O caso da vacina de DNA contra o vírus da febre amarela

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O caso da vacina de DNA contra o vírus da febre amarela"

Transcrição

1 O caso da vacina de DNA contra o vírus da febre amarela

2 Introdução Importância da inovação q Geração de tecnologias eficazes para o combate às doenças da pobreza q Redução de desigualdades na saúde mundial q Desenvolvimento industrial nacional q Redução de vulnerabilidade do SUS aos preços de insumos estrangeiros No Brasil q Ótima pesquisa e limitado patenteamento q Pouca tradução em produtos reais

3 Introdução Problema É preciso aumentar a produção de inovações tecnológicas voltadas à saúde pública no Brasil Delimitação do estudo Condições de oferta, de inovação radical, de produto, em vacinas, para doenças negligenciadas, no Brasil Perguntas condutoras q Como ocorre o processo de P&D? q Como as limitações na capacitação nacional dificultam a tradução da pesquisa em produtos?

4 Materiais e métodos q Estudo descritivo e analítico q Baseado em proposições teóricas q q q Gestão estratégica (aptidões dinâmicas Nelson; configurações organizacionais Mintzberg; instituto de pesquisa Ruttan) História da tecnologia (síntese cumulativa Usher; solução de poblemas Gibbons e Johnston) Gestão de projetos de P&D (fluxos Gelijns; etapas Homma e outros; componentes Mahoney e Morel; funções Greco, e Gregersen) q Construção de estruturas analíticas e análise por adequação ao padrão

5 Introdução O caso q Vacina de DNA desenvolvida entre 2005 e 2008 no Departamento de Virologia do CPqAM (Fiocruz-PE) q Testada em Biomanguinhos e Johns Hopkins University q 100% dos camundongos sobreviveram no desafio letal q Vantagens: maior estabilidade, segurança, e facilidade de fabricação, transporte e conservação q Patente depositada no Brasil, EUA, União Européia, Índia e países da África e América do Sul q Processo de negociação de parcerias com empresas para próximas etapas

6 Materiais e métodos Objetivos específicos q q q q Descrever e analisar a evolução organizacional que possibilitou a invenção da vacina Descrever os processos de P&D relacionados à invenção e analisar seus fluxos de informação Construir uma matriz descritiva das competências necessárias à inovação em vacinas Analisar a capacitação nacional para as próximas etapas do desenvolvimento da vacina Coleta de dados Entrevistas abertas e semi-estruturadas, análise documental, bibliográfica e de registros em arquivos, com triangulação

7 Resultados Ambiente de pesquisa no ano 2000 q Processo de individual e monodisciplinar q Financiamento mediante recursos do Tesouro q Dificuldades quanto ao espaço físico q Baixa utilização de equipamentos de alto custo q Escassas relações da pesquisa com o DT, falta de cultura institucional e de orientação política para isso ocorrer q Poucos recursos financeiros destinados ao DT q 1/10 das linhas de pesquisa do CPqAM ligadas a DT q Nenhuma patente depositada pelo CPqAM até então q Ausência de pesquisas na área de viroses no CPqAM

8 Inovação organizacional na instituição de pesquisa a partir de 2001 Estratégia Estrutura/ forma de organização Estrutura/ forma de governo Na organização diversificada: Adoção de nova estratégia pela Administração Central da Fiocruz, mediante elaboração do Plano Quadrienal da nova gestão quando o tema da inovação passou a figurar como eixo central da estratégia organizacional. Aprovação do Plano Quadrienal e documentos complementares em instâncias decisórias coletivas da Fiocruz. Na unidade (organização profissional): Adoção dos postulados do Plano Quadrienal pelo novo Diretor do CPqAM. No núcleo operacional: Criação do Laboratório de Virologia e Terapia Experimental do CPqAM (LaViTE). Criação do Núcleo de Plataformas Tecnológicas do CPqAM (NPT). Na divisão da tomada de decisão: Centralização de decisões no ápice estratégico (Direção do CPqAM), referentes a: contratação de consultor de Universidade estrangeira, destinação de espaço físico e de vagas do concurso para implantação do novo laboratório; desenvolvimento de aptidões voltadas ao desenvolvimento tecnológico na área das viroses. Recursos No capital intelectual: Novo grupo dirigindo o ápice estratégico da organização (Presidência da Fiocruz). Nomeação de Diretor da Unidade comprometido com proposta da Presidência da Fiocruz. Contratação de consultor de universidade estrangeira com experiência em virologia e desenvolvimento tecnológico. Contratação de pesquisadores com formações em áreas diversas e complementares, mediante critérios de mérito,. No fluxo financeiro: Aquisição de recursos financeiros do NIH mediante projetos envolvendo Universidade Johns Hopkins, Universidade de Cingapura e CPqAM. Aquisição de recursos financeiros do FINEP mediante projeto voltado a infra-estrutura, envolvendo CPqAM e CPqGM (Fiocruz-Bahia).

9 Inovação organizacional na instituição de pesquisa a partir de 2001 Recursos Hierarquia de rotinas Aptidões essenciais No capital físico: Aquisição de equipamentos e insumos para o LaViTE, com os recursos do NIH. Aquisição de equipamentos de alto custo para o NPT, com os recursos da FINEP. Na padronização por treinamento formal: Habilidades e conhecimentos na área de desenvolvimento tecnológico, adquiridos na formação educacional e trazidos pelos pesquisadores contratados para o Laboratório. Postura voltada à incorporação de novas tecnologias de pesquisa e à geração de produtos (tecnologias) para o benefício da população, existente entre os profissionais do Laboratório. Na coordenação por conhecimento mútuo: Prática de troca de conhecimentos entre os profissionais participantes da equipe do Laboratório. Na coordenação por padronização do : Equipamentos do Laboratório calibrados e com uma forma eficiente e prática de usar. Uso dos aparelhos do NPT com Procedimentos Operacionais Padrão (POPs) e procedimentos de espaço multiusuário. Na liderança administrativa: Atenção do Diretor do CPqAM às demandas sociais existentes relacionadas à Dengue. Nas ligações (networking): Estabelecimento de parcerias com Johns Hopkins University e Biomanguinhos (fábrica de vacinas). Na captação de recursos: Aprovação de projetos de pesquisa com altos valores financiados pelo NIH (EUA). No conteúdo do programa de pesquisa: Estabelecimento de linhas de pesquisa em virologia e vacinas. Nas metodologias/tecnologias de pesquisa (aptidão dinâmica): Apropriação de técnica de design de genes e do uso do adjuvante molecular Lamp.

10 Fluxo de informações no processo inventivo da vacina de DNA Passos da invenção Percepção do problema Preparação do palco Revisão crítica Fontes gerais de informação 1.Pessoal. 2. Pessoal. 3. Pessoal. 4. Externa. 5. Pessoal. 1. Interna. 2. Externa. 3. Interna.4. Externa. 5. Externa.6. Pessoal. 7. Interna.8. Interna. 1. Interna.2. Externa. 3. Interna.4. Externa. 5. Interna.6. Interna. 7.Externa/pessoal. 8. Externa. 9. Externa. 10.Interna/ externa. 11. Externa. 12.Interna /externa. 13. Pessoal. Fontes específicas de informação 1. Novidade.2. Literatura científica. Experiência em outras instituições.3. Experiência em outras instituições.4. Literatura científica. 5. Experiência nessa instituição. 1. Análise e predição.2. Livros didáticos. 3. Análise e predição.4. Análise e predição.5. Literatura científica.6. Experiência em outras instituições. 7. Novidade.8. Análise e predição. 1. Novidade.2. Parceria. 3. Análise e experimentação. 4. Parceria. 5. Análise e experimentação. 6. Análise e experimentação. 7. Parceria/Experiência em outras instituições. 8. Parceria. 9. Parcerias. 10.Análise e experimentação/parceria. 11. Parceria. 12.Análise e experimentação/parceria. 13. Novidade.

11 Matriz de competências e capacitação nacional para inovação em vacinas PESQUISA DESENVOLVIMENTO DIFUSÃ O Pesquisa básica Invenção Pré-desenvolvimento Estudo préclínico Vacina experimental Estudo clínico fase I Estudo clínico fase II Lotes para fase III Estudo clínico fase III Registro da vacina Fabricação Fornecimento Pós-comercialização Capacidade de pesquisa e desenvolvimento Pesq. da vacina candidata Pesq. e des. formulação Desenv. do processo Desenv. analítico Desenv. testes biológicos Bancos de células Desenv. clínico Ambiente regulatório Propriedade intelectual Desenv. de negócios A ssuntos regulatórios Certificação pela OMS Registros no Exterior Capacidade de produção Upstream process Downstream processing Formulação e envase Industrialização Desenvolvimento de distribuição Marketing estratégico Negócios- m. púb. interno Negócios- m. "donor" Negócios- m. comercial Coordenação/integração

12 Funções atuantes e fragilidades nacionais nas próximas etapas Marketing estratégico Pesq. da vacina candidata Pesq. e desenv. formulação Propriedade intelectual Desenvolimento de Negócios Desenv. do processo Desenv. analítico Desenv. de testes biológicos Assuntos regulatórios - País Bancos de células/microor. Upstream process Dow nstream processing Formulação e envase Desenvolvimento clínico Coordenação/integração Estudo préclínico DESENVOLVIMENTO Vacina experimental Estudo clínico fase I

13 Conclusões q Para que mais inovações tecnológicas voltadas à saúde pública sejam produzidas no País, pode ser necessário, além da capacitação das instituições de pesquisa, a realização de parcerias com instituições nacionais e estrangeiras, e a construção de novas aptidões nas demais instituições do complexo da saúde no Brasil. q Para as próximas etapas do desenvolvimento da vacina, deve-se avaliar a conveniência de parcerias com organizações estrangeiras ou brasileiras de setores mais avançados na capacitação para inovação que tenham expertise nas atividades ainda problemáticas no setor de vacinas no Brasil.

14 CARLOS LUCENA (81) OBRIGADO!

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM PSICOPEDAGOGIA Ementário Relações Interpessoais e Ética Profissional Concepções sobre o Processo Inter-relacional no Trabalho; Competência Interpessoal; Qualidade de Vida no

Leia mais

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde

Fundação Oswaldo Cruz. Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Ministério da Saúde Missão A Fundação Oswaldo Cruz é um centro polivalente e multidisciplinar na área da saúde, que exerce um papel social de grande relevância para o país. Realiza

Leia mais

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas

Estimativas Profissionais Plano de Carreira Empregabilidade Gestão de Pessoas By Marcos Garcia Como as redes sociais podem colaborar no planejamento e desenvolvimento de carreira (individual e corporativo) e na empregabilidade dos profissionais, analisando o conceito de Carreira

Leia mais

Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil

Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil Inovação biomédica e políticas públicas: o desenvolvimento de testes para diagnóstico de HIV e hepatites virais no Brasil Koichi Kameda Doutorando CERMES3-EHESS / IMS-UERJ Mercado de teste diagnóstico

Leia mais

Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas. Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme

Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas. Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme Pesquisa Clínica Intercâmbio de Conhecimento e Fator Gerador de Riquezas Dr. Mário Bochembuzio Merck Sharp Dohme Agenda Cadeia de valor e inovação em saúde Desafios e oportunidades Investimentos em P &

Leia mais

tecnologia, conhecimento e inovação como alavancas do saneamento (e vice-versa)

tecnologia, conhecimento e inovação como alavancas do saneamento (e vice-versa) tecnologia, conhecimento e inovação como alavancas do saneamento (e vice-versa) S E R G I O SALLES-FILHO D P T O P O L Í T I C A C I E N T Í F I C A E T E C N O L Ó G I C A E F A C U L D A D E D E C I

Leia mais

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini A inovação na perspectiva de uma microempresa de base tecnológica Thais Guaratini Micro-empresa de base tecnológica, cuja missão é o desenvolvimento de produtos inovadores e de qualidade para a indústria

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são:

Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: Quais os requisitos de patenteabilidade? Os requisitos de patenteabilidade, previstos na Lei de Propriedade Industrial 9.279/96, são: (1) Novidade - a matéria objeto da pesquisa precisa ser nova, ou melhor,

Leia mais

Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br

Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br Fundamentos de Auditoria Prof. Fred Sauer fsauer@gmail.com http://www.fredsauer.com.br Tópicos 2. CONCEITOS E ORGANIZAÇÃO DA AUDITORIA 2.1 Conceitos básicos e natureza da auditoria 2.2 Equipe de auditoria

Leia mais

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA MBA EXECUTIVO DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA 2012.1 FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos, fundada em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de ser um centro voltado

Leia mais

Tecnologia e Inovação

Tecnologia e Inovação Painel 1 Tecnologia e Inovação Tadeu Pissinati Sant Anna Rio de Janeiro, 24 de agosto de 2010 Sumário I. Conceitos de Tecnologia e Inovação II. A inovação tecnológica no Brasil I. Conceitos 1) Tecnologia

Leia mais

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL Gestão de Projetos e as Boas Práticas: aplicadas à CIT contribuem em suas atividades e fortalecem a Política de Inovação do CEFET-MG

Leia mais

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto.

Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Bota pra Fazer: Negócios de Alto Impacto. Instituto Educacional BM&FBOVESPA e Endeavor: Negócios de Alto Impacto. Com reconhecida experiência, o Instituto Educacional BM&FBOVESPA, a Escola de Negócios

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Nos países desenvolvidos e, em menor grau, nos países em desenvolvimento, assiste-se ao surgimento de padrões tecno-econômicos onde os resultados

Leia mais

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO

CURSO: MESTRADO ACADÊMICO COMUNICADO no 002/2012 ÁREA DE ZOOTECNIA E RECURSOS PESQUEIROS ORIENTAÇÕES PARA NOVOS APCNS 2012 IDENTIFICAÇÃO ÁREA DE AVALIAÇÃO: Zootecnia e Recursos Pesqueiros PERÍODO DE AVALIAÇÃO: 2012 ANO DE PUBLICAÇÃO

Leia mais

Agenda Regulatória Ciclo Quadrienal 2013-2016

Agenda Regulatória Ciclo Quadrienal 2013-2016 ANVISA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Regulação Sanitária no Contexto da Política Tecnológica e de Inovação Agenda Regulatória Ciclo Quadrienal 2013-2016 Eixo 1: Complexo Produtivo e de Ciência,

Leia mais

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina

Governador Geraldo Alckmin entrega o maior laboratório destinado a pesquisas sobre o câncer da América Latina MATEC ENGENHARIA ENTREGA O MAIOR LABORATORIO PARA PESQUISA DE CÂNCER DA AMÉRICA LATINA Qui, 14/04/11-11h00 SP ganha maior laboratório para pesquisa de câncer da América Latina Instituto do Câncer também

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula de Capacitação e Desenvolvimento Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Era Industrial Era Conhecimento Competência..., o que é? Qualidade

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação

CONCEITOS DE INOVAÇÃO. Título da Apresentação CONCEITOS DE INOVAÇÃO Título da Apresentação Novo Marco Legal para Fomento à P,D&I Lei de Inovação. Nº 10.973 (02.12.04) Apresenta um conjunto de medidas de incentivos à inovação científica e tecnológica,

Leia mais

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio

Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Empresas Familiares aprimoramento da governança corporativa para o sucesso do negócio Nome Desarrollo de Sistemas de Gobierno y Gestión en Empresas de Propiedad Familiar en el Perú Objetivo Contribuir

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ

MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ Cristiane Quental Analista de C&T da Fiocruz 17/outubro/2006 FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ Conselho Deliberativo Congresso Interno Presidência Chefe de Gabinete Comité

Leia mais

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho IBMEC Jr. Consultoria A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho O mercado de trabalho que nos espera não é o mesmo dos nossos pais... ... ele mudou! As mudanças Certeza Incerteza Real Virtual

Leia mais

V Congresso Auditar. Tema:

V Congresso Auditar. Tema: V Congresso Auditar Tema: Carreira em Organizações Públicas - Conceitos e Experiências Prof. Dr. José Antonio Monteiro Hipólito Brasília, 05 de setembro de 014 14:00 15:30h Agenda 1. Introdução: Importância

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E DESEMPENHO DA PESQUISA CIENTÍFICA NO BRASIL. Simon Schwartzman. Quadros do capítulo V

ORGANIZAÇÃO E DESEMPENHO DA PESQUISA CIENTÍFICA NO BRASIL. Simon Schwartzman. Quadros do capítulo V ORGANIZAÇÃO E DESEMPENHO DA PESQUISA CIENTÍFICA NO BRASIL Simon Schwartzman Quadros do capítulo V Quadro V.1 - Distribuição percentual do tempo de líderes, pesquisadores e técnicos nos diversos trabalhos

Leia mais

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas

Ambiente de Inovação. Biotecnologia. Micro e Pequenas Empresas P&D e Inovação para Micro e Pequena Empresas do Estado do Rio de Janeiro: Como criar um ambiente de inovação nas empresas Estudo Setorial de Biotecnologia Prof a Adelaide Antunes Escola de Química da UFRJ

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Administração Disciplina: Administração da Produção e Operações I Carga Horária Semestral: 80 Semestre do Curso: 6º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito

Leia mais

Estruturas organizacionais em instituições privadas de ensino superior

Estruturas organizacionais em instituições privadas de ensino superior Estruturas organizacionais em instituições privadas de ensino superior por Maurício Garcia*, agosto de 2005 A influência do modelo público A maioria das instituições privadas de ensino superior copiou,

Leia mais

Gestão e Crescimento Empresarial de Alto Impacto ENTREPRENEURIAL THOUGHT AND ACTION

Gestão e Crescimento Empresarial de Alto Impacto ENTREPRENEURIAL THOUGHT AND ACTION Gestão e Crescimento Empresarial de Alto Impacto ENTREPRENEURIAL THOUGHT AND ACTION Instituto Educacional BM&FBOVESPA e Babson: Com reconhecida experiência, o Instituto Educacional BM&FBOVESPA atua na

Leia mais

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia.

Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Construção de um Sistema de Informações Estratégicas, Integrando Conhecimento, Inteligência e Estratégia. Introdução Sávio Marcos Garbin Considerando-se que no contexto atual a turbulência é a normalidade,

Leia mais

CARGO ÁREA ESPECIALIDADE. ESCOLARIDADE I PRÉ-REQUISITOS (a serem comprovados no ato da contratação) CARGA HORÁRIA VAGAS REMUNERAÇÃO LOTAÇÃO ETAPAS

CARGO ÁREA ESPECIALIDADE. ESCOLARIDADE I PRÉ-REQUISITOS (a serem comprovados no ato da contratação) CARGA HORÁRIA VAGAS REMUNERAÇÃO LOTAÇÃO ETAPAS Possuir formação superior em Administração. Ter Analista Administrativo Jr. - Educacional conhecimento em atividades e rotinas administrativas. Possuir capacidade de observação e análise, criatividade,

Leia mais

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br

Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br Soluções Simples www.designsimples.com.br solucoes@designsimples.com.br C1 Introdução Este guia traz noções essenciais sobre inovação e foi baseado no Manual de Oslo, editado pela Organização para a Cooperação

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PROFª DANIELLE VALENTE DUARTE MODELO PARA FORMULAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Análise do ambiente externo Macroambiente Ambiente setorial feedback Ambiente Interno (forças e

Leia mais

Inova Pequena Empresa RS

Inova Pequena Empresa RS Inova Pequena Empresa RS 1 Bloco: : Conceituando Inovação; 2 Bloco: : Programa Inova Pequena Empresa RS / Chamada Pública P Nº N 01/2009; 3 Bloco: : Estruturação do projeto no Sistema de Gestão de Projetos

Leia mais

MBA em Marketing Estratégico

MBA em Marketing Estratégico MBA em Marketing Estratégico Início em 28 de setembro de 2015 Aulas as segundas e quartas, das 19h às 22h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00 Consultar planos de parcelamento.

Leia mais

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto

INCULTEC. Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto INCULTEC Centro de Referência em Incubação de Empresas e Projetos de Ouro Preto EDITAL 01/2015 SELEÇÃO DE NOVOS EMPREENDIMENTOS DE BASE CULTURAL E/OU TECNOLÓGICA PARA PARTICIPA ÇÃO NO PROGRAMA DE INCUBAÇÃO

Leia mais

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR

PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA PARA SOLUCIONAR E/OU MINIMIZAR PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO COORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL SÍNTESE DE RELATORIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DE AVALIAÇÃO EXTERNA PONTOS FRACOS E PONTOS FORTES E PROPOSTA

Leia mais

Módulo 4.Estruturas Organizacionais

Módulo 4.Estruturas Organizacionais Módulo 4.Estruturas Organizacionais Como vimos anteriormente, a Abordagem Contingencial afirma que a forma de atuar da organização deve levar em conta o ambiente onde está inserida. Sua estrutura, igualmente,

Leia mais

PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO

PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO AULA 12 PROCESSO DE ORGANIZAÇÃO OBJETIVOS: Explicar os princípios e as etapas do processo de organizar. Definir responsabilidade e autoridade e suas implicações especialização,

Leia mais

Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz

Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz Políticas de Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia: modelos institucionais da Fiocruz Seminário: Um decênio de história na gestão de propriedade intelectual e transferência de tecnologia

Leia mais

Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG. Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail.

Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG. Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail. Sistemas de Informações Transacionais SIT Sistemas de Informações Gerenciais SIG Ana Clara Araújo Gomes da Silva araujo.anaclara@gmail.com Papéis fundamentais dos SI Os SI desempenham 3 papéis vitais em

Leia mais

1 Introdu ç ão. 1.1. A questão de pesquisa

1 Introdu ç ão. 1.1. A questão de pesquisa 1 Introdu ç ão 1.1. A questão de pesquisa A temática estratégia é muito debatida no meio acadêmico e também possui destacado espaço nas discussões no meio empresarial. Organizações buscam continuamente

Leia mais

Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde

Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Projeto de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde 1- Identificação do Programa de Residência Multiprofissional 1.1- Instituição Formadora: 1.2- Unidade Responsável/ Instituição Executora: 1.3

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO. Sumário I) OBJETIVO 02. 1) Público alvo 02. 2) Metodologia 02. 3) Monografia / Trabalho final 02 Sumário Pág. I) OBJETIVO 02 II) ESTRUTURA DO CURSO 1) Público alvo 02 2) Metodologia 02 3) Monografia / Trabalho final 02 4) Avaliação da aprendizagem 03 5) Dias e horários de aula 03 6) Distribuição de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2014 Curso de Ciências Contábeis. Prof. Valter Guimarães. Melhorar atividade de Ensino OBJETIVO 01: Coluna C Ações Concretas

PLANO DE AÇÃO 2014 Curso de Ciências Contábeis. Prof. Valter Guimarães. Melhorar atividade de Ensino OBJETIVO 01: Coluna C Ações Concretas , Regina Vilanova, Alexandre Haick e Felipe Ramos. OBJETIVO 01: Melhorar atividade de Ensino Concretas Quais problemas identificados nos resultados da autoavaliação dificultam atingir o Objetivo acima?

Leia mais

PRINCIPAIS EIXOS DE ATUAÇÃO DA

PRINCIPAIS EIXOS DE ATUAÇÃO DA PRINCIPAIS EIXOS DE ATUAÇÃO DA UNIDADE 1. Desafios do SUS 2. Ciência e Tecnologia, Saúde e Sociedade 3. Saúde, Ambiente e Sustentabilidade 4. Complexo Produtivo e Inovação em Saúde 5. Inovação na Gestão

Leia mais

Pesquisa deve resultar em inovação tecnológica Projeto desenvolvido em instituição de pesquisa Contrapartida real da empresa parceira: entre 30% e

Pesquisa deve resultar em inovação tecnológica Projeto desenvolvido em instituição de pesquisa Contrapartida real da empresa parceira: entre 30% e ,129$d 2 3$5&(5,$61$ (&2120,$'2 &21+(&,0(172 3DUFHULDSDUD,QRYDomR7HFQROyJLFD 3,7(3DUFHULDSDUD,QRYDomR 7HFQROyJLFD 3,3(,QRYDomR7HFQROyJLFD HP3HTXHQDV(PSUHVDV &(3,'V &(3,'V&HQWURVGH3HVTXLVD,QRYDomRH'LIXVmR

Leia mais

ESTRUTURA ISO 9.001:2008

ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Sistema de Gestão Qualidade (SGQ) ESTRUTURA ISO 9.001:2008 Objetivos: Melhoria da norma existente; Melhoria do entendimento e facilidade de uso; Compatibilidade com a ISO 14001:2004; Foco Melhorar o entendimento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM SAÚDE CAPÍTULO I DA CATEGORIA E FINALIDADE Art. 1º O Núcleo de Inovação Tecnológica em Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto

Leia mais

PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO

PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO 1 Paulo Bastos Tigre Professor titular Instituto de Economia da UFRJ Seminário Implementando uma cultura de inovação em P&D. São Paulo, 8 julho 2010 PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO Conceitos de inovação

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM GESTÃO DE PESSOAS APRESENTAÇÃO O curso de especialização Gestão de Pessoas tem por meta desenvolver gestores para atuarem em empresas que estejam inseridas no processo de globalização

Leia mais

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012

Atuação Responsável. Programa. Requisitos do Sistema de Gestão. 20 anos do Atuação Responsável no Brasil. Responsável 1992-2012 Atuação Responsável anos 1992-2012 Programa Atuação Responsável 20 anos do Atuação Responsável no Brasil Requisitos do Sistema de Gestão Associação Brasileira da Indústria Química Associação Brasileira

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

Edital nº 74, de NOVEMBRO de 2015, publicado no Diário Oficial da União nº 211, de 05 de NOVEMBRO de 2015.

Edital nº 74, de NOVEMBRO de 2015, publicado no Diário Oficial da União nº 211, de 05 de NOVEMBRO de 2015. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO ACADÊMICO DO AGRESTE NÚCLEO DE GESTÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 74, de NOVEMBRO de 2015, publicado

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar

1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário. Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar 1 Fórum de Educação a Distância do Poder Judiciário Gestão de Projetos de EAD Conceber, Desenvolver e Entregar Prof. Dr. Stavros Panagiotis Xanthopoylos stavros@fgv.br Brasília, 27 de novembro de 2009

Leia mais

MBA Gerenciamento de Projetos CULTURA ORGANIZACIONAL

MBA Gerenciamento de Projetos CULTURA ORGANIZACIONAL Universidade Federal Fluminense Núcleo de Competitividade, Estratégia e Organização-LabCEO MBA Gerenciamento de Projetos CULTURA ORGANIZACIONAL Prof. Martius Vicente R. y Rodriguez martiusyrodriguez@gmail.com

Leia mais

A Empresa RESUMO DA EMPRESA FARMACORE BIOTECNOLOGIA LTDA. BIO LATIN AMERICA 2014. Rio de Janeiro 10 de Setembro de 2014

A Empresa RESUMO DA EMPRESA FARMACORE BIOTECNOLOGIA LTDA. BIO LATIN AMERICA 2014. Rio de Janeiro 10 de Setembro de 2014 RESUMO DA EMPRESA FARMACORE BIOTECNOLOGIA LTDA. BIO LATIN AMERICA 2014 Rio de Janeiro 10 de Setembro de 2014 RESUMO DA EMPRESA A empresa foi fundada em 2006, foi instalada na Incubadora de Empresas SUPERA

Leia mais

Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador?

Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador? Desafios regulatórios Até onde vai a liberdade do Pesquisador? Equipe de Identificação de pré-candidatos (internos ou externos) Pré-candidatos selecionados? Criação da Equipe do Projeto - Diretoria Diretória

Leia mais

PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal

PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal O SR. DIRCEU RAPOSO DE MELLO (DIRETOR PRESIDENTE DA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA- ANVISA) Bom-dia, Ministro Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministro Gilmar Mendes, em nome de quem eu

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE FUNCIONÁRIOS - PDF ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - EMENTAS MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL N 8 de 2014 PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

CONSULTA PÚBLICA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL N 8 de 2014 PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO CONSULTA PÚBLICA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE DO BRASIL N 8 de 2014 PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Introdução: A Biotechnology Industry Organization (BIO) agradece a oportunidade de apresentar comentários

Leia mais

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente

Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Videoconferência Difusão da Certificação ISO 9001 da Embrapa Meio Ambiente Data: 22 e 24 de março de 2011 Objetivo Difundir a experiência da Embrapa Meio Ambiente com o processo de obtenção da certificação

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO (*) CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO CNE/CES Nº 5, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2001. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Nutrição. O Presidente

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP/MS DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE EQUIPAMENTOS MÉDICOS E TECNOLOGIAS PARA A SAÚDE INOVA SAÚDE EQUIPAMENTOS MÉDICOS - 02/2013 Modelo de Plano

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA FEA JÚNIOR USP

UMA PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA FEA JÚNIOR USP V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O A D M I N I S T R A Ç Ã O G E R A L UMA PROPOSTA PARA A NOVA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DA FEA JÚNIOR USP Autores: Antonio Carlos Gola Vieira Aluno da Faculdade

Leia mais

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br

FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA. drivanmelo@yahoo.com.br FUNDAMENTOS DE ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA drivanmelo@yahoo.com.br ADMINISTRAÇÃO AD Prefixo latino = Junto de AD MINISTRAÇÃO MINISTER Radical = Obediência, Subordinação Significa aquele que realiza uma função

Leia mais

CBA. Gestão de Negócios PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Gestão de Negócios

CBA. Gestão de Negócios PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Gestão de Negócios CBA Gestão de Negócios Gestão de Negócios O curso desenvolve a capacidade de compreender, de forma ampla e sistêmica, a interação entre as diversas áreas funcionais de uma empresa, além dos aspectos externos

Leia mais

Construindo um País mais Saudável 40 anos do Programa Nacional de Imunizações. 4 de Setembro de 2013 Senado Federal Brasília

Construindo um País mais Saudável 40 anos do Programa Nacional de Imunizações. 4 de Setembro de 2013 Senado Federal Brasília Construindo um País mais Saudável 40 anos do Programa Nacional de Imunizações 4 de Setembro de 2013 Senado Federal Brasília BUTANTAN UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DO GOVERNO DE ESTADO DE SÃO PAULO Em 1901 o

Leia mais

Possibilidade de Avaliação dos Sistemas de Informação: O estudo do SIM

Possibilidade de Avaliação dos Sistemas de Informação: O estudo do SIM * SES-PE ** IMIP Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco Secretaria Executiva de Vigilância em Saúde Diretoria Geral de Vigilância Epidemiológica e Ambiental Gerencia de Monitoramento e Vigilância

Leia mais

VII CONGRESSO INTERNO FIOCRUZ ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELA DIREH AO DOCUMENTO DE REFERÊNCIA

VII CONGRESSO INTERNO FIOCRUZ ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELA DIREH AO DOCUMENTO DE REFERÊNCIA VII CONGRESSO INTERNO FIOCRUZ ALTERAÇÕES PROPOSTAS PELA DIREH AO DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Pagina 31 6.1. Atenção, Vigilância e Formação para o SUS Recursos Basais - Implantar programa de incentivo ao desempenho

Leia mais

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável

CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável CESA Comitê Advocacia Solidária ISO 26.000 e Manual do Advogado Sustentável Julho 2010 O que é ISO 26000? A ISO 26000 é uma norma internacional de Responsabilidade Social, um guia de diretrizes que contribui

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano.

Objetivos. Missão. Simplicidade. Transparência. Segurança no Negócio. Qualidade. Produtividade. Respeito pelo Ser Humano. Intelbras S.A. Objetivos Missão Ser uma empresa competitiva internacionalmente, atuando no mercado de telecomunicações, mantendo padrões de qualidade e rentabilidade que satisfaçam clientes, colaboradores

Leia mais

Gestão de Tecnologia da Informação e Comunicação

Gestão de Tecnologia da Informação e Comunicação Gestão de Tecnologia da Informação e Comunicação Curso autorizado pela Resolução nº 247-06/12/2010. Publicado:09/12/2010 SETEC/MEC Nota obtida na autorização: 4 Objetivos O Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016 A Fundação de Rotarianos de São Caetano do Sul - ROTARY Colégio Eduardo Gomes objetivando o desenvolvimento profissional de seus associados e seus familiares estabeleceu parceria educacional com a Fundação

Leia mais

Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado. Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D?

Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado. Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D? Conferência Estadual Paulista de C&TI 12 de abril de 2010 Mesa 1: P&D no setor privado Sistema de Inovação... Como chegar ao P&D? Ronald M. Dauscha Agenda - Foco em maturidade de inovação - Serviços para

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Matemática I 1º PERÍODO Matrizes e sistemas lineares. Funções: lineares, afins quadráticas,

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO DE COLABORADORES PQC ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES MÓDULO 1: GESTÃO ACADÊMICA DE IES Educação Superior no Brasil: cenários e tendências Conceitos e concepções de universidade; aspectos históricos da educação superior no Brasil; a reforma da educação superior

Leia mais

A Iniciativa de P&D da Empresa X

A Iniciativa de P&D da Empresa X Projetos 1. Eliezer Barreiro Fármacos antinflamatórios 2. Valdir Cechinel Filho Hiperplasia Benigna da Próstata- fitoterápico 3. Valdir Cechinel Filho Analgésico - fitoterápico 4. Sérgio T. Ferreira Doença

Leia mais

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA 1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA SIGA: PMBAIE*08/00 Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA As grandes questões emergentes que permeiam o cenário organizacional exigem

Leia mais

Pós-Graduação Empresarial em Gestão de Negócios com Ênfase em Marketing. Manual do Curso

Pós-Graduação Empresarial em Gestão de Negócios com Ênfase em Marketing. Manual do Curso Pós-Graduação Empresarial em Gestão de Negócios com Ênfase em Marketing Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2015 Apresentação Pós-Graduação Empresarial em Gestão de Negócios com Ênfase em Marketing

Leia mais

ANEXO I ESPECIALISTA CÓDIGO PERFIL PRÉ-REQUISITO ATRIBUIÇÕES CIDADE VAGAS UNIDADE

ANEXO I ESPECIALISTA CÓDIGO PERFIL PRÉ-REQUISITO ATRIBUIÇÕES CIDADE VAGAS UNIDADE ANEXO I ESPECIALISTA CÓDIGO PERFIL PRÉ-REQUISITO ATRIBUIÇÕES CIDADE VAGAS UNIDADE XE15001 Atenção Básica em Saúde Graduação em Ciências da Saúde, Doutorado na Área da Saúde mais 6 anos de experiência no

Leia mais

Soluções em Tecnologia da Informação

Soluções em Tecnologia da Informação Soluções em Tecnologia da Informação Curitiba Paraná Salvador Bahia A DTS Sistemas é uma empresa familiar de Tecnologia da Informação, fundada em 1995, especializada no desenvolvimento de soluções empresariais.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE - RS PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO CIÊNCIAS BIOLÓGICAS LICENCIATURA PLENA ESTRATÉGIAS PEDAGÓGICAS O Curso de Ciências Biológicas, através

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA

GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA GESTÃO EM SEGURANÇA PÚBLICA Área: INTELIGÊNCIA ESTRATÉGICA E SEGURANÇA Os cursos de Inteligência e Segurança especializam profissionais com as modernas técnicas de Inteligência e de Segurança, aliados

Leia mais

Sessão Técnica C 3 : Monitoramento, Prospecção Tecnológica e Inteligência Competitiva de Medicamentos

Sessão Técnica C 3 : Monitoramento, Prospecção Tecnológica e Inteligência Competitiva de Medicamentos Sessão Técnica C 3 : Monitoramento, Prospecção Tecnológica e Inteligência Competitiva de Medicamentos Aspectos sobre inteligência tecnológica no desenvolvimento de medicamentos 16 de setembro de 2009 Estratégias

Leia mais

Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910

Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910 Perguntas e Respostas: Protocolo HVTN 910 Versão 1- Atualizado em 18/Nov/2011 1. O que é o Protocolo HVTN 910? O Protocolo HVTN 910 é um estudo clínico que avaliará por quanto tempo vacinas experimentais

Leia mais

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso

Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Brasil em Alto Contraste: Conhecer é preciso Percepção da Pesquisa no Brasil Congresso Brasileiro de Pesquisa Mercado h Opinião h Mídia Nelsom Marangoni Ney Luiz Silva Mudanças, muitas mudanças... e mudanças

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

Modelo de Referência para Avaliação da CERTICS

Modelo de Referência para Avaliação da CERTICS CTI RENATO ARCHER Relatório Técnico CTI TRT0084113 Modelo de Referência para Avaliação da CERTICS Documento de Detalhamento Versão 1.1 Este documento apresenta o detalhamento do Modelo de Referência para

Leia mais

CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas. Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD

CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas. Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD CONHECIMENTO E CAPACITAÇÃO: Uma Aliança Estratégica nos Institutos de Pesquisas Valéria Cristina dos Santos Ribeiro 10 de agosto de 2006 CRH/STD OBJETIVO DA PESQUISA: Refletir e construir proposituras

Leia mais