Aula 11 Bibliotecas de função

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aula 11 Bibliotecas de função"

Transcrição

1 Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 11 Biblitecas de funçã 1. Intrduçã À medida que um prgrama cresce e fica mais cmplex, númer de funções e de linhas de códig em um únic arquiv pde fazer cm que sua cmpreensã e manutençã (adiçã de nvas funções e crreçã de errs) fique mais difícil. Para facilitar, cmpiladr C permite a separaçã d códig em arquivs diferentes, chamads móduls. 2. Separaçã d códig e inclusã Desde tutrial de C vims a diretiva de inclusã presente n códig, para imprtar as funções da bibliteca padrã de perações de entrada e saída (stdi.h): #include <stdi.h> /*... */ As biblitecas padrã d C encntram-se em um diretóri específic que cmpiladr cnhece. A especificar nme d arquiv entre < e >, cmpiladr prcura naquele diretóri; É pssível, prém, especificar uma inclusã a partir d diretóri atual, usand "" a invés de <>. Supnha arquiv prg.c: // Arquiv prg.c #include "minhabib.c" minhafunc(); Para códig acima funcinar, a funçã minhafunc() tem que ser definida n arquiv minhabib.c, que deve se encntrar na mesma pasta d arquiv prg.c: // Arquiv minhabib.c #include <stdi.h> vid minhafunc() { printf("minhafunc() fi chamada!\n"); O cmpiladr trata a inclusã de minhabib.c em prg.c cm se td códig estivesse num arquiv só (n cas, prg.c). Para cmpilar, prtant, basta chamar cmpiladr cm de cstume: gcc - prg prg.c Esse prcess, n entant, pssui algumas falhas. Duas das quais: Qualquer mdificaçã ns arquivs envlvids requer uma recmpilaçã de td códig. Para prgramas muit grandes, iss pde ser um prcess demrad (de minuts a hras); Nã há flexibilidade para substituir uma implementaçã de um cnjunt de funções pr utra diferente.

2 Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza 3. Separaçã em móduls É mais recmendad criar um módul, separand a bibliteca de funções em dis arquivs: Arquiv de declarações u arquiv cabeçalh (header) extensã.h: declara as funções existentes naquela bibliteca, prém nã prvê sua implementaçã; Arquiv de definições/implementações u arquiv de códig extensã.c: define a implementaçã de tdas as funções declaradas n arquiv cabeçalh; Cas a bibliteca de funções utilize tips de dads definids pel usuári, estes usualmente sã definids n arquiv cabeçalh. Tant arquiv da bibliteca de funções quant prgrama principal devem imprtar arquiv cabeçalh, para garantir que a funçã implementada na bibliteca e chamada n prgrama seja a mesma (mesm nme, parâmetrs e tip de retrn); Exempl: // Arquiv minhabib.h vid minhafunc(); // Arquiv minhabib.c #include <stdi.h> vid minhafunc() { printf("minhafunc() fi chamada!\n"); // Arquiv prg.c minhafunc(); Neste cas, cm prgrama principal imprta smente cabeçalh e nã cntém a definiçã (implementaçã) da funçã, ele nã pde ser cmpilad szinh. A cmpilaçã se dá em 2 passs: gcc -c minhabib.c gcc - prg prg.c minhabib. A cmpilaçã cm a pçã -c diz a cmpiladr que ali nã existe um prgrama inteir (e, prtant, ele nã prcura pela funçã main()), mas apenas uma bibliteca de funções. O cmpiladr gera um arquiv. (chamad de arquiv bjet) cm mesm nme da bibliteca; Desta maneira, se precisarms mdificar smente prgrama principal, a bibliteca de funções nã terá que ser recmpilada. E se tiverms 100 biblitecas de funçã, se uma delas precisar ser mdificada, smente ela e prgrama principal precisarã ser recmpilads; Se quiserms mudar a implementaçã de minhabib.c para minhabib2.c, se arquiv cabeçalh permanecer mesm, basta trcar s cmands de cmpilaçã. O prgrama principal nã precisará ser alterad;

3 Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza 4. Inclusã duplicada e cndições de guarda À medida que prgrama cresce e nvas biblitecas surgem, a rede de dependências entre as biblitecas e prgrama principal fica mais cmplexa; Pde acntecer a seguinte situaçã: // Arquiv utrabib.h typedef struct TMeuTip { int inteir; flat real; char string[100]; *MeuTip; vid utrafunc(meutip param); // Arquiv utrabib.c #include <stdi.h> #include "utrabib.h" vid utrafunc(meutip param) { printf("utrafunca() fi chamada!\n"); // Arquiv minhabib.h vid minhafunc(meutip param); // Arquiv minhabib.c #include <stdi.h> #include "utrabib.h" vid minhafunc(meutip param) { printf("minhafunc() fi chamada!\n"); // Arquiv prg.c #include "utrabib.h" MeuTip var; minhafunc(var); utrafunc(var);

4 Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Nte que prgrama principal inclui cabeçalh de utrabib.h duas vezes, uma diretamente e utra indiretamente (incluir minhabib.h e este inclui utrabib.h); A tentar cmpilar prgrama principal, seguinte err é apresentad: errr: redefinitin f struct TMeuTip errr: redefinitin f typedef MeuTip Para evitar iss, usams cndições de guarda: diretivas d cmpiladr sã adicinadas a arquiv cabeçalh para evitar que ele seja incluíd duas vezes, desta frma: // Arquiv utrabib.h #ifndef OUTRABIB_H #define OUTRABIB_H typedef struct TMeuTip { int inteir; flat real; char string[100]; *MeuTip; vid utrafunc(meutip param); #endif A diretiva #ifndef faz cm que cmpiladr inclua arquiv cabeçalh n pnt nde ele fi chamad smente se a cnstante OUTRABIB_H nã estiver definida; Cas ela realmente nã esteja, a primeira cisa que cabeçalh faz é defini-la, sem valr algum (prém, está definida); Da próxima vez que cabeçalh fr incluíd, #ifndef retrnará fals e códig d cabeçalh nã será adicinad n pnt de inclusã. 5. Cnstruçã de prgramas cm Makefile Também pr cnta d cresciment d númer de biblitecas de funçã, prcess de cnstruçã d prgrama (cmpilaçã ds arquivs) fica mais cmplicad; Uma ferramenta chamada make auxilia na autmaçã d prcess de cnstruçã: all: prg prg: prg.c minhabib.h utrabib.h minhabib. utrabib. gcc - prg prg.c minhabib. utrabib. minhabib.: minhabib.c minhabib.h utrabib.h gcc -c minhabib.c utrabib.: utrabib.c utrabib.h gcc -c utrabib.c clean: rm -rf *. prg

5 Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza O arquiv acima chama-se Makefile. Funcina da seguinte maneira: Os terms antes de : sã s alvs. Quand digitams make alv ele prcura alv na lista e executa s cmands; Os terms após : sã as dependências. A tentar prduzir um alv, make tenta primeir satisfazer as dependências, que pdem ser utrs alvs; Abaix da declaraçã ds alvs e dependências estã s cmands. É essencial que cada linha de cmand cmece cm uma tabulaçã; O primeir alv deve sempre ser all, pis é alv padrã. A digitar cmand make, ele cmeçará d alv all. O alv clean também é muit cmum, ele apaga arquivs que sã gerads pel prcess de cnstruçã; Para s demais alvs, utilizams s nmes ds arquivs prduzids a cada pass d prcess de cmpilaçã; Na lista de dependências devems listar s arquivs que sã incluíds cm #include n códig-fnte que está send cmpilad. Desta frma, se um destes arquivs sfrer alteraçã em relaçã à última cmpilaçã, make sabe que deve repetir s cmands daquele alv. D cntrári, ele nã gasta temp a ta; Também devems incluir s arquivs usads n cmand de cmpilaçã (códigs fnte e arquivs bjet) pel mesm mtiv acima (saber quand recmpilar e quand nã precisa). 6. Tips abstrats de dads Utilizar cm base slides d curs rápid de C, a partir d slide 194.

Aula 8 Vetores e Ponteiros

Aula 8 Vetores e Ponteiros Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 8 Vetres e Pnteirs 1. Intrduçã Cm já vims, variáveis sã abstrações

Leia mais

Administração de Redes Servidores de Aplicação

Administração de Redes Servidores de Aplicação 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administraçã de Redes Servidres de Aplicaçã

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software).

HARDWARE e SOFTWARE. O Computador é composto por duas partes: uma parte física (hardware) e outra parte lógica (software). HARDWARE e SOFTWARE O Cmputadr é cmpst pr duas partes: uma parte física (hardware) e utra parte lógica (sftware). Vcê sabe qual é a diferença entre "Hardware" e "Sftware"? Hardware: é nme dad a cnjunt

Leia mais

Linguagem de. Aula 07. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br

Linguagem de. Aula 07. Profa Cristiane Koehler cristiane.koehler@canoas.ifrs.edu.br Linguagem de Prgramaçã IV -PHP Aula 07 Prfa Cristiane Kehler cristiane.kehler@canas.ifrs.edu.br Banc de Dads Manipulaçã de Banc de Dads HTML básic códigs cm páginas estáticas HTML + PHP códigs cm páginas

Leia mais

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK

COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK COMO CONFIGURAR SUA(S) CONTA(S) NO MICROSOFT OFFICE OUTLOOK Use as instruções de acrd cm a versã d seu Outlk (2010, 2007 u 2003) Para saber a versã de seu Outlk, clique n menu Ajuda > Sbre Micrsft Office

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Variáveis e Tipo de Dados

Variáveis e Tipo de Dados Variáveis e Tip de Dads Alessandr J. de Suza DIATINF - IFRN alessandr.suza@ifrn.edu.br twi;er.cm/ajdsuza Aula 2 Segunda Aula Teórica ² Tips de dads ² Variáveis Armazenament de dads na memória Cnceit e

Leia mais

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0)

TESTE DE SOFTWARE (Versão 2.0) Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br TESTE DE SOFTWARE (Versã 2.0) 9 Teste de Sftware Imprtância Dependência

Leia mais

Programação. Para estas funções, é necessário incluir a biblioteca: Seguem as operações mais comuns com arquivos.

Programação. Para estas funções, é necessário incluir a biblioteca: Seguem as operações mais comuns com arquivos. 1. Funções de E/S cm Arquiv: Prgramaçã Para estas funções, é necessári incluir a bibliteca: #include Para manipular um arquiv através das funções, é necessári criar um pnteir de arquiv que é um

Leia mais

Organização de Computadores Digitais. Cap.10: Conjunto de Instruções: Modos de Endereçamento e Formatos

Organização de Computadores Digitais. Cap.10: Conjunto de Instruções: Modos de Endereçamento e Formatos Organizaçã de Cmputadres Digitais Cap.10: Cnjunt de Instruções: Mds de Endereçament e Frmats Mds de endereçament Os mds de endereçament sã um aspect da Arquitetura d cnjunt de instruções ns prjets das

Leia mais

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita

Projeto de Arquitetura Objetivos. Tópicos abordados. Arquitetura de software. Vantagens da arquitetura explícita Prjet de Arquitetura Objetivs Apresentar prjet de arquitetura e discutir sua imprtância Explicar as decisões de prjet de arquitetura que têm de ser feitas Apresentar três estils cmplementares de arquitetura

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection)

2º Passo Criar a conexão via ODBC (Object DataBase Conection) Prjet de Sexta-feira: Prfessra Lucélia 1º Pass Criar banc de dads u selecinar banc de dads. Ntas: Camps nas tabelas nã pdem cnter caracteres acentuads, especiais e exclusivs de línguas latinas. Nã há necessidade

Leia mais

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador

Copyright 1999-2006 GrupoPIE Portugal, S.A. Manual Utilizador Reprts Relatóris à sua Medida Reprts Cpyright 1999-2006 GrupPIE Prtugal, S.A. Reprts 1. WinREST Reprts...5 1.1. Licença...6 1.2. Linguagem...7 1.3. Lgin...7 1.4. Página Web...8 2. Empresas...9 2.1. Cm

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Cnfiguraçã Pnt de Venda (PDV) Versã: 1.1 Índice 1 EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.1 INSTALANDO O TERMINAL EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.2 CAPTURANDO O NÚMERO DE SÉRIE E O GT DO

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GRAFICOS DE x E R.

ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GRAFICOS DE x E R. ANÁLISE DE DESEMPENHO DOS GAFICOS DE E. Vims cm cnstruir e utilizar s gráfics de cntrle. Agra vams estudar sua capacidade de detectar perturbações n prcess. GÁFICO de Em um julgament, veredict final será

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

Aula 6 Tutorial Rápido de C

Aula 6 Tutorial Rápido de C Universidade Federal d Espírit Sant Centr Tecnlógic Departament de Infrmática Prgramaçã Básica de Cmputadres Prf. Vítr E. Silva Suza Aula 6 Tutrial Rápid de C 1. Intrduçã Nesta aula será apresentada a

Leia mais

API de Integração E-Zoop Documentação de uso

API de Integração E-Zoop Documentação de uso API de Integraçã E-Zp Dcumentaçã de us Data de Atualizaçã: 10/06/2015 Índice 1. Intrduçã... 1 2. Características... 2 Cadastr de características... 2 Exclusã de características... 4 Listagem de características...

Leia mais

Tutorial de criação de um blog no Blogger

Tutorial de criação de um blog no Blogger Tutrial de criaçã de um blg n Blgger Bem-vind a Blgger! Este guia pde ajudar vcê a se familiarizar cm s recurss principais d Blgger e cmeçar a escrever seu própri blg. Para cmeçar a usar Blgger acesse

Leia mais

GUIA DE USO DO TECLADO VIRTUAL

GUIA DE USO DO TECLADO VIRTUAL GUIA DE USO DO TECLADO VIRTUAL A Indra, através das Cátedras de Tecnlgias Acessíveis que prmve em clabraçã cm a Fundaçã Adecc e diversas universidades espanhlas, apiu desenvlviment em cnjunt cm a Universidade

Leia mais

Exercícios de Java Aula 17

Exercícios de Java Aula 17 Exercícis de Java Aula 17 Link d curs: http://www.liane.cm/2013/10/curs-java-basic-java-se-gratuit/ 1. Faça um prgrama que peça uma nta, entre zer e dez. Mstre uma mensagem cas valr seja inválid e cntinue

Leia mais

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras

FKcorreiosg2_cp1 - Complemento Transportadoras FKcrreisg2_cp1 - Cmplement Transprtadras Instalaçã d módul Faça dwnlad d arquiv FKcrreisg2_cp1.zip, salvand- em uma pasta em seu cmputadr. Entre na área administrativa de sua lja: Entre n menu Móduls/Móduls.

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro.

Universidade Luterana do Brasil Faculdade de Informática. Disciplina de Engenharia de Software Professor Luís Fernando Garcia www.garcia.pro. Universidade Luterana d Brasil Faculdade de Infrmática Disciplina de Engenharia de Sftware Prfessr Luís Fernand Garcia www.garcia.pr.br EVOLUÇÃO EM ENGENHARIA DE SOFTWARE 10 Sistemas Legads O investiment

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

Profa. Dra. Silvia M de Paula

Profa. Dra. Silvia M de Paula Prfa. Dra. Silvia M de Paula Espelhs Esférics Certamente tds nós já estivems diante de um espelh esféric, eles sã superfícies refletras que têm a frma de calta esférica. Em nss ctidian ficams diante de

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

Capítulo V. Técnicas de Análise de Circuitos

Capítulo V. Técnicas de Análise de Circuitos Capítul V Técnicas de Análise de Circuits 5.1 Intrduçã Analisar um circuit é bter um cnjunt de equações u valres que demnstram as características de funcinament d circuit. A análise é fundamental para

Leia mais

1 Criando uma conta no EndNote

1 Criando uma conta no EndNote O EndNte Basic (anterirmente cnhecid pr EndNte Web), é um sftware gerenciadr de referências desenvlvid pela Editra Thmsn Reuters. Permite rganizar referências bibligráficas para citaçã em artigs, mngrafias,

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais Diretoria de Tecnologia da Informação

Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais Diretoria de Tecnologia da Informação 1.1.1.1 Cas de us Descmpactar e Cnverter arquivs d módul de Instruments de Planejament 1.1.1.1.1 Precndições 1. O cas de us de envi deve ter sid cncluíd cm sucess 1.1.1.1.2 Flux principal 1. O SICOM descmpacta

Leia mais

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro

Workflow. José Palazzo Moreira de Oliveira. Mirella Moura Moro Pdems definir Wrkflw cm: Wrkflw Jsé Palazz Mreira de Oliveira Mirella Mura Mr "Qualquer tarefa executada em série u em paralel pr dis u mais membrs de um grup de trabalh (wrkgrup) visand um bjetiv cmum".

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador

Matemática / 1ª série / ICC Prof. Eduardo. Unidade 1: Fundamentos. 1 - Introdução ao Computador Unidade 1: Fundaments 1 - Intrduçã a Cmputadr Cnceits básics e Terminlgias O cmputadr é uma máquina eletrônica capaz de realizar uma grande variedade de tarefas cm alta velcidade e precisã, desde que receba

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES

Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES Design Patterns ABSTRACT FACTORY EMERSON BARROS DE MENESES 1 Breve Históric Sbre Design Patterns A rigem ds Design Patterns (Padrões de Desenh u ainda Padrões de Prjet) vem d trabalh de um arquitet chamad

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO

Transformadores. Transformadores 1.1- INTRODUÇÃO 1.2- PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO Transfrmadres 1.1- INTRODUÇÃO N estud da crrente alternada bservams algumas vantagens da CA em relaçã a CC. A mair vantagem da CA está relacinada cm a facilidade de se elevar u abaixar a tensã em um circuit,

Leia mais

Event Viewer - Criando um Custom View

Event Viewer - Criando um Custom View Event Viewer - Criand um Custm View Qui, 06 de Nvembr de 2008 18:21 Escrit pr Daniel Dnda Cnhecend Event Viewer Muit imprtante na manutençã e mnitrament de servidres Event Viewer é uma ferramenta que gera

Leia mais

Questão 48. Questão 46. Questão 47. Questão 49. alternativa A. alternativa B. alternativa C

Questão 48. Questão 46. Questão 47. Questão 49. alternativa A. alternativa B. alternativa C Questã 46 O ceficiente de atrit e índice de refraçã sã grandezas adimensinais, u seja, sã valres numérics sem unidade. Iss acntece prque a) sã definids pela razã entre grandezas de mesma dimensã. b) nã

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

Manual. Autorizador da UNIMED

Manual. Autorizador da UNIMED Manual Prtal Autrizadr da UNIMED Pass a Pass para um jeit simples de trabalhar cm Nv Prtal Unimed 1. Períd de Atualizaçã Prezads Cperads e Rede Credenciada, A Unimed Sul Capixaba irá atualizar seu sistema

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ)

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 NAS USINAS HIDRELÉTRICAS ILHA SOLTEIRA E ENGENHEIRO SOUZA DIAS (JUPIÁ) Este case apresenta a aplicaçã da sluçã Elipse E3 para aprimrar mnitrament da temperatura encntrada

Leia mais

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows

SDK (Software Development Kit) do Microsoft Kinect para Windows SDK (Sftware Develpment Kit) d Micrsft Kinect para Windws Os presentes terms de licença cnstituem um acrd entre a Micrsft Crpratin (u, dependend d lcal n qual vcê esteja dmiciliad, uma de suas afiliadas)

Leia mais

EMPORIO SHOP GUIA RÁPIDO. Windows Mobile M68

EMPORIO SHOP GUIA RÁPIDO. Windows Mobile M68 EMPORIO SHOP GUIA RÁPIDO Windws Mbile M68 Sumári Abrind seu aparelh... 5 Fechand seu aparelh... 6 Inserind s CHIP s em seu aparelh... 7 Retirand s CHIP s de seu aparelh... 12 Cnfigurar telefne... 13 Data

Leia mais

PDF Livre com o Ghostscript

PDF Livre com o Ghostscript PDF Livre cm Ghstscript Um tutrial para criaçã de um geradr de arquivs PDF em Windws, basead em ferramentas gratuitas. Márci d'ávila, 05 de mai de 2004. Revisã 8, 20 de setembr de 2007. Categria: Text

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO

INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO INTRODUÇÃO A LOGICA DE PROGRAMAÇÃO A Lógica de Prgramaçã é necessária à tdas as pessas que ingressam u pretendem ingressar na área de Tecnlgia da Infrmaçã, send cm prgramadr, analista de sistemas u suprte.

Leia mais

Disciplina: Programação III Conteúdo: Programação Orientada a Objetos Linguagem JAVA Página: 184

Disciplina: Programação III Conteúdo: Programação Orientada a Objetos Linguagem JAVA Página: 184 Cnteúd: Prgramaçã Orientada a Objets Linguagem JAVA Página: 184 3.12 COMPONENTES GUI E O TRATAMENTO DE EVENTOS Origem: Capítul 11 Cmpnentes GUI: Parte 1. Livr: Java Cm Prgramar, Deitel & Deitel, 6ª. Ediçã;

Leia mais

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

SGCT - Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas SGCT - Sistema de Gerenciament de Cnferências Tecnlógicas Versã 1.0 09 de Setembr de 2009 Institut de Cmputaçã - UNICAMP Grup 02 Andre Petris Esteve - 070168 Henrique Baggi - 071139 Rafael Ghussn Can -

Leia mais

Banco de Dados. DIEGO BARCELOS RODRIGUES dbarcelos@ifes.edu.br 2015 (2015/1) 1. Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Banco de Dados. DIEGO BARCELOS RODRIGUES dbarcelos@ifes.edu.br 2015 (2015/1) 1. Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim Ifes - Campus Cacheir de Itapemirim Banc de Dads DIEGO BARCELOS RODRIGUES dbarcels@ifes.edu.br 2015 (2015/1) 1 Agenda Breve revisã ds Cnceits Básics SQL (Linguagem de Cnsulta Estruturada) Subdivisões da

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais

CAPÍTULO 10 TRANSLAÇÃO E ROTAÇÃO DE EIXOS

CAPÍTULO 10 TRANSLAÇÃO E ROTAÇÃO DE EIXOS CAPÍTULO 0 TRANSLAÇÃO E ROTAÇÃO DE EIXOS TRANSLAÇÃO DE EIXOS NO R Sejam O e O s eis primitivs, d Sistema Cartesian de Eis Crdenads cm rigem O(0,0). Sejam O e O s nvs eis crdenads cm rigem O (h,k), depis

Leia mais

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes

Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes. Lugar Geométrico das Raízes Cnstruíd dretamente a partr ds póls e zers da funçã de transferênca de malha aberta H(. Os póls de malha fechada sã sluçã da equaçã + H( = 0, u: arg( H( ) = ± 80 (k+), k = 0,,,... H( = Para cada pnt s

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17)

Base de Dados 2013/2014 Trabalho prático Versão 1.0 (2013-11-17) Base de Dads 2013/2014 Trabalh prátic Versã 1.0 (2013-11-17) Embra a cmpnente prática da disciplina crrespnda a sete valres na nta final, individualmente cada alun pde ter uma classificaçã diferente. Nas

Leia mais

- COMO PROCURAR EMPREGO -

- COMO PROCURAR EMPREGO - GUIA PRÁTICO - COMO PROCURAR EMPREGO - e 1 de 7 Técnicas de Prcura de Empreg...3 1. Aut Avaliaçã...3 2. Meis de Divulgaçã de Ofertas de Empreg...3 3. Carta de Apresentaçã...4 4. Curriculum Vitae...4 4.1.1.

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Questão 4. Resposta. Resposta. Resposta. ATENÇÃO: Escreva a resolução COM- PLETA de cada questão no espaço reservado ATENÇÃO: Escreva a resluçã COM- PLETA de cada questã n espaç reservad para a mesma. Nã basta escrever apenas resultad final: é necessári mstrar s cálculs racicíni utilizad. Questã Caminhand sempre cm a

Leia mais

10. Escreva um programa que leia um texto e duas palavras e substitua todas as ocorrências da primeira palavra com a segunda palavra.

10. Escreva um programa que leia um texto e duas palavras e substitua todas as ocorrências da primeira palavra com a segunda palavra. Lista de Exercícis: Vetres, Matrizes, Strings, Pnteirs e Alcaçã Obs: Tdas as questões devem ser implementadas usand funções, pnteirs e alcaçã 1. Faça um prgrama que leia um valr n e crie dinamicamente

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

Analyzing the Effects of Disk- Pointer Corruption João Dias e João Isento

Analyzing the Effects of Disk- Pointer Corruption João Dias e João Isento Analyzing the Effects f Disk- Pinter Crruptin Jã Dias e Jã Isent Estrutura da Apresentaçã Intrduçã; Sistemas de Ficheirs; Mtivações; Type-Aware Pint Crruptin; Resultads; Cnclusões Intrduçã A dispnibilidade

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO:

3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3. TIPOS DE MANUTENÇÃO: 3.1 MANUTENÇÃO CORRETIVA A manutençã crretiva é a frma mais óbvia e mais primária de manutençã; pde sintetizar-se pel cicl "quebra-repara", u seja, repar ds equipaments após a avaria.

Leia mais

CAPÍTULO III Principais aplicativos comerciais para: edição de textos e planilhas.

CAPÍTULO III Principais aplicativos comerciais para: edição de textos e planilhas. Apstila Sóln Cnheciments Básics de Infrmática CAPÍTULO III Principais aplicativs cmerciais para: ediçã de texts e planilhas. Micrsft Office (Wrd 2003 - Excel 2003) BROffice 2.0 (Calc, Writer) Aplicativs

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Ontologias: da Teoria à Prática

Ontologias: da Teoria à Prática Ontlgias: da Teria à Prática I Escla de Ontlgias UFAL-USP Endhe Elias e Olav Hlanda Núcle de Excelência em Tecnlgias Sciais - NEES Universidade Federal de Alagas UFAL Rteir Mtivaçã Ontlgias Engenharia

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7)

MS-PAINT. PAINT 1 (Windows7) PAINT 1 (Windws7) O Paint é uma funcinalidade n Windws 7 que pde ser utilizada para criar desenhs numa área de desenh em branc u em imagens existentes. Muitas das ferramentas utilizadas n Paint estã lcalizadas

Leia mais

Lumine Database Mapping for PHP. Treinamento Básico

Lumine Database Mapping for PHP. Treinamento Básico Lumine Database Mapping fr PHP Treinament Básic Cnhecend as características básicas de um ds framewrks de mapeament de banc de dads relacinais mais fáceis de ser utilizad. Hug Ferreira da Silva 13/12/2010

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta

Questão 1. Questão 3. Questão 2. Resposta. Resposta ATENÇÃO: Escreva a resluçã COMPLETA de cada questã n espaç a ela reservad. Nã basta escrever resultad final: é necessári mstrar s cálculs u racicíni utilizad. Questã Uma pessa pssui a quantia de R$7.560,00

Leia mais

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados.

IBOConsole Recuperação do Banco de Dados. Ferramenta de manutenção para recuperação de banco de dados. IBOCnsle Recuperaçã d Banc de Dads Ferramenta de manutençã para recuperaçã de banc de dads. 2 IBOCnsle ÍNDICE MAINTENANCE... 3 VALIDATION... 4 BACKUP/RESTORE... 6 BACKUP... 7 RESTORE... 10 3 IBOCnsle MAINTENANCE

Leia mais

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0 Events Extras - Descnts PP - Cntestaçã PP - Faturas Avulsas - Events Prgramads FP x PEONA 12.1.5 mai de 2015 Versã 1.0 1 Sumári 1 Intrduçã... 3 2 Seleçã de Dads... 4 2 1 Intrduçã Emitir n relatóri d PEONA,

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

Aplicação Hibernate1 no NetBeans

Aplicação Hibernate1 no NetBeans Aplicaçã Hibernate1 n NetBeans Hibernate é um framewrk que frnece ferramentas para efetuar mapeament bjet/relacinal para Java. Mapeament bjet/relacinal é prcess de cnversã bidirecinal entre bjets e tabelas

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Controle de Atendimento de Cobrança

Controle de Atendimento de Cobrança Cntrle de Atendiment de Cbrança Intrduçã Visand criar um gerenciament n prcess d cntrle de atendiment de cbrança d sistema TCar, fi aprimrad pela Tecinc Infrmática prcess de atendiment, incluind s títuls

Leia mais

Informática II INFORMÁTICA II

Informática II INFORMÁTICA II Jrge Alexandre jureir@di.estv.ipv.pt - gab. 30 Artur Susa ajas@di.estv.ipv.pt - gab. 27 1 INFORMÁTICA II Plan Parte I - Cmplementar cnheciment d Excel cm ferramenta de análise bases de dads tabelas dinâmicas

Leia mais

SIG Sistema Integrado de Gestão

SIG Sistema Integrado de Gestão SIG Sistema Integrad de Gestã SIGRH -Sistema Integrad de Gestã de Recurss Humans Gustav Bertld Quatrin Deivid Firin Agenda Cntextualizaçã Visã Geral ds seguintes sistemas: SIPAC, SGPP, SIGAA, SIGADMIN,

Leia mais

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.605 de 05 de nvembr de 2013. Altera a Plítica de Segurança da Infrmaçã n âmbit d Tribunal Reginal d Trabalh da 4ª Regiã. A PRESIDENTE DO, n us de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO

Leia mais

MS PROJECT MS PROJECT 2007 PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS PET ENGENHARIA CIVIL UFPR

MS PROJECT MS PROJECT 2007 PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS PET ENGENHARIA CIVIL UFPR MS PROJECT 2007 PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS MS PROJECT PET ENGENHARIA CIVIL UFPR 2010 Temprada de Curss PET Engenharia Civil MS Prject 2007 GRUPO PET CIVIL 2010 Alexandre Beê Amaral Gabriel

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede

Processos de Apoio do Grupo Consultivo 5.5 Suporte Informático Direito de Acesso à Rede Prcesss de Api d Grup Cnsultiv 5.5 Suprte Infrmátic Direit de Acess à Rede Suprte Infrmátic - Dcuments 5.5 Âmbit e Objectiv Frmuláris aplicáveis Obrigatóris Obrigatóris, se aplicável Frmulári de Mapa de

Leia mais

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea

T12 Resolução de problemas operacionais numa Companhia Aérea T12 Resluçã de prblemas peracinais numa Cmpanhia Aérea Objectiv Criar um Sistema Multi-Agente (SMA) que permita mnitrizar e reslver s prblemas relacinads cm s aviões, tripulações e passageirs de uma cmpanhia

Leia mais

Como Z constitui-se claramente a hipotenusa de um triângulo retângulo, tem-se

Como Z constitui-se claramente a hipotenusa de um triângulo retângulo, tem-se UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAIBA CENTRO DE TENOLOGIA DEPARTAMENTO DE TECNLOGIA MECÂNICA PROF. ANTONIO SERGIO NUMEROS COMPLEXOS Os númers cmplexs representam uma imprtante ferramenta em matemática. Um númer

Leia mais

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos

3 Fundamentos do Comportamento dos Hidrocarbonetos Fluidos 3 Fundaments d Cmprtament ds Hidrcarbnets Fluids 3.1. Reservatóris de Petróle O petróle é uma mistura de hidrcarbnets, que pde ser encntrada ns estads: sólid, líquid, u ass, dependend das cndições de pressã

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015 Sistema: Jera Stre & Service Versã : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banc de Dads: Firebird - Versã: 2.5.3 Data: 05/04/2015 O sistema cntempla s móduls abaix. Os móduls adicinais (cmercializads a parte) estã destacads:

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS

GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS GUIA RÁPIDO DE CONFIGURAÇÃO PARA WINDOWS CONTEÚDO 1. Intrduçã... 3 2. Requisits de Sftware e Hardware:... 3 3. Usuári e Grups:... 3 3.1. Cnfigurand cm Micrsft AD:... 3 3.2. Cnfigurand s Grups e Usuáris:...

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração

Manual de Instalação e Configuração Manual de Instalaçã e Cnfiguraçã Prdut:n-ReleaserEmbedded fr Lexmark Versã 1.2.1 Versã d Dc.:1.0 Autr: Lucas Machad Santini Data: 14/04/2011 Dcument destinad a: Clientes e Revendas Alterad pr: Release

Leia mais