UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI Dezembro 2009

2 Genética Molecular E Exercício

3 OBJETIVO DO CURSO 1- INTRODUÇAO DO CONCEITO DE GENÉTICA E DESEMPENHO 2- TREINAMENTO E HIPERTROFIA MUSCULAR: UMA ABORDAGEM GENÉTICA. 3- MECANISMOS DE MODULAÇÃO MOLECULAR DO CONTROLE DO PESO (TREINOS DE ALTA E BAIXA INTENSIDADE) 4- TERAPIA GENÉTICA E DOPPING GENÉTICO

4 OBJETIVO DO CURSO ( PERGUNTAS QUE NAO QUEREM CALAR 1- PORQUE EU MALHO COMO UM LOUCO E NÃO EMAGREÇO. 2- PORQUE 3X10E 2X20?? 3- PARA EMAGRECER TEM QUE CORRER? 4- UMA VEZ FRANGO, FRANGO FOREVER????

5 Hereditariedade Carga Familiar Gene Genética Predisposição genética

6

7 Núcleo Celular Núcleo Celular Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo

8 Núcleo Celular Núcleo Celular Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo

9 Núcleo Celular Núcleo Celular Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo

10

11

12 Núcleo Celular Núcleo Celular Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo

13 Núcleo Celular Núcleo Celular Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo Núcleo

14

15

16 Calendario February January Mon Tue March Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun 2 3 Wed Thu Fri Sat Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat May April Mon Tue June Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun Wed Thu Fri Sat Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat August July Mon Tue September Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat Sun 2 3 Wed Thu Fri Sat Sun Mon Tue Wed Thu Fri Sat

17

18

19 ESTERÓIDES ANABOLIZANTES ANDROGÊNICOS (EAA)

20 FORMAS: ORAIS COMPRIMIDOS CAPSULAS INJETAVÉIS OLEOSOS AQUOSOS Esteróides Anabólicos Androgênios

21 Treinamento Físico

22

23

24

25

26

27 GENÉTICA E DESEMPENHO

28 ADAPTAÇÕES FUNCIONAIS AO TREINO

29 CONTROLE CELULAR

30 CÉLULA

31 CÉLULA

32

33 ADIPÓCITOS INTERFIBRILARES Corte Transversal de Músculo Sóleo de ratos em Microscopia óptica. Fixação com Tetróxido de ósmio em historesina, aumento 400x.

34 TG INTRAMUSCULAR Corte Longitudinal de Músculo Sóleo de ratos em Microscopia Eletrônica. Aumento 11573x.

35 TG x MITOCÔNDRIA Corte Longitudinal de Músculo Sóleo de ratos em Microscopia Eletrônica. Aumento 30409x.

36

37

38

39

40

41 Cariótipo

42

43

44 Genes moduladores PPARs ATROGIN AKT UCP FABP IGF-1 Leptina LPL APOB MC4R GDF-8 mtor NPY PC1 POMC LEPr CPT1 IRS

45

46 Modulação genética????

47

48 Genes moduladores da obesidade CENAS DOS PRÓXIMOS CAPITULOS...

49 DNA

50 Nucleotídeo

51 Nucleotídeos

52 Bases púricas Adenina guanina Bases pirimídicas citosina Timina Uracila

53 Bases Nitrogenadas

54 gaggagagtg agtagtactg ttggggacgg cgtggcaggc tggcccacgg agtttatactg cgtaaaagg

55 Bases do RNA

56 Regiões do DNA Exon região codificadora Intron região não codificadora DNA lixo (???)

57 Exon 1: 1-66 Exon 2: Receptor B1 de Cinina 1 atttcaggtt cctgtggatg gcgtccgagg tcttgttgga gctccagccc tctaaccgaa 61 gcctgcaggc ccctgccaac attacctcct gcgagagtgc cctagaagac tgggacctgc 121 tgtatcgggt gctgccaggg ttcgtcatca ctatctgctt ctttggcctc ttggggaacc 181 ttttagtctt gtccttcttc cttttgcctt ggcgacagtg gtggtggcag caacgacaga 241 ggcagcagcg cttaaccata gcggaaatct acctggctaa cttggcggct tccgatctgg 301 tgtttgtcct gggcctgccc ttctgggcag agaacatcgg gaaccgtttc aactggccct 361 tcggaactga cctctgccgg gtggtcagcg gggtcatcaa ggccaacctg tttgtcagca 421 tcttcctggt ggtggctatc agtcaggacc gctacaggct cctggtatac cccatgacca 481 gctgggggta ccggcggcga cggcaagccc aagctacgtg cctgctcatc tgggtagccg 541 ggggtctctt gagcatcccc acattccttc tacgctctgt taaagtcgtc cccgatctga 601 acgtctctgc ctgcatcctg cttttccccc acgaggcttg gcactttgca aggatggtgg 661 agttgaacgt tttgggtttc ctcctccccg tgactgctat catcttcttc aactatcaca 721 tcctggcctc cctgagagga cagaaggagg ccagcaggac taggtgtggg ggtcccaagg 781 gcagcaagac gacggggctg atcctcacac tggtagcctc cttcctggtc tgctggtgcc 841 cttaccactt cttcgctttc ctggatttcc tggtccaggt aagagtgatc caggactgct 901 cctggaagga gatcacagac ctgggcctgc agctcgccaa cttctttgcc tttgtcaaca 961 gctgcttgaa cccactgatt tatgtcttcg caggccggct ccttaagacc agggttctgg 1021 ggactttata aatgatgcaa ccgagaagcc tcatgcccat gtggcccaac aggaagggac 1081 tcttccaatt atcctgctgg aattgaaaca gcattgagcc

58 EXERCÍCIO X EXPRESSÃO GÊNICA O exercício influência a expressão gênica de enzimas ligadas ao transporte e oxidação de ácidos graxos (HARGREAVES & CAMERON-SMITH, 2002; TUNSTALL et al., 2002)

59 O que é Transcrição Gênica???

60 EFEITO DE TRANSDUÇÃO BIOLÓGICA DE SINAIS FOFOCA

61

62 PROTEÍNA G E TRANSCRIÇÃO GÊNICA

63

64

65 CONTROLE DATRANSCRIÇÃO GÊNICA

66

67 Exon 1: 1-66 Exon 2: Receptor B1 de Cinina 1 atttcaggtt cctgtggatg gcgtccgagg tcttgttgga gctccagccc tctaaccgaa 61 gcctgcaggc ccctgccaac attacctcct gcgagagtgc cctagaagac tgggacctgc 121 tgtatcgggt gctgccaggg ttcgtcatca ctatctgctt ctttggcctc ttggggaacc 181 ttttagtctt gtccttcttc cttttgcctt ggcgacagtg gtggtggcag caacgacaga 241 ggcagcagcg cttaaccata gcggaaatct acctggctaa cttggcggct tccgatctgg 301 tgtttgtcct gggcctgccc ttctgggcag agaacatcgg gaaccgtttc aactggccct 361 tcggaactga cctctgccgg gtggtcagcg gggtcatcaa ggccaacctg tttgtcagca 421 tcttcctggt ggtggctatc agtcaggacc gctacaggct cctggtatac cccatgacca 481 gctgggggta ccggcggcga cggcaagccc aagctacgtg cctgctcatc tgggtagccg 541 ggggtctctt gagcatcccc acattccttc tacgctctgt taaagtcgtc cccgatctga 601 acgtctctgc ctgcatcctg cttttccccc acgaggcttg gcactttgca aggatggtgg 661 agttgaacgt tttgggtttc ctcctccccg tgactgctat catcttcttc aactatcaca 721 tcctggcctc cctgagagga cagaaggagg ccagcaggac taggtgtggg ggtcccaagg 781 gcagcaagac gacggggctg atcctcacac tggtagcctc cttcctggtc tgctggtgcc 841 cttaccactt cttcgctttc ctggatttcc tggtccaggt aagagtgatc caggactgct 901 cctggaagga gatcacagac ctgggcctgc agctcgccaa cttctttgcc tttgtcaaca 961 gctgcttgaa cccactgatt tatgtcttcg caggccggct ccttaagacc agggttctgg 1021 ggactttata aatgatgcaa ccgagaagcc tcatgcccat gtggcccaac aggaagggac 1081 tcttccaatt atcctgctgg aattgaaaca gcattgagcc

68 OS FATORES DE TRANSCRIÇÃO SÃO OS GERENTES DO DNA...

69

70 PPAR gama Miostatina PGC-1 SREBPs PPAR Alfa PPAR Beta

71 Promotor Exon Intron Exon Fatores de Transcrição RNA mensageiro

72 FATORES DE TRANSCRIÇÃO mecanismo de ativação transcricional liganten FT ligante CA Reg. Prom. Genes alvos 5 3

73 FATORES DE TRANSCRIÇÃO mecanismo de ativação transcricional n FT CA Reg. Prom. Genes alvos 5 3

74 FATORES DE TRANSCRIÇÃO mecanismo de ativação transcricional n FT CA Reg. Prom. Genes alvos 5 3 Trans. gênica

75 zzzz zz...

76

77

78 Replicação DNA

79

80 REPLICAÇÃO DNA SEMI- CONSERVATIVA

81 atttcaggtt cctgtggatg gcgtccgagg tcttgttgga gctccagccc tctaaccgaa gcctgcaggc ccctgccaac attacctcct gcgagagtgc cctagaagac tgggacctgc tgtatcgggt gctgccaggg ttcgtcatca ctatctgctt ctttggcctc ttggggaacc ttttagtctt gtccttcttc cttttgcctt ggcgacagtg gtggtggcag caacgacaga ggcagcagcg cttaaccata gcggaaatct acctggctaa cttggcggct tccgatctgg tgtttgtcct gggcctgccc ttctgggcag agaacatcgg gaaccgtttc aactggccct tcggaactga cctctgccgg gtggtcagcg gggtcatcaa ggccaacctg tttgtcagca gctgggggta ccggcggcga cggcaagccc aagctacgtg cctgctcatc tgggtagccg acgtctctgc ctgcatcctg cttttccccc acgaggcttg gcactttgca aggatggtgg agttgaacgt tttgggtttc ctcctccccg tgactgctat catcttcttc aactatcaca tcctggcctc cctgagagga cagaaggagg ccagcaggac taggtgtggg ggtcccaagg gcagcaagac gacggggctg atcctcacac tggtagcctc cttcctggtc tgctggtgcc cttaccactt cttcgctttc ctggatttcc tggtccaggt aagagtgatc caggactgct cctggaagga gatcacagac ctgggcctgc agctcgccaa cttctttgcc tttgtcaaca ctgcttgaa cccactgatt tatgtcttcg caggccggct ccttaagacc agggttctgg ggactttata aatgatgcaa ccgagaagcc tcatgcccat gtggcccaac aggaagggac tcttccaatt atcctgctgg aattgaaaca gcattgagcc atttcaggtt cctgtggatg gcgtccgagg tcttgttgga gctccagccc tctaaccgaa gcctgcaggc ccctgccaac attacctcct gcgagagtgc cctagaagac tgggacctgc tgtatcgggt gctgccaggg tcgtcatca ctatctgctt ctttggcctc ttggggaacc ttttagtctt gtccttcttc cttttgcctt gcgacagtg gtggtggcag caacgacaga ggcagcagcg cttaaccata gcggaaatct acctggctaa cttggcggct tccgatctgg tgtttgtcct gggcctgccc ttctgggcag gaacatcgg gaaccgtttc aactggccct tcggaactga cctctgccgg gtggtcagcg gggtcatcaa ggccaacctg tttgtcagca tcttcctggt ggtggctatc agtcaggacc gctacaggct cctggtatac cccatgacca

82 Tradução

83

84

85

86

87

88 Mutações Gênicas

89 A molécula de DNA, formada por milhões de nucleotídeos em cadeia, sofre às vezes alterações, chamadas mutações, com a substituição de certos nucleotídeos por outros diferentes.. Muitas vezes, as mutações tornam-se estáveis, sendo transmitidas aos descendentes. É muito grande a variação no número e no tipo de mutações estáveis do DNA

90 CONCEITO Mutações gênicas são mudanças repentinas que ocorrem nos genes, ou seja, é o processo pelo qual um gene sofre uma mudança estrutural. As mutações distinguem-se das aberrações por serem alterações induzidas, envolvendo a eliminação ou substituição de um ou poucos nucleotídeos da fita de DNA.

91 A gata ataca Mutações Pontual Adição Deleção

92 AGENTES MUTAGÊNICOS Os agentes mutagênicos são de natureza química ou física. A seguir é descrito alguns agentes e suas ações. Agentes Físicos a) temperatura Em determinados organismos a variação de 10ºC pode duplicar a taxa de mutação. b) Radiações

93 Proteínas

94

95 Classes e Funções das Proteínas Hormônios Estrutural Alimentar Enzimáticas Transportadora Imunológica Reguladora

96 Aminoácido Resíduo da cadeia lateral

97

98

99 Aminoácidos essenciais:(animais) Leucina, isoleucina, valina, triptofano, metionina, fenilalanina, treonina e lisina (a histidina é um aminoácido essencial na infância). Aminoácidos não-essenciais:(vegetais) Alanina, arginina, ácido aspártico, aspargina, ácido glutâmico, cistina, cisteína, glicina, glutamina, hidroxiprolina, prolina, serina e tirosina.

100 Símbolo dos aminoácidos A Ala Alanina B Asx Asparagina ou Aspartato C Cis oucys Cisteína D Asp Aspartato (Ácido aspartico) E Glu Glutamato (Ácido glutâmico) F Fen ou Phe Fenilalanina G Gli ou Gly Glicina H His Histidina I Ile Isoleucina K Lis ou Lys Lisina L Leu Leucina M Met Metionina N Asn Asparagina P Pro Prolina Q Gln Glutamina (Glutamida) R Arg Arginina S Ser Serina T Tre ou Thr Treonina V Val Valina W Trp Triptofano (Triptofana) Y Tir ou Tyr Tirosina Z Glx Glutamina ou Glutamato

101 ESTRUTURA das PROTEÍNAS Conformação da cadeia (Estrutura espacial e tridimensional) PRIMÁRIA SECUNDÁRIA TERCIÁRIA QUATERNÁRIA α-hélice, Pontes de H cadeias peptídicas folha β pregueada = proteína funcional

102

103 Estrutura Terciária

104 Estrutura Quaternária

105

106 Three-dimensional structure of leptin. The region identified in the picture by numbers as amino acids 39, 40, 41, 42 underwent mutation that converted the normal leptin into an antagonistic version

107 Performance e Polimorfismo do DNA

108 O sentido da palavra polimorfismo é o uso de um único nome para definir várias formas distintas. Em linguagens de programação, polimorfismo é uma facilidade que permite que dois ou mais objetos diferentes respondam a mesma mensagem. Uma analogia ao polimorfismo é o sinal dos colégios. Embora seja um único sinal, ele significa coisas distintas para cada aluno: uns vão para casa, outros para biblioteca e terceiros voltam para sala de aula, todos respondem ao sinal, mas cada um do seu jeito.

Influência da Genética desempenho

Influência da Genética desempenho UNIVERSIDADE GAMA FILHO PÓS-GRADUAÇÃO Nível: LATO SENSU Curso: FISIOLOGIA E TREINAMENTO APL. ATIVIDADES DE ACADEMIAS E CLUBES Influência da Genética desempenho Prof. Drd. LUIZ CARLOS CARNEVALI luizcarnevalijr@usp.br

Leia mais

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia

UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia UFABC Bacharelado em Ciência & Tecnologia Transformações Bioquímicas (BC0308) Prof Luciano Puzer http://professor.ufabc.edu.br/~luciano.puzer/ Propriedades, funções e transformações de aminoácidos e proteínas

Leia mais

14/02/2017. Genética. Professora Catarina

14/02/2017. Genética. Professora Catarina 14/02/2017 Genética Professora Catarina 1 A espécie humana Ácidos nucleicos Tipos DNA ácido desoxirribonucleico RNA ácido ribonucleico São formados pela união de nucleotídeos. 2 Composição dos nucleotídeos

Leia mais

Aminoácidos peptídeos e proteínas

Aminoácidos peptídeos e proteínas Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Aminoácidos peptídeos e proteínas Prof. Macks Wendhell Gonçalves, Msc mackswendhell@gmail.com Algumas funções de proteínas A luz produzida

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP.

Aminoácidos. Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Aminoácidos Prof. Dr. Walter F. de Azevedo Jr. Laboratório de Sistemas BioMoleculares. Departamento de Física. UNESP São José do Rio Preto. SP. Resumo Introdução Quiralidade Ligação peptídica Cadeia peptídica

Leia mais

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

Aminoácidos FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Aminoácidos Disciplina: Bioquímica I Prof. Me. Cássio Resende de Morais Introdução Proteínas são as macromoléculas

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra

CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA. Aminoácidos. Prof. Willame Bezerra CURSO: ENFERMAGEM DISCIPLINA: BIOQUÍMICA HUMANA PROF. WILLAME BEZERRA Aminoácidos Prof. Willame Bezerra As proteínas são as biomoléculas mais abundantes nos seres vivos e exercem funções fundamentais em

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II. DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II. DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI 1º & 2º TURNOS 3ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO REGULAR & INTEGRADO ANO LETIVO 2015 PROFESSORES: FRED & PEDRO

Leia mais

Composição química celular

Composição química celular Natália Paludetto Composição química celular Proteínas Enzimas Ácidos nucléicos Proteínas Substâncias sólidas; Componente orgânico mais abundante da célula. Podem fornecer energia quando oxidadas, mas

Leia mais

DNA, RNA E INFORMAÇÃO

DNA, RNA E INFORMAÇÃO DNA, RNA E INFORMAÇÃO OS ÁCIDOS NUCLEICOS Embora descobertos em 1869, por Miescher, no pus das bandagens de ferimentos, o papel dos ácidos nucleicos na hereditariedade e no controle da atividade celular

Leia mais

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica

AMINOÁCIDOS. Dra. Flávia Cristina Goulart. Bioquímica AMINOÁCIDOS Dra. Flávia Cristina Goulart Bioquímica Os aminoácidos (aa). O que são? AMINOÁCIDOS São as unidades fundamentais das PROTEÍNAS. São ácidos orgânicos formados por átomos de carbono, hidrogênio,

Leia mais

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília

Aminoácidos e Peptídeos. Profa. Alana Cecília Aminoácidos e Peptídeos Profa. Alana Cecília O que são aminoácidos? A estrutura geral dos aminoácidos inclui um grupo amina e um grupo carboxila, ambos ligados ao carbono α (aquele próximo ao grupo carboxila);

Leia mais

BASES NITROGENADAS DO RNA

BASES NITROGENADAS DO RNA BIO 1E aula 01 01.01. A determinação de como deve ser uma proteína é dada pelos genes contidos no DNA. Cada gene é formado por uma sequência de códons, que são sequências de três bases nitrogenadas que

Leia mais

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry

Proteínas. As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry Proteínas As proteínas são o centro da acção em todos os processos biológicos. Voet & Voet Biochemistry As proteínas são os compostos orgânicos mais abundantes dos organismos vivos (~50% do peso sêco)

Leia mais

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs

Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Aminoácidos (aas) Prof.ª: Suziane Antes Jacobs Introdução Pequenas moléculas propriedades únicas Unidades estruturais (UB) das proteínas N- essencial para a manutenção da vida; 20 aminoácidos-padrão -

Leia mais

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE

GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE GENÉTICA HISTÓRICO CARACTERÍSTICAS LEIS DE MENDEL PROBABILIDADE DEFINIÇÃO Palavra de origem grega gennos (fazer nascer- geração). Estudo dos mecanismos de transmissão de características de uma espécie,

Leia mais

A Molécula da Vida. Estrutura

A Molécula da Vida. Estrutura A Molécula da Vida Os cromossomos de células eucarióticas são formado por DNA associado a moléculas de histona, que são proteínas básicas. É na molécula de DNA que estão contidos os genes, responsáveis

Leia mais

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas.

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas. 1- TIPOS DE ÁCIDO NUCLÉICO: DNA E RNA Existem dois tipos de ácidos nucléicos: - Ácido desoxirribonucléico (ADN ou DNA): é o principal constituinte dos cromossomos, estrutura na qual encontramos os genes,

Leia mais

Introdução à Biologia Celular e Molecular

Introdução à Biologia Celular e Molecular Introdução à Biologia Celular e Molecular Este texto foi retirado do anexo de [Lem00], revisado por [Bas00], e tem como objetivo principal apresentar alguns conceitos básicos de biologia celular e molecular.

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial. Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL FREDERICO GUILHERME SCHMIDT Escola Técnica Industrial Disciplina de Biologia Primeiro Ano Curso Técnico de Eletromecânica Prof. Diogo Schott diogo.schott@yahoo.com Substâncias orgânicas

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Química

Programa de Pós-Graduação em Química 1/12 Programa de Pós-Graduação em Química PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Duração da Prova: 4 horas São José do Rio Preto, 24 de Janeiro de 2013. Departamento 1 2/12 Questão 1. Os haloalcanos, também

Leia mais

Aula 1. Referência. Bancos de Dados. Linguagem x Informação. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Introdução ao Curso: Aminoácidos.

Aula 1. Referência. Bancos de Dados. Linguagem x Informação. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas. Introdução ao Curso: Aminoácidos. Introdução a Bioquímica: Biomoléculas Aula 1 Introdução ao urso: Aminoácidos eferência Autores: Ignez aracelli e Julio Zukerman-Schpector Editora: EdUFSar Ignez aracelli BioMat DF UNESP/Bauru Julio Zukerman

Leia mais

REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1

REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1 FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS - FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS REVISÃO: ENADE BIOQUÍMICA - 1 Prof. Me. Cássio Resende de Morais Propriedades da Água Introdução Substância líquida,

Leia mais

Soluções de Conjunto de Problemas 1

Soluções de Conjunto de Problemas 1 Soluções de 7.012 Conjunto de Problemas 1 Questão 1 a) Quais são os quatro tipos principais de moléculas biológicas discutidos na aula? Cite uma função importante de cada tipo de molécula biológica na

Leia mais

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos

23/03/2015. Moléculas orgânicas - Carboidratos Moléculas orgânicas - Carboidratos São formados por C, H, O. São Conhecidos como: Hidratos de Carbono Glucídios Glicídios Açúcares Sacarídeos Funções: Energética (glicose); Glicogênio : reserva energética

Leia mais

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas

BÁSICA EM IMAGENS. Aminoácidos, peptídeos e proteínas Universidade Federal de Pelotas Instituto de Química e Geociências Departamento de Bioquímica 04 BÁSICA EM IMAGENS - um guia para a sala de aula Aminoácidos, peptídeos e proteínas Generalidades AAs x Proteínas

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com ÁCIDOS NUCLEICOS ÁCIDOS NUCLÉICOS: são substâncias formadoras de genes, constituídas por um grande

Leia mais

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam:

- Apresentam uma fórmula básica: um átomo central de carbono onde se ligam: 1 4 Aminoácidos e proteínas a) Aminoácidos - São encontrados polimerizados formando proteínas ou livres - São degradados, originando moléculas intermediárias da síntese de glicose e lipídeos - Alguns são

Leia mais

4/14/2015. Proteínas. Fundamentos da Estrutura de Proteínas Parte 1. Funções biológicas das Proteínas

4/14/2015. Proteínas. Fundamentos da Estrutura de Proteínas Parte 1. Funções biológicas das Proteínas 1 Todo o material disponibilizado é preparado para as disciplinas que ministramos e colocado para ser acessado livremente pelos alunos ou interessados. Solicitamos que não seja colocado em sites nãolivres.

Leia mais

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel

Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Disciplina de Proteômica Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Bibliografia REVISÃO QUÍMICA Principais grupos funcionais em proteômica O que é uma ligação de hidrogênio? átomo eletronegativo

Leia mais

Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila

Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila Aminoácidos e Peptídios 1 Aminoácidos Aminoácido: um composto que contém tanto um grupo amino como um grupo carboxila aaminoácido: têm um grupo carboxila e um grupo amino ligados ao mesmo átomo de carbono

Leia mais

Aminoácidos. subunidades monoméricas que compõe a estrutura de milhares de proteínas diferentes

Aminoácidos. subunidades monoméricas que compõe a estrutura de milhares de proteínas diferentes . Aminoácidos subunidades monoméricas que compõe a estrutura de milhares de proteínas diferentes aminoácido Para entender a estrutura 3D das proteínas, vamos dissecá-la em níveis organizacionais para facilitar

Leia mais

48 Como produzimos a insulina?

48 Como produzimos a insulina? A U A UL LA Como produzimos a insulina? Na aula passada você estudou a importância da insulina no nosso organismo. Dá para imaginar o que aconteceria conosco se não fabricássemos esse hormônio ou se o

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA GERAL Aula 4 Professor Antônio Ruas 1. Temas: Macromoléculas celulares Produção

Leia mais

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL:

AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: FAIXA DE DOSAGEM USUAL: AMINOÁCIDOS AMINOÁCIDOS: L-LEUCINA*** L-ISOLEUCINA*** L-VALINA*** L-ALANINA L-ARGININA L-CISTEÍNA L-CISTINA L-FENILALANINA L-GLICINA L-GLUTAMINA L-HISTIDINA L-LISINA L-METIONINA L-ORNITINA L-PROLINA L-TIROSINA

Leia mais

STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M.

STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M. 2 Proteínas: STRYER, L.; TYMOCZKO, J.L.; BERG, J.M. Bioquímica. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008. Capítulo 2 e 3; as edições 4 e 5 também podem ser utilizadas (Cap. 3 e 4). 2.1 Aminoácidos

Leia mais

Aula 7 Ácidos nucléicos

Aula 7 Ácidos nucléicos Aula 7 Ácidos nucléicos Os ácidos nucléicos DNA (ácido desoxirribonucléico) e o RNA (ácido ribonucléico) são substâncias essenciais para os seres vivos, pois mantêm a informação genética que controla a

Leia mais

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich

SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS. Prof. Henning Ulrich SÍNTESE DOS AMINOÁCIDOS Prof. Henning Ulrich CATABOLISMO DOS AMINOÁCIDOS EM MAMÍFEROS TRANSAMINAÇÕES CATALISADAS POR ENZIMAS Em muitas reações das aminotransferases, o -cetoglutarato é o receptor do grupo

Leia mais

Bioinformática Estrutural Aula 1

Bioinformática Estrutural Aula 1 Bioinformática Estrutural Aula 1 03 de Junho de 2013 Paula Kuser-Falcão Laboratório de Bioinformática Aplicada Embrapa Informática Agropecuária Paula.kuser-falcao@embrapa.br Pratique Atividade Física Paula

Leia mais

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II

COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II COLÉGIO PEDRO II CAMPUS TIJUCA II DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS COORD.: PROFa. CRISTIANA LIMONGI 1º & 2º TURNOS 3ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO REGULAR & INTEGRADO ANO LETIVO 2015 PROFESSORES: FRED & PEDRO

Leia mais

CPV seu pé direito também na medicina

CPV seu pé direito também na medicina CPV seu pé direito também na medicina unifesp 18/dezembro/2009 BIOLOGIA 01. Acidentes cardiovasculares estão entre as doenças que mais causam mortes no mundo. Há uma intricada relação de fatores, incluindo

Leia mais

Professor Antônio Ruas

Professor Antônio Ruas Universidade Estadual do Rio Grande do Sul Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental Componente curricular: BIOLOGIA GERAL Aula 4 Professor Antônio Ruas 1. Temas: Macromoléculas celulares Produção

Leia mais

Graduação em Biotecnologia Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel

Graduação em Biotecnologia Disciplina de Proteômica. Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Graduação em Biotecnologia Disciplina de Proteômica Caroline Rizzi Doutoranda em Biotecnologia -UFPel Bibliografia Aminoácidos Grupos funcionais em bioquímica Propriedades químicas da água Estrutura e

Leia mais

BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011

BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011 BIOQUÍMICA I 1º ano de Medicina Ensino teórico 2010/2011 7ª aula teórica 11 Outubro 2010 Proteínas estruturais e funcionais Organização estrutural das proteínas Estrutura e diferentes funções de proteínas

Leia mais

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto

METABOLISMO DAS PROTEÍNAS. Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto METABOLISMO DAS PROTEÍNAS Bioquímica Básica Ciências Biológicas 3º período Cátia Capeletto Aminoácido Os aminoácidos livres são obtidos da degradação da proteína da dieta, da renovação constante das proteínas

Leia mais

Fenilalanina (Phe) Treonina (Thr) Tirosina (Tir)

Fenilalanina (Phe) Treonina (Thr) Tirosina (Tir) Pergunta 1 Abaixo estão apresentadas as estruturas de três aminoácidos. Fenilalanina (Phe) Treonina (Thr) Tirosina (Tir) Usando os espaços em branco abaixo, classifique os três na ordem da hidrofobicidade

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação OLÉIO XIX DE MRÇO excelência em educação 1ª PROV DE REPERÇÃO DE BIOLOI luno: Nº Série: 2º Turma: Data: Nota: Professor: Regina Volpato Valor da Prova: 40 pontos Orientações gerais: 1) Número de questões

Leia mais

Química da Vida Nutrição

Química da Vida Nutrição Química da Vida Nutrição Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto FEV/2011 Propriedades Atômicas Elementos e Compostos químicos; Alguns símbolos são derivados do latim Por Exemplo: o símbolo do

Leia mais

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas.

Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I. Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Aula: 16 Temática: Estrutura dos aminoácidos e proteínas parte I Acompanhe! Iremos iniciar o estudo da estrutura dos aminoácidos e proteínas. Introdução: A proteína é o composto orgânico mais abundante

Leia mais

Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio

Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio n.1 /2013 Enviado em: 18/06/2013 Publicado em: 22/11/2013 Seção: REB na Escola ISSN: 2318-8790 Jogo AminoUNO: uma ferramenta alternativa para o ensino da síntese de proteínas no ensino médio AminoUNO game:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS ENGENHARIA DE PESCA DISCIPLINA: BIOQUÍMICA AMINOÁCIDOS II SÍNTESE Dra. Talita Espósito BIOSSINTESE DE AA amônia + H 3 N COO - C H Esqueleto carbônico NH 4 + R COO - aminoácidos

Leia mais

AMINOÁCIDOS.! São biomoléculas que apresentam na sua constituição as funções amina primária e ácido carboxílico NH2 I R - C - C = 0O I I H OH

AMINOÁCIDOS.! São biomoléculas que apresentam na sua constituição as funções amina primária e ácido carboxílico NH2 I R - C - C = 0O I I H OH Aminoácidos AMNOÁCDOS! São biomoléculas que apresentam na sua constituição as funções amina primária e ácido carboxílico radical R C-alfa N2 R - C - C = 0O O amina primária ácido carboxílico Aminoácidos

Leia mais

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA

OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA OS ÁCIDOS NUCLÉICOS DNA / RNA Prof. André Maia Considerações do Professor Os ácidos nucléicos são as maiores moléculas encontradas no mundo vivo. São responsáveis pelo controle dos processos vitais básicos

Leia mais

13/03/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail:

13/03/2016. Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: Profª. Drª. Andréa Fontes Garcia E -mail: andrea@salesiano-ata.br 1 Estrutura geral dos amionoácidos de ocorrência biológica Grupamento amino Grupamento carboxilato (ácido carboxílico) Hidrogênio Grupamento

Leia mais

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável

Zinco quelato. Identificação. Peso molecular: Não aplicável. CAS: Não aplicável Material Técnico Zinco quelato Identificação Fórmula Molecular: Não aplicável DCB / DCI: Não aplicável INCI: Não aplicável Peso molecular: Não aplicável CAS: Não aplicável Denominação botânica: Não aplicável

Leia mais

Prof. Marcelo Langer. Curso de Biologia. Aula Genética

Prof. Marcelo Langer. Curso de Biologia. Aula Genética Prof. Marcelo Langer Curso de Biologia Aula Genética CÓDIGO GENÉTICO Uma linguagem de códons e anticódons, sempre constituídos por 3 NUCLEOTÍDEOS. 64 CODONS = 4 tipos diferentes de nucleotídeos, combinação

Leia mais

Substrato do Tripeptídeo

Substrato do Tripeptídeo Pergunta 1 Você está estudando uma enzima chamada quinase. Seu substrato é o tripeptídeo Ala-Lys-Thr, com uma molécula incomum em suas terminações C, a molécula GLOW. Quando essa molécula GLOW é segmentada

Leia mais

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos

Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos Proteínas São macromoléculas complexas, compostas de aminoácidos, e necessárias para os processos químicos que ocorrem nos organismos vivos São os constituintes básicos da vida: tanto que seu nome deriva

Leia mais

Aminoácidos AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS. Universidade Federal de Mato Grosso Disciplina de Bioquímica H2N C COOH

Aminoácidos AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS. Universidade Federal de Mato Grosso Disciplina de Bioquímica H2N C COOH 1 2 Universidade Federal de Mato Grosso Disciplina de Bioquímica AMINOÁCIDOS, PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS Vagalume (fireflies) Prof. Ms. Reginaldo Vicente Ribeiro Eritrócitos Luciferina Rinoceronte Queratina

Leia mais

Profª Eleonora Slide de aula

Profª Eleonora Slide de aula Aminoácidos e Peptídeos Profª Eleonora Slide de aula Aminoácidos Estrutura Geral Ácido carboxílico com amina primária (N 2 ) no carbono α. Isomeria Ao carbono α estão ligados 4 grupos substituintes diferentes:

Leia mais

Genética e Evolução: Profa. Gilcele

Genética e Evolução: Profa. Gilcele Genética e Evolução: Profa. Gilcele Genética É o estudo dos genes e de sua transmissão para as gerações futuras. É o estudo da hereditariedade, a transmissão de traços de genitores para filhos. É dividida

Leia mais

CAPÍTULO 1 FUNDAMENTOS DE BIOLOGIA CELULAR E DO DESENVOLVIMENTO

CAPÍTULO 1 FUNDAMENTOS DE BIOLOGIA CELULAR E DO DESENVOLVIMENTO CAPÍTULO 1 FUNDAMENTOS DE BIOLOGIA CELULAR E DO DESENVOLVIMENTO 1 O Padrão de Organização dos Seres Vivos O conceito de vida traz em si a idéia de auto-organização. Por quê? Porque se pensarmos em qualquer

Leia mais

Aula 3: Estrutura de Proteínas. Bioquímica para Odonto - Bloco I Profa. Lucia Bianconi. Funções das Proteínas. Catalisadores (enzimas)

Aula 3: Estrutura de Proteínas. Bioquímica para Odonto - Bloco I Profa. Lucia Bianconi. Funções das Proteínas. Catalisadores (enzimas) Aula 3: Estrutura de Proteínas Bioquímica para Odonto - Bloco I Profa. Lucia Bianconi Funções das Proteínas Catalisadores (enzimas) Transportadoras (Oxigênio, Ferro, Vitaminas, fármacos) Armazenamento

Leia mais

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo.

Em termos comparativos a chlorella possui proporcionalmente mais proteínas do que a soja, a carne bovina e o trigo. O que é? A chlorella é uma alga unicelular de água doce existente na Terra há milhões de anos. A sua estrutura genética manteve-se intacta ao longo do tempo resultando numa grande concentração e variedade

Leia mais

Você não é o que come. Você é o que absorve!

Você não é o que come. Você é o que absorve! Você não é o que come. Você é o que absorve! Sabe-se que o consumo de suplementos alimentares com finalidades específicas, como incremento de massa muscular,vem crescendo constantemente no Brasil e no

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM

EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM 1ª série Ens. Médio 1. (Enem 2002) GARFIELD - Modificada EXERCÍCIOS DE MONITORIA 2º PERÍODO JULHO BIOLOGIA - ENEM "O Globo", 01/09/2001. Qual característica geral dos seres vivos, é a mais adequada para

Leia mais

UNIVERSO TERRA SERES VIVOS ORIGEM

UNIVERSO TERRA SERES VIVOS ORIGEM UNIVERSO TERRA SERES VIVOS ORIGEM BIOLOGIA Surgiu da observação, da curiosidade de se compreender a vida e da utilização da natureza em benefício humano Grande salto com Aristóteles Baseada na observação

Leia mais

Capítulo VALTER T. MOTTA BIOQUÍMICA BÁSICA. Aminoácidos e proteínas

Capítulo VALTER T. MOTTA BIOQUÍMICA BÁSICA. Aminoácidos e proteínas apítulo VALTER T. MTTA BIQUÍMIA BÁSIA Aminoácidos e proteínas Aminoácidos e Proteínas bjetivos 1. Descrever as propriedades dos aminoácidos encontrados nas proteínas.. Identificar os seguintes grupamentos

Leia mais

Substâncias. Orgânicas. Inorgânicas. - Formadas por átomos de carbono e hidrogênio. - Água e sais minerais

Substâncias. Orgânicas. Inorgânicas. - Formadas por átomos de carbono e hidrogênio. - Água e sais minerais Substâncias Orgânicas - Formadas por átomos de carbono e hidrogênio Inorgânicas - Água e sais minerais - Carboidratos, lipídios, proteínas, ácidos nucleicos e vitaminas QUÍMICA CELULAR Água Funções: Solvente

Leia mais

Aminoácidos. Bioquímica Prof. Dr. Marcelo Soares

Aminoácidos. Bioquímica Prof. Dr. Marcelo Soares Aminoácidos Aminoácidos Nutrição Século XIX: produtos contendo Nitrogênio eram essenciais para a sobrevivência dos animais G. J. Mulder (1839): termo Proteínas Gr Proteios (Primário) Teoria: Proteínas

Leia mais

James Watson, Francis Crick e o DNA

James Watson, Francis Crick e o DNA Pércio Augusto Mardini Farias Este documento tem nível de compartilhamento de acordo com a licença 2.5 do Creative Commons. http://creativecommons.org.br http://creativecommons.org/licenses/by/2.5/br/

Leia mais

Proteínas As proteínas são as macromoléculas mais abundantes nas células vivas. Elas são os instrumentos moleculares através dos quais a informação genética é expressa. O nome proteína vem do grego protos

Leia mais

17/09/2014. Um pouco de história... Qual a importância das proteínas? Um pouco de história... Proteínas. Proteínas

17/09/2014. Um pouco de história... Qual a importância das proteínas? Um pouco de história... Proteínas. Proteínas Um pouco de história... PRTEÍNAS Profa. M.Sc. Renata Fontes Medicina Veterinária 2º Período Entre os objetos de estudo dos cientistas no início do século XIX(...)Estava: Albúmen clarade ovo[albus=branco];

Leia mais

Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos. Objectivos: Analisar o metabolismo dos aminoácidos:

Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos. Objectivos: Analisar o metabolismo dos aminoácidos: BIOQUÍMICA Ensino teórico - 1º ano Mestrado Integrado em Medicina 2010/2011 22 ª aula teórica Metabolismo dos aminoácidos: - Síntese e degradação dos aminoácidos 13-dez-10 Objectivos: Analisar o metabolismo

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br São macromoléculas gigantescas, com massa molecular maior que 100 milhões. Os ácidos nucléicos foram isolados pela primeira vez a partir do núcleo

Leia mais

BIOQUÍMICA GERAL. Prof. Dr. Franciscleudo B. Costa UATA/CCTA/UFCG. Aula 4 Aminoácidos. Origem dos aminoácidos. Estrutura Química Geral

BIOQUÍMICA GERAL. Prof. Dr. Franciscleudo B. Costa UATA/CCTA/UFCG. Aula 4 Aminoácidos. Origem dos aminoácidos. Estrutura Química Geral Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Unidade Acadêmica de Tecnologia de Alimentos BIOQUÍMICA GERAL FRANCISCLEUDO BEZERRA DA COSTA PROFESSOR Câmpus de Pombal

Leia mais

Como genes codificam proteínas QBQ102

Como genes codificam proteínas QBQ102 Como genes codificam proteínas QBQ102 Prof. João Carlos Setubal Como DNA permite A atividade da vida? A reprodução da vida? Hoje vamos ver a parte da atividade da vida Atividade da vida significa basicamente

Leia mais

Aula 1 Enzimas são Proteínas Globulares

Aula 1 Enzimas são Proteínas Globulares Aula 1 Enzimas são Proteínas Globulares Já existem 4.725 enzimas conhecidas, distribuídas em grupos de acordo com suas características catalíticas, como veremos na aula 2. Apesar de bem conhecidas atualmente,

Leia mais

CICLO DE KREBS. Em condições aeróbias: mitocôndria. citosol. Glicólise. ciclo de Krebs. 2 piruvato. 2 Acetil CoA. Fosforilação oxidativa

CICLO DE KREBS. Em condições aeróbias: mitocôndria. citosol. Glicólise. ciclo de Krebs. 2 piruvato. 2 Acetil CoA. Fosforilação oxidativa CICLO DE KREBS Em condições aeróbias: citosol mitocôndria Glicólise Acetil CoA ciclo de Krebs Fosforilação oxidativa CICLO DE KREBS OU CICLO DOS ÁCIDOS TRICARBOXÍLICOS Ligação entre a glicólise e o ciclo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007

EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007 EXERCÍCIOS DE BIOLOGIA A PROF. MARCELO HÜBNER 01/08/2007 1. (Unicamp 2005) Em 25 de abril de 1953, um estudo de uma única página na revista inglesa Nature intitulado "A estrutura molecular dos ácidos nucléicos",

Leia mais

NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS

NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS NUTRIÇÃO DE CÃES E GATOS IMPORTÂNCIA Conhecer fundamentos básicos de nutrição avaliar dietas e alimentos Interações entre nutrientes e o animal Exigências Cães e gatos Quantidade diária de nutrientes Manejo

Leia mais

Proteínas na alimentação de monogástricos

Proteínas na alimentação de monogástricos Proteína - Composição: C, H, O e N - Proteína Bruta: 16% FC: 6,25% - Composta de aminocácidos com grupamento amínico, carboxílico e outros. Professor Luciano Hauschild 1 Classificação nutricional dos aminoácidos

Leia mais

Introdução. Estrutura dos Aminoácidos e Proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas 10/02/2012.

Introdução. Estrutura dos Aminoácidos e Proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas. Aminoácidos componentes de proteínas 10/02/2012. Introdução Estrutura dos Aminoácidos e Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima : Componentes celulares mais importantes. Diversidade de forma e função. Estruturais. Enzimáticas. Transportadoras. Ex.: Insulina,

Leia mais

Gliconeogênese. Gliconeogênese. Órgãos e gliconeogênese. Fontes de Glicose. Gliconeogênese. Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia

Gliconeogênese. Gliconeogênese. Órgãos e gliconeogênese. Fontes de Glicose. Gliconeogênese. Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia Gliconeogênese Metabolismo dos aminoácidos Ciclo da Uréia Gliconeogênese Alexandre Havt Gliconeogênese Fontes de Energia para as Células Definição Via anabólica que ocorre no fígado e, excepcionalmente

Leia mais

MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS

MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS MACRONUTRIENTES III PROTEÍNAS 1 PROTEÍNAS As proteínas são compostos orgânicos de estrutura complexa e massa molecular elevada, elas são sintetizadas pelos organismos vivos através da condensação de um

Leia mais

Aminoácidos e Peptideos

Aminoácidos e Peptideos Aminoácidos e Peptideos O que são aminoácidos? Precursores de vários tipos de biomoléculas Compostos formados por : um grupo amina primário [ ] um grupo ácido carboxílico [ ] ambos ligados a um carbono

Leia mais

Metabolismo de PROTEÍNAS

Metabolismo de PROTEÍNAS FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Departamento de Educação Física Metabolismo de PROTEÍNAS Disciplina Nutrição aplicada à Educação Física e ao Esporte Prof. Dr. Ismael Forte Freitas Júnior FORMAÇÃO DAS

Leia mais

(DN D A N / RN R A N ) A...

(DN D A N / RN R A N ) A... Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Disciplina de Biologia Celular INTRODUÇÃO À BIOQUÍMICA: BIOMOLÉCULAS Objetivos da Aula: 1. Água e Pontes de hidrogênio 2. Biomoléculas (ou

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA Fixação 1) (UNICAMP) Considere um fragmento de DNA com a seguinte sequência de bases: GTA GCC TAG E responda: a) Qual será a sequência

Leia mais

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2

R C COOH. H H H O O desidratação O R1 C C + R2 C C R1 C C H + H 2 O OH OH intramolecular O NH 2 N NH 2 N C C H H OH H R2 1. Comentário: A ausência de alimentos de origem animal na dieta implica na ausência de proteínas integrais, as quais possuem todos os aminoácidos essenciais, ou seja, aqueles que não podem ser produzidos

Leia mais

UNIDADES REPRESENTATIVAS DE AMINOÁCIDOS E KIT EDUCACIONAL

UNIDADES REPRESENTATIVAS DE AMINOÁCIDOS E KIT EDUCACIONAL 1 / 28 Relatório Descritivo UNIDADES REPRESENTATIVAS DE AMINOÁCIDOS E KIT EDUCACIONAL COMPREENDENDO AS MESMAS. 1 2 Campo da Invenção A presente invenção compreende um conjunto de unidades representativas

Leia mais

Genética Humana. Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

Genética Humana. Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Genética Humana Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto JAN/2012 Princípios Básicos As proteínas são vinculo entre genótipo e fenótipo; A expressão gênica é o processo pelo qual o DNA coordena

Leia mais

TRADUÇÃO SÍNTESE PROTEICA

TRADUÇÃO SÍNTESE PROTEICA TRADUÇÃO SÍNTESE PROTEICA Formação do Aminoacil-tRNA Durante a formação do aminoacil-trna, o aminoácido é primeiramente ativado, reagindo com o ATP. Após, é transferido do aminoacil-amp para a extremidade

Leia mais

Bioquímica Celular (parte II) Lipídios Proteínas Vitaminas Ácidos Nucléicos

Bioquímica Celular (parte II) Lipídios Proteínas Vitaminas Ácidos Nucléicos Bioquímica Celular (parte II) Lipídios Proteínas Vitaminas Ácidos Nucléicos Lipídios Possuem função energética e estrutural. 2ª fonte de energia do organismo. Apresentam maior quantidade de energia que

Leia mais

Os conceitos I, II, III e IV podem ser substituídos, correta e respectivamente, por

Os conceitos I, II, III e IV podem ser substituídos, correta e respectivamente, por 01 - (FATEC SP) Mapas conceituais são diagramas que organizam informações sobre um determinado assunto por meio da interligação de conceitos através de frases de ligação. Os conceitos geralmente são destacados

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINEZ GUERREIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINEZ GUERREIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ MARINEZ GUERREIRO COMPARATIVO DE METODOLOGIAS DE ENSINO DE PRINCÍPIOS DE GENÉTICA APLICADAS EM TURMAS DE 1 ANO DO ENSINO MÉDIO FOZ DO IGUAÇU 2015 MARINEZ GUERREIRO COMPARATIVO

Leia mais

Biologia - Grupos A - B - Gabarito

Biologia - Grupos A - B - Gabarito 1 a QUESTÃO: (1, ponto) Avaliador Revisor Foram coletados 1. exemplares do mosquito Anopheles culifacies, de ambos os sexos, em cada uma de duas regiões denominadas A e B, bastante afastadas entre si.

Leia mais

Versão BRASIL. Problema 1

Versão BRASIL. Problema 1 31 st International Chemistry Olympiad 2 a 12 de julho de 1999 Versão BRASIL Atenção! Escreva seu nome e código de estudante (indicado no seu local) no canto superior de todas as páginas das folhas de

Leia mais