BRASIL PERDE UMA POSIÇÃO NO RANKING GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2014 DO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BRASIL PERDE UMA POSIÇÃO NO RANKING GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2014 DO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL"

Transcrição

1 BRASIL PERDE UMA POSIÇÃO NO RANKING GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2014 DO FÓRUM ECONÔMICO MUNDIAL Ranking traz a Suíça em primeiro lugar, seguida de Cingapura e EUA O Brasil perdeu uma posição no Ranking Global de Competitividade, divulgado hoje pelo Fórum Econômico Mundial (WEF) que, no Brasil, conta com a parceria da Fundação Dom Cabral, responsável pela coleta e análise dos dados do país. O Brasil ocupa agora a 57ª posição; em 2012, estava na 48ª e é um dos países que mais perderam competitividade nos últimos anos. O Fórum Econômico Mundial (WEF) lança anualmente o estudo Global Competitiviness Report, que está em sua 35ª edição. As notas e os rankings são calculados a partir de dados estatísticos, econômicos e as opiniões de executivos dos 144 países, cobrindo 12 pilares multitemáticos, dentro dos quais são avaliados vários fatores de competitividade. O WEF ouviu a opinião de mais de 14 mil empresários. Na edição de 2014, as nações mais competitivas do mundo continuam a ser lideradas pela Suíça pelo 6º ano consecutivo, com Cingapura em 2º lugar. É importante destacar o bom desempenho dos Estados Unidos e do Japão, que aumentaram duas e três posições respectivamente. Os Estados Unidos apresentam avanços significativos, especialmente nos fatores associados aos aspectos institucionais que, na opinião dos entrevistados, fizeram com que a economia americana nestes últimos dois anos se tornasse ainda mais confiável. 1

2 10 economias mais competitivas Global Competitiveness Report 2014 País Posição 2014 Posição 2013 Movimento Suíça Cingapura EUA Finlândia Alemanha Japão Hong-Kong Holanda Reino Unido Suécia Entre as economias emergentes, os BRICs e N-11, que englobam Brasil, Rússia, Índia e China e Bangladesh, Egito, Indonésia, Irã, Coreia do Sul, México, Nigéria, Paquistão, Filipinas, Turquia e Vietnã, os destaques são a Coreia do Sul (26ª posição), China (28ª) e Indonésia (34ª). No entanto, todos esses países, com exceção da Coreia do Sul, apresentam deficiências significativas no sistema institucional e regulatório. A China está somente na 86ª posição em indicadores de eficiência de mercado. Brasil: deficiências que inibem o desenvolvimento no longo prazo Em 2014, o Brasil perdeu mais uma posição no ranking geral. O país é, agora, a 57ª economia mais competitiva do mundo. Os pilares básicos para a competitividade de uma nação Instituições, Infraestrutura, Ambiente Macroeconômico, Saúde e Educação Fundamental possuem notas baixas para o Brasil, o que compromete o desenvolvimento da economia no longo prazo e o aumento da competitividade. Competitividade brasileira - Global Competitiveness Report de 2006 a

3 O sobe-e-desce da competitividade brasileira é fruto da falta de implementação de medidas emergenciais de eficiência e produtividade, tais como a simplificação do marco regulatório, da legislação trabalhista, do sistema tributário e, claro, da falta de implementação, na sua totalidade, e dentro dos custos originalmente previstos, dos planos públicos e privados de investimentos em infraestrutura, tecnologia, educação e saúde. Esse diagnóstico foi feito em 2007, quando o Brasil ocupou a sua pior posição no relatório, e se mantém o mesmo até hoje, comenta Carlos Arruda, coordenador do Núcleo de Inovação e Competitividade da Fundação Dom Cabral e responsável pelos dados do Brasil que compõem o ranking Variação Variação 2014/ /2012 Global Competitiveness Index Requisitos básicos Instituições Infraestrutura Ambiente macroeconômico Saúde e educação fundamental Determinantes de eficiência Educação superior e treinamento Eficiência do Mercado de produtos Eficiência do Mercado de trabalho Desenvolvimento do setor financeiro Prontidão tecnológica Tamanho do mercado Inovação e sofisticação empresarial Sofisticação empresarial Inovação Pilares da competitividade brasileira - Global Competitiveness Report No pilar Instituições, o Brasil ficou na 94 a posição. As causas principais são as baixas performances em fatores como Peso da Regulamentação Governamental (posição 143), Confiança nos Políticos (140ª), Desperdício do Governo (137ª), Desvio de Recursos Públicos (135ª) e Transparência do Governo (128ª). Além disso, três fatores associados à criminalidade Confiabilidade nos Serviços Policiais (83ª), Custo da Violência e Crimes para os Negócios (124ª) e Crime Organizado (119ª), colocam o Brasil entre as últimas posições. A má performance deste pilar mostra o quanto o 3

4 empresariado brasileiro está descontente com a atuação governamental e com a segurança pública do país, destaca Carlos Arruda. No pilar Infraestrutura (posição 76), o Brasil teve um resultado particularmente ruim na qualidade de infraestrutura dos transportes. Seus piores resultados foram nos fatores Qualidade de Estradas (122ª), dos Portos (122ª), das Ferrovias (95ª) e do Transporte Aéreo (113ª). Quanto à Infraestrutura de Comunicações, o Brasil teve um resultado satisfatório, na posição 37 em assinaturas de telefone móvel por 100 pessoas e na posição 51 no número de linhas de telefone fixo por 100 pessoas. É um dos maiores gargalos na economia brasileira; enquanto não houver qualidade nos transportes, o país terá dificuldades para competir internacionalmente e se desenvolver, afirma o professor. O terceiro pilar mostra como está o Ambiente Macroeconômico do Brasil, cuja estabilidade é fundamental para o bom funcionamento dos negócios. Neste pilar, o Brasil ficou na 85 a posição em 2014, com uma má performance nos fatores Poupança Nacional Bruta (posição 110), Inflação (110 a ) e Dívida Bruta do Governo (109ª). Apesar do resultado ruim, o Brasil tem apresentado um bom desempenho no Rating de Crédito (38ª) desde 2011, e sempre esteve entre os 50 melhores países neste tópico. O Pilar Saúde e Educação fundamental é o último do grupo que integra os requisitos básicos de um país. O Brasil apresentou uma melhora considerável no ranking, alcançando a 77 ª posição em Trabalhadores mais saudáveis e com acesso a uma educação primária de qualidade são importantes para aumentar a produtividade e a eficiência, afetando diretamente a competitividade da nação. Mas ainda há muito o que melhorar na saúde, especialmente na infraestrutura dos hospitais, postos médicos e na qualidade do atendimento, pontua Arruda. Na educação, apesar do número de matrículas no ensino primário ser muito bom (18ª), a qualidade do ensino apresenta uma performance ruim, ocupando a posição 126 no ranking. Para que o país possa avançar nos estágios de desenvolvimento, é necessário que o trabalhador tenha acesso a uma educação de qualidade nos níveis secundário e superior e um bom treinamento no local de trabalho para aprimorar as suas habilidades. É o que mede o pilar Educação Superior e Treinamento, no qual a nota brasileira melhorou de forma considerável, para a 41ª posição. O bom resultado está pautado principalmente pela Qualidade das escolas de negócios (53ª), Disponibilidade de serviços de pesquisa e treinamento (47ª) e Extensão do treinamento de pessoal (44ª). Apesar destes pontos positivos, a qualidade do sistema de educação apresentou um resultado bastante ruim, na 126 a posição. A qualidade dos ensinos de matemática e ciências é preocupante, com o país no 131 o lugar neste quesito. 4

5 O pilar Eficiência no Mercado de Bens foi o que apresentou os piores resultados para o Brasil. Como exemplo, a necessidade de 107,5 dias para se começar um negócio, o que coloca o Brasil na posição 142 do ranking. O excesso de taxações desestimula o investimento (139ª posição no fator Efeito das taxações para investimentos ) e a competitividade fica prejudicada pela prevalência de barreiras para as trocas (115ª) e procedimentos aduaneiros complexos (138ª no fator Fardo dos Procedimentos Aduaneiros ). Em relação à Eficiência do Mercado de Trabalho, dentre as fraquezas detectadas destacam-se o custo de contratação e produtividade (117ª) e a taxa de mulheres empregadas (86ª). A capacidade de retenção de talento (44ª) e confiança na gestão (44ª) destacaram-se como forças para a competitividade do Brasil. Um dos pontos de destaque deste pilar é a carga elevada de contratação, que prejudica a produtividade e competitividade das empresas no Brasil. No oitavo pilar, Desenvolvimento do Mercado Financeiro, o Brasil apresentou um desempenho mediano, em que se destacam a solidez dos bancos (13ª) e a regulamentação da bolsa de valores (17ª). A maior fraqueza do Brasil neste pilar é o índice de direitos legais, em que o país teve nota 3 em um índice de 0 a 10, na 113ª posição. O pilar Prontidão Tecnológica considera o posicionamento do país, com sua infraestrutura e empresas, na fronteira tecnológica global. De acordo com o relatório, o Brasil encontra-se em uma posição defasada, apesar dos índices médios. As posições são baixas no nível de absorção tecnológica (59ª) e disponibilidade de tecnologias recentes (77ª), mas o índice para investimentos diretos estrangeiros e transferência de tecnologia rendeu ao país a 39ª colocação. O Ranking WEF, junto com pesquisadores e professores da Universidade de Cornell, dos EUA, faz uma análise complementar da qualidade da infraestrutura de tecnologia de informação e comunicação dos países. Em 2014, o Brasil aparece na 69ª posição nesta análise, perdendo nove posições por deficiências nos sistemas educacionais e no mercado de trabalho, voltado para profissões consideradas knowledge intensive ou intensivas em conhecimento. O décimo pilar no grupo de eficiência analisa o Tamanho do Mercado, que tem se mostrado uma das principais vantagens do Brasil. Considerado o 6º maior mercado doméstico do mundo, o 7º maior PIB e com um potencial de exportação classificado na 24ª posição, o país tem um potencial alto de crescimento. No entanto, a taxa de exportação em relação ao PIB ainda é muito baixa, uma das piores do mundo (140ª posição). Este resultado reflete a baixa competitividade do país em relação aos outros países. Ainda que o Brasil apresente ótimas condições internas e um potencial de exportação alto, essas vantagens não são revertidas em resultados concretos para a economia brasileira, adverte Carlos Arruda, da Fundação Dom Cabral. 5

6 O pilar Sofisticação dos Negócios diz respeito à qualidade e eficiência das cadeias produtivas e do processo de produção. O Brasil apresentou diversidade nos fornecedores (21ª posição), porém uma das principais fraquezas deste pilar é a natureza da vantagem competitiva (99ª posição). Por fim, o pilar da Inovação analisa o potencial e a eficiência do processo de inovação no Brasil, cuja capacidade de inovação ficou na 44ª posição. Este resultado é reflexo da qualidade das instituições de pesquisa (50ª posição) e o gasto de empresas em P&D, que alcançou a 43ª posição. No entanto, a disponibilidade de engenheiros e cientistas não responde à estrutura descrita, resultando na 114ª colocação neste quesito. Fatores mais problemáticos para se fazer negócios no Brasil Além de acesso a uma ampla base de dados estatísticos, econômicos e sociais, cerca de quatro mil executivos que trabalham no país são convidados a responder um extenso questionário que avalia as condições competitivas do Brasil no dia a dia. O objetivo é captar suas percepções sobre a realidade econômica, regulatória e educacional do país. De uma lista de 16 indicadores, os executivos escolhem cinco que consideram os mais atrativos da economia brasileira e, em seguida, os colocam em ordem, sendo o primeiro item o mais problemático. No esquema abaixo, percebe-se que os Regulamentos Tributários, a Infraestrutura Inadequada e as Regulações Trabalhistas Restritivas são considerados pelo empresariado brasileiro os três principais fatores que trazem empecilhos para os negócios. Estes são os mesmos três fatores que há muitos anos aparecem em destaque no relatório. Em 2012 e 2013, vieram acompanhados do fator ineficiência da burocracia pública. 6

7 Sobre a Fundação Dom Cabral A Fundação Dom Cabral é uma escola de negócios brasileira que há 38 anos tem a missão de contribuir para o desenvolvimento sustentável da sociedade, por meio da educação, capacitação e desenvolvimento de executivos, empresários e gestores públicos. Circulam anualmente pelos seus programas abertos, fechados, de parcerias e de pós-graduação (especialização, MBA e mestrado) cerca de 35 mil executivos de empresas e organizações de pequeno, médio e grande porte do Brasil e de vários países. No campo social, a FDC desenvolve iniciativas de desenvolvimento, capacitação e consolidação de projetos, líderes e organizações sociais, contribuindo para o fortalecimento e o alcance dos resultados pretendidos por essas entidades. A FDC é a melhor escola de negócios da América Latina segundo o Ranking da Educação Executiva 2014 do jornal inglês Financial Times e o Ranking das Melhores Escolas de Educação Executiva da América Latina da revista AmericaEconomia (2013). Sobre o WEF O World Economic Forum é uma organização internacional e independente compromissada em melhorar as condições do mundo, envolvendo lideranças empresariais, políticas e acadêmicas e outros líderes da sociedade civil para estruturar agendas locais, regionais e globais. Incorporada como uma fundação sem fins lucrativos, em 1971, e sediada em Genebra, na Suíça, o Forum não está ligado a interesses políticos, partidários ou nacionais (http://www.weforum.org). Assessoria de imprensa FDC Leonardo Coelho (11) Tatiana Vieira (11) Assessoria de imprensa IMD Octavio Germann - (11) Ramal: 238 7

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar

Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar AGENDA BAHIA Especialistas apontam obstáculos e soluções para o Brasil avançar Além das reformas tributária e trabalhista, país precisa investir em infraestrutura eficaz, na redução do custo da energia

Leia mais

Indicadores de competitividade, divergências e igualdades: uma observação sobre os relatórios internacionais.

Indicadores de competitividade, divergências e igualdades: uma observação sobre os relatórios internacionais. Indicadores de competitividade, divergências e igualdades: uma observação sobre os relatórios internacionais. Resumo Diógenes Ramos da Silva1 Paulo César Ribeiro Quintairos O termo competitividade esta

Leia mais

Desde o final da década de 1980, o Relatório de Competitividade Mundial (World. Como alcançar a China e a Índia?

Desde o final da década de 1980, o Relatório de Competitividade Mundial (World. Como alcançar a China e a Índia? PENSAMENTO NACIONAL Como alcançar a China e a Índia? Divulgação Apenas o Brasil, dos quatro países candidatos a potências mundiais reunidos na sigla BRIC, ainda não reencontrou o caminho da competitividade.

Leia mais

FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO

FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO FORUM NACIONAL DE EDUCAÇÃO Educação Profissional e Tecnológica Sergio Moreira BRASIL ÍNDICE GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2013/2014 Ranking Global de Competitividade BRICS: 2006 a 2013 Brasil ficou em 56º

Leia mais

Inovação no Brasil nos próximos dez anos

Inovação no Brasil nos próximos dez anos Inovação no Brasil nos próximos dez anos XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas XVIII Workshop ANPROTEC Rodrigo Teixeira 22 de setembro de 2010 30/9/2010 1 1 Inovação e

Leia mais

INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS PAÍSES DO BRICS

INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS PAÍSES DO BRICS INVESTIMENTO EM TECNOLOGIA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE OS PAÍSES DO BRICS Luana Ferreira (Faculdades Integradas Vianna Júnior) - luanafer2@hotmail.com Clesiane de Oliveira Carvalho (Faculdades Integradas

Leia mais

Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais O Brasil como plataforma para investimentos em PD&I: desafios e oportunidades

Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais O Brasil como plataforma para investimentos em PD&I: desafios e oportunidades Centro de Referência em Inovação (CRI) Multinacionais O Brasil como plataforma para investimentos em PD&I: desafios e oportunidades Carlos Arruda Erika Barcellos Ana Elisa Castro Cleonir Tumelero CRI Multinacionais

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

Educação para o Desenvolvimento

Educação para o Desenvolvimento Educação para o Desenvolvimento FIESC Jornada pela Inovação e Competitividade Florianópolis, 19 de julho de 2012 gustavo.ioschpe@g7investimentos.com.br gioschpe A Educação no Brasil 74% da população brasileira

Leia mais

CIDADES INTELIGENTES Análises para Competitividade Estudo de Caso: Porto Alegre Prof. Hugo Ferreira Braga Tadeu Prof. Jersone Tasso Moreira Silva

CIDADES INTELIGENTES Análises para Competitividade Estudo de Caso: Porto Alegre Prof. Hugo Ferreira Braga Tadeu Prof. Jersone Tasso Moreira Silva CIDADES INTELIGENTES Análises para Competitividade Estudo de Caso: Porto Alegre Prof. Hugo Ferreira Braga Tadeu Prof. Jersone Tasso Moreira Silva 2015 Apoio: SOBRE OS AUTORES Hugo Ferreira Braga Tadeu

Leia mais

6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento. Paulo Oliveira

6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento. Paulo Oliveira 6º Congresso ANBIMA de Fundos de Investimento Paulo Oliveira A aspiração é tornar o Brasil um polo de uma rede regional interconectada, com conexões globais otimizadas Modelo relacional atual Estrutura

Leia mais

Competitividade: Do Diagnóstico à Ação. Wilson Brumer Setembro de 2014

Competitividade: Do Diagnóstico à Ação. Wilson Brumer Setembro de 2014 Competitividade: Do Diagnóstico à Ação Wilson Brumer Setembro de 2014 BRASIL FRENTE A UM NOVO DESAFIO DE CRESCIMENTO 6,00% 5,00% 4,00% 3,00% 2,00% 1,00% 0,00% -1,00% Evolução do PIB Mundial 5,35% 5,25%

Leia mais

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA.

INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA. Conferência 6 de Outubro, FC Gulbenkian Lisboa INOVAÇÃO, INVESTIGAÇÃO & DESENVOLVIMENTO E RELAÇÕES UNIVERSIDADE-EMPRESA. MANUEL CALDEIRA CABRAL UNIVERSIDADE DO MINHO MANUEL CALDEIRA CABRAL DIAGNÓSTICO(S)

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global

Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Pressão sobre os recursos nos mercados globais de commodities afeta economia global Conclusão é do novo relatório do Earth Security Group, lançado hoje em São Paulo na sede da Cargill São Paulo, 23 de

Leia mais

Infraestrutura de Transportes no Brasil Impactos de Investimentos no Crescimento do PIB. Luiz F. M. Vieira, PhD Vice-Presidente

Infraestrutura de Transportes no Brasil Impactos de Investimentos no Crescimento do PIB. Luiz F. M. Vieira, PhD Vice-Presidente São Paulo, 4 de Dezembro de 4 Apresentação Evento MBC Infraestrutura de Transportes no Brasil Impactos de Investimentos no Crescimento do PIB Luiz F. M. Vieira, PhD Vice-Presidente O crescimento do PIB

Leia mais

Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral

Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral Imprensa São Paulo, 16 de junho de 2015 Digitalização pode impulsionar competitividade brasileira, segundo estudo feito pela Siemens e pela Fundação Dom Cabral O estudo foi baseado em uma pesquisa realizada

Leia mais

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM

Perspectivas para o setor de TI. BM&F Bovespa. 26 de junho de 2013 BRASSCOM Perspectivas para o setor de TI BM&F Bovespa 26 de junho de 2013 BRASSCOM Associados BRASSCOM 1 Mercado Mundial de TI Crescimento Mercado TI BRASIL (2012/2011) 10,8% Crescimento Mercado TI Mundo (2012/2011)

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

DR.ª JUDITE CORREIA LISBOA, PORTUGAL 21 DE OUTUBRO DE 2011 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS

DR.ª JUDITE CORREIA LISBOA, PORTUGAL 21 DE OUTUBRO DE 2011 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA: DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO, RELAÇÕES E PARCERIAS 1 DR.ª JUDITE CORREIA LISBOA, PORTUGAL 21 DE OUTUBRO DE 2011 4º CONGRESSO NACIONAL DOS ECONOMISTAS 1. Introdução 2 2. Diagnóstico

Leia mais

Educação, Inovação e Competitividade. Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008

Educação, Inovação e Competitividade. Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008 Educação, Inovação e Competitividade Alberto Rodriguez, Ph.D. Especialista Principal em Educação setembro de 2008 Origem do estudo Por que alguns países têm excelente desempenho e outros têm fraco desempenho

Leia mais

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo

Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo Desafios do Brasil contemporâneo Infraestrutura, produtividade, reformas e pacto federativo A grande janela de oportunidades (O Brasil decola) A grande janela de oportunidades Linha do tempo das conquistas

Leia mais

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global

O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global O Desafio do Aumento da Produtividade na Indústria para Conquistar um Mercado Global Jorge A r bache U n i v e r s i d a d e d e B r a s í l i a S E M P E X 2 0 1 4 M a c e i ó, 2 2 / 5 / 2 0 1 4 0,45

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999

O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 14 de maio de 2014 Indicador IFO/FGV de Clima Econômico da América Latina¹ O indicador do clima econômico piorou na América Latina e o Brasil registrou o indicador mais baixo desde janeiro de 1999 O indicador

Leia mais

Especialização em Gestão de Negócios

Especialização em Gestão de Negócios Especialização em Gestão de Negócios e Projetos Rio de Janeiro Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação

Leia mais

Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público

Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público Ministério da Fazenda Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público Antonio Delfim Netto 1º de Setembro de 2010 Brasília, DF Desenvolvimento Mundial e Concentração de CO 2 (ppm) 9 360 PIB Per

Leia mais

Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público

Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público Ministério da Fazenda Uma Visão Macro da Qualidade do Gasto no Setor Público Antonio Delfim Netto 1º de Setembro de 2010 Brasília, DF 1 1000 1500 1600 1700 1820 1870 1913 1950 1970 2008 PIB Per Capita

Leia mais

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012

PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 PESQUISA GESTOR GLOBAL FDC 2012 INTRODUÇÃO O aumento da internacionalização lança o desafio cada vez maior para as empresas atraírem e reterem líderes capazes de viver em ambientes complexos e compreender

Leia mais

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO

VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO VALOR E PARTICIPAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES, POR FATOR AGREGADO E PAÍS DE DESTINO 1 - CHINA 2 - ESTADOS UNIDOS 2014 34.292 84,4 4.668 11,5 1.625 4,0 6.370 23,6 5.361 19,8 13.667 50,6 2013 38.973 84,7 5.458 11,9

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR INDÚSTRIAS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil

Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Ambiente de Negócios e Reformas Institucionais no Brasil Fernando Veloso IBRE/FGV Book Launch of Surmounting the Middle Income Trap: The Main Issues for Brazil (IBRE/FGV e ILAS/CASS) Beijing, 6 de Maio

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Observações metodológicas Página 2 Enfoque da pesquisa Mensurar o sentimento e a confiança do consumidor no futuro da economia Padrões

Leia mais

Pesquisa: Fomento para inovação nas Empresas Brasileiras

Pesquisa: Fomento para inovação nas Empresas Brasileiras CI1306 Pesquisa: Fomento para inovação nas Empresas Brasileiras Raoni Pereira, Hérica Righi, Marina Loures, Tiara Bicalho, Janayna Bhering, Bárbara Xavier - Núcleo de Inovação A Introdução inovação configura-se

Leia mais

Desafios de Valor numa Economia Inteligente

Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente Desafios de Valor numa Economia Inteligente As Novas Redes Colaborativas Os Novos Processos de Intermediação A Gestão

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Barômetro da Inovação Global da GE

Barômetro da Inovação Global da GE Barômetro da Inovação Global da GE Capítulo Brasil Edição 2014 Inovação está na razão de ser da GE. Para nós, é uma enorme satisfação colocar nossos mais de 300 mil colaboradores ao redor do mundo para

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mar/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento

A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento A importância da IAA para o crescimento da economia Ambição 2020 na rota do crescimento Nuno Netto nnetto@deloitte.pt 28 de Outubro 2014 Agenda 2014. Para informações, contacte Deloitte Consultores, S.A.

Leia mais

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado

Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica. Jaime Quesado VII Encontro da PASC Plataforma Activa da Sociedade Civil 2 de Março de 2011 Sala do Senado da Reitoria da UNL Inteligência Competitiva Uma Solução Estratégica Jaime Quesado Patrocinadores Globais Inteligência

Leia mais

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016

MBA Gestão de Negócios FIA-ROTARY Turmas Março 2016 A Fundação de Rotarianos de São Caetano do Sul - ROTARY Colégio Eduardo Gomes objetivando o desenvolvimento profissional de seus associados e seus familiares estabeleceu parceria educacional com a Fundação

Leia mais

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Dezembro, 2015 1 Roteiro sofre de diversos desequilíbrios e problemas de competitividade.

Leia mais

WORLD GIVING INDEX 2014

WORLD GIVING INDEX 2014 WORLD GIVING INDEX 2014 QUEM SOMOS Fundado em 1999, organização pioneira no apoio técnico ao investidor social no Brasil e na América Latina, e tem como missão promover e estruturar o sistema de investimento

Leia mais

Global Index Innovation 2015 Highlights

Global Index Innovation 2015 Highlights Global Index Innovation 2015 Highlights 141 países avaliados. Brasil: 70º lugar geral em 2015 (61º lugar em 2014). - 1º lugar: Suíça - 2º lugar: Reino Unido - 3º lugar: Suécia Top Performers Renda Alta

Leia mais

ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal

ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal ABPA Associação Brasileira de Proteína Animal Unificação das associações em uma nova entidade José Perboyre Diretor Financeiro e Administrativo Coordenador do Grupo Permanente de Logística A UBABEF Entidades

Leia mais

Na teoria e na vida, FDC

Na teoria e na vida, FDC C T E C E N T R O D E T E C N O L O G I A E M P R E S A R I A L C T E C o o p e r a ç ã o e n t r e e m p r e s a s d e g r a n d e p o r t e Na teoria e na vida, FDC AF - 05-006 - CTE02 R.indd 2 7/10/07

Leia mais

Conversatorio Internacional. La educación tecnológica en Brasil

Conversatorio Internacional. La educación tecnológica en Brasil Conversatorio Internacional "Mitos y verdades sobre la acreditación en la Educación Superior" La educación tecnológica en Brasil Prof. Dr. Rolando V. Vallejos Brasil seguindo o caminho de desenvolvimento

Leia mais

2013 Global Peace Index: Aumento dramático de homicídios diminuiu a paz mundial no ano passado

2013 Global Peace Index: Aumento dramático de homicídios diminuiu a paz mundial no ano passado 2013 Global Peace Index: Aumento dramático de homicídios diminuiu a paz mundial no ano passado - Medidas de terrorismo patrocinado por governos e a possibilidade de manifestações violentas foram os indicadores

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti*

Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013. Por Roberto Vertamatti* Indicador ANEFAC dos países do G-20 Edição 2013 Por Roberto Vertamatti* Brasil recua novamente para a 15ª posição por não melhorar índices de saúde, educação e renda e piorar em relação a pobreza e desigualdade

Leia mais

Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto no Desempenho das Empresas Brasileiras

Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto no Desempenho das Empresas Brasileiras CI1105 Gestão Estratégica do Suprimento e o Impacto no Desempenho das Empresas Brasileiras WORLD COMPETITIVENESS YEARBOOK: ANÁLISE DE SEUS PRINCIPAIS RESULTADOS Carlos Arruda, Fabiana Madsen, Marina Araújo

Leia mais

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration

CBA PERFIL DO ALUNO. Certification in Business Administration CBA Pós - Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS

A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS www.observatorioasiapacifico.org A ASSOCIAÇÃO DAS NAÇÕES DO SUDESTE ASIÁTICO E SEU AMBIENTE DE NEGÓCIOS Ignacio Bartesaghi 1 O debate na América Latina costuma focar-se no sucesso ou no fracasso dos processos

Leia mais

Universidade de Coimbra Faculdade de Direito. Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social

Universidade de Coimbra Faculdade de Direito. Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social Universidade de Coimbra Faculdade de Direito Crise do Estado Fiscal, Competitividade e Bem-Estar Social Eduardo Molan Gaban Sócio das áreas de Direito Antitruste e Comércio Internacional de Machado Associados

Leia mais

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento

WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento WORLD INVESTMENT REPORT 2013 Cadeias de Valor Global: Investimento e Comércio para o Desenvolvimento Sobeet São Paulo, 26 de junho de 2013 EMBARGO 26 Junho 2013 12:00 horas Horário de Brasília 1 Recuperação

Leia mais

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior

II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP. Redução de Custos no Comércio Exterior II Seminário O Comércio Exterior e a Indústria - FIEP PALESTRA Redução de Custos no Comércio Exterior Fábio Martins Faria Curitiba, 29 de outubro de 2014 1 - REALIDADE BRASIL: PAÍS EXPORTADOR DE PESO 2

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Maksen COMO PODE O BRASIL AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE INVESTIMENTO ESTRANGEIRO?

Maksen COMO PODE O BRASIL AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE INVESTIMENTO ESTRANGEIRO? Maksen COMO PODE O BRASIL AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE INVESTIMENTO ESTRANGEIRO? O INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO, HISTORICAMENTE RELACIONADO COM OS PAÍSES DESENVOLVIDOS, ENCONTRA-SE ATUALMENTE A SER CANALIZADO

Leia mais

Os caminhos para o Brasil de 2022

Os caminhos para o Brasil de 2022 Os caminhos para o Brasil de 2022 GOVERNANÇA PARA A COMPETITIVIDADE Gustavo Morelli Sócio diretor da Macroplan Informação confidencial e proprietária da Macroplan Prospectiva Estratégia e Gestão. Não distribuir

Leia mais

Priorização de Mercados Potenciais ABEXA

Priorização de Mercados Potenciais ABEXA Priorização de Mercados Potenciais ABEXA Associação Brasileira de Exportação de Artesanato Biênio 2014/2015 Elaborado pela: Unidade de Inteligência Comercial - ic@apexbrasil.com.br Apex-Brasil Tel: +55

Leia mais

Modernização da infraestrutura: o Brasil melhorou, mas o desafio agora é avançar mais rápido

Modernização da infraestrutura: o Brasil melhorou, mas o desafio agora é avançar mais rápido Modernização da infraestrutura: o Brasil melhorou, mas o desafio agora é avançar mais rápido As economias mais competitivas do mundo e a percepção sobre a qualidade na infraestrutura no Brasil e em diversos

Leia mais

Nota da Reunião de 20 de Março de 2014. O cenário macroeconômico em 2014 desafio da renda média

Nota da Reunião de 20 de Março de 2014. O cenário macroeconômico em 2014 desafio da renda média 1 Nota da Reunião de 20 de Março de 2014 O cenário macroeconômico em 2014 desafio da renda média Introdução A reunião contou com a participação do economista chefe do Banco Santander, Maurício Molan, que

Leia mais

Transformando Crise em Oportunidade

Transformando Crise em Oportunidade ESTUDOS E PESQUISAS Nº 478 Transformando Crise em Oportunidade Otávio M. Azevedo * XXV Fórum Nacional (Jubileu de Prata 1988/2013) O Brasil de Amanhã. Transformar Crise em Oportunidade. Rio de Janeiro,

Leia mais

"Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein)

Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade. (Adaptado livremente de A. Einstein) Fácil assim. 12345 "Faça tudo o mais simples possível, mas com qualidade." (Adaptado livremente de A. Einstein) 12345 Tudo é mais fácil com Lenze. O forte dinamismo dos tempos atuais o coloca em confronto

Leia mais

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora

Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Retenção de Pessoas na Tokio Marine Seguradora Institucional Tokio Marine Seguradora Tokio Marine no Mundo Grupo Tokio Marine é o um dos líderes entre os grupos seguradores globais. Fundada em1879 Ativos:US$98bilhões

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14

Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 Ranking Mundial de Juros Reais Jan/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros

Chile um sócio a longo prazo. Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Chile um sócio a longo prazo Pedro Asenjo Comitê de Investimentos Estrangeiros Um sócio a longo prazo Nova política de atração de IED Temas Um ambiente de negócios maduro País de oportunidades Investimento

Leia mais

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado.

I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. I Ao longo do último século o Brasil passou de um país mentalmente aberto para um país mentalmente fechado. Em 1900, o País chegou a ter 7,3% da população composta por imigrantes; hoje, tem apenas 0,3%.

Leia mais

O ECOSSISTEMA DA INDÚSTRIA SUÍÇA UMA PLATAFORMA DE NEGOCIOS

O ECOSSISTEMA DA INDÚSTRIA SUÍÇA UMA PLATAFORMA DE NEGOCIOS O ECOSSISTEMA DA INDÚSTRIA SUÍÇA UMA PLATAFORMA DE NEGOCIOS O que você sabe sobre a Suíça? Roger Federer Chocolates Relógios de luxo 2 O que você também deve saber Hotspot para Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE NEGÓCIOS São Paulo Presença nacional, reconhecimento mundial. Conheça a Fundação Dom Cabral Uma das melhores escolas de negócios do mundo, pelo ranking de educação executiva

Leia mais

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros

Desafios e oportunidades para os serviços financeiros Força de trabalho em 2020 Patrocinado e traduzido pela Desafios e oportunidades para os serviços financeiros O setor de serviços financeiros está enfrentando um déficit de capital humano. Em um mercado

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL A IMPORTÂNCIA DO FINANCIAMENTO DE LONGO PRAZO PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL O caminho para a dignidade até 2030: acabando com a pobreza, transformando todas as vidas e protegendo o planeta. O secretário-geral

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 27/09 Turismo 27/09 Taxas de Juro 21/09 Energia 19/09 Taxas de Juro 15/09 Economia 12/09 Economia INE divulgou Viagens turísticas de residentes 2.º Trimestre de 2006 http://www.ine.pt/prodserv/destaque/2006/d060927/d060927.pdf

Leia mais

Ser grande não significa ser mais rico, e ter relevância em um dos indicadores não confere a cada país primazia em comparação a outro.

Ser grande não significa ser mais rico, e ter relevância em um dos indicadores não confere a cada país primazia em comparação a outro. ASSUNTO em pauta O BRIC em números P o r Sérgio Pio Bernardes Ser grande não significa ser mais rico, e ter relevância em um dos indicadores não confere a cada país primazia em comparação a outro. É Smuito

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PARA A GERAÇÃO DE INOVAÇÃO NO CONTEXTO EMPRESARIAL

A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PARA A GERAÇÃO DE INOVAÇÃO NO CONTEXTO EMPRESARIAL Painel 1: Gestão do Conhecimento: desafios para a academia e oportunidades de negócios - trilha acadêmica A CONTRIBUIÇÃO DA UNIVERSIDADE PARA A GERAÇÃO DE INOVAÇÃO NO CONTEXTO EMPRESARIAL Fatores de Desenvolvimento

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

O Brasil e Reino Unido: Interações em Ciência e Inovação. Apresentação no Going Global 29 de Abril 2013

O Brasil e Reino Unido: Interações em Ciência e Inovação. Apresentação no Going Global 29 de Abril 2013 O Brasil e Reino Unido: Interações em Ciência e Inovação Apresentação no Going Global 29 de Abril 2013 Rede Britânica de Ciência e Inovação - SIN Quem somos: I. Uma rede de Britânicos e funcionários locais

Leia mais

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Henrique Meirelles

PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA. Henrique Meirelles PERSPECTIVAS DA ECONOMIA BRASILEIRA Henrique Meirelles 28 de agosto, 2015 AGENDA CURTO PRAZO (2015/2016): AJUSTES MACROECONÔMICOS PROJEÇÕES LONGO PRAZO: OBSTÁCULOS AO CRESCIMENTO PROPOSTAS DE POLÍTICA

Leia mais

Seminário Internacional Portugal - Brasil

Seminário Internacional Portugal - Brasil UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Gustavo Santos ast.porto@itamaraty.gov.br Setor de Cooperação Científica Superior Consulado-Geral do Brasil no Porto Seminário

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Coeficiente de Importação Indústria Geral

Coeficiente de Importação Indústria Geral Coeficiente de Importação Indústria Geral O Brasil precisa de um choque de competitividade Ranking IC-FIESP 2010 Energia Banda Larga Logística Educação Economia Economia Economia Economia Doméstica Doméstica

Leia mais

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica

CARLOS CAIXETA. Vendas e Gestão Estratégica CARLOS CAIXETA Vendas e Gestão Estratégica PERFIL Carlos Caixeta é um palestrante de destaque nacional por convergir conceito e prática em estratégias empresariais, vendas, performance e negociação. Essa

Leia mais

Tributação: entrave ou instrumento para o desenvolvimento. Roberto Abdenur Presidente-Executivo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial - ETCO

Tributação: entrave ou instrumento para o desenvolvimento. Roberto Abdenur Presidente-Executivo Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial - ETCO ROBERTO ABDENUR DIPLOMATA DURANTE 44 ANOS, APOSENTADO; ATUA COMO CONSULTOR EM ASSUNTOS INTERNACIONAIS; FOI EMBAIXADOR DO BRASIL NO EQUADOR, NA CHINA, NA ALEMANHA NA ÁUSTRIA E PERANTE OS ORGANISMOS INTERNACIONAIS

Leia mais

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP

Sede Nacional Sede N a N ci c o i nal l - SP Brasil: Potência ou Colônia? Uma reflexão necessária... Sede Nacional Sede Nacional -SP Fundação: 1937- origem em um sindicato têxtil; Possui 1.500 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; O

Leia mais

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012

+Gás Brasil. A energia que pode revolucionar a economia brasileira. São Paulo, 17 de Outubro de 2012 +Gás Brasil A energia que pode revolucionar a economia brasileira São Paulo, 17 de Outubro de 2012 A hora do gás na agenda nacional Mudanças tecnológicas, econômicas e políticas globais e locais impõem

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos. Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos. Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011 A Mobilização Empresarial pela Inovação: Recursos Humanos Horácio Piva São Paulo - 17/6/2011 OBJETIVOS Consolidar a percepção de que a formação de recursos humanos qualificados é essencial para fortalecer

Leia mais

Escalando a muralha de Zhõngguó

Escalando a muralha de Zhõngguó ASSUNTO em pauta Getty Images Escalando a muralha de Zhõngguó Competitividade, desafios sociais e futuros consumidores chineses. Por Marcelo Zorovich 11 R E V I S T A D A E S P M março / abril de 011 D

Leia mais

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011

Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Janeiro 2011 Exclusivamente para empresas de médio porte Por dentro do mercado de médio porte: Uma perspectiva para 2011 Relatório para o Brasil Panorama global: Pesquisa com 2.112 líderes do mercado de

Leia mais

Instituto de Engenharia

Instituto de Engenharia Instituto de Engenharia Os Caminhos da Engenharia Brasileira A Engenharia como Principal Vetor para a Inovação e Competitividade Benedito G. Aguiar Neto Reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie Introdução

Leia mais

DECOMTEC ÍNDICE FIESP DE COMPETITIVIDADE DAS NAÇÕES IC-FIESP 2014. José Ricardo Roriz Coelho

DECOMTEC ÍNDICE FIESP DE COMPETITIVIDADE DAS NAÇÕES IC-FIESP 2014. José Ricardo Roriz Coelho Departamento de Competitividade e Tecnologia ÍNDICE FIESP DE COMPETITIVIDADE DAS NAÇÕES E OS FATORES-CHAVE PARA O BRASIL AVANÇAR EM COMPETITIVIDADE IC-FIESP 14 José Ricardo Roriz Coelho PARTE II Novembro

Leia mais

O papel do CFO na estratégia corporativa

O papel do CFO na estratégia corporativa O papel do CFO na estratégia corporativa Paola Sardi Madueño, Diretora de Estratégia da Monitor Deloitte Dezembro 2014 Tendências globais (1/2) Embora com pesos diferentes, existem algumas tendências globais

Leia mais

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio

CBA. Comércio Internacional PÚBLICO-ALVO COMPLEMENTAÇÃO ACADÊMICA MATERIAL DIDÁTICO. Internacional. Comércio CBA Comércio Internacional Comércio Internacional A intensidade das relações comerciais e produtivas das empresas no atual contexto econômico tem exigido das empresas um melhor entendimento da complexidade

Leia mais

Estrutura de renda no Brasil

Estrutura de renda no Brasil 1 A Classe Média 2 Renda familiar per capita (R$/mês) Estrutura de renda no Brasil 2.480 78 155 291 441 641 1.019 4% 8% 27% 15% 18% 53% 19% 19% 15% 20% 5% Porcentagem da população Fonte: Estimativas produzidas

Leia mais

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB

Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional. Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB Despesas em Propaganda no Brasil e sua Interligação com a Economia Internacional Fábio Pesavento ESPM/SUL André M. Marques UFPB O NÚCLEO DE ECONOMIA EMPRESARIAL ESPM-SUL PESQUISA E APOIO 1. Despesas em

Leia mais

Retrato do mercado bancário para RH

Retrato do mercado bancário para RH Retrato do mercado bancário para RH Oportunidades X Ameaças - Uma visão panorâmica CLAUDIO PORTO PRESIDENTE DA MACROPLAN Bancarização como uma janela de oportunidades, o apagão de talentos como barreira

Leia mais