RELATÓRIO DE VIVENCIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE VIVENCIA"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE VIVENCIA Acadêmica: Vanessa Gomes Matos dos Santos Curso: Enfermagem Instituição: ITPAC-PORTO NACIONAL

2 Relatório de Vivencia da Acadêmica de Enfermagem do ITPAC-PORTO, Vanessa Gomes Matos dos Santos O VER-SUS possibilita o despertar de uma visão ampliada do conceito de saúde, abordando temáticas sobre Educação Permanente em Saúde, quadrilátero da formação, aprendizagem significativa, interdisciplinaridade, Redes de Atenção à Saúde, reforma política, discussão de gêneros, movimentos sociais, questões que estão intrinsecamente relacionadas à saúde, ao SUS. Conheci o VER-SUS através de uma postagem de uma colega de aula no grupo da liga acadêmica na qual sou integrante no Whatsapp, me escrevi como vivente e logo vi que fui selecionada. Ao chegar no Hotel Eduardu s, fui bem recepcionada pela comissão organizadora e facilitadores, estava um pouco ansiosa para conhecer os outros viventes e começar a vivencia. Logo em seguida após conhecer minhas colegas de quarto, fomos a UFT Palmas onde podemos conhecer o projeto e um pouco sobre cada participante e confeccionar as camisetas. Fui selecionada para ser integrante da Tribo Xambióa e do Ipê Branco. A primeira vivencia foi no dia 11 de janeiro no período vespertino no Centro de Reabilitação e Fisioterapia, que antes era na Policlínica de Taquaralto, onde podemos conhecer o seu funcionamento, que são pacientes encaminhados e seu atendimento é por ordem, menos os de emergência. Só atende a região sul, sendo um profissional para cada 10 pacientes, são 5 fisioterapeutas pela manhã e 10 fisioterapeutas pela tarde (6 horas por dia), a maioria dos atendimentos são ortopédica, seu funcionamento é das 07:00 as 22:00 horas. O educador físico faz umas 20 seções em cada paciente, com duração de 2 a 3 meses. Tem mais de 400 pacientes na lista espera. A reclamação do educador físico, foi ter pedido um aparelho para ser usado na hidroterapia, e ter recebido um outro aparelho bem mais caro e parecido com os que já tem, e não da pra ser usado na piscina. Segundo dia, 12 de Janeiro período matutino, visitamos a UBS Santa Barbara, onde se faz o uso do e-sus, atende 5 bairros SUS dependente, tendo mais de 20 pacientes com Hanseníase, são 16 agentes (2 equipes). Lá se faz consultas, avaliação de saúde, testes rápido de: HIV, gravidez, hanseníase, tuberculose e outros. Fazendo promoção, prevenção e tratamento. Fazem um mutirão de noite para as mulheres que trabalham. Reclamações sobre a unidade básica: estrutura física ruim, déficit de técnico de enfermagem. Após visitar a UBS Santa Barbara, fomos a Policlínica da Aureny 1, onde se tem 10 especialista atendendo por agendamento, sendo eles pediatra, ginecologista, clinico geral e cirúrgico, endócrino, fonoaudiólogo, enfermeiro,

3 técnico de enfermagem e outros, mas não tem nenhum nutricionista.tem 15 ano de funcionamento, com atendimento das 7 da manha às 18:00 horas. Segundo dia, 12 de Janeiro período vespertino, visitamos o CAPS III AD, o local no qual eu mais queria visitar, já havia estudado sobre ele, mas em minha cidade Porto Nacional não se encontra esta unidade. O CAPS III AD tem o funcionamento de 24 horas, os pacientes ficam em média 14 dias até se estabilizar. Sendo 6 leitos para mulheres e 6 para homens. Para ficar no CAPS tem que ter uns 30 dias de atendimento, são serviços a saúde mental o sistema único de saúde. Os multiprofissionais que lá trabalha são psicólogos, assistente de saúde, terapeuta ocupacional, farmacêutico, enfermeiro, técnico de enfermagem, medico clinico. Tem oficinas como a culinária e pintura em telas, grupos terapêuticos, atendimento geral. Um problema para o CAPS é o meio de transporte para os pacientes, pois o ônibus que fazia o transporte sofreu um acidente e até hoje eles não um transporte para buscá-los, então alguns pacientes tem o passe para usar nos ônibus da cidade. Terceiro dia, 13 de janeiro período matutino, visitamos o NASF Central na 1103 Sul tipo 2, criado em 2008 com proposta de prevenção, promoção e controle, construído pra ter 3 equipes, só tem 1 equipe de odonto, 8 residentes e 2 preceptores, 3 nutricionistas, assistente social, 2 psicólogos, 1 fisioterapeuta, enfermeiro e outros.atende 4 unidades, matricia 3 a 7 equipes. Não é portas abertas. Atua nos grupos da UBS (idosos, hipertensos) e com a comunidade. Tem teórica pedagógica e pratica, atende casos de maior complexidade, articulações tercerial: agentes de saúde. Busca um cuidado integral, educação permanente e continuada. São 3 NASF em Palmas, os setores são escolhidos pela demanda e não recebe verbas, tendo 9 equipes de apoio. Após a visita no NASF Central, visitamos o governador Marcelo Miranda no Palácio Araguaia. Onde fomos bem recebidos e falamos sobre o aprendizado em campo, sobre as qualidade, defeitos e falhas do SUS, e de nossos anseios como profissionais, onde o governador viu a importância de ter o VER-SUS para um melhoramento ao atendimento a população. Terceiro dia, 13 de janeiro período vespertino, visitamos UBS 307 Norte, com equipe de médicos, 2 técnicos de enfermagem, agentes de saúde, dentista, auxiliar do gerente. Tendo 7 mil usuários, com 2 equipes, e uma vez por mês tem a reunião da equipe. Suas dificuldades relatadas pelos agentes de saúde: falta de insumos, falta de papel para Xerox, os agentes de saúde não tem mochilas e protetores solares potentes, falta suporte, a balança e saco de pesar são de má qualidade. Nesta gestão não ocorre cursos para os agentes de saúde. Logo em seguida fizemos visitas domiciliares com a agente de saúde, onde podemos ver as situações das casas e dos moradores daquela região, que por mais que os agentes de saúde tentam melhorar a situação,

4 indo atrás das pessoas, a situação para alguns continua critica. E depois acompanhamos uma consultas no consultório da enfermeira. Quarto dia, 14 de janeiro período matutino, visitamos o DSEI Distrito Sanitário Especial Indígena, unidade de gestores descentralizados do subsistema, responsável pela execução de ações de atenção à saúde indígena e de supervisionar e executar atividades. Sendo 3 mil indígenas e 4 micro áreas. Lá vimos o PNASPI Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas, SESAI - Secretaria Especial de Saúde Indígena e outros e a Lei 9.836/99, artigo 19-E (Sistema de atenção indígena). Após a visita ao DSEI, saímos a ocupação Capadócia no Jardim Taquari, onde podemos ver a estrutura das moradias lá construída sendo feitas de madeira, a falta de saneamento básico, energia feita através de gato, abastecimento de água precária sendo através de canos que puxa a água de outro local, coleta de lixo feita apenas nas ruas principais, muitas crianças sem acesso a escola, muitos animais de estimação como cães são encontrados nas moradias. Conversamos com uma moradora, ela relata ter ido morar lá porque era melhor, pra não pagar aluguel, pois seu dinheiro mal dá pra alimentação, e que se sente mais feliz lá, pois sabe que aquele terreno será dela, e no final do mês não te falta dinheiro para alimentação. Para atendimentos a saúde, eles vão a unidade básica mais próxima a sua moradia. Quarto dia, 14 de janeiro período vespertino, visitamos o SEMUS Secretaria Municipal de Saúde fomos bem recebidos, o SEMUS é onde se tem estruturação e o desenvolvimento de ações do Centro de Vigilância em Saúde Ambiental, Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica. Vimos o DANTS - Doenças e Agravos Não Transmissíveis, RCBP - Registros de Câncer de Base Populacional que tem com maior índice o câncer de mama, colo de útero, próstata, estomago, reto e pulmão. Lá ver casos de violência, câncer, fatores de risco, promoção a saúde, doenças transmissíveis não vetoriais (sífilis adquirida e cognitiva), doenças diarréicas agudas( surtos alimentares com até 2 pessoas), doenças transmissíveis vetoriais, febre maculosa, leptospirose, casos de leishmaniose visceral, 20 a 30 casos de tuberculose por ano. Logo me seguida visitamos no mesmo local o secretário de Saúde, Whisllay Bastos, onde falamos a importância do VER-SUS, e as criticas recebidas pelas unidades e locais já visitados antes da visita, e as falhas na atenção primaria a saúde da população. E obtivemos resposta do secretario em relação as nossas criticas. Quinto dia, 15 de janeiro período matutino, visitamos o SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, fomos muito bem recebidos, onde vimos que o bombeiro só resgata e o SAMU que dá o suporte de vida. Vimos como ocorre o atendimento, o TARMI ( técnico de atendimento de regulação medica) atende a ligação, e quem liga deve definir como está a vitima, o

5 TARMI passa a ligação ao médico regulador que decide qual viatura mandar (unidade de transporte básico ou avançado, e a USA que atende as regionais), o médico passa para o operador de frota ( frota norte, sul e central), depois do atendimento a viatura retorna a ligação a base e informa a situação do paciente. A equipe básica é composta por condutor e técnico de enfermagem, equipe avançada de condutor, técnico de enfermagem, médico e enfermeiro. A SAMU é composta por 2 TARMI, 1 operador de frota e 3 médicos. Dificuldades relatadas: as macas, pneus e os carros não tem ar-condicionado, e os profissionais precisa de acompanhamento psicológico e não tem. Suas verbas são 50% federal, 25% estadual e 25% municipal. Quinto dia, 15 de janeiro período vespertino, visitamos o Hospital Infantil de Palmas, fomos mal recebidos a chegar lá, pois a enfermeira que nós recebeu referiu não ter tempo para mostrar a instituição para nós, tivemos que dividir o grupo em apenas 5 pessoas porque alegou não poder entrar todos os viventes na mesma hora, depois a outra metade do grupo conseguiu participar, a minha visita durou no máximo 30 minutos onde vimos rapidamente as alas e os profissionais do hospital. São 46 enfermeiros, tem 18 leito para o pronto socorro tendo 1 isolamento, 32 leitos pediátricos e outros. Vimos o setor SAVI setor de vitimas de violência infantil. Dificuldades relatadas pelo enfermeiro chefe: o desvio de função dos funcionários, e o caso de ter 6 gestantes enfermeiras e ter que contratar mais enfermeira para cobrir a escala, e deixam de fazer um serviço de qualidade por causa da estrutura. Pontos positivos: compartilham os materiais que sobram para outros hospitais que precisam. Sexto dia, 16 de janeiro período matutino, visitamos o acampamento do MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, onde conhecemos o local e podemos ver em qual qualidade de vida os moradores de lá vivem, e se eles tem ou não acesso aos cuidados de saúde, e como funciona o atendimento básico com eles, que para atendimento básico a saúde eles tem que ir a cidade mais próxima para ser atendidos, que não a visita de agente de saúde no local. Não tem saneamento básico, a água para uso é coletada de um riacho que ali passa, a moradia é de estrutura precária feita de palhas e madeiras. Lá tivemos um momento de refeição, onde foi servido um almoço ao grupo de viventes e facilitadores pelo MST. Sexto dia, 16 de janeiro período vespertino, visitamos a Aldeia Salto em Tocantínia da tribo Xerente, foi uma visita rápida, mas conversamos com cacique onde ele explicou como funciona lá, como é o atendimento a saúde. Lá na aldeia se encontra uma unidade básica de saúde que tem dois profissionais indígenas trabalhando lá em prol da saúde indígena. Quando são casos graves elas são encaminhadas a uma unidade de saúde de referencia. Sétimo dia, 17 de janeiro período vespertino, tivemos um passeio a Taquaruçu na Cachoeira do Roncador para encerramento, onde tivemos um momento de distração. E logo em seguida no período noturno houve o

6 encerramento do III VER-SUS no Hotel Eduardu s com a revelação do Anjo e momentos sobre o vivencia. Durante toda a semana, no período noturno ocorria um roda de conversa onde acontecia palestras com temas levados a área da saúde, durante elas os profissionais que conhecemos na visita durante o dia, participava conosco da roda de conversa. E durante o período noturno ocorria também a avaliação do dia, onde cada um falava sobre o que mais marcou as visitas feita pela manha e pela tarde. Para completar, gostaria de deixar minha opinião. O projeto VER- SUS me proporcionou muito conhecimento quanto a abrangência do Sistema Único de Saúde, onde visitei lugares que não conhecia ainda, observando assim como o SUS atua, suas falhas, as qualidades e a importância dele para toda população, assim como ver lugares que tem a saúde precária e não recebem auxilio completo do SUS. Conversar com profissionais da área de saúde deu pra perceber que o sistema único de saúde está tendo falhas, e que precisa de melhorias para um bom funcionamento. E levando isso para minha futura área de atuação, pude perceber que não devo deixar meus princípios éticos abater, e que devo sempre fazer o melhor para que o SUS deixe de ser um programa com falhas e tenha mais qualidade em seu atendimento e funcionamento.

7 ANEXOS Legenda: 1 vivencia 11/01/2016, Centro de Reabilitação e Fisioterapia Legenda: 2 dia, 12/01/2016 período matutino, UBS Santa Barbara

8 Legenda: 2 dia, 12/01/2016 período matutino, Policlínica da Aureny 1 Legenda: 2 dia, 12/01/2016 período vespertino, CAPS III AD

9 Legenda: 3 dia, 13/01/2016 período matutino, NASF Central na 1103 Sul tipo 2 Legenda: 3 dia, 13/01/2016 período matutino, visita ao Governador Marcelo Miranda

10 Legenda: 3 dia, 13/01/2016 período vespertino UBS 307 Norte Legenda: 4 dia, 14/01/2016 período matutino, DSEI Distrito Sanitário Especial Indígena

11 Legenda: 4 dia, 14/01/2016 período matutino, Capadócia no Jardim Taquari Legenda: 4 dia, 14/01/2016 período vespertino, SEMUS Secretaria Municipal de Saúde

12 Legenda: 4 dia, 14/01/2016 período vespertino com o secretário de Saúde, Whisllay Bastos Legenda: 5 dia, 15/01/2016 período matutino, SAMU - Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

13 Legenda: 5 dia, 15/01/2016 período vespertino, Hospital Infantil de Palmas Legenda: 6 dia, 16/01/2016 período matutino, acampamento do MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

14 Legenda: 6 dia, 16/01/2016 período vespertino, Aldeia Salto em Tocantínia da tribo Xerente Legenda: Periodo noturno, roda de conversa.

15 Legenda: Periodo noturno, roda de conversa. Legenda: Turma do VER-SUS III Tocantins, ultimo dia.

VER-SUS TOCANTINS 2016/1 EDIÇÃO DE VERÃO

VER-SUS TOCANTINS 2016/1 EDIÇÃO DE VERÃO VER-SUS TOCANTINS 2016/1 EDIÇÃO DE VERÃO Facilitadora: Fabiane Santos Barros Acadêmica de Enfermagem UFT Palmas-TO O VER-SUS Tocantins, edição de verão 2016 aconteceu do dia 11 a 17 de janeiro, na cidade

Leia mais

Debate com Aline Julião, Coordenadora de gestão estratégica e Participativa.

Debate com Aline Julião, Coordenadora de gestão estratégica e Participativa. Angra dos Reis, 15 de Agosto de 2016 Todas as manhãs ela deixa os sonhos na cama, acorda e põe a roupa de viver - Clarice Lispector (Trecho retirado da placa de identificação do programa saúde da mulher

Leia mais

RELATÓRIO DAS VIVÊNCIAS DO VERSUS DO ALTO URUGUAI. Frederico Westphalen

RELATÓRIO DAS VIVÊNCIAS DO VERSUS DO ALTO URUGUAI. Frederico Westphalen RELATÓRIO DAS VIVÊNCIAS DO VERSUS DO ALTO URUGUAI Frederico Westphalen 2016.2 Cícera Michel Facilitadora A experiência do VERSUS Alto Uruguai após recepção da 19º. Coordenadoria de saúde ficou hospedada

Leia mais

PROJETO VER-SUS BRASIL VER-SUS BARRA DO GARÇAS MT

PROJETO VER-SUS BRASIL VER-SUS BARRA DO GARÇAS MT PROJETO VER-SUS BRASIL VER-SUS BARRA DO GARÇAS MT Amanda Souza da Silva Araujo Vivência: 23/10/2016 à 29/10/16 Versus é mais do que viver a realidade SUS, é renascer em cada dificuldade, é chorar em cada

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 6 Médico Pediatra 2 Médico de Estratégia PSF 0 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 4 Auxiliar de Saúde Bucal 4 Técnico

Leia mais

Roteiro de vivência entre os dias 08/08 a 14/08

Roteiro de vivência entre os dias 08/08 a 14/08 Roteiro de vivência entre os dias 08/08 a 14/08 Dia 08/08/16 O primeiro dia de vivência foi um momento um tanto quanto explicativo nos dando uma noção do que compunha a rede de saúde em Caxias do Sul.

Leia mais

GIANA GISLANNE DA SILVA DE SOUSA RELATÓRIO: VER- SUS IMPERATRIZ-MA

GIANA GISLANNE DA SILVA DE SOUSA RELATÓRIO: VER- SUS IMPERATRIZ-MA GIANA GISLANNE DA SILVA DE SOUSA RELATÓRIO: VER- SUS 2016.2 IMPERATRIZ-MA 2016 A 3º edição do VER-SUS Imperatriz foi realizada no período de 12 a 18 de agosto de 2016. Uma experiência única, proporcionou

Leia mais

VER-SUS. Facilitador: Adilon Oliveira Sousa. Curso: Psicologia (Universidade Federal do Piauí) DIARIO DE CAMPO

VER-SUS. Facilitador: Adilon Oliveira Sousa. Curso: Psicologia (Universidade Federal do Piauí) DIARIO DE CAMPO VER-SUS Vivencias e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde, um projeto estratégico do ministério da Saúde em parceria com a Rede Unida que tem como foco a formação de militantes para o SUS. Facilitador:

Leia mais

Aluna do 12º período do curso de medicina da UFMG matrícula

Aluna do 12º período do curso de medicina da UFMG matrícula Relatório VER-SUS Palmas/TO Agosto/2016 Vivente: Fernanda Cotrim Stefanelli Aluna do 12º período do curso de medicina da UFMG matrícula 2011039902 DIA 1: 01/08/16 Manhã O primeiro dia de vivência foi iniciado

Leia mais

RELATÓRIO DA VIVÊNCIA E ESTÁGIO NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE PAÇO DO LUMIAR EDIÇÃO 2016/2

RELATÓRIO DA VIVÊNCIA E ESTÁGIO NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE PAÇO DO LUMIAR EDIÇÃO 2016/2 RELATÓRIO DA VIVÊNCIA E ESTÁGIO NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE PAÇO DO LUMIAR EDIÇÃO 2016/2 VIVENTE: Sarah Rakel Barbosa Rocha, acadêmica de Psicologia,7º período da Faculdade Pitágoras- São luís.

Leia mais

I. Informações BásicaS

I. Informações BásicaS I. Informações BásicaS item Órgão municipal de saúde Plano Municipal Conselho Municipal Conselho Gestor de Unidade(s) de Saúde Fundo Municipal Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) Disque-Saúde Ouvidoria

Leia mais

Relatório 04. Dia: 11/10/2016

Relatório 04. Dia: 11/10/2016 Relatório 04 Dia: 11/10/2016 Hoje fomos acordados pelo grupo alvorada as 6:30hs e o café foi servido as 7:30hs. Depois do café tivemos um momento de interação, meu grupo ficou responsável pela faxina e

Leia mais

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria

CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS. Coordenador: Renato Carlos Vieira. Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160. Bairro: Ilha de Santa Maria CENTRO DE PREVENÇÃO E TRATAMENTO AO TOXICÔMANOS Coordenador: Renato Carlos Vieira Endereço: Rua Álvaro Sarlo, 160 Bairro: Ilha de Santa Maria CEP: 29051-100 Horários de atendimento: 7 às 19h (Atendimento

Leia mais

VER-SUS-Imperatriz-MA

VER-SUS-Imperatriz-MA VER-SUS-Imperatriz-MA 2016.1 Relatoria de Vivencia Alana Bethyere Rodrigues Silva Acadêmica de Enfermagem-UFMA CCSST VER-SUS (Imperatriz-Ma) 06/01/2016 Foi o dia que a nossa vivência teve início. Fomos

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07

Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07 EMPREGOS PUBLICOS ESF ESTRATEGIA SAUDE DA FAMILIA Nº por Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07 EMPREGOS PUBLICOS

Leia mais

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR

Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Dra Eliane Guimarães Área de Gestão de Saúde PROGRAMA PARA VIVER MELHOR Área de Gestão de Saúde Estrutura Organizacional Área de Gestão de Saúde Núcleo Técnico Administrativo Unidade Saúde Corporativa

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO FICHA DE OBSERVAÇÃO ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina: Atenção Primária à Saúde e Estratégia de Saúde da Família Local: Profissional

Leia mais

O Médico Veterinário como Profissional de Atenção Básica em Saúde: situação e perspectivas. Organização:

O Médico Veterinário como Profissional de Atenção Básica em Saúde: situação e perspectivas. Organização: O Médico Veterinário como Profissional de Atenção Básica em Saúde: situação e perspectivas. Organização: 30 de Outubro de 2014. São Paulo S.P. A inclusão do Médico Veterinário no contexto institucional

Leia mais

Dia 09 Nesse segundo dia foi estabelecido que ele estava separado para conhecer melhor a cidade e para termos uma interação maior. Alugamos um carro e

Dia 09 Nesse segundo dia foi estabelecido que ele estava separado para conhecer melhor a cidade e para termos uma interação maior. Alugamos um carro e Portfolio do dia 8 Finalmente chegou o grande dia, o início de mais uma vivência, o dia que marcaria o inicio de uma caminhada longa e árdua, cheia de desafios e de fortes emoções. Ao desembarcamos no

Leia mais

VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/BRASIL VER-SUS/BRASIL MARCIO LUIZ DA SILVA SANTOS

VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/BRASIL VER-SUS/BRASIL MARCIO LUIZ DA SILVA SANTOS VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/BRASIL VER-SUS/BRASIL MARCIO LUIZ DA SILVA SANTOS RELATÓRIO DO PROJETO VIVÊNCIAS E ESTÁGIOS NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE/BRASIL: JOÃO

Leia mais

FINANCEIRO Transferência ao FMS , , ,09 Lançamento de receita , ,

FINANCEIRO Transferência ao FMS , , ,09 Lançamento de receita , , ANOS DE AVALIAÇÃO FINANCEIRO 2013 Recursos Financeiro 1º Q 2º Q 3º Q Transferência ao FMS 1.433.937,48 2.114.288,06 3.493.955,09 Lançamento de receita 3.073.090,96 5.114.410,04 4.265.512,36 6.000.000,00

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE NUTRIÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE NUTRIÇÃO UFG PROGRAMA DE DISCIPLINA 1. CURSO: NUTRIÇÃO 2. UNIDADE: FANUT 3. DISCIPLINA: Fundamentos teórico-práticos

Leia mais

ANEXO I - Situação da circulação do vírus Ebola.

ANEXO I - Situação da circulação do vírus Ebola. ANEXO I - Situação da circulação do vírus Ebola. ANEXO II Credenciamento/ Descredenciamento/Teto Financeiro. ANEXO III - Pactuação das metas para 2014 das diretrizes, objetivos e indicadores

Leia mais

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG BETIM Localização: 30 Km de Belo Horizonte. É um dos principais polos de concentração Industrial

Leia mais

Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia

Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia Programa de Residência Multiprofissional em Gerontologia Cenário de Prática: No primeiro ano, o residente terá atuação na Proteção Especial e Atenção Especializada de Média e Alta Complexidade, em Unidade

Leia mais

Memórias de uma Vida

Memórias de uma Vida Secretaria Municipal de Saúde Pouso Novo RS GRUPO DE IDOSOS: Memórias de uma Vida Nutricionista Lilia Heck Gonçalves Fisioterapeuta Renate Scherer Brandt Agosto/2014 Município de Pouso Novo-RS Localização:

Leia mais

RELATÓRIO DE VIVÊNCIA

RELATÓRIO DE VIVÊNCIA RELATÓRIO DE VIVÊNCIA Acadêmica: Rebeca Eloy de Melo Curso: Enfermagem Instituição: Universidade Federal do Tocantins - UFT RELATÓRIO DE VIVÊNCIA DA ACADÊMICA DE ENFERMAGEM ORIUNDA DA UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

Acadêmica Janaina Duarte de Oliveira Enfermagem UEA 08/08/15 - Primeiro dia:

Acadêmica Janaina Duarte de Oliveira Enfermagem UEA 08/08/15 - Primeiro dia: Acadêmica Janaina Duarte de Oliveira Enfermagem UEA 08/08/15 - Primeiro dia: Teve início a 4ª vivência do VerSus. Cada equipe foi encaminhada para seus locais conforme o sorteio. Minha equipe foi composta

Leia mais

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS RESULTADO FINAL DA OFICINA DE SELEÇÃO DE PRIORIDADES DE PESQUISA EM SAÚDE PARA A EDIÇÃO 2015/2016 DO PROGRAMA PESQUISA PARA O SUS: GESTÃO COMPARTILHADA EM SAÚDE (PPSUS) DO ESTADO DE ALAGOAS (AL) A Fundação

Leia mais

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS Nadia Peresin Perottoni Enfermeira Atenção

Leia mais

R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI -

R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI - R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI - A realizou em 03 do corrente mês, às 10 h (dez horas) Visita Técnica ao Hospital Materno Infantil HMI -, de acordo com a competência

Leia mais

TRABALHO FINAL DE PGSII. GRUPO 209 B(A3/A4): Bárbara Diniz; Daniela Cásseres; Marcella Severiano; Mayra Sanandres; Natália Ronchi

TRABALHO FINAL DE PGSII. GRUPO 209 B(A3/A4): Bárbara Diniz; Daniela Cásseres; Marcella Severiano; Mayra Sanandres; Natália Ronchi TRABALHO FINAL DE PGSII GRUPO 209 B(A3/A4): Bárbara Diniz; Daniela Cásseres; Marcella Severiano; Mayra Sanandres; Natália Ronchi 1. 1ª Parte Reconhecimento do cenário, identificar e refletir sobre: a.

Leia mais

MUNICÍPIO DE XANXERÊ SC CONCURSO PÚBLICO 01/2015 GABARITO DEFINITIVO

MUNICÍPIO DE XANXERÊ SC CONCURSO PÚBLICO 01/2015 GABARITO DEFINITIVO AGENTE EPIDEMIOLÓGICO 31B 32C 33D 34A 35B 36D 37C 38A 39B 40A ASSISTENTE ADMINISTRATIVO 31A 32B 33B 34D 35D 36A 37C 38B 39D 40C ASSISTENTE SOCIAL 31B 32B 33C 34C 35D 36A 37A 38D 39D 40C AUXILIAR DE SERVIÇOS

Leia mais

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS.

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS. HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETE MELLITUS: UMA ANALISE DO ACOMPANHAMENTO REALIZADO PELA EQUIPE ESF DE BOM SUCESSO DO SUL Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA

AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA ATENÇAO PRIMÁRIA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA CATARINA III Mostra Nacional de Produção em Saúde

Leia mais

PORTFÓLIO SOBRE O ESTÁGIO DE VIVÊNCIA DO VER-SUS TOCANTINS 2016/1 Edição de Verão

PORTFÓLIO SOBRE O ESTÁGIO DE VIVÊNCIA DO VER-SUS TOCANTINS 2016/1 Edição de Verão MYLENE GOMES DA SILVA ACADÊMICA DA ESCOLA DE ENFERMAGEM DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) PORTFÓLIO SOBRE O ESTÁGIO DE VIVÊNCIA DO VER-SUS TOCANTINS 2016/1 Edição de Verão Escrevo este portfólio com o

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR II REDE BÁSICA: UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR II REDE BÁSICA: UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR II REDE BÁSICA: UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE VILA GAÚCHA MAITÊ LARINI RIMOLO Porto Alegre 2011 1 MAITÊ LARINI RIMOLO

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO REDA SEAD / SEPLAG EDITAL 002/2008. RECURSOS DA PROVA DE TÍTULOS Resultado da Análise

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO REDA SEAD / SEPLAG EDITAL 002/2008. RECURSOS DA PROVA DE TÍTULOS Resultado da Análise PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO REDA SEAD / SEPLAG EDITAL 002/2008 NÚMERO DE INSCRIÇÃO DO CANDIDATO RECURSOS DA PROVA DE TÍTULOS Resultado da Análise CARGO SITUAÇÃO DO RECURSO 94074 Assistente Social CAPS

Leia mais

PORTARIA Nº 145, DE 11 DE JANEIRO DE 2017

PORTARIA Nº 145, DE 11 DE JANEIRO DE 2017 PORTARIA Nº 145, DE 11 DE JANEIRO DE 2017 Altera procedimentos na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS para atendimento na Atenção Básica. O Secretário

Leia mais

INTRODUÇÃO. FIEP BULLETIN - Volume 85 - Special Edition - ARTICLE I - 2015 (http://www.fiepbulletin.net)

INTRODUÇÃO. FIEP BULLETIN - Volume 85 - Special Edition - ARTICLE I - 2015 (http://www.fiepbulletin.net) A PARTICIPAÇÃO DO PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM UM NÚCLEO DE APOIO A SAÚDE DA FAMÍLIA: PROTAGONISMO PROFISSIONAL ALÉM DA APLICAÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA INTRODUÇÃO JEFERSON SANTOS JERÔNIMO Universidade

Leia mais

Relatório de Vivência 3ª Edição VERSUS TO Wendy Delgado da Cunha

Relatório de Vivência 3ª Edição VERSUS TO Wendy Delgado da Cunha Relatório de Vivência 3ª Edição VERSUS TO Wendy Delgado da Cunha Palmas TO 2016 Índice Introdução --------------------------------------------------------------------------------------------------- 2 1º

Leia mais

Relatório de Vivência e Estágio na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) GUSTAVO FILIPOWSKI PSICOLOGIA UNICENTRO

Relatório de Vivência e Estágio na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) GUSTAVO FILIPOWSKI PSICOLOGIA UNICENTRO Relatório de Vivência e Estágio na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) GUSTAVO FILIPOWSKI PSICOLOGIA UNICENTRO O VER-SUS sendo um projeto do Ministério da Saúde tem como objetivo levar estudantes,

Leia mais

1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº 01/2014

1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº 01/2014 1ª Retificação - Edital de Abertura de Processo Seletivo Nº /24 1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº /24 A Prefeitura Municipal de Guarda-Mor/MG no uso de suas atribuições legais torna público

Leia mais

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar

Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar Garantia de Qualidade e Continuidade da Assistência no Atendimento Domiciliar ANA ADALGISA DE OLIVEIRA BORGES GESTORA DE ATENÇÃO DOMICILIAR - SERVIÇOS PRÓPRIOS UNIMEB-BH Introdução Definição Conceito de

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde

Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Unidades & Serviços Estado do Rio de Janeiro Prefeitura Municipal de Carapebus Secretaria Municipal de Saúde Atenção Especializada Atenção Especializada Centro de Especialidades Médicas: O Centro de Especialidades

Leia mais

MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO PESSOAL EDITAL 1/2011 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS CARGOS

MUNICÍPIO DE SÃO FRANCISCO MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO PARA CONTRATAÇÃO PESSOAL EDITAL 1/2011 ANEXO I ESPECIFICAÇÃO DOS CARGOS EDITAL /0 ANEXO I Mensal 0 0 Motorista 03 Motorista 04 Motorista Agente de Limpeza de Terrenos Baldios Centro de Vigilância em NASF SMASCT Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e SMASCT

Leia mais

ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES

ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES Circular 489/2013 São Paulo, 29 de Outubro de 2013. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERA O CADASTRAMENTO DOS CENTROS DE REFERÊNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR NO SCNES Diário Oficial da União Nº 208, Seção

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO

PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DO NATAL SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE ORÇAMENTO ORÇAMENTO O orçamento é uma ferramenta de planejamento (aprovado por lei) contendo a previsão de receitas e estimativa de despesas

Leia mais

1. Quantidade de vagas disponíveis para atendimento Existe lista de espera Não. 2.1 No caso de sim, existe prazo para inserção dos idosos

1. Quantidade de vagas disponíveis para atendimento Existe lista de espera Não. 2.1 No caso de sim, existe prazo para inserção dos idosos Data da Visita: Data da Visita: CENTRO DE CONVIVÊNCIA PARA A TERCEIRA IDADE Coordenador(a): Barbara Barros Bastos E-mail: centrodeconvivenciajc@hotmail.com Endereço: Rua Doutor João Batista Miranda Amaral,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINIA SECRETARIA DE SAÚDE Equipe Técnica - Rede Ambulatorial

PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINIA SECRETARIA DE SAÚDE Equipe Técnica - Rede Ambulatorial PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINIA SECRETARIA DE SAÚDE Equipe Técnica - Rede Ambulatorial O município... População pelo IBGE de 2010 projeção 2012 92668 habitantes. Crescimento demografico de 2,5% 49,51%

Leia mais

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco

Currículo Disciplina Carga Horária. Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Currículo Disciplina Carga Horária Aspectos Éticos e Bioéticos na Assistência de Enfermagem ao Paciente Grave ou de Risco Assistência de Enfermagem a Criança a ao Adolescente Grave ou de Risco Estágio

Leia mais

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini

NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos. Débora Martini NASF e PAIF/CRAS: a contribuição de cada serviço para a garantia dos direitos Débora Martini Saúde Direito de todos Núcleo de Apoio a Saúde da Família - NASF Atenção Primária à Saúde Centros de Saúde Assistência

Leia mais

Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial

Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial Área Técnica da Atenção Básical Gerência de Atenção à Saúde Secretaria Municipal de Saúde de Vitória Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial Enfª Cláudia

Leia mais

Como organizar a Atenção Básica para cumprir com os compromissos assumidos e atender as necessidades da população?

Como organizar a Atenção Básica para cumprir com os compromissos assumidos e atender as necessidades da população? Como organizar a Atenção Básica para cumprir com os compromissos assumidos e atender as necessidades da população? Apresentação de experiência municipal Amparo Deolinda Marcia Pompeu Bueno Enfermeira,

Leia mais

Portfolio VER-SUS 2016/2 Facilitador: John Lenon Assunção Santana Curso: Nutrição UFT

Portfolio VER-SUS 2016/2 Facilitador: John Lenon Assunção Santana Curso: Nutrição UFT Portfolio VER-SUS 2016/2 Facilitador: John Lenon Assunção Santana Curso: Nutrição UFT A quarta edição do VER-SUS Tocantins, a edição de 2016/2 teve como início de suas atividades na manhã do dia 01 de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES ESTADO DO PERNAMBUCO. Concurso Público REF. EDITAL N 001/2015 GABARITO PRELIMINAR TARDE

PREFEITURA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES ESTADO DO PERNAMBUCO. Concurso Público REF. EDITAL N 001/2015 GABARITO PRELIMINAR TARDE PREFEITURA MUNICIPAL DO JABOATÃO DOS GUARARAPES ESTADO DO PERNAMBUCO Concurso Público REF. EDITAL N 001/2015 GABARITO PRELIMINAR TARDE 2. GRUPO OCUPACIONAL INFRAESTRUTURA E MEIO AMBIENTE NIVEL TÉCNICO

Leia mais

OFERTAS E FERRAMENTAS DE APOIO AO CUIDADO DAB/SAS/MS

OFERTAS E FERRAMENTAS DE APOIO AO CUIDADO DAB/SAS/MS OFERTAS E FERRAMENTAS DE APOIO AO CUIDADO DAB/SAS/MS http://dab.saude.gov.br/portaldab/index.php PAB Saúde das Mulheres PAB Saúde das Mulheres Enfoque clínico e de gestão do cuidado; Cuidado da mulher

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA. ACADÊMICO: FRANCISCO EDUARDO RAMOS DA SILVA. FACILITADOR

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA. ACADÊMICO: FRANCISCO EDUARDO RAMOS DA SILVA. FACILITADOR FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA. ACADÊMICO: FRANCISCO EDUARDO RAMOS DA SILVA. FACILITADOR RELATÓRIO DE VIVÊNCIA CAXIAS MA 2016 1 RELATÓRIO DE VIVÊNCIA O VER-SUS é um projeto que

Leia mais

Dra Hedi Martha Soeder Muraro

Dra Hedi Martha Soeder Muraro Dra Hedi Martha Soeder Muraro hemuraro@sms.curitiba.pr.gov.br Missão da SMS Planejar e executar a política de saúde para o Município de Curitiba, responsabilizando-se pela gestão e regulação dos serviços

Leia mais

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF)

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Antonio Nascimento Araujo Ericarla Castro Corrêa José Vitor Vieira Ferreira

Leia mais

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular

CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM Raissa Ribeiro Saraiva de Carvalho CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE: relatório de estágio curricular

Leia mais

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA

ANEXO I DESCRIÇÃO SUMÁRIA ANEXO I 1. DAS, VENCIMES, E DA INSCRIÇÃO. 1.1 O Candidato concorrerá às vagas oferecidas para apenas um cargo, conforme os seguintes quadros demonstrativos: 1.2 Cargos de Nível Superior - Educação 1001

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos

Manual de Organização Plano de Cargos e Vencimentos de Cargos de Provimento em Comissão 251 CARGOS COMISSIONADOS EXISTENTES COORDENADOR DE CRECHES MUNICIPAIS ASSESSOR ADMINISTRATIVO ASSESSOR PARLAMENTAR ASSESSOR ESPECIAL DE TURISMO RURAL CHEDE DE ADM DAS

Leia mais

PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012)

PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012) PROPOSTA COMERCIAL (VALIDADE: 29/04/2012) Florianópolis, 29 de Março de 2012 SINASEFE Sobre a Unimed A Unimed é a maior experiência cooperativista na área da saúde em todo o mundo e também a maior rede

Leia mais

PARECER CONSULTA Nº15/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 09/2015 PROTOCOLO Nº 4123/2013 INTERESSADA: Y.I.B. PARECERISTA: ARTHUR DA COSTA SANTOS.

PARECER CONSULTA Nº15/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 09/2015 PROTOCOLO Nº 4123/2013 INTERESSADA: Y.I.B. PARECERISTA: ARTHUR DA COSTA SANTOS. PARECER CONSULTA Nº15/2015 CRM/PA - PROCESSO CONSULTA Nº 09/2015 PROTOCOLO Nº 4123/2013 INTERESSADA: Y.I.B. PARECERISTA: ARTHUR DA COSTA SANTOS. EMENTA: Compete ao médico assistente a decisão de transferir

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor Dados de Identificação Questionário PSF Equipe de Saúde da Família Nome da unidade visitada:...data da visita:... Endereço:... Bairro:...Telefone:... Nome do(a) responsável pela Unidade de Saúde:... Qualificação

Leia mais

ANEXO I (EDITAL DE CONCURSO 01/2016)

ANEXO I (EDITAL DE CONCURSO 01/2016) ANEXO I (EDITAL DE CONCURSO 01/2016) Cargo/Área de Atuação Carga Horária semanal Vagas Vagas Reservadas aos candidatos com deficiência Código da Opção Qualificação exigida para o ingresso Agente Administrativo

Leia mais

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE Enfermeira Sandra Joseane F. Garcia Promoção da Saúde- Divisão de Vigilância Epidemiológica/SC. Divisão de doenças e Agravos

Leia mais

C R O N O G R A M A D E R E A L I Z A Ç Ã O D A S P R O V A S

C R O N O G R A M A D E R E A L I Z A Ç Ã O D A S P R O V A S C R O N O G R A M A D E R E A L I Z A Ç Ã O D A S P R O V A S DIA 20/12/2008 NOTURNO Início 18 horas * Guarda Municipal * Ensino Fundamental Completo ** Professor I A ** *** Agente Comunitário de Saúde

Leia mais

Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR

Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR Fiscalização dos Abrigos e Casas de Acolhida da PCR PERFIL: O espaço Andaluz acolhe em caráter temporário mães adolescentes com filhos ou filhas com trajetória de rua. As usuárias as escolas da rede pública,

Leia mais

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016 Plano de Governo Municipal para o mandato - 2013/2016 Dolcinópolis SP. 1- ASSISTÊNCIA SOCIAL Auxilio com medicamentos e complementos a cesta básica ao idoso e enfermo; Criação de programas para o atendimento

Leia mais

Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA

Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE HOSPITAIS ESTADUAIS HOSPITAIS UNIVERSIT. ATENÇÃO

Leia mais

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA

CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA CONGRESSO NACIONAL COMISSÃO MISTA DE PLANOS, ORÇAMENTOS PÚBLICOS E FISCALIZAÇÃO PROJETO DE LEI DE REVISÃO DO PLANO PLURIANUAL PARA 2004-2007 (Projeto de Lei nº 41/2005-CN) PARECER DA COMISSÃO SUBSTITUTIVO

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE EDITAL

RETIFICAÇÃO DE EDITAL RETIFICAÇÃO DE EDITAL A Souza Araujo Assessoria em Serviços de Saúde Ltda, empresa organizadora do concurso juntamente com a comissão de acompanhamento do concurso, comunica ao público em geral que houve

Leia mais

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA INTRODUÇÃO Neste Caso Didático vamos relatar a experiência de organização dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) de um município de grande

Leia mais

PSE. Programa de Saúde nas Escolas. 68 Relatório de Gestão 2009, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS)

PSE. Programa de Saúde nas Escolas. 68 Relatório de Gestão 2009, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) PSE 68 Relatório de Gestão 200, 2010, 2011 e 2012 (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) b lanço soci l (Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS) Relatório

Leia mais

DEMOGRAFIA DOS POVOS INDÍGENAS

DEMOGRAFIA DOS POVOS INDÍGENAS População: 817.963 população geral (IBGE, 2010) 614. 182 população aldeada (SIASI/MS, 2012) São cerca de 305 povos que falam mais de 274 línguas. Presentes em todos os estados e Distrito Federal 438 municípios:

Leia mais

Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde

Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde Coordenadora Geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde - SGTES/MS/BRASIL Base político-jurídica 1988 Constituição Federal

Leia mais

PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS

PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS PRODUÇÂO OFICINA FORMAÇÃO CONTINUADA 24/02/16 PET- GRADUASUS ORIENTAÇÃO AOS DOCENTES DAS DISCIPLINAS COM CONTEÚDOS INTEGRADORES PRIMEIROS PERÍODOS DOS CURSOS DO CCS EMENTA: Conceito ampliado de saúde e

Leia mais

VER-SUS DO OESTE CATARINENSE EDIÇÃO DE INVERNO Relatório das vivências temática Saúde Indígena

VER-SUS DO OESTE CATARINENSE EDIÇÃO DE INVERNO Relatório das vivências temática Saúde Indígena VER-SUS DO OESTE CATARINENSE EDIÇÃO DE INVERNO Relatório das vivências temática Saúde Indígena O VER-SUS/Oeste Catarinense foi organizado ao longo dos últimos anos por diversas comissões comprometidas

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

ANEXO I ESCOLARIDADE E EXPERIÊNCIA. Normal médio ou Magistério. Graduação em Pedagogia ou Normal Superior. Licenciatura em Biologia

ANEXO I ESCOLARIDADE E EXPERIÊNCIA. Normal médio ou Magistério. Graduação em Pedagogia ou Normal Superior. Licenciatura em Biologia ANEXO I Quadro de cargos e vagas para atuar no âmbito da Secretaria Municipal de Educação: DO SE- 001 Professor de Educação Infantil e Ensino Fundamental Anos Iniciais Normal médio ou Magistério Graduação

Leia mais

PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR

PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR PROGRAMA MELHOR EM CASA E A RESPONSABILIZAÇÃO DE FAMÍLIAS NO CUIDAR Larissa Fernandes Telles (Acadêmica do 3 ano de Serviço Social), Suellen Mota Oliveira (Acadêmica do 3 de Serviço Social), Marília Dal

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE NASF DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO PIÇARRAS

EXPERIÊNCIA DE NASF DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO PIÇARRAS apresentam EXPERIÊNCIA DE DO MUNICÍPIO DE BALNEÁRIO PIÇARRAS Experiência de Nasf do município de Balneário Piçarras Talita Vieira de Souza 100 % cobertura ESF Balneário Piçarras Atenção Básica 8 ESF Estratégia

Leia mais

Concurso Agentes Comunitários de Saúde 2 Etapa

Concurso Agentes Comunitários de Saúde 2 Etapa Concurso Agentes Comunitários de Saúde 2 Etapa MÓDULO 1 O que é saúde? Determinantes em saúde Histórico do SUS Princípios Básicos do SUS Quem usa o SUS? MÓDULO 2 Os serviços de Saúde Redes de atenção a

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

VER-SUS Barro/Brejo Santo. Dia 24/01 Dia 1

VER-SUS Barro/Brejo Santo. Dia 24/01 Dia 1 VER-SUS Barro/Brejo Santo Dia 24/01 Dia 1 Acolhida ao alojamento, onde tivemos o primeiro contato com os viventes e facilitadores. À tarde, após o almoço nos reunimos no CSU SETAS onde foi realizada a

Leia mais

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral

Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular. Semestral Curso Técnico Subsequente em Curso Técnico em Enfermagem Nome do Curso - Curso Técnico em Enfermagem CÂMPUS Florianópolis/SC MATRIZ CURRICULAR Módulo 1 / Semestre 1 Carga horária total: 390ch Unidade Curricular

Leia mais

CHAPA PARA O NÚCLEO DE COORDENAÇÃO 2016/2017 DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE

CHAPA PARA O NÚCLEO DE COORDENAÇÃO 2016/2017 DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE CHAPA PARA O NÚCLEO DE COORDENAÇÃO 2016/2017 DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE PORTO ALEGRE A chapa para o Núcleo de Coordenação do CMS dos próximos dois anos é composta por Mirtha da Rosa Zenker, Djanira

Leia mais

ANEXO I CONCURSO PÚBLICO 001/2008

ANEXO I CONCURSO PÚBLICO 001/2008 ANEXO I CONCURSO PÚBLICO 001/08 CAR 01 CAR Auxiliar de Serviços Gerais 02 Borracheiro 03 Calceteiro 04 Cozinheiro 05 Merendeiro 06 Pedreiro 08 415,00 44 HORAS não 415,00 44 HORAS não 01 497,03 44 HORAS

Leia mais

Horário de atendimento Segunda a Sexta-feira das 7h às 19h.

Horário de atendimento Segunda a Sexta-feira das 7h às 19h. CENTRO DE REFERÊNCIA DE DST/AIDS PENHA Endereço: Praça Nossa Senhora da Penha, 55 (subsolo) Penha CEP 03632-060 Telefones: 2092-4020 / 2295-0391 Supervisão Técnica de Saúde Penha Coordenadoria Regional

Leia mais

PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL

PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE GERÊNCIA DE ATENÇÃO À SAÚDE COORDENAÇÃO DE SAÚDE MENTAL OFICINA DE ATUALIZAÇÃO PERCURSOS FORMATIVOS NA RAPS CABO DE SANTO AGOSTINHO PERÍODO:

Leia mais

Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante. II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009

Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante. II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009 Papel das Unidades Básicas Casa da Gestante II Encontro das Casas da Gestante do Rio Grande do Sul SES/RS Dezembro 2009 Alguns dados: Ao analisar os dados de nascimento e óbitos dos RN residentes em Canoas

Leia mais

PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROPOSTA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS A Cia dos Idosos é um centro diurno de atividades que tem por filosofia transformar o conceito de envelhecimento em um modelo de vida ativo, saudável e positivo. Nossa

Leia mais

RELATÓRIO ANALÍTICO DA FOLHA DE PAGAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE MÊS DE SETEMBRO DE 2012

RELATÓRIO ANALÍTICO DA FOLHA DE PAGAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE MÊS DE SETEMBRO DE 2012 RELATÓRIO ANALÍTICO DA FOLHA DE PAGAMENTO PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOÃO DEL-REI SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE MÊS DE SETEMBRO DE 2012 Organização: Instituto Apoiar Tabela 1 - Resumo da Folha de Pagamento

Leia mais

Programa Amigos do Samu nas escolas: uma experiência de sucesso

Programa Amigos do Samu nas escolas: uma experiência de sucesso Programa Amigos do Samu nas escolas: uma experiência de sucesso Em novembro de 2002, o Ministério da Saúde, por meio da Portaria GM nº 2048, estabeleceu e regulamentou os princípios e as diretrizes do

Leia mais

CONDERG - CONSÓRCIO DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO GOVERNO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA HOSPITAL REGIONAL DE DIVINOLÂNDIA RELATÓRIO DE GESTÃO 2012

CONDERG - CONSÓRCIO DE DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO GOVERNO DE SÃO JOÃO DA BOA VISTA HOSPITAL REGIONAL DE DIVINOLÂNDIA RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO 2012 CCIH COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 1. APRESENTAÇÃO A Comissão de Controle de Infecção Hospitalar CCIH é formada por Membros Executores - 01 Enfermeira, 01 Farmacêutica

Leia mais