Anexo 1 Apresentação do programa / planificação anual de História A - 12º ano Anexo 2- Planificação do Módulo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Anexo 1 Apresentação do programa / planificação anual de História A - 12º ano...102. Anexo 2- Planificação do Módulo 9...107"

Transcrição

1 ANEXOS 99

2 Anexo 1 Apresentação do programa / planificação anual de História A - 12º ano Anexo 2- Planificação do Módulo Anexo 3 Matriz da ficha de avaliação sumativa.112 Anexo 4 Ficha de avaliação sumativa 114 Anexo 5 - Critérios de correção da ficha de avaliação sumativa (Modelo do GAVE).117 Anexo 6 Objetivos cognitivos mobilizados para cada item da ficha de avaliação sumativa 127 Anexo 7 A e 7B Grelhas de correção da ficha de avaliação C Índice de facilidade na ficha de avaliação sumativa, por questão 130 7D - Índice de facilidade e de discriminação das questões, por turma E Correlação entre os índices de facilidade e discriminação nas questões da ficha. 132 Anexo 8A Competências/indicadores por aluno avaliados na ficha de avaliação 12ºE Anexo8B Competências/indicadores por aluno avaliados na ficha de avaliação 12ºF.136 Anexo 9 Evidência de competências na ficha de avaliação 139 Anexo 10 Melhoria quantitativa de desempenho, por questão Anexo 11 - Índice de facilidade antes e após regulação das aprendizagens, por questão. 141 Anexo 12 Melhoria do nº por competências evidenciadas em prova escrita..142 Anexo 13 - Competências que passaram a ser evidenciadas após regulação

3 Anexo 14 Plano da aula (role play): O Médio Oriente na mesa do Conselho de Segurança da ONU 144 Anexo 15 A a D: Documentos fornecidos aos alunos para o role play.149 Anexos 16 A / B Grelha de avaliação dos alunos em role play, a partir de competências do programa de História A.162 Anexo 17 A/B Atas da reunião simulada em cada uma das turmas Anexo 18 Tomada de posição dos países (grupos de alunos) em ambas as turmas

4 ANEXO 1 APRESENTAÇÃO SUMÁRIA DO PROGRAMA DO 12.º ANO (MÓDULOS 7, 8 e 9) PRIMEIRO PERÍODO SEGUNDO PERÍODO TERCEIRO PERÍODO Módulo 7 CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA 1ª METADE DO SÉCULO XX 1.1- Um novo equilíbrio global A implantação do marxismo-leninismo na Rússia: a construção do modelo soviético A regressão do demoliberalismo. 1.4-Mutações nos comportamentos e na cultura Portugal no primeiro pós-guerra. 2.1-A Grande Depressão e o seu impacto social 2.2- As opções totalitárias A resistência das democracias liberais A dimensão social e política da cultura 2.5- Portugal: o Estado Novo 3- A degradação do ambiente internacional Módulo 8 PORTUGAL E O MUNDO, DA 2ª GUERRA MUNDIAL AO INÍCIO DA DÉCADA DE 80 OPÇÕES INTERNAS E CONTEXTO INTERNACIONAL 1- Nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico 1.1- A reconstrução do pós-guerra O tempo da Guerra Fria - a consolidação de um Mundo Bipolar 1.3- A afirmação de novas potências 1.4- O termo da prosperidade económica: origens e efeitos Imobilismo político e crescimento económico do pósguerra a Da Revolução à estabilização da democracia O significado internacional da revolução portuguesa. 3- As transformações sociais e culturais do terceiro quartel do séc. XX Módulo 9 ALTERAÇÕES GEOESTRATÉGICAS, TENSÕES POLÍTICAS E TRANSFORMAÇÕES SOCIOCULTURAIS NO MUNDO ATUAL 1- O fim do sistema internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul 1.1- O colapso do bloco soviético 1.2- Os polos de desenvolvimento económico 1.3- Permanência de focos de tensão em regiões periféricas. 2 A viragem para uma nova era 2.1- Mutações sociopolíticas e novo modelo económico Dimensões da ciência e da cultura no contexto da globalização. 3- Portugal no novo quadro internacional Plano anual nº de aulas por Período Aulas Previstas 1º Período 16/09/11 a 16/12/12 (13 semanas) 2º Período 03/01/11 a 23/03/12 (11 semanas) Nota: a amarelo, encontram-se os temas e subtemas do módulo 9, para o qual elaborámos a planificação do anexo 2. 3º Período 10/04/11 a 8/06/12 (9 semanas) Apresentação Gestão de Conteúdos e Avaliação TOTAL 102

5 Departamento das Ciências Sociais e Humanas Área Disciplinar de História Disciplina /Ano: História A 12º ano Ano Letivo 2011/12 Plano anual gestão das várias componentes da planificação 1º Período Tempos Letivos 1º Período Módulo 7 1. AS TRANSFORMAÇÕES DAS PRIMEIRAS DÉCADAS DO SÉCULO XX Um novo equilíbrio global A implantação do marxismo leninismo na Rússia: a construção do modelo soviético 1.3 A regressão do Demoliberalismo Mutações nos comportamentos e na cultura. 1.5 Portugal no 1º pós-guerra. 2. O AGUDIZAR DAS TENSÕES POLÍTICAS E SOCIAIS A PARTIR DOS ANOS A grande depressão e o seu impacto As opções totalitárias. 2.3 A resistência das democracias liberais A dimensão social e política da cultura Portugal e o Estado Novo. 3. A DEGRADAÇÃO DO AMBIENTE INTERNACIONAL. - A irradiação do fascismo no mundo. -As hesitações face à guerra civil de Espanha; a 38 (33 aulas Mód. 7) Competências Gerais privilegiadas no ensino básico* (G1,2,3,5 e 6) Competências Específicas privilegiadas no ensino básico* Tratamento da informação/utilização de fontes: Selecionar informação diversa e adequada aos conteúdos em estudo. Interpretar diferentes fontes (escritas e iconográficas) com mensagens diversificadas. Utilizar procedimentos da metodologia específica da História: pesquisar, selecionar e organizar a informação face à problematização colocada. Avaliação Diagnóstica Formativa Sumativa (ao longo de todo o ano) 103

6 aliança contra o imperialismo do eixo nazi-fascista; a mundialização do conflito. 2º Período Módulo 8 1. NASCIMENTO E AFIRMAÇÃO DE UM NOVO QUADRO GEOPOLÍTICO a reconstrução do pós-guerra O tempo da guerra-fria a consolidação de um mundo bipolar 1.3 A afirmação de novas potências. 1.4 O termo da prosperidade económica: origens e efeitos. 33 (38 aulas para Mód. 8) Pesquisar de forma orientada na Internet. Realizar trabalhos de pesquisa, sobre os conteúdos abordados.. Formular hipóteses de interpretação de factos históricos. 2. PORTUGAL DO AUTORITARISMO À DEMOCRACIA. 2.1 Imobilismo político e crescimento económico do pós-guerra a Da Revolução à estabilização da Democracia. 2.3 O significado internacional da revolução portuguesa. (G1,2,3,5,6 e 7) Compreensão histórica: -Temporalidade -Espacialidade -Contextualização. Identificar a multiplicidade de factores e a relevância da acção de indivíduos ou grupos, relativamente a fenómenos históricos circunscritos no tempo e espaço. 104

7 . Situar e caracterizar aspectos relevantes de história de Portugal, europeia e mundial. 3. AS TRANFORMAÇÕES SOCIAIS E CULTURAIS DO TERCEIRO QUARTEL DO SÉCULO XX. - - A importância dos pólos culturais angloamericanos. - A evolução dos media. - As alterações na estrutura social e nos comportamentos. Analisar textos historiográficos, identificando a opinião do autor tomando-a como uma interpretação susceptível de revisão.. Distinguir e articular dinâmicas e analogias ou especificidades, quer de natureza temática, quer de natureza temporal, regional ou local 3º Período (G1 a G10) Comunicação em História (Módulo 9) 1. O FIM DO SISTEMA INTERNACIONAL DA GUERRA FRIA E A PERSISTÊNCIA DA DICOTOMIA NORTE-SUL. 27 (27 aulas. Elaborar e comunicar, com correcção linguística, sínteses de assuntos estudados. 105

8 1.1 O colapso do bloco soviético e a reorganização do mapa político da Europa de Leste. Os problemas de transição para a economia de mercado. 1.2 Os pólos de desenvolvimento económico 1.3 Permanência de focos de tensão em regiões periféricas. 2. A VIRAGEM PARA UMA NOVA ERA. 2.1 Mutações sociopolíticas e novo modelo económico. 2.2 Dimensão da ciência e da cultura no contexto da globalização. Mód. 9). Utilizar de forma adequada a terminologia específica da disciplina através da narração/descrição e participação em pequenos debates, mesas-redondas, painéis, apresentações orais de trabalhos, etc.. Analisar e produzir materiais iconográficos (plantas/mapas, gráficos, tabelas, quadros, frisos cronológicos, organigramas, esquemas) enriquecendo a comunicação com a sua utilização. 3. PORTUGAL NO NOVO QUADRO INTERNACIONAL. 3.1 A integração europeia e as suas implicações 3.2 As relações com os países lusófonos e com a área ibero americana. Nota : os temas sublinhados são estruturantes. *Nota: Estas competências (gerais e específicas) serão desenvolvidas ao longo de todo o ano, de preferência num grau crescente de complexidade..utilizar os meios informáticos como suporte da comunicação. * Note-se que, aquando da construção desta planificação, as competências gerais e específicas do ensino básico estavam, ainda, em vigor, motivo pelo qual não as retirámos do plano anual. O núcleo de estágio de História setembro de

9 ANEXO 2 2 Departamento das Ciências Sociais e Humanas Área Disciplinar de História Disciplina /Ano: História A 12º ano Ano Letivo 2011/12 Planificação do Módulo 9 ALTERAÇÕES GEOESTRATÉGICAS, TENSÕES POLÍTICAS E TRANSFORMAÇÕES SOCIOCULTURAIS NO MUNDO ATUAL Conteúdos Temáticos Procedimentais Atitudinais Conceitos Indicadores de Aprendizagem Experiências de Aprendizagem Recursos Avaliação Cronograma (blocos 90, por subtemas) 1. O fim do sistema internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul 1.1. O colapso do bloco soviético e a reorganização do mapa político da Europa de Leste. Os problemas da transição para a economia de mercado 1.2. Os polos do desenvolvimento económico - Hegemonia dos Estados Unidos: supremacia militar, prosperidade económica, dinamismo científico e tecnológico - Consolidação da comunidade europeia; integração das novas democracias da Europa do Sul; a UE e as dificuldades na constituição de uma Europa política. - Afirmação do espaço económico da Ásia- Pacífico; a questão de Timor. - Expressão oral (1,2a4,6) - Expressão escrita (1, 5,9a11) - Utilização correta de terminologia histórica (1a11) - Confronto de ideias(2a4,6) - Leitura e interpretação de documentos históricos / fontes diversas (1 a8,10,11) - Pesquisa de noções relativas ao mundo atual (2,4,6,9) - Seleção e tratamento de informação (1a9) - Preparação grupal para um debate sobre um assunto (2,4,6) - Estabelecimento de relações entre os diversos Atenção (1a11) Reflexão(2,3,4,6, 8,9) Interesse (1 a 11) Respeito (1 a 11) Empenho (1 a 11) Objetividade (1,3,5,7,9) Perspicácia (2,4,6,8) Autonomia (1,3,5,7,9a11) Organização (2,4,6,9) Curiosidade (2,4,6,8) Cooperação (2,4,6) Responsabilidade (1 a 11) Iniciativa (1 a4,6,8,10,11) Perestroika Glasnost Cidadania europeia O aluno deve ser capaz de: - Referir causas e consequências de acontecimentos relevantes ocorridos a partir dos anos 80:. desmembramento da URSS. definição de três grandes polos de desenvolvimento. permanência de focos de tensão em regiões periféricas. conflitos localizados e sua relação com o enfraquecimento do Estado-Nação. a globalização.as ligações de Portugal à U.E., ao espaço lusófono e à Ibero-América 1 Análise de textos históricos e historiográficos / elaboração de mapas, gráficos, frisos cronológicos, sobre:.antiga URSS e seu desmembramento; (1.1.).três grandes polos de desenvolvimento económico; (1.2.).focos de tensão em regiões periféricas; (1.3.). conflitos localizados e sua relação com o enfraquecimento do Estado-Nação (2.1.). a globalização; (2.2).as ligações de Portugal à U.E., ao espaço lusófono e à Ibero- América (3) - Manual e Enciclopédias, com documentos diversificados, para promoção de desenvolvimento de competências alvo de exame nacional:. Textos históricos e historiográficos. Mapas. Tabelas de dados. Frisos cronológicos.. Gráficos. Esquemas - Mapas dos países/ regiões tratados no módulo:. relativos à antiga URSS e ao seu desmembramento ;. dos polos de desenvolvimento económico;. dos focos de tensão periféricos - Avaliação formativa com diversificação de instrumentos de ensinoaprendizagem ao longo do módulo:. Registo de ocorrências ocasionais relativo aos aspetos em que os alunos deverão melhorar Total: blocos

10 - Modernização e abertura da China à economia de mercado; a integração de Hong Kong e de Macau 1.3. Permanência de focos de tensão em regiões periféricas - Degradação das condições de existência na África subsaariana; etnias e Estados. - Descolagem contida e endividamento externo na América latina; ditaduras e movimentos de guerrilha; a expansão das democracias - Nacionalismo e confrontos políticos e religiosos no Médio Oriente e nos Balcãs conteúdos abordados (2,4,5,6,7,9) Encontram-se entre parêntesis () as experiências de aprendizagem que procuram ir ao encontro destes conteúdos. Espírito Crítico (3,4,6) Encontram-se entre parêntesis () as experiências de aprendizagem que procuram ir ao encontro destes conteúdos Tribalismo Sionismo Fundamentalismo - Trabalhar em grupo de forma ordeira/organizada - Interpretar breves textos históricos/ historiográficos /noticiosos - Selecionar informação relevante a partir de fontes históricas, historiográficas ou noticiosas - Descobrir as personalidades que contribuíram para a posição cimeira dos EUA no mundo atual - Explicitar a coexistência de três polos principais de desenvolvimento económico hoje, com hegemonia dos EUA - Reconhecer, no mundo atual a alteração de um mundo bipolar Leste-Oeste para um acentuar da dicotomia Norte-Sul 2 Jogo didático grupal:. quem é quem?- a importância da diplomacia norteamericana para a hegemonia dos EUA (1.2) 3 Leitura crítica de várias fontes(textuais, iconográficas) elucidativas da transição do sistema internacional Leste- Oeste para um acentuar da dicotomia Norte-Sul (1.3.). dos conflitos resultantes de mutações sociopolíticas e do enfraquecimento do Estado-Nação.dos níveis da globalização. da abrangência do espaço lusófono, da Ibero-América e da U. E. - Quadro - Projetor multimédia. Grelha de avaliação do empenho e desempenho dos alunos em trabalho de grupo/jogo - Registo de ocorrências ocasionais

11 - Interpretar fontes diversificadas, incluindo notícias atuais - Decifrar a geopolítica e geoestratégia presente na tomada de posição dos países relativamente aos problemas do mundo atual - Preparar-se para encarnar/defender certo ponto de vista, a partir de várias fontes - Argumentar e contra-argumentar 4 - Role play: o Médio Oriente na mesa do Conselho de Segurança da ONU (1.3). Membros permanentes do C. S. +Portugal decidem: intervenção ou não quanto à construção de colonatos judeus da Cisjordânia. *Nota: No início das aulas: recursos de áudio, vídeo, para suscitar o interesse dos discentes. O desenvolvimento de competências incidirá essencialmente nas que serão alvo de exame nacional. Grelha de avaliação do desempenho de papéis. Grelha de análise qualitativa dos registos do secretário da reunião - Demonstrar, perante o professor e colegas de grupo/de turma o seu envolvimento no trabalho - Dar a noção de conceitos-chave - Complementar informação adequadamente - Sintetizar informação 5 Resolução de questionários e de exercícios de síntese, para mobilizar vocabulário específico e conhecimentos da disciplina com vista a estruturar pensamento próprio (tema 1). Lista de verificação da resolução dos exercícios de síntese;. Grelha de avaliação de desempenho num exercício de síntese 109

12 2. A viragem para uma outra era 2.1. Mutações sociopolíticas e novo modelo económico - O debate do Estado- Nação; a explosão das realidades étnicas; as questões transnacionais: migrações, segurança, ambiente - Afirmação do neoliberalismo e globalização da economia. Rarefação da classe operária; declínio da militância política e do sindicalismo Dimensões da ciência e da cultura no contexto da globalização 3. Portugal no novo quadro internacional - A integração europeia e as suas implicações. As relações com os países lusófonos e com a área iberoamericana Interculturalidade Ambientalismo Globalização Neoliberalismo Biotecnologia Pós-modernismo CPLP PALOP - Interpretar fontes históricas (de Direito Internacional),historiográficas e noticiosas - Explicar a maior influência de Portugal, como membro da U.E, na geopolítica e geoestratégia presente na tomada de posição dos países relativamente aos problemas do mundo atual - Preparar-se para encarnar/defender certo ponto de vista - Refletir sobre grandes problemas da sociedade contemporânea:. globalização. segurança. direitos humanos. direito à autodeterminação - Compreender e explicitar :. a integração de Portugal na atual U.E. no espaço da Lusofonia. no mundo Ibero- Americano 6- Role play 2: O massacre de Santa Cruz no Tribunal Internacional de Justiça, no âmbito da integração de Portugal no contexto internacional:. partes envolvidas: Indonésia e Timor- Leste; representantes da comunidade internacional Austrália e Portugal (2.1; 3) 7- Análise de mapas, gráficos e documentos textuais para compreensão e explicitação:. da integração europeia de Portugal. do espaço da Lusofonia. da integração de Portugal no mundo Ibero-Americano (3.). Grelha de análise da qualidade das intervenções dos alunos em trabalho de grupo - Registo de ocorrências ocasionais

13 - Extrair informação relevante de conteúdo audiovisual - Construir esquemas organizados de conceitos Ao longo do módulo: 8 - Visualização e análise de recursos audiovisuais ( 1 a 3) 9 - Construção/organização de esquemas de conceitos e quadros síntese no quadro ou em powerpoint sobre os assuntos do módulo (1a3) - Registo de aspetos relevantes referidos pelos alunos no quadro - Registo de ocorrências ocasionais- consolidação de conhecimentos - idem (Consolida ção de conhecimentos: 0,5) - Resolver exercícios autonomamente, incidindo em todos os conteúdos estruturantes Nota: Ao longo das aulas, o aluno deve ser capaz de extrair dos recursos motivacionais aspetos pertinentes para a compreensão de conteúdos Resolução de exercícios propostos no manual e caderno de atividades do aluno. (1 a 3) 11- Resolução de exercícios complementares para exame/correção da ficha sumativa(1 a 3) Encontram-se a negrito os temas do módulo envolvidos em cada experiência de aprendizagem - Ficha sumativa/teste de etapa - Entrega, correção e regulação informativa, metodológica e comunicacional dos exercícios da ficha. - Auto e heteroavaliação final Teste de etapa -2- resolução+correçã o Auto e hetero- Avaliação: 0,5 Total módulo: 27 Total 3º Período:27 Nota: Aprendizagens e conceitos considerados estruturantes estão a negrito. As nossas intervenções diretas nas várias dimensões do processo de ensino-aprendizagem encontram-se a sombreado. 111

