UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MATEUS HACK DE MENDONÇA PROPOSTA DE FLUXO DE CAIXA PARA UMA DAS FILIAIS DA EMPRESA LAV E LEV

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MATEUS HACK DE MENDONÇA PROPOSTA DE FLUXO DE CAIXA PARA UMA DAS FILIAIS DA EMPRESA LAV E LEV"

Transcrição

1 1 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ MATEUS HACK DE MENDONÇA PROPOSTA DE FLUXO DE CAIXA PARA UMA DAS FILIAIS DA EMPRESA LAV E LEV Biguaçu 2010

2 2 UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÄ MATEUS HACK DE MENDONÅA PROPOSTA DE FLUXO DE CAIXA PARA UMA DAS FILIAIS DA EMPRESA LAV E LEV Trabalho de ConclusÇo de EstÉgio apresentado ao Curso de AdministraÑÇo do Centro de CiÖncias Sociais Aplicadas GestÇo/ BiguaÑu, como requisito para obtenñço do Tátulo de Bacharel em AdministraÑÇo. Professora Orientadora: ClÉudia Catarina Pereira BiguaÑu 2010

3 3 MATEUS HACK DE MENDONÅA PROPOSTA DE FLUXO DE CAIXA PARA UMA DAS FILIAIS DA EMPRESA LAV E LEV Este Trabalho de ConclusÇo de EstÉgio foi considerado adequado para a obtenñço do tátulo de Bacharel em AdministraÑÇo e aprovado pelo Curso de AdministraÑÇo, da Universidade do Vale do Itajaá, Centro de EducaÑÇo de BiguaÑu. àrea de ConcentraÑÇo: AdministraÑÇo Financeira BiguaÑu, 24 de Maio de Prof. Msc. ClÉudia Catarina Pereira UNIVALI CECIESA GESTâO Orientador Prof. Dr.... UNIVALI - CE de BiguaÑu () Prof. Msc.... UNIVALI - CE de BiguaÑu ()

4 4 Dedico este trabalho de conclusão de estágio a minha mãe Déborah Hack, meu irmão Lucas Hack de Mendonça, aos meus avós Djalma Hack e Gerda Hack e a todos os meus poucos e verdadeiros amigos. Por todo apoio que me foi dado ao longo desta caminhada.

5 5 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a DEUS, que me deu o dom da vida, me acompanhou e me guiou desde o início. A minha mãe, que esteve comigo em todos os momentos, me dando força e me agüentando em meio a tantas dificuldades. Ao meu irmão, por todos os momentos que esteve junto comigo, me passando um pouco de sua experiência. Aos meus avós Djalma e Gerda Hack, pelo apoio dado desde o princípio, pelos ensinamentos e carinho. Aos meus tios Josias e Rosângela Hack que me deram muita força no início da minha jornada acadêmica. A minha orientadora, Cláudia Catarina Pereira, pela paciência e ensinamentos que foram essenciais para a elaboração e conclusão desse trabalho. A todos os meus poucos e verdadeiros amigos, que estiveram comigo me apoiando e me dando forças a todo o momento. Aos professores que tive ao longo da minha formação, que contribuíram muito para meu desenvolvimento na área da Administração. Aos proprietários da filial da empresa LAV E LEV, em especial ao administrador e grande amigo Rene José Anderle, por ter permitido esse trabalho em sua empresa e pela dedicação e disposição ao longo do trabalho. E para todos meus familiares e colegas que de alguma forma contribuíram em minha jornada acadêmica.

6 6 Tudo posso naquele que me fortalece Felipenses 4:13

7 7 RESUMO MENDONÅA, Mateus Hack. Fluxo de caixa para a empresa LAV E LEV, localizada no centro de Florianópolis Trabalho de ConclusÇo de EstÉgio (GraduaÑÇo em AdministraÑÇo) Universidade do Vale do Itajaá, BiguaÑu O presente estudo foi realizado na Érea financeira e teve como principal objetivo elaborar um fluxo de caixa para uma filial da empresa LAV E LEV. A empresa na qual o projeto de estégio foi realizado esta localizada no centro da cidade de Florianåpolis, atuando no ramo de lavagem de roupas. A elaborañço do trabalho teve inicio com a realizañço de uma pesquisa bibliogréfica, onde foram utilizados livros das Éreas da administrañço financeira. Alçm disso, foi utilizada pesquisa documental para colher os dados necessérios para montar o fluxo de caixa e conversas informais com o administrador. Apås concluir o fluxo de caixa, foram utilizadas algumas ferramentas do Excel para que fossem criados os gréficos para analisar a situañço financeira da empresa no peráodo abordado. Assim, foi possável identificar como estavam ocorrendo os ingressos e desembolsos da empresa e com isso o administrador passou a ter uma maior clareza da situañço financeira da empresa. Por fim, foi sugerido ao administrador que adotasse a utilizañço da modelo de fluxo de caixa proposto para o pråximo peráodo e tambçm que estendesse essa ferramenta para as demais filiais da empresa LAV E LEV. Palavras-chaves: AdministraÑÇo financeira; fluxo de caixa.

8 8 ABSTRACT MENDONÇA, Mateus Hack. Cash flow for LAV E LEV, a company situated in the central region of Florianópolis Final Internship Report (Bachelor's Degree in Business Administration) -- Universidade do Vale do Itajaí, Biguaçu, The following study was conceived under the subject field of finance, and its main objective was the elaboration of a cash flow analysis for LAV E LEV, a company that deals with laundry services. This internship project was developed by means of close monitoring of the activities of one of the company's branches during a preestablished time span. The selected branch operates in the central region of Florianópolis, Santa Catarina. The elaboration of this report begun with an extensive research on financial administration-related books. Additional documental research was performed in order to collect the necessary data for the cash flow; informal talk with the manager was also used as a method of information gathering. After the cash flow was concluded, Microsoft's Excel application was used to generate the graphs that provided a visual image of the company's financial situation during the period of observation. That way, it was possible to determine the receipts and expenditures of the company, while for the manager it represented a clearer and more detailed view of the company's financial state. Finally, it was suggested to the manager that (s)he should adopt this cash flow model for the next fiscal period, and that (s)he should also apply it on the other branches of LAV E LEV. Keywords: Financial Administration; cash flow

9 9 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO OBJETIVOS Objetivo geral Objetivos específicos JUSTIFICATIVA FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA A função do administrador financeiro Planejamento Financeiro e seus Objetivos Planejamento Financeiro de Longo Prazo Planejamento Financeiro de Curto Prazo FLUXO DE CAIXA Objetivos do Fluxo de Caixa Vantagens e Limitações do Fluxo de Caixa Fluxo de Caixa Direto ou de Tesouraria Fluxo de Caixa Indireto ou Contábil Elaboração do Fluxo de Caixa Fatores que afetam o Fluxo de Caixa Implantação do Fluxo de Caixa Projeção do Fluxo de Caixa Modelos de Fluxo de Caixa Fluxo de Caixa nas Tomadas de decisão ANÁLISE HORIZONTAL E VERTICAL Análise Horizontal Análise Vertical PROCEDIMENTO METODOLÓGICO RESULTADOS OBTIDOS CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ANÁLISE E INTERPRETAÇÃO DE DADOS INGRESSOS DESEMBOLSOS Desembolsos Administrativos Desembolsos com Pessoal Parcelamento de dívidas Desembolsos com fornecedores Desembolsos com Investimentos Desembolsos tributários Total dos Desembolsos Ingressos e Desembolsos PROJEÇÕES DO FLUXO DE CAIXA Variação entre projetado e realizado CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS ANEXOS... 75

10 10 1 INTRODUÇÃO É muito importante que a empresa tenha total conhecimento sobre a sua situação financeira, ou seja, é necessário, para manter a saúde financeira da empresa, que se tenha um acompanhamento contínuo de suas entradas e saídas. Por esse motivo, o fluxo de caixa é uma ferramenta importante para melhor administrar as finanças da empresa, pois explica a origem dos recursos e como os mesmos estão sendo aplicados, facilitando a tomada de decisão. A empresa LAV e LEV foi fundada em 1990 na cidade de Porto Alegre, atua há 20 anos no ramo de lavagem de roupas. É uma empresa familiar que possui quatro filiais em Florianópolis, sendo que a loja que será abordada no presente estudo é a do centro da cidade. Pelo fato de não possuir um controle efetivo de suas contas, a empresa LAV E LEV percebeu a necessidade de organizar suas finanças, para visualizar com clareza o destino de suas entradas e saídas. Para conseguir essa clareza em suas contas, foi elaborado um fluxo de caixa para ser implantado na filial da empresa em estudo. Assim, colocou-se a seguinte questão norteadora: Como elaborar um fluxo de caixa que atenda às necessidades da empresa LAV E LEV? Desse modo, a fim de melhor direcionar os estudos e atividades, referentes ao presente estudo, definiu-se os objetivos, que serão apresentados na seqüência.

11 OBJETIVOS Objetivo geral Propor um fluxo de caixa para uma franquia da empresa LAV e LEV, localizada em Florianópolis, no período de Agosto de 2009 a Junho de Objetivos específicos Elaborar a fundamentação teórica sobre o fluxo de caixa a partir do estudo da literatura sobre o tema; Investigar itens relevantes para a elaboração do fluxo de caixa, entradas e saídas da empresa LAV e LEV; Desenvolver um modelo de fluxo de caixa para a empresa LAV e LEV; Desenvolver a análise horizontal e vertical do fluxo de caixa; Elaborar um fluxo de caixa projetado; Analisar as variações entre o projetado e o realizado. 1.2 JUSTIFICATIVA O estudo das finanças da empresa mostra como está à saúde da mesma. Por esse motivo, é necessário que suas entradas e saídas estejam bem claras, para que os gestores tenham facilidade em diagnosticar qualquer problema no menor tempo possível e, através desse diagnóstico, traçar metas para melhor alocar seu capital. A implantação de um fluxo de caixa é uma ótima alternativa para organizar as contas da empresa LAV e LEV, que visualizou a necessidade de organizar suas contas para conseguir identificar com clareza possíveis desperdícios e, assim, controlar seus gastos. Para o acadêmico, o estudo para a implantação de um fluxo de caixa na empresa é visto como uma ótima oportunidade de aplicar os conhecimentos obtidos ao longo do curso de Administração. O momento atual em que se encontra a LAV e LEV é muito oportuno para a implementação do fluxo de caixa. Por se tratar de uma empresa familiar, as suas

12 12 contas sempre foram controladas pelos proprietários, que não possuem uma formação adequada para aplicar as ferramentas necessárias para melhor administrar as finanças da empresa. Por esse motivo, a empresa em 18 anos ainda não possui um fluxo de caixa. Outro fator que torna o momento muito propício para essa mudança é que uma das sócias está colocando seu filho para administrar sua área e o fato do mesmo ser acadêmico de Administração, favorece a abertura a novas idéias para que a empresa apresente cada vez melhores resultados. A implantação de um fluxo de caixa na LAV e LEV é viável, pois o acadêmico terá total acesso às informações da empresa pelo fato de seus gestores quererem muito implantar um fluxo de caixa. Os conhecimentos do acadêmico na área financeira adquiridos ao longo do curso de Administração, somado ao acesso as informações da empresa, tornam o projeto viável.

13 13 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo será apresentado o referencial teórico que servirá de suporte para a elaboração deste trabalho. Para tanto, os temas estão dispostos em seções abordando a Administração Financeira, Finanças, Função do administrador financeiro, Fluxo de Caixa, Planejamento do fluxo de caixa, requisitos básicos para elaboração do fluxo de caixa e implantação do fluxo de caixa. 2.1 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Com o mercado globalizado e as grandes concorrências dos dias atuais, percebe-se que é imprescindível para o sucesso de uma empresa que a mesma possua uma boa área financeira. Para controlar a saúde da organização dentro desse mercado de altos e baixos, é necessário que se tenha pessoas capacitadas e atualizadas com essas constantes mudanças, para que sempre se tomem as devidas providências a tempo de evitar problemas para as finanças da empresa. Esse papel deveria ser desempenhado pelo administrador financeiro dentro das organizações, porém nem sempre é o que acontece, fato esse que acaba prejudicando as finanças das empresas que tem a frente de sua área financeira, profissionais que não são capacitados para tal função. Segundo Hoji (2000, p. 21), para a administração financeira, as empresas têm como principal objetivo econômico à valorização do seu valor dentro do mercado, e através disso aumentar os lucros de seus proprietários que almejam sempre um retorno proporcional aos riscos que a empresa ficou exposta. Gitman (1997, p. 4) afirma que a administração financeira nada mais é do que as responsabilidades de um administrador financeiro dentro de uma organização, pois é através do bom desempenho dessas funções que se alcança o objetivo principal das organizações, que é a maximização do lucro da empresa e de seus proprietários. O mesmo autor (1997, p. 7-11) defende também que existem três tipos de organização, como segue: firma individual, sociedades e sociedade anônima. As firmas individuais são as mais comuns, porém as sociedades anônimas são mais atraentes no que se refere à criação de receitas e lucros. Independente do tipo de organização a função da administração financeira vai sempre depender do tamanho

14 14 da empresa, geralmente nas pequenas empresas a função da administração financeira é realizada pela área da contabilidade, e com o crescimento da organização é criado um setor próprio, e com isso a administração financeira passa a ter mais autonomia. Na mesma linha, Ross, Westerfield e Jordan (1998, p ) sustentam que o principal objetivo da administração financeira é de maximizar os lucros das empresas independente de a empresa ser uma firma individual, uma sociedade de pessoas ou uma sociedade por ações, porém os objetivos podem variar, por exemplo, em uma sociedade por ações o objetivo principal é a valorização de cada ação existente, pois todo acionista compra ações buscando um retorno financeiro, portanto para essas empresas, o principal objetivo da administração financeira é sempre buscar maneiras de proporcionar valorização de suas ações no mercado, para que ocorra também um aumento do capital de seus proprietários. Defendendo sua visão Zdanowicz (2000, p ) afirma que a administração financeira tem a função de melhor captar e distribuir recursos visando o melhor desempenho de suas atividades, buscando alcançar seus objetivos. Tendo como prioridade honrar seus deveres com terceiros e maximizar o lucro dos acionistas ou proprietários da empresa. Baseado nas afirmações dos autores acima descritos, conclui-se que a administração financeira tem como principal objetivo à maximização dos lucros da empresa, através do trabalho do administrador financeiros, buscando sempre novas formas de se adaptar ao mercado, para valorizar suas ações e consequentemente aumentar o capital financeiro de seus acionistas e proprietários A função do administrador financeiro De acordo com Hoji (2000, p. 23), o administrador financeiro tem três funções primordiais, que são: Analisar, planejar e fazer o controle financeiro: tem a função de controlar todas as atividades financeiras da empresa, fazendo a análise através dos dados financeiros e controlando a quantidade de capital necessária, para que ocorram as atividades normais da empresa.

15 15 Tomar as decisões de investimento: acompanhar as atividades da empresa de tal forma que identifique o momento oportuno para realizar investimentos, sempre analisando se o mesmo é viável medindo seu grau de risco e retorno. Tomar as decisões de financiamento: analisar as necessidades de obtenção de recursos financeiros para financiamento de ativos correntes e não correntes da empresa. Segundo o mesmo autor Hoji (2000, p. 23), o administrador financeiro recebe suporte de outras áreas da empresa, como a área de Controladoria e Tesouraria, para que realize essas funções com maior nível de acerto possível. Na mesma abordagem, Gitman (1997, p. 4-14) sustenta que o administrador financeiro administra as atividades financeiras de todos os tipos de empresas, desde as empresas privadas ou públicas, até as sem fins lucrativos. E para desempenhar tal atividade, utilizam variadas ferramentas como: previsões financeiras, visualizações de balanços, administração do crédito, entre outras. O mesmo autor (1997, p. 4) afirma também que nos últimos anos, a função do administrador financeiro se tornou muito mais complexa e suas responsabilidades aumentaram muito, devido às mudanças no ambiente econômico. Fatos esses que mostram cada vez mais a importância desse profissional para as empresas de todos os tipos. Gitman (1997, p ), semelhante a Hoji, também cita as três funções básicas do administrador financeiro, que são: Realizar análise e planejamento financeiros: onde o administrador financeiro organiza os dados financeiros da empresa, de forma que fique mais fácil a compreensão da situação financeira da mesma; avalia se é necessário aumentar ou reduzir a capacidade de produção da empresa; e visualiza a necessidade ou não de buscar financiamentos. Tomar decisões de investimento: esse tipo de decisão parte da combinação entre ativos circulantes e permanentes, e do tipo de investimento que estão no balanço patrimonial da empresa. O administrador financeiro deve fazer uma análise geral dos ativos permanentes da empresa, e verificar a necessidade de manter os já

16 16 existentes, ou de adquirirem novos. De acordo com o autor essas decisões estão relacionadas com o lado esquerdo do balanço. Tomar decisões de financiamento: para tomar uma decisão de financiamento é necessário que o administrador financeiro faça uma forte análise do mercado, para saber quais são as melhores fontes de financiamento disponíveis. Essas tomadas de decisão partem da melhor combinação entre financiamentos de curto e de longo prazo, e também da análise da atratividade das fontes individuais de financiamento de curto ou de longo prazo. De acordo com o autor, essa atividade está ligada ao lado direito do balanço patrimonial da empresa. O mesmo autor (1997, p. 13) afirma que essas decisões devem sempre ter foco no efeito que terão sobre o fluxo de caixa, independente de serem visualizadas através dos balanços da empresa. Ross, Westerfield e Jordan (1998, p ) sustentam que o administrador financeiro tem três preocupações básicas, que são: Orçamento de capital: onde o administrador financeiro tem que fazer a análise do investimento, procurando verificar se o ganho em valores monetários que a empresa terá com esse investimento, será maior do que o custo para arcar com o mesmo. Estrutura de capital: o administrador financeiro deve fazer o levantamento da situação, para saber quanto de financiamento será necessário para cobrir os investimentos a longo prazo, e quais são os meios mais econômicos para cobrir tal ação. Administração do capital de giro: o administrador financeiro deve fazer um controle minucioso e diário, para ter certeza que a organização tenha capital imediato suficiente para continuar suas atividades do dia-a-dia, sem que nenhum problema financeiro possa vir a abalar de uma hora para a outra suas atividades. Para isso, o administrador financeiro deve visualizar quanto deve ser mantido em caixa e estoque; se a empresa deve vender a prazo; e como conseguir um financiamento de curto prazo de imediato caso ocorra uma emergência.

17 17 Analisando as posições dos autores, conclui-se que existem três funções básicas que devem ser desempenhadas pelo administrador financeiro, que são: controlar toda a área financeira da empresa; tomar decisões de investimentos; e de financiamento. Conclui-se também que a administração financeira trabalha diretamente com outras áreas da organização, para melhor desempenhar suas funções. A tesouraria, a contabilidade e controladoria são exemplos dessas áreas que estão intimamente ligadas à administração financeira. Outro fator que fica claro nas afirmações dos autores é que a função do administrador financeiro tem conquistando cada vez maior importância dentro das organizações Planejamento Financeiro e seus Objetivos Sanvicente (1997, p. 208) afirma que é necessário planejar de que forma os orçamentos da empresa serão utilizados, sendo importante traçar de maneiras claras os objetivos da empresa, bem como definir que recursos utilizar e qual o prazo de tempo para realizar determinada tarefa. Para o autor o planejamento pode ser de longo prazo, ou planejamento de curto prazo. O mesmo autor (1997, p. 209) define que os planejamentos têm por objetivo definir quais são as metas da empresa para o futuro, e que o objetivo dominante da empresa, deve ser o retorno dos investimentos realizados por seus proprietários. Defendendo outra posição, Ross, Westerfield e Jordan (1998, p. 82) conceituam que o planejamento financeiro define de que forma os objetivos financeiros de uma organização podem ser alcançados. Sendo que geralmente essas decisões sobre o futuro da empresa tendem a ser demoradas, por esse motivo o planejamento deve ser feito sempre com antecedência, para se ter uma boa análise da situação. Sobre os objetivos do planejamento financeiros, Ross, Westerfield e Jordan (1998, p. 83) compartilham da mesma opinião de Sanvicente, e afirmam que o principal objetivo dos planejamentos é o aumento do capital dos proprietários. Compartilhando da mesma idéia, Hoji (2007, p.415) afirma que o planejamento nada mais é do que definir com antecedência os objetivos e metas a serem atingidos, que recursos serão utilizados, levando em consideração os

18 18 acontecimentos do mercado e estabelecendo funções claras aos envolvidos para que as metas sejam alcançadas. Partindo de outro princípio, o mesmo autor (2007, p ) define que existem três níveis de planejamento, que são: Planejamento estratégico: é um tipo de planejamento que envolve a alta cúpula da organização, estando geralmente ligado às linhas de produtos ou mercados. Envolvem decisões estratégicas que são muito difíceis, pois envolvem um alto custo e risco, sendo geralmente irreversíveis. Esse tipo de planejamento é de longo prazo; Planejamento tático: é um planejamento que necessita de menos tempo relacionado com o estratégico. E tem por objetivo realizar de melhor forma o que foi definido estrategicamente; Planejamento operacional: tem como objetivo maximizar recursos que foram aplicados em operações de períodos estabelecidos. Sendo um planejamento que varia de curto a médio prazo, que envolve não somente a alta cúpula da empresa e de melhor reversão caso necessário. O processo de planejamento inicia-se com plano financeiros a longo prazo, ou estratégicos, que por sua vez direcionam a formulação de plano e orçamentos operacionais a curto prazo. De forma geral, é por meio desses planos e orçamentos a curto prazo que se implementam os objetivos estratégicos a longo prazo na empresa (GITMAN, 1997, p.588). Nas próximas seções planejamento de Longo Prazo e Curto Prazo. serão detalhados os principais aspectos do Planejamento Financeiro de Longo Prazo Segundo Ross, Westerfield e Jordan (1998, p. 82), é por falta de um planejamento financeiro de longo prazo bem formulado, que muitas empresas encontram dificuldades financeiras e muitas vezes fecham suas portas prematuramente. O planejamento financeiro de longo prazo visa uma análise criteriosa do mercado e de suas tendências, buscando antecipar possíveis problemas futuros, antes que os mesmos surjam. No caso de a empresa visar

19 19 adquirir ativos, é importante ter o planejamento, para verificar se a empresa terá como custear os mesmos no futuro. Partindo de uma visão semelhante, Sanvicente (1997, p. 208) afirma que o planejamento financeiro de longo prazo possui três etapas, que são: Avaliar o mercado atuante: acompanhar as tendências do mercado atuante, através de um acompanhamento contínuo; Estabelecer objetivos; definir metas e objetivos claros, bem como formas de alcançá-los; Documentação do planejamento: elaborar documentos que regulamentem tudo o que foi planejado. Compartilhando da mesma linha de raciocínio, Gitman (1997, p. 588) afirma que o planejamento financeiro de longo prazo é um conjunto de ações que focam o futuro da empresa, sendo esses períodos geralmente de dois a dez anos. O planejamento de longo prazo parte de estratégias definidas para alcançar os objetivos da empresa, e para ter sucesso nas metas estabelecidas são acompanhados vários fatores como: marketing, desperdício de recursos, pesquisas, desenvolvimento de produtos, e fontes de financiamento. Com base no que foi apresentado pelos autores, percebe-se que o planejamento de longo prazo é de muita importância para as empresas, pois através dele os gestores visualizam em que posição pretendem que a empresa esteja no futuro, e estabelecem metas e objetivos para que essas previsões ocorram conforme planejado Planejamento Financeiro de Curto Prazo Segundo Gitman (1997, p ), o planejamento financeiro de curto prazo é estabelecido para períodos de um a dois anos, tendo como base para esse tipo de planejamento previsão de vendas, dados operacionais e financeiros, orçamentos e demonstrações financeiras. Com base na análise desses documentos, é avaliada a situação da empresa quais planos de curto prazo podem ser desenvolvidos sem comprometer a parte financeira da organização.

20 20 Partindo do mesmo princápio, Sanvicente (1997, p ) defende que o planejamento de curto prazo define objetivos de imediato para a empresa, tendo como primeiro passo uma avaliañço criteriosa da situañço financeira da empresa, e do ambiente organizacional, usando como base o planejamento futuro da organizañço, ou seja, sço trabalhados de imediato, projetos que venham a viabilizar o planejamento realizado para o futuro da organizañço. Defendendo sua visço, Ross, Westerfield e Jordan (1998, p. 336) afirmam que o planejamento financeiro de curto prazo esta intimamente ligado ao capital de giro liquido da empresa. Sendo que esse tipo de planejamento ocorre geralmente em um peráodo de um ano, visando melhorias imediatas na organizañço. Analisando as afirmañées dos autores, conclui-se que o planejamento financeiro de curto prazo ç uma ferramenta de muita utilidade para a empresa, pois a partir da mesma sço detectadas as necessidades mais urgentes da organizañço como melhorias em sua estrutura, por exemplo, e sço estipuladas metas para alcanñé-las em um peráodo curto de tempo. Esse planejamento passa por uma criteriosa anélise financeira para ver sua viabilidade, sendo que satisfazendo essas necessidades mais urgentes da empresa, suas atividades tendem a melhorar. 2.2 FLUXO DE CAIXA De acordo com Zdanowicz (2000, p. 19), em meio a um mercado tço competitivo, a funñço da administrañço financeira vem sendo cada vez mais ligada a sobrevivöncia das empresas. Pois atravçs de algumas tçcnicas e ferramentas esse tipo de gestço tem gerado muita seguranña para manter a empresa com uma boa parte financeira. Os fluxos de caixa representam muito bem essa seguranña na organizañço das contas das organizañées. Segundo o mesmo autor (2000, p. 19), o fluxo de caixa ç o instrumento que permite ao administrador financeiro planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de uma empresa para determinado peráodo. O fluxo de caixa tambçm ç conceituado pelo autor (2000, p. 23), como um instrumento que pode ser utilizado pelo administrador financeiro para controlar as entradas e saáda de recursos, bem como diagnosticar se esté havendo algum tipo prejuázo para a empresa.

21 21 Zdanowicz (2000, p. 23) também afirma que o fluxo de caixa pode ser desenvolvido para atender períodos de curto prazo, visando organizar os objetivos da empresa em um período de curto espaço de tempo; ou pode também ser elaborado para longos períodos de tempo, para fins de investimentos no ativo permanente. Em perspectiva similar Oliveira (2006, p ) sustenta que o fluxo de caixa tem como função deixar claro todo o dinheiro que irá entrar e que irá sair do caixa, possibilitando dessa forma que o administrador financeiro identifique possíveis gastos futuros e consiga se organizar com antecedência para pagá-los, ou seja, no fluxo de caixa ficarão explicitado todas as entradas e saídas de caixa e através da análise do fluxo de caixa poderá ser verificado se existe ou não o equilíbrio dessas contas. Partindo de um mesmo princípio, Hoji (2007, p. 76) defende que o fluxo de caixa é uma ferramenta que descreve de forma clara as entradas e saídas de capital de uma empresa dentro de um determinado período pré-estabelecido. O autor reforça que em um fluxo de caixa é necessário que se tenha descrito pelo menos uma saída e uma entrada. Apresentando sua visão, Ross, Westerfield e Jordan (1998, p. 46) afirmam que o fluxo de caixa nada mais é do que a diferença de capital que entra na empresa e a que sai. Sendo que a empresa gera recursos através de diversas atividades e que esse capital é utilizado para pagar terceiros ou é distribuído aos acionistas da empresa. Na mesma concepção Assaf e Silva (2007, p. 40) enfatizam que o fluxo de caixa tem como objetivo principal manter a liquidez imediata da organização, para que a mesma possa manter suas atividades, honrando com seus pagamentos e melhor organizando suas entradas. Os mesmo autores ( 2007, p. 41) afirmam que para um bom desempenho do fluxo de caixa é importante que todos os setores da empresa estejam envolvidos, e através dessa união dos setores sejam obtidas togas as informações necessárias para que o fluxo de caixa tenha a maior precisão possível e com isso reduzindo as necessidades de financiamento e seus custos financeiros. Baseado nas definições dos autores, conclui-se que o fluxo de caixa é uma ferramenta de muita utilidade para as empresas, principalmente nos dias de hoje essa ferramenta se torna de imprescindível valor, pois detalha todas as entradas e

22 22 saídas financeiras da empresa, evitando com que ocorram desfalques que podem ser decisivos para a saúde financeira da empresa, ainda mais com mercados cada vez mais competitivos, onde pequenos desfalques geram enormes problemas. Portanto, esse instrumento deveria ser obrigatório na área financeira de todas as empresas, independente de seu tamanho e área de atuação. Com o fluxo de caixa se obtém um controle real das entradas e saídas de capital da empresa, possibilitando um diagnóstico da saúde financeira da mesma. Mediante esse controle, podem-se alocar melhor os recursos da empresa, evitando desperdícios e investindo da melhor forma possível, para que se obtenham bons resultados em aplicações, caso seja viável Objetivos do Fluxo de Caixa De acordo com Zdanowicz (2000, p ), o fluxo de caixa tem como principal função controlar as entradas e saídas de recursos da empresa, identificando as necessidades de se solicitar empréstimos ou disponibilidades para fazer aplicações em outras áreas, porém outros objetivos podem ser citados como: Realizar uma análise dos recursos financeiros disponíveis e que serão utilizados no desenvolvimento das operações da organização e transações financeiras; Evitar que recursos fiquem parados na empresa enquanto podem estar gerando lucro em outras aplicações, bem como apresentar estudo das melhores aplicações, analisando seu tempo de investimento e sua oscilação; Organizar da melhor forma os recursos financeiros da empresa de acordo com um acompanhamento rigoroso das áreas de vendas, produção e despesas, acompanhando sempre a rotatividade do estoque e prazos de recebimento e pagamento de valores; Caso necessário alavancar recursos através de financiamentos, o fluxo de caixa analisa as melhores opções para que se evite desperdício com altas taxas de juros;

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS DE PEQUENO PORTE Alexandre Prólico Szpyra 1 alexandre.prolico@battistella.com.br Everton Luiz do Nascimento 2 everton@tha.com.br Fabiano Salles de Andrade 3

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Ramon Magalhães Pinto

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Ramon Magalhães Pinto FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Ramon Magalhães Pinto A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA E SUA APLICAÇÃO NA GESTÃO FINANCEIRA DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Pará de Minas 2014 Ramon Magalhães

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 02 A função da Administração Financeira Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO A função da Administração Financeira... 3 1. A Administração Financeira... 3 2. A função

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO

ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 ANÁLISE ECONÔMICA DE BALANÇO 1 QUOCIENTES DE RENTABILIDADE Os Quocientes de Rentabilidade servem para medir a capacidade econômica da empresa, isto é, evidenciam o grau de êxito econômico obtido pelo

Leia mais

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7 FLUXO DE CAIXA SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 INTRODUÇÃO...3 CICLO DO FLUXO DE CAIXA...4 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 FATORES INTERNOS...4 FATORES EXTERNOS...5 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 SINTOMAS...6

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO Odilio Sepulcri 1 Conforme ROSE 1, pode-se representar a administração de uma empresa, de uma forma geral, dividindo em três níveis: operações, estratégia

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas:

Basicamente, o relatório de fluxo de caixa deve ser segmentado em três grandes áreas: CASHFLOW OU FLUXO DE CAIXA 1. CONCEITO É um demonstrativo que reflete dinamicamente o fluxo do disponível da empresa, em um determinado período de tempo. 2. FINALIDADES 2.1. Evidenciar a movimentação dos

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS 1. CONCEITOS A Demonstração do Fluxo de Caixa demonstra a origem e a aplicação de todo o dinheiro que transitou pelo Caixa em um determinado período e o resultado desse fluxo (Iudícibus e Marion, 1999).

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos 1 FLUXO DE CAIXA O fluxo de caixa é o instrumento que permite a pessoa de finanças planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua empresa para determinado período. captação

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Resumo Demonstrações contábeis são informações e dados que as empresas oferecem ao fim de cada exercício, com a finalidade de mostrar aos acionistas, ao governo e todos os interessados,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO Nádia Nascimento Cardoso 1, Carla Cristina Ferreira de Miranda orientadora 2 1 Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas Universidade do Vale Paraíba,

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Alessandra de Almeida Rosa A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NA GESTÃO FINANCEIRA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Pará de Minas 2013 1 Alessandra de Almeida

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Montando o fluxo de caixa pelo método indireto Situações especiais na montagem do fluxo de caixa Caso prático completo Como utilizar os quadros

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 1 Boas vindas! Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você nesta etapa de sua viagem

Leia mais

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques

O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques O Plano Financeiro no Plano de Negócios Fabiano Marques Seguindo a estrutura proposta em Dornelas (2005), apresentada a seguir, podemos montar um plano de negócios de forma eficaz. É importante frisar

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE FLUXO DE CAIXA Por: Adriana Sant Anna dos Santos Orientador Profº.: Luiz Claudio Lopes Alves D.Sc. Rio de Janeiro 2009 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO. Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2,

UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO. Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, UM ESTUDO HISTÓRICO DA ANÁLISE DE BALANÇO BEM COMO A SUAS APLICAÇÕES NO NOSSO TEMPO Paola Guariso Crepaldi 1, Renato Nogueira Perez Avila 2, Elisangela Leme Antonio 3, Viviane Batista Mastelari 4 RESUMO

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1

INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.0 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA 1.1 1.2 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Qual o objetivo das empresas para a administração financeira? Maximizar valor de mercado da empresa; Aumentar a riqueza dos acionistas.

Leia mais

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS

O que é Finanças? 22/02/2009 INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS Prof. Paulo Cesar C. Rodrigues E mail: prdr30@terra.com.br INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS CORPORATIVAS O que é administração financeira? Qual sua importância para as corporações? Como são tomadas as decisões financeiras?

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇOS PARA O GESTOR FINANCEIRO

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇOS PARA O GESTOR FINANCEIRO 1 A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇOS PARA O GESTOR FINANCEIRO Esliane Carecho Borges da Silva (Orientadora- Docente dos cursos de Contabilidade e Tecnologia em Gestão Financeira-AEMS) Jose

Leia mais

AULA 8: FLUXO DE CAIXA

AULA 8: FLUXO DE CAIXA AULA 8: FLUXO DE CAIXA E os estudos, na reta final? A pedidos estou colocando a aula de Demonstração do Fluxo de Caixa. Como é uma matéria nova em Contabilidade Geral, estou fazendo uma introdução teórica

Leia mais

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues

Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI. Prof. Fernando Rodrigues Unidade III FINANÇAS EM PROJETO DE TI Prof. Fernando Rodrigues Quando se trabalha com projetos, é necessária a utilização de técnicas e ferramentas que nos auxiliem a estudálos, entendê-los e controlá-los.

Leia mais

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos

Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Avaliação da Viabilidade Econômico- Financeira em Projetos Aula 1 - Montagem de Fluxo de Caixa de Projetos Elias Pereira Apresentação Professor Alunos Horário 19:00h às 23:00 h com 15 min. Faltas Avaliação

Leia mais

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Marketing Prof. Sidney Leone Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Hoje Você Aprenderá: Demonstrativos financeiros da empresa (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL etc...) Análise econômicofinanceira.(fluxo

Leia mais

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI SOCORRO 2011 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA

Leia mais

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

Unidade II ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade II DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 3 INTRODUÇÃO 1 2 A demonstração dos fluxos de caixa (DFC), a partir de 01/01/08, passou a ser uma demonstração obrigatória, conforme estabeleceu a lei

Leia mais

ANÁLISE DO PROCESSO DE GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS - MG

ANÁLISE DO PROCESSO DE GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS DO MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS - MG XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

AVALIAÇÃO DE EMPRESAS 1 2 sem/11 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alcides T. Lanzana 2 AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Introdução Valuation Métodos de atribuição de valor à empresa 3 USOS DO VALUATION Compra e Venda Fusões e Incorporações

Leia mais

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Prof. Eric Duarte Campos

INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA. Prof. Eric Duarte Campos INTRODUÇÃO A ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Prof. Eric Duarte Campos Objetivos da aula: O objetivo dessa aula é apresentar Noções de tipos básicos de tomadas de decisões; Objetivos da Administração Financeira.

Leia mais

DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO: UM ESTUDO DE CASO NA MRV ENGENHARIA

DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO: UM ESTUDO DE CASO NA MRV ENGENHARIA DESEMPENHO ECONÔMICO-FINANCEIRO: UM ESTUDO DE CASO NA MRV ENGENHARIA Franciane de Oliveira Alvarenga Especialista em Auditoria e Contabilidade Financeira/Faculdade Machado Sobrinho João Paulo de Brito

Leia mais

Peter Drucker diz que administrar é manter as organizações coesas, fazendo-as funcionar.

Peter Drucker diz que administrar é manter as organizações coesas, fazendo-as funcionar. 1º material O que é Administração Financeira? A administração financeira é a disciplina que trata dos assuntos relacionados à administração das Finanças de empresas e organizações. Ela está diretamente

Leia mais

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alexandre Assaf Neto O artigo está direcionado essencialmente aos aspectos técnicos e metodológicos do

Leia mais

FLUXO DE CAIXA -INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO E BASE DE APOIO AO PROCESSO DECISÓRIO Paulo Moreira da Rosa e Almir Teles da Silva

FLUXO DE CAIXA -INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO E BASE DE APOIO AO PROCESSO DECISÓRIO Paulo Moreira da Rosa e Almir Teles da Silva FLUXO DE CAIXA -INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO E BASE DE APOIO AO PROCESSO DECISÓRIO Paulo Moreira da Rosa e Almir Teles da Silva Introdução A crescente complexidade do processo administrativo

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA DE FINANÇAS 1 JUSTIFICATIVA A atividade empresarial requer a utilização de recursos financeiros, os quais são obtidos na forma de crédito e de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PROF. Msc. JOSÉ VICENTE CAMPINAS - SP 2009 2 ANÁLISE

Leia mais

1 Administração de caixa

1 Administração de caixa 3 Administração Financeira Edison Kuster Nilson Danny Nogacz O que é realmente importante saber para uma boa administração financeira? Esta pergunta é comum entre os empresários, em especial aos pequenos

Leia mais

CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS

CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS CONTABILIDADE AVANÇADA CAPÍTULO 1: DEMONSTRAÇÃO DAS ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS 1.1 - CONCEITO A Demonstração das Origens e Aplicações de recursos (DOAR) deixou de ser obrigatória por força da lei

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Introdução as Finanças Corporativas Professor: Roberto César INTRODUÇÃO AS FINANÇAS CORPORATIVAS Administrar é um processo de tomada de decisões. A continuidade das organizações

Leia mais

DECIFRANDO O CASH FLOW

DECIFRANDO O CASH FLOW Por: Theodoro Versolato Junior DECIFRANDO O CASH FLOW Para entender melhor o Cash Flow precisamos entender a sua origem: Demonstração do Resultado e Balanço Patrimonial. O Cash Flow é a Demonstração da

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL

A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL A CONTABILIDADE COMO FERRAMENTA DE GESTÃO EMPRESARIAL Gestão Empresarial Márlio Lúcio Ribeiro Gomes Coorientador: Prof. Evânio de Carvalho Cruz Universidade do Vale do Sapucaí RESUMO Este trabalho tem

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INTRODUÇÃO O objetivo da Administração Financeira é maximizar o patrimônio dos acionistas. A função do administrador financeiro é orientar as decisões de investimentos

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ LEANDRO JOSÉ MARTINS PROPOSTA DE UM FLUXO DE CAIXA PARA A EMPRESA USINAGEM MARTINS

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ LEANDRO JOSÉ MARTINS PROPOSTA DE UM FLUXO DE CAIXA PARA A EMPRESA USINAGEM MARTINS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ LEANDRO JOSÉ MARTINS PROPOSTA DE UM FLUXO DE CAIXA PARA A EMPRESA USINAGEM MARTINS Biguaçu 2012 LEANDRO JOSÉ MARTINS PROPOSTA DE UM FLUXO DE CAIXA PARA A EMPRESA USINAGEM

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Kênia Flávia Viegas de Oliveira A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA GERENCIAL Pará de Minas 2014 Kênia Flávia Viegas de Oliveira A IMPORTÂNCIA

Leia mais

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios

UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios UNIDADE 5 A estrutura de um Plano de Negócios É evidente a importância de um bom plano de negócios para o empreendedor, mas ainda existem algumas questões a serem respondidas, por exemplo: Como desenvolver

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Análise das Demonstrações Financeiras

Análise das Demonstrações Financeiras UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua: Barão de Camargo, nº. 695 Centro Uberlândia/MG. Telefax: (34) 3223-2100 Análise das Demonstrações

Leia mais

FLUXO DE CAIXA IMPORTÂNCIA, COMPOSIÇÃO E APLICAÇÃO NAS EMPRESAS

FLUXO DE CAIXA IMPORTÂNCIA, COMPOSIÇÃO E APLICAÇÃO NAS EMPRESAS UNIGRANRIO - UNIVERSIDADE DO GRANDE RIO CV & C - CONSULTORES ASSOCIADOS MBA EM CONTROLADORIA E FINANÇAS FLUXO DE CAIXA IMPORTÂNCIA, COMPOSIÇÃO E APLICAÇÃO NAS EMPRESAS Fábio Castelo Branco Ponte de Araújo

Leia mais

Análises de demonstrações financeiras

Análises de demonstrações financeiras Análises de demonstrações financeiras Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com Análise da demonstrações financeiras Demonstrações: Importante veículo de comunicação entre empresa

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal Contabilidade e Conciliação Contábil Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos Contabilidade e Conciliação Contábil, que fazem parte do Bloco Contábil

Leia mais

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Quando alguém nos diz que o administrador financeiro é o elemento fundamental dentro de uma empresa, somos levados a perguntar: mas e os demais setores, são de pouca

Leia mais

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) Bibliografia Básica: FANOR MBA Internacional - Finanças DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) CONTATOS: www.netofeitosa.com.br contato@netofeitosa.com.br (85)

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341

Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341 Seu preço de venda é rentável? José Flávio Bomtempo jflavio@uai.com.br 31 8449-6341 Seu preço de venda é rentável? Qual a rentabilidade do Patrimônio Líquido de sua empresa? Quais os itens que estão disponíveis

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA - FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE - FABET JAQUELINE VANESSA MORCHE IMPORTANCIA DA CONTABILIDADE NA GESTÃO EMPRESARIAL Concórdia -

Leia mais

A visão dos administradores em utilizar a ferramenta contábil para tomada. de decisão

A visão dos administradores em utilizar a ferramenta contábil para tomada. de decisão A visão dos administradores em utilizar a ferramenta contábil para tomada *Solange Ribeiro dos Santos *Alessandra Cristina de Souza *Michel Regis Lopes de Lima *Júlio Cesar Siqueira de decisão birobiro21@hotmail.com

Leia mais

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Correção da Prova Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Questão 7 Uma sociedade empresária mantém no seu estoque de mercadorias para revenda três tipos de mercadorias: I, II e III. O valor total

Leia mais

Analise de Rentabilidade. Prof. Peter Wilson

Analise de Rentabilidade. Prof. Peter Wilson Analise de Rentabilidade Prof. Peter Wilson 1 Fases de Crescimento e Desenvolvimento Alto Receita Baixo Tempo 2 Fonte: Venture 1000.com O Consumo do Caixa Apresenta Diferentes Dinâmicas em cada Estágio

Leia mais

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro

Projeções dos Demonstrativos Contábeis. Prof. Isidro Projeções dos Demonstrativos Contábeis Prof. Isidro Planejamento Financeiro O planejamento financeiro de uma empresa busca determinar suas necessidades de caixa e é feito em dois níveis: Curto prazo (operacional)

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 2 Gestão de Fluxo de Caixa Introdução Ao estudarmos este capítulo, teremos que nos transportar aos conceitos de contabilidade geral sobre as principais contas contábeis, tais como: contas do ativo

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE O FLUXO DE CAIXA COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO FINANCEIRA E EMPRESARIAL Por: Andréa Virgínia Martins Pereira Orientador: Sergio

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios Modelo de Plano de Negócios COLEÇÃO DEBATES EM ADMINISTRAÇÃO Empreendedorismo Modelo de Plano de Negócios Elaboração Marcelo Marinho Aidar Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP) F U N

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 3 Gestão de capital de giro Introdução Entre as aplicações de fundos por uma empresa, uma parcela ponderável destina-se ao que, alternativamente, podemos chamar de ativos correntes, ativos circulantes,

Leia mais

ANALISANDO A ESTRATÉGIA ENTRE O APORTE DE CAPITAL E EMPRÉSTIMOS DE ACIONISTAS

ANALISANDO A ESTRATÉGIA ENTRE O APORTE DE CAPITAL E EMPRÉSTIMOS DE ACIONISTAS ANALISANDO A ESTRATÉGIA ENTRE O APORTE DE CAPITAL E EMPRÉSTIMOS DE ACIONISTAS! Se as linhas de crédito estão escassas, qual a melhor estratégia para suprir a empresa com recursos?! É possível manter a

Leia mais

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ):

AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Contabilidade Gerencial e Controladoria Prof. Oscar Scherer Dia 23/03/2012. AULA 04 EXERCÍCIO 06 - ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS (FINANCEIRAS ): Parte importante da administração financeira, devendo

Leia mais

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs...

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs... 1. Aplicar tudo em primeira pessoa (verbos); 2. Aproveitar o maximo do autor de livros finaneceiros, Gitmam ; 3. No item Problema alterar na primeira linha uma àrea para algo como recurso ou instrumento,

Leia mais

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária

NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária NBC TSP 10 - Contabilidade e Evidenciação em Economia Altamente Inflacionária Alcance 1. Uma entidade que prepara e apresenta Demonstrações Contábeis sob o regime de competência deve aplicar esta Norma

Leia mais

COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO (Moving Budget)

COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO (Moving Budget) COMO ELABORAR UM ORÇAMENTO CONTÍNUO! O que é Orçamento Contínuo?! Qual a periodicidade normal para um Orçamento Contínuo?! Como podemos estruturá-lo?! O que é mais importante para um Orçamento Contínuo?!

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

Estudo de Caso sobre o Planejamento Financeiro de uma Empresa Têxtil do Agreste Pernambucano

Estudo de Caso sobre o Planejamento Financeiro de uma Empresa Têxtil do Agreste Pernambucano Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Ciências Administrativas Mestrado Profissional em Administração Relatório Executivo Estudo de Caso sobre o Planejamento

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

INDICADORES DE ATIVIDADE: A SUA CONTRIBUIÇÃO NA GESTÃO EMPRESARIAL. Heber Lavor Moreira MARTA NÚBIA DE JESUS BARROS

INDICADORES DE ATIVIDADE: A SUA CONTRIBUIÇÃO NA GESTÃO EMPRESARIAL. Heber Lavor Moreira MARTA NÚBIA DE JESUS BARROS INDICADORES DE ATIVIDADE: A SUA CONTRIBUIÇÃO NA GESTÃO EMPRESARIAL MARTA NÚBIA DE JESUS BARROS Graduanda de Ciências Contábeis da UFPA martanubia@bol.com.br Heber Lavor Moreira Professor Orientador heber@peritocontador.com.br

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis Análise das Demonstrações Contábeis Prof. José MANOEL da Costa As demonstrações contábeis para usuário externo, publicadas aos usuários em geral, como já visto, são publicadas conforme princípios e normas

Leia mais