Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rota de Aprendizagem 2015/16 6.º Ano"

Transcrição

1 Ciências Naturais Projeto 1 Os alimentos como veículo de nutrientes. Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Alimentação saudável e segura 2.ª Fase: O Processo digestivo de ser humano 3.ª Fase: O sistema digestivo dos animais Como são constituídos os alimentos? O que é um nutriente? Quais as principais funções dos nutrientes? Como escolher os nossos alimentos? Como ler um rótulo? Qual a importância da Higiene Alimentar? Como é constituído o sistema digestivo Humano? Para que serve a digestão? Porque varia o sistema digestivo nos animais? Qual o trajeto dos alimentos num ruminante e numa ave? Apresento alimentos e organizo-os em grupos de alimentos de acordo com propriedades nutricionais. Pratico uma alimentação saudável de acordo com as mensagens da Roda dos Alimentos. Elaboro ementas equilibradas, com base na Pirâmide de Alimentação Mediterrânea. Discuto, criticamente, ementas fornecidas. Reconheço a importância da Higiene Alimentar. Exploro benefícios e riscos de novos alimentos. Relaciono o sistema digestivo dos animais com o seu regime alimentar. Assumo atitudes promotoras da saúde digestiva. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura 1.1. Apresentar um conceito de alimento Enunciar os tipos de nutrientes quanto à sua função Descrever as necessidades nutritivas ao longo da vida Exemplificar ementas equilibradas, com base na Pirâmide de Alimentação Mediterrânea Discutir, criticamente, ementas fornecidas Indicar alimentos de acordo com os riscos e os benefícios para a saúde humana Interpretar informação veiculada nos mídia, que pode condicionar os hábitos alimentares Explicar a informação contida em rótulos alimentares Indicar as vantagens e as desvantagens do uso de alguns aditivos para a saúde humana Reconhecer a importância da ciência e da tecnologia na evolução dos produtos alimentares e na sua conservação Explorar benefícios e riscos de novos alimentos. 2. Conhecer o processo digestivo do ser humano 2.1. Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema digestivo e das suas glândulas anexas Identificar os tipos de dentes, de acordo com a sua função Descrever as transformações dos alimentos, ocorridas na boca Reconhecer a importância dos movimentos do tubo digestivo e dos sucos digestivos na transformação dos alimentos Nomear os produtos da digestão ao longo do tubo digestivo Descrever os processos da absorção e da assimilação dos nutrientes Indicar o destino dos produtos da digestão não absorvidos. 1

2 2.8. Referir comportamentos que promovem o bom funcionamento do sistema digestivo. 3. Relacionar os sistemas digestivos das aves e dos ruminantes com o sistema digestivo dos omnívoros 3.1. Identificar os órgãos do tudo digestivo de uma ave granívora, com base numa atividade prática Legendar esquemas representativos da morfologia dos órgãos do tubo digestivo de um ruminante Comparar a tipologia dos órgãos digestivos das aves e dos ruminantes com a do ser humano Associar os regimes alimentares das aves granívoras, dos animais ruminantes e dos omnívoros às caraterísticas do seu tubo digestivo. Projeto 2 Troca de gases entre os seres vivos e o meio Tempo Previsto: 1 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Circulação do ar - Ventilação pulmonar 2.ª Fase: Hematose pulmonar 3.ª Fase: Atitudes promotoras de saúde respiratória 4.ª Fase: Hematose branquial Porque é a respiração uma função vital dos seres vivos? O que é a Ventilação pulmonar? Qual a composição do ar expirado e do ar inspirado? O que é a Hematose Pulmonar? O que a Hematose Branquial? Relaciono os movimentos respiratórios com a ventilação pulmonar. Reconheço os órgãos do sistema respiratório humano. Descrevo a circulação do ar nas vias respiratórias. Distingo a composição do ar inspirado do ar expirado. Reconheço a hematose como processo de troca de gases entre os seres vivos e o meio. Assumo atitudes promotoras da saúde respiratória. Relaciono o habitat dos animais com os diferentes processos respiratórios. Identifico os órgãos do sistema respiratório de um peixe. Utilizo corretamente, em situações concretas os termos inspiração, expiração, hematose, vias respiratórias, opérculo e câmara branquial. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 4. Reconhecer que a respiração como função vital dos seres vivos Compreender a relação existente entre ventilação pulmonar, hematose e respiração celular Comparar a composição do ar inspirado com a do ar expirado, com base em documentos diversificados e em atividades práticas laboratoriais Indicar as trocas gasosas, ocorridas nas células, através de exercícios de inquérito científico. 5. Compreender a importância dos órgãos respiratórios dos animais nas trocas gasosas 5.1. Identificar os órgãos respiratórios envolvidos na respiração branquial e na respiração pulmonar, através de atividades práticas Relacionar o habitat dos animais com os diferentes processos respiratórios Descrever a função dos órgãos respiratórios dos animais. 6. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema respiratório humano 6.1. Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema respiratório humano Descrever o mecanismo de ventilação, com recurso a atividades práticas Relacionar as caraterísticas morfológicas dos alvéolos pulmonares com as trocas gasosas alveolares. 2

3 6.4. Caraterizar as trocas gasosas ocorridas ao nível dos alvéolos pulmonares e dos tecidos Referir o papel do sangue nas trocas gasosas Indicar as principais causas das doenças respiratórias mais comuns, com destaque para a exposição ao fumo do tabaco e para a poluição do ar interior 6.7. Reconhecer a importância das regras de higiene no equilíbrio do sistema respiratório. Projeto 3 Transporte de nutrientes e oxigénio até às células - O sistema circulatório. Tempo Previsto: 2 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: O sangue 2.ª Fase: Coração 3.ª Fase: Os vasos sanguíneos 4.ª Fase: Circulação sanguínea 5.ª Fase: Atitudes promotoras de saúde cardiovascular Como é assegurado o transporte de substâncias no organismo humano? O que é o sangue? Quais os constituintes do sangue? Como é constituído o coração? Como funciona o coração? Por onde circula o sangue? Compreendo a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano Distingo sangue arterial de sangue venoso. Interpreto análises sanguíneas. Relaciono a estrutura dos três tipos de vasos sanguíneos com a função que desempenham. Descrevo circulação sistémica e circulação pulmonar. Indico cuidados que contribuem para o bom funcionamento de sistema cardiovascular. Assumo atitudes promotoras da saúde respiratória e cardiovascular. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 7. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema cardiovascular humano 7.1. Descrever aspetos morfológicos e anatómicos do coração de um mamífero, numa atividade prática laboratorial Legendar esquemas representativos da morfologia e da anatomia do coração humano Relacionar a estrutura dos três tipos de vasos sanguíneos com a função que desempenham Indicar a estrutura do sangue e a função dos principais constituintes Comparar resultados de análises sanguíneas com os valores de referência Descrever a circulação sistémica e a circulação pulmonar Distinguir sangue venoso de sangue arterial Descrever as principais etapas do ciclo cardíaco Relacionar os estilos de vida com as doenças cardiovasculares Indicar alguns cuidados que contribuem para o bom funcionamento do sistema cardiovascular Demonstrar os procedimentos de deteção de ausência de sinais de ventilação e de circulação numa pessoa, e de acionamento do sistema integrado de emergência médica 3

4 Projeto 4 Utilização dos nutrientes na produção de energia Tempo Previsto: 1 quinzena 1.ª Fase: Utilização de nutrientes na produção de energia: Evidências da respiração celular 2.ª Fase: Contributo das funções digestivas, respiratória e circulatória, para a respiração celular 3.ª Fase: Relação entre atividade física e consumo de nutrientes 4.ª Fase: Valor energético dos alimentos 5.ª Fase: Importância de ser um consumidor informado Como é que as células obtêm energia? Como se chama o processo de obtenção de energia pela célula? Quais as evidências da respiração celular? Quais os fatores que condicionam as necessidades energéticas? Quais as atividades que se gastam mais/ menos energia? Como saber o valor energético dos alimentos? O que é um consumidor informado? Relaciono a atividade física com o consumo de nutrientes. Identifico fatores que influenciam as necessidades energéticas. Pesquiso o valor energético dos alimentos Utilizo corretamente, em situações concretas, o termo respiração. Assumo atitudes de consumidor informado. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 4. Reconhecer que a respiração como função vital dos seres vivos Compreender a relação existente entre ventilação pulmonar, hematose e respiração celular Comparar a composição do ar inspirado com a do ar expirado, com base em documentos diversificados e em atividades práticas laboratoriais Indicar as trocas gasosas, ocorridas nas células, através de exercícios de inquérito científico Assumir atitudes de consumidor informado. 4

5 Projeto 5 Eliminação de produtos da atividade celular Tempo Previsto: 1 quinzena 2ºPeríodo 1.ª Fase: Principais produtos de excreção 2.ª Fase: Pele e produção de suor 3.ª Fase: Órgãos do sistema urinário 4.ª Fase: Urina O que entendes por excreção? Como são eliminados os produtos de excreção? O que é o suor? Onde é produzido o suor? Que efeito tem o suor no nosso corpo? Quais os cuidados que devo ter com a pele? Quais os quais os órgãos que fazem parte do sistema urinário? O que posso saber quando faço analise à urina? Identifico os principais produtos de excreção na respiração celular/ atividade celular. Reconheço os sistemas que eliminam produtos da atividade celular. Explico a interação dos diferentes sistemas na unidade do organismo. Descrevo a constituição da pele. Reconheço a importância da produção de suor. Reconheço os órgãos do sistema urinário. Descrevo o processo de produção de urina. Utilizo corretamente, em situações concretas, os termos suor e urina. Assumo atitudes promotoras de saúde. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 8. Descrever o papel da função excretora na regulação do organismo 8.1. Compreender a estrutura e o funcionamento do sistema urinário humano 8.2. Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema urinário Descrever a função dos órgãos que constituem o sistema urinário Indicar os produtos de excreção da respiração celular Justificar a importância da circulação sanguínea na função excretora Descrever a formação, a constituição e o papel da urina Indicar alguns cuidados a ter com o sistema urinário. 9. Conhecer o papel da pele na função excretora humana 9.1. Legendar esquemas representativos da morfologia da pele Descrever a formação, a constituição e o papel do suor Referir a função da pele na eliminação de excreções do corpo Indicar alguns cuidados a ter com a pele. 5

6 Projeto 6 - Importância das plantas para o mundo vivo Tempo Previsto: 2 quinzenas do 2º Período 1.ª Fase: As plantas elaboram o seu alimento 2.ª Fase: As plantas e a qualidade do ar 3.ª Fase: As plantas fonte de alimento 4.ª Fase: As plantas fonte de matérias-primas Como se alimentam as plantas? Como se desenvolvem as plantas? Como as plantas captam a água? Que gases a planta liberta na fotossíntese? Como realizam a fotossíntese? Onde as plantas acumulam as suas reservas? Qual a função dos estomas? Qual a importância da transpiração nas plantas? Quais as principais matéria\s-primas fornecidas pelas plantas? Indico fatores que influenciam o processo fotossintético. Relaciono a transpiração com a ascensão da seiva bruta na planta Explico as trocas gasosas realizadas pelas plantas na respiração, fotossíntese e na transpiração. Relaciono a transpiração com a ascensão de seiva bruta na planta. Identifico substâncias de reserva nas plantas. Reconheço as plantas como fontes de alimentos e de matérias-primas. Descrevo o modo como a desflorestação e os incêndios alteram o Índice de Qualidade do ar atmosférico. Discuto a importância da criação de zonas verdes, da preservação de áreas protegidas Indico medidas de proteção da floresta. Utilizo corretamente, em situações concretas, os termos fotossíntese, transpiração, celulose e resinas. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 10. Compreender a importância da fotossíntese na obtenção de alimento pelas plantas 10.1.Enunciar uma definição de fotossíntese Indicar fatores que influenciam o processo fotossintético Referir a função dos cloroplastos Distinguir seiva bruta de seiva elaborada Descrever a circulação da seiva bruta Relacionar os produtos da fotossíntese com a respiração celular das plantas. 11. Compreender a importância das plantas como fonte de nutrientes, de matéria-prima e de renovação do ar atmosférico Indicar diferentes órgãos das plantas onde ocorre a acumulação de reservas alimentares Identificar alguns glícidos e lípidos em órgãos das plantas Descrever diferentes utilizações das plantas na sociedade atual, com base em pesquisa orientada Referir a importância da transpiração para as plantas Indicar a função dos estomas Relacionar as trocas gasosas ocorridas nas plantas com a renovação do ar atmosférico Descrever o modo como a desflorestação e os incêndios alteram o Índice de Qualidade do Ar Indicar três medidas de proteção da floresta. 6

7 Projeto 7 Transmissão da Vida-Reprodução humana e crescimento Tempo Previsto: 2 quinzenas 1.ª Fase: A transmissão da vida assegura a continuidade da vida. 2.ª Fase: Caracteres sexuais primários e secundários 3.ª Fase: Funções dos sistemas reprodutores, feminino e masculino 4.ª Fase: Da fecundação ao nascimento 5.ª Fase: Saúde da grávida 6.ª Fase: Saúde do recém-nascido 7.ª Fase: Primeiros anos de vida Qual a importância da reprodução? O que distingue uma menina de um menino? Quais as transformações que ocorrem no organismo durante a puberdade? Como é constituído o sistema reprodutor feminino e masculino? Como se denomina a união das duas células sexuais? O que a gravidez? Como se desenvolve o embrião? Relaciono a reprodução com a transmissão da Vida. Reconheço a sexualidade humana como um processo que envolve sentimentos de respeito por si próprio e pelos outros. Caracterizo o processo da fecundação. Sei distinguir fecundação de nidação. Reconheço a importância dos cuidados de saúde na primeira infância. 12. Compreender a puberdade como uma fase do crescimento humano 12.1.Distinguir, dando exemplos, caracteres sexuais primários de caracteres sexuais secundários Relacionar o amadurecimento dos órgãos sexuais com as manifestações anatómicas e fisiológicas que surgem durante a puberdade, nos rapazes e nas raparigas. 13. Conhecer os sistemas reprodutores humanos Legendar esquemas representativos da morfologia do sistema reprodutor feminino e do sistema reprodutor masculino Descrever a função dos órgãos que constituem o sistema reprodutor feminino e o sistema reprodutor masculino Relacionar, esquematicamente, o ciclo menstrual com a existência de um período fértil. 14. Compreender o processo da reprodução humana 14.1.Caraterizar o processo da fecundação Distinguir fecundação de nidação Enumerar os principais anexos embrionários e as suas funções Reconhecer a importância dos cuidados de saúde na primeira infância Reconhecer a sexualidade humana como um processo que envolve sentimentos de respeito por si próprio e pelos outros. 7

8 Projeto 8 Transmissão da Vida- Reprodução nas plantas Tempo Previsto: 1 quinzena do 3º Período 1.ª Fase: Reprodução das plantas por sementes 2.ª Fase: Reprodução das plantas por esporos Como se reproduzem as plantas? Onde se localizam os óvulos e os grãos de pólen? Como se reproduzem as plantas sem flor? O que são esporos? Como se reproduzem os musgos e os fetos? Reconheço a importância da reprodução nas plantas. Reconheço plantas que se reproduzem por sementes. Identifico diferentes fases na reprodução das plantas. Explico como ocorre a polinização, a fecundação, a frutificação e a disseminação das sementes nas espermatófitas. Relaciono a germinação da semente com a origem de uma nova planta. Explico a influência de alguns fatores do ambiente na germinação e no crescimento de plantas. Descrevo diferentes estados de desenvolvimento de uma planta. Reconheço plantas que se reproduzem por esporos Desenvolvo o respeito pelas plantas e pela conservação da Natureza. Utilizo corretamente, em situações concretas, os termos filete, antera, grão de pólen, estilete, estigma, polinização, disseminação e esporos. Realizo atividades práticas e experimentais cumprindo normas de segurança e higiene. 15. Compreender o mecanismo de reprodução das plantas com semente 15.1.Descrever a função dos órgãos que constituem uma flor Enunciar a importância dos agentes de polinização Descrever o processo da fecundação Distinguir, dando exemplos, frutos carnudos de frutos secos Indicar a importância da dispersão das sementes para a distribuição espacial das plantas Enunciar as condições necessárias à germinação de uma semente, através da realização de atividades práticas Desenvolver o respeito pelas plantas e pela conservação da Natureza. 8

9 Projeto 9 Agressões do meio e integridade do organismo Tempo Previsto: 3 quinzenas do 3º Período 1.ª Fase: Os Microrganismos 2.ª Fase: A Higiene e Problemas sociais O que são micróbios? Onde encontro os micróbios? Os micróbios são causadores de doença? Todos os micróbios são patogénicos? Como se transmitem micróbios? Quais os meios de defesa contra as agressões microbianas? Como prevenir a doença? O que é imunidade? O que é uma vacina? O que é a higiene? O que sei? O que faço? Quais as consequências do consumo de drogas? Como diminuir a Poluição? Distingo micróbios patogénicos de micróbios úteis. Reconheço que a prevenção da doença é importante para manter a integridade do organismo. Identifico defesas superficiais e internas do organismo humano contra as agressões microbianas. Relaciono a importância das vacinas com a prevenção de doenças. Reconheço a esterilização e a desinfeção como processos que eliminam micróbios. Utilizo corretamente, em situações concretas, os termos micróbio patogénico, vacina e esterilização. Assumo atitudes promotoras da saúde. Realizo atividade experimental cumprindo as normas de segurança e de higiene. 16. Compreender o papel dos microrganismos para o ser humano 16.1.Descrever o contributo de dois cientistas para a descoberta de microrganismos Relacionar a evolução do microscópio com a descoberta de novos microrganismos Indicar nomes de grupos de microrganismos Distinguir microrganismos patogénicos de microrganismo úteis ao ser humano, com a apresentação de exemplos Descrever a influência de alguns fatores do meio no desenvolvimento de microrganismos 17. Compreender as agressões causadas por alguns agentes patogénicos 17.1.Enunciar uma doença provocada por bactérias, por fungos, por protozoários e por vírus no ser humano Indicar mecanismos de barreira naturais do corpo humano à entrada de agentes patogénicos Referir o modo como atuam os mecanismos de defesa interna do organismo humano Indicar três regras de higiene que contribuem para a prevenção de doenças infeciosas Explicar a importância das vacinas Discutir o uso adequado de antibióticos e de medicamentos de venda livre. 18. Compreender a influência da higiene e da poluição na saúde humana 18.1.Enumerar alguns cuidados de higiene corporal diária Citar medidas de higiene mental e normas de higiene alimentar Identificar exemplos de diferentes tipos de poluição do ar interior, com destaque para os poluentes evitáveis, como o fumo ambiental do tabaco Indicar alguns exemplos de diferentes tipos de poluição do ar exterior, da água e do solo Descrever as consequências da exposição a poluentes do ar interior e exterior, da água e do solo na saúde individual, nos seres vivos e no ambiente Enumerar medidas de controlo da poluição e de promoção de ambientes saudáveis. 9

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS

CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL. 1º Período. Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Ano letivo 01/016 CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período : Domínio1- TROCAS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS 1.1. Importância de uma alimentação equilibrada e segura Alimentos e nutrientes;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES. PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano AGRUPAMENTO DE ESCOLAS LUÍS DE CAMÕES ESCOLA BÁSICA 2, 3 LUÍS DE CAMÕES ANO LECTIVO 2014 / 2015 PROJECTO CURRICULAR DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º Ano DOMÍNIO: PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2015-16 Período 1ºPeríodo Nº Aulas previstas 37 aulas Conteúdos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE 1. OS ALIMENTOS COMO VEÍCULO DE NUTRIENTES Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura Nutrientes - o que são Funções dos nutrientes ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA CLARA DE RESENDE Apresentar

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 6.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio dos Processos vitais comuns aos seres vivos o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância de uma alimentação equilibrada

Leia mais

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015

Planificação Curricular Anual Ano letivo 2014/2015 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais. 1. Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura 1.1. Apresentar um conceito de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DA CAPARICA PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 2.º CICLO DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO Período Nº semanas Nº de aulas Previstas 1º 13 37 2º 10 32 3º 9 27 TOTAL 96 Domínios Subdomínios

Leia mais

Planificação a longo prazo 2014/2015

Planificação a longo prazo 2014/2015 Planificação a longo prazo 2014/2015 1º Período Tema organizador: Viver melhor na Terra Conteúdos Nº de aulas Apresentação 1 1. Trocas nutricionais entre o organismo e o meio 9 1.1. Os alimentos como veículos

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO

PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO PLANIFICAÇÃO A MÉDIO/LONGO PRAZO CIÊNCIAS DA NATUREZA 6º ANO Competências essenciais Conteúdos Materiais N.º de aulas (45 min.) Compreender que a vida dos seres é assegurada pela realização de funções

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013

PLANIFICAÇÃO ANUAL Planos de Unidade ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE - 161718 GRUPO DISCIPLINAR 230 MATEMÁTICA/ CIÊNCIAS DA NATUREZA ÁREA CURRICULAR: Ciências da Natureza 6º ANO ANO LETIVO: 2012/2013 TEMA/ CONTEÚDO: Processos Vitais

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico Competências essenciais 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO. Planeamento Curricular referente ao 1 º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ÁLVARO VELHO LAVRADIO Planeamento Curricular referente ao 1 º Período Ano e Turma 5º Disciplina Ciências Naturais Prof. (a) N.º Aulas Previstas Domínio: ÁGUA, O AR, AS ROCHAS

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS

ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS ANO LETIVO 2013/2014 2º Ciclo 6º Ano CONTEÚDOS ANUAIS CONTEÚDOS CIÊNCIAS DA NATUREZA AULAS PREVISTAS 6.ºA 6.ºB 6.ºC 6.ºD 98 97 97 97 Tema 1 Processos vitais comuns aos seres vivos CONTEÚDOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Ano Letivo: 2015/2016. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5

Ano Letivo: 2015/2016. Disciplina de: CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO. Período de Calendarização: 1º, 2º E 3º PERÍODOS. Nº de blocos semanais: 1,5 Escola EB 2,3 de António Feijó Ponte de Lima Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Subestrutura de Ciências Naturais PROGRAMA CALENDARIZAÇÃO Ano Letivo: 2015/2016 Disciplina de: CIÊNCIAS

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - 6º ANO Livro adotado: Ciências da natureza 6 Satillana Ano Letivo 2012/2013 UNIDADE DIDÁCTICA CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS Nº DE AULAS (1ºP) Preparação do ano escolar.

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professora: Maria da Graça Valente Disciplina: Ciências Naturais Ano: 6.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Competências Aprendizagens Atividades/Estratégias Avaliação o Relacionar alimento

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS - 9.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 9.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio Viver melhor na Terra, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de

Leia mais

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde.

1. Saúde individual e comunitária. 1.1. Indicadores do estado de saúde de uma população. 1.2. Medidas de ação para promoção de saúde. ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DA GRACIOSA CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LETIVO 2014/2015 AULAS PREVISTAS TEMA ORGANIZADOR CONTEÚDOS CONCETUAIS (45 MINUTOS) A B VIVER MELHOR NA TERRA 1. Saúde individual e comunitária.

Leia mais

ROTA DE APRENDIZAGEM Ciências Naturais - 6.º Ano

ROTA DE APRENDIZAGEM Ciências Naturais - 6.º Ano Projeto 1 Os alimentos como veículo de nutrientes. ROTA DE APRENDIZAGEM 2016-2017 Ciências Naturais - 6.º Ano Objetivos gerais: Compreender a importância de uma alimentação equilibrada e segura; conhecer

Leia mais

Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais

Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais Escola Básica de S. Pedro da Cova Ano Letivo 2015 / 2016 2º Ciclo do Ensino Básico Matriz da prova de Exame de Ciências Naturais 1. Objeto da avaliação TEMAS CONTEÚDOS OBJETIVOS Grupo I (5º ano) (23 pontos)

Leia mais

6º ANO DE ESCOLARIDADE

6º ANO DE ESCOLARIDADE PLANIFICAÇÃO 2016/2017 ENSINO BÁSICO (2º CICLO) - PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 6º ANO DE ESCOLARIDADE 1.º PERÍODO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/201 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programas e Metas Curriculares do Ensino Básico 2º CICLO CIÊNCIAS NATURAIS º ANO TEMAS/DOMÍNIOS

Leia mais

ESCOLA E.B. 2/3 CICLOS DE PEDROUÇOS. Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 2012/2013 1º Período. Tempo (x45 )

ESCOLA E.B. 2/3 CICLOS DE PEDROUÇOS. Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 2012/2013 1º Período. Tempo (x45 ) ESCOLA E.B. /3 CICLOS DE PEDROUÇOS Planificação de Ciências da Natureza 6ª Ano 0/03 º Período TEMA ORGANIZADOR: Viver melhor na Terra: Trocas nutricionais entre os animais e o meio Conteúdos Competências

Leia mais

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente

1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS. Eu um ser no ambiente 1º ANO MATRIZ CURRICULAR DE CIÊNCIAS NATURAIS Eu um ser no ambiente Higiene Corporal Os cinco sentidos Corpo humano Perceber a importância do cuidado com o corpo, da vacinação e da prevenção de acidentes.

Leia mais

Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14

Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14 Departamento de Ciências Experimentais Grupo de recrutamento 520 - Biologia e Geologia Planificação anual de Ciências Naturais 9º Ano de escolaridade 2013 / 14 1 ESCOLA SECUNDÁRIA DR. GINESTAL MACHADO

Leia mais

Planificação da disciplina de Ciências Naturais

Planificação da disciplina de Ciências Naturais ANO LETIVO 2013/2014 Departamento Curricular: Ciências Experimentais Grupo Disciplinar: Biologia e Geologia 9º Ano Planificação da disciplina de Ciências Naturais 1º Conteúdos / Unidades Didáticas 1.Saúde

Leia mais

Conteúdos Metas Aulas previstas DOMÍNIO 1 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais

Conteúdos Metas Aulas previstas DOMÍNIO 1 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais Período / Nº Aulas Conteúdos Metas Aulas previstas DOMÍNIO 1 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS Trocas nutricionais entre o organismo e o meio: nos animais 1ºPeríodo 39 aulas Importância de uma alimentação

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência Informação Prova de equivalência à frequência 2.º Ciclo do Ensino Básico 1ª e 2ª fases Ano Letivo 2014/2015 Disciplina: Ciências Naturais Duração: 90 minutos Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho 1-

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico, 21 outubro de 2014) CIÊNCIAS NATURAIS 9º ano de escolaridade Saúde Individual e comunitária Indicadores do estado de saúde de uma população

Leia mais

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA

MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA MATRIZ DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS DA NATUREZA 1. Introdução Os exames de equivalência à frequência incidem sobre a aprendizagem definida para o final do 2.º ciclo do ensino básico, de acordo com o currículo

Leia mais

- Diálogo professor/aluno. - Avaliação diagnóstica. - Discussão alargada, sobre o

- Diálogo professor/aluno. - Avaliação diagnóstica. - Discussão alargada, sobre o Unidade Didática Tema(s)/Conteúdo(s) Metodologia(s)/Estratégias Instrumento(s) de avaliação N.º de tempos previstos Período lectivo Apresentação - Diálogo professor/aluno. SAÚDE INDIVIDUAL E - Avaliação

Leia mais

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS

DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS DISCIPLINA: Ciências Naturais ANO DE ESCOLARIDADE: 6º Ano 2016/2017 METAS CURRICULARES PROGRAMA DOMÍNIO/SUBDOMÍNIO OBJETIVOS GERAIS DESCRITORES DE DESEMPENHO CONTEÚDOS 1º PERÌODO PROCESSOS VITAIS COMUNS

Leia mais

Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano

Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano Planificação Anual de Ciências Naturias 6º ano º Período ( 7 semanas) Ano Lectivo 202/203 Apresentação. Regras de trabalho na aula. Ficha diagnóstica. 3 Processos vitais comuns aos seres vivos. Trocas

Leia mais

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo:

Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: Agrupamento Escolas José Belchior Viegas - Escola E.B. 2,3 Poeta Bernardo de Passos Ciências Naturais Planificação anual 6ºAno Ano letivo: 2016-17 Período / Nº Aulas Conteúdos Metas Aulas previstas 1ºPeríodo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL

PLANIFICAÇÃO ANUAL PLANIFICAÇÃO ANUAL 2017-18 Área Curricular Disciplinar: Ciências Naturais 6º Ano Domínios/Conteúdos Objetivos Gerais/Descritores Atividades /Estratégias Recursos Didáticos Calendarização Avaliação Introdução

Leia mais

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras:

Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia. Escola Secundária de Valongo. As Professoras: Escola Secundária de Valongo Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Grupo de Biologia e Geologia As Professoras: Cláudia Rocha Fátima Garcia Tema Organizador: Viver Melhor na Terra 1º PERÍODO

Leia mais

Metas de Aprendizagem

Metas de Aprendizagem ESCOLA E B 2,/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS e TECNOLOGIAS 2016/2017 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 6ºANO, 2º CICLO Pedrógão Grande

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação Escola EB1 João de Deus COD. 242 937 Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD. 346 779 Critérios de Avaliação Perfil de Aprendizagens Específicas (Aprovados em Conselho Pedagógico a 20 de junho de

Leia mais

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro Escola Básica de Eugénio de Castro Planificação Anual

Agrupamento de Escolas Eugénio de Castro Escola Básica de Eugénio de Castro Planificação Anual Compreender a importância da saúde individual e comunitária na qualidade de vida da população Sintetizar as estratégias de promoção da saúde Conhecer os distintos níveis estruturais do corpo Viver Melhor

Leia mais

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9.º Ano

PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR. Ciências Naturais 9.º Ano PLANO CURRICULAR DISCIPLINAR Ciências Naturais 9.º Ano UNIDADES DIDÁTICAS CONTEÚDOS METAS DE APRENDIZAGEM 1º Período VIVER MELHOR NA TERRA Saúde individual e comunitária Medidas de ação para a promoção

Leia mais

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO Provas 2º Bimestre 2012 CIÊNCIAS DESCRITORES DESCRITORES DO 2º BIMESTRE DE 2012

Leia mais

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde;

1º Período. Subtemas Competências essenciais específicas Conceitos Estratégias Blocos. -Saúde -Esperança média de vida; -Prevenção da saúde; Saúde individual e comunitária 1º Período Indicadores do estado de saúde de uma população Medidas de ação para a promoção da saúde Compreender o conceito de saúde; Conhecer os indicadores do estado de

Leia mais

TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária

TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária TEMA ORGANIZADOR: Saúde individual e comunitária UNIDADE TEMÁTICA: Saúde N.º DE Saúde Individual e Comunitária. - Desenvolvimento do conceito de saúde Definição de Saúde pela O.M.S..2 -Medidas para a promoção

Leia mais

Metas de Aprendizagem

Metas de Aprendizagem ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS e TECNOLOGIAS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DE CIÊNCIAS NATURAIS 6ºANO, 2º CICLO Pedrógão

Leia mais

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade

AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade AGRUPAMENTO ESCOLAS DE REDONDO Escola Básica e Secundária Dr. Hernâni Cidade INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Prova 02 2015 2.º Ciclo do Ensino

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 6.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Unidade na diversidade dos seres vivos, o aluno deve ser capaz de: Compreender a importância da classificação dos seres vivos

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 5.º Ano Projeto 1 Onde existe Vida? Tempo Previsto: 4 quinzenas (do 1ºPeríodo) Ciências Naturais A ÁGUA, O AR, AS ROCHAS E O SOLO MATERIAIS TERRESTRES 1.ª Fase: Terra um planeta com vida 2.ª Fase: A importância

Leia mais

Saúde Individual e Comunitária

Saúde Individual e Comunitária CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS 9º ano de escolaridade (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 outubro de 2015) Saúde Individual e Comunitária - Saúde e qualidade de vida -Indicadores

Leia mais

2º ciclo 6º ano Planificação Anual CIÊNCIAS NATURAIS CONTEÚDOS E METAS CURRICULARES ANO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS

2º ciclo 6º ano Planificação Anual CIÊNCIAS NATURAIS CONTEÚDOS E METAS CURRICULARES ANO DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS 6º ANO Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros 2º ciclo 6º ano Planificação Anual 2015-2016 CIÊNCIAS NATURAIS METAS CURRICULARES

Leia mais

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02

DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 DISCIPLINA: Ciências Naturais CÓDIGO DA PROVA: 02 CICLO: 2º Ciclo ANO DE ESCOLARIDADE: 6º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência

Leia mais

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 5.º, 6.º, 7.º e 8.º anos Autores Jorge Bonito (Coordenador) Margarida Morgado Marta Silva Dulce Figueira Marta Serrano José Mesquita Hugo Rebelo Consultores

Leia mais

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 9.º ano

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 9.º ano Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 9.º ano Autores Jorge Bonito (Coordenador) Margarida Morgado Marta Silva Dulce Figueira Marta Serrano José Mesquita Hugo Rebelo Consultores Conceição

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência

Agrupamento de Escolas de Terras de Bouro Informação Prova de Equivalência à Frequência Informação Prova de Equivalência à Frequência CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 2ºCiclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Prova 02/2015 Tipo de Prova: Escrita Duração: 90 minutos

Leia mais

pasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Ciências

pasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbn Ciências Qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfg hjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuio Planejamento Anual 2014 pasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwe

Leia mais

A principal função da flor numa planta é a de reprodução. As flores de uma planta são constituídas por (Figura 1):

A principal função da flor numa planta é a de reprodução. As flores de uma planta são constituídas por (Figura 1): 1. Reprodução das plantas com flor 1.1. Flor principal função da flor numa planta é a de reprodução. s flores de uma planta são constituídas por (Figura 1): Figura 1 onstituição de uma flor completa de

Leia mais

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano

Rota de Aprendizagem 2015/16 9.º Ano Ciências Naturais CienTic Projeto 1 Qual é a importância da saúde e quais são as estratégias para a promover? Tempo Previsto: 3 quinzenas do 1ºPeríodo 1.ª Fase: Saúde e qualidade de vida da população.

Leia mais

1º PERÍODO (13 de setembro a 18 de dezembro de 2013)

1º PERÍODO (13 de setembro a 18 de dezembro de 2013) ESCOLA BÁSICA 2/3 D. AFONSO III FARO Departamento Curricular de Ciências Experimentais Grupo Disciplinar 520 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LECTIVO 2014/2015 DOMÍNIO: Viver

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA*

METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA* METAS DE APRENDIZAGEM DE CIÊNCIAS DA NATUREZA As Metas de Aprendizagem de Ciências são aprendizagens que os alunos deverão ter alcançado no final da escolaridade básica, no domínio das Ciências, de forma

Leia mais

CIÊNCIAS DESCRITORES

CIÊNCIAS DESCRITORES CIÊNCIAS DESCRITORES 1. BIMESTRE - 2015 4.º ANO Identificar a permeabilidade nos diferentes tipos de solo. Identificar a presença de água no interior do corpo dos seres vivos. Identificar as condições

Leia mais

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015

Planificação Anual. Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Planificação Anual Professora: Pedro Miguel Bezerra Disciplina: Ciências Naturais Ano: 5.º Turma: B Ano letivo: 2014-2015 Domínio/Objetivos Descritores de Desempenho Atividades/Estratégias Avaliação Matéria

Leia mais

2.º Ciclo do Ensino Básico. 1. Introdução. Prova de equivalência à frequência de Ciências Naturais

2.º Ciclo do Ensino Básico. 1. Introdução. Prova de equivalência à frequência de Ciências Naturais AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) Prova de equivalência à frequência de Ciências Naturais 2.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 24-A/2012, de 6 de dezembro, bem como o Despacho n.º 15971/2012, de 14 de dezembro.

Deve ainda ser tido em consideração o Despacho Normativo n.º 24-A/2012, de 6 de dezembro, bem como o Despacho n.º 15971/2012, de 14 de dezembro. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALMANCIL (145142) Prova de equivalência à frequência de Ciências Naturais 2.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova

Leia mais

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 9.º ano

Metas Curriculares. Ciências Naturais. Ensino Básico. 9.º ano Metas Curriculares Ensino Básico Ciências Naturais 9.º ano Autores Jorge Bonito (Coordenador) Margarida Morgado Marta Silva Dulce Figueira Marta Serrano José Mesquita Hugo Rebelo Consultora Conceição Santos

Leia mais

CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 9.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados:

CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO ANO LETIVO 2015/2016 PLANO DE ESTUDOS. O aluno, no final do 9.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: PLANO DE ESTUDOS O aluno, no final do 9.º ano, deve atingir os objetivos em seguida apresentados: 1.º PERÍODO DOMÍNIO SUBDOMÍNIO / CONTEÚDOS Saúde individual e comunitária 1 -Compreender a importância

Leia mais

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1º PERÍODO. Ano lectivo de 2014/15. Nº de aulas previstas

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 1º PERÍODO. Ano lectivo de 2014/15. Nº de aulas previstas CONTEÚDOS PROG Disciplina Ano lectivo de 2014/15 6.º Ano de E Nº de aulas previstas Nº de aulas para apresentação, avaliação de diagnóstico e auto-avaliação Nº de aulas para leccionação e avaliação de

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE. Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE. Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE Ano Letivo 2012/2013 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS PLANIFICAÇÃO ANUAL CIÊNCIAS NATURAIS 9º ANO As Docentes Responsáveis: 1º Periodo Unidade

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS GONÇALO SAMPAIO ESCOLA E.B. 2, 3 PROFESSOR GONÇALO SAMPAIO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS (Ciências Naturais) 6º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL 2016/2017 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CIÊNCIAS

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB 1, 2, / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O ( A d a p t a d a ) 6º Ano A N O L E C T I V O D E 2

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL. AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM

PLANIFICAÇÃO ANUAL. AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016. PLANIFICAÇÃO ANUAL 3ºCiclo. Ciências Naturais 9ºano Documento(s) Orientador(es): Metas Curriculares de Ciências Naturais de 9º ano, Projeto

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS UNIDADE 1 Conteúdos. UNIDADE 2 Conteúdos Ser humano: semelhanças e diferenças (características físicas e comportamentais, gostos pessoais) Partes do corpo humano Sentidos humanos: audição, visão, paladar, tato e olfato Cuidados com os órgãos

Leia mais

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual

Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional 2º ciclo Planificação Anual 2015-2016 CIÊNCIAS NATURAIS METAS

Leia mais

Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da disciplina de Ciências da Natureza

Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da disciplina de Ciências da Natureza SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO, CULTURA E CIÊNCIA DIRECÇÃO REGIONAL DA EDUCAÇÃO ESCOLA BÁSICA INTEGRADA ROBERTO IVENS Escola Básica 2 Roberto Ivens. Informação da prova de equivalência à frequência da

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar - Ciências Naturais A proposta Em sua organização teórico-metodológica, a proposta enfatiza a construção do pensamento científico acerca

Leia mais

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário

PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário PLANIFICAÇÃO CIÊNCIAS NATURAIS (8.º ANO) 2015/2016 Docentes: João Mendes, Madalena Serra e Vanda Messenário 1 Metras Curriculares Estratégias Tempo Avaliação TERRA UM PLANETA COM VIDA Sistema Terra: da

Leia mais

PERFIL DE APRENDIZAGENS 5ºANO

PERFIL DE APRENDIZAGENS 5ºANO 5ºANO No final do 5º ano, o aluno deverá ser capaz de: DISCIPLINA DOMÍNIO DESCRITOR Compreender a Terra como um planeta especial Indicar três fatores que permitam considerar a Terra um planeta com vida.

Leia mais

- Compreender a formação do universo em se tratando da evolução do homem como um todo. - análise de texto - Leitura; - Texto descritivo.

- Compreender a formação do universo em se tratando da evolução do homem como um todo. - análise de texto - Leitura; - Texto descritivo. Plano de ação- 2015 - trimestral Colégio Estadual Mahatma Gandhi Ensino Fundamental Ciências 8º A, 8ºB, 8C Professora: Josiane Maria Guerra Conteúdo específico Objetivos Encaminhamentos metodológicos e

Leia mais

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012

Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 Tema: Viver melhor na Terra (48 Blocos) ANO LECTIVO 2011/2012 PROCESSOS VITAIS COMUNS AOS SERES VIVOS TROCAS NUTRICIONAIS ENTRE O ORGANISMO E O MEIO Nos animais: Alimentos como veículo de nutrientes Como

Leia mais

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS

PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS PROGRAMAÇÃO CURRICULAR DE CIÊNCIAS 6 ano 1 volume CONTEÚDOS OBJETIVOS 1.Astronomia: estudando o céu Estrelas e constelações Sistema Solar e exploração do Universo - Movimentos da - Terra e da Lua Reconhecer

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS Nº1 de SANTIAGO do CACÉM 2º CICLO Ano Letivo 2013/2014 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Currículo Nacional do Ensino Básico- Competências Essenciais Ciências Físicas

Leia mais

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta?

Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Você saberia responder aos questionamentos de forma cientificamente correta? Como as fezes são formadas? Como a urina é formada no nosso corpo? Sistema Cardiovascular Funções Gerais: Transporte de nutrientes,

Leia mais

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS

Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS Uma perspectiva de ensino para as áreas de conhecimento escolar CIÊNCIAS NATURAIS A proposta A proposta de ensino das Ciências Naturais se fundamenta na construção do pensamento científico acerca dos fenômenos

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO DE CIÊNCIAS NATURAIS 5.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO No domínio da Água, o ar, as rochas e o solo - materiais terrestres, o aluno deve ser capaz de: Compreender a Terra como um planeta especial

Leia mais

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm

A biodiversidade em diferentes ambientes. http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm A biodiversidade em diferentes ambientes http://www.prof2000.pt/users/ccaf/exercicios/ecossistemas/biomas.htm Unidade básica da vida a célula Quem foi Robert Hooke? Por volta de 1667, o cientista inglês

Leia mais

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO

ESCOLA BÁSICA D. DOMINGOS JARDO Unidade Didática: Terra Ambiente de Vida METODOLOGIAS/ SITUAÇÕES DE.Antes de começar.como trabalhar em Ciências Terra Ambiente de Vida.Onde existe vida.primeira abordagem ao conceito de biosfera.salientar

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015 SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA MANTENEDORA DA PUC MINAS E DO COLÉGIO SANTA MARIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO I ETAPA LETIVA CIÊNCIAS 5. o ANO/EF - 2015 Caro (a) aluno(a), É tempo de conferir os conteúdos estudados

Leia mais

Escola Básica Vasco da Gama de Sines A REPRODUÇÃO HUMANA

Escola Básica Vasco da Gama de Sines A REPRODUÇÃO HUMANA Página1 A REPRODUÇÃO HUMANA Reprodução sexuada e dimorfismo sexual A reprodução é uma função dos seres vivos que permite dar origem a outros seres da mesma espécie. Reprodução sexuada Na espécie humana

Leia mais

Sugestão de avaliação

Sugestão de avaliação Sugestão de avaliação 7 CIÊNCIAS Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou às Unidades 3 e 4 do livro do Aluno. Avaliação Ciências NOME: TURMA: escola: PROfessOR:

Leia mais

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza

EsEscola Básica 2.3 de Pedro de Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual de Ciências da Natureza EsEscola Básica 2.3 Pedro Santarém Ano Lectivo: 2010/2011 6º Ano Planificação Anual Ciências da Natureza Objectivos Conteúdos Estratégias/Actividas Recursos Avaliação Preparar e organizar o trabalho a

Leia mais

a) intestino. b) cloaca. c) moela. d) esôfago. e) bico.

a) intestino. b) cloaca. c) moela. d) esôfago. e) bico. BIOLOGIA Um agricultor verificou que havia muita perda em sua lavoura de trigo, pois o vento derrubava várias plantas. Um vizinho o aconselhou a produzir sementes que dessem origem a plantas com entrenós

Leia mais

2º ANO PLANO DE DISCIPLINA (PLADIS) PELO ADT BOL INTR / DEP, DE

2º ANO PLANO DE DISCIPLINA (PLADIS) PELO ADT BOL INTR / DEP, DE Fl-1 SISTEMA COLÉGIO MILITAR DO BRASIL COLÉGIO MILITAR DE CURITIBA ENSINO MÉDIO ELABORADO EM 2007 BIOLOGIA 2º ANO CARGA HORÁRIA: 90 HORAS Nr SESSÕES: 120 HORAS-AULA PLANO DE DISCIPLINA (PLADIS) PELO ADT

Leia mais

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE

FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Educação Física Disciplina: Fisiologia Humana Professor: Ricardo Marques Nogueira Filho e-mail: ricardonogfilho@ig.com.br Código: Carga Horária:

Leia mais

P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano

P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano D E P A R T A M E N T O DE C I Ê N C I A S F Í S I C A S E N A T U R A I S EB, 2, 3 / J I D E A N G R A D O H E R O Í S M O P L A N I F I C A Ç Ã O 6º Ano A N O L E C T I V O D E 2 0 / 2 0 2 DISCIPLINA

Leia mais

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE CIÊNCIAS 8º ANO

TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL DE CIÊNCIAS 8º ANO Aluno(a): NOTA: Professor(a): Denise Data: 06/01/15 Valor: 20,0 TRABALHO PARA RECUPERAÇÃO FINAL: Para fazer este trabalho você deverá consultar as apostilas 3 e 4 que são, respectivamente, do terceiro

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO - 2015

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DO ENSINO SECUNDÁRIO - 2015 Prova de Biologia Prova 302 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino secundário, a realizar em 2015 pelos alunos que se encontram

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr Francisco Nogueira de Lima Código: 059 Município: Casa Branca Eixo Tecnológico: Ambiente, saúde e segurança. Habilitação Profissional: sem habilitação

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS - FUPAC FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE UBERLÂNDIA FISIOLOGIA HUMANA Profa. MSc Ana Paula de Sousa Paixão Fisioterapêuta Especialista em ortopedia e esportes Doutoranda

Leia mais

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico.

O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. 1 O corpo humano está organizado desde o mais simples até o mais complexo, ou seja, do átomo microscópico ao complexo organismo humano macroscópico. Note essa organização na figura abaixo. - Átomos formam

Leia mais