Caderno de Resumos. Simpósio de. 6º Iniciação Científica UNISEB

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caderno de Resumos. Simpósio de. 6º Iniciação Científica UNISEB"

Transcrição

1 Caderno de Resumos Simpósio de 6º Iniciação Científica UNISEB 5 a 9 de novembro de 203

2 Núcleo de TCC e IC - Ficha Catálográfica C22 Caderno de Resumos / Centro Universitário UNISEB. Ano. n. (nov. 2008) -.- Ribeirão Preto, SP : UNICOC, Ribeirão Preto, Ano 6. n. 6 (nov. 203) Anual CD-ROM., il... Comunicação. 2. Saúde e Educação. 3. Multidisciplinaridade. 4. Engenharia. 5. Direito. 6. Administração - Contábeis I. Centro Universitário UNISEB. II. Caderno de Resumos. CDD

3 Apresentação 6º. Simpósio de Iniciação Científica Centro Universitário UNISEB 05 a 09 de novembro de 203 O Simpósio de Iniciação Científica do UNISEB é um evento anual realizado pelo Centro Universitário UNISEB de Ribeirão Preto, envolvendo cursos presenciais e a distância. O Simpósio reúne trabalhos de iniciação científica, desenvolvidos nas diferentes áreas de conhecimento, apresentados à comunidade acadêmica para debate e divulgação. No presente Caderno de Resumos, o Programa Institucional de Iniciação Científica do UNISEB apresenta a produção científica divulgada no 6º. Simpósio de Iniciação Científica UNISEB. Com esta realização, o Centro Universitário UNISEB reforça seu compromisso com a Iniciação Científica, considerada essencial para o desenvolvimento de seus estudantes. Profa. Dra. Elizabete David Novaes Programa de Iniciação Científica UNISEB 3

4 Expediente Chaim Zaher Reitor Reginaldo Arthus Vice-Reitor Jeferson Ferreira Fagundes Pró-Reitor de Educação a Distância Claudia Regina de Brito Pró-Reitora de Graduação Presencial Elizabete David Novaes Coordenadora do Programa de Iniciação Científica/ Núcleo de TCC e IC Noemi Olimpia Costa Pereira Coordenadora de Extensão João Paulo Leonardo de Oliveira Coordenador do Curso de Administração Alessandra Silva Santana Camargo Coordenadora do Curso de Ciências Contábeis Silvana Ap. Nieto Lopez Coordenadora do Curso de Pedagogia Cesar Rocha Muniz Coordenador do Curso de Arquitetura Paulo Cesar Carvalho Dias Coordenador do Curso de Ciência da Computação Ricardo A. M. Pereira Gomes Coordenador do Curso de Engenharia Civil Marina Caprio Coordenadora do Curso de Pedagogia de EaD do UNISEB 4

5 Andréia Marques Maciel Coordenadora do Curso de Ciências Contábeis de EaD do UNISEB Helcimara Affonso de Souza Coordenadora do Curso de Tecnologia de Informação de EaD do UNISEB Ornella Pacífico Coordenadora do Curso de Administração e do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira de EaD do UNISEB Marilda Franco de Moura Coordenadora do Curso de Letras de EaD do UNISEB Adriana Millo Saloti Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Secretariado de EaD do UNISEB Daniela Pereira Tincani Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Marketing de EaD do UNISEB Márcia Mitie Durante Maemura Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos e Tecnologia em Gestão Comercial de EaD do UNISEB Vanessa Bernardi Ortolan Riscifina Coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários de EaD UNISEB Ariana Siqueira Rossi Martins Coordenadora do Curso de Serviço Social de EaD do UNISEB 5

6 Comissão Científica Prof.Dr. Jean-Jacques G. S. de Groote Prof.Dr. Ricardo A. M. Pereira Gomes Profª.Drª Galina Borissevitch Profa. Dra. Elizabete David Novaes Profª.Drª. Analu Egidio Jacomini Profª.Drª. Vera Lucia Blat Migliorini Profª.Drª. Cristiane Soncino Silva Profª.Drª. Daniela Barbatto Jacobowitz Profa. Dra. Marilda Franco de Moura Pprof. Ms. José Urbano Brochado Junior Profa. Ms. Andreia Marques Maciel Profa. Ms. Caroline Petian Pimenta Bono Rosa Prof.Ms. Giovanni Comodaro Ferreira Prof. Ms. Leopoldo Rocha Soares Prof. Ms. Paulo Mioto Donadelli Prof.Ms. Paulo Cesar de Carvalho Dias Prof. Ms. Cesar Augusto Nunes Profª.Ms. Alessandra Silva Santana Camargo Prof. Ms. João Paulo Leonardo de Oliveira Profª.Ms. Marília Godinho Profª.Ms. Gabriela Maffei Moreira Prof. Ms. Alexandre de Castro Moura Duarte Prof. Ms. Reginaldo Ap. Gotardo Prof. Ms. Wagner Ap. Cavali Prof. Ms. Thiago Wellington J de Almeida Realização: Programa de Iniciação Científica UNISEB Núcleo de TCC e IC UNISEB Presidente do Evento: Profa. Dra. Elizabete David Novaes Apoio: Reitoria UNISEB Pró-Reitoria de EAD UNISEB Pró-Reitoria de Graduação Presencial UNISEB Rua Abraão Issa Halack, 980 Ribeirania Ribeirão Preto/SP PABX: /

7 Sumário Administração 9 Arquitetura e Urbanismo 33 Ciências da Computação 39 Comunicação 49 Ciências Contábeis 53 Direito 95 Educação 9 Engenharias 37 7

8 8

9 Administração 9

10 SUCESSÃO EMPRESARIAL: PROCESSO SUCESSÓRIO EM EMPRESAS FAMILIARES Frugeri, Bruno T.(IC); Sarni, Pedro G T.(IC); Nardi, Antonio (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Com as mudanças que vem ocorrendo através da revolução industrial, inclusão de novas tecnologias e revolução digital tem causado um enorme impacto na estrutura trabalhista do sistema capitalista. Essa perda de posição do trabalho; por outro lado tem ocasionado o surgimento de várias empresas, muitas delas com caráter familiar. O grande problema que vem ocorrendo nesse tipo de empresa é o processo sucessório, no qual o fundador, geralmente os pais ou avós, não sabem ao certo como devem atuar para preparar o futuro sucessor. Nesta pesquisa, será abordado um estudo de caso em empresas da cidade de Sertãozinho e região, que já passaram por esse processo ou que o estão fazendo agora. Tal como as técnicas e ações que devem ser tomadas para se obter sucesso, se não as dificuldades, problemas e entraves durante esse processo e como o fundador reage e qual a solução quando nenhum de seus descendentes querem assumir a empresa. É importante um plano de sucessão ou no mínimo um plano contingencial, para evitar problemas inesperados e de certo modo frequentes, relacionados ao processo sucessório. A INFLUÊNCIA DAS CORES DO AMBIENTE DE TRABALHO NA MOTIVAÇÃO DO FUNCIONÁRIO Souza, Rafael R.F. de (IC); Oliveira, João Paulo L. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto O homem vive inserido em um mundo repleto de cores, sejam elas provenientes da natureza ou de ambientes urbanos, como seu local de trabalho, local de estudos, sua casa, ruas, avenidas, restaurantes, lanchonetes, etc. A humanidade possui as cores inseridas em seu meio desde o período Paleolítico e ao longo da história o homem tem se utilizado delas para se expressar. As cores, de modo proposital ou não, despertam as mais variadas emoções, sensações e sentimentos no ser humano. Analisando a reação do homem à cor, profissionais podem adequar a cor do ambiente para canalizar e utilizar a reação desejada. Dessa forma, é possível direcionar essas sensações e percepções em prol da comunidade ou da empresa, tornando o ambiente mais agradável, deixando assim, o funcionário mais confortável, motivado e acarretando um aumento de sua produtividade. Assim, este estudo tem como objetivo aprofundar-se no âmbito do ambiente de trabalho empresarial e determinar a influência e como a cor do ambiente em que o funcionário está inserido o afeta em sua motivação, mostrando que estudando a cor do ambiente pode resultar em um aumento de produtividade dos funcionários. 0

11 PLANO DE RECUPERAÇÃO JUDICICAL DEVIDO AO DESEQUILÍBRIO ECONÔMICO FINANCEIRO NO MERCADO AÉREO BRASILEIRO Vianna, Bruna. (IC); Castilho, Isabela. (IC) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Esse trabalho descreve o Plano de recuperação judicial de uma empresa aérea sediada em Ribeirão Preto. Tendo em vista as dificuldades econômicas-financeiras no mercado aéreo brasileiro serão analisadas e explicadas teoricamente o plano e alguns fatores que levou a empresa a recorrer ao plano de recuperação. A grande competitividade, a variação cambial, a desregulamentação do sistema tarifário e o aumento aquisitivo da população são alguns exemplos de ordem econômica que gerou uma expansão no setor aéreo mas também foram responsáveis pela crise. Na empresa em questão podemos apontar três principais motivos para sua dificuldade atual, sendo eles o aumento do preço do combustível, o aumento do dólar e a desregulamentação do sistema tarifário, que com a alta competitividade já existente no mercado fez com que algumas empresas adotassem praticas como dumping, sendo incoerentes com os aumentos, fazendo com que os preços das passagens ficassem abaixo do seu custo operacional, levando ao prejuízo. Visando a concretização do plano, o presente trabalho sugere alguns cuidados que as empresas devem tomar no seu plano de negócio. ESTUDO SOBRE INSERÇÃO DE MARCA NO MERCADO, PESQUISA DE PÚBLICO ALVO E MERCADO POTENCIAL. Piolla, Guilherme. (IC); Costa, Pedro T. (IC); Ragazzi, João. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto No ano de 203 depois de estudos sobre marketing e introdução de produto no mercado, diretor da empresa Béllane (prestadora de serviços de confecção) após análise de capacidade produtiva e mercado potencial, decidiu lançar no mercado sua marca própria, com publico alvo voltado para o feminino na cidade de Ribeirão Preto e região com a intenção de alcançar o prestigio em todo território nacional. O objetivo do estudo é descrever os procedimentos de inserção de uma marca no mercado juntamente com a definição de público alvo, mercado potencial, canais de comunicação, expor as dificuldades encontradas neste processo e maneiras de resolvê-las. A partir dos resultados a empresa pretende criar estratégias concretas com intuito de crescer consolidando sua marca e ter uma grande participação no mercado.

12 ACELERAÇÃO DE EMPRESAS NASCENTES: REFLEXÕES SOBRE AS ESTRATÉGIAS DAS INCUBADORAS DE EMPRESAS Pereira, Gisele D. (IC); Dias, Alexandre Ap. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto O empreendedorismo tem sido amplamente debatido e é entendido como envolvimento de pessoas e processos que levam à transformação de ideias em oportunidades, de modo que a perfeita implementação destas oportunidades leva à criação de negócios de sucesso. Na perspectiva empresarial, trata-se de iniciativas de criação de novos negócios cuja característica marcante é a habilidade de introduzir inovações no mercado e buscar a melhor combinação possível de recursos. Este assunto tem ganhado níveis crescentes de relevância na medida em que se verifica que o desenvolvimento econômico de regiões e países é afetado pelo desempenho desses novos negócios. Por seu turno, uma parcela não consegue manter-se por muito tempo, assim as incubadoras de empresas têm um importante papel para o fortalecimento das empresas nos seus primeiros anos de existência. O gerenciamento dessas instituições é realizado por profissionais de diversas áreas que dão suporte gerencial, administrativo e mercadológico, além de disponibilizarem apoio técnico para o desenvolvimento de produtos e serviços, facilitando o processo de inovação tecnológica. Em face ao exposto, o objetivo deste trabalho é mapear e discutir as estratégias das incubadoras de empresas para acelerar o crescimento de empresas recém-criadas. A metodologia utilizada será a pesquisa exploratória que tem como objetivo dar direcionamento e conhecimento ao tema que será abordado no trabalho, tendendo a ser flexível, já que o tema abre uma oportunidade de ampla investigação. No intuito de verificar quais estratégias as incubadoras de empresas utilizam para acelerar o crescimento de empresas nascentes, será utilizada a técnica de estudo de caso, buscando investigar um fenômeno específico dentro de seu contexto da vida real, numa situação em que os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos. INSATISFAÇÃO DO CONSUMIDOR PERANTE A QUALIDADE DOS SERVIÇOS DE TELEFONIA Galati, Letícia (IC),. Menezes, Mariana (IC).; Duarte, Alexandre(O) l Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto A telefonia brasileira em geral tornou-se um tema muito discutido nos dias de hoje, devido ao fato da qualidade dos serviços nesse ramo tratarem seus consumidores com pouca importância. A insatisfação dos clientes e a má qualidade dos serviços tem gerado um grande número de reclamações no SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) referentes aos preços dos serviços, cobertura e abrangência das antenas de telefonia e os atendimentos efetuados pelos funcionários. Todavia, grande parte das empresas de telefonia acham irrelevante a atuação do SAC e dessa forma as polêmicas geradas a respeito do assunto são: qual a real efetividade dos serviços de atendimento ao cliente; o que as empresas têm feito acerca desse assunto; e se há investimento e treinamento suficientes para solução dos problemas, e que concomitantemente evite que essas reclamações acabem em vias judiciais. Como resultado desta pesquisa espera-se saber o motivo pelo qual as empresas não estão tomando providências necessárias para sanar as muitas reclamações referentes aos seus serviços prestados. 2

13 A IMPORTÂNCIA DA LOGÍSTICA REVERSA NAS EMPRESAS VAREJISTAS Faloppa, Milena B. (IC); Scandiuzzi, Fernando (O). Curso de Administração de Empresas - Centro Universitário UNISEB - Ribeirão Preto A importância das questões ambientais aumenta, cada vez mais, no cenário global. Com a inovação tecnológica, a redução do ciclo de vida dos produtos e com a mudança no comportamento dos consumidores, as organizações buscam criar uma diferenciação e uma vantagem competitiva em relação aos concorrentes. Nesse contexto, atrelada a questões legislativas, econômicas e sustentáveis, a logística reversa surge como uma das estratégias das empresas. Logística reversa pode ser definida como a área da logística empresarial que é responsável pelo gerenciamento dos fluxos e informações relacionadas à logística de retorno de bens de pós-venda e pós-consumo ao ciclo produtivo, através dos vários canais de distribuição e que agregam valor econômico, ecológico, de imagem corporativa, entre outros. A logística reversa de pós-venda está relacionada com os produtos industrializados que retornam à cadeia de suprimentos por diversos motivos, entre eles, problemas de qualidade. Já a logística reversa de pós-consumo relaciona-se com as várias maneiras de processamento dos produtos de pós-consumo, desde a sua coleta até a restituição ao ciclo produtivo como matéria prima secundária. No Brasil, a logística reversa é pouco desenvolvida, pois as indústrias exigem matéria prima virgem e os custos de fretes de baixos volumes são altos. Contudo, o regresso de mercadorias proporciona um serviço diferenciado, além de uma imagem corporativa de destaque e consequentemente, a fidelização dos clientes. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é verificar como as empresas varejistas utilizam a logística reversa como forma de obter uma vantagem competitiva. Para tanto, será feito um estudo multicasos em duas empresas varejistas para a obtenção dos resultados. CULTURA ORGANIZACIONAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA Queiroz, Gláucia Alves (IC); Nardi, Antônio (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Os estudos sobre a Cultura Organizacional começaram a ser abordados a partir da década de 50, com o intuito de estudar o comportamento humano, compreender a cultura de uma organização e melhorar a capacidade de entender, explicar e prever o comportamento das pessoas no trabalho. Pelo fato de o tema ser muito amplo, não possui uma única definição, pois é de natureza multidisciplinar, com várias ciências contribuindo para o entendimento e explicações da cultura nas organizações como, por exemplo, Antropologia, Sociologia, Filosofia, Psicologia Social, Administração e Economia, mas sempre focando as característicaschave que a organização valoriza. Não se refere somente às pessoas, seus relacionamentos e crenças, mas também a seus pontos de vista sobre produtos da empresa, as estruturas, recrutamento, seleção, remuneração, dentre outros. O objetivo deste estudo é verificar como a Cultura Organizacional pode se tornar uma vantagem competitiva para as empresas. Para a análise deste trabalho utiliza-se a abordagem qualitativa, através de um diagnóstico da gestão cultural da empresa, pesquisas e entrevistas. Desta forma, espera-se entender com as empresas tem utilizado de forma eficiente a Cultura Organizacional como fonte de vantagem competitiva. 3

14 BLOG: FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO PELAS EMPRESAS NO RAMO DA MODA Sorroche, Roberta M.(IC); Rossini, Laís.(IC); Ragazzi, João. (O) Curso de Administração de Empresas - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Atualmente a moda tem visibilidade e espaço para se expandir. O consumo não para de crescer nacionalmente e internacionalmente. Para medir e agregar valor à moda e à uma marca, tem-se o blog. Seu sucesso traz lições importantes para as grifes, redes de lojas e até mesmo às blogueiras. Assim, este trabalho tem como objetivo avaliar, através de pesquisa bibliográfica e exploratória, as vantagens e riscos da utilização do blog como ferramenta de comunicação pelas empresas do ramo da moda. Para isso, serão estudadas as teorias do marketing, da comunicação e da história da moda, será implantado um questionário para as pessoas e serão realizadas pesquisas com profissionais da área, buscando compreender as possibilidades de tomadas de decisão de compras para as pessoas, do requisito do conteúdo transformado pelas mídias sociais. A internet proporcionou novas formas de comunicação, que permitem a compreensão em massa entre as pessoas e a livre expressão. Com isso, as empresas necessitam de participação e vínculo nesse ambiente da moda que agrega muito valor e um grande número de pessoas. Dentro da variedade de estudos e ferramentas disponíveis para esta interação, escolheu-se a pesquisa mais especificamente relacionada aos blogs, objetivando identificar as vantagens para as marcas e as maneiras estratégicas para o fortalecimento da marca e aproximação com o cliente. INFLUÊNCIA DA ERGONOMIA NA SAÚDE E DESEMPENHO DOS TRABALHADORES Sinchetti, Cristiane M. (IC); Nardi, Antonio. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto A Ergonomia é o estudo dos fatores que influenciam a postura e a saúde física do trabalhador através da organização das estações de trabalho e disponibilização de materiais que auxiliam o serviço, como cadeiras e mesas adequadas à posição do trabalhador, apoios de pulso e ginástica laboral. Diante do cenário do dia a dia dos trabalhadores, podemos perceber que é frequente o que se conhece por LER (Lesão por Esforço Repetitivo), que é causa de grande parte dos afastamentos e também atrapalha o desempenho do trabalhador. Visando conhecer os motivos que causam essas lesões, que variam desde a má postura do funcionário, até a inadequação do local de trabalho, será feita uma pesquisa que contará com um questionário estruturado e que avaliará quantitativamente os fatores levantados na pesquisa. De acordo com a análise e tabulação dos dados, será possível identificar as causas e fatores que proporcionam a má postura e prejudicam a saúde do trabalhador e assim poder identificar quais as possíveis melhorias, dentro do campo da ergonomia que diminuem ou extinguem as LER. 4

15 DESENVOLVIMENTO DE CLUSTERS: UMA ANÁLISE DO SETOR DE SOFTWARE EM RIBEIRÃO PRETO Martinelli, André de J. (IC); Martinelli, Fernando de J. (IC); Oliveira, João Paulo L. de (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Um cluster pode ser definido como um agrupamento geograficamente concentrado de empresas interrelacionadas e instituições correlatas, vinculadas por elementos comuns e complementares. O conceito ganhou configuração nas últimas décadas e tem recebido atenção crescente, uma vez que aos clusters é direcionada uma esperança: a de serem meios estratégicos para o fomento da competitividade e do desenvolvimento econômico da região onde se estabelecem. Neste panorama, enquadra-se a cidade de Ribeirão Preto, que se firma como um importante polo de tecnologia de informação em âmbito nacional, congregando dezenas de empresas associadas ao setor de software. O presente trabalho tem como objetivo levantar o perfil das empresas locais deste segmento e, assim, identificar informações e fatores relacionados que possibilitem analisá-las sob o aspecto da viabilidade de criação de um cluster das empresas do setor. Para tanto, será realizada uma pesquisa de campo, com o emprego da técnica de entrevistas, junto às empresas locais que integram o setor. Espera-se, através deste, a extração de dados concretos que evidenciem e possam delinear o potencial de desenvolvimento de um cluster de empresas do setor de software na cidade de Ribeirão Preto, bem como aferir os efeitos decorrentes, no tocante ao crescimento das empresas integrantes e à dinamização e sustentabilidade da economia do município. O CONCEITO LEAN PARA ORGANIZAÇÕES SEM FINS LUCRATIVOS Domingos, Rafael S. (IC); Oliveira, João Paulo L. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto No atual contexto da globalização influenciado pela crescente pressão por competitividade, potencial competitivo das novas tecnologias de processo e visão mais abrangente do papel estratégico na parte de produção, cada vez mais as organizações são orientadas a alcançar padrões de excelência em seus produtos com menor custo possível para que possam maximizar o lucro de seus acionistas e demais stakeholders. Sendo assim, o conceito da produção lean (produção enxuta) ganha espaço entre as empresas nacionais e internacionais que visam diminuir atividades que não agreguem valor e, consequentemente, reduzir desperdícios e custos desnecessários dificilmente visualizados pela empresa através da adoção de práticas como redução do setup, Kaizen, Kanban, Mapeamento do Fluxo de Valor, Just-in-Time, entre outras inúmeras ações que buscam a perfeição do processo produtivo. Não obstante, as organizações sem fins lucrativos também podem adotar este novo foco estratégico, visto que o valor ao cliente é o principal paradigma das empresas no século XXI. Portanto, este estudo tem como objetivo principal relacionar os conceitos de produção lean para organizações sem fins lucrativos, além de encontrar os pontos fortes e fracos na adoção de tal método, e,por fim, propor um modelo próprio que possa servir de roteiro e orientar as organizações através dos processos de mudança. 5

16 MARKETING ONLINE E SUAS APLICAÇÕES NAS REDES SOCIAIS Pedreschi, Carolina B. (IC); Marzola, Gabriella F. (IC) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto O termo marketing digital, tão freqüentemente utilizado, poderia ser trocado por comunicação digital ou, pensando no aspecto mais amplo, marketing online. É difícil identificar quando exatamente começouse a ouvir falar sobre marketing online. Ele surgiu com a prática do uso da internet como plataforma, não só de conteúdo, mas também de consumo e comunicação. Vive-se uma era online, conectada por redes sociais, e-commerce, marketing, blogs, vlogs, etc... Em razão disso torna-se fundamental a inclusão da empresa neste novo universo, para assim acompanhar o processo evolutivo do seu cliente. Essa pesquisa pretende mostrar como essa nova proposta pode trazer benefícios quando aplicada na empresa, assim como as dificuldades que se enfrenta para entrar e se manter no universo online. Será abordado o assunto na prática, através de um e-commerce criado para utilizar todos os recursos e estratégias disponíveis, tais quais blog, Facebook, twiter, instagram, e a partir disto, serão mostrados os resultados obtidos, o que funciona ou não e qual é a forma mais adequada de usar esta ferramenta que cresce cada vez mais no mercado mundial. REDUZIR CUSTOS UTILIZANDO MÉTODOS DE LOGÍSTICA COLABORATIVA Oliveira, Carlos H. M. J. (IC); Stara, Bruna P. (IC); Scandiuzzi, Fernando. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto A era da globalização, com a crescente concorrência entre as empresas, a valorização do atendimento personalizado ao consumidor e a luta constante para reduzir custos sem influenciar a qualidade, fez com que as empresas concentrassem parte significativa de seus esforços em detectar novas maneiras de se conquistar esse objetivo. Por exemplo, os custos de transporte representam 7,7% do PIB brasileiro, contra 5% nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, a participação que os custos de transportes detêm nas empresas brasileiras é de 64% do total dos custos logísticos. Uma das alternativas que pode ser utilizada é a logística colaborativa. Logística colaborativa consiste na colaboração entre os parceiros da cadeia logística, sejam eles fornecedores, clientes, concorrentes ou outros integrantes, todos trabalhando e colaborando no projeto ou serviço em questão. Esta parceria caracteriza-se pelo alto grau de compromisso entre todos os envolvidos. Assim, o objeto deste trabalho é analisar alternativas de como entregar ao cliente um serviço ou produto de alto nível e alta qualidade com um custo competitivo utilizando este método. Para a obtenção de dados consideráveis para o tema será realizado um estudo de caso com grupos de empresas de pequeno, médio e grande porte que atuam em diversos ramos da economia. Será utilizado um roteiro de entrevista para a obtenção de resultados que serão analisados para se determinar a conclusão do estudo, bem como a identificação de possíveis melhorias a serem realizadas. 6

17 ANÁLISE DO PROCESSO DE COMPRAS EM UMA ORGANIZAÇÃO X DO SETOR PÚBLICO Freire,Clarissa Dourado ; Galli, Lesley C.L.A Curso de Administração - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias UNESP- Jaboticabal Gestão estratégica é o desafio mais importante com que se defronta qualquer organização privada ou pública, pois implica estabelecer as bases para o êxito da empresa no futuro e ao mesmo tempo competir para vencer nos mercados atuais. Com a evolução do ambiente competitivo, a visão da maneira pela qual a estratégia de uma empresa deve ser definida também evolui ao longo das últimas décadas. A gestão pública não está isenta de pressão por mudança com vistas ao alcance de maior capacidade competitiva e ao aumento da eficiência, implicando mudanças organizacionais que possibilitem agilidade e diminuição da complexidade burocrática na implantação de novas estratégias. Assim como na organização privada o setor de compras pode ser definido como uma função administrativa, que fica responsável por coordenar um sistema de informações e controla capaz de adquirir externamente bens e materiais, a fim de garantir o fluxo necessário destes dentro da organização, buscando fazê-lo na medida, quantidade, qualidade, fonte e momento certos buscando atingir o melhor custo beneficio. Sendo assim o objetivo desse estudo é analisar como se dá a gestão de compras da organização pública X, identificando os pontos fortes e os pontos. De acordo com a análise da organização e fundamentado nas teorias citadas e nos conceitos adquiridos em sala de aula, identifica-se que Organização X, precisamente a Seção de Compras, se trata de uma burocracia, pois se baseia na coordenação da padronização das habilidades dos funcionários, ou seja, há a presença de profissionais devidamente treinados e doutrinados que detêm relativa autonomia e controle sobre a execução do seu trabalho. Nota-se presença da departamentalização do tipo funcional,sendo a mais adequada para a Organização X, desta maneira as pessoas são alocadas segundo suas especialidades para realizarem um serviço de qualidade superior, permitindo que possam se concentrar nas suas competências mais eficientes. A departamentalização por funções é a mais indicada para empresas que fazem parte de um ambiente estável e de poucas mudanças, nas quais os funcionários desempenham atividades rotineiras. Em relação à Seção de Compras, existem métodos e procedimentos que devem ser obrigatoriamente realizados para que se cumpra de forma legal a realização da compra. O processo de compra tramita por vários setores da organização, partindo de uma demanda interna de algum setor, chegando através do sistema, para a Seção de Compras, que executa as atividades determinadas, logo depois passa para a autorização e para Seção de Contabilidade para que seja feita avaliação dos procedimentos, posteriormente passa para a Direção que aprova ou não a compra, logo após retorna para a Seção para que se tomem as providências necessárias. Vê-se um processo de compra extenso e detalhado, o que causa demora para sua realização, porém tal fato ocorre pelo zelo de que a compra seja feita de dentro dos parâmetros legais, visto que os recursos usados partem da esfera pública, cabe ao executor, fazê-la da forma mais eficiente e clara, prezando pela transparência dos procedimento. A INFLUÊNCIA DO TIPO DE REMUNERAÇÃO NO AMBIENTE DE TRABALHO Mazer, Reinaldo L. S.(IC); de Oliveira, João Paulo L. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Com a globalização no mercado e consequente mudança no ambiente de trabalho, algumas empresas vem buscando diferentes formas de remunerar seus funcionários, deixando de usar a forma tradicional e utilizando a variável, que se baseia em um salário fixo, além de comissões, participações nos lucros, etc. Assim, o objetivo do trabalho é analisar se esse tipo de remuneração é melhor que o método tradicional. Isso será feito através de um estudo de caso para analisar o comportamento dos funcionários a essa remuneração. O resultado esperado é que a resposta da pergunta: A remuneração variável influencia de forma positiva no ambiente de trabalho? seja positiva e mostre os benefícios desse tipo de remuneração para as organizações. 7

18 ETAPAS PARA O PLANEJAMENTO DE UM E-COMMERCE Canalli, Celina O. (IC); Ragazzi, João E. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Comércio Eletrônico ou simplesmente e-commerce é um tipo de transação comercial feita exclusivamente por um meio eletrônico. Com a internet atingindo a população, na década de 990, outro termo surgiu, o i-commerce, que é o comércio eletrônico com a utilização da internet, expressão pouco utilizada e muito substituída por e-commerce. O comércio eletrônico, na era atual da tecnologia, é um tema muito discutido. Dados recentes mostram um constante crescimento em implementação e faturamento. Além disso, o número de e-consumidores aumenta em larga escala por motivos como a comodidade em não precisar sair de casa e poder comprar a qualquer hora, e a facilidade, por poder acessar a internet em qualquer lugar e de vários modos como dos smartphones e tablets. Para exemplificar, de acordo com a e-bit (empresa especializada em informações sobre comércio eletrônico), apenas no Brasil, mais de 42,2 milhões de pessoas já realizaram uma compra pela internet e isto vai mais longe, no mundo todo, o índice de satisfação dos consumidores neste meio foi de 86,%. Por ser uma ferramenta muito utilizada, parece ser algo fácil de ser implantado, porém isso não ocorre exatamente desta forma. Desde a decisão de abrir uma loja virtual até a inserção na web e a manutenção de um site vivo, há muitos detalhes envolvidos. Questiona-se então: como planejar a construção e a implementação um site com características de e-commerce? A resposta a este questionamento que surge como problema de pesquisa, acredita-se que irá contribuir para a orientação de futuros empreendedores virtuais. A metodologia de pesquisa utilizada neste estudo é a exploratória, por tratar-se do primeiro contato com a temática em questão, e será desenvolvida por meio de pesquisas bibliográficas e entrevistas. AS VARIÁVEIS MERCADOLÓGICAS SOBRE A MÍDIA EXTERIOR EM RIBEIRÃO PRETO - SP. UM ESTUDO SOBRE OS IMPACTOS DA LEI CIDADE LIMPA NOS PLAYERS COMERCIAIS LOCAIS Silveira, Lincoln B. (IC); Ragazzi, João E. (O) Curso de Administração de Empresas - Centro Universitário UNISEB - Ribeirão Preto Quando a Lei Cidade Limpa surgiu em São Paulo, em meados de 2006, vários políticos do Brasil inteiro quiseram se espelhar na iniciativa do então prefeito da cidade, Gilberto Kassab. Baseando-se na experiência da maior e principal cidade do Brasil, os políticos espalhados por todo o Brasil resolveram estudar suas cidades para verificarem como a Lei Cidade Limpa poderia ser aplicada em cada região, e Ribeirão Preto foi uma dessas cidades. O objetivo do trabalho é estudar as variáveis mercadológicas sobre a mídia exterior na cidade de Ribeirão Preto e os impactos da Lei Cidade Limpa nos players comerciais locais. Isso será feito através de uma pesquisa exploratória com profissionais e empresários do meio publicitário da cidade e através de informações passadas pelas associações e demais envolvidos durante a elaboração da lei. Os resultados esperados com essa pesquisa são de que a resposta da pergunta: A Lei Cidade Limpa trouxe benefícios aos cidadãos sem prejudicar o mercado publicitário local?, não seja positiva, pois os investimentos necessários para as empresas se adequarem aos novos formatos da lei foram inviáveis para muitas empresas. Entretanto, considera-se que, em muito longo prazo, esse investimento será recuperado, pois, baseando-se na lei da oferta e procura, a oferta de peças publicitárias diminuiu, mas a procura manteve-se praticamente estável. 8

19 O CENÁRIO DA LEI SECA E ACIDENTES DE TRÂNSITO: A POSSIBILIDADE DE DEMANDA DE UM NOVO TIPO DE TRANSPORTE Fonzar, Adriane Q.(IC); Marcantonio, Marilia S.(IC); Scandiuzzi, Fernando (O) ; Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB - Ribeirão Preto De acordo com as regras da Lei Seca vigente, muitas pessoas, principalmente jovens, estão se privando de seus próprios veículos para evitar pagar altas multas ou até mesmo de serem presos, estando assim, sujeitos a outros meios de transporte. Com o aumento do consumismo entre jovens, estes passam a gastar ainda mais seu dinheiro com diversão, frequentando mais bares e casas noturnas. A necessidade de segurança e conforto nos faz pensar na viabilidade de um novo tipo de transporte, que possibilite segurança e tranquilidade para as pessoas que desejam sair com seus próprios veículos sem se preocupar com a possibilidade de causar acidente por embriaguez ou de serem punidos pela lei vigente. Será realizada uma pesquisa qualitativa por meio de um questionário estruturado para testar a possível existência de demanda para um transporte que conta com um motorista que utiliza uma moto movida a bateria e dobrável, que guardará sua moto no próprio veiculo e conduzira até o endereço informado. Sendo assim, esse transporte permitirá que o solicitante consuma bebidas alcoólicas sem se preocupar, pois o motorista o deixaria em casa sem se arriscar em dirigir embriagado ou sofrer as penalidades da lei. Com a pesquisa, espera-se obter o resultado da aceitação, ou não, deste novo conceito de transporte. DIFICULDADES E DESAFIOS DA INDÚSTRIA FONOGRÁFICA NO BRASIL Silva, Henrique. (IC); Oliveira, João Paulo (O) Curso de Administração de Empresas - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Com a globalização e a facilidade do compartilhamento de arquivos pela internet, a indústria fonográfica está lutando a cada dia para descobrir uma nova maneira de trabalhar, com que seus produtos sejam comprados. Hoje, você consegue baixar um vídeo do YouTube e converter em MP3 e ter o single exclusivo pré lançamento que na cabeça da empresa, ganharia milhares de visualizações, porém, na segunda vez que a música é escutada por um ouvinte, fã, ou seja lá qual for a denominação dada, a música já está em algum formato de arquivo musical em seu ipod, Android, etc. O grande desafio da indústria fonográfica é encontrar uma maneira para achar uma colução, e voltar a ter um grande mercado. Hoje, com a era digital, as indústrias fonográficas optam por entretenimento, e não mais a música em si. Ou seja, veem-se anúncios de shows de alguém que dança, mas que na verdade, não demonstra talentos musicais, ou então não toca bem. Assim, a indústria fonográfica acaba se tornando uma indústria de eventos, num mundo onde antigamente CDs eram vendidos amplamente quando lançados, hoje não vendem mais, o que é prejuízo para a indústria, que mesmo optando pela venda no itunes, que vende a versão digital da música, acaba tendo a mesma em download gratuito logo após o seu lançamento. E através da presente pesquisa buscaremos desvendar as dificuldades da indústria e os meios pelos quais pode se vender mais, chegando a lucrar sem ter que vender o entretenimento, e sim a música, no sentido de fazer jus ao nome fonográfica. Neste trabalho será pesquisada qual seria a melhor alternativa para as empresas voltarem ao mercado. 9

20 A IMPLANTAÇÃO DE INCENTIVOS AOS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNISEB PARA A CRIAÇÃO DE STARTUPS Adolfo da Silva Ferrari. (IC); João Paulo Oliveira. (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB - Ribeirão Preto Atualmente com o avanço tecnológico, encontra-se a entrada de diversas empresas inovadoras no mercado, conhecidas também como startups. Para iniciar uma startup é necessário uma boa ideia e um investimento que varia muito dependendo do ramo de atuação, existem muitos casos da ideia nem sair do papel por falta de investidores ou alguém que possa auxiliar no desenvolvimento do projeto. Este projeto tem como base as incubadoras presentes em diversas universidades pelo país que auxiliam as startups embrionárias. Este projeto busca influenciar e incentivar os alunos a empreender e despertar a vontade de criar ideias dando a eles a oportunidade de colocar em prática todos seus planos. O projeto contará com professores de diversas áreas e grupos de interesse para assessorar e compartilhar experiências e ideias. O projeto também contará com matérias eletivas na grade curricular dos alunos do curso de administração do centro universitário UNISEB. O aluno poderá apresentar seu projeto depois de pronto para investidores anjos ou ter a oportunidade de colocalo em execução dentro mesmo do próprio centro universitário. LIDERANÇA DE EQUIPE: A INFLUÊNCIA DO LÍDER NA MOTIVAÇÃO DA EQUIPE Macedo, Flávia (IC); Furquim, Mariana. (IC); Nardi,Antônio (O) Curso de Administração - Centro Universitário UNISEB- Ribeirão Preto Liderança e motivação são temas muito pertinentes às organizações no contexto atual. O trabalho em equipe fortalece a organização e consequentemente favorece os resultados. Mas motivar uma equipe não é tarefa fácil para quem não está preparado, pois em um determinado grupo pode-se encontrar colaboradores com perfis e objetivos, profissionais e de vida, distintos. Deve-se entender que se um membro não estiver na mesma sintonia que os demais, os projetos e objetivos da organização correm grande risco de não serem concretizados. Cabe ao líder prever, diagnosticar e resolver esse tipo de situação. O trabalho trata da liderança de equipe e tem como objetivo verificar se o comportamento de liderança está correto em relação ao estágio de desenvolvimento da equipe. Trata-se de uma pesquisa exploratória com análise qualitativa. Para alcançar o objetivo proposto, utilizar-se-á um questionário que será aplicado aos colaboradores de X empresas que exercem diversas funções, concluindo até que ponto o líder tem certa influência em motivar, despertar entusiasmo, e a sinergia entre seus funcionários. A partir dos resultados será elaborado um relatório que servirá como base de treinamento aos coordenadores das equipes de modo a facilitar o trabalho deles. 20

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. I II Matriz Curricular vigente a partir de 2010-1 Disciplina Prérequisitos Carga

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em LOGÍSTICA E SUPPLY CHAIN MANAGEMENT Coordenação Acadêmica: Prof. Jamil Moysés Filho OBJETIVO: Ao final do Curso, o aluno será capaz de: Conhecer

Leia mais

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO INTEGRADA: PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TURMA V E EIXOS TEMÁTICOS PARA A MONOGRAFIA FINAL Professor Ms. Carlos Henrique

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Análise de Estratégias e Plano de Comunicação Digital para a Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte 1

Análise de Estratégias e Plano de Comunicação Digital para a Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte 1 Análise de Estratégias e Plano de Comunicação Digital para a Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte 1 Aline Silveira SANTOS 2 Lorena PADRINI 3 Maria Claudia COSTA 4 João de CASTRO 5 Centro Universitário

Leia mais

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas:

A pesquisa de campo foi realizada com questões para os núcleos administrativo, pessoal e acadêmico e procura explorar duas situações distintas: 4 Pesquisa de campo Neste capitulo será apresentado o resultado dos questionários da pesquisa de campo que serviu para o estudo de caso. A coleta de dados será dividida em: Núcleo administrativo Núcleo

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 2.1. COMPETINDO COM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Fundamentos da Vantagem Estratégica ou competitiva Os sistemas de informação devem ser vistos como algo mais do que um conjunto de tecnologias que apoiam

Leia mais

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro

Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Marketing Estratégico no Agronegócio Brasileiro Prof. Adriano Alves Fernandes DCAB - Departamento de Ciências Agrárias e Biológicas CEUNES - Universidade Federal do Espírito Santo 1- Introdução Uma grande

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (ESPECIALIZAÇÃO) MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Drª. Ana Maria Viegas Reis APRESENTAÇÃO A FGV é uma instituição privada sem fins lucrativos, fundada em

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014

Pesquisa FGV-EAESP de Comércio Eletrônico no Mercado Brasileiro 16 a Edição 2014 Resumo Introdução O Comércio Eletrônico é um dos aspectos relevantes no ambiente empresarial atual e tem recebido atenção especial das empresas nos últimos anos, primeiro por ser considerado como uma grande

Leia mais

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK.

Palavras-chave: startups, gerenciamento de pessoas em projetos, processos do PMBOK. PMBOK NA GESTÃO DE RH EM STARTUPS AUTORES Elaine Cristhina Castela Oyamada Henrique Spyra Gubert Juliana da Costa e Silva Juliana Theodoro de Carvalho Leitão Ricardo Takeshita ORIENTADOR Fábio Judice CURSO

Leia mais

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO

A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES DE UMA TRANSPORTADORA DA CIDADE DE SÃO PAULO: UM ESTUDO DE CASO Marcelo Cristian Vieira 1, Carolina Zavadzki Martins 2,Gerliane

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas

O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas O ENSINO DE GRADUAÇÃO E A RELAÇÃO UNlVERSlDADE - EMPRESA NA UFMG José Nagib Cotrim Árabe Fernando Celso Dolabela Chagas Publicado em XXXXX Data: XX/XX/XXXX 1. Introdução É evidente a necessidade de interação

Leia mais

Prof. Lucas Santiago

Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Administração de Sistemas de Informação Prof. Lucas Santiago Classificação e Tipos de Sistemas de Informação Sistemas de Informação são classificados por

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação - Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Os sistemas de informação empresariais na sua carreira Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio Capítulo 12 Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente Acadêmica: Talita Pires Inácio Empresa ABC Crescimento atribuído a aquisições de empresas de menor porte; Esforços de alianças estratégicas e joint-ventures

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 2-CEPE/UNICENTRO, DE 3 DE JANEIRO DE 2011. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Estratégica e da Inovação, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo.

A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. A Logística de Cargas Fracionadas e Novas Configurações do Mercado de Varejo. Cristian Carlos Vicari (UNIOESTE) viccari@certto.com.br Rua Engenharia, 450 Jd. Universitário C.E.P. 85.819-190 Cascavel Paraná

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE S (ÁREA: GESTÃO) TECNÓLOGO SERIADO ANUAL - NOTURNO 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização:A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em 1 Introdução Não é recente a preocupação das empresas em buscar uma vantagem competitiva, de forma a gerar mais valor para os seus clientes do que os concorrentes por meio da oferta de produtos ou serviços

Leia mais

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA

GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA GUIA PARA EMITIR A NOTA FISCAL ELETRÔNICA SUMÁRIO >> Introdução... 3 >> O que é a nota fiscal eletrônica?... 6 >> O que muda com esse novo modelo de documento fiscal?... 8 >> O DANFE - Documento Acessório

Leia mais

MIZUNO, TOPPER, RAINHA, HAVAIANAS, TIMBERLAND, DUPÉ E SETE LÉGUAS.

MIZUNO, TOPPER, RAINHA, HAVAIANAS, TIMBERLAND, DUPÉ E SETE LÉGUAS. SOBRE A ALPARGATAS Quem nunca usou um Bamba? Ou uma calça US Top, um tênis Rainha, uma sandália Havaianas, ou jogou com uma bola Topper? A Alpargatas e suas marcas estiveram e estarão sempre presentes

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros

Processo de Negociação. Quem somos. Nossos Serviços. Clientes e Parceiros Quem somos Nossos Serviços Processo de Negociação Clientes e Parceiros O NOSSO NEGÓCIO É AJUDAR EMPRESAS A RESOLVEREM PROBLEMAS DE GESTÃO Consultoria empresarial a menor custo Aumento da qualidade e da

Leia mais

Gestão Financeira e Orçamentária. Professor Tirlê

Gestão Financeira e Orçamentária. Professor Tirlê Gestão Financeira e Orçamentária Professor Tirlê Gestão Financeira e Orçamentária Gerente de Distribuidora Alimentícia; Gerente Adm. Financeiro Eng. Civil; Gerente de Empresas de Agenciamento de Carga

Leia mais

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional

ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional ENDOMARKETING: Utilização como ferramenta de crescimento organizacional Carlos Henrique Cangussu Discente do 3º ano do curso de Administração FITL/AEMS Marcelo da Silva Silvestre Discente do 3º ano do

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo

O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo O papel dos sistemas de informação no ambiente de negócios contemporâneo Mestrado em Gestão estratégicas de Organizações Disciplina: Sistemas de Informação e Novas Tecnologias Organizacionais Professor:

Leia mais

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 985 RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 RESUMOS COM RESULTADOS 986 ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS, NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO PÚBLICO... 987 987 Ensino (ENAENS) ANÁLISE

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS www.espm.br/centraldecases Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Preparado pelo Prof. Vicente Martin Mastrocola, da ESPM SP. Disciplinas

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA RESUMO 1 A IMPORTÂNCIA DO FEEDBACK NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO REALIZADO NAS ORGANIZAÇÕES DA ZONA DA MATA MINEIRA Daniel de Souza Ferreira 1 RESUMO Ferreira, Daniel de Souza. A Impostância do Feedback

Leia mais

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso!

Fornecedores. Apresentação. www.grupoquantica.com. Nosso desafio é o seu sucesso! Fornecedores www.grupoquantica.com Apresentação 2010 A idéia Fundado e idealizado por Cleber Ferreira, Consultor de Marketing e Vendas, autor do livro Desperte o Vendedor Interior com Técnicas de Vendas

Leia mais

Graduação Executiva. Feita para o seu momento Venha para a única graduação exclusiva para adultos a partir dos 24 anos

Graduação Executiva. Feita para o seu momento Venha para a única graduação exclusiva para adultos a partir dos 24 anos Graduação Executiva Feita para o seu momento Venha para a única graduação exclusiva para adultos a partir dos 24 anos Graduação Administração Duração: 4 anos Carga Horária Total: 3.040 horas/aula Este

Leia mais

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços.

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

Gestão das organizações contábeis

Gestão das organizações contábeis Gestão das organizações contábeis Análise dos resultados da pesquisa Dezembro/2014 por Roberto Dias Duarte Sobre a pesquisa O Sistema Público de Escrituração Digital e seus vários subprojetos têm sido

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

UM RESUMO EXECUTIVO. Organizado para empresas:construindo um modelo operacional contemporâneo de TI

UM RESUMO EXECUTIVO. Organizado para empresas:construindo um modelo operacional contemporâneo de TI UM RESUMO EXECUTIVO Organizado para empresas:construindo um modelo operacional contemporâneo de TI Ao longo da última década, a TI da EMC tem passado por uma transformação para se tornar uma parceira estrategicamente

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais