Qualidade de Software. Anderson Belgamo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade de Software. Anderson Belgamo"

Transcrição

1 Qualidade de Software Anderson Belgamo

2 Qualidade de Software Software Processo Produto

3 Processo de Software Pessoas com habilidades, treinamento e motivação Processo de Desenvolvimento Ferramentas e Equipamentos Procedimentos e métodos que definem o relacionamento de tarefas. A B C D

4 Processo de Software Pessoas com habilidades, treinamento e motivação Processo de Desenvolvimento Gerenciar o Processo Ferramentas e Equipamentos Procedimentos e B métodos que definem A D o relacionamento C Processo de tarefas. de Software muito BEM definido

5 Modelos de Qualidade de Processo de Software Exemplos de esforços nesse sentido: CMM CMMI SPICE (ISO ) ISO

6 Modelos de Qualidade de Processo de Software Exemplos de esforços nesse sentido: CMM CMMI SPICE (ISO ) ISO Diferenças: o CMMI possui a representação em estágio e continuada e o CMM apenas em estágio

7 CMMI- Capability Maturity Model Integration Capability Maturity Model Integration) (Integração do Modelo de Maturidade da Competência) Maturidade da Competência : competência em controlar o Processo de Software (desenvolvimento, gerenciamento e manutenção). Maturidade da Competência Maturidade do Processo de Software

8 Os 5 níveis de Maturidade do CMM GERENCIADO OTIMIZADO com Melhoria Contínua DEFINIDO Previsíveis REPETÍVEL Padronizadas INICIAL Disciplinadas Caóticas

9 CMM: Nível 1 - Inicial INICIAL Caóticas O processo de software é caracterizado como ad hoc, e ocasionalmente até mesmo caótico. Poucos processos são definidos e o sucesso depende de esforços individuais e heróicos.

10 CMM: Nível 1 - Inicial O Gerenciamento de Software é uma Caixa Preta In Out Requisitos fluem para dentro Um produto de software é (normalmente) produzido através de algum processo disforme O produto flui para fora e (espera-se) funciona

11 CMM: Nível 2 - Repetível REPETÍVEL Disciplinadas Processos administrativos básicos são estabelecidos para acompanhar custo, cronograma e funcionalidade. A disciplina de processo está em repetir sucessos anteriores em projetos com aplicações similares.

12 CMM: Nível 2 - Repetível Está em vigor um Sistema de Gerenciamento de Projeto In Out Processo de construção de software é uma série de caixas pretas com pontos de verificação definidos

13 CMM: Nível 3 - Definido DEFINIDO Padronizadas Os processos de software, tanto para atividades administrativas quanto para de engenharia estão documentados, padronizados e integrados em um processo de software padrão para a organização. Todos os projetos usam uma versão aprovada do processo de software padrão da organização para desenvolvimento e manutenção de software.

14 CMM: Nível 3 - Definido Desenvolvimento de software de acordo com um processo bem definido In Out Funções e responsabilidades no processo são bem entendidas A produção do produto de software é visível através do processo de software

15 CMM: Nível 4 - Gerenciado São coletadas medidas detalhadas da qualidade do processo e do produto. GERENCIADO Previsíveis Tanto o processo de software quanto os produtos são quantitativamente compreendidos e controlados.

16 CMM: Nível 4 - Gerenciado Produto e processo são gerenciados quantitativamente In Out A gerência tem bases objetivas para tomada de decisão A gerência é capaz de prever o desempenho dentro de limites quantificados

17 CMM: Nível 5 - Otimizado Contínua melhoria de processo é possível por retornos quantitativos dos processos e das idéias e tecnologias inovativadoras OTIMIZADO com Melhoria Contínua

18 CMM: Nível 5 - Otimizado Foco na melhoria contínua do processo In Out Mudança disciplinada é um meio de vida

19 Mudança de Nível de Maturidade REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos INICIAL Caóticas

20 Mudança de Nível de Maturidade Técnicas de Elicitação de Requisitos Entrevista Questionário REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos JAD (Joint Application Design) INICIAL Caóticas

21 Mudança de Nível de Maturidade Especificação de Requisitos Padrão IEEE REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos INICIAL Caóticas

22 Mudança de Nível de Maturidade Gerenciamento de Requisitos Rastreamento REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos Ferramenta: Rational Requisite Pro INICIAL Caóticas

23 Plano de Projeto Estimativas Mudança de Nível de Maturidade LOC (Lines of Code) PF (Pontos de Função) REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos COCOMO (Constructive COst MOdel) Gráfico de Gantt Ferramenta: Microsoft Project Rede PERT/CPM INICIAL Caóticas

24 Plano de Projeto de Software I. Introdução 1. Escopo e propósito do documento 2. Objetivos do Projeto II. Estimativas de Projeto 1. Dados históricos usados nas estimativas 2. Técnicas de estimativa 3. Estimativas III. Riscos do Projeto 1. Análise dos riscos 2. Administração dos riscos IV. Cronograma 1. Divisão do trabalho (work breakdown) 2. Rede de tarefas 3. Gráfico de Gantt 4. Tabela de recursos V. Recursos do Projeto 1. Pessoal 2. Hardware e Software 3. Recursos especiais VI. Organização do Pessoal 1. Estrutura de Equipe 2. Relatórios Administrativos VII. Mecanismos de Controle VIII. Apêndices

25 Plano de Projeto Estimativas Mudança de Nível de Maturidade LOC (Lines of Code) PF (Pontos de Função) REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos COCOMO (Constructive COst MOdel) Gráfico de Gantt Ferramenta: Microsoft Project Rede PERT/CPM INICIAL Caóticas

26 Plano de Projeto Estimativas Mudança de Nível de Maturidade LOC (Lines of Code) PF (Pontos de Função) REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos COCOMO (Constructive COst MOdel) Rede PERT/CPM Gráfico de Gantt Ferramenta: Microsoft Project INICIAL Caóticas

27 Rede PERT/CPM B 1 12 A 2 10 C 3 10 D 15 4 As atividades B e C podem ser executadas simultaneamente

28 Mudança de Nível de Maturidade Plano de Projeto Estimativas LOC (Lines of Code) PF (Pontos de Função) REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos COCOMO (Constructive COst MOdel) Rede PERT/CPM Gráfico de Gantt Ferramenta: Microsoft Project INICIAL Caóticas

29 Plano de Projeto Estimativas LOC (Lines of Code) PF (Pontos de Função) COCOMO (Constructive COst MOdel) Rede PERT/CPM

30 Mudança de Nível de Maturidade Acompanhamento do Projeto de Software Esta kpa procura garantir que o plano de projeto (objeto da kpa anterior) não seja esquecido. Faz-se a distinção entre o acompanhamento, entendido como a tarefa diária do projetista de verificar desvios em relação ao planejado, e supervisão, realizada pela alta gerencia, em períodos do ciclo de vida previamente definidos, com o objetivo de garantir que os grandes objetivos e metas do projeto estejam sendo cumpridos. REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos INICIAL Caóticas

31 Gerenciamento de Subcontrato de Software Mudança de Nível de Maturidade Esta kpa procura garantir que qualquer organização subcontratada para executar parte de um projeto possua, no mínimo, o mesmo grau de organização no processo de software que a empresa contratante. REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos Se assim não for, custos e prazos do projeto como um todo podem ser comprometidos pela incapacidade do subcontratado de cumprir as metas que lhe foram estabelecidas. INICIAL Caóticas

32 Mudança de Nível de Maturidade VV&T (Verificação, Validação e Testes) Inspeções de Software Checklist PBR (Perspective-Based Reading) Teste de Software Funcional Estrutural REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos Baseado em Erros INICIAL Caóticas

33 Mudança de Nível de Maturidade Controle de Versão Controle de Modificação REPETÍVEL Disciplinadas 6- Gerenciamento da Configuração de Software 5- Garantia da Qualidade de Software 4- Gerenciamento de Subcontrato de Software 3- Acompanhamento de Projeto de Software 2- Planejamento de Projeto de Software 1- Gerenciamento de Requisitos INICIAL Caóticas

34 Mudança de Nível de Maturidade 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

35 Mudança de Nível de Maturidade SEPG (Software Engineering Process Group) 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Responsável pelas atividades de melhoria do processo de software DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

36 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

37 Modelo Seqüencial Linear Engenharia de Sistemas / Informação Análise Projeto Codificação Testes muitas organizações que usam esse modelo, aplicam-no de forma estritamente linear

38 Modelo Seqüencial Linear Engenharia de de Sistemas Análise de de Requisitos Projeto Codificação Testes Manutenção modelo original, proposto por Royce, prevê feedback

39 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

40 Prototipação início fim construção produto obtenção dos requisitos projeto rápido refinamento protótipo avaliação protótipo construção protótipo

41 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

42 Modelo RAD equipe # 1 modelagem do negócio modelagem dos dados equipe # 2 modelagem do negócio modelagem do processo modelagem dos dados geração da aplicação modelagem do negócio modelagem do processo teste e modificação equipe # 3 modelagem dos dados geração da aplicação modelagem do processo teste e modificação geração da aplicação teste e modificação dias

43 Modelos de Processo Modelo Mudança Seqüencial Linear de Nível de Maturidade Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

44 Modelo Incremental Engenharia de Sistemas / Informação incremento 1 Análise Análise Projeto Projeto Codificação Codificação Testes Testes produto liberado do incremento 1 incremento 2 Análise Análise Projeto Projeto Codificação Codificação Testes Testes produto liberado do incremento 2 incremento 3 Análise Análise Projeto Projeto Codificação Codificação Testes Testes produto liberado do incremento 3 incremento 4 Análise Análise Projeto Projeto Codificação Codificação tempo Testes Testes produto liberado do incremento 4

45 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

46 Modelo Espiral Planejamento Análise de Risco Comunicação com o Cliente Engenharia Avaliação do Cliente Construção e Release

47 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Sequencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

48 Modelo de Montagem de Componentes Comunicação com o Cliente Planejamento Análise de Risco construir n-ésima iteração do sistema identificação de componentes candidatos verifique componentes na biblioteca Engenharia colocar novo componenete na biblioteca extrair componente quando disponível Avaliação do Cliente Construção e Release construir componente quando não disponível

49 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Sequencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

50 Modelo de Desenvolvimento Concorrente Atividade de Análise nada nada em em desenvolvimento desenvolvimento aguardando aguardando mudanças mudanças sob sob inspeção inspeção sob sob revisão revisão averiguado averiguado realizado realizado

51 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

52 Modelo de Métodos Formais (comentários) Atualmente esse modelo consome muito tempo e é muito caro Como poucos desenvolvedores possuem o background necessário para utilizá-lo, são requeridos muitos cursos e treinamentos É difícil usar tais modelos como meio de comunicação com a maioria dos clientes

53 Modelos de Processo Mudança de Nível de Maturidade Modelo Seqüencial Linear Modelo de Prototipação Modelo RAD Modelos Evolucionários 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Incremental Espiral Montagem de Componente Desenvolvimento Concorrente Modelo de Métodos Formais REPETÍVEL Técnicas de 4ª Geração Disciplinadas DEFINIDO Padronizadas

54 Técnicas de 4 a Geração Obtenção dos dos Requisitos Estratégia do do Projeto Implementação usando 4GL 4GL Testes

55 Mudança de Nível de Maturidade Programa de Treinamento O propósito desta kpa é desenvolver as habilidades e aumentar o conhecimento dos indivíduos para 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização que eles possam desempenhar seus papéis ou funções eficientemente. DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

56 Gerenciamento de Software Integrado Mudança de Nível de Maturidade Esta kpa tem por finalidade integrar a engenharia de software do projeto com as atividades de gerenciamento gerando um processo de software definido. 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização Esse processo é uma customização do processo padrão adaptada às necessidades do projeto. DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

57 Mudança de Nível de Maturidade Engenharia do Produto de Software Esta kpa procura garantir que o processo de software definido seja executado de modo que sejam produzidos produtos corretos e consistentes de forma eficaz e eficiente. 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

58 Engenharia de Produto de Software Produto de Software como é avaliado? Modelo de McCall Manutenibilidade Flexibilidade Testabilidade Habilidade de ser Alterado Portabilidade Reusabilidade Interoperabilidade Adaptabilidade a Novos Ambientes Características Operacionais Corretitude Confiabilidade Eficiência Integridade Usabilidade

59 Mudança de Nível de Maturidade Coordenação Intergrupos Esta kpa procura aumentar a comunicação e reduzir ruídos entre os diversos grupos envolvidos nos projetos. 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

60 Mudança de Nível de Maturidade Revisões por pares Esta kpa tem por finalidade remover defeitos de produtos do desenvolvimento de software com 7- Revisões (peer review) 6- Coordenação Intergrupos 5- Engenharia de Produto de Software 4- Gerenciamento de Software Integrado 3- Programa de Treinamento 2- Definição do Processo da Organização 1- Foco no Processo da Organização antecedência e eficientemente. Um efeito decorrente importante é o desenvolvimento uma melhor compreensão dos produtos do desenvolvimento de software e de defeitos que possam ser evitados. DEFINIDO Padronizadas REPETÍVEL Disciplinadas

61 Mudança de Nível de Maturidade Revisões por pares Esta kpa tem por finalidade remover defeitos de produtos do desenvolvimento de software com antecedência e eficientemente. 2- Gerenciamento da Qualidade de Software 1- Gerenciamento Quantitativo do Processo Um efeito decorrente importante é o desenvolvimento uma melhor compreensão dos produtos do desenvolvimento de software e de defeitos que possam ser evitados. DEFINIDO Padronizadas GERENCIADO Previsíveis

62 Mudança de Nível de Maturidade Gerenciamento de Qualidade de Software Esta kpa tem por finalidade estabelecer metas quantitativas para a qualidade dos produtos de software do projeto e 2- Gerenciamento da Qualidade de Software 1- Gerenciamento Quantitativo do Processo gerenciar e quantificar o progresso real no sentido de alcançar tais metas. GERENCIADO Previsíveis DEFINIDO Padronizadas

63 Mudança de Nível de Maturidade Prevenção de Defeitos Esta kpa tem por finalidade identificar a causa de defeitos e evitar que eles aconteçam novamente. OTIMIZADO com Melhoria Contínua 3- Gerenciamento da Mudança no Processo 2- Gerenciamento da Mudança Tecnológica 1- Prevenção de Defeito GERENCIADO Previsíveis

64 Mudança de Nível de Maturidade Gerenciamento de Mudança de Tecnologia Esta kpa tem por finalidade identificar novas tecnologias (ferramentas, métodos e processos) e transferí-las para a organização de uma forma ordenada. OTIMIZADO 3- Gerenciamento da Mudança no Processo 2- Gerenciamento da Mudança Tecnológica 1- Prevenção de Defeito com Melhoria Contínua GERENCIADO Previsíveis

65 Mudança de Nível de Maturidade Gerenciamento de Mudanças de Processo Esta kpa tem por finalidade melhorar continuamente os processos de software utilizados na organização, com o objetivo de melhorar a qualidade de OTIMIZADO 3- Gerenciamento da Mudança no Processo 2- Gerenciamento da Mudança Tecnológica 1- Prevenção de Defeito software, aumentando a produtividade e diminuindo o tempo do ciclo para o desenvolvimento do produto. com Melhoria Contínua GERENCIADO Previsíveis

66 Mudança de Nível de Maturidade OTIMIZADO com Melhoria Contínua 3- Gerenciamento da Mudança no Processo 2- Gerenciamento da Mudança Tecnológica 1- Prevenção de Defeito GERENCIADO Previsíveis

CMM - Capability Maturity Model

CMM - Capability Maturity Model Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em II CMM Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br CMM - Capability Maturity Model Desenvolvido pelo SEI (Instituto de Engenharia de ) Carnegie Mellon

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

Gerência e Planejamento de Projeto. SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002

Gerência e Planejamento de Projeto. SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Gerência e Planejamento de Projeto SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Conteúdo: Parte 1: Gerenciamento & Qualidade Plano de Projeto

Leia mais

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e fortes, que serão utilizados para a criação de um plano

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Qualidade de Software: Visão Geral

Qualidade de Software: Visão Geral Qualidade de Software: Visão Geral Engenharia de Software 1 Aula 05 Qualidade de Software Existem muitas definições de qualidade de software propostas na literatura, sob diferentes pontos de vista Qualidade

Leia mais

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM Capability Maturity Model O que é o CMM? Modelo para avaliação da maturidade dos processos de software de uma organização Identificação das práticas chave

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto Gerais Processo Produto Propostas NBR ISO 9000:2005 define principios e vocabulário NBR ISO 9001:2000 define exigências para sistema de gerência de qualidade NBR ISO 9004:2000 apresenta linha diretivas

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

O Produto e o Processo. Engenharia de Software Profa. Inês A.G.Boaventura 2. Semestre/2005

O Produto e o Processo. Engenharia de Software Profa. Inês A.G.Boaventura 2. Semestre/2005 O Produto e o Processo Engenharia de Software Profa. Inês A.G.Boaventura 2. Semestre/2005 O Produto Dois papéis do Software: - produto (quando libera o potencial embutido no hardware) - veículo para liberar

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

Engenharia de Software. Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr

Engenharia de Software. Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr Engenharia de Software Apostila I >>> Introdução à ES - HEngholmJr Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 12/08/2014 1.0 Criação da primeira versão HEngholmJr Agenda Introdução à Engenharia

Leia mais

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1 Qualidade Plácido A. S. Neto 1 1 Gerência Educacional de Tecnologia da Informação Centro Federal de Educação Tecnologia do Rio Grande do Norte 2006.1 - Planejamento e Gerência de Projetos Agenda Introdução

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo Parte 1 QUALIDADE DE SOFTWARE PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

O Processo. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software

O Processo. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software: Definição. Engenharia de Software O Produto e o Processo O Processo : Definição Fritz Bauer - 1969 O estabelecimento e uso de sólidos princípios de engenharia para que se possa obter economicamente um software que seja confiável e que

Leia mais

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio CMM Capability Maturity Model Silvia Regina Vergilio Histórico O DoD patrocinou a fundação do SEI (Software Engineering Institute) na Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburg) com o objetivo de propor

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Edison A. M. Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

Atividade da gerência da qualidade

Atividade da gerência da qualidade O que é qualidade de software? Qualidade, de forma simplista, significa que o produto deve esta de acordo com a especificação. Problemas: Tensão entre requisitos do cliente: Eficiência, confiança, etc.

Leia mais

1.264 Aula 4. Processo do Software: CMM Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

1.264 Aula 4. Processo do Software: CMM Linguagem de Modelagem Unificada (UML) 1.264 Aula 4 Processo do Software: CMM Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Modelo de Maturidade de Capacidade para Software Desenvolvido pelo (SEI) Instituto de Engenharia de Software, Universidade

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Engenharia de Software Introdução. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1

Engenharia de Software Introdução. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1 Engenharia de Software Introdução Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1 Tópicos Apresentação da Disciplina A importância do Software Software Aplicações de Software Paradigmas

Leia mais

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software?

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? 21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? Qualidade de software é uma preocupação real e esforços têm sido realizados na busca pela qualidade dos processos envolvidos em seu desenvolvimento

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos;

Modelos de Maturidade. Porque estudar um Modelo de Maturidade? Descrevem as características de processos efetivos; Versão 1.1 - Última Revisão 16/08/2006 Porque estudar um Modelo de Maturidade? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para

Leia mais

Qualidade de Software. Aécio Costa

Qualidade de Software. Aécio Costa de Software Aécio Costa A Engenharia pode ser vista como uma confluência de práticas artesanais, comerciais e científicas [SHA90]. Software sem qualidade Projetos de software difíceis de planejar e controlar;

Leia mais

Engenharia de Software Introdução. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1

Engenharia de Software Introdução. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1 Engenharia de Software Introdução Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 1 Tópicos Apresentação da Disciplina A importância do Software Software Aplicações de Software Paradigmas

Leia mais

CMMI: Capability Maturity Model Integration

CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model Integration Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 21/10/2015 Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Engenharia de Software Notas de Aula E-mail: falbo@inf.ufes.br 2005 Capítulo 1 - Introdução UFES - Universidade Federal do Espírito Santo 1 Capítulo 1 Introdução

Leia mais

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade VI GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Capability Maturity Model Integration CMMI SW-CMM (Software Capability Maturity Model): prove informações para o aprimoramento de processos de desenvolvimento

Leia mais

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE O modelo CMM Capability Maturity Model foi produzido pelo SEI (Software Engineering Institute) da Universidade Carnegie Mellon (CMU), em Pittsburgh, EUA, por um grupo

Leia mais

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Engenharia de Software Notas de Aula PARTE I E-mail: falbo@inf.ufes.br Curso: Engenharia da Computação (Atualizadas por e Monalessa Perini Barcellos - 2011)

Leia mais

Normas e Padrões de Qualidade em Software - I

Normas e Padrões de Qualidade em Software - I Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em - I Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br Certificação da Qualidade Certificações emitidas por entidades públicas conceituadas: 9 ABIC Selo

Leia mais

Planejamento e Gerenciamento de Software. Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias

Planejamento e Gerenciamento de Software. Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias Planejamento e Gerenciamento de Software Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias Planejamento A primeira atividade do gerenciamento de projeto é Planejamento Depende de estimativas (Grado

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Processo de software I Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + O que é Engenharia de Software n Definição dada pela IEEE [IEE93]: n Aplicação de uma abordagem sistemática,

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

Tópicos. Engenharia de Software: Uma Visão Geral

Tópicos. Engenharia de Software: Uma Visão Geral Tópicos 2 3 Engenharia de Software: Uma Visão Geral SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 A importância do Software Software Aplicações

Leia mais

Melhorias de Processos de Engenharia de Software

Melhorias de Processos de Engenharia de Software Melhorias de Processos de Engenharia de Software CMMI 1 Profa. Reane Franco Goulart O que é CMMI? O Capability Maturity Model Integration (CMMI) é uma abordagem de melhoria de processos que fornece às

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Universidade São Judas Tadeu Profª Dra. Ana Paula Gonçalves Serra Engenharia de O Processo Uma Visão Genérica Capítulo 2 (até item 2.2. inclusive) Engenharia de - Roger Pressman 6ª edição McGrawHill Capítulo

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Roteiro Software Evolução do Software Engenharia de Software Modelo Espiral Software Software Definição Conjunto de instruções que manipulam estruturas de dados (informação) Composição

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Prof. Martius Vicente Rodriguez y Rodriguez, DSc - 1 TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1. TIPOS DE 2. ARQUITETURAS DE SISTEMAS - CRM 3. KNOWLEDGE DISCOVERY IN DATABASE 4. SISTEMAS

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Visão Geral do Processo de Desenvolvimento de Software Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 2 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 2-26/04/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

Tecnologias Atuais de. Desenvolvimento de Software

Tecnologias Atuais de. Desenvolvimento de Software Tecnologias Atuais de Desenvolvimento de Software volução dos Processos de Desenvolvimento de Software Prof. Luiz Antônio lpereira@uninet.com.br Agenda onceitos volução dos Processos de Software Modelos

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Prof. Martius V. Rodriguez y Rodriguez, DSc martius@kmpress.com.br MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Gestão do Conhecimento evolução conceitual.

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Apresentação PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA APLICADA Qualidade de software WILIAN ANTÔNIO ANHAIA DE QUEIROZ O que é qualidade? A Norma ISO8402 define Qualidade

Leia mais

Engenharia de Software. Parte I. Introdução. Metodologias para o Desenvolvimento de Sistemas DAS 5312 1

Engenharia de Software. Parte I. Introdução. Metodologias para o Desenvolvimento de Sistemas DAS 5312 1 Engenharia de Software Parte I Introdução Metodologias para o Desenvolvimento de Sistemas DAS 5312 1 Mitos do Desenvolvimento de Software A declaração de objetivos é suficiente para se construir um software.

Leia mais

Processos de Desenvolvimento de Software. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 2

Processos de Desenvolvimento de Software. Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 2 Processos de Desenvolvimento de Software Ricardo Argenton Ramos UNIVASF Engenharia de Software I - Aula 2 A Engenharia de Software Uma Tecnologia em Camadas ferramentas métodos processo foco na qualidade

Leia mais

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia.

Na medida em que se cria um produto, o sistema de software, que será usado e mantido, nos aproximamos da engenharia. 1 Introdução aos Sistemas de Informação 2002 Aula 4 - Desenvolvimento de software e seus paradigmas Paradigmas de Desenvolvimento de Software Pode-se considerar 3 tipos de paradigmas que norteiam a atividade

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

PROFESSOR: CRISTIANO MARIOTTI

PROFESSOR: CRISTIANO MARIOTTI PROFESSOR: CRISTIANO MARIOTTI Conjunto de atividades, parcialmente ordenadas, com a finalidade de obter um produto de software; Considerado um dos principais mecanismos para se obter software de qualidade

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Introdução a Engenharia de Software

Introdução a Engenharia de Software Introdução a Engenharia de Software Viviane Torres da Silva viviane.silva@ic.uff.br http://www.ic.uff.br/~viviane.silva/2012.1/es1 Histórico 1968: Crise do Software Nasce a Engenharia de Software 1970s:

Leia mais

Agenda. Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria

Agenda. Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria Agenda Introdução Etapas genéricas Atividades de apoio Ferramentas de apoio Modelos genéricos Modelos de mercado Modelos de melhoria Introdução Processo de software é o conjunto de ferramentas, métodos

Leia mais

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no

O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no 1.1 RATIONAL UNIFIED PROCESS (RUP) O Rational Unified Process (RUP) é um processo de desenvolvimento de software inspirado no processo que atende pelo nome de Processo Unificado (ou UP do inglês Unified

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Roteiro Qualidade de Software Produto de Software Processo de Software Modelo de Qualidade CMM Qualidade Qualidade de Software Na visão popular: Luxo Mais caro, complexo = maior

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 3 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 3-29/04/2006 1 Monitoria Marina Albuquerque E-mail: monitoriaes2@yahoo.com.br Horário de Atendimento: Terça e quinta de 09:00

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Sumário. Prefácio...14. Capítulo 1 O que é qualidade?...17. Capítulo 2 Normas e organismos normativos...43. Capítulo 3 Métricas: visão geral...

Sumário. Prefácio...14. Capítulo 1 O que é qualidade?...17. Capítulo 2 Normas e organismos normativos...43. Capítulo 3 Métricas: visão geral... Prefácio...14 Capítulo 1 O que é qualidade?...17 1.1 História... 17 1.2 Uma crise de mais de trinta anos...20 1.3 Qualidade e requisitos...25 1.4 Papel da subjetividade...27 1.5 Qualidade e bugs I: insetos

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SIG Aula N : 11 Tema: Como desenvolver e

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

Estimativas de software

Estimativas de software Estimativas de software Fazer boas estimativas é uma das mais desafiadoras e importantes atividades da engenharia de software. Estimativas de custos ferramentas (H/S) e infra-estrutura pessoal (salários

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Gerência e Planejamento de Projeto. SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002

Gerência e Planejamento de Projeto. SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Gerência e Planejamento de Projeto SCE 186 - Engenharia de Software Profs. José Carlos Maldonado e Elisa Yumi Nakagawa 2 o semestre de 2002 Conteúdo: Parte 1: Gerenciamento & Qualidade Plano de Projeto

Leia mais

Requisitos. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista )

Requisitos. Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Qualidade de Software Aula 8 (Versão 2012-01) 01) Requisitos Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br ) ( http://sites.google.com/site/professorgabrielbaptista ) Revisando... 1. Qual o

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Início Qualidade de Software Álvaro Rocha amrocha@ufp.pt http://www.ufp.pt/~amrocha Início>Tópicos Tópicos 1. Fundamentos 2. Qualidade e Maturidade do Processo de SW ISO 9000, ISO 12207, SW-CMM, TRILLIUM;

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE I

ENGENHARIA DE SOFTWARE I ENGENHARIA DE SOFTWARE I Prof. Cássio Huggentobler de Costa [cassio.costa@ulbra.br] Twitter: www.twitter.com/cassiocosta_ Agenda da Aula (002) Metodologias de Desenvolvimento de Softwares Métodos Ágeis

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO ISSN 1676-6822 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 8 JUNHO DE 2005 AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE Kleber ALMEIDA Docente da

Leia mais

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães Agenda Contextualização da Qualidade Dificuldades na construção de software Possíveis soluções

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Plano de projeto. Cronograma e Controle

Plano de projeto. Cronograma e Controle Plano de projeto Cronograma e Controle Razões para atrasar um projeto Um deadline não realístico estabelecido por alguém fora do grupo de engenharia de software Câmbios nos requerimentos do software não

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Departamento de Informática Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação Laboratório de Desenvolvimento Distribuído de Software Estágio de Docência http://www.din.uem.br/~pg45640/ Qualidade de Software

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

PLANEJAMENTO E PROJETOS. Lílian Simão Oliveira

PLANEJAMENTO E PROJETOS. Lílian Simão Oliveira PLANEJAMENTO E GERENCIAMENTO DE PROJETOS Lílian Simão Oliveira Contexto Gerentes lutam com projetos assustadores e com prazos finais difíceis de serem cumpridos Sistemas não satisfazem aos usuários Gastos

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

Qualidade de Software. Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br

Qualidade de Software. Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br Qualidade de Software Profa. Cátia dos Reis Machado catia@ifc-camboriu.edu.br Verificação x validação Verificação prova que o produto vai ao encontro dos requerimentos especificados no desenvolvimento

Leia mais

1. Desenvolver o software iterativamente. Um pouco de reflexão: Acabou aí? 31/08/2010

1. Desenvolver o software iterativamente. Um pouco de reflexão: Acabou aí? 31/08/2010 Engenharia de Software Aula 5 (Versão 2010-02) Melhores práticas para desenvolvimento de software Desenvolver de forma iterativa e gerenciar requisitos Professor Gabriel Baptista ( gabriel.baptista@uninove.br

Leia mais

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho.

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. - DSI DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. Preocupação: Problema técnicos Mudança na natureza e conteúdo do trabalho

Leia mais

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas.

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas. Métodos Ágeis Edes Garcia da Costa Filho edes_filho@dc.ufscar.br 1 Tópicos Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Extreme Programming (XP). Referências Bibliográficas. 2 Histórico

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Professor: Curso: Disciplina:

Professor: Curso: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Aula 1 Turma: Esp. Marcos Morais de Sousa Sistemas de informação Engenharia de Software I Dinâmica da disciplina, plano de curso e avaliação 03º semestre Prof. Esp. Marcos

Leia mais

Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration)

Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration) Introdução ao CMM (CapabilityMaturityModel) e CMMI (Capability Maturity Model Integration) CMM CapabilityMaturityModel O CMM é um modelo desenvolvido pelo Software Engineering Institute (SEI) em parceria

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps)

Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto mps Br: Modelo de Referência para Melhoria de Processo de Software CMMI SPICE SCAMPI MODELO PARA MELHORIA DO PROCESSO DE SOFTWARE

Leia mais

Princípios da Engenharia de Software Aula 02. Prof.: Franklin M. Correia

Princípios da Engenharia de Software Aula 02. Prof.: Franklin M. Correia Princípios da Engenharia de Software Aula 02 Prof.: Franklin M. Correia Na aula anterior... Introdução a Engenharia de Software O que é software? O que é Engenharia de Software? Conceitos importantes Tipos

Leia mais