14 ANEXO 3 3 Escola Secundária/3 de Inês de Castro Matriz da 5ª ficha de avaliação sumativa de História, 12º Ano 2011/2012 Competências Específicas * - O aluno: 1. Analisa fontes de natureza diversa, distinguindo informação implícita e explícita, assim como os respetivos limites para o conhecimento passado; 2. Analisa textos historiográficos, identificando a opinião do autor e tornando-a como uma interpretação suscetível de revisão dos avanços historiográficos. Analisa adequadamente textos históricos; 3. Situa cronológica e espacialmente acontecimentos e processos relevantes, relacionando-os com os contextos em que ocorreram; 4. Identifica a multiplicidade de fatores e a relevância da ação dos indivíduos ou grupos, relativamente a fenómenos históricos circunscritos no tempo e no espaço; 5. Situa e caracteriza aspetos relevantes da história de Portugal, europeia e mundial; 6. Relaciona a história de Portugal com a história europeia e mundial, distinguindo articulações dinâmicas e analogias/especificidades, quer de natureza temática, quer de âmbito cronológico, regional ou local; 7. Elabora e comunica, com correção linguística, sínteses de assuntos estudados:. estabelecendo os seus traços definidores;. distinguindo situações de rutura e de continuidade;. utilizando, de forma adequada, terminologia específica. Módulo 9; Conteúdos Competências Grupo / Questão Tipo de Item Cotações Tema 1. O fim do sistema internacional da Guerra Fria e a persistência da dicotomia Norte-Sul: 1.1. O colapso do bloco soviético e a reorganização do mapa político da Europa de Leste. Problemas da transição para a economia de mercado Novos problemas/desafios do mundo contemporâneo Colapso do bloco soviético e o fim da Guerra Fria 2,3,4,5 I / 1 Resposta restrita 30 Pontos 2,3,4 I / 2 Resposta restrita 30 pontos 112

15 1.2. Os polos do desenvolvimento económico** 1.3. Permanência de focos de tensão em regiões periféricas Tema 2. A viragem para uma outra era 2.1 Mutações sociopolíticas e novo modelo económico** Integração de Portugal na CEE Hegemonia dos EUA Consolidação da CEE /União Europeia Afirmação do espaço económico Ásia-Pacífico e modernização e abertura da China Questões transnacionais: migrações, segurança, ambiente Alargamento da U.E / (re)definição do Estado- Nação Economias asiáticas, neoliberalismo e globalização das economias 1,3,5,6,7 II / 1 Resposta restrita 30 Pontos 1,3,4,5,7 II / 2 Resposta restrita 40 Pontos 1,3,4,5 II / 3 Resposta extensa 70 Pontos **Conteúdos Estruturantes Total: 200 Pontos O núcleo de estágio de História, 10/05/

16 ANEXO 4 4 Ficha de avaliação sumativa de História 12º Ano 3º Período I Grupo (30+30 pontos) 114

17 1. Enuncie três dos problemas mundiais que, segundo o autor, têm de ser resolvidos para «[ ] construir um mundo novo.» [linha 14]. 2. Explicite as mudanças que o autor propõe para a URSS. Grupo II ( pontos) Este grupo baseia-se na análise dos seguintes documentos: Doc. 1 Assinatura do tratado de adesão à CEE (atual UE), em junho de 1985 Doc. 2 A Europa num mundo globalizado Doc. 3 Os grandes fluxos migratórios na década de 90 do século XX Doc. 1 Assinatura do tratado de adesão à CEE (atual UE), em 1985 Adaptado de Doc. 2 O novo papel da Europa num mundo globalizado 115

18 Doc. 3 Os grandes fluxos migratórios na década de 90 do século XX 1. Refira duas razões que justificam a data de adesão de Portugal à atual U.E, como mostra o documento A partir da análise dos documentos 2 e 3, identifique os principais polos de crescimento económico nos finais do século XX, clarificando três razões da hegemonia norte-americana. 3. A partir da análise dos vários documentos, desenvolva o seguinte tema: A Globalização é a manifestação última de um processo de mundialização (Total: 70 pontos) A sua resposta deve abordar os seguintes aspetos: - O alargamento da União Europeia (25 pontos) - O desenvolvimento das economias asiáticas (20 pontos) - As questões da segurança internacional (25 pontos) Deve integrar na resposta, além dos seus conhecimentos, os dados disponíveis nos documentos 1 a 3. BOM TRABALHO 116

19 ANEXO 5 5 Critérios de correção da 5ª ficha de avaliação sumativa de História A - 12º ano Ano Letivo 2010/2011 TIPOLOGIA DAS QUESTÕES DA FICHA Resposta restrita- 4 (entre 30 a 40 pontos) Resposta extensa 1 (70 pontos) Total. 200 Pontos CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO Nas respostas a cada item, deve ser considerado, de acordo com o tipo de tarefa solicitada, o desempenho relativamente às competências seguintes: 8. Analisa fontes de natureza diversa, distinguindo informação implícita e explícita, assim como os respetivos limites para o conhecimento passado; 9. Analisa textos historiográficos, identificando a opinião do autor e tornando-a como uma interpretação suscetível de revisão dos avanços historiográficos. Analisa adequadamente textos históricos; 10. Situa cronológica e espacialmente acontecimentos e processos relevantes, relacionando-os com os contextos em que ocorreram; 11. Identifica a multiplicidade de fatores e a relevância da ação dos indivíduos ou grupos, relativamente a fenómenos históricos circunscritos no tempo e no espaço; 12. Situa e caracteriza aspetos relevantes da história de Portugal, europeia e mundial; Relaciona a história de Portugal com a história europeia e mundial, distinguindo articulações dinâmicas e analogias/especificidades, quer de natureza temática, quer de âmbito cronológico, regional ou local; Elabora e comunica, com correção linguística, sínteses de assuntos estudados:. estabelecendo os seus traços definidores;. distinguindo situações de rutura e de continuidade;. utilizando, de forma adequada, terminologia específica. Todas as respostas devem ser analisadas considerando os seguintes aspetos:. Relevância da resposta relativamente à questão formulada;. A forma como a fonte é explorada, valorizando-se a interpretação, e não a mera paráfrase;. A articulação e suporte da argumentação;. A mobilização de informação e o domínio do vocabulário específico;. Em todas as questões é obrigatório o recurso à fonte. A avaliação das competências de comunicação escrita em língua portuguesa contribui para valorizar a classificação atribuída ao desempenho no domínio das competências específicas da 117

20 disciplina. Esta valorização é de cerca de 10% da cotação do item e faz-se de acordo com os níveis de desempenho descritos no quadro seguinte. Níveis Descritores 3 Composição bem estruturada, sem erros de sintaxe, de pontuação e/ou de ortografia, ou com erros esporádicos, cuja gravidade não implique perda de inteligibilidade e/ou de sentido. 2 Composição razoavelmente estruturada, com alguns erros de sintaxe, de pontuação e/ou de ortografia, cuja gravidade não implique perda de inteligibilidade e/ou de sentido. 1 Composição sem estruturação aparente, com erros graves de sintaxe, de pontuação e/ou de ortografia, cuja gravidade implique perda frequente de inteligibilidade e/ou de sentido. No caso de a resposta não atingir o nível 1 de desempenho no domínio específico da disciplina, não é classificado o desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa. 118

21 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CLASSIFICAÇÃO GRUPO I Pontos Descritores ao nível de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina. Enunciado claro de três dos seguintes problemas mundiais que têm de ser resolvidos para «[ ] construir um mundo novo.», expressos no documento: Níveis* contradições e limites do modelo industrial tradicional; degradação ambiental ou perigo de catástrofe ecológica; fosso entre países desenvolvidos e países em vias de desenvolvimento; ameaça e uso da força como instrumento da política internacional; insuficiente reconhecimento do papel da ONU Níveis.Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina.. Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina. 4 Nível intercalar Enunciado de dois dos problemas mundiais que têm de ser resolvidos para «[ ] construir um mundo novo.» referidos no nível 5, com base numa incompleta interpretação do documento.. Utilização adequada da terminologia específica da disciplina Nível intercalar Apresentação genérica de aspetos referidos no nível 5, com incipiente interpretação do documento.. Utilização pouco rigorosa da terminologia específica da disciplina * Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação 119

22 2 30 Pontos Descritores ao nível de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina Explicitação clara de três dos seguintes aspetos relativos às mudanças propostas na URSS pelo autor: Níveis* fim do uso da força/corrida ao armamento no que toca à URSS; - negociação sobre desarmamento nuclear e químico; - busca de soluções políticas/diálogo para acabar com os conflitos regionais. - relevar a importância da ONU na política internacional - Humanização das relações entre os povos Níveis Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina. 4 Nível intercalar Explicação de dois dos princípios indispensáveis à construção da nova ordem internacional referidos no nível 5, com base numa incompleta interpretação do documento. Utilização adequada da terminologia específica da disciplina Nível intercalar Apresentação genérica de aspetos referidos no nível 5, com incipiente interpretação do documento. Utilização pouco rigorosa da terminologia específica da disciplina * Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação 120

23 GRUPO II Pontos Descritores ao nível de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina Referência clara a duas razões da entrada de Portugal na CEE (atual U.E), como mostra o documento 1: Níveis* existência, após 1974, de um regime democrático pluralista; respeito pelas liberdades individuais e direitos humanos, em Portugal a partir de 1974; aproximação face ao modelo social europeu/estado-providência; respeito pelo direito à autodeterminação dos povos/descolonização; término da guerra colonial em África. Interpretação completa dos documentos, por referência ao solicitado Níveis Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina. 4 Nível intercalar Referência a uma razão da entrada de Portugal na CEE (atual U.E); 3 Interpretação incompleta do documento, por referência ao solicitado. Utilização adequada da terminologia específica da disciplina Nível intercalar Apresentação genérica de aspetos referidos no nível 5. 1 Incipiente interpretação dos documentos, por referência ao solicitado..utilização pouco rigorosa da terminologia específica da disciplina

24 2 40 Pontos Descritores ao nível de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina Identificação clara dos principais polos de crescimento económico nos finais do século XX e clarificação de três razões da hegemonia norteamericana: Níveis* Três polos: EUA; União Europeia; espaço Ásia Pacífico; - Hegemonia dos EUA nesse contexto, devido a:. Expansão militar, com Reagan e Bush (pai). Colapso do bloco soviético, tornando possível a intervenção dos EUA em qualquer lugar do globo. Posição cimeira na atividade empresarial as multinacionais. Liderança na ciência e na tecnologia. Superioridade na frequência do ensino superior (mão de obra qualificada). Criação e exportação de produtos culturais de massa Níveis. Criação da NAFTA e da APEC: resposta ao poder económico do Japão e da U. E.. Aumento da competitividade da economia, especialmente com as medidas de Clinton:. aumento dos investimentos estatais. redução da dívida externa. reforma da fiscalidade. nova política social: reforma da saúde e da educação. Interpretação completa dos documentos, por referência ao solicitado.. Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina. 4 Nível intercalar Identificação dos principais polos de crescimento económico nos finais do século XX e clarificação de duas razões da hegemonia norteamericana;. Interpretação incompleta dos documentos, por referência ao

25 solicitado.. Utilização adequada da terminologia específica da disciplina. 2 Nível intercalar Apresentação genérica de aspetos referidos no nível Incipiente interpretação do documento, por referência ao solicitado.. Utilização pouco rigorosa da terminologia específica da disciplina Pontos Descritores ao nível de desempenho no domínio da comunicação escrita em língua portuguesa Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina Desenvolvimento claro e organizado do tema «A Globalização é a manifestação última de um processo de mundialização», abordando três dos aspetos a seguir referidos para cada um dos três tópicos de orientação da resposta: Níveis* Níveis 7 Alargamento da União Europeia 25 pontos- definidos critérios na Cimeira de Copenhaga, dezembro de 2002 :. político: ter instituições estáveis, capazes de garantir a democracia; o Estado de direito, os direitos humanos e o respeito e proteção das minorias. económico: ter uma economia de mercado viável e capacidade para enfrentar a pressão concorrencial. capacidade de assumir obrigações de estado-membro da UE: união política, económica e monetária - adotar a legislação da UE. geográfico: os limites da União e a pretensão da Turquia. Interpretação completa dos documentos, por referência ao solicitado. O desenvolvimento das economias asiáticas 20 pontos - O milagre japonês, iniciado nos anos 50, criou um mercado dinâmico em toda a área circundante do Pacífico, atuando como estímulo aos países vizinhos - Em 1961/1967 fundação da ASA e da ASEAN, Associação das Nações do Sudeste Asiático, que foi integrando progressivamente vários países da região, com objetivo de acelerar o crescimento económico, diminuindo a dependência face ao Ocidente

26 - Anos 70: quatro Tigres ou Dragões asiáticos, seguidores do exemplo japonês: mão de obra barata, política de baixos custos de instalação de empresas, atração de investimento estrangeiro:. Grande capacidade de trabalho e adoção de políticas protecionistas. Forte investimento no ensino - Japão, anos 80: crescimento que se traduziu numa ofensiva dos seus produtos na Europa e nos EUA financiamento do défice norteamericano na época e investimento direto na América do Norte e no Sudeste Asiático - Anos 80: 2ª geração de países industriais: estrutura industrial direcionada para Ásia, Europa e América do Norte:. Grandes exportadores de têxteis e eletrónica. Finais do séc. XX: aumento progressivo das trocas intra-asiáticas; criação do APEC (1989): Fórum de cooperação Ásia-Pacífico - Revolução Verde : aumento dos rendimentos Agrícolas, a que se seguiu um aumento das trocas comerciais e desenvolvimento da indústria - Localização na orla de uma zona de intenso comércio marítimo - O crescimento populacional mais acentuado do mundo As questões da segurança internacional 25 pontos - Após a queda do muro de Berlim e desagregação da URSS, surge a ameaça dos atentados terroristas - Terrorismo: métodos e tecnologias sofisticadas; origens e motivações diversas - Organizações terroristas: criminosas e insurgentes; grupos etnonacionalistas; extremistas religiosos - Exemplos de atentados:.torres Gémeas de N. Iorque, estação de Atocha, Madrid, metro/estações autocarro em Londres, bar em Bali, Indonésia, hotéis no centro de Bombaim, Índia, Inspiração nos métodos suicidas Palestinianos mas ameaça hoje todos os países do Mundo preocupação fulcral na era da Globalização - Aprendizagem do terrorismo: escolas e centros de formação especializados - Envolvimento do mercado negro de armamento convencional, químico e biológico - Envolvimento do mundo do narcotráfico 124

27 - Genocídios: guerras civis e conflitos localizados - Tráfico de pessoas: privação de liberdade e maus tratos - Fenómeno leva Estados a reestruturar sistemas de segurança para resposta mais eficaz - Sociedade de Informação Global: problemas quanto às garantias de privacidade dos cidadãos Integração, de forma oportuna e sistemática, dos três documentos. Utilização adequada e sistemática da terminologia específica da disciplina. 6 Nível intercalar Desenvolvimento do tema A Globalização é a manifestação última de um processo de mundialização», abordando, por referência ao nível 7: dois aspetos de cada um dos tópicos (2/2/2); OU três aspetos de um dos tópicos, dois aspetos de outro dos tópicos e um aspeto do outro tópico (3/2/1); OU três aspetos de cada um de dois dos tópicos (3/3/0); OU 5 dois aspetos de cada um de dois dos tópicos e um aspeto do outro tópico (2/2/1); OU três aspetos de um dos tópicos e dois aspetos de outro dos tópicos (3/2/0); OU três aspetos de um dos tópicos e um aspeto de cada um dos outros tópicos (3/1/1). Integração, de forma oportuna, de dois documentos. Utilização adequada da terminologia específica da disciplina Nível intercalar Desenvolvimento do tema A Globalização é a manifestação última de um processo de mundialização», abordando, por referência ao nível 7: um aspeto de cada um dos tópicos (1/1/1);OU três aspetos de um dos tópicos (3/0/0); OU 3 dois aspetos de um dos tópicos e um aspeto de outro dos tópicos (2/1/0); OU um aspeto de cada um de dois dos tópicos (1/1/0); OU dois aspetos de um dos tópicos (2/0/0). Integração, de forma oportuna, de dois documentos

28 Utilização adequada da terminologia específica da disciplina. 2 Nível intercalar Apresentação genérica de aspetos referidos no nível Incipiente interpretação dos documentos, por referência ao solicitado.. Utilização pouco rigorosa da terminologia específica da disciplina * Descritores apresentados nos Critérios Gerais de Classificação O núcleo de estágio de História, 10/05/

29 ANEXO 66 Objetivos cognitivos mobilizados para cada item da ficha de avaliação sumativa B. Bloom (1969) e J. P. Guilford (1967) No modelo de J. P. Guilford Processos cognitivos 1. Cognição OPERAÇÕES CONTEÚDOS PRODUTOS 2. Memória 3. Produção convergent e 4. Produção divergente 5.Avaliaçã o 1. Figurativos 2. Simbólicos 3. Semânticos 4. De comportame nto 1. Unidades 2. Classes 3. Relações 4. Sistemas 5. Transforma ções 6. Implicaçõe s 6. Avaliar 5. Sintetizar II.3 II.3 II.3 II.3 II.3 II.3 II.3 Na taxonomia de B. Bloom 4. Analisar II.3 II.2 II.2 II.2 II.2 II.2 3. Aplicar 2. Compreender II.1 I.2/ II.1 I.2 II.1 I.2 /II.1 I.2 1. Saber de cor I.1 I.1 I.1 I.1 Nota: A branco, encontram-se os objetivos cognitivos não mobilizados no teste, pelo menos diretamente. 127

30 ANEXO 7A 7A Grelha de correção da ficha de avaliação do módulo 9 12º E Pontuação por questão 12º E Nº dos alunos Entrega da correção Questão I. 1 Questão I.2 Questão II.1 Questão II.2 Questão II.3 TOTAL por aluno (pontos) para regulação X X X X X Média de Pontos 25,95 25,6 21,95 33,2 49,85 155,55 Índice de facilidade: percentagem em relação ao total de pontos, por questão 87% 85% 73% 83% 71% 78% 128

31 ANEXO 7B Grelha de correção da ficha de avaliação do módulo 9 12º F Pontuação por questão º F Nº dos alunos Questão I. 1 Questão I.2 Questão II.1 Questão II.2 Questão II.3 TOTAL por aluno (pontos) Entrega da correção para regulação x x x x x x x x x x Média de Pontos por questão Índice de facilidade: percentagem em relação ao total de pontos, por questão 17 18,75 11, ,625 37, ,25 57% 63% 37% 59% 54% 54% 129

32 ANEXO 7C 7C Índice de facilidade na ficha de avaliação sumativa, por questão Questão I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Globalidade 12ºE 87% 85% 73% 83% 71% 78% 12ºF 57% 63% 37% 59% 54% 54% Legenda: Maior sucesso Menor sucesso 100% Índice de facilidade na ficha de avaliação sumativa, por questão (em %) 90% 80% 70% 60% 87% 57% 85% 63% 73% 83% 59% 71% 78% 54% 54% 50% 40% 37% 12ºE 12ºF 30% 20% 10% 0% I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Globalidade 130

33 Valor do índice Valor do índice ANEXO 7D 7D 7D Índice de facilidade e de discriminação das questões da ficha sumativa- 12º E vs 12ºF 12º E I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Índice de facilidade 0,87 0,85 0,73 0,83 0,71 Índice de discriminação 0,17 0,25 0,53 0,39 0,61 12ºF I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Índice de facilidade 0,57 0,63 0,37 0,59 0,54 Índice de discriminação 0,29 0,25 0,5 0,41 0,74 Índice de facilidade e de discriminação das questões da ficha de avaliação sumativa -12ºE Índice de facilidade e de discriminação das questões da ficha de avaliação sumativa -12ºF 1,00 0,80 0,90 0,80 0,70 0,60 0,50 0,40 0,30 0,20 0,10 0,87 0,17 0,85 0,25 0,73 0,53 0,83 0,39 0,71 0,61 Índice de dificuldade por questão Índice de discriminação por questão 0,70 0,60 0,50 0,40 0,30 0,20 0,10 0,57 0,29 0,63 0,25 0,5 0,37 0,59 0,41 0,74 0,54 Índice de dificuldade por questão Índice de discriminação por questão 0,00 I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Questões da ficha sumativa 0,00 I.1 I.2 II.1 II.2 II.3 Questões da ficha sumativa 131

34 Índice de discriminação ANEXO 7E 7E Correlação entre os índices de facilidade e de discriminação nas questões da ficha de avaliação, tendo em conta Ebel (1965) 1 0,8 0,7 Índice de facilidade e de discriminação nas questões da ficha de avaliação 12ºE vs 12ºF Grupo Bom (27% superior) Grupo mau (27% inferior) 0,8 II.3 0,7 Aceitação do item 0,6 0,5 II.1 II.3 II.1 0,6 0,5 0,4 II.2 II.2 0,4 12ºF Item suscetível de revisão Rejeição do item 0,3 0,2 0,1 0 I.1 I.2 I.2 I.1 0 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1 Índice de Facilidade 0,3 0,2 0,1 0 12ºE *Gráfico baseado no modelo apresentado por LAVEAULT, Dany e GREGOIRE, Jacques, 2002, p

35 II. 1 - Fonte iconográfica II.2 texto histórico e mapa II. 3 Fonte iconográfica, texto histórico, mapa I 1.Discurso de Gorbatchev: problemas I.2 Discurso de Gorbatchev: mudanças para URSS I. 1.fim da Guerra Fria, viragem para outra Era I. 2 mudanças na URSS: fim do uso da força, diálogo intenso; relevo da ONU II. 1 Assinatura do tratado adesão de Portugal à CEE apenas em 1985 II.2~polos de crescimento económico em finais do Séc. XX; o contexto da hegemonia dos EUA: fim da Guerra Fria II. 3 cada aspeto: União Europeia; economias asiáticas; segurança internacional I. 1. líderes mundiais desconsideram problemas globais; não reconhecem ONU I.2 líderes da URSS: devem dialogar com atores políticos mundiais a solução dos problemas II. 2 papel da administração de Reagan, Bush e Clinton na hegemonia dos EUA II. 3 U.E: cimeira de Copenhaga, 2002; economias asiáticas: Deng Xiaoping e abertura da China ao m ercado;,a Rev. Verde (Nehru); a ASEAN e APEC; Segurança: terrorismo/crime organizado I 1. Problemas mundiais: limites do modelo industrial; degradação ambiental; fosso PD PED II. 1. Importância do 25 abril 74 II. 2 Colapso da União Soviética e das suas estruturas de apoio II. 3. U. E: critérios de alargamento; economias asiáticas: Japão e seu dinamismo, Dragões e Tigres, seguindo exemplo japonês; a China; Segurança: terrorismo/crime II. 1 Facto de Portugal passar a cumprir os critérios de integração na CEE com data de adesão I. 2 postura de confronto da URSS Vs postura dialogante II. 1 situação de ditadura vs democracia II. 2 hegemonia dos EUA, devida a vários fatores: expansão militar; posição cimeira na atividade empresarial; liderança na ciência e tecnologia APRECIAÇÃO GLOBAL POR ALUNO (nº de indicadores evidenciados por aluno (+ melhoria) 1-Analisar fontes de natureza diversa distinguindo informação implícita e explícita 2-Analisar textos historiográficos/históricos, identificando a opinião do autor 3 - Situar cronológica e espacialmente acontecimentos e processos relevantes, relacionando-os com os contextos em que ocorreram 4 - Identificar a relevância da ação dos indivíduos ou grupos, relativamente a fenómenos históricos 5- Situar e caracterizar aspetos relevantes da história mundial 6 - Relacionar a história de Portugal com a história europeia/mundial, distinguindo analogias/especificidades 7 -Comunicar, com correção linguística, situações de rutura e de continuidade melhoria, por aluno, em p. percentuais (e % sucesso após regulação) Competências manifestadas antes / após regulação ANEXO 8A Grelha de avaliação 12º E Competências/indicadores de competência por aluno avaliados na ficha de avaliação sumativa do módulo 9 Competências a evidenciar em História A 12º ano Indicador nº Indicadores/ desdobramento por questão Analisa adequadamente Analisa, citando, aspetos Situa cronológica e espacialmente Identifica a relevância da ação de Situa e caracteriza Relaciona... Comunica A 1B 1C 2A 2B 3A 3B 3C 3D 3E 4A 4B 4C 4D 5A 5B 5C 5D 6 7A 7B 7C Nº do aluno (+ 15) (100) 6/7 133

36 ( 46 5/ (91) ) ( 23 7/7 +5 ) (91) ** /7 (+5) (87) (77) 7/7 (+2) / APRECIAÇÃO GLOBAL indicadores de compet. evidenciados antes da regulação: TURMA (20 alunos) Nº ALUNOS QUE EVIDENCIARAM AS COMPETÊNCIAS NA FICHA DE AVALIAÇÃO % DE ALUNOS QUE EVIDENCIARAM AS COMPETÊNCIAS NA FICHA DE AVALIAÇÃO APRECIAÇÃO GLOBAL compet. evidenciadas por indicador (+melhoria) alunos que entregaram correção Melhoria em %, por indicador alunos que entregaram correção 3( +2 ) 3(+ 2) 2(+1) 3(+ 2) 4(+1 ) 5 4 1(+3) 4(+1) 3(+ 2) 3(+2) 4(+1) 1(+3) 1(+3) 4(+ 1) 1(+ 3) 4 1(+4) 2(+2) (+1) 3(+2) 134

37 Comparação desempenho de competências Melhoria em %, por competência - turma 13% 10% 7% 13% 13% 13% 5% Melhoria em %, por competência alunos que entregaram correção 61% % 44% 50% 20% Grelha original construída a partir das competências passíveis de avaliação numa prova escrita de duração limitada, de acordo com o ME/GAVE, Exame e Informações: Prova Final 2011/ História A, Lisboa, Legenda: 1 indicador evidenciado 0 indicador não evidenciado +1 indicador evidenciado após regulação -1 indicador evidenciado antes da regulação, mas não evidenciado após a regulação. ** copiou do manual as questões II.2 e II. 3, em parte. 135

38 II. 1 - Fonte iconográfica II.2 texto histórico e mapa II. 3 Fonte iconográfica, texto histórico, mapa I 1.Discurso de Gorbatchev: problemas I.2 Discurso de Gorbatchev: mudanças para URSS I. 1.fim da Guerra Fria, viragem para outra Era I. 2 mudanças na URSS: fim do uso da força, diálogo intenso; relevo da ONU II. 1 Assinatura do tratado adesão de Portugal à CEE apenas em 1985 II.2~polos de crescimento económico em finais do Séc. XX; o contexto da hegemonia dos EUA: fim da Guerra Fria II. 3 cada aspeto: União Europeia; economias asiáticas; segurança internacional I. 1. líderes mundiais desconsideram problemas globais; não reconhecem ONU I.2 líderes da URSS: devem dialogar com atores políticos mundiais a solução dos problemas II. 2 papel da administração de Reagan, Bush e Clinton na hegemonia dos EUA II. 3 U.E: cimeira de Copenhaga, 2002; economias asiáticas: Deng Xiaoping e abertura da China ao m ercado;,a Rev. Verde (Nehru); a ASEAN e APEC; Segurança: terrorismo/crime organizado I 1. Problemas mundiais: limites do modelo industrial; degradação ambiental; fosso PD PED II. 1. Importância do 25 abril 74 II. 2 Colapso da União Soviética e das suas estruturas de apoio II. 3. U. E: critérios de alargamento; economias asiáticas: Japão e seu dinamismo, Dragões e Tigres, seguindo exemplo japonês; a China; Segurança: terrorismo/crime II. 1 Facto de Portugal passar a cumprir os critérios de integração na CEE com data de adesão I. 2 postura de confronto da URSS Vs postura dialogante II. 1 situação de ditadura vs democracia II. 2 hegemonia dos EUA, devida a vários fatores: expansão militar; posição cimeira na atividade empresarial; liderança na ciência e tecnologia APRECIAÇÃO GLOBAL POR ALUNO nº de indicadores evidenciados por aluno (+ melhoria) 1-Analisar fontes de natureza diversa distinguindo informação implícita e explícita 2-Analisar textos historiográficos/históricos, identificando a opinião do autor 3 - Situar cronológica e espacialmente acontecimentos e processos relevantes, relacionando-os com os contextos em que ocorreram 4 - Identificar a relevância da ação dos indivíduos ou grupos, relativamente a fenómenos históricos 5- Situar e caracterizar aspetos relevantes da história mundial 6 - Relacionar a história de Portugal com a história europeia, distinguindo analogias/especificidades 7 -Comunicar, com correção linguística, situações de rutura e de continuidade melhoria, por aluno, em p.percentuais (e % sucesso após regulação) Competências manifestadas antes / após regulação ANEXO 8B 8B ANEXO 8B Grelha de avaliação 12º F Competências/indicadores por aluno avaliados na ficha de avaliação sumativa do módulo 9 Competências a evidenciar em História A 12º ano Indicador nº Indicadores/ desdobramento por questão Analisa adequadamente Analisa, citando, aspetos Situa cronológica e espacialmente Identifica a relevância da ação de Situa e caracteriza Relaciona... Comunica A 1B 1C 2A 2B 3A 3B 3C 3D 3E 4A 4B 4C 4D 5A 5B 5C 5D 6 7A 7B 7C Nº do aluno (+5) 19 (+1) 5 (+13) 10 (+8) 16 (+2) 23 (91) 5 (91) 59 (82) 36 (82) 9 (82) 6/7 7/7 4/7 4/7 6/7 136

Informação n.º 13.12. Data: 2011.11.10. Para: Inspeção-Geral de Educação. Direções Regionais de Educação. Escolas com ensino secundário CIREP FERLAP

Informação n.º 13.12. Data: 2011.11.10. Para: Inspeção-Geral de Educação. Direções Regionais de Educação. Escolas com ensino secundário CIREP FERLAP Prova de Exame Nacional de História A Prova 623 2012 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Para: Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspeção-Geral de Educação

Leia mais

Data: 2010.11.08. Para: Inspecção-Geral de Educação. Direcções Regionais de Educação. Escolas com Ensino Secundário CIREP FERLAP CONFAP

Data: 2010.11.08. Para: Inspecção-Geral de Educação. Direcções Regionais de Educação. Escolas com Ensino Secundário CIREP FERLAP CONFAP Prova de Exame Nacional de História A Prova 623 2011 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção-Geral de

Leia mais

Escola Secundária Latino Coelho, Lamego HISTÓRIA A

Escola Secundária Latino Coelho, Lamego HISTÓRIA A Escola Secundária Latino Coelho, Lamego Planificação a Médio Prazo HISTÓRIA A 1.º Ano de Escolaridade Ano Letivo 015/16 Carga Horária Semanal 4,5 tempos Letivos (60 minutos) 1.º Período Módulo 7 - Crises,

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO (sujeita a reajustamentos)

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO (sujeita a reajustamentos) PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO (sujeita a reajustamentos) História A 12º Ano Ano Lectivo - 2012/2013 Prof. Armando Sousa Pereira Prof.ª Maria Amélia de Andrade e Pinto de Almeida Vasconcelos 1º PERÍODO MÓDULO

Leia mais

HISTÓRIA A ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. Planificação a Médio e Longo Prazo. Ano Letivo 2014-2015. 12º Ano de Escolaridade

HISTÓRIA A ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. Planificação a Médio e Longo Prazo. Ano Letivo 2014-2015. 12º Ano de Escolaridade HISTÓRIA A ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA Planificação a Médio e Longo Prazo Ano Letivo 2014-2015 12º Ano de Escolaridade I - AVALIAÇÃO: Planificação de História A - 12º ano /1 1. Domínios de avaliação, parâmetros,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA 9º Ano História Planficação a Médio e Longo Prazo Ano Letivo 2014/2015 I - AVALIAÇÃO: 1. Domínios de avaliação, parâmetros e ponderações I Domínio dos Conhecimentos

Leia mais

Informação - Prova de Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional HISTÓRIA A - NE Prova 226 2012 12.º Ano de Escolaridade

Informação - Prova de Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional HISTÓRIA A - NE Prova 226 2012 12.º Ano de Escolaridade Disciplina HISTÓRIA A - NE Código - 226 2011/2012 Informação - Prova de Exame a Nível de Escola Equivalente a Exame Nacional HISTÓRIA A - NE Prova 226 2012 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004,

Leia mais

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA Direção Regional da Educação. X Ciências Humanas Ciências Exatas

SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CULTURA Direção Regional da Educação. X Ciências Humanas Ciências Exatas Informação -Exame de Equivalência à Frequência (Ao abrigo da alínea b) do n.º 20 do anexo 2 da Portaria n.º 18/2010 de 17 de Fevereiro) Curso(s)/Componente de Formação: Ano Letivo 2014/2015 X Ciências

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2016

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2016 Escola: Escola Secundária Damião de Goes Código: 312 Disciplina: Economia C Ano de escolaridade:12º Ano 1.Objeto de avaliação: A prova tem como referente

Leia mais

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340. CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340. CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DO CADAVAL ANO LETIVO 2014-2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA: ECONOMIA C CÓDIGO: 312

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DO CADAVAL ANO LETIVO 2014-2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA: ECONOMIA C CÓDIGO: 312 ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DO CADAVAL ANO LETIVO 2014-2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DISCIPLINA: ECONOMIA C CÓDIGO: 312 1. OBJETO DE AVALIAÇÃO A prova tem por referência o Programa

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 4 DE ÉVORA. Critérios específicos de avaliação História Critérios específicos de avaliação História Ponto 1 : Informações gerais Os elementos de avaliação serão classificados de forma qualitativa, de acordo com a terminologia que a seguir se indica. A classificação

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO

ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO ANO LETIVO 2013/2014 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico Os conhecimentos e capacidades a adquirir e a desenvolver pelos alunos de cada nível e de cada ciclo de ensino têm como referência os programas

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR. Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Áreas Critérios de avaliação Instrumentos de avaliação Área de Formação Pessoal e social Revelar autonomia na higiene e alimentação. Demonstrar controlo de emoções, reações e atitudes.

Leia mais

- Elaborar sínteses escritas a partir da informação recolhida, com correção linguística e aplicando o vocabulário específico da disciplina.

- Elaborar sínteses escritas a partir da informação recolhida, com correção linguística e aplicando o vocabulário específico da disciplina. ESCOLA EB 2,3 DE MARCO DE CANAVESES Informação Prova de Equivalência à Frequência História - 3º Ciclo 19 Prova Escrita Ano Letivo 2014/2015 abril 2015 1.Objeto de avaliação As provas de equivalência à

Leia mais

RESUMO DA PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2014/2015

RESUMO DA PLANIFICAÇÃO ANO LETIVO 2014/2015 História - 7ºAno RESUMO DA PLANIFICAÇÃO Professores: EAV Mª Alice Gomes; Joaquim Jorge Oliveira ESB Nuno Abrantes; Nuno Pinto Período DOMÍNIOS/SUBDOMÍNIOS Total de tempos previstos por Período Apresentação

Leia mais

DISCIPLINA: História CÓDIGO DA PROVA: 19 CICLO: 3º ANO DE ESCOLARIDADE: 9º

DISCIPLINA: História CÓDIGO DA PROVA: 19 CICLO: 3º ANO DE ESCOLARIDADE: 9º DISCIPLINA: História CÓDIGO DA PROVA: 9 CICLO: 3º ANO DE ESCOLARIDADE: 9º. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Prova Escrita de História A

Prova Escrita de História A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História A 2.º Ano de Escolaridade Prova 62/.ª Fase 2 Páginas Duração da Prova: 20 minutos. Tolerância: 0 minutos.

Leia mais

PROVA ESCRITA DE HISTÓRIA

PROVA ESCRITA DE HISTÓRIA AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS CETÓBRIGA Escola Básica dos 2º e 3º ciclos de Aranguez INFORMAÇÃO - EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO 3º CICLO DO ENSINO BÁSICO Ano Letivo 2011/2012 PROVA ESCRITA DE

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO

CRITÉRIOS DE AVALIACÃO CRITÉRIOS DE AVALIACÃO Educação Visual 5º Ano Educação Visual 6º Ano Educação Tecnológica 5º Ano Educação Tecnológica 6º Ano ANO ESCOLAR 2015 / 2016 Ano letivo de 2015 / 2016 INTRODUÇÃO Sendo a avaliação

Leia mais

12º K. Gestão de unidades curriculares, Articulações e Critérios de Avaliação 2014/2015. Curso: Científico-Humanístico de Línguas e Humanidades

12º K. Gestão de unidades curriculares, Articulações e Critérios de Avaliação 2014/2015. Curso: Científico-Humanístico de Línguas e Humanidades Gestão de unidades curriculares, Articulações e Critérios de Avaliação 2014/2015 Curso: Científico-Humanístico de Línguas e Humanidades º K Diretora de Turma: Luísa Sousa Disciplina: Português Docente:

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Critérios de Avaliação 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1º CICLO Critérios de Avaliação, 1º Ciclo - Ano Letivo 2014-15 Página 1 de 10 1. Domínios de avaliação: AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMORA CORREIA ESCOLA BÁSICA PROF. JOÃO FERNANDES PRATAS ESCOLA BÁSICA DE PORTO ALTO Prova Extraordinária de Avaliação Físico-Química 3º Ciclo - 7.º Ano de Escolaridade Despacho

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O 2015-2016

P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O 2015-2016 P L A N I F I C A Ç Ã 0 3 º C I C L O 2015-2016 DISCIPLINA / ANO: História - 9º MANUAL ADOTADO: Missão História! - 9.º Ano, Porto Editora, Cláudia Amaral, Bárbara Alves, Tiago Tadeu GESTÃO DO TEMPO 1º

Leia mais

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História. 1. Introdução. 3º Ciclo do Ensino Básico. Ano letivo de 2011/12

Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História. 1. Introdução. 3º Ciclo do Ensino Básico. Ano letivo de 2011/12 Informação-Exame de Equivalência à disciplina de: História 3º Ciclo do Ensino Básico Ano letivo de 2011/12 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas de Sátão 2015-2016 Introdução A avaliação constitui um processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar e certificador dos conhecimentos

Leia mais

Prova Escrita de História A

Prova Escrita de História A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História A 12.º ano de Escolaridade Prova 623/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO

INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO 1. INTRODUÇÃO INFORMAÇÃO DA PROVA FINAL DE HISTÓRIA 9.º ANO Ano Letivo 2014-2015 O presente documento visa divulgar as caraterísticas da prova final do 3.º ciclo do ensino básico da disciplina de História,

Leia mais

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES

AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES ESCOLA BÁSICA LUÍS DE STTAU MONTEIRO - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE LOURES AVALIAÇÃO NAS DISCIPLINAS CURRICULARES DOMÍNIOS / CRITÉRIOS 2º Ciclo DISCIPLINA COGNITIVO / OPERATIVO E INSTRUMENTAL CONHECIMENTOS

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS 2º CEB. Introdução

PLANO DE ESTUDOS 2º CEB. Introdução Introdução Entre os 10 e 12 anos, as crianças necessitam que lhes seja despertado e estimulado o seu desejo de aprender. No Colégio Pedro Arrupe pretendemos estimular e promover esse desejo, desenvolvendo

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS Cód. 161007 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA MEALHADA DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano lectivo 2010-2011 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DOS ALUNOS A avaliação das crianças e dos alunos (de diagnóstico,

Leia mais

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO

Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior Cód. 152900 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO. EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR, ENSINOS BÁSICO e SECUNDÁRIO NOTA INTRODUTÓRIA Ano letivo 2015/2016 Sendo a avaliação um «processo regulador do ensino, orientador do percurso escolar

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE SANTO ONOFRE LÍNGUA FRANCESA - 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPETÊNCIAS GERAIS COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS VALOR AVALIAÇÃO 1. Durante o período de aprendizagem o aluno deverá

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec. Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã/SP Área de conhecimento: Ciências Humanas e suas tecnologias Componente Curricular:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO. Critérios de Avaliação. 1º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO JACQUES MAGALHÃES 1º CICLO Critérios de Avaliação 1º Ano Disciplina: PORTUGUÊS Domínio Parâmetros de Avaliação Instrumentos de avaliação Ponderação Oralidade Assimilar e expressar

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Prova Escrita de Economia A

Prova Escrita de Economia A EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Economia A.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 9/202, de 5 de julho Prova 72/2.ª Fase Braille Critérios de Classificação 2 Páginas 205 Prova

Leia mais

Prova Escrita de História B

Prova Escrita de História B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História B.º/2.º anos de Escolaridade Prova 72/2.ª Fase 9 Páginas Duração da Prova: 20 minutos. Tolerância:

Leia mais

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016

CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO 2015/2016 I INTRODUÇÃO De acordo com a legislação em vigor, a avaliação é um elemento integrante e regulador de todo o processo de ensino aprendizagem. A avaliação visa promover

Leia mais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova de Exame Nacional de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Prova 835 2011 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO DOMÍNIO DOMÍNIO COGNITIVO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PROFESSOR AGOSTINHO DA SILVA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR/CICLO: LÍNGUA PORTUGUESA/CEF 3º CICLO DOMÍNIOS / INDICADORES DE DOMÍNIO INSTRUMENTOS

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Ano Letivo 2012/2013 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Disciplina: ECONOMIA C Prova/Código: 312 Ano(s) de Escolaridade: 12º Ano 1. Introdução A prova

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES. CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS FERNÃO DE MAGALHÃES CHAVES CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO PARA OS 1.º, 2.º e 3.º CICLOS DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO 2015/2016 ÍNDICE I INTRODUÇÃO... 3 II ENQUADRAMENTO DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

Grupo de Educação Especial

Grupo de Educação Especial Grupo de Educação Especial Critérios Gerais de Avaliação 2015/2016 De acordo com o Despacho normativo n.º 24-A/2012, artigo 8.º (ponto 10): 10 A informação resultante da avaliação sumativa dos alunos do

Leia mais

Planificação do trabalho a desenvolver no 12ºB Grelha de Conteúdos/Aulas Previstas

Planificação do trabalho a desenvolver no 12ºB Grelha de Conteúdos/Aulas Previstas Ano Letivo 2014/2015 Planificação do trabalho a desenvolver no 12ºB Grelha de Conteúdos/Aulas Previstas Português Período Aulas Previstas Diagnose. Textos líricos: Fernando Pessoa ortónimo e heterónimos

Leia mais

A ADEQUAÇÃO DO ENSINO ACADÉMICO ÀS NECESSIDADES DAS EMPRESAS: O CASO DA SIMULAÇÃO EMPRESARIAL EM FINANÇAS NO ISCA-UA

A ADEQUAÇÃO DO ENSINO ACADÉMICO ÀS NECESSIDADES DAS EMPRESAS: O CASO DA SIMULAÇÃO EMPRESARIAL EM FINANÇAS NO ISCA-UA A ADEQUAÇÃO DO ENSINO ACADÉMICO ÀS NECESSIDADES DAS EMPRESAS: O CASO DA SIMULAÇÃO EMPRESARIAL EM FINANÇAS NO ISCA-UA Amândio Antunes Fernando Costa Joaquim Neiva Santos Apresentação 2 1. Introdução 2.

Leia mais

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série

Roteiro de Estudos. 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Roteiro de Estudos 2 trimestre - 2015 Disciplina: Geografia 2ª série Professor: Eduardo O que devo saber: Globalização, comércio mundial e blocos econômicos. O Comércio Global. O protecionismo. O comércio

Leia mais

Metas Curriculares de Português

Metas Curriculares de Português Metas Curriculares de Português Ensino Básico 1.º Ciclo O domínio da ORALIDADE Helena C. Buescu, Maria Regina Rocha, Violante F. Magalhães Objetivos e Descritores de Desempenho Oralidade 1.º Ano Objetivos

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e o Programa da disciplina. Científico -Humanísticos/ 11.º Ano de Escolaridade Prova: E + O Nº de anos: 2 Duração: 90 minutos + 25 minutos Decreto-Lei n.º139/2012, de 5 de julho 1. Introdução O presente documento visa divulgar as

Leia mais

Prova Escrita de História A

Prova Escrita de História A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de História A 12.º Ano de Escolaridade Prova 623/1.ª Fase 12 Páginas Entrelinha 1,5 Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI. Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista.

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI. Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista. EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 8º 2º TRI Questão 1 Assinale a única alternativa que não indica uma característica do sistema capitalista. a) Os preços das mercadorias variam de acordo com a procura por

Leia mais

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade

Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Manual de Avaliação dos alunos do pré-escolar ao 9º ano de escolaridade Índice Nota Introdutória Legislação Conceitos/Glossário de termos Princípios Orientadores e finalidades Documentos Nota Introdutória:

Leia mais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais

Normas e Critérios Gerais de Avaliação. Cursos Profissionais Normas e Critérios Gerais de Avaliação Cursos Profissionais O formador deve orientar toda a sua atividade didática no sentido de promover o sucesso educativo do formando através de planificações contextualizadas,

Leia mais

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO

HISTÓRIA - 6º AO 9º ANO A FORMAÇÃO DO CURRÍCULO DA REDE O solicitou-nos uma base para colocar em discussão com os professores de história da rede de São Roque. O ponto de partida foi a grade curricular formulada em 2008 pelos

Leia mais

2. Objeto de avaliação

2. Objeto de avaliação Disciplina DIREITO Código - 329 2014/2015 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Direito Código da Prova 329/2015 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho, com a redação

Leia mais

11 FÍSICO- QUÍMICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20

11 FÍSICO- QUÍMICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 informação-prova de equivalência à frequência data:. 0 5. 2 0 11 FÍSICO- QUÍMICA alunos abrangidos pela Portaria n.º 23/2015, de 27 de fevereiro 3.ºciclo do ENSINO BÁSICO 20 1.O B J E T O D E A V A L I

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I BEJA ANO LETIVO DE 2011-2012 DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS Disciplina de Português Critérios de Avaliação A avaliação é uma componente essencial do processo de ensino-aprendizagem

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2015. Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em Informática para internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Linguagens / Parte Diversificada Componente Curricular: Língua Estrangeira

Leia mais

Mapa-mundo 7. o ANO. Geografia. Planos ARINDA RODRIGUES. Professor

Mapa-mundo 7. o ANO. Geografia. Planos ARINDA RODRIGUES. Professor Mapa-mundo 7. o ANO Geografia Planos aula de ARINDA RODRIGUES Professor ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 4 PLANIFICAÇÃO ANUAL... 5 CALENDARIZAÇÃO DAS AULAS DO 1. O PERÍODO... 6 CALENDARIZAÇÃO DAS AULAS DO 2. O PERÍODO...

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA 3ª. SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS

PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA 3ª. SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE DIRETORIA DE ENSINO REGIÃO CAIEIRAS PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA 3ª. SÉRIE DO ENSINO MÉDIO 1º BIMESTRE S. A.(conteúdos e temas) COMPETÊNCIAS E HABILIDADES ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO SA 1 REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO MUNDIAL O espaço mundial

Leia mais

ESCRITA DE HISTÓRIA A/HISTÓRIA B/HISTÓRIA

ESCRITA DE HISTÓRIA A/HISTÓRIA B/HISTÓRIA ASSOCIAÇÃO DE PROFESSORES DE HISTÓRIA Proposta de correcção EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 2º Ano de Escolaridade PROVA ESCRITA DE HISTÓRIA A/HISTÓRIA B/HISTÓRIA 2ª fase GRUPO I. Anale, com base no

Leia mais

Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012

Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012 E S C O L A S E C U N D Á R I A D. J O Ã O I I - S E T Ú B A L TESTE DE GEOGRAFIA A (2º ANO) Nº6/VERSÃO 02 Nome: Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012 É obrigatório indicar a versão do teste na

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio ETEC: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias.

Leia mais

Geografia. Textos complementares

Geografia. Textos complementares Geografia Ficha 2 Geografia 2 os anos Silvia ago/09 Nome: Nº: Turma: Queridos alunos, bom retorno. Segue um conjunto de atividades que têm por objetivo encaminhar as discussões iniciadas em nossas aulas

Leia mais

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3

MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História B Módulo(s): 1, 2 e 3 Agrupamento de Escolas de Rio Tinto nº 3 Escola Secundária de Rio Tinto ENSINO SECUNDÁRIO RECORRENTE POR MÓDULOS MATRIZ DE EXAME (Avaliação em regime não presencial) Ano Letivo 2015/2016 Disciplina: História

Leia mais

História da Cultura e das Artes

História da Cultura e das Artes Prova de Exame Nacional de História da Cultura e das Artes Prova 724 2013 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Para: Direção-Geral da Educação Inspeção-Geral de Educação e Ciência Direções Regionais de Educação

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA. Julho de 2012

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA. Julho de 2012 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE PLANO DE MELHORIA Julho de 2012 Rua da Verónica, 37, 1170-384 Lisboa Tel: 218860041/2 Fax: 218868880 Email: geral@aegv.pt INDICE I. Introdução. 3 II. Ponto de partida.....

Leia mais

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico

DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO. 1.º Ciclo do Ensino Básico DEPARTAMENTO DO 1.º CICLO/PRÉ-ESCOLAR Ano letivo 2015/2016 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 1.º Ciclo do Ensino Básico ANO LETIVO 2015/2016 Constituem objeto de

Leia mais

Prova Escrita de História A

Prova Escrita de História A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de História A 2.º Ano de Escolaridade Prova 62/2.ª Fase 2 Páginas Duração da Prova: 20 minutos. Tolerância: 0 minutos.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE CONSERVATÓRIO REGIONAL DE GAIA Ano Letivo 2013 2014 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE Regulamento Artigo 1.º Âmbito 1. O presente Regulamento de Avaliação de Desempenho aplica-se a todos os docentes com

Leia mais

Nova ordem mundial Mundo multipolar Prof. Rafael Souza

Nova ordem mundial Mundo multipolar Prof. Rafael Souza Disciplina de Geografia Área de ciências humanas Nova ordem mundial Mundo multipolar Prof. Rafael Souza Porto Alegre 2014 Com o final da União Soviética, a queda do Muro de Berlim, sabemos que apenas um

Leia mais

Ano lectivo de 2009/2010

Ano lectivo de 2009/2010 Parâmetros / Instrumentos Pesos a) Atitudes e Comportamentos no espaço escolar (5) b) Cumprimento das tarefas (5) c) Capacidade de expressão oral e escrita (5) d) Trabalhos Individuais / grupo (15) e)

Leia mais

Critérios de Avaliação Educação Física

Critérios de Avaliação Educação Física M. E. - GEPE Critérios de Avaliação Educação Física Grupo Disciplinar de Educação Física 2015/2016 1. Introdução Na procura da qualidade, torna-se evidente o papel essencial desempenhado pelas estruturas

Leia mais

Tipologia Textual O conto. Competências a trabalhar associadas ao processo CO L CEL

Tipologia Textual O conto. Competências a trabalhar associadas ao processo CO L CEL Ministério da Educação Agrupamento de Escolas da Senhora da Hora nº2 Novo Programa de Português do Ensino Básico Sequência Didáctica 5º ano Ano lectivo de 2010/2011 Tipologia Textual O conto Competências

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento de Línguas Grupos: 220; 300; 320; 330; 350 ESCOLA BÁSICA DO 2º CICLO DE PINHEL Critérios de Avaliação de Língua Portuguesa- 2º Ciclo O R A L I D A D E Componente Cognitiva

Leia mais

Agrupamento de Escolas do Bonfim

Agrupamento de Escolas do Bonfim Escola Secundária Mouzinho da Silveira Departamento de Ciências Sociais e Humanas Grupo de Recrutamento - 420 Ano Letivo de 2014 / 2015 Curso LINGUAS E HUMANIDADES Planificação Anual da disciplina de GEOGRAFIA

Leia mais

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*)

Critérios de avaliação. Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Matriz Curricular Ensino Básico - 1.º ciclo (*) Componentes do currículo Áreas disciplinares de frequência obrigatória: Português Matemática Estudo do Meio Expressões: Artísticas e Físico-Motoras Inglês

Leia mais

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA)

GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) GRUPO DE RECRUTAMENTO 620 (ED. FÍSICA) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO (10º, 11º e 12º anos) ENSINO SECUNDÁRIO ATITUDES E VALORES Assiduidade e Pontualidade 3% Fichas de registo de observação Responsabilidade e

Leia mais

INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2

INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2 INTEGRAÇÃO E MOVIMENTO- INICIAÇÃO CIENTÍFICA E.E. JOÃO XXIII SALA 15 - Sessão 2 Professor(es) Apresentador(es): Ana Lúcia Teixeira de Araújo Durigan Nelcy Aparecida de Araújo Realização: Apresentação do

Leia mais

Guerra fria (o espaço mundial)

Guerra fria (o espaço mundial) Guerra fria (o espaço mundial) Com a queda dos impérios coloniais, duas grandes potências se originavam deixando o mundo com uma nova ordem tanto na parte política quanto na econômica, era os Estados Unidos

Leia mais

ARTICULANDO A EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA GLOBAL COM O ENSINO PRÉ-ESCOLAR E O 1ºCEB

ARTICULANDO A EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA GLOBAL COM O ENSINO PRÉ-ESCOLAR E O 1ºCEB ARTICULANDO A EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA GLOBAL COM O ENSINO PRÉ-ESCOLAR E O 1ºCEB PROPOSTAS DE TRABALHO PARA EXPERIMENTAR A Formação Pessoal e Social é considerada uma área transversal, dado que todas

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE AVEIRO Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares OFERTA COMPLEMENTAR 1º e 2º anos de escolaridade Ano letivo 2015/2016 l -Introdução No presente ano letivo a Oferta Complementar

Leia mais

Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países.

Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países. 21/10/2014 Em resumo: Geopolítica é o estudo das relações entre os Estados na disputa pelo controle do poder e a capacidade de exercê-lo sobre os demais países. O NASCIMENTO DA DISCIPLINA: Ratzel, no contexto

Leia mais

DISCIPLINA DE: HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES código 326 2014

DISCIPLINA DE: HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES código 326 2014 INFORMAÇÃO-EXAME A NÍVEL DE ESCOLA DISCIPLINA DE: HISTÓRIA DA CULTURA E DAS ARTES código 326 2014 11º ano de escolaridade 1. OBJETO DE AVALIAÇÃO Competências A prova permite avaliar as competências seguintes,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE MIRANDELA DEPARTAMENTO DO PRÉ-ESCOLAR A N O L E T I V O 2 0 1 4 / 1 5 Introdução A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em

Leia mais

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO- 3º CEB

INFORMAÇÃO -PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO BÁSICO- 3º CEB 1. INTRODUÇÃO HISTÓRIA Prova 19 O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino básico, a realizar em 2015 pelos alunos que se encontram abrangidos

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Documento orientador 1. ENQUADRAMENTO LEGAL Compete ao conselho pedagógico, enquanto órgão de gestão pedagógica da escola, definir, anualmente, os critérios gerais de avaliação e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Médio ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS (SP) Área de conhecimento: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular: GEOGRAFIA Série

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL 2015/2016 Aprovados em Conselho Pedagógico de 14 de outubro de 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO PROFISSIONAL DE ANIMADOR SOCIOCULTURAL

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSO VOCACIONAL 3º CICLO AMGE - Auxiliar de Manutenção e Gestão de Espaços CRITÉRIOS DE Ano Lectivo 2014/15 Coordenador do Curso: José Pedro Moutinho Critérios de Avaliação (14-15) VOCACIONAL C AMGE -

Leia mais

Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si.

Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si. Práticas de avaliação nas escolas: a fuga de si. Anabela Costa Neves acn.anabela@gmail.com Inquietações em torno de 1. Critérios de avaliação 2. Testes 3. Funções da avaliação 4. Autoavaliação 5. Avaliação

Leia mais

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História

Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs. História Oficina de História Apontamentos das obras LeYa em relação ao Currículo de Referência da Rede Estadual de Educação de GOIÁs História Oficina de História 2 Caro professor, Este guia foi desenvolvido para ser uma ferramenta

Leia mais

» INTRODUÇÃO » OBJETO DA AVALIAÇÃO

» INTRODUÇÃO » OBJETO DA AVALIAÇÃO INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INGLÊS COMPONENTES ESCRITA E ORAL PROVA 06 2016 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO Nos termos do n.º 8, do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente - 2014. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2014 Etec Ensino Médio ETEC. PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: Tupã Área de conhecimento: Ciências Humanas e suas Tecnologias Componente Curricular: Geografia

Leia mais

Prova Escrita de Matemática A

Prova Escrita de Matemática A EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Matemática A 12.º Ano de Escolaridade Prova 635/2.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 150 minutos. Tolerância:

Leia mais

GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS ISSN 2177-9139 GEOMETRIA ANALÍTICA NO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Jeruza Quintana Petrarca de Freitas jeruza.quintana@gmail.com Fundação Universidade Federal do Pampa,

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA ENSINO SECUNDÁRIO ANO LETIVO: 2014/2015 1 ª / 2ª fases

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico AGRUPAMENTO de ESCOLAS JOSÉ CARDOSO PIRES CÓDIGO 170719 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Ensino Básico PARÂMETROS GERAIS 1. MODALIDADES DA AVALIAÇÃO 1.1 Avaliação diagnóstica 1.2 Avaliação formativa 1.3 Avaliação

Leia mais

5ª Conferência Internacional de Educação Financeira

5ª Conferência Internacional de Educação Financeira A Educação Financeira nas Escolas: O Referencial de Educação Financeira e a formação de docentes 5ª Conferência Internacional de Educação Financeira Perspetivas e reflexões: por uma cidadania ativa Educação

Leia mais