Autoria Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Autoria Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina"

Transcrição

1 Gestão de Custos 1

2 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (lei nº 9.610). Informações e contato: Sebrae/PR Rua Caeté, 150 Prado Velho CEP Curitiba PR Telefone: (41) Internet: Presidente do Conselho Deliberativo Darci Piana Diretoria Executiva Allan Marcelo de Campos Costa Júlio Cézar Agostini Vitor Roberto Tioqueta Coordenação Técnica do Desenvolvimento SEBRAE SEM DISTÂNCIA Adaptação: Unidade de Apoio a Projetos Educação Márcia Valéria Paixão Maria Ozelia de Souza Rodrigues Luciane Sayuri Sato Autoria Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina Coordenação Técnica Alcione Rocha dos Santos Luiz Augusto Sabino Santos Maristela Borges Gomes Roberto Tavares de Albuquerque Instituto Catarinense de Pós-Graduação ICPG Bernardo Calixto Knabben Editoração Ceolin & Lima Serviços Ltda 2

3 APRESENTAÇÃO O acesso ao conhecimento é um fator decisivo para garantir o sucesso da pequena empresa em qualquer área de atividade. Mas sabemos que, no Brasil, boa parte das empresas ainda não possui garantia a tal acesso, por isso, empresas, governos e sociedade passaram a direcionar esforços no desenvolvimento de ações para inserção social e empresarial, a fim de propiciar condições para que o Brasil possa competir em um mundo cada vez mais globalizado. E o SEBRAE não pode deixar de lado sua missão que está em promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável das micro e pequenas empresas e fomentar o empreendedorismo, tendo na educação a base mobilizadora desse processo. Assim, o projeto SEBRAE SEM DISTÂNCIA vem de encontro com as suas diretrizes estratégicas, pois visa promover a Democratização do conhecimento. E na medida em que as tecnologias de comunicação avançam, conectando pessoas distantes fisicamente, o conceito de presencialidade também se altera. Nesse contexto, surge o conceito de Educação à Distância que é o processo de ensino-aprendizagem onde professores e alunos estão separados espacial e/ou temporalmente e interligados por documentos impressos e tecnologias como Internet, correio, DVD, livros, rádio, televisão, vídeo, entre outras. O Ensino à Distância pode acontecer de forma semipresencial, parte na sala de aula e outra parte a distância, através de tecnologias, ou totalmente à distância, ocorrendo fundamentalmente por meio de tecnologias de comunicação e baseado no princípio do construtivismo (o aluno constrói o conhecimento). Gestão de Custos 3

4 A Missão da Educação à Distância do SEBRAE Paraná é: capacitar pequenos empresários por meio de cursos de qualidade, integrando tecnologias e propostas pedagógicas inovadoras, com foco na aprendizagem e com um mix de uso de tecnologias. A educação à distância permitirá a você, com flexibilidade de horários e local, realizar cursos de educação continuada, inclusive certificando-o para complementação de sua vida educacional ou profissional. Bem-vindo ao SEBRAE Educação à Distância! 4

5 SEBRAE/PR Educação à Distância Como funcionam os cursos à distância do SEBRAE/PR? Os cursos oferecidos pelo SEBRAE no Paraná abrangem as principais áreas de gestão da empresa: comportamentos e atitudes, finanças, marketing e vendas. Essas são as áreas que mais concentram os problemas vividos pelas micro e pequenas empresas. Na modalidade à distância, os cursos utilizam diversas ferramentas para tornar seus estudos efetivos, como livros, ambientes virtuais de aprendizagem, DVD, entre outros. Construídos de forma prática e enfocando as principais técnicas de gestão testadas e aprovadas em pequenos negócios, os temas trabalhados permitem a imediata aplicação nas empresas. Ou seja, tudo que o empresário apreende aqui pode ser utilizado imediatamente na solução de problemas e na elaboração de estratégias para gerenciar melhor seus negócios. Esse Guia trata dos CURSOS AUTÔNOMOS. Você adquiriu um Kit contendo este guia de estudos e um livro. São cursos destinados a quem pretende abrir uma empresa, conhecer um pouco mais sobre empreendedorismo ou ainda aprofundar conhecimentos na área escolhida. Todas as modalidades de ensino à distância oferecem certificações. Gestão de Custos 5

6 Preciso de conhecimentos prévios para fazer um curso do SEBRAE/PR à distância? Não é necessário nenhum conhecimento anterior. Os cursos autônomos estão voltados para pessoas não especialistas nas áreas. Mas, como estudar à distância? Você vai estudar sozinho, por isso planeje bem seus estudos e organize seu tempo de acordo com seu ritmo. É importante que você gerencie seu ritmo e horário de estudo. Não se limite a percorrer o texto. Procure um lugar onde você possa ter o máximo de concentração. Trace um plano de estudos e estabeleça objetivos. Leia com atenção, faça anotações, sínteses e resolva os exercícios. Procure praticar o que foi apreendido e pesquise em livros, internet e outros meios sobre o tema que está estudando. Os cursos são independentes e o material foi preparado em linguagem simples e direta. Os testes de avaliação que acompanham o curso têm por objetivo verificar os conhecimentos adquiridos e, caso queira receber a certificação, você deverá encaminhá-los para correção e obter, no mínimo, 70 pontos de um total de 100. Metodologia A metodologia adotada pelo SEBRAE está baseada nos quatro pilares fundamentais de Jacques Delors (UNESCO, 1996) - aprender a apreender; aprender a fazer; aprender a conviver; aprender a ser - deverá desenvolver as competências gerais para: Dimensão cognitiva: os cursos deverão fazer o empresário pensar sobre como e por que utilizar determinada estratégia, por meio da consideração dos saberes que os empresários trazem e a reutilização destes saberes em 6

7 situações de ensino. Os empresários trazem em sua bagagem conhecimentos e condições para mudar, mas precisam de reflexão e debate para que encaminhem propostas de mudanças. Dimensão de Natureza atitudinal: o SEBRAE SEM DISTÂNCIA deve proporcionar ao pequeno empresário a confiança em suas possibilidades para propor mudanças e resolver problemas. Dimensão de competência operacional: esta dimensão traz a idéia de ação, da implementação de políticas e práticas gerenciais observáveis. Na identificação das competências relacionadas, a metodologia SEBRAE/PR pretende ir além de simplesmente preparar o empresário para o domínio dos conteúdos. Pretende-se desenvolver as competências de gestão favoráveis ao empreendedorismo e que assegurem a compreensão desse fazer, cumprindo, assim, os objetivos das opções estratégicas SEBRAE/PR. Como são as avaliações? As avaliações ocorrem da seguinte maneira: ao final da leitura do material, você deverá preencher o teste e enviálo ao escritório do SEBRAE/PR mais próximo por correio ou entregando pessoalmente. Quais os recursos necessários para fazer um curso à distância SEBRAE/PR? Nos cursos autônomos, basta vontade e disciplina. Qual a duração dos cursos? A duração dos cursos é determinada por você que estuda, dentro de suas limitações, horários e possibilidades. Gestão de Custos 7

8 E se eu não quiser a certificação? A Certificação somente será oferecida caso você a queira. Lembre-se: nosso objetivo maior é a sua capacitação. Onde estão localizados os escritórios regionais do SEBRAE/PR? Os escritórios regionais do SEBRAE/PR estão localizados em diversas regiões. Abaixo seguem os endereços. ESCRITÓRIO APUCARANA Fone: (43) Fax: Endereço: RUA DOUTOR OSWALDO CRUZ, 510 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: APUCARANA ESCRITÓRIO CAMPO MOURÃO Fone: (44) Fax: Endereço: AVENIDA MANOEL MENDES DE CAMARGO, 1111 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: CAMPO MOURÃO REGIONAL CASCAVEL Fone: (45) Fax: Endereço: AVENIDA TANCREDO NEVES, 1262 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: CASCAVEL 8

9 REGIONAL CURITIBA Fone: (41) Fax: Endereço: RUA CAETÉ, 150 CEP: Bairro: PRADO VELHO Cidade: CURITIBA ESCRITÓRIO FOZ DO IGUAÇU Fone: (45) Fax: Endereço: RUA DAS GUIANAS, 151 CEP: Bairro: JARDIM AMÉRICA Cidade: FOZ DO IGUAÇU ESCRITÓRIO FRANCISCO BELTRÃO Fone: (46) Fax: Endereço: RUA SÃO PAULO, 1212 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: FRANCISCO BELTRÃO ESCRITÓRIO GUARAPUAVA Fone: (42) Fax: Endereço: RUA VICENTE MACHADO, 1552 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: GUARAPUAVA Gestão de Custos 9

10 ESCRITÓRIO IVAIPORÃ Fone: (43) Fax: Endereço: RUA PROFESSORA DIVA PROENÇA, 1190 CEP: Bairro: Cidade: IVAIPORÃ ESCRITÓRIO JACAREZINHO Fone: (43) Fax: Endereço: RUA DR HERACLIO GOMES, 732 CEP: Bairro: Cidade: JACAREZINHO REGIONAL LONDRINA Fone: (43) Fax: Endereço: AVENIDA SANTOS DUMONT, 1335 CEP: Bairro: BOA VISTA Cidade: LONDRINA REGIONAL MARINGÁ Fone: (44) Fax: Endereço: AVENIDA BENTO MUNHOZ DA ROCHA NETTO, 1116 CEP: Bairro: ZONA 07 Cidade: MARINGÁ 10

11 ESCRITÓRIO PARANAVAÍ Fone: (44) Fax: Endereço: RUA MATO GROSSO, 1874A CEP: Bairro: CENTRO Cidade: PARANAVAÍ REGIONAL PATO BRANCO Fone: (46) Fax: Endereço: AVENIDA TUPY, 333 CEP: Bairro: TREVO PATINHOS Cidade: PATO BRANCO ESCRITÓRIO PONTA GROSSA Fone: (42) Fax: Endereço: RUA QUINZE DE NOVEMBRO, 120 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: PONTA GROSSA ESCRITÓRIO TOLEDO Fone: (45) Fax: Endereço: LARGO SÃO VICENTE DE PAULO, 1333 CEP: Bairro: CENTRO Cidade: TOLEDO Gestão de Custos 11

12 ESCRITÓRIO UMUARAMA Fone: (44) Fax: Endereço: AVENIDA BRASIL, 3404 CEP: Bairro: ZONA I Cidade: UMUARAMA 12

13 SUMÁRIO Introdução...04 MÓDULO 1: Os custos no dia-a-dia do Empresário Tópico 1: O que são custos e despesas...06 Tópico 2: O conceito de fixo e variável...08 Tópico 3: Identificando e calculando os custos MÓDULO 2: Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço? Tópico 1: Margem de contribuição - Ganhando o Jogo Tópico 2: Ponto de Equilíbrio - o Jogo do zero a zero...29 Gestão de Custos 13

14 INTRODUÇÃO Olá! Neste módulo vamos falar sobre Gestão de Custos das empresas. O quê! Você é daqueles que não gosta de números? Odeia matemática e qualquer coisa relacionada a ela? Bom, o nosso objetivo é que você mude um pouco essa visão e perceba a real importância de conhecer os conceitos fundamentais de uma boa Gestão de Custos. Vamos encarar a Gestão de Custos como um habilidade que precisamos desenvolver para melhoria das nossas vidas e da saúde dos nossos negócios. Afinal de contas, se não sei quanto eu gasto, como posso saber se estou ganhando dinheiro? Com um pouquinho de esforço a gente chega lá. Para conseguirmos alcançar estes objetivos, iremos tratar dos seguintes assuntos: Módulo 1: Os custos no dia-a-dia do Empresário Tópico 1: O que são Custos e Despesas Tópico 2: O conceito de Fixo e Variável Tópico 3: Identificando e Calculando os Custos Módulo 2: Estou ganhando dinheiro com a venda do produto/serviço? Tópico 1: Margem de Contribuição - Ganhando o Jogo Tópico 2: Ponto de Equilíbrio - O jogo do zero a zero 14

15 O seu negócio pode ser uma grande idéia, mas assim como a estratégia, recursos humanos, processos, finanças e marketing são importantes para a empresa, saber calcular e controlar os custos dos produtos/serviços oferecidos é essencial para que a empresa alcance o sucesso. Neste módulo, iremos aprender a identificar e a controlar os CUSTOS dos produtos/serviços oferecidos pela nossa empresa. Antes de entrarmos propriamente na GESTÃO DE CUSTOS, vamos fazer uma pequena reflexão. Veja! Para que uma empresa funcione bem é preciso que as várias partes que a compõem trabalhem de maneira harmônica. No caso de um comércio, por exemplo, é fundamental que não faltem mercadorias para vendas, que um bom atendimento seja dado ao cliente, que a localização da loja seja boa, enfim, todas as partes da empresa devem estar orientadas para que o negócio dê certo. Mas o que os CUSTOS têm a ver com o funcionamento da empresa? Quando a empresa realiza suas operações e atividades, gasta determinados recursos, seja matéria-prima, mercadorias, dinheiro ou pessoas, por exemplo. Quando a empresa conhece e identifica todos os gastos desses recursos, então ela poderá controlar os seus custos. Então, CUSTOS é algo invisível? Exatamente, você não poderá ver e nem apalpar os custos, mas sim apenas ver e apalpar os componentes que compõem os custos de determinado produto ou serviço. Vamos ajudá-lo a entender, interpretar e calcular os custos dos produtos/serviços do seu negócio. Gestão de Custos 15

16 16

17 MÓDULO 1 Os custos no dia-a-dia do Empresário Os tópicos deste módulo são: Tópico I: Tópico II: O que são Custos e Despesas O conceito de Fixo e Variável Tópico III: Identificando e Calculando os Custos Gestão de Custos 17

18 18

19 O que são Custos e Despesas TÓPICO I O mercado está cada vez mais competitivo e a cada dia os consumidores estão exigindo preços mais baixos. Muitas vezes quem está determinando o preço dos produtos/serviços é o mercado e não somente o empresário. Dentro desse contexto de ampla concorrência, é fundamental saber se estamos ganhando dinheiro quando produzimos e vendemos um produto ou serviço. Se estivermos vendendo nossos produtos e serviços sem a obtenção de lucro, encontraremos dificuldades na continuidade dos negócios. E para não corrermos esse risco, precisamos conhecer o conceito de custos e despesas. Conhecendo Custos CUSTOS são todos os gastos relacionados a um produto até deixá-lo em condições de vender. Ou seja: tudo aquilo que é utilizado para produzir um bem ou serviço ou adquirir um bem para ser vendido. Os custos não são calculados de maneira igual para qualquer ramo de atividade, por isso é fundamental você: Conhecer o ramo de atividade: indústria, comércio ou serviços. Identificar o que se gasta em cada ramo de atividade. Existem outros gastos como a energia elétrica da área de vendas ou os gastos com propaganda, por exemplo. Todos esses gastos que não estão relacionados diretamente com a produção ou a venda do produto/serviço serão chamados de DESPESAS. Gestão de Custos 19

20 DESPESAS são todos os gastos que não estão relacionados diretamente com o produto/serviço, mas são necessários para atender a estrutura da sua empresa, ou seja, são gastos para tocar a empresa adiante. É importante você saber a diferença entre CUSTO e DESPESA. Enquanto CUSTO está diretamente ligado ao produto/serviço, a DESPESA não está diretamente ligada ao processo de produção ou a venda do produto ou o serviço. Vejamos alguns exemplos de custos e despesas: Custo Matéria-Prima Frete da Matéria-Prima Produto comprado para revenda Material consumido na prestação de serviço Energia Elétrica das Máquinas da Indústria Despesa Aluguel Retirada dos Sócios Propaganda Salários de Funcionários adminitrativos Comissão de Vendedores 20

21 O Conceito de Fixo e Variável TÓPICO II Tanto os custos como as despesas devem ser classificados como Fixos ou Variáveis. Os custos e despesas FIXOS são aqueles que acontecem de forma independente ao volume de produção ou venda do produto/serviço. Isto é, eu tenho sempre o mesmo custo ou despesa, sem importar a quantidade vendida do produto ou serviço. De maneira contrária, os custos e despesas VARIÁVEIS são aqueles que sofrem alterações de acordo com o volume de produção ou venda do produto ou serviço. Isto é, eles aumentam à medida que a empresa produz ou vende mais produtos/serviços e diminuem quando a empresa produz ou vende menos. Vejamos alguns exemplos e explicações que vão nos auxiliar no entendimento do conceito de Fixo e Variável. Evento Fixo/Variável Explicação Energia Elétrica de uma loja no Shopping Farinha de Trigo em uma panificadora Comissão de Vendedores numa Loja de Informática Salário do Mecânico em uma oficina Fixa Variável Variável Fixo Não importa quanto eu venda, o consumo permanece fixo. Quanto mais pães eu vender mais Farinha de Trigo vou precisar. Quanto mais computadores o vendedor comercializar, mais receberá como comissão, sendo variável o que irá receber. Não importa a quantidade de carros que a oficina tiver para arrumar, o salário do mecânico terá que ser pago. A principal justificativa para a separação entre Fixo e Variável é identificarmos todos os custos e despesas fixas para saber quanto iremos gastar mesmo que a empresa não tenha nenhuma venda. Essa é uma informação muito importante para a condução do seu negócio. Sabendo identificar os custos e despesas fixas, você terá Gestão de Custos 21

22 condições de saber quanto a empresa gasta mesmo sem receber nenhum pagamento por um bem ou serviço produzido ou comercializado. Outra informação importante é saber a diferença entre Pró-Labore e Lucro. Pró-Labore corresponde à retirada do sócio pelo trabalho que prestou. Seria como se fosse um salário do proprietário. Podemos identificar o Pró-Labore como sendo uma Despesa Fixa. Já o Lucro é o resultado da operação da empresa e pode ter várias utilizações, como reinvestimento no próprio negócio, antecipação do pagamento de dívidas ou até mesmo distribuição aos sócios. DICA Acompanhe o diagrama a seguir e veja a separação dos gastos de uma empresa: Gastos Custos Despesas Ligados à produção de novos bens ou serviços Ligados à manutenção do Negócio, tocam a empresa adiante Fixos Variáveis Fixas Variáveis Não variam em função do volume de produção Variam em função do volume de produção Não variam em função do volume de produção ou vendas Variam em função do volume de produção ou vendas Manutenção mensal das máquinas da indústria Matéria-Prima Salário da Administração Comissões sobre vendas 22

23 Identificando e calculando os Custos TÓPICO III Olá! Para facilitar o entendimento deste Tópico, você irá conhecer como funcionam as empresas da Família Vieira que nos acompanha ao longo de todo o Programa, e trabalha em ramos diferentes de negócio: Uma panificadora Indústria. Uma mercearia Comércio. Uma prestadora de serviços de informática Serviços. Como são ramos diferentes de negócios, é importante conhecermos como andam os custos nessas três empresas. Iremos aprofundar o conhecimento em cada uma dessas empresas e assim poderemos identificar o comportamento e calcular os custos envolvidos. Panificadora Indústria Vamos conhecer como funciona a panificadora da Família Vieira. Seu Antônio fez um curso de panificação no SENAI e decidiu ocupar uma área livre no terreno de sua casa. Iniciou-se assim sua panificadora. Sua atividade básica é produzir pães e tortas que são distribuídos para venda em vários locais, principalmente para a loja de sua esposa. É ele quem compra todas as matérias-primas que serão consumidas ao longo do mês. Possui um amplo local de estocagem e os produtos, mesmo sendo perecíveis, não estragam enquanto aguardam o momento de serem utilizados para a fabricação. Seu processo de produção está concentrado em dois produtos. Pães e Tortas. Gestão de Custos 23

24 Desde o início da panificadora, seu Antônio possui a FICHA TÉCNICA dos produtos que fabrica. Com essa Ficha, ele tem condições de saber quanto de cada matéria-prima é consumida para fazer um pão ou uma torta. Essa informação é muito importante para calcular os custos. Ficha Técnica é uma ficha ou formulário que mostra quanto e quais matérias-primas é preciso para fabricar 1 (uma) unidade de um determinado produto. Essa ficha ou formulário mostra também quanto custa cada item da matéria-prima e o custo total de matéria-prima para produzir cada unidade do produto. Vejamos as Fichas Técnicas de dois produtos fabricados na panificadora da Família Vieira: Produto: Pão 1 unidade Item Quantidade Matéria-Prima Preço de Custo Farinha de trigo 400 gr 1,00 Schorot de Trigo 100 gr 0,28 Polvilho Azedo 20 gr 0,03 Semente de Linhaça 20 gr 0,26 Leite 40 ml 0,06 Sal Refinado 50 gr 0,02 Custo Unitário Total da Matéria-Prima consumida 1,65 Produto: Torta 1 unidade Item Quantidade Matéria-Prima Preço de Custo Farinha de Trigo gr 3,75 Fermento 10 gr 0,10 Leite 500 ml 0,73 Açúcar 20 gr 0,04 Margarina 20 gr 0,03 Baunilha 12 gr 0,07 Pedaços de Fruta 400 gr 1,03 Ovos 6 un 1,16 Custo Unitário Total da Matéria-Prima consumida 6,91 24

25 Atualmente o seu Antônio fabrica, por mês, pães e 600 tortas. A capacidade de produção da panificadora é superior, mas ele não consegue vender mais do que isso. Possui todos os equipamentos para a produção dos mesmos, sendo a empresa bastante automatizada. Isso faz com que o consumo de energia elétrica seja muito alto. Em média, a conta de luz dá em torno de R$ 500,00 por mês. Possui dois ajudantes que auxiliam na produção e uma secretária encarregada do atendimento aos clientes, emissão dos pedidos, faturamento e cobrança. Todas as demais atividades, principalmente as ligadas ao processo de produção, são desenvolvidas pelo seu Antônio. Para os funcionários, o seu Antônio paga um salário compatível com a realidade da região (aprendeu no Curso de Recursos Humanos como remunerar adequadamente seus empregados). Seu Antônio também fez o Curso de Finanças do Programa, e lá aprendeu que não deve misturar o seu caixa pessoal com o da empresa, então definiu uma retirada mensal, separando os gastos pessoais dos da empresa. Vejamos no quadro abaixo os gastos de pessoal na panificadora: Retirada Mensal do Proprietário 1.500,00 Salário do Ajudante 1 500,00 Salário do Ajudante 2 500,00 Salário da Secretária 350,00 Existem ainda outros gastos, relacionados abaixo: Telefone 100,00 Energia Elétrica 500,00 IPTU 55,44 Contador 260,00 Água 140,00 Gestão de Custos 25

26 Com essa descrição você está conhecendo basicamente todos os gastos da panificadora do seu Antônio. Vamos verificar agora como é fácil classificar e calcular os seus custos e despesas: Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de produção): Retirada Mensal do Proprietário 1.500,00 Salário do Ajudante 1 500,00 Salário do Ajudante 2 500,00 Salário da Secretária 350,00 Telefone 100,00 Energia Elétrica 500,00 IPTU 55,40 Contador 260,00 Água 140,00 Total Custo/Despesa Fixa 3.905,40 Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de produção): Item Custo Unitário Quantidade Total Custo/Despesa Variável Pão 1, ,00 Torta 6, ,00 Pronto!!! Agora já sabemos quanto é que a panificadora gasta por mês para produzir essa quantidade de pães e tortas. Sabemos que, se a empresa não vender nada durante o mês, ainda assim gastará R$ 3.905,40 mesmo ficando parada (Custo Fixo). 26

27 Mercearia Comércio A Loja da Família Vieira comercializa vários produtos de conveniência. Atende principalmente o bairro em que está situada. O principal produto que vende são os pães e as tortas que compra da panificadora do seu Antônio. Para simplificar o atendimento, iremos calcular somente os custos e despesas para a venda dos pães e das tortas, mas todos os outros produtos comercializados podem ser calculados da mesma maneira. No quadro abaixo estão especificadas as compras do mês da mercearia com a panificadora, considerando que compre o pão a R$ 1,95 a unidade e a torta R$ 8,10 cada uma: Item Custo Unitário Quantidade Total Custo/Despesa Variável Pão 1, ,00 Torta 8, ,00 A mercearia de dona Elizabete é bem arrumada. Os produtos ficam em estantes bem iluminadas e limpas. Ela considera fundamental que o cliente, ao chegar na mercearia, veja a limpeza e perceba o asseio com que são manuseados os diversos produtos comercializados. Isso faz com que os gastos de energia elétrica, material de limpeza e manutenção sejam constantes, pois dona Elizabete não deixa nada ficar estragado. Além disso, faz questão de entregar o produto ao consumidor em uma embalagem apropriada. Em média, esses são os gastos mensais: Energia Elétrica 150,00 Material de Limpeza 85,00 Manutenção em Geral 200,00 Embalagens 185,00 Gestão de Custos 27

28 Dona Elizabete trabalha com a ajuda de mais duas atendentes que também auxiliam na limpeza da mercearia. Nos horários de muito movimento, dona Elizabete fica no caixa e as atendentes ficam à disposição dos clientes. Nos momentos de baixa no movimento, as atendentes se revezam na limpeza e dona Elizabete realiza as outras funções de uma empresária de pequena empresa. A exemplo de seu Antônio, também não mistura seus gastos pessoais com a mercearia, realizando um retirada mensal. Dona Elizabete também aprendeu no Programa de Capacitação Empresarial SEBRAE SEM DISTÂNCIA, no Curso de Recursos Humanos que é fundamental para o sucesso da empresa manter os funcionários motivados. Assim ela implementou um incentivo às atendentes que é o comissionamento sobre as vendas de 0,5% do valor vendido. Vejamos os gastos com pessoal da mercearia: Retirada Mensal do Proprietário 950,00 Salário da Atendente 1 400,00 Salário da Atendente 2 400,00 Comissão 0,5% sobre as vendas Existem outros gastos, relacionados abaixo: Telefone 100,00 IPTU 50,20 Contador 260,00 Com essa descrição você está conhecendo basicamente todas as despesas e custos da mercearia de dona Elizabete. Vamos verificar agora como é fácil classificar e calcular esses custos e despesas: 28

29 Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de produtos comercializados): Energia Elétrica 150,00 Material de Limpeza 85,00 Manutenção em Geral 200,00 Embalagens 185,00 Retirada Mensal do Proprietário 950,00 Salário da Atendente 1 400,00 Salário da Atendente 2 400,00 Telefone 100,00 IPTU 50,20 Contador 260,00 Total Custo/Despesa Fixa 2.780,20 Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de produtos comercializados): Item Custo Unitário Quantidade Total Custo/Despesa Variável Pão 1, ,00 Torta 8, ,00 Não podemos esquecer, ainda, da Comissão das atendentes de 0,5%, que iremos calcular sobre as vendas da mercearia. Pronto!!! Somando todos os valores citados anteriormente podemos calcular quanto a mercearia gasta por mês para comprar e vender seus produtos. Gestão de Custos 29

30 Empresa de Informática Serviços A prestadora de serviços da Família Vieira, administrada por Jorge, atua em vários segmentos. Além de dar manutenção às máquinas e equipamentos de informática, comercializa produtos da área e, além disso, desenvolve um software de gestão para pequenas empresas. Para calcular os custos dessa empresa é fundamental separarmos as suas atividades. Assim sendo, a venda de produtos de informática e do sofware de gestão são tratados exatamente iguais à mercearia, pois se trata de um comércio. Mas os gastos das atividades de manutenção do software e de equipamentos de informática como prestação de serviços, devem ser calculados de maneira diferente. Vamos conhecer um pouco mais como funciona a empresa de serviços de informática da Família Vieira. Jorge dividiu a prestadora de serviços em duas atividades básicas. Manutenção de software de gestão e manutenção de máquinas e equipamentos de informática. Para a manutenção do software de gestão, Jorge montou uma central de atendimento telefônico com duas atendentes. As dúvidas maiores são solucionadas por um programador. Quando o problema é grave, as atendentes e o programador não conseguem resolver pelo telefone, é agendada uma visita da assistência técnica e, persistindo o problema, é realizada uma visita do programador até o cliente. Jorge, seguindo a mesma postura da família, realiza retiradas mensais, não misturando os seus gastos com os da empresa. Assim, os gastos com a sua retirada e com os salários do empregados são os seguintes: Retirada Mensal do Proprietário 750,00 Salário da Atendente 1 500,00 Salário da Atendente 2 500,00 Salário do Técnico 750,00 Salário do Programador 900,00 30

31 A sua empresa tem as seguintes despesas: Energia Elétrica 90,00 Telefone 450,00 IPTU 20,00 Contador 100,00 Além disso, para cada visita ao cliente, Jorge gasta em média R$ 15,00 para o deslocamento do programador. Pratique Vamos calcular os Custos e Despesas Fixas e Variáveis da Prestadora de Serviços? É só fazer como nas outras empresas que aprendemos anteriormente: Custos e Despesas Fixas (não se alteram em função do volume de serviços prestados): Total Custo/Despesa Fixa Gestão de Custos 31

32 Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de serviços prestados): Veja se você acertou!!! Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de serviços prestados): Retirada Mensal do Proprietário 750,00 Salário da Atendente 1 500,00 Salário da Atendente 2 500,00 Salário do Técnico 750,00 Salário do Programador 900,00 Energia Elétrica 90,00 Telefone 450,00 IPTU 20,00 Contador 100,00 Total Custo/Despesa Fixa 4.060,00 Custos e Despesas Variáveis (se alteram em função do volume de serviços prestados): Deslocamento de Visita Técnica 15,00 Pronto!!! Agora já sabemos quanto é que a empresa de Jorge gasta por mês para prestar manutenção de software aos seus clientes. Reflexão Existem outros CUSTOS e DESPESAS que não foram citados nos exemplos que foram desenvolvidos? 32

33 DICA Sim. As empresas possuem outros gastos como impostos federais e estaduais, 13º Salário, impostos sobre a folha de pagamento, despesas de manutenção, despesas de propaganda e divulgação e despesas bancárias, por exemplo, que não foram especificados. Isso porque o objetivo é que você entenda o método para o cálculo do custo, e a partir daí, adapte à SUA REALIDADE. Assim sendo, o objetivo é mostrar o básico, e a partir dele você construir um conhecimento maior, necessário para condução do seu negócio. Lembrete - Você precisa saber o que você gasta para produzir ou comercializar os seus produtos ou serviços. - Você precisa saber quanto você gasta de matéria-prima ou mercadoria para produzir ou comercializar os produtos ou serviços. - Faça um teste, se você não produzir nem vender nenhum produto ou serviço quais serão os gastos que você ainda terá para manter a sua empresa funcionando? Gestão de Custos 33

34 Pratique Preencha e calcule quais os itens abaixo devem ser incluídos nos gastos da empresa: Mensalidade da Escola do Filho 120,00 Salário da Atendente 500,00 Compras para a Casa 300,00 Energia Elétrica da Loja 250,00 Aluguel da Loja 300,00 Total Veja se você acertou!!! Salário da Atendente 500,00 Energia Elétrica da Loja 250,00 Aluguel da Loja 300,00 Total 1.050,00 Lembrete É essencial você saber que a área de custos é muito importante na empresa e está ligada diretamente à estratégia empresarial. Quando você está iniciando ou gerenciando um negócio de micro ou pequeno porte, os conhecimentos adquiridos neste curso serão suficientes para lhe auxiliar nessa tarefa. Com o crescimento do negócio, você deverá aprofundar seus conhecimentos na área de custos, para tanto, poderá utilizar outros cursos que o SEBRAE/PR oferece. 34

Gestão e Estratégia Empresarial 1

Gestão e Estratégia Empresarial 1 Gestão e Estratégia Empresarial 1 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte,

Leia mais

Autoria Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina

Autoria Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Santa Catarina Gestão de Marketing 1 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

Gestão de Finanças 1

Gestão de Finanças 1 Gestão de Finanças 1 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação

Leia mais

Finanças. Contas a Pagar e a Receber

Finanças. Contas a Pagar e a Receber 2 Dicas de Finanças Finanças Você pode achar que falar de finanças é coisa para grandes empresas. Talvez este assunto nem tenha sido tratado com a devida importância mesmo em sua informalidade. Contudo,

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO

CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO Formação de preço CONSIDERAÇÕES SOBRE PREÇO O preço se define a partir do público a quem se dirige o produto e como a empresa se coloca em relação aos produtos e serviços dos concorrentes. Por isso, depende

Leia mais

04 Os números da empresa

04 Os números da empresa 04 Os números da empresa Além de conhecer o mercado e situar-se nele, o empreendedor tem de saber com clareza o que ocorre com os números de sua empresa. Neste capítulo conheça os principais conceitos,

Leia mais

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA?

MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO: QUANTO SOBRA PARA SUA EMPRESA? Que nome estranho! O que é isso? Essa expressão, Margem de Contribuição, pode soar estranha aos ouvidos, mas entender o que significa ajudará muito

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Entendendo custos, despesas e preço de venda

Entendendo custos, despesas e preço de venda Demonstrativo de Resultados O empresário e gestor da pequena empresa, mais do que nunca, precisa dedicar-se ao uso de técnicas e instrumentos adequados de gestão financeira, para mapear a situação do empreendimento

Leia mais

Gestão de Recursos Humanos 1

Gestão de Recursos Humanos 1 Gestão de Recursos Humanos 1 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO 04 APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças, marketing,

Leia mais

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso

Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso 01 Apuração do lucro líquido no comércio Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças

Leia mais

CUSTOS NO COMÉRCIO. Só de lembrar disso tudo, quase que o Sr. João teve um ataque. Respirou fundo e disse:

CUSTOS NO COMÉRCIO. Só de lembrar disso tudo, quase que o Sr. João teve um ataque. Respirou fundo e disse: 1 CUSTOS NO COMÉRCIO O Sr. João da Lojinha, um comerciante muito experiente, tem uma pequena loja de diversos artigos, localizada no centro comercial da sua cidade. Dia desses, preocupou-se com a situação

Leia mais

7. Viabilidade Financeira de um Negócio

7. Viabilidade Financeira de um Negócio 7. Viabilidade Financeira de um Negócio Conteúdo 1. Viabilidade de um Negócios 2. Viabilidade Financeira de um Negócio: Pesquisa Inicial 3. Plano de Viabilidade Financeira de um Negócio Bibliografia Obrigatória

Leia mais

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço

PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA. OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço PROJETO NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS NA MATA ATLÂNTICA OFICINA Gestão do Negócio, Qualidade do Produto e Serviço, Formatação de Preço Realização: Programa Mercado Mata Atlântica RBMA Instituto Amigos da Reserva

Leia mais

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO

APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO APURAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO NO COMÉRCIO O Sr. Fúlvio Oliveira, empresário de uma loja de confecções, está seriamente preocupado com seu negócio. As dívidas não param de crescer. Vamos entender sua situação.

Leia mais

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE

ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE ANEXO 2 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA O PARTICIPANTE 1. APRESENTAÇÃO Abaixo estão as principais informações que você precisa saber sobre o 7º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários SEBRAE/SC.

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade

ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS. 1. Sumário Executivo. Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso. 2. Sumário da Empresa. 2.1 Composição da Sociedade ROTEIRO DO PLANO DE NEGÓCIOS 1. Sumário Executivo Objetivos Missão Fatores-Chave de Sucesso 2. Sumário da Empresa 2.1 Composição da Sociedade Perfil Individual dos sócios, experiência, formação, responsabilidades

Leia mais

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS.

ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. ELABORACAO DE PLANO DE NEGÓCIOS. Resumo efetuado a partir do Manual Como Elaborar um plano de negócios SEBRAE/ 2013 Profa. Célia Regina Beiro da Silveira ESTRUTURA DO PLANO DE NEGÓCIOS PARA O 1º CONCURSO

Leia mais

CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS 1 CUSTOS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Temos observado que é muito comum encontrar empresários do segmento da prestação de serviços que apresentam dificuldades na Gestão dos Custos em suas empresas. Essas dificuldades

Leia mais

KA-dicas. Dicas que todo empreendedor deveria saber e seguir!

KA-dicas. Dicas que todo empreendedor deveria saber e seguir! KA-dicas Dicas que todo empreendedor deveria saber e seguir! Os KA-dicas são mini e-books com dicas rápidas e práticas para que você e sua equipe possam aplicar no seu dia a dia. Para mais, acesse nosso

Leia mais

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 2. Verificando a Viabilidade do Negócio

Programa de Auto-Atendimento. Manual Etapa 2. Verificando a Viabilidade do Negócio Programa de Auto-Atendimento Manual Etapa 2 Verificando a Viabilidade do Negócio 1 Boas Vindas! Olá, Caro Empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto- Atendimento Negócio Certo SEBRAE/SC..

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA

PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA FRALDAS DESCARTAVEIS Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA PLANO DE NEGÓCIOS FRALDAS QUARESMA "FRALDAS DESCARTAVEIS" Empreendedor(a): FLÁVIO QUARESMA DE LIMA SILVA Fevereiro/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio

Leia mais

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS

COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS OFICINA EMPRESARIAL COMO ELABORAR UM PLANO DE NEGÓCIOS - ATENDIMENTO COLETIVO - 01 Como tudo começou... Manuais da série Como elaborar Atividade 02 Por que as empresas fecham? Causas das dificuldades e

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

Verificando a viabilidade do negócio

Verificando a viabilidade do negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Verificando a viabilidade do negócio Manual Etapa 2/Parte 2 Bem-vindo! Olá, caro empreendedor! É um prazer ter você na Etapa 2 do Programa de Auto-Atendimento

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

Modelos de Gestão para o Crescimento de sua Empresa. Nova York, 12 a 21/setembro/2014

Modelos de Gestão para o Crescimento de sua Empresa. Nova York, 12 a 21/setembro/2014 Modelos de Gestão para o Crescimento de sua Empresa Nova York, 12 a 21/setembro/2014 1. Por que devo participar? Conhecer experiências internacionais é uma das mais eficazes formas de expandir os horizontes

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2014 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

Viabilidade de Negócios. Indústria

Viabilidade de Negócios. Indústria Viabilidade de Negócios Indústria SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO... 12 3. INVESTIMENTOS FIXOS... 17 4. GASTOS FIXOS MENSAIS... 23 5. CAPITAL DE GIRO INICIAL... 36 6.

Leia mais

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / /

FICHA DE CADASTRO EMPRETEC. Município Data: / / FICHA DE CADASTRO EMPRETEC Município Data: / / Caro Empreendedor, Obrigado por seu interesse pelo Empretec, um dos principais programas de desenvolvimento de empreendedores no Brasil e no Mundo! As questões

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS PARA REDUÇÃO DA INEFICIÊNCIA OPERACIONAL

GESTÃO DE CUSTOS PARA REDUÇÃO DA INEFICIÊNCIA OPERACIONAL GESTÃO DE CUSTOS PARA REDUÇÃO DA INEFICIÊNCIA OPERACIONAL GESTÃO DE CUSTOS PARA REDUÇÃO DA INEFICIÊNCIA OPERACIONAL Não tenho que ser perfeito, mas errar menos que os meus concorrentes. Márcio Rodrigues

Leia mais

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos O saldo negativo na conta bancária é apenas a consequência. Mas onde estão as causas? Você pode levar o marketing, gestão de pessoas e liderança

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS

PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS PLANO DE NEGÓCIOS W ARTE "SERRALHARIA E ESQUADRIA RAPOSÃO" Empreendedor(a): WALBER MACEDO DOS SANTOS Maio/2013 SUMÁRIO 1 SUMÁRIO EXECUTIVO 1.1 Resumo dos principais pontos do plano de negócio 1.2 Empreendedores

Leia mais

ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES

ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES ANÁLISE DO PONTO DE EQUILÍBRIO E INVESTIMENTO DE UMA FÁBRICA DE CASCÕES DE SORVETES Cristina Raquel Reckziegel (FAHOR) cr000900@fahor.com.br Gezebel Marcela Bencke (FAHOR) gb000888@fahor.com.br Catia Raquel

Leia mais

Preço de Venda na Indústria

Preço de Venda na Indústria SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...4 2. OS GASTOS FIXOS APLICADOS NO PREÇO...17 3. OS GASTOS VARIÁVEIS APLICADOS NO PREÇO...32 4. LUCRO DESEJADO...40 5. MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO...52 6. PONTO DE EQUILÍBRIO...61 7.

Leia mais

Gestão de Processos 1

Gestão de Processos 1 Gestão de Processos 1 2008. Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Paraná SEBRAE/PR Todos os direitos reservados. A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 2 Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você em mais uma etapa de sua viagem rumo

Leia mais

Tema Nº 3 Primeiros Passos

Tema Nº 3 Primeiros Passos Tema Nº 3 Primeiros Passos Habilidades a Desenvolver: Reconhecer as etapas iniciais do empreendedorismo. Analisar o tipo de negócio, bem como sua viabilidade e demandas de recursos de novos empreendimentos.

Leia mais

NOÇÕES DE CUSTO Receita Custo (Despesa) Investimento Encaixe (Embolso) Desencaixe (Desembolso)

NOÇÕES DE CUSTO Receita Custo (Despesa) Investimento Encaixe (Embolso) Desencaixe (Desembolso) NOÇÕES DE CUSTO Receita Entrada de elementos para a empresa (dinheiro ou direitos a receber) Custo (Despesa) É todo o gasto realizado pela empresa para auferir receita Investimento É a aplicação de recursos

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

COMO ADMINISTR OS CUSTOS DE SUA EMPRESA

COMO ADMINISTR OS CUSTOS DE SUA EMPRESA 45 AR COMO ADMINISTR OS CUSTOS DE SUA EMPRESA 1 A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE nas mais diversas áreas: organização empresarial, finanças,

Leia mais

Esquema Básico da Contabilidade de Custos

Esquema Básico da Contabilidade de Custos Tema Esquema Básico da Contabilidade De Custos Projeto Curso Disciplina Tema Professor Engenharia de Produção Custos Industriais Esquema Básico da Contabilidade de Custos Luizete Aparecida Fabbris Kenedy

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo

PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo PLANO DE NEGÓCIOS Faça você mesmo INTRODUÇÃO É um instrumento que visa estruturar as principais concepções e alternativas para uma análise correta de viabilidade do negócio pretendido, proporcionando uma

Leia mais

Criando o hábito de ser mais produtivo

Criando o hábito de ser mais produtivo Criando o hábito de ser mais produtivo Introdução No momento atual brasileiro, aumentar a produtividade é um fator essencial para a sobrevivência das empresas. Além da produtividade, empresas de pequeno

Leia mais

EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual

EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual EI, você aí! Passo a passo para as declarações de renda do Empreendedor Individual SEBRAE-SP Conselho Deliberativo Presidente: Alencar Burti (ACSP) ACSP Associação Comercial de São Paulo ANPEI Associação

Leia mais

CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO. Atividades Práticas

CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO. Atividades Práticas CUSTO FIXO, LUCRO E MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO 1 Assinalar Falso (F) ou Verdadeiro (V): Atividades Práticas ( ) Os custos fixos são totalmente dependentes dos produtos e volumes de produção executados no período.

Leia mais

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável

O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável O Método de Custeio por Absorção e o Método de Custeio Variável por Carlos Alexandre Sá Existem três métodos de apuração dos Custos das Vendas 1 : o método de custeio por absorção, o método de custeio

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30 1 2 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. LEVANTAMENTOS DOS PREÇOS DE MERCADO... 14 3. QUEM?... 20 4. O QUÊ?... 26 5. QUANTO... 30 6. ANALISANDO O PREÇO DE VENDA DOS CONCORRENTES... 37 7. PREÇO NO COMÉRCIO COM

Leia mais

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda GESTÃO FINANCEIRA Quando temos problemas de saúde procuramos um médico, sendo ele clínico geral ou especialista, conforme o caso. Normalmente, selecionamos um médico bastante conhecido e com boas referências

Leia mais

GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA. Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável

GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA. Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável SUMÁRIO 1. Sobre o Guia Rápido 03 2. Passo 1 - Plano de Contas 04

Leia mais

Total de meses de duração: 10 x 12 = 120 meses

Total de meses de duração: 10 x 12 = 120 meses CUSTO FIXO: É a soma de todas as despesas mensais de uma empresa que esteja funcionando, mesmo que não venda ou não preste nenhum serviço. CUSTO VARIÁVEL: são todos aqueles que variam conforme a quantidade

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

Plano de Negócios. Fast Break

Plano de Negócios. Fast Break Plano de Negócios Fast Break Aislan Amadio 1 José Marcio Alves Thomé 2 Valéria Figueiredo 3 Vagner Roberto da Costa 4 Maria Eliza Zandarim 5 Resumo O presente estudo tem como objetivo demonstrar e de estruturar

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral. Operações com mercadorias / Preço de vendas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 14 CONTABILIDADE Operações com mercadorias / Preço de vendas Sônia Maria de Araújo Maria Selma da Costa Cabral Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico

Leia mais

Gestão Financeira Preço de Venda: Custos dos Produtos e Serviços da Empresa

Gestão Financeira Preço de Venda: Custos dos Produtos e Serviços da Empresa Gestão Financeira Preço de Venda: Custos dos Produtos e Serviços da Empresa Diálogo Empresarial Manual do Participante Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Capacitação

Leia mais

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES

GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES GESTÃO DE CUSTOS E CONTROLES No fascículo anterior tratamos da importância de desenvolver e treinar os profissionais que trabalham no consultório médico e o quanto são importantes para que a empresa seja

Leia mais

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2015

EI, VOCÊ AÍ! Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual 2015 EI, VOCÊ AÍ! Regularize a situação da sua empresa com as dicas do Sebrae-SP e aproveite todos os benefícios da formalização. Passo a passo para as declarações de renda do MEI - Microempreendedor Individual

Leia mais

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos O saldo negativo na conta bancária é apenas a consequência. Mas onde estão as causas? Você pode levar o marketing, gestão de pessoas e liderança

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. PREÇO DE VENDA NO SERVIÇO... 5 3. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS... 16

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. PREÇO DE VENDA NO SERVIÇO... 5 3. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS... 16 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. PREÇO DE VENDA NO SERVIÇO... 5 3. FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA DOS SERVIÇOS... 16 4. PREÇO DA HORA TRABALHADA SEM LUCRO... 30 5. PREÇO DA HORA TRABALHADA COM LUCRO... 37 6.

Leia mais

Viabilidade de Negócios. Comércio

Viabilidade de Negócios. Comércio Viabilidade de Negócios Comércio SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ANALISANDO A VIABILIDADE DO NEGÓCIO... 12 3. INVESTIMENTOS FIXOS... 17 4. GASTOS FIXOS MENSAIS... 22 5. CAPITAL DE GIRO INICIAL... 35 6. INVESTIMENTO

Leia mais

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil.

Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Acredite no seu trabalho que o Brasil acredita em você. Ministério do Desenvolvimento, Confiança no Brasil. Indústria É assim que e Comércio a gente segue Exterior em frente. Introdução Atualmente, muitos

Leia mais

COMO PREPARAR A EMPRESA PARA A IMPLANTAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTE II

COMO PREPARAR A EMPRESA PARA A IMPLANTAÇÃO DO ORÇAMENTO PARTE II COMO PREPARAR A EMPRESA PARA A Como estruturar o orçamento? A importância dos centros de custos. O plano de contas orçamentário. Qual a função da árvore de produtos? Autores: Carlos Alexandre Sá(carlosalex@openlink.com.br)

Leia mais

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS CONTABILIDADE DE CUSTOS 1 Custos Índice Custos nas empresas Custos Variáveis e Custos Fixos Pró- Labore Margem de Contribuição Ponto de Equilíbrio Ponto de Equilíbrio com Vários Produtos Calculando custos

Leia mais

Guia. Empreendedor FLUXO DE CAIXA/ CUSTOS NA PEQUENA INDÚSTRIA

Guia. Empreendedor FLUXO DE CAIXA/ CUSTOS NA PEQUENA INDÚSTRIA Guia Empreendedor do FLUXO DE CAIXA/ CUSTOS NA PEQUENA INDÚSTRIA INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS Neste fascículo, você vai aprender a planejar e controlar as entradas e saídas do caixa de sua empresa num determinado

Leia mais

COMO ABRIR SUA EMPRESA

COMO ABRIR SUA EMPRESA COMO ABRIR SUA EMPRESA Hoje, ter o próprio negócio é algo muito comum. Flexibilidade, possibilidade de aumentar a renda e instabilidade como funcionário são os principais motivos para se empreender. É

Leia mais

Administração Financeira e Orçamento Empresarial UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

Administração Financeira e Orçamento Empresarial UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROF: HEBER LAVOR MOREIRA GISELE KARINA NASCIMENTO MESQUITA MARIA SANTANA AMARAL Flor de Lis MATERIAL

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA Prestação de Serviço de Configuração de Portal de Cidade VISÃO GERAL PESM Projeto Eu Sou de Minas tem a satisfação de enviar esta proposta de serviços

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos

5 Plano Financeiro. Investimento total. investimentos fixos; capital de giro; investimentos pré-operacionais. 5.1 Estimativa dos investimentos fixos 5 Plano Financeiro Investimento total Nessa etapa, você irá determinar o total de recursos a ser investido para que a empresa comece a funcionar. O investimento total é formado pelos: investimentos fixos;

Leia mais

INFORMAÇÕES ÚTEIS. 1 - Definição

INFORMAÇÕES ÚTEIS. 1 - Definição INFORMAÇÕES ÚTEIS Em pesquisa realizada pelo Banco Mundial o Brasil é um país que pode levar cerca de 5 meses para se legalizar uma empresa, mas o desemprego, a vontade de ter um negócio próprio, está

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

OS EFEITOS DOS CUSTOS NA INDÚSTRIA

OS EFEITOS DOS CUSTOS NA INDÚSTRIA 3 OS EFEITOS DOS CUSTOS NA INDÚSTRIA O Sr. Silva é proprietário de uma pequena indústria que atua no setor de confecções de roupas femininas. Já há algum tempo, o Sr. Silva vem observando a tendência de

Leia mais

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6

Plano de negócio. Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Plano de negócio Conceitos, Importância e estrutura Aula 6 Estrutura do plano de negócio Capa Sumário 1. Sumário executivo 2. Analise estratégica 3. Descrição da empresa 4. Produtos e serviços 5. Plano

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO ASSISTÊNCIA TÉCNICA - HARDWARE E SOFTWARE 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Dicas de vendas para postos de combustível

Dicas de vendas para postos de combustível Dicas de vendas para postos de combustível Ao visitar um cliente em potencial, apresente-se e apresente sua empresa e produtos (Bom dia, meu nome é Tiago, sou representante comercial da Moura Informática,

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos

Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos Gestão Financeira para Micro e Pequenas Empresas em 5 passos O saldo negativo na conta bancária é apenas a consequência. Mas onde estão as causas? Renan Kaminski Você pode levar o marketing, gestão de

Leia mais

08 Capital de giro e fluxo de caixa

08 Capital de giro e fluxo de caixa 08 Capital de giro e fluxo de caixa Qual o capital que sua empresa precisa para funcionar antes de receber o pagamento dos clientes? Como calcular os gastos, as entradas de dinheiro, e as variações de

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 5 Balanço Patrimonial

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 5 Balanço Patrimonial 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Balanço Patrimonial Tópicos do Estudo Introdução Representação gráfica. Ativo. Passivo. Patrimônio Líquido. Outros acréscimos ao Patrimônio Líquido (PL) As obrigações

Leia mais

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO PREÇO DE VENDA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO Estabelecer o preço de venda é um dos mais importantes momentos nas decisões a serem implantadas na empresa. A simples questão Por quanto devem ser vendidos os serviços

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO

PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO SIMONSEN PLANO DE NEGÓCIO RESUMO DO EMPREENDIMENTO 01 EMPREENDIMENTO 02 NEGÓCIO E MERCADO: DESCRIÇÃO 2.1 ANÁLISE MERCADOLÓGICA 2.2 MISSÃO DA EMPRESA 03 CONCORRÊNCIA 04 FORNECEDORES 05 PLANO

Leia mais

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional

O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O primeiro guia online de anúncios de Guarulhos a se tornar franquia nacional O guia online Vitrine de Guarulhos é um dos produtos do Grupo Vitrine X3, lançado no dia 11/11/11 com o objetivo de promover

Leia mais

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio

Plano de Negócios. Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa. Modelo de Planejamento prévio Plano de Negócios Passo a passo sobre como iniciar um Plano de Negócios para sua empresa Modelo de Planejamento prévio Fraiburgo, 2015 Plano de Negócios Um plano de negócios é uma descrição do negócio

Leia mais

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Novo Negócio 12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Vinícius Gonçalves Equipe Novo Negócio Espero sinceramente que você leia este PDF até o final, pois aqui tem informações muito importantes e que

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 06 CONTABILIDADE Classificação e função das contas Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

Use bem o seu dinheiro

Use bem o seu dinheiro 1016323-6 - abr/2012 Quer saber mais sobre como usar melhor o seu dinheiro? No site www.itau.com.br/usoconsciente, você encontra vídeos, testes e informações para uma gestão financeira eficiente. Acesse

Leia mais

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária

Eline Cristina Miranda 0501006001. Administração Financeira e Orçamentária UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS BACHARELADO EM CIENCIAS CONTÁBEIS PROF: HÉBER LAVOR MOREIRA Eline Cristina Miranda 0501006001 Administração

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais