMARA MUNICIPAL DE SERTANEJA RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO.

Anexo I.a Instrução Normativa nº 19/2008 NOME DA ENTIDADE: CÂMARA MUNICIPAL DE SERTANEJA RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO. Anexo I.a Instrução Normativa nº 19/2008 NOME DA ENTIDADE: CÂMARA MUNICIPAL DE SERTANEJA RELATÓRIO DO CONTROLE INTERNO Exercício de 2007 1. Implantação do Sistema e Histórico Legal Na qualidade de responsáveis

Leia mais

ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Contabilidade de Custos Professor Luciano Moura

ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Contabilidade de Custos Professor Luciano Moura ICMS/PE 2014 Resolução da Prova de Contabilidade de Custos Professor Luciano Moura 1 de 9 Olá queridos alunos, ICMS PE 2014: Resolução da prova de Hoje farei alguns comentários acerca da prova da Secretaria

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO GESTOR DA QUALIDADE EM EAD (ENSINO A DISTÂNCIA)

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DETALHADO FORMAÇÃO GESTOR DA QUALIDADE EM EAD (ENSINO A DISTÂNCIA) PROGRAMA FORMAÇÃO DE GESTOR DA QUALIDADE - MODALIDADE EAD OBJETIVOS Formar Gestores na área da Qualidade, consolidando conhecimentos técnicos mais especializados: Formar Líderes de Equipe do SGQ Prover

Leia mais

Solução do Conjunto de Problemas 2

Solução do Conjunto de Problemas 2 Solução do Conjunto de Problemas 2 Parte A. Capítulo 3. 1. 66 & 71.999 2. Veja anexo (a) idade 1 : 8/5 = 1,6% idade 11 : 13/9 = 1,444% Portanto, há mais crianças na idade 1. (b) idade 21 : 10/7 = 1,4%

Leia mais