CMMI: Capability Maturity Model Integration

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CMMI: Capability Maturity Model Integration"

Transcrição

1 CMMI: Capability Maturity Model Integration Adriano J. Holanda 21/10/2015 Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

2 CMMI: Capability Maturity Model Integration 1987 Iniciativa do Departamento de Defesa (DoD) e Instituto de Engenharia de Software da Universidade de Carnegie Mellon, ambos nos Estados Unidos para estabelecer um modelo de produção de software com as seguintes propostas: Ser baseado em experiência prática das empresas de software; Refletir melhor o estado da prática; Ser documentado e estar disponível publicamente; Atender as necessidades daqueles que realizam melhorias no processo de produção de software. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

3 CMMI: Capability Maturity Model Integration 1987 Iniciativa do Departamento de Defesa (DoD) e Instituto de Engenharia de Software da Universidade de Carnegie Mellon, ambos nos Estados Unidos para estabelecer um modelo de produção de software com as seguintes propostas: Ser baseado em experiência prática das empresas de software; Refletir melhor o estado da prática; Ser documentado e estar disponível publicamente; Atender as necessidades daqueles que realizam melhorias no processo de produção de software. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

4 CMMI: Capability Maturity Model Integration 1987 Iniciativa do Departamento de Defesa (DoD) e Instituto de Engenharia de Software da Universidade de Carnegie Mellon, ambos nos Estados Unidos para estabelecer um modelo de produção de software com as seguintes propostas: Ser baseado em experiência prática das empresas de software; Refletir melhor o estado da prática; Ser documentado e estar disponível publicamente; Atender as necessidades daqueles que realizam melhorias no processo de produção de software. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

5 CMMI: Capability Maturity Model Integration 1987 Iniciativa do Departamento de Defesa (DoD) e Instituto de Engenharia de Software da Universidade de Carnegie Mellon, ambos nos Estados Unidos para estabelecer um modelo de produção de software com as seguintes propostas: Ser baseado em experiência prática das empresas de software; Refletir melhor o estado da prática; Ser documentado e estar disponível publicamente; Atender as necessidades daqueles que realizam melhorias no processo de produção de software. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

6 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

7 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

8 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

9 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

10 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

11 Características de uma empresa imatura O objetivo do CMMI é tornar uma empresa madura com relação aos processos de produção de software. Uma empresa imatura possui uma ou mais das seguintes características: O trabalho é feito em regime de emergência (apagar incêndio); Dificilmente os compromissos de prazo e custo são cumpridos; Não é usual fazer planejamento com base em estimativas realistas; Como os processos não são bem definidos, eventuais iniciativas de melhoria não se sustentam ou não se perpetuam; Quando o projeto é pressionado por prazo, características de qualidade e funcionalidade do produto são sacrificadas; O sucesso de um projeto depende de alguns poucos especialistas (gurus), que resolvem todos os grandes problemas ou lançam mão de novas tecnologias como solução milagrosa. Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration

12 Níveis de Capacidade e Maturidade Níveis de Capacidade e Maturidade

13 Níveis de Capacidade e Maturidade Comparação dos níveis de capacidade e maturidade. Nível Representação contínua dos Representação discreta dos níveis de capacidade níveis de maturidade Nível 0 Incompleto Nível 1 Realizado Inicial Nível 2 Gerenciado Gerenciado Nível 3 Definido Definido Nível 4 Gerenciado quantitativamente Nível 5 Em Otimização Níveis de Capacidade e Maturidade

14 Níveis de capacidade 0. Incompleto: Um processo incompleto é um processo que não é realizado ou parcialmente realizado. 1. Realizado: Um processo realizado é um processo que atinge o objetivo de produção. Apesar de ser um avanço, as melhorias são perdidas se não for uma política institucional. 2. Gerenciado: Um processo gerenciado é planejado e executado de acordo com uma política; emprega pessoas capacitadas para produzir resultados controlados, seguindo a sequência de descrição do processo. 3. Definido: Um processo definido segue as métricas da organização de acordo com alguma norma. Produz experiência a partir do relato e medidas da sequência de descrição do processo. Possibilita análises qualitativas e quantitativas. Níveis de Capacidade e Maturidade

