UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DA ARTE - TURMA 2015 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EMENTAS DOS CURSOS Arte e Cultura Luiz Felipe Ferreira A construção do conceito de cultura. Cultura: um saber específico a um campo de atribuição de significados. Etnocentrismo, relativismo cultural e alteridade. Cultura e culturas: o dilema da unidade humana e a diversidade de comportamento. Respeito à diferença e a valorização da pluralidade cultural. A cultura e o estado da arte: natureza do objeto; a estética como expressão de cultura. A arte e seu contexto social de produção e fruição. Um panorama da História do artesanato no Brasil; folclore e seus desdobramentos e perspectivas conceituais; os modernistas e a descoberta do popular. Arte, arte popular e artesanato: a construção dessas categorias na relação com os diversos domínios sociais. A inserção do popular no universo artístico. Arte e Cultura II A construção do conceito de cultura. Cultura: um saber específico a um campo de atribuição de significados. Etnocentrismo, relativismo cultural e alteridade. Cultura e culturas: o dilema da unidade humana e a diversidade de comportamento. Respeito à diferença e a valorização da pluralidade cultural. A cultura e o estado da arte: natureza do objeto; a estética como expressão de cultura. A arte e seu contexto social de produção e fruição. Um panorama da História do artesanato no Brasil; folclore e seus desdobramentos e perspectivas conceituais; os modernistas e a descoberta do popular. Arte, arte popular e artesanato: a construção dessas categorias na relação com os diversos domínios sociais. A inserção do popular no universo artístico.

2 Artes Visuais: Poéticas e Procedimentos: Corpo e Arte O eixo temático O corpo e suas poéticas servirá aqui como base reflexiva para uma discussão sobre uma pedagogia da arte livre de dicotomias e em consonância com as produções estéticas presentes nas artes do século XX-XXI. O curso discutirá os processos de hibridação da arte a partir da influência do Neoconcretismo e de outras correntes artísticas no Brasil e no exterior. Visa articular esses saberes ao campo específico da educação, ampliando o debate sobre a recepção da obra de arte na contemporaneidade, suas mediações e freqüências junto aos sistemas culturais, assim como seus efeitos estéticos sobre os educandos de diferentes estratos sócio-culturais. O curso proporá canais de experimentação com as linguagens da dança e da performance, incentivando a criação de proposições híbridas no campo do ensino da arte. Procurará investigar também as interfaces entre corpo, visualidade e tecnologia nos processos de composição artística na pós-modernidade. Artes Visuais: Poéticas e Procedimentos: Corpo e Arte II O eixo temático O corpo e suas poéticas servirá aqui como base reflexiva para uma discussão sobre uma pedagogia da arte livre de dicotomias e em consonância com as produções estéticas presentes nas artes do século XX-XXI. O curso discutirá os processos de hibridação da arte a partir da influência do Neoconcretismo e de outras correntes artísticas no Brasil e no exterior. Visa articular esses saberes ao campo específico da educação, ampliando o debate sobre a recepção da obra de arte na contemporaneidade, suas mediações e freqüências junto aos sistemas culturais, assim como seus efeitos estéticos sobre os educandos de diferentes estratos sócio-culturais. O curso proporá canais de experimentação com as linguagens da dança e da performance, incentivando a criação de proposições híbridas no campo do ensino da arte. Procurará investigar também as interfaces entre corpo, visualidade e tecnologia nos processos de composição artística na pós-modernidade. Currículo em Artes Visuais: Atualidade e Desafios Os sentidos e as possibilidades da metodologia de ensino da arte: teorias e práticas. As finalidades dos conhecimentos das artes visuais na educação básica. Investigação das produções estéticas emergentes dos diversos circuitos socioculturais da cidade; investigação de possibilidades curriculares que zelem pelo entrelaçamento entre a arte, o desenvolvimento social e a formação da cidadania. Estudo das relações arte/institucionalidade aplicados ao campo específico da educação e o questionamento das ações educativas dos equipamentos culturais da cidade e o papel dos mediadores e professores na abordagem crítica sobre o lugar de pertencimento das culturas. As energias epistêmicas das estéticas periferizadas. Currículo em Artes Visuais: Atualidade e Desafios II Filho Os sentidos e as possibilidades da metodologia de ensino da arte: teorias e práticas. As finalidades dos conhecimentos das artes visuais na educação básica. Investigação das produções estéticas emergentes dos diversos circuitos socioculturais da cidade; investigação de possibilidades curriculares que zelem pelo entrelaçamento entre a arte, o desenvolvimento social e a formação da cidadania. Estudo das relações

3 arte/institucionalidade aplicados ao campo específico da educação e o questionamento das ações educativas dos equipamentos culturais da cidade e o papel dos mediadores e professores na abordagem crítica sobre o lugar de pertencimento das culturas. As energias epistêmicas das estéticas periferizadas. Espaço I Leila Danziger Malu Fatorelli Produção e análise de objetos tridimensionais. Exercícios de produção plástica experimental com técnicas variadas. Estudo dos materiais tradicionais e não tradicionais em termos de suas qualidades intrínsecas, seu comportamento no espaço físico, suas interações e seu potencial na expressão plástica. Espaço II Leila Danziger Malu Fatorelli Realização de exercícios práticos, leitura de textos e discussões. Análise e acompanhamento da produção dos alunos, relacionado-a com a produção contemporânea e refletindo sobre o esgarçamento de seus limites. Mídias Futuras I Tania Queiroz Arte e tecnologia como provocadora de novas questões para o pensamento, novas experiências artísticas, novos olhares e novas formas de expressão e novas formas de produção de subjetividades. Os movimentos artísticos que potencializaram a tecnologia como arte. O diálogo das poéticas fundadas em meios tecnológicos com a história e a tradição. A produção experimental de vídeo, ao videoarte; a vídeoinstalação e webarte. As experiências de imersividade e interatividade na arte. Mídias Futuras II Tania Queiroz As escolas clássicas de cinema, suas sintaxes e as relações com o pensamento. A história da fotografia, seus desenvolvimentos físico e químico até a fotografia digital. As diversas teorias e pensamentos produzidos sobre e a partir da fotografia. A passagem para o cinema moderno, o cinema como uma potência virtual do real. Cinema, fotografia, vanguardas e experimentações. Relações, interseções e contaminações com as novas mídias e tecnologias: vídeo, imagem digital, webarte. Plano I Cristina de Pádula João Modé Experimentação com base em propostas e exercícios que visem problematizar as principais questões da produção bidimensional, em especial do desenho e da pintura. Explorar, através de exercícios realizados em sala, a potencialidade de linhas, planos, volumes, cores, materiais. Utilizar diversos recursos e técnicas buscando uma

4 experiência ampla dentro de uma perspectiva contemporânea. Analisar obras produzidas em meios diversos desde a tradição até a arte contemporânea. Plano II Cadu Cristina de Pádula Experimentar com base em propostas e exercícios que visem problematizar as principais questões da produção em gravura e a sua inserção no contexto da arte contemporânea. Explorar, através de exercícios, a preparação e impressão da matriz litográfica e digital; a xilogravura e a gravura em metal; os diferentes procedimentos em serigrafia. Utilizar Diversos recursos e explorar os limites da técnica buscando uma experiência ampla dentro de uma perspectiva contemporânea. Analisar as obras produzidas em meios diversos desde a tradição até a arte contemporânea. Teoria e Arte A partir da discussão do legado das investigações artísticas produzidas em 1960 e 1970, que terminaram por promover um claro processo de ampliação do campo da arte e incitaram gradativamente a presença cada vez mais potente de um viés conceitual nas proposições contemporâneas, o curso buscará expor e problematizar alguns trabalhos e artistas Paradigmáticos para que possamos nos aproximar (ou achar que estamos nos aproximando) daquilo que entendemos como arte contemporânea. A associação livre de referências e a abdicação de uma ingênua (e fadada ao fracasso) linearidade histórica servirá de carta de navegação para o processo. Teoria e Arte Análise das transformações e reverberações da arte no final do século xix e da primeira metade do século xx. Investigação dos processos de ruptura propostos à estruturação clássica, no que se refere à construção do espaço pictórico, da mesma maneira que à construção de uma narrativa (em um sentido mais superficial). Discussão da abordagem formalista do trabalho de arte e de seus utópicos ideais de pureza, planaridade e autocrítica. Investigação e debate sobre outras possibilidades de abordagem do legado modernista, considerando a fortuna crítica que surge como um caminho paralelo à herança greenberguiana. Promoção de uma reflexão aprofundada sobre as imbricadas relações entre o Brasil modernista e o cenário internacional. Monografia Luiz Felipe Ferreira

5 Ativar sentidos ao trabalho de pesquisa docente para fins de formatação de uma monografia. Possibilitar instrumentos tanto teóricos, quanto de análise crítica e de ações de campo com vistas à integralização do curso. A combinar entre o orientando e seu orientador.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - INSTITUTO DE ARTES ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENSINO DA ARTE - TURMA 2015/2 PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EMENTAS DOS CURSOS

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS Currículo nº 2

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS Currículo nº 2 CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS Turno: VESPERTINO Currículo nº 2 Reconhecido pelo Decreto nº. 3595, de 14.10.08, D.O.E. nº 7.827 de 14.10.08, e complementação do reconhecimento pelo Decreto nº.

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS Turno: VESPERTINO Autorizado pela Resolução UNIV. nº 25, de16 de setembro de 2002. Para completar o currículo pleno do curso superior de graduação em Licenciatura

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/

GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/ GRADE CURRICULAR DO BACHARELADO INTERDISCIPLINAREM ARTES E DESIGN http://www.ufjf.br/biad/ ESTRUTURA CURRICULAR DO 1º CICLO Bacharelado interdisciplinar em Artes e Design 3 anos Componentes curriculares

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em seis encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da

Leia mais

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 1. Enquadramento O Serviço Educativo da Casa das Histórias Paula Rego é entendido como um sector de programação que visa uma mediação significativa entre

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA OBJETIVOS Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: INFORMÁTICA FORMA/GRAU:( X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA DISCIPLINA AUDIOVISUAL DA ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO 1. AUDIOVISUAL NO ENSINO MÉDIO O audiovisual tem como finalidade realizar-se como crítica da cultura,

Leia mais

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu).

CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento europeu). 43 RELAÇÃO DE EMENTAS CURSO: ARTES VISUAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINA: Artes Visuais I CÓDIGO: APL008 Concepções e manifestações artísticas da pré-história ao início da idade moderna. (renascimento

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória

O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória O uso do desenho e da gravura sobre fotografia como práxis poética da memória Vinicius Borges FIGUEIREDO; José César Teatini CLÍMACO Programa de pós-graduação em Arte e Cultura Visual FAV/UFG viniciusfigueiredo.arte@gmail.com

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

ampliação dos significados. conhecedor fruidor decodificador da obra de arte

ampliação dos significados. conhecedor fruidor decodificador da obra de arte Comunicação O ENSINO DAS ARTES VISUAIS NO CONTEXTO INTERDISCIPLINAR DA ESCOLA ALMEIDA, Maria Angélica Durães Mendes de VASONE, Tania Abrahão SARMENTO, Colégio Hugo Palavras-chave: Artes visuais Interdisciplinaridade

Leia mais

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS.

LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. LENDO IMAGENS A PARTIR DE PROPOSTAS DE AÇÃO EDUCATIVA EM EVENTOS DE ARTE CONTEMPORÂNEA EM GOIÁS. ARAÚJO, Haroldo de 1; Prof.Dr. Costa, Luis Edegar de Oliveira 2;. Palavras chaves: Arte contemporânea; curadoria;

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO. Relatório Perfil Curricular CICLO GERAL OU CICLO BÁSICO AR081- FOLCLORE BRASILEIRO OBRIGATÓRIO 1 30 30 60 3 Fórmula: AR280 AR280- FOLCLORE BRASILEIRO FOLCLORE, ORIGENS, CAMPOS DE ATUAÇÃO E INTERLIGAÇÃO COM OUTRAS CIÊNCIAS, INFLUÊNCIA

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 24/01/2013 14:53. Centro de Ciências da Educação

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Currículo 24/01/2013 14:53. Centro de Ciências da Educação // :5 Centro de Ciências da Educação Curso: 6 Artes Visuais (Noturno) Currículo: / ART.7.-8 Arte e Cultura Popular Brasileira I Ementa: Conceito de cultura. Elementos formadores da cultura popular brasileira.

Leia mais

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos.

Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. Design gráfico: Programas de Disciplinas e Seus Componentes Pedagógicos. 1º PERÍODO Área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas DISCILINA: Metodologia Científica CARGA CÓDIGO CRÉDITOS HORÁRIA H11900 04

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL. DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO ARTE OBJETIVOS GERAIS Conhecimento da Arte enquanto auto expressão e conhecimento, apreensão e comunicação

Leia mais

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Claudia Maria da Cruz Consultora Educacional FEVEREIRO/2015 CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A ênfase na operacionalização escrita dos documentos curriculares municipais é

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. APRESENTAÇÃO Este curso, que ora apresentamos, insere-se como mais uma ação na perspectiva da formação do educador e destina-se a especializar

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Centro de Comunicação e Letras Curso de Propaganda, Publicidade e Criação PLANO DE ENSINO PLANO DE ENSINO CÓDIGO UNIDADE 042 CENTRO DE COMUNICAÇÃO E LETRAS CÓD. CURSO CURSO PROPAGANDA, PUBLICIDADE E CRIAÇÃO CÓD. DISC. DISCIPLINA 34033408 ARTE BRASILEIRA II CRÉDITOS ETAPA 3 Período CH ANO 2009

Leia mais

PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS

PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS PROJETO ATIVIDADES ARTÍSTICAS/CRIATIVAS CONSULTORIA PEDAGÓGICA: Prof. Dr. Lutiere Dalla Valle Professor da Universidade Federal de Santa Maria atua na formação de professores de artes visuais e artistas

Leia mais

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS

GRUPO FRESTAS: FORMAÇÃO E RESSIGNIFICAÇÃO DO EDUCADOR: SABERES, TROCA, ARTE E SENTIDOS Eixo: Políticas para a Infância e Formação de Professores Contempla as produções acadêmico-científicas que tratam de ações políticas e legislações referentes à Educação Infantil e a infância. Aborda pesquisas

Leia mais

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA

Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Câmpus de Bauru PLANO DE DISCIPLINA PLANO DE DISCIPLINA 1. UNIDADE: Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação 2. PROGRAMA: Pós-graduação em Televisão Digital: Informação e Conhecimento 3. NÍVEL: Mestrado Profissional 4. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE LICENCIATURA EM DANÇA Coordenadora do Curso: Prof a Maria Cláudia Alves Guimarães IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA

FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA FACCAMP FACULDADE CAMPO LIMPO PAULISTA COORDENADORIA DE EXTENSÃO E PESQUISA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ARTE-EDUCAÇÃO 1. Nome do Curso e Área do Conhecimento Curso de Especialização Lato Sensu

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS

LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS LISTA DE PONTOS CAMPO DAS HUMANIDADES: SABERES E PRÁTICAS 1. As humanidades e suas repercussões sobre o pluralismo cultural 2. Humanidades e ciências: o debate transcultural em contextos plurais 3. Pedagogias

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS AUTORIZAÇÃO: Decreto Federal nº 73.259/73 RECONHECIMENTO: Decreto Estadual nº 711/2011 PERÍODO DE CONCLUSÃO: Mínimo: 4 anos / Máximo: 7 anos NÚMERO DE VAGAS: 20 vagas

Leia mais

CURSO DE POS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL

CURSO DE POS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL CURSO DE POS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EM FOTOGRAFIA DIGITAL INFORMAÇÕES GERAIS: Em um mercado como o Brasil, país com um enorme potencial de profissionais criativos, fotógrafos sem uma formação adequada, além

Leia mais

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais)

Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) UFPR SETOR DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA EMENTAS DAS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Ementas aprovadas nos Departamentos (as disciplinas obrigatórias semestrais estão indicadas; as demais são anuais) 1º ANO

Leia mais

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto

PROJETO 7. 1. Identificação do projeto PROJETO 7 1. Identificação do projeto Título:Cinema, vídeo e tridimensionalidade: o AVA-AV na integração do ensino presencial e a distância. Responsável:Dra. Ana Zeferina Ferreira Maio Vínculo institucional:professora

Leia mais

EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM

EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM Resumo: SALA DE AULA Mariza Barbosa de Oliveira mariza.barbosa.oliveira@gmail.com Escola Municipal Professor Eurico Silva As experiências relatadas

Leia mais

Transcinema é o cinema situação, ou seja, um cinema que experimenta novas arquiteturas, novas narrativas e novas estratégias de interação.

Transcinema é o cinema situação, ou seja, um cinema que experimenta novas arquiteturas, novas narrativas e novas estratégias de interação. Transcinema e a estética da interrupção Kátia Maciel Transcinema é o cinema situação, ou seja, um cinema que experimenta novas arquiteturas, novas narrativas e novas estratégias de interação. Se o cinema

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

FOTOGRAFIA: Uma experiência entre arte e vida

FOTOGRAFIA: Uma experiência entre arte e vida FOTOGRAFIA: Uma experiência entre arte e vida Mariete Taschetto Uberti 1 Resumo: A proposição deste ensaio originou-se de um projeto desenvolvido junto a uma turma de 7º ano, de uma Escola Rural de Ensino

Leia mais

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB ANDRADE, Luciene de 1 BARBOSA,Jamylli da Costa 2 FERREIRA, Jalmira Linhares Damasceno 3 SANTOS,

Leia mais

O Curso de História da Arte na Universidade Federal de São Paulo

O Curso de História da Arte na Universidade Federal de São Paulo O Curso de História da Arte na Universidade Federal de São Paulo Jens Baumgarten UNIFESP Resumo O artigo apresenta o projeto acadêmico-intelectual do novo curso de graduação de História da Arte na Universidade

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456

RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 5 a 8 de outubro, 2009 451 RESUMOS SIMPLES...452 RELATOS DE EXPERIÊNCIAS...454 RESUMOS DE PROJETOS...456 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

SEM. CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ-REQUISITOS

SEM. CÓDIGO DISCIPLINAS PRÉ-REQUISITOS Curso de Letras Habilitação Português/Inglês Currículo 2010/01 Reconhecido pela Portaria Ministerial nº. 1.394, de 19/05/2004 Amparado pelo Decreto nº. 5773/2006, de 9/05/2006 Duração do Curso: 2.530h

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil

Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil Programa de Diálogo Intercultural para as Relações Étnico-Raciais da UNESCO no Brasil Bases Fundamentais Convenção para a proteção e promoção da diversidade das expressões culturais Consolida princípios

Leia mais

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima.

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima. Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público Alexia Melo Clebin Quirino Michel Brasil Gracielle Fonseca Rafaela Lima Satiro Saone O projeto Rede Jovem de Cidadania é uma iniciativa da Associação

Leia mais

EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Habilitação: Licenciatura em Arte Visual

EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Habilitação: Licenciatura em Arte Visual EDUCAÇÃO ARTÍSTICA Habilitação: Licenciatura em Arte Visual Criação Habilitação em Artes Plásticas: Resolução n.º 198, de 15.12.73, alterada a denominação da habilitação através da Resolução CEPE n.º 30,

Leia mais

Palavras-chave: formação continuada, educação básica, ensino de artes visuais.

Palavras-chave: formação continuada, educação básica, ensino de artes visuais. 4CCHLADAVPEX01 O ENSINO DE ARTES VISUAIS NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ALHANDRA: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA PARA OS PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL Cláudia Oliveira de Jesus (1); Adeílson França (1);

Leia mais

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL

A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL A ARTE DE PRODUZIR ARTE Professora: Márcia Roseli Ceretta Flôres professora de artes marciacerettaflores@yahoo.com.br ESCOLA MUNICIPAL FUNDAMENTAL JOÃO GOULART INTRODUÇÃO A arte apresenta uma forma de

Leia mais

Coordenadora do Curso: Profa. Maria das Vitórias Negreiros do Amaral

Coordenadora do Curso: Profa. Maria das Vitórias Negreiros do Amaral UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE ARTES VISUAIS Coordenadora do Curso: Profa. Maria das Vitórias Negreiros do Amaral IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. Denominação

Leia mais

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90.

Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4, 8, 32, 36, 72 e 90. porta aberta Nova edição Geografia 2º ao 5º ano O estudo das categorias lugar, paisagem e espaço tem prioridade nesta obra. 25383COL05 Conheça também! As demais disciplinas desta coleção nas páginas 4,

Leia mais

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA Soraia Cristina Cardoso Lelis soraia@aromata.com.br Escola de Educação Básica da UFU Relato de Experiência Palavras-chave: Patrimônio Histórico, Artes

Leia mais

Mais Cultura nas Escolas

Mais Cultura nas Escolas Mais Cultura nas Escolas O que é o Programa Mais Cultura nas Escolas? Projeto Andarilha das Letras, Circulação Literária/ FUNARTE É o encontro de projetos pedagógicos de escolas da rede pública com experiências

Leia mais

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP

ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP 1 ARCO-ÍRIS DE SABERES NA PRÁTICA EDUCATIVA: UMA EXPERIÊNCIA VIVENCIADA NO CURSO DE PEDAGOGIA DO IFESP Claudete da Silva Ferreira - IFESP Márcia Maria Alves de Assis - IFESP RESUMO Esta apresentação se

Leia mais

Estruturas curriculares dos Cursos de Cinema e Audiovisual no Brasil

Estruturas curriculares dos Cursos de Cinema e Audiovisual no Brasil Estruturas curriculares dos Cursos de Cinema e Audiovisual no Brasil Encontro Estruturas Curriculares do Curso de Rádio, TV e Internet no Brasil SOCICOM São Paulo, fevereiro 2014 Luciana Rodrigues Presidente

Leia mais

e-scrita ISSN 2177-6288

e-scrita ISSN 2177-6288 194 e-scrita ISSN 2177-6288 COMO LER IMAGENS? SANTAELLA, Lucia. Leitura de imagens. São Paulo. Melhoramentos. 2012. 184 p. (Coleção Como eu ensino). Rodrigo da Costa Araujo 1 Como ler imagens? Como elas

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 19-CEPE/UNICENTRO, DE 6 DE MARÇO DE 2009. Aprova o Curso de Especialização em Mercados Emergentes em Comunicação, modalidade modular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO. O

Leia mais

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA

Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas. Disciplina Prática de Ensino. Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Curso Educação Artística Habilitação: Artes Plásticas Disciplina Prática de Ensino Ano letivo 2011 Série 3ª Carga Horária 72 H/aula Professor(a) José Paulo de Assis Rocha JUSTIFICATIVA Assim como curadores

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE

CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN EDUCAÇÃO INFANTIL 2015 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL IV ARTE OBJETIVOS GERAIS Desenvolver o pensamento artístico, estético e crítico; Estimular a percepção visual e

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRICULO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Curso: Pedagogia Carga Horária: 36h Ano: 2011 Professor: José Paulo de Assis Rocha Plano de Ensino Disciplina: Arte e Educação Período: 1º ano Turno: noturno

Leia mais

ALDO VICTORIO FILHO Matrícula: 00346486 Carga Horária Contratual: 20 hs/sem

ALDO VICTORIO FILHO Matrícula: 00346486 Carga Horária Contratual: 20 hs/sem ALDO VICTORIO FILHO Matrícula: 00346486 Carga Horária Contratual: 20 hs/sem Metodologia do Ensino das Artes I 4 SEG - 19:35 às 20:20-20:20 às 21:05-21:10 às 21:55-21:55 às 22:40 Estágio Supervisionado

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE PEDAGOGIA (LICENCIATURA) 1. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades de

Leia mais

Tecnologia em. Design Gráfico

Tecnologia em. Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico CARREIRA O Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico oferece oportunidade para o trabalho profissional em diversas profissões relacionadas

Leia mais

Proposta Universidade Nova

Proposta Universidade Nova Proposta Universidade Nova Implantar, na rede de universidades públicas brasileiras, um regime curricular de três ciclos, visando à diversificação e racionalização dos modelos de formação profissional

Leia mais

Saberes da Docência Online

Saberes da Docência Online Saberes da Docência Online Edméa Santos Professora do PROPED-Faculdade de Educação da UERJ E-mail: mea2@uol.com.br Web-site: http://www.docenciaonline.pro.br/moodle http://www.proped..pro.br/moodle Fones

Leia mais

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro

O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo. Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro O lazer, a educação e o Programa Segundo Tempo Victor Melo, Angela Brêtas, Monica Monteiro Universidade Federal do Rio de Janeiro O que é lazer? Quando atuamos no âmbito do lazer podemos destacar dois

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO REFLEXÕES PEDAGÓGICAS SOBRE A DANÇA NO ENSINO MÉDIO Izabele Trindade Caldas (CALDAS I. T.) e Elaine Melo de Brito Costa (COSTA E. M. DE B.). Departamento de Educação Física Universidade Estadual da Paraíba

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL - HABILITAÇÃO JORNALISMO

GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL - HABILITAÇÃO JORNALISMO 1 GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL - HABILITAÇÃO JORNALISMO ESTRUTURA CURRICULAR O curso de Comunicação Social - habilitação Jornalismo será ofertado, preferencialmente, no turno matutino, terá a duração

Leia mais

Ciranda de Sons e Tons: experiências culturais na infância Gilvânia Maurício Dias de Pontes 1 UFRGS

Ciranda de Sons e Tons: experiências culturais na infância Gilvânia Maurício Dias de Pontes 1 UFRGS Ciranda de Sons e Tons: experiências culturais na infância Gilvânia Maurício Dias de Pontes 1 UFRGS Resumo. As crianças desde o seu nascimento estão imersas em uma cultura para qual, inevitavelmente, terão

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL CAPACITAR EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE Nº 01/2014

CENTRO EDUCACIONAL CAPACITAR EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE Nº 01/2014 CENTRO EDUCACIONAL CAPACITAR EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE Nº 01/2014 O CENTRO EDUCACIONAL CAPACITAR, conforme critérios específicos expressos no presente edital, torna público que ESTÃO ABERTAS

Leia mais

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP)

Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) Curso de especialização em Educação Matemática. Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) 1. Apresentação/Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado especialmente a alunos graduados

Leia mais

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente

Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente A Prova Docente: Breve Histórico Prova Nacional de Concurso para o Ingresso na Carreira Docente Instituída pela Portaria Normativa nº 3, de

Leia mais

Design Manual do curso

Design Manual do curso Design Manual do curso Informações gerais INFORMAÇÕES GERAIS Nome: curso de Design, bacharelado Código do currículo: 2130 Nível: curso superior de graduação Início: o curso de Design com habilitação em

Leia mais

IMAGEM EM CENA E O CORPO QUE DANÇA: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA ALÉM DA SALA DE AULA

IMAGEM EM CENA E O CORPO QUE DANÇA: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA ALÉM DA SALA DE AULA IMAGEM EM CENA E O CORPO QUE DANÇA: EXPERIÊNCIA ESTÉTICA ALÉM DA SALA DE AULA RESUMO Lana Costa Faria* Esta experiência traz como reflexão o universo da dança tendo como base a prática pedagógica vivenciada

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

Educação em Direitos Humanos Extensão

Educação em Direitos Humanos Extensão Código / Área Temática Direitos Humanos Código / Nome do Curso Etapa de ensino a que se destina Educação em Direitos Humanos Extensão QUALQUER ETAPA DE ENSINO Nível do Curso Extensão Objetivo O objetivo

Leia mais

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO

ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL RESUMO CAMILA SONALY QUEIROZ TITO¹ MAÍSE RODRIGUES LÚCIO² O presente artigo tem por objetivo levar educadores da Educação Infantil a repensar sobre as concepções e metodologias

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) Consuni nº. 63/14, 2011 de 10 de dezembro de 2014. 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO AO CONHECIMENTO TECNOLÓGICO...

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO BÁSICA ENSINO SUPERIOR EDUCAÇÃO NÃO-FORMAL EDUCAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DO SISTEMA DE JUSTIÇA E SEGURANÇA EDUCAÇÃO E MÍDIA Comitê Nacional de Educação

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais

Ficha de Unidade Curricular. Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Ficha de Unidade Curricular Fernando Galrito, Stephan Jürgens, Filipe Pais Unidade Curricular Designação PROJECTO INTERDISCIPLINAR ARTÍSTICO Área Científica CV Ciclo de Estudos SOM E IMAGEM Carácter: Obrigatória

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE LINGUAGENS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA - MESTRADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE LINGUAGENS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA - MESTRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO INSTITUTO DE LINGUAGENS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA - MESTRADO EDITAL DE ABERTURA DE VAGAS PARA ALUNOS ESPECIAIS 2014/2 O Programa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS JAGUARÃO CURSO DE PEDAGOGIA PLANO DE ENSINO 2011-1 DISCIPLINA: Arte e Educação - JP0029 PROFESSOR: Ms. Clóvis Da Rolt I DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Carga Horária Teórica: 60h Carga Horária Prática: 15h II EMENTA A disciplina de Arte e

Leia mais

Exercícios de desenho utilizando diferentes estratégias de construção de imagens, como transportes, ampliações e colagens.

Exercícios de desenho utilizando diferentes estratégias de construção de imagens, como transportes, ampliações e colagens. Edital SEDAC nº 11/2013 Desenvolvimento da Economia da Cultura FAC - Sociedade Civil Programa de Oficinas do Atelier Subterrânea: do desenho à arquitetura Flávio Gonçalves Oficina: Desenho como Estratégia

Leia mais

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Andréa Pereira de Souza Gestora da Formação Permanente na Secretaria Municipal de Educação do município de Mogi das Cruzes. Cintia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU) Caroline da Silva Albuquerque (UERJ/EDU) Eixo temático 6: São tantos conteúdos... Resumo

Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU) Caroline da Silva Albuquerque (UERJ/EDU) Eixo temático 6: São tantos conteúdos... Resumo 1 A Pesquisa no Processo de Formação de Professores - Relatório da vivência no projeto A leitura no aperfeiçoamento do ensino: uma proposta de pesquisa participante Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU)

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO/ 2013 Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: COMUNICAÇÃO SOCIAL BACHARELADO MATRIZ CURRICULAR PUBLICIDADE E PROPAGANDA SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL

Leia mais

ATIVIDADE. Educação Patrimonial 100 4.000,00 2.381,00

ATIVIDADE. Educação Patrimonial 100 4.000,00 2.381,00 REGISTRO #39 COD. INEP 28009894 NOME DA ESCOLA ESCOLA ESTADUAL JOAO DE MATTOS CARVALHO 2012 ALUNADO PARTICIPANTE 1 2 0 0 0 0 40 20 20 20 0 100 MACROCAMPO ATIVIDADE QUANTIDADE DE ALUNOS POR ATIVIDADE VALOR

Leia mais

O trabalho pedagógico da Educação Física no Ensino Médio profissionalizante no IFG-Uruaçu

O trabalho pedagógico da Educação Física no Ensino Médio profissionalizante no IFG-Uruaçu GTT: Escola O trabalho pedagógico da Educação Física no Ensino Médio profissionalizante no IFG-Uruaçu Almir Zandoná Júnior 1 Fernando Henrique Silva Carneiro 2 Justificativa/Base teórica A entrada da Educação

Leia mais

LITERATURA INFANTIL E JUVENIL E A FORMAÇÃO DE LEITORES NA BIBLIOTECA ESCOLAR. Lília Santos

LITERATURA INFANTIL E JUVENIL E A FORMAÇÃO DE LEITORES NA BIBLIOTECA ESCOLAR. Lília Santos LITERATURA INFANTIL E JUVENIL E A FORMAÇÃO DE LEITORES NA BIBLIOTECA ESCOLAR Lília Santos NA BIBLIOTECA ESCOLAR, a MEDIAÇÃO com crianças e jovens acontece o tempo todo. É preciso ter atenção com os conteúdos

Leia mais

NACIONALIDADE: PIS (ou número de Inscrição do Contribuinte Individual junto a Previdência Social):

NACIONALIDADE: PIS (ou número de Inscrição do Contribuinte Individual junto a Previdência Social): EDITAL DE SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARTES VISUAIS PARA REALIZAÇÃO DE EXPOSIÇÕES NA GALERIA DE ARTES DO SESC LONDRINA 2013 FICHA DE INSCRIÇÃO NOME COMPLETO/RAZÂO SOCIAL: REPRESENTANTE LEGAL: NOME ARTÍSTICO:

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade Mantenedora da Faculdade Cenecista de Campo Largo Ementas das Disciplinas 1. Teorias Administrativas e a Gestão Escolar - 30 horas Ementa: Gestão Educacional conceitos, funções e princípios básicos. A função administrativa da unidade escolar e do gestor.

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais