Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e. O Descompasso no Controle da. Sífilis Congênita"

Transcrição

1 Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis: Os Avanços no Controle do HIV e O Descompasso no Controle da Sífilis Congênita

2 Porquê é um Desafio para a Saúde Pública? Agente etiológico conhecido História natural da doença conhecida Diagnóstico laboratorial disponível Tratamento/profilaxia disponíveis

3 Casos notificados de aids BRASIL : Estado de São Paulo: Fonte: SINAN- Vigilância Epidemiológica-PE-DST/Aids-SP (dados até 31/12/02)

4 Casos Notificados de AIDS, Mulher e TV, em log, SP, 1983 to 2001(12/02) F: PEDST/AIDS-SP 12/02 mulher TV

5 Casos Notificados de AIDS, Transmissão Vertical, em log, Brasil-SP-EUA, 1987 a 2001 (12/02) EUA Brasil São Paulo F: PEDST/AIDS-SP 12/02

6 Estimativa de soroprevalência do HIV gestantes/sp: 0.6% (em estudo) São Paulo: População = Partos = por ano No. estimado casos HIV em gestantes/ano = Uso de AZT-IV = (65,3%) F: PEDST/AIDS-SP 12/02

7 USO DO AZT INJETÁVEL SÃO PAULO, AZT 1996 = = = = = = = = 2313 F: PEDST/AIDS-SP 12/02

8 Distribuição do Teste Rápido para Maternidades, , São Paulo = = = = F: PEDST/AIDS-SP 12/02

9 Notificação de Gestantes HIV + e Crianças Expostas - São Paulo* Amostra: 277 fichas (01/02 a 06/02) CEDST/AIDS_SP *Dados sujeitos à revisão Pré-Natal: 88,8% sim 4,3% não 6,9% ign Diagnóstico do HIV: 41,5% antes do PN 42,2% durante o PN 16,2% no pré-parto Uso do AZT no PN: 79,1% sim 16,2% não 4,7% houve recusa

10 Taxa de Infecção da Transmissão Vertical (%), São Paulo, ,1 7,8 2, Tess, 1998; Succi, 2003 (dados sujeitos à revisão)

11 AIDS - Transmissão Vertical: Estudos de Sobrevida, São Paulo ,4 Com ARV IC95%:75,9-131,8 χ 2 2gl =347,9 p<0, ,7 IC95%:30,8-58,5 χ 2 1gl =0,80 p=0, , F: Grangeiro A, 1995; Matida LH, 1996; Matida LH, 2002 meses

12 Uso do AZT-EV: Distribuição Maternidades, São Paulo, Julho/2002 Total = 207 maternidades F: PNDST/AIDS-SP 12/02

13 Distribuição de Serviços Especializados para Mulheres e Crianças com HIV/AIDS Serviços F: PNDST/AIDS-SP 12/02

14 NÚMERO DE SERVIÇOS DE SAÚDE ESTADO DE SÃO PAULO 170 ambulatórios especializados para portadores de HIV/AIDS 377 unidades especializadas em DST/127 municípios 35 centros de testagem e aconselhamento 31 hospitais-dia 102 hospitais com leitos para atendimento de portadores de HIV/AIDS hospitalizações/ hospitalizações/2002

15 Total de casos notificados de Sífilis Congênita, Estado de São Paulo, (10/03) SC F:CEDST/AIDS-SP

16 Estimativa de soroprevalência da Sífilis em gestantes/sp: 1,7% População = Partos = por ano. Pré-Natal = 85% 7 ou + consultas = 54,5% No. estimado Sífilis em gestantes/ano =

17 Tabela 1. Total de casos notificados de sífilis congênita, segundo Direção Regional de Saúde (DIR) - notificação e ano de diagnóstico, Estado de São Paulo, 1994 a 2002* Ano de diagnóstico Total DIR ** 2002** No. % I - Capital ,52 II - Santo André ,58 III - Mogi das Cruzes ,84 IV - Franco da Rocha ,05 V - Osasco ,72 VI - Araçatuba ,35 VII - Araraquara ,44 VIII - Assis ,15 IX - Barretos ,04 X - Bauru ,09 XI - Botucatu ,35 XII - Campinas ,36 XIII - Franca ,09 XIV - Marília ,73 XV - Piracicaba ,29 XVI - Presidente Prudente ,20 XVII - Registro ,22 XVIII - Ribeirão Preto ,25 XIX - Santos ,96 XX - São João da Boa Vista ,58 XXI - São José dos Campos ,42 XXII - São José do Rio Preto ,28 XXIII - Sorocaba ,51 XXIV - Taubaté ,44 Total ,00 Fonte: SINAN-Divisão de Vigilância Epidemiológica - Programa Estadual DST/Aids, * ( dados até 27/08/2002). ** Casos sujeitos à revisão.

18 Total de casos notificados de Sífilis Congênita segundo realização de pré natal, Estado de São Paulo, * (Total de casos=5.232) 15,3 Não 10,5 Ign 74,2 Sim Fonte: SINAN- Vigilância Epidemiológica-CVE- PE-DST/Aids-SP (dados até 10/2003)

19 Total de casos notificados de Sífilis Congênita segundo realização de pré natal, Estado de São Paulo, * (Total de casos=2.616) Não 12% Não class 13% Sim 69% IGN 6% Fonte: SINAN- Vigilância Epidemiológica-CVE- PE-DST/Aids-SP (dados até 20/08/2003)

20 Total de casos notificados de Sífilis Congênita com pré natal, segundo realização de VDRL, Estado de São Paulo, * (Total de casos=1.805) Não class 25% REATIVO 39% 50% com 1o. VDRL IGN 20% NÃO REALIZADO 5% NÃO REATIVO 11% IGN 35% REATIVO 17% NÃO REATIVO 6% 23% com 2o. VDRL Não classificados 27% NÃO REALIZADO 15% Fonte: SINAN- Vigilância Epidemiológica-CVE- PE-DST/Aids-SP (dados até 20/08/2003)

21 Total de casos notificados de Sífilis Congênita segundo tratamento da mãe e parceiro, Estado de São Paulo, ignorado 27% não tratada 13% mãe "tratada" 60% ignorado 69% parceiro "tratado" 13% não tratado 2% Fonte: SINAN- Vigilância Epidemiológica-PE-DST/Aids-SP (dados até 31/05/2001)

22 Errar é Humano

23 Acertar, também

24 Prevenção da Transmissão Vertical Metas: Aumentar para 100% o número de gestantes aconselhadas e testadas para o HIV e a Sífilis no Estado; Tratar 100% das gestantes identificadas como soropositivas para a Sífilis e o HIV no Estado;

25 Estratégias para o controle: Interface com: Área da Mulher, Materno-Infantil, Assistência Básica à Saúde, PACS/PSF, Laboratório, Sociedade Civil Organizada; Órgãos Formadores - composição de um grupo oficial; Oferecer um pré-natal precoce e com qualidade; Detecção precoce: disponibilizar uma ágil pesquisa diagnóstica laboratorial com aconselhamento; Disponibilizar medicamentos; Acessar parceiros; Informar sempre sobre prevenção e controle.

26 Desafio. Melhoria da qualidade do atendimento dos serviços de saúde (sustentabilidade), considerando questões técnicas, burocráticas, e também: questões de gênero, sexualidade e prevenção das DST/HIV/AIDS;

27 Ação Básica para o Controle do HIV/AIDS/DST: PREVENÇÃO

28 e sem a Sífilis.

29 A Gestação e o Resultado Indeterminado na Pesquisa de Anticorpos Anti-HIV

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA PROGRAMA ESTADUAL DE DST/AIDS DE SÃO PAULO MAIO 2014 SITUAÇÃO E METAS GLOBAIS - UNAIDS ELIMINAR INFECÇÕES PELO HIV EM CRIANÇAS E REDUZIR MORTE MATERNA

Leia mais

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade

Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Vigilância Epidemiológica da aids e mortalidade Seminário: Estudos e Pesquisas em DST/HIV/Aids determinantes epidemiológicos e sóciocomportamentais Porto Alegre 14-16/12/09 Ângela Tayra Divisão de Vigilância

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012

Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. 18 de junho de 2012 Linhas de Cuidado da Transmissão Vertical do HIV e Sífilis 18 de junho de 2012 LINHA DE CUIDADO TV DO HIV Unidade Básica de Saúde (diagnóstico e encaminhamento) Serviço de Atenção Especializada (Pré-natal,

Leia mais

Hélio Vasconcellos Lopes

Hélio Vasconcellos Lopes HIV/AIDS no Município de Santos e dados brasileiros Hélio Vasconcellos Lopes Coordenador do Programa Municipal DST/AIDS/Hepatites da Secretaria Municipal de Saúde Professor titular da Faculdade de Medicina

Leia mais

Mudanças no Padrão da Mortalidade por Aids no Estado de São Paulo *

Mudanças no Padrão da Mortalidade por Aids no Estado de São Paulo * Mudanças no Padrão da Mortalidade por Aids no Estado de São Paulo * Bernadette Cunha Waldvogel Fundação Seade Lilian Cristina Correia Morais Fundação Seade Palavras-chave: mortalidade, Aids, distribuição

Leia mais

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS.

PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. PREVENÇÃO DE DST/AIDS APÓS VIOLÊNCIA SEXUAL AVALIAÇÃO DOS CASOS NOTIFICADOS À SES/RS. Introdução e método: A violência física em especial a violência sexual é, sem dúvida, um problema de saúde pública.

Leia mais

Estatuto da Criança e do Adolescente:

Estatuto da Criança e do Adolescente: PREVENÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL HIV e alimentação infantil Estatuto da Criança e do Adolescente: Livro I Parte Geral Título I Das disposições preliminares Art. 4º - é dever da família, da comunidade,

Leia mais

Pólos de testes anti-hiv para gestantes

Pólos de testes anti-hiv para gestantes Pólos de testes anti-hiv para gestantes Contexto Validação de testes rápidos para diagnóstico sorológico da infecção pelo HIV; Publicação, pelo Ministério da Saúde, da portaria número 34 de julho de 2005,

Leia mais

Alexandre O. Chieppe

Alexandre O. Chieppe Transmissão Vertical da Sífilis S e do HIV Alexandre O. Chieppe Coordenação Estadual de DST/AIDS-CVE Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro Câmara Técnica de AIDS do CREMERJ Do Início da Epidemia

Leia mais

Cidade de Prova - 01 ARAÇATUBA. Cidade de Prova - 02 ARARAQUARA. Cidade de Prova - 03 ASSIS

Cidade de Prova - 01 ARAÇATUBA. Cidade de Prova - 02 ARARAQUARA. Cidade de Prova - 03 ASSIS Cidade de Prova - 01 ARAÇATUBA 001 - Aux. de Enfermagem ARAÇATUBA 542 018 - Enfermeiro ARAÇATUBA 203 036 - Médico - Cardiologia ARAÇATUBA 5 050 - Médico - Clínica Médica ARAÇATUBA 13 064 - Médico - Dermatologia

Leia mais

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas

Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas Construção de um sistema de monitoramento da epidemia de aids: Desafios e Lições Aprendidas XVIII Congresso Mundial de Epidemiologia Porto Alegre, 21-24 de outubro 2008 Célia Landmann Szwarcwald celials@cict.fiocruz.br

Leia mais

HIV/aids no Brasil - 2012

HIV/aids no Brasil - 2012 HIV/aids no Brasil - 2012 Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Novembro de 2012 HIV Dados gerais Prevalência do HIV maior entre homens (15

Leia mais

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes IMPLANTAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS NA ATENÇÃO BÁSICA Os Testes Rápidos de HIV e Sífilis são estratégias importantes para a melhoria da qualidade da atenção à gestante durante o pré-natal, por

Leia mais

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1

O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 O Perfil Dos Usuários Do Grupo De Apoio Às DST s E AIDS, Viçosa - MG 1 Talita da Conceição de Oliveira Fonseca. Economista Doméstica. Endereço: Rua João Valadares Gomes nº 210, bairro JK, Viçosa-MG. E-mail:

Leia mais

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica Rede Cegonha SUMÁRIO Apresentação... 05 1. Introdução... 07 2. Implantação dos Testes Rápidos de HIV e sífilis e Aconselhamento

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

PAM REVISADO/ABERTO PELO PROGRAMA NACIONAL

PAM REVISADO/ABERTO PELO PROGRAMA NACIONAL ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DO SUS Órgão: Secretaria de Estado da Saúde do Paraná CNPJ: 76.416.866/0001-40 Dirigente: Michele Caputo Neto Profissão: Secretario Estadual de Saúde RG: 048149-6 SSPPr CPF:

Leia mais

Panorama da Saúde Mental no Estado de São Paulo: leitos psiquiátricos e assistência extra-hospitalar

Panorama da Saúde Mental no Estado de São Paulo: leitos psiquiátricos e assistência extra-hospitalar Panorama da Saúde Mental no Estado de São Paulo: leitos psiquiátricos e assistência extra-hospitalar Marcelo C. Zappitelli (1) Eliana C. Gonçalves (2) Ionira Mosca (3) Introdução O Estado de São Paulo

Leia mais

Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro

Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro Perguntas e respostas baseadas nas videoconferências dos dias 8, 9 e 15 de fevereiro 1 - Qual será o cronograma do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais para as próximas videoconferências sobre

Leia mais

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA OBJETIVO: MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA REDE CEGONHA NOME DO INDICADOR DEFINIÇÃO INTERPRETAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULO cadastradas

Leia mais

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013

Seminário estratégico de enfrentamento da. Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS. Maio, 2013 Seminário estratégico de enfrentamento da Tuberculose e Aids no Estado do Rio de Janeiro PACTUAÇÃO COM GESTORES MUNICIPAIS Maio, 2013 1.Detecção de casos e tratamento da tuberculose 1.1. Descentralizar

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

Eliminação da Transmissão Vertical do HIV Compromisso de todos nós

Eliminação da Transmissão Vertical do HIV Compromisso de todos nós GUIA DE REFERÊNCIAS TÉCNICAS E PROGRAMÁTICAS PARA ELIMINAÇÃO DA TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV Eliminação da Transmissão Vertical do HIV Compromisso de todos nós Centro de Referência e Treinamento DST/Aids-SP

Leia mais

Ficha catalográfica. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO, C.R.T. DST/AIDS. C.V.E., Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, 2013

Ficha catalográfica. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO, C.R.T. DST/AIDS. C.V.E., Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, 2013 AIDS DST BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO C.R.T.. DST/AIDS. C.V.E.. ANO XXX - Nº 1. 2013 Veja estas e outras publicações em: issuu.com/crtdstaidsspcrtaids/docs Encontre um serviço perto de você #tireopesodaduvida

Leia mais

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP

CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP CRT DST/Aids Coordenação Estadual DST/Aids SP 2012 6º Objetivo de Desenvolvimento do Milênio COMBATER O HIV/AIDS, A MALÁRIA E OUTRAS DOENÇAS A inclusão do combate ao HIV/Aids nas Metas do Milênio, foi

Leia mais

Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos. Tuberculose e HIV/Aids no Brasil

Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos. Tuberculose e HIV/Aids no Brasil Impacto da infecção pelo HIV nas ações de controle de TB grandes centros urbanos III Encontro Nacional de Tuberculose Salvador - Bahia 21 de junho/28 Leda Fátima Jamal Centro de Referência e Treinamento

Leia mais

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante

Prefeitura Municipal de Venda Nova do Imigrante INTRODUÇÃO II - DO OBJETO E DESCRIÇÃO DOS PRODUTOS III - DOTAÇÃO ORÇAMENTÁRIA IV - DAS CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO V - DO RECEBIMENTO DA DOCUMENTAÇÃO E DA PROPOST VI - ABERTURA DOS ENVELOPES VII - DA DOCUMENTAÇÃO

Leia mais

Avaliação do grau de implementação do programa de controle de transmissão vertical do HIV em maternidades do Projeto Nascer

Avaliação do grau de implementação do programa de controle de transmissão vertical do HIV em maternidades do Projeto Nascer Avaliação do grau de implementação do programa de controle de transmissão vertical do HIV em maternidades do Projeto Nascer 1 CRÉDITOS Elaboração do relatório Elizabeth Moreira dos Santos (ENSP/FIOCRUZ)

Leia mais

PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PLANO PARA FINANCIAMENTO DAS AÇÕES EM HIV/AIDS E OUTRAS DST ATRAVÉS DE TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FUNDO A FUNDO NA FORMA DE INCENTIVO/SUS PARA O ESTADO DO ESPÍRITO SANTO NO PERÍODO DE ABRIL/05 A MARÇO/06

Leia mais

POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002

POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002 POLÍTICA BRASILEIRA DE AIDS PRINCIPAIS RESULTADOS E AVANÇOS 1994 2002 PREVENÇÃO ASSISTÊNCIA E TRATAMENTO DIREITOS HUMANOS COOPERAÇÃO INTERNACIONAL DESAFIOS PREVENÇÃO Mais de 30 campanhas de massa para

Leia mais

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR Enfª Dda. Verginia Rossato Enfª Danieli Bandeira Santa Maria, 2012 Portaria GM/MS nº 2529, de 23 de novembro de 2004 Institui o Subsistema Nacional de Vigilância

Leia mais

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL. Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL. Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO PRÉ-NATAL Profª.Marília da Glória Martins Recomendações do Ministério da Saúde Abordagem inicial a Os serviços que hoje são considerados porta de entrada para o diagnóstico

Leia mais

Aconselhamento não é dar conselhos! Como fazer o aconselhamento? A importância do teste anti-hiv e do aconselhamento nas Unidades Básicas de Saúde

Aconselhamento não é dar conselhos! Como fazer o aconselhamento? A importância do teste anti-hiv e do aconselhamento nas Unidades Básicas de Saúde Sumário 05 07 07 07 09 10 12 12 12 14 17 17 17 18 19 19 21 21 Apresentação O que é aconselhamento? Aconselhamento não é dar conselhos! Como fazer o aconselhamento? A importância do teste anti-hiv e do

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS

ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS ORIENTAÇÕES SOBRE O SISTEMA DE MONITORAMENTO DA POLÍTICA DE INCENTIVO NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE DST/HIV/AIDS Brasília, janeiro de 2006 Expediente Presidente da República: Luiz Inácio Lula da Silva

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência e Treinamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis CRT-DST/ AIDS/ CCD

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência e Treinamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis CRT-DST/ AIDS/ CCD DELIBERAÇÃO CIB N O 61 PARA A DISTRIBUIÇÃO DO VALOR DO INCENTIVO FINANCEIRO BASEADA NA PORTARIA N O 3.276 de 26 de Dezembro de 2013 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Centro de Referência

Leia mais

O papel das Organizações do Movimento Negro no enfrentamento da epidemia. RAQUEL SOUZAS

O papel das Organizações do Movimento Negro no enfrentamento da epidemia. RAQUEL SOUZAS O papel das Organizações do Movimento Negro no enfrentamento da epidemia. RAQUEL SOUZAS O processo de construção da informação a partir do quesito cor O Movimento( DE MULHERES) NEGRO(AS) e a Saúde DIRETOS

Leia mais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Mortalidade Minas Gerais Janeiro a Outubro 2013 1 Óbitos fetais 2076 Óbitos

Leia mais

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA

O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA O ACONSELHAMENTO NO HIV EM UMA COMUNIDADE COMO MEDIDA PREVENTIVA Zardo L*¹ Silva CL*² Zarpellon LD*³ Cabral LPA* 4 Resumo O Vírus da Imunodeficiência humana (HIV) é um retrovírus que ataca o sistema imunológico.através

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E TRANSPLANTE DE FÍGADO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E TRANSPLANTE DE FÍGADO TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E TRANSPLANTE DE FÍGADO FÁBIO DE BARROS CORREIA GOMES Consultor Legislativo da Área XVI Saúde Pública, Sanitarismo MAIO/2009 Fábio de Barros Correia Gomes 2 SUMÁRIO 1. Introdução...3

Leia mais

SÍFILIS: CONTEXTO ATUAL E ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO

SÍFILIS: CONTEXTO ATUAL E ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO DIA NACIONAL DE COMBATE A SÍFILIS 2014 BAHIA - 9ª Edição Ministério Público do Estado da Bahia, 06 de novembro de 2014 SÍFILIS: CONTEXTO ATUAL E ESTRATÉGIAS DE ENFRENTAMENTO Roberto Fontes Hospital Geral

Leia mais

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS A prática do aconselhamento desempenha um papel importante no diagnóstico da infecção pelo HIV/ outras DST e na qualidade da atenção à saúde. Contribui para a promoção

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº. 12/DIVE/SUV/SES/2014

NOTA TÉCNICA Nº. 12/DIVE/SUV/SES/2014 GOVENO DE SANTA CATAINA Secretaria de Estado da Saúde Sistema Único de Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Diretoria de Vigilância Epidemiológica NOTA TÉCNICA Nº. 12/DIVE/SUV/SES/2014 Assunto:

Leia mais

DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS

DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS DIRETORIA DE UNIDADE DE VIGILÂNCIA E ATENÇÃO À SAÚDE DUVAS GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE DOENÇAS TRANSMISSIVEIS SUPERVISÃO DE DST E AIDS PLANO ESTADUAL DE COMBATE A FEMINIZAÇÃO DA AIDS (PROPOSTA

Leia mais

MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS

MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 7 nº 1 Março 2006 MORTALIDADE POR CÂNCER COLORRETAL NO ESTADO: 2º ENTRE AS MULHERES E 4º ENTRE OS HOMENS Com o aumento da expectativa de vida,

Leia mais

Regulamenta o uso de testes rápidos para diagnóstico da infecção pelo HIV em situações especiais.

Regulamenta o uso de testes rápidos para diagnóstico da infecção pelo HIV em situações especiais. ATUALIZAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DO DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DO HIV PORT 151/OUT 2009 Lúcia Sena Farmacêutica-Bioquímica do Programa de DST/AIDS do município de Duque de Caxias HISTÓRICO Diagnóstico Laboratorial

Leia mais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais

Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Incentivo às Ações de Vigilância, Prevenção e Controle das DST, Aids e Hepatites Virais Departamento DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde www.aids.gov.br Maio/2014

Leia mais

Informes dos Membros da CNAIDS

Informes dos Membros da CNAIDS Informes dos Membros da CNAIDS 119ª Reunião da Comissão Nacional de DST, AIDS e Hepatites Virais Local: Brasília-DF Data: 26 de agosto de 2014 Capacitações Regionais do Projeto Advocacy em Saúde (PAS)

Leia mais

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.

Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov. Diagnóstico Tardio do HIV em Crianças e Adolescentes Nascidas de mães Portadoras do HIV" Programa Estadual de DST/AIDS-SP www.crt.saude.sp.gov.br Casos notificados de AIDS, Brasil e São Paulo - 1980 a

Leia mais

Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC

Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC Coordenadoria de Planejamento de Saúde Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC Área Técnica da Saúde da Mulher SES/SP Rossana Pulcineli Vieira Francisco - Assessora Técnica

Leia mais

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1

Resumo do Perfil epidemiológico por regiões. HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 SAÚDE 1 Resumo do Perfil epidemiológico por regiões HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 Resumo do perfil epidemiológico por regiões SAÚDE 1 HIV e Aids no Município de São Paulo 2014 APRESENTAçÃO Hoje, no

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR

A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS. SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR A POLÍTICA DE DST/AIDS NA VISÃO DE UM TRABALHADOR DO SUS SORAIA REDA GILBER Farmacêutica Bioquímica LACEN PR BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO DA AIDS NO BRASIL Desde o início de 1980 até junho de 2012 foram registrados

Leia mais

PLANEJANDO A GRAVIDEZ

PLANEJANDO A GRAVIDEZ dicas POSITHIVAS PLANEJANDO A GRAVIDEZ Uma pessoa que vive com HIV/aids pode ter filhos biológicos? Pode. As pessoas que vivem com HIV/aids não devem abandonar seus sonhos, incluindo o desejo de construir

Leia mais

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc.

Arquivos de definição: aidsw.def (aids adulto) e aidscw.def (aids criança) Base de dados: Iaids.DBF (aids adulto) e Iaidsc. AIDS Para construir série histórica de alguns indicadores epidemiológicos e operacionais referentes a casos de aids adulto e criança anteriores ao ano de 2007, incluídos no SinanW, deve-se utilizar os

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Puerpério Imediato Acompanhamento da puérpera HIV* 1. Inibir a lactação através do enfaixamento das mamas com ataduras ou comprimindo-as com um top e evitando, com isso,

Leia mais

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006

Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Atraso na introdução da terapia anti-retroviral em pacientes infectados pelo HIV. Brasil, 2003-2006 Paulo Roberto Borges de Souza-Jr Célia Landmann Szwarcwald Euclides Ayres de Castilho A Terapia ARV no

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE. Luiz Roberto Barradas Barata. Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE. Luiz Roberto Barradas Barata. Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE Luiz Roberto Barradas Barata Secretário Estadual de Saúde COORDENADORIA DE CONTROLE DE DOENÇAS Clélia Maria S.S. Aranda Coordenadora COORDENAÇÃO DO PROGRAMA ESTADUAL DE DST/

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

Rede de Reabilitação Lucy Montoro

Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Rede de Reabilitação Lucy Montoro Implantar, Padronizar e Sistematizar uma rede hierarquizada e descentralizada, dentro dos parâmetros do SUS, de atendimento em reabilitação

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2009 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2010 2010. Ministério

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que

Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que estava em tratamento para tuberculose. A mulher informa que

Leia mais

SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01

SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS. BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01 SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO DE ALAGOAS BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS/DST E HEPATITES VIRAIS Ano III nº 01 1 2013. Secretária de Saúde do Estado de Alagoas É permitida a reprodução parcial ou total desta

Leia mais

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01

B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST. ano VIII nº 01 B O L E T I M EPIDEMIOLÓGICO ISSN 1517 1159 AIDS DST ano VIII nº 01 27ª a 52ª semanas epidemiológicas - julho a dezembro de 2010 01ª a 26ª semanas epidemiológicas - janeiro a junho de 2011 2012. Ministério

Leia mais

Cenários desiguais. HIV/Aids

Cenários desiguais. HIV/Aids HIV/Aids 53 Cenários desiguais O País avança na redução do número de crianças que nascem com HIV, mas a atenção às que perdem os pais em decorrência da epidemia ainda está em estágio inicial A Aids afeta

Leia mais

ACESSO A MEDICAMENTOS DO COMPONENTE ESPECIALIZADO DO SUS-SP

ACESSO A MEDICAMENTOS DO COMPONENTE ESPECIALIZADO DO SUS-SP XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO III MOSTRA DE EXPERIÊNCIAS REGIONAIS DESAFIOS DA GESTÃO MUNICIPAL DO SUS NA ARTICULAÇÃO COM ESTADO E UNIÃO ACESSO A MEDICAMENTOS

Leia mais

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO

REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO REDES DE ATENDIMENTO NO ESTADO DE SÃO PAULO SANTA CASA SUSTENTÁVEL wpollara@saude.sp.gov.br 3% 97% Km 2 21% Estado de São Paulo 79% BRASIL 33% 67% $ São Paulo 44% da Alta Complexidade Do Brasil + 8.514.876

Leia mais

VIGILÂNCIA DA SÍFILIS CONGÊNITA: IMPACTO DAS MEDIDAS ADOTADAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO.

VIGILÂNCIA DA SÍFILIS CONGÊNITA: IMPACTO DAS MEDIDAS ADOTADAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. VIGILÂNCIA DA SÍFILIS CONGÊNITA: IMPACTO DAS MEDIDAS ADOTADAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO. Verginia Medianeira Dallago Rossato José Luís Guedes dos Santos Carlos André Aita Schmitz Natália Garlet Alexandre

Leia mais

Testes Rápidos de HIV e Sífilis

Testes Rápidos de HIV e Sífilis Testes Rápidos de HIV e Sífilis Videoconferência Nº 04 Ministério da Saúde Outubro de 2012 PRÉ-NATAL A partir da adesão dos municípios, recursos para: TODAS AS GESTANTES Ultrassonografia 100% das gestantes

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS

PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS PLANO ESTADUAL DE ENFRENTAMENTO DA FEMINIZAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS DE GOIÁS Diagnóstico Operacionalização do Plano Estadual Contexto de vulnerabilidade 1. Relações desiguais de gênero Ações governamentais

Leia mais

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO

Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO Sumario de Assuntos por Boletim Epidemiológico AGRAVO NÚMERO DO BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO AIDS 3-4 - 13-14 - 17-18 - 28-34 - 36-38 - 42-44 - 45 Cobertura Vacinal 7-8 - 9-10 - 12-14 - 16-18 - 19-22 - 23-25

Leia mais

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município. (Guia do gestor)

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município. (Guia do gestor) Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município (Guia do gestor) Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município (Guia do Gestor) Realização Fundo das

Leia mais

MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA DAS PVHIVAIDS

MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA DAS PVHIVAIDS SERVIÇO DE ASSISTÊNCIA ESPECIALIZADA ÀS DST/AIDS/HEPATITES E OUTRAS DOENÇAS INFECTO-CONTAGIOSAS CONTAGIOSAS QUALIDADE DA ASSISTÊNCIA E DA REDE BASICA E ESPECIALIZADA FORTALECIMENTO DA REDE DE APOIO MELHORAR

Leia mais

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município Realização Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) Marie-Pierre Poirier Representante do UNICEF no Brasil Escritório da

Leia mais

Manual normativo para profissionais de saúde de maternidades - referência para mulheres que não podem amamentar

Manual normativo para profissionais de saúde de maternidades - referência para mulheres que não podem amamentar Ministério Da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Secretaria de Atenção à saúdebrasília, maio de 2004 Manual normativo para profissionais de saúde de maternidades - referência para mulheres que não

Leia mais

Prevenção da transmissão do HIV. Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids

Prevenção da transmissão do HIV. Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids Prevenção da transmissão do HIV Fórum científico de Infecção pelo HIV/Aids Transmissão sexual Fundamentos A avaliação de risco para Infecção pelo HIV deve ser um componente essencial das ações de atendimento

Leia mais

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde

LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado. EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador. CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LUIZ HENRIQUE DA SILVEIRA Governador do Estado EDUARDO PINHO MOREIRA Vice-Governador CARMEM EMÍLIA BONFÁ ZANOTTO Secretária de Estado da Saúde LESTER PEREIRA Diretor Geral WINSTON LUIZ ZOMKOWSKI Superintendente

Leia mais

Protocolo para a prevenção de transmissão vertical de HIV e sífilis MANUAL DE BOLSO

Protocolo para a prevenção de transmissão vertical de HIV e sífilis MANUAL DE BOLSO Protocolo para a prevenção de transmissão vertical de HIV e sífilis MANUAL DE BOLSO Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Programa Nacional de DST e Aids Protocolo para a prevenção de

Leia mais

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município

Como prevenir a transmissão vertical do HIV e da sífilis no seu município O QUE É SÍFILIS? A sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST), causada por um agente infeccioso chamado Treponema pallidum. Essa doença pode ser transmitida por qualquer forma de contato sexual

Leia mais

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil.

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. É legal saber! Gravidez Transar uma única vez, pode engravidar? Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. Minha menstruação na desceu. Estou grávida? Depende. É importante cada mulher

Leia mais

Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda

Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda Hepatites virais no Brasil: situação, ações e agenda Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde I. Apresentação II. Contexto epidemiológico III.

Leia mais

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010

Briefing. Boletim Epidemiológico 2010 Briefing Boletim Epidemiológico 2010 1. HIV Estimativa de infectados pelo HIV (2006): 630.000 Prevalência da infecção (15 a 49 anos): 0,61 % Fem. 0,41% Masc. 0,82% 2. Números gerais da aids * Casos acumulados

Leia mais