XIX Congresso Brasileiro de Custos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "XIX Congresso Brasileiro de Custos"

Transcrição

1

2

3 XIX Congresso Brasileiro de Custos Cadeia de valor e a gestão por processos na Petrobras: uma visão econômico-financeira André da Costa Ramos novembro de 2012

4 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

5 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

6 Atua de maneira integrada na indústria de energia, nos segmentos de: Exploração e Produção de óleo e gás Refino, Transporte e Comercialização Distribuição de derivados Gás Natural Petroquímica Energia Elétrica Biocombustíveis A Petrobras realiza suas atividades tendo como premissa o compromisso com o desenvolvimento sustentável

7 Criada em 1953 pelo governo brasileiro Sociedade anônima de capital aberto e de economia mista, cujo maior acionista é o governo brasileiro Maior empresa do Brasil e a quinta maior empresa de energia do mundo em valor de mercado segundo ranking da PFC Energy 50 (2012) Tem ações negociadas nas bolsas de valores de São Paulo, Nova Iorque, Madri e Buenos Aires, com mais de 1 milhão de investidores Em 2006, inseriu o Brasil no clube dos países autossuficientes em petróleo

8 Composto por cerca de 300 subsidiárias, coligadas e controladas, que atuam no Brasil e no exterior Reservas provadas no Brasil e exterior (Critério SPE): 16,4 bilhões de boe Produção média diária - Brasil e exterior: 2,6 milhões de boe Plataformas em produção: 125 Refinarias: 15 Produção média de derivados - Brasil e exterior: 2 milhões de bpd Oferta total de gás natural ao mercado brasileiro: 62 milhões de m 3 /dia Frota de navios: 241 Usinas termelétricas: 16 Usina Eólica: 5 Fábricas de fertilizantes: 2 Postos de serviço: cerca de 8 mil Usinas de biodiesel: três próprias e participação em duas unidades Usinas de etanol: participação em 10 unidades

9 A Petrobras está presente nos cinco continentes, por meio de operações próprias ou em associação com empresas de energia

10 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

11 PNG DESAFIOS DE GESTÃO

12 PNG DESAFIOS DE GESTÃO

13 DESAFIOS DE GESTÃO

14 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

15 GESTÃO POR PROCESSO Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo. Não existe um produto ou serviço oferecido por uma empresa sem um processo empresarial. (Gonçalves,2000)

16 GESTÃO POR PROCESSO A Gestão por Processos representa uma visão mais abrangente da administração onde o foco decisório se transfere da visão funcional tradicional para um modelo baseado em processos.

17 GESTÃO POR PROCESSO Gestão de Processos Gestão por Processos Partes Interessadas Assim é a realidade Insumo PROCESSO Produto Cliente ao Cliente (Fluxo de Valor) Integração

18 GESTÃO POR PROCESSO Um ambiente propício a sua implementação em função: Implementação de ERPs. Aumento da demanda de mercado que torna prioridade o desenvolvimento e lançamento de novos produtos e serviços A entrada de novas tecnologias e sistemas de telecomunicações permitindo maior integração entre organizações, profissionais, clientes e fornecedores. Aumento do turnover que tem dificultado a gestão do conhecimento e a documentação de atividades de negócios.

19 Fonte: Pesquisa Benchmarking Gestão por Processos, COMPASS, 2008 TENDÊNCIAS

20 Fonte: Pesquisa Benchmarking Gestão por Processos, COMPASS, 2008 TENDÊNCIAS

21 Fonte: Pesquisa Benchmarking Gestão por Processos, COMPASS, 2008 TENDÊNCIAS

22 GESTÃO PETROBRAS Notícias Publicado em 22/09/2010 Gestão Alinhar metodologias é uma das metas da Gerência de Processos e Organização A idéia é que as áreas de negócio atuem com base nos macroprocessos da Companhia Implantar a Gestão por Processos é uma estratégia de gestão para viabilizar o crescimento da Companhia de forma integrada. Esta metodologia tem sido utilizada de forma cada vez mais intensa pelas empresas como forma de equilibrar a flexibilidade operacional com o controle de desempenho corporativo, permitindo rapidez na adaptação às mudanças de mercados e manutenção do controle em momentos de crescimento acelerado. Para implantação desta metodologia é necessário definir a cadeia de valor da Companhia, identificar competências críticas, sistemas de informação e indicadores de desempenho para gerenciar os processos de forma integrada. Fonte: Portal Petrobras

23 GESTÃO PETROBRAS Notícias Publicado em 22/09/2010 Gestão Alinhar metodologias é uma das metas da Gerência de Processos e Organização A idéia é que as áreas de negócio atuem com base nos macroprocessos da Companhia Implantar a Gestão por Processos é uma estratégia de gestão para viabilizar o crescimento da Companhia de forma integrada. Esta metodologia tem sido utilizada de forma cada vez mais intensa pelas empresas como forma de equilibrar a flexibilidade operacional com o controle de desempenho corporativo, permitindo rapidez na adaptação às mudanças de mercados e manutenção do controle em momentos de crescimento acelerado. Para implantação desta metodologia é necessário definir a cadeia de valor da Companhia, identificar competências críticas, sistemas de informação e indicadores de desempenho para gerenciar os processos de forma integrada. Fonte: Portal Petrobras

24 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

25 METODOLOGIA O desenvolvimento da abordagem do Custo por Processo está sustentada pelo tripé: Gestão por processos CUSTO POR PROCESSO Cadeia de valor Activity based Cost (ABC)

26 METODOLOGIA O desenvolvimento da abordagem do Custo por Processo está sustentada pelo tripé: Gestão por processos CUSTO POR PROCESSO Cadeia de valor Activity based Cost (ABC)

27 CADEIA DE VALOR A cadeia de valor de qualquer empresa em qualquer segmento é o conjunto de atividades criadoras de valor desde as fontes de matérias-primas básicas, passando por fornecedores de componentes e até o produto final entregue nas mãos do consumidor. (Shank e Govindarajan, 1995)

28 Ilustrativo Otimização Funcional agrega valor Áreas MODELO DE GESTÃO POR FLUXOS É uma sequência de macroprocessos, que, do início ao fim, agrega valor ao produto entregue ao mercado, atendendo aos requisitos das partes interessadas, gerando resultados econômico-financeiros. NEGÓCIO 5 x $ x xx $ $ $ x xx 3 x x 4 xxxx $ 1 $ Fluxo de Comercialização de Petróleo xxxx $ Desafios adicionais: Aperfeiçoamento funcional dos processos Articulação das interfaces entre processos de negócio e ciclos de gestão Articulação das interfaces entre macroprocessos Fluxo de Comercialização Derivados Fluxo de Distribuição Derivados Fluxo de Comercialização de Gás Fluxo de Comercialização de Energia Elétrica Fluxo de Petroquímicos Fluxo de Fertilizantes Fluxo de Biocombustíveis xxx $ xxl xx (A) xx xx xxx $ 4 5 Articulação das interfaces entre segmentos Aperfeiçoamento do fluxo de valor GESTÃO + SUPORTE xxxx xxxx xx x xx xxx... 2

29 MODELO DE GESTÃO POR FLUXOS

30 Indicadores: - Eficiência - Eficácia - Conformidade MODELO DE GESTÃO POR FLUXOS Arquitetura MEDIÇÃO PERFORMANCE (vertical) RELAÇÃO RECEITA x CUSTO (horizontal)

31 METODOLOGIA O desenvolvimento da abordagem do Custo por Processo está sustentada pelo tripé: Gestão por processos CUSTO POR PROCESSO Activity based Cost (ABC) Cadeia de valor

32 ACTIVITY BASED COST - ABC Considera as atividades individuais como objetos de custo. Procura um nível maior de detalhes para entender como uma organização usa seus recursos.

33 ACTIVITY BASED COST - ABC Mudança no perfil das organizações: custos diretos cedem espaço para os indiretos Ferramenta auxiliar de gestão Avanço da tecnologia: Hardware e Sistemas de Gestão (ERPs)

34 Ilustrativo ACTIVITY BASED COST - ABC E M 24 SMM A08 X X XX XXX XXX 8ª a 10ª posições: Identificam a unidade operacional (local físico) EM24SMA08 = UO-BC-ISUP-Manutenção-Ativo Centro 5ª a 7ª posições: Identificam a atividade ou tarefa/processo desempenhados pela gerência EM24SMM = UO-BC-ISUP-Manutenção 3ª e 4ª posições: Numeração sequencial, pode representar uma gerência ou níveis mais baixos, como por exemplo uma Coordenadoria ou um outro detalhamento dentro de uma gerência. EM24 = UO-BC-ISUP : Instalações de Superfície 2ª posição: Identifica a Unidade de Operação, Serviço ou Corporativa EM = Exploração & Produção Macaé (UO-BC) 1ª posição: Identifica a Área de Negócio, Serviço ou Corporativa E = Exploração & Produção

35 Ilustrativo ACTIVITY BASED COST - ABC Atividades Produzir petróleo e gás Realizar recuperação suplementar Elevar petróleo Coletar petróleo Separar óleo, gás e água Injeção de Co2 Injeção de água Injeção de vapor Produção não associada Produção associada Sistema de coleta de petróleo Coleta de petróleo p/trans rod Coleta de gás não-associado Separação de fluidos Separação de condensado Cost drivers Estabilização de condensado

36 GESTÃO (ABC / CDE / EFG / HIJ / KLM / NOP / QRS / TUV / WYZ / BDF / CEG / ACE / HKN / ILO / JMP / MNQ / ORT) Nível 3 Nível 2 Nível 1 Produzir Petróleo e Gás (PROD) xxxx xxxx KLM xxxx xxx xxx xxxx xxxx Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção) xx xxxx xxxx xxx LMN / DWU PVO/PTI/PPO /PZP/PHO PTL / PCA / PFM Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção) xxxx xxxx xxxx xx PGC/PGR KLY Não tem Obj TJU / OIU TZO/TZE PWA/PFZ/XLM/ de Custo OPS / LOG TNO DBO G&E xxx x x ou ABAST PSC/PSF Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção PDG/PDA/ PDP/PDV/PDC /PGL UOM/NMI/ TTS/TLD/SIH /GOI Não tem Obj de Custo Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção) x x POW/PUC x PPL/PEL/PIF x xxxx Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção PAP/PAF x PWA/LOY/JNO/ ABAST XMF/TFJ ou x Parceiros Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção BIS Ilustrativo Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção xxxx XYZ Obj. Parceiro (Ordem de Manutenção) PARTICIPAÇÃO GOVERNAMENTAIS (PZO) AFRETAMENTO (PZP) SUPORTE (LMG / TIL / KYK / KLM / PPT / PPS / DOC / XLS / DBA / PDF / ORG / COM / PNG / POW/ ZLM / RCA / CCA / DDW/ WWW /FTE / SOL / LUA / OKL / EWM / ELY / VMO / AFJ / ACR) FACILIDADES ELÉTICAS (TTN) / NÃO ELÉTRICAS (NOM) / EMBARCAÇÃO E INSTALAÇÕES (XPZ)

37 Ilustrativo Custos apropriados no 3º nível e consolidados no 2º nível $ $ 20 $ 400 $ 180 $ 250 $ 150 xxxx xxxx xxxx xxxx xxxx $ 20 $ 80 $ 10 $ 5 $ 15 $ 10 $ 20 xxxx xxx xxxx xxxx xxxx $ 320 $ 170 $15 $ 60 $ 15 $ 70 $ 30 xxx xxx xxx xxxx xxxx $ 40 $ 20 xxxx $ 80 $ 10 $ 10 xxx xxxx xxxx

38 DESAFIOS Accountabillity Treinamento Normas e Regras ERP (SAP/ERP) Custo por Processo Nível de detalhe Suporte e Gestão Produto X Processo

39 AGENDA APRESENTAÇÃO APURAÇÃO DOS CUSTOS POR PROCESSO DESAFIOS DE GESTÃO CONSIDERAÇÕES FINAIS GESTÃO POR PROCESSOS E TENDÊNCIAS PERGUNTAS

40 CONSIDERAÇÕES FINAIS A tendência atual não é mais enxergar a organização de uma maneira funcional, e sim de uma maneira horizontal, integrando os diversos modelos e categorias básicas de processos. Modernas ferramentas de gestão, como por exemplo, ERPs, pressupõem que a gestão da empresa se dê processos e portanto, só tem máximo resultado quando a empresa que os utiliza já está estruturada por processo e que ela já seja administrada por eles. A utilização da abordagem por processo passa necessariamente por uma revisão do modelo de gestão da empresa. O sucesso desse modelo de gestão depende fortemente de uma estruturação lógica das informações bem como da possibilidade de rastreamento do consumo de recursos para o desenvolvimento dos processos.

41 REFERÊNCIAS 1. COGAN, Samuel. Modelos de ABC / ABM. Editora Qualitymark, GONÇALVES, José Ernesto Lima. As empresas são grandes coleções deprocessos.rae.jan/mar2000v.40 nº1 p Plano de Negócio e Gestão da Petrobras Plano Estratégico da Petrobras Pesquisa de Benchmarking Gestão por Processos. Compass, SHANK, John k. e GOVINDARAJAN, Vijay. A revolução dos custos. Editora Campus, 2003.

42 XIX Congresso Brasileiro de Custos Cadeia de valor e a gestão por processos na Petrobras: uma visão econômico-financeira Muito Obrigado! André da Costa Ramos CONTABILIDADE (0XX21) Visite nosso website:

43 XIX Congresso Brasileiro de Custos Cadeia de valor e a gestão por processos na Petrobras: uma visão econômico-financeira PERGUNTAS André da Costa Ramos CONTABILIDADE (0XX21) Visite nosso website:

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança

Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade. Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores e Sustentabilidade Augusto Riccio Coordenador de Organização Gestão &Governança Destaques Petrobras --------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais

Implantando o Planejamento de Custos de Pessoal no Ambiente Complexo de uma Empresa de Grande Porte

Implantando o Planejamento de Custos de Pessoal no Ambiente Complexo de uma Empresa de Grande Porte Implantando o Planejamento de Custos de Pessoal no Ambiente Complexo de uma Empresa de Grande Porte Rodrigo Petrus Planejamento e Avaliação de RH Rodrigo Fernandes Gerente de Projeto de TIC SAP Forum Brasil

Leia mais

Painel Inovação Aberta Colaborativa. Inovação na Petrobras

Painel Inovação Aberta Colaborativa. Inovação na Petrobras Painel Inovação Aberta Colaborativa Inovação na Petrobras São Paulo, 23 de agosto de 2012 Maria Cristina Espinheira Saba Gerente de Estratégia Tecnológica do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento (PETROBRAS/CENPES)

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010

PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 PLANO ESTRATÉGICO PETROBRAS 2015 PLANO DE NEGÓCIOS 2006-2010 MISSÃO Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados

Leia mais

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras

A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais. Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras A gestão das empresas estatais: contribuições para agências governamentais Augusto José Mendes Riccio Gerente de Práticas de Gestão Petrobras Visão e Missão da Petrobras Visão 2020 Ser uma das cinco maiores

Leia mais

PRÓXIMO NÚMERO 2, 10, 12, 16, 17, 18, 19, {..?..}

PRÓXIMO NÚMERO 2, 10, 12, 16, 17, 18, 19, {..?..} SISTEMA DE GESTÃO REFLEXÃO INICIAL PRÓXIMO NÚMERO 2, 10, 12, 16, 17, 18, 19, {..?..} PARADIGMA É um quadro de referência mental através do qual as pessoas pensam e agem. - Karl Albrecht QUAL É O NOSSO

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 Rio de Janeiro, 15 de março de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho

Leia mais

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil

El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años. Ulysses Nunes, Mangels - Brasil El desarrollo del galvanizado general em Brasil em los últimos 5 años Ulysses Nunes, Mangels - Brasil Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Mercado Galvanização Desenvolvimento

Leia mais

Estrutura de Refino: até quando o Brasil importará derivados de petróleo?

Estrutura de Refino: até quando o Brasil importará derivados de petróleo? Estrutura de Refino: até quando o Brasil importará derivados de petróleo? 14º Encontro Internacional de Energia Carlos Alberto Lopes 06/08/2013 Gas Energy Quem Somos A GAS ENERGY S.A. é uma empresa brasileira

Leia mais

Unidades de negócio 55 Postos de serviços 7132 Exploração de petróleo 59 sondas, sendo 49 marítimas 9,8 bilhões de barris de óleo e gás equivalentes

Unidades de negócio 55 Postos de serviços 7132 Exploração de petróleo 59 sondas, sendo 49 marítimas 9,8 bilhões de barris de óleo e gás equivalentes UNIVERSIDADES CORPORATIVAS: UM ESTUDO DE CASO Murillo César de Mello Brandão PETROBRAS/UC Jorge Luiz Pereira Borges PETROBRAS/UC Martius V. Rodriguez y Rodriguez PETROBRAS/UC RESUMO Dentro de um ambiente

Leia mais

Monitoramento Contínuo com SAP GRC Process Control - Visão do Negócio

Monitoramento Contínuo com SAP GRC Process Control - Visão do Negócio Monitoramento Contínuo com SAP GRC Process Control - Visão do Negócio Marcio Tangerini, CISA, CRISC Gerente Setorial de Controle e Conformidade Tecnologia e Infraestrutura de Sistemas de Informação e Automação

Leia mais

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013 Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas 19 de novembro de 2013 Agenda PNG 2013-2017 Política de Conteúdo Local da Petrobras Oportunidades de Negócio Ações de Fomento

Leia mais

Crescimento com Sustentabilidade

Crescimento com Sustentabilidade Crescimento com Sustentabilidade Djalma Bastos de Morais Diretor Presidente Maio de 2008 1/XX Investimentos asseguram agregação de valor Nossa política de investimentos garante crescimento sustentável:

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DIDÁTICA DE SOFTWARE DE CUSTOS ABC

APRESENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DIDÁTICA DE SOFTWARE DE CUSTOS ABC APRESENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO E APLICAÇÃO DIDÁTICA DE SOFTWARE DE CUSTOS ABC Leo Brunstein Universidade Paulista UNIP Rua Dr. Bacelar 1212 CEP 04026-002 São Paulo SP Fone/Fax (0xx11) 5586-4145 lbab@bol.com.br

Leia mais

Inteligência Tecnológica na Petrobras

Inteligência Tecnológica na Petrobras Inteligência Tecnológica na Petrobras Maio/2012 CENPES/GTEC/EST Informações Institucionais Sistema Tecnológico Petrobras Processos de Gestão da Tecnologia Monitoração e Prospecção Tecnológica Informações

Leia mais

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Sumário A Petrobras Os Desafios O Alinhamento Estratégico - Gestão por Competências - A Concepção da Universidade

Leia mais

Excelência em Gestão. PETROBRAS - Abastecimento

Excelência em Gestão. PETROBRAS - Abastecimento Excelência em Gestão PETROBRAS - Abastecimento Programação Visão Geral da Companhia A construção de um novo Modelo de Gestão Práticas de Gestão para a Excelência Resultados Visão Geral da Companhia Panorama

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012

Ciclo de. Presidente Maria das Graças as Silva Foster. Coletiva de Imprensa. Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Lançamento amento do 6º 6 Ciclo de Qualificação do Prominp Coletiva de Imprensa Presidente Maria das Graças as Silva Foster Rio de Janeiro, 05 de Março de 2012 Política de Conteúdo Local da Petrobras Aprovada

Leia mais

Seminário O papel do combustíveis fósseis na. Ações de mitigação das mudanças climáticas na PETROBRAS. Beatriz Nassur Espinosa

Seminário O papel do combustíveis fósseis na. Ações de mitigação das mudanças climáticas na PETROBRAS. Beatriz Nassur Espinosa Seminário O papel do combustíveis fósseis na sustentabilidade e segurança energética Ações de mitigação das mudanças climáticas na PETROBRAS Beatriz Nassur Espinosa Gerente Geral Segurança, Meio Ambiente

Leia mais

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO PLANO ESTRATÉGICO 2015 Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados nacional

Leia mais

PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI. Case de Sucesso. outubro/2012

PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI. Case de Sucesso. outubro/2012 outubro/2012 Case de Sucesso PETROBRAS CONSEGUE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA AO APRIMORAR INFRAESTRUTURA DE TI Para publicar um case no Portal IT4CIO, entre em contato pelo e-mail comunicacao@it4cio.com. PERFIL

Leia mais

3. O Sistema Petrobras

3. O Sistema Petrobras 3. O Sistema Petrobras O Sistema Petrobras possui 56 bases de distribuição por todo o país, que são responsáveis por fornecer produtos para as distribuidoras, para que estas possam entregá-los no mercado.

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ CAMPUS 2014 Brésil Internacional Agenda PetróleoeGásNaturalnoBrasileRiodeJaneiro Situação da Indústria Naval Sistema FIRJAN: Soluções para Indústria de P&G

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À BRASKEM. PROIBIDA REPRODUÇÃO OU ALTERAÇÃO DO DOCUMENTO.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS À BRASKEM. PROIBIDA REPRODUÇÃO OU ALTERAÇÃO DO DOCUMENTO. Agenda A BRASKEM PORQUE INOVAR? A INOVAÇÃO NA BRASKEM A GESTÃO DA INOVAÇÃO E O PLANEJAMENTO TECNOLÓGICO Indústria Petroquímica Brasileira INTEGRAÇÃO COMPETITIVA NAFTA CONDENSADO GÁS VALOR ADICIONADO COMPETITIVIDADE

Leia mais

Bioeletricidade no Setor Sucroenergético: uma pauta para o desenvolvimento de seu potencial

Bioeletricidade no Setor Sucroenergético: uma pauta para o desenvolvimento de seu potencial Bioeletricidade no Setor Sucroenergético: uma pauta para o desenvolvimento de seu potencial Zilmar José de Souza, Assessor em Bioeletricidade, UNICA, SP, Brasil Agenda - Situação atual da bioeletricidade

Leia mais

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores

Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011. Relações com Investidores Reunião Pública com Analistas e Investidores 2011 Relações com Investidores A Tenaris Sobre a Tenaris Líder global na produção de tubos de aço e serviços para a indústria energética, automotiva e aplicações

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 13 FEVEREIRO DE 214 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia

20 de agosto de 2013. Xisto muda geopolítica da energia 20 de agosto de 2013 Xisto muda geopolítica da energia A "revolução do xisto" em curso nos Estados Unidos, que já despertou investimento de US$ 100 bilhões na indústria americana, vai resultar em uma nova

Leia mais

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo

Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo Painel I: Os investimentos necessários para seguirmos crescendo José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente da Petrobras São Paulo, 24 de novembro de 2010 1 Plano de Negócios 2010-2014 Grandes Oportunidades

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo

Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo São Paulo 2008 1. Introdução. Este estudo tem como finalidade demonstrar a capacidade

Leia mais

crescimento nos últimos cinco anos. Desde 1995, as vendas cresceram num total de 85%. A maior parte das vendas da GE no ano 2000 ocorreram em seu

crescimento nos últimos cinco anos. Desde 1995, as vendas cresceram num total de 85%. A maior parte das vendas da GE no ano 2000 ocorreram em seu GENERAL ELECTRIC A General Electric Company é uma empresa diversificada, atuando em vários segmentos, sempre com o compromisso declarado de alcançar liderança mundial em cada um de seus negócios. Atualmente,

Leia mais

POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL

POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL POLÍTICA DE PREÇOS PARA O GÁS NATURAL NO BRASIL GRUPO DE TRABALHO Coordenação: GEOBERTO ESPÍRITO SANTO VICE-PRESIDENTE DE PLANEJAMENTO ENERGÉTICO Rio de Janeiro, 1 de junho de 2012. PLANO DECENAL DE EXPANSÃO

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014

Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014 Nota à Imprensa 8 de agosto de 2014 Lucro líquido da Petrobras foi de R$ 10 bilhões 352 milhões no 1º semestre de 2014 O lucro bruto no 1º semestre de 2014 foi de R$ 38,5 bilhões, 2% superior ao 1º semestre

Leia mais

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo

Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Automação, Controle e Otimização em Sistemas de Produção de Petróleo Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina Apresentação da Rede Temática GeDIg, Março de 2008 Sumário

Leia mais

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL

MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL COMISSÃO MISTA PERMANENTE SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS SENADO FEDERAL MITIGAÇÃO DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA NA PETROBRAS E NO DESENVOLVIMENTO DA PRODUÇÃO DO POLO PRÉ-SAL Beatriz Nassur Espinosa

Leia mais

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br

Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br abraman Congresso de Manutenção - 2001 EFEITOS DA TERCEIRIZAÇÃO SOBRE A MANUTENÇÃO Julio Nascif Xavier 31-3227-2705 nascif@tecem.com.br Terceirização é a transferência para terceiros de atividades que

Leia mais

Crescer agregando valor

Crescer agregando valor Crescer agregando valor Marcio Araujo de Lacerda Presidente do Conselho de Administração Maio de 2008 1/XX Orientações do Governo Mineiro Para Minas Gerais: Um Estado para Resultados Visão: Tornar Minas

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010 PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS José Luiz Marcusso E&P / UN-BS São Paulo, 11 de maio de 2010 1 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais

Leia mais

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br Inovação Tecnológica Frente aos Desafios da Indústria Naval Brasileira Isaias Quaresma Masetti Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br ... O maior obstáculo à indústria

Leia mais

Principais Realizações para Modernização das empresas Eletrobras

Principais Realizações para Modernização das empresas Eletrobras Principais Realizações para Modernização das empresas Eletrobras Fev-2011 1 Introdução O Modelo Institucional do Setor Elétrico Brasileiro, implantado após a Constituição de 1988, provocou profundas mudanças

Leia mais

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás O que é? Conteúdo Local é a relação entre o valor dos bens produzidos e serviços prestados no país para executar o contrato e o valor total dos

Leia mais

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia VISÃO E MISSÃO Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS

SOLUÇÕES INDUSTRIAIS Soluções em Tecnologia de Automação e Informação SOLUÇÕES INDUSTRIAIS LOGANN Soluções Especiais ESPECIALIDADES AUTOMAÇÃO E CONTROLE INDUSTRIAL Atuação em sistemas de controle, aquisição de dados e supervisão

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012

JOINT VENTURE MPX / E.ON. Rio de Janeiro Janeiro 2012 JOINT VENTURE MPX / E.ON Rio de Janeiro Janeiro 2012 AVISO LEGAL Esta apresentação contém algumas afirmações e informações prospectivas relacionadas a Companhia que refletem a atual visão e/ou expectativas

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Conteúdo Gerenciais Direcionadores de Arquitetura de TI Tipologia dos sistemas da informação Prof. Ms. Maria C. Lage marialage.prof@gmail.com As preocupações corporativas Gerenciar Mudanças Crescimento

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões

Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões Nota à Imprensa 25 de fevereiro de 2011 Lucro líquido da Petrobras em 2010 alcança valor recorde de R$ 35 bilhões 189 milhões O lucro líquido aumentou 17% em relação a 2009 e EBITDA atingiu de R$ 60 bilhões

Leia mais

Planejamento Econômico-Financeiro

Planejamento Econômico-Financeiro Planejamento Econômico-Financeiro São Paulo, Junho de 2011 Esse documento é de autoria da E Cunha Consultoria. A reprodução deste documento é permitida desde que citadas as fontes e a autoria do estudo.

Leia mais

Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012. Efeitos do Novo Regramento da PLR

Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012. Efeitos do Novo Regramento da PLR Histórico da PLR da Petrobrás 2007 a 2012 Efeitos do Novo Regramento da PLR Antes da aplicação do Regramento da PLR na Petrobrás Lucro Líquido Sistema - Petrobrás 2007-2012 em R$ milhões 40.000 35.000

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações

Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações Política de Estruturação de Negócios e Gestão de Participações Outubro de 2013 Conteúdo 1. Objetivo... 3 2. Princípios... 4 3. Diretrizes... 5 4. Responsabilidades... 6 5. Conceitos... 7 6. Disposições

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística CONCEITOS O nome Supply Chain, cujo termo têm sido utilizado em nosso país como Cadeia de Suprimentos, vem sendo erroneamente considerado como

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015

PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 PLANO ESTRATÉGICO 2015 2018 REVISÃO 4.0 DE 09/09/2015 Líderes : Autores do Futuro Ser líder de um movimento de transformação organizacional é um projeto pessoal. Cada um de nós pode escolher ser... Espectador,

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL

ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL ENGENHARIA CONSULTIVA FOMENTAR O PARQUE CONSULTIVO NACIONAL A Engenharia Consultiva Nacional e a Construção da Infraestrutura Um breve diagnóstico O setor de infraestrutura apresenta aspectos distintos

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

PAINEL III. Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas

PAINEL III. Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas PAINEL III Mobilidade Internacional: uma área estratégica das empresas MAIO 2011 Atuação A atuação da Área de Negócio Internacional abrange as operações da indústria de petróleo e energia como exploração

Leia mais

Press Release. Voith promove constantes mudanças 2014-12-10

Press Release. Voith promove constantes mudanças 2014-12-10 Press Release Voith promove constantes mudanças 2014-12-10 Reversão da tendência em pedidos recebidos se estabiliza: volume de pedidos aumenta em 7% no ano fiscal de 2013/14 Vendas consolidadas e lucro

Leia mais

Termoelétricas Ou Termelétricas

Termoelétricas Ou Termelétricas Termoelétricas Ou Termelétricas É uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica/eletricidade a partir da energia liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06187/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Rio de Janeiro, 17 de maio de 2006 Referência: Ofício nº 2052/2006/SDE/GAB, de 04 de maio de

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008

Leia mais

Solução Accenture RiskControl

Solução Accenture RiskControl Solução Accenture RiskControl As rápidas transformações econômicas e sociais que marcaram a primeira década do século XXI trouxeram novos paradigmas para a gestão empresarial. As organizações ficaram frente

Leia mais

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017)

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017) Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017) PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017)

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

Resultados do Exercício de 2014 Auditados

Resultados do Exercício de 2014 Auditados Nota à Imprensa 22 de abril de 2015 Resultados do Exercício de 2014 Auditados A Petrobras apresentou prejuízo de R$ 21,6 bilhões no ano de 2014, em função, principalmente, da perda por desvalorização de

Leia mais

FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS

FEDERAÇÃO ÚNICA DOS PETROLEIROS 1 A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores PAUTA POLÍTICA DA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Karl Marx Iniciamos nossa pauta unificada de reivindicações com a apresentação da proposta

Leia mais

Implantação do SAP Business Objects Disclosure Management na Petrobras

Implantação do SAP Business Objects Disclosure Management na Petrobras Implantação do SAP Business Objects Disclosure Management na Petrobras 1 1. Petrobras Petróleo Brasileiro S.A 2. Contextualização do Cenário Anterior 3. SAP Business Objects Disclosure Management 4. O

Leia mais

Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação

Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação Ciência sem Fronteiras: construindo redes internacionais para inovação Recursos Humanos Universidade Petrobras Brasil 12 a 14 de novembro Hotel Transamérica São Paulo. 2 Petrobras A PETROBRAS Atua como

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

FUSÕES E AQUISIÇÕES COMO ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO NO SETOR DE PETRÓLEO E GÁS: O CASO DA PETROBRAS, BP E SHELL

FUSÕES E AQUISIÇÕES COMO ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO NO SETOR DE PETRÓLEO E GÁS: O CASO DA PETROBRAS, BP E SHELL FUSÕES E AQUISIÇÕES COMO ESTRATÉGIAS DE EXPANSÃO NO SETOR DE PETRÓLEO E GÁS: O CASO DA PETROBRAS, BP E SHELL Antonio Carlos da Silva Carvalho (UFRJ) acscarvalho@poli.ufrj.br leilaine michelle de brito

Leia mais

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007)

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007) Geração Elétrica Total Cenário de Referência (2007) Greenpeace Brasil Somos uma organização global e independente que atua para defender o meio ambiente e promover a paz, inspirando as pessoas a mudarem

Leia mais

ção o de Serviços Mariângela Santos Mundim Gerente de Planejamento e Avaliação Recursos Humanos Agosto/11

ção o de Serviços Mariângela Santos Mundim Gerente de Planejamento e Avaliação Recursos Humanos Agosto/11 Gestão o da Prestaçã ção o de Serviços Mariângela Santos Mundim Gerente de Planejamento e Avaliação Recursos Humanos Agosto/11 ROTEIRO A Petrobras Prestação de serviços na Petrobras Situação atual Diretrizes

Leia mais

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO QUADRO 1 Atividades a não serem realizadas por restrição

Leia mais

Introdução. Um 2013 difícil

Introdução. Um 2013 difícil Aetecno MBA Blogs Revista Rankings Últimas Notícias Contato Login H O M E I N T R O D U Ç Ã O R A N K I N G D A S 5 0 0 S E T O R E S A N Á L I S E E R A N K I N G S M E T O D O L O G I A Introdução Home

Leia mais

Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil. Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012

Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil. Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012 Perspectivas da Oferta de Gás Natural no Brasil Hugo Repsold Junior Gerente Executivo Corporativo Petrobras - Gás & Energia outubro/2012 Essa apresentação pode conter previsões acerca de eventos futuros.

Leia mais

Mudar é preciso Revisitando o conteúdo local para a indústria de óleo e gás

Mudar é preciso Revisitando o conteúdo local para a indústria de óleo e gás Mudar é preciso Revisitando o conteúdo local para a indústria de óleo e gás Contatos Sobre os autores São Paulo/ Rio de Janeiro Arthur Ramos Vice-Presidente +55-11-3674-8709 arthur.ramos@ strategyand.br.pwc.com

Leia mais

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Funções Gerenciais e Estrutura Organizacional Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Componentes de uma empresa Objetivos Organizacionais X Processos de negócios Gerenciamento integrado

Leia mais

ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA

ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA PROMINP - 2o WORKSHOP NACIONAL ATUAÇÃO INTERNACIONAL DA PETROBRAS E AS OPORTUNIDADES PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA ÁREA DE NEGÓCIO INTERNACIONAL Cláudio Castejon Vitória, 28 de outubro de 2004 O portfolio

Leia mais

Entrevistadora: Está agregando mais valor.

Entrevistadora: Está agregando mais valor. Entrevistadora: A gente vai pegar o gancho de Quattor e Brasken para mostrar que o crescimento da Petrobras não foi só na petroquímica. O faturamento, por exemplo, triplicou. O que explica isto? Paulo

Leia mais

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs

Assinatura Digital. Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Assinatura Digital Contratos de Comercialização de Energia Elétrica no Ambiente Regulado - CCEARs Agenda O papel da CCEE Visão geral da comercialização de energia elétrica no Brasil Processo de Assinatura

Leia mais

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Biodiesel BIODIESEL no Brasil Jatropha Lei nº 11.097 / 2005 - Introduziu o biodiesel na matriz energética brasileira

Leia mais

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE

CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Maio de 2003 CICLO DE EVENTOS DA QUALIDADE Dia 12/05/2003 Certificação e homologação de produtos, serviços e empresas do setor aeroespacial,com enfoque na qualidade Dia 13/05/2003 ISO 9001:2000 Mapeamento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Valério da Silva Ramos (*) Administrador de Empresas, pós-graduado em Gestão Econômica e Financeira

Leia mais

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis

Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Minando nosso futuro Um estudo dos investimentos dos bancos em um grupo de companhias ativas em combustíveis fósseis e energias renováveis Um estudo de caso da Fair Finance Guide International 5 de novembro

Leia mais