Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3"

Transcrição

1 Objetivos Histórico Evolução da Qualidade Princípios de Deming CMMI Conceitos Vantagens Representações Detalhamento Gerenciamento Comparação Out/11 2 Histórico SW-CMM (Software Capability Maturity Model): modelo de capacitação de processos de software desenvolvido pelo SEI (Software Engineering Institute); patrocinado pelo DoD (Departamento de Defesa - US), visa a avaliação da capacidade dos fornecedores; versão 1.0 do SW-CMM em agosto de 1991; versão 1.1 do SW-CMM em fevereiro de 1993; utilizado com sucesso por mais de uma década. Out/11 3

2 Histórico (cont.) específico para software, não contempla outras áreas importantes das organizações (ex.: RH ou Engenharia de Sistemas) sugestões de melhorias incorporadas no SW-CMM v.2.0; com o sucesso, outros modelos semelhantes criados para outras áreas (ex.: People-CMM, Aquisição de Software / SA- CMM e Engenharia de Sistemas / SE- CMM). Out/11 4 Histórico (cont.) os diversos modelos apresentavam estruturas, formatos, nomenclaturas e termos diferentes, dificultando sua aplicação conjunta; confusão gerada quando mais de um modelo era utilizado; de difícil integração; o SW-CMM não é compatível com a norma ISO / IEC Out/11 5 Histórico (cont.) SEI abandonou o SW-CMM, criando o CMMI; finalidade de integrar os diversos modelos; em 1999, publicada v.0.2 (draft) (CMMI- SE/SW System / Software Engineering). Versões: v.1.0 Ago/2000; v.1.1 Mar/2002; v.1.2 Ago/2006 (CMMI for Development) v.1.3 Nov/2010 Out/11 6

3 Histórico (cont.) Out/11 7 Evolução Out/11 8 Evolução (cont.) Gurus da Qualidade Armand Feigenbaum definiu TQM como um sistema efetivo, integração de qualidade em uma organização. W. Edwards Deming o pai do controle da qualidade: inicia com o alto nível gerencial e é uma atividade estratégica. Out/11 9

4 Evolução (cont.) Gurus da Qualidade Joseph M.Juran melhoria estruturada da qualidade: método cientifico aplicado (hipótese, validação e remediação); ser humano na melhoria da qualidade (RH). Karou Ishikawa conceitos de círculos da qualidade e diagramas de causa-e-efeito; caráter humano é chave do sucesso da implementação do TQM. Out/11 10 Evolução (cont.) Gurus da Qualidade Philip Crosby 4 Definições de Gerenciamento da Qualidade qualidade significa atendimento aos requisitos; obtida através de prevenção; padrão para desempenho: defeito zero ; medida: é o preço da não-conformidade. Tom Peters atendimento às expectativas do cliente Out/11 11 Evolução (cont.) Quem Quando O quê Walter Shewhart anos 30 Edwards Deming / Joseph Juran anos 50 Philip Crosby Anos 80 Edwards Deming Watts Humphrey 1986 princípios do Controle Estatístico de Processos desenvolvimento e demonstração dos princípios de Shewhardt desenvolvimento da Grade de Maturidade da qualidade princípios de Deming adaptação da grade de Crosby ao desenvolvimento de software adição do conceito de níveis de maturidade Out/11 12

5 Qualidade: Princípios 14 princípios de Deming 1. constância de propósito (melhoria do produto / serviço); 2. adotar a nova filosofia (qualidade); 3. independência da inspeção (qualidade no produto / processo); 4. cessar prática de aprovar orçamentos por preço (minimizar custo total); 5. melhoria contínua; 6. treinamento hands on ; 7. liderança (suporte x controle); Out/11 13 Qualidade: Princípios (cont.) 14 princípios de Deming (cont.) 8. eliminar o medo; 9. eliminar barreiras; 10.incentivar a produtividade (versus nível zero de falhas); 11.eliminar quotas / metas (versus administração por processos e exemplos); 12.foco em qualidade; 13.autoaprimoramento; 14.engajamento no processo Out/11 14 Out/11 15 CMMI CMMI = Capability Maturity Model Integration; modelo mais completo (ferramenta) de gerencia de projetos de Software (qualidade de software); referência que contém práticas necessárias à maturidade de disciplinas específicas; Desenvolvido pelo SEI (Software Engineering Institute - evolução do CMM, procura estabelecer um modelo único para o processo de melhoria corporativo, integrando diferentes modelos e disciplinas.

6 CMMI (cont.) além da integração e melhora dos processos, busca: foco nas atividades; integrar processos existentes; eliminar inconsistências e reduzir duplicidades; terminologia comum, maior clareza e estilo consistente; consistência com a norma ISO 15504; flexibilidade e extensão para outras disciplinas. Out/11 16 CMMI (cont.) disciplinas CMMI; Systems Engineering (SE) Engenharia de Sistemas; Software Engineering (SW) Engenharia de Software; Integrated Product and Process Development (IPPD) Desenvolvimento Integrado de Produtos e Processos; Supplier Sourcing (SS) Fontes de Aquisição. Out/11 17 CMMI (cont.) Engenharia de Sistemas (SE): cobre o desenvolvimento total de sistemas (pode incluir software); foco em transformar necessidades, expectativas e limitações em produtos e soluções; suporte aos produtos e soluções (vida útil). Engenharia de Software (SW) cobre o desenvolvimento de sistemas de software; abordagem sistêmica, disciplinada e quantificada ao: desenvolvimento; operação; manutenção. Out/11 18

7 CMMI (cont.) Desenvolvimento Integrado de Produtos e Processos (IPPD): abordagem sistemática de colaboração entre stakeholders por todo o ciclo de vida do produto / solução para melhor satizfazer necessidades, espectativas e requisitos do cliente. Fontes de Aquisição (SS): análise e monitoração ampliada de fornecedores e atividades, antes que o produto / solução seja entregue; tanto mais útil quanto mais complexo o ambiente. Out/11 19 Suporte maneira de focar e gerenciar o desenvolvimento desde sua concepção até a manutenção; ISO / TL9000 ainda necessárias, complementares (endereçam aspectos distintos); ISO é um padrão de processos, CMMI é um modelo de melhoria de processos; necessária alteração comportamental maior responsabilidade pessoal (ownership); maior e mais forte conexão entre desenvolvimento e produção. Out/11 20 Suporte (cont.) grande investimento inicial em tempo, recursos e gerenciamento; se gerenciado apropriadamente, gera maior eficiência e produtividade ao mesmo tempo, entrega produtos com maior qualidade de forma consistente. Out/11 21

8 Representações possui duas representações: contínua por estágios permitem a utilização de diferentes caminhos para a melhoria de acordo com interesses da organização; organização e apresentação diferente em cada representação, mas conteúdo idêntico. Out/11 22 Representações (cont.) Representação Contínua Possibilita a organização utilizar a ordem de melhoria que melhor atender os objetivos de negócio da empresa. É caracterizado por Níveis de Capacidade (Níveis de Capacitação) Representação Por Estágios Disponibiliza uma seqüência pré-determinada para melhoria baseada em estágios que não deve ser desconsiderada, pois cada estágio serve de base para o próximo (Níveis de Maturidade) Out/11 23 Representações (cont.) Representação Contínua níveis de Capacidade; agrupamento de áreas de processo por categoria; avaliação da capacidade nas Áreas de Processo. Representação por Estágios níveis de Maturidade; agrupamento de Áreas de Processo por nível; avaliação da Organização / Unidade Organizacional como um todo; Out/11 24

9 Representações (cont.) Representação Contínua permite selecionar a ordem de melhorias que melhor atende os objetivos da organização e minimiza riscos; permite a comparação entre organizações e internamente; fácil migração de modelos contínuos a CMMI; indicador de progresso dentro de uma área de processo. Out/11 25 Representações (cont.) Representação por Estágios providencia seqüência testada de melhorias, cada uma servindo de base para a próxima; permite a comparação dentro e entre organizações pelo uso de níveis de maturidade; fácil migração de SW-CMM; classificação única que resume resultados de avaliação e permite comparação entre organizações; grau de maturidade dos procedimentos padrão de uma organização. Out/11 26 Representações (cont.) Staged (Estágios) Contínua Out/11 27

10 CMMI (cont.) Out/11 28 CMMI (cont.) Nível 1 - Inicial: imaturidade organizacional; processos improvisados e geralmente não seguidos; compromissos de prazo e custo não são cumpridos; planejamento não é feito com base em estimativas; as qualidades, procedimentos e conhecimentos pertencem às pessoas e não aos projetos; as chances de sucesso dependem das habilidades pessoais dos gerentes e desenvolvedores. Out/11 29 CMMI (cont.) Nível 2 - Repetível: políticas e procedimentos para gerenciar o desenvolvimento de software estão definidas e são obedecidas; planejamento é baseado em estimativas e na experiência anterior de outros projetos; projetos utilizam processos definidos, usados, disseminados, documentados, medidos e fiscalizados com rotinas de melhoria; processos afetados são puramente gerenciais (não técnicos) e pertencem aos projetos e não às pessoas. Out/11 30

11 CMMI (cont.) Nível 3 - Definido: os processos utilizados são estabelecidos e padronizados em toda a organização; processos técnicos passam a ser considerados ao lado dos processos gerenciais; tanto os processos gerenciais quanto os técnicos passam a ser repetidos; processos pertencem a organização e não mais aos projetos. Out/11 31 CMMI (cont.) Nível 4 - Gerenciado: estabelecidas metas quantitativas para os processos e produtos; medidas de qualidade e produtividade são coletadas em todos os projetos; estabelecido controle estatístico de processos; gestão passa a ser feitas com bases quantitativas. Out/11 32 CMMI (cont.) Nível 5 - Otimização: organização está engajada na melhoria contínua de seus processos; identificação de pontos fracos e defeitos; ações preventivas sobre causas; mudanças mais significativas de processos e / ou tecnologias são feitas a partir de análise de custo / benefício com base em dados quantitativos. Out/11 33

12 Definições Área de Processo (Process Area PA): práticas relacionadas em uma área que, quando executadas de forma coletiva, satisfazem um conjunto de metas consideradas importantes para trazer uma melhoria nessa área; Metas Específicas (objetivos): se aplicam a uma PA e tratam de características que descrevem o que deve ser implementado para satisfazer essa PA. São utilizadas nas avaliações para auxiliar a determinar se a PA está sendo satisfeita. Out/11 34 Definições (cont.) Práticas Específicas: atividades que são consideradas importantes na satisfação de uma meta específica associada. Metas Genéricas (objetivo): aparecem em diversas PAs. Práticas Genéricas: oferecem uma institucionalização que assegura que os processos associados com a PA serão eficientes, reprodutíveis e duráveis. Out/11 35 Definições (cont.) Produtos de trabalho típicos: exemplos de saídas de uma prática específica ou genérica. Sub-práticas: descrições detalhadas que fornecem um direcionamento para a interpretação de práticas específicas ou genéricas. Out/11 36

13 Definições (cont.) Metas específicas e metas genéricas: componentes exigidos do modelo; devem ser atingidos pelos processos planejados e implementados. Práticas específicas e práticas genéricas: componentes esperados do modelo; descrevem o que uma organização normalmente implementará para satisfazer um componente exigido. Out/11 37 Definições (cont.) Sub-práticas: produtos de trabalho típicos; componentes informativos que auxiliam os usuários do modelo a entender as metas e práticas e a maneira como elas devem ser satisfeitas; fornecem detalhes que auxiliam os usuários do modelo a começar a pensar em como abordar as metas e práticas. Out/11 38 Exemplo PA: Gerência de Requisitos Meta Específica: Gerenciar Requisitos Requisitos são gerenciados e inconsistências com planos e produtos são identificados. Prática Específica: manter rastreabilidade bidirecional entre requisitos. manter rastreabilidade bidirecional entre os requisitos, planos e produtos. Out/11 39

14 Exemplo (cont.) Produtos de Trabalho Típicos: matriz de rastreabilidade; sistema de acompanhamento de requisitos. Meta Genérica (Nível 2): Institucionalizar um processo gerenciado. Prática Genérica (do Nível 2): Estabelecer uma política organizacional. Out/11 40 Gerenciamento Áreas de Processo do CMMI (CMMI-DEV) PAs são organizadas em quatro categorias: Gerenciamento de Processos; Gerenciamento de Projetos; Engenharia e Suporte. O modelo CMMI v1.2 (CMMI-DEV) contém 22 áreas de processo. Out/11 41 Gerenciamento (cont.) de Processos definição, planejamento, distribuição de recursos, aplicação, implementação, monitoramento, controle, avaliação, medição e melhoria. PA s envolvidas: Foco no Processo Organizacional; Definição do Processo Organizacional; Treinamento Organizacional; Desempenho do Processo Organizacional; Inovação e Desenvolvimento Organizacional. Out/11 42

15 Gerenciamento (cont.) de Projetos planejamento, monitoramento e controle. PA s envolvidas: Planejamento de Projetos; Monitoramento e Controle de Projetos; Gerência de Acordos com Fornecedores; Gerência Integrada de Projetos; Gerência de Riscos; Integração de Equipes; Gerência Quantitativa de Projetos. Out/11 43 Gerenciamento (cont.) Engenharia desenvolvimento e manutenção que são compartilhadas entre as disciplinas de engenharia. PA s envolvidas: Gerência de Requisitos; Desenvolvimento de Requisitos; Solução Técnica; Integração de Produtos; Verificação; Validação. Out/11 44 Gerenciamento (cont.) Suporte apoio ao desenvolvimento e à manutenção. PA s envolvidas: Gerência de Configuração; Garantia da Qualidade do Processo e do Produto; Medição e Análise; Ambiente Organizacional para Integração; Análise de Decisões e Resoluções; Análise de Causas e Resoluções (RCA). Out/11 45

16 Terminologia & Estrutura Out/11 46 Terminologia & Estrutura (cont.) Contínua Out/11 47 Terminologia & Estrutura (cont.) Estágios Out/11 48

17 Comparação Vantagens Representação Contínua maior flexibilidade; foco em áreas de processo específicas de acordo com metas e objetivos de negócio; permite a comparação de P.A. s entre diferentes organizações; metodologia familiar para aqueles que estão migrando de engenharia de sistemas; focada nos riscos específicos de P.A.; compatível com a ISO/IEC Out/11 49 Comparação (cont.) Vantagens Representação por Estágio rota de implementação: grupos de área de processo implementação seqüencial; nível predecessor funciona como base. estrutura familiar para usuários CMM; gerência de processos ao longo da organização; permite comparar organizações de forma direta. Out/11 50 Comparação (cont.) modelo de avaliação, não certificação; sem os formalismos de uma certificação; sem exigência de reavaliações; laudo válido mesmo com processo descontinuado; a SEI não assume responsabilidade por laudos emitidos; possível consultar as empresas com laudo de avaliação homologados no site; avaliação válida por 3 anos; Out/11 51

18 Comparação (cont.) Institucionalização aspecto mais difícil da implementação; demanda muito trabalho e envolvimento gerencial; gerador de maior impacto na organização; gerar e reforçar cultura corporativa; métodos, práticas e procedimentos como metodologia do negócio; necessário poder demonstrar institucionalização de todos as P.A. s para toda a organização; requisito de todas as P.A. s Out/11 52 Pontos Chave evolução do CMM, integração de conceitos e modelos; eliminou inconsistências e reduziu duplicidades; modelo de avaliação da organização; estrutura em níveis; Deming: foco em qualidade; melhoria contínua; autoaprimoramento; hands on. Out/11 53 Pontos Chave (cont.) disciplinas: Systems Engineering (SE); Software Engineering (SW); Integrated Product and Process Development (IPPD); Supplier Sourcing (SS). ISO e CMMI são complementares; principal aspecto: comportamental; duas representações: contínua; estagiada Out/11 54

19 Pontos Chave (cont.) mesmo conteúdo, representações distintas; Representação Contínua Níveis de Capacidade (Capacitação); ordem de melhoria que melhor atende aos objetivos da empresa. Representação Por Estágios Níveis de Maturidade; seqüência estagiada pré-determinada de melhoria; cada estágio serve de base para o próximo. Out/11 55 Pontos Chave (cont.) Níveis CMMI: 1. inicial; 2. repetível 3. definido 4. gerenciado 5. otimização Área de Processo (Process Area PA): práticas de uma área que quando executadas satisfazem um conjunto de metas da empresa. Out/11 56 Pontos Chave (cont.) P.A. s organizadas em 4 categorias: Gerenciamento de Processos; Gerenciamento de Projetos; Engenharia e Suporte. Representação Contínua maior flexibilidade; comparação direta de P.A. s entre diferentes organizações; compatível com a ISO/IEC Out/11 57

20 Pontos Chave (cont.) Representação Estagiada rota de implementação: gerência de processos ao longo da organização; permite comparar organizações de forma direta. CMMI: modelo de avaliação, não certificação; sem os formalismos de uma certificação; a SEI não assume responsabilidade por laudos emitidos; Out/11 58 Pontos Chave (cont.) Institucionalização aspecto mais difícil da implementação; demanda muito trabalho e envolvimento gerencial; gerador de maior impacto na organização. Out/11 59

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto Gerais Processo Produto Propostas NBR ISO 9000:2005 define principios e vocabulário NBR ISO 9001:2000 define exigências para sistema de gerência de qualidade NBR ISO 9004:2000 apresenta linha diretivas

Leia mais

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Qualidade de Software Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Ementa Conceitos sobre Qualidade Qualidade do Produto Qualidade do Processo Garantida da Qualidade X Controle da Qualidade Conceitos

Leia mais

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado.

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Aécio Costa CMM Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Objetivos Fornecer software de qualidade para o Departamento de Defesa dos EUA Aumentar a capacitação da indústria

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP

Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação UFRJ/IM Pós-Graduado em Análise, Projeto e Gerência de Sistemas PUC Pós-Graduado

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade VI GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Capability Maturity Model Integration CMMI SW-CMM (Software Capability Maturity Model): prove informações para o aprimoramento de processos de desenvolvimento

Leia mais

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro

Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Projeto: mps Br melhoria de processo do software Brasileiro Introdução ao Modelo de Referência para melhoria do processo de software (MR mps) Realidade das Empresas Brasileiras ISO/IEC 12207 ISO/IEC 15504 CMMI Softex Governo Universidades Modelo de Referência para

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

Qualidade de Software: Visão Geral

Qualidade de Software: Visão Geral Qualidade de Software: Visão Geral Engenharia de Software 1 Aula 05 Qualidade de Software Existem muitas definições de qualidade de software propostas na literatura, sob diferentes pontos de vista Qualidade

Leia mais

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio CMM Capability Maturity Model Silvia Regina Vergilio Histórico O DoD patrocinou a fundação do SEI (Software Engineering Institute) na Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburg) com o objetivo de propor

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE O modelo CMM Capability Maturity Model foi produzido pelo SEI (Software Engineering Institute) da Universidade Carnegie Mellon (CMU), em Pittsburgh, EUA, por um grupo

Leia mais

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Daniel Gonçalves Jacobsen 1 Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Porto Alegre RS Brasil daniel@flete.com.br Abstract. This article describes

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Unidade I Conceito de Qualidade Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com UNIDADE I : Conceito de Qualidade 1.1 Qualidade de processo de software 1.2 Qualidade de produto de software UNIDADE

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA

Conceitos. Conceitos. Histórico. Histórico. Disciplina: Gestão de Qualidade ISSO FATEC - IPATINGA Disciplina: FATEC - IPATINGA Gestão de ISSO TQC - Controle da Total Vicente Falconi Campos ISO 9001 ISO 14001 OHSAS 18001 Prof.: Marcelo Gomes Franco Conceitos TQC - Total Quality Control Controle da Total

Leia mais

CMM - Capability Maturity Model

CMM - Capability Maturity Model Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em II CMM Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br CMM - Capability Maturity Model Desenvolvido pelo SEI (Instituto de Engenharia de ) Carnegie Mellon

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO ISSN 1676-6822 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 8 JUNHO DE 2005 AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE Kleber ALMEIDA Docente da

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade

Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4

efagundes com GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 GOVERNANÇA DE TIC Eduardo Mayer Fagundes Aula 3/4 1 CobIT Modelo abrangente aplicável para a auditoria e controle de processo de TI, desde o planejamento da tecnologia até a monitoração e auditoria de

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br

Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br Modelos de Processo Pessoal e de Equipe na Melhoria da Qualidade em Produção de Software Profa. Dra. Ana Paula Gonçalves Serra prof.anapaula@saojudas.br Agenda Importância das Pessoas / Constatações Compromisso

Leia mais

Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration

Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration Capítulo 5: CMMI, o Capability Maturity Model Integration Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO90003 Capítulo 5: CMMI

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

CMMI: Capability Maturity Model Integration

CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model Integration Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 21/10/2015 Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model

Leia mais

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e fortes, que serão utilizados para a criação de um plano

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE Roteiro Visão sobre Qualidade Cinco abordagens da Qualidade Expectativa e percepção Possíveis lacunas (GAPs) O que dizem os gurus da Qualidade

Leia mais

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM)

25/05/2015. Um pouco de história. O Modelo CMMI. Capability Maturity Model Integration (CMMI) Capability Maturity Model (CMM) DCC / ICEx / UFMG Um pouco de história O Modelo CMMI Na década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo Objetivos Fornecer software

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software

Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software Qualidade de Processo de Desenvolvimento de Software DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos DAS 5316 Integração de Sistemas Corporativos Prof. Ricardo J. Rabelo Conteúdo Introdução & Problemática

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR

APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR APOSTILAS: NORMAS; ABNT NBR ISO; MPS BR Fonte: http://www.softex.br/mpsbr/_home/default.asp Apostilas disponíveis no site 1 NORMAS: NBR ISO NBR ISO/IEC CMM SPICE Continuação... 2 NORMAS VISÃO GERAL NBR

Leia mais

Qualidade em TIC: Principais normas e modelos

Qualidade em TIC: Principais normas e modelos Qualidade em TIC: Principais normas e modelos "Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de métodos." Albert Einstein CMMI Visão Geral Three Complementary Constellations CMMI-DEV fornece

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina. Campus da Grande Florianópolis Pedra Branca. CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE ALUNO: Volnei A. Caetano Palhoça 02 de Junho de 2000 C.M.M. Capability

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Introdução à Qualidade de Software

Introdução à Qualidade de Software FACULDADE DOS GUARARAPES Introdução à Qualidade de Software www.romulocesar.com.br Prof. Rômulo César (romulodandrade@gmail.com) 1/41 Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos sobre Qualidade de

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação CMMI Visão Geral Agenda Um histórico dos modelos CMM e CMMI Modelo CMMI Suíte do modelo Representações Níveis de maturidade Áreas de processo

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE - 02 Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 A ISO 9000-3 é um guia para a aplicação da ISO 9001 para o desenvolvimento, fornecimento e manutenção de software.

Leia mais

3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos

3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos 3. Metodologias de Gerenciamento de Riscos A complexidade que caracteriza a implantação de um sistema ERP é uma das maiores preocupações das organizações que pretendem desenvolver projetos desta natureza.

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

CMMI Capability Maturity Model Integration

CMMI Capability Maturity Model Integration www.asrconsultoria.com.br CMMI Capability Maturity Model Integration Visão Geral Capability Maturity Model and CMMI are registered in the U.S. Patent and Trademark Office 1 Agenda Introdução Maturidade

Leia mais

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história.

Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. SISTEMA DE QUALIDADE EAD MÓDULO XIX - RESUMO Para entendermos melhor a evolução da qualidade, precisamos rememorar alguns pontos na história. Posteriormente, ocorreu a Revolução Industrial, em que a subsistência

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Mestre em Informática na área de Sistemas de Informação

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Melhores Práticas para Melhoria do Processo de Software 22 de maio de 2006 Agenda Introdução Motivações para a Melhoria de Processos e sua importância Modelos de Qualidade de

Leia mais

Melhorias de Processos de Engenharia de Software

Melhorias de Processos de Engenharia de Software Melhorias de Processos de Engenharia de Software CMMI 1 Profa. Reane Franco Goulart O que é CMMI? O Capability Maturity Model Integration (CMMI) é uma abordagem de melhoria de processos que fornece às

Leia mais

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Introdução a CMMI Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Campina Grande, 29 de setembro de 2008 Agenda Processos Motivação Sintomas de falha de processo Aprimoramento de Processos O Framework

Leia mais

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Ana Carolina Oliveira Santos Carlos Eduardo Sanches Da Silva Resumo: O sistema de custos

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Uma proposta de uso do TMM para melhoria da capacidade nas áreas de Verificação e Validação do CMMI

Uma proposta de uso do TMM para melhoria da capacidade nas áreas de Verificação e Validação do CMMI Uma proposta de uso do TMM para melhoria da capacidade nas áreas de Verificação e Validação do CMMI Nielso Cândido de Oliveira únior 1 1 Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Leia mais

Deming (William Edwards Deming)

Deming (William Edwards Deming) Abordagens dos principais autores relativas ao Gerenciamento da Qualidade. Objetivo: Estabelecer base teórica para o estudo da Gestão da Qualidade Procura-se descrever, a seguir, as principais contribuições

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

QUALIDADE II. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 09/08/2012. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves QUALIDADE II Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor

Leia mais

PMBok & CMM + CMMi Resumo

PMBok & CMM + CMMi Resumo PMBok & CMM + CMMi PMBok & CMM + CMMi Resumo Mauro Sotille, PMP mauro.sotille@pmtech.com.br www.pmtech.com.br Fontes SEI/Carnegie Mellon University Apresentação: Gerência de Projetos de Software, José

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE MODULO 3 SISTEMA DE GARANTIA DA QUALIDADE CONTEÚDO 3.1 A ABORDAGEM NBR ISO 9000 3.2 MODELOS DE QUALIDADE DE PRODUTO DE SOFTWARE 3.2.1 NBR ISO/IEC 9126 (SOFTWARE) 3.2.2 NBR ISO/IEC

Leia mais

Universidade de Passo Fundo Ciência da Computação

Universidade de Passo Fundo Ciência da Computação Universidade de Passo Fundo Ciência da Computação Visão Geral de Qualidade Década de 90 - Fator Qualidade Necessidade básica na luta pelo mercado Qualidade de Software Prof Alexandre Lazaretti Zanatta

Leia mais

Qualidade de Processo de Software. Implementação de Melhoria de Processos de Software

Qualidade de Processo de Software. Implementação de Melhoria de Processos de Software Qualidade de Processo de Software Implementação de Melhoria de Processos de Software Sumário Conceitos de Melhoria de Processos de Software (MPS) Implementação de Processos com Modelos e Normas de Qualidade

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Gerenciamento de Qualidade Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Introdução Melhoria nos níveis gerais de qualidade de software nos anos recentes. Diferenças em relação ao gerenciamento da qualidade na manufatura

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Descrição das Áreas de Processo

Descrição das Áreas de Processo Descrição das Áreas de Processo Níveis 2 e 3 Foco em CMMI para SW INF326 - Modelos de Qualidade de SW - Mario L. Côrtes CMMI parte B 5B - 1 Convenções gráficas Repositório de Medições Repositório de Informações

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli

SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI. Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli SISTEMA DE APOIO GERENCIAL COM FOCO NA PRÁTICA DE TREINAMENTO ORGANIZACIONAL BASEADO NO MODELO CMMI Werinton Ferrari Orientador: Wilson Pedro Carli 1 Roteiro da Apresentação 1. Introdução e Objetivos 2.

Leia mais

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas as áreas da Fibria que, direta

Leia mais

Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis.

Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis. Utilização de Práticas Genéricas do CMMI para apoiar a utilização de Metodologias Ágeis. Célio Santana,1, Cristine Gusmão 1, Ana Rouiller 2, Alexandre Vasconcelos 3 1 Universidade de Pernambuco, Departamento

Leia mais

Project Management Body of Knowledge

Project Management Body of Knowledge PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS PUCMINAS (UNIDADE BARREIRO) CURSOS: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS / LOGÍSTICA Project Management Body of Knowledge Definição Também conhecido como PMBOK é um

Leia mais

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto

Processos de gerenciamento de projetos em um projeto Processos de gerenciamento de projetos em um projeto O gerenciamento de projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto a fim de cumprir seus requisitos.

Leia mais

HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI

HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI HERON VIEIRA AGUIAR PEPP: PROCESSO DE SOFTWARE PARA EMPRESAS DE PEQUENO PORTE BASEADO NO MODELO CMMI Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Lavras como

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009

Gerenciamento de Projetos. Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 Semana de Tecnologia Gerenciamento de Projetos Faculdade Unisaber 2º Sem 2009 ferreiradasilva.celio@gmail.com O que é um Projeto? Projeto é um "esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço

Leia mais

Gerência de Risco em Processos de Qualidade de Software: uma Análise Comparativa

Gerência de Risco em Processos de Qualidade de Software: uma Análise Comparativa Gerência de Risco em Processos de Qualidade de Software: uma Análise Comparativa Cristine Martins Gomes de Gusmão, Hermano Perrelli de Moura Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Início Qualidade de Software Álvaro Rocha amrocha@ufp.pt http://www.ufp.pt/~amrocha Início>Tópicos Tópicos 1. Fundamentos 2. Qualidade e Maturidade do Processo de SW ISO 9000, ISO 12207, SW-CMM, TRILLIUM;

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

Capability Maturity Model Integration - CMMI

Capability Maturity Model Integration - CMMI Capability Maturity Model Integration - CMMI Para Desenvolvimento Versão 1.2 M.Sc. Roberto Couto Lima ÍNDICE 1. Definição ------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 2. Qualidade do

Leia mais

PROVA DISCURSIVA (P )

PROVA DISCURSIVA (P ) PROVA DISCURSIVA (P ) 2 Nesta prova que vale dez pontos, faça o que se pede, usando os espaços indicados no presente caderno para rascunho. Em seguida, transcreva os textos para as folhas de TEXTOS DEFINITIVOS

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Aula 05 MPS.BR (ago/12) Melhoria de Processo do Software Brasileiro Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Agenda Descrição sumária do MPS.BR - Melhoria de Processo do Software

Leia mais

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Amaury Bordallo Cruz (PEP/UFRJ) bordalo@ugf.br Elton Fernandes - (Coppe-UFRJ) - elton@pep.ufrj.br Solange Lima (PEP/UFRJ) solangelima@petrobras.com.br

Leia mais

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos Sumário Sistemas de Informação para Processos Produtivos 1. Gerência de 2. Agentes principais e seus papéis 3. Ciclo de vida do gerenciamento de projetos M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com Módulo 6

Leia mais

Mapeamento GRH. 1. Introdução

Mapeamento GRH. 1. Introdução Mapeamento GRH 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem duas finalidades principais: a) Averiguar semelhanças e diferenças entre modelos, normas e guias de boas práticas para gestão de recursos

Leia mais

Avaliando a Adoção do CMMI considerando o Custo de Qualidade de Software

Avaliando a Adoção do CMMI considerando o Custo de Qualidade de Software Avaliando a Adoção do CMMI considerando o Custo de Qualidade de Software Autoria: Alex Oliveira, Maira de Cassia Petrini Resumo Esta pesquisa utilizou a teoria do Custo de Qualidade de Software para analisar

Leia mais