Cinco Passos para Proteger Nossas Crianças. O que é o Abuso Sexual Infantil? Base para Os Cinco Passos

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cinco Passos para Proteger Nossas Crianças. O que é o Abuso Sexual Infantil? Base para Os Cinco Passos"

Transcrição

1 Cinc Passs para Prteger Nssas Crianças 1º Pass: Infrme-se sbre s Fats 2º Pass: Reduza Oprtunidades 3º Pass: Cnverse sbre Assunt 4º Pass: Recnheça s Sinais 5º Pass: Reaja de Frma Respnsável Cinc Passs para Prteger Nssas Crianças Os Cinc Passs Para Prteger Nssas Crianças é um guia inicial para adults respnsáveis, empenhads em evitar abus sexual infantil. Os Cinc Passs resumem s princípis fundamentais da Darkness t Light para evitar, recnhecer e reagir de frma respnsável a abus sexual infantil, além de frmar a estrutura para prgrama de treinament para adults, chamad Guardiões de Crianças. O que é Abus Sexual Infantil? Qualquer at sexual entre um adult e um menr de idade, u entre dis menres de idade cas um exerça pder sbre utr. Frçar, cagir u persuadir uma criança a se envlver em qualquer tip de at sexual, incluind ats sem cntat físic, cm exibicinism, expsiçã à prngrafia, vyeurism e cnversas de cnteúd sexual pel telefne u pela internet. Uma experiência dlrsa e traumática para as vítimas. Um crime sujeit à puniçã pr lei. Base para Os Cinc Passs O empderament pessal ajuda a prprcinar as adults a capacidade e ímpet de agir cntra abus sexual infantil. Cm empderament pessal, pdems fazer esclhas, crrer riscs e apiar uns as utrs a base para Os Cinc Passs. Fazer Esclhas Tems a capacidade tant em nssas rganizações, quant em nssas famílias de fazer esclhas prativas que prtejam nssas crianças e as mantenham prtegidas d abus sexual. Se quiserms que nssas crianças sejam felizes e saudáveis, devems fazer esclhas que apiem esses bjetivs. Crrer Riscs As esclhas geralmente envlvem cert risc pessal, que ns tira de nssa zna de cnfrt, cm cnversar cm as crianças sbre s limites sexuais, redirecinar um adult que está atravessand esses limites u denunciar crrid de fat. Às vezes tems que crrer riscs, mesm nã tend muita certeza u nã saber a cnsequência, para ns certificar de que a criança está prtegida. Apiar Uns as Outrs

2 Quand as crianças dã seus primeirs passs, andam de bicicleta pela primeira vez u cupam assent d mtrista pela primeira vez, é cmum ter alguém d lad delas, dand rientaçã e api. É mais fácil dar passs maires quand vcê sabe que tem alguém a seu lad, prnt para estender a mã, se necessári. Cm cmunidades, rganizações e indivídus, pdems apiar s esfrçs de utras pessas para evitar abus sexual, e também pdems pedir api se precisarms. ESTE É SÓ O COMEÇO. O abus sexual infantil é um prblema muit cmplex; esses passs abrdam apenas uma pequena parte dele. Para um cnheciment mais aprfundad sbre cm evitá-l, participe d treinament Guardiões de Crianças. As infrmações aqui prestadas nã substituem acnselhament de prfissinais. Apenas ferecems passs simples e prativs para ajudar a prteger as crianças. 1º PASSO: Infrme-se Sbre s Fats que Envlvem Abus Sexual Infantil A Realidade, Nã a Cnfiança, Deve Influenciar Suas Decisões cm Relaçã às Crianças. "Mrams em uma vizinhança linda e segura. Nenhuma dessas crianças pderia ser vítima de abus sexual, cert?" É muit prvável que vcê cnheça uma criança que fi u está send abusada. Especialistas estimam que uma em cada 10 crianças sã abusadas sexualmente antes de cmpletarem 18 ans de idade. Iss significa que em qualquer sala de aula u vizinhança frmada pr muitas crianças, algumas carregam calad fard d abus sexual. 1 em cada 5 crianças sã abrdadas sexualmente enquant navegam pela internet. Jvens têm 2,5 vezes mais prbabilidade de serem estuprads d que s adults. Aprximadamente 35% das vítimas estã abaix ds 11 ans de idade. 9% das crianças entre 10 e 17 ans de idade recebem prpsta sexual enquant navegam pela internet. 30 a 40% das crianças sfrem abus pr membrs da própria família. Pr vlta de 60% das crianças sã abusadas pr pessas de cnfiança da família. Aprximadamente 40% das vítimas sã abusadas pr crianças mais velhas u maires. Acima de 90% das crianças que sã explradas sexualmente pr dinheir passaram pr abus sexual. Aprximadamente 75% das vítimas de prngrafia infantil mram em suas casas quand sã ftgrafadas. Os pais cm frequência sã s respnsáveis. Crianças abusadas sexualmente, que guardam para si u que cntam e ninguém acreditam

3 nelas, crrem mais riscs d que a ppulaçã em geral de desenvlver prblemas psiclógics, emcinais, sciais e psiquiátrics, que cm frequência perduram até a fase adulta. Também é prvável que vcê cnheça um abusadr. O risc mair às crianças nã vem de estranhs, mas sim de amigs e família. Pessas que abusam de crianças parecem e se cmprtam cm qualquer um. Na verdade, elas fazem pssível para parecerem cnfiáveis, prcurand lugares nde pssam ter fácil acess às crianças, cm ligas esprtivas, centrs religiss, clubes e esclas. Iss nã acnteceria em minha família. Eu saberia se cnhecesse algum abusadr. Ainda assim, em mais de 90% ds cass de abus sexual, a criança e sua família cnhecem e cnfiam n abusadr. As cnsequências às crianças e a nssa sciedade se apresentam instantaneamente. O abus sexual infantil é uma fnte direta de váris prblemas enfrentads pr nssas cmunidades % das pessas que passaram pr abus sexual relata us excessiv de drgas e álcl. Um estud cnstatu que entre s hmens que passaram pr abus, 50% tem pensaments suicidas e mais de 20% tentam suicídi. Jvens meninas que sã abusadas sexualmente têm mais prbabilidade de apresentar desrdens alimentares quand adlescentes. Mais de 60% ds cass de primeira gravidez adlescente é resultad de mlestament, estupr u tentativa de estupr. Quase 40% ds agressres sexuais relatam abus sexual na infância. Tant hmens quant mulheres que passaram pr abus sexual têm mais prbabilidade de se envlver cm prstituiçã. Aprximadamente 70% ds agressres sexuais de crianças pssui entre 1 e 9 vítimas; 20-25% pssui entre 10 e 40 vítimas. Criminss em série pdem vitimar até 400 crianças a lng de suas vidas. 2º PASSO: Reduza Oprtunidades para Abus Sexual Infantil Se vcê eliminar u reduzir situações em que crianças e adults, e crianças e utrs jvens, fiquem szinhs u islads, vcê diminuirá dramaticamente risc de abus sexual. Mais de 80% ds cass de abus sexual crre em situações em que a criança está szinha u islada cm agressr.

4 Reduza risc. Prteja a criança. Tenham em mente que frequentemente, s abusadres se trnam amigs das vítimas ptenciais e de suas famílias, participand de events familiares, ganhand cnfiança e cnseguind mments a sós cm as crianças. Pense cm cuidad sbre a segurança de situações em que a criança fica szinha u islada cm alguém. Esclha situações de grups quand pssível. Pense cm cuidad sbre a segurança de situações em que jvens mais velhs tenham acess às crianças mais nvas. Tenha certeza de que há váris adults que pssam supervisiná-ls. Dê exempl vcê mesm, evitand ficar szinh u islad cm utras crianças. Mnitre us da internet das crianças. Os agressres seduzem crianças pr esta ferramenta para cnseguir cntat físic. CRIE E INFLUENCIE POLÍTICAS que reduzam u eliminem situações de islament em tdas as rganizações que atendam jvens, cm grups religiss, equipes esprtivas e clubes esclares. Essas plíticas devem garantir que tdas as atividades pssam ser interrmpidas e bservadas. Cnverse cm administradres de prgramas sbre a supervisã de jvens mais velhs que sã respnsáveis pr cuidar das crianças mais nvas. Insista em investigações que incluam checagem de antecedentes criminais, entrevistas pessais e recmendações prfissinais para tds s adults que atendem crianças. Evite prgramas que nã usem TODOS esses métds. Insista que rganizações que atendam jvens treinem seus funcináris e vluntáris para que pssam evitar, recnhecer e reagir de frma respnsável a abus sexual infantil. Certifique-se de que tdas as rganizações que atendem jvens tenham plíticas para lidar cm situações suspeitas e denúncias de abus. MOMENTOS A SÓS cm adults de cnfiança sã saudáveis e valiss para uma criança, elas cnstrem autcnfiança e aprfundam relacinaments. Para prteger as crianças enquant estimula esses relacinaments: Apareça sem avisar quand a criança estiver szinha cm um adult u utr jvem, mesm se fr uma pessa cnfiável da família. Certifique-se de que passeis pssam ser vigiads, se nã pr vcê, pr utrs. Pergunte as adults sbre s detalhes das atividades planejadas antes de deixar a criança cm eles. Repare em sua habilidade de serem específics. Cnverse cm a criança após a atividade. Preste atençã n humr da criança e se ela cnsegue cntar a vcê cm cnfiança que ela fez durante esse temp. Encntre uma frma de dizer as adults que tmam cnta das crianças, que vcê e a criança têm cnheciment sbre abus sexual infantil. Seja diret mesm.

5 3º PASSO: Cnverse abertamente cm as crianças para evitar abus sexual infantil As crianças cm frequência mantêm silênci a respeit d abus, mas é pssível quebrar barreiras a se falar abertamente sbre nsss crps, sbre sex e sbre s limites. Minha filha me cnta tud. Eu sei que ela me cntaria se alguém a tcasse u a fizesse se sentir descnfrtável. Entenda pr que as crianças têm med de cntar. O abusadr envergnha a criança, dá a entender que fi ela que deixu iss acntecer u diz à criança que seus pais ficarã bravs. O abusadr nrmalmente é manipuladr e pde tentar cnfundir a criança sbre que é cert e errad, u dizer a ela que abus é um jg. Às vezes, abusadr ameaça fazer mal à criança u a algum parente dela. Algumas crianças que nã se abrem n iníci sbre abus têm vergnha de cntar quand acntece de nv. As crianças têm med de desapntar seus pais e trazer prblemas à família. Algumas crianças sã muit nvas para cmpreender. As crianças muitas vezes amam abusadr e nã querem que tenham prblemas u que rmpa relacinament, só querem que abus acabe. Saiba cm as crianças se cmunicam. As crianças que revelam abus sexual cm frequência cntam a um adult em que cnfiam a invés de um ds pais. Pr esse mtiv, é fundamental que pessas que trabalham cm crianças sejam treinadas. As crianças pdem cntar partes d que acnteceu u fingir que acnteceu cm utra criança para sndar a reaçã ds adults. As crianças nrmalmente se calam e se recusam a cntar mais se vcê respnder de frma emtiva u negativa. Cnverse abertamente cm sua criança. Cnversas francas na idade aprpriada sbre nsss crps, sbre sex e sbre s limites dá à criança a base para entender e desenvlver relações saudáveis. Também as ensina a ter direit de dizer nã". Cm essa base, elas ficam mens vulneráveis a pessas que pssam vilar seus limites, e prvavelmente vã cntar cas sfram abuss. Ensine as crianças que é cntra as regras adultas agirem de frma sexual cm elas, dand exempls. Ensine a elas quais partes d crp delas que utrs nã devem tcar.

6 Nã se esqueça de mencinar que abusadr pde ser um amig adult, um membr da família u um jvem mais velh. Ensine as crianças a nã revelar infrmações pessais enquant navegam pela internet, inclusive endereçs de , endereç de casa e númers de telefnes. Cmece ced e cnverse cm frequência. Aprveite prtunidades d dia a dia para cnversar sbre abus sexual. Seja prativ. Se uma criança se sentir descnfrtável u resistente em ficar cm um adult em particular, pergunte mtiv. Uma pesquisa apntu que mens de 30% ds pais sequer discutiram sbre abus sexual cm suas crianças. E se fazem, a mairia deixa de mencinar que abusadr pde ser um adult amig u membr da família. Cnverse cm utrs adults sbre abus sexual. Vcê btém api e aprendizad mútu quand cmpartilha cm utr adult. Vcê cnscientiza sua cmunidade e influencia suas esclhas sbre a segurança infantil. Vcê pde ferecer api e infrmações a um adult cuja criança esteja passand pr abus e nã saiba cm agir. Vcê faz cm que abusadres em ptencial saibam de que vcê está de lh. 4º PASSO: Recnheça s sinais d abus sexual Nã espere sinais óbvis quand uma criança estiver send abusada sexualmente. Os sinais nrmalmente estã lá, mas vcê deve saber quê prcurar. "Meu filh está distante pr causa de angústia pré-adlescência u está sfrend abus sexual?" Leia s Sinais Os sinais físics d abus sexual nã sã cmuns, embra vermelhidã, assaduras/inchaçs na área genital, infecções n trat urinári u utrs sintmas semelhantes devem ser investigads cuidadsamente. Além diss, pdem crrer prblemas físics assciads à ansiedade, cm dr estmacal u dr de cabeça crônica. Sinais emcinais u cmprtamentais sã mais cmuns. Pdem partir d cmprtament muit certinh a afastament e à depressã, até raiva inexplicável e rebeldia. Cmprtament e linguagem sexuais nã aprpriadas para a idade pdem ser um alerta. Tenha cnsciência de que algumas crianças nã demnstram nenhum tip de sinal. Se vcê encntrar sinais físics que levantam suas suspeitas de abus sexual, leve a criança imediatamente para ser submetida a exame físic pr prfissinal especializad em abus sexual

7 infantil. Cnte cm um Centr de Defesa da Criança sempre que pssível para exames físics e avaliaçã e tratament psiclógics. Os Centrs de Defesa da Criança frnecem lcais sensíveis as traumas, que saibam lidar cm crianças e que sã segurs para que as famílias pssam pedir ajuda. Para encntrar um centr pert de vcê, entre em cntat cm a Natinal Children's Alliance pel site u pel telefne Se nã existir um centr próxim a vcê, prcure s Serviçs de Prteçã à Criança u autridades pliciais de sua área. A cndenaçã de uma pessa que tenha abusad sexualmente de uma criança pde depender de prvas btidas pr um exame prfissinal. 5º PASSO: Reaja de frma respnsável para prteger as crianças d abus sexual A revelaçã, a descberta e a suspeita d abus sexual dã prtunidades para intervir em nme da criança. "Minha filha de 11 ans disse que padrast dela entra srrateiramente n quart dela à nite. Depis disse que inventu tud. Agra ela nã diz mais nada a respeit. Nã sei que fazer." A REVELAÇÃO d abus sexual significa que a criança esclheu vcê cm a pessa cnfiável suficiente para quem ela pde cntar. É nesse mment que a criança aprende se utr é cnfiável para defendê-la. Nã tenha uma reaçã exagerada Se a criança quebra um braç u tem febre alta, vcê sabe se manter calm e nde prcurar ajuda, prque vcê está mentalmente preparad pra iss. A reaçã a abus sexual deve ser a mesma cisa. Quand vcê reage à revelaçã cm raiva u incredulidade, a criança prvavelmente vai: Se sentir mais envergnhada e culpada. Se calar. Mudar u vltar atrás na história, quand na verdade, abus é real. Mudar a história para se adaptar as suas perguntas, assim as declarações futuras vã parecer ter sid treinadas. Iss pde ser muit prejudicial se cas fr levad à justiça.

8 Pucs incidentes relatads de abus sexual infantil eram falss. Ofereça Api Pense bem em sua respsta antes de reagir. Assim vcê será capaz de dar mais api. Acredite na criança e tenha certeza que ela saiba diss. Agradeça a criança pr cntar a vcê e a elgie pela sua cragem. Encraje a criança a cnversar, mas nã faça perguntas que pssam persuadi-la a cntar que vcê quer saber sbre s detalhes. Fazer perguntas sbre s detalhes pde alterar a memória ds acnteciments na cabeça da criança. Se precisar fazer perguntas para manter a cnversa cm a criança, faça perguntas abertas, cm que acnteceu depis?. Prcure a ajuda de um prfissinal treinad para fazer perguntas sbre abus sexual para a criança. A rientaçã de um prfissinal pde ser crucial na recuperaçã da criança e n cas de prcess criminal. Assegure a criança de que é sua respnsabilidade prtegê-la e que fará tud que estiver a seu alcance. Denuncie u tme uma atitude em tds s cass de abus suspeit, tant dentr quant fra da família imediata. Nã entre em pânic. Crianças abusadas sexualmente que recebem api e ajuda psiclógica pdem ser e sã recuperadas. Tente nã demnstrar raiva cntra agressr, que pde ser alguém que a criança ama. Vcê pde trnar as cisas mais difíceis para ela se mstrar quant está transtrnad. A DESCOBERTA de abus sexual significa que vcê é testemunha de um at sexualmente abusiv de um adult u um jvem cntra uma criança, u que vcê sabe pr utrs meis que acnteceu abus. Relate sua descberta imediatamente às autridades pliciais. Diga nme da criança e nde ela mra. Diga nde vcê está n mment, nde a criança está e nde agressr está se suber sua identidade. Diga que a criança cntu a vcê. Diga quais interações vcê presenciu entre supst agressr e a criança. Diga quais cmprtaments, se algum, vcê bserva n supst agressr. Diga quais s sinais que vcê vê na criança. Diga qual tip de acess supst agressr tem para chegar à criança. E lembre-se, se vcê descbrir prngrafia sexual, vcê descbriu abus sexual. Prngrafia infantil é crime.

9 A SUSPEITA de abus sexual significa que vcê vê sinais em uma criança u que vcê é testemunha de vilações de limites pr adults u utrs jvens cntra uma criança. Estabeleça limites. Faça perguntas. Se vcê é um espectadr que testemunha uma vilaçã de limites, u vê uma situaçã na qual uma criança se encntra vulnerável, imprtante nã é saber as intenções da pessa que passu d limite, imprtante é que vcê refrce limite, mesm se estiver na frente de utrs u em um ambiente públic. DESCREVA O COMPORTAMENTO "É cntra nssa plítica vcê ficar szinh na sala de aula cm um estudante." ESTABELEÇA UM LIMITE "Vcê deve cnversar cm a criança na sala ds estudantes." MEXA-SE "É caminh pra mim, entã vu acmpanhar vcê." Os agressres dificilmente sã pegs n at d abus, mas cm frequência sã vists desrespeitand regras e pressinand s limites. Abus sexual infantil é crime. Cnheça as plíticas para relatar revelações, descbertas e suspeitas em sua rganizaçã. Tds s 50 estads ds EUA exigem que s prfissinais que trabalham cm crianças denunciem suspeitas sensatas de abus infantil. As infrmações sbre as exigências de cada estad estã n site d Child Welfare Infrmatin Gateway, em Se vcê fr um prfissinal que trabalha cm crianças (pr exempl, um prfessr u um enfermeir), existem prcediments especiais e exigências de denúncia que devem ser seguids. Seu empregadr deve frnecer treinament necessári. Cnheça as agências que lidam cm denúncias de abus. Sã dis órgãs que lidam mais cm abus infantil: Serviçs de Prteçã à Criança (em alguns estads órgã tem nmes diferentes) e autridades pliciais. Alguns estads indicam s Serviçs de Prteçã à Criança cm órgã que recebe denúncias

10 de suspeitas de abus infantil. Outrs indicam as autridades pliciais para iss. Outrs nã indicam nenhum u indicam s dis. Muits estads pssuem linhas de cntat telefônic gratuit que recebem denúncias de abus de td estad. Para descbrir nde fazer uma denúncia em seu estad, identifique s Númers de Denúncia de Abus Infantil pel site da Child Welfare Infrmatin Gateway, em Se sistema legal nã frnecer a prteçã adequada para a criança, acesse site d Natinal Center fr Victims f Crime, u ligue para FYI-CALL para bter infrmações de referências.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011.

CÂMARA DOS DEPUTADOS Gabinete do Deputado FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de março de 2011. Gabinete d Deputad FERNANDO JORDÃO - PMDB/RJ Brasília, 21 de març de 2011. Quand ingressei cm Requeriment slicitand a presença de Vssas Senhrias na Cmissã, estava assustad, cm, aliás, tda a ppulaçã, cm

Leia mais

Oficina de Capacitação em Comunicação

Oficina de Capacitação em Comunicação Oficina de Capacitaçã em Cmunicaçã APRESENTAÇÕES: DICAS E INSTRUMENTOS Marcele Basts de Sá Cnsultra de Cmunicaçã mbasts.sa@gmail.cm Prjet Semeand Águas n Paraguaçu INTERESSE DO PÚBLICO Ouvir uma ba história

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa

Passo 1 - Conheça as vantagens do employeeship para a empresa Manual Cm intrduzir emplyeeship na empresa Índice Intrduçã Pass 1 - Cnheça as vantagens d emplyeeship para a empresa Pass 2 - Saiba que é a cultura emplyeeship Pass 3 - Aprenda a ter "bns" empregads Pass

Leia mais

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach

Programa de coaching e inteligência relacional para mulheres Por Thirza Reis, Master Coach Vem Ser Mulher Prgrama de caching e inteligência relacinal para mulheres Pr Thirza Reis, Master Cach Sbre Thirza Reis Thirza Reis é master cach, especialista em Inteligência Relacinal; Cm mestrad em desenvlviment

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS10 Acess a Infrmaçã e engajament de stakehlders 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS10 (1/2) Delinear uma abrdagem sistemática para engajament

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA ATUAL INFORME EPIDEMIOLÓGICO Nº 05/2015 SEMANA EPIDEMIOLÓGICA 50 (13 A 19/12/2015) MONITORAMENTO DOS CASOS DE MICROCEFALIAS NO BRASIL Este infrme d COES Micrcefalias visa dcumentar e divulgar infrmações atualizadas

Leia mais

Violência no namoro. O que os pais precisam saber

Violência no namoro. O que os pais precisam saber Violência no namoro O que os pais precisam saber Os desejos sexuais normalmente tornam-se mais fortes na adolescência. Neste período começam os namoros e os pré-adolescentes e adolescentes experimentam

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos

Plano de curso Planejamento e Controle da Manutenção de Máquinas e Equipamentos PLANO DE CURSO MSOBRPCMME PAG1 Plan de curs Planejament e Cntrle da Manutençã de Máquinas e Equipaments Justificativa d curs Nã é fácil encntrar uma definiçã cmpleta para Gestã da manutençã de máquinas

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA

S3 - Explicação sobre endereço e/ou número de telefone dos EUA S3 - Explicaçã sbre endereç e/u númer de telefne ds EUA Nme Númer da Cnta (se huver) A preencher seu Frmulári W-8 d IRS, vcê afirma nã ser cidadã u residente ds EUA u utra cntraparte ds EUA para efeit

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Aula 11 Bibliotecas de função

Aula 11 Bibliotecas de função Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 11 Biblitecas de funçã 1. Intrduçã À medida que um prgrama cresce

Leia mais

1. Eu tenho problema em ter minhas necessidades satisfeitas. 1 2 3 4 5 6

1. Eu tenho problema em ter minhas necessidades satisfeitas. 1 2 3 4 5 6 FIAT Q Questionário de Relacionamento Interpessoal Glenn M. Callaghan Department of Psychology; One Washington Square, San Jose University, San Jose CA 95192-0120 Phone 08) 924-5610 e fax (408) 924 5605.

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO SEMESTRAL DE GEOGRAFIA Nme: Nº 8ºAn Data: / / 2015 Prfessres: Fabiana, Mayra e Olga. Nta: (valr: 1,0 para cada bimestre) 4º bimestre / 2º semestre A - Intrduçã Neste semestre, sua

Leia mais

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK Use as instruções de acrd cm a versã d seu Outlk (2010, 2007 u 2003) Para saber a versã de seu Outlk, clique n menu Ajuda > Sbre Micrsft Office

Leia mais

Antropologia do Consumo no Marketing

Antropologia do Consumo no Marketing Antrplgia d Cnsum n Marketing Objetivs Demnstrar cm as influências culturais estã relacinadas cm s hábits de cnsum, a relaçã cm as Marcas e cmprtament de cmpra, evidenciand assim, prcess fundamental para

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS Cidade Universitária de Limeira DIRETRIZES PARA ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DOS CURSOS DE GESTÃO 1 Sumári I. O Estági em Gestã...3 II. O Estági curricular...4 III. Acmpanhament e avaliaçã...5 IV. Mdels de Plan de Atividades e de Relatóri...5

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Tutorial de criação de um blog no Blogger

Tutorial de criação de um blog no Blogger Tutrial de criaçã de um blg n Blgger Bem-vind a Blgger! Este guia pde ajudar vcê a se familiarizar cm s recurss principais d Blgger e cmeçar a escrever seu própri blg. Para cmeçar a usar Blgger acesse

Leia mais

A Aventura da Consciência Satprem 1. Sri Aurobindo

A Aventura da Consciência Satprem 1. Sri Aurobindo A Aventura da Cnsciência Satprem 1 Sri Aurbind u a Aventura da Cnsciência Satprem 1- Um Ocidental Talents Reintegrar Espírit n Hmem e na Matéria: "Os céus além sã grandes e maravilhss, mas maires e ainda

Leia mais

AUTOR NICOLAU BELLO 1. N I c o b e l o @ h o t m a I l. C o m

AUTOR NICOLAU BELLO 1. N I c o b e l o @ h o t m a I l. C o m AUTOR NICOLAU BELLO 1 N I c b e l @ h t m a I l. C m PROPÓSITO DAS INVESTIGAÇÕES Ter relatóris ds acidentes Respstas imediatas inicial Reunir às evidências Análises de suas causas. Ações crretivas. Relatóris

Leia mais

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34

Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duração 62:34 The Glbal Leadership Summit Ntas d Facilitadr Lições de liderança aprendidas à duras penas Bill Hybels Duraçã 62:34 Resum da Sessã Lições de liderança e estratégias que geram resultads tangíveis em nssas

Leia mais

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1

Boletim da Vila Noca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 Bletim da Vila Nca e Jardim Cecy Nº 29 04 DE DEZEMBRO DE 2008 página 1 DIA 9, PALESTRA SOBRE SEGURANÇA Dia 9 de dezembr de 2008 às 20:00 hras, na Creche Barnesa de Limeira, R Antôni de Gebara, 75, Cap

Leia mais

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE AIKAWA

BIBLIOTECA MUNICIPAL DE AIKAWA (ポルトガル 語 ) 愛 川 町 図 書 館 利 用 案 内 BIBLIOTECA MUNICIPAL DE AIKAWA BIBLIOTECA MUNICIPAL DE AIKAWA (AIKAWA MACHI TOSHOKAN) Endereç: Aikawa Machi, Sumida 250-1 Telefne: 046-285-6963( 直 通 ) Fax: 046-286-9880 FUNCIONAMENTO:

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos 3 Fundaments d Cmprtament ds Hidrcarbnets Fluids 3.1. Reservatóris de Petróle O petróle é uma mistura de hidrcarbnets, que pde ser encntrada ns estads: sólid, líquid, u ass, dependend das cndições de pressã

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

SEM QUEBRAR AS TAÇAS!!

SEM QUEBRAR AS TAÇAS!! SEM QUEBRAR AS TAÇAS!! CADERNO CATARINENSE DE ENSINO DE ENSINO DE FÍSICA, 1(): 15-156, 1995. CADERNO BRASIEIRO DE ENSINO DE ENSINO DE FÍSICA, 1 Ed. Especial: 64-68, 004. Fernand ang da Silveira Institut

Leia mais

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto

APÊNDICE. Planejando a mudança. O kit correto APÊNDICE Planejando a mudança No capítulo 11, trabalhamos o estabelecimento de um objetivo claro para a mudança. Agora, você está repleto de ideias e intenções, além de uma série de estratégias de mudança

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES 1 Breve Históric Sbre Design Patterns A rigem ds Design Patterns (Padrões de Desenh u ainda Padrões de Prjet) vem d trabalh de um arquitet chamad

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

QUEDAS EM CRIANÇAS E JOVENS: UM ESTUDO RETROSPETIVO (2000-2013) Reedição, revista e adaptada

QUEDAS EM CRIANÇAS E JOVENS: UM ESTUDO RETROSPETIVO (2000-2013) Reedição, revista e adaptada Reediçã, revista e adaptada RELATÓRIO FINAL Nvembr de 04 I Enquadrament e bjetivs Na Eurpa tds s ans mrrem 500 crianças e jvens entre s 0 e s 9 ans na sequência de uma queda. Apesar de nã ser a mair causa

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL

1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL REGULAMENTO OFICIAL 1 CORRIDA NOTURNA UNIMED CASCAVEL A 1 Crrida Nturna Unimed Cascavel é uma nva prpsta de lazer, diversã, prmçã da saúde e da qualidade de vida ds mradres de Cascavel e Regiã. O event é cmpst pr crrida,

Leia mais

5 DICAS DE GESTÃO EM TEMPOS DE CRISE. Um guia prático com 5 dicas primordiais de como ser um bom gestor durante um período de crise.

5 DICAS DE GESTÃO EM TEMPOS DE CRISE. Um guia prático com 5 dicas primordiais de como ser um bom gestor durante um período de crise. 5 DICAS DE GESTÃO EM TEMPOS DE CRISE Um guia prático com 5 dicas primordiais de como ser um bom gestor durante um período de crise. INTRODUÇÃO Gerir uma empresa não é uma tarefa fácil, mas em tempos de

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica XVIII Seminári Nacinal de Distribuiçã de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de utubr 7.2 Olinda - Pernambuc - Brasil Autmaçã na Distribuiçã: O Prcess de autmaçã ds equipaments de linha na rede CELPE.

Leia mais

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL

DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL DISCIPLINA SEMIPRESENCIAL Disciplina Empreendedrism Prfessr(a) Sônia Maria de Barrs Lureir Módul II 2009.1 - Empreendedrism Prfessr(a): Sônia Maria de Barrs Lureir Disciplina: Empreendedrism Carga Hrária:

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet

5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet 5 Dicas Testadas para Você Produzir Mais na Era da Internet Uma das verdades absolutas sobre Produtividade que você precisa saber antes de seguir é entender que se ocupar não é produzir. Não sei se é o

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

Física E Extensivo V. 1

Física E Extensivo V. 1 Física E Extensiv V. 1 Exercícis 01) Verdadeira. Verdadeira. Temperatura mede a agitaçã ds átms. Verdadeira. Temperatura e energia cinética sã diretamente prprcinais. Verdadeira. Falsa. Crp nã tem calr.

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play

Programa Agora Nós Voluntariado Jovem. Namorar com Fair Play Prgrama Agra Nós Vluntariad Jvem Namrar cm Fair Play INTRODUÇÃO A vilência na intimidade nã se circunscreve às relações cnjugais, estand presente quer nas relações de namr, quer nas relações juvenis casinais.

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas

Objetivos. A quem se destina. Programa. Comportamento de Compra do Shopper. Natureza da compra. Lógica de escolha. Compras planejadas e não planejadas Sluções in Stre Objetivs Evidenciar s pilares fundamentais para desenvlviment de um trabalh cm categrias e marcas n Pnt de Venda, munind s participantes de infrmações que permitam cnhecer shpper e sua

Leia mais

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo Descriçã d serviç Cpilt Optimize CAA-1000 Visã geral d serviç Esta Descriçã d serviç ( Descriçã d serviç ) é firmada pr vcê, cliente, ( vcê u Cliente ) e a entidade da Dell identificada na fatura de cmpra

Leia mais

Guia de Bem-Estar Gestão do peso

Guia de Bem-Estar Gestão do peso Guia de Bem-Estar Gestã d pes Cm este guia pde beneficiar a sua vida Benefícis psitivs: Melhr saúde geral Mais energia Melhria da imagem crpral e da aut-estima Melhria da dispsiçã Melhria d rendiment físic

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem EXPLORAÇÃO Busco entender como as coisas funcionam e descobrir as relações entre as mesmas. Essa busca por conexões

Leia mais

Informática II INFORMÁTICA II

Informática II INFORMÁTICA II Jrge Alexandre jureir@di.estv.ipv.pt - gab. 30 Artur Susa ajas@di.estv.ipv.pt - gab. 27 1 INFORMÁTICA II Plan Parte I - Cmplementar cnheciment d Excel cm ferramenta de análise bases de dads tabelas dinâmicas

Leia mais

Conversando com a Família Práticas Narrativas

Conversando com a Família Práticas Narrativas Conversando com a Família Práticas Narrativas Projeto Reciclando Mentes Conversando sobre o trauma A abordagem narrativa no trabalho com trauma Considerações importantes no trabalho com trauma A terapia

Leia mais

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis.

Objetivo: Desenvolver as condições ideais para a boa formulação de objetivos, transformando-os em metas realizáveis. 1 Transfrmand Snhs em Metas Objetiv: Desenvlver as cndições ideais para a ba frmulaçã de bjetivs, transfrmand-s em metas realizáveis. Públic-Alv: Pessas interessadas em atingir sucess prfissinal e realizaçã

Leia mais

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt

Versão 1.1.1.3. Descrição do produto, 2009. www.graycell.pt Versã 1.1.1.3 Descriçã d prdut, 2009 www.graycell.pt 1 ENQUADRAMENTO A platafrma ask-it! é uma aplicaçã web-based que permite criar inquérits dinâmics e efectuar a sua dispnibilizaçã n-line. A facilidade

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão 1 INDICE Introdução... Pg: 03 Você é muito bonzinho... Pg: 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade... Pg: 05 Evite pedir permissão... Pg: 07 Não tenha medo de ser você mesmo... Pg: 08 Não

Leia mais

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo

PRINCIPAIS REQUISITOS: Regra final sobre Programas de Verificação do Fornecedor Estrangeiro Em resumo O FDA ferece esta traduçã cm um serviç para um grande públic internacinal. Esperams que vcê a ache útil. Embra a agência tenha tentad bter uma traduçã mais fiel pssível à versã em inglês, recnhecems que

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Orientações gerais MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA AGROTÉCNICA FEDERAL DE RIO DO SUL ESTRADA DO REDENTOR, 5665 BAIRRO CANTAGALO RIO DO SUL (SC) (47) 3521 3700 eafrs@eafrs.gv.br ORIENTAÇÕES GERAIS As rientações

Leia mais

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira

CAPÍTULO IV. Valores, Crenças, Missão, Visão.e Política da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira CAPÍTULO IV Valres, Crenças, Missã, Visã.e Plítica da Qualidade. Waldemar Faria de Oliveira Há alguns ans, quand tínhams ótims atletas, perdíams a Cpa d Mund de futebl, as Olimpíadas, errand em cisas básicas.

Leia mais

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br.

2. A programação completa e mais informações estarão disponíveis no site www.gar.esp.br. REGULAMENTO 1. Sbre Event 1. A Gramad Adventure Running é uma prva de revezament junt à natureza que será realizada n dia 09/05/2015 (Sábad) em Gramad, n Estad d Ri Grande d Sul, cm participaçã de ambs

Leia mais

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês

Prova Escrita e Prova Oral de Inglês AGRUPAMENTO DE ESCOLAS AURÉLIA DE SOUSA PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Prva Escrita e Prva Oral de Inglês 11.º An de esclaridade DECRETO-LEI n.º 139/2012, de 5 de julh Prva (n.º367) 1.ªe 2.ª Fase 6

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto.

TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentação / Apresentação do Projeto. TEXTO AULA 9: Técnicas de apresentaçã / Apresentaçã d Prjet. 9.1 Técnicas de apresentaçã Cm apresentar cm sucess? A qualidade d prdut u d u d serviç quase sempre é cnfundida cm a qualidade da apresentaçã.

Leia mais

Colégio Integrado EXATO

Colégio Integrado EXATO Clégi Integrad EXATO Rua: Ri de Janeir, 47 Jardim Bela Vista Mgi Guaçu SP CEP 13840-210 Telefne (19) Prpsta Plític-pedagógica d Clégi Integrad EXATO S/S Ltda. O Clégi Integrad EXATO cntextualiza sua açã

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a

Como escrever um estudo de caso que é um estudo de caso? Um estudo so é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a Página 1 1 Como escrever um Estudo de Caso O que é um estudo de caso? Um estudo de caso é um quebra-cabeça que tem de ser resolvido. A primeira coisa a lembre-se de escrever um estudo de caso é que o caso

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem SENTIDOS (principal) Gosto de informações que eu posso verificar. Não há nada melhor para mim do que aprender junto

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo 2013 Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo Ana Fonseca, Bárbara Nazaré e Maria Cristina Canavarro Pontos de interesse especiais: Porque

Leia mais

Manual do Rondonista 2006

Manual do Rondonista 2006 Manual d Rndnista 2006 www.defesa.gv.br/prjetrndn 1 1 ÍNDICE MANUAL DO RONDONISTA... 3 I. FINALIDADE... 3 II. O PROJETO RONDON...3 a. Missã...3 b. Objetivs...3 III. DEVERES E DIREITOS DO RONDONISTA...

Leia mais

SUMÁRIO ACRÓNIMOS... 4 CONCEITOS... 4 I. INTRODUÇÃO AO MANUAL... 7 A. SOBRE O MANUAL... 7 I) OBJECTIVO DO MANUAL... 7 II) A QUEM SE DESTINA?...

SUMÁRIO ACRÓNIMOS... 4 CONCEITOS... 4 I. INTRODUÇÃO AO MANUAL... 7 A. SOBRE O MANUAL... 7 I) OBJECTIVO DO MANUAL... 7 II) A QUEM SE DESTINA?... SUMÁRIO ACRÓNIMOS... 4 CONCEITOS... 4 I. INTRODUÇÃO AO MANUAL... 7 A. SOBRE O MANUAL... 7 I) OBJECTIVO DO MANUAL... 7 II) A QUEM SE DESTINA?... 8 III) COMO UTILIZAR?... 8 IV) METODOLOGIA QUE O MANUAL UTILIZA:...

Leia mais

3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online. Por Tiago Bastos, Criador da Máquina de Vendas Online

3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online. Por Tiago Bastos, Criador da Máquina de Vendas Online Por Tiago Bastos 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online! Por Tiago Bastos Declaração De Ganhos Com O Uso De Nossos Produtos A empresa

Leia mais

Privacidade e Segurança

Privacidade e Segurança UM GUIA PARA SOBREVIVENTES DE ABUSO Privacidade e Segurança no Facebook índice Í D I C E S Introdução 1 A primeira linha de defesa: gerencie quem vê seu conteúdo 2 Recupere o controle: analise as suas

Leia mais

Meditações para os 30 dias de Elul

Meditações para os 30 dias de Elul 1 Meditações para os 30 dias de Elul O Zohar explica que quanto mais preparamos a alma durante o mês que precede Rosh Hashaná, melhor será o nosso ano. De acordo com a Kabbalah, o Recipiente para receber

Leia mais

Programa de 4 semanas DIETA DETOX. Live Love Raw

Programa de 4 semanas DIETA DETOX. Live Love Raw Prgrama de 4 semanas DIETA DETOX Live Lve Raw DESINTOXICAR! 4 semanas para limpar rganism das txinas acumuladas Smthies cremss e super sabrss EXPERIMENTAR! Uma frma delicisa de experimentar alguns ds benefícis

Leia mais

18/11/2005. Discurso do Presidente da República

18/11/2005. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega de certificado para os primeiros participantes do programa Escolas-Irmãs Palácio do Planalto, 18 de novembro de 2005

Leia mais

Todos os dias Leitura: atividades

Todos os dias Leitura: atividades Todos os dias Leitura: atividades 1. Escreva Certo (C) ou Errado (E) para as afirmações a seguir. A) O marido acorda a esposa todos os dias de manhã. ( ) B) Às seis da tarde ele volta para casa depois

Leia mais

TESTE DE CONSCIÊNCIA EMOCIONAL. (Adaptado de Jonh Gottman e Joan DeClaire, em A Inteligência Emocional na Educação) IRA

TESTE DE CONSCIÊNCIA EMOCIONAL. (Adaptado de Jonh Gottman e Joan DeClaire, em A Inteligência Emocional na Educação) IRA TESTE DE CONSCIÊNCIA EMOCIONAL (Adaptado de Jonh Gottman e Joan DeClaire, em A Inteligência Emocional na Educação) O seguinte teste foi concebido para o ajudar a encarar a sua própria vida emocional, o

Leia mais

QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader

QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader QUE TIPO DE PESSOA QUERO EM MINHA EQUIPE? Crédito da Apresentação: Diretora Milene Nader VOCÊ CONHECE ALGUÉM QUE: Quer ganhar dinheiro; Quer uma renda extra; Deseja conhecer pessoas e fazer novas amizades;

Leia mais

Lição. outros. Versículo Bíblico Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações Mateus 28:19

Lição. outros. Versículo Bíblico Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações Mateus 28:19 FRUTOS-3 Descoberta Lição 9 4-6 Anos Unidade 3: Aprendendo a Viver Como Um Amigo de Jesus Amigos de Jesus Falam de Jesus para os Outros A s crianças de quatro e seis anos irão descobrir os desafios da

Leia mais