Prospecção de Mercado - PMR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prospecção de Mercado - PMR"

Transcrição

1 Discriminação Prospecção de Mercado - PMR Estudo do mercado de software na França Número de série 1436/0001/2010 Posto/SECOM SECOM PARIS Data de preenchimento Abril 2010 Código NCM 8523 Descrição do produto Limite de validade País importador Observações Responsável pela elaboração Software 2 anos França Estudo elaborado pela Empresa NBS Conseil para Embaixada do Brasil em Paris. Empresa NBS Conseil Função/cargo Telefone Fax Nome do arquivo PMR pdf Aprovado por Conselheiro Pedro Scalisse, Chefe do SECOM

2 Estudo do mercado de software na França

3 Peso da edição de software no setor da informática Na França, a edição de software é uma atividade de grande importância no setor da informática. A edição de programas de informática situa-se logo após a consultoria. A edição de software representa cerca de 43% das empresas do setor e emprega 41% da mão de obra do setor. Consultoria em sistemas informáticos Edição de software não personalizados Outras atividades de realização de software Tratamento de dados Consultoria em sistemas informáticos Edição de software não personalizados Outras atividades de realização de software Tratamento de dados Atividades de bancos de dados Atividades de bancos de dados Manutenção e conserto Manutenção e conserto Fonte: Xerfi 3

4 Empresas e funcionários assalariados Em 2009, na França, empresas empregavam pessoas na edição de software (Fonte: Xerfi/Distributique) Num setor em constante evolução, os editores de software devem enfrentar novos desafios e devem repensar os seus modelos econômicos para responder às expectativas do mercado, tanto em matéria de ofertas como de preços: Prioridades para os grandes grupos: redução dos custos e procura de ganhos de produtividade Prioridade para as PME (potencial muito importante): oferta de prestações sob medida (ofertas simples, de rápida implementação e com uma relação personalizada) 4

5 Dimensão das empresas Crescimento forte das empresas médias Forte crescimento dos editores com faturamento entre 10 e 30 M As empresas cujo faturamento passa dos 30 M cresceram conforme a média geral. Os grandes grupos recorreram cada vez mais aos software de apoio a tomada de decisões e de soluções verticais. Taxa de crescimento do faturamento por tamanho das empresas Taxa de crescimento anual médio entre As empresas com faturamento inferior à 10 M cresceram menos que a média: o efeito dimensão tem sempre a sua importância neste setor. Fonte: Xerfi 5

6 Competitividade das empresas O crescimento dos editores de dimensão média Os editores de dimensão média (faturamento de 10 a 30 milhões, como DL Software ou Hardis) são os que cresceram mais rapidamente nestes últimos anos (+10,7%). Eles beneficiaram das necessidades crescentes de software por parte das PME, que preferiram estas empresas aos grandes grupos. Para ter êxito junto as PME que procuram soluções de proximidade e personalizadas, os editores de dimensão internacional implementam gradualmente uma infraestrutura de distribuição adaptada. Desta forma, a Dassault Systèmes, líder francês do setor, criou uma empresa especialmente dedicada à distribuição para as PME. 6

7 Custos de produção e projetos de modernização Custos de produção - Dado o caráter específico do produto, não existem dados gerais referentes aos custos de produção dos softwares. Esses custos são específicos a cada editor e dependem dos investimentos dedicados à pesquisa e desenvolvimento de cada produto. Projetos de modernização -PÚBLICO: O setor da edição de software na França deverá beneficiar de um grande programa de concessão de crédito do Estado. O Governo francês determinou que uma parte importante do crédito público será alocada ao desenvolvimento do setor. O relatório Juppé/Rocard recomenda um pacote de 4 bilhões de euros para o desenvovimento do setor digital, tendo em vista a demanda crescente de softwares visando a desmaterialização dos trabalhos administrativos. - PRIVADO: Devido à crise econômica, muitas empresas adiaram os seus projetos de modernização, o que provocou uma redução da atividade dos editores de software no segundo semestre de Estes projetos referemse essencialmente aos package de programas de software e os programas específicos a certas profissões. Fonte: Distributique 7

8 Circuitos de distribuição Peso preponderante da distribuição indireta A distribuição indireta (ex: os VARS) capta cerca de 40% das despesas em software (e cerca de metade para o conjunto das despesas informáticas). A distribuição indireta de software é também o modo de distribuição mais dinâmico com um crescimento anual de 10% contra 5% para os outros setores, que são o material informático (computadores, ) e os serviços (consultoria, ). 40% das despesas em software passam pela distribuição indireta Materiais software Serviços Total Fonte: IDC: «Le canal Indirect En France, Bilan 2007 Et Perspectives 2011» 8

9 Circuitos de distribuição VARS: revendedores que agregam valor 27% das despesas informáticas que transitam pela distribuição indireta são realizadas pelos Vars (revendedores com valor agregado). Os Vars são os distribuidores mais dinâmicos da distribuição indireta com um crescimento anual de 9% em 2007 em valor. 20% Repartição das receitas dos disrtribuidores 18% 2% Os VARS 60% Services Serviços Revente Revenda de matériel material Revente Revenda logiciel de software tiers de terceiros Revente Revenda logiciel de software propre próprio Os revendedores tradicionais 22% (Ares, Computacenter ) 2% 17% 59% Serviços Services Serviços Revenda de material Revente Revenda de matériel material Revente Revenda logiciel de software tiers de terceiros Revente Revenda logiciel de software propre próprio Fonte: IDC: «Le canal Indirect En France, Bilan 2007 Et Perspectives 2011» 9

10 Circuitos de distribuição Definição dos VARS* Exemplo: uma empresa pode comprar uma unidade central de computador de um fornecedor, periféricos de impressão de alta qualidade de outro vendedor e software de tratamento gráfico de editores de software especializados. Esta empresa estabelece um parâmetro para o conjunto para fazer um sistema de assessoramento por computador. Ao reunir os diferentes elementos escolhidos com cuidado, a empresa terá agregado valor ao conjunto ao realizar um sistema de alta qualidade dedicado a uma função especializada. Exemplos de VARS para o grande público: Surcouf * Empresa que agrega valor a um sistema e o revende Fonte: 01net 10

11 A venda direta A distribuição direta, mal avaliada nos sites dos editores na internet, está em retrocesso. Não existe uma estimativa dos números desse modo de distribuição, dada a sua falta de visibilidade. A venda direta corresponde, por exemplo, à venda online de software no site do editor (por exemplo, a IBM, que vende os seus programas de software diretamente no seu site na internet). Esta forma de distribuição não permite ao cliente comparar os programas de software propostos em relação aos produtos concorrentes. Daí a pouca atratividade deste modo de distribuição em comparação com a distribuição indireta e, em particular, com os revendedores de valor agregado. 11

12 Os salões profissionais Salão MedPi: o business club dos lazeres numéricos O MedPi é a reunião de negócios anual dos profissionais franceses do Mercado das Novas Tecnologias para o Grande Público. Durante 4 dias, os principais fornecedores e compradores reúnem-se no Grimaldi Forum, em Mónaco, para definir acordos e parcerias. Este salão é incontornável para o mercado de software dirigidos ao grande público. A próxima edição acontecerá de 25 a 28 de maio de

13 Os salões profissionais Salão «Seca Stratégies Clients» O salão «Seca Stratégie Clients» é o salão da relação com o cliente. Ele cobre também temas relacionados com soluções, consultorias e tecnologias para a empresa inovadora. Muitos dos participantes são do setor de edição de software executivos e 250 expositores comparecem todos os anos. Estão programadas mais de 60 conferências e debates. A próxima edição acontecerá nos dias 16, 17 e 18 de março de 2010, na Porte de Versailles, em Paris. 13

14 A federação profissional AFDEL (Association Française Des Editeurs de Logiciels Associação Francesa dos Editores de Software) A AFDEL representa a principal federação profissional dos editores de software. Parceira em numerosos eventos, tais como a classificação dos editores europeus, Eurosoftware, mas também da Universidade do Software. Esta última oferece uma formação executiva, tendo por objeto as «Estratégias de Venda Indireta em modo Saas», em fevereiro de

15 Dimensão e evolução do mercado A edição de software é um mercado dinâmico com uma taxa de crescimento anual média de 7,7% entre 2003 e Um mercado estimado em 23 Mds Um crescimento sustentado mas em claro retrocesso em ,8 15,1 16,3 17,8 19,8 21,8 23,1 8% 9,4% 10,9% 10,1% 6% 2% 0,5% Source: Fonte: Xerfi /Distributique

16 Dimensão do mercado O mercado francês de software está em crescimento desde 2003 e estava estimado em mais de 23 bilhões de euros em Se o crescimento permaneceu vigoroso, é igualmente graças a um marketing inovador da oferta. Uma oferta cada vez mais bem direcionada Os editores desenvolvem produtos mais bem adaptados às necessidades das empresas, tais como software acessível à distância (os «Software a service» ou Saas) ou soluções verticais que têm por vocação responder às necessidades específicas dos setores de atividades specificas. O segmento das PME, um setor em crescimento O foco nas PME deu igualmente os seus frutos. O lançamento de produtos adaptados a essa clientela dinamizou o setor, enquanto o mercado dos grandes grupos está maduro. O segmento das PME oferece, portanto, belas perspectivas futuras. 16

17 Evolução do mercado O ano de 2006 foi o mais dinâmico desse período, em particular graças ao lançamento do Windows Vista pela Microsoft foi um ano difícil O consumo domiciliar e o investimento das empresas estão baixando há 2 anos. Todo o setor da informática foi afetado pelo cancelamento ou adiamento de projetos de investimento e decisões de modernização dos equipamentos por parte de todos os protagonistas econômicos. Portanto, em 2008 e sobretudo em 2009, o setor cresceu menos (alta estimada em 0,5%). Isto está ligado à situação econômica global. Todavia, a França deverá ser relativamente menos atingida do que os seus parceiros europeus. 17

18 Peso do mercado da edição no setor de informática A edição de software: segundo mercado do setor da informática A edição de software representa o segundo mercado do setor da informática (depois da consultoria) com 35,4% das vendas totais* Edição programas de software 35,4% Processamento de dados 17% Consultoria SI 41,4% Bancos de dados 2,2% Manutenção conserto 4,0% *Os dados do INSEE referem-se à edição de software+ o posto «outra realização de software» que não é contabilizada pela Xerfi, explicando o número de 35% logicamente mais elevado Fonte: INSEE 2006, últimos dados disponíveis 18

19 Estrutura do mercado Segmentação do mercado por tipo de software Package de software tecnológicos Infraestrutura, administração de SI, gestão de processo, engenharia de software, gestão de conteúdo Package de software de gestão Programas generalistas ERP, venda e relação com o cliente (GRC), contabilidade e finanças, pagamentos e Recursos Humanos. Os package de software de gestão integrados (PGI), também denominados «Enterprise Resource Planning» (ERP) (Empreendimento, Recurso, Planejamento), permitem, a partir de um banco de dados único, administrar e coordenar diferentes processos operacionais (comercial, produção, controle de gestão, estoques, tesouraria). Package de software de profissões Bancos, companhias de seguros, distribuição, indústria 19

20 Estrutura do mercado Package de software de gestão, primeiro segmento do mercado em % 37% 49% 14% 33% 53% 27% 41% 32% Package de Progiciels software métiers profissionais Package de Progiciels de software de gestion gestão Progiciels Package de technologiques software tecnológicos Fonte: Cartografia aplicativa CXP (em %) Esta cartografia aplicativa reflete as atividades privilegiadas pelos 100 primeiros editores franceses. Devido à recente vaga de aquisições, muitos editores apareceram e desapareceram da categoria nestes 3 últimos anos, o que explica a volatilidade dos números. 20

21 As inovações nos produtos O SAAS (Software As A Service) Os editores de software desenvolvem ofertas cada vez mais adaptadas às necessidades das empresas, tais como os Saas. Com essas aplicações, as empresas podem utilizar todo o tipo de software através da web por meio de uma assinatura que engloba a licença, o domicílio, a exploração e a manutenção. Com a crise econômica, as empresas poderão recorrer cada vez mais a este tipo de software mais baratos que as licenças. Principais vantagens: Custos controlados: paga-se uma subscrição fixa que inclui o conjunto dos custos de instalação e exploração dos software, o que permite evitar derrapagens imprevistas (custos de conserto em caso de avaria ) Facilidade de implementação Um número crescente de editores comercializam esse tipo de oferta e segundo o escritório Gartner, o Saas teria conhecido um crescimento de 18% em

22 A demanda das pessoas físicas A demanda de materiais informáticos domiciliar (que engloba os software, mas também o «hardware») permanece importante. Issi resulta de um grande esforço referente ao preço sobre o conjunto do período Estas baixas de preço devem-se à inovação tecnológica que permite adquirir pelo mesmo preço um produto mais aperfeiçoado. Taxa de crescimento do consumo das pessoas físicas em equipamento informático 30% O consumo em volume progride menos rapidamente desde 2005, e permaneceu forte durante o período com taxas de crescimento de dois dígitos. 24% 19,3% 18,6% 16% Fonte: INSEE 22

23 A demanda das empresas As despesas informáticas totais das empresas francesas aumentaram em média 2% ao ano entre 2002 e Após 5 anos de crescimento contínuo, as despesas informáticas das empresas diminuiram de 3% para o ano de Esta baixa moderada das despesas informáticas deve-se ao caráter incontornável de uma parte dentre elas, designadamente as ligadas aos serviços de manutenção, de salvaguarda e de segurança. O crescimento marca passo em ,4 78,1 78* 75,8 72,9 70, As despesas informáticas das empresas compreendem os software, assim como o material informático (computadores, servidores, impressoras e os serviços (manutenção, instalação...) Fonte: Audoin Consultants / Despesas das empresas em bilhões de euros *Estimativa Forrester Research 23

24 A demanda das empresas A desaceleração global da economia vai aumentar a procura de ganhos de produtividade e de redução dos custos com a implementação de novos sistemas aplicativos. Os investimentos em soluções aplicativas de gestão com melhor desempenho deveriam, portanto, continuar nos próximos anos. A crise? Uma oportunidade! La A crise crise é uma est une oportunidade opportunité porque car o package le progiciel de software permet permite à nos clients aos nossos de réduire clientes reduzir leurs coûts os custos e et ganhar de gagner em produtividade. en productivité 67% Qual é a sua percepção da crise? (Várias respostas possíveis) A crise La tem crise um impacte impacto sobre nos clients os nossos d'où clientes, des daí répercussions as repercussões négatives negativas sobre sur notre a nossa activité atividade em en 2009 A crise La crise não ne nos nous preocupa; inquiète temos pas; os meios nous de avons superar les moyens este período de surmonter difícil. cette période difficile 25% 41% Não Nous temos n'avons nenhuma aucune visibilidade visibilité sobre sur a l'activité atividade dos próximos meses. des mois à venir 5% Fonte: pesquisa às empresas Truffle100.fr 24

25 A demanda das empresas Taxa de equipamento de software de gestão integrada PGI Dado que o seu caráter é muito estruturante no plano organizacional e o seu custo As grande empresas são de longe as mais bem equipadas elevado, os PGI são sobretudo adotados pelas grandes empresas ou pelas que fazem parte de um grupo. 20% 74% 49% Pourcentage d'entreprises équipées d'un PGI Porcentagem de empresas equipadas com um software PGI 10% 250 Salariés ou plus 50 à 249 salariés 20 à 49 salariés 10 à 19 salariés Estes números devem ser considerados com cautela, uma vez que o número de empresas equipadas tem aumentado desde ou mais assalariados 50 a 249 assalariados 20 a 49 assalariados Fonte: Pesquisa COI-TIC, 2006, INSEE/CEE 10 a 19 assalariados 25

26 A demanda das empresas Taxa de equipamentos em package de software de gestão CRM Os package de software de gestão da relação com o cliente (GRC ou CRM, customer relationship management administração da relação com o cliente) garantem as funções de ajuda à gestão «mutualizando» os dados relativos aos clientes e ajudando a analisar esses dados para fins de marketing. Esses programas permitem, portanto, às empresas compreender melhor os seus clientes para adaptar e personalizar as suas ofertas de produtos/serviços consoante as expectativas dos mesmos. As empresas equipadas são, sobretudo, as de grande dimensão (>250 assalariados). Muitas PME ainda precisam equipar-se, portanto, a tendência é de crescimento importante! As grandes empresas são as mais bem equipadas 28% 14% 6% Porcentagem de Pourcentage empresas equipadas d'entreprises équipées d'un com logiciel um software CRM CRM 9% Esses números devem ser considerados com cautela, uma vez que o número de empresas equipadas tem aumentado desde Salariés ou mais ou a à a à assalariados plus assalariados salariés assalariados salariés Fonte: Inquérito COI-TIC, 2006, INSEE/CEE 10 à a 19 assalariados salariés 26

27 A demanda pública Aumento das despesas públicas O setor público aumenta sensivelmente a sua demanda de produtos e serviços informáticos: Desmaterialização dos procedimentos administrativos Projetos como o passaporte biométrico ou a carteira nacional de identidade segura A «modernização» do Estado e das Administrações será nos próximos anos um motor potente para o setor de software: Em junho de 2008, a União Europeia adotou o Small business Act que permite reduzir os custos administrativos, favorecer o acesso ao financiamento e reservar uma fatia mínima dos mercados públicos às PME contando com menos de 250 assalariados. 27

28 As importações A redução das importações explica-se pela dificuldade de avaliar as importações das pessoas físicas de software desmaterializados. Os software tornaram-se essencialmente imateriais, o que torna menos fácil o controle das importações. Estes dados representam essencialmente as importações de software em suportes de CD e DVD, assim como as importações pelas empresas. Exemplos de programas de software importados: produtos Microsoft (Windows, Office) ou EPR. * Estes números publicados pelo Ministério das Finanças devem ser consultados com cautela. Retrocesso redução das importações* ,7 710, Chiffre Faturamento d'affaire líquido brut (Millions (Milhões d'euros) de euros) Fonte: Ministério das Finanças 28

29 As importações Origem das importações O mercado francês é dominado pelos pesos pesados americanos (IBM, Microsoft) e alemães (SAP). Os Estados Unidos e a Alemanha representam os principais exportadores de software para a França. A seguir vem o Reino Unido, sustentado pelo gigante Sage. De acordo com o Eurosoftware 200 (estudo de 2009 publicado pela PricewaterhouseCoopers) as empresas americanas são responsaveis por metade do faturamento da edição de software na Europa. Fontes: Eurosoftware 200 / Truffle 100 / Les échos 29

30 O tratamento aduaneiro A importação de um software padrão constitui uma importação de bens cuja base de imposição de IVA (Imposto sobre o Valor Agregado) é o valor total (suporte e dados) acrescido dos direitos e taxas pagas, e dos custos acessórios incorridos até o primeiro local de destino. A aquisição pela empresa de direitos de exploração de um software constitui uma prestação de serviços no sentido do artigo 259 B do Código Geral dos Impostos. O valor aduaneiro de um software específico importado sobre um suporte físico é estabelecido na base do preço do suporte, sem levar em conta o custo dos dados, com a condição que esses valores sejam conhecidos separadamente. Se a licença do software for vendida, o fornecimento de dados constitui uma prestação de serviços, taxada na base do imposto sobre valor agregado na França. A taxa é então de 19,6%. A importação de um software sem suporte material constitui uma prestação de serviços no sentido do artigo 259 B do Código Geral dos Impostos que não está sujeita a nenhuma formalidade aduaneira. 30

31 As exportações O volume das exportações de software franceses vem diminuindo regularmente há 3 anos. 434,8 Retrocesso redução das exportações* Esta tendência explica-se pela dificuldade de avaliar as exportações de software desmaterializados. 348,6 294,3 Os dados publicados refletem essencialmente as exportações de software com suporte em CD e DVD. * Estes dados devem ser consultados com cautela Chiffre Faturamento d'affaire líquido brut (Millions (Milhões d'euros) de euros) Fonte: Ministério das Finanças 31

32 As exportações Origem das exportações O Top 10 dos editores franceses exportam ¾ da sua produção. Os outros protagonistas do setor têm dificuldade em se impor nos mercados estrangeiros. A exportação reservada aos principais protagonistas Os editores franceses exportam todo o tipo de software, sendo Dassault Systèmes o 1.º exportador francês. 75% 37% 21% Top 10 11e - 50e 51e 100e Fonte: lemagit.com % da produção exportada em

33 As exportações Os principais mercados visados 81% das exportações têm como destino os Estados Unidos das exportações. Este fenômeno se explica pela especificidade dos software franceses, que permitem aos editores americanos completar os seus programas de software mais gerais. O resto das exportações francesas de programas de software é centrado na Europa (17%). Os EUA, primeiro mercado de exportação 3% 3%3% 2% 8% 81% Fonte: Truffle 100, % CA 2009 USA EUA UK Reino Unido Canada Canadá Allemagne Alemanha Autre Outra Europa Europe Autre Outro Mundo Monde 33

34 O comércio exterior No final A França importa duas vezes mais software do que exporta. Os números do comércio exterior referentes aos software parecem subestimar muito o mercado. A questão da desmaterialização dos software e o papel fundamental desempenhado pelo Software As A Service (SAAS) tornam particularmente difícil a contabilização desses fluxos. A parte crescente da edição de software nas empresas e o desenvolvimento exponencial do software livre na França explicam em parte o redução do comércio exterior. O adiamento de projetos de modernização pelas empresas, devido à crise econômica mundial, é outro fator que explica essa tendência. 34

35 Empresas e fatia de mercado Um mercado dominado pelas grandes empresas Os pesos pesados do mercado (Faturamento>100M ) representam cerca de 40% da produção total e dominam, portanto, em grande parte o mercado. As empresas cujo faturamento é inferior a 10M representam 30% da atividade do setor, e são cobiçadas pelos maiores grupos. Fatia de mercado das empresas em função do faturamento 21,20% 16,90% 7,30% 16,20% 38,40% > 100 M M M 2-10 M <2 M Fonte: Xerfi,

36 Empresas e fatia de mercado O domínio estrangeiro O setor da edição de software na França é dominado por filiais de grupos estrangeiros, sendo a maioria americanos. As filiais da IBM, da Microsoft e da Oracle, grupos americanos, e o SAP, grupo alemão, dominam o mercado. Alguns «campiões» nacionais também têm um certo protagonismo, como a Dassault Systèmes, a Sopra e a Cegid. Trata-se dos principais protagonistas franceses no campo da edição de software. Estas empresas também têm tido êxito internacional. 36

37 Consolidação setorial Concentração acrescida do setor Várias operações de aquisição de empresas ocorreram nos últimos anos no setor. Por consequência, o mercado está cada vez mais concentrado. Três principais operações com empresas francesas: A aquisição da Business Objects (n.º 2 francês) pela SAP (Alemanha) Ilog (n.º 5) pela IBM (Estados Unidos) GL Trade (n.º 4) pela Sungard (Estados Unidos) A grande maioria das operações de aquisição (78% durante o período de ) tem, entretanto, se concentrado em companhias com volumes de negócios inferiores a 7,5 M, para atingir uma dimensão crítica para exportar. Fonte: Truffle

38 Consolidação setorial Uma concentração orquestrada sobretudo por protagonistas estrangeiros Países compradores de 1997 a 2008 A concentração do mercado de software vem ocorrendo em detrimento dos protagonistas franceses. Neste período, os compradores estrangeiros estiveram presentes em mais de metade (57%) do faturamento das operações. As empresas estrangeiras, especialmente as de origem alemã, adquirem as empresas francesas. Bélgica Belgique 2% 2% UK Reino 15% Unido 15% USA EUA 26% Canada Canadá 2% 2% Outra Autre Europa Europe 2% 2% Allemagne Alemanha 52% 52% Outro Autre Monde Mundo 2% As transações franco-francesas representam apenas 74% das operações em número e 43% do faturamento. Fonte: AP Management Chiffre d affaires,

39 Os protagonistas chave Microsoft France A filial francesa do gigante americano é o líder incontestado da edição de software para o grande público na França. Faturamento: 380,3 milhões. Lucro líquido: 26,7 milhões. Empregados: 1344 pessoas A taxa de crescimento anual média para o período foi de 8,8% e deve deve acelerar em 2009 e 2010 com o lançamento do Windows Volume Faturamento de negócios (milhões (milhões ) ) Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 39

40 Os protagonistas chave IBM France A filial francesa da IBM é um dos líderes do setor na França. As diferentes atividades da firma (package de programas de software, consultoria) tornam os números difíceis de interpretar. Faturamento: 4500 millhões ( ). Lucro líquido: 63 milhões ( ). Volume Faturamento de negócios (milhões ( ) de ) Empregados: pessoas 5000 A taxa de crescimento anual média do faturamento para o período atinge 6% Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 40

41 Os protagonistas chave SAP France A SAP é a empresa número 1 na Europa para a edição de software. A sua filial francesa é um dos principais protagonistas na edição de software na França. As múltiplas atividades (package de software, consultoria) da empresa alemã tornam os números difíceis de interpretar. Faturamento: 445,3 milhões ( ). Lucro líquido: 0 ( ) Empregados: 655 pessoas A taxa de crescimento anual média do faturamento para o período é de 6,5% Volume Faturamento de negócios (milhões (milhões ) ) Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 41

42 Os protagonistas chave Oracle France A Oracle é o 1.º editor mundial de software para empresas. Mas a sua filial francesa registrou perdas importantes em 2008, principalmente devidas a uma carga salarial demasiado pesada. Faturamento: 560,2 milhões ( ) Perda: 6,9 milhões( ) Empregados: 1544 pessoas Volume Faturamento de negócios (milhões (milhões ) ) 400 A taxa de crescimento anual média do faturamento para o período representa 6,7% Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 42

43 Os protagonistas chave Symantec France A Symantec é o especialista internacional em software de segurança, em especial com o seu principal produto: Norton Antivirus. Faturamento: 64,5 milhões ( ) Lucro: 1,6 milhões ( ) Empregados: 224 pessoas A taxa de crescimento anual média das vendas é exponencial +30,5%. A progressão do faturamento deverá diminuir nos próximos anos devido a uma maior concorrência no mercado dos software de segurança Volume Faturamento de negócios (milhões ) ) Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 43

44 Os protagonistas chave HP France A Hewlett Packard é um dos líderes mundiais de material informático e de edição de software. Faturamento: 8050 milhões ( ) Lucro: 109,3 milhões ( ) Empregados: 2501 pessoas Os bons desempenhos da HP France devem-se, sobretudo, à venda de material informático, 1.ª atividade do grupo. A taxa de crescimento anual média do faturamento no período é de 5% Volume Faturamento de negócios (milhões ) de ) Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 44

45 Os protagonistas chave Dassault Systèmes A Dassault Systèmes é o número 1 francês da edição de software e o número 3 na Europa. Faturamento: 554,7 milhões ( ) Lucro: 115,3 milhões ( ) Empregados: 1794 pessoas 600 Volume Faturamento de negócios (milhões (milhões ) ) 500 A sua atividade é menos dinâmica que a dos protagonistas estrangeiros com um crescimento médio anual do faturamento de apenas 2,8% para o período Resultados contabilísticos de junho de 2008 sobre os 12 meses fornecidos pela base de dados Diane 45

46 Lista de empresas Principais revendedores para os Grandes Grupos Nome da empresa Endereço da sede Telefone COMPUTACENTER FRANCE INMAC WSTORE INSIGHT TECHNOLOGY SOLUTIONS SAS LAFI PC-WARE INFORMATION TECHNOLOGIES SAS SCC COMSOFT-SOS DEVELOPERS 150 rue de la Belle Etoile - ZI Paris Nord II - BP Roissy CDG Cedex Parc d'activités Paris Nord II 125 avenue du bois de la Pie Roissy en France Cedex (linha directa) 23 avenue Louis Breguet Vélizy Cedex France (linha directa: Karima Reghiss) 4 avenue des louvresses Gennevilliers Boulevard de Verdun (Frank Energy Park 6 Jutowski) Courbevoie Cedex 96, rue des Trois Fontanot Nanterre Cedex 120 route des Macarons BP SOPHIA ANTIPOLIS CEDEX (linha directa: Marc Bailet) 46

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Fonte: Tipos de Sistemas de Informação (Laudon, 2003). Fonte: Tipos de Sistemas

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO.

OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. OS BENEFÍCIOS DO RENTING NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. ÍNDICE INTRODUÇÃO OS BENEFÍCIOS DO RENTING VANTAGENS FISCAIS O RENTING REDUZ CUSTOS PERMITE MANTER A LIQUIDEZ E AS LINHAS DE CRÉDITO INTACTAS FINANCIAMENTO

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

OS BENEFÍCIOS DA LOCAÇÃO NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO.

OS BENEFÍCIOS DA LOCAÇÃO NAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO. ÍNDICE INTRODUÇÃO OS BENEFÍCIOS DA LOCAÇÃO VANTAGENS FISCAIS A LOCAÇÃO REDUZ CUSTOS PERMITE MANTER A LIQUIDEZ E AS LINHAS DE CRÉDITO INTACTAS FINANCIAMENTO A 100% SEM ENTRADA INICIAL EVITA REDUZIR O CUSTO

Leia mais

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo

Consortia e-market da Fileira Moda. para o Mercado Externo Consortia e-market da Fileira Moda para o Mercado Externo O que é? Consórcio entre empresas da Fileira Moda e a Exponor Digital destinado a criar e explorar uma ou mais lojas online, orientada(s) para

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI

Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI Oracle Financing: A Maneira Mais Rápida e Acessível de Adquirir Soluções de TI Para competir com eficácia, as empresas da atualidade precisam se adaptar a um ambiente tecnológico que sofre rápidas mudanças.

Leia mais

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números

ERP. Agenda ERP. Enterprise Resource Planning. Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Enterprise Resource Planning 1 Agenda Origem Funcionalidades Integração Projeto Caso de Sucesso Projeto ERP em Números ERP Com o avanço da TI as empresas passaram a utilizar sistemas computacionais

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente

Leia mais

SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING

SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCES PLANNING SISTEMAS ERP ENTERPRISE RESOURCEES PLANNING O ERP (Planejamento de Recursos Empresariais) consiste num sistema interfuncional que tem por missão integrar e automatizar

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

E-Business global e colaboração

E-Business global e colaboração E-Business global e colaboração slide 1 2011 Pearson Prentice Hall. Todos os direitos reservados. 2.1 Copyright 2011 Pearson Education, Inc. publishing as Prentice Hall Objetivos de estudo Quais as principais

Leia mais

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015

O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 O Mercado americano de Tecnologia 2014/2015 1. Considerações Gerais Os Estados Unidos, maior potência mundial e tecnológica, apresenta projeções cada vez mais otimistas. Desde 2008, no estouro da crise

Leia mais

Boas-vindas ao Comércio Eletrônico. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014

Boas-vindas ao Comércio Eletrônico. André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014 Boas-vindas ao Comércio Eletrônico André Lucena Diretor de Negócios e Operaçoes Jan.2014 SOBRE A TRAY Sobre a Tray + 10 anos de atuação em e-commerce + 4.500 lojas virtuais + 3MM pedidos processados em

Leia mais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais

Sistemas ERP. Conceitos Iniciais Sistemas ERP Prof. Breno Barros Telles do Carmo Conceitos Iniciais Sistema de Informação adquirido em forma de pacotes comerciais de software que permite a integração de dados de sistemas de informação

Leia mais

Diretivas do programa

Diretivas do programa Valued partner program América Latina Diretivas do programa www.datamax-oneil.com Valued Partner Program (VPP) da Datamax-O Neil Visão geral do programa O Valued Partner Program da Datamax-O Neil é um

Leia mais

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Cláudio ERP/CRM e Supply Chain PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP Enterprise Resource Planning Pacote de ferramentas que integram toda a empresa, a grande vantagem é que os dados

Leia mais

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano

Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Microsoft Nosso Comprometimento Mais de 9 bilhões em P&D/ano Windows e Web Dynamics Comunicação e Produtividade Servidores Infraestrutura Empresarial Busca e Anúncios Mobilidade Entretenimento e TV Microsoft

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Portal Trade- O apoio às suas Exportações

Portal Trade- O apoio às suas Exportações International Desk -Direcção de Negócio Internacional- Portal Trade- O apoio às suas Exportações Casa de Espanha 6 de Março de 2014 Santander, um grupo financeiro líder Best Bank in the World 2012 2008

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação

A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação A Internacionalização de Empresas de Tecnologia da Informação ENAServ 2014 Encontro Nacional do Comércio Exterior de Serviços Sergio Paulo Gallindo São Paulo, 29 de maio de 2014 Porque Internacionalizar?

Leia mais

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Sistemas Integrados de Gestão Empresarial Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 05 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Soluções PRIMAVERA Starter. Para empresas que vão crescer

Soluções PRIMAVERA Starter. Para empresas que vão crescer Soluções PRIMAVERA Para empresas que vão crescer 02 Soluções PRIMAVERA Soluções Para empresas que vão crescer A legislação relativa à utilização de programas informáticos de faturação certificados tem

Leia mais

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP

E t n erpr p ise R sou o r u ce Pl P ann n i n ng Implant nt ç a ã ç o ã de de S ist s e t m e a a E RP Enterprise Resource Planning Implantação de Sistema ERP Jorge Moreira jmoreirajr@hotmail.com Conceito Os ERP s (Enterprise Resource Planning) são softwares que permitem a existência de um sistema de informação

Leia mais

Guia de Renovação do Software Assurance

Guia de Renovação do Software Assurance Guia de Renovação do Software Microsoft Software para Licenciamento em Volume é mais do que uma oferta de manutenção tradicional. O Software é uma solução completa que disponibiliza software e serviços

Leia mais

Introdução ao Sistema ERP

Introdução ao Sistema ERP Introdução ao Sistema ERP Parte 1- Introdução ao ERP - Benefícios básicos de um sistema ERP - Dificuldades de implantação - ERP e a realidade da pequena empresa brasileira Parte 2 Sistema Genesis-ERP da

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Alinhamento das expectativas; O por que diagnosticar; Fases do diagnóstico; Critérios de seleção para um ERP; O papel da

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

Candidatar-se como Microsoft Certified ou Gold Certified Partner Guia de inscrição passo-a-passo

Candidatar-se como Microsoft Certified ou Gold Certified Partner Guia de inscrição passo-a-passo Candidatar-se como Microsoft Certified ou Gold Certified Partner Guia de inscrição passo-a-passo O Microsoft Partner Program oferece três níveis de programa Registered Member, Microsoft Certified Partner

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

Apresentação. Quem Somos

Apresentação. Quem Somos Apresentação Quem Somos A UAI Tecnologia e Comunicação, nome fantasia da UAI Software LTDA., (que significa "Unidade de Apoio à Informação do Software") foi fundada em 19 de Março de 2004, por Luiz Gustavo

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível

2Avalie novos modelos de investimento. Otimize a estrutura de tecnologia disponível Crise? Como sua empresa lida com os desafios? Essa é a questão que está no ar em função das mudanças no cenário econômico mundial. A resposta a essa pergunta pode determinar quais serão as companhias mais

Leia mais

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One

SAP Customer Success Story Turismo Hotel Urbano. Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Hotel Urbano automatiza controle financeiro e internaliza contabilidade com SAP Business One Geral Executiva Nome da Hotel Urbano Indústria Turismo Produtos e Serviços Comercialização online de pacotes

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação Gestão da Tecnologia da Informação A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores

Leia mais

Capítulo 2 E-Business global e colaboração

Capítulo 2 E-Business global e colaboração Objetivos de estudo Capítulo 2 E-Business global e colaboração Quais as principais características de um negócio que são relevantes para a compreensão do papel dos sistemas de informação? Como os sistemas

Leia mais

INFORMAÇÕES CONECTADAS

INFORMAÇÕES CONECTADAS INFORMAÇÕES CONECTADAS Soluções de Negócios para o Setor de Serviços Públicos Primavera Project Portfolio Management Solutions ORACLE É A EMPRESA Alcance excelência operacional com fortes soluções de gerenciamento

Leia mais

W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç ã o p a r a s u p o r t a r a p l i c a ç õ e s c r í t i c a s

W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç ã o p a r a s u p o r t a r a p l i c a ç õ e s c r í t i c a s Av Eng. Luiz Carlos Berrini 1645, 8 andar, 04571-000 Brooklin Novo, São Paulo SP Brazil. Tel: 55 11 5508-3400 Fax: 55 11 5508 3444 W H I T E P A P E R S e r v i d o r e s U n i x - A m e l h o r o p ç

Leia mais

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica o GUIA COMPLETO da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica sumário >> Introdução... 3 >> Nota fiscal eletrônica: o começo de tudo... 6 >> Nota fiscal de consumidor eletrônica (NFC-e)... 10 >> Quais as vantagens

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS)

Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Hamilton Terni Costa ANconsulting Photo_jscreationzs4 São Paulo, 31 de Maio de 2012 Agenda Photo_jscreationzs4 Tendências Mundiais de Outsourcing (MPS) Base: MPS

Leia mais

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros

Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros Copel s experience with the implementation of CRM / A Experiência da Copel na Implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros A experiência da Copel na implantação do CRM Leny Iara Vasem Medeiros COPEL Projeto

Leia mais

Classificações dos SIs

Classificações dos SIs Classificações dos SIs Sandro da Silva dos Santos sandro.silva@sociesc.com.br Classificações dos SIs Classificações dos sistemas de informação Diversos tipo de classificações Por amplitude de suporte Por

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes.

Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes. Aquisição planejada do negócio de servidores x86 combinará fortalezas da IBM e da Lenovo para maximizar valor para clientes Abril de 2014 Conteúdo Resumo Executivo 3 Introdução 3 IBM recebe alta pontuação

Leia mais

Soluções Corporativas Microsoft SQL Server e SAP:

Soluções Corporativas Microsoft SQL Server e SAP: SAP INSIGHT Soluções Corporativas Microsoft SQL Server e SAP: UMA VANTAGEM COMPETITIVA Conteúdo Notas Executivas 1 Excelente Custo de Propriedade 2 Desempenho de Preço está Conduzindo Adoção de Mercado

Leia mais

Guia de vendas Windows Server 2012 R2

Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Por que Windows Server 2012 R2? O que é um servidor? Mais do que um computador que gerencia programas ou sistemas de uma empresa, o papel de um servidor é fazer com

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br @ribeirord Pesquisa e Propagação do conhecimento: Através da Web, é possível

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho

ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho ITIL v3 melhora Gestão de Serviço de TI no CHVNG/Espinho Sumário País Portugal Sector Saúde Perfil do Cliente O Centro Hospitalar Vila Nova de Gaia/Espinho envolve

Leia mais

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação

Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação INSTITUTO VIANNA JÚNIOR LTDA FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação Lúcia Helena de Magalhães 1 Teresinha Moreira de Magalhães 2 RESUMO Este artigo traz

Leia mais

SERVIÇOS SIMPLIFICADO

SERVIÇOS SIMPLIFICADO SERVIÇOS SIMPLIFICADO ENCARTE Serviços de Informática ANO-BASE 2001 CÓDIGO PAEP DA EMPRESA - GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Economia e Planejamento SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Software as a Service aka SaaS Qual é o impacto disto no mercado de software?

Software as a Service aka SaaS Qual é o impacto disto no mercado de software? Software as a Service aka SaaS Qual é o impacto disto no mercado de software? Por Roberto Carlos Mayer Roberto Carlos Mayer Diretor da MBI (desde 1990) Mestre em Ciência da Computação (IME USP) e exprofessor

Leia mais

Sistemas de Informação para Operação nas Empresas

Sistemas de Informação para Operação nas Empresas MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS CATU Informação para Operação nas Empresas Profª Eneida Rios TIPOS DE

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS

MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS MERCADO BRASILEIRO DE SOFTWARE PANORAMA E TENDÊNCIAS 2009 Introdução Resumo Executivo Apesar das turbulências que marcaram o ano de 2008, com grandes variações nos indicadores econômicos internacionais,

Leia mais

A Internet nas nossas vidas

A Internet nas nossas vidas Economia Digital A Internet nas nossas vidas Nos últimos anos a internet revolucionou a forma como trabalhamos, comunicamos e até escolhemos produtos e serviços Economia Digital Consumidores e a Internet

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP

SISTEMAS DE GESTÃO - ERP A IMPORTÂNCIA DA CONSULTORIA NA SELEÇÃO / IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO - ERP Para as corporações, as mudanças são absorvidas pelas equipes internas, envolvendo tecnologia, contabilidade, logística

Leia mais

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS

Sistemas de Apoio. Prof.: Luiz Mandelli Neto. Sistemas de Apoio. ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Sistemas de Apoio Prof.: Luiz Mandelli Neto Sistemas de Apoio ERP (Enterprise Resource Planning) PLANEJAMENTO DE RECURSOS EMPRESARIAIS Mapa de TI da cadeia de suprimentos Estratégia Planejamento Operação

Leia mais

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com Parte 2 Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com As dimensões do E-Commerce (Comércio Eletrônico). SCM - Supply Chain Management (Gerenciamento de Cadeia de Fornecimento) ERP - Enterprise Resourse

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Informação no contexto administrativo Graduação em Redes de Computadores Prof. Rodrigo W. Fonseca SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA PELOTAS >SistemasdeInformação SENAC FACULDADEDETECNOLOGIA

Leia mais

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio

Capítulo 12. Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente. Acadêmica: Talita Pires Inácio Capítulo 12 Dimensão 7: Aprendizado com o Ambiente Acadêmica: Talita Pires Inácio Empresa ABC Crescimento atribuído a aquisições de empresas de menor porte; Esforços de alianças estratégicas e joint-ventures

Leia mais

Circular de Oferta 5102/ sto Ago

Circular de Oferta 5102/ sto Ago Circular de Oferta Agosto / 2015 Índice Introdução 03 Quem Somos 04 Como funciona o negócio 05 Vantagens de ser constituir uma agência 06 Produtos e serviços 07 Ferramentas de apoio 08 Atividades desempenhadas

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Projetos Conjuntos de Internacionalização: Natureza dos beneficiários Os beneficiários são empresas PME de qualquer natureza

Leia mais

AberdeenGroup. O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo. Agosto de 2004

AberdeenGroup. O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo. Agosto de 2004 AberdeenGroup O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo Agosto de 2004 Aberdeen Group, Inc. 260 Franklin Street Boston, Massachusetts 021103112 USA Telefone: 617 723 7890 Fax: 617 723 7897 www.aberdeen.com O

Leia mais

Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC.

Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC. Decisão da Autoridade da Concorrência PROCESSO AC-I-CCENT/28/2003-DENDRITE INTERNATIONAL INC./SYNAVANT INC. I INTRODUÇÃO 1. Em de 16 de Junho de 2003, a Autoridade da Concorrência recebeu uma notificação

Leia mais

FMC: Alinhando Tradição com Inovação através da Integração de Pessoas e Processos com Soluções de TI

FMC: Alinhando Tradição com Inovação através da Integração de Pessoas e Processos com Soluções de TI FMC: Alinhando Tradição com Inovação através da Integração de Pessoas e Processos com Soluções de TI Com o crescimento acelerado, uma das mais tradicionais empresas do Brasil em produtos agrícolas precisava

Leia mais

CLOUD. tendências CLOUD. entendendo e contratando assertivamente. Agosto/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 02

CLOUD. tendências CLOUD. entendendo e contratando assertivamente. Agosto/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 02 tendências CLOUD EDIÇÃO 02 Agosto/2012 CLOUD O conceito de nuvem é nebuloso Como uma organização pode contratar assertivamente Serviços em Cloud? Quais são os principais riscos de um contrato de Cloud

Leia mais

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS.

Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Software para distribuidoras de medicamentos SIMPLICIDADE E EFICIÊNCIA NA GESTÃO DAS DISTRIBUIDORAS DE MEDICAMENTOS. Sobre o MedOne GESTÃO SIMPLIFICADA, EFICIÊNCIA GARANTIDA. Gestão simplificada, segurança

Leia mais

Agilidade organizacional e competitividade das empresas em Portugal. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com

Agilidade organizacional e competitividade das empresas em Portugal. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com Agilidade organizacional e competitividade das empresas em Portugal www.quidgest.com quidgest@quidgest.com 1. Introdução Novo contexto económico e tecnológico Metodologia 2. Agilidade Organizacional das

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Trigo e Barroso, O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011.

1 Descrição sumária. Varajão, Trigo e Barroso, O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011. O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, António Trigo 2, João Barroso 1 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro 2 Instituto

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Esp. Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com Sistemas de informação Disciplina: Introdução a SI 19/04 Recursos e Tecnologias dos Sistemas de Informação Turma: 01º semestre

Leia mais

Soluções de Tecnologia da Informação

Soluções de Tecnologia da Informação Soluções de Tecnologia da Informação Software Corporativo ERP ProdelExpress Diante da nossa ampla experiência como fornecedor de tecnologia, a PRODEL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO oferece aos seus clientes

Leia mais

Portal Trade- O apoio às suas Exportações

Portal Trade- O apoio às suas Exportações International Desk -Direcção de Negócio Internacional- Portal Trade- O apoio às suas Exportações Internacionalização para os países da América Latina aspetos jurídicos e apoios ao investimento 27 de Março

Leia mais

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce).

Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). Poucas inovações na história da humanidade reúnem tantos benefícios potenciais quanto o Comércio Eletrônico (também conhecido como e-commerce). A natureza global da tecnologia, a oportunidade de atingir

Leia mais

Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo

Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Melhores práticas de gerenciamento de ativos de software JUNHO DE 2013 Por que o gerenciamento de ativos de software é tão difícil e como simplificá-lo John Fulton CA IT Business Management

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE

GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE GESTÃO EMPRESARIAL AO SEU ALCANCE ERP: prioridade número 1 das empresas brasileiras A demanda é clara: os software de gestão empresarial, os ERPs (Enterprise Resources Planning) se mantêm como prioridade

Leia mais

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM

Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Universidade Federal do Vale do São Francisco Tecnologia e Sistemas de Informações ERP e CRM Prof. Ricardo Argenton Ramos Aula 6 ERP Enterprise Resource Planning Sistemas Integrados de Gestão Empresarial

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement.

3) Descreva resumidamente a função do módulo de Compras do ERP da Microsiga e qual é a sua relação com o conceito de e-procurement. Professor:José Alves Disciplina:SIG/ Atividade Nota Nome Aluno(a) Nºs Exercícios SIG 1) Defina, com suas palavras, o que é ERP? 2) Marque V para as afirmações verdadeiras em relação a um ERP e F para as

Leia mais

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1

Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundamentos de Sistemas de Informações: Exercício 1 Fundação Getúlio Vargas Estudantes na Escola de Administração da FGV utilizam seu laboratório de informática, onde os microcomputadores estão em rede

Leia mais

PACOTE DE ACELERAÇÃO BRASIL

PACOTE DE ACELERAÇÃO BRASIL PACOTE DE ACELERAÇÃO BRASIL Entendemos que, quando você entrar no complexo ambiente legal e tributário brasileiro, você precisa de um suporte confiável e do conselho dos melhores especialistas em cada

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Vantagens Competitivas com CRM

Vantagens Competitivas com CRM CRM CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT Gestão do Relacionamento com o Cliente 1 Prof. Ms. Claudio Benossi www.benossi.com.br claudio@benossi.com.br 2 Reflexão sobre o Marketing 3 4 Marketing de Massa Anos

Leia mais