UNIVERSIDADE SALVADOR COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO SALVADOR BAHIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE SALVADOR COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO SALVADOR BAHIA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE SALVADOR COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO SALVADOR BAHIA DURVAL CARVALHAL UNILEVER: Análise de um caso de planejamento e estratégia de vendas. Trabalho apresentado à Unifacs como requisito de aprovação da disciplina Estratégia de Distribuição e Vendas, ministrada pelo Professor Mestre Milton Correia Sampaio Filho, do curso MBA em Marketing, turma B, de SALVADOR - BA 2008

2 A Lúcia, Fernanda e Bartira, todo mundo Carvalhal, pela força e carinho que brotam de dentro de cada uma. Ao professor Milton Sampaio, pelo apoio e compreensão.

3 Na batalha da existência, o importante é não ficar vencido, porque o vencedor tem sempre razão. Júlio Ribeiro (em A Carne).

4 RESUMO Nesse trabalho, buscou-se traçar uma panorâmica da organização Unilever, criada em 1929 para atender, preferencialmente, o mercado feminino, que, através de mulheres famosas e bonitas, consolidou ótima participação no mercado consumidor. O sabonete lux luxo, objeto do estudo, surgiu em 1932 como sabonete lux. Como a corporação é altamente criativa, modernamente criou a linha lux luxo para atender melhor as exigências da clientela. Adaptando-se às circunstâncias, a Unilever venceu a crise de 1929, e beneficiou-se do processo de Substituição das Importações. Seu fluxo produtivo passou por momentos dificultosos, amargando prejuízos significativos com os roubos de cargas. Mas, a corporação planejou-se e adotou um sistema de transportes moderno, rastreado os caminhões em parceria com a Pamcary, resolvendo o problema da distribuição. Dessa forma, a empresa ficou mais próxima do seu público alvo, que pode encontrar o produto em qualquer farmácia ou supermercado. Palavras chave: Unilever, lux, lux luxo, linha lux e sabonete das estrelas.

5 ABSTRACT In this research work, we traced a panoramic view of Unilever organization, created in 1929 and interested in the feminine market Through the use of images of famous and pretty women, consolidated excellent participation in the consuming market. The soap lux luxo, the focus of this study, appeared in 1932 as lux soap. As the corporation is highly creative, they created the brand lux luxo to better take care of the requirements of the clients. Adapting itself to the circumstances, Unilever overcame the 1929 crisis; it was benefited from the process of Substitution of Importing. Its productive flow passed through difficult moments, making some significant damages, as the load robberies. The corporation, however, replanned its strategies and adopted a modern system of transports, tracked the trucks in partnership with the Pamcary, solving the problem of distribution. This way, the company to closer to its consumers, who can find the product in any pharmacy or supermarket.. Key words: Unilever, lux, lux luxury, line lux e sabonete of the stars.

6 SUMÁRIO 1 Introdução Justificativa Sabonete das estrelas Modernização da empresa Sabonete Lux Luxo Fluxo Produtivo Distribuição Missão, Visão e Código de ética Missão Visão Declaração de Valores Planejamento estratégico Forças Fraquezas Oportunidades Ameaças Organograma Relacionamento interno Considerações finais Referências Anexos... 22

7

8 8 1. INTRODUÇÃO Em 1884, os irmãos Lever, sobretudo Willian Hesaketh, fundaram, na cidade de Bolton, Inglaterra, a LEVER BROTHERS, com o propósito de vender sabões à moda antiga, ou seja, cortados diante do freguês. Entretanto, William teve uma idéia transformadora, que consistia em dar um nome ao sabão e vendê-lo em um tamanho padrão e acondicionado em bela embalagem. Dessa forma, a clientela identificaria o produto com facilidade, além do diferencial da fórmula neutra, que tornava o sabão menos agressivo para as mãos, conquistando a preferência dos fregueses. Os primeiros produtos da Lever Brothers foram os sabões para lavar roupa SUNLIGHT e FLOCOS LUX. Com o sucesso desses produtos iniciais, a organização abriu a própria fábrica, e, em poucos anos, passou a ter um dos sabões mais vendidos no mercado mundial. Como conseqüência da demanda crescente e para garantia da obtenção de matérias primas, a empresa empreendeu a plantação de palmeiras na África, para produzir óleo vegetal, além da compra de uma frota de baleeiro, para ter óleo animal. Com a garantia de matéria prima abundante e barata, a LEVER pode fabricar seu sabão e lançar novos produtos para atender a demanda sempre crescente por artigos de higiene e limpeza no final do século XIX. Foi nessa conjuntura que se lançou o sabonete desodorante para o corpo LIFE BUOY, em 1894 e FLOCOS LUX, em 1899, opção de maior praticidade em relação ao sabão em barra para lavar roupas e tecidos delicados. Daí, foi um passo para a produção de alimentos, optando-se pela margarina em 1869 e muito popular na Europa. Com o sucesso obtido até então, a Lever rivalizou com a holandesa margarine Unie. Ao invés de disputarem o mercado, a empresa LEVER BROTHERS preferiu unir-se à concorrente, para expandir ainda mais seus horizontes. E foi assim que, em setembro de 1929, surgiu a UNILEVER.

9 9 1.1 JUSTIFICATIVA A escolha da Unilever e do sabonete lux luxo para esse trabalho, lastreou-se na sua história de sucesso, desde os primeiros momentos da sua existência e na manutenção desse sucesso até os dias contemporâneos, um grande exemplo de criatividade e eficiência administrativa. A Unilever é uma usina de inventividades. A todo instante está inovando, como forma assegurada de se manter em um mercado globalizado e altamente competitivo. É uma empresa que atua em mais de 150 países, enriquecendo mercados com novos produtos que, como corolário, não só agrega valor macroeconômico, mas também, satisfaz desejos e necessidades do mercado consumidor. Sua marca sabonete lux luxo é direcionada ao público feminino, cujas mulheres famosas e bonitas emprestam seus nomes e suas imagens para a divulgação do produto, que é conhecido como o sabonete das estrelas, não obstante pesquisas recentes apontem que a taxa de lembrança da marca seja maior no público masculino. É uma empresa moderníssima, que trabalha respaldada no respeito às leis do País, ao meio ambiente, aos funcionários, fornecedores, sobretudo, aos seus clientes, além de cumprir fidedignamente os ditames da responsabilidade social. Por fim, a sofisticação e eficiência da corporação têm como base a produção de produtos de alta qualidade; distribuição assentada em tecnologia de ponta e ótimo atendimento à clientela. 2. SABONETE DAS ESTRELAS O sabonete lever passou a ser fabricado em 1925, e talvez seja o mais antigo produto em evidência, além de ser líder da categoria. Sua primeira representante foi Claudette Colbert, que interpretou Cleópatra no cinema, em Como organização inovadora, a Unilever sempre contratou jovens e belas atrizes, uma forma segura de sempre atualizar

10 10 a imagem do produto. Desde então, o produto passou a ser conhecido como sabonete das estrelas. Outras grandes beldades representaram a marca, como Lana Turner, Dorothy Samour, Judy Garland, Rita Hayworth, Elizabeth Taylor, Gina Lolobrigida e Kim Novak, dentre outras. O povo brasileiro, normalmente, conhece os produtos: omo, seda, dove, hellmann s maisena, kibon, lux e rexona. Todavia, poucos são os brasileiros que sabem que todas essas marcas são produzidas pela Unilever, que é, pela sua força e criatividade, ingrediente indissociável da cultura nacional e presença indiscutível na lista de supermercados e outros varejistas, ao longo de várias gerações, como conseqüência de muito trabalho e de dedicação ao consumidor. Em 1929, época de crise da bolsa de Nova York, três ingleses desembarcaram no Porto de Santos, cuja missão era inaugurar a filial da companhia. Na cidade de São Paulo, a população de 900 mil habitantes tinha uma taxa de crescimento alta, não só do ponto de vista natural ou vegetativo, mas também do ponto de vista dos imigrantes que chegavam. Não obstante a quebradeira imposta pela crise de 1929, os executivos ingleses registraram a Sociedade Anônima Irmãos Lever, com sede na Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo. Inicialmente, importaram-se os sabões SUNLIGTH e FLOCOS LUX para lavar roupas. Em seguida, 1930, a organização colocou em funcionamento a sua 1ª fábrica, no bairro paulistano de Vila Anastácio, produzindo o sabão sunlight e o Floco Lux, e, naturalmente, deixando de importá-los. Em 1932, a empresa passou a produzir o sabonete LUX, chamado de lever até os idos de 1963, já que havia no mercado um produto com o mesmo nome. Esses produtos eram famosos e muito vendidos no exterior; no Brasil, não, porque o brasileiro não tinha costume de consumir produtos industrializados. Tudo que se consumia em matéria de sabonetes, cremes dentais, perfumes e outros produtos de higiene era importado. Era um luxo para quem era rico.

11 11 Com o desenvolvimento da indústria brasileira e a queda nos preços, os produtos se tornaram acessíveis. Mas a popularização dos produtos só se efetivou com intenso trabalho de marketing, notadamente na área da propaganda, mudando-se hábitos e comportamentos da população. E tudo isso ocorreu, porque a organização trouxe da matriz sua própria agência de propagandas, a LINTAS, LEVER - International Advertising Service, através de uma equipe que veio formar a versão brasileira. 3. MODERNIZAÇÃO DA EMPRESA Em 1960, o Brasil assistia à televisão. Esperimentava-se nova era. A telinha abandonara a ficção científica e abraçava a realidade. Nessa época, vigia o processo econômico denominado de Substituição das Importações. A industrialização andava a passos largos, impactando fortemente no processo produtivo. Como corolário do desenvolvimento econômico, os costumes, os valores e o perfil da sociedade transformaram-se também. As mulheres integravam-se ao mercado de trabalho; as feministas agudizavam a luta por igualdades entre os sexos; os jovens, nas ruas, protagonizavam nos movimentos sociais; os hippies e a contracultura propunham padrões chocantes para as gerações anteriores. Como conseqüência dessa efervescência econômica e sóciocultural, surgiram novas tendências de consumo, e abriram-se novas perspectivas de crescimento e diversificação do mercado. Nesse cenário econômico-social promissor, as empresas planejavam suas expansões, e a Unilever não ficou imune a essa tendência brasileira. Assim, em 1960, a Irmãos Lever adquiriu a Gessy, transformando-se em Gessy Lever, reunindo o que havia de melhor nas duas empresas anteriores, ou seja, o Know-how administrativo e tecnológico da multinacional anglo-holandesa com o carisma e o poder de identificação da Gessy com o consumidor nacional. Depois de mais um processo de aquisição, a empresa reestruturouse, destacando-se, sobretudo, o programa de Trainees, em 1964, o que

12 12 permitiu que a empresa crescesse e expandisse seus negócios, oferecendo ao consumidor brasileiro um portfólio de produtos significativo. Dessa forma, depois de reestruturar-se, a corporação estava preparada para os novos desafios impostos pelo desenvolvimento econômicotecnológico no campo da saúde, do conforto, das diversões, do entretenimento, dentre outros no cotidiano do brasileiro. Com foco na sustentabilidade, a Unilever assumiu nova missão: acrescentar vitalidade ao cotidiano das pessoas, de funcionários e consumidores. Daí porque ter assumido o compromisso mundial de incluir, nas suas equipes, a diversidade de cada país em que atua, através de programa de inclusão social, de pessoas com deficiência física e de mulheres em cargos de comando. Com esse programa de diversidade, a organização, estrategicamente, cultiva a diversidade entre os funcionários como oportunidade de entender melhor o consumidor brasileiro, e atender melhor as suas necessidades, além de enriquecer o ambiente de trabalho. Como conseqüência, a empresa Unilever foi destaque na categoria Diversidade do Guia 2007 como de Melhores Empresas para Você Trabalhar, editado pelas revistas Você S.A. e Exame. A empresa tem, também, um programa de relacionamento que mantém um portal de conteúdo com informações sobre beleza, nutrição, moda, receitas, dicas culturais, comportamento e outros serviços. Atua em 150 países e tem um portfólio que atende plenamente as necessidades cotidianas do consumidor. Nossas marcas inspiram confiança em todos os lugares e, ao ouvir as pessoas que as compram, nós nos tornamos uma das empresas de produtos de consumo mais bem sucedidas do mundo. De fato, 150 milhões de vezes ao dia, alguém em algum lugar escolhe um produto da Unilever. ((UNILEVER HOJE. Disponível em: Hoje/. Acessado em: 25/03/2008).

13 13 A entidade é uma das fornecedoras líderes de produtos de bens de consumo no mundo. É líder do mercado de higiene doméstica com produtos de limpeza e higiene, e suas marcas globais, no mercado de beleza, são Axé, Dove, Lux, Pond s, Rexona e Sunsilk. 4. SABONETE LUX LUXO É, talvez, o mais antigo sabonete comercializado, desde 1925 na Inglaterra, e 1932 no Brasil. Contemporaneamente, a Unilever investiu R$ 15 milhões para democratizar o uso e destacar os diferenciais de Lux, que sempre teve uma renovação constante. Dessa forma, a empresa traz tendência com o lançamento da nova linha Lux Luxo, incluindo ingredientes do universo gourmet em suas novas formulações, e usando tecnologia de ponta, fragrâncias ousadas, formato de barra como diferencial e com embalagem em caixinha, mais feminina e mais sofisticada. É a marca mais citada em sabonete. É líder absoluta na categoria, com mais de 20 pontos de vantagem à frente do segundo colocado, dove. Nos diversos pontos de venda espalhados ao longo do País, está disponível a coleção Lux Luxo, que conta com suas novas variações, como sedução do chocolate, vitalidade do guaraná e delicadeza das pétalas, dentre outras. De suas muitas formulações, a barra de luxo apresenta um formato mais feminino e arredondado, o que facilita o uso e agrega modernidade à linha. Tendo em vista a possibilidade de se misturar mais ingredientes em uma mesma barra, pode-se obter uma formulação mais emoliente, ajudando na sensação proporcionada na pele. 4.1 FLUXO PRODUTIVO As pessoas compram não o que esses produtos ou serviços possam fazer por elas, mas o que elas querem que eles façam, isto é, um benefício é isso que elas compram. (COBRA, 1977, p. 149).

14 14 O mercado brasileiro é gigantesco. São quase 200 milhões de habitantes, ao longo dos Km2. Depois dos processos de Substituição das Importações e da Globalização, as indústrias brasileiras estão dentro de uma produção ótima. No caso da Unilever, a organização lastreia-se em diversas unidades produtivas. A malha logística da Unilever envolve dez fábricas cinco para cada uma das duas divisões localizadas em São Paulo, Goiás, Minas Gerais e Pernambuco; o abastecimento de 11 mil pontos de entrega em todo o país, responsáveis pela geração de 450 mil pedidos/ano, que movimentam 232 milhões de caixas ou 1,7 milhão de toneladas; cinco parceiros logísticos, 14 CDs, 290 mil m2 de área de armazenagem; 120 transportadoras e pessoas 360 funcionários da Unilever e 2,3 mil terceirizados. (DA SEGURANÇA À LOGÍSTICA, disponível em: Como empresa moderna, antenada com o que há de melhor no mundo tecnológico, a Unilever trabalha com o sistema RFID Tecnologia de Identificação por Rádio de Freqüência, para manter a eficiência e garantir o fluxo produtivo. Com a adoção dessa tecnologia de ponta, muda-se radicalmente a operação no varejo, com grande benefício da indústria varejista, reduzindo-se os custos, face ao aumento da eficiência dos processos e a satisfação do consumidor, que encontra normalmente os produtos desejados. Antes de adotar novo processo tecnológico, a empresa, em 2000, registrou alto índice de roubos de carga em sua história de 70 anos no Brasil. Era alvo preferencial das quadrilhas e as seguradoras não mais queriam fazer o seguro da carga. Através do projeto de gestão de risco, trabalhou-se no sentido de reduzir o índice de roubos para patamar aceitável Distribuição do produto

15 15 Até o ano de 2000, a Unilever enfrentava grandes dificuldades na área de transportes, com roubos das cargas que eram transportadas. A organização teve que tomar sérias medidas para evitar a ação das quadrilhas. Adotou-se, então, um projeto de gestão de risco, como o objetivo de reduzir o índice de roubos. Esse projeto foi desenvolvido em parceria com a Pamcary, uma provedora de soluções integradas em seguros, gerenciamento de riscos e informações logísticas, que tem em sua carteira de clientes alguns dos maiores embarcadores do país, duas mil transportadoras e mais de 300 mil motoristas. Com a parceria, A Unilever adotou as ferramentas e procedimentos da Pamcary. Adotou-se o Telerisco, que é um banco de dados que reúne informações de quase 1,5 milhão de motoristas e 180 veículos. É um sistema de pesquisa muito eficiente e que funciona 24 horas por dia, e é utilizado em mais de cinco mil terminais de carga de transportes e embarcadores, operadores logísticos, seguradoras e posto de combustível. Dessa forma, por meio do Telerisco, consulta-se o CPF do motorista e do proprietário do caminhão, a placa do cavalo e da carreta, certificando-se de que não há risco, e se faz a indicação dos bons profissionais. Além da parceria com a Pamcary, a Unilever introduziu a tecnologia de rastreamento dos caminhões. Quando há um acidente, em menos de duas horas, chega uma equipe para prestar socorro. Todo sinistro é acompanhado online pela coordenadora da gestão de risco da companhia. Trata-se de um monitoramento eficiente, que faz com que os canais de distribuição dos produtos, e principalmente do sabonete lux luxo, funcionem de forma plena e cabal, reduzindo-se custos, prejuízos e levando tranqüilidade ao consumidor final, que pode encontrar o produto, sobretudo, em farmácias e em super mercados. 4.2 MISSÃO, VISÃO E CÓDIGO DE ÉTICA Missão

16 16 É a razão, através da qual, uma organização existe. É a razão de ser de uma empresa. A missão da Unilever é levar vitalidade para o dia-a-dia. Nós atendemos as necessidades diárias de nutrição, higiene e cuidados pessoais com marcas que ajudam as pessoas a se sentirem bem, ficarem bonitas e aproveitarem mais a vida. (MISSÃO CORPORTIVA, disponível em: ples/nossa_missao.asp) Visão Retrata o sonho da empresa, o lugar aonde ela quer chegar. A Unilever Brasil será reconhecida como uma das empresas mais admiradas tanto no Brasil como dentro da corporação Unilever. Em nossa interação com o mercado e a comunidade local, buscaremos a excelência em tudo o que fizermos. Atingiremos nossas metas de negócios por meio da implementação excepcional, no Brasil, das estratégias e políticas corporativas definidas pela Unilever América Latina. (MISSÃO CORPORTIVA, disponível em: principles/nossa_missao.asp) declaração de valores (ANEXO A) Toda empresa, normalmente, tem seu código de ética, que é uma espécie de arcabouço jurídico normativo-comportamental de uma corporação. Entretanto, uma organização é estática. Quem lhe confere movimento são seus recursos humanos. Mas, o ser humano é imperfeito, falível, industrioso e hábil, e tem o condão de decidir e preferir. Destarte, o código de ética organizacional não é levado muito em conta de forma plena e cabal.

17 17 No caso da Unilever, a corporação tem se empenhado no que se refere à observância do seu próprio regimento interno, para manter sua reputação, zelar pelo interesse dos consumidores, funcionários, acionistas e parceiros. Para a organização, o código de ética tem valor prático na labuta cotidiana, devendo ser seguido por todos os colaboradores (ANEXO - A). 5 PLANEJAMENTO EXTRATÉGICO Toda empresa tem necessidade de elaborar seu planejamento estratégico, como forma de sobrevivência no mercado. Está relacionado com a definição de objetivos de marketing para um período de três a cinco anos. O planejamento estratégico tem preocupação geral com a direção da organização no longo prazo. O planejamento deve ser ainda orientado para o mercado, ou seja, deve-se saber em que extensão o foco no consumidor está impregnado em toda a organização, ter comprometimento com a entrega de valor, identificação e desenvolvimento de competências distintas, formação de parcerias estratégicas, desenvolvimento de fortes relações com importantes consumidores estratégicos, ênfase em segmentação de mercado, seleção do mercado-alvo e posicionamento [...]. (NEVES, 2005, p. 25). SWOT é uma sigla que se refere à essência do planejamento estratégico. Divide-se em análise do ambiente interno e análise do ambiente externo. É de fundamental importância conhecer as forças e fraquezas do empreendimento para poder aproveitar oportunidades que surgem no mercado, bem como proteger-se de ameaças. Significa: 5.1 Forças (Strengths). São características positivas internas da empresa. São fatores que ajudam a organização a otimizar

18 18 seu desempenho; por isso mesmo, as forças devem ser mantidas e potencializadas. São atributos poderosíssimos do empreendimento que devem ser usados no sentido de se explorar oportunidades, bem como afastar as ameaças. 5.2 Fraquezas (Weaknesses). São as características negativas que existem dentro da entidade, dificultando, sobremaneira, o bom desempenho. São deficiências ou restrições internas que impossibilitam a organização de atender adequadamente seus clientes; com isso, perde-se competitividade. Como conseqüência, esses fatores negativos devem ser minimizados ou eliminados. No Ambiente interno, observam-se fatores como qualificação dos recursos humanos, adequação tecnológica, localização do empreendimento, recursos financeiros, qualidade do produto e dos serviços prestados, produtividade, distribuição, prazo de entrega, capacidade instalada e infra-estrutura, participação atual de mercado, fidelidade aos clientes, imagem, marca, etc. 5.3 Oportunidades (Opoortunities). São eventos que ocorrem no entorno da empresa, fora do seu controle. São chances de melhorar o desempenho da organização em função das mudanças no ambiente externo. São acontecimentos positivos que, se forem adequadamente monitorados ou explorados, poderão alavancar o negócio. 5.4 Ameaças (Threats). Igualmente, são fatos que ocorrem fora do controle da administração, que, se não forem minimizados, poderão impactar negativamente no desempenho da organização. O acompanhamento sistemático das mudanças no ambiente externo, por parte da administração e sua

19 19 equipe, é fundamental para o preparo e evitação da perda de desempenho da organização. Na análise do ambiente externo, fora do controle da entidade, analisam-se: As variáveis políticas, como controle estatal, mudanças na legislação, eleições, etc. Variáveis econômicas, como desemprego, PIB (produto interno bruto), taxa de juros, nível de inflação, dívida pública, IDH (Índice de desenvolvimento humano). Variáveis tecnológicas, pois o surgimento de novas tecnologias deve ser rapidamente absorvido pelo empreendimento; também são relevantes as variáveis controle de patentes, incentivos a P&D (pesquisa e desenvolvimento). Por fim, as variáveis sociais, destacando-se as variações demográficas, distribuição de renda, nível de escolaridade, estilo de vida e hábitos da população. 6 ORGANOGRAMA E REDE INTERNA DE RELACIONAMENTO A maioria dos negócios não sobrevive além de períodos curtos. Todavia, algumas das maiores e mais bem sucedidas empresas da atualidade têm sua origem na revolução industrial. Os Estados Unidos passaram de uma economia de produção para uma de vendas. Desenvolveu-se a concorrência em quase todas as indústrias. Para a maioria das empresas a era das vendas continuou até a década de Depois, alguns fabricantes começaram a compreender que

20 20 forçar os bens no mercado não era ação tão efetiva quanto enfocar a provisão da satisfação. A estrutura organizacional da Unilever é composta de coordenadores regionais, um presidente no Brasil e três divisões: lever, alimentos e Elida Gibbs, de produtos farmacêuticos, conforme tabela abaixo. Do ponto de vista macro ou mundial, a Unilever, que é de origem anglo-holandesa, possui coordenadores regionais para as diversas regiões do mundo. Tem um presidente que cuida da América Latina. Possui outro presidente que cuida dos assuntos pertinentes ao Brasil, sediado, todavia, em Miami, Estados Unidos. No Brasil, o grupo possui as três divisões, acima já descritas: UNILEVER COORDENADORES REGIONAIS BRASI L (PRESIDENTE) D I V ISÃO LEVER D I V ISÃO ALIMENTOS D I V ISÃO E L I D A G IBBS

21 21 A organização, ao longo do tempo, adquiriu diversas corporações, passando, como conseqüência, por diversas reestruturações. É uma entidade que sempre buscou a modernização administrativa, economizando tempo, dinamizando atividades e economizando custos, daí o seu sucesso longevo e duradouro, não só no Brasil, mas como também nos diversos países em que atua. 7 RELACIONAMENTO INTERNO Na Unilever procuramos criar um ambiente onde as pessoas trabalhem com energia, criatividade e comprometimento para atingir objetivos ambiciosos. Sempre trabalhamos com os mais elevados padrões de integridade e excelência profissional. Somos uma das empresas mais admiradas para se trabalhar, pois oferecemos oportunidades de realização profissional e pessoal. Atuamos de forma global sem deixar de reconhecer a importância da diversidade e de compreender as diferentes formas de trabalho, e como elas se complementam para o alcance de nossos resultados. (TRABALHANDO CONOSCO, disponibilizado em: ndoconosco/default.asp?linkid=fasttrack). O sucesso da Unilever, mormente no Brasil, permite inferir que seu relacionamento interno é excelente, já que a harmonia de uma equipe impacta fortemente na eficiência gerencial e produtiva. A corporação mantém um programa de trainee, que consiste na seleção de jovens com grande potencial de crescimento, para se desenvolver dentro da organização, tornando-se, posteriormente, líderes negociais da entidade.

22 22 O trainee é contratado como funcionário e participa de um programa de 36 meses, cujo objetivo é o desenvolvimento de habilidades técnicas e comportamentais. Logo após a transição do papel de universitário para o de profissional, ele assume responsabilidades profissionais, dando continuidade ao processo de aprendizagem, conhecendo a realidade da Unilever e contribuindo para a boa performance ou desempenho da empresa. 8 CONSIDERAÇÕES FINAIS A história da Unilever é de pleno sucesso. A saga da organização que começou no Brasil em plena crise de 1929, quando empresas fechavam as portas no país e no mundo, simboliza a criatividade e a eficiência administrativa. A sua política de aquisições e de fusões foi fator preponderante para a solidificação da empresa no mercado brasileiro, cujo nicho é predominantemente feminino. A força da sua comunicação, tangenciando a fama e a beleza de mulheres famosas, ajudou, sobremaneira, a organização a se consolidar nos mercados da higiene, limpeza, alimentação e beleza. Suas forças de venda, sua constante inovação, seu sólido e bem monitorado sistemas de transporte, otimizando e agilizando as operações nos centros de distribuição, fazem a Unilever cumprir sua missão de agregar vitalidade ao cotidiano dos consumidores, que tem à disposição um enorme portfólio de bons produtos. Por fim, o respeito ao ser humano, seja funcionário, parceiros ou clientes: a observância do seu código de ética; seu respeito à diversidade; sua responsabilidade social e a busca constante da eficiência gerencial, tudo isso

23 23 faz da Unilever uma grande empresa multinacional, que agrega valores micro e macroeconômicos. 9 REFERÊNCIAS COBRA. Marcos. Marketing básico. São Paulo: Atlas, KOTLER, Philip. Administração de marketing. São Paulo: Atlas, NEVES, Marcos Fava. Planejamento e gestão estratégica de marketing. São Paulo: Atlas, URDAN, Flávio Torres; URDAN, André Torres. Gestão do composto de marketing. Ed. Atlas: São Paulo, A POLÍTICA ÉTICA. Disponível em: ambiental/politica_etica.asp. Acessado em: 01/04/2008. CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS. Disponível em: em: 03/04/2008. FARBER, Barry. Administrando os argumentos de venda. Disponível em: mentos_da_venda.htm. Acessado em: 02/04/2008. GAIARSA, Maria Amélia Chagas. A Cenografia Estrelar do Lux1. Disponível em: Acessado em: 31/03/2008. UNILEVER UMA HISTÓRIA DE SUCESSO. Disponível em: Acessado em: 20/03/2008. LUX O SABONETE DAS ESTRELAS. Disponível em: Acessado em: 04/03/08. SABONETE LUX O MERCADO. Disponível em: Acessado em: 30/03/2008. SANTANA, Sandra Regina Matias. RFID-Identificação por rádio freqüência. Disponível em:

24 24 html. Acessado em: 01/04/2008. SCHUH, Cátia Inês. Polar no export - O bairrismo como argumento de venda. Disponível em: Acessado em: 31/03/2008. UNILEVER INAGURA FÁBRICA DE R$ 63 MILHÕES EM PERNAMBUCO. Disponível em: Acessado em: 30/03/2008. ANEXOS: A Código de Ética.

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Prof.º Fábio Diniz COMPETÊNCIAS A SEREM DESENVOLVIDAS CONHECER A ELABORAÇÃO, CARACTERÍSTICAS E FUNCIONALIDADES UM PLANO DE NEGÓCIOS.

Leia mais

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com

www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com www.dehterakm.com beatriz@dehtearkm.com Quem somos? A BEATRIZ DEHTEAR KM apresenta a seus clientes uma proposta totalmente inovadora para implementar a Gestão do Conhecimento Organizacional. Nosso objetivo

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PLANO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA Flash Lan House: FOCO NO ALINHAMENTO ENTRE CAPITAL HUMANO E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Estabelecimento da Diretriz Organizacional

Estabelecimento da Diretriz Organizacional Estabelecimento da Diretriz Organizacional AULA 3 Bibliografia: Administração Estratégica: Planejamento e Implantação da Estratégia SAMUEL C. CERTO & J. P. PETERTO ASSUNTO: Três importantes considerações

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Missão, Visão e Valores

Missão, Visão e Valores , Visão e Valores Disciplina: Planejamento Estratégico Página: 1 Aula: 12 Introdução Página: 2 A primeira etapa no Planejamento Estratégico é estabelecer missão, visão e valores para a Organização; As

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO É o processo gerencial de desenvolver e manter um ajuste viável entre os objetivos, experiências e recursos da organização e suas oportunidades de mercado. Moldando e remoldando

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 05 Disciplina: Planejamento Estratégico de Marketing Unidade I: Introdução ao Planejamento Estratégico Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 4º. ADM 2. Visão, Valores, Políticas,

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM CUSTOMER SUCCESS STORY Maio 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Clarity PPM PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários: 182 (2012) Faturamento:

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING PROJETO INTEGRADOR PROJETO INTEGRADOR 1. INTRODUÇÃO Conforme as diretrizes do Projeto Pedagógico dos Cursos Superiores de Tecnologia da Faculdade Unida de Suzano

Leia mais

Processo de Planejamento Estratégico

Processo de Planejamento Estratégico Processo de Planejamento Estratégico conduzimos o nosso negócio? Onde estamos? Definição do do Negócio Missão Visão Análise do do Ambiente Externo e Interno Onde queremos Chegar? poderemos chegar lá? saberemos

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

Maximize o desempenho das suas instalações. Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil

Maximize o desempenho das suas instalações. Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil Maximize o desempenho das suas instalações Gerenciamento Integrado de Facilities - Brasil Sua empresa oferece um ambiente de trabalho com instalações eficientes e de qualidade? Como você consegue otimizar

Leia mais

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS

Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS CUSTOMER SUCCESS STORY Junho 2014 Renova Energia Otimiza Gestão de Conhecimento e Projetos com CA Project & Portfolio Management SaaS PERFIL DO CLIENTE Empresa: Renova Energia Indústria: Energia Funcionários:

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente

Acreditamos em formas criativas e inovadoras de crescimento e desenvolvimento. Elas agregam valor ao cliente Portfólio QUEM SOMOS Somos uma empresa de consultoria organizacional que vem desenvolvendo e implementando em diversas clientes projetos nas áreas de Gestão Recursos Humanos e Comercial/Vendas. Silmar

Leia mais

Inteligência Competitiva

Inteligência Competitiva Inteligência Competitiva Prof. Patricia Silva psilva@univercidade.br Aula 6 Objetivos da aula 6 n Análise SWOT n Bibliografia: Estratégia de Marketing O C. Ferrell Cap. 4 Strenghts (forças), Weaknesses

Leia mais

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade.

VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários de qualidade. MISSÃO Oferecer serviços imobiliários de qualidade, gerando valor para os clientes, colaboradores, sociedade e acionistas. VISÃO Crescer sustentavelmente e ser referência nacional em serviços imobiliários

Leia mais

Plano de Sustentabilidade da Unilever

Plano de Sustentabilidade da Unilever Unilever Plano de Sustentabilidade da Unilever Eixo temático Governança Principal objetivo da prática Para a Unilever, o crescimento sustentável e lucrativo requer os mais altos padrões de comportamento

Leia mais

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente.

Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com o ambiente. Mário Sérgio Azevedo Resta CONSULTOR TÉCNICO EM NEGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Metodologia gerencial que permite estabelecer a direção a ser seguida pela empresa, visando maior grau de interação com

Leia mais

G t es ã tão E t s t ra é té i g? ca O Que é isso? TEORIA TE DAS DA ORGANIZA OR Ç GANIZA Õ Ç ES E Prof. Marcio Peres

G t es ã tão E t s t ra é té i g? ca O Que é isso? TEORIA TE DAS DA ORGANIZA OR Ç GANIZA Õ Ç ES E Prof. Marcio Peres Gestão Et Estratégica? téi O Que é isso? TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES Prof. Marcio Peres Estratégias Linhas de ação ou iniciativas altamente relevantes que indicam como serão alcançados os Objetivos Estratégicos.

Leia mais

PROJETO INTERNACIONAL

PROJETO INTERNACIONAL PROJETO INTERNACIONAL EM 10 PASSOS Ubirajara Marques Direitos: Todos os direitos reservados para Center Group International Duração: 1 hora Apresentação: Linguagem simples, para micros e médios empresários

Leia mais

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado.

Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. TECNICAS E TECNOLOGIAS DE APOIO CRM Situação mercadológica hoje: Era de concorrência e competição dentro de ambiente globalizado. Empresas já não podem confiar em mercados já conquistados. Fusões e aquisições

Leia mais

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP

THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP Soluções integradas para a Indústria do turismo empresarial THE NEXT GENERATION IS NOW MANAGEMENT & CONSULTING GROUP A equipa da XYM Hospitality e os seus parceiros possuem vastos conhecimentos sobre a

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES Agosto/15 Análise de Competitividade Rações Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da competitividade

Leia mais

Marketing no Varejo e Serviços.

Marketing no Varejo e Serviços. Aula 9-11 Marketing no Varejo e Serviços. Nogueira Aula 9_11 Planejamento Estratégico orientado para o mercado (Varejo e Serviços) Porque a empresa deve fazer o seu planejamento estratégico? Existe uma

Leia mais

Análise do Ambiente Interno

Análise do Ambiente Interno Análise do Ambiente Interno Professor: Claudemir Duca Vasconcelos Disciplina: Estratégia e Planejamento Corporativo Alunas: Gleice Costa e Cintia Belo 16 Abril 2015 Ambiente Interno de uma Organização

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao.

Conheça a trajetória da empresa no Brasil através desta entrevista com o Vice- Presidente, Li Xiaotao. QUEM É A HUAWEI A Huawei atua no Brasil, desde 1999, através de parcerias estabelecidas com as principais operadoras de telefonia móvel e fixa no país e é líder no mercado de banda larga fixa e móvel.

Leia mais

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix)

Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Módulo 5. Composto de Marketing (Marketing Mix) Dentro do processo de administração de marketing foi enfatizado como os profissionais dessa área identificam e definem os mercados alvo e planejam as estratégias

Leia mais

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA

Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA Gestão e Marketing Análise SWOT - FFOA SWOT Strengths (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) Forças Oportunidades Fraquezas Ameaças Interno Externo Ajudam Atrapalham

Leia mais

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1

A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DAS EMPRESAS SOBRE OS SERVIÇOS PRESTADOS PELOS PROFISSIONAIS DA AREA DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO 1 Tatiana Pereira da Silveira 1 RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da

Leia mais

Prof. Marcopolo Marinho

Prof. Marcopolo Marinho Aula 05 Marketing Modelo E-C-D; Modelo de cinco forças de ameaças ambientais; Análise do Ambiente Externo; Ferramenta de mapeamento de processos e de planificação estratégica - 5w2h; O Plano Estratégico:

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

R$ 281 milhões de ebitda 52

R$ 281 milhões de ebitda 52 R$ 281 milhões de ebitda 52 Líder e pioneira em seu mercado, a Ultragaz evoluiu em 2009 na implementação de programas de eficiência operacional destinados ao mercado domiciliar, o UltraLevel, e ao mercado

Leia mais

CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO

CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO CUSTOS DA QUALIDADE EM METALURGICAS DO SEGMENTOS DE ELEVADORES PARA OBRAS CÍVIS - ESTUDO DE CASO José Roberto Santana Alexandre Ripamonti Resumo: Com a globalização da economia, as empresas, enfrentam

Leia mais

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com.

Análise de Mercado. Análise da Indústria/Setor. Descrição do Segmento de Mercado. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado. josedornelas.com. Artigos de PN Como fazer Análise de Mercado Análise de Mercado A análise de mercado é um dos componentes do plano de negócios que está relacionado ao marketing da organização. Ela apresenta o entendimento

Leia mais

Parte de nossa história em algumas palavras...

Parte de nossa história em algumas palavras... Parte de nossa história em algumas palavras... José Renato Paiva, trazendo todo o seu conhecimento e experiência em logística de transporte terrestre, adquiridos desde sua adolescência e somados em mais

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO Colombo, 06 de abril de 2010. Instrutora: Amanda G. Gagliastri Formação: Administradora de Empresas O momento em que vivemos Processo acelerado de mudanças

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto

FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING. Professor: Arlindo Neto FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM ADMINISTRAÇÃO MÓDULO DE MARKETING Professor: Arlindo Neto Competências a serem trabalhadas GESTÃO DE MARKETING PUBLICIDADE E PROPAGANDA GESTÃO COMERCIAL FTAD FORMAÇÃO TÉCNICA EM

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

Módulo 17 Estratégias mercadológicas

Módulo 17 Estratégias mercadológicas Módulo 17 Estratégias mercadológicas Todas as empresas para terem sucesso no mercado a longo prazo precisam de uma estratégia. Segundo Peter Druker, as estratégias são os planos de vôos das empresas. Analisando

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS.

TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MARKETING DIGITAL, ESTRATÉGIA FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DAS EMPRESAS. CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração.

//Sobre VISÃO MISSÃO. Honestidade, Responsabilidade. Respeito. Colaboração. . Quem somos //Sobre A Oficina1 é uma consultoria direcionada à tecnologia da informação, com foco na implementação dos ERPs Protheus e OpenBravo, além do aplicativo de Service Desk SysAid, abrangendo

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial.

visão, missão e visão valores corporativos Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. visão, missão e valores corporativos visão Ser uma empresa siderúrgica internacional, de classe mundial. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma Organização empresarial focada em siderurgia, com a missão de satisfazer

Leia mais

Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida!

Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida! Nosso sucesso é sua logística bem-sucedida! Sobre a Store Automação A Store Automação é uma das empresas líderes em TI no Brasil. Especializada em softwares orientados à logística e com vinte anos de atuação,

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags

Estratégia Empresarial. Prof. Felipe Kovags Estratégia Empresarial Prof. Felipe Kovags Conteúdo programático Planejamento: definição, origem, espírito, princípios e tipos empresariais Planejamento estratégico por negócio Formulação de estratégia:

Leia mais

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil

O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil O Segredo do Sucesso na Indústria da Construção Civil Planejamento estratégico pode ser o grande diferencial para a empresado ramo da construção civil, imobiliário e arquitetura que deseja obter mais sucesso

Leia mais

Introdução ao Marketing. História do Conceito

Introdução ao Marketing. História do Conceito História do Conceito O termo marketing, de acordo com Cobra (1988, p. 34) é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. Tribunais Gestão de Pessoas Questões Giovanna Carranza 01. Conceitualmente, recrutamento é: (A) Um conjunto de técnicas e procedimentos

Leia mais

FTAD -Formação técnica em Administração de Empresas Módulo de Planejamento Empreendedorismo Prof. Carolina Lindbergh Competências a serem Trabalhadas CONHECER O SUMÁRIO EXECUTIVO DE UM PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo

Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo BRIEFING DE PRODUTO Modelo de Briefing de Produto - Roteiro de Coleta de Informações - Completo Modelo Extraído dos livros: Tudo o que você queria saber sobre propaganda e ninguém teve paciência para explicar

Leia mais

TRANQUILIDADE. Logística que supera desafios. Escolha o melhor suporte do Mercosul. Mais que movimentar materiais com agilidade,

TRANQUILIDADE. Logística que supera desafios. Escolha o melhor suporte do Mercosul. Mais que movimentar materiais com agilidade, Logística que supera desafios. Mais que movimentar materiais com agilidade, segurança e eficiência, a Transpes oferece um pacote de soluções completas para vários tipos de operações logísticas. Conte com

Leia mais

A LOCAMERICA SEMINOVOS

A LOCAMERICA SEMINOVOS A LOCAMERICA A Locamerica é uma companhia especializada em locação de frotas customizadas para empresas. Desde 13 no mercado, a locadora ocupa o segundo lugar no ranking das maiores do setor em número

Leia mais

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight CUSTOMER SUCCESS STORY Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Empresa: Scitum Funcionários: 450+ EMPRESA Empresa

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER?

EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? EMPREENDEDORISMO: POR QUE DEVERIA APRENDER? Anderson Katsumi Miyatake Emerson Oliveira de Almeida Rafaela Schauble Escobar Tellis Bruno Tardin Camila Braga INTRODUÇÃO O empreendedorismo é um tema bastante

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Marketing 4ª Série Gestão do Relacionamento com os Consumidores A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa

CAVACO S. www.cavacos.com RESPEITANDO A NATUREZA. Combustível de Biomassa CAVACO S Combustível de Biomassa RESPEITANDO A NATUREZA www.cavacos.com EM 2014 OS NOSSOS SONHOS SÃO AINDA MAIORES. APRESENTAMOS AOS NOSSOS CLIENTES E PARCEIROS UMA NOVA CAVACO S, MUITO MAIS MODERNA, COM

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Marketing em Design. 3. Planejamento Estratégico e Processos de Marketing. Profª Ms. Angela Maria Ramos

Marketing em Design. 3. Planejamento Estratégico e Processos de Marketing. Profª Ms. Angela Maria Ramos Marketing em Design 3. Planejamento Estratégico e Processos de Marketing Profª Ms. Angela Maria Ramos 4. Planejamento de novos negócios, redução de negócios superados Os planos da empresa para seus negócios

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Exemplos de Marketing Global. Coca-Cola, Philip Morris, DaimlerChrysler. McDonald s, Toyota, Ford, Cisco Systems

Exemplos de Marketing Global. Coca-Cola, Philip Morris, DaimlerChrysler. McDonald s, Toyota, Ford, Cisco Systems Fundamentos de Marketing Global Parte 01 O significado de Marketing Global Uma empresa global bem-sucedida deve ser capaz de pensar globalmente e agir localmente. Marketing global pode incluir uma combinação

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Professor: Luis Guilherme Magalhães. professor@luisguiherme.adm.br www.luisguilherme.adm.br (62) 9607-2031

PLANO DE NEGÓCIOS. Professor: Luis Guilherme Magalhães. professor@luisguiherme.adm.br www.luisguilherme.adm.br (62) 9607-2031 PLANO DE NEGÓCIOS Professor: Luis Guilherme Magalhães professor@luisguiherme.adm.br www.luisguilherme.adm.br (62) 9607-2031 ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO FRASES SOBRE PLANEJAMENTO Se soubéssemos

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO CEARÁ CEFET/CE DEPARTMAENTO DE EDIFICAÇÕES CURSO DE VIAS E TRANSPORTES CANAIS DE DISTRIBUIÇÃO PROFESSOR: HAMIFRANCY MENESES 1 TÓPICOS ABORDADOS DEFINIÇÃO DE CANAL

Leia mais

P essoas R esultados O bjetivos S ignificado

P essoas R esultados O bjetivos S ignificado Bem Vindos! P essoas R esultados O bjetivos S ignificado Rui de Sá Telles Especialista em Varejo pela FIA-USP MBA Varejo; 40 anos no varejo farmacêutico, de auxiliar à presidente de rede de drogarias;

Leia mais

AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão Estratégica e Qualidade DISCIPLINA: Estratégia Empresarial

AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão Estratégica e Qualidade DISCIPLINA: Estratégia Empresarial AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Gestão Estratégica e Qualidade DISCIPLINA: Estratégia Empresarial ALUNO(A): MATRÍCULA: NÚCLEO REGIONAL: DATA: / / QUESTÃO 1: Que escola de pensamento reúne aspectos

Leia mais

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity

Desenvolvimento de Marcas Fortes. Criação de Brand Equity Desenvolvimento de Marcas Fortes Criação de Brand Equity 1. O que é brand equity? Equity significa valor/patrimônio. Brand equity = valor da marca/patrimônio de marca. A American Marketing Association

Leia mais

Oficina de Planejamento Estratégico

Oficina de Planejamento Estratégico Oficina de Planejamento Estratégico Conselho Estadual de Saúde Secretaria Estadual da Saúde Paraná, agosto de 2012 Planejamento Estratégico Planejamento: atividade inerente ao ser humano Cada um de nós

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X ) TRABALHO

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

4. Análise de Mercado

4. Análise de Mercado 4. Análise de Mercado Ações de Maturação e Aceleração 01.04.2014 Carla Machado Análise de Mercado Índice 1. Evolução Previsional do Setor Enquadre o negócio no setor de atividade, referindo oportunidades

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Empreendedorismo na prática

Empreendedorismo na prática Empreendedorismo na prática Autor: José Carlos Assis Dornelas Aluno: Douglas Gonzaga; Diana Lorenzoni; Paul Vogt; Rubens Andreoli; Silvia Ribeiro. Turma: 1º Administração Venda Nova do Imigrante, Maio

Leia mais

Planejamento de Marketing.

Planejamento de Marketing. Planejamento de Marketing. Análise de Mercado Identificação de Riscos e Oportunidades Segmentação de mercado; Seleção de mercado alvo Objetivos de Marketing Estratégia de diferenciação de produto Estratégia

Leia mais

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015

Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria São Paulo, 13 e 14 de maio de 2015 INOVAR É FAZER Manifesto da MEI ao Fortalecimento da Inovação no Brasil Para nós empresários Inovar é Fazer diferente, Inovar

Leia mais