REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da"

Transcrição

1 VI Seminário Internacional da Atenção Básica A construção de modelagens de AB em grandes centros urbanos Aparecida Linhares Pimenta SMS de Diadema Vice presidente do CONASEMS

2 REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 20 Unidades Básicas de Saúde UBS: com 70 equipes de Saúde da Família com médico generalista; 20 equipes de Saúde da Família com médico das especialidades básicas ( Pediatra, Clínico Geral e Ginecologista); 54 equipes de saúde bucal; 09 Núcleos de Apoio em Saúde da Família NASF;

3 REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA 02 Unidades de Pronto Atendimento- UPA; Um Pronto Socorro Central, que funciona no prédio do Quarteirão da Saúde; Um Hospital Municipal de 206 leitos, com Pronto Socorro; Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- SAMU e CMRUE

4 REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA Quarteirão da Saúde, onde funcionam: Centro Médico de Especialidades (CEMED), Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), Laboratório Municipal de Análises Clínicas, Serviço de Fisioterapia e Reabilitação; Serviços de Apoio Diagnóstico, Centro Cirúrgico. Setor de Transporte de Sanitário; Divisão de Regulação, Auditoria, Avaliação, Controle - DRAAC.

5 REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA Centro de Referência em DST/AIDS e Hepatites; Centro de Referência em Saúde do Trabalhador; Vigilância à Saúde: Vigilância Sanitária e Vigilância Epidemiológica; Centro de Controle de Zoonoses;

6 REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE DE DIADEMA Três Centros de Atenção Psicossocial CAPS tipo III; Um CAPS III de Alcool e Drogas; Duas Equipes de Consultório na Rua; Um CAPS Infantil; Psiquiatra no Pronto Socorro Municipal;

7 CONTROLE SOCIAL E PARTICIPAÇÃO POPULAR 20 Conselhos Gestores de Unidades Básicas de Saúde; 06 Conselhos Gestores de Serviços Especializados; 03 Conselhos Gestores de Serviços de Grande Porte; Conselho Municipal de Saúde.

8 GESTÃO DA REDE DE ATENÇÃO A SAÚDE Colegiado Gestor é formado por 17 membros Colegiado de Apoiadores da Atenção Básica; Colegiado de Gerentes das Unidades Básicas de Saúde; Colegiado doquarteirão da Saúde; Vigilância em Saúde;Saúde Mental; Urgências e Emergências; Hospital Municipal e Gestão da Área administrativa financeira.

9 GESTÃO DO TRABALHO profissionais: 588 médicos, 305 enfermeiros, 92 dentistas, 181 profissionais de nível universitário de outras categorias; auxiliares e técnicos de enfermagem, 490 agentes comunitários de saúde, 547 administrativos.

10 GESTÃO DO TRABALHO são servidores públicos municipais estatutários e CLT 78%; 757 são contratados por uma Organização Social/OS 19,3%. Concurso Público para ACS em 2012.

11 Fortalecimento da Atenção Básica adesão de 44 Equipes de SF ao PMAQ Programa de Melhoria do Acesso e Qualificação da Atenção Básica, do MS; ampliação dos Apoios Matriciais nas áreas de Fisioterapia, Nutrição e Assistência Farmacêutica Lei para criação dos Cargos de ACS e Concurso Público em 2012; Portaria para regulamentação das Áreas de Abrangência das UBS, e atualização dos Mapas e Bancos de Ruas das Áreas de Abrangência das 20 UBS descentralização do agendamento para vários exames especializados e para consultas em diversas especialidades médicas.

12 Fortalecimento da Atenção Básica Implantação das Linhas de Cuidados de Hipertensão e Diabetes Mellitus em 2011 Oficinas Locais para elaboração dos Planos de Ação para qualificar a atenção aos hipertensos e diabéticos. Nova aplicação do ACIC -Questionário de Avaliação da Atenção a Doenças Crônicas (Assessment of Chronic Illness Care) planilha informatizada para monitoramento dos indicadores de cobertura dos portadores de HAS e DM atividades educativas para prevenção de HAS e DM em todas as UBS implantado mecanismo para informar as UBS sobre seus moradores atendidos e/ou internados no HM, por HAS e DM, para viabilizar o acompanhamento pelas Equipes das UBS.

13 Fortalecimento da Atenção Básica Novos critérios para facilitar o acesso a Saúde Bucal nas UBS; Seminário Avaliação da Atenção Básica: Questões Metodológicas e Desafios para a Gestão do SUS, com a Faculdade de Medicina da Fundação ABC, e Medicina de Botucatu-UNESP, CAB da SES/SP e SBMFC: Avaliação QUALIAB e apresentados os resultados da sua aplicação em Diadema. Apoio Matricial na área de Nutrição foi estendido para 10 Unidades; e revisão do protocolo de orientação nutricional para algumas patologias e problemas de saúde. Expansão do Apoio em Assistência Farmacêutica para AB.

14 Fortalecimento da Atenção Básica 09 UBS receberam alunos dos cursos de medicina, fonoaudiologia, farmácia e enfermagem da UNIFESP. Ampliar e melhorar a estrutura da rede básica: Reforma de 03 UBS em 2010 e 2011; Construção de 02 UBS em 2010 e 2011 ( ABC e Conceição) Inicio das obras da UBS Campanario; Reforma de 06 UBS com recursos do MS; Reforma de 01 UBS com recursos da SES SP.

15 Promoção à Saúde na Atenção Básica Implementação de atividades de Lian Gong em todas as UBS Realizados dois Cursos para capacitação de profissionais com CH 108 hs e aulas teórico práticas. Capacitados 60 profissionais, Prática implantada em 19 UBS, com a realização semanal de 54 Grupos na cidade. Implementação de atividades físicas em todas as UBS Atividades físicas regulares, em parceria com SEL Caminhando Bem/Academias da Cidade, Você pode ou das atividades rotineiras nas Salas de Ginástica. Projeto de implantação 02 Academias da Saúde.

16 Promoção à Saúde na Atenção Básica Implementação de atividades de promoção da alimentação saudável em todas as UBS Confecção de cartilhas para promoção e apoio ao aleitamento materno; atividades de incentivo ao aleitamento materno durante a Semana Mundial do Aleitamento Materno aplicada pela primeira vez em Diadema a Pesquisa Amamentação e Municípios (AMAMUNIC), envolvendo as 20 UBS. A pesquisa foi aplicada numa amostra de crianças. Resultado AMAMUNIC Prevalência do aleitamento materno exclusivo em < 6 meses Diadema 34,99% -Município de SP 39,1% Continuidade do aleitamento materno de 9 a 12 meses Diadema 43,24% -Capitais Brasileiras 58,7%

17 Saúde do Idoso Lançamento do Plano intersetorial de Promoção do Envelhecimento Saudável e ativo de Diadema. Criação de quatro Fóruns Regionais de Gerentes e Trabalhadores, para articulação no território das ações do Plano nas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste da cidade. Programa de Educação Permanente (EP): introdutório e sobre direitos dos Idosos; Implementação de atividades intersetoriais para a atenção à população em situação de rua Pop Rua: parceria com a SASC.

I. Informações BásicaS

I. Informações BásicaS I. Informações BásicaS item Órgão municipal de saúde Plano Municipal Conselho Municipal Conselho Gestor de Unidade(s) de Saúde Fundo Municipal Cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) Disque-Saúde Ouvidoria

Leia mais

Seminário de Doenças Crônicas

Seminário de Doenças Crônicas Seminário de Doenças Crônicas LINHA DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gabinete SMS Diadema Linha de cuidado de HAS e DM Experiência

Leia mais

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE

ANEXO 3 CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE ANEXO 3 PROGRAMA CONHECIMENTOS GERAIS EM SAÚDE 1. Conhecimentos sobre o SUS - Legislação da Saúde: Constituição Federal de 1988 (Título VIII - capítulo II - Seção II); Lei 8.080/90 e Lei 8.142/90; Norma

Leia mais

Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07

Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07 EMPREGOS PUBLICOS ESF ESTRATEGIA SAUDE DA FAMILIA Nº por Atendente de Consultório 44 05 Dentário Cirurgião Dentista 44 10 Enfermeiros 44 32 Médicos 44 13 Técnico em Higiene Dental 22 07 EMPREGOS PUBLICOS

Leia mais

Gestão em Saúde. Prof. Arruda Bastos (85)

Gestão em Saúde. Prof. Arruda Bastos (85) Gestão em Saúde Prof. Arruda Bastos arrudabastos@gmail.com (85) 9925.1122 1. Gestão da própria imagem; Gestão em Saúde 2. Panorama histórico da Gestão da Saúde; 3. Gestão do SUS Introdução, Regulação e

Leia mais

1ª Oficina Nacional do QUALIDIA

1ª Oficina Nacional do QUALIDIA 1ª Oficina Nacional do QUALIDIA LINHAS DE CUIDADO DE HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETES EXPERIÊNCIA DE DIADEMA SP Dra Lidia Tobias Silveira Assistente Gbi Gabinete SMS Diadema Linhas de cuidado de HA e DM

Leia mais

Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA

Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA Modelo de Saúde de Olinda RENILDO CALHEIROS - PREFEITO TEREZA MIRANDA - SECRETÁRIA DE SAÚDE CRISTINA MENEZES SECRETÁRIA ADJUNTA MODELO DE ATENÇÃO À SAÚDE HOSPITAIS ESTADUAIS HOSPITAIS UNIVERSIT. ATENÇÃO

Leia mais

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG

APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG APOIO MATRICIAL COMO FERRAMENTA PARA INSERÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR NA ATENÇÃO BÁSICA DO MUNICÍPIO DE BETIM/MG BETIM Localização: 30 Km de Belo Horizonte. É um dos principais polos de concentração Industrial

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL PMI/CERSP/PSP N o 01/2010 Anexo I

PREFEITURA MUNICIPAL DE IMBITUBA SC PROCESSO SELETIVO PÚBLICO EDITAL PMI/CERSP/PSP N o 01/2010 Anexo I PREFEITURA MUNICIPAL IMBITUBA SC ÁREA ATUAÇÃO / (ESCOLARIDA/ FORMAÇÃO) R$ NÍVEL SUPERIOR 101 Assistente Social 102 Assistente Social 103 Assistente Social 104 Assistente Social 105 Farmacêutico 106 Fonoaudiólogo

Leia mais

Exemplos Práticos de Eficiência em Instituições de Saúde: A Experiência do Hospital das Clínicas da UFMG

Exemplos Práticos de Eficiência em Instituições de Saúde: A Experiência do Hospital das Clínicas da UFMG Exemplos Práticos de Eficiência em Instituições de Saúde: A Experiência do Hospital das Clínicas da UFMG Quem somos: Hospital universitário público, geral, credenciado para atendimento a todas as especialidades

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental, no Brasil Ministério da saúde Secretaria de Atenção à saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Coordenação de Saúde Mental Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/Aids em saúde mental,

Leia mais

Como estão os campos de estágio de prática na SMS - BH para o ensino médico

Como estão os campos de estágio de prática na SMS - BH para o ensino médico FÓRUM DE ENSINO MÉDICO Como estão os campos de estágio de prática na SMS - BH para o ensino médico Fabiano Geraldo Pimenta Júnior Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte Rede SUS-BH Tipo de unidade

Leia mais

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica

Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Projeto QualificaAPS - Apoio e Teleconsultoria para Gestão Municipal da Atenção Básica Sobre o TelessaúdeRS O TelessaúdeRS é um projeto de pesquisa do Programa de Pós- Graduação em Epidemiologia da Faculdade

Leia mais

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS

ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAXIAS DO SUL SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE ESTRATÉGIAS SINGULARES DE IMPLANTAÇÃO DA CADERNETA DO IDOSO NO MUNICÍPIO DE CAXIAS DO SUL - RS Nadia Peresin Perottoni Enfermeira Atenção

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA

AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA ATENÇAO PRIMÁRIA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA NA REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM FLORIANÓPOLIS SANTA CATARINA III Mostra Nacional de Produção em Saúde

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE -MARINGÁ VIGILÂNCIA EM SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA DENGUE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE -MARINGÁ VIGILÂNCIA EM SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA DENGUE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE -MARINGÁ VIGILÂNCIA EM SAÚDE PROGRAMA MUNICIPAL DE CONTROLE DA DENGUE ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE Experiência Rompendo Paradigmas: A integração da Vigilância em Saúde e Atenção

Leia mais

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda

SICA: Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Prof. Walfrido K. Svoboda ATENÇÃO BÁSICAB SICA: Programa de Saúde da Família (PSF) ou Estratégia de Saúde da Família (ESF) Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) Disciplina: SAÚDE PÚBLICA P I (MS-052) Prof. Walfrido K.

Leia mais

RETRATO DO SETOR SAÚDE

RETRATO DO SETOR SAÚDE COORDENADORIA DE GESTÃO DO TRABALHO E EDUCAÇÃO NA SAÚDE SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO, MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO EM SAÚDE NO CEARÁ RETRATO DO SETOR SAÚDE Lúcia Arruda GESTÃO DE RECURSOS

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial

Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial Área Técnica da Atenção Básical Gerência de Atenção à Saúde Secretaria Municipal de Saúde de Vitória Organização da Atenção Básica no Município de Vitória: Equipes Ampliadas e Apoio Matricial Enfª Cláudia

Leia mais

2004 Política Nacional de Saúde Bucal. Ações de promoção, prevenção, recuperação e manutenção da saúde bucal dos brasileiros

2004 Política Nacional de Saúde Bucal. Ações de promoção, prevenção, recuperação e manutenção da saúde bucal dos brasileiros 2004 Política Nacional de Saúde Bucal Ações de promoção, prevenção, recuperação e manutenção da saúde bucal dos brasileiros AS POLITICAS PÚBLICAS condicionam Os determinantes sociais da saúde Inclusão

Leia mais

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora

Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador Política Nacional de Saúde do Trabalhador

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO

ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO DEFINIÇÃO DOS GRUPOS ESTADO DA PARAÍBA PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTEIRO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N o 001 / 2016 ANEXO I N O DE VAGAS PARA OS CARGOS DO CONCURSO PÚBLICO Função Exigência mínima para o

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR

POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador POLÍTICA NACIONAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR

Leia mais

Aracaju. Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia

Aracaju. Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia Avanços e Desafios da Saúde da Família no município de Aracaju: a experiência do Modelo Saúde Todo Dia Mônica Sampaio de Carvalho Rogério Carvalho Santos Leandro Dominguez Barretto Secretaria Municipal

Leia mais

PIES. Portaria Federal nº 978 de 16 de maio de Equipe da Saúde da Famíia (ESF) Portaria Federal nº de 21 de outubro de 2011.

PIES. Portaria Federal nº 978 de 16 de maio de Equipe da Saúde da Famíia (ESF) Portaria Federal nº de 21 de outubro de 2011. PRINCIPAIS FINANCIAMENTOS DA ATENÇÃO BÁSICA * Dados até 2014 PAB FIXO De R$ 23,00 a R$ 28,00 per capita/mês Portaria Federal nº 1.409, de 10 de julho de 2013. PIES Equipe da Saúde da Famíia (ESF) Incentivo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Volta Redonda Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Programas e Projetos

Prefeitura Municipal de Volta Redonda Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Programas e Projetos Prefeitura Municipal de Volta Redonda Secretaria Municipal de Saúde Coordenação de Programas e Projetos 1 2 0 0 8 Prefeitura do Município de Volta Redonda Gothardo Lopes Netto Prefeito do Município de

Leia mais

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida

I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas que abrangem múltiplas facetas da realida A atuação do Assistente Social na e a interface com os demais níveis de complexidade Inês Pellizzaro I-Política de ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE 1) Como é definida? * Um conjunto de ações em saúde (amplas, complexas

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO Projeto de melhoria da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes A Cidade de Osasco constitui-se em importante polo de desenvolvimento da Região Oeste Metropolitana de São Paulo

Leia mais

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1

2. FUNCIONÁRIOS - CONTRATADOS POR TEMPO DETERMINADO Médico Clínico 1 Médico Pediatra 1 Médico Ginecologista 1 1. FUNCIONÁRIOS - EFETIVOS Médico Clínico 6 Médico Pediatra 2 Médico de Estratégia PSF 0 Psicólogo Clínico 30 horas 0 Psicólogo Clínico 40 horas 1 Cirurgião Dentista 4 Auxiliar de Saúde Bucal 4 Técnico

Leia mais

REDE MUNICIPAL DE APOIO AO ALEITAMENTO MATERNO PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE

REDE MUNICIPAL DE APOIO AO ALEITAMENTO MATERNO PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE REDE MUNICIPAL DE APOIO AO ALEITAMENTO MATERNO PREFEITURA MUNICIPAL DE PINHAIS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE AUTORES Autor: Débora Beatriz Machado Co autores: Jaqueline

Leia mais

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012

Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica. Setembro, 2012 Linhas gerais e desafios da Política Nacional da Atenção Básica Portaria 2488 Setembro, 2012 Política Nacional de Atenção Básica Portaria n. 2488, de 21 de outubro de 2011. AAtençãoBásica é oprimeiropontodeatençãoàsaúde

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO DE 2011

RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO DE 2011 RELATÓRIO ANUAL DE GESTÃO DE 2011 PREFEITURA DE DIADEMA/SP ELABORADO COM OBJETIVO DE AVALIAR AS AÇÕES DESENVOLVIDAS PELAS ÁREAS DA SMS/DIADEMA E SISTEMATIZAR AS INFORMAÇÕES REFERENTES ÀS RECEITAS E DESPESAS

Leia mais

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE

INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE INTERFACE CAPS E PSF UMA EXPERIÊNCIA DE RESPEITO E SUCESSO EXPERIÊNCIA DE ARACAJU 2002 Ampliação do PSF cobertura de 70% da população; Implantação do Acolhimento; Na Saúde Mental a implantação de equipes

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE TRÊS RIOS MARçO / 2013 RUA DA MAÇONARIA, 320 CENTRO TRES RIOS - RJ

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE DE TRÊS RIOS MARçO / 2013 RUA DA MAÇONARIA, 320 CENTRO TRES RIOS - RJ 1.0.0.0.00.00.00 1.3.0.0.00.00.00 1.3.2.0.00.00.00 1.3.2.5.00.00.00 1.3.2.5.01.00.00 1.3.2.5.01.03.00 RECEITAS CORRENTES 42.935.20 3.387.137,19 8.294.747,17 34.640.452,83 RECEITA PATRIMONIAL 49.90 7.926,90

Leia mais

REDE ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA À PESSOA COM DEFICIÊNCIA

REDE ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA À PESSOA COM DEFICIÊNCIA REDE ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA À PESSOA COM DEFICIÊNCIA REDE ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA À PESSOA COM DEFICIÊNCIA A assistência à pessoa com deficiência no Brasil foi pautada por ações assistencialistas e/ou

Leia mais

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA

MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA MATRICIAMENTO PELOS NÚCLEOS DE APOIO À SAÚDE DA FAMÍLIA INTRODUÇÃO Neste Caso Didático vamos relatar a experiência de organização dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF) de um município de grande

Leia mais

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo

Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo Experiências Nacionais na Abordagem de Hipertensão e Diabetes na Rede de Atenção Primária A Experiência de São Bernardo do Campo VIII Encontro Nacional de Prevenção da Doença Renal Crônica Dra. Patrícia

Leia mais

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE: UMA ESTRATÉGIA DE INTERVENÇÃO NA PROMOÇÃO DA SAÚDE Enfermeira Sandra Joseane F. Garcia Promoção da Saúde- Divisão de Vigilância Epidemiológica/SC. Divisão de doenças e Agravos

Leia mais

Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em

Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em Conhecendo a Estratégia Nacional para o Autocuidado em Diabetes Mellitus MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção a Saúde - SAS Departamento de Atenção Básica - DAB Coordenação Nacional de Hipertensão

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013

A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 A implantação de CAPS no estado do Paraná: situação atual e perspectivas Coordenação Estadual de Saúde Mental Agosto 2013 Situação Atual - Portaria 336/2002 - CAPS - Portaria 245/2005 incentivo implantação

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós

Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós Criança é o princípio sem fim e seu fim é o fim de todos nós PROPOSTA DE REDE DE ATENDIMENTO EM SAÚDE MENTAL PARA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE POA COMISSÃO DE SAÚDE MENTAL JUNHO

Leia mais

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF)

AS TEORIAS ADMINISTRATIVAS INSERIDAS NO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Antonio Nascimento Araujo Ericarla Castro Corrêa José Vitor Vieira Ferreira

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E AS REDES DE ATENÇÃO À SAÚDE Conceito: São arranjos organizativos de ações e serviços de saúde, de diferentes densidades tecnológicas,

Leia mais

R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI -

R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI - R E L A T Ó R I O DE VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL MATERNO INFANTIL HMI - A realizou em 03 do corrente mês, às 10 h (dez horas) Visita Técnica ao Hospital Materno Infantil HMI -, de acordo com a competência

Leia mais

Qualificação da Gestão

Qualificação da Gestão Qualificação da Gestão O que é o SUS Instituído pela Constituição de 1988, o Sistema Único de Saúde SUS é formado pelo conjunto das ações e serviços de saúde sob gestão pública Com direção única em cada

Leia mais

RELATORIO DE TRANSIÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE

RELATORIO DE TRANSIÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE RELATORIO DE TRANSIÇÃO SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE AVANÇOS ALCANÇADOS NA GESTÃO DA SMS ENTRE 2010 A FEVEREIRO DE 2015 Planejamento e Gestão em Saúde Planejamento e Gestão em Saúde com foco nas necessidades

Leia mais

PREFEITURA DO JABOATÃO DOS GUARARAPES SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS INTEGRADAS SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE

PREFEITURA DO JABOATÃO DOS GUARARAPES SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS INTEGRADAS SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE PREFEITURA DO JABOATÃO DOS GUARARAPES SECRETARIA DE POLÍTICAS SOCIAIS INTEGRADAS SECRETARIA EXECUTIVA DE PROMOÇÃO DA SAÚDE Projeto de Melhoria da Estrutura de Equipamentos Públicos e Programas de Saúde

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

SMAM 2011 SMAM 2011 SMAM 2011

SMAM 2011 SMAM 2011 SMAM 2011 SMAM 2011 SMAM 2011 SMAM 2011 INSCRITOS NO SEMINÁRIO Instituto de Saúde, 4 de maio de 2011 80 pessoas fizeram inscrição no seminário e enviaram informações sobre os desafios que enfrentam em seus locais

Leia mais

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS

EIXO 1 SAÚDE DE POPULAÇÕES ESPECÍFICAS E VULNERÁVEIS RESULTADO FINAL DA OFICINA DE SELEÇÃO DE PRIORIDADES DE PESQUISA EM SAÚDE PARA A EDIÇÃO 2015/2016 DO PROGRAMA PESQUISA PARA O SUS: GESTÃO COMPARTILHADA EM SAÚDE (PPSUS) DO ESTADO DE ALAGOAS (AL) A Fundação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ CURSO DE ENFERMAGEM 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO: Unidade: Campus Jataí - UFG Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem pediátrica e neonatológica I Código: 8282

Leia mais

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 Robsmeire Calvo Melo Zurita 1 ; Alessandra Massi Puziol Alves 2 Neide Barboza Lopes 3 INTRODUÇÃO: No Brasil ainda

Leia mais

XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO

XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde - SAS Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas - DRAC Coordenação Geral de Regulação e Avaliação - CGRA XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS

Leia mais

OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A

OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A OS ESPAÇOS COLETIVOS, A TERRITORIALIZAÇÃO E A IMPLANTAÇÃO DAS LINHAS DE CUIDADO EM SÃO BERNARDO DO CAMPO Curso: Redes de Urgência e Emergência no SUS Secretaria de Saúde de São Bernardo do Campo Departamento

Leia mais

FINANCEIRO Transferência ao FMS , , ,09 Lançamento de receita , ,

FINANCEIRO Transferência ao FMS , , ,09 Lançamento de receita , , ANOS DE AVALIAÇÃO FINANCEIRO 2013 Recursos Financeiro 1º Q 2º Q 3º Q Transferência ao FMS 1.433.937,48 2.114.288,06 3.493.955,09 Lançamento de receita 3.073.090,96 5.114.410,04 4.265.512,36 6.000.000,00

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Básica Coordenação de Acompanhamento e Avaliação PROPOSTA DE QUALIFICAÇÃO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA NO BRASIL Brasília, Junho/2004

Leia mais

Encontro Estadual de Apoio Matricial para Atenção Básica (NASF-NAAB)

Encontro Estadual de Apoio Matricial para Atenção Básica (NASF-NAAB) Encontro Estadual de Apoio Matricial para Atenção Básica (NASF-NAAB) A experiência da implantação do Núcleo de Apoio à Atenção Básica (NAAB) no município de Muçum/RS. Porto Alegre, 24 de outubro de 2013

Leia mais

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS.

Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio Vincensi, Joares Telles Junior, Ana Cristina G. Costella, ACS. HIPERTENSÃO ARTERIAL E DIABETE MELLITUS: UMA ANALISE DO ACOMPANHAMENTO REALIZADO PELA EQUIPE ESF DE BOM SUCESSO DO SUL Autor: Leila Cristina Pilonetto Baggio Co autores: Marcos Fiorentin, Elizangela Greggio

Leia mais

Experiência do Município Recife

Experiência do Município Recife Prefeitura do Recife Secretaria de Saúde Diretoria Geral de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde Experiência do Município Recife Cinthia Kalyne de Almeida Alves Recife 2011 Construção da Rede SUS-Escola

Leia mais

EDITAL 45/2015 ÁREA I ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA

EDITAL 45/2015 ÁREA I ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA EDITAL 45/2015 ÁREA I ENFERMAGEM GERAL E ESPECIALIZADA TEMAS 1- Sistematização da Assistência de Enfermagem 2- Ações de Enfermagem no Controle de Infecção Hospitalar 3- Políticas Públicas de Saúde no Brasil

Leia mais

A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas.

A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas. A implantação do Modelo de Atenção às Condições Crônicas para organização da Rede Hiperdia Minas. Palestrante: Flávia Gomes de Carvalho Coordenadora de Hipertensão e Diabetes do Estado de Minas Gerais

Leia mais

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE.

ANEXO I CARGO, REQUISITOS DE ESCOLARIDADE, DESCRIÇÃO SUMÁRIA, CARGA HORÁRIA e VENCIMENTO BASE. ANEXO I,,, e VENCIMENTO BASE. Auxiliar de Serviços Gerais NÍVEL FUNDAMENTAL Ensino Fundamental Completo. Limpeza dos prédios públicos, móveis e equipamentos e similares. 01 Auxiliar de Serviços Urbanos

Leia mais

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE ANO 2013 Conforme previsto no art. 36 da Lei Complementar N.º 141/2012, o Relatório Detalhado do Quadrimestral Anterior contém informações

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DA VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA PERFIL DA GESTÃO DA UNIDADE DE SAÚDE IDENTIFICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO (ID) [ ] ( ) Questionário [ ] ( ) Entrevistador (bolsista)

Leia mais

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação

Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cartilha de Alimentação Infantil para profissionais de saúde e educação Cristiane Aparecida Azevedo de Assis Machado Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba Coordenação de Vigilância Nutricional II FÓRUM

Leia mais

CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508

CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508 XXVIII Congresso de Secretários Municipais de do Estado de São Paulo CURSO: Desafios da Implantação dos Dispositivos do Decreto 7.508 CRS Coordenadoria de Regiões de da Secretaria de Estado da de São Paulo

Leia mais

Coordenação Estadual de. Alimentação e Nutrição

Coordenação Estadual de. Alimentação e Nutrição Coordenação Estadual de Alimentação e Nutrição Apresentação da Equipe Estadual Estado: Minas Gerais (MG) Coordenador (a): Maria Lúcia Teixeira Leite Equipe técnica (Nutricionistas): Isabel Cristina Bento

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC. Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS

POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC. Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS POLÍTICA NACIONAL DE PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES - PNPIC Coordenação Geral de Áreas Técnicas Departamento de Atenção Básica - SAS/MS Institucionalização das PICs no Sistema Público 1986-8ª CNS;

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS 2016

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS 2016 PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS 2016 GERALDO DE OLIVEIRA BARBOSA Secretário Municipal de Saúde/ Presidente da Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro RIO CLARO SP 2016 INTRODUÇÃO O Sistema de Planejamento

Leia mais

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil

Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Saúde Mental no Brasil Seminário PRISSMA-PESSOAS Rio de Janeiro, RJ 13 e 14 de março de 2008 Políticas Públicas de Prevenção e Atenção para DST/HIV/AIDS na Mental no Brasil Cristina de A. Possas Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Jarbas Cavalcanti de Oliveira PREFEITO MUNICIPAL Divaneide Ferreira de Souza SECRETÁRIA DE SAÚDE E VICE PRESIDENTE DO COSEMS/RN Maria da Conceição

Jarbas Cavalcanti de Oliveira PREFEITO MUNICIPAL Divaneide Ferreira de Souza SECRETÁRIA DE SAÚDE E VICE PRESIDENTE DO COSEMS/RN Maria da Conceição III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE COMO PROPOSTA DE MELHORIA DO PROCESSO DE TRABALHO NA ESF ALDENÍSIA ALVES ALBUQUERQUE BARBOSA GEORGIA COSTA DE ARAÚJO SOUZA

Leia mais

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016

Plano de Governo Municipal para o mandato /2016 Plano de Governo Municipal para o mandato - 2013/2016 Dolcinópolis SP. 1- ASSISTÊNCIA SOCIAL Auxilio com medicamentos e complementos a cesta básica ao idoso e enfermo; Criação de programas para o atendimento

Leia mais

DISTRITOS SANITÁRIOS

DISTRITOS SANITÁRIOS DISTRITOS SANITÁRIOS CONCEITO: É unidade mais periférica de administração sanitária, que detém responsabilidades e poder decisório ante a política local de saúde, tendo como objetivo chegar a uma integração

Leia mais

Organização dos processos de trabalho na rede de Atenção Básica na perspectiva da coordenação do cuidado

Organização dos processos de trabalho na rede de Atenção Básica na perspectiva da coordenação do cuidado Organização dos processos de trabalho na rede de Atenção Básica na perspectiva da coordenação do cuidado Luís Carlos Casarin Secretário Municipal de Saúde de Jundiaí Contexto histórico A I Conferência

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO Procuradoria de Justiça Especializada na Defesa da Cidadania e do Consumidor Dados de Identificação Questionário PSF Equipe de Saúde da Família Nome da unidade visitada:...data da visita:... Endereço:... Bairro:...Telefone:... Nome do(a) responsável pela Unidade de Saúde:... Qualificação

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE Conjunto de reformas institucionais do SUS. Pacto entre União, Estados e Municípios. Objetivo - promover inovações nos processos

Leia mais

Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto

Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto SECRETARIA DA SAUDE D Conquistas e Desafios na Atenção à Saúde Pública em Ribeirão Preto Darlene Caprari Pires Mestriner Assistente da Secretaria de Saúde Investimentos em Saúde em Ribeirão Preto 1 PORTARIA

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE ILHÉUS GABINETE DO PREFEITO Ilhéus, 01 de Abril de 2009. OF GAB 013/2009 Senhor Presidente, Em atendimento ao disposto no Art. 73, da Lei Orgânica do Município de Ilhéus, estamos encaminhando à esta Casa Legislativa o Programa de

Leia mais

Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar.

Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar. TÍTULO DA PRÁTICA: Visita domiciliar ao recém nascido: uma prática Interdisciplinar. CÓDIGO DA PRÁTICA: T23 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 a)situação problema e/ou demanda inicial que

Leia mais

XXVI CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO REDES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO SUS

XXVI CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO REDES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO SUS XXVI CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DE SÃO PAULO REDES DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO SUS MARÍLIA Março/2012 1 REGIONALIZAÇÃO NO SUS ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES 1988: CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1990:

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 13/2016, e demais disposições contrárias.

R E S O L U Ç Ã O. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando a Resolução CONSEACC/BP 13/2016, e demais disposições contrárias. RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 33/2016 ALTERA O ROL DE DISCIPLINAS INSUSCETÍVEIS AO PROGRAMA DE FORMAÇÃO GERAL PFG DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2013 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 1- POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL 1.1- META: COMBATE AO TRABALHO

Leia mais

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs

-PNAN - Portaria Estatuto da criança e do adolescente -PCNs -PNAN - Portaria 1.010 - Estatuto da criança e do adolescente -PCNs Alimentação Escolar Aline Guimarães Nutricionista - CECANE UnB PNAN Política Nacional de Alimentação e Nutrição Alimentação escolar PNAN

Leia mais

Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde

Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde Experiências de Educação em Ciências de Saúde para a Atenção Primária em Saúde Coordenadora Geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde - SGTES/MS/BRASIL Base político-jurídica 1988 Constituição Federal

Leia mais

TABELA 1 CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO. Carga horária Semanal. AD PCD Total Salário Base CARGO BOMBEIRO HIDRÁULICO

TABELA 1 CARGOS DE NÍVEL FUNDAMENTAL INCOMPLETO. Carga horária Semanal. AD PCD Total Salário Base CARGO BOMBEIRO HIDRÁULICO ANEXO II DO EDITAL N o 01/2016-PMT/TIANGUÁ, DE 13 DE JULHO DE 2016 Códigos e denominação dos cargos, área de atuação, carga semanal, vagas, salário base e qualificação exigida para investidura no cargo;

Leia mais

1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº 01/2014

1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº 01/2014 1ª Retificação - Edital de Abertura de Processo Seletivo Nº /24 1ª Retificação Processo Seletivo - Edital nº /24 A Prefeitura Municipal de Guarda-Mor/MG no uso de suas atribuições legais torna público

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE RORAIMA SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE

COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE RORAIMA SECRETARIAS MUNICIPAIS DE SAÚDE Resolução nº 11/2011 O COORDENADOR DA COMISSÃO INTERGESTORES BIPARTITE, no uso de suas atribuições legais que lhe são conferidas e em cumprimento aos dispositivos constantes do seu Regimento Interno, e

Leia mais

Cadastro metas para Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde - Prioridades e Objetivos Estado: GOIAS

Cadastro metas para Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde - Prioridades e Objetivos Estado: GOIAS Cadastro metas para Indicadores de Monitoramento e Avaliação do Pacto pela Saúde - Prioridades e Objetivos Estado: GOIAS PACTO PELA VIDA PRIORIDADE: I - ATENCAO A SAUDE DO IDOSO. OBJETIVO: PROMOVER A FORMACAO

Leia mais

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS

Pacto de Gestão do SUS. Pacto pela Vida. Pacto em Defesa do SUS Pacto de Gestão do SUS Pacto pela Vida Pacto em Defesa do SUS PACTO PELA SAÚDE O Pacto pela Vida é o compromisso entre os gestores do SUS em torno de prioridades que apresentam impacto sobre a situação

Leia mais

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS

Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Coordenação-Geral de Atenção Domiciliar/DAB/SAS/MS Reflexões sobre Atenção Domiciliar Causas da expansão do cuidado domiciliar mundial: Resposta a mudança do padrão demográfico e patológico Insuficiência

Leia mais

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

NOTA TÉCNICA 41 /2012. Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). NOTA TÉCNICA 41 /2012 Institui a Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). INTRODUÇÃO As doenças crônicas não transmissíveis constituem o problema

Leia mais

XXVI CONGRESSO DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO

XXVI CONGRESSO DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO XXVI CONGRESSO DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO A implantação do processo de contratualização em serviços hospitalares de distintos portes: A experiência de São Bernardo do Campo

Leia mais

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA

PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA 2012 PLANO DE AÇÃO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PALHOÇA POLÍTICAS DE PROTEÇÃO POLÍTICA PÚBLICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL/ PROTEÇÃO ESPECIAL META: COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADEDE VIDA CASQ

COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADEDE VIDA CASQ COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE E QUALIDADEDE VIDA CASQ SUB-DIVISÕES DA CASQ DPS DIVISÃO DE PERÍCIA EM SAÚDE DPVS DIVISÃO DE PROMOÇÃO E VIGILÂNCIA EM SAÚDE DAS DIVISÃO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE IVISÃO

Leia mais