UM EXAME TEÓRICO METODOLÓGICO DA UTILIZAÇÃO DO ESPORTE DE ORIENTAÇÃO COMO ATIVIDADE DIDÁTICA NO ENSINO DE CARTOGRAFIA NO CURSO DE GEOGRAFIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM EXAME TEÓRICO METODOLÓGICO DA UTILIZAÇÃO DO ESPORTE DE ORIENTAÇÃO COMO ATIVIDADE DIDÁTICA NO ENSINO DE CARTOGRAFIA NO CURSO DE GEOGRAFIA"

Transcrição

1 UM EXAME TEÓRICO METODOLÓGICO DA UTILIZAÇÃO DO ESPORTE DE ORIENTAÇÃO COMO ATIVIDADE DIDÁTICA NO ENSINO DE CARTOGRAFIA NO CURSO DE GEOGRAFIA Guilherme de Oliveira Bueno Graduando em Geografia, Universidade Federal de Uberlândia Lucas Carneiro Machado Graduando em Geografia, Universidade Federal de Uberlândia Antonio Marcos Machado de Oliveira Professor Doutor, Universidade Federal de Uberlândia INTRODUÇÃO O desenvolvimento de novos métodos de ensino e ferramentas que auxiliem o processo de ensino aprendizagem deve estar sempre na pauta das discussões e das pesquisas, a fim de proporcionar novas possibilidades e alternativas para a prática pedagógica docente. Nessa perspectiva, buscamos uma nova forma de contribuição para o ensino de Cartografia utilizando o esporte de orientação. A priori, o esporte apresenta vários procedimentos, conceitos e técnicas que são fundamentais para o conhecimento cartográfico e geográfico. Porém, em uma análise aprofundada dos componentes do esporte notamos que esta interface entre a cartografia e geografia só seria possível com um melhor estudo de suas técnicas, instrumentos e fundamentações teóricas. O enfoque deste trabalho se resume em fazer uma análise do mapa utilizado no esporte de orientação e da linguagem cartográfica presente nos mesmos. Os mapas, em uma consideração geral constituem um importante meio de pesquisa, registro, análise, interpretação, síntese, apresentação e comunicação de informações espaciais, sendo amplamente utilizado não apenas nos estudos em diferentes áreas do conhecimento, mas hoje também pelos meios de comunicação. É fundamental dominar essas linguagens para se 1

2 compreender o significado real das informações veiculadas pela mídia através de imagens tal como os mapas assim como os fatos e as notícias, situando-os no contexto mais amplo em que se inserem o mundo atual. Sendo assim, destacamos a importância de se proporcionar um trabalho que reflita sobre os elementos constituintes do mapa e sua influência no aprendizado. Entretanto, ao realizar uma corrida de orientação como atividade didática para o ensino de cartografia no curso de geografia, e durante o desenvolvimento de um projeto em que tivemos como proposta, fazer a escolha de um local para a prática do esporte de orientação e a produção de um mapa de orientação que sejam adequados à realização de uma atividade didática utilizando o esporte, tínhamos entre outros objetivos a proposta de se fazer uma análise do esporte de orientação e identificar o conteúdo cartográfico que envolve os mapas; estabelecer os fundamentos teórico-práticos do ensino e da aprendizagem do mapa e pelo mapa na Cartografia. A proposta de exame do mapa utilizado no esporte se justifica, pois os elementos que constituem os mapas de orientação são de grande relevância para se apresentar e esclarecer vários conceitos da cartografia, tanto a sistemática quanto a temática. Contudo, a utilização do esporte e especificamente do mapa de orientação como recurso didático necessita de uma abordagem que assegure uma eficiente aprendizagem. Outro aspecto é a construção do mapa, os seus elementos como escala, legenda, e outros, que devem seguir um rigor teórico, pois qualquer fuga dos procedimentos de elaboração dos itens do mapa comprometerá o entendimento da linguagem cartográfica. Portanto essa análise permite delinear a forma de utilização dos elementos do mapa e propor uma revisão teórico metodológica da aplicação do esporte de orientação enquanto atividade pedagógica. CARTOGRAFIA DO ESPORTE DE ORIENTAÇÃO O esporte de orientação envolve conhecimentos básicos de Cartografia como leitura e interpretação de mapas, orientação e localização, simbologia, escalas e projeção. Segundo Scherma e Ferreia (2008, p. 960), o esporte de orientação: [...] é constituído de regras, em que o praticante orienta-se ao longo de uma série de pontos de controle, usando uma bússola e um mapa, seguindo uma ordem para percorrer os pontos pela escolha de uma rota entre eles, sendo livre essa escolha. [...] O orientador deve ter em 2

3 conta sua condição física e sua habilidade para orientar-se e escolher a melhor rota com as informações contidas no mapa. Percebe-se então que a utilização do mapa e da bússola são instrumentos essenciais para realização da corrida de orientação. O manuseio desses instrumentos compreende conceitos e técnicas que são pautadas no conhecimento cartográfico. Sendo assim, ao praticar o esporte, seja na forma de corrida, caminhada, em áreas de campo, cidade, parques e outros, pode-se utilizá-lo como atividade para o ensino de cartografia. Os mapas utilizados no esporte de orientação como podem ser observados nas figuras 1, 2 e 3 possuem geralmente uma escala grande, identificada no mesmo, apresentam símbolos para identificar os objetos presentes no terreno, seguindo um padrão internacional de legenda e possuem também os pontos de controle, ponto de início e de chegada. Outros elementos como as linhas do norte magnético, para se obter uma melhor orientação através da bússola e as curvas de nível também fazem parte da composição do mapa de orientação. 3

4 Figura 1 - Mapa clínica para estudantes. Parque do Sabía, Uberlândia - MG. Fonte: Clube de Orientação do Triângulo Mineiro COTRIM,

5 Figura 2 - Mapa 1º Percurso Treino Parque dos Papagaios. Araguari - MG. Fonte: COTRIM,

6 Figura 3 - Mapa Percurso Escola. Cruzeiro dos Peixotos, Uberlândia - MG. Fonte: COTRIM, A confecção dos mapas de orientação segue uma linha de atributos básicos como: [...] a escala numérica com a medida original 1:7.500; legenda elaborada com os símbolos básicos segundo a convenção internacional estabelecida pela Federação Internacional de Orientação (IOF); a sinalética referente à tabela que contém a medida do percurso a partir das linhas que ligam os pontos, seqüência de controle que o participante deverá passar, os códigos equivalentes a cada ponto de controle, a natureza do elemento que estará a baliza, a localização e posicionamento da baliza, por ultimo os meridianos e a orientação que são respectivamente as linhas paralelas que sobrepõem o mapa e o norte magnético. (MACHADO, BUENO e OLIVEIRA, 2010). 6

7 Os componentes dos mapas de orientação confeccionados pelo Clube de Orientação do Triângulo Mineiro - COTRIM, em conformidade com o padrão estabelecido pela Federação Internacional de Orientação - IOF, são adequados para a prática do esporte, mas para a utilização em uma atividade pedagógica alguns elementos como símbolos, cores, legenda e escala, necessitam de uma adequação. Essa adaptação atende a expectativa de proporcionar uma linguagem simples e objetiva. PROPOSTAS DE ADAPTAÇÕES DO MAPA DE ORIENTAÇÃO PARA O ENSINO DE CARTOGRAFIA A proposta de desenvolver uma atividade didática que sirva de apoio ao ensino de Cartografia com base no esporte de orientação tem como fundamento os componentes teóricos e técnicos que envolvem o esporte de orientação. O objetivo desse trabalho, além de apresentar o esporte e suas possibilidades para o ensino de Cartografia, é fazer uma análise do mapa utilizado na corrida de orientação e da linguagem cartográfica presente no mesmo e com isso, identificar os elementos do mapa que são válidos para a prática pedagógica e propor adequações no mesmo através de técnicas da Cartografia Temática que possam contribuir para a melhor construção do mapa voltado para prática do ensino. Nessa perspectiva desenvolvemos em um outro momento, a construção de um mapa de orientação, ver figura 4, que atendesse à aprendizagem efetiva do conteúdo cartográfico. 7

8 8

9 Figura 4 - Mapa Percurso da Fazenda do Glória, Uberlândia - MG. Fonte: Laboratório de Ensino de Geografia - LEGEO, Universidade Federal de Uberlândia - UFU. Para a elaboração deste mapa, adotamos como tema o uso e ocupação do solo, acrescentamos uma legenda mais simples e substituímos a escala numérica pela escala gráfica. Além disso, pensamos em cores que forneçam uma melhor visualização e que permitam uma melhor reprodução deste material. Com essas adequações a leitura do mapa se torna mais simples e objetiva, o que traz para o leitor do mapa uma melhor compreensão de seu conteúdo ao se deparar com a realidade representada. CONSIDERAÇÕES FINAIS Durante o trabalho podemos concluir que a prática da corrida de orientação e, por conseguinte a utilização do mapa em uma atividade didática para o ensino de Cartografia, onde possibilita a interação entre o aluno o mapa e o espaço vivido, a apreensão prática dos elementos mapa e bússola, e leitura e análise de preceitos teóricos básicos para a cartografia como legenda, lateralidade e outros. Porém, esses mesmos elementos como a escala e as cores podem receber um adequado tratamento cartográfico com a finalidade de proporcionar uma comunicação clara e direta potencializando o processo de ensino e aprendizagem. Sendo assim, a utilização do mapa como uma linguagem gráfica no processo de ensino e aprendizagem, não pode ficar restrita a uma análise de uma figura, o conhecimento embutido no mapa deve receber o tempo e a atenção de uma atividade prática, quando de sua real aplicação na representação da realidade. Em uma didática apropriada ao conhecimento geográfico o mapa deve ser produzido na perspectiva de se proporcionar uma aprendizagem eficiente. Esse esporte com sua peculiar base cartográfica é também uma ótima atividade lúdica, uma vez que o espaço de execução e seus requisitos são alternativos ao processo de ensino aplicado em sala de aula. A abordagem lúdica no ensino é de fundamental importância em todas as faixas etárias, ela auxilia não somente para o ensino, mas também para a formação pessoal. 9

10 [...] A educação lúdica integra uma teoria profunda e uma prática atuante. Seus objetivos, além de explicar as relações múltiplas do ser humano em seu contexto histórico, social, cultural, psicológico, enfatizam a libertação das relações pessoais passivas, técnicas para as relações reflexivas, criadoras, inteligentes, socializadoras, fazendo do ato de educar um compromisso consciente intencional, de esforço, sem perder o caráter de prazer, de satisfação individual e modificador da sociedade [...] (ALMEIDA, 1974, p ). No dizer de Machado, Bueno e Oliveira (2010), a sistematização da cartografia e seu progresso teórico metodológico, com mapeamentos que se aproximam da realidade, possibilitam um entendimento maior acerca da relação do homem com a natureza, aspecto essencial a ser considerado no ensino e aprendizagem da Cartografia. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALMEIDA, P. N. Educação Lúdica Técnicas e jogos pedagógicos. 9 ed. São Paulo: Loyola, CLUBE DE ORIENTAÇÃO DO TRIÂNGULO MINEIRO. A Orientação. Disponível em: simbologia.asp#introducao. Acesso em: 27 junho, GD4CAMINHOS, Grupo Desportivo 4 Caminhos. O que é orientação / Tudo sobre orientação. Disponível em: Acesso em: 23 junho, MACHADO, L. C.; BUENO, G. O.; OLIVEIRA, A. M. M. O esporte de orientação aplicado ao ensino de cartografia no curso de Geografia: um exemplo prático. XXIV Congresso Brasileiro de Cartografia, Aracaju SE, mai SHERMA, E. P.; FERREIRA, E. R. Desporto de Orientação: uma contribuição metodológica para o ensino de Geografia e da Cartografia. 1º Simpósio de Pós-Graduação em Geografia do Estado de São Paulo, Rio Claro - SP, nov

11 TOMITA, L. M. S. Trabalho de campo como instrumento de ensino em Geografia. Geografia: Revista do Departamento de Geociências. Londrina, v. 8, n. 1, jan/jun,1999, p

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000654 - TECNOLOGIA EM REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000407 - REDES DE COMPUTADORES Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO. "(s15h " " PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO"

TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO. (s15h   PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500560 - TECNICO EM SEGURANCA DO TRABALHO Nivel: Tecnico Area Profissional: 0044 - CONSTRUCAO CIVIL-TEC Area de Atuacao: 0395 - SEG.TRABALHO/CONSTR.CIVIL-TEC

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000023 - COMUNICACAO SOCIAL - JORNALISMO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001844 - TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLV.DE SISTEMAS Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0021 - OPERACAO

Leia mais

Criar e desenvolver projetos grafico- visuais, utilizando tecnicas de desenho manual ou eletronico.

Criar e desenvolver projetos grafico- visuais, utilizando tecnicas de desenho manual ou eletronico. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000598 - DESIGN Nivel: Superior Area Profissional: 0009 - DESIGN Area de Atuacao: 0240 - ARTE PROJ.DESENHO/DESIGN Criar e desenvolver projetos

Leia mais

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior

(s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000065 - LETRAS Nivel: Superior Area Profissional: 0004 - BIBLIOTECA Area de Atuacao: 0042 - ACERVO/BIBLIOTECA Analisar e processar

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: COMUNICACAO Area de Atuacao: EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000232 - ADMINISTRACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0122 - RELACIONAMENTO CLIENTE/COM. Planejar

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000184 - SISTEMAS DE INFORMACAO Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area de Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS

Estado: ESPIRITO SANTO RESPONSABILIDADES GERAIS DA GESTAO DO SUS PLANILHA DE PACTUAÇÃO DAS - TCG Data da Validação: 31/03/2010 Data da Homologação: 12/04/2010 Revisão Nº:001 Pedido de Revisão: 30/03/2010 Portaria: 2.846 Data da Publicação: 25/11/2008 Estado: ESPIRITO

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

ENGENHARIA DE SOFTWARE PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 002312 - ENGENHARIA DE SOFTWARE Nivel: Superior Area Profissional: 0018 - INFORMATICA Area Atuacao: 0018 - BANCO DE DADOS/INFORMATICA

Leia mais

REFLETINDO A EAD: ALGUMAS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NA WEB E NO COTIDIANO

REFLETINDO A EAD: ALGUMAS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NA WEB E NO COTIDIANO REFLETINDO A EAD: ALGUMAS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NA WEB E NO COTIDIANO Goiânia-GO, 04-2014 Lorrane de Lima Primo Pontifícia Universidade Católica de Goiás lorraneprimo@gmail.com Márcia Maria de Melo

Leia mais

GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã

GEOPROCESSAMENTO. Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ. ções espaciais, geraçã GEOPROCESSAMENTO Conjunto de ferramentas usadas para coleta e tratamento de informaçõ ções espaciais, geraçã ção o de saídas na forma de mapas, relatórios, rios, arquivos digitais, etc; Deve prover recursos

Leia mais

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500446 - TECNICO EM INFORMATICA Nivel: Tecnico Area Profissional: 0042 - COMERCIO-TEC Area de Atuacao: 0440 - BANCO DADOS/COMERCIO-TEC

Leia mais

Mapas da Geografia e cartografia temática

Mapas da Geografia e cartografia temática Introdução Quando se fala em mapas, imediatamente se faz associação à Geografia. É um aspecto eminentemente cultural. Os mapas, portanto, representariam a Geografia, tudo o que é geográfico. Tais construtos

Leia mais

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao.

Planejar, administrar, desenvolver e implementar banco de dados e sistemas integrados de informacao. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000053 - ENGENHARIA DA COMPUTACAO Nivel: Superior Area Profissional: INFORMATICA Area de Atuacao: BANCO DE DADOS/INFORMATICA Planejar, administrar,

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PSICOLOGIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE PSICOLOGIA Coronel Fabriciano 2012 2 Sumário 1 Apresentação... 3 2 Objetivos... 4 3 Aspectos legais... 4 4 Requisitos acadêmicos... 4 5 Estrutura curricular organizacional

Leia mais

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados.

Prestar assistencia tecnica no conserto e reparo de equipamentos eletronicos, domesticos, microprocessadores e microcontrolados. PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500702 - ELETROTECNICA - MOD. Nivel: Tecnico Area Profissional: 0047 - ELETRICA-ELETRONICA-TEC Area de Atuacao: 0349 - ASSIST.TEC./ELETR.-TEC

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000026 - COMUNICACAO SOCIAL - PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES

INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES INSCRIÇÃO E EDITAL PARA SUBMISSÃO DE PÔSTERES Convite para participação da Chamada para Submissão de Pôsteres no I Encontro Jurídico Interinstitucional e I Encontro de Docentes do Ensino Jurídico. A OAB

Leia mais

A INCLUSÃO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

A INCLUSÃO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1 A INCLUSÃO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA MACIEL, Rosana Mendes FPM macielrosana28@hotmail.com Este estudo insere se no âmbito das investigações sobre políticas e gestão em Educação e tem como temática

Leia mais

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã ção o das IFES (Açõ ções propostas em discussão) o) Objetivo Geral Consolidar e expandir os programas de formaçã ção o pós-graduada p de pessoas pelas Instituiçõ

Leia mais

ESTA NASCENDO UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INCLUSIVA EM CURITIBA

ESTA NASCENDO UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INCLUSIVA EM CURITIBA ESTA NASCENDO UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE NOS AJUDAR A REALIZAR ESTE PROJETO { Solicitação de doação por incentivo scal } COMTIBA Prefeitura Municipal

Leia mais

II. Atividades de Extensão

II. Atividades de Extensão REGULAMENTO DO PROGRAMA DE EXTENSÃO I. Objetivos A extensão tem por objetivo geral tornar acessível, à sociedade, o conhecimento de domínio da Faculdade Gama e Souza, seja por sua própria produção, seja

Leia mais

SEQÜÊNCIA PEDAGÓGICA DO ESPORTE ORIENTAÇÃO (Direção e distância)

SEQÜÊNCIA PEDAGÓGICA DO ESPORTE ORIENTAÇÃO (Direção e distância) SEQÜÊNCIA PEDAGÓGICA DO ESPORTE ORIENTAÇÃO (Direção e distância) JOSÉ OTAVIO FRANCO DORNELLES Bacharel em EF CREF2/RS 3700 jodornelles@uol.com.br 1. A APRENDIZAGEM A aprendizagem é o centro de toda a educação.

Leia mais

JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA RESUMO

JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA RESUMO Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283 JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA SOUZA, Elisangela Ruiz de 1 MUNIZ, Valdinéia C. B. Q. 2 FORGIARINI,

Leia mais

O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES

O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES MARIA LUISA MACHADO CERDEIRA SUB Hamburg A/529934 O FINANCIAMENTO DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUES A PARTILHA DE CUSTOS Tese orientada por: PROFESSOR DOUTOR BRUCE JOHNSTONE PROFESSOR DOUTOR ANTONIO SAMPAIO

Leia mais

Graduanda em Geografia pela Universidade de São Paulo. Bolsista de iniciação científica da FUSP/BNDES. Contato: ca-milafranco@hotmail.

Graduanda em Geografia pela Universidade de São Paulo. Bolsista de iniciação científica da FUSP/BNDES. Contato: ca-milafranco@hotmail. Implementação de bancos de dados georeferenciados das Viagens Filosóficas Portuguesas (1755-1808) e a criação de um material didático com o uso do Google Earth. Camila Franco 1 Ermelinda Moutinho Pataca

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS SÉRIES INICIAIS

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS SÉRIES INICIAIS ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA: PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NAS SÉRIES INICIAIS Ricardo Bahia Rios/Universidade do Estado da Bahia rbrios@uneb.br Julyend Silva Mendes/Universidade do Estado da Bahia july.mendess@hotmail.com

Leia mais

X Passeio BTT Rota do Javali

X Passeio BTT Rota do Javali X Passeio BTT Rota do Javali Regulamento O X Passeio BTT Rota do Javali e promovido e organizado pelo MIFT (Movimento Independente da Freguesia de Tremez) e realiza-se no dia 12 de Abril de 2015. I (Percursos)

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000025 - COMUNICACAO SOCIAL - RELACOES PUBLICAS Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0113 - REL.PUBLICAS/COMUNICACAO

Leia mais

PROGRAMAÇÃO GERAL DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO GERAL DO EVENTO BOLETIM INFORMATIVO Nr 1 A Confederação Brasileira de Orientação (CBO) e a Federação de Orientação de São Paulo (FOSP), têm a honra em convidar V.Sa. para participar da 1ª ETAPA DO XVI CAMPEONATO BRASILEIRO

Leia mais

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações

Modelagem, qualificação e distribuição em um padrão para geoinformações Mdelagem, qualificaçã e distribuiçã em um padrã para geinfrmações Julia Peixt 14h, 14 de junh de 2010. Mtivaçã Acerv de dads desde 1994 em diferentes áreas de pesquisa; Muitas pessas fazend muits trabalhs

Leia mais

REGULAMENTO DA EXTENSÃO Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF

REGULAMENTO DA EXTENSÃO Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF REGULAMENTO DA EXTENSÃO Faculdade de Direito de Alta Floresta - FADAF 2010 SUMÁRIO CAPÍTULO I... 3 DA CONCEPÇÃO E OBJETIVOS... 3 CAPÍTULO II... 4 DAS AÇÕES EXTENSIONISTAS... 4 CAPÍTULO III... 6 DA COMPETÊNCIA

Leia mais

TOTAL - FISCAL 12.823.048 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 12.823.048

TOTAL - FISCAL 12.823.048 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 12.823.048 ORGAO : 14000 - JUSTICA ELEITORAL UNIDADE : 14101 - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL 0570 GESTAO DO PROCESSO ELEITORAL 12.823.048 02 126 0570 2365 ATUALIZACAO E MANUTENCAO DO SISTEMA DE VOTACAO E APURACAO 02

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

DIOGO JANUÁRIO DA SILVA

DIOGO JANUÁRIO DA SILVA UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM EDUCAÇÃO FÍSICA DIOGO JANUÁRIO SILVA RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ATIVIDADES

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE 0 ExERCITO PORTUGuES E 0 PSICOGYM - PSICOLOGIA E GINASIO DE COMPETENCIAS. 1. Preambulo

PROTOCOLO ENTRE 0 ExERCITO PORTUGuES E 0 PSICOGYM - PSICOLOGIA E GINASIO DE COMPETENCIAS. 1. Preambulo PROTOCOLO ENTRE 0 ExERCITO PORTUGuES E 0 PSICOGYM - PSICOLOGIA E GINASIO DE COMPETENCIAS. 1. Preambulo A celebracao do presente protocolo tern como objectivo assegurar aos militares, militarizados e aos

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Atuar na manipulacao de substancias para composicao de formulas magistrais e fitoterapicas.

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Atuar na manipulacao de substancias para composicao de formulas magistrais e fitoterapicas. (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000055 - FARMACIA Nivel: Superior Area Profissional: 0014 - FARMACIA Area Atuacao: 0295 - MANIPULACAO FORMULAS/FARMACIA Atuar na manipulacao

Leia mais

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006.

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. 55 Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. Depois desta etapa no módulo seguinte realizou-se um trabalho de campo na área localizada anteriormente, registraram-se as coordenadas

Leia mais

A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt. Portugal

A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt. Portugal A Cartografia, o Cadastro e as Infra-estruturas de Informaçã ção o Geográfica em Rui Pedro Julião Subdirector-Geral do IGP rpj@igeo.pt Portugal Tópicos Enquadramento Portugal Instituto Geográfico Português

Leia mais

2013-2013 Curso de curta duração em Inseminação Artificial em Bovinocultura. Fazenda Paraíso, FAZENDA PARAÍSO, Brasil

2013-2013 Curso de curta duração em Inseminação Artificial em Bovinocultura. Fazenda Paraíso, FAZENDA PARAÍSO, Brasil CURRICULUM VITAE JULIO RAMOS REIS Endereço: Rua Iraci, 712, Boa Esperança Patrocínio - MG CEP: 38740-000 Telefones: (34) 9178-4616 / (34) 9903-1156 E-mail: julioramosreis@gmail.com Dados pessoais Filiação

Leia mais

DIRETRIZES DA EXTENSÃO NA FDV

DIRETRIZES DA EXTENSÃO NA FDV DIRETRIZES DA EXTENSÃO NA FDV 1 INTRODUÇÃO O artigo 207 da Constituição Brasileira preceitua que as universidades devem obedecer ao princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. A

Leia mais

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC)

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) Escola de Enfermagem Wenceslau Braz DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem da Escola de Enfermagem Wenceslau Braz (EEWB) da cidade

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: Presencial Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade

Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade Aprendizagem continuada ao longo da vida o exemplo da terceira idade José Armando Valente * Resumo: A formacao de qualquer individuo, para viver e ser capaz de atuar na sociedade do conhecimento, nao pode

Leia mais

VI Colóquio de Pesquisa sobre Instituições Escolares

VI Colóquio de Pesquisa sobre Instituições Escolares VI Colóquio de Pesquisa soe Instituições Escolares FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DOS PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA: PERCURSOS E PERSPECTIVAS DEFININDO AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA ESCOLA ATUAL COQUEMALA,

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa

ESTADO DE MATO GROSSO - PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER Identificação de Programas. Lei Autorizativa CAMARA MUNICIPAL ACAO DO LEGISLATIVO Atender as necessidades do Municipio, viabilizar aprovacoes de Projetos de Leis de interesse do municipio; suporte tecnico politico. Oferecer suporte conceitual de

Leia mais

COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR.

COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR. COMPARATIVO DOS CONTEÚDOS MAIS ABORDADOS NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FISICA INFANTIL ENTRE ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS DO MUNICIPIO DE CAMPO MOURÃO-PR. Michely Mattia* Joel Oliveira de Souza** Morgana Claudia

Leia mais

MAPEAMENTO SISTEMÁTICO: SOFTWARE ONDE ESTOU?

MAPEAMENTO SISTEMÁTICO: SOFTWARE ONDE ESTOU? MAPEAMENTO SISTEMÁTICO: SOFTWARE ONDE ESTOU? IVAN DORNELAS FALCONE DE MELO 1 ANA LÚCIA BEZERRA CANDEIAS 2 EDUARDO BARBOSA MENDES UFPE Universidade Federal de Pernambuco Av. Acadêmico Hélio Ramos s/n, Cidade

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 001616 - TECNOLOGIA EM FOTOGRAFIA E IMAGEM Nivel: Superior Area Profissional: 0006 - COMUNICACAO Area de Atuacao: 0110 - EDITORACAO/COMUNICACAO

Leia mais

A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM

A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM A BASE DE DADOS DO ARQUIVO FOTOGRÁFICO MUNICIPAL DA FIGUEIRA DA FOZ IMPLEMENTACÁO COM BIBLIOBASE IMAGEM Guida da Silva Cándido Arquivo Fotográfico Municipal da Figueira da Foz - Portugal APRESENTACÁO A

Leia mais

PREMIO Ser Humano LUIZ TARQUINIO

PREMIO Ser Humano LUIZ TARQUINIO PREMIO Ser Humano LUIZ TARQUINIO Modalidade: Gestão de Pessoas e/ou Recursos Humanos Categoria: Organizacional (Empresa Privada ate 50 empregados) Empresa Participante: Prospecta Treinamentos Ltda. Case

Leia mais

CARTA-CIRCULAR 2.826 --------------------

CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- CARTA-CIRCULAR 2.826 -------------------- Divulga relacao de operacoes e situacoes que podem configurar indicio de ocorrencia dos crimes previstos na Lei n. 9.613, de 03.03.98, e estabelece procedimentos

Leia mais

Relação de Oficinas XI ENAP 2012. Segunda-feira 10 de setembro de 2012 (NOITE) 19h15 às 22h15h

Relação de Oficinas XI ENAP 2012. Segunda-feira 10 de setembro de 2012 (NOITE) 19h15 às 22h15h Relação de Oficinas XI ENAP 2012 Segunda-feira 10 de setembro de 2012 (NOITE) 15h 1) Bullying: estratégias de intervenção Palestrante: Ana Carina Stelko Pereira Formação: Psicóloga, Mestre em Educação

Leia mais

Coordenadora do Curso: Profa. Maria de Jesus de Britto Leite Dzelme

Coordenadora do Curso: Profa. Maria de Jesus de Britto Leite Dzelme UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UFPE CENTRO DE ARTES E COMUNICAÇÃO - CAC CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Coordenadora do Curso: Profa. Maria de Jesus de Britto Leite Dzelme IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.

Leia mais

Maiores conjuntos arquitetônicos do mundo; Gastronomia com influência Indígena, Africana e Portuguesa; Harmonia dos atrativos e gente hospitaleira;

Maiores conjuntos arquitetônicos do mundo; Gastronomia com influência Indígena, Africana e Portuguesa; Harmonia dos atrativos e gente hospitaleira; Efervescência Cultural; Maiores conjuntos arquitetônicos do mundo; Gastronomia com influência Indígena, Africana e Portuguesa; Harmonia dos atrativos e gente hospitaleira; Deserto de Areias brancas com

Leia mais

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África escrito por & ilustrado por Rogério de A. Barbosa Eduardo Engel Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

OS SIGNIFICADOS DA ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL OS SIGNIFICADOS DA ARTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Gilvânia Maurício Dias de Pontes Universidade Federal do Rio Grande do Norte Brasil O trabalho dos professores de Educação Infantil envolve estar atento a construção

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO MONITORAMENTO ALARME E IMAGENS SEGURANÇA PESSOAL VIGILÂNCIA DESARMADA SHOWS E EVENTOS PLANO DE SEGURANÇA

TERCEIRIZAÇÃO MONITORAMENTO ALARME E IMAGENS SEGURANÇA PESSOAL VIGILÂNCIA DESARMADA SHOWS E EVENTOS PLANO DE SEGURANÇA PARA SUA SEGURANÇA Histórico Fundada em 1997, com atividade comercial para serviços especializados de vigilância e segurança privada, obtendo junto ao Departamento de Polícia Federal, autorização de funcionamento

Leia mais

Câmpus Alfenas SUMÁRIO. Cláudio Novaes... 2. Eliane Souza dos Santos... 3. Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4. Fernanda Alice de Santana...

Câmpus Alfenas SUMÁRIO. Cláudio Novaes... 2. Eliane Souza dos Santos... 3. Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4. Fernanda Alice de Santana... Câmpus Alfenas 14 de agosto de 2010 SUMÁRIO Cláudio Novaes... 2 Eliane Souza dos Santos... 3 Elizabeth Aparecida Santos de Oliveira... 4 Fernanda Alice de Santana...5 Mary Silva Faria... 6 Valéria de Oliveira

Leia mais

REFERENCIA INSTITUCIONAL:

REFERENCIA INSTITUCIONAL: TITULO: Programa de Integração Docente Assistencial entre a Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP e a Secretaria Municipal de Saúde de Diadema - PIDA-DIADEMA EIXO: Extensão, Docência e Investigação

Leia mais

A Problemática do Lixo: Trabalhando a Reciclagem nas Escolas

A Problemática do Lixo: Trabalhando a Reciclagem nas Escolas III SIMPÓSIO SOBRE A BIODIVERSIDADE DA MATA ATLÂNTICA. 2014 431 A Problemática do Lixo: Trabalhando a Reciclagem nas Escolas A. C. Costa 1, W. M. da Costa 1 *, R. L. B. Carreço 1, M. J. A. de Oliveira

Leia mais

Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília Curso de Especialização em Gestão da Segurança da

Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília Curso de Especialização em Gestão da Segurança da Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade de Brasília Curso de Especialização em Gestão da Segurança da Informação e Comunicações 1 - Há milhões e milhões de anos

Leia mais

O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL

O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL O PROJETO DE VIDA: ESCOLAS DO PROGRAMA ENSINO INTEGRAL Sandra Maria Fodra Secretaria Estadual de Educação de São Paulo / Pontifícia Universidade Católica Resumo: Este artigo apresenta o desenvolvimento

Leia mais

REVISITA AO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO. Escolas e CMEIs SME /PMPG 2015

REVISITA AO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO. Escolas e CMEIs SME /PMPG 2015 REVISITA AO PROJETO POLITICO PEDAGÓGICO Escolas e CMEIs SME /PMPG 2015 QUAL O SIGNIFICADO E A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA A ESCOLA/CMEI? Não há ventos favoráveis para quem não sabe

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º As Atividades Complementares (AC), doravante assim denominada, têm como objetivo geral flexibilizar e enriquecer a formação acadêmica e profissional proporcionada

Leia mais

BTT, AMBIENTE E TURISMO modelos de desenvolvimento local Conferência Aberta/Participativa

BTT, AMBIENTE E TURISMO modelos de desenvolvimento local Conferência Aberta/Participativa Conferencistas Yu- Fai Leung North Carolina State University, Estados Unidos da América Catherine Pieckering Griffith University, Austrália A prática recreativa e/ou desportiva do BTT nos últimos anos

Leia mais

TÉCNICAS ELEMENTARES DE ORIENTAÇÃO

TÉCNICAS ELEMENTARES DE ORIENTAÇÃO TÉCNICAS ELEMENTARES DE ORIENTAÇÃO LEITURA DO MAPA A Legenda A aprendizagem da simbologia inserida no mapa e a sua relação com o terreno revela-se importante para o sucesso na realização de percursos de

Leia mais

Novo Sistema de Acesso ao Restaurante Universitário da UFSCar campus São Carlos

Novo Sistema de Acesso ao Restaurante Universitário da UFSCar campus São Carlos Pró Reitoria de Assuntos Comunitários e Estudantis ProACE COMUNICADO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO Novo Sistema de Acesso ao Restaurante Universitário da UFSCar campus São Carlos ProACE Pró Reitoria de Assuntos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO ATA RESUMO DA 4ª REUNIÃO DE FECHAMENTO REALIZADA EM 20 DE SETEMBRO DE 2012 REFERENTE AO PDI 2012-2016

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO ATA RESUMO DA 4ª REUNIÃO DE FECHAMENTO REALIZADA EM 20 DE SETEMBRO DE 2012 REFERENTE AO PDI 2012-2016 UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO ATA RESUMO DA 4ª REUNIÃO DE FECHAMENTO REALIZADA EM 20 DE SETEMBRO DE 2012 REFERENTE AO PDI 2012-2016 Dando continuidade aos trabalhos de fechamento do PDI 2012-2016,

Leia mais

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL IDENTIFICAÇÃO Nome: Saulo Augusto Rocha Nascimento Sexo: Masculino Estado civil: Solteiro Data de Nascimento: 19/04/1985 Idade: 25 anos Endereço: Rua Nestor Soares de Melo, n 25, 202 Bairro: Palmares Cidade:

Leia mais

Didática da literatura no ensino de E/LE: teoria e prática

Didática da literatura no ensino de E/LE: teoria e prática Didática da literatura no ensino de E/LE: teoria e prática Profa. Dra. Ana Cristina dos Santos (UERJ-IL/ UVA) El texto literario no está acabado en sí mismo hasta que el lector lo convierte en un objeto

Leia mais

O Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR

O Processo de Convergência das Normas Brasileiras de Contabilidade e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR O Processo de Convergência das Normas Brasileiras e Auditoria às Normas Internacionais VERÔNICA SOUTO MAIOR Professora do DCCA/UFPE, Conselheira do CFC, Coordenadora do Comitê Gestor da Convergência no

Leia mais

Análise e Avaliação dos Projetos de Extensão

Análise e Avaliação dos Projetos de Extensão Análise e Avaliação dos Projetos de Extensão Introdução Em 26/10/2005, o Fórum de Vice-Diretores, juntamente com a Pró-Reitoria de Extensão Universitária PROEX elaborou um conjunto de critérios a serem

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS OSÓRIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

Leia mais

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior

PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO. Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 000571 - TECNOL.GESTAO FINANCEIRA Nivel: Superior Area Profissional: ECONOMIA Area de Atuacao: GESTAO FINANCEIRA/ECONOMIA Administrar os

Leia mais

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno

Os desafios para a inovação no Brasil. Maximiliano Selistre Carlomagno Os desafios para a inovação no Brasil Maximiliano Selistre Carlomagno Sobre a Pesquisa A pesquisa foi realizada em parceria pelo IEL/RS e empresa Innoscience Consultoria em Gestão da Inovação durante

Leia mais

Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL

Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL Seção I - INFORMAÇÕES SOBRE O SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO GOVERNAMENTAL O Projeto Sistema Integrado de Gestão Governamental se constitui no desenvolvimento de uma solução sistêmica própria, a ser construída

Leia mais

Administração Vinculada DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS ATO DO PRESIDENTE

Administração Vinculada DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS ATO DO PRESIDENTE Administração Vinculada DEPARTAMENTO DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS ATO DO PRESIDENTE PORTARIA DETRO/PRES. No 505 DE 23 DE MAIO DE 2000. Estabelece os procedimentos para a exploracao de mensagens publicitarias

Leia mais

Guilherme Galvão Camargo Licenciando pela UFSCar/Sorocaba, SP. e-mail: guilhermegalca@gmail.com

Guilherme Galvão Camargo Licenciando pela UFSCar/Sorocaba, SP. e-mail: guilhermegalca@gmail.com Guilherme Galvão Camargo Licenciando pela UFSCar/Sorocaba, SP. e-mail: guilhermegalca@gmail.com Paola Camargo e Rafael Da Róz. Licenciandos do Curso de Geografia UFSCAR/ Sorocaba, SP. Prof. Dr. Ismail

Leia mais

QUANDO NÃO É SÓ A SOCIOLOGIA EM PAUTA: OS DESAFIOS DA AULA INTERDISCIPLINAR DO PLANO DE AULA À DIDÁTICA DO TABLADO

QUANDO NÃO É SÓ A SOCIOLOGIA EM PAUTA: OS DESAFIOS DA AULA INTERDISCIPLINAR DO PLANO DE AULA À DIDÁTICA DO TABLADO QUANDO NÃO É SÓ A SOCIOLOGIA EM PAUTA: OS DESAFIOS DA AULA INTERDISCIPLINAR DO PLANO DE AULA À DIDÁTICA DO TABLADO Jeniffer Modenuti 1 Eliza Carvalho da Costa 2 RESUMO: O desafio da interdisciplinaridade

Leia mais

***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S ***

***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S *** ***************************************************************** *** C A M A R A M U N I C I P A L D E S I N E S *** ***************************************************************** A C T A N.24/99 PAG.

Leia mais

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO

INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES. Excelência na Formação através da Experiência e Aplicação MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO E IEES I EDUCAÇÃO DE SAÚDE INSTITUTO DE EXCELÊNCIA EM EDUCAÇÃO DE SAÚDE IEES Excelência na Frmaçã através da Experiência e Aplicaçã MARKETING FARMACÊUTICO PRÁTICO 1.CARGA HORÁRIA 32 Hras 2.DATA E LOCAL

Leia mais

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO

LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO LUDICIDADE EM SALA DE AULA: O JOGO DA PIRÂMIDE ALIMENTAR COMO UMA PROPOSTA PARA O ESTUDO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇÃO NO ENSINO MÉDIO Luciana Araújo Montenegro (Universidade Federal do Rio Grande do Norte)

Leia mais

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA Objetivos TOPOGRAFIA Gerais Visão geral de Sistemas de Referência Específicos Sistemas de Coordenadas; Sistema de Referência; Datum Geodésico; Sistemas de Referência De acordo

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA Nº 1/2013-PREAE - ANEXO II: Vagas/informações básicas sobre as Ações de Extensão

CHAMADA PÚBLICA Nº 1/2013-PREAE - ANEXO II: Vagas/informações básicas sobre as Ações de Extensão CPTL - Ione da Silva Cunha Nogueira - Docente (ionescn@hotmail.com) ÉTICA, DESENVOLVIMENTO MORAL E RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO NA COMPREENSÃO DA (IN)DISCIPLINA NA SALA DE AULA LICENCIATURAS Dentre os diversos

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social As Atividades Complementares são práticas acadêmicas, obrigatórias para os alunos do UniFIAMFAAM. Essas atividades são apresentadas sob múltiplos

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE RECURSOS HÍDRICOS

SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE RECURSOS HÍDRICOS TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇAO DE PROJETOS PARA O FUNDO DE RECUPERAÇÃO, PROTEÇÃO E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS FHIDRO. SISTEMA DE INFORMAÇÕES SOBRE

Leia mais

PANAFTOSA, OPAS-OMS COOPERAÇAO TÉCNICA MAPA-PANAFTOSA

PANAFTOSA, OPAS-OMS COOPERAÇAO TÉCNICA MAPA-PANAFTOSA PANAFTOSA, OPAS-OMS COOPERAÇAO TÉCNICA MAPA-PANAFTOSA Prgrama II Curs de Epidemilgia Aplicada Ri de Janeir, 13 a 24 de julh de 2009 Dia 13: segunda feira Abertura Bas vindas (Dr. Ottrin Csivi, Diretr PANAFTOSA)

Leia mais

Bem vindos ao Trekking de Regularidade!! Apostila

Bem vindos ao Trekking de Regularidade!! Apostila Amigos e Amigas, Bem vindos ao Trekking de Regularidade!! Apostila O Trekking de Regularidade é uma modalidade esportiva agradável e de esforço moderado. As provas acontecem todo mês e o contato com a

Leia mais

Boas Vindas! Estamos sempre trabalhando para melhoria e conforto de nossos alunos.

Boas Vindas! Estamos sempre trabalhando para melhoria e conforto de nossos alunos. Boletim nº 03/13 Timbiras Agosto /2013 Boas Vindas! A Unidade Timbiras inicia um novo semestre com boas novidades! Alunos dos cursos de Ciências Biológicas, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição,

Leia mais

A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil

A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil A Importância da psicomotricidade no desenvolvimento infantil Aline Daniela Gomes da Silva Vieira Discente de Psicologia Universidade Sagrado Coração Bauru-SP. e-mail: ninedvieira@hotmail.com Raquel Regina

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA DO JUDÔ NO BENEFÍCIO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA DO JUDÔ NO BENEFÍCIO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM A INFLUÊNCIA DA PRÁTICA DO JUDÔ NO BENEFÍCIO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Lucas Henrique da Silva 1 Coautora: Elisângela de Carvalho Franco 2 RESUMO A presente comunicação tem por objetivo apresentar

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE

OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE OS CONHECIMENTOS DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO FÍSICA PARA A ESCOLA HOJE KOGUT, Maria Cristina - PUCPR Cristina.k@pucpr.br SOUZA, Franciely Prudente de Oliveira - PUCPR franciely.oliveira@pucpr.br TREVISOL,

Leia mais

DIPLOMA DO URUGUAI RECONHECIDO NO BRASIL? NÓS TEMOS O QUE MOSTRAR!

DIPLOMA DO URUGUAI RECONHECIDO NO BRASIL? NÓS TEMOS O QUE MOSTRAR! MONTEVIDÉU - URUGUAI DIPLOMA DO URUGUAI RECONHECIDO NO BRASIL? NÓS TEMOS O QUE MOSTRAR! Faça parte do seleto grupo de profissionais que concluíram o seu curso de Mestrado ou Doutorado no Programa Internacional

Leia mais

Grade Curricular - Psicologia (Psicologia - integral)

Grade Curricular - Psicologia (Psicologia - integral) Grade Curricular - Psicologia (Psicologia - integral) SEMESTRE 1 - Obrigatórias BIO0105 Biologia 6 0 6 MAE0112 Introducao a Probabilidade e a Estatistica I 4 0 4 PSA0113 Psicologia da Aprendizagem PSE0101

Leia mais

Formação docente e movimentos sociais: diálogos e tensões cotidianas

Formação docente e movimentos sociais: diálogos e tensões cotidianas A PRÁTICA PEDAGÓGICA E MOVIMENTOS SOCIAIS: DIÁLOGOS FORMATIVOS PARA O TRABALHO DOCENTE NA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA Eliziane Santana dos Santos 1 Ludmila Oliveira Holanda Cavalcante 2 ¹ Bolsista FAPESB,

Leia mais