APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APRENDER A ESCREVER. Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola"

Transcrição

1 APRENDER A ESCREVER Como ajudar as crianças a se alfabetizar no início da vida escola Todos os anos, milhares de meninos e meninas do ensino fundamental de todo o país começam a trilhar um caminho que é um desafio para o professor alfabetizador que é o aprendizado da leitura e da escrita. Cabe ao professor alfabetizador apresentar ao aluno desafios que o levam a se lançar na aventura de descobrir como se lê e como se escreve. Intervenções instigantes do professor, que ajudem a criança a desenvolver a reflexão sobre o universo da leitura e da escrita, podem contribuir para o sucesso dela na alfabetização inicial. No entanto, existem alguns obstáculos nessa trajetória. A criança que começa a ser alfabetizada não é uma folha de papel em branco. Ela vive em um mundo no qual a escrita está presente em toda parte, nas mais diversas manifestações do cotidiano; assim chega à escola já com algumas idéias sobre a escrita. Nesse momento, muitas vezes ocorre um choque: a escola tem uma proposta de alfabetização que não combina com o modo como a criança vem pensando a escrita. Essa contradição pode aumentar a dificuldade dela para se alfabetizar no inicio da escolaridade. É importante que o professor alfabetizador compreenda como a criança pensa no começo do aprendizado da escrita e promova atividades que colaborem com o modo e pensar dela. Esse é um grande desafio do ensino da língua portuguesa nos primeiros anos do ensino fundamental.

2 Desafios para ensinar e aprender A grande dificuldade dos professores envolvidos com a alfabetização é que muitos não compreendem que as crianças já pensam sobre a escrita e elaboram algumas hipóteses sobre ela. Em geral, isso é decorrência do próprio modo como eles foram ensinados: apreenderam a escrever treinando bastante, copiando letras repetidas vezes. A verdade é que muitos permanecem presos a essas concepções e não compreendem que o trabalho da leitura e da escrita Entretanto, muitos professores consideram melhor ensinar as unidades silábicas. Eles recorrem a métodos que reforçam o som das letras ou então ditam a palavras em pequenas partes, como se o problema do aluno fosse de escuta. Mas a verdade é que a criança escuta as palavras globalmente, e não por partes. E é justamente ao escrever que ela acaba entendendo que apalavras escrita tem partes, componentes. Algumas importantes pesquisas de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky mostram que a construção da escrita não se faz da sílaba para a palavra toda, mas sim no sentido inverso. Tais pesquisas evidenciaram que as crianças, mesmos antes de aprender a escrever, já têm muitas idéias sobre a escrita. Por exemplo: Pensam que sempre precisam usar muitas letras para escrever; Relacionam o tamanho do objeto ao tamanho da escrita (ou seja, acham que objetos maiores são escritos com mais letras do que objetos menores. Por exemplo, para escrever boi será preciso usar mais letras do que para escrever cachorro ); No inicio da alfabetização, não reconhecem como escrita algo que tenha menos de três letras; Não consideram que algo possa ser escrito com letras repetidas. Proposta de Atividades Para ajudar a criança a se alfabetizar, o ensino não pode ir na contramão da aprendizagem. Se o aluno constrói por si só um caminho, e você aponta um trajeto oposto, acaba criando barreiras para o aprendizado. As propostas a seguir ajudam a superar esses obstáculos. 1. Identifique as hipóteses de escrita da criança e trabalhe com base nelas O primeiro passo é identificar em qual fase o aluno está. Isso orientará a intervenção do professor alfabetizador. Se um aluno está no 2ª ano, mas apresenta hipóteses de escrita são: No nível pré-silábico, a criança não sabe que existe uma relação entre o que é falado é o que é escrito, por isso não tem critérios para a seleção de letras que vão compor a palavra. Usa muitas letras e é incapaz de ajustar a escrita à leitura da palavra. Outras vezes, coloca um número de letras que julga compatível com o tamanho do objeto (por exemplo,

3 entende que bolo deve ter mais letras que brigadeiro ). O principal desafio desse nível consiste em compreender que a escolha das letras que compõem uma palavra não é aleatória. No nível da escrita silábica, a criança já trabalha com um critério de quantidade. É comum, por exemplo, usar uma letra para cada sílaba. Em um primeiro momento, talvez ela não atribua valor sonoro e então use qualquer letra para representar as silabas. Depois, quando lhes atribui um valor sonoro, começa a fazer relações silábicas entre o que escuta e o que escreve e usa letras presentes na silaba para representá-la. O grande desafio desse nível é descobrir a ordem das letras na composição das palavras. Em seguida, o aluno conquista a escrita alfabética. Consegue escrever uma palavra quando a ouve pela primeira vez, embora cometa erros de ortografia. É um indício de que ele já tem um domínio razoável do sistema de escrita. O desafio é se tornar um verdadeiro e competente usuário dele. 2. Desenvolva atividades para que a criança escreva de verdade Ao descobrir a hipótese dos alunos, proponha atividades de escrita: Escrita de textos coletivos, que são ditados ao professor; Escrita individual de textos, como parte das atividades ligadas à rotina da sala: listas de nomes, textos que os alunos já sabem de cor, entre outras possibilidades. Em suas intervenções nessas atividades de escrita, interaja com os alunos, dialogando com a forma como pensam a fim de gerar desafios e provocar dúvidas: É assim mesmo que se escreve? ; É realmente essa a quantidade de letras? ; É essa letra mesmo? ; É nessa ordem? Com isso, o pensamento da criança vai avançando até ela chegar a uma escrita alfabética. 3. Crie oportunidades para que a criança entre em contato com textos escritos Agora que você já trabalhou com a escrita dos alunos, organize uma rotina pedagógica para que todos participem de: Rodas de leitura feita pelo professor: de textos narrativos, poéticos, informativos, instrucionais; Momentos em que os próprios alunos lêem sozinhos ou uns para os outros: parlendas, histórias em quadrinhos e trechos de livros, revistas ou jornais, articulando a leitura aos projetos desenvolvidos em sala.

4 DICA A escrita com letras moveis maiúsculas é aconselhável nessa fase inicial da alfabetização. Tenha sempre várias caixinhas com as letras do alfabeto soltas e coloque-as à disposição dos alunos. Esse tipo de letra agiliza as operações mentais dos alunos e facilita o aprendizado. A escrita de mão é entendida como uma tecnologia de escrita. Ela serve para escrever mais rápido, de modo que a mão acompanha a velocidade do pensamento. Não é o caso de utilizá-la na alfabetização inicial, quando a criança está pensando sobre a escrita e escrevendo devagar. Deve-se introduzi-la quando o aluno já estiver produzindo os próprios textos e precisar de agilidade para escrever. 4. Promova discussões coletivas sobre como se escreve Quando compreendem que a escrita tem estabilidade, que as palavras são grafadas sempre do mesmo modo, as crianças aceitam discutir entre si suas produções. Para dar inicio a essa atividade, você pode dizer a elas, por exemplo, Vamos escrever a lista de frutas que vai ser usada na nossa salada de frutas? Vai abacaxi, maçã, banana, goiaba, pêra e uva. As crianças devem escrever a lista, conforme você solicitou. No final, pergunte a elas: E então? Como vocês escreveram abacaxi? Quando você mostra ao grupo as diferentes formas como essa palavra foi escrita, isso leva as crianças a refletir, porque elas já sabem que a palavra deve ser escrita de um jeito só. Desse modo, ao instaurar a dúvida, sua intervenção é produtiva, porque o objetivo não é chegar à escrita convencional da palavra, mas dar à criança instrumentos próprios para que pense em como se escreve. DICA Alguns professores insistem: Mas a cartilha não funcionava antes? Por que a gente não volta a usá-la A resposta é que a cartilha não funcionava tão bem assim. Tanto que os índices de reprovação no 1ª ano eram altíssimos. Com a cartilha, a criança demora mais tempo para ser alfabetizada, porque ela não faz a relação entre as partes da palavra e a palavra toda. 5. Construa e siga um quadro de rotina para a alfabetização inicial Planeje o trabalho diário de sala de aula a fim de incluir com freqüência algumas propostas de escrita. O modelo abaixo é um bom exemplo. Ele permite perceber o leque de situações de leitura e escrita (individual e coletiva) que você pode oferecer a seus alunos

5 Em cada dia da semana, você deve realizar tudo o que consta nesse quadro, além, é claro, dos demais conteúdos previstos para aquele dia. Essas atividades devem ocupar, no Maximo, 1h30 do dia de aula. Ao longo do ano, você desenvolverá variados projetos. A idéia é que os utilize para criar situações de escrita. Por exemplo, se o projeto refere-se à pesquisa de brincadeiras em outros lugares do país, os alunos podem escrever a lista dos nomes das brincadeiras.

6 Quadro de Rotina para Alfabetização Inicial 2ª feira 3ª feira 4ª feira 5ª feira 6ª feira Leitura pelo Professor (Sugestão: textos narrativos) Leitura pelo Professor (Sugestão: textos poéticos) Leitura pelo Professor (Sugestão: textos narrativos) Leitura pelo Professor (Sugestão: textos informativos ou instrucionais) Leitura pelo Professor (Sugestão: textos narrativos) Leitura pelos alunos (Sugestão: textos memorizados, poemas, parlendas, quadrinhas) Leitura pelos alunos (Sugestão: leitura de listas) Leitura pelos alunos (Sugestão: situações articuladas aos projetos) Leitura pelos alunos (Sugestão: histórias em quadrinhos) Leitura pelos alunos (Sugestão: pequenos trechos de histórias) Escrita individual (Sugestão: atividades ligadas a projetos desenvolvidos em sala de aula) Escrita individual (Sugestão: produção de textos) Escrita individual (Sugestão: atividades ligadas a projetos desenvolvidos em sala de aula) Escrita individual (Sugestão: produção de textgos) Escrita individual (Sugestão: atividades ligadas a projetos desenvolvidos em sala de aula) (Adaptado de Brasil. MEC. Programa de Formação de Professores Alfabetizadores Profa. Coletânea de textos, módulo 1. Brasilia, jan, 2001.)

7 Sugestões adicionais Faça sempre uma Avaliação inicial para saber o que as crianças pensam sobre a escrita e só então monte o seu planejamento de aula. Você pode se surpreender com a quantidade de hipóteses que elas já têm sobre a escrita. Com base nessa avaliação, você terá pistas sobre o que realmente pode ser desafiador para o grupo. Peça que as crianças expliquem em voz alta como pensaram para escrever e o que está escrito em cada pedaço de determinada frase que produziram. Ao falar em voz alta, elas criam uma oportunidade de rever suas idéias iniciais. Além disso, a explicação permite que você acompanhe o processo de pensamento delas. Espera-se que até o 2ª ano o aluno use a escrita com certa autonomia para dar conta de todas as suas tarefas cotidianas na escola, você deve insistir nas atividades do inicio da alfabetização, preocupando-se em identificar como as crianças pensam sobre a escrita e intervindo com base nisso. Além de lápis, ofereça também letras móveis, pois elas facilitam o trabalho da criança na hora de reescrever uma palavra. Como saber se o aluno aprendeu Realize periodicamente a sondagem, um procedimento de avaliação montado e organizado segundo um critério especifico. Dite às crianças uma lista contendo palavras polissílabas, passando para trissílabas, dissílabas e monossílabas, e coloque no final uma frase que contenha pelo menos uma das palavras anteriores. A lista parte das polissílabas para as monossílabas justamente para colaborar com o modo próprio de o aluno pensar. Organize-a conforme um campo semântico: alimentos, nomes de animais etc. isso garante que as crianças saiba sobre o que vão escrever. Observe se elas escreveram da mesma forma na frase final e na lista as palavras que constam em ambas. A sondagem pode ser aplicada de três em três meses e deve ser feita individualmente, para que você mantenha um registro sistemático do modo como a criança escreveu, que relações ela fez. Para que isso seja possível, você precisa ter uma certa organização, porque não vai conseguir registrar em um único dia a escrita de todas as crianças. Assim enquanto a sala desenvolve outro tipo de proposta dentro da rotina escolar, reúna um pequeno grupo de crianças e faça essa avaliação. No dia seguinte, repita o processo com outro grupo de alunos, e assim por diante. Ao longo do ano deve haver uma progressão no modo de escrever. Em relação às crianças que deixam claro o que sabem, a sondagem é dispensável, pois a melhor forma de verificar o aprendizado delas é acompanhar a escrita que fazem ao longo do ano.

8 Fonte: Língua portuguesa: solução para dez desafios do professor: 1ª ao 3ª ano do ensino fundamental/ Débora Rana, Silvana Augusto; 1, Ed.- São Paulo: Atica Educadores,

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

OBJETIVO RICO- PRÁTICA DO PROFESSOR ALFABETIZADOR DIANTE DA NOVA APRENDIZAGEM

OBJETIVO RICO- PRÁTICA DO PROFESSOR ALFABETIZADOR DIANTE DA NOVA APRENDIZAGEM A FORMAÇÃO TEÓRICO RICO- PRÁTICA DO PROFESSOR ALFABETIZADOR DIANTE DA NOVA NOVA CONCEPÇÃO DE ENSINO- APRENDIZAGEM PROFª.. MS. MARIA INÊS MIQUELETO CASADO 28/05/2009 OBJETIVO - Contribuir para a reflexão

Leia mais

Oficina Alfabetização na Educação de Jovens e Adultos

Oficina Alfabetização na Educação de Jovens e Adultos Oficina Alfabetização na Educação de Jovens e Adultos Formadora: Priscila de Giovani priscilagiovani@uol.com.br Oficina: Alfabetização na Educação de Jovens e Adultos Apresentações: Nome/Unidade/Classe

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade III ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Aula anterior O fim das cartilhas em sala de aula; Comunicação e linguagem; Sondagem da escrita infantil; Ao desenhar, a criança escreve;

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: MENTIRA DA BARATA

SEQUÊNCIA DIDÁTICA: MENTIRA DA BARATA SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL DIRETORIA DE ENSINO FUNDAMENTAL SEQUÊNCIA DIDÁTICA: MENTIRA DA BARATA

Leia mais

SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA

SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA Regina Ferreira Terra Rodrigues Aluna do 5ª A do Curso de Pedagogia da FALS. Orientação: Profª Ms.Eliane A. Bacocina Cabe a este trabalho

Leia mais

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY.

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. Silvana da Silva Nogueira (FECLESC/UECE) Priscila Cavalcante Silva (FECLESC/UECE) Resumo O processo de aquisição

Leia mais

Orientações didáticas para a Educação Infantil

Orientações didáticas para a Educação Infantil Orientações didáticas para a Educação Infantil Práticas de Linguagem Oral e Escrita Módulo 1: Nome Próprio (Versão Preliminar) SME São José do Rio Preto 2013 1 PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SECRETARIA

Leia mais

Introdução ao Programa de Língua Portuguesa

Introdução ao Programa de Língua Portuguesa 1 MAPLE BEAR INTERMEDIATE - LP Introdução ao Programa de Língua Portuguesa Português é a língua falada no Brasil e é, primeiramente, com ela que pensamos, falamos, brincamos, cantamos e escrevemos. É a

Leia mais

Eixo temático: Eixo III - Educação e trabalho docente: formação, remuneração, carreira e condições de trabalho. Resumo

Eixo temático: Eixo III - Educação e trabalho docente: formação, remuneração, carreira e condições de trabalho. Resumo A IMPORTÂNCIA DA SONDAGEM DA ESCRITA PARA O INÍCIO DE ATIVIDADES DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DO PIBID NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM ESCOLAS PÚBLICAS NORONHA, Gessica Nunes UFC gessicanunes.noronha@hotmail.com

Leia mais

4. Implicações pedagógicas

4. Implicações pedagógicas Esta criança tem 4 de idade. Verifica-se que se utiliza das letras de seu nome e apenas vai rearranjando sua ordem. Sua leitura é global. Caracterizando-se, portanto no nível 2 diferenciação na escrita.

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

SUGESTÕES / ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O ORIENTADOR PEDAGÓGICO ACOMPANHAR A RECUPERAÇÃO PARALELA DESENVOLVIDA NA UNIDADE ESCOLAR

SUGESTÕES / ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O ORIENTADOR PEDAGÓGICO ACOMPANHAR A RECUPERAÇÃO PARALELA DESENVOLVIDA NA UNIDADE ESCOLAR SUGESTÕES / ORIENTAÇÕES GERAIS PARA O ORIENTADOR PEDAGÓGICO ACOMPANHAR A RECUPERAÇÃO PARALELA DESENVOLVIDA NA UNIDADE ESCOLAR Considerando a importância e a complexidade da atuação do orientador pedagógico

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Educação Coordenadoria de Cooperação com os Municípios PROGRAMA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PAIC

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Educação Coordenadoria de Cooperação com os Municípios PROGRAMA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PAIC GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Secretaria da Educação Coordenadoria de Cooperação com os Municípios PROGRAMA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PAIC Caro (a) professor (a), ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS PARA O 2º ANO Cientes

Leia mais

Alfabetização e Letramento www.scipione.com.br/letramento

Alfabetização e Letramento www.scipione.com.br/letramento AQUISIÇÃO DA LINGUAGEM ORAL E DA LINGUAGEM ESCRITA PELA CRIANÇA Professor(a), ao abordarmos, no texto anterior, a linguagem escrita como uma das múltiplas linguagens da criança, procuramos enfatizar a

Leia mais

O posicionamento teórico do alfabetizador e...

O posicionamento teórico do alfabetizador e... Page 1 of 6 suas conseqüências Prof. Ms. Joana Maria Rodrigues Di Santo Após as pesquisas de Emilia Ferreiro e Ana Teberosk sobre a psicogênese da língua escrita, ficou claro que a capacidade de ler e

Leia mais

Alfabetização. O que pensam as crianças sobre a escrita. A psicogênese da língua escrita. Pedagogia. Profa. Silvia Perrone

Alfabetização. O que pensam as crianças sobre a escrita. A psicogênese da língua escrita. Pedagogia. Profa. Silvia Perrone Pedagogia Profa. Silvia Perrone Alfabetização O que pensam as crianças sobre a escrita Um breve histórico das idéias sobre alfabetização. A Psicogênese da Língua Escrita Emília Ferreiro. As hipóteses das

Leia mais

O processo de Alfabetização: Escrita. Curso: Alfabe.zação de Crianças Bilíngues. Selma Moura

O processo de Alfabetização: Escrita. Curso: Alfabe.zação de Crianças Bilíngues. Selma Moura O processo de Alfabetização: Curso: Escrita Alfabe.zação de Crianças Bilíngues Selma Moura A tradição pedagógica, qualquer que seja seu enfoque ou discurso, reduziu sempre a alfabe.zação ao mero aprendizado

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA

DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA DO DESENHO A ESCRITA E LEITURA Cleide Nunes Miranda 1 Taís Batista 2 Thamires Sampaio 3 RESUMO: O presente estudo discute a relevância do ensino de leitura e principalmente, da escrita, trazendo em especial

Leia mais

56,6% 51% 52% 49% 48% 48% 48% 49% 46% 46% 41%

56,6% 51% 52% 49% 48% 48% 48% 49% 46% 46% 41% 1 Alfabetização, Educação Infantil e acesso à cultura escrita: as possibilidades da escola de nove anos Nestes tempos em que o país parece ter finalmente acordado para a questão da qualidade da educação

Leia mais

BLOCO 8. Por que o PROFESSOR DEVE ESCREVER pelos alunos?

BLOCO 8. Por que o PROFESSOR DEVE ESCREVER pelos alunos? BLOCO 8 Por que o PROFESSOR DEVE ESCREVER pelos alunos? Texto 23: Práticas de escrita orientações didáticas Fonte: Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil - Volume 3 / Conhecimento do

Leia mais

Conhecendo a sua turma

Conhecendo a sua turma Eliete Bevilacqua Presta e Albanize Aparecida Arêdes Neves [...] as mudanças necessárias para enfrentar sobre bases novas a alfabetização inicial não se resolvem com um novo método de ensino, nem com novos

Leia mais

Guia de Planejamento e Orientações Didáticas. Professor Alfabetizador 1 a série Volume 2

Guia de Planejamento e Orientações Didáticas. Professor Alfabetizador 1 a série Volume 2 Guia de Planejamento e Orientações Didáticas Professor Alfabetizador 1 a série Volume 2 governo do estado de são paulo secretaria da educação fundação para o desenvolvimento da educação Guia de Planejamento

Leia mais

Proposta de trabalho: Sequência Didática

Proposta de trabalho: Sequência Didática Proposta de trabalho: Sequência Didática Equipe Central/ SEE/ EENSA 2013 Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais Subsecretaria de Desenvolvimento da Educação Básica Superintendência de Desenvolvimento

Leia mais

AUTOR(ES): CARMELITA PEREIRA ALVES DOS SANTOS, MARIA CRISTINA DE OLIVEIRA MACHI

AUTOR(ES): CARMELITA PEREIRA ALVES DOS SANTOS, MARIA CRISTINA DE OLIVEIRA MACHI TÍTULO: OS TEXTOS LITERÁRIOS NA APRENDIZAGEM NOS ANOS INICIAIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES): CARMELITA PEREIRA

Leia mais

Apropriação do SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA

Apropriação do SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA Unidade 3 6º encontro Orientadora: Elaine R. Cruz Ortega Apropriação do SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA Apropriação do SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA Ano 1: A escrita alfabética: por que ela é um sistema

Leia mais

todos eles até o fim do ano Todo ano, um de cada seis alunos que entram na

todos eles até o fim do ano Todo ano, um de cada seis alunos que entram na todos eles até o fim do ano Com um planejamento que inclui atividades diversificadas e muito estudo e dedicação, Mariluci Kamisaka garante que seus alunos, moradores da maior favela de São Paulo, saiam

Leia mais

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL PRÁTICAS DE LEITURAS SIGNIFICATIVAS NOS ANOS INICIAIS Resumo DO ENSINO FUNDAMENTAL MARTINS, Esilda Cruz UEPG maria.esilda@hotmail.com Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas. Agência Financiadora:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 242 937 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 16 outubro de 2012) No caso específico da disciplina de PORTUGUÊS, do 3.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ainda ao nível

Leia mais

1. Ensino Fundamental de 9 anos

1. Ensino Fundamental de 9 anos Eliete Bevilacqua Presta e Albanize Aparecida Arêdes Neves 1. Ensino Fundamental de 9 anos Reflexões sobre a organização do trabalho pedagógico nas salas do 1º ano Em cumprimento às determinações do governo

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

ANALISANDO TEXTOS FEITOS POR CRIANÇAS DE SEIS ANOS NA ESCOLA

ANALISANDO TEXTOS FEITOS POR CRIANÇAS DE SEIS ANOS NA ESCOLA ANALISANDO TEXTOS FEITOS POR CRIANÇAS DE SEIS ANOS NA ESCOLA Kecia Karine Santos de Oliveira (UFS) 1 INTRODUÇÃO A escrita se faz presente em todos os momentos da vida, nas suas diversas formas de representações

Leia mais

O PROJETO BEPA E A INVESTIGAÇÃO DIDÁTICA: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES

O PROJETO BEPA E A INVESTIGAÇÃO DIDÁTICA: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES O PROJETO BEPA E A INVESTIGAÇÃO DIDÁTICA: CONTRIBUIÇÕES PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES Resumo Fernanda Guinoza Matuda 1 Maria Elena Roman de Oliveira Toledo 2 Esta pesquisa buscou, por

Leia mais

Aspectos externos: contexto social, cultura, rede social, instituições (família, escola, igreja)

Aspectos externos: contexto social, cultura, rede social, instituições (família, escola, igreja) Lembretes e sugestões para orientar a prática da clínica ampliada e compartilhada Ampliar a clínica significa desviar o foco de intervenção da doença, para recolocá-lo no sujeito, portador de doenças,

Leia mais

Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento

Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento Isabel Cristina Alves da Silva Frade(1) Introdução Como realizar um planejamento de trabalho de alfabetização e letramento com crianças de

Leia mais

PRÁTICAS VIVENCIADAS NO LABORATÓRIO DA DISCIPLINA PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO

PRÁTICAS VIVENCIADAS NO LABORATÓRIO DA DISCIPLINA PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO PRÁTICAS VIVENCIADAS NO LABORATÓRIO DA DISCIPLINA PROCESSOS DE ALFABETIZAÇÃO 1 Ana Kellen Coutinho Campos UNEB 2 Camila Vieira de Freitas - UNEB RESUMO O trabalho é baseado em vivências do laboratório

Leia mais

Palavras-chave: Lecto-escrita. Atividades lúdicas. Formação em diferentes níveis.

Palavras-chave: Lecto-escrita. Atividades lúdicas. Formação em diferentes níveis. Resumo: ATIVIDADES DIVERSIFICADAS NA SALA DE AULA: UMA TROCA DE EXPERIÊNCIAS DE DOCENTES DE DIFERENTES NÍVEIS DO ENSINO Doris Pires Vargas Bolzan 1 Alexandra Pozzatti Machesan 2 Carla Markus Lopes 3 Francine

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais

SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA

SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA SONDAGEM DE ALFABETIZAÇÃO: UMA ANÁLISE DAS HIPÓTESES DE ESCRITA Letícia Guirao Marinelli Aluna do 3ª A do Curso de Pedagogia da FALS. Orientação: Profª Ms.Eliane A. Bacocina Durante o período em que cursamos

Leia mais

Rotinas da escola e da sala de aula: possibilidades de organização do trabalho pedagógico na perspectiva do letramento. Prof. Juliana P.

Rotinas da escola e da sala de aula: possibilidades de organização do trabalho pedagógico na perspectiva do letramento. Prof. Juliana P. Rotinas da escola e da sala de aula: possibilidades de organização do trabalho pedagógico na perspectiva do letramento Prof. Juliana P. Viecheneski O que nos vem à mente quando falamos em rotina? Na prática

Leia mais

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Escola de Tempo Integral Experiências Matemáticas 7º ANO (6ª série) SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Este é um material em construção que contém os capítulos de apoio das atividades

Leia mais

Pedagogia Profª Silvia Perrone. Ensino de Língua Portuguesa. Roteiro. Teorias que orientam o ensino

Pedagogia Profª Silvia Perrone. Ensino de Língua Portuguesa. Roteiro. Teorias que orientam o ensino Pedagogia Profª Silvia Perrone Ensino de Língua Portuguesa Roteiro Teorias que orientam o ensino: empirista e construtivista. A visão de texto nas diferentes teorias. Ensinar a produzir textos na escola.

Leia mais

A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1. Fevereiro de 2013

A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1. Fevereiro de 2013 A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA UNIDADE 3 ANO 1 Fevereiro de 2013 SUMÁRIO / PAUTA DO ENCONTRO A APRENDIZAGEM DO SISTEMA DE ESCRITA ALFABÉTICA Iniciando a conversa (pág.5) Aprofundando o

Leia mais

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada

PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR: Bicharada PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARIPE SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E CULTURA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DO PROGRAMA LUZ DO SABER INFANTIL PROPOSTA DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Rotina de Sala de Aula TEMA GERADOR:

Leia mais

A apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e a Consolidação do Processo de Alfabetização. Unidade 3

A apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e a Consolidação do Processo de Alfabetização. Unidade 3 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA A apropriação do Sistema de Escrita Alfabética e a Consolidação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC RELATÓRIO SUCINTO: MÊS JUNHO 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA/UFSC/SC 1. Dados do Município ou GERED a) Município: FLORIANÓPOLIS b)município/gered: SECRETARIA MUNICIPAL RELATÓRIO

Leia mais

Uma experiência em ensinar e aprender linguagem escrita

Uma experiência em ensinar e aprender linguagem escrita Uma experiência em ensinar e aprender linguagem escrita 55 Ana Teberosky neste capítulo propomos uma experiência sobre linguagem escrita cujo enfoque é a interação entre os materiais, a atuação dos professores

Leia mais

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA

Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 AQUISIÇÃO DO SISTEMA DE ESCRITA Avaliação diagnóstica da alfabetização 1 http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/proletr/fasciculo_port.pdf Antônio Augusto Gomes Batista Ceris S. Ribas Silva Maria das Graças de Castro Bregunci Maria

Leia mais

Por que é importante planejar o fazer didático?

Por que é importante planejar o fazer didático? SECRETARIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA SEDUC COORDENADORIA DE COOPERAÇÃO COM OS MUNICÍPIOS - COPEM PROGRAMA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA PAIC ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS PARA O 1º ANO Caro professor (a), Iniciamos mais

Leia mais

Dislexia. O que é? Distúrbios de Aprendizagem Prof. Dorival Rosa Brito

Dislexia. O que é? Distúrbios de Aprendizagem Prof. Dorival Rosa Brito Dislexia O que é? A dislexia é um distúrbio na leitura afetando a escrita, normalmente detectado a partir da alfabetização, período em que a criança inicia o processo de leitura de textos. Seu problema

Leia mais

O trabalho com as cantigas e parlendas

O trabalho com as cantigas e parlendas O trabalho com as cantigas e parlendas nós na sala de aula - módulo: língua portuguesa 1º ao 3º ano - unidade 4 Cantigas e parlendas ajudam a introduzir a criança no mundo da leitura. Isso porque são textos

Leia mais

O programa Ler e Escrever: guia de planejamento e orientações didáticas para o professor alfabetizador 1a série. Aula de 9 de maio de 2012

O programa Ler e Escrever: guia de planejamento e orientações didáticas para o professor alfabetizador 1a série. Aula de 9 de maio de 2012 O programa Ler e Escrever: guia de planejamento e orientações didáticas para o professor alfabetizador 1a série Aula de 9 de maio de 2012 Apresentação Não é um programa inovador O momento não é de procurar

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓGICO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Conteúdos e Metodologia de Alfabetização Carga Horária Semestral: 80 horas Semestre do Curso: 5º 1 - Ementa (sumário, resumo) História

Leia mais

Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã

Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã Projeto EI São José do Rio Preto Assessoria: Debora Rana e Silvana Augusto 2 o encontro: 09 de abril de 2014 *Anotações do Grupo de CPs da manhã Pauta de encontro Olá coordenadoras, mais uma vez estaremos

Leia mais

ATIVIDADES DE LETRAMENTO EM SALAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL

ATIVIDADES DE LETRAMENTO EM SALAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL ATIVIDADES DE LETRAMENTO EM SALAS DE EDUCAÇÃO INFANTIL Elisabete Carvalho de Melo UFAC Introdução As discussões acerca do ensino da leitura e da escrita, nas últimas décadas, têm por um lado, acirrado

Leia mais

UNIVERSIDADE E ESCOLA: PARCEIROS NA BUSCA DO SUCESSO EM ALFABETIZAÇÃO

UNIVERSIDADE E ESCOLA: PARCEIROS NA BUSCA DO SUCESSO EM ALFABETIZAÇÃO II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores UNIVERSIDADE E ESCOLA: PARCEIROS NA BUSCA DO SUCESSO EM ALFABETIZAÇÃO Onaide Schwartz C De

Leia mais

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS TESTE 2 SEGUNDO SEMESTRE 2010 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Presidência do Instituto Nacional

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Francisca Roseneide Gurgel Campêlo Graduanda de Pedagogia CAMEAM/UERN Francisca Rozângela Gurgel

Leia mais

Orientações didáticas para a Educação Infantil

Orientações didáticas para a Educação Infantil Orientações didáticas para a Educação Infantil Práticas de Linguagem Oral e Escrita Módulo 2: Listas SME São José do Rio Preto 2013 PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

ORIENTAÇÕES CURRICULARES LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CICLO I DO ESTADO DE SÃO PAULO

ORIENTAÇÕES CURRICULARES LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CICLO I DO ESTADO DE SÃO PAULO ORIENTAÇÕES CURRICULARES DO ESTADO DE SÃO PAULO LÍNGUA PORTUGUESA E MATEMÁTICA CICLO I GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA EDUCAÇÃO ORIENTAÇÕES CURRICULARES DO ESTADO DE SÃO PAULO LÍNGUA PORTUGUESA

Leia mais

Beatriz Santomauro (bsantomauro@fvc.org.br) === PARTE 1 ==== Clique para ampliar

Beatriz Santomauro (bsantomauro@fvc.org.br) === PARTE 1 ==== Clique para ampliar Um novo jeito de ensinar a tabuada Discutir com os alunos sobre a relação dos produtos da multiplicação e as propriedades envolvidas nos cálculos ajuda a memorizar os resultados e a encontrar os que eles

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2013-2014

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2013-2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL 2013-2014 Agrupamento de Escolas Domingos Sequeira Área Disciplinar: Português Ano de Escolaridade: 3º Mês: outubro Domínios de referência Objetivos/Descritores Conteúdos Oralidade 1

Leia mais

Palavras chaves: Processo de Alfabetização. Aprendizagem. Leitura e escrita.

Palavras chaves: Processo de Alfabetização. Aprendizagem. Leitura e escrita. O PROCESSO DE APRENDIZAGEM DA ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS: ANÁLISE DOS NÍVEIS DE ESCRITA Alexsandra Vieira Cardoso Graduanda do curso de Letras IFPB Email: Morgana.vc1@hotmail.com Francisca Edneide Cesário

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA LEITURA E ESCRITA NA 1ª FASE DO 1º CICLO NA ESCOLA FRANCISCO SOARES DE OLIVEIRA JACIARA -MT

CONSTRUÇÃO DA LEITURA E ESCRITA NA 1ª FASE DO 1º CICLO NA ESCOLA FRANCISCO SOARES DE OLIVEIRA JACIARA -MT CONSTRUÇÃO DA LEITURA E ESCRITA NA 1ª FASE DO 1º CICLO NA ESCOLA FRANCISCO SOARES DE OLIVEIRA JACIARA -MT Cimária França de Oliveira 1 Terezinha Felix Silva C. Deus 2 Resumo A função desse trabalho é de

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio / Conteúdos

Leia mais

Notícias do grupo. REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA 21/3/2011

Notícias do grupo. REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA 21/3/2011 REUNIÃO DE PAIS 1º ANO B e C 1º SEMESTRE/2011 PROFESSORAS:CRIS E JULIANA Notícias do grupo QUANDO EU TINHA UM ANO, EU ESTAVA APENAS COMEÇANDO. QUANDO EU TINHA DOIS, EU ERA QUASE NOVO. QUANDO EU TINHA TRÊS,

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: TECENDO RELAÇÕES COM O PENSAMENTO DE PAULO FREIRE Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a definição dos conceitos de alfabetização e letramento,

Leia mais

MEU DICIONÁRIO Sua coleção de palavras

MEU DICIONÁRIO Sua coleção de palavras 1 a a 4 a Séries Ensino Fundamental Software Necessário: Microsoft Word 2000 MEU DICIONÁRIO Sua coleção de palavras Áreas: LP Guia do professor RESUMO Para dominar a arte da leitura, as crianças devem

Leia mais

Guia de Planejamento e Orientações Didáticas. Professor Alfabetizador 1ª série. Volume I

Guia de Planejamento e Orientações Didáticas. Professor Alfabetizador 1ª série. Volume I Guia de Planejamento e Orientações Didáticas Professor Alfabetizador 1ª série Volume I governo do estado de são paulo secretaria da educação fundação para o desenvolvimento da educação Guia de Planejamento

Leia mais

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português

Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Leitura e escrita são tarefas da escola e não só do professor de português Paulo Coimbra Guedes e Jane Mari de Souza A tarefa de ensinar a ler e a escrever um texto de história é do professor de história

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO

LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO LINGUAGEM ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAS DE CONHECER O MUNDO SILVA, Hayana Crislayne Benevides da. Graduanda Pedagogia - UEPB/Campus I hayana_benevides@yahoo.com.br SILVA, Alzira Maria Lima da. Graduanda

Leia mais

PORTFÓLIO NA ED. INFANTIL COMO ORGANIZÁ-LO E O QUE USAR NA AVALIAÇÃO

PORTFÓLIO NA ED. INFANTIL COMO ORGANIZÁ-LO E O QUE USAR NA AVALIAÇÃO Copyright Eduqa.me 2015 Todos os direitos reservados. PORTFÓLIO NA ED. INFANTIL COMO ORGANIZÁ-LO E O QUE USAR NA AVALIAÇÃO SUMÁRIO Tipos de portfólio...3 Como organizar...5 Avaliando...7 a) Oralidade...8

Leia mais

QUEM É O PROFESSOR QUE ALFABETIZA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO HORIZONTE? Maria do Socorro Macedo (FAE/UFMG)

QUEM É O PROFESSOR QUE ALFABETIZA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO HORIZONTE? Maria do Socorro Macedo (FAE/UFMG) 1 QUEM É O PROFESSOR QUE ALFABETIZA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE BELO HORIZONTE? Maria do Socorro Macedo (FAE/UFMG) Este trabalho tem por objetivo traçar um perfil dos professores alfabetizadores da rede

Leia mais

UMA BREVE ANÁLISE DO DESEMPENHO ESCOLAR NUMA TURMA DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 1. Resumo

UMA BREVE ANÁLISE DO DESEMPENHO ESCOLAR NUMA TURMA DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 1. Resumo UMA BREVE ANÁLISE DO DESEMPENHO ESCOLAR NUMA TURMA DO CICLO DE ALFABETIZAÇÃO 1 NILÇA GUTEMBERG 2 Resumo Este artigo apresenta uma breve análise do desempenho escolar,numa turma do ciclo de alfabetização

Leia mais

A ALFABETIZAÇÃO NA PERSPECTIVA DE SUA EVOLUÇÃO E DA LUDICIDADE COMO FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA.

A ALFABETIZAÇÃO NA PERSPECTIVA DE SUA EVOLUÇÃO E DA LUDICIDADE COMO FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. A ALFABETIZAÇÃO NA PERSPECTIVA DE SUA EVOLUÇÃO E DA LUDICIDADE COMO FERRAMENTA PARA O DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM ORAL E ESCRITA. PRESTES, Jessica Franson Discente na Graduação do Curso de Pedagogia na

Leia mais

Como estudar melhor?

Como estudar melhor? Universidade Federal da Paraíba Departamento de Física PET - Programa de Educação Tutorial Autores: Integrantes do grupo PET - Física/UFPB Bruno C. B. N. de Souza (ex-bolsista Geraldo F. de Santana Jr.

Leia mais

Palavras-chave: alfabetização; gêneros textuais; letramento.

Palavras-chave: alfabetização; gêneros textuais; letramento. ALFABETIZANDO E LETRANDO: UMA EXPERIÊNCIA NO/DO PROJETO PACTO PELA ALFABETIZAÇÃO Claudionor Alves da Silva 1 Oney Cardoso Badaró Alves da Silva 2 Resumo: O objetivo deste trabalho é apresentar uma experiência

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico.

PALAVRAS-CHAVE: Linguagem oral dominada, Representação escrita, Sistema simbólico. 7.00.00.00-0 - CIÊNCIAS HUMANAS 7.08.00.00-6 Educação A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: A LINGUAGEM ORAL DOMINADA E SUA CORRELAÇÃO COM A APRENDIZAGEM DA ESCRITA GIOVANNA GAGGINI RODON Curso de Pedagogia

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização:

Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização: Sugestão de planejamento anual para a classe de alfabetização: O planejamento que se segue está dividido em semanas durante o ano letivo e nele constam apenas os conteúdos. Cabe ao professor (ou a equipe

Leia mais

Módulo III Objetos de Aprendizagem ALFABETIZAÇÃO

Módulo III Objetos de Aprendizagem ALFABETIZAÇÃO ALFABETIZAÇÃO Guia do professor Introdução A leitura e a escrita são instrumentos que auxiliam a promoção da inclusão social. Sendo assim, a alfabetização é um processo relevante e imprescindível para

Leia mais

Trabalhando com gráfico na Educação Infantil momentos em que brincar é coisa séria

Trabalhando com gráfico na Educação Infantil momentos em que brincar é coisa séria Trabalhando com gráfico na Educação Infantil momentos em que brincar é coisa séria Autora: Ana Cristina Fonseca Instituição: PUC-Campinas Fonseca.cris@uol.com.br Co -autor 1: Maria Auxiliadora Bueno Andrade

Leia mais

BLOCO 1 .. PLANEJAMENTO!

BLOCO 1 .. PLANEJAMENTO! BLOCO 1.. PLANEJAMENTO! Texto 1: Entrevista Fonte: Programa de Formação de Professores Alfabetizadores (PROFA), Módulo 2, Unidade 1, Texto 6. Brasília: MEC / SEF, 2001. Texto 2: Planejar é preciso Fonte:

Leia mais

Agenda, jogos e lista de nomes

Agenda, jogos e lista de nomes Série Apoio ao professor Fonte: Curso 1 - O papel do nome próprio no processo de alfabetização Autores: Clidinéia Ferreira; Érika MisKolci; Erotides Santos Vitório; Lorena Trescastro; Mª do Carmo Simões

Leia mais

SONDAGEM 1º BIMESTRE 2014

SONDAGEM 1º BIMESTRE 2014 ORIENTAÇÕES SONDAGEM 1º BIMESTRE 2014 INFANTIL IV ENSINO FUDAMENTAL 1º AO 5º ANO ... exercer plenamente a cidadania significa saber agir utilizando a informação. Em uma sociedade letrada, obter informações,

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade I ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Ementa A teoria construtivista: principais contribuições, possibilidades de trabalho pedagógico. Conceito de alfabetização: história e evolução.

Leia mais

CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1

CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1 . PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR Secretaria Municipal de Educação e Cultura SMEC Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico CENAP CONHECIMENTOS E CAPACIDADES ENVOLVIDOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E

Leia mais

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento

Reunião com pais. Tema: Tarefa de casa. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento Reunião com pais Tema: Tarefa de casa 1. Objetivos da reunião 1.1. 1.2. 1.3. 1.4. Aprofundar reflexões sobre a função da tarefa de casa; Compartilhar facilidades e dificuldades encontradas na realização

Leia mais

O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente

O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente O uso dos gêneros textuais na alfabetização: crenças que norteiam a prática docente BARCELOS-COELHO, Lenir de Jesus 155* BUENO, Ivonete 156** RESUMO: No contexto atual são patentes as dificuldades relacionadas

Leia mais

CADERNO DE APRESENTAÇÃO

CADERNO DE APRESENTAÇÃO CADERNO DE APRESENTAÇÃO O que é o Projeto Trilhas O Projeto Trilhas é um conjunto de materiais elaborados para instrumentalizar e apoiar o trabalho docente no campo da leitura, escrita e oralidade, com

Leia mais

Guia do Usário Rede i

Guia do Usário Rede i Guia do Usário Rede i Sumário Capítulo 1: Iniciar o aprendizado com o Rosetta Stone.... 1 Acompanhar o curso.......................... 2 Selecionar o curso............................ 3 Iniciar o curso...............................

Leia mais

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de PAULO FREIRE E A ALFABETIZAÇÃO Vera Lúcia Queiroga Barreto 1 Uma visão de alfabetização que vai além do ba,be,bi,bo,bu. Porque implica uma compreensão crítica da realidade social, política e econômica

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço Valores Educacionais Aula 2 Alegria do Esforço Objetivos 1 Apresentar o valor Alegria do Esforço. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Alegria do Esforço. Introdução As próximas aulas

Leia mais

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf 1 Sumário Introdução...04 Passo 1...04 Passo 2...05 Passo 3...05 É possível Aprender Inglês Rápido?...07 O Sonho da Fórmula Mágica...07 Como Posso Aprender Inglês Rápido?...09 Porque isto Acontece?...11

Leia mais

Prova bimestral. Língua portuguesa. A água. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia um trecho do texto A água, de Millôr Fernandes.

Prova bimestral. Língua portuguesa. A água. 4 o Bimestre 3 o ano. 1. Leia um trecho do texto A água, de Millôr Fernandes. Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2011 Prova bimestral 4 o Bimestre 3 o ano Língua portuguesa Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia um trecho do texto A água,

Leia mais