Page 1. Gestão da Mudança. Tópicos. Evolução das Organizações. As organizações COM FUTURO Network. As 5 Disciplinas (Peter M.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Page 1. Gestão da Mudança. Tópicos. Evolução das Organizações. As organizações COM FUTURO Network. As 5 Disciplinas (Peter M."

Transcrição

1 Tópicos A evolução das organizações A Learning Organization as 5 disciplinas Mudança organizacional Reengenharia dos Processos de Negócio e Sistemas de Informação José Cruz Filipe JCFilipe 1 JCFilipe 2 Evolução das Organizações As organizações COM FUTURO Network Adam Smith (Divisão do Trabalho) Caminhos de Ferro (Regulamentos formais) H.Ford (Linha de Montagem - simplificação das tarefas) A.Sloan (Descentralização da Gestão; monitorização por indicadores) R.McNamara (Planeamento e Controle de Negócio) M.Hammer (Reengineering) Burocracy Hammer & Champy - "Reengineering the Corporation" Entrepreneurial JCFilipe 3 JCFilipe 4 Formas Organizativas e Ambientes Estável Burocracy Ritmo de Mudança Dinâmico Network Entrepreneurial 20xx Simples Complexo Necessidades de Conhecimento e Informação PERSONAL MASTERY BUILDING SHARED VISION SYSTEMS THINKING MENTAL MODELS TEAM LEARNING Peter M.Senge - "THE FIFTH DISCIPLINE - The Art and Practice of the Learning Organization" JCFilipe 5 JCFilipe 6 Page 1

2 1 - O Domínio do Eu Desenvolvimento Pessoal e Aprendizagem Creativo, não reactivo Clarificação do que é importante para nós Iniciativa, Vontade Própria, Comprometimento Focado nos desejos intrínsecos profundos 2 - Modelos mentais Representações internas (pessoais) de como o mundo funciona Frequentemente inconscientes Conflito entre a teoria adoptada e a teoria em uso Ex: Shell e a Crise do Petróleo JCFilipe 7 JCFilipe Uma visão partilhada 4 - Aprendizagem em equipa Elemento Aglutinador da Actividade (Co-Criadores) Envolvente dos Planos Estratégicos Condicionante dos Comportamentos Commitment vs. Enrollment Exemplos : Apple - Um computador que todos possam usar Ford - Um carro para cada Americano Pepsi Cola - Vencer a Coca Cola Bart Bolton - Digital como uma organização interligada Como evitar que um Grupo de 5 pessoas com um QI médio de 100 tenha um comportamento correspondente a um QI de 30 Acção Inovadora e Criativa Papel dos membros nas outras equipas JCFilipe 9 JCFilipe 10 Mudança organizacional 5 - O pensamento sistémico O todo é mais do que a soma das partes Fenómenos de Re-alimentação (feed-back) Controle Amplificação Time-delay input output Processador feed-back Pensamento Tradicional : Mecanicista e Redutor Transformação de âmbito alargado focada num novo posicionamento estratégico ou num aumento de produtividade You change only by VISION or by PAIN! JCFilipe 11 JCFilipe 12 Page 2

3 Mudança organizacional: exemplos Fusões e aquisições de empresas Deslocalizações Redefinição da missão da organização Abertura de um novo negócio Redução significativa de efectivos Reformulação do organigrama Implementação do TQM (Total Quality Management) Implementação de um sistema ERP Reeengenharia dos processos de negócio Resistência à mudança Medo Da perda do posto de trabalho De incapacidade de adaptação aos novos modos de trabalho De perda de poder De perda de estatuto De limitações de carreira Do desconhecido Dificuldade de alteração dos hábitos adquiridos JCFilipe 13 JCFilipe 14 Mudança e produtividade Metodologia fundamental Produtividade de apoio à : GESTÃO DE PROJECTOS Para saber mais: Cursos de Project Management na Web: David Baccarini Learning Guide for Project Management até Estabilização do novo paradigma Implementação do novo 25 paradigma 30 35organizacional Chris Hendrickson, T. Au Project Management for Construction JCFilipe 15 JCFilipe 16 Para quem prefere Open Source SW Open Workbench: release (GA) Download gratuito a partir de: Utilização gratuita Manual de utilizador Opinião (David E. Essex in PM Network, June 2005) Ease of Use: Feature Richness: Project Management Support: Performance: Overall Value: Free but not cheap JCFilipe 17 A organização tradicional: Um aglomerado de ilhas + = Níveis de Gestão + Direcções Funcionais = Descontinuidades Organizacionais JCFilipe 18 Page 3

4 Um processo é... E... os seus Sistemas de Gestão e Controle Um Processo numa Organização Tradicional Planning Sales Cost Price Persuasion Variances Financial Reports Accounting Management Accounting Information START Transactions and events Cost Standard costs and margins Purchasing Bid Customers Operations Suppliers JCFilipe 19 JCFilipe 20 O Ciclo de Controle Top-Down Domínio sobre a Informação de Controle dá poder ao Top Management para planear, analisar e transmitir instruções aos Empregados que manipulam os processos e os Clientes para obterem os Resultados feedback Business Process Reengineering Uma Nova Forma de Trabalhar Don t Automate, Obliterate Michael Hammer Um Processo Complexo Um Responsável Focado no Valor Percepcionado pelo Cliente Trabalho de Equipa Apoiado pelos Sistemas de Informação JCFilipe 21 JCFilipe 22 O Diamante do Sistema de Negócio O Ciclo de Empowerment (Bottom-Up) Processos de Negócio Satisfazer os Clientes feedback Tarefas e Estruturas Valores e Crenças Aprender e fazer as Mudanças que melhorem continuamente os processos capazes de Empresas capazes de resposta (ouvir) e flexíveis (mudança rápida) pelo poder dado aos empregados Hammer e Champy, Reengineering the Corporation Sistemas de Gestão e de Medida Clientes podem escolher as diversas oportunidades exigindo Domínio sobre a Informação dá poder JCFilipe 23 JCFilipe 24 Page 4

5 Um Novo Sistema de Informação para Gestão START Customers Operations Suppliers Scoreboard Accounting Financial Reports Planning Transactions and events Changes plan O papel potenciador das TI A Regra Antiga A Tecnologia de Ruptura A informação só pode Bases de Dados aparecer num sítio de cada partilhadas vez. Só os especialistas podem executar trabalhos Sistemas periciais. complexos. Os negócios têm de escolher entre centralização e descentralização O gestores tomam todas as decisões. Hammer e Champy, Reengineering the Corporation Redes de comunicações. Sistemas de apoio à decisão (acesso a bases de dados, software de modelação). A Regra Nova A informação pode aparecer simultaneamente em todos os lugares onde é precisa. Um generalista pode executar o trabalho de um especialista. Os negócios podem aproveitar em simultâneo os benefícios da centralização e descentralização. A tomada de decisões faz parte das funções de todos. JCFilipe 25 JCFilipe 26 O papel potenciador das TI A Regra Antiga Os empregados precisam de escritórios onde possam receber, armazenar, recuperar e transmitir informação. O melhor contacto com um comprador potencial é um contacto pessoal. Cada um tem de encontrar as coisas que precisa, onde quer que elas estejam. Os planos são revistos periodicamente. A Tecnologia de Ruptura Comunicações sem fios e computadores portáteis. CD-I Tecnologias de identificação automática e de seguimento. Computadores de alta performance. Hammer e Champy, Reengineering the Corporation A Regra Nova Os empregados podem enviar e receber informação onde quer que estejam. O melhor contacto com um comprador potencial é um contacto eficaz. As coisas "dizem" onde estão. Os planos são revistos instantaneamente. Business Process Re-Engineering e Total Quality Management Melhoria Táctico (JIT, TQM) Táctico (JIT, TQM) Estratégico (BPR) Tempo JCFilipe 27 JCFilipe 28 Três Mundos em Interacção Dinâmica O Modelo das 4 Camadas Negócio Pessoas Tecnologia O AS P ESS Objectivos de Negócio Processos de Negócio Fluxos de Informação } } Negócio Informação Tecnologias da Informação JCFilipe 29 JCFilipe 30 Page 5

6 Um Equilíbrio Novo Custos Flexibilidade Qualidade Eficiência JCFilipe 31 Page 6

+ = Page 2. Sistema : Características. A Empresa como um Sistema. Os Processos de Negócio como Sub-sistemas

+ = Page 2. Sistema : Características. A Empresa como um Sistema. Os Processos de Negócio como Sub-sistemas Sistemas Informação José Cruz Filipe Tópicos Conceito de Sistema A Empresa como um Sistema Conceito de Informação Dados e Informação Informação e o Processo de Decisão Sistema de Informação JCFilipe 1

Leia mais

Gestão da Produção Sincronização das Operações

Gestão da Produção Sincronização das Operações Sincronização das Operações Just In Time Business Process Reengineering José Cruz Filipe IST / ISCTE / EGP JCFilipe Abril 2006 1 Tópicos O stock esconde problemas Os cinco zeros e a TQM O Just In Time

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF GESTÃO Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) Informação e Decisões Gerir envolve tomar muitas e frequentes decisões Para decidir com eficácia

Leia mais

O CONTEXTO ECONÓMICO, CULTURAL E TECNOLÓGICO QUE CONDICIONA A VIDA DAS ORGANIZAÇÕES 23

O CONTEXTO ECONÓMICO, CULTURAL E TECNOLÓGICO QUE CONDICIONA A VIDA DAS ORGANIZAÇÕES 23 INTRODUÇÃO 5 ÍNDICE PREFÁCIO Carlos Zorrinho 11 PREFÁCIO Jorge Rocha de Matos 15 INTRODUÇÃO 17 CAPÍTULO 1 O CONTEXTO ECONÓMICO, CULTURAL E TECNOLÓGICO QUE CONDICIONA A VIDA DAS ORGANIZAÇÕES 23 CAPÍTULO

Leia mais

Gestão Estratégica da Inovação e da Tecnologia

Gestão Estratégica da Inovação e da Tecnologia Gestão Estratégica da Inovação e da Tecnologia Por: Luis Todo Bom Professor Associado Convidado do ISCTE Presidente do Conselho de Gerência da Multitel Conferência apresentada no Workshop Tecnológico da

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento.

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2008/2009 Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Profª Ana Lucas (Responsável) Mestre Cristiane Pedron

Leia mais

Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI

Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI Gestão da inovação A avaliação e a medição das actividades de IDI Projecto GAPI 2.0 Universidade de Aveiro, 19 de Fevereiro de 2010 João M. Alves da Cunha Introdução Modelo de Interacções em cadeia Innovation

Leia mais

Sistemas de Informação em Estruturas Organizacionais. Carlos J. Costa

Sistemas de Informação em Estruturas Organizacionais. Carlos J. Costa Sistemas de Informação em Estruturas Organizacionais Carlos J. Costa Sumário Apresentação: Docente Programa Avaliação Aulas (10%) Trabalhos (40%) Teste Frequência (50%) Programa Resumido Introdução Sistemas

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

TÉCNICA DE GPP ABORDAGEM DEA

TÉCNICA DE GPP ABORDAGEM DEA TÉCNICA DE GPP ABORDAGEM DEA Apresentação dos Autores Nome: António Amaral Afiliação: Aluno de Doutoramento e Assistente Convidado na Universidade do Minho, Departamento de Produção e Sistemas, Azurém,

Leia mais

Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento. Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt

Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento. Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Sistemas de Informação para a Sociedade da Informação e do Conhecimento Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Versão 4.6-2º semestre 2003/04 1996-2004 LMBG, Universidade Fernando Pessoa baseado nos acetatos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS

DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS CompetencyCore5 Success Through Competency-based Talent Management DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS E TALENTOS A Gestão do Capital Humano com Foco nas Competências

Leia mais

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL

PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Universidade Federal de Santa Maria Sistemas de Informação ELC1093 Modelagem de Processos de Negócio PROCESSOS DE NEGÓCIOS: UMA VISÃO GERAL Profa. Lisandra Manzoni Fontoura Objetivos da Aula: Processos

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2012/2013

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2012/2013 Programa da Unidade Curricular GESTÃO DO CONHECIMENTO Ano Lectivo 2012/2013 1. Unidade Orgânica Ciências da Economia e da Empresa (2º Ciclo) 2. Curso Mestrado em Gestão de Recursos Humanos e Análise Organizacional

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Mudanças das organizações e os SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n A mudança nos sistemas de informação das organizações é, ou deve ser, considerada

Leia mais

Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto -

Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto - Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto - Instituto da Segurança Social, I.P. DDS/UQFT/Sector da Rede Social 30 de Junho de 2011 1 Construção de um projecto

Leia mais

Our people make the difference

Our people make the difference Our people make the difference 1 Paulo Renato Pereira Exponor, 04.05.2006 Gestão por Competências Breve introdução: Gestão por competências Importância das competências transversais Exemplos de competências

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

MARKETING e MARKETING ONLINE. MARKETING e MARKETING ONLINE

MARKETING e MARKETING ONLINE. MARKETING e MARKETING ONLINE MARKETING e MARKETING ONLINE Introdução ao Marketing fundamentos e conceitos OBJECTIVO: Conhecer as principais metodologias e conceitos de Marketing a ter em conta no desenvolvimento comercial e estratégico

Leia mais

Planeamento Serviços Saúde

Planeamento Serviços Saúde Planeamento Serviços Saúde Estrutura Organizacional João Couto Departamento de Economia e Gestão Universidade dos Açores Objectivos Definição de estrutura organizacional. Descrever a configuração e as

Leia mais

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório Primeiro Relatório 62473 Pedro Vasconcelos 63563 Francisco Ferreira 73440 Filipe Correia 74211 Carolina Ferreirinha 82665 Nkusu Quivuna Sumário Este documento é o primeiro relatório de um projeto de análise

Leia mais

Produção e Gestão da Cadeia de Valor Global

Produção e Gestão da Cadeia de Valor Global Produção e Gestão da Cadeia de Valor Global Os Discentes: Ângela Andrade Filomena Pacheco Maura Sousa Nelson Barroso Índice Caracterização da Cadeia de fornecimento e da Logística; Estratégias globais

Leia mais

1 Apresentação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS. Tudo a ver com as minhas Competências. Opção. Powerpoint. Emanuel Sousa 20 de Outubro de 2015

1 Apresentação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS. Tudo a ver com as minhas Competências. Opção. Powerpoint. Emanuel Sousa 20 de Outubro de 2015 1 Apresentação GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Emanuel Sousa 20 de Outubro de 2015 Opção Tudo a ver com as minhas Competências. Apresentação Imp. 24/0 leaderconsulting.info 2 Apresentação O que é a Gestão por

Leia mais

Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website.

Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website. marketing e comunicação SITE E IMAGEM INSTITUCIONAL Profissionais que pretendam adquirir conhecimentos, técnicas e metodologias, ao nível da comunicação online, através de um website. Entender o enquadramento

Leia mais

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção 1. SI na Construção. Introdução 2. ERP 3. BIM 4. Outras aplicações

Leia mais

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo

04/09/2014. Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL. Administração de marketing. Objetivos de aprendizagem. Conteúdo Parte 10 GESTÃO EMPRESARIAL Administração de marketing Profº Adm.Cláudio Fernandes, Ph.D Ph.D em Business Administration - EUA www.claudiofernandes.com.br 1 Conteúdo Objetivos de aprendizagem Administração

Leia mais

SEMINÁRIO REDE SOCIAL: PLANEAR PARA INTERVIR SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: GERADORES DE UM FLUXO CONTINUO DE INFORMAÇÃO

SEMINÁRIO REDE SOCIAL: PLANEAR PARA INTERVIR SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: GERADORES DE UM FLUXO CONTINUO DE INFORMAÇÃO SEMINÁRIO REDE SOCIAL: PLANEAR PARA INTERVIR SISTEMAS DE INFORMAÇÃO: GERADORES DE UM FLUXO CONTINUO DE INFORMAÇÃO CONCEITO Sistema de informação Sistema, tanto manual como automático, composto por pessoas,

Leia mais

Disponibilizar uma ferramenta de gestão integrada e on-line, para gerir Clínicas

Disponibilizar uma ferramenta de gestão integrada e on-line, para gerir Clínicas Objectivo Disponibilizar uma ferramenta de gestão integrada e on-line, para gerir Clínicas Funcionalidades Ficheiro de utentes Ficheiro de entidades ( convenções ) Ficheiro de médicos Ficheiro de técnicos

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento.

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2007/08 Conceitos fundamentais de sistemas e tecnologias de informação e de gestão do conhecimento. Prof. Mário Caldeira Profª Ana Lucas Dr. Fernando Naves

Leia mais

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez IT Governance e ISO/IEC 20000 Susana Velez Desafios de TI Manter TI disponível Entregar valor aos clientes Gerir os custos de TI Gerir a complexidade Alinhar TI com o negócio Garantir conformidade com

Leia mais

O QUE É QUALIDADE? PRESSUPOSTOS:

O QUE É QUALIDADE? PRESSUPOSTOS: A QUALIDADE TOTAL O QUE É QUALIDADE? ATRIBUTOS E CARACTERÍSTICAS DAS PESSOAS, ORGANIZAÇÕES, PRODUTOS E SERVIÇOS, PARA SATISFAZER NECESSIDADES E EXPECTATIVAS DAS PESSOAS E DAS SOCIEDADES. PRESSUPOSTOS:

Leia mais

Business Process Management «A Era da Agilidade»

Business Process Management «A Era da Agilidade» Business Process Management «A Era da Agilidade» Carlos Vasconcelos Pre Sales Manager cvasconcelos@datacomp.pt www.datacomp.pt Lisboa, 30 de Setembro de 2008 Evento IDC: BPM & BI Centro Cultural de Belém

Leia mais

ISO/IEC 20000 DOIS CASOS DE SUCESSO DE CLIENTES QUALIWORK

ISO/IEC 20000 DOIS CASOS DE SUCESSO DE CLIENTES QUALIWORK ISO/IEC 20000 DOIS CASOS DE SUCESSO DE CLIENTES QUALIWORK A Norma ISO/IEC 20000:2011 Information technology Service management Part 1: Service management system requirements é uma Norma de Qualidade que

Leia mais

GOVERNO DA REPÚBLICA DE CABO VERDE BASE NA FORMAÇÃO/COACHING

GOVERNO DA REPÚBLICA DE CABO VERDE BASE NA FORMAÇÃO/COACHING GOVERNO DA REPÚBLICA DE CABO VERDE REFORMA DA GESTÃO TRIBUTÁRIA GESTÃO DE MUDANÇAS DOS RECURSOS HUMANOS CONTRATAÇÃO DE UMA AGÊNCIA OU EMPRESA PARA IMPLEMENTAR UMA ESTRATÉGIA DE GESTÃO DE MUDANÇAS DOS RECURSOS

Leia mais

PROGRAMA DE CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE

PROGRAMA DE CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO UNIVERSIDADE TECNICA DE LISBOA CURSO DE LICENCIATURA EM GESTÃO 2007/2008 (Regras de Bolonha) PROGRAMA DE CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE L I S B O A SETEMBRO 2 0

Leia mais

A perda da posse da informação na implantação de sistemas integrados de gestão: um estudo de caso

A perda da posse da informação na implantação de sistemas integrados de gestão: um estudo de caso A perda da posse da informação na implantação de sistemas integrados de gestão: um estudo de caso Renata Seldin (UFRJ) renata@gpi.ufrj.br Heitor Mansur Caulliraux (UFRJ) heitor@gpi.ufrj.br Vinicius Carvalho

Leia mais

REENGENHARIA PARTE I

REENGENHARIA PARTE I REENGENHARIA PARTE I Introdução O que é a REENGHENHARIA? De acordo com a definição original de Hammer e Champy, a reengenharia é a Implementação de mudanças radicais que, ao redesenhar os processos de

Leia mais

O Valor da Informação na era Digital

O Valor da Informação na era Digital O Valor da Informação na era Digital IDC CMO Forum 2016 ISEG, 11 de Maio de 2016 Nuno Santos (nsantos@pse.pt) Vivemos numa economia digital Digital economy is a priority for governments!..digital economy

Leia mais

Componentes do SI. Organização. Pessoas. Tecnologia. Unidades que exercem diferentes funções, tais como: vendas, produção, educação;

Componentes do SI. Organização. Pessoas. Tecnologia. Unidades que exercem diferentes funções, tais como: vendas, produção, educação; Componentes do SI Realimentam o SI com novos dados que geram novas informações; Interagem diretamente com o SI. Utilizam as informações geradas para algum processo de tomada de decisão (ambiente de trabalho);

Leia mais

ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO CAF 2006 DGAEP 2007

ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO CAF 2006 DGAEP 2007 ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO CAF 2006 DGAEP 2007 Conteúdo da apresentação Enquadramento da CAF Características gerais da CAF Estrutura da CAF Processo de aplicação da CAF (10 Passos) Enquadramento da CAF

Leia mais

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento

FERRAMENTAS? a alterar, em muitas organizações, um. instrumento tão abrangente como um orçamento O QUE É IMPRESCINDÍVEL NUMA SOLUÇÃO DE ORÇAMENTAÇÃO E PREVISÃO? Flexibilidade para acomodar mudanças rápidas; Usabilidade; Capacidade de integração com as aplicações a montante e a jusante; Garantir acesso

Leia mais

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE

Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio. João Pequito. Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio João Pequito Director Geral da PSE Soluções de análise preditiva para optimizar os processos de negócio Qualquer instituição tem hoje

Leia mais

Para responder a essa necessidade das organizações, a GALILEU desenvolveu o Fast Track MBA GALILEU.

Para responder a essa necessidade das organizações, a GALILEU desenvolveu o Fast Track MBA GALILEU. Fast Track MBA GALILEU Gestão - MBA Nível: Avançado Duração: 112h Sobre o curso Vivemos uma época fortemente competitiva e marcada por desafios constantes, onde os recursos mais qualificados serão o motor

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft

SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft SIBS PROCESSOS cria solução de factura electrónica com tecnologias Microsoft A solução MB DOX oferece uma vantagem competitiva às empresas, com a redução do custo de operação, e dá um impulso à factura

Leia mais

Empreendedorismo. Curso de Formação Pós-Graduada. para a criação de empresas de sucesso. 3 ª Edição ( 51 Horas)

Empreendedorismo. Curso de Formação Pós-Graduada. para a criação de empresas de sucesso. 3 ª Edição ( 51 Horas) Curso de Formação Pós-Graduada factor-chave para a criação de empresas de sucesso Empreendedorismo Organização Apoios 3 ª Edição ( 51 Horas) 2 out > 26 nov > 2014 Sede da Ordem dos Farmacêuticos SEG. e

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR. Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR. Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM ESCOLA SUPERIOR DE DESPORTO DE RIO MAIOR Licenciatura em desporto Gestão das Organizações Desportivas Unidade Curricular Gestão de Sistemas de Informação II Ano Lectivo

Leia mais

TPM. José Pedro A. R. Silva

TPM. José Pedro A. R. Silva CICLOS DE FORMAÇÃO EMPRESARIAL Metodologias Avançadas para a Indústria e Serviços TPM José Pedro A. R. Silva 1 CICLOS DE FORMAÇÃO EMPRESARIAL Ciclo de formação e treino em Lean TPM Ciclo de formação e

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional 18.05.2015 Visão & Missão A nossa Visão Ser uma constante referência na implementação das melhores práticas de Corporate Governance nos nossos clientes, contribuindo assim para

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS E INOVAÇÃO

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS E INOVAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS E INOVAÇÃO ENQUADRAMENTO E OBJECTIVOS: A Pós-Graduação em Gestão Estratégica dos Recursos Humanos e Inovação tem como objectivo geral dotar os gestores,

Leia mais

Museus como plataformas para a inovação social:

Museus como plataformas para a inovação social: Museus como plataformas para a inovação social: Projecto-piloto educativo em espaços culturais Um projecto-piloto para jovens em situação de vulnerabilidade e exclusão social a desenvolver em colaboração

Leia mais

Estudo de Remuneração 2015

Estudo de Remuneração 2015 2015 BANKING Temporary & permanent recruitment www.pagepersonnel.pt Editorial Page Personnel ir ao encontro do talento A Page Personnel recruta para os seus clientes os melhores perfis qualificados, sendo

Leia mais

Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing

Principais constrangimentos dos actuais modelos de Pricing Mário Trinca Quando existem uma multiplicidade de Produtos / Serviços, oferecidos a diferentes segmentos de clientes, através de diversos canais de distribuição, em várias geografias, nunca é fácil responder

Leia mais

Gestão de Mudanças Organizacionais e Projetos

Gestão de Mudanças Organizacionais e Projetos Gestão de Mudanças Organizacionais e Projetos Uma introdução 1 O Sucesso em Projetos Sabemos porque projetos fracassam, sabemos como prevenir o fracasso de projetos - - Martin Cobb Treasury Board of Canada

Leia mais

CONCEITOS DE MARKETING

CONCEITOS DE MARKETING Introdução ao Conceito de Marketing CONCEITOS DE MARKETING Objectivos: Compreender a evolução do conceito de marketing Compreender a importância do marketing Analisar várias definições de marketing Familiarizar

Leia mais

Relatório de Autoavaliação 2010/2011

Relatório de Autoavaliação 2010/2011 Relatório de Autoavaliação 2010/2011 DIAGNÓSTICO ORGANIZACIONAL E APRESENTAÇÃO DE ACÇÕES DE MELHORIA PARA O ISLA - GAIA (CAF COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK) VERSÂO PRELIMINAR (V.0) Equipa de Autoavaliação

Leia mais

Learning is changing

Learning is changing Learning is changing Learning is Changing A actualidade apresenta-nos desafios constantes, que exigem novas respostas e soluções inovadoras, para um Futuro de Crescimento e Competitividade. Learning is

Leia mais

Os Conceitos Fundamentais da Excelência

Os Conceitos Fundamentais da Excelência Os Conceitos Fundamentais da Excelência Os Conceitos Fundamentais são princípios que estão subjacentes ao Modelo de Excelência e esboçam o alicerce da excelência organizacional. Alcançar Resultados Equilibrados

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Pereira, Amaral e Castro, Outsourcing de serviços de sistemas de informação na banca em Portugal, Computerworld, 2011 1

1 Descrição sumária. Varajão, Pereira, Amaral e Castro, Outsourcing de serviços de sistemas de informação na banca em Portugal, Computerworld, 2011 1 Outsourcing de serviços de sistemas de informação na banca em Portugal João Varajão 1, Cidália Pereira 2, Luís Amaral 3, Sandra Castro 2 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Departamento de Engenharias,

Leia mais

Performance Measurement Dashboard. António Almeida INESC Porto. VFF project. Holistic, extensible, scalable and standard Virtual Factory Framework

Performance Measurement Dashboard. António Almeida INESC Porto. VFF project. Holistic, extensible, scalable and standard Virtual Factory Framework Performance Measurement Dashboard António Almeida INESC Porto VFF project Holistic, extensible, scalable and standard Virtual Factory Framework Agenda 1. Motivações e Desafios 2. Projeto Virtual Factory

Leia mais

Os Sistemas de Informação nas PME s. José Pinto

Os Sistemas de Informação nas PME s. José Pinto Os Sistemas de Informação nas PME s José Pinto José Ângelo Costa Pinto Licenciado em Gestão Empresas Pós-Graduação em Sistemas de Informação (PM) Pós Graduação em Economia e Gestão Mestre em Sistemas de

Leia mais

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos

COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK. Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos CAF COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK ESTRUTURA COMUM DE AVALIAÇÃO Modelo de auto-avaliação para a melhoria da qualidade dos serviços públicos Agenda OModeloCAF o que é; para que serve; vantagens; como surgiu;

Leia mais

HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação

HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação HP ajuda empresas a aumentar a eficiência da gestão de informação Estudo indica que 70 por cento das empresas têm lacunas na abordagem holística à gestão de informação crítica para o seu negócio Lisboa,

Leia mais

Recursos Humanos e Qualidade

Recursos Humanos e Qualidade K Recursos Humanos e Qualidade na Gestão das Organizações do 3.º Sector S. Brás de Alportel, 11 de Dezembro de 2009 S. l Brás de Alportel, 11 de Dezembro de 2009_Isaque Dias O que é que fazem as Organizações

Leia mais

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014

Agrupamento de escolas de Coruche. CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Agrupamento de escolas de Coruche CURSO PROFISSIONAL Ano lectivo 2013/2014 Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Componente de formação: Sócio-cultural: Português Língua estrangeira I, II ou III (b) Área

Leia mais

Martinho André Cerqueira de Oliveira

Martinho André Cerqueira de Oliveira Martinho André Cerqueira de Oliveira O Recurso a Tecnologias Web para Suporte da Gestão do Conhecimento Organizacional Um Exemplo Nacional Orientador: Prof. Doutor Luís Borges Gouveia Universidade Fernando

Leia mais

Sector das TI s em Portugal e Projectos de

Sector das TI s em Portugal e Projectos de Sector das TI s em Portugal e Projectos de Financiamento Seminário Modelos de Gestão em Tecnologias de Informação: Gestão de Serviços, da Segurança e da Inovação 18 Nov 2010 Escola de Engenharia da Universidade

Leia mais

Sistemas de Informação. Cadeia de Valor. Competitividade das Empresas

Sistemas de Informação. Cadeia de Valor. Competitividade das Empresas Sistemas de Informação Cadeia de Valor Competitividade das Empresas 1 Tópicos O modelo de Porter O Impacto das Tecnologias da Informação na Cadeia de Valor A Cadeia de Valor Virtual e a Matriz de Valor

Leia mais

Lisboa, 18 e 19 de Outubro

Lisboa, 18 e 19 de Outubro Formação Profissional Implementar um programa de Gestão do risco operacional e resiliência de negó ócio Lisboa, 18 e 19 de Outubro Assessoria de Gestão, Lda Gestão do risco operacional e resilência de

Leia mais

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL

PLANO DE CURSO. Formação para Profissionais. www.vantagem.com PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL PLANO DE CURSO PORTUGAL ANGOLA MOÇAMBIQUE CABO VERDE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE BRASIL Formação para Profissionais + 2.000 Cursos Disponíveis A Melhor e Maior Oferta de Formação em Portugal + 1.300 Cursos na

Leia mais

4. Aplicações de Software

4. Aplicações de Software 1. Introdução 2. Sistemas de Fabrico 3. Actividades na Gestão do Processo Produtivo 4. Aplicações de Software 5. e-manufacturing 6. Conclusões Eduardo Tovar, Novembro 2002 20 Aplicações de Software (1)

Leia mais

WORKSHOP SINCRONISMO ORGANIZACIONAL. Como garantir o alinhamento entre. Estratégia - Processos - Pessoas. Prof. Paulo Rocha

WORKSHOP SINCRONISMO ORGANIZACIONAL. Como garantir o alinhamento entre. Estratégia - Processos - Pessoas. Prof. Paulo Rocha WORKSHOP SINCRONISMO ORGANIZACIONAL Como garantir o alinhamento entre Estratégia - Processos - Pessoas Prof. Paulo Rocha 1 OBJETIVOS INSTRUCIONAIS SINCRONISMO ORGANIZACIONAL Os processos como sendo o elo

Leia mais

Gestão do conhecimento

Gestão do conhecimento Gestão do Introdução e conceitos Luis Manuel Borges Gouveia, lmbg@ufp.pt Janeiro de 2002 Definição de Gestão do Conhecimento KM - Knowledge Management é um processo de grupo que combina o domínio de humano

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Sistemas de Informação de Gestão

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Sistemas de Informação de Gestão INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 25/3/2015 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 20/5/2015 Ficha de Unidade

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Vocabulário e conceitos Vista geral

Sistemas de Apoio à Decisão. Vocabulário e conceitos Vista geral Sistemas de Apoio à Decisão Vocabulário e conceitos Vista geral Decisão A escolha de uma entre várias alternativas Processo de tomada de decisão (decision making) Avaliar o problema Recolher e verificar

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 / 2011

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK (CAF) NOS MUNICÍPIOS PORTUGUESES

A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK (CAF) NOS MUNICÍPIOS PORTUGUESES Jornadas da Qualidade A Qualidade na Administração Pública Lagos, 14 Outubro 2011 GESTÃO DA QUALIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A UTILIZAÇÃO DA FERRAMENTA COMMON ASSESSMENT FRAMEWORK (CAF) NOS MUNICÍPIOS

Leia mais

APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS ENTER EXERCÍCIOS SUMÁRIO EXECUTIVO

APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS ENTER EXERCÍCIOS SUMÁRIO EXECUTIVO ENTER APRENDIZAGEM AUTODIRIGIDA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS PARA JOVENS EXERCÍCIOS SUMÁRIO EXECUTIVO Esta publicação foi adaptada pelo parceiro BEST Institut für berufsbezogene

Leia mais

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012

SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 New Standards for Business SCORE INNOVATION Corporate Profile Luanda Maputo, 1 de Novembro 2012 Quem Somos A SCORE INNOVATION é uma empresa que tem como objecto social a prestação de serviços em consultoria,

Leia mais

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O

QiDEIA C O M U N I C A Ç Ã O QiDEIA CREATE WHAT YOU SEE. CREATE WHAT YOU FEEL. CREATE WHAT YOU HAVE NEVER SEEN. JUST CREATE. NATHAN SAWAYA QUEM SOMOS A Qideia é uma agência de comunicação, vocacionada para a estratégia e implementação

Leia mais

Digital Account & Project Management

Digital Account & Project Management CURSO INTENSIVO Digital Account & Project Management Digital Account & Project Management # Porto Duração total: 124h 100h : Curso Intensivo prático 16h : 1 Workshop intensivo à escolha Analisar a informação

Leia mais

Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico

Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico Intelligrid A visão de Futuro do Sistema Elétrico Petronio Spyer Prates Co-located with: Intelligrid Architecture Architecture for the Intelligent Electricity Grid of the Future Visão do Sistema de Potência

Leia mais

IMPLEMENTANDO MÉTODOS DE ESTIMATIVA DE PROJETO DE SOFTWARE NO DOTPROJECT PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO

IMPLEMENTANDO MÉTODOS DE ESTIMATIVA DE PROJETO DE SOFTWARE NO DOTPROJECT PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA IMPLEMENTANDO MÉTODOS DE ESTIMATIVA DE PROJETO DE SOFTWARE NO DOTPROJECT PROPOSTA DE TRABALHO DE GRADUAÇÃO Aluno:

Leia mais

MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1

MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1 MRedPN tt : Metodologia para Redesenho de Processos de Negócios com Transferência Tecnológica - Versão 1.1 Prof. Dr. Jorge Henrique Cabral Fernandes (jhcf@cic.unb.br) Departamento de Ciência da Computação

Leia mais

Projecto GTBC. leading excellence 1. Portugal: Espanha:

Projecto GTBC. leading excellence 1. Portugal: Espanha: Projecto GTBC Portugal: Edifício Taurus Campo Pequeno, 48 2º 1000-081 Lisboa Tel.: +351 217 921 920 Fax: +351 217 921 929 www.gtbc.pt info@gtbc.pt Espanha: CalleAtocha, 20, 2ªIzq 28012 Madrid Tel.: +34

Leia mais

Guia de Apoio à utilização da Ferramenta Interactiva FREE

Guia de Apoio à utilização da Ferramenta Interactiva FREE Fostering Return to Employment through Entrepreneurship, Innovation and Creativity Guia de Apoio à utilização da Ferramenta Interactiva FREE 2009-1-PT1-LEO05-03245, FREE i Índice I. Introdução... 1 II.

Leia mais

Programa de Educação em Empreendedorismo. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes.

Programa de Educação em Empreendedorismo. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes. 1 ÂMBITO Programa de Educação em Empreendedorismo. Através dos Professores para os Alunos. 2.º e 3.º Ciclo. Ensino Secundário e Profissional. Trabalhar comportamentos e atitudes. Alargar horizontes sociais

Leia mais

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T

B U S I N E S S I M P R O V E M E N T BUSINESS IMPROVEMENT A I N D E V E QUEM É A Indeve é uma empresa especializada em Business Improvement, composta por consultores com uma vasta experiência e com um grande conhecimento do mundo empresarial

Leia mais

O Percurso de Formação e Certificação Administrador de Redes Windows tem como principais objetivos:

O Percurso de Formação e Certificação Administrador de Redes Windows tem como principais objetivos: Administrador de Redes Windows Redes e Sistemas - Sistemas Operativos Com certificação Nível: Intermédio Duração: 122,5h Sobre o curso O Percurso de Formação e Certificação Administrador de Redes Windows

Leia mais

Gestão das Operações. Módulo 6 Gestão de stocks consumo dependente (MRP) 6-1

Gestão das Operações. Módulo 6 Gestão de stocks consumo dependente (MRP) 6-1 Gestão das Operações Módulo 6 Gestão de stocks consumo dependente (MRP) 6-1 Sumário 1. Requisitos do modelo de gestão de stocks de materiais com consumo dependente 2. O processo de planeamento da produção

Leia mais

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão

1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- História do Pensamento sobre a Gestão 2 1.2-História

Leia mais

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1

GESTÃO. 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão. 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 GESTÃO 1.-A Gestão e a evolução das teorias da Gestão 1.2- (breve) História do Pensamento sobre a Gestão DEG/FHC DEG 1 1.2-História do Pensamento sobre a Gestão As organizações e a prática da Gestão foram,

Leia mais

MINISTÉRIO DA REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015

MINISTÉRIO DA REFORMA DO ESTADO E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015 N. o 78 3 de Abril de 2002 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-B 3015 Figura 41 Vulnerabilidade dos aquíferos. Figura 42 Infra-estruturas de transporte existentes e previstas. Figura 43 Evolução da população residente

Leia mais

Coaching Para a EXCELÊNCIA

Coaching Para a EXCELÊNCIA Coaching Para a EXCELÊNCIA António Santos António Santos Coaching ferramenta que permite elevar o nível de lucidez Mudanças que alargam horizontes. COACHING para a EXCELÊNCIA Mudanças que alargam horizontes.

Leia mais

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1?

(1) Qual a importância da saúde mental da população para os objectivos estratégicos da EU, tal como indicado em secção 1? Respostas às questões da secção 8 do LIVRO VERDE Melhorar a saúde mental da população Rumo a uma estratégia de saúde mental para a União Europeia Bruxelas 14.10.2005 (1) Qual a importância da saúde mental

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 12

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS. Aula 12 FACULDADE CAMÕES PORTARIA 4.059 PROGRAMA DE ADAPTAÇÃO DE DISCIPLINAS AO AMBIENTE ON-LINE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL DOCENTE: ANTONIO SIEMSEN MUNHOZ, MSC. ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO: FEVEREIRO DE 2007. Gestão

Leia mais

EStUDo DE remuneração information technology 2013

EStUDo DE remuneração information technology 2013 ESTUDO DE REMUNERAÇÃO information 2013 ÍNDICE Pág. Administrador de Sistemas 4 Técnico de Redes de Comunicações 6 Administrador de Bases de Dados 8 Programador 10 Analista Programador 12 Analista Funcional

Leia mais

Cultura Organizacional. Jorge Correia Jesuino

Cultura Organizacional. Jorge Correia Jesuino Cultura Organizacional Jorge Correia Jesuino Cultura Organizacional Valores e crenças compartilhadas subjacentes à identidade duma organização. Caracteristicas 1º A cultura da organização transmite-se

Leia mais