Evolução recente do tráfego de passageiros do Aeroporto de Faro. António Correia Mendes / Francisco Pita, 11 Outubro 2010

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Evolução recente do tráfego de passageiros do Aeroporto de Faro. António Correia Mendes / Francisco Pita, 11 Outubro 2010"

Transcrição

1 recente do tráfego de passageiros do Aeroporto de Faro António Correia Mendes / Francisco Pita, 11 Outubro 2010

2 O Verão de 2010 ficará marcado por um aumento de acessibilidade aérea sem precedentes na história turística do Algarve. Estaremos preparados para tirar total partido das condições de acessibilidade aérea que estão a ser colocadas à disposição do Algarve? Que desafios temos de ultrapassar?

3

4 _PAX Set.10 _Crescimento _Benchmark Passageiros comerciais PAX_ Set.10 Var.10/09 Acumulado Var.10/09 Scheduled (inc lcc) ,6% ,3% Charter ,0% ,7% Transits ,7% ,2% Total ,7% ,3% Low-Cost ,3% ,8% > Crescimento do tráfego alicerçado no crescimento do tráfego de passageiros transportado em companhias de baixo custo (low cost). Mercados PAX_ Set.10 Var.10/09 Acumulado Var.10/09 United Kingdom ,7% ,9% Germany ,8% ,7% Ireland ,6% ,3% Netherlands ,0% ,1% Portugal ,4% ,8% Others ,1% ,1% Total ,7% ,3% > Crescimento de novos mercados e de mercados historicamente em quebra (Alemanha -1,4% 09/08). Companhias PAX_ Set.10 Var.10/09 Acumulado Var.10/09 Ryanair ,8% ,4% EasyJet Airlines ,2% ,2% Monarch ,2% ,1% Transavia ,9% ,6% Thomsonfly.com ,2% ,0% Others ,2% ,0% Total ,7% ,3% > Crescimento fundamentalmente assente na companhia low cost Ryanair.

5 _PAX Set.10 _Crescimento _Benchmark 4,17 Ryanair +0,60 +0,22 (4,39) > Ao longo do ano de 2010, e com excepção de casos pontuais de crescimento, a Ryanair tem sido a grande responsável pelo aumento do número de passageiros no Aeroporto de Faro. -0,38 Thomsonfly Thomas Cook Hapag Lloyd Ex Transavia Monarch British Airways outras > Do acréscimo de passageiros Ryanair em Faro 12% são domésticos com origem/destino no Porto (nova rota). > Os restantes são passageiros internacionais dos quais a maioria são turistas de visita ao Algarve.

6 _PAX Set.10 Evolução _Crescimento _Benchmark > No mês de Agosto de 2010 Faro apresentou um crescimento muito superior à média do seu grupo de comparação e superior a todos os aeroportos turísticos espanhóis considerados no grupo. > Em passageiros acumulados Faro apresenta um crescimento ligeiramente inferior à média, ainda assim superior aos aeroportos espanhóis considerados.

7 _Segmentos _Rotas Ryanair _Sazonalidade 24% 21% 76% > No período de 1995 (1999 para lcc) a 2010 verificamos taxas médias de crescimento anual de: > 1,0% Companhias Regulares (FSC) > -8,2% Companhias Charter > +57,4% Companhias Low Cost (LCC) > +2,4% Total tráfego comercial 85% 31% > As companhias Low Cost dominam o mercado de transporte de passageiros para o Algarve. 15% 14% 10% > Acentua-se o decréscimo das operações charter convencionais com a sua operação a ser substituída por operaçõs low cost ou low cost/híbrido. > Aparente resistência das companhias tradicionais. Nb: 2010 valores estimados

8 _Segmentos _Rotas Ryanair _Sazonalidade 68,5% Pax FAO 31,5% Pax FAO > A Ryanair opera actualmente 30 rotas em Faro durante a temporada de Verão IATA (Abril a Outubro): > 4 Irlanda > 10 Reino Unido > 16 rotas para 8 países: _Portugal _Espanha _França _Bélgica _Itália _Alemanha _Noruega _Dinamarca > Os destinos operados pela a Ryanair vêm diversificar os mercados emissores para o Algarve em linha com a estratégia definida para o Turismo da região.

