Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fiorella Del Bianco. ... há alguma diferença? Tema: definição de serviços, suas características e particularidades."

Transcrição

1 Fiorella Del Bianco Tema: definição de serviços, suas características e particularidades. Objetivo: apresentar as características dos serviços com o objetivo de possibilitar o desenvolvimento de estratégias diferenciadas para este tipo de oferta. Este módulo deve esclarecer como são conceituados os serviços, quais as principais características e desafios que suas particularidades apresentam ao profissional de marketing. Com o conhecimento dos pontos que influenciam na percepção da qualidade durante a prestação de serviços pelo consumidor final, é possível desenvolver estratégias que levem em consideração tais aspectos e conquistar a satisfação e o encantamento do consumidor. Antes de iniciar a sua leitura, responda: Você sabe qual é a diferença entre serviço e serviço ao cliente?... há alguma diferença? Sim, sem dúvida há diferença, mas não são tão evidentes assim, é por isso que, às vezes, algumas confusões podem ser causadas. Veja as definições segundo Zeithaml e Bitner (2003): Serviços são ações, processos e atuações ; ou seja, caracteriza-se como serviço a situação em que a oferta central de prestadores de serviços constituise basicamente em ações realizadas aos clientes. Serviço ao cliente é o serviço prestado para dar apoio ao grupo de produtos principais de uma empresa como, por exemplo, garantias, serviços de entrega, manutenção e atendimento ao consumidor que, normalmente, são oferecidos por fabricantes de bens como complemento à sua oferta principal. Agora, façamos a seguinte análise: quais as diferenças entre os tipos de benefícios que o consumidor procura ao comprar um produto e ao adquirir um serviço? 1 1

2 A prioridade dada pelo cliente, nos aspectos tangíveis e intangíveis da oferta, como aspecto de influência na decisão de compra, estão relacionadas ao fato da oferta ser um bem tangível ou um serviço. Vejamos essas diferenças através do seguinte exemplo: Na compra de um carro, o consumidor estará atento aos seguintes aspectos: cor, design, estofamento, acabamento, opcionais, potência do motor, tamanho, economia etc.. Na aquisição de um bem tangível, o consumidor tem suas preocupações prioritariamente focadas nas características físicas da oferta e, em um segundo plano, vêm a garantia, assistência técnica, atendimento na concessionária etc. Na escolha de um serviço de aluguel de carro, o consumidor estará atento aos seguintes aspectos: preço do aluguel, localização e aparência das instalações, extensão da cobertura do seguro, manutenção do veículo, disponibilidade do serviço de reservas 24hs, rapidez e facilidade no atendimento etc. Na aquisição de um bem intangível (serviço), o consumidor tem a sua atenção focada nas características diretamente relacionadas aos aspectos da locação em si que, apesar de envolverem o carro como bem físico têm como prioridades, as condições para o aluguel, mencionadas acima. Caso não sejam satisfatórias, o serviço não será utilizado, mesmo que o carro tenha diversas características físicas que sejam de seu agrado. Quando o principal produto é o serviço, os aspectos físicos possuem menor influência. Isso leva-nos à interpretação de que todos os bens, sejam eles físicos ou serviços, possuem uma parte da oferta que é tangível ao consumidor e outra intangível. Faça a seguinte reflexão: O que são ofertas puramente tangíveis? O que são ofertas puramente intangíveis? Elas realmente existem? A intangibilidade é o determinante para que se possa definir se a oferta é um serviço ou não. Então podemos dizer que: Os serviços tendem a ser mais intangíveis do que os produtos. Os produtos tendem a ser mais tangíveis do que os serviços. 2

3 Procure responder e veremos se os conceitos estão claros: Você entende o fast-food, no setor de alimentação rápida, como um bem tangível ou um bem intangível? Os restaurantes, de forma geral (incluem-se também as redes de fast-food), são classificados, conceitualmente, como serviços (intangíveis), porém é importante observar que essa prestação de serviços possui diversos elementos tangíveis como o alimento, a embalagem etc. que, por esse motivo, não pode ser considerada como uma oferta puramente intangível. Em função desse tipo de análise, foi criada uma escala com o objetivo de identificar o espectro da intangibilidade das ofertas, possibilitando uma classificação das ofertas mais tangíveis com relação às ofertas menos tangíveis conforme a dominância da intangibilidade de seus elementos. De acordo com a Figura 1, são considerados serviços aqueles que estão posicionados do lado direito da escala. Figura 1 - Classificação da intangibilidade Sal Refrigerantes Detergentes Automóveis Cosméticos Lojas de lanches rápidos Dominância do intangível Dominância do tangível Lojas de lanches rápidos Agências de propaganda Companhias aéreas Administração de investimentos Consultorias Ensino Fonte: Zeithaml e Bitner (2003, p. 30). Figura 1-1 Espectro da tangibilidade. 3 3

4 Esta escala é apenas um recurso utilizado como parâmetro para que possamos visualizar, mais claramente, que existem ofertas com mais aspectos intangíveis (serviços) e ofertas com maior quantidade de características tangíveis (produtos físicos), mas, a cada dia, torna-se mais difícil identificar uma oferta 100% tangível, já que até comodities (como o sal) precisam buscar diferenciação da concorrência e, por diversas vezes, fazem-no através de serviços agregados. Particularidades dos serviços Intangibilidade Pense em alguns serviços que tenha utilizado recentemente. Qual é o seu nível de satisfação com eles? Infelizmente, podemos notar, como regra geral, que muitos clientes encontramse insatisfeitos com a qualidade e valor agregado dos serviços prestados. Por quê? Entregas com atraso ou com erros. Atendimento rude ou incompetente. Horários de atendimento inconvenientes. Desempenho deficiente. Procedimentos complicados e burocráticos. Espera. Esses problemas são alguns dos motivos geradores da insatisfação e relacionam-se com algumas características inerentes aos serviços. O entendimento destas características é de fundamental importância para que possam ser determinadas estratégias de marketing adequadas e eficazes para os serviços. Vejamos as quatro particularidades dos serviços e também os desafios que as características apresentam ao profissional de marketing que, por sua vez, devem ser atentamente considerados no desenvolvimento de estratégias específicas para os serviços. Uma característica universalmente mencionada; ou seja, utilizada como sinônimo de serviço. O serviço não pode ser visto, sentido ou tocado como os bens tangíveis. Os clientes não obtêm propriedade com a compra, quando alugamos um carro ou um quarto de hotel, utilizamos o bem tangível, mas não ficamos com ele. A posse não faz parte do serviço, apenas o seu usufruto. Assim como, por exemplo, em uma consultoria ou no serviço prestado por um médico em uma consulta, o que levamos embora é uma informação pontual, não a pessoa, nem todo o conhecimento que ela possui. 4

5 Os desafios da intangibilidade - Serviços não podem ser estocados. - Como conseqüência é difícil administrar as flutuações da demanda. - A intangibilidade torna difícil para o cliente avaliar a qualidade de algo que não se pode ver ou tocar. Exemplo - serviços de assistência médica: - Não podem ser tocados ou vistos pelo cliente, mas possuem alguns componentes ou características tangíveis. - Equipamentos, o consultório, o quarto do hospital, o escritório administrativo do convênio, toda a comunicação visual etc.. - Esses elementos tangíveis são chamados evidências-físicas que, por sua vez, são fundamentais para oferecer equilíbrio à intangibilidade dos serviços, pois fornecem pistas sobre a qualidade, segurança, higiene, solidez etc. e vão direcionar a escolha do consumidor. Heterogeneidade - As ações são desempenhadas por seres humanos e esse é o motivo pelo qual um serviço prestado pela mesma pessoa, em dois momentos diferentes, dificilmente serão iguais. - As pessoas mudam seu desempenho de um momento para outro, os fatores que interferem estão relacionados ao humor, cansaço físico, saúde, problemas emocionais etc. e manifestam-se de forma diversa a cada atuação do funcionário. - É necessário levar em consideração que dois clientes nunca são iguais, o que gera situações diferentes para a mesma prestação de serviços. - Para o cliente, o funcionário que executa o serviço é visto como o serviço. Desse modo, qualidade e eficiência da prestação de serviço serão analisadas conforme o desempenho desse funcionário. - A heterogeneidade ocorre como o resultado da interação humana. Os desafios da Heterogeneidade - Com uma interação inconstante é muito difícil para prestador de serviços, assegurar-se de que o serviço esteja sendo prestado de forma condizente com o que foi originalmente planejado e divulgado; ou seja, com uma qualidade consistente. 5 5

6 - A qualidade depende de diversos fatores que vêm desde a habilidade do próprio cliente em expressar suas necessidades até a habilidade e o real interesse do funcionário em satisfazer tais necessidades. - Há, ainda, a possibilidade de um agravante adicional: o envolvimento de terceiros na prestação de serviços com a sub-contratação de certas partes do serviço torna-se muito mais difícil o controle da homogeneidade na qualidade de serviços prestados. Produção e Consumo Simultâneos Enquanto os bens manufaturados devem ser primeiramente produzidos, estocados, transportados e, somente depois, comercializados. Os serviços primeiro são demandados, para, só então, serem produzidos e consumidos simultaneamente; - Nos serviços, na maioria das vezes, o cliente está presente durante a produção e por vezes participa do processo de produção (como em uma cirurgia, por exemplo); - Os clientes também podem interagir com outros clientes durante a prestação de serviços afetando a qualidade da experiência (em restaurantes, cinemas etc). Os desafios da produção e consumo simultâneos - A satisfação do cliente e sua percepção de qualidade do serviço dependem do que ocorre em tempo real; ou seja, naquele exato momento em que se produz e ao mesmo tempo utiliza-se o serviço, dificultando uma correção. - A qualidade depende, então, da interação entre cliente e funcionário, mas, também, entre os clientes. - Outra característica corresponde ao fato de que as operações de produção não podem estar concentradas em um único local para a entrega em um local de consumo diferente. Todas as operações dos serviços, independente de quantas forem, devem estar presentes com toda a estrutura necessária, no local da prestação de serviços (local da produção). Exemplo: lojas de varejo, hospitais, cabeleireiros, bancos, vídeo locadoras etc.. 6

7 Vamos analisar como exemplo um restaurante a lá carte. O cliente faz, primeiramente, o pedido de sua escolha no cardápio, para que somente então o processo de produção seja iniciado. No entanto, o consumo não pode ser dissociado da produção, já que a prestação de serviços do restaurante engloba, não apenas a refeição, mas todos os demais elementos como atendimento, cordialidade, rapidez e ambiente (decoração, som, conforto etc). Neste exemplo do restaurante, pode ocorrer, ainda, uma interferência de outros clientes na prestação de serviços. Se o cliente que aguarda seu jantar sente-se incomodado por um grupo de jovens bagunceiros em uma mesa ao lado, pode ter uma percepção negativa do restaurante e não retornar mais, mesmo que a comida tenha sido satisfatória. Caso este restaurante pretenda prestar serviços em bairros diferentes, deverá instalar uma unidade com a mesma infra-estrutura necessária para possibilitar a execução de seus serviços nos mesmos moldes. Os produtores de serviços devem perceber como parte integrante do serviço e, dessa forma, como um ingrediente essencial para promover uma boa experiência do serviço para o cliente! Perecibilidade - Os serviços não podem ser preservados, estocados, revendidos ou devolvidos. Esse é o grande contraste existente em relação às mercadorias que podem ser estocadas e revendidas em outro momento ou ainda devolvidas em caso de insatisfação. Podemos citar, como exemplo, oficinas mecânicas, mesas de restaurantes, a capacidade em linhas telefônicas entre outros. Em todos esses casos, se os serviços não forem utilizados hoje estarão irrecuperavelmente perdidos! No dia seguinte, não será possível dobrar a capacidade de atendimento, pois existe a limitação do tempo e da capacidade física das instalações para o atendimento. Vejamos mais alguns exemplos: O assento que não é vendido não pode ser guardado para outro vôo a capacidade produtiva daquela poltrona está irremediavelmente perdida. Não seria bom se um corte de cabelo, do qual você se arrependesse de ter feito, pudesse ser devolvido ou até revendido para outro cliente? Os desafios da perecibilidade - A principal conseqüência da perecibilidade é a impossibilidade de estoque e, por isso, faz-se necessária uma adequada previsão de demanda juntamente com um planejamento para a utilização ótima da capacidade instalada para a garantia da lucratividade. Como os serviços não podem ser recuperados nem devolvidos, é necessário que sejam desenvolvidas estratégias de recuperação de clientes, para o caso de algo sair errado. 7 7

8 DICA Você gostaria de ver um ótimo exemplo sobre como as particularidades dos serviços podem influenciar na qualidade do atendimento? Assista ao filme Pedro Paulo Rangel vive um garçom preocupado com tudo... disponível no site: Para fazer o acesso, clique em Vídeos, acesse o link busca avançada e, no 1º campo, digite: Pedro Paulo Rangel. No segundo campo, escolha Jornalismo e, por fim, digite Fantástico e selecione o link buscar. Enquanto assiste (duração: menos de 6 minutos), tente identificar cada uma das particularidades que você acabou de conhecer. Garanto que será capaz de encontrar todas, além de se divertir bastante! Quais os dois principais aspectos presentes em quase todas as particularidades dos serviços? - Interação de pessoas. - Impossibilidade de estoque (relacionado à sua intangibilidade). Dessa forma temos como base para a definição das estratégias mercadológicas focadas nos desafios dos serviços: - Pessoas. - Processos operacionais dos serviços. - Evidência física. Esses aspectos são diferentemente abordados nas estratégias baseadas no paradigma da padronização e nas estratégias baseadas no paradigma da não padronização. É fato que alguns executivos e administradores acreditam que os serviços não podem ser padronizados, pois entendem que a prestação de serviços deve ser a mais individualizada possível para atender totalmente à expectativa do consumidor e promover um serviço de alta qualidade, ou seja, são serviços baseados no paradigma da não-padronização. Contudo temos visto muitas empresas que obtiveram sucesso oferecendo serviços de qualidade consistente, estabelecendo padrões formais para orientar a execução de tarefas dos funcionários. Oferecendo assim, serviços uniformes e com atendimento padronizado, como por exemplo, as estratégias adotadas pelo McDonald s, conforme artigos sobre Linha de Produção em Serviços. 8

9 Paradigma da padronização de serviços - As expectativas dos clientes podem ser transformadas em padrões específicos de qualidade de serviços e, como muitas tarefas dos serviços são rotina, é possível estabelecer regras e padrões para que sejam executados de forma eficaz. - Os funcionários podem dar boas-vindas a cada novo cliente sabendo, exatamente, como desempenhar a saudação de forma eficiente, mas, ainda assim, podem ficar livres para usar a criatividade em aspectos mais pessoais e individuais do trabalho. - É importante reconhecer que a padronização não significa que o serviço deve ser executado de forma rígida e mecânica. Ela assegura que os componentes mais fundamentais de um serviço sejam executados com uniformidade. Para o fechamento deste módulo segue uma proposta de reflexão com a seguinte questão: De que modo uma empresa de serviços pode assegurar qualidade consistente de seu produto ao mercado, quando a percepção da oferta depende do desempenho dos funcionários que executam o serviço? Obs. não há uma única possibilidade de resposta, suas conclusões estarão baseadas em seus paradigmas. BIBLIOGRAFIA Bibliografia básica LOVELOCK, Christopher; WRIGHT,Lauren. Serviços: marketing e gestão. São Paulo: Saraiva, ZEITHAML, Valarie A.; BITNER, Mary Jô. Marketing de Serviços: a empresa com foco no cliente. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, Bibliografia complementar KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10.ed. São Paulo: Prentice Hall, SEMENIK, Richard J.; BAMOSSY, Gary J. Princípios de Marketing: uma perspectiva global. São Paulo: Makron Books,

10 ANOTAÇÕES 10

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Marketing de Serviços e de Relacionamento MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Conteúdo programático Os fundamentos do Marketing de serviços O comportamento do consumidor nos serviços As expectativas

Leia mais

Como administrar a relação entre demanda e capacidade nos serviços? Os períodos de pico de demanda são bons para as empresas de serviços?

Como administrar a relação entre demanda e capacidade nos serviços? Os períodos de pico de demanda são bons para as empresas de serviços? Fiorella Del Bianco Tema: Administração da demanda em relação à capacidade em serviços. Objetivo: Apresentar as estratégias para administrar a relação demanda versus capacidade, buscando a satisfação do

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera. Fiorella Del Bianco Tema: Estratégias para gerenciar filas de espera. Objetivo: Apresentar opções de estratégias para minimizar problemas gerados pelas esperas, como desconforto e insatisfação. Em termos

Leia mais

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA Mestre em turismo e hotelaria-univali Professora do curso de turismo da Universidade de Uberaba-MG Trata-se nesse artigo da teoria e da prática do marketing no turismo.

Leia mais

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços

Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços. Marketing de Serviços Marketing Prof. Raimundo Donizete de Camargo Objetivos Definir ; Conhecer as diferenças básicas entre Produtos (Bens e Serviços); Analisar uma visão geral do Setor de Serviços; Conhecer o processo de Prestação

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade I GERENCIAMENTO

Prof. Marcelo Mello. Unidade I GERENCIAMENTO Prof. Marcelo Mello Unidade I GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS Objetivos gerenciamento de serviços Utilizar modelos de gestão e desenvolvimento voltados para o segmento de prestação de serviços em empresas de

Leia mais

Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção. Professora Patrícia Abreu 1

Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção. Professora Patrícia Abreu 1 Introdução à Operações Conceituações e Definições da Administração da Produção Professora Patrícia Abreu 1 Introdução à administração da produção e operações / histórico; Diferenças entre produtos e serviços;

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

O que significa Gestão de Operações?

O que significa Gestão de Operações? O que significa Gestão de Operações? Introdução à Gestão de Operações QUESTÕES BÁSICAS Quais são as similaridades entre todas as operações produtivas? Como as operações produtivas diferem umas das outras?

Leia mais

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE

MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 118 MARKETING: UMA FERRAMENTA DA ADMINISTRAÇÃO APLICADA EM UMA ESCOLA DE INFORMÁTICA DE PEQUENO PORTE Diogo Xavier

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca

Fiorella Del Bianco. Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas. Posicionamento de produto e de marca Fiorella Del Bianco Roteiro para o desenvolvimento de novas ofertas Tema: Passos e estratégias mercadológicas para o desenvolvimento de novas ofertas (DNO). Objetivo: Esta aula visa apresentar os últimos

Leia mais

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS

SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS SECOVI SIMPLIFICANDO O MARKETING SERVIÇOS Marketing O que é para você? Como se faz? Quais os pontos chaves? Quais as maiores dificuldades? Marketing Vendas? Promoção? Publicidade? Marketing Simplificar

Leia mais

Fiorella Del Bianco. 3º estágio: maturidade. Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. 3º estágio: maturidade. Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nessa aula o aluno conhecerá em detalhes os estágios de maturidade e declínio do ciclo de vida do produto

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 10 Síntese Curso CRONOGRAMA - CURSO Data Assunto Detalhamento 8/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 15/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 22/mar

Leia mais

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto.

Fiorella Del Bianco. Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Fiorella Del Bianco Tema: Estágios de introdução e crescimento do ciclo de vida do produto. Objetivo: Nesta aula, o aluno conhecerá os estágios iniciais do ciclo de vida do produto (CVP), que são de introdução

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 3º Encontro - 24/02/2012 18:50 às 20:30h 02 Matar um elefante é fácil. Difícil é remover o cadáver. (Mikhail Gorbachev Estadista

Leia mais

Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço

Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço Um encontro de serviço é um período de tempo durante o qual clientes interagem diretamente

Leia mais

O que é MARKETING? As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazer nada.

O que é MARKETING? As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazer nada. O que é MARKETING? As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazer nada. Philip Kotler O objetivo do marketing é tornar a venda supérfula.

Leia mais

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING PROGRAMA PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA PRIME GESTÃO MERCADOLÓGICA 2009 REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING Todo comprador poderá adquirir o seu automóvel da cor que desejar, desde que seja preto.

Leia mais

Gestão da Produção e Operações. Prof. Dr. José Carlos de Souza Lima Produção e Operações na Organização

Gestão da Produção e Operações. Prof. Dr. José Carlos de Souza Lima Produção e Operações na Organização Gestão da Produção e Operações Prof. Dr. José Carlos de Souza Lima Produção e Operações na Organização Objetivo Analisar a importância da função produção e operações nas organizações e sua hierarquia identificando

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

- Propaganda. Desenvolver um programa integrado de Marketing que proporcione valor superior. - Conceber produtos, serviços e marcas

- Propaganda. Desenvolver um programa integrado de Marketing que proporcione valor superior. - Conceber produtos, serviços e marcas Introdução e Noções de Mercados Compreendendo o processo de Marketing ADMINISTRAÇÃO - Produtos - Serviços - Mercados - Processos MARKETING COMUNICAÇÃO - Propaganda Marketing é uma filosofia de negócio

Leia mais

Consultoria Empresarial

Consultoria Empresarial Consultoria Empresarial Referência : OLIVEIRA, Djalma CROCCO, Luciano; GUTIMANNN, Erick Prof- Daciane de O.Silva SURGIMENTO- Desde os tempos imemoriais COMO ISSO ACONTECIA? Os rabinos aconselhavam os fieis,

Leia mais

Marketing de Serviços

Marketing de Serviços 2 Marketing de Serviços Marcos Kahtalian 1 Um Panorama do Serviço Vivemos em uma economia de serviços. As estatísticas variam um pouco, mas de modo geral é possível atribuir 70% de toda a riqueza mundial

Leia mais

QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: UM ESTUDO EM UM CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO DE PARANAVAÍ PR

QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: UM ESTUDO EM UM CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO DE PARANAVAÍ PR QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: UM ESTUDO EM UM CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO DE PARANAVAÍ PR Letícia dos Santos 1 Josane Dantas Viaes 2 Bianca Burdini Mazzei 3 ISSN 2178-5007 RESUMO A qualidade no atendimento

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino.

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. RESUMO Camila Rezende Bambirra 1 Ronaldo Maciel Guimarães 2 Este artigo tem como objetivo Identificar

Leia mais

GESTÃO DE REDE PRESTADORA

GESTÃO DE REDE PRESTADORA GESTÃO DE REDE PRESTADORA REDE PRESTADORA DE SERVIÇOS DE SAÚDE É preciso fazer sua gestão!!! A rede de prestadores das operadoras é muito desorganizada, as operadoras não tem idéia de construção de rede.

Leia mais

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade

O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e Sustentabilidade Acadêmico Autor: Horácio Braga LALT - Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil - UNICAMP O Marketing no Setor de Transporte de Cargas: Serviços Intangíveis e

Leia mais

Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes. 1 Edição

Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes. 1 Edição Apresenta: O que pensam os pacientes como clientes O que pensam os pacientes como clientes 1 Edição AGENDA Metodologia Sinopse A Pesquisa METODOLOGIA TÉCNICA Pesquisa quantitativa, com abordagem pessoal

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Introdução Planejamento Divulgando sua loja Como fechar as vendas Nota Fiscal

Leia mais

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz

A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz A Estratégia na Gestão de Serviços em uma Grande Empresa de Telefonia na Cidade de São Paulo: um Estudo de Caso na Empresa Xyz Marcelo Rabelo Henrique marcelo@mrhenriqueconsult.com.br Unicastelo José Abel

Leia mais

Tema Nº 7 Gestão Comercial

Tema Nº 7 Gestão Comercial Tema Nº 7 Gestão Comercial Habilidades a Desenvolver: Identificar as diferenças entre marketing e vendas. Definir as ações de marketing a serem adotadas pela empresa. Estruturar os procedimentos comerciais

Leia mais

AULA 1 Marketing de Serviços

AULA 1 Marketing de Serviços AULA 1 Marketing de Serviços Prof: Carlos Alberto Bacharel em Administração Bacharel em Comunicação Social Jornalismo Tecnólogo em Gestão Financeira MBA em Gestão de Negócios Mestrado em Administração

Leia mais

Serviços: conceitos, características, natureza

Serviços: conceitos, características, natureza Serviços: conceitos, características, natureza Os diversos setores de serviços constituem, certamente, a parte da economia das nações que mais se desenvolve atualmente no mundo, atuando em segmentos tradicionais,

Leia mais

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços

Item 2 - Marketing. Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2- Marketing em empresas de serviços Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de serviços: SETOR DE SERVIÇOS Item 2 - Marketing Item 2.2 - Marketing em empresas de

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING

GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING GESTÃO ESTRATÉGICA DE MARKETING PÓS-GRADUAÇÃO / FIB-2009 Prof. Paulo Neto O QUE É MARKETING? Marketing: palavra em inglês derivada de market que significa: mercado. Entende-se que a empresa que pratica

Leia mais

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE

GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE GESTÃO DE FILAS: UM ESTUDO DE CASO EM TORNO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS NUMA AGÊNCIA BANCÁRIA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE - PE Debora Barbosa Guedes (UEPB ) deborabguedes@yahoo.com.br Anna Cristina

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ

A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO E SATISFAÇÃO DO CLIENTE: ESTUDO DE CASO EM UM HOSPITAL DE UROLOGIA EM MARINGÁ Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Análise de critérios para qualidade no atendimento ao consumidor em serviço

Análise de critérios para qualidade no atendimento ao consumidor em serviço VIII WORKSHOP DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA DO CENTRO PAULA SOUZA São Paulo, 9 e 10 de outubro de 2013 Sistemas produtivos: da inovação à sustentabilidade ISSN: 2175-1897 Análise de critérios para qualidade

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP.

SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. SATISFAÇÃO DO CLIENTE: Um estudo de caso em uma loja de roupa de Castilho/SP. Andressa Caroline Pereira Rufino Discente do 2º ano do curso de Administração FITL/AEMS Patrícia de Oliveira Docente das Faculdades

Leia mais

Administração. Introdução. Atividades Industriais 5/9/2012. Gestão de Operações e Qualidade I. Profa: Ma. Patricia Brecht Innarelli

Administração. Introdução. Atividades Industriais 5/9/2012. Gestão de Operações e Qualidade I. Profa: Ma. Patricia Brecht Innarelli Administração Profa: Ma. Patricia Brecht Innarelli Gestão de Operações e Qualidade I Introdução Está relacionada às atividades de produção de bens físicos ou a produção/prestação de serviços. De acordo

Leia mais

Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02

Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02 Conceituação e Entendimento da Gestão Estratégica Parte 02 Agenda: Organização X Empresa Empresas de Serviços Classificação Tipos de Clientes Ciclo de Vida Por que gerenciar estrategicamente uma empresa

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014. http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/

Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014. http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/ Empreender 360º - Apoios ao Empreendedorismo! 23-05-2014 http://www.strongautomotive.com/step-back-evaluate-2014-marketing-plan/ Estrutura possível de um plano de marketing 1. Sumário Executivo 7. Marketing-mix

Leia mais

Cartilha de Treinamento para Garçons.

Cartilha de Treinamento para Garçons. Cartilha de Treinamento para Garçons. Informe-se e saia na frente. A Sodexo é a melhor parceira na hora de incentivar o crescimento e desenvolvimento de seu negócio. Está presente em cada etapa da administração

Leia mais

MARKETING DE SERVIÇOS: Análise em duas grandes redes de supermercados no município de Três Lagoas MS.

MARKETING DE SERVIÇOS: Análise em duas grandes redes de supermercados no município de Três Lagoas MS. MARKETING DE SERVIÇOS: Análise em duas grandes redes de supermercados no município de Três Lagoas MS. Anderson Ferreira Campos Discente do 4º ano do Curso de Administração FITL/AEMS Ângela de Souza Brasil

Leia mais

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS RESTAURANTES DE SOBRAL

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS RESTAURANTES DE SOBRAL A QUALIDADE DOS SERVIÇOS PRESTADOS NOS RESTAURANTES DE SOBRAL KECIA CRISTINA PEREIRA DE SOUSA 1 Resumo: O objetivo principal desta pesquisa é analisar a satisfação dos clientes em relação aos serviços

Leia mais

Práticas e Procedimentos Básicos de Manutenção Capítulo II Manutenção e Produção

Práticas e Procedimentos Básicos de Manutenção Capítulo II Manutenção e Produção Práticas e Procedimentos Básicos de Manutenção Capítulo II Manutenção e Produção 1 A função Manutenção Política Orçamento Direção Material Pós-venda Sub-contratação Comercial Manutenção Recursos Humanos

Leia mais

Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Posicionamento: uma batalha por sua mente, além das definições de Philip Kotler.

Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Posicionamento: uma batalha por sua mente, além das definições de Philip Kotler. Fiorella Del Bianco Tema: Apresentação de alguns conceitos de posicionamento. Objetivo: Através desta aula o aluno obterá o conhecimento de algumas opções de estratégias para posicionar adequadamente a

Leia mais

Estratégias operacionais para serviços de alimentação

Estratégias operacionais para serviços de alimentação Estratégias operacionais para serviços de alimentação 5.1. Dimensionamento da capacidade. 5.2. Decisão sobre localização. 5.3. Decisão sobre os processos operacionais. 5.4. Definição dos fornecedores.

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

27/10/2014. Gestão da Qualidade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade

27/10/2014. Gestão da Qualidade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade. Qualidade e Produtividade Gestão da Qualidade Reflexões É hora de aprender de novo. Ainda não defini o que, porém será em algum lugar, em alguma ocasião, mas tem de ser logo." Lord Beaverbrook (83 anos) "Qualidade começa com EDUCAÇÃO

Leia mais

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B GERENTE GERAL Sexo: Masculino ou Feminino Idade: entre 25 e 40 anos Escolaridade: ensino superior completo (Administração, contabilidade ou hotelaria)

Leia mais

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

PARTE IV Consolidação do Profissional como Consultor. Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc. FATERN Faculdade de Excelência Educacional do RN Coordenação Tecnológica de Redes e Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Sistemas para Internet Técnicas de Consultoria Prof. Fabio Costa Ferrer, M.Sc.

Leia mais

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04

Introdução 02. A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03. A Definição do Negócio 03. Imagem 03. Objetivos Financeiros 04 ESTUDO DE CASO A construção do BSC na ESPM do Rio de Janeiro Alexandre Mathias Diretor da ESPM do Rio de Janeiro INDICE Introdução 02 A Estratégia Corporativa ESPM Brasil 03 A Definição do Negócio 03 Imagem

Leia mais

FACULDADE PEDRO II INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARKETING DE SERVIÇOS

FACULDADE PEDRO II INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARKETING DE SERVIÇOS FACULDADE PEDRO II INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARKETING DE SERVIÇOS ADRIANA VIEIRA ARCANJO ANDRADE GIOVANE DA SILVA GUILHERME CHAVES KENYA OLIVEIRA WEVERTON DE OLIVEIRA BELO

Leia mais

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e

Uma indústria mantém estoque de materiais; Um escritório contábil mantém estoque de informações; e Fascículo 2 Gestão de estoques Segundo Nigel Slack, estoque é definido como a acumulação armazenada de recursos materiais em um sistema de transformação. O termo estoque também pode ser usado para descrever

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

MARKETING HOSPITALAR. Marketing e Marketing de Saúde: Iguais, porém diferentes. Carlos Frederico Silva Habel

MARKETING HOSPITALAR. Marketing e Marketing de Saúde: Iguais, porém diferentes. Carlos Frederico Silva Habel Marketing e Marketing de Saúde: Iguais, porém diferentes. Carlos Frederico Silva Habel Carlos Frederico Silva Habel Pós-graduado em Administração Mercadológica / Marketing pela UNA MG, especialista em

Leia mais

Pindyck & Rubinfeld, Capítulo 11, Determinação de Preços :: REVISÃO 1. Suponha que uma empresa possa praticar uma perfeita discriminação de preços de

Pindyck & Rubinfeld, Capítulo 11, Determinação de Preços :: REVISÃO 1. Suponha que uma empresa possa praticar uma perfeita discriminação de preços de Pindyck & Rubinfeld, Capítulo 11, Determinação de Preços :: REVISÃO 1. Suponha que uma empresa possa praticar uma perfeita discriminação de preços de primeiro grau. Qual será o menor preço que ela cobrará,

Leia mais

intangível e o Gestão de Negócios Eletrônicos em Empresas Informativas Entendendo Entendendo www.ricardoalmeida.adm.br

intangível e o Gestão de Negócios Eletrônicos em Empresas Informativas Entendendo Entendendo www.ricardoalmeida.adm.br Gestão de Negócios Eletrônicos em Empresas Informativas www.ricardoalmeida.adm.br ricardoalmeida@ricardoalmeida.adm.br Apoio: Entendendo É difícil definir o termo serviço o porque, invariavelmente, ele

Leia mais

Plano de marketing Um roteiro para a ação

Plano de marketing Um roteiro para a ação Plano de marketing Um roteiro para a ação 1. Planejar, planejar, planejar 2. Planejamento de marketing e plano de marketing 3. Processo de elaboração e roteiro do plano de marketing 4. Detalhamento do

Leia mais

A intangibilidade dos serviços

A intangibilidade dos serviços A intangibilidade dos serviços Rosaly Machado (UTFPR)rosalymachado@uol.com.br Prof. Dr. Dalcio Roberto dos Reis (UTFPR) dalcioreis@terra.com.br Prof. Dr. Luiz Alberto Pillati (UTFPR) lapilatti@pg.cefetpr.br

Leia mais

Gestão de Operações. Introdução a Engenharia de Produção

Gestão de Operações. Introdução a Engenharia de Produção Gestão de Operações Introdução a Engenharia de Produção Operações e Produtividade Produção: criação de bens e serviços Gestão de operações: conjunto de atividades que criam os bens e serviços por meio

Leia mais

Inovação em Serviços

Inovação em Serviços Disciplina: Fundamentos de Gestão da Inovação Professores: João Artur e Gertrudes Ap. Dandolini Inovação em Serviços Robinson Luis Sezanowitch Eugênio Roberto Bignes Paula Campos Estrutura da Apresentação

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

O Que é um Produto? Capítulo 8. Produtos, Serviços e Experiências. O Que é um Serviço? Estratégia de Produtos e Serviços

O Que é um Produto? Capítulo 8. Produtos, Serviços e Experiências. O Que é um Serviço? Estratégia de Produtos e Serviços Capítulo 8 Estratégia de Produtos e Serviços 1 O Que é um Produto? Um Produto é algo que pode ser oferecido a um mercado para apreciação, aquisição, uso ou consumo e para satisfazer um desejo ou uma necessidade.

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados:

A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados: A fim de gerenciar as vendas em uma loja, os seguintes requisitos devem ser atendidos pela modelagem de dados: Vendas são efetuadas por um Vendedor em um determinado momento (indicado por uma data e um

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Aula 13 Elaboração de Questionários

Aula 13 Elaboração de Questionários Metodologia Científica Aula 13 Elaboração de Questionários Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br Elaboração de Questionários DETERMINAÇÃO DAS VARIÁVEIS DE PESQUISA Um bom questionário

Leia mais

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto

Módulo 6. O Produto. 6.1. Conceito de produto Módulo 6. O Produto Para os consumidores a existência de uma multiplicidade de produtos expostos no mercado, cheio de características e adicionais, é de encher os olhos. A livre concorrência possibilita

Leia mais

MBA MARKETING DE SERVIÇOS. Turma 19. Curso em Ambiente Virtual

MBA MARKETING DE SERVIÇOS. Turma 19. Curso em Ambiente Virtual MBA MARKETING DE SERVIÇOS Turma 19 Curso em Ambiente Virtual Semana 2: Características do Marketing de Serviços São Paulo, 6 de Setembro de 2011 1 Semana 2: Características do Marketing de Serviços 1.

Leia mais

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5

Introdução...3. O que é marca?...4. Marcas x produtos...4. Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Marcas Marcas Introdução...3 O que é marca?...4 Marcas x produtos...4 Kotler apresenta cinco níveis para um produto:...5 Exemplo de diferentes níveis de produto...6 Desafios do branding...8 Conceito de

Leia mais

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA

CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA CIRCULAR DE OFERTA DE FRANQUIA 1. Da Empresa Franqueadora 1.1 Breve Histórico De chapeiro a dono de Franquia de fast-food. Essa seja talvez a definição mais correta do criciumense Antônio Marco da Silva.

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

MARKETING CARE NEWSLETTER

MARKETING CARE NEWSLETTER MARKETING CARE NEWSLETTER Destaques desta Edição Por José Maria de Carvalho C o n t e Ú d o Conhecimento MARKETING DIGITAL O que é Marketing Digital? Quais as aplicações na área da Saúde? BRANDING & MARCA

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas

6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas 6 Modelo proposto: projeto de serviços dos sites de compras coletivas A partir do exposto, primeiramente apresentam-se as fases discriminadas no modelo proposto por Mello (2005), porém agora direcionadas

Leia mais

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi Marketing Prof. Angelo Polizzi Gestão de Produção Gestão de Produção Objetivos: Mostrar que produtos (bens e serviços) consumidos, são produzidos em uma ordem lógica, evitando a perda ou falta de insumos

Leia mais

As características e elementos dos serviços

As características e elementos dos serviços Estratégia da empresa. As características e elementos dos serviços Capítulo 2 Ambiente Outros atores Concorrentes Parceiros Estratégia de operações Preço O famoso framework Lucratividade de Corrêa & Caon

Leia mais

AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO

AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO AS PRINCIPAIS FERRAMENTAS DO MARKETING PESSOAL EMPREGADAS PELO MERCADO No mundo globalizado e competitivo em que vivemos, surgem novas necessidades tanto para o consumidor como para as empresas, saber

Leia mais

Os 4 P s. P de PRODUTO

Os 4 P s. P de PRODUTO Os 4 P s P de PRODUTO O que é um Produto? Produto é algo que possa ser oferecido a um mercado para aquisição, uso ou consumo e que possa satisfazer a um desejo ou necessidade. Os produtos vão além de bens

Leia mais

Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Relatório de Avaliação TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS A temática tecnologia da informação esta em todas as áreas: áreas da saúde, empresarial, governamental. A humanidade está entrando

Leia mais

GRADUAÇÃO FTS ADM. EMPRESAS

GRADUAÇÃO FTS ADM. EMPRESAS ADMINISTRAÇÃO MERCADOLOGICA I GRADUAÇÃO FTS ADM. EMPRESAS ADMINISTRAÇÃO MERCADOLOGICA I MARKETING MIX 1. James Culliton (dec. 1940 EUA) que chamava os executivos de liquidificadores (mixers) - materializarem

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Prof. Esp. Lucas Cruz

Prof. Esp. Lucas Cruz Prof. Esp. Lucas Cruz Nota do Professor. Prova 1 - Conteúdo. Prova 2 Livro. Projeto. O que é Marketing O marketing envolve a identificação e a satisfação das necessidades humanas e sociais kotler De

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 3ª Série Gestão em Marketing CST em Marketing A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral

Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação Profº Dr. Raul Amaral Estratégias de recursos humanos para serviços de alimentação. 1. Formação e manutenção da equipe de trabalho. 2. Pesquisa

Leia mais

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br

VIAJE LEGAL. www.viajelegal.turismo.gov.br Aqui você encontra dicas para viajar sem problemas. Afinal, uma viagem legal é aquela que traz boas recordações. Palavra do Ministro Prezado leitor, O turismo é uma atividade que envolve expectativas e

Leia mais

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição

COMO VENDER. A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição BP COMO VENDER A IMAGEM DA SUA ESCOLA Dicas que garantem a visibilidade da sua instituição PRODUTOS EDUCACIONAIS MULTIVERSO Avenida Batel, 1750 Batel CEP 80420-090 Curitiba/PR Fone: (41) 4062-5554 Editor:

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei GESTÃO DE SERVIÇOS Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Conceito de Serviço Serviço é qualquer ato ou desempenho, essencialmente intangível, que uma parte pode oferecer

Leia mais

11. A importância da produtividade e eficiência no Pós-Venda

11. A importância da produtividade e eficiência no Pós-Venda CURSOS FENABRAVE 1. Bem vindo ao setor automotivo 2. Relacionamento Interpessoal e Equipes de Trabalho 3. Qualidade no Atendimento ao cliente no Pós-Venda 4. Qualidade no Atendimento ao cliente em Vendas

Leia mais

MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1. sc. Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc. Slide 01

MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1. sc. Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc. Slide 01 MERCADOLOGIA 2º ANO DE ADMINISTRAÇÃO FARN 2009.1 Prof. Franklin Marcolino de Souza, M.sc sc. Slide 01 O QUE O MARKETING NÃO É? MARKETING NÃO É PROPAGANDA. MARKETING NÃO É VENDAS. MARKETING NÃO É MERAMENTE

Leia mais

1 Visão Sistêmica das Organizações

1 Visão Sistêmica das Organizações Aula 10 Teoria Geral de Sistemas 27/09/2007 Universidade do Contestado UnC/Mafra Curso Sistemas de Informação Prof. Carlos Guerber ENFOQUE SISTÊMICO NAS ORGANIZAÇÕES 1 Visão Sistêmica das Organizações

Leia mais

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO

FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO CONTEÚDO DO CURSO DE FORMAÇÃO DE PREÇO DE SERVIÇO PROMOVIDO PELA www.administrabrasil.com.br - CONCEITO DE PREÇO NOS SERVIÇOS - FATORES DETERMINANTES DOS PREÇOS - ESTRATÉGIAS E ASPECTOS IMPORTANTES PARA

Leia mais

2 Referencial teórico. 2.1 Concepção do projeto de serviços

2 Referencial teórico. 2.1 Concepção do projeto de serviços 2 Referencial teórico 2.1 Concepção do projeto de serviços Entender o projeto de serviço requer o entendimento dos processos envolvidos, os quais se diferenciam dos processos de manufaturas em vários aspectos

Leia mais