LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA"

Transcrição

1 AULA 9 PG 1

2 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão e a comunicação com o professor devem ser feitos diretamente no ambiente de aprendizagem on line. AULA 9 PG 2

3 Sumário AULA 09 A DISSERTAÇÃO NO TEXTO JURÍDICO...4 AULA 9 PG 3

4 AULA 09 A DISSERTAÇÃO NO TEXTO JURÍDICO Dando continuidade ao estudo das tipologias textuais no discurso jurídico, vimos na aula passada a narração propriamente dita e como ela pode apresentar aspectos de dissertação e de descrição. Nesta aula, vamos nos concentrar na dissertação que é o principal tipo de texto produzido pela comunidade jurídica. Não se pode perder de vista que o texto dissertativo é aquele em que se busca expor uma ideia, podendo ser expositivo ou argumentativo ou ainda expositivo argumentativo, como ocorre com a maioria das produções textuais jurídicas, de que servem de exemplo os recursos, as sentenças e acórdãos. Uma preocupação deve estar sempre presente no texto dissertativo. Ele representa uma tomada de posição diante de um dado tema ou problema. Assim é o que ocorre com o advogado do autor ao sustentar a violação do direito do cliente para o que pretende uma sentença favorável como o que acontece com o advogado do réu, ao sustentar a adequação do comportamento do seu cliente ao ordenamento jurídico ou à regra do contrato, por exemplo, para pedir por uma sentença desfavorável à parte contrária. Ao juiz, na sentença, considerada a sua função de aplicador do direito, cabe tomar uma posição diante do conflito que lhe foi submetido, estampando na sentença a sua decisão, que a partir dos fundamentos que invocar convencerá ou não um dos demandantes, que não satisfeitos com a decisão, hão de recorrer e no Tribunal irão buscar o convencimento do colegiado acerca do acerto ou desacerto da decisão de primeiro grau. O texto dissertativo seja expositivo, seja argumentativo está presente na petição inicial com a fundamentação do pedido. Veja que o advogado do autor, por determinação do artigo 282, do Código de Processo Civil, além de declinar a causa de pedir, isto é, narrar os fatos jurídicos relevantes para a demanda, como vimos na aula anterior, deve apontar as consequências desses fatos e, depois, a violação do direito do cliente. Perceba se que não se trata de mera descrição ou de uma narração, mas de verdadeira fundamentação do segue logo abaixo, que é o pedido. Os pedidos formulados ao juiz devem ser justificados, devem apresentar se numa relação de causa e efeito. O estabelecimento dessa correlação necessária entre os fatos causa de pedir e o pedido consiste na parte dissertativa AULA 9 PG 4

5 expositiva quando se tratar de questões jurídicas mais simples, para o que bastará a invocação do texto normativo. Nem sempre, contudo, as questões levadas ao Poder Judiciário são simples. Então, nas causas mais complexas, que imponham outros desdobramentos, o texto dissertativo não poderá ser simplesmente expositivo, mas sim argumentativo para que uma tese, por meio dos argumentos jurídicos, seja defendida. Vimos falando do advogado do autor, mas o advogado do réu, na contestação, não se limita a descrever quaisquer fatos. De acordo com o artigo 333, II, do Código de Processo Civil, o advogado do réu, na contestação, que é a peça processual de defesa mais importante no processo civil, deve descrever três tipos de fatos. Os fatos que devem ser descritos pelo advogado na contestação são aqueles que de alguma forma impeçam o exercício do direito alegado pelo autor. São os chamados fatos impeditivos. Pode, também, o advogado descrever fatos que modifiquem esse mesmo direito do autor. São os chamados fatos modificativos. E por fim, pode o advogado descrever fatos extingam esse direito. São os chamados fatos extintivos do direito.a contestação é ou pode não ser apenas um texto narrativo ou descritivo, impondo se que ele adote uma estrutura dissertativa argumentativa. Lembre se que o réu sempre quer uma sentença que seja desfavorável ao autor e por isso haverá de invocar argumentos contrários àqueles levantados pelo autor na petição inicial ou no recurso. Aliás, a petição recursal é o veículo, por excelência de texto dissertativo argumentativo, na medida em que aquele a quem for dada uma sentença desfavorável, ao valer se do segundo grau de jurisdição, poderá recorrer ao Tribunal para que, apontando o desacerto da decisão ou da sentença e buscando convencer e persuadir o colegiado, logre êxito na modificação da decisão ou da sentença. Em qualquer desses tipos de textos jurídicos, o advogado deve valer se não apenas da demonstração conceitual da tese que defende, mas também da demonstração factual, isto é, das provas que vai produzir ao longo do processo e na fase probatória, o que significa dizer que a produção argumentativa do advogado não se dá em certos e determinados momentos, mas ao longo de todo o processo judicial que se desenvolve numa estrutura dialética. Perceba se, portanto, que a lógica da argumentação jurídica não está fundada na busca de uma verdade absoluta, mas na persuasão e no convencimento a respeito da versão dos fatos e das teses debatidas e demonstradas. AULA 9 PG 5

6 A par do estatuto ético que rege a atuação do advogado dentro e fora do juízo, o principal comprometimento desses operadores do direito é a proteção da ordem jurídica violada com o conflito. Por isso, a atuação do advogado se volta para a demanda e os textos produzidos por advogados são parciais, na medida em que representam os interesses das partes que são os sujeitos parciais do processo. O juiz está equidistante dos interesses contrapostos na demanda e, como garantia institucional, deve ser imparcial, produzir um texto jurídico menos subjetivo do que aquele produzido pelos advogados. Diz se menos subjetivo, porquanto para a aplicação da norma jurídica será preciso interpretá la e a interpretação como ato de vontade e um ato de inteligência não se reveste de neutralidade axiológica. Isto é, o juiz ao interpretar a norma e fazê la incidir sobre o caso concreto para solucionar o conflito não o faz ao arrepio de seus valores morais, religiosos, políticos ou ideológicos. É importante ter em mente que o juiz não tem conhecimento do fato real, senão por meio das versões apresentada pelos advogados nos seus escritos processuais, por isso a importância da boa construção da peça processual, por isso determina o artigo 458, do Código de Processo Civil, que logo após o relatório, que vimos na aula anterior apresentar uma estrutura narrativa, segue a fundamentação. A fundamentação é a alma da sentença, pois é nela que o juiz vai examinar os fatos e os fundamentos apresentados pelos advogados em suas produções textuais ao longo do processo. É na fundamentação que o juiz desenvolve um texto argumentativo, traçando de forma lógica e coerente a solução que vai apresentar na parte final da sentença, chamada de dispositivo. E tanto uma parte quanto outra devem ser claras, coerentes, coesas e fácil compreensão. Perceba que a argumentação da sentença está endereçada à parte que perdeu a demanda. Para uma síntese dessa primeira metade do nosso curso de Linguagem e Argumentação Jurídica e de tudo quanto vimos até agora, não perca de vista que a construção de um texto jurídico segue, ao menos em tese, a mesma estrutura dos textos não jurídicos. Assim, um advogado, um juiz, um promotor, um delegado poderá produzir uma narração, uma descrição ou uma dissertação. A particularidade do texto jurídico reside no tema tratado e na finalidade da comunicação escrita. AULA 9 PG 6

7 Como qualquer outro texto, o jurídico deve ser claro, preciso, coeso, coerente, fluente, o que se consegue com o planejamento, com a organização de ideias, com seu encadeamento lógico e natural, com a escolha do estilo e do vocabulário. Seja qual for o texto jurídico que você vá produzir, uma petição inicial, uma contestação ou razão de algum recurso, além de você ter de seguir e de se preocupar com o aspecto formal do texto, que será objeto de estudo numa disciplina própria chamada de Prática Jurídica, você não pode se esquecer da estrutura básica do texto, qual seja, introdução, o desenvolvimento e a conclusão. Você já sabe que na introdução você deve estabelecer o assunto de que vai tratar, apontando para o interlocutor o tema. No desenvolvimento, você não deve apenas fundamentar suas ideias, deve explicar as razões do raciocínio, deve expor os argumentos de forma a convencer e persuadir o interlocutor da tese que você apontou na introdução, e para tanto é importante que você conheça os operadores argumentativos ou sinalizadores de argumentação, que são palavras que indicam a introdução de argumentos. Por fim, na conclusão, depois de apresentar uma síntese das principais ideias discutidas. AULA 9 PG 7

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 8 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 7 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 2 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 1 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 17 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 14 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 3 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 5 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

Anexo I. Roteiro- estudo do caso concreto: passo a passo

Anexo I. Roteiro- estudo do caso concreto: passo a passo Anexo I Roteiro- estudo do caso concreto: passo a passo Ao se provocar o judiciário por meio de uma Petição Inicial para que um conflito de interesses seja resolvido, pressupõe-se que haja uma relação

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D-11 2º 04 Semanal Mensal Nome da Disciplina / Curso LINGUAGEM FORENSE

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D-11 2º 04 Semanal Mensal Nome da Disciplina / Curso LINGUAGEM FORENSE Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária Curso D-11 2º 04 Semanal Mensal 04 60 Nome da Disciplina / Curso DIREITO LINGUAGEM FORENSE Noções metodológicas de leitura e interpretação de textos técnicos.

Leia mais

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA RENÉ DESCATES (1596-1650) HANS KELSEN (1881-1973) Kelsen pregava uma objetividade ao ordenamento jurídico, a tal ponto que o juiz, ao prolatar uma sentença, por exemplo,

Leia mais

Metodologia Científica

Metodologia Científica Metodologia Científica O PROCESSO DE LEITURA E DA PRODUÇÃO DE TEXTOS Profª Ma. Fabiana Rocha O PROCESSO DE LEITURA Importância da Leitura Aprendizagem do ser humano; Enriquecer o vocabulário; Obter conhecimento;

Leia mais

Faculdade de Direito de Franca

Faculdade de Direito de Franca PRÁTICA JURÍDICA CIVIL I PLANO DE ENSINO 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS: Professor Doutor José Antônio de Faria Martos Departamento: Direito Público Disciplina: Prática Jurídica I série: 4ª Turma (s): A e

Leia mais

Prática Processual Penal

Prática Processual Penal Material Teórico Prática Processual Penal Aula 1 Elementos fundamentais na prática penal; Elaboração da peça prática no processo penal. Conteudista Responsável: Prof. Ms. Wagner Antonio Alves cod PratProcessPenalCDSG1109_a01

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO PARÁGRAFO DE CONCLUSÃO O parágrafo de conclusão é muito importante, porque é o fechamento tanto da narração jurídica quanto da dissertação jurídica da peça processual. Na primeira parte da peça processual,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Revisão Criminal. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Revisão Criminal Gustavo Badaró aula de 10.11.2015 PLANO DA AULA 1. Noções gerais 2. Condições da ação 3. Pressupostos processuais 4. Procedimento 1. NOÇÕES

Leia mais

REVELIA (ART. 319 A 322)

REVELIA (ART. 319 A 322) REVELIA (ART. 319 A 322) Ocorre quando o réu, regularmente citado, deixa de responder à demanda. O CPC regulou esse instituto, considerando revel o réu que deixa de oferecer contestação após regularmente

Leia mais

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf

IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf IMPACTOS CORPORATIVOS SOBRE AS ALTERAÇÕES DO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Carolina Sayuri Nagai Calaf O QUE MUDOU EM LINHAS GERAIS Parágrafo 5º, no art. 46: Execução Fiscal sempre será proposta no domicílio

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br

BuscaLegis.ccj.ufsc.Br BuscaLegis.ccj.ufsc.Br Teoria Geral da Prova no Processo Civil Daniel Nobre Morelli INTRODUÇÃO Podemos considerar prova como o meio pelo qual se procura demonstrar que certos fatos, expostos no processo,

Leia mais

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de

Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Sujeitos Processuais. Gustavo Badaró aula de Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo Sujeitos Processuais Gustavo Badaró aula de 11.10.2016 1. Noções Gerais 2. Juiz PLANO DA AULA Peritos, interpretes e auxiliares da justiça 3. Ministério

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo III. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo III. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo III Aula 01 1 INTRODUÇÃO O 3º módulo correspondente ao Direito Processual do Trabalho que trata de alguns mecanismos processuais dentro da Justiça do Trabalho. Estudaremos ainda,

Leia mais

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina.

Turmas Especiais 2015 Programa da disciplina. Faculdade de Direito de São Bernardo do Campo FDSBC Curso de Prática Jurídica Civil Prof. Titular Pedro Marini Neto Prof. Substituto Estevan Lo Ré Pousada Turmas Especiais 2015 Calendário de atividades

Leia mais

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ 2ª TURMA RECURSAL JUIZADOS ESPECIAIS FEDERAIS SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ Processo nº 2009.70.56.000660-8 Relatora: Juíza Federal Andréia Castro Dias Recorrente: PEDRO FERNANDES Recorrido: INSTITUTO NACIONAL

Leia mais

Quais os três conceitos fundamentais do direito processual?

Quais os três conceitos fundamentais do direito processual? Quais os três conceitos fundamentais do direito processual? Jurisdição + Ação ( e defesa) + Processo Qual o conceito de ação? AÇÃO= direito ( ou poder) de exigir do Estado o exercício da atividade jurisdicional

Leia mais

Período Turma (s) Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional Docente Professor Dr. Hamilton da Cunha Iribure Júnior

Período Turma (s) Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional Docente Professor Dr. Hamilton da Cunha Iribure Júnior Página 1 de 5 Disciplina Curso Graduação DE GRADUACÃO Curso Semestral Código DIREITO PROCESSUAL PENAL III 106 Período Turma (s) 7º. Período A; B; D Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional Docente

Leia mais

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo

Defesa do réu. Espécies de defesa. 1. Matéria. I. Defesa contra o processo Defesa do réu O réu ao ser citado é levado a assumir o ônus de defender-se. Bilateralidade da ação/do processo. Ao direito de ação do autor (pretensão deduzida em juízo), equivale o direito de defesa do

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE AULA 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Direito Processual Penal

Leia mais

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula

Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula Anexo B Relação de Assuntos Pré-Requisitos à Matrícula MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL 6º ANO Ensino

Leia mais

DIREITO. Conheça mais sobre o curso

DIREITO. Conheça mais sobre o curso DIREITO Conheça mais sobre o curso MITOS VERDADES 1 É um curso muito difícil. 1 Com esforço, foco, dedicação, persistência e fé tudo é possível. 2 Quem conclui a graduação se torna advogado. 2 Quem conclui

Leia mais

Aula 11 - Ação e Petição Inicial 1. Conceituações 2. Natureza jurídica 3. Elementos da ação 4. Condições da ação

Aula 11 - Ação e Petição Inicial 1. Conceituações 2. Natureza jurídica 3. Elementos da ação 4. Condições da ação Aula 11 - Ação e Petição Inicial 1. Conceituações O direito de provocar o exercício da tutela jurisdicional pelo Estado para solucionar dado conflito existente entre certas pessoas denomina-se Ação. Dissidio

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO

FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO FACULDADE DE DIREITO DE FRANCA PLANO DE ENSINO - 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 PROFESSOR: Iara Marthos Águila 1.2 DEPARTAMENTO: Direito Privado 1.3 DISCIPLINA: Direito do Trabalho 1.4 SÉRIE: 5º. Ano TURMAS:

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina. Código PRÁTICA FORENSE TRABALHISTA II 143 Curso. Período

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina. Código PRÁTICA FORENSE TRABALHISTA II 143 Curso. Período Página 1 de 6 DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina Código PRÁTICA FORENSE TRABALHISTA II 143 Curso Graduação Período 10º Período Turma (s) A, B e D Carga Horária 64 horas-aula relógio 77 horas-aula

Leia mais

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site:

SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: SISTEMA EDUCACIONAL INTEGRADO CENTRO DE ESTUDOS UNIVERSITÁRIOS DE COLIDER Av. Governador Julio Campos, Lote 13, Loteamento Trevo Colider/MT Site: www.sei-cesucol.edu.br e-mail: sei-cesucol@vsp.com.br FACULDADE

Leia mais

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. Prof. Eduardo

CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. Prof. Eduardo CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL Prof. Eduardo A que se presta o Código de Processo Civil? FACULDADE ASSIS GURGACZ CÓDIGO CIVIL DE 2002 Parte Geral Livro I Das pessoas Livro II Dos bens Livro III Dos fatos jurídicos

Leia mais

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia.

Olá, pessoal! Chegamos ao nosso sétimo módulo. Falaremos da petição inicial, da(s) resposta(s) do réu e do fenômeno da revelia. CURSO DE RESOLUÇÃO DE QUESTÕES DE PROCESSO CIVIL PONTO A PONTO PARA TRIBUNAIS MÓDULO 7 PETIÇÃO INICIAL. RESPOSTA DO RÉU. REVELIA. Professora: Janaína Noleto Curso Agora Eu Passo () Olá, pessoal! Chegamos

Leia mais

tese tema argumentos TEMA TESE ARGUMENTOS

tese tema argumentos TEMA TESE ARGUMENTOS Defesa de uma tese, de uma opinião a respeito do tema proposto, apoiada em argumentos consistentes estruturados de forma coerente e coesa, de modo a formar uma unidade textual. Seu texto deverá ser redigido

Leia mais

Estudo teórico do direito e dos elementos estruturais do direito processual civil e penal.

Estudo teórico do direito e dos elementos estruturais do direito processual civil e penal. 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 PROFESSOR: Wellington José Tristão 1.2 DEPARTAMENTO: Disciplinas de Formação Fundamental 1.3 DISCIPLINA: Teoria Geral do Direito e do Processo 1.4 SÉRIE: 1º TURMAS: A e B TURNOS:

Leia mais

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 24 4º 04 Semanal Semestral 04 60

Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 24 4º 04 Semanal Semestral 04 60 e Cód. Disciplina Período Créditos Carga Horária D- 24 4º 04 Semanal Semestral 04 60 Nome da Disciplina DIREITO PROCESSUAL CIVIL I Curso DIREITO D- 15 TEORIA GERAL DO PROCESSO(MATRIZ 2008/01) D- 17 TEORIA

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO

DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROFESSOR EDUARDO FRANCISCO 1 Nomeação à autoria arts. 62 a 69, CPC. Intervenção de terceiros Mecanismo de correção do polo passivo Dever do réu, vide art. 69, CPC. 1.1 - A nomeação

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO

Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito PLANO DE ENSINO 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Processo Penal I Código

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Direito. Teoria Geral do Processo II Professor Vallisney Oliveira

Universidade de Brasília Faculdade de Direito. Teoria Geral do Processo II Professor Vallisney Oliveira Universidade de Brasília Faculdade de Direito Teoria Geral do Processo II Professor Vallisney Oliveira Aluna: Marina Novetti Velloso Matrícula: 11/0132386 2º Semestre de 2013. ACÓRDÃO RECURSO ESPECIAL

Leia mais

CRÍTICAS À ALTERAÇÃO NO REGIMENTO INTERNO DO TST cancelamento de sustentações orais. Da Academia Nacional de Direito do Trabalho.

CRÍTICAS À ALTERAÇÃO NO REGIMENTO INTERNO DO TST cancelamento de sustentações orais. Da Academia Nacional de Direito do Trabalho. CRÍTICAS À ALTERAÇÃO NO REGIMENTO INTERNO DO TST cancelamento de sustentações orais. José Alberto Couto Maciel. Da Academia Nacional de Direito do Trabalho. O Tribunal Superior do Trabalho, em decisão

Leia mais

Projeto 1000 no Enem. Conclusão. Bruna Camargo (67) (Aulas particulares)

Projeto 1000 no Enem. Conclusão. Bruna Camargo (67) (Aulas particulares) Projeto 1000 no Enem Conclusão OBSERVAÇÕES IMPORTANTES: Nas dissertações, a conclusão é a parte final que condensa os pontos centrais da discussão, inclusive o posicionamento apresentado na tese. A conclusão

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL O(A) examinando(a) deverá apresentar uma ação de consignação em pagamento endereçada ao juiz do trabalho. Como fundamento, deverá argumentar a rescisão por abandono de emprego, invocando

Leia mais

PLANO DE CURSO 2014/02 TOTAL DE AULAS/ OU CARGA HORÁRIA

PLANO DE CURSO 2014/02 TOTAL DE AULAS/ OU CARGA HORÁRIA Este Plano de Curso poderá sofrer alterações a critério do professor e/ou da Coordenação. PLANO DE CURSO 2014/02 PROFESSOR : CARLOS HENRIQUE BEZERRA LEITE MONITORA GRADUADA: LAÍS DURVAL LEITE DISCIPLINA:

Leia mais

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO

COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO COMISSÃO NACIONAL DE ESTÁGIO E FORMAÇÃO Prática Processual Civil Programa I CONSULTA JURÍDICA 1.1 Consulta jurídica 1.2 Tentativa de resolução amigável 1.3 Gestão do cliente e seu processo II PATROCÍNIO

Leia mais

Direito Processual do Trabalho. Professor Raphael Maia

Direito Processual do Trabalho. Professor Raphael Maia Direito Processual do Trabalho Professor Raphael Maia 2.1 Funções dos Princípios no Processo do Trabalho: a) Função informadora: a) Tem por objetivo é orientar o legislador b) Função Interpretativa: a)

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho (Extensão EE Sebastião de Oliveira Rocha) Código: 091.07 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão de Negócios Habilitação

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação FAED PLANO DE ENSINO

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação FAED PLANO DE ENSINO 1 Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Humanas e da Educação FAED PLANO DE ENSINO DEPARTAMENTO: Departamento de Ciências Humanas ANO/SEMESTRE: 2013/2 CURSO: Pedagogia FASE:

Leia mais

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO)

NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL E A CLT (DA CONTESTAÇÃO) I DA CONTESTAÇÃO OS DISPOSITIVOS CLASSICOS DA CLT: O artigo 769 da CLT (SUBSIDIÁRIA), será aplicada no processo de fase conhecimento observando todas

Leia mais

STJ Návia Costa COMUNICAÇÃO JURÍDICA LINGUAGEM, ARGUMENTAÇÃO E ESTRUTURA TEXTUAL. 1ª Edição 2014 (DI MUNDO JURÍDICO. ... I.I!

STJ Návia Costa COMUNICAÇÃO JURÍDICA LINGUAGEM, ARGUMENTAÇÃO E ESTRUTURA TEXTUAL. 1ª Edição 2014 (DI MUNDO JURÍDICO. ... I.I! Návia Costa COMUNICAÇÃO JURÍDICA LINGUAGEM, ARGUMENTAÇÃO E ESTRUTURA TEXTUAL 1ª Edição 2014 (DI MUNDO JURÍDICO... I.I! I o R A by Návia Costa by Mundo Jurídico - Editora e Distríbuidora Ltda. Diagramação:

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Sentença e coisa julgada. Prof. Luiz Dellore

DIREITO PROCESSUAL CIVIL. Sentença e coisa julgada. Prof. Luiz Dellore DIREITO PROCESSUAL CIVIL Sentença e coisa julgada Prof. Luiz Dellore 1. Providências preliminares Após a inicial e contestação, pode ser que uma destas ocorram no processo: - especificação de provas, caso

Leia mais

TJRJ SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3

TJRJ SUMÁRIO. Língua Portuguesa. Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3 Língua Portuguesa Gêneros textuais: descrição, narração, dissertação expositiva e argumentativa...3 Tipos textuais: informativo, publicitário, didático, instrucional e preditivo...3 Marcas de textualidade:

Leia mais

Artigo de opinião. Este material foi compilado e adaptado de material didático criado pela Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco

Artigo de opinião. Este material foi compilado e adaptado de material didático criado pela Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco Artigo de opinião Este material foi compilado e adaptado de material didático criado pela Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco O TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO É UMA TIPOLOGIA TEXTUAL QUE VISA

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Período 5º Período

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS. Período 5º Período Página 1 de 5 DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS Código 92 Curso Graduação Período 5º Período Eixo de Formação Eixo de formação profissional Docente: Prof. Dr. Elias

Leia mais

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais?

Gêneros Textuais. E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Gêneros Textuais E aí, beleza!? Vamos juntos dar uma olhada em algumas dicas importantes de gêneros textuais? Para começar, vamos observar as imagens abaixo, reproduções de uma receita, uma manchete de

Leia mais

TEORIA GERAL DOS RECURSOS

TEORIA GERAL DOS RECURSOS TEORIA GERAL DOS RECURSOS FUNDAMENTO, CONCEITO E NATUREZA JURIDICA Fundamentos: A necessidade psicológica do vencido irresignação natural da parte A falibidade humana do julgador Razões históricas do próprio

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº SJU-01.A/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº SJU-01.A/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº SJU-01.A/2015 Data: 20/09/2015 Versão: Original 01 SISTEMA ADMINISTRATIVO SJU - SISTEMA JURÍDICO 02 ASSUNTO SJU 01.A PROCESSOS JUDICIAIS CÍVEIS (JUSTIÇA COMUM CÍVEL E JUIZADO ESPECIAL

Leia mais

Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme. Professor Zulmar Duarte

Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme. Professor Zulmar Duarte Procedimentos no Novo CPC e Julgamento Conforme Professor Zulmar Duarte Procedimentos no Novo CPC Processo Relação Processual Art. 238. Citação é o ato pelo qual são convocados o réu, o executado ou o

Leia mais

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015

UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO. Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa. Ano lectivo de 2014/2015 UNIVERSIDADE DE MACAU FACULDADE DE DIREITO Curso de Licenciatura em Direito em Língua Portuguesa Ano lectivo de 2014/2015 DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (Disciplina anual do 3.º ano) Responsável pela regência:

Leia mais

Teoria Geral do Processo

Teoria Geral do Processo Arno Melo Schlichting Teoria Geral do Processo Concreta - Objetiva - Atual Livro 2 3 a Edição SUMÁRIO Apresentação 9 Identificação 11 Natureza... 13 Objetivo... 13 1 Teoria Geral das Ações 15 1.1 Ação,

Leia mais

Visite o Blog do Prof. Rogerio Neiva para acessar outros conteúdos!

Visite o Blog do Prof. Rogerio Neiva para acessar outros conteúdos! O Que Mudou no Direito do Trabalho em 2012! O presente documento reúne de forma temática todas as mudanças que ocorreram no Direito Processual do Trabalho em 2012. Estas alterações decorreram basicamente

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran / PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran OBJETIVO GERAL: Estabelecer a discussão crítica sobre os princípios e os pressupostos históricos, filosóficos,

Leia mais

PROCESSO CIVIL II. Formação do Processo. UNIC Universidade de Cuiabá. Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda

PROCESSO CIVIL II. Formação do Processo. UNIC Universidade de Cuiabá. Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda PROCESSO CIVIL II Formação do Processo UNIC Universidade de Cuiabá Prof. Eduardo Ramsay de Lacerda O PROCESSO O processo é uma relação jurídica, que apresenta dois aspectos: a) material, consistente no

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA

1. IDENTIFICAÇÃO 2. EMENTA 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D- 17 PERÍODO: 4º CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

Leia mais

D º 04 DIREITO PROCESSUAL CIVIL II

D º 04 DIREITO PROCESSUAL CIVIL II D - 31 5º 04 Semanal Semestral 04 60 DIREITO PROCESSUAL CIVIL II D.34- DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (MATRIZ 2008/01) D.24- DIREITO PROCESSUAL CIVIL I (MATRIZ 2008/02) Da Sentença. Requisitos da Sentença.

Leia mais

Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I

Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I Elaboração de Textos P R O F. : M I C H E L E N A S U T O M I YA M A B U C C I Introdução Existem vários tipos de textos: Que contam uma história. Que descrevem uma situação. Que apresenta os diálogos

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas (ponto 2 do artigo 7º do Despacho Normativo nº1-f/2016, de 5 de abril) 5.º Ano Interpretar textos orais breves.

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/Letras Escola Estadual Prof.

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/Letras Escola Estadual Prof. Universidade Federal do Rio Grande do Norte Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/Letras Escola Estadual Prof. José Fernandes Machado Professor Supervisor: Ladmires Carvalho Bolsistas:

Leia mais

AULA 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA O ALUNO INICIANTE NA PRÁTICA JURÍDICA. FREQUÊNCIA

AULA 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA O ALUNO INICIANTE NA PRÁTICA JURÍDICA. FREQUÊNCIA AULA 1 ORIENTAÇÕES INICIAIS PARA O ALUNO INICIANTE NA PRÁTICA JURÍDICA. HORÁRIO DAS AULAS SÁBADOS : Início 07:50 h término 11:30 h. Intervalo das 9:30h as 9:50 h. FREQUÊNCIA O aluno poderá se ausentar

Leia mais

DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS EM CURSO NO JEF. Dra. Fiorella Ignacio Bartalo.

DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS EM CURSO NO JEF. Dra. Fiorella Ignacio Bartalo. DISPOSIÇÕES APLICÁVEIS DO NCPC NOS PROCESSOS EM CURSO NO JEF Dra. Fiorella Ignacio Bartalo fiorella@aasp.org.br Artigo 985: Incidente de Resolução de Demandas Repetitivas Julgado o incidente, a tese jurídica

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS - TUTELAS COLETIVAS. Código 120 Curso Graduação

PLANO DE ENSINO DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS - TUTELAS COLETIVAS. Código 120 Curso Graduação DE GRADUACÃO Curso Semestral Disciplina DIREITOS DIFUSOS E COLETIVOS - TUTELAS COLETIVAS Código 120 Curso Graduação Período 9º PERÍODO Turma (s) A B - D Carga Horária 32 horas relógio 39 horas-aula Eixo

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL

MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DO EXÉRCITO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PREPARATÓRIA E ASSISTENCIAL 6º ANO Ensino Fundamental Língua Portuguesa 2) Inferir o sentido

Leia mais

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 08 de março de 2012 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I NOME DO CURSO: DIREITO

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I NOME DO CURSO: DIREITO 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 4º CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL CIVIL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA Estrutura do Código de Processo

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO

LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO LISTA DE EXERCÍCIOS REDAÇÃO P1-1º BIMESTRE 8 º ANO FUNDAMENTAL II Aluno (a): Turno: Turma: Unidade Data: / /2016 HABILIDADES E COMPETÊNCIAS Comparar textos, buscando semelhança e diferenças quanto às ideias

Leia mais

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO PROCESSUAL CIVIL

PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO PROCESSUAL CIVIL PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS P á g i n a 1 DIREITO PROCESSUAL CIVIL Questão 1. Assinale a alternativa correta: a) Denomina-se processo cooperativo ao processo que envolve uma multiplicidade de sujeitos,

Leia mais

Petição Inicial - Conceito

Petição Inicial - Conceito Petição Inicial - Conceito A Petição Inicial é um documento escrito (ou digital) elaborado pelo advogado para defender e reivindicar os direitos de um cidadão ou instituição perante o Poder Judiciário,

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO O PLANO REDACIONAL DO TEXTO JURÍDICO Introdução: A introdução significa início ou começo. Declara ao leitor (juiz e réu) o assunto que será tratado no texto jurídico. Fixa as diretrizes do assunto, facilitando

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 9ª REGIÃO EXECUÇÃO - INCLUSÃO DE SÓCIO NO POLO PASSIVO - SOCIEDADE DE FATO - DEMONSTRAÇÃO - PROVA ATÍPICA - DOCUMENTO EXTRAÍDO DE PÁGINA DE SÍTIO DE RELACIONAMENTO NA INTERNET - ADMISSIBILIDADE - DIREITO FUNDAMENTAL

Leia mais

Por iniciativa das partes (art. 262 Regra Geral). Princípio da Inércia. Princípio Dispositivo. Desenvolvimento por impulso oficial.

Por iniciativa das partes (art. 262 Regra Geral). Princípio da Inércia. Princípio Dispositivo. Desenvolvimento por impulso oficial. Direito Processual Civil I EXERCÍCIOS - 2º BIMESTRE Professor: Francisco Henrique J. M. Bomfim 1. a) Explique como ocorre a formação da relação jurídica processual: R. Início do Processo: Por iniciativa

Leia mais

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO

PROF. JOSEVAL MARTINS VIANA RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO RECURSOS ESPECIAL E EXTRAORDINÁRIO O Recurso Especial é interposto contra acórdão que desrespeita matéria infraconstitucional. O Recurso Extraordinário, contra acórdão que violar a Constituição Federal.

Leia mais

ESTUDO SOBRE AS POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DO PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS DO FNPETI, JUNTO À ONU

ESTUDO SOBRE AS POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DO PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS DO FNPETI, JUNTO À ONU ESTUDO SOBRE AS POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DO PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS DO FNPETI, JUNTO À ONU I) HISTÓRICO: Estudos e deliberações da Coordinfância sobre o tema autorizações judiciais; Sistema de controle criado

Leia mais

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte

Petição Inicial I. Professor Zulmar Duarte I Professor Zulmar Duarte Instaura a relação processual (linear) Apresenta a Demanda (causa de pedir e pedido) Litispendência (art. 312) Fixação da competência (art. 43) Requisitos Art. 319 Competência

Leia mais

XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016.

XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016. XXI Encontro Institucional de Magistrados do TRT 14 Região. Porto Velho, 24 de junho de 2016. Enunciado 01 NATUREZA JURÍDICA DA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 39/2016 DO TST. A instrução normativa consiste em

Leia mais

Interpretação de Textos - INSS 2015 Revisão 2. Professor Nélson Sartori

Interpretação de Textos - INSS 2015 Revisão 2. Professor Nélson Sartori Interpretação de Textos - INSS 2015 Revisão 2 Professor Nélson Sartori contato@sartorivirtual.com.br TIPOLOGIA TEXTUAL 1. Texto narrativo é aquele tipo de texto que conta um fato. Pode ser fictício ou

Leia mais

REDAÇÃO DISCURSIVA F C C

REDAÇÃO DISCURSIVA F C C REDAÇÃO DISCURSIVA F C C 10. DA PROVA DISCURSIVA - REDAÇÃO 10.1 A Prova Discursiva-Redação será aplicada para os cargos de Analista Judiciário Áreas Judiciária e Administrativa, Técnico Judiciário Área

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação

ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA. Respostas do Réu - Contestação ESTÁGIO SUPERVISIONADO IV PRÁTICA TRABALHISTA 1 Respostas do Réu - Contestação INTRODUÇÃO - Princípio da bilateralidade: AÇÃO E REAÇÃO - juiz só pode decidir nos autos após ter ouvido as duas partes, a

Leia mais

Pratica Especial Civil 10 sem

Pratica Especial Civil 10 sem AULA 04 Contestação ESTRUTURA BÁSICA DA CONTESTAÇÃO Competência Partes Hipóteses de cabimento Fundamento legal Fatos Fundamentação jurídica Pedido Provas Valor da causa Juiz da causa (art. 297, CPC). Tratamento:

Leia mais

SUMÁRIO. iniciais_.indd 7 25/01/ :11:33

SUMÁRIO. iniciais_.indd 7 25/01/ :11:33 SUMÁRIO CAPÍTULO 1...31 CONTEXTUALIZAÇÃO DA LITIGIOSIDADE REPETITIVA: FUNDAMENTOS PARA A CRIAÇÃO DE TÉCNICAS PROCESSUAIS ESPECIAIS...31 1.1. Necessária adequação da técnica processual: a insuficiência

Leia mais

Unidade 1 - Princípios dos Direitos Humanos aplicados ao direito processual do trabalho

Unidade 1 - Princípios dos Direitos Humanos aplicados ao direito processual do trabalho 1. IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DA DISCIPLINA: D - 37 PERÍODO: 7 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

Leia mais

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL

NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL NOVO CODIGO DE PROCESSO CIVIL INSTITUTOS IMPORTANTES PARA O MERCADO DE SEGUROS MARCIO MALFATTI NOVEMBRO 2016 DO INCIDENTE DE RESOLUÇÃO DE DEMANDAS REPETITIVAS IRDR DO CABIMENTO Art. 976. É cabível a instauração

Leia mais

EsPCEx/ EsSA REDAÇÃO -AULA 1. Profa. ElisângelaLopes

EsPCEx/ EsSA REDAÇÃO -AULA 1. Profa. ElisângelaLopes EsPCEx/ EsSA REDAÇÃO -AULA 1 Profa. ElisângelaLopes Metodologia de trabalho Uma aula semanal de 1:30 h Intercalaremos Aula expositiva e Produção de texto Literatura aula expositiva e correção de exercícios

Leia mais

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 06 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 19 de março de 2010 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

Observações: este material não substitui as publicações na plataforma. Não contem anexos.

Observações: este material não substitui as publicações na plataforma. Não contem anexos. Observações: este material não substitui as publicações na plataforma. Não contem anexos. Sumário... 1 Introdução... 2 Modalidades da língua... 5 Qualidade da linguagem... 8 Introdução... 11 Introdução...

Leia mais

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC).

DA RESPOSTA DO RÉU. ESPÉCIES Contestação (Art. 300 a 303 do CPC); Reconvenção (Art. 315 a 318 do CPC); Exceção (Art. 304 a 314 do CPC). DA RESPOSTA DO RÉU DISPOSIÇÕES GERAIS Uma vez efetuada a citação válida, a relação jurídica processual está completa, surgindo o ônus do réu de oferecer a defesa contra fatos e direitos sustentados pelo

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

FACULDADE DE DIREITO UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE PLANO DE AULA PROFESSOR: RUBENS CARMO ELIAS FILHO Disciplina: Direito Processual Civil II Etapa: ()1ª () 2ª ( ) 3ª (x) 4ª Turmas: (x) F - (x ) G - () P ( ) F ( ) G ( ) P 1. OBJETIVOS: Introduzir o aluno

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 5ª Série Direito Processual Civil III Direito A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto de atividades

Leia mais

PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese

PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese PRINCÍPIOS INFORMADORES DO DIREITO PROCESSUAL PENAL PRINCÍPIO = começo; ideia-síntese os princípios da política processual de uma nação não são outra coisa senão os segmentos de sua política (ética) estatal

Leia mais