9 _Segmentos _Rotas Ryanair _Sazonalidade Rota País Verão Inverno Billund Dinamarca Birmingham Internl. Reino Unido Bournemouth Reino Unido Bremen Alemanha Bristol Reino Unido Brussels, Charleroi Bélgica Cork Irlanda Dublin Irlanda Dusseldorf, Niederrhein Alemanha Edinburgh, Turnhouse Reino Unido Eindhoven Alemanha Frankfurt, Hahn Alemanha Glasgow, Prestwick Reino Unido Kerry County Irlanda Knock Irlanda Leeds Reino Unido Liverpool/Intl Reino Unido London, Gatwick Reino Unido London, Stansted Reino Unido Londonderry Reino Unido Luebeck Alemanha Maastricht Bélgica Madrid, Barajas Espanha Marseille França Memmingen Alemanha Milan, Orio Al Serio Itália Nottingham, East Midlands Reino Unido Paris, Beauvais-Tille França Porto Portugal Rygge Noruega Stockholm, Skavsta Suécia Total > Atendendo à natureza sazonal do destino Algarve e imaturidade de alguns dos novos mercados a Ryanair procede a um ajustamento de oferta nos meses da temporada de Inverno IATA (Novembro a Março): > Redução de frequências > Interrupção das operações > A operação reduz de 30 para 18 rotas durante a temporada de Inverno IATA (Novembro a Março): > 2 Irlanda (4 Verão) > 9 Reino Unido (10 Verão) > 7 rotas (16 Verão) para 4 países: _Portugal _França _Bélgica _Alemanha > A manutenção das rotas com operação anual dependerá sempre da evolução da procura pelo destino.

10 _Segmentos _Rotas Ryanair _Sazonalidade > Ainda assim o esforço de quebra de sazonalidade feito pela companhia é notável : > A Ryanair mantêm ao longo dos anos um crescimento da oferta de lugares durante o Inverno no Aeroporto de Faro. > Dos 47 destinos operados no Inverno para o Algarve, 18 são garantidos pela Ryanair (38%). > A Ryanair apresenta em 2010 um load factor médio anual de 78%. Em média 70% no Inverno e 80% no Verão. > Nas rotas que opera a companhia mantém uma operação mínima de 2 frequências semanais independentemente da estação do ano. > Em 1995 o Inverno concentrava 23% dos movimentos anuais de aeronaves, em 2010 concentrará aproximadamente 27%. Nb: W10 valores estimados

11 Notas perfil passageiro Ryanair Inbound/Outbound Tendência para crescimento do outbound. Idade dos passageiros Tendência para redução da idade dos passageiros. Canal de recolha de informação Canal de compra Antecedência da compra Motivo viagem Valores aproximados 80% 30 a 40 anos 35% Internet 20% Amigos/ família 90% Internet 40 a 50 dias 70% Férias/Lazer 25% VFR 5% Negócios > A Ryanair não trabalha com tour operação. O negócio é baseado no passageiro independente e na internet. > Número crescente de turistas independentes Flexibilidade e baixo custo. > É o consumidor final que, via internet, faz o seu próprio pacote de férias, dynamic pakaging. > As companhias com modelos de negócio híbrido trabalham com vários tour operadores, reservando cerca de 50% dos lugares à venda directa.

12 Desafios na óptica do Aeroporto de Faro 1 Garantir a sustentação das rotas através do desenvolvimento da procura pela região em novos mercados emissores e em novos segmentos. As novas rotas são uma oportunidade única de diversificar a procura turística do Algarve, mas existe uma janela de oportunidade temporal para as aproveitarmos. Deve haver uma mobilização efectiva e urgente ao nível do posicionamento do produto e promoção no sentido de garantir a dinamização de fluxos turísticos a partir dos novos mercados. 2 Adequação das estratégias e tácticas de marketing com particular enfoque no online. A mudança de Charter para LCC e consequente alteração do perfil de consumo é uma realidade e isso obriga a uma nova actuação ao nível do marketing, vendas e fidelização dos clientes. É necessária uma mudança cultural e planos de acção adequados a esta nova realidade onde a internet assume um papel do maior relevo. 3 Maior proximidade entre a promoção turística e o desenvolvimento de rotas aéreas. A dinamização do Comité de Rotas regional no âmbito da initiatie:pt (programa de apoio ao desenvolvimento de rotas do Turismo de Portugal, ANA e ATA) será crítica para a consolidação de esforços de investimento em operações aéreas e promoção da região nos mercados.

13 Obrigado /

ROTAS AÉREAS PARA O PORTO. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA O PORTO. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA O PORTO Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres Alemanha Centro-Oeste e Sul Espanha Madrid

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA O ALGARVE. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA O ALGARVE. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA O ALGARVE Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres, Midlands e região Norte e Escócia Alemanha

Leia mais

A Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto do Funchal [2000 2010]

A Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto do Funchal [2000 2010] A Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto do Funchal [2 21] Ficha Técnica TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. A Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto do Funchal [2 21] EDIÇÃO INAC Instituto

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA LISBOA. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA LISBOA Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres Alemanha Centro-Oeste Espanha Madrid e

Leia mais

Monitorização Mensal do Tráfego nas Infraestruturas Aeroportuárias Nacionais

Monitorização Mensal do Tráfego nas Infraestruturas Aeroportuárias Nacionais INSTITUTO NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL, I. P. Monitorização Mensal do Tráfego nas Infraestruturas Aeroportuárias Nacionais» Coletânia de Newsletters 2012 « INSTITUTO NACIONAL DEAVIAÇÃO CIVIL, I. P. Evolução

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho

ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA. Verão 2010. Junho ROTAS AÉREAS PARA A MADEIRA Verão 2010 Junho Sumário Oportunidades Reino Unido Londres e Manchester Alemanha Centro-Oeste e Sul Áustria Viena França Paris e Oeste Aspectos Gerais Alguns Indicadores Económicos

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Impacto das Transportadoras de Baixo Custo no Transporte Aéreo Nacional [1995-2011]

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Impacto das Transportadoras de Baixo Custo no Transporte Aéreo Nacional [1995-2011] FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Impacto das Transportadoras de Baixo Custo no Transporte Aéreo Nacional [1995-2011] EDIÇÃO INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P.

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Inverno 2014-2015 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal,

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Verão 2014 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal, tem

Leia mais

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global

boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística 2. Capacidade de alojamento na hotelaria global boletim trimestral - edição especial - n.º 0 - abril 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no Aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Movimento mensal

Leia mais

Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro [1990 2009]

Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro [1990 2009] Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro [1990 2009] FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Evolução do Transporte Aéreo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro

Leia mais

N.º 13 1º TRIMESTRE 2012

N.º 13 1º TRIMESTRE 2012 N.º 13 1º TRIMESTRE 212 FICHA TÉCNICA TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 13 JAN MAR 12 EDIÇÃO INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa 1749

Leia mais

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens

Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15. Agências de Viagens Barómetro de Conjuntura inverno 2014/15 Agências de Viagens ÍNDICE Sumário Executivo 3 da procura - inverno 2014/15 Portugal - NUTS II Portugal - Principais NUTS II Principais 4 5 6 da procura - verão

Leia mais

AEROPORTO DE LISBOA 12 de Novembro 2009

AEROPORTO DE LISBOA 12 de Novembro 2009 AEROPORTO DE LISBOA 12 de Novembro 2009 AGENDA ENQUADRAMENTO OBJECTIVOS OBRAS QUALIDADE DE SERVIÇO DESAFIOS FUTUROS AGENDA ENQUADRAMENTO OBJECTIVOS OBRAS QUALIDADE DE SERVIÇO DESAFIOS FUTUROS LIMITAÇÕES

Leia mais

Política aeroportuária: as dúvidas e as questões

Política aeroportuária: as dúvidas e as questões Política aeroportuária: as dúvidas e as questões J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade de Lisboa) Professor Universitário e Consultor 1 Sistema Aeroportuário Nacional 2 Questões levantadas

Leia mais

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E 20 de Setembro, de 2010 TRANSPORTES EM FOCO Setembro de 2010 Transporte aéreo de passageiros em e na / Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E em No contexto da crise económica

Leia mais

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação

Reino Unido BTL 2014. 1. O mercado. 2. Particularidades e Potencialidades. 3. A distribuição. 4. Os Players. 5. Promoção / Comunicação Reino Unido BTL 2014 1. O mercado 2. Particularidades e Potencialidades 3. A distribuição 4. Os Players 5. Promoção / Comunicação 6. Comercialização e Venda 7. Sugestões de abordagem 8. Discussão Economia

Leia mais

Direção de Apoio àvenda

Direção de Apoio àvenda 12 de Março de 2013 MISSÃO À Direção de Apoio à Venda compete apresentar propostas para: - a definição da estratégia promocional e de venda do destino Portugal e dos destinos regionais e produtos turísticos;

Leia mais

Belux. Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines

Belux. Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines Belux Campanha de Promoção Conjunta Turismo de Portugal & Brussels Airlines 1. O Mercado Emissor da Bélgica Em 2008, no quadro global da procura turistica para Portugal, a Bélgica foi o décimo mercado

Leia mais

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO Setembro de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo) 3. TURISMO NÁUTICO NA EUROPA E NO MUNDO 4. O SECTOR EM PORTUGAL

Leia mais

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza 1 História ATP A Associação de Turismo do Porto e Norte, A.R. Porto Convention & Visitors Bureau (ATP) é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

MERCADO DE HOTÉIS AS LOW COST E A HOTELARIA DO PORTO AEROPORTO FRANCISCO SÁ CARNEIRO

MERCADO DE HOTÉIS AS LOW COST E A HOTELARIA DO PORTO AEROPORTO FRANCISCO SÁ CARNEIRO 7 MERCADO DE HOTÉIS AS LOW COST E A HOTELARIA DO PORTO Abril 29 Sumário Executivo Aeroporto Francisco Sá Carneiro Hotelaria da Cidade do Porto 4 As Low Cost e a Hotelaria do Porto 5 Conclusões 6 Contactos

Leia mais

Ccent. 74/2007 easyjet / GB Airways. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência

Ccent. 74/2007 easyjet / GB Airways. Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência Ccent. 74/2007 easyjet / GB Airways Decisão de Não Oposição da Autoridade da Concorrência (alínea b) do n.º 1 do artigo 35.º da Lei n.º 18/2003, de 11 de Junho) 20/12/2007 DECISÃO DO CONSELHO DA AUTORIDADE

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 24 OUT-DEZ 14

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 24 OUT-DEZ 14 FICHA TÉCNICA TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 24 OUT-DEZ 14 EDIÇÃO INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa 1749-34 Lisboa Telef.: +351

Leia mais

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 O PATRIMÓNIO NATURAL E O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALGARVE Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril

Leia mais

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens

PREÇO VS. SERVIÇO. Imagem das Agências de Viagens Análise Imagem das Agências de Viagens PREÇO VS. SERVIÇO Os portugueses que já recorreram aos serviços de uma Agência de Viagens fizeram-no por considerar que esta é a forma de reservar viagens mais fácil

Leia mais

Reino Unido 2015. Caraterização do mercado emissor

Reino Unido 2015. Caraterização do mercado emissor 2015 Caraterização do mercado emissor ÍNDICE Perfil do mercado Mercado turístico Mercado para Portugal 3 7 15 Reino Unido, outubro 2015 2 Perfil do mercado O Reino Unido é a 7.ª maior economia mundial

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

Reino Unido Março Mercado em números

Reino Unido Março Mercado em números Março 2017 Mercado em números Designação oficial: da Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales) e Irlanda do Norte Capital: Londres Ireland Denmark Localização: Europa Ocidental Great Britain Netherlands

Leia mais

Reino Unido Dezembro Mercado em números

Reino Unido Dezembro Mercado em números Dezembro 2016 Mercado em números Designação oficial: da Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales) e Irlanda do Norte Capital: Londres Ireland Denmark Localização: Europa Ocidental Great Britain

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2005 Elaborado por: Maria Julieta Martins Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística Índice

Leia mais

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros

Empresas nacionais de transporte aéreo movimentaram mais 6,3% de passageiros Transportes aéreos e atividade turística 2013 10 de setembro de 2014 Movimento de passageiros nos aeroportos nacionais aumentou 4,9% O tráfego comercial nas infraestruturas aeroportuárias nacionais em

Leia mais

V Jornadas Empresariais Portuguesas Encontros de Vidago

V Jornadas Empresariais Portuguesas Encontros de Vidago V Jornadas Empresariais Portuguesas Encontros de Vidago Internacionalização das Empresas Luís Laginha de Sousa 2 de Junho de 2006 Agenda Conclusões Um quadro de referência Internacionalizar inevitabilidade

Leia mais

Desafios do Turismo em Portugal 2014

Desafios do Turismo em Portugal 2014 Desafios do Turismo em Portugal 2014 Crescimento Rentabilidade Inovação 46% O Turismo em Portugal contribui com cerca de 46% das exportações de serviços e mais de 14% das exportações totais. www.pwc.pt

Leia mais

Oportunidades a explorar

Oportunidades a explorar Oportunidades a explorar 1. Candidatura ao reconhecimento da Dieta Mediterrânica de PORTUGAL (liderada por Tavira) 2. Notoriedade do ALGARVE nos principais mercados turísticos europeus [Reino Unido, Alemanha,

Leia mais

- Cenários e possibilidades

- Cenários e possibilidades ACTUALIDADE NACIONAL A TAP após a privatização - Cenários e possibilidades Gavin Eccles _Gavin Eccles é especialista e consultor em transporte aéreo. É colaborador na área do turismo em Lisboa. na Neoturis,

Leia mais

Reino Unido Março Mercado em números

Reino Unido Março Mercado em números Março 2016 Mercado em números Designação oficial: da Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales) e Irlanda do Norte Capital: Londres Ireland Denmark Localização: Europa Ocidental Great Britain Netherlands

Leia mais

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER

Turismo no Espaço Rural. A oferta e a procura no TER A oferta e a procura no TER 2007 Índice Introdução Capacidade de alojamento Estimativa de dormidas Taxas de ocupação-cama Anexos 2 Introdução. Em 2007 estavam em funcionamento em Portugal 1.023 unidades

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DAS COMPANHIAS AÉREAS DE BAIXO CUSTO O CASO DO TURISMO RESIDENCIAL NO ALGARVE

A IMPORTÂNCIA DAS COMPANHIAS AÉREAS DE BAIXO CUSTO O CASO DO TURISMO RESIDENCIAL NO ALGARVE A IMPORTÂNCIA DAS COMPANHIAS AÉREAS DE BAIXO CUSTO NO DESENVOLVIMENTO DE SEGMENTOS DE MERCADO TURÍSTICO O CASO DO TURISMO RESIDENCIAL NO ALGARVE LISBOA, 28 DE NOVEMBRO DE 2008 CLÁUDIA RIBEIRO DE ALMEIDA

Leia mais

Barómetro Turismo Alentejo

Barómetro Turismo Alentejo Barómetro Turismo Alentejo Janeiro 2012 METODOLOGIA TOP DORMIDAS JANEIRO 2012 Inicia-se este ano de 2012 com alterações na metodologia do Barómetro, incluindo a sistemática comparação dos dados de 2012

Leia mais

INFORMATIVO VISTOS OBRIGATÓRIOS PARA OS EMIRADOS ÁRABES TEMPORADA 2010/2011

INFORMATIVO VISTOS OBRIGATÓRIOS PARA OS EMIRADOS ÁRABES TEMPORADA 2010/2011 INFORMATIVO VISTOS OBRIGATÓRIOS PARA OS EMIRADOS ÁRABES TEMPORADA 2010/2011 Os Emirados Árabes exigem que um determinado número de nacionalidades devem estar de posse de um visto antes da chegada no país.

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL

ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL ESTUDO TURISMODA MADEIRA- DRT RESULTADOS PRELIMINARES ACUMULADO GLOBAL sa DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL, MARKETING E PUBLICIDADE, SA Rua do Capitão Pombeiro, 13-15 4250-373 PORTO Tels. 351 22 509 19 43-351

Leia mais

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA

DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA DADOS DE MERCADO 2010/2011 HOLANDA + BÉLGICA HÓSPEDES HOTELARIA ÁREA METROPOLITANA DE LISBOA (NUTSII) (Fonte: INE, PORTUGAL) HOLANDA Hóspedes hotelaria - AM Lisboa 82.600 78.557 75.546 76.601 75.636 74.305

Leia mais

Golfe e Turismo: indústrias em crescimento

Golfe e Turismo: indústrias em crescimento CAPÍTULO I CAPÍTULO I Golfe e Turismo: indústrias em crescimento O universo do golfe, bem visível hoje em muitos territórios, tem desde logo ao nível de contribuição uma relação de causa consequência com

Leia mais

Que políticas de transportes

Que políticas de transportes Que políticas de transportes 8º ciclo de seminários - Transportes e negócios J. Paulino Pereira (Instituto Superior Técnico Universidade Técnica de Lisboa) Professor Universitário e Consultor Aeroportos

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros O Turismo e o Sector dos Cruzeiros Agenda 1. Portugal e o Mar 2. Os Cruzeiros no PENT 3. O Turismo na Economia Portuguesa 4. O Segmento de Cruzeiros Turísticos 5. Cruzeiros Turísticos em Portugal Terminais

Leia mais

Sector de Turismo HOTEL 2.0

Sector de Turismo HOTEL 2.0 Sector de Turismo HOTEL 2.0 18 de Junho de 2013 José Alberto Cardoso 1 Competitividade Política de Transporte Aéreo (diminuição de rotas e frequências). Gestão Aeroportuária ( novo modelo de exploração

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável

Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável Algarve Uma Região de Excelência em Turismo Sustentável Eng. Paulo Pedro Faro, 17 de Novembro de 2008 Conteúdo 1 2 3 4 O desempenho turístico do Algarve tenderá a evoluir para uma menor dependência face

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009]

A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009] A EVOLUÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO DO AEROPORTO DE LISBOA [1990 2009] FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. A Evolução do Transporte Aéreo do Aeroporto de Lisboa [1990 2009] EDIÇÃO

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS

GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS GRANDES OPÇÕES DO PLANO 2008 PRINCIPAIS ASPECTOS I. INTRODUÇÃO O Governo apresentou ao Conselho Económico e Social o Projecto de Grandes Opções do Plano 2008 (GOP 2008) para que este Órgão, de acordo com

Leia mais

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização Fórum Exportações AÇORES Caracterização e Potencial das Exportações Regionais Gualter Couto, PhD Ponta Delgada, 27 de Junho de 2011 1. Internacionalização Internacionalização: Processo Estrutura Organizacional

Leia mais

CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS

CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS News Release DATA: 30 de Janeiro CARROS A GASÓLEO JÁ REPRESENTAM MAIS DE 60% DO MERCADO PORTUGUÊS As vendas dos carros novos a gasóleo na Europa continuam a aumentar à medida que os consumidores trocam

Leia mais

SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS

SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2009 1 MERCADO AUTOMÓVEL 1. Vendas de ligeiros de passageiros novos na Europa Tendo como fonte o Comunicado de 16 de Janeiro de 2009 divulgado pela ACAP,

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras. Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009

Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras. Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009 Actual contexto do mercado turístico e perspectivas futuras Luis Patrão Porto, 18 de Junho de 2009 Portugal um dos principais destinos turísticos mundiais Turistas do Estrangeiro 12,3 milhões 12º na Europa

Leia mais

FICHA TÉCNICA TÍTULO. INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Boletim Estatístico Trimestral N.º 6 ABR JUN 10 EDIÇÃO

FICHA TÉCNICA TÍTULO. INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Boletim Estatístico Trimestral N.º 6 ABR JUN 10 EDIÇÃO ABR JUN 1 [BOLETIM ESTATÍSTICO TRIMESTRAL N.º 6] FICHA TÉCNICA TÍTULO Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Boletim Estatístico Trimestral N.º 6 ABR JUN 1 EDIÇÃO INAC Instituto Nacional de Aviação

Leia mais

Reino Unido volta a recrutar em Portugal

Reino Unido volta a recrutar em Portugal DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÃO Núcleo Distrital de Beja da EAPN Portugal março 2015 Ofertas de emprego Reino Unido volta a recrutar em Portugal Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2015 A CPL Healthcare está novamente

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 29 JAN-MAR 16

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 29 JAN-MAR 16 FICHA TÉCNICA TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 29 JAN-MAR 16 EDIÇÃO ANAC Autoridade Nacional da Aviação Civil Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa 1749-034 Lisboa Telef.: +351 212

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 6 - outubro 2014 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 2.1. Número total de hóspedes 2.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 2.3. Hóspedes por país de origem 1.

Leia mais

Enquadramento, Objectivos e Metodologia. O papel dos aeroportos no desenvolvimento turístico

Enquadramento, Objectivos e Metodologia. O papel dos aeroportos no desenvolvimento turístico Agenda Enquadramento, Objectivos e Metodologia O papel dos aeroportos no desenvolvimento turístico Novo aeroporto de Lisboa: quantificação e avaliação do impacto no sector do turismo Conclusões e recomendações

Leia mais

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades www.pwc.pt Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades A dinâmica das cidades europeias César Gonçalves Funchal 4 abril 2014 Quaisquer que tenham sido as razões que nos colocaram neste lugar

Leia mais

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 25 JAN-MAR 15

FICHA TÉCNICA. TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 25 JAN-MAR 15 FICHA TÉCNICA TÍTULO Boletim Estatístico Trimestral N.º 25 JAN-MAR 15 EDIÇÃO INAC Instituto Nacional de Aviação Civil, I.P. Rua B Edifícios 4 e Santa Cruz Aeroporto de Lisboa 1749-34 Lisboa Telef.: +351

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

Apresentação Overseas 2008. Preparado por Overseas Internacional

Apresentação Overseas 2008. Preparado por Overseas Internacional Apresentação Overseas 2008 Preparado por Overseas Internacional 2008 arnaudlogis - CRESCER EM SEGURANÇA Na linha da estratégia delineada pela sua Administração, a Arnaud Logis viu consolidada a sua liderança

Leia mais

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014 Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã 26 de novembro de 2014 1. Empresas Alemãs em Portugal 2. Investimento Direto Alemão em Portugal 3. Exportação / Importação 1. Empresas Alemãs em Portugal Perspetiva

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

III Conferência Anual do Turismo

III Conferência Anual do Turismo III Conferência Anual do Turismo Perspectivas do Transporte Aéreo A Carlos Paneiro Funchal, 8 de Maio de 2009 1 Principais mensagens As companhias aéreas têm vindo a sofrer duramente com o actual contexto

Leia mais

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 Introdução 3ª edição do European cities hotel forecast; enquadrada pela 2ª vez; Colaboração da

Leia mais

Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta

Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta Agenda O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta O Diagnóstico Turismo marítimo e costeiro Náutica de Recreio 60 Turismo Maritimo e Costeiro 123 Nautica

Leia mais

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL

Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Ensino Superior em Portugal, Que Futuro? Maria da Graça Carvalho 1 de Fevereiro 2013, Lisboa Reitoria UL Índice Investimento público e privado no Ensino Superior Propinas Investimento público e privado

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras Access Azores. Associação privada s/ fins lucrativos;. Constituída em 2014;. Idealizada no seio académico das Universidades de Coimbra e de Aveiro;. Professores, alunos e ex-alunos ligados ao setor do

Leia mais

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 TRADUÇAO NÃO OFICIAL UNCTAD NOTA À IMPRENSA RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 (13 horas de Nova York, 19 horas de Genebra,

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Barómetro Travelstore American Express 2011 Sergio Almeida

Barómetro Travelstore American Express 2011 Sergio Almeida Barómetro Travelstore American Express 2011 Sergio Almeida Director de Negócio Travelstore American Express Um estudo cujas respostas das empresas que participaram gerou uma doação à 1. Amostra 2. Caracterização

Leia mais

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO:

OBJECTIVOS DO OBSERVATÓRIO: ENQUADRAMENTO: O Observatório do Turismo de Lisboa é uma estrutura interna da Associação Turismo de Lisboa, criada em 1999. A ATL é uma associação privada de utilidade pública, que conta actualmente com

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 22/01 Economia 25/01 Comércio Internacional 26/01 Taxas de Juro 29/01 Economia 31/01 Desemprego 31/01 Investimento Banco de Portugal divulgou Boletim Estatístico Janeiro 2007 http://epp.eurostat.ec.europa.eu/pls/portal/docs/page/pgp_prd_cat_prerel/pge_cat_prerel_year_2007/pge_

Leia mais

Desafios do turismo em Portugal - 2014

Desafios do turismo em Portugal - 2014 www.pwc.pt Desafios do turismo em Portugal - 2014 Com a colaboração do Ricardo Sousa Valles Agenda 2 1 Turismo: presente e futuro 3 Lições do passado 4 5 Turismo: importância para a economia 2014 Desafios

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP

Venda de voos internacionais atinge em 2010 87,4% de todas as vendas BSP Venda de voos pelas agências portuguesas acaba 2010 a cair, mas ainda fica acima de 2009 A venda de voos regulares pelas agências de viagens IATA portuguesas, um mercado que em 2008 ultrapassou os 900

Leia mais

Alemanha. Mercado em Ficha. 1º mercado emissor de turistas a nível mundial, com 73,8 milhões de turistas e 9,6% de quota em 2010

Alemanha. Mercado em Ficha. 1º mercado emissor de turistas a nível mundial, com 73,8 milhões de turistas e 9,6% de quota em 2010 Bremen 41.911,8 PIB per Capita (2º) Niedersachsen 8,0 M hab (4º) Nordrhein- Westfalen 18,0 M hab (1º) Baden-Württemberg 10,8 M hab (3º) 33.889,9 PIB per Capita (5º) Fonte: CIA - The World Factbook Hamburg

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL!

REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL! REGULAMENTO DO CONCURSO: OLÁ BRASIL! 1.- Entidade organizadora. - A entidade organizadora deste sorteio é a empresa Vacaciones edreams, S.L. Sociedad Unipersonal (a partir desde momento designada como

Leia mais

ANEXO I 1. REGIME DE NOTIFICAÇÃO/AUTORIZAÇÃO DE SERVIÇOS AÉREOS INTERNACIONAIS NÃO REGULARES

ANEXO I 1. REGIME DE NOTIFICAÇÃO/AUTORIZAÇÃO DE SERVIÇOS AÉREOS INTERNACIONAIS NÃO REGULARES ANEXO I O Instituto Nacional de Aviação Civil, adiante designado abreviadamente por INAC, representado pelo Presidente do Conselho de Administração, Dr. Luís António Fonseca de Almeida, e pelo Vogal do

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO ENTRE DELEGAÇÃO DISTRITAL DE ÉVORA DA ORDEM DOS ENGENHEIROS e AGÊNCIA DE VIAGENS POLICARPO Entre: Policarpo Viagens e Turismo, Lda., pessoa colectiva n.º 503 969 052, sito na Rua

Leia mais

LIS - 20 Milhões de Passageiros

LIS - 20 Milhões de Passageiros LIS - 20 Milhões de Passageiros O balanço de 2 anos de integração na VINCI AIRPORTS 07 de janeiro de 2016 > PLANO DE VOO < Integração VINCI Airports Integração VINCI Airports A VINCI AIRPORTS gere aeroportos

Leia mais

IMPACTO DA LIBERALIZAÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO NO TURISMO E NA ECONOMIA EM GERAL EM MOÇAMBIQUE

IMPACTO DA LIBERALIZAÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO NO TURISMO E NA ECONOMIA EM GERAL EM MOÇAMBIQUE IMPACTO DA LIBERALIZAÇÃO DO TRANSPORTE AÉREO NO TURISMO E NA ECONOMIA EM GERAL EM MOÇAMBIQUE ESBOÇO MARÇO DE 2014 Esta publicação foi produzida para revisão pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento

Leia mais

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado

7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado 7. Fundamentos do agenciamento e produtos turísticos 7.1 Turismo Rural: Estratégias e comercialização de um mercado consolidado INSTRUTOR(A): Andreia Roque Representantes de agências de viagens, técnicos

Leia mais

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal Agenda 1. O Turismo Residencial - efeito multiplicador na economia 2. Motivações para o produto 3. Fatores competitivos de Portugal como destino

Leia mais

A Indústria de Cruzeiros: Oportunidades e estratégias para o Alto Minho

A Indústria de Cruzeiros: Oportunidades e estratégias para o Alto Minho A Indústria de Cruzeiros: Oportunidades e estratégias para o Alto Minho Marta Sá Lemos 24 out. 2012 Sumário O porto de Leixões Fundamentos do Novo Terminal de Cruzeiros O Novo Terminal de Cruzeiros Trabalho

Leia mais

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP)

O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) O Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), em parceria com a Entidade Regional de Turismo do Porte e Norte de Portugal (ERTPNP) e o Aeroporto Sá Carneiro, realizou o estudo do perfil

Leia mais

AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P

AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P AEROPORTOS DE MOÇAMBIQUE, E.P 1. PROGRAMA DE INVESTIMENTOS 2. AEROPORTO INTERNACIONAL DE MAPUTO Maputo, 30 Nov 2010 INTRODUÇÃO Devido a dinâmica de desenvolvimento dos últimos tempos, algumas unidades

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS 1 de 6 - mobilidade humana e OBJECTIVO: Identifica sistemas de administração territorial e respectivos funcionamentos integrados. O Turismo Guião de Exploração Indicadores sobre o turismo em Portugal 27

Leia mais

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento Captação de Grandes Congressos Internacionais Regulamento Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento tem por objecto a definição dos termos de concessão de apoio a projectos de captação de grandes Congressos

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais