A TRAJETÓRIA DO CURSO TECNOLÓGICO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL: EM BUSCA DE UM GERENCIAMENTO EFICAZ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A TRAJETÓRIA DO CURSO TECNOLÓGICO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL: EM BUSCA DE UM GERENCIAMENTO EFICAZ"

Transcrição

1 A TRAJETÓRIA DO CURSO TECNOLÓGICO EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL: EM BUSCA DE UM GERENCIAMENTO EFICAZ G7 - Ensino e Aprendizagem de Matemática no Ensino Médio e no Ensino Superior José Ferreira de Souza Instituição: Universidade Cruzeiro do Sul DO. Orientador: Professor Doutor Luiz Henrique Amaral RESUMO Este trabalho tem o objetivo de suscitar uma reflexão sobre a trajetória do curso tecnológico em Gestão de Recursos Humanos - GRH, e buscar subsídios para promover uma formação de qualidade aos estudantes. Apresenta a dinâmica das discussões sobre as diversas mudanças na matriz curricular do curso, até a que é usada atualmente e busca um olhar sobre o desenvolvimento de disciplinas que compõem o curso, as quais têm a ciência Estatística como suporte. Isso requer atenção aos processos de aprendizagem de conceitos e procedimentos necessários à análise de dados. Essa formação é essencial para o profissional em Gestão de Recursos Humanos. As reflexões apontam para a necessidade de buscar meios de aproximar os professores que trabalham estas disciplinas da perspectiva pedagógica de Modelagem Matemática, pois esta converge com os objetivos da Educação Estatística e pode contribuir para promover ambientes de aprendizagem mais dinâmicos e produtivos. Palavras-chave: matriz curricular, ciência Estatística, Modelagem Matemática, aprendizagem. Introdução No ensino superior, em diferentes áreas do conhecimento, as disciplinas com conteúdos de Matemática e Estatística fazem-se presentes e necessárias ao desenvolvimento de habilidades lógicas e científicas, para a execução de projetos, elaboração de gráficos, tabelas demonstrativas, cálculos, projeção financeira ou balanço patrimonial, dentre outras ações pertinentes à área. O professor que trabalha o conhecimento matemático e estatístico nas áreas de negócios precisa desenvolver habilidades específicas para atender à demanda de seus estudantes, levando em conta as necessidades do curso, e considerando as especificidades teóricas e as experiências práticas cotidianas inerentes a cada disciplina.

2 Nesse caso, é importante adequar a linguagem, a metodologia e os procedimentos a cada disciplina, sem perder de vista a contribuição do pensamento matemático e estatístico como campo do conhecimento dentro de cada área. Dessa maneira, iniciamos, com este trabalho, a organização de informações já coletadas sobre o desenvolvimento do currículo da disciplina Administração de cargos e salários, do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Cruzeiro do Sul. Nesse caso, inicialmente fazemos a discussão do desenvolvimento desse curso nos últimos anos e buscamos referencial teórico que nos encaminhe para a evolução das práticas pedagógicas que atendam aos objetivos do curso. Tais reflexões nos embasarão para gerenciar e neles intervir ambientes de aprendizagem ricos e desafiadores para os alunos. Este estudo pauta-se na necessidade de repensar as estratégias existentes atualmente na disciplina de Administração de Cargos e Salário, que tem, na Estatística, as bases para o desenvolvimento de seus conteúdos, pois lida com a coleta, a organização e a análise de dados, fazendo uso de modelos matemáticos, como gráficos e tabelas demonstrativas, em especial na execução de projetos. Porém, a pouca compreensão dos estudantes dos conceitos da Estatística tem nos levado a questionar a relação ensino-aprendizagem e o papel do ensino da Estatística. A intenção de problematizar a aprendizagem estatística nas disciplinas do Curso Superior em Gestão de Recursos Humanos surgiu da necessidade de desenvolver a práxis acadêmica, na qual a interdisciplinaridade é uma constante entre a área de Negócios, as Ciências Exatas e a Estatística. Contudo, os métodos para concretizá-la ainda não foram definidos como uma realidade constante, seja na sala de aula, seja nos documentos institucionais. Nosso propósito, com este trabalho, é discutir meios de alinhar as práticas do ensino de Estatística em sala de aula com os objetivos do curso de formação efetiva para os alunos, oportunizando o aprendizado das técnicas na gestão de pessoas. Pretendemos apresentar aqui as reflexões feitas até o momento, em busca de subsídios teóricos para promover ambientes de aprendizagens propícios à construção e à aquisição de conceitos e procedimentos estatísticos em disciplinas da área de negócios. A constituição histórica do curso de gestão de recursos humanos Para o desenvolvimento de estratégias eficazes em sala de aula, primeiramente os professores precisam reconhecer esse contexto, observar a realidade dos estudantes,

3 suas necessidades e seus objetivos; compreender as diretrizes estabelecidas no plano de ensino, observando conteúdos, programas e avaliações, para chegar aos conhecimentos e as habilidades específicas de cada disciplina. Isso demanda que o professor trabalhe em consonância com as diretrizes do Projeto Pedagógico do Curso PPC, o qual define o papel da disciplina e dos conhecimentos que devem ser nela desenvolvidos, dentro de um quadro maior o Curso. Este aspecto é importante, tendo em vista a interligação entre as disciplinas que o integram. Diante do exposto, passamos a discutir o desenvolvimento do curso e refletir sobre sua constituição nos últimos dez anos, para observar as alterações da matriz curricular, e adequá-la aos interesses dos alunos e da Instituição. Tomamos para objeto de estudo a disciplina Administração de Cargos e Salários. O Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Cruzeiro do Sul, criado em 2002 e autorizado pela Resolução do Conselho Universitário (CONSU) n. 06/CONSU/2002, de 12/12/2002, iniciou suas atividades no primeiro semestre de 2003, no Campus São Miguel. Passou a ser oferecido nos campi Anália Franco e Liberdade, em 2005, e no campus Pinheiros, em 2008, no início das atividades nessa Unidade. Nestes dez anos de existência, o curso compôs cinco matrizes curriculares, que foram alteradas para atender às necessidades dos alunos em relação ao mercado de trabalho, considerando um cenário dinâmico e de mudanças, sobretudo na área de gestão de pessoal, gestão do conhecimento e suas especificidades cada uma com sua especialidade, de acordo com os subsistemas da área de recursos humanos. No Projeto Pedagógico do Curso encontra-se a descrição que, conforme Parecer CNE/CES Nº 436, de abril de 2001, (BRASIL, 2001a e 2001b), fornece diretrizes para Cursos Superiores de Tecnologia, para consonância com as novas formas de organização e gestão que modificaram estruturalmente o mundo do trabalho. Um novo cenário econômico e produtivo estabeleceu-se com o desenvolvimento e o emprego de tecnologias complexas, agregadas à produção e à prestação de serviços e com a crescente internacionalização das relações econômicas. Passou-se, assim, a requerer sólida base de educação geral para todos os trabalhadores, educação profissional básica, qualificação profissional de técnicos e educação continuada para atualização, aperfeiçoamento, especialização e requalificação. Para enfrentar o aumento de competitividade organizacional em relação aos mercados internos e externos, as empresas passaram a investir mais em capacitação de

4 pessoas e viram-se obrigadas a modificar radicalmente o nível de relacionamento com seus clientes. A excelência corporativa com o objetivo da satisfação do consumidor tornou-se o grande foco. A educação profissional passou, então, a ser concebida de acordo com o Parecer CNE/CES Nº. 436, de abril de 2001, (BRASIL, 2001b, p. 1), o qual fornece diretrizes para Cursos Superiores de Tecnologia, não mais como simples instrumento de política assistencialista ou linear ajustamento às demandas do mercado de trabalho, mas, sim, como importante estratégia para que os cidadãos tenham efetivo acesso às conquistas científicas e tecnológicas da sociedade. Impõe-se a superação do enfoque tradicional da formação profissional baseada apenas na preparação para a execução de um determinado conjunto de tarefas. A primeira matriz do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos tinha como objetivo formar alunos já profissionais da área, ou seja, trabalhadores com experiências práticas e que estivessem procurando a Universidade para se graduar no ensino superior por exigências do mercado de trabalho. Dessa forma, foi estruturada uma matriz curricular que buscasse atender à esse profissional, considerando o dimensionamento do conhecimento a partir de práticas vivenciadas no dia a dia. Como o objetivo maior do currículo era formar gestores, incluíram-se na matriz disciplinas com bases mais teóricas, conforme demonstrado no Quadro 1, abaixo: Quadro 1 Disciplinas por formação matriz curricular n.º 11 de 2003 Gestão de Recursos Humanos - GRH. DISCIPLIN AS básica e instrumental Comportamento Organizacional complementa r Economia na Era Moderna profissional Gestão para Eficiência Organizacional em RH Estágio Supervisionado Estágio Supervisionado Metodologia da Pesquisa Contabilidade para RH Gestão para Eficiência Organizacional em Gestão de Pessoas Matriz curricular n.º 11 (2003) Fundamentos da Administração Ferramentas de RH Língua Portuguesa Legislação Trabalhista Noções de Cálculos Organização, Estruturas e Processos em RH Competência Gerencial Estratégias de Remuneração Convencionais Fundamentos de Economia Estratégias Atuais de Remuneração Gestão de Pessoas Motivação Cultura e Clima Organizacional

5 Fonte: Elaboração dos autores deste texto No ano de 2005, de 28 a 30 de março, o curso recebeu a visita da comissão para avaliação de reconhecimento do Ministério da Educação (BRASIL, 2005, p. 22), para atendimento às recomendações dos avaliadores e às necessidades dos alunos, no cenário de exigências profissionais. Houve a primeira alteração da matriz curricular MC de número 12, que ficou composta de disciplinas instrumentais mais específicas de cada um dos subsistemas da área de recursos humanos, conforme descrição no Quadro 2, abaixo: Quadro 2 Disciplinas por formação matriz curricular n.º 12 de 2005 GRH. DISCIPLINA S básica Redação Empresarial Ambiente de Negócios RH instrumental Cargos e Salários Seleção e Recrutamento de Pessoas gerencial Planejamento Estratégico Estratégias de RH complementar Projetos Interdisciplinare s I, II, III e IV Matriz curricular n.º 12 (2005) Processos Gerenciais Legislação Trabalhista, Estatística e Cálculo Aplicados a RH Plano de Carreira Relações Trabalhistas e Sindicais Cultura e Clima Organizacional Contabilidade Aplicada a RH Gestão por Competências Gestão do Conhecimento Empreendedorism o Segurança e Medicina do Trabalho Remuneração Estratégica Treinamento e Desenvolvimento de RH Comportamento Organizacional Responsabilidade Social Consultoria em RH Fonte: Elaboração dos autores. Em fevereiro de 2007, a Matriz Curricular 13 teve uma única alteração nas disciplinas de formação complementares: a disciplina Projeto Interdisciplinar passou a ser denominada Atividades Interdisciplinares I, II, III e IV. No ano de 2009, outra alteração ocorreu na Matriz, após uma extensa discussão entre coordenações, assessorias, pró-reitoria e reitoria, que resultou no modelo Cruzeiro do Sul. Naquele momento, por conta da necessidade de mercado e das constantes solicitações dos estudantes à coordenação há algum tempo, a matriz foi contemplada com a disciplina específica Administração de Departamento Pessoal e dela foi retirada a disciplina Cargo e Salários, como descreve o Quadro 4, abaixo: Quadro 3 Disciplinas por formação matriz curricular n.º 14 de 2009 GRH.

6 DISCIPLIN AS Matriz curricular n.º 14 (2009) básica Economia Língua Portuguesa (EAD) Teoria e Gestão Organizacional Probabilidade e Estatística - (EAD) Disciplinas Optativas instrumental / específica Ética e Responsabilidade Socioambiental Gestão de Pessoas Psicologia Geral e Aplicada Administração de Departamento Pessoal Seleção e Recrutamento de Pessoas gerencial Projeto em RH - Estudos de casos Planejamento Estratégico Estratégias de RH Direito Aplicado aos Negócios (EAD) complementar Atividades Complementares, II e III Consultoria em RH Psicologia do Trabalho (EAD) Treinamento e Desenvolvimento de RH Remuneração Estratégica Fonte: Elaboração dos autores deste texto. A matriz curricular de número 15 foi contemplada com as mesmas disciplinas da matriz 14. É destinada para alunos com ingresso no vestibular de meio do ano. Em 2010, ocorreu a alteração que resultou na Matriz atual, de número 16: por conta da necessidade de mercado e das solicitações dos estudantes, ela abriga as disciplinas específicas de Administração de Cargos e Salários e Administração de Departamento Pessoal. Exposta no Quadro 5, abaixo, é composta de disciplinas de formação básica, instrumental/específica, gerencial e complementar. Quadro 4 Disciplinas por formação matriz curricular n.º 16 de 2010 GRH. DISCIPLIN AS básica instrumental / específica gerencial Língua Portuguesa (EAD) Teoria e Gestão Organizacional Recrutamento e Seleção de Pessoas Gestão de Pessoas Projeto em RH - Estudos de casos Planejamento Estratégico complement ares Atividades Complement ares Matriz curricular n.º 16 (2010) Probabilidade e Estatística - (EAD) Disciplinas Optativas Administração de Departamento Pessoal Administração de Cargos e Salários Segurança e Medicina do Trabalho Ética e Responsabilidade Socioambiental Estratégias de RH Direito Aplicado aos Negócios (EAD) Consultoria em RH Psicologia do Trabalho (EAD) Treinamento e Desenvolvimento de RH Fonte: Elaboração dos autores deste texto Remuneração Estratégica

7 A matriz curricular de número 17, também vigente hoje, foi contemplada com as mesmas disciplinas da matriz 14. É destinada para alunos com ingresso no vestibular de meio do ano. Como fica evidente, o gerenciamento do curso tem sido dinâmico e atento para a contemplação dos objetivos da Instituição: preparar os estudantes para as necessidades do mercado em que vão atuar e atender aos interesses dos alunos em formação. Esse currículo tem sido implementado desde então, dando indicação de que conseguimos chegar a uma configuração adequada para atender aos diversos interesses envolvidos. Passamos a focar nossa atenção no desenvolvimento das disciplinas, levando em conta suas especificidades. Tomamos para análise neste trabalho a disciplina de Administração de Cargos e Salários, a qual faz uso do conhecimento estatístico para o desenvolvimento de seus conteúdos, mas, pelo que temos observado o desenvolvimento desses conceitos não está atendendo às necessidades da disciplina, mesmo o curso tendo uma disciplina específica de Estatística. Sendo assim, passamos a discutir o ensino-aprendizagem da Estatística e as ações pedagógicas a elas inerentes, com o objetivo de compreender os sentidos da construção do pensamento estatístico dos estudantes em disciplinas específicas da área de Recursos Humanos, o que, a nosso ver, implica em compreender aspectos específicos da Estatística e das estratégias para o seu ensino. Perspectivas da modelagem matemática e da educação estatística para a área de gestão de recursos humanos Muito se tem discutido sobre a necessidade, em todos os níveis da educação, de desenvolver a competência do estudante para lidar com as informações estatísticas presentes no contexto atual e para utilizar os conceitos dessa ciência para compreender fenômenos de natureza incerta em atividades profissionais ou em situações cotidianas. Nesse sentido, a Educação Estatística tem intensificado os esforços para embasar teoricamente a prática pedagógica, tendo esta como objeto de observação e análise. No Brasil, destacam-se os estudos de Lopes (1998, 2004, 2008), cujo principal foco de pesquisa é a prática pedagógica, tomando o contexto dessa ação como gerador de dados para sua análise e reflexão. Lopes (1998, 2004, 2008), destaca três competências estatísticas importantes para um cidadão: literacia estatística, que é a competência de fazer uma leitura eficiente das informações estatísticas do dia a dia; o raciocínio estatístico, que é o raciocínio

8 aplicado no trabalho com as ferramentas e os conceitos estatísticos uma habilidade procedimental que leva em conta componentes relativos ao raciocínio matemático (cálculos, técnicas operatórias, uso modelos matemáticos), mas considera a variabilidade inerente aos fenômenos aleatórios. E, por fim, o pensamento estatístico, que vai além das técnicas e dos procedimentos estatísticos, pois exige estabelecer relações entre dados e conceitos, em um processo investigativo que leva em conta o contexto em que os dados foram gerados; e observar continuamente os significados expressos nos dados, o que implica em adequar modelos e técnicas, para compreender tendências e validar hipóteses. Sendo assim, Lopes (2004) propõe um processo de ensino e aprendizagem da Estatística em uma perspectiva investigativa, em que os alunos tenham vivência com a geração e a análise de dados em situações nas quais precisem tomar decisões com base nos dados coletados. Essa perspectiva também tem sido defendida por diversos outros pesquisadores brasileiros (CAMPOS, 2007; JACOBINI, 1999; MENDONÇA, 2008) e de outros países (BATANERO; DIAZ, 2004). Para a efetivação dessa perspectiva em sala de aula, consideramos pertinente afirmar que o processo investigativo próprio da Modelagem Matemática, enquanto perspectiva pedagógica pode contribuir para o desenvolvimento do raciocínio estatístico e do pensamento estatístico, pois essa proposta tem suas bases na investigação da realidade, por meio da Matemática. Nesse processo, os estudantes partem de um tema que desejam investigar e, para compreendê-lo, devem lançar mão de estratégias próprias para a seleção das variáveis e de encaminhamentos para buscar o aprofundamento sobre o tema;, devem perceber a necessidade de buscar dados sobre tais variáveis, para então analisá-las. Nessa dinâmica, utilizam seus conhecimentos prévios e devem ser instigados a buscar outros, para tirar conclusões e tomar decisões. As ações descritas fazem parte do processo de Modelagem matemática, enquanto perspectiva pedagógica, que, na concepção de Barbosa (2004), é um ambiente de aprendizagem no qual os alunos são convidados a investigar, por meio da Matemática, situações com referência na realidade (BARBOSA, 2004, p.3). Consideramos que há convergências entre este processo e a Didática da Estatística, na concepção de Batanero e Diaz (2004), Campos (2007), Jacobini (1999) e Lopes (1998, 2004), já que, no desenvolvimento de uma investigação estatística, necessariamente serão utilizados modelos mentais (conhecimentos prévios), para dar significado às informações encontradas; e modelos matemáticos, para representar e

9 organizar os dados e fazer relações. Consideramos modelos matemáticos como qualquer representação matemática da situação em estudo (BARBOSA, 2007, p.161). Os modelos não matemáticos seriam usados para apresentar impressões e conclusões que são deduzidas do processo Algumas experiências práticas com essa perspectiva têm sido implementadas em cursos superiores em diferentes áreas. Jacobini (1999), por exemplo, utiliza a Modelagem Matemática para desenvolver um curso introdutório de Estatística destinado a graduandos de um curso de Ciências Sociais, com o objetivo de facilitar a aprendizagem desta disciplina para não matemáticos, que comumente apresentam o que ele chama de ansiedade matemática, espécie de fobia que provoca tensão e até rejeição aos conceitos que envolvem a Estatística e a Probabilidade. Campos (2007) realiza uma experiência para o desenvolvimento de Estatística em um curso de Ciências Econômicas, na Perspectiva de Projetos, com o objetivo principal de desenvolver o raciocínio e o pensamento estatístico, além da literacia estatística. Sua proposta se fundamenta na Educação Matemática Crítica, cuja concepção, se embasa na reflexão, no diálogo, na responsabilidade social e na formação ética. Como é possível concluir, nessa perspectiva pedagógica, o papel do professor passa a ser de estrategista, mediador e parceiro dos estudantes na sua trajetória de construção do saber; e as atividades cooperativas e investigativas em que os alunos trabalham em grupos e o professor adota uma postura de indagação e provocação, favorecem a apropriação dos conceitos, maximizando a aprendizagem. Nesse sentido, consideramos as discussões de Bassanezi (2004), que chama a atenção para a necessidade de elaborar novas práticas de ensino, em que o professor interaja mais significativamente com os estudantes e estes assumam papel ativo na construção do próprio conhecimento. O autor vem defendendo o uso da Modelagem Matemática como uma prática pedagógica que permite contextualizar os conceitos em outras áreas do conhecimento, o que favorece que os estudantes atribuam significados aos conceitos matemáticos. Segundo Bassanezi (2004), para isso, os programas devem estar vinculados a um contexto social mais amplo e a proposta do currículo, atrelada à formação de elementos atuantes da sociedade. Ou seja, professores e estudantes devem-se considerar parte da sociedade e questionar-se a respeito de seus papéis, não apenas no exercício da

10 profissão em Recursos Humanos, mas também no aprendizado dentro e fora da empresa em que atuarão. Propor diretrizes básicas para o planejamento do curso, segundo Bassanezi (2004), implica em instrumentalizar os educadores para que revejam os conceitos da prática educativa, reavaliem seus métodos e utilizem novas estratégias a partir da sua realidade de sala de aula. Conforme Mendonça (2011), essa perspectiva implica em uma nova postura do professor para sua intervenção com os alunos para a construção do conhecimento: não cabe uma prática centrada na lista de exercícios propostos após a explanação de um exemplo similar, mas, ao contrário, é preciso uma intervenção questionadora em situações de investigação e descobertas, de modo que os estudantes possam buscar conceitos e informações, estabelecer relações e propor formas de resolução de problemas em situações reais, que tenham significados para eles. Essa dinâmica possibilita aos estudantes a construção de estratégias próprias, desenvolve sua criatividade para a resolução de problemas e sua autonomia para continuar aprendendo fora da sala de aula. Porém, embora criatividade e autonomia não possam ser ensinadas, podem, sim, ser desenvolvidas por meio da compreensão da realidade e da ação sobre ela. Sendo assim, é necessário que os estudantes elaborem seus conhecimentos dentro de um contexto global, reconhecendo o real significado do conhecimento e partindo de situações particularizadas. Considerações finais As reflexões sobre o desenvolvimento do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da Universidade Cruzeiro do Sul evidenciam o caráter dinâmico da sua gestão e a necessidade de um repensar constante das configurações vigentes, levando em conta o mercado de trabalho e a formação dos estudantes. É importante focar o desenvolvimento das disciplinas que fazem uso de conceitos e procedimentos estatísticos, pois o estudo nessas disciplinas depende fundamentalmente do domínio, pelos alunos, do conhecimento estatístico, que lhes permitirá analisar dados nas suas áreas de atuação profissional. Parece, portanto, pertinente buscar meios de aproximar, da Modelagem Matemática, enquanto perspectiva pedagógica, os professores das disciplinas que utilizam os conceitos da Estatística como ferramenta para o seu desenvolvimento, já que

11 estas lidam com os conceitos estatísticos no contexto das áreas que compõem o curso e oferecem, por isso, oportunidade de contextualização natural dos conceitos estatísticos. Sendo assim, este estudo aponta a necessidade de aprofundamento sobre a Educação Estatística e a Modelagem Matemática, como perspectivas pedagógicas. Isso requer que a formação dos professores que atuam no curso aborde o planejamento de ações que aproximem da Modelagem Matemática os professores das disciplinas de Administração de Cargos e Salários. Dessa forma, visamos à continuidade de investimentos no gerenciamento do curso de Gestão de Recursos Humanos da Universidade Cruzeiro do Sul. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARBOSA, Jonei C. A contextualização e a modelagem na educação matemática do ensino médio. In: ENCONTRO NACIONAL DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA, 8., 2004, Recife. Anais... Recife: SBEM, CD-ROM.. A prática dos alunos no ambiente de modelagem matemática: o esboço de um framework. In: BARBOSA, Jonei Cerqueira; CALDEIRA, Ademir; ARAÚJO, Jussara (Org.). Modelagem matemática na educação matemática brasileira: pesquisas e práticas educacionais. Recife: SBEM, p BASSANEZI, Rodney Carlos. Ensino-aprendizagem com modelagem matemática. 2. ed. São Paulo: Contexto, BATANERO. Carmen; DIAZ, Carmen. El papel de los proyectos en la enseñanza y aprendizaje de la estadística. In: ROYO, J. Patricio (Ed.). Aspectos didácticos de las matemáticas. Zaragoza: ICE, p BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº 436. Cursos Superiores de Tecnologia- de Tecnólogo. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção 1E, p. 67, 6 abr BRASIL. Portaria Ministerial nº 4.500, de 23 de dezembro de Diário Oficial da União, n. 247, Seção I, p. 22, 26 dez BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Procedimentos para o reconhecimento de cursos/habilitações de nível tecnológico da educação profissional. Ensino Superior Legislação Atualizada. Portaria MEC nº64, de 12 de Janeiro de Diário Oficial da União, Brasília, DF, Seção I, 12 jan

12 CAMPOS, Celso R. A educação estatística: uma investigação acerca dos aspectos relevantes à didática da estatística em curso de graduação f. Tese (Doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, JACOBINI, Otávio R. A modelação matemática aplicada no ensino de Estatística em cursos de graduação f. Dissertação (Mestrado em Ensino e Aprendizagem da Matemática e seus Fundamentos Filosófico-Científicos) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, LOPES, Celi E. A probabilidade e a estatística no Ensino Fundamental: uma análise curricular f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de Campinas, Campinas, O conhecimento profissional dos professores e suas relações com estatística e probabilidade na educação infantil f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) - Faculdade de Educação, Universidade de Campinas, Campinas, Literacia estatística e INAF In: FONSECA, Maria da Conceição (Org.). Letramento no Brasil: habilidades matemáticas. São Paulo: Global, p Reflexões teórico-metodológicas para a educação estatística. In: LOPES, Celi Espasandin; CURI, Edda (Org.). Pesquisas em educação matemática: um encontro entre a teoria e a prática. São Carlos: Pedro e João Editores, p MENDONÇA, Luzinete. O. A Educação estatística em um ambiente de modelagem matemática no ensino médio f. Dissertação (Mestrado em Ensino de Ciências e Matemática) Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, O Projeto de investigação estatística: um ambiente de modelagem matemática. In: CIAEM. XIII Conferência Interamericana de Educação Matemática Recife. Anais... Recife: EDUMATEC-UFPE, CD-ROM.

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO DE SANTO ANDRÉ SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: CST em Gestão em Recursos Humanos MISSÃO DO CURSO A missão do Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos da ESTÁCIO EUROPAN consiste em formar

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES NÚCLEO DE EDUCAÇÃO MATEMÁTICA E ENSINO DE FÍSICA E AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Edson Crisostomo dos Santos Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES edsoncrisostomo@yahoo.es

Leia mais

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES

MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES MATRIZES CURRICULARES MUNICIPAIS PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA - MATEMÁTICA: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA EM MOGI DAS CRUZES Marcia Regiane Miranda Secretaria Municipal de Educação de Mogi das Cruzes marcia.sme@pmmc.com.br

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016

EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 EMENTAS - MATRIZ CURRICULAR - 2016 901491 - EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução da teoria organizacional

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança

Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Especialização em Gestão Estratégica de Pessoas e Liderança Apresentação CAMPUS IGUATEMI Inscrições em Breve Turma 02 --> *Alunos matriculados após o início das aulas poderão cursar as disciplinas já realizadas,

Leia mais

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa

Pedagogia. Objetivos deste tema. 3 Sub-temas compõem a aula. Tecnologias da informação e mídias digitais na educação. Prof. Marcos Munhoz da Costa Pedagogia Prof. Marcos Munhoz da Costa Tecnologias da informação e mídias digitais na educação Objetivos deste tema Refletir sobre as mudanças de experiências do corpo com o advento das novas tecnologias;

Leia mais

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO DO CURRICULO ANO 2 - APROFUNDAMENTO ESTRUTURA GERAL DOS ROTEIROS DE ESTUDOS QUINZENAL Os roteiros de estudos, cujo foco está destacado nas palavras chaves, estão organizados em três momentos distintos: 1º MOMENTO - FUNDAMENTOS TEÓRICOS -

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Evolução de Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação; a evolução

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 62-CEPE/UNICENTRO, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Curso de Especialização em Gestão Escolar, modalidade regular, da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O estágio

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, BACHARELADO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA

REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA REFLEXÕES SOBRE A PRÁTICA DE ENSINO EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA A DISTÂNCIA Telma Aparecida de Souza Gracias Faculdade de Tecnologia Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP telmag@ft.unicamp.br

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE SERVIÇO SOCIAL PLANO DE ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO PARA ESTUDANTES DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO O estágio curricular obrigatório é aquele definido

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma

MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias 15ª Turma Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você

Leia mais

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Liderança e Desenvolvimento de Pessoas proporciona ao participante o conhecimento sobre liderança, motivação

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014

FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 1 FATEC EaD TECNOLOGIA EM GESTÃO EMPRESARIAL PROJETO INTERDISCIPLINAR SÃO PAULO 2014 2 Sumário 1. Introdução... 3 2. Finalidade do Projeto Interdisciplinar... 3 3. Disciplinas Contempladas... 4 4. Material

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão. Objetivo Geral. Objetivos Específicos SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Missão A missão do curso é formar profissionais em Ciências Contábeis com elevada competência técnica, crítica, ética e social, capazes de conceber

Leia mais

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II

PROPOSTA PEDAGOGICA CENETEC Educação Profissional. Índice Sistemático. Capitulo I Da apresentação...02. Capitulo II Índice Sistemático Capitulo I Da apresentação...02 Capitulo II Dos objetivos da proposta pedagógica...02 Capitulo III Dos fundamentos da proposta pedagógica...02 Capitulo IV Da sinopse histórica...03 Capitulo

Leia mais

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA SOBRE UM PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA COM MODELAGEM MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Susana Lazzaretti Padilha Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) Campus Cascavel susana.lap@hotmail.com

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADES ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU FUMDES CAMPUS CHAPECÓ

PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADES ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU FUMDES CAMPUS CHAPECÓ GRUPO SANTA RITA INSCRIÇÕES ABERTAS! PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU R e MEC CURSOS AUTORIZADOS s o lu ç ã o C N E /C n ES 1, º. 7 /2 6 / 8 RECURSOS HUMANOS FUMDES Grupo Santa Rita 1º Lugar em

Leia mais

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

FACULDADE ESTÁCIO MONTESSORI DE IBIÚNA ESTÁCIO FMI SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: ADMINISTRAÇÃO - BACHARELADO MISSÃO DO CURSO Formar profissionais de elevado nível de consciência crítica, competência técnica empreendedora, engajamento

Leia mais

Duração: 8 meses Carga Horária: 360 horas. Os cursos de Pós-Graduação estão estruturados de acordo com as exigências da Resolução CNE/CES nº 01/2007.

Duração: 8 meses Carga Horária: 360 horas. Os cursos de Pós-Graduação estão estruturados de acordo com as exigências da Resolução CNE/CES nº 01/2007. Arte em Educação Considerando que a ação educacional é uma prática social mediadora da prática social mais ampla, nossa missão é: Formar o profissional de arte educação contemplando suas três dimensões:

Leia mais

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS

GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Apresentação: Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências de

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

Campus de Franca TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Campus de Franca TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO NÚCLEO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL DA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO TÍTULO I DAS

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Pessoas Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Pessoas tem por objetivo o fornecimento de instrumental que possibilite

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h. Estrutura Curricular do Curso Disciplinas CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA 400h Ética profissional na Educação Fundamentos históricos, conceitos, sociais e legais na Educação Inclusiva Legislação Aplicável na Educação Inclusiva Fundamentos

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: SISTEMAS DA INFORMAÇÃO MISSÃO DO CURSO Os avanços da ciência, a melhoria dos processos produtivos e a abertura de mercado, são exemplos de fatores que contribuíram

Leia mais

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA, Daniela C. F. Barbieri Programa de Pós-Graduação em Educação Núcleo: Formação de professores UNIMEP

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS Projeto: uma nova cultura de aprendizagem ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Projeto: uma nova cultura de aprendizagem. [S.l.: s.n.], jul. 1999. A prática pedagógica

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

Gestão Por Competências nas IFES

Gestão Por Competências nas IFES Goiânia 22 de Novembro de 2012 Gestão Por Competências nas IFES Anielson Barbosa da Silva anielson@uol.com.br A G E N D A 1 Desafios da Gestão de Pessoas nas IFES. 2 3 Bases Legais da Gestão de Pessoas

Leia mais

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com

Justificativa: Cláudia Queiroz Miranda (SEEDF 1 ) webclaudia33@gmail.com Raimunda de Oliveira (SEEDF) deoliveirarai@hotmail.com 1 COMO COLOCAR AS TEORIAS ESTUDADAS NA FORMAÇÃO DO PNAIC EM PRÁTICA NA SALA DE AULA? REFLEXÕES DE PROFESSORES ALFABETIZADORES SOBRE O TRABALHO COM O SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Cláudia Queiroz Miranda

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. Matriz 23

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO. Matriz 23 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA Matriz 23 Junho de 2013 1 MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO DO CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS

FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS 1 FATORES PARA A INCLUSÃO NO MERCADO DE TRABALHO: EDUCAÇÃO, CIDADANIA E DESENVOLVIMENTO DAS QUALIDADES PESSOAIS MAURICIO SEBASTIÃO DE BARROS 1 RESUMO Este artigo tem como objetivo apresentar as atuais

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS TELÊMACO BORBA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA Telêmaco Borba,

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 350-GR/UNICENTRO, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2013. Aprova, ad referendum do CEPE, o Curso de Especialização em MBA em Gestão Estratégica de Organizações, modalidade regular, a ser ministrado no

Leia mais

PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRÓ-MATATEMÁTICA NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Regina Luzia Corio de Buriasco * UEL reginaburiasco@sercomtel.com.br Magna Natália Marin Pires* UEL magna@onda.com.br Márcia Cristina de Costa Trindade Cyrino*

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018 CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MADEIREIRA 1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA UNIDADE 2014/2018 APRESENTAÇÃO O Curso de Engenharia Industrial Madeireira da UFPR foi criado

Leia mais

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO

TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO TÍTULO: A DIMENSÃO TÉCNICO-OPERATIVO DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL: RELEITURA DOS INSTRUMENTOS E TÉCNICAS UTILIZADOS NA PROFISSÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: SERVIÇO

Leia mais

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular

PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular PRÁTICA PROFISSIONAL INTEGRADA: Uma estratégia de integração curricular Daiele Zuquetto Rosa 1 Resumo: O presente trabalho objetiva socializar uma das estratégias de integração curricular em aplicação

Leia mais

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA

O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA O PERCURSO FORMATIVO DOS DOCENTES QUE ATUAM NO 1º. CICLO DE FORMAÇÃO HUMANA Profª. Ms. Marilce da Costa Campos Rodrigues - Grupo de estudos e pesquisas em Política e Formação Docente: ensino fundamental

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 42-CEPE/UNICENTRO, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012. Aprova o Curso de Especialização MBA em Gestão Estratégica de Organizações, modalidade regular, a ser ministrado no Campus Santa Cruz, da UNICENTRO.

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO

PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO PROGRAMA DE PESQUISA - REDE DOCTUM DE ENSINO O Programa de Pesquisa da Rede Doctum de Ensino parte de três princípios básicos e extremamente importantes para o processo de Pesquisa: 1. O princípio de INDISSOCIABILIDADE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS

GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL EMENTAS CULTURA RELIGIOSA O fenômeno religioso, sua importância e implicações na formação do ser humano, da cultura e da sociedade. As principais religiões universais: história

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JOINVILLE PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Fase Cód. Disciplina I Matriz Curricular vigente a partir de 2012/1 Prérequisito s Carga Horária

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

CURSO: Matemática. Missão

CURSO: Matemática. Missão CURSO: Matemática Missão O Curso de Licenciatura em Matemática tem por missão a formação de docentes com um novo perfil fundamentado na conexão de dois eixos, pedagógico e matemático, permeado pelos recursos

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a:

Objetivos Específicos Os objetivos específicos demostram que ao final do curso os alunos deverão estar aptos a: CURSO: Graduação em Marketing ( graduação) Missão O Curso de Graduação em Marketing tem como missão formar profissionais com capacidade de criar, planejar, executar e controlar processos de marketing que

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo para

Leia mais

Educación Estocástica La enseñanza y aprendizaje de la probabilidad y la estadística

Educación Estocástica La enseñanza y aprendizaje de la probabilidad y la estadística PROYECTOS DE APRENDIZAJE EN LA ENSEÑANZA DE LA ESTADÍSTICA Mauren Porciúncula y Suzi Pinto Universidade Federal do Rio Grande (Brasil) mauren@furg.br, suzisama@furg.br Para que el aprendizaje ocurra, es

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores NÚCLEO AVANÇADO DE PÓS-GRADUAÇÃO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Desenvolvimento Humano de Gestores De acordo com a Resolução n o 1 de 08/06/2007 da CES do CNE do MEC Coordenação

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 119-COU/UNICENTRO, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013. ALTERADA A NOMENCLATURA DESSE CURSO PARA LICENCIATURA EM PSICOLOGIA COMPLEMENTAÇÃO, CONFORME RESOLUÇÃO Nº 182/2014-GR/UNICENTRO. Aprova o Projeto

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores OFICINA DE ESTUDOS: O PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO DO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DA FAAC

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA:2013 EMENTA OBJETIVOS EIXO TECNOLÓGICO:Ensino Superior Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Física FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( x ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo

Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Educação ambiental crítica e a formação de professores de pedagogia em uma faculdade municipal no interior do estado de São Paulo Eliane Aparecida Toledo Pinto Docente da Faculdade Municipal de Filosofia,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO

UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE UNIPLAC PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, EXTENSÃO E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO E APOIO COMUNITÁRIO Projeto do Curso de Extensão ORGANIZAÇÃO CURRICULAR NA EDUCAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO

MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO CARO ALUNO, Seja Bem-Vindo às Escolas e Faculdades QI! Desejamos a você uma excelente jornada de estudos e evolução, tanto no campo profissional, como pessoal. Recomendamos

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Gilvan Charles Cerqueira de Araújo 1 INTRODUÇÃO Este

Leia mais

MBA Executivo Internacional

MBA Executivo Internacional MBA Executivo Internacional Informações* Dias e horários das aulas: Quinzenalmente. Sextas e sábados. Das 08h30 às 17h30. Carga horária: 612 Horas *As informações podem sofrer alterações sem aviso prévio.

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM

GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM GERENCIANDO UMA MICROEMPRESA COM O AUXÍLIO DA MATEMÁTICA E DO EXCEL: UM CONTEXTO DE MODELAGEM Fernanda Maura M. da Silva Lopes 1 Lorena Luquini de Barros Abreu 2 1 Universidade Salgado de Oliveira/ Juiz

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Público - alvo O MBA em Marketing Estratégico é indicado para profissionais com experiência profissional mínima de três anos, com formação universitária em qualquer área e

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às

CURSO: ENFERMAGEM. Objetivos Específicos 1- Estudar a evolução histórica do cuidado e a inserção da Enfermagem quanto às CURSO: ENFERMAGEM Missão Formar para atuar em Enfermeiros qualificados todos os níveis de complexidade da assistência ao ser humano em sua integralidade, no contexto do Sistema Único de Saúde e do sistema

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais