Apresentação de Resultados 1T12

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação de Resultados 1T12"

Transcrição

1 Apresentação de Resultados Maio/2012

2 O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Kroton Educacional S.A ( Kroton ). Tratam-se de informações resumidas sem intenção de serem completas, que não devem ser consideradas por investidores potenciais como recomendação. Esta apresentação é estritamente confidencial e não pode ser divulgada a nenhuma outra pessoa. Não fazemos nenhuma declaração nem damos nenhuma garantia quanto à correção, adequação ou abrangência das informações aqui apresentadas, que não devem ser usadas como base para decisões de investimento. Esta apresentação contém declarações e informações prospectivas nos termos da Cláusula 27A da Securities Act of 1933 e Cláusula 21E do Securities Exchange Act of Tais declarações e informações prospectivas são unicamente previsões e não garantias do desempenho futuro. Advertimos os investidores de que as referidas declarações e informações prospectivas estão e estarão, conforme o caso, sujeitas a riscos, incertezas e fatores relativos às operações e aos ambientes de negócios da Kroton e suas controladas, em virtude dos quais os resultados reais de tais sociedades podem diferir de maneira relevante de resultados futuros expressos ou implícitos nas declarações e informações prospectivas. Embora a Kroton acredite que as expectativas e premissas contidas nas declarações e informações prospectivas sejam razoáveis e baseadas em dados atualmente disponíveis à sua administração, a Kroton não pode garantir resultados ou acontecimentos futuros. A Kroton isenta-se expressamente do dever de atualizar qualquer uma das declarações e informações prospectivas. Esta apresentação não constitui oferta, convite ou solicitação de oferta de subscrição ou compra de quaisquer valores mobiliários. Esta apresentação e seu conteúdo não constituem a base de um contrato ou compromisso de qualquer espécie. 2

3 Maior nível de disclosure de informações: o o o o Informações de alunos: abertura por Negócio (Ensino Superior Presencial, Ensino Superior a Distância e Educação Básica) e por produto (Graduação e Pós-graduação) Novo template de demonstração de resultados: DRE por Negócio (Ensino Superior Presencial, Ensino Superior a Distância e Educação Básica) até o Resultado Operacional Informações sobre Kroton stand-alone: garantia de acompanhamento do bridge de margens Informações sobre Geração de Caixa Operacional: Informações sobre caixa operacional, antes e após Capex, com e sem impactos do FIES o Guidance: divulgação de guidance para 2012 Destaques do Desempenho Operacional: o 29% de crescimento orgânico de alunos (same units), entre dez/11 e mar/12 o Aquisição Unirondon: 5,4 mil alunos o Integração Unopar: 1ª fase concluída e 2ª fase avançada Destaques do Desempenho Financeiro: o R$ 126,3 milhões de EBITDA (Margem EBITDA de 37,1%) o R$ 99,0 milhões de Lucro Líquido (Margem Líquida de 29,1%) o R$ 51,6 milhões de geração de caixa operacional antes de Capex e R$ 33,2 milhões após Capex 3

4 Desempenho Operacional

5 Alunos Graduação Total Pós-graduação Total Total Base 4T Entradas Formaturas (21.716) (1.486) (23.202) Evasão (17.949) (933) (18.882) Base % Base / Base 4T11 30,1% 11,5% 28,8% Alunos no Ensino Superior ( ) (18.882) +29% Alunos 4T11 Novos Ingressantes Formaturas Evasão Alunos 5

6 Alunos Graduação Pós-graduação Total Presencial Presencial Presencial Base 4T Entradas Formaturas (9.621) (1.099) (10.720) Evasão (8.115) (441) (8.556) Base % Base / Base 4T11 16,1% 3,4% 14,9% Alunos Graduação Pós-graduação EAD EAD Total EAD Base 4T Entradas Formaturas (12.095) (387) (12.482) Evasão (9.834) (492) (10.326) Base % Base / Base 4T11 40,0% 21,4% 39,0% Alunos no Ensino Presencial Alunos no Ensino a Distância +15% +39% (10.720) ( 8.556) (12.482) (10.326) Alunos 4T11 Novos Formaturas Evasão Alunos Ingressantes Alunos 4T11 Novos Formaturas Evasão Alunos Ingressantes 6

7 Número de alunos da Kroton com contratos do FIES* % % FIES no Processo de Captação* 47,0% ,5% 14,1% 27,6% 1S10 2S10 1S11 2S11 4/mai/12 % Base Alunos 4,4% 10,9% 18,2% 21,1% 33,3% 2S10 1S11 2S11 Número de Alunos FIES alcança 33,3% da base de alunos Participação de alunos FIES nos processos de vestibular do primeiro semestre de 2012 alcança 47%, versus 28% no segundo semestre de 2011 Recompras mensais já operando normalmente: R$ 27 milhões recebidos no + R$ 27 milhões em abril Base Elegível FIES 77,0% 92,5% 7 * Considera dados da Unopar a partir do 2S11

8 Abril/ alunos Pagamento de R$ 22,0 milhões Valor do Negócio: (+) R$ 28,3 milhões Valor do Imóvel: (+) R$ 23,7 milhões Dívida Líquida: (-) R$ 30,0 milhões Integração Unopar 8

9 Alunos na Educação Básica Escolas Associadas +2% % Rede Privada Rede Pública - Projecta Rede Privada Crescimento de 2% da base de alunos total e de 3% da base de alunos de escolas privadas Aumento de 5% da base de Escolas Associadas Elevado índice de renovação das Escolas Associadas: 90% 9

10 Desempenho Financeiro

11 Valores em R$ ('000) Ensino Superior Presencial Ensino a Distância Educação Básica Kroton Consolidado % AV % AV % AV % AV Receita Bruta ,5% ,6% ,8% ,3% (-) Deduções da Receita Bruta (39.413) -19,5% (26.125) -35,6% (3.749) -5,8% (69.287) -20,3% Receita Líquida ,0% ,0% ,0% ,0% Custos (CPV/CSP) ( ) -55,4% (10.474) -14,3% (22.461) -34,5% ( ) -42,5% Lucro Bruto ,6% ,7% ,5% ,5% Despesas Operacionais (23.727) -11,7% (10.038) -13,7% (8.419) -11,5% (42.185) -12,4% (-) Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) (9.695) -4,8% (5.097) -6,9% (1.108) -1,5% (15.900) -4,7% (+) Juros e Mora sobre Mensalidades ,1% ,9% 164 0,2% ,3% Resultado Operacional ,1% ,0% ,4% ,7% Despesas Corporativas (19.121) -5,6% EBITDA ,1% Custos e Despesas Não Recorrentes (7.591) -2,2% EBITDA "Contábil" ,8% Lucro (Prejuízo) Líquido ,1% Lucro (Prejuízo) Líquido "Contábil" ,9% 11

12 Receita Líquida (RL) Lucro Bruto (LB) Resultado Operacional (RO) 44,6% 31,1% +50% 37,7% +77% 26,1% +78% 134,8 202,0 50,8 90,1 35,2 62,8 % Margem Bruta % Margem Operacional % RL do Segmento/ RL Total 69% 59% % LB do Segmento/ LB Total 58% 46% % RO do Segmento/ RO Total 54% 43% Receita líquida do Ensino Superior Presencial aumenta 50% frente ao Ticket médio líquido no Ensino Superior Presencial situou-se em R$ 546,16. Apenas na graduação o ticket médio líquido foi de R$ 576,89 no, aumento de 5,2% em relação ao 4T11 Lucro Bruto do Ensino Superior aumenta 77%, com elevação de 6,9 p.p. na margem bruta 12 Resultado operacional do segmento cresce 78% em relação ao, com incremento de 5,0 p.p. na margem operacional

13 Receita Líquida (RL) +5% 73,4 Lucro Bruto (LB) 85,7% 62,9 Resultado Operacional (RO) 67,0% 49,2 % Margem Bruta % Margem Operacional % RL do Segmento/ RL Total % LB do Segmento/ LB Total % RO do Segmento/ RO Total 22% 32% 34% Altas margens do negócio de EAD, sendo a maior entre todas as linhas de negócio da Companhia Ticket médio do EAD da Companhia (considerando somente a receita da Kroton) situouse em R$ 121,19. O ticket médio do aluno (considerando as mensalidades efetivamente pagas) seria de R$ 189,36 No, a margem bruta alcança 85,7% e a margem operacional 67,0% 13

14 Receita Líquida (RL) Lucro Bruto (LB) Resultado Operacional (RO) 61,9% 65,5% 50,2% 51,2% +8% +15% +10% 65,2 42,7 33,4 60,2 37,2 30,2 % Margem Bruta % Margem Operacional % RL do Segmento/ RL Total 31% 19% % LB do Segmento/ LB Total 42% 22% % RO do Segmento/ RO Total 46% 23% Receita líquida da Educação Básica aumenta 8% frente ao Receita líquida representava 31% da receita da Companhia no e passou a representar 19% no Aumento de 4,8% no ticket anual em 2012, em relação a 2011, atingindo R$ 393,16 Lucro bruto do segmento cresce 15%, com elevação de 3,6 p.p. na margem bruta 14 Resultado operacional da Educação Básica é 10% superior em relação ao, com crescimento de 1,0 p.p. na margem operacional

15 Receita Líquida Lucro Bruto Resultado Operacional +75% 340,6 45,1% +122% 57,5% 33,6% +122% 42,7% 195,0 88,0 195,7 65,5 145,4 % Margem Bruta % Margem Operacional Receita líquida consolidada aumenta 75% frente ao Lucro bruto consolidado aumenta 122%, com incremento de 12,4 p.p. na margem bruta Resultado operacional 122% superior em relação ao, com margem operacional 9,1 p.p. acima do mesmo período de

16 Evento R$ mil Integração Unopar (4.137) Projetos de M&A (3.454) Linha de Negócios Ensino Presencial / EAD Ensino Presencial / EAD Total de Eventos não recorrentes (7.591) O total de eventos não recorrentes no foi de R$ 7,6 milhões, sendo mais da metade relacionados às despesas de integração com a Unopar Em 2012, devem ser verificados novos eventos não recorrentes também referentes à integração da Unopar e da Unirondon* 16 * A projeção fornecida no inicio do ano de R$ 15 milhões de eventos não recorrentes está mantida, e deve ser acrescida de R$ 2 milhões relativos à aquisição da Unirondon, totalizando R$ 17 milhões em 2012

17 EBITDA e Margem EBITDA Lucro Líquido e Margem Líquida* Trimestral- R$ milhões 26,7% +142% 37,1% 126,3 16,8% +202% 29,1% 99,0 52,1 32,7 % Margem EBITDA % Margem Líquida EBITDA de R$ 126 milhões: 142% superior ao mesmo trimestre do ano anterior Margem EBITDA alcança 37,1%, 10,4 p.p. acima do Lucro Líquido aumenta 202% em relação ao, alcançando margem líquida da 29% 17 * Exclui Amortização de Intangível (Aquisições)

18 Receita Líquida EBITDA e Margem EBITDA* 33,1% +28% 26,7% +59% 195,0 250,1 52,1 82,7 % Margem EBITDA Análise Gerencial da Kroton: excluindo os efeitos da aquisição da Unopar Receita líquida de R$ 250 milhões crescimento de 28% EBITDA aumenta 59% em relação ao, atingindo margem EBITDA de 33,1% 18 * Considera alocação de 100% das despesas corporativas na Kroton

19 PDD e Contas a Receber

20 Ensino Superior Presencial e % RL Segmento Ensino a Distância e % RL Segmento Educação Básica e % RL Segmento 5,1% 4,8% 5,7% 6,5% 6,9% 1,7% 6,9 9,7 6,4 7,9 5,1 0,5% 1,1 0,3 ex- FIES ex- FIES Provisão para alunos ex-fies aumentou de 5,7% da receita líquida no para 6,5% no, refletindo postura conservadora da Companhia em relação à inadimplência O nível de provisão da Educação Básica foi ajustado a partir do 4T11, também adotando uma postura mais conservadora 20

21 Ensino Superior Valores em R$ ('000) % AH 4T11 % AH Contas a Receber Líquido ,2% ,1% Curto Prazo - Mensalidades e Acordos a Receber ,9% ,7% Carteira Longo Prazo ,3% ,5% FIES ,0% ,0% Saldo de Certificados Emitidos e Bloqueados por CND ,4% ,7% Ensino a Distância Valores em R$ ('000) % AH 4T11 % AH Contas a Receber Líquido n.a. n.a. n.a. n.a. Educação Básica Valores em R$ ('000) % AH 4T11 % AH Contas a Receber Líquido ,4% ,2% Do total do saldo bloqueado por CND, R$ 11,2 milhões foram liberados em abril Aumento do contas a receber de Educação Básica frente ao 4T11 reflete a sazonalidade do negócio 21

22 Ensino Superior - Prazo Médio do Contas a Receber (dias) % AH 4T11 % AH Critério (1) Contas a Receber Líquido (ex-fies) Receita Líquida dias dias Critério (2) Contas a Receber Líquido (ex-fies) Receita Líquida (ex-fies) Critério (3) Contas a Receber Líquido FIES Receita Líquida FIES Critério (4) Contas a Receber Líquido FIES ex-bloqueios de CND Receita Líquida FIES dias 74-9 dias dias dias dias dias Ensino a Distância - Prazo Médio do Contas a Receber (dias) % AH 4T11 % AH Contas a Receber Líquido Receita Líquida 24 n.a. n.a. n.a. n.a. Educação Básica - Prazo Médio do Contas a Receber (dias) % AH 4T11 % AH Contas a Receber Líquido Receita Líquida dias dias 22 Melhora de 2 e 9 dias no prazo médio do contas a receber ex-fies (Critério 2), frente ao e 4T11, respectivamente Aumento do prazo médio do contas a receber do FIES ex-cnd (Critério 4) no foi motivado pelo alto volume de matrículas e rematrículas nos meses de fevereiro e março Estabilidade no contas a receber de Educação Básica entre o e

23 Capex e Endividamento

24 Kroton Investimentos 7,2% 12,7 4,3% 8,3 6,3% 21,5 4T11 Volume de Capex sobre a Receita Líquida de 6,3% no, em linha com o verificado no ano de 2011 (6,4%) Maior parte dos investimentos realizados foram para suportar o maior crescimento orgânico verificado no captação do início do ano 24 * Não é considerado os montantes relacionados às aquisições de Instituições de Ensino

25 Consolidado Valores em R$ ('000) 4T11 % AH Caixa ,8% Aplicações Financeiras ,1% Total de Empréstimos e Financiamentos ,5% Curto Prazo ,2% Longo Prazo ,3% Disponibilidade Líquida 1 (46.993) ( ) -88,8% Outras Obrigações de Curto e Longo Prazos ,7% Disponibilidade Líquida 2 ( ) (3.272) n.a. ¹ Disponibilidade considerando apenas as obrigações bancárias 2 Disponibilidade considerando pagamento de parcelamentos tributários, as obrigações relacionadas a aquisições concluídas até o, inclusive sellers note de R$ 130 milhões do vendedor da Unopar, com vencimento em dez/2012 Aumento do Caixa e Aplicações Financeiras decorrentes do aumento de capital realizado, onde a empresa captou R$ 597 milhões Redução das outras obrigações de curto e longo prazo referente ao pagamento da 2ª parcela da aquisição da Unopar no montante de R$ 260 milhões realizado em março 25

26 Geração de Caixa

27 R$ milhões %AH Lucro Líquido "Contábil" antes de IR ,6% (+) Ajustes ao Lucro líquido antes de IR ,7% (+) Imposto de Renda e Contribuição Social Pagos (2.976) - n.a. (+) Variações no Capital de Giro (84.965) (46.215) 83,8% Geração de Caixa Operacional antes de Capex ,1% Capex Recorrente e de Manutenção (18.387) (8.340) 120,5% Geração de Caixa Operacional após Capex n.a. (+) Atividades de M&A ( ) (889) n.a. (+) Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamentos (1.994) n.a. Fluxo de Caixa Livre n.a. R$ milhões ex-fies Geração de Caixa Operacional (GCO) antes de Capex GCO antes de Capex / EBITDA "Contábil" 43,5% 83,6% Geração de Caixa Operacional (GCO) após Capex GCO após Capex / EBITDA "Contábil" 28,0% 68,1% Fluxo de Caixa Livre Geração de Caixa Operacional após Capex de R$ 33,2 milhões, devido a evolução do resultado e também ao rígido controle dos investimentos. Conversão de EBITDA Contábil em Caixa de 28,0%. Considerando o FIES como efeito Caixa, a Geração de Caixa Operacional antes de Capex seria de R$ 99,2 milhões, e após Capex de R$ 80,9 milhões. Essa análise implica numa conversão de EBITDA Contábil em Caixa de 83,6% e 68,1%, respectivamente.

28 Guidance e Considerações Finais

29 A tabela abaixo traz a expectativa da Companhia para os resultados de 2012, podendo sofrer alterações caso sejam identificadas mudanças que afetem o mercado ou as condições de negócio. Receita Líquida EBITDA Kroton 2012* (R$ milhões) R$ 1,2 bilhão R$ 305 milhões Margem EBITDA (%) 25% Capex Recorrente (manutenção e crescimento orgânico) Capex - Projetos Especiais (brownfields/aquisições de imóveis) 6,7% da Receita Líquida (R$ 80,4 milhões) R$ 60 milhões 29 * Não inclui aquisições, inclusive a já realizada relacionada à Unirondon

30 Ensino Superior Presencial Alunos: + 15% em comparação com 4T11 (crescimento orgânico) Receita Líquida: + 50% vs Resultado Operacional: + 78% vs Contas a Receber ex-fies: - 2 dias vs Ensino Superior EAD Alunos: + 39% em comparação com 4T11 (crescimento orgânico) Altas margens 1ª fase de integração da Unopar concluída e 2ª fase em estágio avançado Educação Básica Receita Líquida: + 8% vs Lucro Bruto: + 15% vs Resultado Operacional: + 10% vs Contas a Receber: Estável vs EBITDA: + 142% em comparação com R$ 126 MM: maior que o EBITDA do ano de ,1% de margem EBITDA Kroton Consolidado Lucro Líquido: + 202% em comparação com R$ 99 MM: praticamente o EBITDA do ano de ,1% de margem EBITDA Geração de Caixa (): R$ 52 milhões antes de Capex R$ 33 milhões após Capex Considerando FIES como caixa: R$ 99 milhões antes de Capex R$ 81 milhões após Capex 30

31 Relações com Investidores Carlos Lazar José Eduardo Szuster Carolina Igi

Localiza Rent a Car S.A.

Localiza Rent a Car S.A. Localiza Rent a Car S.A. Resultados 2T10 R$ milhões, USGAAP Agência Aeroporto Internacional de Guarulhos São Paulo Brasil Inauguração: 11/06/2010 14 de julho de 2010 1 Destaques 2T10 R$ milhões 2T09 2T10

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 1T10 TELECONFERÊNCIAS 12/05/2010 (quarta-feira) AGENDA 2010 Uma só empresa, melhor e mais forte SUMÁRIO EXECUTIVO 1 PRESENÇA NACIONAL 2 2 1 720 escolas associadas no Ensino Básico

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Renda Fixa Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI O produto O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão:

VALE RIO DOCE S/A. No resultado de 2013 a receita líquida da companhia tinha a seguinte divisão: VALE RIO DOCE S/A Empresa: A companhia é uma das maiores mineradoras do mundo, sendo a maior das Américas, baseada na capitalização de mercado. É a maior produtora mundial de minério de ferro e pelotas

Leia mais

Resultados do ano de 2015

Resultados do ano de 2015 Resultados do ano de 2015 2 de março de 2016 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16

Divulgação de Resultados 1T16 São Paulo - SP, 29 de Abril de 2016. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures

MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2013 MARISA LOJAS S.A. 2ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício

Leia mais

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação do LAJIDA/LAJIR

Localiza Rent a Car S.A. Divulgação do LAJIDA/LAJIR Localiza Rent a Car S.A. Divulgação do LAJIDA/LAJIR 27 de fevereiro de 2013 1 Divulgação de EBITDA adotada pela Localiza Nova regulamentação ICVM 527/2012 2 Relatórios onde a Localiza Divulga o EBITDA:

Leia mais

Restrições de Investimento: -.

Restrições de Investimento: -. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FI REF DI 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TOKYO-MITSUBISHI

Leia mais

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08

3º Trimestre de 2008. Teleconferência de Resultados. Lançamentos de 2008. Viver São J. Pinhais (São J. Pinhais-PR) 2T08 3º Trimestre de 2008 Teleconferência de Resultados Lançamentos de 2008 La Vita (Vitoria-ES) 2T08 Beach Park Wellness Resort (Aquiraz-CE) 1T08 Viver Caxias (Caxias do Sul-RS) 3T08 Viver São J. Pinhais (São

Leia mais

Operações Crédito do SFN

Operações Crédito do SFN BC: Operações de Crédito do Sistema Financeiro Nacional sobem 0,1% em maio de 2016, acumulando alta de 2,0% em 12 meses O crédito total do SFN incluindo as operações com recursos livres e direcionados

Leia mais

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes

Grande base de clientes, com CRM visando a fidelização e retenção de clientes 1 Pilares Estratégicos 1 Forte cultura corporativa, cujo principal foco é a valorização das pessoas 2 Plataforma de vendas integrada, com múltiplos canais de venda 3 Grande base de clientes, com CRM visando

Leia mais

IFRS 13 Mensuração do valor justo

IFRS 13 Mensuração do valor justo www.pwc.com/br IFRS 13 Mensuração do valor justo Equivalente ao CPC 46 Tadeu Cendón Introdução IFRS 13 emitido em maio de 2011 Vigência a partir de 1/1/2013 aplicação prospectiva Objetivos Proporciona

Leia mais

KROTON Educacional S/A Divulgação de Resultados 1T08. 07 de Maio de 2008

KROTON Educacional S/A Divulgação de Resultados 1T08. 07 de Maio de 2008 KROTON Educacional S/A Divulgação de Resultados 1T08 07 de Maio de 2008 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Kroton Educacional S.A ( Kroton ). Esta

Leia mais

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI

Resultados do 1T16. Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Resultados do Rogério Melzi Presidente Pedro Thompson Diretor Financeiro e DRI Captação Graduação Crescimento da captação presencial (+1,9%) Penetração FIES apenas 8,4% da captação de graduação presencial,

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S/A

KROTON EDUCACIONAL S/A KROTON EDUCACIONAL S/A Divulgação dos Resultados 2T10 12/08/2010 Disclaimer O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Kroton Educacional S.A ( Kroton ). Esta apresentação foi

Leia mais

Resultados 1T08 (Webcast).

Resultados 1T08 (Webcast). Resultados 1T08 (Webcast). Aviso Importante Este material foi preparado pela Odontoprev S.A. ("Companhia") e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros. Essas

Leia mais

Destaques do Período. CADE aprova a fusão No dia 7 de novembro o CADE aprovou a fusão sem restrições.

Destaques do Período. CADE aprova a fusão No dia 7 de novembro o CADE aprovou a fusão sem restrições. 1 Considerações Gerais Considerações referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas de crescimento da B2W, eventualmente expressas neste

Leia mais

Geração de caixa operacional antes de capex no 2T12 foi de R$ 92,3 milhões e, após capex recorrente, foi de R$ 73,8 milhões.

Geração de caixa operacional antes de capex no 2T12 foi de R$ 92,3 milhões e, após capex recorrente, foi de R$ 73,8 milhões. Belo Horizonte, 09 de agosto de 2012, a Kroton Educacional S.A. (BM&FBovespa: ), Kroton ou Companhia anuncia hoje os seus resultados referentes ao segundo trimestre de 2012 (2T12). As informações financeiras

Leia mais

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Parecer

Leia mais

RELATÓRIO DE REVISÃO DOS AUDITORES INDEPENDENTES Aos Acionistas e Administradores da IESA Projetos, Equipamentos e Montagens S.A. Araraquara - SP Introdução Revisamos as informações contábeis intermediárias,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016

Divulgação de Resultados 1T16. 06 de Maio de 2016 Divulgação de Resultados 06 de Maio de 2016 Aviso Importante Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S/A

KROTON EDUCACIONAL S/A Semana de Relações com Investidores de MG ALÍCIA PINHEIRO Vice-Presidente Executiva e Diretora de RI Organização: Apoio: KROTON EDUCACIONAL S/A 2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS O material que se segue é uma apresentação

Leia mais

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 VIVER INCORPORADORA E CONSTRUTORA S.A. 4ª EMISSÃO DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro, 29 de Abril de 2016. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

Lucro líquido registra R$ 32,7 milhões, crescimento de 25,0% comparado com o 1T10. Margem líquida atinge 16,8%.

Lucro líquido registra R$ 32,7 milhões, crescimento de 25,0% comparado com o 1T10. Margem líquida atinge 16,8%. Belo Horizonte, 16 de maio de 2011, a Kroton Educacional S.A. (BM&FBovespa: ), - Kroton ou Companhia - anuncia hoje os seus resultados referentes ao primeiro trimestre de 2011 (1T11). As informações financeiras

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111

Reunião APIMEC - 3T13. dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Reunião APIMEC - 3T13 dri@santosbrasil.com.br +55 11 3897-1111 Ressalvas sobre considerações futuras As afirmações contidas neste documento quanto a perspectivas de negócios para a Santos Brasil Participações

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T15 12 DE MAIO DE 2015

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 1T15 12 DE MAIO DE 2015 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 12 DE MAIO DE 2015 Destaques Corporativos Único player nacional posicionado no atacado, varejo farma e em especialidades; Parceria estratégica com o maior player de especialidades

Leia mais

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12

Telefônica Brasil S.A. 10.05.2012. Resultados 1T12 10.05.2012 Resultados 1T12 Disclaimer Para fins de comparabilidade, os números do 1T11 foram elaborados de forma combinada. Desta forma, as variações anuais aqui apresentadas podem diferir i daquelas informadas

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem:

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem: 2 1 3 4 2 PGBL ou VGBL? O plano PGBL, dentre outras, tem a vantagem do benefício fiscal, que é dado a quem tem renda tributável, contribui para INSS (ou regime próprio ou já aposentado) e declara no modelo

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08. Informações referentes a Abril de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O AGORA BOLSA FIC DE FIA 08.909.429/0001-08 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ÁGORA BOLSA FUNDO

Leia mais

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado RESULTADOS DO 1T11 CAPTAÇÃO RECORDE com mais de 73 mil novos alunos (24% acima do 1T10) Aumento de 21% no EBITDA, que totalizou R$48 milhões, e ganho de 1,9 p.p. na Margem, que atingiu 17,4% no 1T11 Rio

Leia mais

ORIENTAÇÕES (2014/647/UE)

ORIENTAÇÕES (2014/647/UE) 6.9.2014 L 267/9 ORIENTAÇÕES ORIENTAÇÃO DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 3 de junho de 2014 que altera a Orientação BCE/2013/23 relativa às estatísticas das finanças públicas (BCE/2014/21) (2014/647/UE) A COMISSÃO

Leia mais

COMPANHIA LUZ E FORÇA SANTA CRUZ 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

COMPANHIA LUZ E FORÇA SANTA CRUZ 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 COMPANHIA LUZ E FORÇA SANTA CRUZ 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007

TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006. 06 de Março de 2007 TIM Participações S.A. Resultados do 4T06 e 2006 06 de Março de 2007 1 Destaques Desempenho do Mercado Estratégia Comercial Desempenho Financeiro 2 4T06: Forte crescimento e sólida performance financeira

Leia mais

Resultados da Mills no 1T16

Resultados da Mills no 1T16 Resultados da Mills no 1T16 Relações com Investidores BM&FBOVESPA: MILS3 Rio de Janeiro, 5 de maio de 2016 - A Mills Estruturas e Serviços de Engenharia S.A. (Mills) apresenta os seus resultados referentes

Leia mais

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012

GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Relatório de Risco - 2011 GESTÃO DE RISCO 3 TRIMESTRE 2012 Parte 2: Tabelas com as exposições a risco de crédito, mercado, liquidez e operacional em atendimento à circular n o 3477 do Banco Central do

Leia mais

Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008. 03 de abril de 2009 03 de abril de 2009

Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008. 03 de abril de 2009 03 de abril de 2009 Anhanguera reporta crescimento de 139,1% na Receita Líquida e de 103,0% no EBITDA Ajustado no ano de 2008 www.unianhanguera.edu.br 4T08 Ricardo Scavazza Vice Presidente Operacional e Relações com Investidores

Leia mais

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13

B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 Estar Mais Próximo do Cliente B2W Companhia Digital Divulgação de Resultados 2T13 RESULTADOS CONSOLIDADOS 2T13 Receita Bruta R$ 1.369,8 MILHÕES +24% Receita Líquida R$ 1.210,5 MILHÕES +22% Lucro Bruto

Leia mais

LOJAS LE BISCUIT S.A. EXERCÍCIO DE 2014

LOJAS LE BISCUIT S.A. EXERCÍCIO DE 2014 LOJAS LE BISCUIT S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas, Na qualidade de Agente

Leia mais

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994

LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 LEI 8.849, DE 28 DE JANEIRO DE 1994 Altera a legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza, e dá outras providências. Faço saber que o presidente da República adotou a Medida Provisória

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

Princípio da competência O princípio da competência determina que todas as vendas, os custos e as despesas devem ser considerados na apuração do resultado da empresa no período em que ocorrerem, independentemente

Leia mais

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade -

LFG MAPS. 2 - ( Prova: CESPE - 2012 - Polícia Federal - Agente da Polícia Federal / Contabilidade Geral / Contabilidade - Escrituração Contábil 05 questões Noções Gerais; Escrituração Contábil ) Considere os eventos de I a V listados abaixo. I aquisição de veículo à vista para uso na atividade operacional II baixa de bem

Leia mais

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários)

TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII (Administrado pela Pentágono S.A. Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários) 1 Contexto operacional O TAG GR IV Fundo de Investimento Imobiliário - FII, cadastrado junto a Comissão de Valores Mobiliários sob o código (107-4) é um Fundo de Investimento Imobiliário, regido pelo seu

Leia mais

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 7ª SÉRIE da 1ª EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015

ÁPICE SECURITIZADORA S.A. 7ª SÉRIE da 1ª EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2015 ÁPICE SECURITIZADORA S.A. (atual denominação da ÁPICE SECURITIZADORA IMOBILIÁRIA S.A.) 7ª SÉRIE da 1ª EMISSÃO DE CERTIFICADOS DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE

Leia mais

INDRA BRASIL SOLUÇÕES E SERVIÇOS TECNOLÓGICOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013

INDRA BRASIL SOLUÇÕES E SERVIÇOS TECNOLÓGICOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 INDRA BRASIL SOLUÇÕES E SERVIÇOS TECNOLÓGICOS S.A. 1ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2013 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2014. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Rabobank International Brazil

Rabobank International Brazil Rabobank International Brazil Política de Gerenciamento de Capital Resolução 3.988/2011 Conteúdo 1. Introdução... 3 Patrimônio de Referência Exigido (PRE)... 3 2. Princípios... 4 3. Papéis e Responsabilidades...

Leia mais

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa

ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL. Nota Justificativa ARGANIL INVESTE MAIS REGULAMENTO DE APOIO A INICIATIVAS ECONÓMICAS DE INTERESSE MUNICIPAL Nota Justificativa Considerando que a competitividade da economia concelhia está na primeira linha das preocupações

Leia mais

RENDIMENTOS DE CAPITAIS

RENDIMENTOS DE CAPITAIS MODELO EM VIGOR A PARTIR DE JANEIRO DE 2016 R. P. 1 CATEGORIA E 2 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA E ADUANEIRA DECLARAÇÃO DE - IRS MODELO 3 Anexo E DE CAPITAIS 3 IDENTIFICAÇÃO DO(S) SUJEITO(S)

Leia mais

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito

Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Risco de Crédito Estrutura de Gerenciamento de Risco de Crédito Conforme a resolução 3.721 do Banco Central do Brasil, define-se risco de crédito como a possibilidade de ocorrência de perdas associadas

Leia mais

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012

PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 15 de Novembro de 1889 PORTARIA Nº 72, DE 01 DE FEVEREIRO DE 2012 Estabelece normas gerais de consolidação das contas dos consórcios públicos a serem observadas na gestão

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013

Nota de Informação Estatística Lisboa, 21 de outubro de 2013 Nota de Informação Estatística Lisboa, 1 de outubro de 13 Novas estatísticas das não financeiras da Central de Balanços O Banco de Portugal passa a divulgar no Boletim Estatístico (secção A.19 e Capítulo

Leia mais

Este documento pode conter projeções, declarações e estimativas a respeito de circunstâncias ou eventos ainda não ocorridos.

Este documento pode conter projeções, declarações e estimativas a respeito de circunstâncias ou eventos ainda não ocorridos. Declaração de Projeções Este documento pode conter projeções, declarações e estimativas a respeito de circunstâncias ou eventos ainda não ocorridos. Estas projeções e estimativas têm embasamento, em grande

Leia mais

Nivelamento de Conceitos Contábeis

Nivelamento de Conceitos Contábeis Nivelamento de Conceitos Contábeis Demonstrações Contábeis Balanço Patrimonial - BP Demonstração de Resultado do Exercício - DRE Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Substituiu a Demonstração das Origens

Leia mais

PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 2013-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 2013-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO PROSPETO INFORMATIVO EUR BAC DUAL PORTUGAL 201-2016 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Designação Depósito Dual EUR BAC DUAL PORTUGAL 201-2016 Classificação Caracterização do produto Produto Financeiro Complexo

Leia mais

I - Apoio a projetos de pesquisa e bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq

I - Apoio a projetos de pesquisa e bolsistas de produtividade em pesquisa do CNPq FUNDO DE DESENVOLVIMENTO DA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO FCAV-PRO APOIO A PROJETOS, PRODUÇÃO DE LIVROS DIDÁTICOS, EDIÇÃO DE LIVROS, REVISÕES E TRADUÇÕES DE ARTIGOS I - Apoio a projetos de pesquisa e bolsistas

Leia mais

INVESTIMENTO NO EXTERIOR. LUIZ SORGE, CFP Recife, 19/05/2016

INVESTIMENTO NO EXTERIOR. LUIZ SORGE, CFP Recife, 19/05/2016 INVESTIMENTO NO EXTERIOR LUIZ SORGE, CFP Recife, 19/05/2016 Investimentos no Exterior Por que investimos tão pouco? Tema multifacetado : Contexto Legal e Econômico Psicologia do Investidor Aspectos Técnicos

Leia mais

Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011. 10 mai 2011

Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011. 10 mai 2011 Teleconferência sobre os Resultados do 1º Trimestre de 2011 Sergio Lulia Jacob Diretor Vice-Presidente Financeiro Alexandre Sinzato, CFA Head de Relações com Investidores 10 mai 2011 1 Destaques O Lucro

Leia mais

Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos*

Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos* Lista de exercício nº 1 Juros simples e compostos* 1. Um investidor aplicou $1.000,00 numa instituição financeira que remunera seus depósitos a uma taxa de 5 % ao trimestre, no regime de juros simples.

Leia mais

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015

PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PISO SALARIAL DO MAGISTÉRIO E REESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA 17 DE ABRIL DE 2015 POLÍTICA REMUNERATÓRIA 1. PISO DO MAGISTÉRIO 1.1. Reajuste de 31,78% no vencimento

Leia mais

Reunião APIMEC com Investidores e Analistas. 15 de dezembro, 2008

Reunião APIMEC com Investidores e Analistas. 15 de dezembro, 2008 Reunião APIMEC com Investidores e Analistas 15 de dezembro, 2008 Agenda Destaques 2008 Resultados Financeiros 2 Segunda Oferta Pública de Ações A Anhanguera completou uma oferta de 19,550,000 Units (100%

Leia mais

Adoção das normas internacionais de contabilidade Diretoria de Finanças, Relações com Investidores e Controle Financeiro de Participações - DFN Superintendência de Controladoria CR 1 Convergência A convergência

Leia mais

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL

EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL EXAME DE SUFICIÊNCIA - 01/2000 I - CONTABILIDADE GERAL 1 - Podemos considerar como fato permutativo a transação: a) compra de galpão para a fábrica. b) venda de mercadoria a prazo. c) pagamento de salários

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 ---

ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- ANÁLISE FINANCEIRA E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS 2012 --- SUMÁRIO Análise Financeira 04 Resumo Econômico-Financeiro 06 Resultados s 07 Resultado por Área de Negócio 08 Demonstração do Valor Adicionado 08 Liquidez

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha)

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito PME CRESCIMENTO 2014 (Condições da Linha) Linha de Crédito Bonificada com Garantia Mútua (atualizado a 30 de abril de 2014) UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Enquadramento

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014

INSTRUÇÃO CVM Nº 551, DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 Altera e acrescenta dispositivos à Instrução CVM nº 332, de 4 de abril de 2000, à Instrução CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, e à Instrução CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009. O PRESIDENTE DA COMISSÃO

Leia mais

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS TÍTULOS PÚBLICOS TESOURO DIRETO ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO. O Tesouro Nacional utiliza

Leia mais

DIVULGADA EM: 01/12/2011 VIGÊNCIA A PARTIR DE:

DIVULGADA EM: 01/12/2011 VIGÊNCIA A PARTIR DE: Tabela de Tarifas Relação dos serviços tarifados e respectivos valores vigentes. Os valores máximos foram estabelecidos pela Cooperativa, observada a resolução 3.919 do CMN, de 25/11/2010, e as circulares

Leia mais

Webcast 4T15 Março 2016

Webcast 4T15 Março 2016 Webcast 4T15 Março 2016 Apresentação da Administração Apresentadores Marcos Ernesto Zarzur Diretor Presidente e Diretor Comercial Currículos Iniciou suas atividades na EZTEC em 1986 Diretor Comercial desde

Leia mais

Anexo 4. Termo de Referência do Plano de Negócios

Anexo 4. Termo de Referência do Plano de Negócios Anexo 4 Termo de Referência do Plano de Negócios I. Introdução 1.1. Este Termo de Referência tem por objetivo orientar as Proponentes na elaboração de seu Plano de Negócios, conforme definido no Edital,

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap

CADERNO DE ENCARGOS. Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap CADERNO DE ENCARGOS Aquisição de serviços de formação comportamental e motivação de equipas espap ÍNDICE CLÁUSULAS JURÍDICAS... 3 Cláusula 1.ª Objeto... 3 Cláusula 2.ª Local da prestação de serviços...

Leia mais

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - O que são os FUNDOS DE DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE? São recursos públicos mantidos em contas bancárias específicas. Essas contas têm a finalidade de receber repasses orçamentários e depósitos

Leia mais

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal

Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal Guia Sudoe - Para a elaboração e gestão de projetos Versão Portuguesa Ficha 7.0 Auxílio estatal 2 Ficha 7.0 Auxílio estatal Índice 1 Princípio... 5 2 Definição do conceito de auxílios estatais... 6 3 Quem

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA PLUS 03.394.711/0001-86

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA PLUS 03.394.711/0001-86 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES IBOVESPA PLUS 03.394.711/0001-86 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073

GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073 GLOBEX UTILIDADES S.A. CNPJ n o. 33.041.260/0001-64 NIRE: 333001-41073 Resultados do 1º Trimestre de 2006 Rio de Janeiro, 18 de maio de 2006 Globex Utilidades S.A. (BOVESPA: GLOB4, GLOB3; OTC: GBXPY),

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA Nº 973/2010. (publicada no DOAL nº 9757, de 14 de maio de 2010) Dispõe sobre a concessão e pagamento

Leia mais

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO)

ANEXO I BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) ANEXO I A) - DADOS CONTÁBEIS E FINANCEIROS I. Balancete Contábil BALANCETE ANALÍTICO (MODELO) Período: 01/xx/20xx a 31/xx/20xx CONTA 1 - ATIVO 1.1 - CIRCULANTE 1.1.01 - DISPONIBILIDADES 1.1.01.01 - FUNDO

Leia mais

Prof. Eugênio Carlos Stieler

Prof. Eugênio Carlos Stieler CAPITALIZAÇÃO COMPOSTA CAPITALIZAÇÁO COMPOSTA: MONTANTE E VALOR ATUAL PARA PAGAMENTO ÚNICO Capitalização composta é aquela em que a taxa de juros incide sobre o capital inicial, acrescido dos juros acumulados

Leia mais

Um Plano de Investimento para a Europa

Um Plano de Investimento para a Europa Um Plano de Investimento para a Europa O «triângulo virtuoso» INVESTIMENTO REFORMAS ESTRUTURAIS RESPONSABILIDADE ORÇAMENTAL 1 Um Plano de Investimento para a Europa MOBILIZAR FINANCIAMENTOS PARA O INVESTIMENTO

Leia mais

PARECER Nº 008/2013 - MPC

PARECER Nº 008/2013 - MPC PARECER Nº 008/2013 - MPC PROCESSO Nº ASSUNTO ÓRGÃO CNS28.000-02/2010 (0576/2010 - TCERR) Consulta Prefeitura Municipal de Uiramutã RESPONSÁVEL Eliésio Cavalcante de Lima Prefeito Municipal RELATOR Consa.

Leia mais

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS Resultados positivos, apesar do período adverso Receita Líquida de R$ 194 milhões EBITDA Ajustado de R$ 143 milhões (Margem de 73,5%) Lucro Líquido Ajustado de R$ 102 milhões (Margem de 52,6%) Rio de Janeiro,

Leia mais

Teleconferência de Resultados do 1T16

Teleconferência de Resultados do 1T16 Teleconferência de Resultados do 1T16 04/ 05 / 2016 1 Destaques & Portfólio Destaques do 1T16 Properties registra no trimestre receita líquida de R$127,0 milhões e EBITDA ajustado de R$102,1 milhões A

Leia mais

M =C J, fórmula do montante

M =C J, fórmula do montante 1 Ciências Contábeis 8ª. Fase Profa. Dra. Cristiane Fernandes Matemática Financeira 1º Sem/2009 Unidade I Fundamentos A Matemática Financeira visa estudar o valor do dinheiro no tempo, nas aplicações e

Leia mais

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008

Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Apresentação Resultados 2T08 15 DE AGOSTO DE 2008 Participantes Jorge Cury - Diretor Presidente Marco Mattar - Diretor Vice Presidente Financeiro e Diretor Técnico Rebeca Ouro-Preto - Diretora de Relações

Leia mais

Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas. Conselho de Administração aprova investimento adicional de

Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas. Conselho de Administração aprova investimento adicional de APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Agosto de 2010 11 Destaques Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas Xno Estado de São Paulo Conselho de Administração aprova investimento adicional de XR$

Leia mais

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS

MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS APÊNDICE 2 MODELO DE DECLARAÇÃO DE RECEITAS E DESPESAS (nota de primeira página) Projecto n :... Título do projecto:...... Nome completo do Beneficiário:... Morada:...... Formulário financeiro apresentado

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-140 APROVADA EM DEZ/2015 Nº 01/07 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5

Manual do Revisor Oficial de Contas. Recomendação Técnica n.º 5 Recomendação Técnica n.º 5 Revisão de Demonstrações Financeiras Intercalares Janeiro de 1988 Índice Julho de 1993 (1ª Revisão) Parágrafos Introdução 1-3 Justificação 4-5 Objectivos 6-8 Recomendações 9-17

Leia mais

Custo de Oportunidade do Capital

Custo de Oportunidade do Capital Custo de Oportunidade do Capital É o custo de oportunidade de uso do fator de produção capital ajustado ao risco do empreendimento. Pode ser definido também como a taxa esperada de rentabilidade oferecida

Leia mais

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia?

Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Audiência Pública 004/2007 da ANEEL Segunda Revisão Tarifária Periódica da Coelce Como avaliar a real rentabilidade das empresas de energia? Cláudio J. D. Sales Presidente Instituto Acende Brasil Auditório

Leia mais

KROTON EDUCACIONAL S/A REUNIÃO APIMEC SP

KROTON EDUCACIONAL S/A REUNIÃO APIMEC SP KROTON EDUCACIONAL S/A REUNIÃO APIMEC SP 24/11/2010 Disclaimer O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Kroton Educacional S.A ( Kroton ). Tratam-se de informações resumidas

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE Prof. Wanderson S. Paris, M.Eng. prof@cronosquality.com.br NOÇÕES DE CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS X ATIVIDADES

Leia mais