PAM REVISADO/ABERTO PELO PROGRAMA NACIONAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PAM REVISADO/ABERTO PELO PROGRAMA NACIONAL"

Transcrição

1 ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS Órgão: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná CNPJ: / Dirigente: Michele Caputo Neto Profissão: Secretario Estadual de Saúde RG: SSPPr CPF: Endereço: Rua: Rua Piquiri Nº: 170 Bairro: Rebouças Cidade: Curitiba - PR CEP: Tel.: (041) Fax: (041) Coordenador ou Técnico Responsável: Kathia Adriana Moreira ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST Endereço: Rua: Rua Piquiri Bairro:Rebouças Cidade: Curitiba - PR Nº: 170 CEP: Tel.: (041) 0-45 Fax: (041) SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 1 de 12

2 ANÁLISE DE SITUAÇÃO E DE RESPOSTA O Estado do Paraná está localizado na Região Sul do país, com uma população estimada, em habitantes. Possui uma área territorial de Km2 e faz fronteira com o Paraguai e Argentina, e com os estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina. O Estado conta com dois portos de exportação e importação de mercadorias, o Porto de Paranaguá e o Porto de Antonina, sendo que o Porto de Paranaguá é referência para vários estados brasileiros e países vizinhos na importação de grãos. Dados preliminares de casos de aids notificados no Paraná somam, até o mês dezembro de 2010, um total de casos. Destes 872 (28,70%) casos são em menores de 1 anos. Com relação à razão por sexo, 64,55% são do sexo masculino e 5,45% são do sexo feminino. Em análise por faixa etária verificamos um aumento significativo nos últimos quatro anos na faixa etária de 15 a19 anos de idade ( Masculino 1,16 % e Feminino 68,8 % ) caracterizando claramente a feminização da epidemia. Quando avaliamos a faixa etária na população em geral com idade de 20 a 49 anos (86,8 % do total dos casos ) verificamos que é nesta faixa que se concentra o maior número de casos da doença. Quanto aos homens que fazem sexo com homens (HSH), também podemos perceber o aumento significativo de casos nos últimos três anos. Em 2007 foram notificados 121 casos, em casos, em casos e em 2010 temos o registro de dados preliminares de 11 casos de aids. As análises de mortes por aids no Paraná mostram que o número de óbitos sofreu uma redução significativa. Do número total de casos de aids acumulados em maiores de 1 anos, 6.1% continuam em tratamento,,015 foram a óbito, sendo que 0,25% destes pacientes foram a óbito por outras causas. As regiões do Estado com maior incidência no ano de 2010 são a 1ª Regional de Saúde - Paranaguá, com 0,52 por habitantes, a 9ªRegional de Saúde - Foz do Iguaçú com 16,71 por habitantes e a 2 ª Regional de Saúde Metropolitana - Curitiba com 11,8 por habitantes. Quanto à categoria de exposição prevalece a categoria dos heterossexuais com 62,69% dos casos acumulados notificados, seguida pela categoria dos homossexuais com 1,09 % destes casos, a categoria dos bissexuais com 8,18% e usuários de drogas com 4.98%. Em menores de 1 anos de idade, predomina a categoria perinatal com um número total de 872 casos acumulados notificados. Até a presente data não há registro de caso de transmissão por acidente de trabalho, no entanto, permanece significativa a categoria de exposição ignorada. A tendência da epidemia no Estado do Paraná, está concentrada nas mulheres heterossexuais e em gays e outros homens que fazem sexo com homens. Quanto a categoria de usuários de drogas injetáveis (UDI), não contamos com dados de prevalência, no entanto, entendemos que devido a falta de serviços de referência na rede pública de saúde ou de organizações da sociedade civil para atendimento de UDI, como também por questões estruturais e culturais continuam vulneráveis. Também é preocupante a vulnerabilidade na população carcerária, travestis, na população de 15 a 19 anos de idade, na população de baixa escolaridade e nas populações indígenas. A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná está organizada em todo território estadual através de 22 Regionais de Saúde, contando com técnicos responsáveis por HIV/Aids em cada equipe destas Regionais. Através das Regionais de Saúde o Programa Estadual de DST/Aids estrutura e consolida suas ações. Identificamos alguns problemas crônicos em relação a assistência e prevenção como a rotatividade dos profissionais nos municípios, a falta do funcionamento efetivo do sistema de referência e contra referência, entre outros. Conforme os dados da CN DST/Aids a incidência em gestantes no Estado do Paraná é de 5,2 por 1000 (dados de 2010). Os dados do município de Curitiba (Programa Mãe Curitiba) corroboram este número, indicando 0,6 % de soro positividade nesta população. No ano de 2010 no Paraná foram notificados 15 casos novos de aids em menores de 1 anos, destes 8 (46%) estão na faixa etária de 5 a 11 anos, 7 (54%) são em menores de 5 anos. A taxa de incidência de Aids nessa faixa etária é utilizada para monitorar rotineiramente a transmissão vertical do HIV, indicando uma Taxa de Incidência de Transmissão Vertical de 0,92/ habitantes. Ainda com relação as gestantes, de 2000 a 2010 foram notificadas 1.65 HIV-Gestantes. Destas 721 ( 2,29% do total dos casos) tiveram diagnóstico no pré-natal. Quanto a informação da Profilaxia ARV, em casos ( 70.47%) foi realizada a profilaxia, e em 7 casos (4,86%) a Profilaxia ARV não foi realizada, podendo significar falhas no Pré-Natal. Por outro lado das gestantes que obtiveram o resultado anterior a gravidez, apenas 52 casos (6%) realizaram a Profilaxia ARV, sugerindo falhas não só no Pré-Natal, mas também nos serviços de referência. Dos 146 casos notificados de sífilis congênita notificados no Estado (2010), 16 foram confirmados, em 97 casos ( 71.2 % ) a mãe teve o diagnóstico de sífilis materna durante o Pré-Natal. Com relação a estes casos, apenas 41 (0%) realizaram tratamento adequado, 84 casos (61.74) não realizaram tratamento e 21 casos foram ignorados (15.44). As DSTs tem sido atendidas em unidades básicas municipais, sendo toda a medicação para o seu tratamento de responsabilidade municipal, conforme o pactuado na CIB, no entanto, identificamos baixa incorporação de ações em toda a rede, além de dificuldades para o encaminhamento para os laboratórios e para Vigilância Epidemiológica. A integração das ações de DST/Aids, com as outras instâncias programáticas do SUS, como o Programa de Controle da Tuberculose, de Hepatites Virais, o Programa de Saúde do Trabalhador, Saúde Mental, Atenção Básica, Saúde da Mulher, Saúde do Adolescente entre outros, encontra-se em positivo processo de consolidação no Estado do Paraná. O Paraná conta com 25 Unidades de Assistência Especializada, nos municípios de Paranaguá, Curitiba, Colombo, Pinhais, Araucária, São José dos Pinhais, Ponta Grossa, Castro, Arapoti, Guarapuava, Pato Branco, Francisco Beltrão, Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Arapongas, Londrina, Cambé, Cornélio Procópio, Toledo e Telêmaco Borba. Nos municípios de Irati, União da Vitória, Cianorte, Jacarezinho e Ivaiporã, estes serviços estão organizados nos Centros de Especialidades ou em Ambulatórios Especializados, e, destes, alguns estão inseridos nos Consórcios Intermunicipais de Saúde. Para as ações de testagem e aconselhamento o Paraná dispõe de 27 Centros de Testagem e Acolhimento/Aconselhamento em funcionamento. Através do PAVS o Estado pactuará ações prioritárias do Ministério da Saúde relacionadas a Redução da mortalidade infantil e materna, que também estão inseridas nas prioridades do Pacto pela Vida e de Gestão, como a realização da testagem de HIV e VDRL no pré-natal. A participação da Divisão de Controle das DST/aids, nas instâncias de controle social, como na Comissão Estadual de DST/Aids, no Conselho Estadual de Saúde, na Comissão de Comunicação e na Comissão Intergestores BIPARTITE, são considerados como pontos positivos no processo de garantia do atendimento integral e eficaz a todas as pessoas que vivem e convivem com HIV/Aids no SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 2 de 12

3 Estado do Paraná. Desde o início da epidemia, a Aids criou uma nova demanda para os serviços de saúde. Com a mobilização do Fique Sabendo esta demanda ficou bem evidenciada, levando a Coordenação Estadual a implementar ações de capacitações em todo Estado, com o objetivo de instrumentalizar os técnicos Regionais e Municipais no manejo adequado das pessoas portadoras de DST/HIV/Aids e de reorganizar as redes de serviço no Paraná. Entre as propostas de capacitações destacamos o Manejo Clínico de Sífilis em gestantes e Sífilis Congênita, o Aconselhamento para ampliação dos municípios em Testagem Rápida do HIV, o CBVE em HIV/Aids e Gestante-HIV com criança exposta. Estas capacitações foram realizadas para técnicos das 22 Regionais de Saúde e através destes técnicos multiplicadores contaremos com técnicos capacitados nos 99 municípios do Estado. Com relação à Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis, o Estado elaborou 4 tipos de material informativo: o Manual de Condutas com enfoque voltado para os profissionais das Unidades de Saúde, Folder informativo para as mães, cartaz cujo enfoque é o Pai, e camisetas que abordam o direito da criança nascer saudável. As ações do Plano da Feminização vem sendo inserido em todas as ações da Secretaria Estadual de Saúde do Paraná, e está prevista a elaboração de material informativo com enfoque no tema. Para elaboração do PAM de 2011, foram realizadas reuniões com os diversos programas da secretaria em parceira com o Fórum de ONGs/aids do Paraná, Conselho Estadual de Saúde e Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/aids- Núcleo Paraná. ANEXO(S) DA ANÁLISE DE SITUAÇÃO E DE RESPOSTA Nenhum arquivo anexado. SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: de 12

4 Área de Atuação: Promoção, Prevenção e Proteção Área Temática: Logística de preservativo Descrição da Meta: Em 2011, adquirir preservativos masculinos de 52mm, para distribuição a população em geral no Estado do Paraná, conforme pactuado na BIPARTTE. Prioridade relacionada à meta: 4. Controle Social e Promoção da Cidadania O que: Preservativos Masculinos Quanto: ,00 und Para Quem: População em Geral Quando: Mês/Ano Inicial(1//2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: Pregão Eltronico, Nota Fiscal, relatorios recebidos das Regionais de saúde Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,00 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 1 Insumo PRESERVATIVO MASCULINO 52mm Qtde Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta A q u i s i ç ã o d e p r e s e r v a t i v o s masculinos de 52mm De A (mês/ano) (mês/ano) Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios 0/ /2011 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 4 de 12

5 SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 5 de 12

6 Área de Atuação: Promoção, Prevenção e Proteção Área Temática: Promoção de Direitos Humanos, Advocacy e Controle Social Descrição da Meta: Realizar 20 ações de promoção, prevenção e proteção à saúde, referente as DST/HIV/Aids junto a população em geral no Estado do Paraná no ano de 2011 Prioridade relacionada à meta: 6. Aumento da cobertura das ações de prevenção para populações mais vulneráveis (gays, travestis, profissionais do sexo, mulheres, usuários de drogas e de drogas injetáveis) O que: ações de promoção, prevenção e proteção Quanto: 20,00 ações Para Quem: População em geral e especifica Quando: Mês/Ano Inicial(1//2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: Pregão eletronico, fotos, listas de presença, notas fiscais Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,29 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 1 De (mês/ano) A (mês/ano) Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios Realização Encontro de Paranaense de Pessoas Vivendo com 0/ /2011 R$50.000,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$50.000,00 HIV/aids Realização de encontros para as Populações Vulneravies - 0/ /2011 R$ ,00 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 Travestis, População Negra, Religião de Matizes Africanas, Lesbicas e 04 reuniões do forum de ONGs aids etc Apoio a Parada da diversidade 0/ /2011 R$20.000,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$20.000,00 Realização de Encontros Regionais do Projeto Saude e 0/ /2011 R$50.000,00 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 Prevenção nas Escolas Realização do III Encontro Paranaense de DST/aids 0/ /2011 R$ ,00 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 Elaboração e confecção de material de IEC 0/ /2011 R$208,29 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,29 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 6 de 12

7 Área de Atuação: Diagnóstico, Tratamento e Assistência Área Temática: Logística da fórmula infantil Descrição da Meta: Em 2011 garantir a logística de distribuição de formula infantil para crianças expostas ao HIV/Aids até 6 meses de idade no Estado do Paraná Prioridade relacionada à meta: 1. Melhoria da qualidade da atenção à saúde das PVHA e outras DST O que: Aquisião de Formula infantil Quanto: 100,00 % Para Quem: Crianças Expostas ao HIV Quando: Mês/Ano Inicial(1//2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: Pregão eletronico, notas fiscais, relatorio do leite Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: 26.1,00 Identificação: PN Parecer: adequada Tipo da Meta: 1 Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta De A (mês/ano) (mês/ano) Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios Aquisição e formula infantil 0/ /2011 R$26.1,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$26.1,00 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 7 de 12

8 Área de Atuação: Diagnóstico, Tratamento e Assistência Área Temática: Atenção às pessoas vivendo com DST/HIV/AIDS Descrição da Meta: Realizar compra de medicamentos para infecção oportunista conforme pactuadao na BIPARTITE, para o Estado do Paraná em 2011 Prioridade relacionada à meta: 1. Melhoria da qualidade da atenção à saúde das PVHA e outras DST O que: medicamentos de IO Quanto: 100,00 % Para Quem: Pessoas vivendo com HIV/aids Quando: Mês/Ano Inicial(1/1/2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: nota fiscal de compra, relatorios da CEMEPAR Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,00 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 1 Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta De A (mês/ano) (mês/ano) Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios aquisição de medicamentos de IO, pelo CEMEPAR 01/ /2011 R$0,00 R$50.000,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$50.000,00 SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 8 de 12

9 Área de Atuação: Diagnóstico, Tratamento e Assistência Área Temática: Atenção às pessoas vivendo com DST/HIV/AIDS Descrição da Meta: Em 2011, realizar 17 ações de diagnóstico, tratamento e assistência às pessoas vivendo com DST/HIV/Aids do Estado do Paraná Prioridade relacionada à meta: 1. Melhoria da qualidade da atenção à saúde das PVHA e outras DST O que: ações de diagnostico, assistencia e tratamento Quanto: 17,00 ações Para Quem: Pessoas Vivendo com HIV/aids Quando: Mês/Ano Inicial(1/1/2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: notas fiscais, relatorio etc Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,46 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 1 Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta De A (mês/ano) (mês/ano) Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios Realização de capacacitações em teste rápido 02/ /2011 R$48.002,00 R$0,00 R$50.000,00 R$0,00 R$0,00 R$98.002,00 Realização de Seminario para Pediatras, Manejo Clinico para 0/ /2011 R$80.000,00 R$0,00 R$91.984,82 R$0,00 R$0,00 R$ ,82 DST/HIV/Aids e Hepatites Virais, TB Aquisição de Metacrilato 0/ /2011 R$80.000,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$80.000,00 Atender a demanda dos Serviços Proprios(Reformas, compras 01/ /2011 R$00.000,00 R$0,00 R$ ,64 R$0,00 R$0,00 R$ ,64 de materias permanentes) Hospitais, Regionais de Saude) Realização material instrucional de IEC 0/ /2011 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 R$ ,00 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 9 de 12

10 Área de Atuação: Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional Área Temática: Atenção às pessoas vivendo com DST/HIV/AIDS Descrição da Meta: Garantir sustentabilidade técnica e financeira das ações da Divisão de Controle das DST/aids do Estado do Paraná no ano de Prioridade relacionada à meta: 5. Aumento da Capacidade Gerencial e Programática em DST/Aids O que: Sustentabilidade tecnica e financeira Quanto: 100,00 % Para Quem: Tecnicos DECA, Regionais de Saude e ONGs Quando: Mês/Ano Inicial(1/1/2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: realtorios, notas fiscais etc... Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,00 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 1 Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta De A (mês/ano) (mês/ano) Próprio 1 Aplicação da ação 2 Próprios Realização supervisão PAM, VE e Ongs 01/ /2011 R$90.000,00 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 Garantir a participação da equipe da DVDST, tecnciso da DECA e Regionaisd e Saúde, representantes das ONGs em eventos Aquisição de passagens aéreas e terrestres atender a demanda da Divisão e das ONGs 01/ / / /2011 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 R$90.000,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$0,00 R$90.000,00 Aquisição de material de consumo 0/ /2011 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,00 Aquisição de veiculo 0/ /2011 R$0,00 R$0,00 R$70.000,00 R$0,00 R$0,00 R$70.000,00 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 10 de 12

11 Área de Atuação: Parcerias com OSC Área Temática: Promoção de Direitos Humanos, Advocacy e Controle Social Descrição da Meta: Realizar 02 processo de seleção de projetos de OSC/ONG, para o ano de 2011 no Estado do Paraná Prioridade relacionada à meta: 4. Controle Social e Promoção da Cidadania O que: Seleção Publica de Projetos Quanto: 2,00 und Para Quem: ONGs e OSC Quando: Mês/Ano Inicial(1/1/2011) a Mês/Ano Final(1/12/2011) Fonte para verificação do alcance da meta: processo seletivo Somatório dos recursos financeiros previstos nas ações/insumos vinculados à meta R$: ,40 Identificação: PN Parecer: necessita refisão de meta Tipo da Meta: 2 Ações a serem desenvolvidas para o alcance da Meta Realização de 02 processos de seleção pública para de OSC/ONG projetos De (mês/ano) A (mês/ano) 01/ /2011 Próprio Aplicação 2 Próprios da ação 1 R$56.980,40 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ ,40 1.RECEBIDO: recursos recebidos do (fundo a fundo), que não foram aplicados na execução do PAM anterior ao fim dos 12 meses ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). 2.APLICAÇÃO FINANCEIRA: recursos aferidos da aplicação financeira dos recursos repassados fundo a fundo..próprios: recursos próprios do gestor de saúde que deveriam ter sido aplicados no PAM anterior e que por algum motivo não foram ( não considerar os valores já empenhados e outras ações que estão previstas para serem liquidadas no período entre o décimo e o décimo segundo mês). SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 11 de 12

12 Proposta de Recursos Financeiros Globais por Áreas Áreas de Atuação Recursos Financeiros a serem aplicados Saldo PAM Anterior Próprios Aplicação Financeira Próprios Total Percentual do Promoção, Prevenção e Proteção R$20.208,29 R$ ,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ , % Diagnóstico, Tratamento e Assistência R$771.15,00 R$50.000,00 R$ ,46 R$0,00 R$ ,00 R$ , % Gestão e Desenvolvimento Humano e Institucional R$80.000,00 R$0,00 R$17.000,00 R$0,00 R$0,00 R$ , % SubTotal R$ ,29 R$ ,00 R$ ,46 R$0,00 R$ ,00 R$ ,75 74,54% Parcerias com OSC R$56.980,40 R$0,00 R$ ,00 R$0,00 R$0,00 R$ , % R$2.05.2,69 R$ ,00 R$ ,46 R$0,00 R$ ,00 R$ , % SISINCENTIVO - RPAM2005G_2010_.rpt Página: 12 de 12

PAM REVISADO/FECHADO PELO PROGRAMA NACIONAL

PAM REVISADO/FECHADO PELO PROGRAMA NACIONAL Atual condição de Gestão do SUS: Gestão Plena do Sistema IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS Situação do estado quanto a elaboração de Plano Diretor de Regionalização conforme a NOAS 2002: Encontra-se

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

HIV/Aids Hepatites Virais Crônicas (HBV/HCV)

HIV/Aids Hepatites Virais Crônicas (HBV/HCV) HIV/Aids Hepatites Virais Crônicas (HBV/HCV) Epidemiologia Paula V. M. Toledo Infectologista SVS SESA Infecções virais crônicas O quadro agudo pode ser assintomático Evoluem para a forma crônica permanece

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FUNDO A FUNDO NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NO PERÍODO DE ABRIL/05 A MARÇO/06

Leia mais

OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS

OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS OFICINA DE ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE GAYS, HSH E TRAVESTIS METAS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS 1 Estimular 80% da população de gays, HSH e travestis do

Leia mais

Objetivo 2 Ampliar e qualificar o acesso integral e universal à prevenção das DST/HIV/aids para Gays, outros HSH e Travestis.

Objetivo 2 Ampliar e qualificar o acesso integral e universal à prevenção das DST/HIV/aids para Gays, outros HSH e Travestis. Histórico 1º semestre de 2008 Elaboração do Plano Nacional de Enfrentamento da Epidemia de Aids e das DST entre gays, hsh e travestis Agos/08 Oficina Macro Sudeste para apresentação do Plano Nacional Set/08

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO OBJETIVO GERAL DO PLANO ESTADUAL Enfrentar a epidemia do HIV/aids e das DST entre gays, outros HSH

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS Diagnóstico Operacionalização do Plano Estadual Contexto de vulnerabilidade 1. Relações desiguais de gênero Ações governamentais

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita

Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e O Descompasso no Controle da Sífilis Congênita Porquê é um Desafio para a Saúde Pública? Agente etiológico conhecido História natural

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PARÁ Objetivo 1 - Garantir ações de enfrentamento do HIV/DST/aids para gays, outros HSH e travestis, do ponto

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO DE JANEIRO Objetivo 1 - Apresentar e difundir o Plano Enfrentamento do HIV/Aids e outras DST junto à

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM NA BUSCA E PREVENÇÃO DO HIV/AIDS 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EXPOSIÇÃO DE RISCO DOS PARTICIPANTES DO PROJETO UEPG-ENFERMAGEM

Leia mais

FECHADO PELO GESTOR. Secretaria Estadual de Saúde - Rio Grande do Sul-RS IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS

FECHADO PELO GESTOR. Secretaria Estadual de Saúde - Rio Grande do Sul-RS IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS Atual condição de Gestão do SUS: Rio Grande do Sul IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS Situação do estado quanto a elaboração de Plano Diretor de Regionalização conforme a NOAS 2002: ÓRGÃO RESPONSÁVEL

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 6. GERÊNCIA DE

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

de Gays, HSHe Travestis, criado em março de 2008, pelo Governo Federal. Considerando que o plano traça diretrizes de combate às vulnerabilidades

de Gays, HSHe Travestis, criado em março de 2008, pelo Governo Federal. Considerando que o plano traça diretrizes de combate às vulnerabilidades GOVERNO DAPARAIBA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE Resolução n Q 174/11 João Pessoa, 14 de outubro de 2011 o Presidente da Comissão Intergestores Bipartite no uso de suas

Leia mais

DST/Aids e Rede Básica : Uma Integração Necessária. Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo

DST/Aids e Rede Básica : Uma Integração Necessária. Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo DST/Aids e Rede Básica : Uma Integração Necessária Programa Estadual de DST/AIDS de São Paulo DST/AIDS E ATENÇÃO BÁSICA O Sistema Único de Saúde ( SUS ) preconiza a descentralização,hierarquização e territorialização

Leia mais

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida

SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida SAúDE e PReVENÇãO NaS ESCoLAS Atitude pra curtir a vida UNAIDS/ONUSIDA Relatório para o Dia Mundial de Luta contra AIDS/SIDA 2011 Principais Dados Epidemiológicos Pedro Chequer, Diretor do UNAIDS no Brasil

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VIII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2010 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2011 2012. Ministério

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE. Luiz Roberto Barradas Barata. Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE. Luiz Roberto Barradas Barata. Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Luiz Roberto Barradas Barata Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS Clélia Maria S.S. Aranda Coordenadora COORDENAÇÃO DO PROGRAMA ESTADUAL DE DST/

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS Estimular 80% da população de gays, HSH e travestis do

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Abril 2014 Da segregação à conquista da cidadania 1980 mobilização dos usuários, familiares e trabalhadores de saúde visando

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Seminário: Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids determinantes epidemiológicos e sóciocomportamentais Porto Alegre 14-16/12/09 Ângela Tayra Divisão de Vigilância

Leia mais

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA AIDS NO BRASIL Desde o início de 1980 até junho de 2012 foram registrados

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE GERÊNCIA DE PROGRAMAS ESPECIAIS COORDENAÇÃO ESTADUAL DE DST/AIDS PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DO HIV/AIDS E COINFECÇÕES NO ESTADO DE GOIÁS Goiânia, 2012

Leia mais

SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h

SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h Governo do Estado do Paraná (SESA) Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA GRIPE A (H1N1) NO PARANÁ - 2012 BOLETIM INFORMATIVO - 03/2012 Atualizado em 02/07/2012 às 18h A informa que o Paraná teve 381 casos

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade

Contrata Consultor na modalidade Contrata Consultor na modalidade PROJETO 914/BRZ/1138 EDITAL Nº 03/2015 1. Perfil: 044/2014 - Consultor em gestão de processos de negócio 3. Qualificação educacional: Nível superior completo em qualquer

Leia mais

Ministério da Saúde. Portaria N.º 2313, de 19 de dezembro de 2002

Ministério da Saúde. Portaria N.º 2313, de 19 de dezembro de 2002 Ministério da Saúde Portaria N.º 2313, de 19 de dezembro de 2002 O Ministro do Estado da Saúde, no uso das suas atribuições, considerando: a importância da formulação e implementação de alternativas de

Leia mais

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS

ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra a AIDS Carta ANAIDS 1º de Dezembro - Dia Mundial de Luta contra a AIDS Cada um tem sua cara e a aids também tem... A ANAIDS Articulação Nacional de Luta Contra Aids - colegiado que reúne os Fóruns de ONG Aids

Leia mais

POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS

POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS RESULTADOS, AVANÇOS E PERSPECTIVAS A Epidemia Prevenção Diagnóstico Assistência e Tratamento Sustentabilidade e

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS

ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS Brasília, janeiro de 2006 Expediente Presidente da República: Luiz Inácio Lula da Silva

Leia mais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Departamento DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br Maio/2014

Leia mais

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LESTER PEREIRA Diretor Geral WINSTON LUIZ ZOMKOWSKI Superintendente

Leia mais

SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 02/2013 Atualizado em 06/06/2014

SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 02/2013 Atualizado em 06/06/2014 Governo do Estado do Paraná (SESA) Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 02/2013 Atualizado em 06/06/2014 No boletim quinzenal da gripe divulgado nesta sexta-feira

Leia mais

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP 2012 6º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio COMBATER O HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS A inclusão do combate ao HIV/Aids nas Metas do Milênio, foi

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade

Contrata Consultor na modalidade. Contrata Consultor na modalidade Contrata Consultor na modalidade PROJETO 914/BRZ/1138 EDITAL Nº 19/2014 Publicação de perfil(is) para contratação de profissional(is) na(s) área(s), cuja(s) vaga(s) está(ão) disponível (is) na página da

Leia mais

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009

PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 COORDENADORIA DE PROMOÇÃO E PROTEÇÃO À SAÚDE - COPROM NÚCLEO DE PREVENÇÃO E CONTROLE DE DOENÇAS NUPREV PLANO INTEGRADO DE ENFRENTAMENTOÀ FEMINIZAÇÃO DA AIDS NO CEARÁ - 2009 Responsáveis pela elaboração:

Leia mais

AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS

AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS AMPLIANDO O DIAGNÓSTICO DE HIV/AIDS PARA GAYS, HSH E TRAVESTIS 2o. Workshop Internacional - Testes de Diagnóstico Acessíveis e com Qualidade Assegurada para Programas de Saúde Pública 19 e 20 de Novembro

Leia mais

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE

REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE REDUÇÃO DE DANOS EM SERVIÇOS DE SAÚDE Prevalência do HIV nas Populações mais Vulneráveis População em geral 0,65% Profissionais do sexo 6,6% Presidiários - 20% Usuários de drogas injetáveis 36,5% REDUÇÃO

Leia mais

PAM REVISADO/FECHADO PELO PROGRAMA NACIONAL

PAM REVISADO/FECHADO PELO PROGRAMA NACIONAL ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS Órgão: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná CNPJ: 76.416.866/0001-40 Dirigente: Gilberto Berguio Martin Profissão: Secretario Estadual de Saúde RG: 1.402.410-7 CPF:

Leia mais

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes IMPLANTAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS NA ATENÇÃO BÁSICA Os Testes Rápidos de HIV e Sífilis são estratégias importantes para a melhoria da qualidade da atenção à gestante durante o pré-natal, por

Leia mais

AIDS NÃO TEM CARA. A DOENÇA ESTÁ SEMPRE CAMISINHA É A ÚNICA PROTEÇÃO.

AIDS NÃO TEM CARA. A DOENÇA ESTÁ SEMPRE CAMISINHA É A ÚNICA PROTEÇÃO. ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIGILÂNCIA DAS DST/HIV/AIDS E HEPATITES VIRAIS CARNAVAL 2011 AIDS NÃO TEM CARA. A DOENÇA ESTÁ SEMPRE

Leia mais

FECHADO PELO GESTOR. Secretaria Estadual de Saúde - Minas Gerais-MG IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS

FECHADO PELO GESTOR. Secretaria Estadual de Saúde - Minas Gerais-MG IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS Atual condição de Gestão do SUS: Gestão Plena IDENTIFICAÇÃO DO GESTOR PÚBLICO DO SUS Situação do estado quanto a elaboração de Plano Diretor de Regionalização conforme a NOAS 2002: Encontra-se habilitado

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência e Treinamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis CRT-DST/ AIDS/ CCD

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência e Treinamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis CRT-DST/ AIDS/ CCD DELIBERAÇÃO CIB N O 61 PARA A DISTRIBUIÇÃO DO VALOR DO INCENTIVO FINANCEIRO BASEADA NA PORTARIA N O 3.276 de 26 de Dezembro de 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência

Leia mais

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica Rede Cegonha SUMÁRIO Apresentação... 05 1. Introdução... 07 2. Implantação dos Testes Rápidos de HIV e sífilis e Aconselhamento

Leia mais

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia Porto Alegre, 21-24 de outubro 2008 Célia Landmann Szwarcwald celials@cict.fiocruz.br

Leia mais

Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda

Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde I. Apresentação II. Contexto epidemiológico III.

Leia mais

ANEXO I TÍTULO DO PROJETO. Bairro: Cidade: Estado: CEP: Mandato (Dia/Mês/Ano): Início: Término: Identidade: Bairro: Cidade: Estado: CEP:

ANEXO I TÍTULO DO PROJETO. Bairro: Cidade: Estado: CEP: Mandato (Dia/Mês/Ano): Início: Término: Identidade: Bairro: Cidade: Estado: CEP: ANEXO I CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROJETOS PARA FORTALECER AÇÕES DE PROMOÇÃO E DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS RELACIONADO À EPIDEMIA DE DST/HIV/AIDS E HEPATITES VIRAIS. TÍTULO DO PROJETO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS

DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS PLANO ESTADUAL DE COMBATE A FEMINIZAÇÃO DA AIDS (PROPOSTA

Leia mais

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO HIV/ AIDS ESTADO DE GOIÁS GOIÁS 2015 Situação Epidemiológica da AIDS no Estado de Goiás Secretaria de Estado da Saúde de Goiás Superintendência de Políticas de Atenção Integral à

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015

BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 BOLETIM INFORMATIVO nº 04 HIV/AIDS 2015 AIDS O Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde estima que aproximadamente 734 mil pessoas vivam com HIV/aids no país, o que corresponde

Leia mais

SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 04/2013 Atualizado em 28/06/2013

SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 04/2013 Atualizado em 28/06/2013 Governo do Estado do Paraná (SESA) Sala de Situação em Saúde SITUAÇÃO DA GRIPE NO PARANÁ - 2013 BOLETIM INFORMATIVO - 04/2013 Atualizado em 28/06/2013 Mortes por gripe estão ligadas a doenças crônicas

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO DA RC

CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO DA RC MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE DA MULHER CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO

Leia mais

ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012

ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012 ATIVIDADES REALIZADAS PELO PROCON-PR E PELOS PROCONS INTEGRADOS AO SISTEMA ESTADUAL EM 2012 Com o objetivo de implementar e executar a política estadual de proteção, orientação, defesa e educação do consumidor,

Leia mais

PAM REVISADO/FECHADO PELO ESTADO

PAM REVISADO/FECHADO PELO ESTADO ÓRGÃO RESPONSÁVEL PEL GESTÃO DO SUS Órgão: Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte CNPJ: 8.75.8/000-40 Dirigente: Marcelo Gouvêa Teixeira Profissão: dministrador de empresas RG: MG 690 CPF: 74.52.06-78

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder

Programa Estadual de Controle da Tuberculose. Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder SANTA CATARINA Programa Estadual de Controle da Tuberculose Coordenadora: Nardele Maria Juncks Equipe: Márcia Aparecida Silva Sônia Maura Coelho Mariana Hoffelder tuberculose@saude.sc.gov.br SECRETARIA

Leia mais

Informes dos Membros da CNAIDS

Informes dos Membros da CNAIDS Informes dos Membros da CNAIDS 119ª Reunião da Comissão Nacional de DST, AIDS e Hepatites Virais Local: Brasília-DF Data: 26 de agosto de 2014 Capacitações Regionais do Projeto Advocacy em Saúde (PAS)

Leia mais

Por que esses números são inaceitáveis?

Por que esses números são inaceitáveis? MANIFESTO DAS ONGS AIDS DE SÃO PAULO - 19/11/2014 AIDS: MAIS DE 12.000 MORTOS POR ANO NO BRASIL! É DESUMANO, É INADMISSÍVEL, É INACEITÁVEL. PRESIDENTE DILMA, NÃO DEIXE O PROGRAMA DE AIDS MORRER! Atualmente,

Leia mais

Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro

Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro 1 - Qual será o cronograma do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais para as próximas videoconferências sobre

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS CEARÁ

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS CEARÁ PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS CEARÁ OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS CRONOGRAMA MONITORAMENTO INDICADOR Incluir anualmente,

Leia mais

Cerâmicas e Olarias. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção

Cerâmicas e Olarias. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção Cerâmicas e Olarias SENAI - AMPÉRE SENAI - APUCARANA Planejamento, Programação e Controle de Produção - PPCP SENAI - ARAPONGAS Administração de Materiais Atendimento ao Público para Vigias e Porteiros

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL Criar dados sobre a população de gays, HSH e travestis. Encaminhamentos (SINAN x campos

Leia mais

Paraná terá campanha contra DST/AIDS durante o carnaval

Paraná terá campanha contra DST/AIDS durante o carnaval Paraná terá campanha contra DST/AIDS durante o carnaval CBN Foz do Iguaçu (Web) - 11/02/2015 16:40:00 Neutra NotíciaDt. Transmissão: 11/02/2015 16:40:00Duração: Min Por Redação Online Blitze educativas,

Leia mais

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS 2009 Trabalho em rede de organizações não governamentais para populações vulneráveis às DST/HIV/Aids

CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS 2009 Trabalho em rede de organizações não governamentais para populações vulneráveis às DST/HIV/Aids CHAMADA PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS 2009 Trabalho em rede de organizações não governamentais para populações vulneráveis às DST/HIV/Aids 1. INTRODUÇÃO A parceria entre o Programa Nacional de DST e Aids,

Leia mais

PANIFICAÇÃO. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção

PANIFICAÇÃO. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção PANIFICAÇÃO SENAI - AMPÉRE SENAI - APUCARANA Higiene Aplicada à Manipulação de Alimentos Planejamento, Programação e Controle de Produção - PPCP SENAI - ARAPONGAS Administração de Materiais Atendimento

Leia mais

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Em 2012, ocorreram 2.767 óbitos por Aids no Estado de São Paulo, o que representa importante queda em relação ao pico observado em 1995 (7.739). A

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO PENITENCIÁRIA PROGRAMA DE DST/ HIV /AIDS / HEPATITES SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE E DEFESA CIVIL GERÊNCIA ESTADUAL DE DST/AIDS,

Leia mais

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL

BUSCA ATIVA DE POSSÍVEIS PORTADORES DE HIV/AIDS EM PROJETO EXTENSIONISTA E SEU PERFIL 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente:

Estatuto da Criança e do Adolescente: PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL HIV e alimentação infantil Estatuto da Criança e do Adolescente: Livro I Parte Geral Título I Das disposições preliminares Art. 4º - é dever da família, da comunidade,

Leia mais

Taxa de detecção em torno de 22 casos para cada 100 mil habitantes

Taxa de detecção em torno de 22 casos para cada 100 mil habitantes Cerca de 42 mil casos novos por ano Taxa de detecção em torno de 22 casos para cada 100 mil habitantes Ano de diagnóstico Casos Taxa de detecção 2009 41.477 21,7 2010 41.476 21,7 2011 43.778 22,8 2012

Leia mais

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012 Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis 18 de junho de 2012 LINHA DE CUIDADO TV DO HIV Unidade Básica de Saúde (diagnóstico e encaminhamento) Serviço de Atenção Especializada (Pré-natal,

Leia mais

NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS

NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS NOTA TÉCNICA 50 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DAS DST/AIDS E HEPATITES VIRAIS Brasília, 18 de novembro de 2013 REGULAMENTAÇÃO DO INCENTIVO ÀS AÇÕES DE VIGILÂNCIA,

Leia mais

Alimentos e bebidas. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção

Alimentos e bebidas. Qualificação profissional básica Operador de Processos de Produção Alimentos e bebidas SENAI - AMPÉRE SENAI - APUCARANA Higiene Aplicada à Manipulação de Alimentos Planejamento, Programação e Controle de Produção - PPCP SENAI - ARAPONGAS Administração de Materiais Atendimento

Leia mais

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids

Sumário. Aids: a magnitude do problema. A epidemia no Brasil. Característica do Programa brasileiro de aids Sumário Aids: a magnitude do problema A epidemia no Brasil Característica do Programa brasileiro de aids Resultados de 20 anos de luta contra a epidemia no Brasil Tratamento Prevenção Direitos humanos

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS. Brasília - 2012

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS. Brasília - 2012 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 HIV AIDS Brasília - 2012 Ano I - nº 01 até semana epidemiológica 52ª - dezembro de 2012 Sumário Apresentação... 03 Introdução... 05 HIV e Aids no Brasil... 06

Leia mais

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014

A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná. Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 A Rede de Atenção à Saúde Mental no Paraná Coordenação Estadual de Saúde Mental Janeiro 2014 Política Estadual de Saúde Mental 1995 - Lei Estadual nº 11.189 Segue os princípios e diretrizes do SUS e da

Leia mais

Fórum Paranaense de ONG AIDS.

Fórum Paranaense de ONG AIDS. RELATÓRIA TRABALHO DE SUBTEMAS XVII ERONG PR SUL 2013 REGIÃO SUL CURITIBA. ERONG PR SUL 2013 Cidade: CURITIBA UF: PARANÁ Pessoa/s de contato:amauri Instituição/es: Fórum Paranaense de ONG AIDS, Ferreira

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade

Contrata Consultor na modalidade Contrata Consultor na modalidade PROJETO 914/BRZ/1138 EDITAL Nº 10/2015 1. Perfil: Código: 20/ 2015 - Consultor em epidemiologia 3. Qualificação educacional: Nível superior completo na área da saúde. Pós-graduação

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

APARELHOS ELÉTRICOS, ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÃO

APARELHOS ELÉTRICOS, ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÃO APARELHOS ELÉTRICOS, ELETRÔNICOS E TELECOMUNICAÇÃO SENAI - AMPÉRE auxiliar administrativo e de produção industrial SENAI - APUCARANA Planejamento, Programação e Controle de Produção - PPCP SENAI - ARAPONGAS

Leia mais

Pólos de testes anti-hiv para gestantes

Pólos de testes anti-hiv para gestantes Pólos de testes anti-hiv para gestantes Contexto Validação de testes rápidos para diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV; Publicação, pelo Ministério da Saúde, da portaria número 34 de julho de 2005,

Leia mais

INFLUENZA Vigilância Ampliada Portaria 2693/ MS 17/11/2011*

INFLUENZA Vigilância Ampliada Portaria 2693/ MS 17/11/2011* INFLUENZA Vigilância Ampliada Portaria 2693/ MS 17/11/2011* Republicada no DOU. Edição 81 de 26/04/2012, páginas 37 e 38 Art. 1º. Estabelece mecanismo de repasse financeiro do Fundo Nacional de Saúde aos

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA Nº 004/2015 FMT-HVD

EDITAL DE CHAMADA Nº 004/2015 FMT-HVD EDITAL DE CHAMADA Nº 004/2015 FMT-HVD SELEÇÃO DE PROJETOS DE ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL PARA AÇÕES DE PREVENÇÃO E PROMOÇÃO À SAÚDE; DIREITOS HUMANOS, ASSISTÊNCIA E SUSTENTABILIDADE EM DST/AIDS E HEPATITES

Leia mais