MEDIÇÃO EM QUÍMICA. Escola Secundária José Saramago FQA nível /2008. Adaptado por Marília Peres Fonte: Corrêa, C., Química, 2007, Porto Editora

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MEDIÇÃO EM QUÍMICA. Escola Secundária José Saramago FQA nível 1-2007/2008. Adaptado por Marília Peres Fonte: Corrêa, C., Química, 2007, Porto Editora"

Transcrição

1 MEDIÇÃO EM QUÍMICA Escola Secundária José Saramago FQA nível /2008 Adaptado por Marília Peres Fonte: Corrêa, C., Química, 2007, Porto Editora

2 A L 1.1 Medição em Química SUMÁRIO: Obtenção e tratamento de medições experimentais. Algarismos significativos, unidades e notação científica; erros, precisão e exactidão; média, desvios e incertezas. A L 1.1 Medição em química Química A - Ano 1 2

3 Obtenção e tratamento de medições experimentais Medir uma grandeza compará-la com outra da mesma espécie, que se toma para unidade. Medição de uma grandeza operação de medir. Medida resultado da medição. Uma medição pode ser directa ou indirecta. Medição directa massa volume Med. indirecta Química A - Ano 1 3

4 Equipamento de medição (directa) seleccionado de acordo com o que se pretende medir. Valores obtidos na medição lidos e registados de acordo com o que o equipamento permitir: número de algarismos, unidades e incerteza. 0,85 ± 0,02 kg 37,0 ± 0,2 kg 65,8 ± 0,1 mg Química A - Ano 1 4

5 Algarismos significativos, unidades e notação científica 0,85 ± 0,02 kg 370 ± 2 kg 60,8 ± 0,1 mg 2 algarismos significativos 3 algarismos significativos 3 algarismos significativos notação científica: notação científica: notação científica: 8,5 x 10-1 kg 3,70 x 10 2 kg 6,08 x 10-2 g 8,5 x 10 2 g 3,70 x 10 5 g 6,08 x 10-5 kg 850 g 0,37 Mg 6,08 cg ordem de grandeza ordem de grandeza ordem de grandeza 10 0 kg ou 10 3 g 10 2 kg ou 10 5 g 10-4 kg ou 10-1 g Química A - Ano 1 5

6 Operações com algarismos significativos 0,85 kg 47,0 kg Σ 60,8 g 0,85 kg 47,0 kg 0,0608 kg 47,9108 kg 47,9 kg 8,5 hg 470 hg 0,608 hg 479,108 hg 479 hg 47,35 m 47,35 m x 0,608 m = 28,8 m 2 Π 608 mm 28,7888? alg. sign.? unidades? Química A - Ano 1 6

7 Precisão Erros, precisão e exactidão Exactidão proximidade entre os vários valores de um conjunto de medições da mesma grandeza maior ou menor dispersão dos resultados obtidos na medição erros acidentais ou fortuitos (causas naturais, aleatórios) proximidade entre o resultado da medição e o valor real ou exacto (ou mais provável) de uma grandeza maior ou menor afastamento das medições ao valor verdadeiro erros sistemáticos (do instrumento, do observador ou do método) Maior precisão Menor precisão Maior exactidão Menor exactidão Química A - Ano 1 7

8 Erros, média, desvios e incertezas Erro absoluto módulo da diferença entre o valor da medição e o valor exacto da grandeza: e a(i) = v i v exacto. Erro relativo razão (ou quociente) entre o erro absoluto e o valor exacto da grandeza: e i = e a(i) / v exacto. Valor mais provável média aritmética de uma série de medições directas efectuadas: (x 1 + x 2 + x x n ) / n Desvio absoluto módulo da diferença entre o valor da medição e o valor médio das medições: d a(i) = v i. v Desvio relativo médio média dos desvios relativos (razões ou quocientes entre os desvios absolutos e o valor médio) Química A - Ano 1 8

9 Incerteza absoluta de uma leitura Erro máximo que se pode cometer ao efectuar uma leitura. Incerteza indicada no aparelho ou em tabelas? não... sim Precisão, tolerância, erro,... indicada pelo fabricante V (pipetado) = (100,00 ± 0,08) ml V (contido) = (1000,0 ± 0,4) ml Química A - Ano 1 9

10 Incerteza indicada no aparelho ou em tabelas? não sim aparelho analógico metade da natureza Metade da menor divisão da escala do aparelho U = (3,2 ± 0,2) V I = (5 ± 1) μa Química A - Ano 1 10

11 Incerteza indicada no aparelho ou em tabelas? sim... não aparelho analógico... aparelho digital menor valor lido Salto entre 2 valores digitais sequenciais m = (7,4384 ± 0,0001) g m = (63,54 ± 0,01) g e = 0,1 g d = 0,01 g e = exacto d = duvidoso Química A - Ano 1 11

12 Incerteza absoluta de uma leitura Erro máximo que se pode cometer ao efectuar uma leitura. Incerteza indicada no aparelho ou em tabelas? não sim aparelho analógico aparelho digital Precisão, tolerância, erro,... indicada pelo fabricante metade da natureza Metade da menor divisão da escala do aparelho menor valor lido Salto entre 2 valores digitais sequenciais Incerteza absoluta de uma medição Maior valor entre d máximo e Δ escala (d máximo = desvio absoluto máximo; Δ escala = incerteza associada à escala) Química A - Ano 1 12

13 ACTIVIDADE LABORATORIAL 1.1 Objectivo: Conhecer e utilizar vários instrumentos de medida directa Interpretar e seleccionar escalas e inscrições Registar valores com incertezas e unidades Calcular médias, desvios e erros Material e equipamento: Vários instrumentos de medida como, por exemplo, fitas métricas graduadas em centímetros, réguas graduadas em milímetros, provetas, pipetas, buretas, termómetros e balanças com várias escalas e sensibilidades. Enchedores de pipetas, funis, suportes, frascos de restos, espátulas, Procedimento: Seleccionar equipamento observar medir registar calcular (média, desvio, erro) exprimir o resultado interpretar e concluir Química A - Ano 1 13

14 I - Medição de volumes de líquidos Ler níveis de líquidos com os olhos no mesmo plano horizontal do menisco Estudo de: uma proveta graduada de 10 ml uma pipeta graduada de 10 ml uma pipeta volumétrica de 10 ml uma bureta de 25 ml Nunca pipete com a boca! ERRADO Como são graduadas? Qual é a menor divisão da escala? Quais as suas inscrições e marcas? Qual a incerteza máxima que pode apresentar uma medida? Química A - Ano 1 14

15 II Outras medições Estudo de: uma régua graduada de 30 cm uma balança sensível ao cg um termómetro graduado Relatório: Como são graduadas? Qual é a menor divisão da escala? Quais as suas inscrições e marcas? Qual a incerteza máxima que pode apresentar uma medida? Registo de resultados: Registe os valores obtidos nas várias leituras em quadros apropriados. Análise de resultados: Calcule a média e os desvios para exprimir convenientemente o resultado final de cada medição. Interprete e critique cada resultado obtido em função do(s) instrumento(s) utilizado/s) e das finalidades pretendidas. Química A - Ano 1 15

16 Prefixos apropriados para múltiplos e submúltiplos das unidades SI yotta Y deci d 10-1 zetta Z centi c 10-2 exa E mili m 10-3 peta P micro μ 10-6 tera T nano n 10-9 giga G 10 9 pico p mega M 10 6 fento f quilo k 10 3 atto a hecto h 10 2 zepto z deca da 10 1 yocto y Química A - Ano 1 16

Valor máximo que é possível medir

Valor máximo que é possível medir MEDIÇÃO EM QUÍMICA Escola Secundária José Saramago FQA 10.ºAno 2009/2010 Marília Peres I NSTRUMENTOS DE MEDIDA Alcance Valor máximo que é possível medir Sensibilidade ou Natureza do aparelho Valor da menor

Leia mais

2009/2010. Marília Peres

2009/2010. Marília Peres MEDIÇÃO Escola Secundária José Saramago 2009/2010 Marília Peres I NSTRUMENTOS DE MEDIDA Alcance Vl Valor máximo que é possível medir Sensibilidade ou Natureza do aparelho Valor da menor divisão 2 ERROS

Leia mais

1.2. Grandezas Fundamentais e Sistemas de Unidades

1.2. Grandezas Fundamentais e Sistemas de Unidades CAPÍTULO 1 Grandezas, Unidades e Dimensões 1.1. Medidas Uma grandeza física é uma propriedade de um corpo, ou particularidade de um fenómeno, susceptível de ser medida, i.e. à qual se pode atribuir um

Leia mais

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Química

Universidade Federal de Sergipe Centro de Ciências Exatas e Tecnologia Departamento de Química 2 APRESENTAÇÃO DE DADOS 2.1 ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS Todas as medidas de uma propriedade físico-química estão afetadas por uma incerteza, chamada em geral erro, desvio ou imprecisão da medida. Por isso,

Leia mais

Medição em Química e Física

Medição em Química e Física Medição em Química e Física Hás-de fazê-la desta maneira: o comprimento será de trezentos côvados; a largura, de cinquenta côvados; e a altura, de trinta côvados. Génesis, VI, 15 Professor Luís Gonçalves

Leia mais

EXPERIMENTO 1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS

EXPERIMENTO 1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS EXPERIMENTO 1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS 1. OBJETIVOS No final deste experimento o aluno deverá ser capaz de: Ler e usar corretamente termômetros, balanças, provetas e pipetas. Utilizar algarismos significativos.

Leia mais

Eletricidade Aula ZERO. Profª Heloise Assis Fazzolari

Eletricidade Aula ZERO. Profª Heloise Assis Fazzolari Eletricidade Aula ZERO Profª Heloise Assis Fazzolari Plano de aulas O objetivo da disciplina é dar ao aluno noções de eletricidade e fenômenos relacionados. Critério de Avaliação Quatro provas bimestrais

Leia mais

Aparelhos de medida. São sete as unidades de base do SI, dimensionalmente independentes entre si, definidas para as

Aparelhos de medida. São sete as unidades de base do SI, dimensionalmente independentes entre si, definidas para as Aparelhos de medida UFCD: 1289 - Eletricidade e eletrónica - eletricidade Sistema Internacional de Unidades (S.I.) São sete as unidades de base do SI, dimensionalmente independentes entre si, definidas

Leia mais

Experiência 1 Medidas: Leitura de instrumentos:

Experiência 1 Medidas: Leitura de instrumentos: 1 Experiência 1 Medidas: Leitura de instrumentos: Quando realizamos uma medida precisamos estabelecer a confiança que o valor encontrado para a medida representa. Para representar corretamente a medida

Leia mais

Erros e Incertezas. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011.

Erros e Incertezas. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011. Rafael Alves Batista Instituto de Física Gleb Wataghin Universidade Estadual de Campinas (Dated: 10 de Julho de 2011.) I. INTRODUÇÃO Quando se faz um experimento, deseja-se comparar o resultado obtido

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. Trabalho Prático nº 1

INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Química e do Ambiente. Trabalho Prático nº 1 INSTITUTO POLITÉCNICO DE TOMAR ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Química e do Ambiente QUÍMICA I (1º Ano 1º Semestre) 1. Introdução Trabalho Prático nº 1 Medição do volume e massa

Leia mais

TEORIA DE ERROS INTRODUÇÃO

TEORIA DE ERROS INTRODUÇÃO TEORIA DE ERROS ITRODUÇÃO O ato de medir é, em essência, um ato de comparar, e essa comparação envolve erros de diversas origens (dos instrumentos, do operador, do processo de medida etc.). Pretende-se

Leia mais

TÍTULO DA PRÁTICA: OPERAÇÃO DE MEDIDAS E NOTAÇÃO CIENTÍFICA

TÍTULO DA PRÁTICA: OPERAÇÃO DE MEDIDAS E NOTAÇÃO CIENTÍFICA ROTEIRO DA AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL TÍTULO DA PRÁTICA: OPERAÇÃO DE MEDIDAS E NOTAÇÃO CIENTÍFICA 1 - A incerteza na ciência A natureza intrínseca da observação científica traz consigo o fato de que

Leia mais

Sistema Internacional de Unidades (SI) e Medida

Sistema Internacional de Unidades (SI) e Medida Área do Conhecimento: Ciências da Natureza e Matemática Componente Curricular: Física Prof. Dr. Mário Mascarenhas Sistema Internacional de Unidades (SI) e Medida Sistema adotado oficialmente no Brasil

Leia mais

Programa de Ciências Experimentais 2012-2013

Programa de Ciências Experimentais 2012-2013 Programa de Ciências Experimentais 2012-2013 I Teoria 1 Introdução 2 Conceitos úteis 2.1 Ordem de grandeza 2.1.1 Introdução 2.1.2 Definição 2.1.3 Representação científica de um número 2.1.4 Ordem de grandeza

Leia mais

Medição em Química e Física

Medição em Química e Física Medição em Química e Física A precisão e a exatidão de uma medida depende do instrumento de medição usado e do modo como este é utilizado. Torna-se assim importante o conhecimento dos tipos de erros associados

Leia mais

Atividade laboratorial 1.1. Volume e número de moléculas de uma gota de água - CORREÇÃO

Atividade laboratorial 1.1. Volume e número de moléculas de uma gota de água - CORREÇÃO Ano Letivo 2016/2017 ESCOLA SECUNDÁRIA PINHAL DO REI Atividade laboratorial 1.1. Volume e número de moléculas de uma gota de água - CORREÇÃO Física e Química A A. Questões pré-laboratoriais 1. Que instrumento

Leia mais

MEDIDAS FÍSICAS FEX 1001

MEDIDAS FÍSICAS FEX 1001 1 MEDIDAS FÍSICAS FEX 1001 Objetivos Realizar medidas diretas (diâmetro, comprimento, largura, espessura, massa e força) expressando-as com a quantidade correta de algarismos signicativos. Realizar medidas

Leia mais

UFF - Universidade Federal Fluminense. Pólo Universitário de Volta Redonda

UFF - Universidade Federal Fluminense. Pólo Universitário de Volta Redonda UFF - Universidade Federal Fluminense Pólo Universitário de Volta Redonda Física Experimental Instruções para elaboração de relatórios e introdução à teoria de erros 1 Elaboração de Relatórios Um relatório

Leia mais

Matemática Régis Cortes SISTEMA MÉTRICO

Matemática Régis Cortes SISTEMA MÉTRICO SISTEMA MÉTRICO 1 Unidades de medida ou sistemas de medida Para podermos comparar um valor com outro, utilizamos uma grandeza predefinida como referência, grandeza esta chamada de unidade padrão. As unidades

Leia mais

Aula 6 Propagação de erros

Aula 6 Propagação de erros Aula 6 Propagação de erros Conteúdo da aula: Como estimar incertezas de uma medida indireta Como realizar propagação de erros? Exemplo: medimos A e B e suas incertezas. Com calcular a incerteza de C, se

Leia mais

Revisão de conceitos. Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida

Revisão de conceitos. Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida Revisão de conceitos Grandezas Algarismos significativos Unidades de medida Grandezas Físicas Define-se grandeza como tudo aquilo que pode ser comparado com um padrão por meio de uma medição. Exemplo:

Leia mais

PRÁTICA 03 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS VOLUMÉTRIOS.

PRÁTICA 03 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS VOLUMÉTRIOS. PRÁTICA 03 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS VOLUMÉTRIOS. MATERIAIS Termômetro Erlenmeyer Pipetas volumétricas de 10 e 25 ml Bureta de 25 ml Balão volumétrico de 100 ml Suporte universal e garra para bureta Balanças

Leia mais

1 Unidades de medida: o Sistema Internacional (SI), notação científica e conversão de unidades p. 2

1 Unidades de medida: o Sistema Internacional (SI), notação científica e conversão de unidades p. 2 SUMÁRIO 1 Unidades de medida: o Sistema Internacional (SI), notação científica e conversão de unidades p. 2 1.1 O Sistema Internacional de unidades (SI)................... p.2 1.2 Notação Científica...............................

Leia mais

Medição de massa específica com base no método de Arquimedes. Química 12º Ano

Medição de massa específica com base no método de Arquimedes. Química 12º Ano Medição de massa específica com base no método de Arquimedes Parte I: Aplicação a líquidos Química 12º Ano Unidade 3 Plásticos, vidros e novos materiais Actividades de Projecto Laboratorial Janeiro 2006

Leia mais

3.1 Manômetro de tubo aberto

3.1 Manômetro de tubo aberto 58 3.1 Manômetro de tubo aberto 3.1.1 Material Necessário 01 painel em U graduado. 01 Tripé tipo estrela. 01 Seringa de plástico. 01 Mangueira de látex. 01 proveta de 250ml. 01 jogo de sondas. 01 régua

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA PROF. JOSÉ EDUARDO. Grandezas. De base Derivada

DEPARTAMENTO DE MECÂNICA PROF. JOSÉ EDUARDO. Grandezas. De base Derivada MEDIÇÃO INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DE MECÂNICA PROF. JOSÉ EDUARDO Grandezas De base Derivada DEPARTAMENTO DE MECÂNICA Grandezas de Base COMPRIMENTO TEMPO GRANDEZAS DE BASE MASSA QUANTIDADE DE MATÉRIA CORRENTE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONHA E MUCURI FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS Introdução à Biofísica Prof. Harriman Aley Morais Diamantina, 2011

Leia mais

CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO. Erros de Medição. Cedtec 2007/2. Sem equivalente na Apostila 1 Pressão e Nível

CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO. Erros de Medição. Cedtec 2007/2. Sem equivalente na Apostila 1 Pressão e Nível CURSO DE INSTRUMENTAÇÃO Erros de Medição Cedtec 2007/2 Sem equivalente na Apostila 1 Pressão e Nível DEFINIÇÕES Valor Real (Vr) O valor real de uma grandeza física é aquele aceito por todo mundo como sendo

Leia mais

Química Analítica IV ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS

Química Analítica IV ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Química Analítica IV 1 semestre 2012 Profa. Maria Auxiliadora Costa Matos ERRO E TRATAMENTO DE DADOS ANALÍTICOS Todas as medidas físicas possuem um certo grau de incerteza. Quando se faz uma medida, procura-se

Leia mais

Medição de comprimentos, massas e tempos

Medição de comprimentos, massas e tempos José Mariano Departamento de Física, FCT Universidade do Algarve jmariano@ualg.pt 1 Objectivo Pretende-se com este trabalho prático realizar medidas de diferentes grandezas físicas, nomeadamente diâmetros,

Leia mais

Comprimento metro m Massa quilograma kg Tempo segundo s. Temperatura termodinâmica Kelvin K

Comprimento metro m Massa quilograma kg Tempo segundo s. Temperatura termodinâmica Kelvin K INTRODUÇÃO O Sistema Internacional e s ( S.I.) O SI é dividido em três grupos, a seguir: Sete s de Base Duas s Suplementares s derivadas Tabela 1 - s de Base do SI Comprimento metro m Massa quilograma

Leia mais

ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 10º Ano

ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 10º Ano Objectivos ACTIVIDADE LABORATORIAL QUÍMICA 0º Ano Determinação da massa volúmica e da densidade relativa de líquidos Seleccionar material adequado à determinação da: a) massa volúmica ou densidade de um

Leia mais

Grandezas: Unidades e Medidas

Grandezas: Unidades e Medidas Grandezas: Unidades e Medidas Nesta primeira unidade, pretendemos resgatar um pouco do conteúdo preliminar mais importante para nosso desenvolvimento: unidades de medidas, grandezas, conversões, notação

Leia mais

Engenharia Biomédica ELECTRÓNICA UNIVERSIDADE DO MINHO ESCOLA DE ENGENHARIA. Ficha Técnica do trabalho prático: Aparelhos de Medida

Engenharia Biomédica ELECTRÓNICA UNIVERSIDADE DO MINHO ESCOLA DE ENGENHARIA. Ficha Técnica do trabalho prático: Aparelhos de Medida DEI 1/15 DEI 2/15 DEI 3/15 DEI 4/15 DEI 5/15 DEI 6/15 Elementos Constituintes Breve Descrição: DEI 7/15 6. PONTAS DE PROVA DO OSCILOSCÓPIO As pontas de prova do osciloscópio têm num extremo um conector

Leia mais

A.L. 1.3 IDENTIFICAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA E AVALIAÇÃO DA SUA PUREZA

A.L. 1.3 IDENTIFICAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA E AVALIAÇÃO DA SUA PUREZA A.L. 1.3 IDENTIFICAÇÃO DE UMA SUBSTÂNCIA E AVALIAÇÃO DA SUA PUREZA QUÍMICA 10.ºANO QUESTÃO-PROBLEMA Como identificar materiais no laboratório? Como avaliar o grau de pureza de algumas substâncias? Através

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão - Campus Imperatriz Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia Licenciatura em Ciências Naturais - LCN

Universidade Federal do Maranhão - Campus Imperatriz Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia Licenciatura em Ciências Naturais - LCN Universidade Federal do Maranhão - Campus Imperatriz Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia Licenciatura em Ciências Naturais - LCN Física Módulo 1 No encontro de hoje... Medição Grandezas Físicas,

Leia mais

DETERMINAÇÃO DA MASSA VOLÚMICA DE UM SÓLIDO

DETERMINAÇÃO DA MASSA VOLÚMICA DE UM SÓLIDO Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos de Santo António Ciências Físico-Químicas 2009/2010 DETERMINAÇÃO DA MASSA VOLÚMICA DE UM SÓLIDO Trabalho realizado por: Ano: Nº T: Índice Introdução 3 Objectivos.4 Material/

Leia mais

Sistemas de Unidades, Notação Científica, Algarismos Significativos Sistema de Internacional de Unidades

Sistemas de Unidades, Notação Científica, Algarismos Significativos Sistema de Internacional de Unidades Sistemas de Unidades, Notação Científica, Algarismos Significativos Sistema de Internacional de Unidades S. C. G. Granja Departamento de Matemática Universidade do Estado de Mato Grosso UNEMAT Física 1,

Leia mais

Física Aplicada A Aula 1. Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa

Física Aplicada A Aula 1. Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa Física Aplicada A Aula 1 Profª. Me. Valéria Espíndola Lessa valeria-lessa@uergs.edu.br Este material está disponibilizado no endereço: http://matvirtual.pbworks.com/w/page/52894125 /UERGS O que é Física?

Leia mais

Avaliação da cadeira

Avaliação da cadeira Avaliação da cadeira Trabalho de síntese 20% Trabalhos práticos (4/5) 40% Exame final 40% Metrologia Ciência da medição - desenvolvimento de métodos e procedimentos de medição; - desenho de equipamento

Leia mais

ABREVIATURA DOS MESES NO TRABALHO. Português. janeiro jan. julho jul. fevereiro fev. agosto ago. março mar. setembro set. abril abr. outubro out.

ABREVIATURA DOS MESES NO TRABALHO. Português. janeiro jan. julho jul. fevereiro fev. agosto ago. março mar. setembro set. abril abr. outubro out. Guia Prático de Normalização ICT/ UNESP: TCC DATAS NBR 14274 No trabalho o ano deve ser indicado numericamente por todos os algarismos e não apenas pela dezena final. O mês pode ser indicado por extenso,

Leia mais

Grandeza é tudo aquilo que pode ser medido.

Grandeza é tudo aquilo que pode ser medido. Vimos que a ciência é todo o conjunto de conecimentos, construído pelo omem ao longo de sua existência, que permite compreender ou descrever a ordem existente por traz das coisas que existem no mundo.

Leia mais

Experiência 01: Algarismos significativos, medidas e tratamento de dados. Calibração de equipamentos volumétricos

Experiência 01: Algarismos significativos, medidas e tratamento de dados. Calibração de equipamentos volumétricos Experiência 01: Alarismos sinificativos, medidas e tratamento de dados. Calibração de equipamentos volumétricos 1. Introdução Química é uma ciência teórica-experimental e por isso consideramos importante

Leia mais

Fundamentos de Física. Vitor Sencadas

Fundamentos de Física. Vitor Sencadas Fundamentos de Física Vitor Sencadas vsencadas@ipca.pt Grandezas físicas e sistemas de unidades 1.1. Introdução A observação de um fenómeno é incompleta quando dela não resultar uma informação quantitativa.

Leia mais

Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos

Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos NOME Nº Turma Informação Professor Enc. de Educação 1. Os átomos dos isótopos e do carbono têm (A) números atómicos

Leia mais

Revisado em 18/11/2008

Revisado em 18/11/2008 PROCEDIMENTOS PARA VERIFICAÇÃO INICIAL E SUBSEQUENTE DE TANQUES DE ARMAZENAMENTO E RESFRIAMENTO DE LEITE A GRANEL NORMA N o NIE-DIMEL- APROVADA EM N o Revisado em 18/11/2008 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo

Leia mais

Cálculo em Farmácia. 18/03/2013 00:07 Cálculo em Farmácia. Professor: Wildson Cruz (Adaptado) 1

Cálculo em Farmácia. 18/03/2013 00:07 Cálculo em Farmácia. Professor: Wildson Cruz (Adaptado) 1 Cálulo em Farmáia 18/03/2013 00:07 Cálulo em Farmáia. Professor: Wildson Cruz (Adaptado) 1 ALGARISMO SIGNIFICATIVOS 18/03/2013 00:07 Cálulo em Farmáia. Professor: Wildson Cruz (Adaptado) 2 O que é medir?

Leia mais

O Sistema Internacional de Unidades - SI

O Sistema Internacional de Unidades - SI O Sistema Internacional de Unidades - SI http://www.inmetro.gov.br/consumidor/unidlegaismed.asp As informações aqui apresentadas irão ajudar você a compreender melhor e a escrever corretamente as unidades

Leia mais

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA

INTRODUÇÃO À ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ENGENHARIA 2015 AULA PRÁTICA No. 02 POTÊNCIA DE DEZ E NOTAÇÃO CIENTÍFICA PROF. ANGELO BATTISTINI NOTA NOME RA TURMA NOTA Objetivos: Nesta aula vamos estudar Notação Científica e como representar

Leia mais

MEDIÇÃO EM QUÍMICA MEDIR. É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade.

MEDIÇÃO EM QUÍMICA MEDIR. É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade. MEDIR É comparar o valor de uma dada grandeza com outro predefinido, que se convencionou chamar unidade. Medir o comprimento de uma sala É verificar quantas vezes a sala é mais comprida do que a unidade

Leia mais

TECMED - Cursos Profissionalizantes

TECMED - Cursos Profissionalizantes Técnicas de Medição... 2 Medição de Volumes... 2 Medição volumes de sólidos... 2 Medição de temperaturas... 4 Medição de massas... 4 Medição volumes de líquidos... 5 Erros associados à posição incorreta

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA PROPOSTA DE LEI N.º 5/IX AUTORIZA O GOVERNO A ALTERAR O DECRETO-LEI N.º 238/94, DE 19 DE SETEMBRO, RELATIVO AO SISTEMA DE UNIDADES DE MEDIDAS LEGAIS, A FIM DE PROCEDER À TRANSPOSIÇÃO PARA A ORDEM JURÍDICA

Leia mais

QMC 5119 II Semestre de 2014 EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS

QMC 5119 II Semestre de 2014 EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS EXPERIÊNCIA Nº1 MEDIDAS E TRATAMENTO DE DADOS 1. Introdução: Química é uma ciência experimental e por isso consideramos importante que você inicie a disciplina Introdução ao Laboratório de Química realizando

Leia mais

SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 CAMPO DE APLICAÇÃO. Esta Norma se aplica a Dimel e aos Órgãos delegados da RBMLQ-I. 3 RESPONSABILIDADE

SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 CAMPO DE APLICAÇÃO. Esta Norma se aplica a Dimel e aos Órgãos delegados da RBMLQ-I. 3 RESPONSABILIDADE VERIFICAÇÃO DE MEDIDAS MATERIALIZADAS DE VOLUME PELO MÉTODO VOLUMÉTRICO NORMA N o NIE-DIMEL-044 APROVADA EM JUL/24 N o /05 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Documentos Referência

Leia mais

Ministério da Educação. Departamento do Ensino Secundário. Bola Saltitona. Actividade Prática no Laboratório. Programa de Física e Química A 10º Ano

Ministério da Educação. Departamento do Ensino Secundário. Bola Saltitona. Actividade Prática no Laboratório. Programa de Física e Química A 10º Ano Ministério da Educação Departamento do Ensino Secundário Bola Saltitona Actividade Prática no Laboratório Programa de Física e Química A 10º Ano Trabalho Realizado por: Maria Helena Ferraz Marta Vilela

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UFPB CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA Departamento de Solos e Engenharia Rural - DSER. Prof. Dr. Guttemberg Silvino

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UFPB CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA Departamento de Solos e Engenharia Rural - DSER. Prof. Dr. Guttemberg Silvino UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UFPB CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS - CCA Departamento de Solos e Engenharia Rural - DSER Prof. Dr. Guttemberg Silvino UNIDADES DE MEDIDAS LINEAR O metro (m) é uma unidade

Leia mais

A.L. 0.1 RENDIMENTO NO AQUECIMENTO

A.L. 0.1 RENDIMENTO NO AQUECIMENTO A.L. 0.1 RENDIMENTO NO AQUECIMENTO FÍSICA 10.ºANO QUESTÃO-PROBLEMA Como poderemos aumentar o rendimento no aquecimento, quando cozinhamos? Esta actividade laboratorial está integrada no módulo inicial

Leia mais

Lições em circuitos elétricos - Volume I Capítulo 4 Notação Científica PREFIXOS E METRIC

Lições em circuitos elétricos - Volume I Capítulo 4 Notação Científica PREFIXOS E METRIC Lições em circuitos elétricos - Volume I Capítulo 4 Notação Científica PREFIXOS E METRIC A notação científica Aritmética com notação científica notação Metric prefixo conversões métricas usar calculadora

Leia mais

UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica ESTUDO TEÓRICO SOBRE PREFIXOS E MUDANÇAS DE UNIDADES

UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica ESTUDO TEÓRICO SOBRE PREFIXOS E MUDANÇAS DE UNIDADES Física Mecânica Roteiros de Experiências 76 UNIMONTE, Engenharia Laboratório de Física Mecânica ESTUDO TEÓRICO SOBRE PREFIXOS E MUDANÇAS DE UNIDADES Turma: Data: : Nota: Nome: RA: Sistema Internacional

Leia mais

3. Métodos de Medição e Instrumentação 1

3. Métodos de Medição e Instrumentação 1 3. Métodos de Medição e Instrumentação Sumário 3.1 Introdução 3.2 Métodos de medição 3.2.1 Métodos analógicos 3.2.2 Métodos digitais 3.2.3 Métodos de comparação 3.2.4 Métodos de medição de resistência

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTODUÇÃO. O DESENVOLVIMENTO DE BIOPROCESSOS. INTRODUÇÃO AOS CÁLCULOS DE ENGENHARIA

CAPÍTULO 1 INTODUÇÃO. O DESENVOLVIMENTO DE BIOPROCESSOS. INTRODUÇÃO AOS CÁLCULOS DE ENGENHARIA CAPÍTULO 1 INTODUÇÃO. O DESENVOLVIMENTO DE BIOPROCESSOS. INTRODUÇÃO AOS CÁLCULOS DE ENGENHARIA OBJECTIVO: Interpretação e desenvolvimento de processos biológicos. Análise quantitativa de sistemas e processos

Leia mais

Medições e erros. Organização das informações. Erros Resultado Físico ou Químico

Medições e erros. Organização das informações. Erros Resultado Físico ou Químico Medições e erros O que se pretende com essa aula, é dar ao aluno a oportunidade de compreender como se fazem as leituras em instrumentos de medição e quais os erros inerentes aos instrumentos e aos métodos

Leia mais

O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES - SI

O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES - SI O SISTEMA INTERNACIONAL DE UNIDADES - SI As informações aqui apresentadas irão ajudar você a compreender melhor e a escrever corretamente as unidades de medida adotadas no Brasil. A necessidade de medir

Leia mais

Sistema Internacional de Unidades

Sistema Internacional de Unidades Sistema Internacional de s De acordo com o DL 238/94 (19 de Setembro) e a DR 2/95 (31 de Janeiro) Compilação, adaptação e verificação: Manuel Matos (FEUP 1997) 0. Advertência O presente texto vem na sequência

Leia mais

Múltiplos e submúltiplos

Múltiplos e submúltiplos Múltiplos e submúltiplos Múltiplos e submúltiplos Fator Nome do prefixo Símbolo Fator Nome do prefixo Símbolo 10 24 10 21 10 18 10 15 10 12 10 9 10 6 10 3 10 2 10 1 yotta zetta exa peta tera giga mega

Leia mais

Estatística. Slide 0. Ana M. Abreu - 2006/07

Estatística. Slide 0. Ana M. Abreu - 2006/07 Estatística Slide 0 Capítulo 1 Estatística Descritiva Slide 1 I-1 Introdução à organização e ao processamento de dados. I-2 Amostra e população; cuidados a ter na recolha da amostra. I-3 Ordenação dos

Leia mais

Sessão Saber profundo Combinação de incertezas (http://www.midomenech.com.br/artigos.asp)

Sessão Saber profundo Combinação de incertezas (http://www.midomenech.com.br/artigos.asp) Sessão Saber profundo Combinação de incertezas (http://www.midomenech.com.br/artigos.asp) Manoel Telhada Consultor da M. I. Domenech Em 50 palavras ou menos O estudo de Repe & Repro é utilizado para avaliar

Leia mais

Notação Científica. Notação científica é uma forma de representar números muito grandes ou muito pequenos, baseada no uso de potências de base 10.

Notação Científica. Notação científica é uma forma de representar números muito grandes ou muito pequenos, baseada no uso de potências de base 10. Notação Científica Notação Científica Notação científica é uma forma de representar números muito grandes ou muito pequenos, baseada no uso de potências de base 10. Notação Científica Potências de base

Leia mais

A METROLOGIA E. O SI (Sistema Internacional de Unidades) Luís Miguel Durão

A METROLOGIA E. O SI (Sistema Internacional de Unidades) Luís Miguel Durão A METROLOGIA E O SI (Sistema Internacional de Unidades) Luís Miguel Durão METROLOGIA METROLOGIA Ciência da medição Definição de acordo com o Vocabulário Internacional de Metrologia IPQ Junho 1996: A metrologia

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial. Módulo I. Aula 01

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial. Módulo I. Aula 01 Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo I Aula 01 Unidades de Medida Medidas Medir significa comparar duas grandezas de mesma natureza, tomando uma delas como padrão. Por exemplo, dizer que uma

Leia mais

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO

MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO MEDIÇÃO NO LABORATÓRIO Medição e medida de grandezas físicas Uma grandeza física é uma propriedade de um corpo ou uma característica de um fenómeno que pode ser medida. A medição é a operação pela qual

Leia mais

ESTUDO DO PARÂMETRO TEOR DE MASSA ESPECÍFICA DO ÁLCOOL ETÍLICO ANIDRO COMBUSTÍVEL UTILIZANDO DENSÍMETRO DIGITAL

ESTUDO DO PARÂMETRO TEOR DE MASSA ESPECÍFICA DO ÁLCOOL ETÍLICO ANIDRO COMBUSTÍVEL UTILIZANDO DENSÍMETRO DIGITAL ESTUDO DO PARÂMETRO TEOR DE MASSA ESPECÍFICA DO ÁLCOOL ETÍLICO ANIDRO COMBUSTÍVEL UTILIZANDO DENSÍMETRO DIGITAL DALNI MALTA DO ESPIRITO SANTO FILHO Pesquisador-Tecnologista do Laboratório de Fluidos do

Leia mais

Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos

Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos Escola Secundária de Casquilhos Teste 1 de Física e Química A 10º ANO 22/10/2013 90 minutos NOME Nº Turma Informação Professor Enc. de Educação 1. Os átomos dos isótopos e do carbono têm (A) números atómicos

Leia mais

Programa de Matemática 2º ano

Programa de Matemática 2º ano Programa de Matemática 2º ano Introdução: A Matemática é uma das ciências mais antigas e é igualmente das mais antigas disciplinas escolares, tendo sempre ocupado, ao longo dos tempos, um lugar de relevo

Leia mais

Experimento 9 : Medidas, Erros e Visualização de Dados Experimentais. Docente Sala (lab) Grupo

Experimento 9 : Medidas, Erros e Visualização de Dados Experimentais. Docente Sala (lab) Grupo Experimento 9 : Medidas, Erros e Visualização de Dados Experimentais Docente Sala (lab) Grupo Medidas, Erros e Visualização de Dados Experimentais PARTE 1 - Precisão e Exatidão A realização sistemática

Leia mais

3 Unidades de Medida e o Sistema Internacional

3 Unidades de Medida e o Sistema Internacional 3 Unidades de Medida e o Sistema Internacional Fundamentos de Metrologia Medir Medir é o procedimento experimental através do qual o valor momentâneo de uma grandeza física (mensurando) é determinado como

Leia mais

Aula 3 UTRATAMENTO DE DADOS: ANÁLISE DE RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Maria de Lara Palmeira de Macedo Arguelho Beatriz

Aula 3 UTRATAMENTO DE DADOS: ANÁLISE DE RESULTADOS EXPERIMENTAIS. Maria de Lara Palmeira de Macedo Arguelho Beatriz Aula 3 UTRATAMENTO DE DADOS: ANÁLISE DE RESULTADOS EXPERIMENTAIS META Apresentar a teoria básica para tratamento de dados. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: conhecer o signifi cado e aplicação

Leia mais

Laboratório de Física I. Experiência 3 Determinação do coeficiente de viscosidade de líquidos. 26 de janeiro de 2016

Laboratório de Física I. Experiência 3 Determinação do coeficiente de viscosidade de líquidos. 26 de janeiro de 2016 4310256 Laboratório de Física I Experiência 3 Determinação do coeficiente de viscosidade de líquidos 1 o semestre de 2016 26 de janeiro de 2016 3. Determinação do coeficiente de viscosidade de líquidos

Leia mais

GUIA DO ESTUDANTE PARA A ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS PRÁTICOS II (Avançado)

GUIA DO ESTUDANTE PARA A ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS PRÁTICOS II (Avançado) GUIA DO ESTUDANTE PARA A ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS PRÁTICOS II (Avançado) Traduzido e adaptado * por M. J. Matos de Walker, J. R. L. (1991). A student s guide to practical write-ups. Biochemical Education

Leia mais

Notas de Aula: Física Aplicada a Imaginologia - parte I

Notas de Aula: Física Aplicada a Imaginologia - parte I Notas de Aula: Física Aplicada a Imaginologia - parte I Prof. Luciano Santa Rita Fonte: Prof. Rafael Silva www.lucianosantarita.pro.br tecnologo@lucianosantarita.pro.br 1 Conteúdo Programático Notação

Leia mais

Aparelhos de Laboratório de Electrónica

Aparelhos de Laboratório de Electrónica Aparelhos de Laboratório de Electrónica Este texto pretende fazer uma introdução sucinta às características fundamentais dos aparelhos utilizados no laboratório. As funcionalidades descritas são as existentes

Leia mais

DETROIT Circular informativa Eng. de Aplicação

DETROIT Circular informativa Eng. de Aplicação DETROIT Circular informativa Eng. de Aplicação Número 09 - Agosto 2003 www.detroit.ind.br Unidades Legais de Medida INMETRO O Sistema Internacional de Unidades SI As informações aqui apresentadas irão

Leia mais

A.L.2.3 NEUTRALIZAÇÃO: UMA REACÇÃO DE ÁCIDO-BASE

A.L.2.3 NEUTRALIZAÇÃO: UMA REACÇÃO DE ÁCIDO-BASE A.L.2.3 NEUTRALIZAÇÃO: UMA REACÇÃO DE ÁCIDO-BASE QUÍMICA 11.ºANO QUESTÃO-PROBLEMA Como neutralizar resíduos de ácidos/bases do laboratório de Química da escola? Como identificar se os resíduos são de uma

Leia mais

UFSC Departamento de Química QMC 5119 Introdução ao Laboratório de Química 2015/1

UFSC Departamento de Química QMC 5119 Introdução ao Laboratório de Química 2015/1 1 UFSC Departamento de Química QMC 5119 Introdução ao Laboratório de Química 2015/1 Experiência 01: Algarismos significativos, medidas e tratamento de dados. Calibração de equipamentos volumétricos 1.

Leia mais

GUIA PARA O CONTROLO DO EQUIPAMENTO DE MEDIÇÃO E ENSAIO EM LABORATÓRIOS CLÍNICOS ÍNDICE ALTERAÇÕES

GUIA PARA O CONTROLO DO EQUIPAMENTO DE MEDIÇÃO E ENSAIO EM LABORATÓRIOS CLÍNICOS ÍNDICE ALTERAÇÕES EQUIPAMENTO DE ÍNDICE 1 Introdução 2 2 Referências Bibliográficas 2 3 Definições 2 4 Equipamento e respectivo controlo 2 5 /Verificação Intermédia 6 Total de Páginas: 6 ALTERAÇÕES Não Aplicável 1ª Edição

Leia mais

Física Geral e Experimental I (2015/01)

Física Geral e Experimental I (2015/01) Diretoria de Ciências Exatas Laboratório de Física Roteiro 01 Física Geral e Experimental I (2015/01) Medidas Diretas de Grandezas Físicas 2 Medidas Diretas de Grandezas Físicas 1. Após estudar os assuntos

Leia mais

Introdução ao Sistema Internacional de Unidades (SI)

Introdução ao Sistema Internacional de Unidades (SI) Introdução ao Sistema Internacional de Unidades (SI) Introdução, histórico, peculiaridades, usos, definições: 1. N. Baccan, J. C. de Andrade, O. E. S. Godinho, J. S. Barone, "Química Analítica Quantitativa

Leia mais

VOCABULÁRIO DE METROLOGIA

VOCABULÁRIO DE METROLOGIA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE MECÂNICA APOSTILA DE METROLOGIA VOCABULÁRIO DE METROLOGIA Cid Vicentini Silveira 2005 1 OBJETIVO DESTE CAPÍTULO Descrever os fundamentos, os termos, e os princípios da metrologia.

Leia mais

ENERGIA CINÉTICA AO LONGO DE UM PLANO INCLINADO

ENERGIA CINÉTICA AO LONGO DE UM PLANO INCLINADO ENERGIA CINÉTICA AO LONGO DE UM PLANO INCLINADO 1. Questão Problema Um carro encontra-se parado no cimo de uma rampa. Acidentalmente é destravado e começa a descer a rampa. Como se relaciona a energia

Leia mais

Técnicas de Trabalho com Material Volumétrico

Técnicas de Trabalho com Material Volumétrico Universidade Federal de Goiás Instituto de Química Curso Experimental de Transformações Químicas 2010 Prof. Dr. Anselmo (adaptado, Agustina) Técnicas de Trabalho com Material Volumétrico 1 Objetivo Nesta

Leia mais

Unidades básicas do SI

Unidades básicas do SI EDUCANDO: Nº: TURMA: DATA: / / EDUCADOR: Leonardo, Mariana e Rosiméri Ciências 9º ano do Ensino Médio Avaliação Unidades de medida: Medir uma grandeza física significa compará-la com outra grandeza física

Leia mais

RESOLUÇÕES ONLINE UNIDADES DE MEDIDAS

RESOLUÇÕES ONLINE  UNIDADES DE MEDIDAS UNIDADES DE MEDIDAS Todas as Unidades de Medidas que são nomes próprios devem ser escritas em maiúsculas quando abreviadas. Se forem escritas por extenso, sempre escrever em minúscula no singular exceto

Leia mais

Figuras: ALVARENGA, Beatriz, MÁXIMO, Antônio. Curso de Física-Vol. 1, Editora Scipione, 6a Ed. São Paulo (2005) Comprimento metro m

Figuras: ALVARENGA, Beatriz, MÁXIMO, Antônio. Curso de Física-Vol. 1, Editora Scipione, 6a Ed. São Paulo (2005) Comprimento metro m FÍSICA I AULA 01: GRANDEZAS FÍSICAS; SISTEMAS DE UNIDADES; VETORES TÓPICO 02: SISTEMAS DE UNIDADES Para efetuar medidas é necessário fazer uma padronização, escolhendo unidades para cada grandeza. Antes

Leia mais

Física e Química A. Nomes: N.º s : T.ª: Como neutralizar resíduos de ácidos/bases do laboratório de Química da escola?

Física e Química A. Nomes: N.º s : T.ª: Como neutralizar resíduos de ácidos/bases do laboratório de Química da escola? Física e Química A 11ºAno - Química AL.2.3. Neutralização: uma reacção de ácido-base Ano lectivo: 2010/2011 Nomes: N.º s : T.ª: PARTE I - Introdução Questão problema Como identificar se os resíduos são

Leia mais

Objetivos da disciplina:

Objetivos da disciplina: Aplicar e utilizar princípios de metrologia em calibração de instrumentos e malhas de controle. Objetivos da disciplina: Aplicar e utilizar princípios de metrologia calibração de instrumentos e malhas

Leia mais

Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres. resto do Universo também

Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres. resto do Universo também Escola Secundária de José Saramago FQA 10º ano Marília Peres Nós somos Química e o Nós somos Química e o resto do Universo também 1 Introdução «A coisa mais incompreensível acerca do nosso Universo é que

Leia mais

Tópico 6. Aula Prática: Aparelhos básicos de medida de comprimento e massa: Determinação de grandezas indiretas

Tópico 6. Aula Prática: Aparelhos básicos de medida de comprimento e massa: Determinação de grandezas indiretas Tópico 6. Aula Prática: Aparelhos básicos de medida de comprimento e massa: Determinação de grandezas indiretas Neste experimento será calculado o volume de objetos (esferas, cilindros ou cubos metálicos),

Leia mais

Unisanta - Tópicos de Mecânica - Prof. Damin - Aula n.º - Data / / FLEXÃO SIMPLES. Introdução: Y lado tracionado X. lado tracionado.

Unisanta - Tópicos de Mecânica - Prof. Damin - Aula n.º - Data / / FLEXÃO SIMPLES. Introdução: Y lado tracionado X. lado tracionado. FLEÃO SIMPLES. Introdução: (Boanerges, 1980-S.D.) Como a força cortante não altera as tensões normais estamos aqui examinando as flexões pura normal e simples normal. Observando a seção transversal em

Leia mais

CAPÍTULO 8. de Variância - ANOVA ANOVA. Análise

CAPÍTULO 8. de Variância - ANOVA ANOVA. Análise CAPÍTULO 8 Análise de Variância - UFRGS Os testes de hipótese apresentados até aqui limitaram-se à comparação de duas médias ou duas variâncias. Contudo, há situações onde se deseja comparar várias médias,

Leia mais