15 Níveis de capacidade 0. Incompleto: Um processo incompleto é um processo que não é realizado ou parcialmente realizado. 1. Realizado: Um processo realizado é um processo que atinge o objetivo de produção. Apesar de ser um avanço, as melhorias são perdidas se não for uma política institucional. 2. Gerenciado: Um processo gerenciado é planejado e executado de acordo com uma política; emprega pessoas capacitadas para produzir resultados controlados, seguindo a sequência de descrição do processo. 3. Definido: Um processo definido segue as métricas da organização de acordo com alguma norma. Produz experiência a partir do relato e medidas da sequência de descrição do processo. Possibilita análises qualitativas e quantitativas. Níveis de Capacidade e Maturidade

16 Níveis de capacidade 0. Incompleto: Um processo incompleto é um processo que não é realizado ou parcialmente realizado. 1. Realizado: Um processo realizado é um processo que atinge o objetivo de produção. Apesar de ser um avanço, as melhorias são perdidas se não for uma política institucional. 2. Gerenciado: Um processo gerenciado é planejado e executado de acordo com uma política; emprega pessoas capacitadas para produzir resultados controlados, seguindo a sequência de descrição do processo. 3. Definido: Um processo definido segue as métricas da organização de acordo com alguma norma. Produz experiência a partir do relato e medidas da sequência de descrição do processo. Possibilita análises qualitativas e quantitativas. Níveis de Capacidade e Maturidade

17 Níveis de capacidade 0. Incompleto: Um processo incompleto é um processo que não é realizado ou parcialmente realizado. 1. Realizado: Um processo realizado é um processo que atinge o objetivo de produção. Apesar de ser um avanço, as melhorias são perdidas se não for uma política institucional. 2. Gerenciado: Um processo gerenciado é planejado e executado de acordo com uma política; emprega pessoas capacitadas para produzir resultados controlados, seguindo a sequência de descrição do processo. 3. Definido: Um processo definido segue as métricas da organização de acordo com alguma norma. Produz experiência a partir do relato e medidas da sequência de descrição do processo. Possibilita análises qualitativas e quantitativas. Níveis de Capacidade e Maturidade

18 Níveis de maturidade 1. Inicial: No nível de maturidade 1, os processos são normalmente ad hoc e caóticos. A organização não propicia um ambiente estável de suporte aos processos. 2. Gerenciado: Os processos são planejados e executados de acordo com uma política. Similar ao nível de capacidade Definido: Os processos são bem caracterizados e entendidos, e são descritos em normas, procedimentos, ferramentas e métodos. Os processos são mais bem descritos e normatizados que o nível Gerenciado Quantitativamente: A organização estabelece objetivos quantitativos para a qualidade e desempenho do processo e os utiliza no gerenciamento do processo. É utilizada análise estatística para monitoramento e controle dos processos. 5. Em Otimização: A organização aperfeiçoa continuamente seus processos baseada no entendimento quantitativo dos objetivos do negócio e necessidades de desempenho. Níveis de Capacidade e Maturidade

19 Níveis de maturidade 1. Inicial: No nível de maturidade 1, os processos são normalmente ad hoc e caóticos. A organização não propicia um ambiente estável de suporte aos processos. 2. Gerenciado: Os processos são planejados e executados de acordo com uma política. Similar ao nível de capacidade Definido: Os processos são bem caracterizados e entendidos, e são descritos em normas, procedimentos, ferramentas e métodos. Os processos são mais bem descritos e normatizados que o nível Gerenciado Quantitativamente: A organização estabelece objetivos quantitativos para a qualidade e desempenho do processo e os utiliza no gerenciamento do processo. É utilizada análise estatística para monitoramento e controle dos processos. 5. Em Otimização: A organização aperfeiçoa continuamente seus processos baseada no entendimento quantitativo dos objetivos do negócio e necessidades de desempenho. Níveis de Capacidade e Maturidade

20 Níveis de maturidade 1. Inicial: No nível de maturidade 1, os processos são normalmente ad hoc e caóticos. A organização não propicia um ambiente estável de suporte aos processos. 2. Gerenciado: Os processos são planejados e executados de acordo com uma política. Similar ao nível de capacidade Definido: Os processos são bem caracterizados e entendidos, e são descritos em normas, procedimentos, ferramentas e métodos. Os processos são mais bem descritos e normatizados que o nível Gerenciado Quantitativamente: A organização estabelece objetivos quantitativos para a qualidade e desempenho do processo e os utiliza no gerenciamento do processo. É utilizada análise estatística para monitoramento e controle dos processos. 5. Em Otimização: A organização aperfeiçoa continuamente seus processos baseada no entendimento quantitativo dos objetivos do negócio e necessidades de desempenho. Níveis de Capacidade e Maturidade

21 Níveis de maturidade 1. Inicial: No nível de maturidade 1, os processos são normalmente ad hoc e caóticos. A organização não propicia um ambiente estável de suporte aos processos. 2. Gerenciado: Os processos são planejados e executados de acordo com uma política. Similar ao nível de capacidade Definido: Os processos são bem caracterizados e entendidos, e são descritos em normas, procedimentos, ferramentas e métodos. Os processos são mais bem descritos e normatizados que o nível Gerenciado Quantitativamente: A organização estabelece objetivos quantitativos para a qualidade e desempenho do processo e os utiliza no gerenciamento do processo. É utilizada análise estatística para monitoramento e controle dos processos. 5. Em Otimização: A organização aperfeiçoa continuamente seus processos baseada no entendimento quantitativo dos objetivos do negócio e necessidades de desempenho. Níveis de Capacidade e Maturidade

22 Níveis de maturidade 1. Inicial: No nível de maturidade 1, os processos são normalmente ad hoc e caóticos. A organização não propicia um ambiente estável de suporte aos processos. 2. Gerenciado: Os processos são planejados e executados de acordo com uma política. Similar ao nível de capacidade Definido: Os processos são bem caracterizados e entendidos, e são descritos em normas, procedimentos, ferramentas e métodos. Os processos são mais bem descritos e normatizados que o nível Gerenciado Quantitativamente: A organização estabelece objetivos quantitativos para a qualidade e desempenho do processo e os utiliza no gerenciamento do processo. É utilizada análise estatística para monitoramento e controle dos processos. 5. Em Otimização: A organização aperfeiçoa continuamente seus processos baseada no entendimento quantitativo dos objetivos do negócio e necessidades de desempenho. Níveis de Capacidade e Maturidade

23 Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

24 Gerenciamento de processos Definição de processo organizacional; Foco de processo organizacional; Treinamento organizacional; Desempenho do processo organizacional; Inovação e implantação organizacional. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

25 Gerenciamento de processos Definição de processo organizacional; Foco de processo organizacional; Treinamento organizacional; Desempenho do processo organizacional; Inovação e implantação organizacional. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

26 Gerenciamento de processos Definição de processo organizacional; Foco de processo organizacional; Treinamento organizacional; Desempenho do processo organizacional; Inovação e implantação organizacional. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

27 Gerenciamento de processos Definição de processo organizacional; Foco de processo organizacional; Treinamento organizacional; Desempenho do processo organizacional; Inovação e implantação organizacional. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

28 Gerenciamento de processos Definição de processo organizacional; Foco de processo organizacional; Treinamento organizacional; Desempenho do processo organizacional; Inovação e implantação organizacional. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

29 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

30 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

31 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

32 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

33 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

34 Gerenciamento de projetos Planejamento de projeto; Monitoramento e controle de projeto; Gerenciamento de acordo com fornecedores; Gerenciamento de projeto integrado; Gerenciamento de riscos; Gerenciamento quantitativo de projeto. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

35 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

36 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

37 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

38 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

39 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

40 Engenharia Gerenciamento de requisitos; Desenvolvimento de requisitos; Solução técnica; Integração de produto; Verificação; Validação. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

41 Suporte Gerenciamento de configuração; Garantia de qualidade de processo e produto; Medição e análise; Análise de decisão e resolução; Análise causal e resolução. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

42 Alcance das metas Monitoramento e controle do processo: Ações corretivas são gerenciadas até a conclusão quando o desempenho ou os resultados do projeto se desviam significativamente do plano. O desempenho real e o progresso do projeto são monitorados de acordo com o plano do projeto. Desenvolvimento de requisitos: Os requisitos são analisados e validados, e uma definição da funcionalidade requerida é desenvolvida. Análise causal e resolução: Causa-raiz de defeitos e outros problemas são determinados. Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

43 Referências CMMI Product Team. CMMI for Development, Version 1.3. Technical Report, Disponível em Ian Sommerville. Engenharia de Software. Editora Pearson, 9 a edição, Mário Lúcio Côrtes; Thelma C. dos Santos Chiossi. Modelos de Qualidade de Software. Editora da UNICAMP, Áreas de processo no CMMI: gerenciamento de processos, gerenciamento de projetos, engenharia, suporte.

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade VI GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Capability Maturity Model Integration CMMI SW-CMM (Software Capability Maturity Model): prove informações para o aprimoramento de processos de desenvolvimento

Leia mais

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM Capability Maturity Model O que é o CMM? Modelo para avaliação da maturidade dos processos de software de uma organização Identificação das práticas chave

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

CMM - Capability Maturity Model

CMM - Capability Maturity Model Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em II CMM Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br CMM - Capability Maturity Model Desenvolvido pelo SEI (Instituto de Engenharia de ) Carnegie Mellon

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE O modelo CMM Capability Maturity Model foi produzido pelo SEI (Software Engineering Institute) da Universidade Carnegie Mellon (CMU), em Pittsburgh, EUA, por um grupo

Leia mais

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio CMM Capability Maturity Model Silvia Regina Vergilio Histórico O DoD patrocinou a fundação do SEI (Software Engineering Institute) na Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburg) com o objetivo de propor

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado.

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Aécio Costa CMM Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Objetivos Fornecer software de qualidade para o Departamento de Defesa dos EUA Aumentar a capacitação da indústria

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Introdução a CMMI Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Campina Grande, 29 de setembro de 2008 Agenda Processos Motivação Sintomas de falha de processo Aprimoramento de Processos O Framework

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Modelo de Qualidade CMMI

Modelo de Qualidade CMMI Modelo de Qualidade CMMI João Machado Tarcísio de Paula UFF - Campus Rio das Ostras Resumo Este trabalho tem como objetivo explicar de forma simples o que é e como funciona o modelo de qualidade CMMI,

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

Melhorias de Processos de Engenharia de Software

Melhorias de Processos de Engenharia de Software Melhorias de Processos de Engenharia de Software CMMI 1 Profa. Reane Franco Goulart O que é CMMI? O Capability Maturity Model Integration (CMMI) é uma abordagem de melhoria de processos que fornece às

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Melhoria de Processos CMMi

Melhoria de Processos CMMi Melhoria de Processos CMMi Prof. Marcelo Maia 1 O que é o CMMI? Um modelo previamente comprovado de melhoria de processos na organização; Um framework para organizar e priorizar atividades de melhoria;

Leia mais

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto Gerais Processo Produto Propostas NBR ISO 9000:2005 define principios e vocabulário NBR ISO 9001:2000 define exigências para sistema de gerência de qualidade NBR ISO 9004:2000 apresenta linha diretivas

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e fortes, que serão utilizados para a criação de um plano

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration)

Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration) Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration) CMM CapabilityMaturityModel O CMM é um modelo desenvolvido pelo Software Engineering Institute (SEI) em parceria

Leia mais

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software?

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? 21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? Qualidade de software é uma preocupação real e esforços têm sido realizados na busca pela qualidade dos processos envolvidos em seu desenvolvimento

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Renato Luiz Della Volpe Sócio Diretor da ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. Formado em 1983 em Eng. Mecânica pela FEI e Pós-graduação em Administração pela USP 2001.

Leia mais

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina. Campus da Grande Florianópolis Pedra Branca. CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE ALUNO: Volnei A. Caetano Palhoça 02 de Junho de 2000 C.M.M. Capability

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br

Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br Modelos de Processo Pessoal e de Equipe na Melhoria da Qualidade em Produção de Software Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br Agenda Importância das Pessoas / Constatações Compromisso

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Prof. Martius Vicente Rodriguez y Rodriguez, DSc - 1 TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1. TIPOS DE 2. ARQUITETURAS DE SISTEMAS - CRM 3. KNOWLEDGE DISCOVERY IN DATABASE 4. SISTEMAS

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Daniel Gonçalves Jacobsen 1 Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Porto Alegre RS Brasil daniel@flete.com.br Abstract. This article describes

Leia mais

Gerenciamento de Projetos de Software. Conceitos e objetivos da gerência de projetos

Gerenciamento de Projetos de Software. Conceitos e objetivos da gerência de projetos Gerenciamento de Projetos de Software Conceitos e objetivos da gerência de projetos 1 O que é Projeto? Atividades numa organização podem ser rotineiras ou inovadoras. Rotineiras: processos contínuos, sem

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps)

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto mps Br: Modelo de Referência para Melhoria de Processo de Software CMMI SPICE SCAMPI MODELO PARA MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Garantia da Qualidade de Processo e Produto Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. É permitido o uso deste material

Leia mais

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3 Objetivos Histórico Evolução da Qualidade Princípios de Deming CMMI Conceitos Vantagens Representações Detalhamento Gerenciamento Comparação Out/11 2 Histórico SW-CMM (Software Capability Maturity Model):

Leia mais

Qualidade de Software. Anderson Belgamo

Qualidade de Software. Anderson Belgamo Qualidade de Software Anderson Belgamo Qualidade de Software Software Processo Produto Processo de Software Pessoas com habilidades, treinamento e motivação Processo de Desenvolvimento Ferramentas e Equipamentos

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM)

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM) DCC / ICEx / UFMG Um pouco de história O Modelo CMMI Na década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Objetivos Fornecer software

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos;

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos; Versão 1.1 - Última Revisão 16/08/2006 Porque estudar um Modelo de Maturidade? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para

Leia mais

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Prof. Martius V. Rodriguez y Rodriguez, DSc martius@kmpress.com.br MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Gestão do Conhecimento evolução conceitual.

Leia mais

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.

Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura. O Modelo. Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail. Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura O Modelo Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Agenda O que é? Motivação Organização do MPS.BR Estrutura

Leia mais

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU

Coletânea Gestão e Governança de TI TCU Coletânea Gestão e Governança de TI TCU (COBIT, ITIL, PMBOK, CMMI, Planejamento Estratégico e Modelagem de Processos) Professores: Hério Oliveira e Walter Cunha http://www.waltercunha.com http://heriooliveira.wordpress.com

Leia mais

Gerenciando Riscos no Desenvolvimento de Software

Gerenciando Riscos no Desenvolvimento de Software Rafael Espinha, MSc rafael.espinha@primeup.com.br João Condack, MSc condack@primeup.com.br Maiores informações: http://www.primeup.com.br riskmanager@primeup.com.br +55 21 2512-6005 Gerenciando Riscos

Leia mais

Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios

Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Metodologia para Análise de Maturidade de Governança de TI Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Análise de Maturidade de Governança

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

Definição e Implantação de Modelo de Maturidade em Testes. Fone/Fax: +55 11 3384.4113 - www.qualiti.com - info@qualiti.com

Definição e Implantação de Modelo de Maturidade em Testes. Fone/Fax: +55 11 3384.4113 - www.qualiti.com - info@qualiti.com Definição e Implantação de Modelo de Maturidade em Testes Objetivo e Produto Objetivo Melhorar a medição de qualidade dos códigos antes de promovê-los para produção. Produto Modelo de Maturidade em Testes,

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI

Profa. Celia Corigliano. Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Unidade IV GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Agenda da disciplina Unidade I Gestão de Projetos Unidade II Ferramentas para Gestão de Projetos Unidade III Gestão de Riscos em TI Unidade

Leia mais

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos Prof. Ricardo J. Rabelo Conteúdo Introdução & Problemática

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br TMMi Test Maturity Model integration Erika Nina Höhn erikahohn@asrconsultoria.com.br Agenda Fundamentos Estrutura do TMMi TMMi x CMMi Proposta de avaliação e diagnóstico Custos

Leia mais

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães Agenda Contextualização da Qualidade Dificuldades na construção de software Possíveis soluções

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Visão Geral do Processo de Desenvolvimento de Software Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli 1 Roteiro da Apresentação 1. Introdução e Objetivos 2.

Leia mais

Planejamento e Gerenciamento de Projeto de Software

Planejamento e Gerenciamento de Projeto de Software Planejamento e Gerenciamento de Projeto de Definição das Estimativas e Métricas Dimensionamento do software Cálculo do esforço Análise dos Riscos Definição Equipe Alocação de tarefas Cronograma Orçamento

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO ISSN 1676-6822 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 8 JUNHO DE 2005 AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE Kleber ALMEIDA Docente da

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

Modelos de Maturidade (CMMI, MPS-BR, PMMM)

Modelos de Maturidade (CMMI, MPS-BR, PMMM) UNEB - UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA - DCET1 COLEGIADO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE PROFESSOR: EDUARDO JORGE Modelos de Maturidade

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software André Mesquita Rincon Instituto de Informática/Universidade Federal de Goiás (UFG) Goiânia GO Brasil Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas/Fundação

Leia mais

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Ana Regina Rocha Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Coordenadora da Equipe Técnica do Modelo MPS Uma Organização com bom desempenho gasta 80% de

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

Qualidade de Software: Visão Geral

Qualidade de Software: Visão Geral Qualidade de Software: Visão Geral Engenharia de Software 1 Aula 05 Qualidade de Software Existem muitas definições de qualidade de software propostas na literatura, sob diferentes pontos de vista Qualidade

Leia mais

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES P1-MPS.BR - Prova de Introdução ao MPS.BR Data: 21 de maio de 2007 Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) Nome: e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: GERÊNCIA DE

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Planejamento e Gerenciamento Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Pessoas, Produto, Processo e Projeto; Gerência de

Leia mais

CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM. Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM

CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM. Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM Walteno Martins Parreira Júnior, Renner Augusto Alves Lima, Roberto Guimarães Dutra

Leia mais

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software

Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em Desenvolvimento de Software Rafael Espinha, Msc rafael.espinha@primeup.com.br +55 21 9470-9289 Maiores informações: http://www.primeup.com.br riskmanager@primeup.com.br +55 21 2512-6005 Avaliação de Riscos Aplicada à Qualidade em

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management)

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management) Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG Maturidade em BPM (Business Process Management) Douglas Rodarte Florentino Belo Horizonte, 21 de Junho de 2010 Agenda Introdução

Leia mais

Implantação da Governança a de TI na CGU

Implantação da Governança a de TI na CGU Implantação da Governança a de TI na CGU José Geraldo Loureiro Rodrigues Diretor de Sistemas e Informação Controladoria-Geral da União I Workshop de Governança de TI da Embrapa Estratégia utilizada para

Leia mais

CMM - Capability Maturity Model for Software - SmartSEC Soluções...

CMM - Capability Maturity Model for Software - SmartSEC Soluções... 1 de 6 10/9/2007 09:59 Home Login / Cadastro Contato Nossa Missão Serviços Tecnologia Produtos SmartSEC Fórum de Discussão Loja Virtual ShopMAX CMM - Capability Maturity Model for Software Em caso de duvidas

Leia mais

RESULTADO DOS RECURSOS DA PROVA OBJETIVA EDITAL 02/2012.

RESULTADO DOS RECURSOS DA PROVA OBJETIVA EDITAL 02/2012. RESULTADO DOS RECURSOS DA PROVA OBJETIVA EDITAL 02/2012. LEGENDA DOS RESULTADOS Deferido: Recurso acatado Indeferido: Recurso não acatado Questão já anulada: Questão anulada por outro recurso analisado

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE

AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE AVALIAÇÃO DE UM PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DE PRODUTOS DE SOFTWARE QUANTO A SUA ADERÊNCIA AO CMMI FOR SERVICE Autoria: Natércia Ponte Nogueira, Andreia Rodrigues, Adriano Albuquerque, Alessandro Câmara RESUMO.

Leia mais

Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização

Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização Gerência de Configuração em Ambientes de Desenvolvimento de Software Orientados a Organização Sávio Figueiredo, Gleison Santos, Ana Regina Rocha COPPE UFRJ {savio, gleison, darocha}@cos.ufrj.br SBQS 2004

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial Governança de Tecnologia da Informação parte 2 Fonte: Mônica C. Rodrigues Padrões e Gestão de TI ISO,COBIT, ITIL 3 International Organization for Standardization d -

Leia mais

CMMI Capability Maturity Model Integration

CMMI Capability Maturity Model Integration Centro Universitário UNA Pós-Graduação em Gestão de Tecnologia da Informação CMMI Capability Maturity Model Integration Professor: Julio Vilela da Silva Neto Eduardo Fernandes Catrinck RA: 0623787 Belo

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo QUALIDADE DE SOFTWARE - PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza

A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G. por Adriana Silveira de Souza A visão do modelo MPS.BR para Gerência de Projeto - Nível G por Adriana Silveira de Souza Agenda Visão Geral do MPS.BR Processos e Capacidade de Processo Níveis de Maturidade Atributos de Processo Processo

Leia mais