Lições Aprendidas em Gestão de Projetos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lições Aprendidas em Gestão de Projetos"

Transcrição

1 Lições Aprendidas em Gestão de Projetos 27/03/2013

2 Gestão de Projetos Um processo estruturado de Gestão de Projetos demanda uma estreita relação entre Pessoas & Recursos, Atividades e os Resultados (Produtos & Serviços) deles provenientes. Atividades Pessoas & Recursos Produtos & Serviços

3 Gestão de Projetos Pessoas & Recursos Gestão de Projetos Atividades Produtos & Serviços

4 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos x Atividades O registro dos resultados não garante o aprendizado Produtos & Serviços

5 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos x O registro do andamento do projeto não garante o aprendizado O registro dos resultados não garante o aprendizado Atividades Produtos & Serviços

6 Processo de Lições Aprendidas em Projetos x O registro dos participantes não garante o aprendizado O registro do andamento do projeto não garante o aprendizado O registro dos resultados não garante o aprendizado Atividades Pessoas & Recursos Produtos & Serviços

7 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Objetivo: Estruturar processo de registro, disseminação e compartilhamento de oportunidades e, melhorias as iniciativas, programas de treinamento e capacitação. Produtos / Resultados: Relatório e registros de Lições Aprendidas; Incorporação de processo de melhoria aos programas de treinamento e capacitação; Adoção e gestão de métricas dos programas de capacitação Não Exaustivo Indicadores: Registros de Lições Aprendidas N de alterações junto aos programas de capacitação Avaliação dos programas

8 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Lições Aprendidas deve ser um processo estruturado, com Pessoas & Recursos metas e objetivos claros e definidos, Atividades potencializado a retroalimentação E o aprendizado em qualquer Produtos & Serviços etapa do projeto

9 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços

10 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Lições Aprendidas

11 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Lições Aprendidas

12 Análise de Redes Sociais Principais Nós 43 Nós 612 Conexões O tamanho do nó corresponde ao índice sociométrico. Este é o mapa com todos as 43 e pessoas para ilustrar a densidade da rede.

13 Análise de Redes Sociais 33 Nós % Conexões Este é o mapa com 33 (43 iniciais menos 10 maiores destaques) para ilustrar a densidade da rede. O impacto é de queda de 65% no número de conexões.

14 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Lições Aprendidas

15 Classificar Conhecimentos Atribuição Básica Demanda Atual Demanda Futura

16 Mapear Conhecimentos Ciente Generalista Especialista Áreas de Conhecimento profissional com conhecimento básico sobre o assunto. profissional com dominio parcial sobre o assunto, com parciais condições de discutir e aplicar. profissional com total domínio teórico e prático sobre o assunto. Básico Crítico Estratégico

17 Identificar Gaps & Concentração Ciente Generalista Especialista Áreas de Conhecimento profissional com conhecimento básico sobre o assunto. profissional com dominio parcial sobre o assunto, com parciais condições de discutir e aplicar. profissional com total domínio teórico e prático sobre o assunto. Básico Crítico Estratégico Concentração ou Ausência de Especialistas demanda ações de curto, médio e longo prazo

18 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Estruturar Taxonomia Lições Aprendidas

19 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Estruturar Taxonomia Comunidades de Prática Lições Aprendidas

20 Comunidades de Práticas de Projeto Objetivo: Potencializar o compartilhamento de conhecimentos adquiridos e desenvolvidos ao longo dos processos da empresa e programas de treinamento. Produtos / Resultados: Relatório com registro das discussões realizadas durante encontros; Identificação de pontos críticos, oportunidades e demandas potenciais; Plano de Ação de Oportunidades e Melhorias. Indicadores: Número de assuntos discutidos; Número de encontros; José Renato S. Santiago Número de participantes Não Exaustivo

21 Comunidades de Práticas de Projeto Estruturação de processo de Comunidades de Prática Adoção de Modelos para registro Definição e Gestão de Indicadores Etapas da Comunidade de Prática 1 Escolha do tema / assunto da Comunidade 2 Escolha do Gestor da Comunidade 3 Realização da Comunidade de Prática 4 Registro e Compartilhamento Procedimento da Comunidade de Prática

22

23

24

25

26 Programa de Milhagem Objetivo: Desenvolver uma série de atividades que permita incrementar a troca de experiências e conhecimentos bem como a maior integração entre os colaboradores. Produtos / Resultados: Indicadores: Relatórios, documentos e vídeos sobre apresentações e encontros desenvolvidos. Aumento da participação dos colaboradores junto aos processos de compartilhamento. Identificação de oportunidades, melhorias e lições aprendidas. Número de Colaboradores participantes Número de Assuntos José Renato discutidos S. Santiago Não Exaustivo Número de Registros

27 Bate Papo de Compartilhamento Objetivo: Permitir a troca de experiências, sugestões, esclarecimentos e de pontos de vista sobre estudos, tecnologias e projetos em desenvolvimento. Produtos / Resultados: Indicadores: Relatório com registro das discussões realizadas durante encontros e identificação de pontos críticos, oportunidades e demandas potenciais. Plano de Ação de Oportunidades e Melhorias Número de Assuntos / Tecnologia de acordo com os Projetos existentes. José Renato Número S. de Santiago Encontros Não Exaustivo Número de Participantes

28 Blog Objetivo: Ser meio oficial para troca de informações, que permita estreitar relações entre os colaboradores e potencializar o compartilhamento entre eles. Produtos / Resultados: Indicadores: Melhoria no processo de comunicação junto aos colaboradores Maior participação rapidez na disseminação de informações Aumento das interações entre os colaboradores Número de Usuários Número de Acessos Número de Posts José Renato S. Santiago Não Exaustivo

29 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Estruturar Taxonomia Comunidades de Prática Lições Aprendidas

30 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Comunidades de Prática Estruturar Taxonomia Gestão de Indicadores Lições Aprendidas

31 Gestão de Indicadores Estruturação de Indicadores que associem Processos, Programas de Capacitação e Produtos & Serviços; Adoção de processo de Gestão de Indicadores; Elaboração de iniciativas para discussão dos indicadores e alinhamento aos programas de capacitação;

32 Processo de Lições Aprendidas em Projetos Pessoas & Recursos Atividades Produtos & Serviços Análise de Redes Sociais Mapear Conhecimentos Identificar Conhecimentos Classificar Conhecimentos Identificar Gaps & Concentração Comunidades de Prática Estruturar Taxonomia Gestão de Indicadores Lições Aprendidas

33 Lições Aprendidas em Gestão de Projetos 27/03/2013

34 Metodologia de Análise de Risco A metodologia é composta por 4 etapas / fases: 1. Definição dos Domínios 2. Identificação de Riscos 3. Definição do Tratamento dos Riscos 4. Gestão dos Riscos José Renato S. Santiago

35 Etapa 1: Definição dos Domínios Objetivo: Identificar as características e atributos que comporão o escopo da análise de risco a ser desenvolvida de acordo com os requisitos e condições do projeto a ser gerenciado. Macro Atividades: Entendimento das características do projeto Identificação dos atributos Definição dos domínios e escopo da análise José Renato S. Santiago

36 Etapa 1: Definição dos Domínios Alguns Domínios... Cliente Contrato com o Cliente Administrativo/Gerencial Econômicos e Financeiros Meio Ambiente Engenharia Procurement Construção Parceiros...

37 Etapa 2: Identificação de Riscos Objetivo: Analisar os atributos passíveis de potencializar o surgimento de riscos que possam criar barreiras e dificuldades no atendimento dos objetivos e metas definidas para o projeto. Macro Atividades: Mapeamento dos profissionais Análise dos atributos Identificação dos riscos potenciais Qualificação preliminar dos riscos José Renato S. Santiago

38 Etapa 2: Identificação de Riscos Entendimento do Risco: Analisar e explicitar o entendimento sobre os riscos potenciais associados para cada um dos domínios identificados para a análise de risco.

39 Etapa 3: Tratamento dos Riscos Objetivo: Definir o tratamento a ser adotado para cada um dos riscos potenciais identificados com a devida sinalização das ações e responsabilidades a serem atribuídas. Macro Atividades: Identificação o tratamento ao risco Fundamentação da análise Sinalização da ação a ser desenvolvida Atribuição da responsabilidade José Renato S. Santiago

40 Etapa 3: Tratamento dos Riscos Definição do Tratamento dos Riscos: Impedimento: risco que impede o projeto Transferência: risco passível de transferência Mitigação: risco que pode ser gerido Aceitação: risco a ser assumido

41 Etapa 3: Tratamento dos Riscos Qualificar, quantificar e definir contingência de acordo com o tipo de tratamento definido e conforme a probabilidade potencial de sua ocorrência

42 Etapa 4: Gestão dos Riscos Objetivo: Estruturar plano de ações para gerenciamento e monitoramento dos riscos, a partir da definição e gestão de indicadores e desenvolvimento de atividades conforme tipo de tratamento definido. Macro Atividades: Atribuição de responsabilidade pela gestão Estruturação de plano de ações Definição e gestão de indicadores José Renato S. Santiago

43 Etapa 4: Gestão dos Riscos Acompanhamento e gerenciamento do nível de risco do projeto

44 Etapa 4: Gestão dos Riscos Plano de Monitoramento Definição das ações a serem desenvolvidas conforme recursos dimensionados para o tratamento do risco e de acordo com indicadores de performance que suportem o acompanhamento de cada uma das atividades.

Gestão do Conhecimento em Processos e Programas de Capacitação & Treinamento

Gestão do Conhecimento em Processos e Programas de Capacitação & Treinamento Gestão do Conhecimento em e Programas de Capacitação & Treinamento Março de 2013 Escopo de Atuação Identificar, estruturar e implantar ações e iniciativas voltadas a potencializar o melhor uso e aplicação

Leia mais

Estruturando Processo de Gestão de Projeto. José Renato Santiago

Estruturando Processo de Gestão de Projeto. José Renato Santiago Estruturando Processo de Gestão de Projeto Metodologia de Gestão de Projetos Objetivo: O objetivo deste documento é apresentar ações e iniciativas voltadas para a implantação de metodologia de Gestão de

Leia mais

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL Versão 2.0 Setembro de 2014 Agosto de 2008 Índice ÍNDICE...2 1. CONTEXTO...3 2. VISÃO, ESCOPO E ATIVIDADES DESTE PROJETO...5

Leia mais

A GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FERROVIA Cristiane Budziak

A GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FERROVIA Cristiane Budziak A GESTÃO DO CONHECIMENTO NA FERROVIA Cristiane Budziak AGENDA 1. Introdução 2. Problema 3. Objetivos 4. Fundamentação Teórica 5. Metodologia e Plano de Trabalho 6. Resultados 7. Considerações finais 1.

Leia mais

Gestão Estratégica de RH. José Renato S. Santiago Jr.

Gestão Estratégica de RH. José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura Organizacional

Leia mais

www.jrsantiago.com.br

www.jrsantiago.com.br www.jrsantiago.com.br Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Santiago Cenário Corporativo Muitas empresas gastam parte significativa de seu tempo no planejamento e desenvolvimento de atividades,

Leia mais

Lições Aprendidas em Gestão de Projetos. José Renato Santiago

Lições Aprendidas em Gestão de Projetos. José Renato Santiago Lições Aprendidas em Gestão de Projetos José Renato Santiago Setembro 2013 Gestão de Projetos Todo processo estruturado demanda estreita relação entre Pessoas & Recursos, Atividades e os Resultados (Produtos

Leia mais

Projeto Empreendedores Cívicos

Projeto Empreendedores Cívicos Projeto Empreendedores Cívicos I. Conceito Empreendedores Cívicos são agentes de inovação social que fomentam e promovem transformações positivas em benefício da coletividade rumo a um Brasil Sustentável.

Leia mais

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL

ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL ESTATUTO DAS COMUNIDADES DE PRÁTICA - COPs NO PODER EXECUTIVO ESTADUAL RESOLUÇÃO SEPLAG no. xx/xxxx Disciplina o funcionamento das Comunidades de Prática CoPs no âmbito do Poder Executivo Estadual, vinculadas

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares Fóruns / Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias e experiências que

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES

CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI ANALISTA DE GESTÃO RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES CELG DISTRIBUIÇÃO S.A EDITAL N. 1/2014 CONCURSO PÚBLICO ANALISTA DE GESTÃO ANALISTA DE SISTEMA ÊNFASE GOVERNANÇA DE TI RESPOSTAS ESPERADAS PRELIMINARES O Centro de Seleção da Universidade Federal de Goiás

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Projetos

Manual de Gerenciamento de Projetos TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA ESCRITÓRIO DE PROJETOS ESTRATÉGICOS (EPE) Manual de Gerenciamento de Projetos SISTEMA DE GESTÃO ESTRATÉGICA Anexo da Portaria

Leia mais

Case de Implementação SAP GRC 10 Risk Management e Process Control

Case de Implementação SAP GRC 10 Risk Management e Process Control Case de Implementação SAP GRC 10 Risk Management e Process Control Agenda 1. Sobre a Cemig 2. Objetivos da Cemig com o Projeto 3. Visão Geral da Metodologia de Gestão de Riscos Cemig 4. Visão Geral da

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS

TRANSQUALIT GERENCIAMENTO DE RISCOS TRANSQUALIT Transqualit GRIS GERENCIAMENTO DE RISCOS INTRODUÇÃO Organizações de todos os tipos estão cada vez mais preocupadas em atingir e demonstrar um desempenho em termos de gerenciamento dos riscos

Leia mais

Gestão do Conhecimento. Ana Cláudia Freire Gerente de Gestão do Conhecimento

Gestão do Conhecimento. Ana Cláudia Freire Gerente de Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento Ana Cláudia Freire Gerente de Gestão do Conhecimento Objetivos da Apresentação Analisar as interfaces críticas da CVRD/Cadeia de Valor e a relação com KM; Apresentar os capitais

Leia mais

{Indicar o tema e objetivo estratégico aos quais o projeto contribuirá diretamente para o alcance.}

{Indicar o tema e objetivo estratégico aos quais o projeto contribuirá diretamente para o alcance.} {Importante: não se esqueça de apagar todas as instruções de preenchimento (em azul e entre parênteses) após a construção do plano.} {O tem por finalidade reunir todas as informações necessárias à execução

Leia mais

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013 CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS Junho 2013 PROPÓSITO Aqui apresentamos o caminho para as empresas adotarem uma estratégia em adaptação às mudanças climáticas,

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

Os 10 Mandamentos da Gestão do Conhecimento

Os 10 Mandamentos da Gestão do Conhecimento 1 Os 10 Mandamentos da Gestão do Conhecimento Gestão do Conhecimento é o tipo de tema que apaixona. Isso mesmo. Muitos se apaixonam, mas poucos casam. Só que deveriam. Parte da culpa desse estigma está

Leia mais

Guia de Projetos de Software com Práticas de Métodos Ágeis para o SISP

Guia de Projetos de Software com Práticas de Métodos Ágeis para o SISP CAPA MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação SLTI COR CLARA NO FUNDO Facilita a leitura e não aparece na impressão em preto e branco Guia de Projetos de Software com

Leia mais

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial

Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Seção 2: Atenção ao Paciente Subseções: Gestão do Acesso, Internação, Atendimento em Emergência e Atendimento Ambulatorial Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Requisitos necessários a todos as subseções

Leia mais

Estratégias para a implantação do T&V

Estratégias para a implantação do T&V 64 Embrapa Soja, Documentos, 288 Estratégias para a implantação do T&V Lineu Alberto Domit 1 A estratégia de ação proposta está baseada na experiência acumulada na implantação do sistema T&V no estado

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO

GESTÃO DO CONHECIMENTO GESTÃO DO CONHECIMENTO Mapeamento de Processos 210022170 FELIPE CORREIA DA COSTA 210021247 RAFAEL MARTINELLI MOURA 210021149 ROGÉRIO PEREIRA DE CAMARGO Julho / 2012 A EMPRESA Jovem, porém Sólida Atuação

Leia mais

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation.

Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. Project and Portfolio Management [PPM] Sustainable value creation. O SoftExpert PPM Suite é a solução mais robusta, funcional e fácil para priorizar, planejar, gerenciar e executar projetos, portfólios

Leia mais

Metodologia de Gestão da Qualidade (Quality Assurance) de implementação de projetos ERP. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios

Metodologia de Gestão da Qualidade (Quality Assurance) de implementação de projetos ERP. Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Metodologia de Gestão da Qualidade (Quality Assurance) de implementação de projetos ERP Soluções em Gestão e TI que adicionam valor aos negócios Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Consultoria: Alta Performance em Vendas

Consultoria: Alta Performance em Vendas MPRADO COOPERATIVAS Consultoria: Alta Performance em Vendas Apresentação: MPrado Consultoria Empresarial Uma das maiores consultorias em Agronegócio do Brasil; 15 anos de mercado; 70 Consultores em Gestão

Leia mais

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS

ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS PMO PROJETOS PROCESSOS MELHORIA CONTÍNUA PMI SCRUM COBIT ITIL LEAN SIX SIGMA BSC ESCRITÓRIO RIO DE PROJETOS DESAFIOS CULTURAIS PARA IMPLANTAÇÃO DANIEL AQUERE DE OLIVEIRA, PMP, MBA daniel.aquere@pmpartner.com.br

Leia mais

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de Aula 02 1 2 O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de alcançar melhor desempenho, melhores resultados

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações

I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações I Seminário sobre Segurança da Informação e Comunicações GABINETE DE SEGURANÇA INSTITUCIONAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA (GSI/PR) OBJETIVO Identificar a Metodologia de Gestão de SIC na APF AGENDA Gestão

Leia mais

Sobre a Prime Control

Sobre a Prime Control Sobre a Prime Control A Prime Control é uma empresa focada e especializada em serviços de qualidade e testes de software. Somos capacitados para garantir, através de sofisticadas técnicas, a qualidade

Leia mais

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos

Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Curso de caráter teórico e prático, voltado para profissionais que buscam implantar uma unidade central de apoio à gestão por processos Semana de Estruturação do Escritório de Processos Objetivo do Curso

Leia mais

A Prática da Gestão do Conhecimento em uma Empresa Brasileira

A Prática da Gestão do Conhecimento em uma Empresa Brasileira A Prática da Gestão do Conhecimento em uma Empresa Brasileira José Renato S. Santiago Junior Cenário Atual As empresas gastam parte significativa de seu tempo no planejamento e desenvolvimento de atividades,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

GUIA PRÁTICO PARA UM GERENCIAMENTO EFETIVO DE STAKEHOLDERS

GUIA PRÁTICO PARA UM GERENCIAMENTO EFETIVO DE STAKEHOLDERS 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 SOBRE A ÁREA DE CONHECIMENTO... 5 Mas afinal quem são os stakeholders do meu projeto?... 8 OS PROCESSOS DE GERENCIAMENTO DAS PARTES INTERESSADAS... 10 Grupo envolvido... 11 Afetados...

Leia mais

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares

Universidade de Brasília. Departamento de Ciência da Informação e Documentação. Prof a.:lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Prof a.:lillian Alvares Fóruns óu s/ Listas de discussão Espaços para discutir, homogeneizar e compartilhar informações, idéias

Leia mais

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Estratégico Previsão do Negócio Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Mercados e demandas de longo prazo. Competidores. Fatores econômicos,

Leia mais

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o

P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o P l a n o d e G e r e n c i a m e n t o d e R i s c o s d o P r o j e t o I d e n t i f i c a ç ã o Projeto Implantação de Sistema GED Solicitante BB S.A Patrocinador do Projeto Jurandir Toblib Presidente

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 13ª REGIÃO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA HÓRUS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS

TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 13ª REGIÃO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA HÓRUS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 13ª REGIÃO PROJETO IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA HÓRUS PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Cód. Severidade Descrição do risco Probabilidade Impacto Categoria Ação Descrição da ação

Leia mais

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com Quem somos? A BEATRIZ DEHTEAR KM apresenta a seus clientes uma proposta totalmente inovadora para implementar a Gestão do Conhecimento Organizacional. Nosso objetivo

Leia mais

Métricas de Software. Sistemas de Informação

Métricas de Software. Sistemas de Informação Métricas de Software Sistemas de Informação Objetivos Entender porque medição é importante para avaliação e garantia da qualidade de software Entender as abordagens principais de métricas e como elas são

Leia mais

Inovação, Conhecimento & Sustentabilidade

Inovação, Conhecimento & Sustentabilidade Inovação, Conhecimento & Sustentabilidade José Renato S. Santiago Júnior Para Pensar a Respeito... A Inovação tem se tornado um dos principais fatores de geração de riqueza e valor das organizações; Atualmente

Leia mais

O que é e como encontrar uma oportunidade?

O que é e como encontrar uma oportunidade? CRIAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc O que é e como encontrar uma oportunidade? CRIAÇÃO DE NOVOS NEGÓCIOS É mais fácil perceber uma carência ou uma necessidade do que uma oportunidade.

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS. Finanças COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS Finanças DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares

Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Universidade de Brasília Departamento de Ciência da Informação e Documentação Profa.:Lillian Alvares Comunidades de Prática Grupos informais e interdisciplinares de pessoas unidas em torno de um interesse

Leia mais

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos

Oficina 1: CUSTOS. Ocorrência Desafio Ocorrências Lições Aprendidas Melhorias Considerações SGE. Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Oficina : CUSTOS 2 Orçamento sem financeiro (Cronograma X Desembolso) Comunicação quanto ao Risco de não execução do projeto Procurar parceiros que dividam ou arquem com custos Negociação com SPOA/Secr.

Leia mais

Levantamento sobre Métodos Ágeis

Levantamento sobre Métodos Ágeis 1º Seminário de Metodologia Ágil do SISP Levantamento sobre Métodos Ágeis Carlos Alberto Mamede Hernandes, MSc, CISA, CGEIT Tribunal de Contas da União - TCU Secretaria de Fiscalização de TI - Sefti Brasília,

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo de Maturidade Prado-MMGP Versão 2.0.0 Janeiro 2014 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 3ª Edição (a publicar)

Leia mais

SAP Day Online Especial Coca-Cola. Agosto, 2012

SAP Day Online Especial Coca-Cola. Agosto, 2012 SAP Day Online Especial Coca-Cola Agosto, 2012 SAP & Coca-Cola Estratégia de educação e aprendizagem corporativa Daniel Leite e Rafaela Reis Educação A continuidade do desenvolvimento do aprendizado é

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI

Estratégias em Tecnologia da Informação. Planejamento Estratégico Planejamento de TI Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 7 Planejamento Estratégico Planejamento de TI Material de apoio 2 Esclarecimentos Esse material é de apoio para as aulas da disciplina e não substitui a

Leia mais

O SERPRO E A GESTÃO DO CONHECIMENTO: UMA LIÇÃO A SER APRENDIDA VIVIANNE VERAS SERPRO JUNHO 2013

O SERPRO E A GESTÃO DO CONHECIMENTO: UMA LIÇÃO A SER APRENDIDA VIVIANNE VERAS SERPRO JUNHO 2013 VIVIANNE VERAS SERPRO JUNHO 2013 O SERPRO MELHORES PRÁTICAS LIÇÕES APRENDIDAS PRÓXIMOS PASSOS... O SERPRO ORGANOGRAMA A EMPRESA ESTRUTURA LINHAS DE NEGÓCIO CLIENTES E SERVIÇOS -Política de Propriedade

Leia mais

Ambiente de workflow para controle de métricas no processo de desenvolvimento de software

Ambiente de workflow para controle de métricas no processo de desenvolvimento de software Ambiente de workflow para controle de métricas no processo de desenvolvimento de software Gustavo Zanini Kantorski, Marcelo Lopes Kroth Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) 97100-000 Santa Maria

Leia mais

EJRos Brasil Workshop 2014 Todos os Direitos Reservados. Everton J. De Ros

EJRos Brasil Workshop 2014 Todos os Direitos Reservados. Everton J. De Ros Everton J. De Ros A ISO 9001 Revisão 2015 Cronograma Publicação Prevista em setembro de 2015 Jun 2012 Nov 2012 Jun 2013 Jan 2014 Set 2014 Jan 2015 Set2015 Minuta Design Spec & WD Design Spec & WD1 aprovada

Leia mais

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO

TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO TEMPLATES DE REFERÊNCIA PARA PLANEJAMENTO DE PROJETOS DE INVESTIMENTO Estratégia & Desempenho Empresarial Gerência de Análise e Acompanhamento de Projetos de Investimento Março 2010 SUMÁRIO 1. Introdução...

Leia mais

Programa de Gestão do Conhecimento: O conhecimento em nossas mãos.

Programa de Gestão do Conhecimento: O conhecimento em nossas mãos. Programa de Gestão do Conhecimento: O conhecimento em nossas mãos. Natal, 2014 2 Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte Gerência de Desenvolvimento Humano Unidade de Administração e Desenvolvimento

Leia mais

Projeto 6 Capacitação para a Inovação

Projeto 6 Capacitação para a Inovação Projeto de Inovação Tecnológica - (PIT) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção Projeto 6 Capacitação para a Inovação Vicente Mattos SINDUSCON-BA Equipe Técnica Coordenador Geral: Vicente Mário

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

Como Selecionar Projetos Seis Sigma

Como Selecionar Projetos Seis Sigma Como Selecionar Projetos Seis Sigma Cristina Werkema Etapas do processo de seleção A definição dos projetos a serem desenvolvidos pelos Black Belts e Green Belts é uma das atividades mais importantes do

Leia mais

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper

Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper Gestão de Contextos Visão Calandra Soluções sobre Gestão da Informação em Contextos White Paper ÍNDICE ÍNDICE...2 RESUMO EXECUTIVO...3 O PROBLEMA...4 ILHAS DE INFORMAÇÃO...4 ESTRUTURA FRAGMENTADA VS. ESTRUTURA

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul

Planejamento Estratégico de TIC. da Justiça Militar do Estado. do Rio Grande do Sul Planejamento Estratégico de TIC da Justiça Militar do Estado do Rio Grande do Sul MAPA ESTRATÉGICO DE TIC DA JUSTIÇA MILITAR DO ESTADO (RS) MISSÃO: Gerar, manter e atualizar soluções tecnológicas eficazes,

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Prof a Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Prof a Lillian Alvares Fóruns Comunidades de Prática Mapeamento do Conhecimento Portal Intranet Extranet Banco de Competências Memória Organizacional

Leia mais

Crise na fase de execução de Projetos de engenharia

Crise na fase de execução de Projetos de engenharia 1 Dário Denis Braga Vital vitaldario@ig.com.br MBA em Gerenciamento de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pós-Graduação - IPOG Manaus, AM, 10, junho de 2014 Resumo Este artigo é sobre gerenciamento

Leia mais

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT

Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Gestão de Sistemas de Informação II Introdução ao COBIT Professor Samuel Graeff prof.samuel@uniuv.edu.br COBIT O que e? COBIT significa Control Objectives for Information and related Technology - Objetivos

Leia mais

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br

EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA. www.executivebc.com.br. 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br EXECUTIVE GESTÃO ESTRATÉGICA www.executivebc.com.br 071 3341-4243 cursos@executivebc.com.br GESTÃO ESTRATÉGICA O presente documento apresenta o modelo de implantação do sistema de gestão estratégica da

Leia mais

Consultoria em RH ENCANTAR COM OPORTUNIDADES DE REALIZAR SONHOS CONTECTANDO GLOBALMENTE TALENTOS IDEAIS COM ORGANIZAÇÕES

Consultoria em RH ENCANTAR COM OPORTUNIDADES DE REALIZAR SONHOS CONTECTANDO GLOBALMENTE TALENTOS IDEAIS COM ORGANIZAÇÕES Consultoria em RH ENCANTAR COM OPORTUNIDADES DE REALIZAR SONHOS CONTECTANDO GLOBALMENTE TALENTOS IDEAIS COM ORGANIZAÇÕES A EMPRESA LOUPE CONSULTORIA EM RH ESPECIALIZADA EM GESTÃO DE PESSOAS A Loupe Consultoria

Leia mais

Implantando Comunidadesde Prática

Implantando Comunidadesde Prática Implantando Comunidadesde Prática SUCESU 11 de Novembrode 2008 Cristiano Rocha, Milestone O mundomudou 80 s 2008 80 s 2008 O quedefine, hoje, a riquezadas organizações? surge uma economia baseada no conhecimento

Leia mais

Gestão da Mudança na Implantação de um Escritório de Processos

Gestão da Mudança na Implantação de um Escritório de Processos de um Escritório de Processos - Os principais pontos de atenção, seus sintomas e as medidas que o Gestor do Escritório de Processos deve adotar durante a sua implantação - Introdução...2 A Importancia

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

Módulo V. Conhecimento

Módulo V. Conhecimento Módulo V Conhecimento "Não confunda jamais conhecimento com sabedoria. Um o ajuda a ganhar a vida; o outro a construir uma vida. Sandra Carey MÓDULO 5 CONHECIMENTO 5.1 Gestão do Conhecimento A Gestão do

Leia mais

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação

ITIL na Prática. Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação ITIL na Prática Quais são os fatores críticos de sucesso para obter valor a partir de um Service Desk? Conhecimento em Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2014

Questionário de Governança de TI 2014 Questionário de Governança de TI 2014 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Kézia Filgueira da Silva

Kézia Filgueira da Silva CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde O RH COM VOCÊ: JUNTOS NA MELHORIA DA SEGURANÇA, QUALIDADE DE VIDA E VALORIZAÇÃO DO TRABALHADOR DO SUS CUIDANDO DE

Leia mais

Planejamento Estratégico Projeto 18 Gestão por Competências

Planejamento Estratégico Projeto 18 Gestão por Competências Projeto 18 Gestão por Competências Brasília, 10 de agosto de 2011. Equipe do Projeto Carla Leivas Ferro Costa Craveiro GRH/SAF Alexandre Hertz - SNM/GDM Camila Romero Monteiro da Silva - GED/SPO Daniel

Leia mais

+100 organizações 1ª edição

+100 organizações 1ª edição Objetivo Fortalecer a gestão sustentável e a incorporação da RSE em suas estratégias de negócios com fornecedores e clientes, tornando-os parceiros na construção de uma nova forma de fazer negócio e desenvolvimento

Leia mais

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09

A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa. Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 A Integração de Remuneração, Reconhecimento e Recompensa Luiz Edmundo Rosa São Paulo, 26.03.09 AGENDA 1. Posicionando a Remuneração e Reconhecimento 2. Tendências e impactos na Gestão 3. Melhores Práticas:

Leia mais

Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos

Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos 1 Um Modelo de Mensuração da Contribuição da Gestão do Conhecimento em Projetos José Renato Sátiro Santiago Junior 1. Introdução A estruturação de processos voltados para a medição e monitoramentos das

Leia mais

Nome da Empresa. Plano de Desenvolvimento de Software. Versão <1.0>

Nome da Empresa. <Nome do Projeto> Plano de Desenvolvimento de Software. Versão <1.0> Nome da Empresa Plano de Desenvolvimento de Software Versão Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 2/7 Índice Analítico 1. Objetivo

Leia mais

4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos

4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos 4 Metodologia de Gerenciamento Integrado de Riscos Neste capitulo iremos apresentar a metodologia escolhida para a elaboração do estudo de caso que incorpora a análise quantitativa dos riscos financeiros.

Leia mais

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG

Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Manual de Processo Elaborar Relatório Anual de Governo - RAG Versão 1.0 Setembro de 2015 Governo do Estado da Bahia Rui Costa Secretaria do Planejamento João Felipe de Souza Leão Gabinete do Secretário

Leia mais

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso

CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar. Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT: Visão Geral e domínio Monitorar e Avaliar Daniel Baptista Dias Ernando Eduardo da Silva Leandro Kaoru Sakamoto Paolo Victor Leite e Posso CobiT O que é? Um framework contendo boas práticas para

Leia mais

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior

Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior Avaliação dos Resultados do Planejamento de TI anterior O PDTI 2014 / 2015 contém um conjunto de necessidades, que se desdobram em metas e ações. As necessidades elencadas naquele documento foram agrupadas

Leia mais

Curso: MBA GESTÃO DE NEGÓCIO AMBA 10 Disciplina: Gestão do Conhecimento Professor: Martius Rodriguez

Curso: MBA GESTÃO DE NEGÓCIO AMBA 10 Disciplina: Gestão do Conhecimento Professor: Martius Rodriguez PRÁTICA 1 - EMPRESA: DHL IBL PROGRAM PRÁTICA 2 LIÇÕES APRENDIDAS Curso: MBA GESTÃO DE NEGÓCIO AMBA 10 Disciplina: Gestão do Conhecimento Professor: Martius Rodriguez Pablo Siqueira DEFINIÇÃO: O Programa

Leia mais

Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de

Leia mais

POLÍTICA RISCO OPERACIONAL

POLÍTICA RISCO OPERACIONAL POLÍTICA DE RISCO OPERACIONAL 1 POLITICA DE RISCO OPERACIONAL Conceito A definição de Risco Operacional adotada pelo Conglomerado Cruzeiro do Sul, em acordo com a norma vigente, é a seguinte: Risco Operacional

Leia mais

Instrução Normativa CGM nº 002, de 30 de abril de 2013.

Instrução Normativa CGM nº 002, de 30 de abril de 2013. Instrução Normativa CGM nº 002, de 30 de abril de 2013. Aprova o Plano Anual de Auditoria do Sistema Municipal de Controle Interno. A Controladoria-Geral do Município, no uso de suas atribuições, tendo

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

Resultados da Pesquisa: Nove Melhores Práticas na Avaliação de Desempenho

Resultados da Pesquisa: Nove Melhores Práticas na Avaliação de Desempenho Resultados da Pesquisa: Nove Melhores Práticas na Avaliação de Desempenho Realizada em junho/2011 Abordagem da pesquisa Foram apresentadas aos participantes as nove melhores práticas de Avaliação de Desempenho

Leia mais

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS

COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS COACHING E MENTORING APLICADOS A PROJETOS CONHEÇA OS FUNDAMENTOS O QUE É O COACHING? Coaching é um processo de aceleração de resultados que consiste no desenvolvimento de competências e habilidades profissionais

Leia mais

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS

FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS Gestão de Riscos Como lidar com as incertezas do Projeto? Thomaz Ottoni da Fonseca 04/11/2015 FATTO CONSULTORIA E SISTEMAS 2015 FATTO Consultoria e Sistemas www.fattocs.com 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS Dê preferência

Leia mais

Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade. III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL

Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade. III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL Fábrica de Software: O Ajuste da Matriz Qualidade x Produtividade III Encontro Nacional do GITEC e XIII ENIAL A PROCERGS MISSÃO Apoiar e implementar soluções em tecnologia da informação e comunicações

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras

Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras VAMOS ACABAR COM A EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NAS RODOVIAS BRASILEIRAS parceria estratégica parceria técnica Manual dos Indicadores de Acompanhamento do Pacto Empresarial Contra Exploração

Leia mais

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues Fundação Habitacional do Exército José Ricardo GODINHO Rodrigues MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS A 18 de Fundação novembro 1980 POUPEX Habitacional Lei nº. 6.855 Instituição Criada pela pública FHE

Leia mais