A FERRAMENTA BUSINESS INTELLIGENCE COMO ESTRATÉGIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: ESTUDO DE CASO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A FERRAMENTA BUSINESS INTELLIGENCE COMO ESTRATÉGIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: ESTUDO DE CASO"

Transcrição

1 CLAUDIA CRISTINI CRISP PORTO PINTO A FERRAMENTA BUSINESS INTELLIGENCE COMO ESTRATÉGIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: ESTUDO DE CASO Taubaté SP 2003

2 2 CLAUDIA CRISTINI CRISP PORTO PINTO A FERRAMENTA BUSINESS INTELLIGENCE COMO ESTRATÉGIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: ESTUDO DE CASO Monografia apresentada para obtenção do Certificado de Especialização pelo Curso de Pós Graduação MBA em Gerência Empresarial e Negócios do Departamento de Economia, Contabilidade e Administração ECA, da Universidade de Taubaté, Área de Concentração: MBA em Gerência Empresarial e Negócios Orientador: Prof. Dr. José Alberto Fernandes Ferreira Co-Orientador: Prof. Dr. Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira Taubaté SP 2003

3 3 CLAUDIA CRISTINI CRISP PORTO PINTO A FERRAMENTA BUSINESS INTELLIGENCE COMO ESTRATÉGIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO: ESTUDO DE CASO UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ, TAUBATÉ, SP. Data: Resultado: COMISSÃO JULGADORA Prof. Dr. José Alberto Fernandes Ferreira Assinatura: Instituição: UNITAU Prof. Dr. Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira Assinatura: Instituição: UNITAU Prof. Mestre Júlio César Gonçalves Assinatura: Instituição: UNITAU Prof. Mestre Julian Jaime Cervantes (Suplente) Assinatura: Instituição: UNITAU

4 4 Dedico este trabalho Ao Mauro, pelos incentivos em todos os momentos. Aos meus pais Cecília e Ernesto, por tudo.

5 5 AGRADECIMENTOS A Deus, sempre. Ao Professor Dr. José Alberto Fernandes Ferreira, pela orientação e atenção dispensada na elaboração deste trabalho. Ao Professor Dr. Edson Aparecida de Araújo Querido Oliveira, por muito ter contribuído com sua experiência e habilidade, não só neste trabalho, mas durante todo o curso de MBA Gestão Empresarial e Negócios. Ao Sr. Gabriel Lewin, pelo apoio e informações fornecidas. A minha família, pela compreensão em minha ausência em alguns momentos. Aos amigos da Turma 14 do MBA em Gerência Empresarial e Negócios, pelo companheirismo em todos os momentos do curso. A todas as pessoas que, de alguma forma, colaboraram direta ou indiretamente na coleta de informações, enriquecendo este trabalho.

6 6 PINTO, C. A Ferramenta Business Intelligence como Estratégia de Tecnologia da Informação: Estudo de Caso f. Monografia (Pós-Graduação no Curso de Especialização MBA Gerência Empresarial e Negócios) Departamento de Economia, Contabilidade e Administração, Universidade de Taubaté, Taubaté - SP. RESUMO A crescente preocupação com as tomadas de decisão deparou-se com um problema também crescente, o volume de informações de níveis operacionais existentes nos diversos sistemas distribuídos pelas organizações. Os sistemas de gestão corporativos possibilitaram a entrada de informações nos níveis operacionais, originadas em todas as áreas da empresa, porém é observada uma dificuldade de acesso às informações em níveis gerenciais. Para minimizar essa dificuldade, as organizações podem empregar a utilização da solução de Business Intelligence, com o conceito de inteligência nos negócios. Neste trabalho, inicialmente, faz-se necessário identificar e caracterizar o papel decisional dentre os papéis ou atividades que os gerentes devem estar preparados a enfrentar. Para evidenciar a solução que a Tecnologia da Informação pode prover, no auxílio a este papel, é importante ressaltar os conceitos que permeiam o processo de tomada de decisão e a análise de alternativas possíveis de decisão. E, posteriormente, explorar a busca pela consolidação de informações por meio do Business Intelligence, apontando algumas ferramentas existentes no mercado. Com a implementação da solução de Business Intelligence, a Latapack-Ball procura obter, além da consolidação de informações, uma mudança de cultura por parte dos gestores, qualidade assegurada das informações corporativas, dentre outros objetivos explicitados no estudo de caso. O alinhamento estratégico entre o negócio e a área de Tecnologia da Informação pode proporcionar uma vantagem competitiva para as organizações. Serão apresentadas algumas análises desse alinhamento na Latapack-Ball. Palavras-chave: Business Intelligence, Informação, Estratégia

7 7 PINTO, C. The Business Intelligence Tool as Strategy of Information Technology: Case Study f. Monograph (Post Graduation in the course of Specialization MBA, Enterprise Management and Business Economics Department, Accounting and Administration, University of Taubaté, Taubaté - SP. ABSTRACT The increasing worry about the decision making has faced an also increasing problem, the volume of information at operation level existing along several systems distributed among organizations. The corporative management systems permitted the entrance of information in the operating levels, originated in every the company areas, however it is observed a certain difficulty of access to the information in management levels. To minimize this difficulty, organizations may use the Business Intelligence solution, as the intelligence concept in businesses. In this study, initially, it is necessary to identify and conceptualize the decision role among the roles or tasks the managers should be ready to face. To highlight the solution that the Information Technology can provide in aiding this role, it is important to make evident the concepts which are inserted the decision making process and the analysis of possible decision alternatives. And further, to explore the search for the consolidation of information through Business Intelligence, pointing out some existing tools in the market. Through the implementation of Business Intelligence solution, Latapack-Ball seeks to get, beside the information consolidation, a cultural change from its managers, assured quality of corporative information, among other goals explained by the case study. The alignment strategy between business and the Information Technology area may provide a competitive advantage to organizations. Some analysis of the mentioned alignment at Latapack-Ball will be presented. Key-words: Business Intelligence, Information, Strategy.

8 8 SUMÁRIO Resumo Abstract Lista de Quadros Lista de Figuras Introdução Objetivos Objetivo Geral Objetivos Específicos Delimitação do Estudo Relevância do Estudo Metodologia do Trabalho Organização do Trabalho Revisão de Literatura Natureza do Trabalho Gerencial O Processo de Tomada de Decisão Analisando Alternativas de Decisão Tomada de Decisão em Grupo Eficiência e Eficácia de Sistemas de Informação Business Intelligence Gerência do Conhecimento (Knowledge Management) Inteligência Competitiva (CI Competitive Intelligence) Enterprise Relationship Management (ERM) Ferramentas de Business Intelligence Data Wharehouse e Data Mart Database Marketing CRM Gerenciamento do Relacionamento com Clientes (Customer Relationship Management) Data Mining Balanced Scorecard O Papel e a Gestão da Tecnologia da Informação (TI) e a Estratégia das Organizações... 52

9 9 3.1 Modelos de Análise do Papel da TI nas Organizações Impacto Estratégico de Aplicações de TI Grid estratégico Matriz da Intensidade de Informação Fatores Críticos de Sucesso (Rockart) O Modelo de Alinhamento Estratégico Modelo de Análise da Gestão e da Organização da TI Participação do Usuário Modelos de Avaliação da TI Modelos que Analisam Avaliação da TI e Indicadores Financeiros Avaliação da TI e Avaliação da Estratégia Anos 90: a Década da Informação Estudo que Estabelece Imperativos para a Organização da TI Processo de Avaliação da TI Escada de Avaliação de Benefícios Os Pontos Principais dos Modelos da Avaliação de TI Estudo de Caso: Latapack-Ball As Estratégias de Negócio da Latapack-Ball Business Intelligence na Latapack-Ball A Solução de Business Intelligence O Projeto de Business Intelligence Características do Software FAST BI O processo de implantação da solução de Business Intelligence Análise do Papel da TI na Latapack-Ball Segundo Modelos de Avaliação de Estratégia O Modelo de Escada de Avaliação de Benefícios Ganhos Efetivos com a Solução de Business Intelligence Os Objetivos Alcançados x Problemas Encontrados Conclusão Referências Bibliográficas Glossário... 98

10 10 LISTA DE QUADROS Quadro 1 Decisões nas Funções de Administração Quadro 2 Comparação entre Dados de Natureza Operacional e Informacional Quadro 3 Comparação entre Data Warehouse e Data Mart Quadro 4 Características de Ferramentas de Extração de Dados de Data Warehouse Quadro 5 Características das Perspectivas de Alinhamento Estratégico Quadro 6 Modelo sobre o Impacto Organizacional de Investimentos Em TI Informações Quadro 7 Modelo que Analisa a Relação entre Investimentos em TI e Desempenho Organizacional Informações Quadro 8 Sugestão de Ações para Atingir o Potencial da TI Quadro 9 Características das Perspectivas de Alinhamento Estratégico na Latapack-Ball Quadro 10 Relação entre o Estudo de Imperativos para a Organização da TI e o Ambiente Latapack-Ball Quadro 11 Planejamento Mensal para Bens de Consumo... 90

11 11 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Dez Papéis de Gerentes Eficazes Figura 2 Eficiência e Eficácia da Tecnologia da Informação Figura 3 Visão Geral das Relações entre BI (Business Intelligence) e KMS (Knowledge Management System) Figura 4 Visão Geral das Relações entre BI e Inteligência Competitiva Figura 5 Ciclo de Inteligência Competitiva Figura 6 O Modelo de Inteligência Competitiva de Cinco Fases Figura 7 Visão Geral da Arquitetura de ERM Enterprise Relationship Management Figura 8 Componentes de um Ambiente BI Business Intelligence Figura 9 Visão Geral dos Diversos Espaços de Conhecimento Figura 10 O Balanço da Estratégia Figura 11 Grid Estratégico: Impacto das Aplicações de TI Figura 12 Modelo do Alinhamento Estratégico Figura 13 Perspectivas do Alinhamento Estratégico Figura 14 Classificação dos Modelos de Avaliação da TI Figura 15 Escada de Avaliação de Benefícios Figura 16 Resumo dos Principais Pontos Encontrados nos Modelos de Avaliação da TI Analisados Figura 17 Estratégias Traçadas Pela Latapack-Ball Figura 18 Organograma da Latapack-Ball Figura 19 Organograma da Área de TI Figura 20 Classificação da TI na Latapack-Ball, segundo o Grid Estratégico Figura 21 Perspectivas do Alinhamento Estratégico no Ambiente Latapack-Ball Figura 22 Business Intelligence na Escada de Avaliação de Benefícios... 89

12 12 1 INTRODUÇÃO No cenário competitivo, onde um dos diferenciais é a velocidade nas ações gerenciais, a tomada de decisão passou a ser fundamental para as organizações. Neste aspecto, a área de Tecnologia da Informação vem contribuir provendo uma solução que busca integrar todas as informações disponíveis em sistemas de gestão empresarial e outros sistemas da empresa, trata-se de Business Intelligence (Inteligência de Negócios). É um conceito de ferramentas as quais visam agrupar e apresentar as informações das mais variadas áreas, possibilitando a análise por meio de relatórios e telas criadas pelos próprios usuários, de acordo com suas necessidades específicas. Dentre os valores que as organizações dispõem, a informação possibilita identificar tanto as oportunidades quanto as ameaças que o ambiente oferece. É importante que os gestores conheçam profundamente a organização que está sob sua responsabilidade, assim como o mercado e o ambiente competitivo no qual ela está situada, com inúmeros objetivos, dentre os quais o de desenvolver o cenário para uma solução eficaz e competitiva (SILVA JR. apud GONÇALVES, 2002). Para tanto, o Business Intelligence oferece a possibilidade de tal avaliação, elevando as informações operacionais para um nível de análise gerencial. Busca-se situar a solução de Business Intelligence integrada ao Gerenciamento do Conhecimento, agregando informações do capital intelectual, e à Inteligência Competitiva, correspondendo a informações de mercado e concorrência. Além de evidenciar as várias ferramentas que compõem o conceito de Business Intelligence. Pela análise de modelos de avaliação, é possível identificar o grau de alinhamento estratégico existente entre o negócio e a área de Tecnologia da Informação. Esse alinhamento pode oferecer um diferencial competitivo para as organizações, se a área de Tecnologia da Informação for capaz de prover soluções que auxiliem a empresa a atingir as estratégias traçadas. Com o estudo de caso da Latapack-Ball, serão evidenciados os objetivos e as características de implantação de uma solução de Business Intelligence, bem como a verificação de alinhamento estratégico entre o negócio da empresa e a área de Tecnologia da Informação.

13 Objetivos O objetivo deste trabalho é apresentar uma das soluções existentes para a obtenção de informações gerenciais, bem como evidenciar que a área de Tecnologia da Informação pode auxiliar as organizações a atingirem suas estratégias Objetivo Geral Apresentar as características da ferramenta Business Intelligence como estratégia na área de Tecnologia da Informação. Salientar a importância do conhecimento do negócio para a correta estratégia da empresa, o uso das tecnologias da informação como apoio e suporte, a formação de cultura de utilização de software de gestão, e evidenciar os resultados alcançados pela empresa Latapack-Ball Embalagens Ltda., com a implantação da ferramenta de Business Intelligence Objetivos Específicos Descrever o modelo de Business Intelligence na área de Tecnologia da Informação, evidenciando o conceito, a estratégia e a aplicação da ferramenta como auxílio aos executivos para a tomada de decisões. Como estudo de caso, pretende-se descrever a implementação e os resultados à luz do modelo da ferramenta de Business Intelligence, na Latapack-Ball Embalagens Ltda, evidenciando a área de produção e custos da empresa. 1.2 Delimitação do Estudo Como estudo de caso, a implementação da solução de Business Intelligence, na Latapack-Ball, engloba-se as áreas de produção e custos, excluindo as demais áreas da empresa. Busca-se informar as etapas concluídas na implementação e as características de utilização do sofware adquirido pela empresa.

14 Relevância do Estudo O tema deste trabalho é relevante, visto a importância da tomada de decisão correta por parte dos administradores. No cenário competitivo que as organizações se encontram, o diferencial é obter uma informação precisa, no momento exato. Para atingir este objetivo, as organizações podem contar com soluções de Business Intelligence que, baseadas nas informações operacionais, apresentam, de forma consolidada, as informações gerenciais. 1.4 Metodologia do Trabalho O trabalho de monografia tem a finalidade de apresentar contribuição relevante ou original e pessoal em relação ao um determinado conhecimento, segundo normas metodológicas próprias. É um tipo de trabalho que observa e acumula observações, organiza essas observações e informações, procurando relações, e utiliza-se de forma inteligente as leituras e experiências, comunicando resultados (HOSS e HOSS, 2002). A metodologia tem como objetivo analisar as características dos vários métodos disponíveis, avaliar suas capacidades, potencialidades, limitações ou distorções e criticar os pressupostos ou as implicações de sua utilização. A metodologia lida com os modos efetivos de captar e processar informações e resolver as diversas categorias de problemas teóricos e as práticas de pesquisa, com a geração ou a experimentação de novos métodos. A metodologia, também, é considerada como modo de conduzir a pesquisa. Nesse sentido, a metodologia pode ser vista como conhecimento geral e habilidade, que são necessárias ao pesquisador, para que ele possa se orientar no processo de investigação, tomar decisões oportunas, selecionar conceitos, hipóteses, técnicas e dados adequados (HOSS e HOSS, 2002). Para a abordagem do problema, este trabalho foi realizado como uma pesquisa qualitativa. Hoss e Hoss (2002, p.33, grifo dos autores) definem: Pesquisa qualitativa: considera que há uma relação dinâmica entre o mundo real e o sujeito, isto é, um vínculo indissociável entre o mundo objetivo e a subjetividade do sujeito que não pode ser traduzido em números. A interpretação dos fenômenos e a atribuição de significados são básicas no processo de pesquisa qualitativa. Não requer o uso de métodos e técnicas estatísticas. O ambiente natural é a fonte direta para coleta de dados, e o pesquisador é o instrumento - chave. É

15 15 descritiva. Os pesquisadores tendem a analisar seus dados indutivamente. O processo e seu significado são os focos principais de abordagem. Com relação aos objetivos do trabalho, foi realizada pesquisa bibliográfica, definida como a elaboração do mesmo a partir de material já publicado, constituído, principalmente, de livros, artigos de periódicos e, atualmente, com material disponibilizado na Internet (GIL apud HOSS e HOSS, 2002). Hoss e Hoss (2002) definem o estudo de caso quando envolve o estudo profundo e exaustivo de um ou poucos objetos, de maneira que se permita o seu amplo e detalhado conhecimento. Para tanto, está evidenciado o estudo de caso da Latapack-Ball Embalagens Ltda., demonstrando o objeto de implementação da solução de Business Intelligence em duas áreas da empresa, Produção e Custos, bem como o alinhamento estratégico entre os negócios da organização e a Tecnologia da Informação. 1.5 Organização do Trabalho Para desenvolvimento do tema, o trabalho obedecerá a uma seqüência normal, com quatro capítulos, apresentando as seguintes características: O Capítulo 1 apresenta os objetivos gerais e específicos, bem como a justificativa e relevância do assunto. No Capítulo 2, serão abordados tópicos relacionados diretamente a natureza do trabalho gerencial, seguido do processo de tomada de decisão, uma característica comum do papel gerencial. Serão abordadas as interpretações de eficiência e eficácia na área de Tecnologia da Informação, visto que afetam diretamente a solução de Business Intelligence. Como ponto chave do tema de estudo, serão apresentados os conceitos e as ferramentas de Business Intelligence no tratamento das informações gerenciais. No Capítulo 3, serão apresentados modelos que buscam confrontar e analisar o alinhamento da estratégia de Tecnologia da Informação com a estratégia da empresa. O Capítulo 4 apresentará o projeto de implantação da solução de Business Intelligence na Latapack-Ball e a avaliação do alinhamento estratégico da empresa com a área de Tecnologia da Informação, segundo alguns modelos de avaliação. Finalmente, no Capítulo 5, serão abordadas a análise dos resultados obtidos com o estudo de caso e as sugestões para futuros estudos sobre assuntos similares ao tema.

16 16 2 REVISÃO DA LITERATURA Este capítulo apresenta alguns tópicos importantes sobre os assuntos relacionados à gerência e à solução de Business Intelligence. Nele, procura-se abordar a natureza do trabalho gerencial, demonstrando os conceitos e as funções desempenhadas por aquelas pessoas que ocupam, ou pretendem ocupar, uma posição de gerência nas organizações. Outro tópico que busca complementar a natureza do trabalho gerencial é o processo de tomada de decisões. Visto que o tema principal é a solução de Business Intelligence, é importante salientar que esta solução objetiva agilizar o processo de tomada de decisões, porém o ponto crucial para o desempenho de um gerente é sua competência em suas atribuições. As definições de eficácia e eficiência fazem parte deste capítulo, com o intuito de diferenciar os conceitos aplicados à área de Tecnologia da Informação. Conceitualmente, a solução de Business (negócio) Intelligence (inteligência) é uma integração de aplicativos e tecnologias para captar, armazenar, analisar e prover acesso aos dados corporativos, de forma a auxiliar os executivos nas decisões de negócio. Serão apresentadas as várias ferramentas que fazem parte desse contexto chamado de BI Business Intelligence. 2.1 Natureza do Trabalho Gerencial Schermerhorn, Hunt e Osborn (1999) definem gerente, também chamado supervisor, chefe de departamento, gerente-geral, líder de equipe, coordenador, diretor de projeto, dentre outras possibilidades, como o responsável pelo trabalho que geralmente é realizado por meio do esforço de uma ou mais pessoas, com um trabalho intenso envolvendo a realização de muitas tarefas e atividades diferentes num mesmo dia de trabalho. Apesar desse aspecto, normalmente os gerentes são interrompidos no decorrer do dia, o que ocasiona um trabalho fragmentado e variável. Os gerentes trabalham envolvidos com outras pessoas, passando pouco tempo trabalhando sozinhos. Daí a importância da comunicação, um ponto fundamental que envolve bastante tempo despendido em obter, fornecer e processar informações. Os gerentes realmente eficazes criam oportunidades para que indivíduos e grupos façam uma grande contribuição para a organização e, ao mesmo tempo, tenham

17 17 satisfação pessoal (SCHERMERHORN, HUNT, OSBORN, 1999, p.31). Laudon e Laudon (2001) apresentam dois modelos de gerenciamento: o modelo clássico e o modelo comportamental. No modelo clássico, descrito por Henry Faiol e outros autores, são apontadas cinco funções dos gerentes: planejamento, organização, liderança, decisão e controle. Dentre essas funções, Schermerhorn, Hunt e Osborn (1999) citam as seguintes: Planejamento: é a definição dos objetivos de desempenho e identificação das medidas necessárias para atingi-los; Organização: é a divisão de tarefas e a obtenção de recursos para realizar o trabalho; Liderança: é a criação de entusiasmo para conseguir que os outros trabalhem para obter sucesso na realização das tarefas; Controle: trata-se do monitoramento do desempenho e a tomada de medidas corretivas, de acordo com o necessário. O segundo modelo citado, o modelo comportamental, pode ser descrito com comportamentos menos sistemáticos, mais informais, menos reflexivos, mais realistas, menos organizados. Enfim, os atributos do modelo comportamental diferem do modelo clássico descrito (Laudon, Laudon, 2001). Segundo Henry Mintzberg (apud Schermerhorn, Hunt, Osborn, 1999), as categorias de papéis ou atividades que os gerentes devem estar preparados a enfrentar atualmente são divididas em três, de acordo com a Figura 1. Papéis interpessoais Como o gerente interage Com outras pessoas Chefe Líder Elo Papéis informacionais Como o gerente troca e Processa informações Monitor Disseminador Relator Papéis Decisionais Como o gerente usa a informação na tomada de decisão Empreendedor Mediador Alocador de recursos Negociador Figura 1 Dez Papéis de Gerentes Eficazes Fonte: Adaptado de SCHERMERHORN, HUNT E OSBORN (1999)

18 18 Os papéis interpessoais envolvem o trabalho direto com outras pessoas. Já os papéis informacionais envolvem a troca de informação com outras pessoas. Os papéis decisionais envolvem a tomada de decisões que afetam outras pessoas. Neste aspecto, incluem-se a detecção dos problemas a serem solucionados, as oportunidades a serem exploradas, a ajuda a resolver conflitos, a alocação de recursos para vários usos e a negociação com outras partes. A essência para cada um desses papéis e a todo trabalho gerencial é criar e manter bons relacionamentos com uma ampla variedade de pessoas, dentro e fora da organização (SCHERMERHORN, HUNT, OSBORN, 1999). Na visão de Laudon e Laudon (2001), existem sistemas de suporte à informação para auxiliar os gerentes a desenvolverem alguns papéis no trabalho gerencial. Os sistemas de apoio à decisão auxiliam os gerentes nos papéis decisionais. 2.2 O Processo da Tomada de Decisão Tomada de decisão é o processo de escolher um curso de ação para lidar com um problema ou oportunidade (HUBER apud SCHERMERHORN, HUNT, OSBORN, 1999). Numa visão compacta, a tomada de decisão é descrita como a escolha entre alternativas. Mas não pode ser considerada desta forma, por se apresentar como um processo abrangente, composto por um conjunto de oito passos, conforme citado por Robbins e Coulter (1998), passando pela identificação do problema; desenvolver, analisar e selecionar uma alternativa possível de resolver o problema; implementação da alternativa até a conclusão com a avaliação da eficácia da decisão. Os passos são: Passo 1 Identificação do problema: o problema é uma discrepância entre o estado de coisas atual e o desejado; Passo 2 Identificação dos critérios de decisão: uma vez identificado o problema, os critérios de decisão são importantes para que a resolução seja estabelecida, ou seja, os administradores devem determinar o que é relevante na tomada de decisão; Passo 3 Determinação dos pesos dos critérios: os critérios listados para a resolução do problema não são igualmente importantes, dessa forma, podem ser atribuídos pesos aos itens para que lhes sejam dadas as prioridades adequadas na decisão;

19 19 Passo 4 Desenvolvimento de alternativas: este passo demostra que o tomador de decisão deve listar as alternativas viáveis que poderiam resolver o problema. Nenhuma tentativa é feita, neste passo, para avaliar essas alternativas, somente listá-las; Passo 5 Análise de alternativas: com as alternativas já identificadas, o tomador de decisão deve analisar de forma crítica cada uma delas, comparando-as e determinando seus pontos fracos e fortes; Passo 6 Seleção de alternativa: este passo é considerado crucial por escolher a melhor alternativa dentre aquelas listadas e avaliadas. Como já determinados os fatores pertinentes da decisão, atribuídos os pesos de forma apropriada e identificadas as alternativas viáveis, o tomador de decisão deve escolher a alternativa de melhor destaque no passo anterior; Passo 7 Implementando a alternativa: enquanto o processo de escolha termina no passo anterior, a decisão ainda pode falhar se não for implementada de forma correta. Este passo diz respeito a colocar a decisão em prática, incluindo os atos de transmitir a decisão àqueles afetados por ela e obter o seu compromisso; Passo 8 Avaliando a eficácia da decisão: este último passo avalia o resultado para ver se o problema foi resolvido. Caso o problema não tenha sido resolvido, o administrador necessita examinar cuidadosamente o que deu errado. Robbins e Coulter (1998) citam que a tomada de decisão faz parte de todas as quatro funções administrativas. O que explica por que os administradores quando planejam, organizam, lideram e controlam são chamados de tomadores de decisão, de acordo com o Quadro 1. Simon (apud ROBBINS, COULTER, 1998) cita que é correto elucidar que tomar decisões é sinônimo de administrar. Em um processo de tomada de decisão, um fator importante é a percepção. De acordo com Soto (2002, p.65): a percepção se refere a um processo ativo de perceber a realidade e organizá-la em interpretações ou visões sensatas. Num contexto organizacional, a percepção é importante por fazer com que diferentes pessoas tenham diferentes interpretações ou visões inclusive contraditórias, de um mesmo fato. Em muitos casos, os administradores e seus subordinados, colegas ou supervisores vêem e descrevem a mesma situação de maneira diferente (SOTO, 2002).

20 20 Quadro 01 Decisões nas Funções de Administração DECISÕES NAS FUNÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO Planejamento Quais são os objetivos de longo prazo da organização? Que estratégias irão atingir melhor esses objetivos? Quais deveriam ser os objetivos de curto prazo da companhia? Quão difíceis deveriam ser os objetivos individuais? Organização Quantos subordinados devem responder diretamente a mim? Quanta centralização deveria existir na organização? Como os trabalhos deveriam ser projetados? Quando a organização deveria implementar uma estrutura diferente? Liderança Como lidar com empregados que parecem estar pouco motivados? Qual o estilo de liderança mais eficaz em uma dada situação? Como uma mudança específica pode afetar a produtividade dos trabalhadores? Qual o momento correto para estimular o conflito? Controle Quais as atividades da organização que precisam de controle? Como essas atividades deveriam ser controladas? Quando um desvio de performance é significativo? Que tipo de sistema de informação gerencial a organização deveria ter? Fonte: ROBBINS & COULTER (1998) De acordo com Simonson (apud SOTO, 2002), a tomada de decisão pode se estruturar com os passos: Percepção de uma situação que requer decisão; Proposição de alternativas; Valorização das alternativas. Kepner e Tregoe (apud SOTO, 2002) afirmam que os processos de tomada de decisão são difíceis porque precisam não somente de experiência, conhecimento, senso comum e capacidade de julgar, mas também incluem muitas incertezas do futuro que ameaçam os resultados da decisão a ser tomada.

21 21 As decisões devem ser bem-aceitas, além de ter uma alta qualidade, segundo Maier (apud SOTO, 2002). Quanto mais importantes forem as decisões, mais do alto se tomam e, consequentemente, apresentam-se com melhor qualidade. Já que essa qualidade parece unida ao nível hierárquico, supõe-se que aqueles que têm de aplicá-la devem fazê-la sem julgar nem criticar tal qualidade (SOTO, 2002). Soto (2002, p.71) ainda cita que: As decisões, independentemente de sua procedência, podem ser boas, regulares e más e se quem as toma se apoia em terceiros para fazê-lo poderá seguramente selecionar as de melhor qualidade. Mas, por sua vez, se quem auxilia no processo de tomada de decisões são aqueles que devem aplicá-las a seguir, é evidente que sua aceitação está aprovada de antemão, o que é muito positivo. Segundo publicações de Alexander Hamilton Institute dos Estados Unidos (apud SOTO, 2002), o computador é de muita importância na tomada de decisão, sobretudo em seus sistemas de modelos de simulação, por permitir conhecer os resultados de uma decisão, sob estudo, como se realmente tivesse sido aplicada. De acordo com Soto (2002), por meio de pesquisas sobre os estilos de decisão, quatro métodos individuais para tomada de decisões foram identificados. Esse modelo tem como fundamento básico, o reconhecimento de que as pessoas diferem segundo duas dimensões: A forma de pensar: algumas pessoas são lógicas e racionais e processam a informação por partes, já outras pessoas são intuitivas e criativas e percebem as coisas como um todo; A tolerância de uma pessoa é dirigida à ambigüidade: algumas pessoas percebem a necessidade de estruturar a informação de forma a diminuir a ambigüidade, já outras são capazes de processar diversos pensamentos ao mesmo tempo. A partir dessas duas dimensões, formam-se quatro estilos de tomada de decisão, segundo Soto (2002): Diretivo: as pessoas têm pouca tolerância para a ambigüidade e procuram a racionalidade; são eficientes e lógicas, mas sua eficiência tem como resultado uma tomada de decisão com um mínimo de informações e com poucas alternativas avaliadas. Tal perfil estabelece que os indivíduos tomam decisões rapidamente e enfocadas no curto prazo;

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec

Capital Intelectual. O Grande Desafio das Organizações. José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago. Novatec Capital Intelectual O Grande Desafio das Organizações José Renato Sátiro Santiago Jr. José Renato Sátiro Santiago Novatec 1 Tudo começa com o conhecimento A gestão do conhecimento é um assunto multidisciplinar

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) 1 CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) A necessidade dos SAD surgiu em decorrência de diversos fatores, como, por exemplo: Competição cada vez maior entre as

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD

SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO SAD Conceitos introdutórios Decisão Escolha feita entre duas ou mais alternativas. Tomada de decisão típica em organizações: Solução de problemas Exploração de oportunidades

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI)

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Business Intelligence (BI) Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Business Intelligence Inteligência Competitiva tem por fornecer conhecimento

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Ementa Conceitos básicos de informática; evolução do uso da TI e sua influência na administração; benefícios; negócios na era digital; administração

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Lembrando... Aula 4 1 Lembrando... Aula 4 Sistemas de apoio

Leia mais

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações Carlos Campello Introdução Nos dias atuais existe a necessidade de constantes modificações das estratégias

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COMO SUPORTE À GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO NA PEQUENA EMPRESA

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO COMO SUPORTE À GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO NA PEQUENA EMPRESA A tecnologia da informação como suporte à gestão estratégica da informação na pequena empresa 1 Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação Journal of Information Systems and Technology Management

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.2 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

1. Centros de Competência de BI

1. Centros de Competência de BI Pagina: 1 1. Centros de Competência de BI Originalmente, o termo Centro de competência de BI (conhecido também como BICC Business Intelligence Competence Center) foi utilizado pelo instituto de pesquisa

Leia mais

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação

Módulo 15 Resumo. Módulo I Cultura da Informação Módulo 15 Resumo Neste módulo vamos dar uma explanação geral sobre os pontos que foram trabalhados ao longo desta disciplina. Os pontos abordados nesta disciplina foram: Fundamentos teóricos de sistemas

Leia mais

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1

Colégio Estadual Juracy Rachel Saldanha Rocha Técnico em Administração Comportamento Organizacional Aílson José Senra Página 1 Página 1 COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL As pessoas que supervisionam as atividades das outras e que são responsáveis pelo alcance dos objetivos nessas organizações são os administradores. Eles tomam decisões,

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio http://www.uniriotec.br/~tanaka/sain tanaka@uniriotec.br Visão Geral de Business Intelligence Evolução dos Sistemas de Informação (computadorizados) 1950 s:

Leia mais

MBA Gestão da Tecnologia de Informação

MBA Gestão da Tecnologia de Informação MBA Gestão da Tecnologia de Informação Informações: Dias e horários das aulas: Segundas e Terças-feiras das 18h00 às 22h00 aulas semanais; Sábados das 08h00 às 12h00 aulas quinzenais. Carga horária: 600

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA

ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMÁTICA A informação sempre esteve presente em todas as organizações; porém, com a evolução dos negócios, seu volume e valor aumentaram muito, exigindo uma solução para seu tratamento,

Leia mais

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO PARTE 9 Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO ATIVO INTANGÍVEL Ativos que não têm substância física, mas proporcionam benefícios econômicos, como: competência dos gerentes, sua experiência e conhecimento

Leia mais

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2.3. ORGANIZAÇÕES E GESTÃO DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO As Empresas e os Sistemas Problemas locais - impacto no sistema total. Empresas como subsistemas de um sistema maior. Uma empresa excede a soma de

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema ERP; Processos de Desenvolvimento, Seleção, Aquisição, Implantação de ERP; Aderência e divergência

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

quinta-feira, 16 de maio de 13

quinta-feira, 16 de maio de 13 POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 08 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua FORMULAÇÃO DE POLÍTICAS PÚBLICAS A Teoria dos Múltiplos Fluxos e Teoria do Equilíbrio Pontuado análise da política pública como um processo

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 2.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Fundamentos de Risco e Retorno Se todos soubessem com antecedência qual seria o preço futuro de uma ação, o investimento

Leia mais

Modelagem de Sistemas de Informação

Modelagem de Sistemas de Informação Modelagem de Sistemas de Informação Professora conteudista: Gislaine Stachissini Sumário Modelagem de Sistemas de Informação Unidade I 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO...1 1.1 Conceitos...2 1.2 Objetivo...3 1.3

Leia mais

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença?

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? * Daniela Ramos Teixeira A Inteligência vem ganhando seguidores cada vez mais

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Modelo de Questionário de Desligamento

Modelo de Questionário de Desligamento RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Planejamento Recrutamento Seleção Integração 1ª Etapa Surgimento de uma vaga - Dispensas do empregador (demissões); - Pedidos de demissão (saídas voluntárias demissionários); - Mortes;

Leia mais

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Governança de TI Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? 2010 Bridge Consulting Apresentação A Governança de Tecnologia

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa

1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa 1 Introdução 1.1. Problema de Pesquisa A motivação, satisfação e insatisfação no trabalho têm sido alvo de estudos e pesquisas de teóricos das mais variadas correntes ao longo do século XX. Saber o que

Leia mais

Trata-se de uma estratégia de negócio, em primeira linha, que posteriormente se consubstancia em soluções tecnológicas.

Trata-se de uma estratégia de negócio, em primeira linha, que posteriormente se consubstancia em soluções tecnológicas. CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT Customer Relationship Management CRM ou Gestão de Relacionamento com o Cliente é uma abordagem que coloca o cliente no centro dos processos do negócio, sendo desenhado

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações

Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Os Sistemas de Informação e a Evolução das Organizações Leonardo C. de Oliveira1, Diogo D. S. de Oliveira1, Noemio C. Neto 1, Norberto B. de Araripe1, Thiago N. Simões1, Antônio L. M. S. Cardoso 1,2 1.Introdução

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Tecnologia da Informação Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Tecnologia da Informação tem por fornecer conhecimento

Leia mais

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1

5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES CONTÁBEIS PROFESSOR Edmundo Tork APOSTILA 3 TURMA: EMPRESA E SISTEMA 5 CCN 1 Apostila baseada exclusivamente na Obra de Clovis Luis Padoveze 1 2 EMPRESA COMO SISTEMA E SEUS SUBSISTEMAS

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano

Empresa como Sistema e seus Subsistemas. Professora Cintia Caetano Empresa como Sistema e seus Subsistemas Professora Cintia Caetano A empresa como um Sistema Aberto As organizações empresariais interagem com o ambiente e a sociedade de maneira completa. Uma empresa é

Leia mais

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)?

Divulgação Portal - METROCAMP. Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Divulgação Portal - METROCAMP Você não quer exercer a profissão mais importante do futuro (Bill Gates)? Torne se um Trabalhador de Conhecimento (Kowledge Worker) de Werner Kugelmeier WWW.wkprisma.com.br

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

Curso Desenvolvimento de Dashboards com o Excel 2007 e 2010

Curso Desenvolvimento de Dashboards com o Excel 2007 e 2010 Curso Desenvolvimento de Dashboards com o Excel 2007 e 2010 O mercado globalizado e altamente competitivo implica em que, as empresas que almejam serem líderes no mercado onde atuam, devem ter agilidade

Leia mais

Perfil de Competências de Gestão. Nome: Exemplo

Perfil de Competências de Gestão. Nome: Exemplo Perfil de Competências de Gestão Nome: Exemplo Data: 8 maio 2008 Perfil de Competências de Gestão Introdução Este perfil resume como é provável que o estilo preferencial ou os modos típicos de comportamento

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Business Intelligence e Inteligência Analítica BUSINESS INTELLIGENCE

Business Intelligence e Inteligência Analítica BUSINESS INTELLIGENCE Business Intelligence e Inteligência Analítica BUSINESS INTELLIGENCE Sumário Conceitos/Autores chave... 3 1. Introdução... 4 2. Teoria de Negócios... 5 3. Profi ssionais de BI... 6 4. Verdades e Mitos

Leia mais

Tecnologia melhora o ABC

Tecnologia melhora o ABC Tecnologia melhora o ABC As inovações da informática estão contribuindo para tornar realidade a determinação de custos com base em atividade Por Mary Lee Geishecker FINANÇAS 18 Mais do que nunca, trabalhar

Leia mais

Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica

Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica Estudo de Modelos de Diagnóstico em Empresas quanto à Gestão da Inovação Tecnológica Leonardo Pinheiro Morel (FEG-UNESP) pro04096@feg.unesp.br Prof. Dr. Ubirajara Rocha Ferreira (FEG-UNESP) ferreiur@feg.unesp.br

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Cerca de dois milhões de pessoas estão trabalhando em aproximadamente 300 mil projetos

Leia mais

Classificação dos Sistemas de Informação

Classificação dos Sistemas de Informação Sistemas de Informação Classificação dos Sistemas de Informação O que veremos? Estaremos examinando o tipo de sistema de informação Gerencial. Veremos também, outras classificações dos sistemas de informação.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO, ORGANIZAÇÕES, ADMINISTRAÇÃO E ESTRATÉGIA 1 OBJETIVOS 1. O que os administradores precisam saber sobre organizações para montar e usar sistemas de informação com sucesso? 2. Que

Leia mais

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO

PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO PMO ESTRATÉGICO DE ALTO IMPACTO TOBIAS ALBUQUERQUE E LEONARDO AVELAR OUTUBRO DE 2015 I. INTRODUÇÃO O conceito de escritórios de projetos Project Management Office (PMO) vem evoluindo desde meados da década

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial SAD Sistemas de Apoio à Decisão parte 1: a Tomada de Decisão Fontes: O Brien e Webaula Estácio Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional

Leia mais

O que é Balanced Scorecard?

O que é Balanced Scorecard? O que é Balanced Scorecard? A evolução do BSC de um sistema de indicadores para um modelo de gestão estratégica Fábio Fontanela Moreira Luiz Gustavo M. Sedrani Roberto de Campos Lima O que é Balanced Scorecard?

Leia mais

Business Intelligence

Business Intelligence e-book Senior Business Intelligence 1 Índice 03 05 08 14 17 20 22 Introdução Agilize a tomada de decisão e saia à frente da concorrência Capítulo 1 O que é Business Intelligence? Capítulo 2 Quatro grandes

Leia mais

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor.

Módulo 6. Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa do autor. Módulo 6 Módulo 6 Desenvolvimento do projeto com foco no negócio BPM, Análise e desenvolvimento, Benefícios, Detalhamento da metodologia de modelagem do fluxo de trabalho EPMA. Todos os direitos de cópia

Leia mais

Gestão da Mudança na Implantação de um Escritório de Processos

Gestão da Mudança na Implantação de um Escritório de Processos de um Escritório de Processos - Os principais pontos de atenção, seus sintomas e as medidas que o Gestor do Escritório de Processos deve adotar durante a sua implantação - Introdução...2 A Importancia

Leia mais

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG)

Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Faculdade de Engenharia - Campus de Guaratinguetá Sistemas de Informação Gerenciais (SIG) Prof. José Roberto Dale Luche Unesp Um SISTEMA DE INFORMAÇÃO é um conjunto de componentes inter-relacionados, desenvolvidos

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL

ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA EMPRESARIAL O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente

Leia mais

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA

CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA CEAG Curso de Especialização em Administração para Graduados EMENTAS DAS DISCIPLINAS E CARGA HORÁRIA Habilidades Computacionais 32 h/a Oferece ao administrador uma visão sobre as potencialidades da tecnologia

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE GESTÃO DO CONHECIMENTO EM UM PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE RESUMO Carlos Eduardo Spolavori Martins 1 Anderson Yanzer Cabral 2 Este artigo tem o objetivo de apresentar o andamento de uma pesquisa

Leia mais

A importância da estratégia para mapear mercados e concorrentes. Inteligência competitiva como uma alternativa

A importância da estratégia para mapear mercados e concorrentes. Inteligência competitiva como uma alternativa A importância da estratégia para mapear mercados e concorrentes. Inteligência competitiva como uma alternativa Luiz Rogério S. Santos Empreendedor de Negócios e Marketing Corporativo Sábia Experience www.sabiax.com.br

Leia mais

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo CBSI Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação BI Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais em Sistemas de Informação Faculdade de Computação Instituto

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação

PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu. Gestão e Tecnologia da Informação IETEC - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PÓS-GRADUAÇÃO Lato Sensu Gestão e Tecnologia da Informação BAM: Analisando Negócios e Serviços em Tempo Real Daniel Leôncio Domingos Fernando Silva Guimarães Resumo

Leia mais

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI

Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Requisitos de business intelligence para TI: O que todo gerente de TI deve saber sobre as necessidades reais de usuários comerciais para BI Janeiro de 2011 p2 Usuários comerciais e organizações precisam

Leia mais

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI

Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Criação e uso da Inteligência e Governança do BI Governança do BI O processo geral de criação de inteligência começa pela identificação e priorização de

Leia mais

1. METODOLOGIA APLICADA

1. METODOLOGIA APLICADA 1. METODOLOGIA APLICADA O propósito do planejamento pode ser definido como o desenvolvimento de processos, técnicas e atitudes administrativas que proporcionam uma situação viável de avaliar as implicações

Leia mais

Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Profa. Lérida Malagueta

Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Profa. Lérida Malagueta Unidade IV ESTRATÉGIA COMPETITIVA Profa. Lérida Malagueta Estratégia competitiva Já conhecemos os conceitos sobre a teoria da decisão estratégica e de como competem e cooperam: Os decisores As empresas

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento

Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento ELC1075 Introdução a Sistemas de Informação Gerenciamento de Dados e Gestão do Conhecimento Raul Ceretta Nunes CSI/UFSM Introdução Gerenciando dados A abordagem de banco de dados Sistemas de gerenciamento

Leia mais

Pós-graduação lato sensu.

Pós-graduação lato sensu. MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Pós-graduação lato sensu 1 MBA Desenvolvimento e Gestão de Pessoas Curso de Especialização Pós-Graduação lato sensu PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

GAION, Aparecida Vanif; SÉRGIO, Paulo; ALBERTINI, Peter, et. all. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO.

GAION, Aparecida Vanif; SÉRGIO, Paulo; ALBERTINI, Peter, et. all. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO. A IMPORTÂNCIA DA CONTROLADORIA NO PROCESSO DE GESTÃO THE COMPUTING IN ADMINISTRATION Heber Ridão Silva * Leônidas da Silva JosuéAmaral Fabio Ferreira Paula Sergio Peter Albertini Aparecida Vanif.Gaion

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade III PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Gestão do conhecimento e inteligência Corporativa Conceitos fundamentais Aplicações do

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

Executive Proposal: Um Padrão para a Apresentação de Propostas de Projetos

Executive Proposal: Um Padrão para a Apresentação de Propostas de Projetos Executive Proposal: Um Padrão para a Apresentação de Propostas de Projetos Corneli Gomes Furtado Júnior 1, Thiago Ferraz 1, Rossana Maria de Castro Andrade 1 1 Departamento de Computação Universidade Federal

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais